sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Polícia Federal afirma que presidente do TCE do Amapá mantinha relação sexual com menor

O Inquérito 681, que investiga esquema de corrupção no governo do Amapá, revela que o presidente do Tribunal de Contas do Estado, José Júlio de Miranda Coelho, 63 anos, teria mantido relações sexuais com menores. Segundo relatório da Polícia Federal enviado ao Superior Tribunal de Justiça, Coelho mantinha financeiramente uma mulher e duas filhas dela em troca de favores sexuais. Coelho é apontado pela Polícia Federal como um dos pivôs do escândalo no Amapá. De acordo com o relatório da Policia Federal, por meio do Tribunal de Contas da União, respaldava contratos fraudulentos do governo estadual. Na casa de praia do presidente do Tribunal de Contas, na Paraíba, a Polícia Federal apreendeu cinco carros de luxo, entre os quais uma Ferrari e uma Maserati. Também foi localizado um jatinho pertencente a ele, “escondido” em um aeroporto de Minas Gerais. Além disso, o documento afirma que Coelho é dono de várias empresas por meio de “testas de ferro” e que tinha movimentação bancária incompatível com a remuneração como presidente do Tribunal de Contas do Estado. Segundo o inquérito, ele fez saques bancários da conta do tribunal em um valor total de mais de R$ 7 milhões, sem especificar a finalidade. Na quinta-feira o ministro João Otávio de Noronha, do Superior Tribunal de Justiça, determinou o fim do segredo de justiça de parte do inquérito, que reúne cerca de 800 páginas. Conversas telefônicas gravadas em 26 de maio deste ano pela Polícia Federal com autorização judicial e transcritas no inquérito mostram a negociação do presidente do Tribunal de Contas com a mãe das menores. A mulher reclama por telefone o pagamento de R$ 500,00 que teria faltado no último depósito mensal feito por Coelho.
Mulher - Olhe, deixe eu te falar uma coisa: aquele dinheiro de banco que você depositava para mim e para C., né? Aí, sobrava R$ 2.500,00 para mim e R$ 1.500,00 pra C. Aí, o senhor pegou e deu R$ 2.000,00 pra C. e tirou os meus R$ 500,00. Sabe que eu pago empregado, pago energia.
Coelho - Todo mês agora eu vou depositar R$ 2.500,00 não se preocupe, tá? Na segunda-feira eu boto os R$ 500,00 que tá faltando.
A pessoa identificada como C. a que a mulher se refere é a filha dela, de 17 anos, segundo o documento da Polícia Federal. Até esse ponto do texto do inquérito, era possível interpretar que Coelho mantinha relações com a mãe das meninas. No entanto, o restante do diálogo, segundo demonstra a Polícia Federal, deixa claro que o interesse dele é nas menores. De acordo com o relato, depois de assegurar o pagamento de R$ 500,00 o presidente do Tribunal de Contas do Estado pede à mulher para falar com a outra filha dela, J., que tem 14 anos.
Coelho - Agora, passe pro amor da minha vida, pra minha vida.
Menina de 14 anos - Oi.
Coelho - Oi, linda, tudo bem?
Menina de 14 anos - Tudo.
Coelho - Sonhei com você essa noite.
Menina de 14 anos - Foi?
Coelho - Foi. Um sonho lindo, fazendo amor contigo. Melhor ainda, porque naquele dia foi show. Naquele dia...
Menina de 14 anos - Legal, né?
No mesmo diálogo, descreve o texto, o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amapá dá a entender que tirou a virgindade da menor. Ele encerra a conversa assegurando à menina que cumprirá o pedido da mãe dela de depositar mais dinheiro.
Coelho - Na última vez, foi quando você realmente virou mulher, sabia? Foi uma loucura, uma loucura. E, atendendo a seu pedido, vou botar R$ 1.000,00 na conta da sua mãe. Tá certo? Tá beleza?
Menina de 14 anos - Boa noite.
Coelho - Te amo, te amo, te amo. Quarta-feira te ligo para a gente sair, tá?
Menina de 14 anos - Tá.
Coelho - Te amo. Tchau, tchau.

