sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Veja os financiamentos feitos pelo BNDES para a ditadura comunista da Venezuela

Venezuela

Veja as obras financiadas pelo BNDES para a ditadura comunista de Moçambique, em especial o aeroporto Nakala, fechado até hoje


Moçambique é uma ditadura comunista, um dos países mais atrasados do mundo inteiro. 

Veja a lista com os financiamentos do BNDES para a ditadura comunista de Cuba

Cuba

Veja a lista com a enorme quantidade de contratos do BNDES em Angola

Angola

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Olavo chama de “semianalfabetos” deputados do PSL que foram à China com tudo pago pelo governo chinês


Olavo de Carvalho chamou de “semianalfabetos” os parlamentares do PSL que foram à China, em uma viagem de lobby por um sistema de reconhecimento facial que poderá ser usado no Brasil. O grupo, que inclui deputados e senadores, pretende apresentar um projeto de lei que torne obrigatória a implantação desse tipo de tecnologia em locais públicos, para auxiliar forças de segurança. De fato, é inacreditável que parlamentares que ainda não assumiram seus mandatos façam uma viagem ao Exterior com tudo pago por uma potência estrangeira. A carraspana aplicada por Olavo de Carvalho nos deputados do PSL é poderosa, especialmente foi dirigida à futura deputada federal Carla Zambeli. É a segunda trapalhada cometida por ela em poucos dias.


Policiais encontram 700 quilos de explosivos em apartamento de Fortaleza


Policiais civis do Ceará apreenderam hoje (16) cerca de 700 quilos de explosivos. Investigadores suspeitam que o material encontrado em um apartamento do bairro Granja Lisboa, em Fortaleza, seria usado em novos ataques a pontes, viadutos e torres de telecomunicações no estado. As autoridades também investigam se o material apreendido pela manhã faz parte de uma carga de 5 toneladas de explosivos roubada no fim de dezembro, antes de serem entregues em uma pedreira, em Aquiraz. Parte do material roubado foi recuperada por policiais no dia 12 de janeiro, em meio à onda de ações criminosas iniciada no último dia 2. A emulsão explosiva e os rolos de cordel detonante apreendidos estavam em 23 caixas guardadas em um apartamento vazio. O Exército ficará responsável por guardar o material até que sua destinação seja decidida. Até a tarde desta terça-feira (15), 375 pessoas já tinham sido presas ou apreendidas, suspeitas de participar dos ataques criminosos. Além de reforçar o policiamento ostensivo e a segurança em postos de saúde e hospitais, o governo estadual determinou que funcionários de empresas concessionárias de energia elétrica sejam escoltados por policiais militares ao realizar a manutenção de serviços elétricos, bem como os veículos de coleta de lixo.

Advogado de Porto Alegre executado na praia de Capão Novo com um tiro na nuca em plena rua

Lucas Oppermann Pasquali, advogado formado em 2017 pela PUC, que trabalhava em Porto Alegre, foi encontrado morto na rua, na noite desta terça-feira, em Capão Novo, no litoral norte do Rio Grande do Sul. Ele levou um tiro na nuca, o que leva investigadores da Polícia Civil gaúcha à suspeita de uma execução, pelas características do crime. Em seu perfil no Facebook, Lucas Oppermann Pasquali tinha publicadas várias fotos de sua formatura em Direito e também a informação de que havia trabalhado no escritório Lia Pires, em Porto Alegre. Ele também tinha uma foto feita na frente do Presídio Central de Porto Alegre. O corpo foi localizado por uma mulher e depois identificado pelo irmão da vítima. ada. No local, não foram encontrados estojos ou cápsulas de munição. A Polícia Civil de Capão da Canoa investiga o caso e deve analisar câmeras de segurança próximas ao local para ver se consegue levantar mais informações e pistas sobre a autoria do assassinato de Lucas Oppermann Pasquali.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Bayer discorda de decisão de corte francesa francesa sobre proibição de venda herbicida



A Bayer anunciou nesta terça-feira, 15, que discorda da decisão tomada por um Tribunal Administrativo da França que cancelou a autorização de comercialização do herbicida Roundup 360 no país. O agroquímico, que é à base de glifosato, é produzido pela Monsanto, adquirida pela Bayer no ano passado.A companhia disse que está analisando a decisão judicial e considerando alternativas legais. A Bayer afirmou ainda que há evidências científicas de que o glifosato não é cancerígeno. Na manhã desta terça-feira, um tribunal de Lyon reverteu a autorização de venda do produto no país por "motivos de precaução". Na decisão, o tribunal relatou que estudos científicos e pesquisas em animais sugerem que o glifosato pode ser cancerígeno para humanos e prejudicial para a reprodução da vida humana e aquática, apesar da aprovação do bloco europeu do ativo químico. A liberação da comercialização do herbicida na França foi inicialmente concedida pela Agência de Alimentos, Meio Ambiente e Saúde e Segurança no Trabalho do país (Anses), em 2017. A agência não comentou o caso até o momento. Embora as vendas do Roundup 360 na França não sejam significativas, a decisão do tribunal francês pode fornecer munição para pessoas que estão processando a companhia nos EUA por causa dos herbicidas Roundup e Ranger Pro. A Bayer enfrenta cerca de 9.300 processos que alegam que os produtos causam câncer. A empresa está recorrendo da decisão de um tribunal na Califórnia que a obrigou a indenizar em US$ 78,5 milhões o ex-jardineiro norte-americano DeWayne Johnson. Em agosto, um júri considerou que a exposição prolongada ao glifosato seria a causa do câncer de Johnson.

