terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Lula não irá a Davos para o Fórum Econômico Mundial

O presidente Lula não irá participar do Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos, na Suíça. A previsão inicial era que Lula participaria das reuniões que começam no próximo dia 23 e acabam em 27 de janeiro. Lula optou em não viajar para privilegiar os temas internos. Para aliados do governo, a presença de Lula no Brasil é fundamental no momento em que são negociadas as medidas que buscam compensar a perda de arrecadação da CPMF e também os cortes na proposta orçamentária de 2008. Nos últimos seis anos, Lula não compareceu a três encontros, incluindo o que vai ocorrer ainda este ano. O fórum mundial de Davos é uma reunião anual entre presidentes, primeiros ministros e outras autoridades, além de representantes de corporações e intelectuais. Foi fundado em 1971 e em geral reúne cerca de 2.000 mil autoridades.

Aécio Neves tenta unir PSDB e PT em Belo Horizonte

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, quer encontrar junto com o petista Fernando Pimentel, prefeito de Belo Horizonte, um nome capaz de atender aos interesses tanto do PSDB como do PT nas eleições municipais deste ano na capital mineira. Aécio Neves já conversou com Pimentel, mas ouviu do prefeito que a possibilidade é praticamente nula, porque o PT não irá aprovar a aliança. A intenção de Aécio Neves tem como objetivo 2010 e a sucessão presidencial. É seu objetivo unir os políticos mineiros, a exemplo do que fez seu avô Tancredo Neves, quando assumiu o governo de Minas Gerais, em 1983. Em 1984, ele disputou a Presidência da República. A tese da "união de Minas", como fora batizada por Tancredo, é que, com o Estado unido, uma eventual candidatura presidencial pode emergir com mais força no cenário nacional. Minas Gerais é talvez o Estado com a política mais corrupta no País. E o prefeito petista de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, comanda a maior licitação da cidade, a do lixo, de maneira completamente ilegal, tanto que o Tribunal de Contas do Estado, a contragosto, obrigou o prefeito petista a mudar o edital, que direcionava a licitação para um empresa do grupo Queiroz Galvão. O presidente recém-eleito do PT mineiro, o deputado federal Reginaldo Lopes, diz que a possibilidade de um candidato comum só será possível se o nome for de um petista.

Inpe vai mapear recuperação de floresta pós-corte na Amazônia

Apesar de ser o único País com florestas tropicais que monitora o desmatamento, o Brasil ainda não sabe realmente quanto existe de selva em pé na Amazônia. "Nós temos dois chutes", afirma Dalton Valeriano, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Ele se refere a estimativas preliminares que apontam a existência de 160 mil quilômetros quadrados de mata secundária, em 665 mil quilômetros quadrados desmatados. A incerteza sobre o número é tão grande quanto a importância dele. Florestas secundárias, afinal, absorvem gás carbônico (o principal gás de efeito estufa) ao crescer. E elas crescem muito. "Em cinco anos você anda embaixo delas", diz o cientista. Saber quanto realmente existe de floresta secundária na Amazônia é a única maneira de o Brasil saber exatamente qual é o seu balanço de carbono. O Prodes, sistema que calcula a taxa anual de desmatamento, não computa a rebrota. Para ele, uma floresta cortada será para sempre desmatada, mesmo que seja abandonada depois, como ocorre com freqüência. Um outro pesquisador do Inpe, Cláudio Almeida, já começou a resolver esse problema. Ele está analisando 26 imagens de satélite (das 229 cenas que o Prodes usa) para tentar estimar a proporção de regeneração e o quanto a mata secundária fica de pé; geralmente essa formação é a primeira a tombar para ceder lugar à agropecuária. Almeida está fazendo uma espécie de "engenharia reversa" nas imagens do Prodes. Em vez de cobrir a área desmatada e olhar para o que sobrou, ele está "mascarando" a floresta. Como o sinal da mata secundária é bem visível nas imagens de satélite, os pesquisadores acham que será possível, no final do trabalho, ter uma estimativa de o que está em regeneração com uma margem de erro de 5%.

