domingo, 10 de agosto de 2014

O DOLEIRO ALBERTO YOUSSEF JÁ ESTARIA DISPOSTO A FAZER DELAÇÃO PREMIADA

Informa o jornal Folha de S. Paulo - Dezesseis quilos mais magro, resultado dos quase cinco meses preso, réu em 12 processos, nos quais deve ser condenado a mais de cem anos de prisão, e com um pedido de divórcio da mulher, o doleiro Alberto Youssef enviou sinais ao Ministério Público e à Justiça de que quer fazer um acordo de delação premiada para se livrar da cadeia o quanto antes. A lei brasileira prevê redução de pena para colaboradores. Se o que revelar à Justiça ajudar a esclarecer crimes mais graves, Youssef pode até ficar livre da prisão. Foi o que aconteceu em 2007, quando o doleiro foi detido pela primeira vez, na Operação Banestado, e escapou entregando uma parte da sua clientela. A conclusão do doleiro, e da maioria dos advogados que atua na Operação Lava Jato, é que não há defesa técnica possível contra as provas que a Polícia Federal e os procuradores juntaram contra ele, Paulo Roberto Costa (ex-diretor de abastecimento da Petrobras) e cerca de 15 empreiteiras. Restam duas alternativas para a defesa, segundo cinco advogados que atuam no caso ouvidos pela Folha sob condição de anonimato: tentar tirar o juiz Sergio Moro do julgamento ou tirar os processos do Paraná, onde a Lava Jato foi deflagrada. Moro é considerado um juiz duríssimo, mas com um preparo técnico praticamente imbatível em questões de crime financeiro e lavagem de dinheiro. As duas hipóteses são remotas, pois o Supremo já decidiu que o caso deve ficar na Justiça do Paraná. O doleiro foi preso em 17 de março pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, sob a acusação de comandar um esquema de lavagem de dinheiro que movimentou R$ 10 bilhões em quatro anos e tinha ramificações na Petrobras, no Ministério da Saúde e em partidos como PT, PP e SDD. Youssef levava uma vida de milionário antes de ser preso. Morava em um apartamento comprado por R$ 3,5 milhões na Vila Nova Conceição, im dos bairros mais caros de São Paulo; tinha três hotéis, uma rede de agência de viagens e helicóptero, e convivia com altos executivos de empreiteiras. Com um deles costumava beber o vinho Vega Sicilia, que, em algumas safras, custa R$ 2.000,00. Uma cifra apurada pelos procuradores que atuam na Operação Lava Jato traduz, em parte, o porte que Alberto Youssef atingira. Ele remeteu US$ 444,7 milhões (o equivalente a pouco mais de R$ 1 bilhão) para fora do País entre junho de 2011 e março deste ano, em uma média de US$ 150 milhões ao ano. É um volume equivalente a um banco de médio porte. A maior dificuldade para que a colaboração de Youssef seja aceita é que sua credibilidade tende a zero. As razões da baixa credibilidade é que ele não contou tudo o que sabia na delação premiada que fez em 2007 e não cumpriu a promessa de que não voltaria a atuar no mercado de dólar. A avaliação da Polícia Federal e dos procuradores é que Youssef usou a primeira delação premiada como alavanca para elevar sua participação no mercado. A estratégia que usou foi entregar os clientes menos importantes, como políticos e servidores públicos do Paraná, e preservar os grandes, como o deputado José Janene (PP-PR) que até morrer, em 2010, era o cicerone do doleiro em Brasília e em empresas como Petrobras. O plano deu certo. Youssef deixou de ser um doleiro do Paraná e passou a ter atuação em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Continuou atuando com o PP, mas conquistou aliados no PT, como o deputado federal André Vargas.