Exército colombiano "plantou" GPS em botas para localizar terrorista chefe das Farc

Botas militares equipadas com sistema de localização via GPS ajudaram o Exército a localizar Jorge Briceño (conhecido como Mono Jojoy), chefe das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização terrorista e traficante de cocaína), na selva de La Macarena. Segundo a radio RCN, a inteligência colombiana conseguiu interceptar uma comunicação da organização terrorista na qual Jojoy (que tinha ferimentos nos pés devido ao diabetes) pedindo calçados novos, e enviou botas para o líder do grupo sem que ele percebesse que havia sido instalado um sistema de GPS. Com isso, seus movimentos passaram a ser rastreados e houve uma primeira tentativa de matá-lo em um bombardeio, sem se obter êxito. O chefe terrorista se mudou então para outro acampamento, que foi bombardeado na madrugada de quarta-feira e durante o qual ele morreu. "Foi uma operação cirúrgica, porque não era dirigida a desmantelar o acampamento. Sabíamos que ele tinha o costume de levantar-se por volta das 4 horas da manhã para consultar documentos, por isso ficou decidido que o ataque seria às 2 horas da manhã", disse o ministro da Defesa, Rodrigo Rivera. Mais cedo, Rivera havia anunciado a confirmação oficial do corpo de Jojoy: "Podemos dar a confirmação, não apenas morfológica, mas científica, da identidade deste chefe". Os restos mortais foram transportados na madrugada desta sexta-feria para Bogotá. O ministro acrescentou que, ao lado do corpo de Mono Jojoy, os militares acharam os medicamentos que ele usava para a diabete. Rivera também afirmou que o chefe militar das Farc utilizava um relógio da marca Rolex "muito fino" e que no acampamento bombardeado foram achados "mais de 20 computadores, 68 memórias USB e três discos externos", que serão inspecionados pelas autoridades. A ação faz parte da ofensiva militar do presidente colombiano, Juan Manuel Santos, após as primeiras mortes de agentes registradas sob seu governo pelos terroristas.

Fundo Petros pode dobrar participação no capital da Petrobras

O fundo de pensão da Petrobras, Petros, fez uma oferta para a compra de um lote adicional de ações da estatal com o objetivo de aumentar a sua posição acionária na companhia em meio ao processo de capitalização. Após a operação, a Petros deverá ficar com 0,8% do capital total da estatal, dobrando a participação de 0,4% de antes da operação. "Exercemos todo o nosso direito, tínhamos R$ 1,5 bilhão em ações da companhia, e além disso ainda compramos mais", disse o presidente da Petros, Wagner Pinheiro. Segundo Pinheiro, o fundo investiu R$ 1,3 bilhão no lote adicional, além de R$ 500 milhões para manter a sua posição na empresa. A Petros tem planos de aumentar seus investimentos em renda variável, que representavam 33,8% dos seus investimentos em dezembro de 2009, contra 61,1% na renda fixa, ao contrário da Previ, fundo de pensão do Banco do Brasil e maior do país, que precisa reduzir suas aplicações em bolsa.

PT entra no Supremo contra exigência de dois documentos para votar

O diretório nacional do PT entrou com uma ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal contra a lei que exige dois documentos (título de eleitor e outro documento oficial com foto) para que o eleitor vote no dia 3 de outubro. O partido teme que a exigência faça aumentar a abstenção nas eleições deste ano. A partir destas eleições, os eleitores são obrigados a apresentar o título de eleitor e um documento oficial com foto. Antes, era preciso levar apenas um dos dois. Como documento oficial serão aceitos a carteira de identidade, carteira de trabalho ou de habilitação com foto, reservista e passaporte. As certidões de nascimento ou casamento não serão admitidas.

Pedro Simon destrói PMDB gaúcho, agora declara apoio a Marina Silva

O errático senador Pedro Simon (PMDB-RS), cujo partido apóia a presidenciável Dilma Rousseff (PT), declarou nesta sexta-feira seu apoio à candidata do PV à Presidência da República, a senadora Marina Silva. Há poucos dias Pedro Simon tinha causado uma grande confusão no Rio Grande do Sul, dando uma entrevista na qual declarava o apoio explícito do PMDB gaúcho à candidatura da candidata petista Dilma Rousseff. Depois dessa sua entrevista, o candidato do partido ao governo do Estado, José Fogaça, ex-prefeito de Porto Alegre, começou a acentuar sua queda na preferência do eleitorado. Agora, com a declaração de Pedro Simon em favor de Marina Silva, é quase certo que a governadora Yeda Crusius (PSDB) deverá ultrapassar Fogaça na reta final da eleição no Rio Grande do Sul. O senador Pedro Simon, que preside o PMDB no Rio Grande do Sul, está comandando a destruição da hegemonia política que seu partido detinha no Estado. As avaliações de experientes políticos gaúchos são de que o PMDB terá suas bancadas de deputado federal e estadual devastadas, com o partido fazendo a metade do que tinha antes, tudo devido à errática e desastrada condução de Pedro Simon.