Senador Álvaro Dias protocola projeto contra pacote de aumento de impostos do governo Lula

O senador Álvaro Dias, do PSDB, protocolou nesta terça-feira, na Mesa Diretora do Senado Federal, um projeto de decreto legislativo que questiona o aumento da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), anunciado pelo governo Lula na semana passada. Álvaro Dias estava acompanhado do presidente do partido, senador Sergio Guerra. Ele disse que o governo Lula não honrou o compromisso de não aumentar impostos, mesmo com o fim da CPMF, em dezembro. "Não honrou, ele deveria cortar gastos e não aumentar impostos", disse ele, ao protocolar o PDL. Os dois senadores do PSDB querem a convocação de uma reunião da Comissão Representativa do Congresso Nacional para deliberar sobre este projeto da oposição. Além do PSDB e PPS, o DEM também participa da ofensiva contra o pacote de aumento de impostos do governo Lula . Na segunda-feira, o partido entrou no Supremo Tribunal Federal com uma ação direta de inconstitucionalidade contra as medidas que aumentaram a alíquota do IOF.

Mais um parlamentar perde mandato por infidelidade partidária

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará cassou nesta terça-feira, em decisão unânime, o mandato do vereador João Maira Alves da Silva, da cidade de Santa Isabel, por infidelidade partidária, de acordo com a resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na qual se definiu que o mandato pertence ao partido e não ao político. Na ação contra João Maria, o PSL informou que o vereador, eleito em 2004, solicitou sua desfiliação do partido após pouco mais de dois anos de mandato alegando motivos de ordem pessoal e de caráter definitivo, mas sem justa causa. O PSL informou também que o vereador já estaria filiado ao PSC, o que foi confirmado pela legenda social-cristã. Este foi primeiro caso julgado de infidelidade partidária no Pará e o segundo no País. O primeiro caso foi em Rondônia, no dia 12 de dezembro de 2007, com o Tribunal Regional Eleitoral cassando o mandato do vereador de Buritis Lourival Pereira de Oliveira (PV).

Gelita, empresa denunciada por crimes ambientais, demite funcionários e fecha fábrica em Estância Velha

A multinacional Gelita, empresa produtora de gelatinas, demitiu nesta terça-feira cerca de 80 funcionários da sua filial localizada no município de Estância Velha, colado a Novo Hamburgo, no Vale do Sinos (Rio Grande do Sul). A unidade vinha reduzindo o quadro funcional nos últimos anos e encerrou e parou a linha de produção no dia 31 de dezembro. A direção da multinacional não se pronunciou sobre a decisão, mas funcionários da empresa localizada no bairro Campo Grande confirmam terem sido oficialmente avisados do fechamento da unidade. A Gelita tem filiais na Europa, América do Norte, América do Sul, Ásia, África e regiões do Pacífico, e produz cerca de 80 mil toneladas de gelatina, o que representa quase 30% do mercado mundial, alcançando um faturamento de aproximadamente 430 milhões de euros ao ano. A Gelita é uma das seis empresas denunciadas pela prática de mais de cinco dezenas de crimes ambientais, junto com a Utresa (operadora de lixão industrial), que resultaram na mortandade de quase 90 toneladas de peixes no rio dos Sinos, em outubro de 2006. É inacreditável o silêncio da multidão de ongs ambientalistas diante destes crimes cometidos no Vale do Rio dos Sinos. É um mistério público o comportamento desses “ambientalistas”, parece que eles perderam o rumo sufocados por tanta “consultoria”. Ninguém ouve nenhum ambientalista denunciando a Gelita no planeta inteiro por suas práticas em Estância Velha. Em outros tempos, a gritaria seria enorme, o Greenpeace promoveria passeatas, o Banco Mundial seria amaldiçoado por distribuir financiamentos sem exigir contrapartidas ambientais. É isso aí.....

Vereadores de Porto Alegre gastaram mais de R$ 1 milhão com seus carros em 2007

Os 36 vereadores de Porto Alegre receberam em 2007 mais de R$ 1 milhão de indenização pelo uso de veículo particular. Descontando-se a Presidência da Casa, que tem carro oficial e motorista, isso significa que os outros 35 vereadores receberam, cada um, o equivalente a R$ 28.571,00 de “indenização” pelo uso do seu veículo particular. Ou seja, por andar com seu carro próprio, os vereadores ganharam o equivalente a um outro carro novo. Cada vereador pode rodar até 1,3 mil quilômetros por mês, recebendo indenização de R$ 2.177,00. Não é necessária a comprovação de gastos, somente a quilometragem do carro é conferida e uma declaração da despesa é feita. Os contribuintes de Porto Alegre pagam um carro zero quilômetro para cada vereador a cada ano, tudo isso para que eles passem a temporada inteira quase só aprovando nome de ruas e homenagens. É um custo muito alto para tão baixo rendimento para a população.

