domingo, 19 de setembro de 2010

Dilma tomava cafezinho com Erenice Guerra, mas recusa convite de Álvaro Dias para depor no Senado

A presidenciável petista Dilma Rousseff (PT) ironizou a decisão do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) de convidá-la para prestar esclarecimentos à Casa diante das denúncias de corrupção na Casa Civil. O tucano disse no sábado que pretende apresentar nesta segunda-feira um requerimento convidando a petista a falar sobre o tema. A convocação não é obrigatória. "O senador Alvaro Dias sistematicamente tenta tumultar essas eleições. Eu ja fui acusada de tudo. Convite do senador Alvaro Dias eu não aceito nem para cafezinho", afirmou Dilma. Claro, ela prefere tomar cafezinho com Erenice Guerra, Renan Calheiros, José Sarney, José Dirceu, José Genoíno, e por aí vai. Já com um senador da República, da oposição, ela não aceita. É natural, claro. A presidenciável afirmou que o requerimento é, na verdade, a tentativa de se "criar um factóide" na disputa eleitoral. Factóide, é? Um imenso mar de lama, corrupção transbordando por todo lado, gavetas cheias de propinas para funcionários do ministério que ela dirigiu, e isso é "factóide"? Dilma questionou a informação de que o advogado Vinícius de Oliveira Castro, ex-assessor da Casa Civil, teria recebido propina de R$ 200 mil como comissão por compra de remédio contra gripe suína. "Não só eu, mas todo ministro e ex-ministro da Saúde sabe que os processos licitatórios dentro da saúde nada tem a ver com a Casa Civil. Estranha essa reportagem", afirmou Dilma.

Fundo Soberano poderá engordar caixa do Tesouro e garantir superávit primário

Com R$ 17,9 bilhões aplicados e sem utilização até agora, o Fundo Soberano despertou a atenção da equipe econômica nas últimas semanas. Além de financiar a capitalização da Petrobras e ser usado para conter a valorização do real por meio de compras ilimitadas de dólares, o fundo poderá engordar o caixa do governo e eliminar os riscos de descumprimento da meta de superávit primário. Economia de recursos para pagar os juros da dívida pública, o superávit primário está sujeito a uma meta de 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2010. Nos últimos 12 meses, o esforço fiscal está em apenas 2,03% do PIB, mas uma ficção financeira vai enganar os trouxas e "aumentar" as receitas do Tesouro Nacional e reverter esse quadro. O Fundo Soberano e a capitalização da Petrobras são as principais peças desse processo que, na prática, antecipará as receitas da exploração do petróleo na camada pré-sal para o governo. Não é mesmo um governo com contas mentirosas? Mas é disso que o povo gosta....

Exército da Colômbia mata 22 terroristas das Farc

Ao menos 22 terroristas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc - organização terrorista e traficante de cocaína) morreram neste domingo, em combates com a polícia colombiana. O confronto ocorreu na localidade de San Miguel, perto da fronteira com o Equador. O diretor da polícia, general Óscar Naranjo, seguiu para a região acompanhado do ministro da Defesa, Rodrigo Rivera, para avaliar a situação e fazer um balanço da operação. Os enfrentamentos ocorreram próximos do rio San Miguel, no departamento de Putumayo. Conforme as autoridades militares colombianas, os terroristas mortos pertencem à frente 48 das Farc. Essa facção é a mesma que atacou o quartel da polícia da fronteira em 10 de setembro, quando oito policiais morreram.

Lieberman diz que palestinos devem acolher árabes com cidadania israelense

O ministro de Exteriores israelense, Avigdor Lieberman, propôs neste domingo que a possibilidade de o Estado palestino acolher o 1,3 milhão de árabes com cidadania israelense seja analisada nas conversas de paz entre israelenses e palestinos, retomadas no início do mês com mediação de Washington. "Nosso princípio, que deverá guiar as negociações com os palestinos, não deve ser "territórios por paz, mas uma troca de territórios e de povos", declarou Lieberman em sua chegada à reunião do conselho semanal de ministros em Jerusalém. O chefe da diplomacia israelense e também líder do partido Yisrael Beiteinu ressaltou que, de acordo com essa "troca", os assentamentos judaicos na Cisjordânia e Jerusalém Oriental deveriam ficar sob soberania israelense. Outra das questões às quais o ministro de Exteriores se referiu, e que foi bandeira da campanha eleitoral de seu partido nas eleições de 2009, foi a lealdade que, segundo ele, os palestinos com cidadania israelense (árabes-israelenses) devem ter para com Israel. A questão dos cidadãos de Israel deve ser um dos pontos centrais na mesa de negociações, frente à rejeição palestina a reconhecer Israel como Estado judeu". Lieberman se referiu ao comunicado da Liga Árabe que expressou a rejeição a reconhecer Israel como Estado judeu: "É exatamente este detalhe o que nos obriga a abordar a questão dos árabes-israelenses nas negociações". E acrescentou: "Pessoas como a deputada (árabe-israelense) Haneen Zoabi e o chefe do braço norte do Movimento Islâmico em Israel, Raed Salah, estão lutando contra o Estado judeu e, no que diz respeito a mim, deveriam ir embora e se transformar em cidadãos da Autoridade Palestina". Zoabi é deputada do Parlamento de Israel e participou da campanha de solidariedade com a Faixa de Gaza a bordo de uma das embarcações da frota turca de apoio ao terrorismo abordada em 31 de maio por Israel.

Caetano Veloso diz que "Lula é um golpista como Getúlio e Perón"

O compositor e cantor Caetano Veloso classificou como "golpista" a fala do presidente Lula, ao dizer que é preciso extirpar o DEM da vida pública nacional. Já o candidato à presidência, José Serra (PSDB), para o músico é "burro", por ter tentado associar seu nome ao do petista no início do horário eleitoral. As declarações do artista, que já manifestou preferência pela candidata Marina Silva (PV) e apareceu no programa do partido pedindo votos para ela, foram dadas em entrevista à uma emissora de rádio em Santo Amaro, onde esteve para comemorar o aniversário de 103 anos da mãe, Dona Canô. "Não pode. O povo brasileiro não pode ouvir isso, Lula dizer que o DEM deve ser extirpado, e não reclamar. E se uma pessoa da imprensa reclamar vem um idiota dizer que a imprensa é golpista. Golpista é dizer que precisa destruir um partido político que existe legalmente.O presidente da República não tem o direito de dizer isso", criticou Caetano Veloso. O cantor cobrou, ainda, explicações sobre a quebra ilegal de sigilo fiscal na Receita Federal, que atingiu pessoas ligadas ao PSDB e a José Serra. E exaltado, também criticou Serra por ter tentado vincular sua imagem à do presidente: "Serra é um idiota que apareceu com Lula, querendo dizer que tá do lado, que é igual a Lula. É burro". Questionado sobre o atual momento político, Caetano disse enxergar risco de um populismo perigoso em torno do presidente Lula e sua candidata Dilma: "É como se fosse assim uma população hipnotizada. As pessoas não estão pensando com liberdade e clareza". Para ele, a aprovação a Lula é acrítica e isto é um atraso que remete aos anos 40 e 50, quando a América Latina teve lideranças populistas como Getúlio Vargas no Brasil e Perón (Juan Domingo Péron) na Argentina. "É um atraso. O Brasil não podia estar mais nessa", concluiu.

TSE tira 18 inserções da coligação de Dilma em Santa Catarina

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu no sábado tirar 18 inserções no horário eleitoral obrigatório da coligação da presidenciável Dilma Rousseff (PT) em Santa Catarina. A ministra Nancy Andrighi tomou a decisão por considerar que os aliados da petista utilizaram espaços destinados à propaganda de seus candidatos a deputados para fazer propaganda negativa do rival José Serra (PSDB). Andrighi decidiu também não punir a candidata, porque o tempo pertence à coligação. As inserções exibidas em 17 de agosto indicam que o objetivo foi beneficiar Dilma, diz a ministra. E beneficiaram. Assim é isso que se chama de Justiça Eleitoral no Brasil. É preciso acabar com essa Justiça Eleitoral e eliminar custos para os contribuintes.