AÉCIO NEVES PROVOCA DILMA: "SOMOS MAIS DE 75% DE PESSIMISTAS"

O candidato do PSDB à Presidência da República, o senador Aécio Neves, condenou na sexta-feira a presidente-candidata Dilma Rousseff por considerar as críticas da oposição ao governo como mera expressão de "pessimismo". Em discurso na cidade de Botucatu, interior de São Paulo, Aécio Neves afirmou que é hora de Dilma "sair do casulo dos eventos programados e ir para a rua ver as pessoas". E prosseguiu: "Se ela for às ruas, vai compreender que o pessimismo não é das oposições, é dos brasileiros em relação ao seu governo, e não em relação ao País. Somos mais de 75% de pessimistas", disse o tucano. Durante visita às obras da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, Dilma voltou a tachar de pessimista a análise de especialistas sobre o desempenho econômico atual do Brasil. Aécio respondeu: "É bom que fique claro que o pessimismo não é em relação ao Brasil. Lamento que a presidente da República continue a colocar palavras na boca dos seus adversários", afirmou o tucano.

CESP DESCUMPRE ORDEM FEDERAL E RETÉM ÁGUA DE REPRESA

Em meio à estiagem que afeta o Sudeste brasileiro, a Companhia Energética de São Paulo (Cesp), controlada pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB), tem liberado na usina hidrelétrica do Rio Jaguari, entre as cidades de Jacareí e São José dos Campos, um terço do volume de água determinado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que controla a geração de energia no Brasil. Essa é a primeira vez que uma usina descumpre uma determinação do órgão federal. O Jaguari é um dos afluentes do Rio Paraíba do Sul, responsável pelo abastecimento de 15 milhões de pessoas na região do Vale do Paraíba e no Estado do Rio de Janeiro, além de alimentar a produção de energia elétrica pela Light. É da Represa Jaguari, em Igaratá, que Alckmin pretende fazer a transposição de água para a Represa Atibainha, do Sistema Cantareira, que atravessa a pior seca da história. O projeto foi anunciado pelo tucano em março e causou atrito com o governo do Rio de Janeiro. A exemplo do Cantareira, a Bacia do Rio Paraíba também passa por uma das piores estiagens da história. Em abril, o jornal O Estado de S. Paulo revelou relatório do ONS mostrando que seus mananciais podem secar até novembro. O governo paulista nega que descumpre a determinação do ONS para estocar água na Represa Jaguari, que estava com 38% da capacidade, para poder transferi-la ao Cantareira quando a obra da transposição for concluída em março de 2016 - órgãos do Rio de Janeiro foram à Justiça contra o projeto. Na semana passada, o ONS determinou que a Cesp aumentasse a vazão de água liberada na usina do Jaguari de 10 mil para 30 mil litros por segundo. A medida visaria compensar uma redução na Represa Paraibuna, situada na mesma bacia, e com só 14% da capacidade. A determinação, contudo, não foi cumprida pela companhia paulista, que já foi notificada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), responsável pela fiscalização do setor. Em nota, a secretaria afirmou que o Departamento de Água e Energia Elétrica de São Paulo (DAEE) determinou a Cesp que mantivesse a vazão de 10.000 litros por segundo na usina Jaguari "em atendimento à determinação da Lei 9.433/97, que estabelece prioridade ao abastecimento humano entre os múltiplos usos da água".

MONTADORAS JÁ DEMITIRAM 6.700 TRABALHADORES ESTE ANO

Apesar de recorrer ao lay-off e a férias coletivas, a indústria automobilística demitiu neste ano 6.700 trabalhadores, a maioria por programas de demissão voluntária. O setor emprega hoje 150.300 pessoas. A maioria deles passou, neste ano, por períodos de dispensa, como férias coletivas e folgas, medidas que continuam sendo adotadas. A partir do dia 25, a Volkswagen dará férias a 4.500 trabalhadores da fábrica de Taubaté e a Fiat também vai suspender parte da produção em Betim (MG). Quem está em "lay-off" mantém a esperança de retorno à rotina da fábrica. "Estou aproveitando a oportunidade para me dedicar aos estudos, pois não sentava num banco escolar há 18 anos", afirma Maria Idaiala, de 41 anos, que frequenta o curso de qualificação na fábrica da Mercedes-Benz. Funcionária da empresa há 15 anos, ela trabalha na área de montagem de cabines e enfrenta seu primeiro "lay-off". Com esperança de voltar ao trabalho "o mais rápido possível", Wilson Menezes Silva, funcionário da Volkswagen em São Bernardo, aproveita o tempo livre para fazer trabalhos voluntários. Com 49 anos de idade e 25 de Volks, ele produzia a Kombi, que saiu de linha.