Namorada de filho da petista Erenice Guerra também tem cargo no governo Lula

A namorada de um dos filhos da petista Erenice Guerra, ex-ministra da Casa Civil, braço direito de Dilma Rousseff, também conseguiu emprego no governo Lula. Trata-se de Priscila Loreta Vaz Silva, namorada de Saulo Guerra, filho de Erenice e sócio da firma de lobby Capital Consultoria, envolvida no caso que provocou a saída da ministra do governo. Priscila foi nomeada em novembro de 2009, após começar a namorar Saulo, e ganha R$ 3.000,00 do Ministério da Aquicultura e Pesca para fazer "serviços administrativos diversos". É neste ministério que Dilma Rousseff empregou a mulher do terrorista colombiano (das Farc) Olívério Medina. É o quinto caso conhecido de parentes e pessoas próximas a familiares da petista Erenice Guerra no governo Lula. Três irmãos e um filho dela também ocuparam cargos sem concurso público. Antonio Eudacy Alves Carvalho foi da Infraero e da Controladoria-Geral da União; Maria Euriza, do Ministério do Planejamento e da EPE (Empresa Pública de Energia) e José Euricélio, do Ministério das Cidades. Israel, filho de Erenice, foi da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Erenice também empregou a filha do presidente dos Correios, David de Matos, no seu próprio gabinete. Um irmão de Erenice foi empregado por David quando ele era dirigente numa empresa pública do Distrito Federal.

Capitalização da Petrobras torna Bovespa segunda maior Bolsa do mundo

O presidente da BM&FBovespa, Edemir Pinto, anunciou nesta sexta-feira que a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) se tornou, no fechamento do pregão de quinta-feira, a segunda maior do mundo em valor de mercado, atingindo R$ 30,4 bilhões. Segundo ele, o valor é 25% superior à soma das Bolsas de Nova York, Londres e Nasdaq. Em primeiro lugar, está a Bolsa de Hong Kong. Após a Bovespa, aparece a Bolsa de Chicago. A alta foi provocada pela capitalização da Petrobras, a maior já feita no mundo.

Assessor de Lula admite que Marina Silva pode levar disputa ao segundo turno

Ao comentar o resultado da nova pesquisa Datafolha que apontou queda da vantagem de Dilma Rousseff (PT) em relação aos adversários, o chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, afirmou que, se o movimento de crescimento de Marina Silva (PV) tivesse começado há um mês, a disputa presidencial poderia ser levada ao segundo turno. Segundo o assessor do presidente Lula, a corrida seria decidida entre Dilma e Marina. "Se esse movimento tivesse começado há um mês, talvez o segundo turno fosse possível", disse Gilberto Carvalho ao final do debate entre os presidenciáveis, realizado na noite de quinta-feira, na sucursal petista CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Para Gilberto Carvalho, como o crescimento de Marina Silva ocorre na reta final da campanha, é difícil que mude o cenário eleitoral.

O muçulmano Obama reage aos comentários do nazista Ahmadinejad sobre 11/9

O presidente americano, o muçulmano Barack Obama, classificou nesta sexta-feira de "ofensivos" e "indesculpáveis" os comentários feitos na quinta-feira pelo ditador nazista do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, sobre os ataques de 11 de Setembro. O ditador nazista islâmico enumerou teorias conspiratórias sobre o 11/9 durante seu discurso na 65ª Assembléia Geral da ONU, dizendo que "muitas pessoas" acham que o governo americano esteve por trás dos atentados, que mataram cerca de 3.000 pessoas. O muçulmano Obama afirmou que as declarações foram "ofensivas" e "cheias de ódio", segundo a Casa Branca. "Para ele, fazer tais tipos de comentário é algo indesculpável", disse ainda a Casa Branca. Em seu discurso na sede da ONU, em Nova York, o nazista islâmico Ahmadinejad explicou que há três teorias sobre os ataques de 11 de Setembro. A primeira: que um "grupo terrorista poderoso e complexo" conseguiu passar pelo sistemas de inteligência e segurança dos Estados Unidos. A segunda: "que alguns segmentos dentro do governo dos Estados Unidos orquestraram o ataque para reverter o declínio da economia americana e seu controle no Oriente Médio, também para salvar o regime sionista".O nazista Ahmadinejad ainda acrescentou: "A maioria do povo americano, bem como de outras nações, e políticos, concordam com essa visão". Foi a gota d'água. Nesse momento, a delegação americana na ONU levantou-se e deixou o auditório sem ouvir a terceira teoria: de que o ataque foi obra de "um grupo terrorista, mas que o governo americano apoiou e tirou vantagem da situação". Várias delegações europeias também saíram. Um diplomata europeu disse que todas os 27 países-membro tinham concordado em sair se Ahmadinejad fizesse declarações inflamadas em seu discurso. "Em vez de representar as aspirações e a boa vontade do povo iraniano, o senhor Ahmadinejad novamente escolheu declamar teorias conspiratórias repugnantes e calúnias antisemitas, que são tão detestáveis e ilusórias quanto previsíveis", afirmou o porta-voz da missão americana da ONU, Mark Kornblau, em comunicado logo após as declarações polêmicas do iraniano. A chefe da diplomacia européia, Catherine Ashton, também afirmou nesta sexta-feira que as declarações do ditador nazista islâmico iraniano Mahmoud Ahmadinejad sobre os atentados de 11/9 são "escandalosas e inaceitáveis". "A afirmação do presidente iraniano de que os Estados Unidos foram de alguma forma responsáveis pelos atentados de 11/9 e que a maioria dos americanos também pensa assim é escandalosa e inaceitável", declarou Ashton em um comunicado. "Esta é a razão pela qual todos os representantes dos 27 países da União Europeia (UE) abandonaram a Assembleia Geral da ONU em Nova York", afirmou ela.

