terça-feira, 2 de setembro de 2014

COMPARAR MARINA A JÂNIO QUADROS É LACERDISMO, DIZ BETO ALBUQUERQUE

O candidato a vice-presidente pelo PSB, Beto Albuquerque, reagiu nesta quinta-feira, 2, ao programa eleitoral do PT que sugere que a ex-ministra Marina Silva não teria condições de compor com o Congresso e a compara aos ex-presidentes Jânio Quadros e Fernando Collor. Albuquerque disse que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente e alcaguete Lula estão promovendo um "prenúncio do terrorismo" e disse que a ação petista é uma "conduta lacerdista". "Compreendo que o PT não queira perder o aparelho e que o PSDB queira ir para o segundo turno. Mas para isso é preciso mais do que adotar o discurso do (Carlos) Lacerda (jornalista porta-voz da oposição ao segundo governo Getúlio Vargas, na década de 50", disse. O programa de TV de Dilma veiculado nesta tarde afirma que Marina conta com uma base de apoio de 33 deputados, número insuficiente para aprovar propostas legislativas. O narrador coloca em dúvida em seguida se a ex-ministra "teria jeito para negociar" e diz que o Brasil já elegeu "salvadores da pátria, chefes do partido do eu sozinho". "E a gente sabe como isso acabou", conclui o narrador, referindo-se à renúncia de Jânio Quadros e ao processo de impeachment aberto contra Collor. Albuquerque, que também é líder do PSB na Câmara, disse ainda que o discurso do medo foi usado contra o próprio ex-presidente Lula em 2002, quando adversários diziam que eleição do petista traria instabilidade econômica ao País. "Ele já se esqueceu disso." 'Lula de saias'. Albuquerque foi questionada ainda sobre as críticas do líder do PT no Senado, Humberto Costa, que afirmou hoje que o receituário econômico defendido por Marina faz dela "o Fernando Henrique Cardoso de saias". Em resposta, Albuquerque diz preferir a frase atribuída recentemente ao ex-ministro José Dirceu, preso pelo processo do mensalão e que teria dito que Marina é "o Lula de saias". "Não tem nada disso. O PT foi o primeiro a trazer um banqueiro ao Banco Central e fez muito bem", disse. Ele defendeu o programa de responsabilidade fiscal proposto pelo PSB e afirmou que o senador petista se esqueceu da Carta ao Povo Brasileiro, documento divulgado pelo ex-presidente Lula em 2002 no qual ele se comprometeu a honrar contratos e com o combate à inflação.

CONSELHO DA USP APROVA PLANO DE DEMISSÃO VOLUNTÁRIA

Após cem dias de greve de professores e funcionários, o Conselho Universitário da Universidade de São Paulo (USP) aprovou nesta terça-feira, 2, a criação de um Plano de Demissão Voluntária (PDV) e a proposta de 5,2% de reajuste para as categorias. O valor ainda precisa ser ratificado nesta quarta-feira pelo Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp). O PDV prevê a aposentadoria antecipada de 1,7 mil funcionários para aliviar os gastos da instituição. O plano, segundo a USP, representará redução de 7% no gasto da reitoria com salários. Os desligamentos, que serão incentivados com benefícios aos funcionários que aderirem, só começarão no próximo ano. Docentes não participam do plano. Segundo o reitor Marco Antonio Zago, a aprovação do PDV foi fundamental para que fosse fechada a proposta de reajuste. "Embora a economia só comece depois,  já temos uma perspectiva de melhora", disse. Para ele, é preciso enxugar o total de servidores, além de fazer transferência interna entre as unidades. "O quadro (de funcionários) é exageradamente grande para o tamanho da USP", afirmou. A proposta, no entanto, não agradou ao Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp).

EX-DIRETOR DA PETROBRAS ABRE MÃO DE RECURSOS CONTRA SUA PRISÃO

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, abriu mão de todos os pedidos de habeas corpus e recursos que havia apresentado contra o decreto de sua prisão. A desistência de Paulo Roberto Costa faz parte do acordo de delação premiada que ele fechou com a Procuradoria da República e a Justiça Federal. Alvo da Operação Lava Jato – investigação sobre super esquema de lavagem de dinheiro que pode ter alcançado R$ 10 bilhões -, Paulo Roberto Costa está preso na Polícia Federal em Curitiba, por ordem do juiz federal Sérgio Fernando Moro. Réu em duas ações criminais por lavagem de dinheiro de corrupção na Petrobrás e por destruição e ocultação de provas, Paulo Roberto Costa é investigado em outros procedimentos. Estima-se que sua pena, se condenado, poderá ultrapassar a que foi aplicada ao operador do Mensalão do PT, Marcos Valério, que pegou 40 anos e 4 meses de prisão. Contra a ordem de prisão decretada pelo juiz Moro, os antigos defensores de Costa ingressaram com sucessivos pedidos de habeas corpus. O argumento central é que a Justiça Federal no Paraná não seria a competente para cuidar do caso porque as empresas do doleiro Alberto Youssef, apontado pela Polícia Federal como parceiro de Paulo Roberto Costa, ficam sediadas em São Paulo. Os primeiros advogados do ex-diretor da Petrobrás chegaram a apresentar reclamação ao Superior Tribunal de Justiça. Em agosto, Paulo Roberto Costa contratou a advogada Beatriz Catta Preta, criminalista que ostenta em seu currículo atuação em causas de grande repercussão sobre crimes financeiros. Catta Preta já atuou, com êxito, em outros processos que abrigaram delação premiada de acusados. Foi assim com o investidor Lúcio Funaro, nos autos do processo do Mensalão do PT. Para demonstrar que está mesmo disposto a colaborar com a Justiça, Paulo Roberto Costa, orientado pela advogada, abriu mão de todos os habeas corpus e recursos que havia interposto contra sua prisão.

JORNALISTA FELIPE RECONDO PROCESSA JOAQUIM BARBOSA

O jornalista Felipe Recondo decidiu processar por danos morais o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. Em março de 2013, Barbosa ofendeu Recondo, chamando-o de “palhaço” à saída do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Irritado com a abordagem do repórter, o ministro sugeriu a ele que fosse “chafurdar no lixo”. Na ocasião, Recondo trabalhava no jornal O Estado de S. Paulo, dedicado à cobertura do STF. “Decidi entrar com esse processo porque não creio que um agente público possa agredir quem quer que seja sem que responda pelos seus atos”, disse Recondo. “Eu estou me defendendo das suspeitas que ele quis levantar sobre o meu trabalho e sobre meu profissionalismo. As únicas coisas que disponho são meu nome e minha carreira". A ação, subscrita pelos advogados Leonardo Furtado e Danyelle Galvão, foi distribuída para a 15ª Vara Cível de Brasília. Recondo preferiu não ingressar com a ação quando ainda atuava pelo jornal O Estado. Ao sair do jornal, ele decidiu processar Joaquim Barbosa. O valor da causa não foi estipulado.

