segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Equador pede à Interpol que localize ex-ministro foragido

A Interpol ativou o alerta azul para localizar o ex-ministro do governo do ditador fascistóide esquerdopata Rafael Correa (2007-2017), Fernando Alvarado, acusado de peculato, anunciou no sábado (20) a ministra equatoriana do Interior, María Paula Romo. "Neste momento, existe o pedido de localização e buscas a Fernando Alvarado", assinalou a ministra em entrevista coletiva. Alvarado foi declarado foragido da Justiça após ter removido a tornozeleira eletrônica que usava desde agosto devido a uma investigação de peculato. Ele estava proibido de deixar o país e deveria se apresentar periodicamente à Justiça. Outros questionamentos sobre o ex-ministro estão relacionados a contratos com empresas de familiares, entre elas a de seu irmão Vinicio Alvarado, que também foi funcionário do governo Correa. Autoridades anunciaram que pedirão à Justiça que proíba a saída do país de funcionários de alto escalão do governo de Correa, que enfrenta na Bélgica (para onde se mudou após deixar o poder, em maio de 2017) uma investigação pelo sequestro de um opositor em 2012. O crime de peculato não prescreve no Equador e é punido com até 13 anos de prisão.

Rosa Weber, presidente do TSE, diz que Justiça não tem solução pronta contra "fake news"


A presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministra Rosa Weber, avaliou neste domingo (21) que a Justiça Eleitoral não falhou no combate às chamadas “fake news” durante o processo eleitoral deste ano. Segundo ela, a disseminação de informações falsas, classificada como “intolerável” pela ministra, é um “fenômeno mundial” e o Poder Judiciário não tem uma “solução pronta” para interrompê-la: “Nós entendemos que não houve falha alguma da Justiça Eleitoral no que tange a isso que se chama fake news. Todos sabemos que a desinformação é um fenômeno mundial e que se faz presente nas mais diferentes sociedades”. “Gostaríamos de ter uma solução pronta e, de fato, não temos”, disse. Ela ressaltou, contudo, que a Justiça Eleitoral tem dado, por meio de seus ministros auxiliares, respostas prontas em processos sobre propagandas irregulares, nas áreas jurisdicional e administrativa. Para ela, a novidade no processo eleitoral não é a disseminação de mensagens falsas, mas a velocidade de circulação delas por meio das redes sociais e aplicativos de mensagens. “Nós sabemos que há excessos que se cometem no processo eleitoral. E eles são devidamente apurados pela Justiça Eleitoral no tempo devido”, ressaltou. A ministra lembrou que foi criado um conselho consultivo com a intenção de normatizar um método para enfrentamento das “fake news”, mas explicou que a iniciativa foi desaconselhada pelo conselho nacional de direitos humanos da ONU (Organização das Nações Unidas). O receio era de que uma normatização poderia atentar contra conceitos democráticos, como a liberdade de expressão.

Também na sede do TSE, o ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Sérgio Etchegoyen, foi questionado se os setores de inteligência brasileiros identificaram ações de governos ou grupos do Exterior para influenciar no resultado das eleições no País. “Existem muitos instrumentos para a interferência ilegítima do processo eleitoral. As fake news talvez sejam o menor deles. Não se identificou uma operação sistemática ou estruturada em cima das nossas eleições”, respondeu. Segundo ele, com base em dados da inteligência, não houve eventos significativos que indiquem alterações no processo eleitoral. “Desde 2016, identificamos pequenas tentativas de influenciar, mas não houve incremento considerável neste ano do que houve em 2016”, disse ele.

Sobradinho, grande açude da Chesf, terá a maior usina de geração de energia solar das Américas


A estatal de energia Chesf está construindo em Sobradinho, na Bahia, a maior usina solar flutuante das Américas em reservatório de hidrelétricas. A obra vai gerar energia a partir de uma potência de 1 MW (megawatts) e deverá ficar pronta já em dezembro. A construção da usina usina solar flutuante integra um contrato de Pesquisa e Desenvolvimento firmado pela estatal Chesf, a estatal Cia Hidrelétrica do São Francisco, que é vinculada ao Ministério de Minas e Energia. A empresa que instala a usina flutuante no reservatório de Sobradinho é a Sunlution Geração de Energia. Esse tipo de tecnologia de geração solar flutuante deverá ser bastante utilizada no Brasil principalmente em hidroelétricas que enfrentam problemas de redução dos níveis de água. Só no rio São Francisco há uma enorme ociosidade de infraestrutura de linhas de transmissão e subestações que não estão sendo utilizadas por falta d’água. A aplicação da tecnologia em larga em escala, nas hidroelétricas brasileiras, vai gerar energia limpa, renovável, mais barata e criará milhares de empregos qualificados em diversas regiões do Brasil.