TAYYP ERDOGAN VENCE ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS NA TURQUIA, PAÍS CAMINHA PARA A TOTAL ISLAMIZAÇÃO

Recep Tayyip Erdogan tornou-se o primeiro presidente eleito da Turquia depois de vencer as eleições neste domingo, afirmou o ministro da Justiça, Bekir Bozdag. "O presidente do Partido AKP e primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, tornou-se o primeiro presidente eleito pelo povo", escreveu Bozdag. Erdogan ganhou no primeiro turno com 54,7% dos votos, segundo resultados preliminares. Seu rival mais próximo, Ekmeleddin Ihsanoglu, ficou com 36,7% dos votos, enquanto Selahattin Demirtas aparece em terceiro, com 8,5%.

ISRAEL E TERRORISTAS DO HAMAS CONCORDAM COM NOVO CESSAR-FOGO EM GAZA

Israel e palestinos concordaram neste domingo com uma proposta do Egito de um cessar-fogo de 72 horas em Gaza com início às 21 horas locais (18 horas de Brasília), disseram líderes de ambos os lados. "Israel aceitou a proposta do Egito", disse uma autoridade israelense, acrescentando que os negociadores israelenses retornariam ao Cairo nesta segunda-feira para retomar negociações indiretas com os terroristas do Hamas palestinos caso a trégua seja respeitada. A equipe israelense voou de volta para o país na sexta-feira antes de um cessar-fogo anterior de três dias expirar, e as hostilidades no conflito, que já dura um mês, reiniciarem por conta dos terroristas islãmicos do Hamas. Um porta-voz do Hamas disse que as facções palestinas aceitaram o chamado egípcio e que as conversas no Cairo vão continuar.

AÉCIO NEVES SE DIZ "A MAIOR VÍTIMA DE ATAQUES COVARDES NA INTERNET" E COBRA ATITUDE DE DILMA

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, disse neste domingo, 10, que é a "maior vítima de ataques covardes na internet" e pediu empenho da presidente Dilma Rousseff na investigação do uso de computadores do Palácio do Planalto para alterar perfis de jornalistas na enciclopédia virtual Wikipedia. Em tom de ironia, afirmou que o slogan oficial deveria ser trocado para "o governo em que ninguém sabe de nada". Aécio Neves lembrou o episódio em que petistas presos pela Polícia Federal quando tentavam comprar um dossiê contra o tucano José Serra, na eleição de 2006, foram chamados de "aloprados" pelo então presidente e alcaguete Lula (delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr.). "A visão de setores do PT de que são donos do Estado acaba ultrapassando todos os limites e eles começam a querer ser donos das biografias, da vida das pessoas. Ninguém é mais vítima desses ataques covardes na internet que eu (...) Essa sempre foi uma arma de setores do PT, vamos lembrar dos aloprados. Vou restabelecer uma ação republicana do governo federal. Espero que a presidente da República ajude nessas apurações, senão vamos ter que trocar o slogan do governo para 'o governo em que ninguém sabe de nada'", declarou Aécio Neves. Um computador ligado à rede do Palácio do Planalto foi usado para modificar os perfis dos jornalistas Carlos Alberto Sardenberg e Miriam Leitão na Wikipédia. Aécio Neves também pediu investigação profunda das denúncias da ex-contadora do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, de que o esquema de caixa 2 e lavagem de dinheiro beneficiou pelo menos três partidos - PMDB, PT e PP.  "Todas as denúncias têm que ser investigadas e, se forem comprovadas, deve haver punição exemplar. Causam perplexidade em todos nós. O Brasil não pode viver mais no país da impunidade", declarou.