Morre em Brasília paciente com suspeita de febre amarela

Morreu na tarde desta terça-feira, em Brasília, Graco Carvalho Abubakir, de 38 anos, que estava internado em estado crítico na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Santa Luzia, com forte suspeita de febre amarela. Ele ingressou no hospital na noite da última sexta-feira, apresentando dores pelo corpo, febre alta, diarréia e náuseas. Morador do Lago Norte, Abubakir passou a virada do ano em Pirenópolis, cidade turística de Goiás, localizada a cerca de 150 quilômetros de Brasília. Na última sexta-feira, o lavrador João Batista Gonçalvez morreu em Goiânia, também com suspeita de febre amarela.

Policia Federal intima três deputados estaduais gaúchos para depoimentos no escândalo dos selos

A Polícia Federal intimou três deputados estaduais gaúchos, nesta segunda-feira, para que prestem depoimentos na superintendência do órgão, o prédio conhecido como Tio Patinhas, localizado na Avenida Ipiranga, em Porto Alegre, no inquérito que investiga a chamada fraude dos selos cometida na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. O comparecimento desses deputados estaduais deverá ocorrer nesta quarta-feira e na próxima segunda-feira. Os parlamentares intimidados para depor são os seguintes: Paulo Brum (PSDB), Kalil Sehbe (PDT) e Nelson Härter (PMDB). Os nomes de Paulo Brum e Kalil Sehbe aparecem em todos os rumores desde quando começaram as investigações da chamada fraude dos selos. As autorizações para investigação dos deputados estaduais foram concedidas pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região. A Polícia Federal também já está pronta para chamar pessoas a depor em função da análise dos e-mails trocados dentro da Assembléia Legislativa, e que foram capturados pela Polícia Federal, a partir de ordem judicial emitida a pedido do Núcleo de Ações Originárias da Procuradoria-Geral da República. Fontes próximas à Polícia Federal indicam que estão envolvidos no escândalo dos selos sete deputados estaduais na ativa e outros sete que não conseguiram se reeleger.

Governo Lula suspende empréstimos consignados para reduzir endividamento de aposentados

O INSS congelou a concessão de novos empréstimos consignados para aposentados e pensionistas, desde o dia 2 de janeiro. O congelamento vale até o governo Lula redefinir as regras. Uma das mudanças anunciadas será o alongamento do prazo de pagamento, de 36 para 60 meses. A mudança foi estabelecida na Instrução Normativa Nº 24, publicada no dia 20 de dezembro no Diário Oficial da União. Entre os motivos estaria uma tentativa de reduzir o endividamento dos aposentados, reduzindo o valor da parcela a ser descontada da folha. No passado, o governo já havia permitido, em julho de 2005, o pagamento em mais de 36 parcelas. Alguns chegavam a 60, a critério do banco. Em outubro do mesmo ano, no entanto, o INSS redefiniu os pagamentos em 36 parcelas, como era originalmente o consignado. O motivo: os aposentados estavam se endividando por um tempo muito longo. De acordo com a assessoria do Ministério da Previdência Social, o INSS deve alterar também o valor da prestação do empréstimo consignado. Atualmente, os aposentados e pensionistas podem comprometer até 30% do total do benefício no pagamento dos empréstimos, e o INSS deverá reduzir esse limite para 20%.

Ministério Público Federal propõe ação contra 465 vereadores por infidelidade partidária

O Ministério Público Federal no Tocantins protocolou no Tribunal Regional Eleitoral do Estado o total de 465 ações de perda de mandato contra vereadores de diversos municípios por infidelidade partidária. Os procuradores se basearam na resolução do Tribunal Superior Eleitoral que definiu as regras sobre a fidelidade partidária. Pelas regras do Tribunal Superior Eleitoral, estão sujeitos à perda de mandato os políticos que trocaram de legenda após 27 de março nos cargos proporcionais (deputados estaduais, deputados federais e vereadores) ou 16 de outubro nos cargos majoritários (prefeitos, governadores, senadores e presidente da República). Nas ações, os procuradores pedem que os pedidos de perda de mandato sejam julgados procedentes e que as câmaras municipais sejam comunicadas das decisões para que os suplentes sejam empossados.