LÍDER DO PT NO SENADO DIZ QUE MARINA SILVA É "FERNANDO HENRIQUE DE SAIAS"

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), fez nesta terça-feira um duro discurso no qual chamou a candidata do PSB à Presidência e ex-colega de partido, Marina Silva, de um "FHC de saias". O petista acusou Marina de agir como um "pêndulo", que se bandeia para um lado e outro, e que "vai baixar a cabeça ao mercado financeiro, deixando a política neoliberal novamente aumentar juros e voltar a inflação". "A proposta de Marina é deixar que a mão do mercado regule tudo. É dar autonomia total ao Banco Central, coisa que nem o Fernando Henrique deu. Ela, agora, propõe deixar que os tecnocratas assumam as rédeas do país. É dar prioridade à inflação mínima, como aconteceu no governo passado, chegando a 45%", criticou Costa, em discurso da tribuna do Senado. Para o petista, Marina é uma alegoria criada para ser vendida como novidade, mas tal alegoria "se travestia de velhas políticas". Ele criticou o que considera de alianças eleitorais de conveniência e disse que as "raposas" estão lá. Citou o apoio de Paulo Bornhausen, candidato ao Senado pelo PSB e filho do ex-senador Jorge Bornhausen, crítico contumaz do PT. No pronunciamento, Humberto Costa, que também é coordenador da campanha à reeleição de Dilma Rousseff em Pernambuco, explorou as incongruências de Marina. Disse que ela não aceita doações de empresas da indústria de armas enquanto o tesoureiro do PSB, Márcio França, não faz qualquer restrições a repasses. Destacou que ela não conseguiu criar seu próprio partido, o Rede Sustentabilidade, e não tem o controle da legenda que a hospeda provisoriamente, o PSB. "Que controle teria ela sobre um eventual governo? O que quero chamar atenção é para o risco dessas incongruências, a prática de pregar uma coisa e fazer outra. Essa atitude política camaleônica que não se sabe, de fato, o que esconde. É uma política errática, sem lado", disse, ao ironizar que até um vereador de Goiás conseguiu construir um partido nacional - numa referência indireta a Eurípedes Junior, presidente do PROS. O petista disse que Marina, se vencer, não teria "ninguém para governar". "Não teria base nesse Congresso, não teria aliados", afirmou.

TOFFOLI NEGA PEDIDO PARA SUSPENDER CAMPANHA DE JOSÉ ROBERTO ARRUDA

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Dias Toffoli, negou nesta terça-feira o pedido feito pelo Ministério Público Eleitoral para que a decisão da corte eleitoral fosse encaminhada à instância inferior para suspender a campanha de José Roberto Arruda. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, havia pedido em nome do Ministério Público Eleitoral que o registro de José Roberto Arruda, que pretende concorrer novamente ao governo do Distrito Federal, fosse imediatamente cancelado e a campanha, encerrada. Janot queria que o TSE comunicasse ao Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federaç a decisão da madrugada do dia 27, que negou recurso do ex-governador e manteve indeferido seu registro de candidatura nas eleições deste ano. Ao negar o pedido do Ministério Público, Toffoli apontou que a defesa de José Roberto Arrruda entrou com embargos de declaração na Corte, com pedido para que a decisão seja modificada. Ao acolher o recurso da defesa do ex-governador, o ministro relator, Henrique Neves, determinou a intimação de Arruda e da coligação União e Força para se manifestarem no prazo de três dias, prazo que ainda não se encerrou. Arruda, que lidera com folga as pesquisas de intenção de voto para governador do Distrito Federal, tenta a todo custo impedir que a Justiça casse sua candidatura.

JOSÉ SERRA CONTINUA LIDERANÇA CORRIDA PELO SENADO EM SÃO PAULO

Na disputa pela cadeira paulista no Senado, Eduardo Suplicy (PT) cresceu de 24% para 28% em uma semana e se aproximou de José Serra (PSDB), que permaneceu com 33%. O tucano ainda lidera isolado porque a margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, e a diferença entre eles é de 5 pontos. Suplicy vem em uma tendência ascendente, enquanto Serra não cresceu, apesar de ter começado a aparecer no horário eleitoral. Gilberto Kassab (PSD) oscilou de 7% para 8%. Há ainda 15% de eleitores indecisos e 10% de brancos e nulos. Os demais candidatos ao Senado somam 6%. Isso significa que a corrida pelo Senado só deve ser decidida na reta final da campanha. Não apenas porque a distância entre os favoritos é pequena, mas porque há muito espaço para conversão de eleitores. Suplicy tem um perfil de eleitorado diferente dos outros candidatos petistas. Ele vai melhor entre os de renda e escolaridade mais altas: empata com Serra no eleitorado de nível superior, e supera o tucano entre quem ganha mais de 5 salários mínimos. Serra abre vantagem entre os mais pobres e menos escolarizados – um eleitorado onde Dilma Rousseff vai melhor. À medida que se torna mais associado a Dilma e a Lula através da propaganda eleitoral, Suplicy tende a crescer nesse segmento. Hoje, só 46% dos eleitores de Dilma em São Paulo votam nele, enquanto outros 29% declaram voto no candidato a senador do PSDB. É um segmento onde o petista, teoricamente, pode crescer. Ele vem crescendo nos que ganham até 2 salários mínimos: 18%, para 21% e 25%. Mas a recíproca também é verdadeira. Apenas metade dos eleitores de Geraldo Alckmin (PSDB) declara voto em Serra para senador. Nada menos do que 23% dos alckmistas dizem que vão votar em Suplicy. Se o governador intensificar a campanha ao lado do correligionário tucano, Serra pode tomar votos do petista nesse segmento. Ou seja, tanto Serra quanto Suplicy dependem do apoio explícito e intensivo de seus colegas de partido para aumentarem suas chances na disputa.

BANCO CENTRAL E MINISTÉRIO DA FAZENDA TERÃO DE ESCLARECER O CASO DOS R$ 4 BILHÕES

Os requerimentos de pedido de informação de parlamentares ao Ministério da Fazenda e ao Banco Central sobre o "caso dos R$ 4 bilhões" foram, enfim, despachados nesta terça-feira, 02, pelo deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), primeiro vice-presidente da Câmara dos Deputados. Os requerimentos, de autoria dos deputados Antônio Imbassahy (PSDB-BA), Rubens Bueno (PPS-PR) e Antônio Faria de Sá (PTB-SP), foram assinados no dia 17 de julho, seis dias após a divulgação que o Banco Central tinha encontrado em maio nada menos do que R$ 4 bilhões em créditos da União em uma conta em separado de um banco privado nacional. O dinheiro estava em um grupamento contábil que escapava ao sistema de verificação fiscal da autoridade monetária,segundo informações do Banco Central, Os requerimentos de informações são dispositivos legais que permitem aos parlamentares acessarem informações protegidas por sigilo. As autoridades, no caso o Ministério da Fazenda e o Banco Central, têm 30 dias corridos para responder as perguntas dos parlamentares. Como os requerimentos foram despachados nesta terça-feira, Banco Central e Ministério da Fazenda têm até o dia 2 de outubro para responder as questões do Legislativo sobre o "caso dos R$ 4 bilhões".