NO RIO DE JANEIRO , FILHO DE AÉCIO NEVES RECEBE ALTA DE HOSPITAL NO DIA DOS PAIS; BERNARDO E A IRMÃ GÊMEA, JÚLIA, NASCERAM PREMATUROS NO DIA 8 DE JUNHO

Candidato à Presidência da República, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) deixou neste domingo (10) a Clínica Perinatal em Laranjeiras, zona sul do Rio de Janeiro, com a mulher Letícia Weber e o filho Bernardo, de dois meses, que estava internado há 65 dias. Bernardo e a irmã gêmea, Júlia, nasceram prematuros no dia 8 de junho. A menina deixou a unidade no dia 20 de julho enquanto o bebê precisou continuar internado. “É o dia mais feliz da minha vida. Depois de 65 dias de internação, acho que os pais que tiveram filhos lutando pela vida sabem o que estou sentindo agora. Tenho que agradecer muito a Deus, a equipe médica que cuidou dele até aqui, médicos, enfermeiros, técnicos, a todos que oraram e torceram por nós”, comemorou. Aécio Neves aproveitou a ocasião para informar que pretende propor projeto para permitir que a licença maternidade comece a contar a partir da data em que o bebê tiver alta hospitalar. Ele afirmou também que pretende investir em programa de ampliação de leitos de UTIs para recém-nascidos na rede pública de saúde. “Conheci muitas mães que tiveram que largar o emprego porque o tempo de permanência do menino na UTI foi muito longo. E vamos fazer um grande programa de ampliação dos leitos de UTI neonatal pelo Brasil afora na rede pública. Isso é essencial”, explicou.

O NENÊ ROUBADO PELA DITADURA MILITAR ARGENTINA AGORA É UM HOMEM E COMEMORA A DESCOBERTA DE SUA ORIGEM: "É MÁGICO"

A avó e o neto estão finalmente juntos. Guido, neto da presidente da associação Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, concedeu na tarde de sexta-feira uma entrevista coletiva em Buenos Aires para falar sobre o encontro dos dois. "É algo maravilhoso e mágico o que está acontecendo comigo. Não é somente uma alegria minha. Eu sabia que essa resposta iria trazer alegria para muita gente. Quero que isso sirva para estimular a procura realizada por outras avós. (...) Há 48 horas sei quem sou. É um pouco novo isso", disse. Ao lado do neto, Estela afirmou: "Agradeço à vida e a Deus por este presente".  Na terça-feira, a Justiça argentina revelou que Ignacio Hurban, um músico de 36 anos, era na verdade Guido, nascido em 1978, durante a ditadura na Argentina, mas que nunca havia estado com a família. A avó esperou 36 anos para reencontrar o neto. A mãe de Guido, a terrorista montonera Laura, foi morta pelos militares meses depois de dar à luz. Nas décadas seguintes, ele foi criado por um casal da cidade de Olavarría, a 350 quilômetros de Buenos Aires. Já adulto, Guido – ou Ignacio – desconfiou da sua origem e há 18 dias resolveu se apresentar para um teste de DNA e comparar seu material genético com a base de amostras da associação. O resultado saiu na terça-feira e confirmou o parentesco com Estela, permitindo que ele pudesse começar a entender a sua história. Guido encontrou-se com a família biológica pela primeira vez na quarta-feira. "Foi maravilhoso. Quando existe amor o abraço é tão lindo", resumiu. Ele explicou que há dois meses descobriu que havia sido adotado e quis descobrir quem eram seus pais biológicos. "São como ruídos na cabeça, uma mariposa de dúvidas. Existem coisas que você não sabe, mas que no fundo sabe. Basta que você pense, procure um indício que vai te levar a começar a busca", disse. Mesmo com a descoberta, ele afirmou que pretende continuar a ser chamado de Ignacio. "Estou acostumado com meu nome e vou continuar a usá-lo. Entendo que existe uma família que me chama de Guido há 30 anos. Me sinto confortável. Basicamente, estou muito, muito feliz". Ele também elogiou os pais adotivos, que vivem em um ambiente rural. "Fui criado por um casal extraordinário, com o maior dos amores", disse. A descoberta da verdadeira origem de Ignacio pode ajudar a entender algumas de suas características, como o gosto pela música. Seu pai biológico, Walmir Oscar Montoya, que também foi assassinado pelos militares argentinos, era músico. "Sempre me perguntavam de onde vinha minha paixão pela música. Eu nunca soube responder. Agora sei", comemorou. Nos últimos dias, a imprensa argentina revelou outras coincidências. Em 2012, Ignacio comemorou em uma rede social a reunião de outro neto desaparecido com sua avó, o 106° identificado pela associação – ainda sem saber que ele seria o 114º. "As melhores coisas da vida não são coisas, neto 106", escreveu ele na ocasião. Também foi revelado que o músico fez uma apresentação há quatro anos para sua avó durante um evento organizado pelas Avós da Praça de Maio. Guido afirmou que, embora ainda esteja tentando absorver todas as novidades, compreende que seu caso vai ser visto como um "símbolo". "É uma pequena vitória em meio a uma grande derrota", disse, em referência ao fato de que ainda há centenas de filhos de presos políticos desaparecidos. O final feliz da história da família Carlotto fez o número de pessoas que procuram a associação disparar. Normalmente, o grupo é procurado por pouco mais de uma dezena de pessoas por dia. Na quinta-feira, mais de 500 pessoas entraram em contato. "Tenho sorte de ser parte desse pequeno processo de cicatrização", finalizou Guido – ou Ignacio.