Supremo nega pedido de Delúbio Soares para suspender ação que investiga mensalão

O presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, negou a liminar em habeas corpus requerida pela defesa do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares. No habeas corpus, os advogados de Delúbio Soares pediam a suspensão da ação penal do Mensalão que tramita no Supremo. Delúbio Soares é acusado pelos crimes de gestão fraudulenta e falsidade ideológica. Para seus advogados, ele não pode ser acusado de gestão fraudulenta porque não administrou nenhuma instituição financeira. No mês passado, o ex-presidente do PT, deputado federal José Genoino, também acusado de comandar o esquema do mensalão, negou em interrogatório à Justiça Federal envolvimento no caso. José Genoino empurrou a responsabilidade, em diversos momentos, para Delúbio Soares. "Quem preparava o pagamento do partido, o orçamento e acompanhava o fluxo de caixa era a Secretaria de Finanças, ocupada por Delúbio Soares à época", respondeu Genoino, ao ser questionado sobre um pagamento de R$ 350 mil feito pelo publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza, em 2004, para quitar dívidas do partido. O publicitário Marcos Valério, apontado como operador do mensalão, é acusado de corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e evasão de divisas. Para a Justiça, José Genoino disse também que não teve responsabilidade na escolha dos bancos BMG e Rural, de onde partiram os empréstimos ao PT: "A tarefa foi delegada ao secretário de Finanças", disse, mais uma vez apontando a responsabilidade de Delúbio Soares.

PTB diz ter quatro pré-candidatos a Prefeitura de São Paulo

O PTB tem quatro pré-candidatos à disputa pela Prefeitura de São Paulo nas eleições de outubro: o presidente estadual do partido, deputado estadual Campos Machado, os deputados federais Ricardo Izar e Arnaldo Faria de Sá, e o senador Romeu Tuma. A candidatura só será definida na convenção que o partido pretende realizar entre março e abril. No Estado de São Paulo, o partido pretende lançar candidato próprio em pelo menos 350 municípios. A previsão inicial do partido é eleger 100 prefeitos e 1.000 vereadores. Campos Machado admitiu que as bases do partido indicaram seu nome para a disputa, mas o petebista ainda não confirma a candidatura. O PP também já definiu que terá candidato próprio à sucessão do prefeito Gilberto Kassab (DEM), mas ainda não definiu o nome. O deputado Paulo Maluf (PP-SP), um dos principais líderes do partido no Estado, é um dos nomes cotados para a disputa, mas ainda não assumiu publicamente a candidatura. O bloco de esquerda, formado por PDT, PSB e PCdoB, também articula a indicação de apenas um nome para concorrer em São Paulo. A disputa está entre os deputados federais Aldo Rebelo (PCdoB-SP), Luiza Erundina (PSB-SP) e Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP).

Aliados avisam Lula que corte em emendas de parlamentares vai acirrar disputa no Congresso

Com o diagnóstico pronto sobre a situação da base aliada no Congresso Nacional, depois do anúncio das medidas que aumentam impostos para compensar a perda da arrecadação da CPMF, o presidente Lula vai reunir a coordenação política na quinta-feira. A idéia é traçar a estratégia a ser implementada pelo governo para garantir a execução das medidas e a aprovação do texto do Orçamento Geral da União. Antes, os assessores diretos de Lula receberam mensagens dos aliados de que o governo deverá evitar cortes de emendas parlamentares na tentativa de impedir o acirramento do clima no Senado e na Câmara dos Deputados. Parlamentares da base mandaram recados por meio dos representantes do governo, o ministro das Relações, José Múcio Monteiro, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e também o senador Romero Jucá (PMDB-RR). Eles mandaram dizer que o clima político no Congresso Nacional pode se deteriorar, se a equipe econômica orientar pelo corte das emendas parlamentares de bancada e também individuais. Nesta terça-feira, José Múcio deverá fazer uma nova rodada de reuniões com Paulo Bernardo e Luiz Dulci, da Secretaria Geral da Presidência. Romero Jucá também já informou Lula que o descontentamento da base aliada aumentou em decorrência da demora na nomeação de cargos para presidências e diretorias em várias estatais. A base aliada precisa estar unidade e “satisfeita” porque o PSDB já avisou que pretende obstruir a votações da MP (medida provisória) que aumenta a alíquota da CSLL. E o DEM ameaça dificultar a votação da proposta orçamentária.