Presidente dos Correios anuncia demissão do diretor de operações

O diretor de operações dos Correios caiu. O presidente da estatal, David José de Matos, afirmou neste domingo que o coronel Eduardo Artur Rodrigues Silva vai deixar o cargo nesta segunda-feira. O anúncio foi feito no dia em que o jornal O Estado de S. Paulo revelou que o diretor é testa de ferro do empresário argentino Alfonso Rey, que vive em Miami, na Master Top Linhas Aéreas (MTA), personagem da crise que derrubou a ex-ministra Erenice Guerra. Os documentos obtidos pela reportagem mostram que o coronel participa de um esquema de empresas de fachada no Brasil, no Uruguai e nos Estados Unidos para ocultar a propriedade estrangeira e facilitar o funcionamento da MTA no Brasil. “Ele (coronel) disse que vai sair porque a família dele está destroçada. Assim que eu receber a carta, vou levá-la a quem de direito”, disse o presidente dos Correios. Segundo Matos, o procedimento é encaminhar o pedido de demissão à Presidência da República, que é “quem nomeia”. Matos disse que não vai tentar impedir a saída do coronel Artur. “Pedir para quê? Não vale a pena. Não adianta dizer a verdade para a imprensa”, disparou. “Não vou fazer nada. Ele vai tomar a decisão que ele quiser”, reforçou. Alvo de diversas denúncias desde 29 de agosto, quando o Estado revelou que o coronel Artur tinha ligação direta com a MTA, que tem contratos de R$ 60 milhões com os Correios, configurando assim conflito de interesses, o poder do diretor na estatal durou menos de dois meses. Empossado em dois de agosto como diretor de operações dos Correios, Silva havia afirmado ao Estado que pediria demissão: “Eu vou pedir demissão. A minha família está destroçada. Não agüento mais”. A partir de terça-feira, disse, voltará a ser consultor de empresas aéreas, mercado em que atua há 15 anos. “Já falei com o presidente dos Correios que vou embora”, afirmou. “É porque não aguento mais. Eu tenho 61 anos e estou saindo frustrado, por não poder passar meus conhecimentos para a empresa”, disse. “Tudo que eu queria era consertar a rede postal noturna, sei que posso deslanchar o departamento de logística da estatal”, afirmou. O coronel Artur admitiu conhecer o empresário Alfonso Conrado Rey, mas negou que seja "testa de ferro" do argentino na MTA. "Nunca fui dono, nem presidente, nem sócio da MTA. Me mostre qualquer documento que prove isso. Estou pronto para responder qualquer investigação", desafiou.

Pesquisa Methodus mostra Ana Amélia e Paim liderando corrida ao senado no Sul

No Rio Grande do Sul, a pesquisa do Instituto Methodus encomendada pelo jornal Correio do Povo com as intenções de voto para o Senado e divulgada na última quinta-feira aponta Ana Amélia Lemos (PP) e o senador Paulo Paim (PT), candidato à reeleição, na frente na disputa. Ana Amélia aparece com 51,8%. O petista Paim tem 47,7%. Em terceiro lugar está Germano Rigotto (PMDB), com 40,9%. Esta pesquisa é a mais confiável de todas as que são realizadas, porque investiva todo o universo gaúcho, especialmente o Interior do Estado, onde se concentram dois terços do eleitorado. A situação do peemedebista Germano Rigotto, ex-governador, é muito difícil.

Propina era paga dentro da Casa Civil no Palácio do Planalto

Vinícius Castro, sócio de Israel Guerra, recebeu R$ 200 mil reais dentro da sala onde despachava, a poucos metros do gabinete da ministra da Casa Civil. “É o ‘PP’ do Tamiflu, é a sua conta. Chegou para todo mundo”. ‘PP’ significa propina no linguajar da repartição. A reportagem de capa da revista Veja desta semana traz mais indícios da extensão do balcão de negócios que funcionava dentro da Casa Civil. A revista relata o episódio em que o jovem advogado Vinicius de Oliveira Castro, sócio do filho da ex-ministra Erenice, se surpreendeu ao encontrar 200 000 reais na gaveta de sua mesa de trabalho. “Caraca! Que dinheiro é esse? Isso aqui é meu mesmo?”, disse ele. Como mostra a reportagem, o dinheiro era propina distribuída aos funcionários do ministério para que eles mantivessem silêncio sobre esquemas de corrupção, ou colaborassem com eles. Um colega mais experiente explicou: “É o ‘PP’ do Tamiflu, é a sua conta. Chegou para todo mundo”. ‘PP’ significa propina no linguajar da repartição. Tamiflu é um medicamento utilizado para combater gripes, em especial a suína. Dias antes, em 23 de junho, o governo fechara um contrato de 34,7 milhões de reais para compra emergencial do remédio. Temia-se, na época, que a gripe suína pudesse se transformar numa epidemia. A história foi revelada à revista Veja por um amigo de Vinícius que trabalhava no governo e por seu tio, Marco Antonio Oliveira, então diretor de Operações dos Correios. Os dois depoimentos foram gravados pela revista. Vinícius relatou ao tio, sem dizer nomes, que outros três funcionários da Casa Civil receberam os pacotes de 200 000 reais. “Foi um dinheiro para o Palácio. Lá tem muito negócio, é uma coisa”, afirmou. Para receber o valor, o ex-assessor da Casa Civil explicou ao tio que não precisou fazer nada. “Eu avisei que, se ele continuasse desse jeito, ia sair algemado do Palácio”, disse a Veja o ex-diretor dos Correios. Além de funcionário do Planalto, Vinícius foi sócio de Israel Guerra, filho de Erenice Guerra, ministra da Casa Civil até quinta-feira, quando os escândalos que a têm como pivô a derrubaram do cargo. A empresa de Vinícius e Israel intermediava contratos com o governo e "vendia" a influência de Erenice aos seus clientes.

Marido de Erenice também fez tráfico de influência

Não só o filho de Erenice Guerra valeu-se da influência da mãe à frente da Casa Civil para fazer negócios. O marido da ex-ministra, o engenheiro elétrico José Roberto Camargo Campos, também quis tirar seu naco. É o que mostra a edição da revista VEJA desta semana. Campos arquitetou um plano para que a pequena empresa de comunicações de que era diretor comercial, a Unicel, entrasse no bilionário mercado de telefonia celular de São Paulo. A concessão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) saiu em 2005 após decisão pessoal de seu presidente, Elifas Gurgel. Setores técnicos da Anatel contestaram a decisão porque a empresa sequer apresentou garantias sobre sua capacidade técnica e financeira para tocar o negócio. O recurso levou dois anos. A revista entrevistou um dos membros do conselho que acompanhou o caso: “A Erenice fazia pressão para que os técnicos revissem seus pareceres e os conselheiros mudassem seu voto”. O resultado da pressão foi que o técnico Jarbas Valente e o conselheiro Pedro Jaime Ziller mudaram seu parecer após ouvir os argumentos da Casa Civil. Valente ganhou uma promoção na Anatel e dois assessores de Ziller deixaram a agência para bater ponto na Unicel por salários em torno de 30 000 reais. O lobby de Erenice, segundo a reportagem, resolveu outra questão "burocrática": driblar a legislação que obriga as concessionárias de serviços de telefonia a pagar 10% do valor do contrato como entrada. Nesse caso, seriam 9,3 milhões de reais. Como não tinha dinheiro, a Unicel conseguiu convencer o conselho da Anatel a reduzir o valor para 900 mil reais, 1 % do negócio. A decisão foi contestada, há duas semanas, pelo Ministério Público. As operações da Unicel começaram em 2008, sob o nome fantasia de AEIOU. A estratégia era atrair o público jovem a um baixo custo. Não deu certo: a empresa tem 20 000 assinantes e responde por dívidas que ultrapassam os 20 milhões de reais. A esperança do marido de Erenice e de seus amigos é o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). A estratégia é convencer o governo a considerar a concessão da Unicel de utilidade pública para o projeto. Se isso ocorrer, a empresa pode receber 100 milhões de reais. A revista Veja revela o nome de um outro parceiro especial neste caso: Gabriel Boavista Lainder, assessor da Presidência da República e dirigente do Comitê Gestor dos Programas de Inclusão Digital, que comanda o PNBL. Com quem ele trabalhou? Com os donos da Unicel, por oito anos. Quem o indicou para o cargo? O marido de Erenice Guerra. Disse Lainder à revista: “O marido da Erenice é um cara que admirava meu trabalho. Ela me disse que precisava de alguém para coordenar o PNBL”.

Governo Lula gastou 400 milhões com Tamiflu, mas só distribuiu um terço das doses

O Ministério da Saúde distribuiu até agora apenas um terço dos 14,5 milhões de tratamentos do Tamiflu adquiridos no ano passado para o combate à gripe A. Ele entregou 4,8 milhões de kits aos órgãos estaduais de saúde. O restante está armazenado. O Ministério alega que os medicamentos não usados passaram a integrar o estoque para casos de emergência. Esse estoque é suficiente para atender 20 milhões de pacientes, número que, segundo o ministério, segue recomendação do Center of Disesases Control dos Estados Unidos. Cada tratamento consome 10 comprimidos do remédio. A edição desta semana da revista Veja revelou que, em julho do ano passado, funcionários da Casa Civil receberam 200 000 reais de propina como consequência do negócio firmado entre o governo e a fabricante Roche. Dias antes, o Ministério da Saúde havia adquirido 8 milhões de tratamentos do Tamiflu ao preço de 34,7 milhões de reais. O Tamiflu é um antiviral. No ano passado, em meio à pandemia do vírus H1N1, o Ministério da Saúde comprou ao todo 105 milhões de comprimidos e 4 toneladas do medicamento em barril. Segundo o Ministério da Saúde, as compras foram feitas com base em um estudo epidemiológico. A conclusão foi a de que o Tamiflu era o único medicamento que cumpria os requisitos necessários para a distribuição imediata no País. Como já tinha registro no Brasil e protocolo para aplicação, o remédio foi adquirido por compra direta: sete aquisições entre abril e dezembro de 2009, ao preço total de 400 milhões de reais. O Ministério alega que o preço pago pelo Tamiflu foi 76% menor do que aquele autorizado para venda nas farmácias. Além da quantidade adquirida da Roche, o governo brasileiro produziu Tamiflu suficiente para atender 2 milhões de pessoas. O medicamento foi fabricado pela Fundação Oswaldo Cruz, a partir de um estoque que o governo brasileiro tinha do princípio ativo do remédio. No ano passado, foram registrados quase 28 000 casos de contaminação pelo H1N1 e 1.632 mortes causadas pelo vírus. Em 2010, foram 727 contágios e 91 mortes. O número de casos caiu depois da campanha de vacinação contra a doença realizada neste ano.