ONS diz que queda de torres deixou linhão de transmissão de energia de Belo Monte indisponível


O Operador Nacional do Sistema (ONS) informou hoje (15) que a queda de três torres de linha de energia deixou indisponível o linhão de transmissão da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Devido a queda, o linhão Xingu/Estreito, que leva energia do Norte para o Sudeste e Sul do País, está indisponível desde o fim da noite de domingo (13). De acordo com o ONS, às 22:58 horas, o bipolo de corrente contínua Xingu/Estreito, de 800 kV, da empresa Belo Monte Transmissora de Energia, ficou indisponível. O incidente com as torres ocorreu na divisa dos municípios de Ipameri e Catalão, em Goiás. Segundo o Operador, as causas da queda ainda estão sendo avaliadas, mas foi relatado a ocorrência de vendaval no horário do incidente. “Cabe destacar que não houve interrupção de carga devido a essa ocorrência no sistema, sendo atendidos os critérios de operação referentes à tensão e frequência”, disse o ONS por meio de nota. De acordo com o operador, estão sendo tomadas as medidas operativas necessárias para garantir a continuidade do suprimento de energia no País, incluindo o acionamento adicional de usinas hidráulicas e térmicas.

Joaquim Levy manda publicar na Internet os contratos dos 50 maiores devedores do BNDES


Joaquim Levy, presidente do BNDES, determinou à área de tecnologia da informação da instituição que disponibilize na internet todos os contratos de empréstimos dos 50 maiores tomadores de recursos do banco nos últimos 15 anos. Ele quer que as informações possam ser consultadas facilmente por qualquer pessoa, a partir da próxima sexta-feira. Começa o processo de abertura da maior caixa preta da República durante o regime petralha.

Receita Federal exclui 521 mil empresas devedoras do Simples Nacional

A Receita Federal excluiu 521.018 micro e pequenas empresas que não quitaram os débitos com o Simples Nacional, regime especial de tributação para as pessoas jurídicas de menor porte. Em setembro, 732.664 empresas haviam sido notificadas de débitos previdenciários e não previdenciários com a Receita e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Quem não regularizou a situação foi excluído em 1º de janeiro. As empresas excluídas devem R$ 14,46 bilhões ao Simples. Elas podem pedir a reinclusão no regime especial até 31 de janeiro, desde que quitem os débitos antes dessa data. A dívida pode ser paga à vista ou seguir o parcelamento ordinário, em até cinco anos, com pagamento de multas e juros. Regime simplificado de pagamentos de tributos federais, estaduais e municipais, o Simples Nacional beneficia micro e pequenas empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano.

Defensores da liberação de armas acham uma droga o decreto de Jair Bolsonaro

Bené Barbosa, autor do livro “Mentiram para mim sobre o desarmamento“, e uma das principais lideranças no País pela liberação da posse e porte de armas pelos cidadãos, achou muito tímido o decreto do presidente Jair Bolsonaro que flexibiliza a posse de armas. “Não agradou ninguém”, disse ele: “O decreto traz algumas modificações, mas de forma bastante tímida, não como parecia que seria lá atrás". Ele explica que Jair Bolsonaro tratou “única e exclusivamente da posse de armas”, não abordando o porte e mantendo a insegurança jurídica de atiradores esportivos. Também não foi liberada a compra de armamento importado: “Foi um balde de água fria nos policiais, que tinham certeza de que o presidente ia acabar com isso e autorizar a compra de armas importadas". Na opinião do especialista, Bolsonaro também desapontou ao indicar que não vai mais tratar do tema. Aparentemente, o presidente Jair Bolsonaro deu um tiro no pé ao tratar de assunto tão crucial para a segurança individual e pública no Brasil com a edição de um decreto superficial, que não aborda nenhuma das questões essenciais ao tema. Permanece a questão central, que é a necessidade de abolição do Estatuto do Desarmamento. Vão continuar existindo todas as enormes dificuldades existentes para que as pessoas adquiram uma arma para mantê-la em casa. 