ESTUDO COMPROVA QUE, SEM PT, O BRASIL PODERIA ESTAR 15% MAIS RICO; DÉCADA DE 2003-2012 FOI TEMP PERDIDO

Vinicius Carrasco (PUC-RJ), João Manuel de Pinho Mello (Insper) e Isabela Duarte (PUC-RJ) fizeram o primeiro estudo para avaliar o Brasil no período Lula e nos dois primeiros anos do governo Dilma. Os autores construíram um país "gêmeo" para cada variável a ser cotejada e extraíram dos dados a comparação entre qual poderia ter sido e qual foi o desempenho do Brasil entre 2003 e 2012. O método, segundo Carrasco e Mello, "é agnóstico". Ou seja, independe das preferências dos autores. Para confrontar a performance do PIB per capita do Brasil, por exemplo, o estudo buscou nos dados ponderados dos países da América do Sul, da Tailândia, da Turquia e da Ucrânia a síntese do "melhor grupo de comparação" ou "grupo de controle sintético". O estudo estabelece o comparativo de 85 variáveis macro e microeconômicas e setoriais. Abarca do PIB à mineração, da taxa de homicídios aos termos de troca. Os resultados são: o Brasil cresceu, investiu e poupou menos; recebeu menos investimento estrangeiro direto, adicionou menos valor na indústria, teve inflação mais alta, perdeu competitividade e produtividade e piorou a qualidade regulatória. Isso ocorreu mesmo tendo recebido "um maná externo", dado pelo boom das commodities e outro "maná interno", da demografia. "Se tivéssemos crescido em linha com os melhores grupos de comparação, estaríamos pelo menos 10% a 15% mais ricos atualmente", sugerem os autores. Por ter o Brasil ficado aquém das suas possibilidades, eles ousaram no título do trabalho - "A Década Perdida - 2003 a 2012" -, que traduz um julgamento político do período considerado. O estudo não se estendeu a 2013 por ausência de dados sobre os países dos grupos de comparação, informam os autores. Como a economia brasileira se deteriorou em termos relativos, os indicadores devem ter piorado em 2013 e 2014, sublinha Mello. É inegável, porém, que o Brasil avançou nas questões sociais e andou em linha com seu "irmão gêmeo" na distribuição da renda, no combate à subnutrição e na saúde. Na educação, ficou aquém mesmo elevando o gasto. E foi substancialmente melhor no mercado de trabalho. "Nesse caso, porém, colhemos as frutas que estavam baixas na árvore, colocamos as pessoas para trabalhar, o que aumentou a massa salarial e a renda dos trabalhadores", salientam os autores. Esse avanço, no entanto, não foi acompanhado de aumentos da produtividade e dos investimentos em capital físico e humano. Uma das constatações mais importantes, destacam, é a piora na qualidade regulatória do Brasil de 2003 para cá. "Nesse quesito, pioramos em termos absolutos", informa Carrasco: "Comprometemos inutilmente as bases da prosperidade futura piorando o arcabouço institucional do país, enquanto o melhor grupo de comparação melhorou ao longo da década". A qualidade regulatória, identifica Carrasco, começou a se deteriorar em 2003, quando o governo Lula abriu uma polêmica com a Anatel por causa da autorização de aumentos nas tarifas telefônicas de até 41,7%. Desde então a autonomia das agências reguladoras foi comprometida. O risco regulatório seria uma das razões para o aumento do custo do capital e suas consequências, como a redução dos investimentos e prejuízos para o crescimento do PIB per capita e da distribuição da renda, indica o estudo. A intermediação financeira, telecomunicações e a produção de petróleo andaram em linha com o melhor grupo de comparação ou foram além. Desenvolvida na década passada, essa metodologia foi aplicada na avaliação da performance, antes e depois, de países que entraram na União Européia, mas seu uso não é pacífico entre economistas. E vem se disseminando na medição dos mais distintos objetivos, seja dos efeitos do uso da maconha nos índices de criminalidade no Colorado (EUA) ou dos danos do terrorismo para a economia dos países bascos.