BNDESPar faz aporte R$ 150 milhões na Santelisa Vale

O BNDESPar, braço de participações do BNDES, aprovou nesta segunda-feira a subscrição de ações da Santelisa Vale, segundo maior grupo sucroalcooleiro do País, por R$ 150 milhões. A entrada do BNDES na empresa faz parte do plano de reestruturação após a fusão da Santa Elisa com a Vale do Rosário, que formaram o atual grupo. O plano é reforçar os investimentos e realizar sinergias para, futuramente, abrir o capital da Santelisa Vale no Novo Mercado da Bovespa. Tanto o BNDES como a Santelisa Vale não quiseram informar qual será o tamanho da participação acionária do banco de fomento estatal na companhia. O quadro acionário atualmente é comandado pelas famílias Biagi e Junqueira e pelo banco de investimentos norte-americano Goldman Sachs. Caso a empresa divulgasse qual será a participação do BNDESPar, o mercado teria a noção exata do atual valor de mercado, o que poderia atrapalhar a abertura de capital. O plano da empresa é aumentar a capacidade de esmagamento de 19 milhões de toneladas de cana-de-açúcar para 35 milhões, em 2012. Além de construir seis novas usinas em Minas Gerais e Goiás, o planejamento dos novos investimentos prevê ainda a expansão da geração de energia elétrica através do bagaço de cana.

Xerox muda marca para desvincular imagem de fábrica de copiadoras

A Xerox revelou nesta segunda-feira a sua nova logomarca, com a qual visa se desvincular de sua antiga imagem de fabricante de copiadoras e destacar seus softwares, impressoras coloridas e outros produtos tecnologicamente avançados. "Tem havido uma brecha visível no mercado", disse Richard Wergan, vice-presidente mundial de marketing institucional e propaganda da Xérox: "A Xerox é vista incorretamente como uma fabricante de copiadoras. Nós não fazemos só copiadoras". O nome da empresa em vermelho, usado em diferentes versões por 14 anos, foi trocada por uma versão em letras minúsculas. Também virá acompanhada por uma esfera vermelha marcada por um "X" branco com traços prateados. Junto com a nova logomarca, a Xerox usará uma série de cores no marketing em vários tipos de mídias, do impresso e internet para televisões e apresentações interativas. Wergan disse que foi um "multimilionário investimento de marketing". Angéle Boyd, analista da Xerox e vice-presidente da Document Solutions, disse que a troca da marca é "apenas uma grande troca se isso não vier com alguma outra mudança importante que a empresa estiver fazendo".

Presidente do DEM defende cortes em emendas de bancada para adequação do Orçamento

O presidente do DEM, deputado federal Rodrigo Maia (RJ), defendeu nesta segunda-feira o corte das emendas de bancada para readequação do Orçamento de 2008. A proposta orçamentária terá de ser refeita por conta da perda da arrecadação com a CPMF, que deixou de ser cobrada em 31 de dezembro de 2007. Rodrigo Maia disse que todos os poderes terão de fazer sacrifícios: "O Congresso vai ter que cumprir o seu papel e cortar as emendas de bancada”.

Deputado federal quer suspender fiscalização da Receita sobre contas bancárias

O deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP) protocolou na Mesa Diretora do Congresso um projeto de decreto legislativo para suspender os efeitos da instrução normativa que obriga as instituições financeiras a repassar a cada semestre à Receita Federal dados sobre as operações de pessoas físicas que ultrapassem R$ 5 mil e, no caso de pessoa jurídica, R$ 10 mil. O deputado federal quer que o presidente do Senado Federal, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), convoque a comissão representativa, formada por deputados federais e senadores, para analisar a proposta durante o recesso parlamentar. Com o fim da CPMF, a Receita Federal baixou a norma para identificar indícios de sonegação e evasão fiscal.