A milionária “Integração Cearense”

Documentos em poder da Polícia Federal envolvem o governador do Ceará, Cid Gomes, e seu irmão, o deputado Ciro Gomes (PSB) em um esquema de corrupção que desviou 300 milhões de reais das prefeituras do estado entre 2003 e o fim do ano passado. Raimundo Morais Filho, empresário que participava da lambança, deixou tudo registrado em 27 gigas de memória. A revista Veja tem cópia disso. Laurélia Cavalcante, delegada federal que investiga o caso, foi atropelada por um carro não-identificado nas ruas de Fortaleza.

Uma impressionante conversa de Erenice, então braço-direito de Dilma Rousseff

A ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra pretendia trabalhar como advogada quando saísse do governo e “ganhar dinheiro” apontando erros em processos contra investigados por corrupção. Foi o que ela confidenciou em conversa telefônica gravada, com autorização da Justiça, pela Polícia Federal no dia 14 de maio de 2008. Na época, Erenice ocupava o cargo de secretária-executiva da Casa Civil e era braço-direito da ministra Dilma Rousseff, hoje candidata à Presidência pelo PT. O alvo da escuta era o interlocutor dela no diálogo, o ex-ministro das Minas e Energia, Silas Rondeau, que havia sido exonerado do governo um ano antes, depois de a Polícia Federal acusá-lo de receber propina dentro do gabinete. Em 2008, Rondeau era também investigado pela Polícia Federal por suspeita de tráfico de influência em um esquema com o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Por isso o telefone dele tinha sido grampeado. Na conversa interceptada pela polícia, o ex-ministro tratava de uma terceira acusação: Rondeau havia sido denunciado pela Procuradoria da República ao Superior Tribunal de Justiça sob acusação de envolvimento em desvios de dinheiro de obras públicas. No telefonema, Erenice procurou acalmar Rondeau: “A denúncia não se sustenta, Silas. Um dia eu ainda vou sair daqui e ganhar dinheiro com essas coisas fora, viu? Fica tranquilo, que acho que isso vai resolver fácil, porque não se sustenta de jeito nenhum". Em seguida, acrescentou: “Eu fico completamente impressionada com a capacidade de instrução de inquérito falho que a polícia faz e a aceitação por parte do Ministério Público. É lamentável. Nós estamos vivendo uma disputa política e de politização do Judiciário, que é um negócio escandaloso”. A ligação partiu dela e foi feita do seu então gabinete na Casa Civil. Erenice disse que havia chegado a pensar no ex-ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, para defender o ex-colega de governo. Mas aconselhou Rondeau a manter José Gerardo Grossi como seu advogado, e não usasse os escritórios que os demais acusados estavam acionando. “Acho o seu mais experiente”, afirmou Erenice. Quando a conversa ocorreu, Erenice enfrentava a acusação de ter elaborado na Casa Civil um dossiê sobre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, documento que tinha como objetivo constranger a oposição e impedir a instalação da CPI dos Cartões Corporativos.

Filho de Erenice nomeou amigos para a Casa Civil

O filho de Erenice Guerra, que perdeu o cargo após acusações de tráfico de influência, levou amigos para trabalhar na Casa Civil quando o ministério era comandado por Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência. Israel Guerra e dois amigos são apontados por empresários como o “grupo do lobby” que usava uma empresa privada para intermediar reuniões, viabilizar projetos e liberar recursos no governo. Israel, Stevan Kanezevic, Vinícius Castro e Marcelo Moreto trabalharam juntos na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Em seguida, os três amigos do filho de Erenice foram nomeados para ocupar cargos na Casa Civil sob o comando de Dilma Rousseff, quando Erenice, seu braço direito e depois sucessora, era secretária-executiva da pasta. Vinícius foi nomeado assessor de Erenice Guerra. Stevan é cedido para o Sipam (Sistema de Proteção da Amazônia), subordinado à Casa Civil. Um ano antes, Moreto já havia trocado a agência pelo cargo de assessor técnico do Sipam. Tão logo Vinícius e Stevan saíram da Anac, foi aberta em Brasília a Capital Consultoria, que começou as atividades em 6 de julho de 2009. Trata-se da firma que tem Vinícius e Israel como sócios ocultos e que foi usada para ajudar uma empresa do setor aéreo a conseguir autorização da Anac e fechar contrato com os Correios, primeiro negócio a lançar suspeitas de tráfico de influência. Stevan é citado pelos consultores Fábio Baracat e Rubnei Quícoli como um dos mais atuantes nas promessas de abrir portas. Estava sempre presente nas reuniões com Vinícius e Israel. Tio de Vinícius, o ex-diretor dos Correios, Marco Antonio de Oliveira, afirmou que o filho de Erenice fazia nomeações na Casa Civil. Ele confirma que o próprio sobrinho foi um dos indicados de Israel. “Eles se conheceram na Anac e, na saída da Anac, o Vinícius recebeu o convite do Israel para trabalhar na Casa Civil”, disse. Oliveira reclama que a irmã foi usada como laranja. No papel, uma das sócias da Capital é a mãe de Vinícius, Sônia Elizabeth Oliveira Castro, que sobrevive vendendo queijo no interior de Minas Gerais. “Criaram uma empresa para fazer consultoria geral. Ele não poderia aparecer porque era do governo. Por isso botou minha irmã. Acho uma coisa deplorável”, disse. Segundo relato de Vinícius ao tio, a Capital resolveu um problema da empresa MTA (Master Top Airlines) na Anac, que renovou o contrato com a companhia cargueira, ampliando o prazo de três para dez anos mesmo com parecer técnico contrário da agência: “Era esse o perfil deles, vinham da Anac".

Polícia Federal e TCU investigam novas denúncias contra Erenice Guerra

A Polícia Federal e o Tribunal de Contas da União vão investigar novas denúncias, envolvendo parentes e amigos da ex-ministra Erenice Guerra. O procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União disse que vai pedir que as novas denúncias sejam investigadas. “Pela sucessão de indícios, observamos que há realmente tráfico de influência. É difícil que cada fato desse seja uma mera coincidência”, diz Marinus Marsico, procurador do Tribunal de Contas da União. Segundo a revista Veja desta semana, funcionários da Casa Civil no ano passado teriam recebido propina pelo contrato emergencial de compra do remédio Tamiflu, usado para combater a gripe H1N1. Entre eles, Vinicius de Oliveira Castro, compadre e apontado como sócio do filho da ex-ministra Erenice Guerra. A denúncia, segundo a revista, partiu de Marco Antônio Oliveira, tio de Vinícius, e ex-diretor dos Correios, demitido do cargo por Erenice. A declaração de Marco Antônio foi gravada, de acordo com a revista.

Diretor dos Correios e argentino se unem para controlar transporte

O diretor de Operações dos Correios, coronel Eduardo Artur Rodrigues, que assumiu o cargo em 2 de agosto em uma "reformulação administrativa" comandada pela ex-ministra-chefe Erenice Guerra, é testa de ferro do empresário argentino Alfonso Conrado Rey. Alfonso, que mora em Miami, é o verdadeiro dono da empresa Master Top Linhas Aéreas (MTA). Ex-coronel da Aeronáutica, Eduardo Artur Rodrigues faz parte de um grupo de executivos e advogados que tem uma rede de empresas de fachada espalhadas pelo Uruguai, Estados Unidos e Brasil. Eles movimentam dinheiro para um casal de laranjas brasileiros, como provam documentos do Banco Central, e trabalham para fazer da MTA o embrião da empresa de logística e carga aérea que o governo Lula promete criar após as eleições. O negócio atiça os empresários porque os Correios pretendem comprar dessas empresas aéreas os aviões da nova estatal. A MTA ganhou as manchetes nas últimas semanas por causa do tráfico de influência de Israel Guerra, filho da ministra Erenice, a seu favor. Documentos mostram que o coronel Artur envolveu-se pessoalmente no esquema montado para a empresa MTA funcionar no Brasil. Era, inclusive, consultado sobre decisões a serem tomadas. A legislação brasileira é clara: o capital estrangeiro não pode superar 20% em empresas aéreas. Para viabilizar a MTA com recursos externos e driblar autoridades, foi criada, de 2005 para cá, a tal rede com pelo menos seis empresas de fachada com sede em apenas dois endereços: um em Campinas e outro em Montevidéu, no Uruguai. Em outra ponta, sustenta o esquema um grupo de empresas com sede nos Estados Unidos, ligadas ao argentino Alfonso Conrado Rey. Ele é o dono do grupo norte-americano Centurion Cargo, que é quem movimenta o dinheiro e fornece os aviões da MTA. Quem aluga o avião para a MTA é o dono da MTA e quem "empresta" os dólares que chegam de fora é a própria empresa. Dono oculto da MTA fora do Brasil, Alfonso Rey esteve em Brasília em para prestigiar a posse do coronel Artur como diretor de Operações dos Correios. Até pouco antes de assumir essa diretoria, o coronel dirigia a MTA no País. Agora, o diretor é o peruano Orestes Romero, mas, no papel, os ex-sogros da filha do diretor dos Correios, Tatiana Silva Blanco, são os donos, como "laranjas". O "casal de Ipanema", Anna Rosa Pepe Blanco Craddock e Jorge Augusto Dale Craddock, como é conhecida a dupla de "laranjas" da MTA, mora no Rio de Janeiro e não entende nada de transporte aéreo de carga. O uso do casal como "laranja" fica evidente pelos documentos do Banco Central, pois, além da MTA, são eles que "recebem" os empréstimos milionários, em dólares, remetidos do Uruguai para a MTA. Os papéis do Banco Central mostram como os dólares são movimentados. No mês passado, a MTA simulou empréstimo de US$ 2,5 milhões junto à Viameral Sociedad Anônima, com sede na Avenida 18 de Julho, 878, em Montevidéu, repetindo transações semelhantes ocorridas desde 2006, quando entraram pelo menos outros US$ 2 milhões. Só que essa empresa uruguaia não existe na prática. Sua filial no Brasil, a Viameral Participações, fica no mesmo endereço da MTA em Campinas. Na "sede", em Montevidéu, funciona ainda a Deadulus Aviation Financing, matriz da "campineira" Deada Investimentos Ltda, outra companheira de sede da MTA. Coincidentemente, no mesmo endereço uruguaio estão registradas a DC-Quatro Cargo S.A e a CD-Cinco Pax, que alugam os aviões para a MTA funcionar no Brasil. Além do peruano Orestes Romero, os negócios da MTA no Brasil são hoje dirigidos pelo advogado argentino Eduardo Galasio e o brasileiro Fernando Barbosa, amigo do diretor dos Correios. Todos são homens de confiança de Alfonso Rey.