COM 4,9 BILHÕES, LUCRO DA PETROBRAS CAI 20% NO 2º TRIMESTRE

Com um resultado de R$ 4,959 bilhões no 2º trimestre deste ano, a Petrobras apresentou queda de 20% em relação ao mesmo período do ano passado. O balanço da companhia foi apresentado na nesta sexta-feira. No mesmo período do ano passado, a estatal teve lucro líquido de R$ 6,201 bilhões, revertendo prejuízo após mudar a forma de calcular o resultado. Em relação ao 1º trimestre deste ano, quando o lucro foi de R$ 5,393 bilhões, houve queda de 8%. No comunicado que acompanha o resultado, a presidente da Petrobras, Graça Foster, disse que a empresa precisa de aumento de preços dos combustíveis para ter melhor resultado. "Em paralelo aos aumentos de produção e redução de custos, buscamos a convergência dos preços de derivados no Brasil com os preços internacionais", disse, apontando que isso melhoraria os indicadores financeiros e nível de endividamento impostas a diretoria. Graça Foster aponta ainda que a queda no lucro foi impactada pelo resultado financeiro e a alta de imposto de renda. Além disso, também houve alta no custo de extração de petróleo. "Todos os anos tem correção do preço da gasolina, uns mais outros menos, todos os anos tem correção. Não teve nenhum ano que não teve aumento da gasolina, essa é a regra", afirmou o ministro na terça-feira.

ESPERANÇA DE VOTOS DO PT, O PETISTA EX-PRESIDENTE DO CORINTHIANS PODE TER LEVADO TIRO FATAL

Esperança de votos na eleição do PT para deputado federal em São Paulo, o ex-presidente do Corinthians e ex-capataz todo poderoso do Itaquerão está levando uma mordida pesada da Receita Federal. O leão mandou abrir processo criminal contra a gestão dele no clube, sob acusação de sonegação de impostos, omissão de informações sobre rendas de jogos, não recolhimento de obrigações sobre luvas de jogadores e até subtração da contribuição previdenciária dos funcionários do clube de maior torcida de São Paulo. Um rolo enorme que, todo somado, representa mais de R$ 93 milhões. Como responsável por ele, Sanchez está sendo indiciado. Juntas, as agremiações, cujos dirigentes, até aqui, eram protegidos de responsabilidade legal, somam uma dívida bilionária com as autoridades do Fisco e da Previdência. Neste momento, um grupo de clubes pressiona o governo a incluir na renegociação das dívidas o que, na prática, representaria uma anistia para as entidades e nenhuma responsabilidade para seus dirigentes. O inquérito criminal anunciado pela Receita contra Andrés já quebra o paradigma da impunidade. Na arena política o caso pode dinamitar as chances que Andrés encerra de ser um campeão de votos pelo PT. A aposta do partido é a de que, antes da revelação sobre seu modo de gestão no Corinthians, ele poderia puxar até 600 mil votos entre os eleitores paulistas. Isso abriria um coeficiente adequado para entrada de mais três ou quatro candidatos na bancada dos eleitos. Agora, o estrago que a situação poderá causar na imagem dele não pode ser calculado com exatidão.