domingo, 21 de outubro de 2018

Bolsonaro já prepara um pacotão de medidas econômicas e de segurança para enviar ao Congresso Nacional


O candidato do PSL à Presidência da República, deputado federalJair Bolsonaro (PSL), disse que, se eleito, as propostas de governo só serão encaminhadas ao Congresso Nacional, depois de conversas com senadores e deputados federais. De acordo com ele, pretende apresentar uma série de medidas que devem ser negociadas com os parlamentares: “Não vamos apresentar nada sem conversar com os parlamentares. Para ter certeza que essas reformas serão aprovadas de forma racional pelo Parlamento". A afirmação foi dada durante entrevista exclusiva à TV Band e veiculada nas redes sociais do candidato neste domingo (21). Ele reiterou que não pretende participar de debates, como vem cobrando seu adversário, o poste Fernando Haddad (PT), lacaio e moleque de recados do bandido corrupto, lavador de dinheiro, chefe da organização criminosa petista e presidiário Lula.

Israel prende o governador palestino de Jerusalém

Israel prendeu o governador palestino de Jerusalém por crimes que teria cometido na Cisjordânia, que não foram especificados, informou a terrorista Organização para a Libertação da Palestina (OLP). O governador Adnan Gheith foi detido no sábado à noite no bairro palestino de Beit Hanina, em Jerusalém Oriental. Será apresentado a um tribunal dentro de quatro dias. Para Saeb Erakat, dirigente da OLP, a detenção é "um novo passo contra a presença palestina em Jerusalém" e constitui uma violação da legislação israelense a respeito das instituições palestinas da cidade. "As ameaças contra dirigentes palestinos, sua detenção, inclusive o 'sequestro' do governador Gheith, são parte de um plano que pretende sufocar todas as bases de uma solução política com dois Estados e com as fronteiras de 1967", limite que prevalecia antes da guerra israelense-árabe e da ocupação israelense da Cisjordânia e de Jerusalém Oriental, completou Erakat em um comunicado. A OLP é liderada por Mahmud Abbas, que controla o partido Fatah e a Autoridade Palestina, principal interlocutor com os dirigentes estrangeiros. A OLP estava representada em Jerusalém Oriental pela Casa do Oriente até seu fechamento pelas autoridades israelenses no ano 2000. 

sábado, 20 de outubro de 2018

Consultei meu coração, e ele me disse para votar em Jair Bolsonaro e Eduardo Leite no próximo dia 28


O governador do Rio Grande do Sul, o emedebista José Ivo Sartori, pede aos gaúchos, em sua propaganda eleitoral no rádio e na televisão, que consultem seus corações para decidir no próximo domingo, dia 28 de outubro, data do segundo turno das eleições, se desejam progredir ou regredir. 

Eu consultei meu coração, e já tomei minhas decisões. Votarei (assim como no primeiro turno), com o coração cheio de esperança em um Brasil moderno, livre, justo, no capitão reformado do Exército Brasileiro, Jair Messias Bolsonaro, para Presidente da República. Ele encarna as noções de Ordem e Progresso. 

É isso que o Brasil precisa depois de um desastroso período de mais de cinco décadas de populismo econômico, finalizado pelo mais escandaloso regime criminoso do PT, que levou consigo para o covil da corrupção quase todos os partidos políticos e políticos energúmenos, com coluna vertebral de plástico e moral ainda mais elástica do que jamais tinha se visto em toda a história deste País. 

Ordem e progresso, é o que o País mais precisa neste momento, e tudo isso com disciplina e Justiça. Eu, e a imensa maioria dos brasileiros, votaremos em Jair Bolsonaro na esperança e expectativa de que as leis sejam endurecidas e, principalmente, aplicadas aos bandidos de colarinho branco.