Temporão diz que Polícia Federal já apura denúncias sobre Tamiflu

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse no sábado, que a Polícia Federal já investiga as denúncias publicadas pela revista Veja indicando que funcionários da Casa Civil teriam recebido propina em um contrato de compra emergencial do medicamento Tamiflu em junho de 2009. O medicamento é usado no combate à gripe H1N1. "A população brasileira vai ter a oportunidade de saber a verdade. A Polícia Federal vai até o fim nas denúncias", afirmou. Segundo Temporão, a compra do medicamento seguiu critérios técnicos e não houve participação da Casa Civil. De acordo com Temporão, o ministro Alexandre Padilha, decidiu acionar a Polícia Federal para apurar as denúncias que, segundo ele, são graves, porém, sem fundamentos. "Eu gostaria de dizer com muita ênfase e de maneira bastante clara, as compras desse medicamento, todo o processo de aquisição desse medicamento, foi realizado diretamente entre o Ministério da Saúde e o único laboratório produtor desse medicamento no mundo, a Roche, sem nenhum tipo de intermediação. Da mesma maneira os pagamentos referentes a esse produto foram feitos diretamente pelo ministro da Saúde ao laboratório Roche sem nenhuma participação de terceiros, sejam distribuidores e representantes. Ou seja, todo o processo de negociação foi feito entre o Ministerio da Saúde e o laboratório que é o único, repito, produtor mundial", afirmou Temporão. Que coisa..... até nos medicamentos para evitar a morte de brasileiros!!!! Mas, qual é a surpresa?!!!! Afinal, não roubam também na merenda das crianças? O Brasil é um País corrupto, nunca antes neste País se viu tanta corrupção como agora.

Lula ataca revista Veja após novas denúncias contra o governo

Após denúncias da revista Veja no sábado, indicando que um ex-assessor da Casa Civil recebeu R$ 200 mil em dinheiro como propina pela compra emergencial de um medicamento contra a gripe suína, o presidente Lula criticou a publicação apesar dos pedidos de sua candidata ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff, e de outros aliados, para que evitasse rebater as acusações. Em um comício pró-Dilma, em Campinas, o presidente manteve o tom ácido contra os adversários tucanos, como fez na noite de sexta-feira em um ato na cidade mineira de Juiz de Fora. Lula acusou a revista de destilar “ódio e mentira” e ironizou o nome da publicação, chamando-a de “Óia”. Afirmou que os próprios leitores vão tratar de censurá-la, porque o eleitor medirá o que é mentira e o que é verdade. E, por fim, aconselhou Dilma e o candidato do PT ao governo paulista, Aloizio Mercadante, a não perderem o bom humor. “Deixem eu perder. Eu não disputo voto. Se mantenham tranquilos, rindo”, disse Lula.

Lula insinua que Aécio tem vergonha de exibir Serra

O presidente Lula insinuou na noite de sexta-feira durante comício em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, que Aécio Neves (PSDB) tem vergonha de exibir o presidenciável tucano José Serra na campanha em Minas Gerais. Ele afirmou ainda que o ex-governador mineiro não é dono de Minas Gerais. Coube a Lula responder e atacar Aécio Neves, mesmo sem citá-lo nominalmente, por ter o tucano criticado o fato de a campanha de Hélio Costa (PMDB) usar o prestígio de Lula e da candidata a presidente Dilma Rousseff (PT), ambos sem filiação partidária no Estado, para se promover na disputa contra Antonio Anastasia (PSDB), que tenta se reeleger governador. Primeiro Lula disse: "Essas pessoas acham que o Estado é uma espécie de quintal e que eles são donos. E que as pessoas não podem vir aqui em Minas Gerais". Depois, defendeu que o Brasil é um território político livre e completou: "Se ele têm vergonha dos candidatos dele, eu não tenho vergonha dos meus candidatos. Eles estão aqui com virtudes e com defeitos, mas eles estão aqui. E são esses que eu possuo e posso pedir ao povo mineiro para votar". E o pior é que, nesse caso, ele tem razão.

Ministério Público Federal pede afastamento e move ação de improbidade contra o diretor-geral da ANP

O Ministério Público Federal em São Paulo ajuizou na sexta-feira uma ação civil pública por atos de improbidade administrativa contra o diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo, Haroldo Lima. A ação pede o afastamento liminar de Haroldo Lima de suas funções. Para o Ministério Público Federal, ao deixar de tomar medidas para regulamentar um diesel menos poluente, o dirigente da agência reguladora causou danos morais ao País, além de praticar ato de improbidade administrativa. Quando Haroldo Lima era diretor responsável pela Superintendência de Qualidade da ANP, ele não levou ao colegiado proposta de ação da agência que visava definir as especificações do óleo diesel de referência para as fases P6 e L5 do Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve). Depois, como diretor geral, ele não garantiu a aprovação da resolução especificando o combustível dentro do prazo estabelecido em lei e na resolução 315/2002, do Conselho Nacional do Meio-Ambiente, que era 1º de janeiro de 2006. A resolução ficou pronta somente em novembro de 2007. Com isso, a indústria automobilística e a de combustíveis não teve tempo suficiente para cumprir as fases P6 e L5 do Proconve, não colocando em circulação frota e combustíveis menos poluentes, em 2009, em especial o diesel S-50, como previa o programa de controle. A ação é resultado das apurações feitas em um inquérito civil público, aberto pelo Ministério Público Federal em São Paulo, em janeiro de 2008, para apurar de quem foi a responsabilidade pelo descumprimento da resolução 315/2002.

Stevan Knezevic, “o misterioso Stevam”, também deixa a Casa Civil

O misterioso “Stevam”, que, na verdade, é “Stevan Knezevic”, também caiu. Ele deixa a Casa Civil, onde estava lotado, e volta para a Anac, de onde havia saído. Ele é um dos sócios de Israel Guerra. Ele pediu exoneração na sexta-feira à tarde do cargo que ocupa na Casa Civil. Com a saída de Knezevic, já são três os afastados desde a divulgação da denúncia. Stevan estava lotado no Centro Gestor e Operacional do Sipam (Sistema de Proteção da Amazônia), na Presidência da República. Ele tocava a empresa Capital Consultoria junto com Israel e Vinícius. A Capital Consultoria foi envolvida nas duas acusações envolvendo a ex-ministra Erenice Guerra.