FUNDO ESTATAL ASSUMIRÁ MALAYSIA AIRLINES E QUER REVISÃO COMPLETA DA COMPANHIA

O governo da Malásia vai realizar uma "revisão completa" na sua companhia aérea nacional em uma tentativa de reavivar a deficitária companhia após ela sofrer dois desastres aéreos em apenas quatro meses. O fundo estatal Khazanah Nasional vai assumir o controle da Malaysia Airline e está oferecendo 436 milhões de dólares por mais ações da empresa - ele já possui uma fatia. O investidor disse que precisará de cooperação "de todos os envolvidos" para realizar a reestruturação. O primeiro passo será deixar também a bolsa de valores. A intenção do governo é fechar seu capital para amenizar sua exposição à volatilidade do mercado de ações e promover as mudanças internas mais rapidamente. A ideia é reestruturar operações, cortar gastos e mudar a gestão dos negócios da empresa. É possível que rotas menos rentáveis deixem de existir, a folha de pagamentos seja reduzida com demissões e novos executivos assumam a direção. Uma mudança completa da imagem corporativa da companhia aérea, que divulgou prejuízo nos últimos três anos, pode também ser considerada, uma vez que ela precisa lidar com a confiança abalada do consumidor após as duas tragédias. As vendas da companhia caíram bastante, devido à crise de confiança que se formou ao redor da possibilidade de acidentes. Os problemas da Malaysia começaram em 8 de março, com o desaparecimento do voo MH370 com 239 passageiros e equipe. A crise da companhia aérea se aprofundou em 17 de julho, quando outra aeronave, o voo MH17, foi abatido no espaço aéreo da Ucrânia, matando todas as 298 pessoas a bordo.

EMPREGO NA INDÚSTRIA TEM PIOR RESULTADO DESDE 2009

Como reflexo da desaceleração econômica e retração da indústria, o nível de emprego no setor industrial caiu 3,1% em junho em relação ao mesmo mês do ano passado, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na sexta-feira. Nessa base de comparação, este é o maior recuo desde novembro de 2009, quando o indicador registrou queda de 3,7%. Ante maio, a ocupação da indústria recuou 0,5%, sem considerar influências temporárias. Assim, o nível de emprego na indústria brasileira caiu 2,3% no primeiro semestre de 2014 e, em 12 meses até junho, 1,9%. Considerando o nível de ocupação de junho deste ano com o do ano passado, o segmento de Refino de Petróleo e Álcool foi o que mais demitiu: o número de assalariados despencou 8,4%. Calçados e couro vieram na sequência, com queda de 7,6%. Na contramão, a indústria de produtos químicos foi uma das poucas que aumentou seu quadro de funcionários, mesmo assim, a alta foi tímida, de apenas 1,9%. Ainda segundo o instituto, o número de horas pagas aos trabalhadores da indústria caiu 1,2% entre junho e maio; 4,2% em relação ao sexto mês de 2013; 2,9% no primeiro semestre do ano; e, por fim, 2,3% no acumulado de 12 meses até junho. Por fim, o salário desses trabalhadores também sentiu os efeitos de uma economia com pé no freio e a folha de pagamento caiu 2,4% em relação a maio e 0,3% contra junho de 2013. A boa notícia é que, no ano, a remuneração dos trabalhadores subiu 1,3%.