Renan Calheiros chama procurador federal Deltan Dallagnol de "ser possuído"


O senador Renan Calheiros (MDB), candidato à Presidência da Casa, afirmou, em seu Twitter, nesta terça-feira, 15, que o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, procurador federal Deltan Dallagnol, "continua a proferir palavras débeis, vazias, e com interesse político, como um ser possuído". Investigado na Operação Lava Jato, o emedebista tenta voltar ao comando do Senado. O voto sigiloso no pleito foi alvo de questionamentos no Supremo Tribunal Federal. O presidente da Corte, Dias Toffoli, rejeitou recurso para divulgar a escolha dos senadores ao cargo na última quinta-feira, 10. Por meio das redes sociais, nesta segunda-feira, 14, o chefe da força-tarefa compartilhou uma notícia do Correio Braziliense que mostra a votação secreta como um "trunfo" do senador na disputa ao cargo. Ao lado da notícia, Deltan expõe sua opinião, pedindo que seus seguidores assinem um abaixo-assinado: “Em menos de três dias, 430 mil brasileiros já mandaram o recado: querem VOTAÇÃO ABERTA para as eleições dos presidentes do Congresso”. “Mais de 500 MIL PESSOAS estão pedindo o #votoaberto. É um grito da sociedade pelo direito de acompanhar a posição de seus representantes nessa escolha que pode ser tão importante quanto a eleição de um Presidente da República”, afirmou Deltan Dallagnol em outra publicação.

Sob investigação um mensalão atingindo 18 dos 21 vereadores de Santo André no governo petista de Carlos Grana


O Ministério Público de São Paulo investiga um esquema de pagamento de mensalão a vereadores do município de Santo André. Sob análise dos promotores estão oito planilhas mensais, de janeiro a agosto de 2016, que indicariam repasses de valores a políticos e os nomes de 27 empresas que mantinham os maiores contratos com a prefeitura de Santo André na gestão passada (Carlos Grana/PT). Em um período de apenas 7 meses, essas empresas teriam entregue R$ 8,5 milhões. Santo André vive até hoje o trauma do assassinato do prefeito petista Celso Daniel, em 2002. Prefeito pelo PT, ele foi executado a tiros, segundo o Ministério Público, vítima de crime de mando de integrantes do próprio partido porque teria decidido dar um fim no esquema de corrupção instalado na gestão municipal. No mensalão agora sob investigação, as planilhas em poder do Ministério Público dão a pista dos destinatários, incluindo onze partidos políticos e despesas de ordem pessoal – celular, combustível, cestas básicas e até pagamento de funerária. Carlos Grana foi prefeito de Santo André até 2016, ano em que se candidatou à reeleição e foi derrotado pelo tucano Paulo Serra. Os promotores suspeitam que as planilhas eram controladas pelo ex-secretário de Governo de Grana, entre 2014 e 2016, Arlindo José de Lima. A investigação mostra que ele era responsável pelo gerenciamento das licitações e fazia o elo com os vereadores. 

Justiça Federal bloqueia contas bancárias do petista Luiz Marinho e mais 15 pessoas

A Justiça Federal determinou o bloqueio conjunto de R$ 76.156.646,22 de Luiz Marinho (PT), ex-prefeito de São Bernardo do Campo (2009-2016), e de outras 15 pessoas e quatro empresas em ação civil de improbidade administrativa sobre supostas irregularidades nas obras do Museu do Trabalhador. Luiz Marinho foi o recente candidato do PT ao governo de São Paulo. A decisão judicial, em tutela de urgência, é do juiz Carlos Alberto Loverra, da 1ª Vara Federal de São Bernardo do Campo e foi proferida no dia 7 de dezembro de 2018. A medida leva em conta o valor corrigido do prejuízo sofrido pela prefeitura e, para definição do montante, também considera multa prevista na Lei de Improbidade Administrativa. “Com efeito, o exame acurado dos autos aponta fortíssimas evidências de que, de fato, após acerto prévio voltado à construção do denominado Museu do Trabalho e do Trabalhador, deu-se início a procedimento totalmente heterodoxo de licitação voltado ao direcionamento da concorrência em favor da Construções e Incorporações CEI Ltda, empresa de fachada manipulada pelas empresas Construtora Cronacon Ltda. e Flasa Engenharia e Construções Ltda.”, diz a decisão do juiz Loverra.

Na denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal em novembro de 2017, os réus foram acusados de formar um conluio para fraudar a concorrência 10.021/2011, promovida pelo município, entre 2011 e 2012, para definir a empresa que construiria o Museu do Trabalhador. Segundo os procuradores, para esconder a fraude, os réus teriam usado a empresa de fachada Construções Incorporações CEI Ltda., inserindo cláusulas de restrição à competitividade no edital e apresentando uma “proposta-cobertura” em nome das empresas Construtora Cronacon Ltda. e Simétrica Engenharia Ltda. A licitação, concluída em apenas um dia, foi vencida pela empresa Construções e Incorporações CEI, registrada em nome de “laranjas”, de acordo com o Ministério Público Federal.

A denúncia alega que a empresa não possuía condições econômicas, nem técnicas, para executar a obra, e que, com o conhecimento de autoridades municipais, tinha um contrato de gaveta com as construtoras Cronacon e Flasa, no qual estava determinado que estas seriam as verdadeiras administradoras do canteiro de obras e dos recursos federais e municipais destinados ao museu. O Ministério Público Federal calcula que os prejuízos aos cofres públicos, na época, chegaram a R$ 15.971.781,01. Na decisão de dezembro, o juiz Loverra apontou que os valores atualizados até junho de 2018 eram de R$ 25.385.548,74.