ARÁBIA SAUDITA PRENDE 88 SUSPEITOS DE INTEGRAR A ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA AL QAEDA

Um alto oficial de segurança da Arábia Saudita informou nesta terça-feira que policiais prenderam 88 homens suspeitos de serem parte de uma célula da Al-Qaeda que planejava ataques dentro e fora do país. O porta-voz do Ministério do Interior, Mansour Al-Turki, não deu detalhes sobre os possíveis ataques, mas afirmou que 59 dos homens capturados haviam sido presos anteriormente por crimes semelhantes. Ele também disse que o grupo planejava assassinatos. Al-Turki afirmou que as forças de segurança monitoraram o grupo por meses e identificaram seus planos. Segundo ele, as prisões foram feitas nos últimos dias e a polícia está "seriamente monitorando" qualquer pessoa que possa se juntar a um grupo terrorista. A polícia informou que três dos homens são do Iêmen, um não teve a nacionalidade identificada e os demais são da Arábia Saudita. O anúncio vem em meio ao avanço do grupo extremista Estado Islâmico no Iraque e na Síria, que fez a Arábia Saudita tomar medidas mais duras contra simpatizantes que poderiam ameaçar a estabilidade do reino. Neste ano o país tornou ilegal que seus cidadãos lutem em outros países e que qualquer pessoa incentive jovens nesse tipo de ação. No final de semana, o rei saudita Abdullah alertou que extremistas poderiam atacar a Europa e os Estados Unidos se não houvesse uma forte resposta internacional ao terrorismo, em referência à ofensiva do Estado Islâmico.

MÉDICOS SEM FRONTEIRA AVISA QUE MUNDO ESTÁ PERDENDO A BATALHA CONTRA O EBOLA

A presidente da organização humanitária internacional Médicos sem Fronteiras (MSF), Jeanne Liu, disse nesta terça-feira que o mundo está “perdendo a batalha” contra a epidemia do vírus ebola, que continua progredindo na África Ocidental. “Em seis meses da pior epidemia de ebola da história, o mundo está perdendo batalha. Os líderes não estão conseguindo travar esta ameaça transnacional”, disse Jeanne Liu, durante discurso nas Nações Unidas, em Nova Iorque, divulgado pela organização humanitária. “O anúncio da Organização Mundial de Saúde (OMS), de 8 de agosto, de que a epidemia constituía uma ‘emergência de saúde pública de preocupação internacional’ não levou a uma ação decisiva e os estados uniram-se essencialmente numa coligação global de inatividade”, criticou a representante do MSF. No mesmo discurso, Jeanne Liu pediu à comunidade internacional para financiar a instalação de mais camas para uma rede regional de hospitais de campanha, o envio de pessoal médico qualificado e a distribuição de laboratórios móveis na Guiné-Conacri, em Serra Leoa e na Libéria. O vírus do ebola, para o qual não existe tratamento, nem vacina, causou, até 26 de agosto, mais de 1.500 mortes em 3.069 casos registados pela OMS. Destes casos, a Libéria registrou 694, a Guiné-Conacri 430, Serra Leoa 422 e a Nigéria seis. A OMS indicou nesta terça-feira que a epidemia fez 31 vítimas na República Democrática do Congo, esclarecendo que a doença permanece circunscrita à região Noroeste do país.

CONSUMO DE GÁS NATURAL NO BRASIL CRESCE 10,9% DE JANEIRO A JULHO

Pesquisa divulgada nesta terça-feira pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) revela que o consumo de gás natural no País subiu 10,9% nos sete  primeiros meses deste ano. Destaque para a Região Sudeste, que permanece na liderança entre os mercados consumidores de gás natural no País, com volume médio diário de 48,9 milhões de metros cúbicos dia registrado em julho. De acordo com a entidade, o consumo foi impulsionado pelas usinas termelétricas, que continuam operando à carga máxima. Em julho, o crescimento apurado foi 3,3% em comparação ao mês anterior. A geração elétrica aumentou 14,3% no acumulado janeiro/julho. O Nordeste aparece como o segundo maior mercado consumidor de gás natural no Brasil, segundo a Abegás, com 15,4 milhões de m³/dia em julho. As regiões Sul, Norte e Centro-Oeste consumiram 6,4 milhões de m³/dia, 3,5 milhões de m³/dia e 2,9 milhões de m³/dia, respectivamente. A pesquisa mostra que a utilização de gás natural pela indústria cresceu 2,1% em julho, em relação a junho, com alta de 1,44% entre janeiro e julho. O segmento automotivo acusou retração de 3,2% no consumo de gás natural este ano, até julho, e encerrou o sétimo mês de 2014 com queda de  0,02%, em relação ao mês anterior.

AÉCIO NEVES CONVOCA CÚPULA TUCANA PARA REDEFINIR ESTRATÉGIAS

Depois do desgaste provocado pelas declarações feitas pelo coordenador da campanha de Aécio Neves (PSDB), o senador José Agripino Maio (DEM), de que o tucano poderia apoiar a ex-senadora Marina Silva (PSB) no segundo turno, a cúpula tucana se reuniu na tarde desta terça-feira em São Paulo para tentar conter boatos sobre o enfraquecimento da campanha do candidato. Os cardeais tucanos, incluindo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, discutiram os efeitos da manifestação do democrata sobre uma possível aliança com a candidata do PSB no segundo turno – e como rechaçar notícias como as que relatam que Aécio poderia desistir de disputar o Palácio do Planalto. Além do episódio Agripino, a reunião do PSDB, convocada às pressas, discutur como alavancar a campanha de Aécio em São Paulo.