Dieese diz que preço da cesta básica subiu mais que salário mínimo em 2007

A alta do custo da cesta básica em 2007 superou em todas as capitais brasileira o reajuste do salário mínimo concedido em abril do ano passado, de 8,57%. Segundo pesquisa nacional do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), o custo da cesta básica oscilou entre 11,46%, em Curitiba, e 24,38%, em Aracaju. A alta dos preços dos alimentos determinou o comportamento do custo da cesta básica, informou o Dieese. O feijão foi o produto que mais subiu no ano passado nas 16 cidades que integram o estudo, com destaque para o chamado "feijão de cores", cujo aumento de preço superou 200%. O produto atingiu as maiores variações em Natal (222,84%), Fortaleza (214,25%) e Goiânia (199,04%). No acumulado em 2007, além da capital de Sergipe, também apresentaram elevações superiores a 20% as cidades de Goiânia (24,21%) e Belém (20,90%). Brasília (12,44%), Florianópolis (13,18%), Rio de Janeiro (13,46%) e Porto Alegre (14,33%) ficaram abaixo dos 15% de variação. Segundo o Dieese, o salário mínimo necessário para suprir as despesas de uma família (com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência) seria, em dezembro, de R$ 1.803,11. A quantia apontada é 4,75 vezes o valor do salário mínimo e quase R$ 80 a mais que o apurado em novembro, de R$ 1.726,24 (que correspondia então a 4,54 vezes o mínimo em vigor, de R$ 380,00). Segundo o Dieese, a elevação dos preços dos produtos essenciais, verificada, em especial, ao longo do segundo semestre de 2007, fez com que, em dezembro, o trabalhador que ganha salário mínimo precisasse cumprir 106 horas e 09 minutos para comprar uma cesta básica. Na comparação com dezembro de 2006, o aumento é bem superior, pois o tempo de trabalho necessário correspondia, então, a 98 horas e 12 minutos.

Exército vai rever calendário das obras de transposição das águas do rio São Francisco

O cronograma das obras militares do projeto de transposição das águas do Rio São Francisco será “readequado” por causa da paralisação dos trabalhos, ocorrida em dezembro de 2007. A previsão inicial era que a etapa militar das obras fosse encerrada em março de 2010. No ano passado, uma decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região chegou a suspender as obras por 10 dias, mas o Supremo Tribunal Federal derrubou a decisão. De acordo com o Exército, 380 militares do Batalhão de Construção e Engenharia estão na região, em duas frentes da obra: uma em Cabrobó e outra em Floresta, municípios de Pernambuco. Em 2007, o Exército executou a montagem dos canteiros e iniciou os serviços de escavação das barragens de Tucutu e Areias, além de dois canais de aproximação do rio com as estações de bombeamento. Os militares retomaram as obras na última sexta-feira. O Exército informou que o trabalho dos militares seguirá paralelamente ao início das obras civis, que serão executadas pelo Consórcio Águas do São Francisco, vencedor da licitação do Lote 1.

Leilão de imóveis do traficante colombiano Juan Carlos Abadía será nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira será realizado o leilão de cinco imóveis do traficante colombiano Juan Carlos Abadía Ramirez, preso em agosto do ano passado, em São Paulo. No leilão serão ofertadas quatro casas e um sítio, avaliados pela Justiça em mais de R$ 5,7 milhões. Os lances podem ser feitos pela internet ou pessoalmente na Alameda Lorena, 800, na Zona Oeste de São Paulo. O difícil será encontrar quem dê lances para arrematar bens imóveis que pertenceram a tão sinistro proprietário. Entre os imóveis a serem vendidos está um sítio localizado em Guaíba, na região metropolitana de Porto Alegre, avaliado em R$ 1,7 milhão, e que já foi muito freqüentado por altos oficiais da Brigada Militar (polícia militar do Rio Grande do Sul). A mansão de 400 metros quadrados, em Jurerê Internacional, em Florianópolis, está avaliada em R$ 1,5 milhão. As outras casas estão localizadas em Angra dos Reis (RJ), Pouso Alegre (MG) e Aldeia da Serra (SP). Abadía é acusado de ter cometido pelo menos 300 homicídios. A polícia federal estima que ele montou um patrimônio de R$ 3,4 bilhões com o tráfico de cocaína. Os imóveis eram comprados por ele para lavar o dinheiro do tráfico.

Presidente do DEM diz que senador Romero Jucá não tem mais credibilidade para negociar

O presidente do DEM, deputado federal Rodrigo Maia (RJ), disse nesta segunda-feira que o líder do governo Lula no Senado Federal, senador Romero Jucá (PMDB-RR), perdeu a "credibilidade" depois do descumprimento do acordo fechado no ano passado com a oposição. O governo havia prometido não elevar impostos para compensar o fim da CPMF. Mas, a equipe econômica anunciou na semana passada a elevação das alíquotas do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) das instituições financeiras. Para Rodrigo Maia, Romero Jucá terá dificuldade para negociar com a oposição daqui para a frente: "Não sei como o Jucá vai conseguir conversar com oposição, pois perdeu a credibilidade”.