Consultei também meu coração (embora nem precisasse fazer isso) para decidir o meu voto para o governo do Estado do Rio Grande do Sul. Assim como no primeiro turno, votarei em Eduardo Leite para governador. 

Quatro anos atrás, na véspera de Natal, escrevi um artigo que não cheguei a publicar, a pedido de um amigo, dizendo por qual razão o governo do muito incompetente e inapetente governador José Ivo Sartori não daria certo. Meu amigo dizia que eu precisava dar algum crédito ao governo que iria assumir. Eu tinha votado nele, como única alternativa, porque seria inimaginável votar no peremptório petista Tarso Genro. Desde sempre sabia quem ele era, quem é, quem é o MDB, o que pensam e verdadeiramente desejam os emedebistas. 

Por isso, minha expectativa quanto ao sucesso do governo dele era zero, por variadas razões. Na verdade, o artigo não publicado foi escrito motivado pelo anúncio de que o secretário da Segurança Pública seria um totalmente desconhecido delegado federal que estava lotado no Mato Grosso do Sul. 

Para mim aquilo era um sinal mais do que evidente de uma capitulação antecipada do futuro governador emedebista José Ivo Sartori ao governo da mulher sapiens petista Dilma Rousseff. Ou seja, aos meus olhos, ele entregava o estratégico setor de segurança pública, o controle de uma enorme força pública armada, ao comando da organização criminosa petista. 

Desde lá, ele capitulava, entregando os anéis, porque em sua imaginação, assim como na de todos os emedebistas que já passaram pelo governo gaúcho, o Estado só tem solução para sua crônica crise fiscal, econômico-financeira, recebendo ajudas do governo federal, na forma de renegociações da dívida que eternizam e ampliam o problema da referida dívida, e da liberação para contratação de mais endividamentos. 

É uma fórmula suicida, é como servir uma colher de veneno para rato todos os dias misturado no prato de comida de cada gaúcho. E isso é tudo que o MDB sabe oferecer ao Estado. Por que a insistência em atribuir isso ao MDB? Porque é o partido hegemônico no Rio Grande do Sul. Desde a redemocratização do País, governa o Estado pela quinta vez. E pretende governar pela sexta vez. Para quê? Como diz o poeta, para nada. 

Outros partidos também governaram o Rio Grande do Sul desde a redemocratização e nada fizeram para mudar o status quo. Inserem-se nessa lista o PP, PDT, o PT e o PSDB. Todos têm uma característica básica em comum: uma sagrada idolatria pelo Estado, pelo estatismo, pelo corporativismo, pela crença submissa de que cabe ao Estado o papel de indução do desenvolvimento, do progresso da sociedade. A crença é um absurdo total, mas ninguém a contesta mesmo diante do abismo à frente do nariz. Os gaúchos são conduzidos pela sua classe política, idêntica da esquerda à direita, como ratos tocados pelo flautista de Hamerlin. 

José Ivo Sartori é um absoluto incompetente e, pior do que isso, um total inapetente. Não mostrou qualquer remoto apetite para encaminhar uma saída para a crise do Rio Grande do Sul. Desde sempre ficou claro que não contaria com a Assembléia Legislativa do Estado. Então cabia desde logo a um político consciente, verdadeiro, dizer às claras à população que a única alternativa para a saída da crise seria uma consulta direta ao povo, por meio de plebiscito, para obtenção da autorização para venda a venda de estatais. Ele não quis fazer isso. Depois conduziu uma pantomima de que queria, não querendo. Em resumo, um governo inerte. Jamais perguntou aos gaúchos o que eles verdadeiramente sentem. Os gaúchos estão dando a mais gritante demonstração do que pensam e querem ao votar em Jair Bolsonaro. Sartori preferiu se grudar a Bolsonaro como um sanguessuga, um parasita inútil. 

Vou votar em Eduardo Leite. Por qual razão? Por que ele seria o condutor genial e novo que os gaúchos precisam? Nada disso, ele dá todos os sinais de que será apenas mais do mesmo. Sua vida politica e sua campanha eleitoral não dão quaisquer sinais de que tenha um pensamento moderno, anti-estatizante, anti-corporativo. Ele dá todos os sinais de ser mais um adorador desse Leviatã gigante moderno, o Estado. Votarei nele apenas porque será um governante novo, que talvez tenha, no mínimo, a apetência por fazer que tanto faltou ao inapetente emedebista Jose Ivo Sartori. Meus votos já estão decididos, o máximo que posso fazer é recomendá-los aos meus leitores. 