CALIFADO DIVULGA NOVO VÍDEO COM DECAPITAÇÃO DE OUTRO JORNALISTA AMERICANO

Ao divulgar o vídeo da execução do jornalista James Foley, há duas semanas, o grupo terrorista Estado Islâmico mostrou outro jornalista, Steven Sotloff, afirmando que sua vida dependia da próxima decisão de Barack Obama. Nesta terça-feira, os jihadistas cumpriram a ameaça ao publicar um vídeo com a decapitação de Sotloff. O vídeo, intitulado “Uma segunda mensagem para os Estados Unidos”, traz uma mensagem dita por Sotloff, que aparece novamente vestido com roupas cor de laranja e ao lado de um terrorista com o rosto coberto. O jornalista diz que está “pagando o preço” pelos ataques americanos ao grupo no Iraque. O terrorista anuncia: “da mesma forma que seus mísseis continuam a atacar nosso povo, nossa faca vai continuar a atingir o pescoço de seu povo”. Depois da execução de Foley, os Estados Unidos mantiveram os ataques aéreos contra o Estado Islâmico. Um refém britânico identificado como David Cawthorne Haines, é indicado como próxima vítima dos terroristas, que dão sequência à estratégia de chocar para tentar dissuadir as potências de atacá-los. Ontem, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, propôs uma série de medidas para combater o terror, inclusive em seu território. O plano inclui a possibilidade de reter o passaporte de suspeitos de envolvimento com o jihadismo. O governo alemão decidiu enviar armas para os curdos que combatem o Estado Islâmico no norte do Iraque.

MEDIDA PROVISÓRIA PERDE VALIDADE, MAS MANTEGA DIZ QUE REAJUSTE DA TABELA DO IMPOSTO DE RENDA ESTÁ ASSEGURADO

Ao ser questionado sobre o fim da validade da Medida Provisória (MP) 644, que determinava o reajuste da tabela do Imposto de Renda (IR) em 4,5% a partir de 2015, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que a revisão das alíquotas está garantida. A MP havia sido enviada ao Congresso em maio, em meio às comemorações do Dia do Trabalho, mas não foi votada a tempo no plenário e expirou na última sexta-feira, dia 29 de agosto. "Vamos resolver isso com nova lei. Não vamos ficar sem essa revisão da tabela", disse o ministro. Mantega, porém, não falou sobre como o governo fará para aprovar a medida no Congresso. Atualmente estão isentos do recolhimento do IR os trabalhadores que recebem até 1.787,77 reais por mês. Com o reajuste, a isenção deve passar para 1.868,22 reais. Também nesta terça-feira, Mantega  voltou a falar que haverá aumento do preço do combustível, "como todo ano". "Este ano não deve ser diferente. Ano passado tivemos dois aumentos de gasolina. Não há uma regra fixa, mas todo ano pode haver um ou dois aumentos de gasolina", declarou o ministro da Fazenda. Ele aproveitou a ocasião para dizer que o aumento do lucro e da receita das grandes empresas listadas em bolsas brasileiras no primeiro semestre sinaliza que a economia não está parada.

FENABRAVE APONTA QUEDA DE 7,43% NA VENDA DE VEÍCULOS EM AGOSTO

As vendas de automóveis e comerciais leves, caminhões e ônibus, motocicletas, implementos rodoviários, máquinas agrícolas e outros veículos emplacados atingiram 404.217 unidades em agosto, queda de 7,43% ante 436.674 unidades em julho e de 16,05% ante 481.524 unidades em igual período de 2013. As informações são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Os números da Fenabrave continuam evidenciando a piora no segmento automotivo. Entre junho em julho, a queda foi explicada, segundo muitos analistas do setor, pela Copa do Mundo, que acabou prejudicando o consumo de bens duráveis. Mas o cenário continua se deteriorando em agosto, como mostra a associação. No acumulado do ano, as vendas totais de veículos somaram 3.333.104 unidades, recuo de 8,62% sobre 3.647.456 unidades em igual período de 2013. A produção do segmento automotivo, contudo, mostra sinais de recuperação. Segundo a Pesquisa Industrial Mensal divulgada nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), houve avanço de 8,5% em julho, na comparação com o mês anterior. As vendas de autos e comerciais leves totalizaram 259.152 unidades em agosto, o que representa queda de 7,38% na comparação mensal e de 17,12% na comparação anual. No acumulado do ano, foram comercializadas 2.121.543 unidades de autos e comerciais leves, retração de 9,51% sobre 2.344.386 unidades em igual período de 2013. Já as vendas de caminhões e ônibus totalizaram 13.343 unidades, recuo de 10,89% ante julho e de 19,07% ante agosto de 2013. No acumulado do ano, as vendas de caminhões e ônibus atingiram 108.583 unidades, baixa de 13,85% sobre 126.035 unidades em igual período do ano anterior.

CÂMARA ABRE PROCESSO PARA CASSAÇÃO DE RODRIGO BETHLEM

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados abriu, nesta terça-feira, processo disciplinar contra o deputado Rodrigo Bethlem (PMDB-RJ), ex-homem forte do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB). O parlamentar operou um esquema de corrupção enquanto chefiava a Secretaria de Assistência Social da cidade desviando recursos de programas sociais. O presidente do colegiado, Ricardo Izar (PSD-SP), vai escolhe o relator do caso a partir de uma lista tríplice: Wladimir Costa (SD-BA), Paulo Freire (PR-SP) e Sérgio Moraes (PTB-RS). Apesar da abertura do processo de cassação do mandato por quebra de decoro, o Congresso segue esvaziado por causa das campanhas eleitorais. Ou seja, Bethlem dificilmente sofrerá alguma condenação neste ano já que a tramitação do processo é longa – após passar pelo conselho, o parecer ainda tem de ser votado em plenário. Nos bastidores, Bethlem aposta que será poupado e já anunciou que não disputará as eleições deste ano. Áudios e vídeos mostram Bethlem em conversas com a ex-mulher, Vanessa Felippe, afirmando que recebe mensalmente propina da ONG Tesloo, contratada para administrar o cadastro único de programas sociais da prefeitura – usado para pagamento de programas como o Bolsa Família e o Cartão Família Carioca. "Eu tenho de receita em torno de 100.000 reais por mês", afirma o peemedebista na gravação, explicando que, do contrato, retirava entre 65.000 e 70.000 reais por mês. Durante a conversa gravada, a existência de outra mesada para complementar a renda é revelada, desta vez relacionada a um contrato de fornecimento de lanches nas ONGs que prestam serviço na área social. Neste caso, o rendimento é menor – cerca de 15.000 reais, segundo afirmou o próprio deputado. "Até quando? ", pergunta Vanessa. "Até quando existir convênio", responde Bethlem sem titubear. Fica acertado pelo casal, depois de alguns bate-bocas, o pagamento de cerca de 45.000 reais por mês para Vanessa. Bethlem explica na gravação que entregará um pouco menos da metade dos seus rendimentos porque precisará de dinheiro para reestruturar a sua vida. A ex-mulher aceita a oferta. ​O pagamento da pensão era feito sempre em dinheiro vivo e entregue na casa de Vanessa pelo motorista de Bethlem. Um vídeo mostra o exato momento da entrega de uma remessa de 20.000 reais para Vanessa. A ex-mulher reclama que não aguenta mais ser paga desta forma. "Não vou mais receber dinheiro por fora e me ferrar com o imposto de renda", esbraveja para o motorista. "Já estou recebendo dinheiro por fora do Rodrigo há mais de um ano", completa.