Consultor Rubnei Quícoli demole rede petralha

Personagem central da queda da ministra Erenice Guerra, da Casa Civil, o empresário e consultor Rubnei Quícoli, de 49 anos, demoliu a rede petralha encastelada na Casa Civil da Presidência da República. Em entrevista para o jornal O Estado de S. Paulo, ele apontou na quinta-feira um novo personagem na trama, que identifica como Stevam. “Ele é um avião, tem uma porta aberta na Casa Civil e outra no BNDES”, afirma Quícoli. Segundo ele, em meio às negociações para aprovação de projeto destinado à implantação de energia solar no Nordeste - empreendimento estimado em R$ 9 bilhões que não saiu do papel - surgiu Stevam, cerca de 25 anos. “Ele é a ligação do governo com a Capital Consultoria”, diz o consultor, que diz representar a EDRB do Brasil Ltda, em Campinas (SP). A Capital Consultoria citada por Quícoli pertence a um dos filhos da ex-ministra e opera em Brasília. Sua especialidade é o lobby comercial nas entranhas da administração federal. Condenado a 3 anos de reclusão por uso de dinheiro falso e mais um ano por receptação - sanções trocadas por penas restritivas de direito, segundo acórdão do Tribunal Regional Federal -, Quícoli passou o dia de ontem aos celulares que leva nas mãos, três aparelhos que não pararam de tocar. Era gente de Brasília, do Rio e de São Paulo. Foi sondado por gente que se apresentou como do PSDB, pessoas interessadas em seu relato na reta final da campanha presidencial. Ele narrou o que chama de “violência praticada por uma quadrilha”.
- Como o sr. foi parar na Casa Civil?
- Eu havia comentado sobre o projeto com o Marco Antonio Oliveira, que era diretor de operações dos Correios. Ele me foi apresentado no Rio por amigos comuns. No dia 17 de novembro, por intervenção do Marco Antonio, nos reunimos na Casa Civil com a então secretária executiva do ministério, Erenice Guerra. Ela participou sim. Ouviu nossa exposição sobre o projeto de instalação de torres solares no Nordeste e reconheceu a importância da proposta. Aplaudiu o projeto e nos encaminhou ao escritório da Companhia Hidrelétrica do São Francisco.
- Quem mais participou do encontro?
- O Vinícius Castro, que era o assessor jurídico da Casa Civil, mais uma outra funcionária desse setor, os sócios da EDRB (Aldo Wagner, diretor técnico, Marcelo Escarlassara, diretor comercial) e o Carlos Augusto Cavenaria, da KVA Elétrica. O governo estava funcionando provisoriamente no Centro Cultural do Banco do Brasil porque o Planalto estava em reforma. De lá fomos para um escritório no Shopping Brasília. Houve um interesse muito grande de Erenice, mas ela não falou em dinheiro, nem recomendou a empresa do filho. Ela foi muito verdadeira naquele momento.
- As dificuldades surgiram já nesse encontro?
- Não houve dificuldades na Casa Civil. Fora de lá começou essa violência. Logo que chegamos no escritório do shopping, por orientação da Casa Civil. Fomos surpreendidos com um contrato. Estavam lá o Vinícius e o Stevam, o homem do BNDES. Na hora que o Vinícius entregou o contrato nas minhas mãos ele disse: “Daqui pra frente quem resolve é ele, é o Stevam”. Eu e os sócios da EDRB nos entreolhamos, preocupados. Aquilo não estava combinado. Pedi que nos transmitissem o contrato por e-mail. Se houvesse alguma mudança a gente poderia sugerir. Sabe como é, o cabelo vai caindo a gente vai aprendendo. A gente precisava documentar tudo.
- Eles mandaram o contrato?
- Enviaram no e-mail de uma certa GC Empresarial, que era o contato do Stevam. Mas esse endereço nem está mais conectado. Você tenta e volta. Acho que criaram só para algumas operações. Na última reunião o Stevam ficou ameaçando, disse que a gente ia ter que pagar senão o BNDES não ia liberar o dinheiro. Era uma coisa de louco. O contrato rezava R$ 40 mil por mês a título de manutenção e mais 5% de um aporte de R$ 9 bilhões. São R$ 450 milhões, é muito dinheiro jogado no lixo do Brasil. Vi que estava diante de uma quadrilha que montou uma ação muito bem planejada.
- O que você fez?
- Saí à procura do Marco Antonio. Foi ele quem fez o contato com a Casa Civil. Ele havia ficado maravilhado com o projeto, disse que já conhecia a experiência na Alemanha. O Marco Antonio me apresentou ao sobrinho dele, o Marcos Vinícius. O que me causou muita estranheza é que a mãe do Vinícius é sócia da Capital. Fiquei atônito. Onde é que estou me metendo?
- Vocês não assinaram?
- Não assinamos nada. Depois que nos recusamos a assinar o contrato naquelas condições espúrias o BNDES reprovou nosso projeto alegando falta de detalhes técnicos, ausência de sustentação. Pedimos ao banco que pontuasse onde estava o erro. O projeto tem patente alemã. Uns dois meses depois, em maio, o Marco Antonio me procurou dizendo que poderia viabilizar a liberação do dinheiro.
- E depois?
- Voltei a Brasília e o Marco Antonio disse que precisava de R$ 5 milhões. Ele disse que o filho da Erenice, o tal Israel, não iria liberar nada se a gente não pagasse. Expliquei que para fazer essa operação a gente precisava de uma nota fiscal para o faturamento. Eu disse que não dava para enfiar tanto dinheiro na cueca e sair distribuindo por aí. Aí me mandaram uma nota de uma empresa que é do Saulo, filho da Erenice, a Synergy. Mostraram que eu poderia pulverizar os R$ 5 milhões, diluir em consultoria e intermediação.
- Ele disse para que seriam os R$ 5 milhões?
- Disse que era para apagar um fogo da Dilma Rousseff e da Erenice, dívidas acho que de campanha. E outra parte era para apagar o fogo do Hélio Costa, candidato do PMDB em Minas Gerais. É a palavra do Marco Antonio. Eu sustento isso, vou até o fim. Saímos de Brasília determinados a não pagar nada. Depois que me recusei a assinar o contrato, o Stevam ficou ligando. Ligava de telefone público. Fez pressão, “se você não assinar não vai mais chegar na Chesf, se não assinar não vai ter mais nada”. Não ligava de celular. Usava cartão, dois, três minutos. Caía a ligação, ligava de novo. É um avião. Tem uma porta aberta na Casa Civil, outra no BNDES.
- Tomou alguma medida?
- Fui informado que esse Stevam tem uma ligação muito forte com o BNDES. Não sei de onde vem esse trânsito todo dele no banco. Motivo deve ter. Ele compõe o grupo da Capital, é o elo dos contratos para projetos via BNDES. Passei e-mails para a Casa Civil alertando sobre os métodos dele. Um rapaz de 25 anos não pode fazer isso. Pedi providências. Aí houve aquele abafa, tiraram ele do circuito. Foi quando o Marco Antonio me pediu os R$ 5 milhões. Quem me passou os dados da empresa para justificar o dinheiro foi o Vinícius.
- O sr. tem provas do que diz?
- Está tudo documentado. Tenho toda a troca de e-mails com a Casa Civil, minhas mensagens direcionadas às secretárias da Erenice, inclusive aquelas em que relato a forma de abordagem que o Stevam fez, violência inaceitável. Meus e-mails comunicando que não iria pagar nada daquilo a título de manutenção de uma coisa que não existia ainda. A Erenice nos encaminhou para a Chesf. Foi o papel dela. Se ela sabia ou não da propina é uma questão de consciência de cada um. Meus celulares estão à disposição, podem quebrar meu sigilo telefônico.
- Qual o seu objetivo?
- Mostrar que o Brasil não pode engavetar projetos importantes para uma região de excluídos. Um projeto barato que iria gerar empregos e tributos. Não queria a queda da ministra. Esse estrago não foi eu que causei, foi a quadrilha que eles montaram.
- O sr. tem folha corrida na polícia?
- Uma vez fui processado porque cobrei uma pessoa, levei prejuízo. Fui acusado de ameaça e processado por coação de testemunha. Fui absolvido. Na Justiça Federal fui acusado de uso de dinheiro falso. Coisa de 7 notas de 50 reais falsas que entraram no meu posto de gasolina. Não sabia que eram notas falsas. Não prejudiquei ninguém. Cabe à Justiça me julgar. Isso é jogo sujo. Quando você lida com bandido, com gente que não tem escrúpulos, tem reação. Sentamos com bandidos que agem dentro da Casa Civil.
- O sr. tem ligação com partido político?
- Nunca tive envolvimento político a não ser nos meus 20 a 28 anos. Pertenci à juventude socialista no Estado, uma entidade vinculada ao PDT. Depois participei de um evento político em Campinas, do PSDB. Mas não sou filiado a partido. Se existe essa filiação foi há 20 anos, quando eu era garoto. Não tenho nada com Serra nem com Marina. Meu vínculo é com o trabalho ambiental.

Procuradora Eleitoral quer saber quanto a revista Carta Capital recebe do governo Lula

A Procuradoria Geral Eleitoral pediu a relação das publicidades do governo Lula dos anos de 2009 e 2010, inclusive valores, investidos na revista Carta Capital. O jornalista Mino Carta, diretor da revista, petista declarado, acha que a procuradora passou da conta. O diretor de redação e proprietário majoritário da revista Carta Capital recebeu, na quinta-feira, ofício encaminhado pela vice-procuradora-geral eleitoral Sandra Cureau. A vice-procuradora, no ofício datado do dia 9 de setembro, cobra de Carta Capital "relação das publicidades do governo federal dos anos 2009/2010, os respectivos contratos, bem como os valores recebidos a esse título". Em seu ofício, Sandra Cureau dá à revista o prazo de cinco dias para que as informações sejam enviadas "sob pena de responsabilização nos termos do artigo 8º, parágrafo 3º, da Lei complementar nº 75/93, cumulada com o artigo 330 do Código Penal".

Novo presidente poderá contratar 25.334 pessoas

O futuro presidente do Brasil poderá contratar até 25.334 pessoas no seu primeiro ano de governo para preencher vagas no Poder Executivo. Isso representará uma despesa extra de R$ 2,2 bilhões ao ano, segundo estimativa prevista no anexo à proposta do Orçamento Geral da União. No total, serão até 34.918 novos funcionários em todo o setor público federal, a um custo estimado de R$ 3 bilhões ao ano. Além do Executivo, o Legislativo vai contratar até 586 pessoas, o Judiciário, 8.277, o Ministério Público admitirá até 548 pessoas e o Conselho Nacional do Ministério Público, 173.