Participação do governo na Petrobras sobe de 40% para 48%

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta sexta-feira que, com a capitalização, a parte do governo na estatal sobe de 40% para 48% do capital total. Essa participação engloba as novas ações compradas pela União, por meio da cessão de barris de petróleo, além de papéis adquiridos pela BNDESPar, pela Caixa Econômica Federal e pelo Fundo Soberano do Brasil. O objetivo jamais declarado pelo governo era voltar a ter 50% do capital da Petrobras, como ocorria até o governo Fernando Henrique Cardoso. A meta só não foi atingida devido à forte demanda dos atuais acionistas, que tinham direito a comprar os papéis na proporção de 34% de suas posições. Na parte da oferta destinada aos antigos acionistas, houve um rateio das sobras mas não há confirmação do critério e da proporção definida para atender as reservas. A adesão dos investidores pessoa física na fase não prioritária, destinada aos investidores em geral, também surpreendeu. O rateio definido foi de 45,77% dos valores pedidos. Quem pediu reserva de R$ 10 mil, por exemplo, só levou R$ 4.577,00 em ações.

Joaquim Roriz renuncia a sua candidatura em Brasília a mulher no seu lugar

A nove dias das eleições, e com o risco de ser barrado pela Lei da Ficha Limpa, Joaquim Roriz (PSC), candidato ao governo do Distrito Federal, decidiu retirar sua candidatura para lançar na disputa o nome de sua mulher, Weslian. A informação foi divulgada há pouco no site da filha de Roriz, Liliane, que é candidata a deputada distrital. "Depois de passar a manhã em reunião, o ex-governador Joaquim Roriz decide lançar a esposa Weslian Roriz como candidata a governadora do Distrito Federal", escreveu a filha de Roriz. Assim como o marido, Weslian é filiada ao PSC. A foto na urna, entretanto, continuará sendo a de Joaquim Roriz, uma vez que o prazo para troca já expirou. A decisão de Roriz foi tomada horas depois de o Supremo Tribunal Federal adiar pela segunda vez o julgamento do recurso do PSC, que argumentava que a Lei da Ficha Limpa não poderia retroagir para tirar o candidato da disputa. O julgamento está empatado e não há prazo para definição. A estratégia da campanha de Roriz é tentar reverter o estrago causado pela Ficha Limpa, que fez o candidato despencar nas pesquisas e ser ultrapassado pelo petista Agnelo Queiroz. Além disso, a chapa do PSC afasta o risco de ter a candidatura barrada, caso o Supremo decidisse que Roriz é ficha suja. Durante a madrugada, por conta de um impasse no julgamento sobre a Lei da Ficha Limpa, os ministros do Supremo suspenderam a sessão sem tomar decisão sobre o caso. Depois de dois dias e mais de 15 horas de sessão, terminou em 5 a 5 a análise de um recurso de Roriz contra decisão do Tribunal Superior Eleitoral que vetou sua candidatura ao governo do Distrito Federal. "Vamos esperar para ver o que vamos decidir", disse o presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso. Não há prazo para que o tribunal volte a analisar o recurso, o que poderá acontecer após a nomeação de um novo ministro pelo presidente Lula, ou se os atuais membros da corte encontrarem alguma solução para o impasse.