Senador Romero Jucá admite que governo Lula quebrou sua palavra, “mas só um pouquinho....”

O líder do governo do PT e do presidente Lula no Senado Federal, senador Romero Jucá (PMDB-RR), admitiu nesta segunda-feira que o compromisso do Planalto de não elevar impostos para compensar a arrecadação perdida com o fim da CPMF não foi cumprido. No final de 2007, o governo Lula prometeu não aumentar impostos e promover a reforma tributária como um compromisso para que fosse aprovada a manutenção da DRU (Desvinculação das Receitas da União), depois do trauma político da derrota na votação da CPMF. "Houve, sim, uma quebra de acordo, mas apenas com relação à CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido). Porém o aumento vai recair somente sobre o lucro dos bancos, um dos segmentos que mais têm sido beneficiados economicamente. Os demais reajustes necessários, como a redução em R$ 20 bilhões no Orçamento previsto para 2008, serão todos discutidos com o Congresso . O governo entendeu que este é o melhor caminho, mas se a oposição entender que não, estamos dispostos a discutir", disse com cara de laje o senador Romero Jucá. Ele ainda disse que a decisão foi a saída encontrada pelo presidente Lula diante de "uma leitura que fez do mercado internacional": "O presidente entendeu que esperar para discutir esse assunto com o Congresso, a partir de 15 de fevereiro, não seria salutar para a economia brasileira, devido a uma leitura que fez da conjuntura internacional, principalmente a norte-americana”. Lula fazendo leitura de conjuntura econômica internacional é de morrer de rir. O certo é acreditar que o rei da bravata não faria de outra forma.

Marta Suplicy ameaça os paulistas com possibilidade de candidatura à prefeitura

Principal nome do PT na corrida eleitoral pela prefeitura de São Paulo, a ministra do Turismo, Marta Suplicy, está só aguardando o aval do presidente Lula para anunciar oficialmente sua nova candidatura. Muito pressionada por seu grupo político em São Paulo, Marta Suplicy já sinalizou ao partido que pode concorrer ao cargo pela terceira vez, desde que tenha o aval e o apoio de Lula. Assim como seus principais adversários até agora na disputa, Marta Suplicy tem no horizonte as eleições de 2010, quando sonha concorrer ao Palácio dos Bandeirantes ou até mesmo ao Palácio do Planalto. No início do ano passado, a ex-prefeita da capital paulista e seus aliados trabalharam muito para que Lula a convidasse a ocupar um ministério, o que chegou a dificultar o arranjo de forças na coalizão que dá sustentação ao presidente.

Venezuela é o país campeão em seqüestros na América do Sul

Apesar da visibilidade provocada pelos reféns em poder da organização terrorista e traficante de cocaína Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), a indústria do seqüestro na Colômbia diminuiu bastante nos cinco anos e meio de governo do presidente Álvaro Uribe. Em 2007 o país deixou de ser o líder em crimes desse tipo na região, lugar que hoje é ocupado pela Venezuela do cantinflesco tiranete Hugo Chavez. Em números proporcionais, A Venezuela apresentou em 2007 cerca de 12 casos para cada 1 milhão de habitantes, enquanto na Colômbia foram nove ocorrências por 1 milhão de habitantes. Os dados são do Observatório de Segurança Sul-Americano, uma coalizão de organizações regionais que tratam do tema. Na Colômbia, a tendência é de queda acentuada. De 2.285 seqüestros registrados em 2002, o primeiro ano de Uribe, passou-se em 2006 para 687. No ano passado houve uma nova redução, com estimativa preliminar de cerca de 300 casos, segundo a Fundação Segurança e Democracia, uma das ONGs integrantes do observatório.