IBGE aponta que 62,6% das casas têm água, esgoto e lixo coletado

O porcentual de domicílios brasileiros urbanos atendidos, ao mesmo tempo, por rede de abastecimento de água, rede coletora de esgoto e coleta de lixo direta aumentou entre 1999 e 2009, passando de 57,2% para 62,6%. Os dados fazem parte da Síntese de Indicadores Sociais, divulgada na sexta-feira pelo IBGE. No entanto, entre os domicílios com rendimento de até meio salário mínimo per capita (por pessoa), o porcentual dos que tinham acesso a esses serviços simultaneamente não ultrapassava 41,3% em 2009. De acordo com o IBGE, 19% dos domicílios urbanos brasileiros abrigavam famílias cujo rendimento era de até meio salário mínimo (R$ 255,00) per capita em 2009.

IBGE aponta que mulheres menos instruídas têm mais filhos

Mulheres com menos anos de estudo têm mais filhos, aponta a pesquisa Síntese de Indicadores Sociais, divulgada na sexta-feira pelo IBGE. Segundo o levantamento, a escolaridade "é um dos condicionantes do comportamento da fecundidade feminina". Para o País como um todo, as mulheres com até sete anos de estudo tinham, em média, 3,19 filhos, enquanto o número de filhos das mulheres com oito anos ou mais de estudo era de 1,68. De acordo com a pesquisa, "o declínio da fecundidade vem ocorrendo nas últimas décadas em todas as regiões e em todos os grupos sociais, independentemente da renda, cor e nível".

EPE espera leiloar mais 10 hidrelétricas ainda em 2010

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) espera que o leilão de concessão de 10 usinas hidrelétricas, cuja potência somada é de 3.820 megawatts (MW), aconteça ainda em 2010, apesar do tempo curto para que sejam resolvidos entraves como a concessão de licenças ambientais e a publicação de editais. No último dia 10, foram entregues ao Tribunal de Contas da União os estudos para as usinas de Teles Pires, Sinop e São Manuel (na bacia do Teles Pires) e Riacho Seco, no Rio São Francisco. Como as usinas são consideradas de grande porte, a previsão é de que a aprovação aconteça em até 60 dias a partir da data de entrega dos documentos, afirmou o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim, na sexta-feira. "Os estudos das demais usinas, de porte menor, serão entregues até o dia 10 de outubro e a previsão para elas é de 30 dias", disse Tolmasquim. As "usinas menores" correspondem a cinco empreendimentos no Rio Paraíba e também a usina de Foz do Apiacás, na bacia do Teles Pires.

Igreja Católica anuncia que ditadura cubana libertará mais quatro prisioneiros políticos

A Igreja Católica Romana em Cuba revelou na sexta-feira os nomes de mais quatro prisioneiros políticos que serão libertados e seguirão desterrados para o exílio na Espanha. Com isso, sobe para 36 o número de prisioneiros políticos libertados e enviados para fora da ilha sob um acordo com o governo do ditador Raúl Castro. Nelson Molinet Espino, Hector Raul Valle Hernandez, Miguel Galvan Gutierrez e Jose Miguel Martinez Hernandez serão libertados em breve e viajarão para a Espanha, informou, em comunicado, Orlando Marquez, da Igreja Católica Cubana. Restam 16 prisioneiros a serem libertados, nove semanas após o acordo.

Zeca do PT usa até apoio de ator para chegar ao segundo turno

O ex-governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, tenta com suas últimas cartas levar a corrida ao governo do Estado para o segundo turno. No sábado ele usou o ator global José Abreu para puxar uma caminhada pelas ruas centrais de Campo Grande. Até o próximo dia 26, o presidente Lula deverá participar de mais um comício pró Zeca, também na capital do Estado. Na comitiva presidencial é esperada a presença do ex-ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que em setembro do ano passado foi xingado pelo governador André Puccinelli (PMDB). O esforço concentrado é motivado pelos resultados de todas as pesquisas de opinião pública realizadas até agora, nas quais o candidato peemedebista, candidato à reeleição, venceria o pleito no primeiro turno.

Mulheres ganham 58% do que recebem os homens

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), divulgados pelo IBGE na sexta-feira, revelam que, mesmo com maior escolaridade, as mulheres têm rendimento médio inferior ao dos homens. Em 2009, as mulheres ocupadas recebiam cerca de 70,7% do rendimento médio dos homens. No mercado formal esse total chegava a 74,6%, enquanto no mercado informal a diferença era ainda maior, com as mulheres recebendo 63,2% do rendimento médio masculino. A diferença era ainda maior entre os mais escolarizados: as mulheres com 12 anos ou mais de estudo recebiam, em média, 58% do rendimento dos homens com esse mesmo nível de instrução. Nas outras faixas de escolaridade, a razão era um pouco mais alta (61%). Entre 1999 e 2009, as disparidades pouco se reduziram.

Petrobrás pode comprar ativos da Exxon na Argentina

A norte-americana Exxon Mobil está em conversas para vender seus ativos "downstream" (de refino, distribuição e comercialização de petróleo) na Argentina por uma quantia não revelada. De acordo com o jornal, entre os prováveis candidatos à compra desses ativos estão a Petrobras, a Pan American Energy (na qual a britânica BP tem uma participação de 60%) e a argentina Bridas Corp. A Exxon quer vender cerca de 450 postos de gasolina e uma refinaria de petróleo com capacidade de produção de 85 mil barris por dia em Campana, que operam com a marca Esso. Analistas estimam o valor dos ativos em cerca de US$ 800 milhões. A Exxon tem uma participação de 12% no mercado argentino, ficando atrás da YPF e da Shell. Este ano, a Petrobras vendeu sua refinaria de San Lorenzo (em Santa Fé) e 360 postos à empresa Oil Combustibles, do empresário Cristóbal López, o que abriu o caminho para que a brasileira comprasse os ativos da Exxon agora.

Serra diz que escândalos não podem ser vistos como "naturais"

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, disse na sexta-feira que nenhum país vai para o primeiro mundo mergulhado em escândalos no coração do governo. A resposta foi dada após o tucano ser perguntado sobre o caso que apura a conduta ética da ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra, que deixou o cargo na quinta-feira após ser atingida por denúncias de tráfico de influência. "Nós temos a oportunidade de dar um basta nisso, pois isso não pode ser encarado como algo natural", afirmou ele, em Aracaju. Serra está completamente enganado, o Brasil tem um povinho que acha, sim, absolutamente "natural" a corrupção, e até a premia. Quanto a ser país de primeiro mundo.... bem, isso o Brasil não será, porque tem um povinho ignorante e analfabeto funcional.

Recenseadores do IBGE são recebidos à bala no Mato Grosso

Tiros, maus tratos, assédio moral e discriminação que terminam em boletins de ocorrência registrados nas delegacias de Polícia de Mato Grosso viraram rotina no dia a dia dos recenseadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). A situação mais grave aconteceu na última quarta-feira, na zona rural de Carijó, a oito quilômetros do município de Nossa Senhora do Livramento, quando dois recenseadores foram recebidos à bala por uma casal. "Primeiro a mulher me apontou uma faca", disse a recenseadora Manuele Rosa da Silva, de 20 anos. Manuele conta que bateu palmas quando chegou na casa do sítio para fazer a pesquisa, mas ninguém teria atendido. Ela e o piloto da moto decidiram entrar para chegar até a casa, que ficava distante da porteira: "Fomos entrando e sempre batendo palmas, chamando por alguém da casa, e de repente uma senhora e seu marido abriram a porta e mandaram a gente sair dali". Os pesquisadores registraram o ocorrido na delegacia local. Esses pesquisadores são uns imbecis, pensam que estão na Suécia. Isto é aqui é Brasil, o Mané, um país de corruptos.

Decretada prisão de candidato acusado de ligação com o PCC

A Justiça de Taboão da Serra, em São Paulo, decretou na sexta-feira a prisão temporária (por cinco dias) de Ney Santos, de 29 anos, candidato a deputado federal pelo PSC e investigado pela Polícia Civil por envolvimento com o tráfico de drogas e com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Preso sob a acusação de roubo em 2003, Ney saiu da prisão em 2006 e acumulou patrimônio de R$ 50 milhões nos últimos quatro anos. O candidato passou a ser investigado há 90 dias por causa do rápido enriquecimento. Agora a Justiça bloqueou os bens dele, entre os quais constavam uma Ferrari, avaliada em R$ 1,4 milhão, duas casas em Alphaville, cada uma no valor de R$ 2 milhões, 15 postos de combustíveis, escritórios, apartamentos, casas e outros carros de luxo. No Tribunal Regional Eleitoral, Ney Santos declarou ser empresário e ter um patrimônio no valor de R$ 1.279.286,85. Era o que faltava. Nesta República corrupta, o negócio parece ser esse mesmo: bandido no poder, chega de intermediação.