Jornalista Vitor Vieira - Editor de Videversus

Caixa Econômica Federal anuncia taxa zero para investimento no Tesouro Direto

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta sexta-feira (19) a isenção da taxa de custódia para todos os seus clientes que aplicam no Tesouro Direto, programa do governo federal de compra e venda de títulos públicos. Até então, o banco cobrava 0,4% ao ano para manter a aplicação. Segundo o vice-presidente de Finanças e Controladoria do banco estatal, o objetivo é manter uma cesta de produtos e serviços competitivos, associada à solidez do banco. "Atenta às condições de mercado, a Caixa aprovou a isenção da taxa de custódia para todos os seus clientes, indistintamente. Assim, tornamos essa alternativa de investimento ainda mais rentável, fortalecendo o relacionamento com nossos clientes investidores", comentou. A medida já está em vigor e vale para os clientes que possuem estes produtos e também os novos negócios. A Caixa Econômica Federal foi o último entre os maiores bancos do País a zerar a taxa de investimento para o Tesouro Direto. Bradesco, Itaú, Santander e Banco do Brasil já praticam a isenção. Foi a concorrência com corretoras independentes que fez com que os grandes bancos zerassem suas taxas de aplicação nesse tipo de investimento. Para aplicar no Tesouro Direto pela Caixa Econômica Federal o cliente deve realizar seu cadastramento pelo Internet Banking. Todas as operações e acompanhamentos também são realizados eletronicamente pelo próprio cliente. 

Raquel Dodge diz ao Supremo que o bandido corrupto Lula não pode conceder entrevistas na prisão

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou parecer nesta sexta-feira (19) ao Supremo Tribunal Federal contra o pedido feito pelos jornalistas Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, e Florestan Fernandes para que o bandido corrupto Lula conceda entrevistas dentro da prisão. No parecer, a procuradora defendeu a liberdade de expressão e de imprensa, mas ressaltou que, em algumas situações, há a possibilidade de proibir que presos concedam entrevistas. Para Raquel Dodge, entre as finalidades da condenação de presos está o objetivo de cumprimento da pena "com discrição e sobriedade". "O fato é que ele [Lula] é um detento em pleno cumprimento de pena e não um comentarista de política", disse a procuradora. “Conclui-se que a proibição de que Luiz Inácio Lula da Silva conceda entrevistas em áudio e/ou vídeo, apesar de ser restritiva da sua liberdade de expressão, é medida proporcional e adequada a garantir que as finalidades da pena a ele imposta sejam concretizadas, sendo, portanto, compatível com a ordem jurídica do país”, disse. No início do mês, uma guerra de decisões liminares sobre os pedidos terminou com a decisão do presidente do STF, Dias Toffoli, que impediu a concessão das entrevistas. 

Justiça Federal solta ex-deputado federal petista André Vargas, primeiro politico condenado na Lava Jato


O ex-deputado federal André Vargas, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro na Operação Lava Jato, foi solto nesta sexta-feira (19) após cumprir um terço da pena e iniciar o pagamento da reparação de danos ordenada pela justiça. A decisão de conceder liberdade condicional ao político foi da 2ª Vara de Execuções Penais de Curitiba. A juíza Luciani Tesseroli Maronezi entendeu que Vargas apresentou comportamento satisfatório e começou a pagar, em prestações, a indenização de R$ 1,1 milhão a que foi condenado. Serão 72 parcelas de R$ 15 mil. O ex-deputado petista deixou o Complexo Médico Penal, na região metropolitana de Curitiba, à tarde. Estava detido havia três anos e meio. Vargas, que chegou a ser vice-presidente da Câmara de Deputados e acabou cassado após ser acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, foi o primeiro político condenado na Lava Jato, em setembro de 2015. Ele foi acusado de receber propina de contratos de publicidade da Caixa Econômica e do Ministério da Saúde. O político tem condenações em três processos, das quais ainda recorre. Ele se desfiliou do PT em 2014. As advogadas Nicole Trauczynski e Elisa Blasi, que defendem o político, afirmaram que a decisão foi acertada e que Vargas cumpriu "todos os requisitos legais".