IBGE GARANTE QUE DIVULGARÁ PESQUISA DE EMPREGO COMPLETA NESTE MÊS

A presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Wasmália Bivar, afirmou nesta terça-feira que as equipes do órgão estão trabalhando para normalizar a coleta de dados das pesquisas domiciliares, afetadas pela greve de servidores, que durou 79 dias. "Tenho feito reuniões quase semanais, justamente para acompanhar o processo de normalização após a greve", disse Wasmália: "Até o momento, a coordenação nos diz que teremos todos os indicadores atrasados da PME". A Pesquisa Mensal de Emprego (PME) foi divulgada parcialmente em maio, junho e julho. Apenas quatro das seis regiões metropolitanas tiveram os dados apurados a tempo. Porto Alegre e Salvador foram afetadas pela paralisação dos servidores. Mesmo assim, o IBGE anunciou que divulgará os dados completos juntamente com a PME de agosto, previstos para o próximo dia 25 de setembro. "Embora a greve tenha sido parcial e nunca tenha envolvido mais que 25% dos funcionários, não foi uniforme nos Estados", explicou Wasmália.

LÍDER DA IGREJA SARA NOSSA TERRA ANUNCIA APOIO A MARINA SILVA

O bispo Robson Rodovalho, líder da igreja Sara Nossa Terra, anunciou nesta terça-feira apoio à candidatura de Marina Silva (PSB) à Presidência. Ex-deputado pelo DEM, Rodovalho é uma das poucas lideranças evangélicas que ainda não haviam se posicionado nestas eleições. O apoio foi definido após a candidata do PSB recuar e modificar o trecho de seu programa de governo que defendia o casamento gay. "Esse movimento da candidata Marina sinalizou sua firme decisão de dialogar. Com isso, entendemos que a discussão sobre essas questões será travada o mais democraticamente possível, no âmbito do Congresso Nacional. Não será fruto de uma determinação, uma decisão unilateral do Executivo", diz o bispo. Fundada em 1992, a Sara Nossa Terra tem sede e presença forte no Distrito Federal, onde a candidata do PSB lidera as pesquisas de intenções de voto. O candidato do PSDB, Aécio Neves, chegou a participar de um evento da Sara Nossa Terra em 25 de julho, em São Paulo, em busca de apoio de Rodovalho. Na ocasião, o bispo e sua mulher, bispa Lúcia Rodovalho, fizeram uma oração para abençoar a campanha de Aécio Neves.

PT FINALMENTE RESOLVE ABRIR GUERRA CONTRA MARINA SILVA

O PT pretendia apresentar a candidata Dilma Rousseff como uma pessoa equilibrada e serena, digna do cargo de presidente, que se preocupa em apresentar suas realizações e evita o bate-boca eleitoral. A estratégia declarada de tocar a campanha sem confrontos diretos, entretanto, durou até a ascensão de Marina Silva (PSB). Agora, os petistas deixaram de lado os bons modos. A terça-feira foi marcada por ataques em série à ex-senadora. Dilma, que tem feito críticas moderadas à adversária, manteve o tom dos ataques – e deve seguir assim. Pela manhã, em ato político com Lula em São Bernardo do Campo, reduto petista na Grande São Paulo, referiu-se a Marina em um palanque nominalmente pela primeira vez. "O que nos separa e distingue da Marina e dos demais adversários é que colocamos no centro de nossas preocupações as pessoas e a questão do emprego", disse: "Eles preferem propor medidas de arrocho salarial e que vão levar necessariamente ao desemprego". A parte mais pesada dos ataques será feita de forma desvinculada da presidente. A estratégia ficou clara ao longo do dia. Na propaganda da candidata na televisão, Marina agora é comparada a Jânio Quadros e Fernando Collor – o mesmo Collor que disputa uma vaga no Senado com o apoio de Dilma. Mas quem faz a comparação é um locutor, e não a petista. Enquanto isso, o site Muda Mais, chefiado pelo ex-ministro Franklin Martins e vinculado ao PT, deixou de lado o tucano Aécio Neves para atingir Marina Silva. Ela é apresentada como “a candidata das erratas”, graças às mudanças em seu programa de governo. Nas redes sociais, os perfis do Muda Mais também ajustam a mira: “Marina claramente não entende que para governar o Brasil, é preciso ter maioria no Congresso”, diz uma postagem. No Congresso, a ofensiva ficou por conta do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE). Ele fez nesta terça-feira um discurso agressivo contra a candidata do PSB à Presidência. Costa usou expressões como “política sem lado”, “tendência ao autoritarismo”, “promessas vagas”, “ameaça ao nosso futuro” para criticar vários pontos defendidos pela candidata, que foi citada como alguém sem ideias claras e sem condições de governar o Brasil. “Isso demonstra a fraqueza da chapa presidencial de Marina, que, refutando tudo e todos, não teria ninguém para governar caso vencesse a eleição. Não teria base neste Congresso, não teria aliados, não teria apoios para aprovar projetos e jogaria o Brasil em uma paralisia extremamente perigosa”, disse ele. O petista também afirmou que a “nova política” pregada por Marina é uma farsa. “É só observar os seus palanques regionais, as raposas estão todas lá – o ex-senador Mão Santa, o filho do ex-senador Bornhausen, que queria acabar com a raça do PT e tantas e tantas figuras agora transformadas em instrumentos da nova política no nosso País”, disse Costa. O líder do PSB no Senado, Rodrigo Rollemberg (DF) reagiu: “A população brasileira não aceita mais esse tipo de terrorismo, e quero relembrar que o ex-presidente Lula também foi vítima desse tipo de preconceito e ameaça”, afirmou o parlamentar.