Pesquisa Ibope aponta que Dilma amplia vantagem sobre Serra

As recentes denúncias envolvendo a ex-ministra Erenice Guerra, que substituiu a candidata Dilma Rousseff (PT) no comando da Casa Civil, não mudaram a intenção de voto dos eleitores. Pesquisa Ibope divulgada na sexta-feira mostra que a petista ampliou de 24 para 26 pontos porcentuais sua vantagem sobre seu principal adversário na disputa, o tucano José Serra. Dilma teve 51% das intenções de voto, enquanto o presidenciável do PSDB ficou com 25%. Na mostra anterior, divulgada no dia 3 de setembro, Dilma tinha também 51%, enquanto o tucano aparecia com 27%. Se as eleições fossem hoje, e levando em conta os votos válidos, Dilma venceria a disputa em primeiro turno. Em um eventual cenário de segundo turno, Dilma ganharia de Serra por 56% a 31%. A candidata do PV, Marina Silva, cresceu de 8% na pesquisa do dia 3 para 11%.

Especialistas recomendam cautela com oferta de ações da Petrobrás

Na reta final para a reserva de ações da capitalização da Petrobrás, cujo prazo vai até quarta-feira, os investidores congestionaram as linhas telefônicas e sites das corretoras. Especialistas em finanças pessoais, no entanto, recomendam cuidado com a euforia e salientam que investimento em ações, sobretudo na Petrobrás, deve ser de longo prazo. O principal motivo para a recomendação é o tempo de maturação que o pré-sal terá. Nunca houve exploração de petróleo em águas tão profundas e ainda não há tecnologia consolidada para retirar o óleo debaixo do sal em larga escala, explica Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura. "O investidor precisa ficar na Petrobrás até o pré-sal ser explorado para que os frutos desse desenvolvimento sejam creditados", diz Ernesto Lozardo, professor de finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Lozardo afirma que o projeto do pré-sal é muito grande e só atingirá o ápice daqui a 15 anos. Resumindo, quem comprar ações da Petrobras vai se enterrar, vai ver seu dinheiro virar mico. Na sessão da última sexta-feira, na Bolsa de Valores de São Paulo, os papéis preferenciais (PN) da estatal fecharam em leve alta de 0,30%, para R$ 26,44. A média de preço de dezembro de 2009 foi de R$ 38,00. Por aí já se tem um exemplo.

Decisão do Supremo pode mudar aposentadoria

Um julgamento iniciado na última quinta-feira pelo Supremo Tribunal Federal deve levar o governo Lula a mudar as regras para a aposentadoria dos trabalhadores pelo Regime Geral de Previdência Social (RGPS). Em discussão no Supremo está a possibilidade do que está sendo chamado de "desaposentação": uma pessoa se aposenta por tempo de serviço, mas, para complementar a renda, volta a trabalhar e a contribuir com a Previdência. Para se beneficiar dessas contribuições adicionais, os beneficiários querem anular a primeira aposentadoria para que a Previdência recalcule quanto deveriam receber. Relator do processo no Supremo, o ministro Marco Aurélio Mello votou no sentido de permitir a desaposentação. Argumentou que o beneficiário volta a trabalhar para melhorar sua renda e é obrigado por lei a contribuir novamente com a Previdência. Não seria justo, conforme argumentou, que não tivesse direito de ver essa contribuição adicional revertida para sua aposentadoria. Hoje, esse trabalhador já aposentado e que continua pagando a Previdência só faz jus, em decorrência dessas novas contribuições, ao salário-família e ao auxílio-acidente. O julgamento foi adiado por um pedido de vista do ministro Dias Toffoli.

Pesquisa Ibope mostra Cabral com 55% das intenções de voto no Rio de Janeiro

Pesquisa Ibope sobre a disputa ao governo do Rio de Janeiro divulgada na sexta-feira mostra o governador Sérgio Cabral (PMDB) com 55% das intenções de voto e seria reeleito no primeiro turno. Fernando Gabeira (PV) tem 15% e Fernando Peregrino (PR), 3%. Eduardo Serra (PCB), Cyro Garcia (PSTU) e Jefferson Moura (PSOL) tiveram 1%. Em relação ao levantamento anterior, Cabral oscilou negativamente dois pontos e Gabeira ganhou um ponto.

Ibope mostra Dilma com 51% das intenções e Serra com 25%

Pesquisa Ibope divulgada na sexta-feira mostra a petista Dilma Rousseff com 51% das intenções de votos na disputa presidencial, enquanto o tucano José Serra está com 25%. Marina Silva (PV) está com 11%. O levantamento foi feito entre os dia 14 e 16 de setembro, em meio ao noticiário com acusações contra a ex-ministra Erenice Guerra, ex-braço direito de Dilma. A petista Dilma se elegeria no primeiro turno com 58% dos votos válidos. A vantagem da petista oscilou positivamente dois pontos em relação ao levantamento anterior. Dilma manteve a mesma porcentagem de votos, enquanto o tucano caiu de 27% para 25%. Marina subiu três pontos em relação ao levantamento feito entre os dias 31 de agosto e 3 deste mês.

Promotoria vai recorrer de saída da Polícia Civil do caso Veronica Serra

O Ministério Público de São Paulo vai recorrer da decisão da Justiça paulista que retirou a Polícia Civil das investigações sobre a violação do sigilo fiscal de Veronica Serra, filha de José Serra, candidato à Presidência pelo PSDB. O recurso será apresentado nesta segunda-feira pelo titular da 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Santo André (ABC), Roberto Wider Filho. No dia 13, o juiz da 1ª Vara Criminal de Santo André, José Carlos Camargo, analisou um pedido da Polícia Civil para quebrar os sigilos telefônicos de suspeitos do crime. O magistrado, porém, não autorizou a medida e ainda determinou a remessa do inquérito da polícia paulista para a Justiça Federal. Camargo entendeu que a falsificação de uma procuração em nome de Veronica e o uso do documento para retirar cópias de declarações de imposto de renda dela são crimes que atingiram "serviços e interesses da União (Receita)", e o caso deveria ir para o Judiciário federal. Na prática, a decisão concentrou as apurações da violação na Polícia Federal, frustrando a expectativa do PSDB de que a Polícia Civil pudesse descobrir ligações dos acusados com o PT antes das eleições.

Casa Civil cria sindicância para apurar acusações contra a petista Erenice Guerra

O ministro interino da Casa Civil, Carlos Eduardo Esteves Lima, assinou na sexta-feira uma portaria criando uma sindicância para investigar as acusações contra a ex-ministra petista Erenice Guerra. A comissão terá um prazo de 30 dias para concluir a apuração, afirma nota da Casa Civil. Segundo Lima, a comissão irá investigar as acusações divulgadas pelo jornal Folha de S. Paulo na quarta-feira e pela revista Veja. Erenice Guerra deixou a Casa Civil na quinta-feira, após reportagem publicada pela Folha, na qual sócios da empresa EDRB, de Campinas (SP), acusam seu filho Israel e um assessor de pedir R$ 240 mil mais 5% de comissão para agilizar a liberação de crédito do BNDES.

Supremo arquiva ação de Expedito Júnior contra cassação de seu mandato em 2006

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, determinou o arquivamento da ação cautelar ajuizada pelo candidato ao governo de Rondônia, Expedito Júnior (PSDB). Ele foi cassado em 2006 por compra de votos e abuso do poder econômico e teve seu registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia com base na Lei da Ficha Limpa. Expedito recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral contra a candidatura barrada, mas recurso ainda não foi julgado. Ele apelou ao Supremo pedindo a concessão de liminar para acelerar o julgamento de um outro recurso que tramita no tribunal. Neste recurso, ele pede que seja encaminhado ao Supremo o recurso extraordinário por meio do qual contesta a cassação de seu mandato. Alternativamente, Expedito pediu liminar para suspender os efeitos da decisão do Tribunal Regional Eleitoral que o considerou inelegível por oito anos. Com a decisão da Justiça Eleitoral, ele fica impedido de disputar o cargo de governador de Rondônia no próximo dia 3 de outubro. A defesa de Expedito argumentou que quando teve seu mandato cassado pelo Senado, em 2006, a lei previa que ele ficaria inelegível por três anos. Sustenta, ainda, que o processo já transitou em julgado e que as sanções já foram cumpridas. Mas o ministro não chegou a analisar os argumentos, uma vez que o pedido foi julgado prejudicado. Celso de Mello explicou que, no caso, não há como analisar a ação cautelar sem a perspectiva de uma ação principal. Ele ressaltou que "a inviabilidade do recurso extraordinário interposto pelo autor da presente ação cautelar afeta e compromete o acolhimento da pretensão jurídica deduzida nesta sede processual, pois, como se sabe, há, entre o processo cautelar e as demais categorias procedimentais, inequívoca relação de acessoriedade. A tutela cautelar não existe em função de si própria". Na avaliação do ministro, há uma relação nítida de dependência entre a ação cautelar e a ação principal e a inexistência da outra parte do processo impede que se dê tramitação autônoma ao pedido de cautelar.

Governo Lula vai publicar editais do plano de banda larga em outubro

A Telebrás abriu na sexta-feira a primeira consulta pública para contratação de equipamentos para o Plano Nacional de Banda Larga. As contribuições serão recebidas até 1º de outubro e consideradas na elaboração dos editais de contratação, que deverão ser publicados ainda em outubro. Os equipamentos em consulta irão compor o chamado backbone, que é a infraestrutura de banda larga do governo. O backbone gerenciado pela Telebrás usa um conjunto de fibras ópticas da Eletrobras e Petrobras, que estão apagadas. Os equipamentos a serem licitados irão ativar essas fibras. O governo quer contratar esses equipamentos o quanto antes para cumprir a meta de levar o plano, ainda este ano, para 100 cidades, além de 15 capitais e o Distrito Federal. O PNBL pretende levar internet em alta velocidade a preços módicos para 4,3 mil municípios até 2014. Além dos equipamentos, serão contratados serviços de instalação, treinamento e operação inicial da rede, com garantia e assistência técnica. Quanto "PP" vai correr aí?