Ex-conselheiro do Carf é condenado a 6 anos de prisão

João Carlos Figueiredo Neto, ex-conselheiro do Carf, foi sentenciado pela Justiça de Brasília a seis anos de prisão por corrupção passiva. Figueiredo era o conselheiro-orador do processo de fusão entre o Itaú e o Unibanco no Carf, o “tribunal da Receita”. Ele foi preso em flagrante em 2016, no café de um shopping center em Brasília, ao exigir R$ 1,5 milhão de propina ao Itaú.

Procuradoria pede instauração de inquérito para apurar disseminação de fakes por campanhas de Haddad e Bolsonaro

A procuradora geral da República, Raquel Dodge, requisitou à Polícia Federal a instauração de inquérito para apurar se empresas de tecnologia da informação têm disseminado, de forma estruturada, mensagens em redes sociais referentes a Fernando Haddad e Jair Bolsonaro. Raquel Dodge informa que os fatos mencionados em reportagens jornalísticas “já motivaram a abertura de procedimento apuratório pela Procuradoria-Geral Eleitoral”. O objetivo do inquérito da Polícia Federal “é verificar a existência de eventual utilização de esquema profissional por parte das campanhas, com o propósito de propagar notícias falsas”. Para a Procuradoria, “o uso de recursos tecnológicos para propagar informações falsas ou ofensivas à honra e à imagem dos dois candidatos pode interferir na opinião de eleitores”. “Esse fato afronta a integridade das eleições e é uma nova realidade mundial que exige investigação com a utilização de um corpo pericial altamente gabaritado e equipamentos adequados para se identificar a autoria e materializar a ocorrência desse novo formato de crime".

Datafolha diz que eleitores de partidos de esquerda engrossam a liderança de Bolsonaro

Eleitores de partido de esquerda ajudam a engrossar a vantagem de Jair Bolsonaro (PSL) sobre Fernando Haddad (PT), revela pesquisa Datafolha concluída na quinta-feira (18). Nesse campo, o militar é o preferido de 52% dos que declararam preferência pelo PSB (contra 31% em Haddad). Do partido de Ciro Gomes, o PDT, 31% pretendem votar em Bolsonaro —52% escolhem o petista. O militar ainda é o escolhido de 15% dos eleitores do PSOL, contra 85% em Haddad. Até entre os petistas 5% pretendem votar em Bolsonaro, e 90% escolhem o candidato presidencial do próprio partido. ​Bolsonaro leva ampla vantagem entre eleitores do PSDB (76%) e MDB (62%). Ainda no campo mais à esquerda, 19% dos que votaram em Ciro Gomes escolherão Bolsonaro —outros 56% preferem Haddad. E 7% dos que votaram em Guilherme Boulos (PSOL) no primeiro turno também declararam voto no militar, contra 68% em Haddad. Entre os eleitores do próprio Haddad, 4% pretendem mudar de candidato no segundo turno e escolher Bolsonaro.

WhatsApp notifica agências que disparam mensagens anti-PT

O WhatsApp enviou notificação extrajudicial para as agências Quickmobile, Yacows, Croc services e SMS Market determinando que parem de fazer envio de mensagens em massa e de utilizar números de celulares obtidos pela internet, que as empresas usavam para aumentar o alcance dos grupos na rede social. A empresa também baniu as contas do WhatsApp associadas a essas agências. Reportagem publicada pela Folha de S.Paulo nesta quinta-feira (18) mostrou que empresas bancaram uma campanha de mensagens anti-PT com pacotes de disparos em massa. A prática é ilegal, pois se trata de doação de campanha por empresas, vedada pela legislação eleitoral, e não declarada. A agência AM4 e outras estão sob investigação e serão notificadas caso sejam comprovadas as irregularidades. O comportamento fere as regras do WhatsApp. O envio de mensagens em massa com conteúdo eleitoral não é ilegal, desde que use a base de usuários dos próprios candidatos, ou seja, listas com nomes e telefones celulares de apoiadores que voluntariamente os cederam. No entanto, várias agências venderam bases de usuários de terceiros, segmentadas por região e perfil, de origem desconhecida -o que é ilegal. "Estamos tomando medidas legais para impedir que empresas façam envio maciço de mensagens no WhatsApp e já banimos as contas associadas a estas empresas", informou em nota o WhatsApp. A empresa também disse que usa tecnologia de ponta para detectar contas com comportamento anormal para que elas não possam ser usadas para espalhar mensagens de spam.