MARINA DIZ QUE TRAJETÓRIA DE DILMA - E NÃO A DELA - LEMBRA A DE COLLOR

A candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva, reagiu na tarde desta terça-feira à artilharia do PT e da campanha de Dilma Rousseff (PT), que a comparou aos ex-presidentes Jânio Quadros e Fernando Collor de Melo – ainda que este último seja aliado do próprio PT e da presidente Dilma. No programa eleitoral, a campanha petista sugeriu que, se eleita, Marina não teria apoio dos partidos no Congresso para aprovar projetos e provocou: "O Brasil elegeu dois salvadores da pátria. E a gente sabe como isso terminou". Questionada sobre a campanha de Dilma na TV durante sabatina promovida pelo jornal O Estado de S. Paulo, a ex-senadora rebateu: “A sociedade brasileira me conhece, sabe o que eu defendo. Fui vereadora, deputada, senadora por dezesseis anos, ministra do Meio Ambiente. Imagine se eu dissesse que uma pessoa que nunca foi eleita nem vereadora fosse eleita presidente do Brasil. Ai sim poderia parecer Collor de Mello”. Não parou por aí. Questionada sobre as críticas dos seus adversários ao recuo no capítulo que apoiava o casamento gay em seu programa de governo, Marina alfinetou: “É muito fácil dar a opinião sobre o programa dos concorrentes e não apresentar o seu próprio programa. Quem ganha, sem ao menos dizer claramente o que vai fazer, corre o risco de quando ganhar fazer aquilo que a sociedade não quer”. A candidata do PSB também criticou Aécio, que anunciou o nome do ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga, como seu futuro ministro da Fazenda se for eleito. “Eu acho muito temerário esse negócio de andar de salto alto nomeando ministros antes de ser eleito. Primeiro você tem que ser nomeado pelo povo presidente da República, depois você nomeia os ministros”, disse. “Se você sente uma certa insegurança do que você está fazendo e dizendo, às vezes precisa fazer esse tipo de movimento para dizer: olha, eu sei que vocês têm uma certa insegurança comigo, mas o ministro vai ser fulano, ele que está me garantindo". Questionada sobre quem seria seu ministro do Meio Ambiente, caso seja eleita, Marina respondeu com bom humor: “Pode ficar tranquilo, eu vou ser presidente da República, não vou ser eu”, brincou.

AÉCIO NEVES DIZ: "MARINA É UMA METAMORFOSE AMBULANTE"

Alijado do confronto direto entre Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB), o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, resolveu atender aos apelos de integrantes de sua campanha e disparou contra a adversária do PSB, que lhe tomou o segundo lugar nas pesquisas. "O improviso não é o melhor conselheiro. De um lado, temos um governo que reage aos índices das pesquisas alterando as suas convicções, com certo desespero, o que não é bom. Do outro lado, o que vejo é uma candidatura que mais se assemelha a uma metamorfose ambulante, que altera suas convicções ao sabor das circunstâncias", afirmou. "Em qual Marina o eleitor pretende votar, a que ataca ou a que foi do PT? A que defende os pilares macroeconômicos ou a que votou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal  no Congresso Nacional quando era do PT? É a Marina que se calou no escândalo do mensalão e continuou no governo petista?", disse. Aécio voltou a acusar Marina de copiar o modelo de gestão tucano. Ele entregou uma cópia do Plano Nacional de Direitos Humanos de 2002, redigido durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, no qual quatro trechos são similares aos da atual cartilha do PSB. "Surpreende que o capítulo sobre direitos humanos do seu programa de governo seja uma cópia fiel do PNDH do governo Fernando Henrique, inclusive com prefácio de sua autoria (referindo-se a FHC). Não tiveram sequer o cuidado de alterar palavras. Essa é mais uma sinalização do improviso que ronda essa candidatura. Ela poderia ter pelo menos dado crédito aos autores verdadeiros". "Temos quadros extraordinários, não precisamos buscar olhando por cima do muro do vizinho para encontrar", disse. Com a campanha em crise, Aécio Neves reuniu aliados nesta terça-feira em São Paulo para traçar um plano de reação. Questionado por jornalistas sobre a possibilidade de desistir da disputa, Aécio ironizou: "Renúncia? Eu espero que a presidente não renuncie porque gostaria muito de enfrentá-la no segundo turno", disse.

PESQUISA IBOPE NO RIO DE JANEIRO MOSTRA GAROTINHO NA LIDERANÇA EM CENÁRIO INALTERADO

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira mostra o cenário inalterado no Rio de Janeiro desde a semana passada. O ex-governador Anthony Garotinho (PR) continua à frente da disputa pelo governo estadual com 27% das intenções de voto, um ponto porcentual a menos do que na sondagem anterior. Na sequência, aparece o atual governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), candidato à reeleição, com 19% das preferências – tinha 18% na rodada anterior –, em empate técnico com o senador Marcelo Crivella (PRB), que também oscilou positivamente um ponto e agora marca 17%. O senador Lindbergh Farias (PT) atingiu 11% das intenções de voto – tinha 12%. O instituto ouviu 1.610 eleitores em 44 municípios do Estado do Rio de Janeiro, entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pela TV Globo e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo Nº BR-00491/2014. O instituto também simulou um eventual segundo turno. Garotinho empataria com Crivella, com 34% das intenções de voto. Pezão e Garotinho também ficariam na mesma posição, com 35% das preferências. Garotinho marcou 37% contra 31% de Lindbergh. No Senado, Romário (PSB) ganhou três pontos porcentuais, marcando 40%, enquanto Cesar Maia (DEM) perdeu três pontos, chegando a 19%. Eduardo Serra (PCB) continua com 5%, e Carlos Lupi (PDT) mantém 3% das preferências.

NO IBOPE: ALCKMIN CONTINUA A VENCER NO PRIMEIRO TURNO

Alvo de ataques dos adversários nas últimas duas semanas na campanha na televisão e em debate, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) perdeu três pontos porcentuais na nova rodada da pesquisa Ibope, mas ainda seria reeleito no primeiro turno, com 47% das intenções de voto. Segundo o levantamento, encomendado pela TV Globo e o jornal Estado de S. Paulo, Paulo Skaf, do PMDB, tem 23%, três pontos a mais do que na sondagem anterior, divulgada na semana passada. O petista Alexandre Padilha marca 7% – tinha 5%. O instituto ouviu 1.806 eleitores, nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, em 87 municípios paulistas. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. A pesquisa está registrada sob o número BR00492/2014.

MARINA SILVA ESTÁ NA FRENTE DE DILMA EM SÃO PAULO E NO RIO DE JANEIRO

Pesquisas Ibope realizadas em São Paulo e no Rio de Janeiro mostram como está a corrida à Presidência da República nos dois estados. O nível de confiança das duas pesquisas, feitas entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro, é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos percentuais, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. Marina Silva (PSB) está na frente nos dois estados – no Rio de Janeiro, ela ultrapassou a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT); em São Paulo, aumentou a vantagem sobre ela e sobre o adversário Aécio Neves (PSDB).
Confira os números:
São Paulo
Marina Silva (PSB) – 39%
Dilma Rousseff (PT) – 23%
Aécio Neves (PSDB) – 17%
Pastor Everaldo (PSC) – 2%
Eduardo Jorge (PV) – 1%
Outros com menos de 1% – 1%
Branco/nulo – 7%
Não sabe/não respondeu – 10%
O Ibope ouviu 1.806 eleitores em 87 municípios de SP. A pesquisa, encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S.Paulo”, está registrada no TRE-SP sob o número 00021/2014 e no TSE sob o número 00492/2014.
Ro de Janeiro
Marina Silva (PSB) – 38%
Dilma Rousseff (PT) – 32%
Aécio Neves (PSDB) – 11%
Pastor Everaldo (PSC) – 2%
Outros com menos de 1% – 1%
Brancos e nulos – 10%
Não sabe ou não respondeu – 6%
O Ibope ouviu 1.610 eleitores em 44 municípios de RJ. A pesquisa, encomendada pela TV Globo, está registrada no TRE-RJ sob o número 00026/2014 e no TSE sob o número 00491/2014.