Justiça do Mato Grosso do Sul confirma afastamento do prefeito de Dourados

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul determinou o afastamento do cargo do prefeito de Dourados, Ari Artuzi (PDT), até o esclarecimento das acusações sobre seu envolvimento em esquema de fraudes e propina na prefeitura e na Câmara. A decisão, do desembargador Claudionor Miguel Duarte, atendeu a pedido do Ministério Público como "garantia da ordem pública e, especialmente, do patrimônio público municipal". Artuzi está preso desde o dia 7 de julho em uma operação da Polícia Federal. Também foram presos o vice-prefeito, Carlinhos Cantor, e o vereador Sidlei Alves (DEM), presidente da Câmara Municipal. Interinamente assumiu o cargo o juiz Eduardo Machado Rocha.

Cúpula da Polícia Rodoviária Federal no Rio de Janeiro é afastada sob suspeita de corrupção

A cúpula da Polícia Rodoviária Federal no Rio de Janeiro foi afastada preventivamente na sexta-feira, por ordem judicial, suspeita de participar de um esquema de liberação de carros irregulares e de uso de cargo público para fins eleitorais. Os indícios dos crimes surgiram a partir de uma investigação da Polícia Federal. O chefe substituto de policiamento de fiscalização da Polícia Rodoviária Federal, Marcelo Lessa, terceiro na hierarquia da instituição, candidato a deputado federal pelo Paraná e um dos principais envolvidos no esquema, teve a prisão preventiva decretada e está foragido. Antônio Márcio Rodrigues, assessor de Lessa, e o chefe do posto da Polícia Rodoviária Federal na Pavuna, Erly Simões, foram presos na quinta-feira pela Polícia Civil. Carlos Hamilton Fernandes Pinheiro, superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Eugênio Nemirovsky, chefe de policiamento de fiscalização da Polícia Rodoviária Federal, e Cristiano Morais da Silva, corregedor regional da Polícia Rodoviária Federal, foram afastados de seus cargos. Dois inspetores também foram afastados. Pergunta: você conhece algum órgão mais corrupto do que a Polícia Rodoviária Federal?

Comissão de Ética aplica censura em Erenice por ter deixado de informar patrimônio

A ex-ministra da Casa Civil, a petista Erenice Guerra, deixou de apresentar à Comissão de Ética Pública da Presidência documentos com informações sobre a sua evolução patrimonial e relação de parentes ocupando cargos públicos. Chamado de DCI (Declaração Confidencial de Informação), o documento deve ser apresentado por todas as autoridades que assumem cargo na alta administração pública federal. Por não ter obedecido à exigência, a Comissão entendeu, em reunião extraordinária na sexta-feira, que Erenice cometeu falta ética e aprovou, em votação unânime, a aplicação de censura à ex-ministra. A Comissão também aprovou na reunião a abertura de um processo para apurar as acusações de envolvimento de Erenice em casos de tráfico de influência dentro da Casa Civil que têm como pivô o seu filho Israel Guerra. É a chamada comissão inútil, só faz a censura quando ela já não é mais ministra, portanto não vale nada a medida dessa ridícula comissão.

IBGE diz que homens solteiros no País têm em média 29 anos e as mulheres têm 26 anos

Pesquisa do IBGE divulgada na sexta-feira mostra que os homens solteiros têm, em média, 29 anos e as mulheres, 26. O Amapá e o Acre são os Estados em que os homens solteiros têm a maior média de idade: 32 anos. No Rio de Janeiro, a média de idade dos brasileiros solteiros é de 30 anos. Na região metropolitana do Rio de Janeiro, para cada grupo de 100 mulheres, havia 87,4 homens. É o segundo Estado com a menor proporção no País, atrás de Recife (85 homens para cada 100 mulheres), entre dez locais pesquisados. O IBGE atribui as menores proporções à sobremortalidade de homens. A média do País é de 94,8 homens para 100 mulheres. Os homens solteiros mais jovens estão no Paraná, onde a média é de 27 anos. Em São Paulo, a média é de 28 anos. Já o Estado com as mulheres solteiras mais jovens é Rondônia, onde a média de idade é 24 anos. No Rio de Janeiro, as solteiras têm em média 27 anos e, em São Paulo, 26 anos.

IBGE diz que expectativa de vida do brasileiro chega aos 73,1 anos

A expectativa de vida dos brasileiros chegou a 73,1 anos em 2009, segundo pesquisa divulgada na sexta-feira pelo IBGE. Há dez anos, a expectativa média era de 70 anos. O indicador é mais positivo para as mulheres, cuja expectativa de vida era de 77 anos no período pesquisado pelo IBGE. Para os homens, a média é de 69,4 anos. Alagoas é o Estado com menor expectativa de vida (67,6), e Minas Gerais é a região que registrou o melhor nível para o indicador (75,1 anos).

Receita usa helicóptero para fiscalizar condomínios de luxo no interior de São Paulo

A Receita Federal vai realizar nesta segunda-feira uma operação para fiscalizar imóveis construídos em condomínios de luxo na região de Piracicaba, interior de São Paulo. Para isso, utilizará um helicóptero para fazer imagens dos locais. O objetivo da ação, batizada de Eldorado, é fiscalizar o recolhimento de contribuições previdenciárias dos imóveis, bem como identificar variação patrimonial a descoberto, aluguéis não declarados dos detentores dos imóveis e possibilitar atuação da fiscalização junto aos incorporadores imobiliários. Além disso, de acordo com a Receita, serão identificados imóveis cujos proprietários já concluíram as obras, mas continuam declarando ao Fisco apenas o terreno. A partir da constatação da irregularidade, os imóveis mapeados poderão ser selecionados para fiscalização e cobrança dos tributos devidos. A Receita vai utilizar o helicóptero EC-135 para obter as imagens, que serão confrontadas com os cadastros de IPTU das prefeituras municipais e imagens de satélite. Se a Receita fizer isto em Porto Alegre vai pegar vereadores, deputados e muita gente importante que declara mansões como "terreno com uma casa em construção". E isso há dez anos.

CNBB defende voto "ético, esclarecido e consciente" nas eleições

A 16 dias das eleições, a CNBB, braço petista da Igreja Católica, divulgou nota incentivando o voto "ético, esclarecido e consciente". Incentivamos a que todos participem e expressem, através do voto ético, esclarecido e consciente, a sua cidadania nas próximas eleições, superando possíveis desencantos com a política, procurando eleger pessoas comprometidas com o respeito incondicional à vida, à família, à liberdade religiosa e à dignidade humana". Segundo a CNBB, a campanha eleitoral é "oportunidade para empenho de todos na reflexão sobre o que precisa ser levado adiante com responsabilidade e o que deve ser modificado, em vista de um projeto nacional com participação popular". A nota da CNBB não pode ser mais hipócrita. Depois os bispos da Igreja Católica não entendem porque seus templos estão cada vez mais vazios. A nota foi assinada pelo presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha.

Quase metade dos idosos do País sofre de mais de uma doença crônica

Pesquisa do IBGE divulgada na sexta-feira indica que quase a metade dos idosos (48,9%) do País sofre de mais de uma doença crônica, como diabetes, problemas cardiovasculares e câncer. A Síntese de Indicadores Sociais 2009, que apresentou dados de levantamento feito em 2008, mostra que, à medida que a pessoa envelhece, maiores são as chances de contrair uma doença crônica. No subgrupo com 75 anos ou mais, a taxa é de 54%. Entre as doenças, a hipertensão é a que mais aparece (50%) em idosos (acima de 60 anos). Dores na coluna e artrite ou reumatismo também são frequentes e atingem 35,1% e 24,2%, respectivamente, das pessoas nessa faixa etária. Em relação à saúde, também chama a atenção o fato de 32,5% dos idosos não terem o domicílio cadastrado em programas de saúde do governo ou não terem cobertura de planos particulares. No Rio de Janeiro, 49,1% das pessoas nessa faixa de idade estavam sem cobertura.

Exército israelense mata comandante local do Hamas na Cisjordânia

Soldados do Exército israelense e do serviço secreto Shabak mataram na sexta-feira um comandante local do braço armado da organização terrorista islâmica Hamas em uma operação na Cisjordânia. A morte ocorreu em uma aldeia próxima à cidade de Tul Karem, no norte da Cisjordânia, onde o Exército realizou uma operação para deter extremistas. Iyad Shilbayeh começou "a correr de forma suspeita em direção aos soldados e não cumpriu ordens para que parasse", disse um porta-voz do Exército israelense ao jornal israelense Haaretz. A morte do terrorista é uma resposta de Israel aos ataques que membros do Hamas fizeram a colonos israelenses na véspera das negociações de paz, em Washington, no início do mês. Também é uma resposta ao grande número de bombas e foguetes que terroristas do Hamas têm despejado sobre território israelense.