DEM recorre ao Supremo contra o aumento do IOF

O DEM entrou nesta segunda-feira no Supremo Tribunal Federal com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) contra as medidas que aumentaram a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). O argumento dos democratas é que há cobrança dupla do imposto. Além disso, o partido alega que a medida do governo feriu o princípio da isonomia uma vez que a alíquota para empréstimo a pessoa física dobrou, enquanto a da pessoa jurídica permaneceu inalterada, em 0,041%. O presidente do partido, deputado federal Rodrigo Maia (RJ), chamou de cínico o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que alegou que o compromisso do governo de não aumentar impostos valia apenas até o dia 31 de dezembro de 2007. "O ministro foi completamente cínico e fez uma coisa atrapalhada e desrespeitosa", afirmou Rodrigo Maia, acrescentando: "A nossa intenção é anular a decisão do governo em relação ao aumento da carga tributária”. No dia 2 de janeiro, o governo anunciou um pacote com o reajuste das alíquotas de impostos para compensar o fim da cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Para aprovar a Desvinculação de Recursos da União (DRU), o governo Lula havia se comprometido a não baixar pacote com aumento de impostos. Nesta terça-feira o DEM recorrerá ao Supremo contra o aumento da alíquota da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) para o setor financeiro.

Juíza diz que acusado de tortura na Argentina foi morto para não delatar

O ex-oficial da guarda costeira que foi encontrado morto na prisão dias antes da divulgação de sua sentença no julgamento por tortura pode ter sido assassinado por queima de arquivo, afirmou uma juíza. Hector Febres, réu em um caso de violação dos direitos humanos durante a ditadura militar argentina (1976-1983), morreu no dia 10 de dezembro, envenenado por cianureto, na suíte em que era mantido preso, em um complexo da guarda costeira. A juíza Sandra Arroyo determinou a prisão de dois oficiais da guarda costeira que serviam de carcereiros, acusando-os de permitir a entrada dos assassinos. Segundo a juíza, o motivo do crime foi "silenciar alguém que tentou revelar dados ou informação sobre os fatos que cercam as violações de direitos humanos durante o último governo militar". Febres estava sendo julgado pela tortura de prisioneiros políticos no centro de detenção da Escola de Mecânica Naval, a Esma, durante a ditadura militar. O ex-oficial tinha alegado inocência no julgamento, mas dissera a familiares e a um padre que pretendia falar no veredicto sobre crimes cometidos pelo regime militar, porque estava se sentindo um bode expiatório, segundo a resolução da juíza. Havia a possibilidade de Febres estar planejando falar sobre o que aconteceu com os bebês nascidos na prisão, adotados ilegalmente. As força armadas da Argentina são sinistras até a raiz da alma.

Ex-ministra da Economia da Argentina é processada por corrupção

A justiça argentina anunciou a instalação de processo crime contra a ex-ministra da Economia no governo Nestor Kirchner, Felisa Miceli, acusada de destruição de documentos e acobertamento, depois de terem encontrado uma bolsa cheia de dinheiro de origem duvidosa em seu gabinete. O processo foi iniciado no dia 28 de dezembro. Felisa Miceli foi obrigada a renunciar em julho de 2007, em meio a um escândalo político, devido a aparição em seu gabinete de uma bolsa com 60 mil dólares cuja origem está sendo investigada pela Justiça. A ex-ministra, que agora trabalha para a organização humanitária Madres de Plaza de Mayo, afirma que o dinheiro seria usado para a compra de um imóvel, mas que o negócio foi cancelado no último momento. Ela disse que o dinheiro havia sido emprestado a ela por um irmão. Felisa Miceli é acusada pela destruição de documentos após o desaparecimento da ata original elaborada pela Brigada de Explosivos da Polícia Federal que informava o encontro da bolsa, um delito que pode acarretar pena de um a seis anos de prisão.

Severino Cavalcanti pode voltar à Câmara dos Deputados

O processo de cassação do mandato do deputado federal Marcos Antônio Ramos da Hora (PRB-PE), por infidelidade partidária, poderá reconduzir o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti (PP) de volta a esta Casa, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. Em 2005, Cavalcanti renunciou à presidência sob acusação de cobrar propina do empresário Sebastião Buani, dono de um restaurante instalado na Câmara dos Deputados. A petição contra o deputado federal Marcos Antonio Ramos da Hora foi ajuizada no Tribunal Superior Eleitoral no último dia 31. Nessa petição, o suplente de deputado federal Fernando Antônio Rodovalho (PSC-PE) tenta reaver o mandato de Marcos Antonio Ramos da Hora, que após ser eleito pelo PSC teria passado por outras duas legendas em menos de seis meses. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, Severino Cavalcanti é o primeiro suplente da coligação que elegeu Marcos da Hora. O ministro Cezar Peluso será o relator do caso. O julgamento esclarecerá se o mandato pertence ao partido ou à coligação.