PETISTAS QUEREM, AGORA, DE UM LADO, COLAR EM MARINA A PECHA DE "EVANGÉLICA ANTIGAY" E, DE OUTRO, DAR BENEFÍCIOS FISCAIS A....IGREJAS EVANGÉLICAS. É O DESESPERO!

Os petistas estão de tal sorte desorientados com Marina Silva que começam a bater cabeça e a tomar atitudes desencontradas. Não sabem mais o que fazer. A turma se prepara agora para tomar duas iniciativas: uma mais ligada ao âmbito da campanha e outra à do governo propriamente.

Como se viu e se comentou aqui, Marina Silva pediu uma correção do programa divulgado no capítulo que diz respeito aos direitos dos homossexuais, que a linguagem “militantemente correta” chama “GLBT”. A primeira versão falava em apoiar o casamento gay, o PLC 122, que criminaliza a homofobia, e uma outra proposta aloprada, dos deputados Jean Wyllys (PSOL-RJ) e Érika Kokay (PT-DF), que transforma o, digamos, sexo civil numa questão de opinião. Na prática, se o Jurandir, de pênis, barba e pelo no peito, disser que é mulher e se chama Kelley, o poder público tem de aceitar. E se ele decidir ser Jurandir de novo? Aí destroca. Com a autorização dos pais, até um menor de idade poderá escolher livremente a sua “identidade sexual”. É coisa de hospício.
Na nova versão, fala-se em dar consequência legal à igualdade da união civil entre homo e heterossexuais e ponto. E o resto que fique — como deve ser, aliás — para o Congresso. Luciana Genro, do PSOL, decidiu no debate de ontem pegar no pé de Marina com essa história, atribuindo a alteração do programa à religião da candidata do PSB, que é evangélica. Com adversários assim, só resta à ex-senadora erguer as mãos para o céu.
Tais causas estão longe de ser exatamente populares. De resto, o programa de Marina, reitere-se, contempla o apoio à chamada “comunidade GLTB”, abstendo-se apenas do proselitismo. Se existem defeitos na sua proposta — e os há, às pencas — não é esse. O tal PLC 122, por exemplo, é, sim, autoritário. Mas o PT sentiu que dá para fazer uma onda, contando com o apoio de um grupo muito organizado, que agora vai tentar ligar Marina à homofobia. É desespero de causa. Há quatro anos, fez-se o mesmo com o tucano José Serra. Os petistas insistem em fazer a história voltar para trás. Não sei, não… Tendo a achar que isso mais rende votos a Marina do que tira.
De um lado, então, o PT vai tentar colar em Marina a pecha de evangélica atrasada e inimiga dos gays. De outro, informa a Folha, “o governo elabora um conjunto de ações com medidas que incluem o atendimento a uma das principais bandeiras evangélicas no Congresso: o apoio à Lei Geral das Religiões”. Em que consiste?
O governo pretende “desengavetar um projeto, proposto em 2009 e há mais de um ano parado em uma comissão do Senado, para conceder diversos benefícios a instituições religiosas, entre eles tributários”. Isso faria parte de um “pacote anti-Marina”.
Deixem-me ver se entendi direito: o conjunto, então, das ações contra a candidata do PSB prevê demonizá-la como evangélica radical e antigay e, ao mesmo tempo, acenar a essa corrente religiosa com benefícios tributários. Sabem o nome disso? Desespero.
Em 2010, o PT, com o auxílio de amplos setores da imprensa, fez uma lambança danada para colar em Serra a pecha de adversário dos gays, o que era, para dizer pouco, uma canalhice quando se considera o seu trabalho como ministro da Saúde e como governador. Sem saída, os petistas insistem nessa tecla, roubando até o discurso de Luciana Genro… Longe das câmeras, suponho que Marina Silva gargalhe de vez em quando. Se acontecer, ela gargalha é do PT. Por Reinaldo Azevedo

TRE BARRA CANDIDATURA DE LUIZ MOURA, O DEPUTADO PETISTA INVESTIGADO POR LIGAÇÃO COM O PCC

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) barrou na segunda-feira a candidatura do deputado estadual Luiz Moura (PT), investigado pelo Ministério Público por ligação com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). No auge de uma greve-surpresa de motoristas e cobradores de ônibus que travou São Paulo em junho, veio a público a informação de que Luiz Moura havia sido flagrado por policiais em uma reunião com sindicalistas na garagem de uma cooperativa na qual também estavam dezoito membros do PCC. Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) apuravam os ataques incendiários a ônibus na cidade.

Em agosto, o Diretório Estadual do PT aprovou a expulsão de Moura, mas a decisão partidária foi suspensa porque o parlamentar recorreu ao Diretório Nacional, que ainda não emitiu parecer sobre o caso.
Na segunda-feira, o plenário do TRE-SP indeferiu por unanimidade – 5 votos a 0 – o registro de candidatura do deputado estadual, que acompanhou o julgamento na plateia. A Justiça constatou inconsistências na documentação apresentada por Moura, como diferenças entre a assinatura no RG dele e a que consta na declaração de bens, documento do qual Moura omitiu a posse de um posto de gasolina avaliado em 300.000 reais, conforme o site de VEJA revelou. A procuradoria eleitoral também contestou o fato de o deputado não ter sido escolhido na convenção do partido para concorrer a um segundo mandato. À época do encontro, em junho, Moura estava suspenso por sessenta dias e por isso não participou da convenção estadual.
No entendimento da desembargadora Diva Malerbi, o principal motivo que sustentou a impugnação é o fato de o deputado não ter participado da convenção do diretório paulista, que lançou as candidaturas dos candidatos ao Executivo e Legislativo em São Paulo. Ela ainda lembrou que na convenção foi homologada a candidatura de Iduigues Martins, que concorre a uma vaga na Assembleia Legislativa com o mesmo número usado por Moura. “A jurisprudência do TSE vai no sentido que a escolha por convenção partidária é um quesito indispensável ao deferimento da candidatura”, disse a juíza eleitoral.
Além disso, ela declarou em seu voto que o deputado não entregou toda documentação necessária para o TRE e que é impossível alguém se candidatar sem partido, uma vez que o deputado foi expulso do diretório paulista do PT. Os outros quatro desembargadores seguiram o seu voto e decidiram pela impugnação.
O advogado de Luiz Moura, João de Oliveira, disse que a decisão do TRE foi “equivocada” e que vai apelar na Justiça Comum para reverter o indeferimento. “Claramente o TRE não acatou a decisão da Justiça comum”, disse o advogado, referindo-se à liminar concedida no TJ que reconhecia os efeitos da convenção com a condição de que Moura pudesse concorrer nas eleições deste ano.
Logo após a decisão, o parlamentar retirou-se rapidamente do tribunal e disse que se sentiu injustiçado pelo PT, que o suspendeu e entregou o seu número – 13.800 – para outro candidato a deputado estadual, Iduigues Martins. O advogado de Moura disse que vai recorrer da decisão na Justiça comum para tentar manter sua candidatura à reeleição na Assembleia Legislativa.