Arábia Saudita confirma que jornalista foi morto no consulado em Istambul

A Arábia Saudita confirmou nesta sexta-feira, 19, que o jornalista Jamal Khashoggi foi morto durante uma briga no consulado em Istambul. A informação foi anunciada pela Procuradoria Pública em Riad, na TV. O jornalista, um duro crítico do regime saudita que se exilou nos EUA em 2017, estava desaparecido desde o dia 2, depois de ter entrado na representação para buscar papéis para seu casamento. O desaparecimento provocou condenações internacionais e estremeceu as relações entre a Arábia Saudita e o Ocidente. De acordo com o comunicado lido na TV estatal, 18 sauditas foram presos e estão sendo investigados por conexão com o caso. Nenhum deles foi identificado. No comunicado, o promotor público do reino disse que uma investigação descobriu que surgiu uma discussão entre Khashoggi e homens que o encontraram no consulado saudita em Istambul, levando a uma "briga que terminou com sua morte". "As discussões entre Jamal Khashoggi e aqueles com quem ele se reuniu no consulado do reino em Istambul degeneraram para uma briga corporal, levando à sua morte", reportou a Agência de Notícias saudita (SPA), citando a Procuradoria. Foi informado ainda que o conselheiro da corte real, Saud al-Qahtani, e o vice-diretor de Inteligência, o general Ahmed al-Assiri, foram destituídos de suas posições, além de outros três oficiais do reino. Assiri é um conselheiro próximo do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman. A TV questiona que ainda há muitas questões a serem respondidas, por exemplo, como ele morreu e exatamente onde está o corpo. 
O jornal francês Le Figaro informou nesta sexta-feira que a família real saudita estaria considerando substituir o príncipe Salman como herdeiro do trono. No entanto, de acordo com a Agência de Notícias Saudita (SPA), o rei Salman ordenou a reestruturação do serviço de inteligência e a formação de um comitê, sob o comando do príncipe herdeiro, que supervisionará a mudança. A agência acrescentou que o rei ordenou a atualização das regulamentações da agência, o alcance de seus poderes, além de uma avaliação de seus métodos e procedimentos. O anúncio marca a primeira vez que oficiais sauditas reconhecem que Kashoggi foi morto dentro do consulado. Desde seu desaparecimento, oficiais sauditas repetiam que ele havia deixado o consulado vivo e eles não tinham informação sobre o que teria acontecido a ele. Mais cedo nesta sexta-feira, a polícia turca realizou buscas em uma floresta nos arredores de Istambul e nas proximidades de Yalova, cidade com costa no Mar de Mármara, em busca de restos mortais do jornalista. Autoridades turcas disseram que Khashoggi foi morto e esquartejado dentro do consulado por uma equipe de 15 agentes sauditas que haviam chegado para encontrá-lo. Além das buscas pelos restos, os investigadores também retiraram amostras durante as revistas no consulado saudita e na residência do cônsul e tentarão analisá-las em busca de traços do DNA de Khashoggi, disseram funcionários de alto escalão da Turquia. A van com registro do consulado que aparece nas gravações também foi examinada para se confirmar se o corpo do jornalista foi transportado nela. Autoridades ampliaram o foco geográfico da busca após o rastreamento das rotas e paradas realizadas pelos carros que saíram do consulado saudita e da casa do cônsul em 2 de outubro, o dia em que Khashoggi foi visto pela última vez. Seus assassinos podem ter despejado seu corpo desmembrado na Floresta de Belgrado, adjacente a Istambul, ou em uma localidade rural próxima à cidade de Yalova, disseram os funcionários. Imagens de câmeras de segurança no dia do desaparecimento mostraram que ao menos um veículo com placa diplomática entrou na floresta após sair do consulado, informou o canal NTV.

Flávio Bolsonaro diz que teve conta do WhatsApp banida

Flávio Bolsonaro, filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), usou sua conta no Twitter para informar que está com o WhatsApp bloqueado. O fato ocorreu no início da tarde desta sexta-feira (19). "A perseguição não tem limites! Meu WhatsApp, com milhares de grupos, foi banido DO NADA, sem nenhuma explicação! Exijo uma resposta oficial da plataforma", diz o post.