RÚSSIA ANUNCIA CONSTRUÇÃO DE GASODUTO ATÉ A CHINA

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou nesta segunda-feira o início da construção de um gasoduto que permitirá, pela primeira vez, exportar gás russo para a China. Chamado "Força Siberiana", o gasoduto terá 3.968 quilômetros, do oeste da Sibéria até o extremo oriente, e uma capacidade prevista de 61 bilhões de metros cúbicos. A construção do empreendimento e da infraestrutura adjacente custará cerca de 55 bilhões de dólares e permitirá que a Rússia cumpra o acordo assinado com Pequim em maio para o fornecimento de gás ao país. A economia russa depende, em grande parte, da renda obtida com a venda de hidrocarbonetos. "Hoje lançamos o maior projeto de construção do mundo", disse Putin na cerimônia de inauguração do gasoduto nas proximidades da cidade siberiana de Yakutsk. O contrato entre ambos países tem validade de 30 anos, com entregas de 38 bilhões de metros cúbicos por ano a partir de 2018 e por um valor estimado de 400 bilhões de dólares neste período. A Gazprom, operadora russa de gás, quer ampliar sua presença na Ásia graças a este gasoduto e à construção de uma fábrica de gás liquefeito na cidade de Vladivostok. Segundo Valeri Nesterov, analista do Sberbank CIB, o novo gasoduto "permitirá estabilizar a situação financeira da Gazprom, ameaçada pelo aumento da concorrência e, em consequência disso, pela queda de preços".

FALA DE AGRIPINO MAIA CAUSA MAL-ESTAR NA CAMPANHA DE AÉCIO NEVES

A declaração do senador José Agripino Maia (DEM), coordenador da campanha de Aécio Neves (PSDB), sinalizando uma aliança com Marina Silva (PSB) no segundo turno para derrotar a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT), causou mal-estar na já combalida campanha tucana e irritou alguns dirigentes do partido. Internamente, a fala do senador, que é presidente do DEM, foi interpretada como um recado para lideranças do seu partido que quiserem "jogar a toalha" nos Estados e buscar outros arranjos regionais. Questionado sobre a fala do senador, Aécio Neves disse que desconhecia a afirmação: "Eu não conheço essa declaração", afirmou o tucano. "Nós temos uma proposta para o Brasil. Por ser a melhor para o Brasil, estou plenamente confiante de que será a vitoriosa. Buscaremos o apoio da sociedade brasileira também num segundo turno. Não tenho dúvidas de que no momento de reflexão maior, da decisão do voto, vai prevalecer a nossa dentre aquelas alternativas que se colocam como mudança. Irá prevalecer aquela que é capaz de transformar esse sentimento de mudança em algo real. E melhor para a vida dos brasileiros", disse. "Temos um quadro em mutação na campanha. Da mesma forma que eu estava em segundo lugar em todas essas pesquisas lá atrás, e ninguém me perguntou se eu já me considerava no segundo turno, eu quero dizer que continuo absolutamente confiante".

CURITIBA É A CAPITAL COM MAIS FAMÍLIAS ENDIVIDADAS NO BRASIL

Curitiba foi a capital brasileira que registrou o maior nível de famílias endividadas em 2013, com um índice de 87%, segundo levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Em seguida, aparecem no ranking as cidades de Florianópolis (86%), Brasília (84%), Belém (78%) e Palmas (78%). O comprometimento da renda dos brasileiros com dívidas é evidente, também, nos dados sobre as cidades com menor nível de endividamento. As cinco capitais com os menores níveis têm, pelo menos, metade de suas famílias com algum tipo de dívida. Entre elas estão Porto Alegre (60%), Cuiabá (60%), São Paulo e Belo Horizonte, ambas com 53%, e Goiânia (46%). No geral, a fatia de famílias endividadas no Brasil acelerou para 63% no ano passado, ante 59% em 2012. No período, houve acréscimo de 770 mil famílias com algum tipo de crédito ou financiamento. O valor mensal das dívidas aumentou 8%, de 14,9 bilhões de reais para 16,1 bilhões de reais. Apesar disso, a parcela mensal das dívidas por família brasileira recuou 1,5%, ao passar de 1.869,00  reais para 1,840,00 reais. De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, essa queda contribuiu diretamente para manter o comprometimento da renda em 30%, nível considerado "razoavelmente adequado" para não sinalizar um eventual risco de estouro da inadimplência.

KPMG SE RECUSA A APROVAR AS CONTAS DO BANCO ESPÍRITO SANTO

A empresa de consultoria KPMG se recusou a aprovar o relatório e as contas do primeiro semestre do Banco Espírito Santo (BES), publicados nesta segunda-feira. Segundo ela, o maior banco de Portugal não forneceu informações adequadas sobre sua posição financeira e pode ter prejuízos adicionais. O BES teve um prejuízo de quase 3,6 bilhões de euros (10,54 bilhões de reais), muito impactado pela derrocada do império corporativo da família Espírito Santo. As perdas levaram o banco central português a anunciar no início de agosto um plano de resgate de 4,9 bilhões de euros (14,35 bilhões de reais) para o BES. Segundo a auditoria, as demonstrações financeiras do banco não continham ajustes e informações adicionais exigidas no plano de resgate. Assim, concluiu que o relatório não fornece informações adequadas sobre as operações e posição financeira da instituição. A nova administração do BES, instalada pelo banco central português em julho, suspeita de operações ilegais no banco. A autoridade monetária ordenou uma auditoria forense na instituição. A KPMG disse que as provisões feitas pelo banco para lidar com a dívida do grupo Espírito Santo vendida a seus clientes de varejo podem não ser suficientes e que a instituição poderá fazer mais contingências (reservas) que até agora não foram especificadas.