LÍDER DO PMDB CONSTRANGE A PETISTA DILMA EM ATO COM EVANGÉLICOS

Tradicional pedra no sapato da presidente Dilma Rousseff, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), líder do PMDB na Câmara, não perdeu a oportunidade, na sexta-feira, de constranger a petista. Em evento de campanha da presidente na Assembleia de Deus do Brás, em São Paulo, Cunha, representante da bancada evangélica no Congresso, trouxe à tona temas desconfortáveis para Dilma. Disse que o Ministério da Saúde publicou uma portaria para "legalizar indiretamente" o aborto no Sistema Único de Saúde (SUS), e só desistiu da idéia por pressão da bancada religiosa. "Falo como um servo de Deus, e não como líder do PMDB. No momento seguinte à edição dessa portaria, procurei o ministro Arthur Chioro, da Saúde, relatei o problema, expus as nossas posições. O ministro, em menos de 24 horas, provavelmente consultando a senhora (Dilma), revogou a portaria. Quero agradecer pela sensibilidade de ter entendido que erros podem ser cometidos e por tê-los consertado no momento em que foram alertados", disse Eduardo Cunha do altar, ao lado de Dilma. A presidente não respondeu ao peemedebista, amigo pessoal do pastor Everaldo Pereira (PSC), da Assembléia de Deus, candidato à Presidência da República. Em outra provocação, Eduardo Cunha disse que as igrejas e o povo evangélico "não dependem de dinheiro do governo" para fazer obra social, defendem a valorização da vida e são contrários à legalização de drogas: "Os pastores querem ter a liberdade de pregar no seu culto que o homossexualismo é pecado. Isso é um direito democrático".  Eduardo Cunha foi um dos principais articuladores do chamado ‘blocão’ de deputados que emparedou o governo Dilma no começo deste ano.

ESTADOS UNIDOS PROÍBEM COMPANHIAS AÉREAS DE SOBREVOAR O ESPAÇO AÉREO DO IRAQUE

A FAA, órgão responsável pela aviação nos Estados Unidos, proibiu as companhias aéreas americanas de sobrevoarem o espaço aéreo do Iraque. A determinação foi data devido à “situação de risco potencial criada pelo confronto entre jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) e as forças de segurança do Iraque e seus aliados”. A proibição aplica-se a todas as aeronaves registradas nos Estados Unidos exceto as operadas por companhias estrangeiras. Há exceções para vôos operados com a permissão do governo americano e para situações de emergência. No dia 1º de agosto, a FAA havia limitado os sobrevôos sobre o Iraque apenas para altitudes abaixo de 30.000 pés (9.100 metros). A British Airways informou ter suspendido temporariamente os vôos sobre o Iraque e disse que vai monitorar a situação no país. Depois que um avião da Malaysia Airlines foi abatido por um míssil russo ao sobrevoar o leste da Ucrânia, várias companhias aéreas também riscaram a região de suas rotas. No Iraque, os Estados Unidos iniciaram na sexta-feira ataques aéreos contra o EIIL para evitar um “genocídio”, como destacou o presidente Barack Obama ao autorizar a ação. Os ataques foram conduzidos contra posições de artilharia controladas pelo grupo jihadista e usadas contra as forças curdas que defendem a cidade de Erbil, capital da região do Curdistão e um pólo para companhias de petróleo americanas. A Turkish Airlines, uma das principais empresas estrangeiras com vôos para o Iraque, cancelou vôos a Erbil por tempo indeterminado, por razões de segurança. Estes são os primeiros ataques aéreos dos Estados Unidos no Iraque desde a retirada das tropas americanas do território, em 2011, na tentativa de colocar um ponto final em uma longa guerra iniciada em 2003.

POLÍCIA FEDERAL INVESTIGAÇÃO SOBRE O DEPUTADO FEDERAL RODRIGO BETHLEM

A Corregedoria da Polícia Federal em Brasília será responsável pela investigação do deputado federal Rodrigo Bethlem (PMDB-RJ), homem de confiança do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), por suspeita de corrupção passiva, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. A abertura de inquérito criminal foi autorizada na quinta-feira pelo Supremo Tribunal Federal a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Bethlem comandou as secretarias de Ordem Pública, Assistência Social e Governo, de 2009 a 2014. Como ele possui foro privilegiado, apenas o procurador-geral da República pode pedir abertura de investigação criminal contra o parlamentar. O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, encaminhou o processo à Corregedoria da Polícia Federal, que investigará as viagens de Bethlem ao Exterior nos anos de 2010 e 2011. Em gravações feitas pela ex-mulher, Vanessa Felippe, o deputado disse ter uma conta bancária na Suíça, não informada à Receita Federal. Nas conversas, Bethlem admite que recebia comissões ilegais de ONGs prestadoras de serviço da prefeitura, quando chefiou a Secretaria Municipal de Assistência Social, de 2011 a 2012. Bethlem disse que tinha renda mensal de 100.000 reais, mas recebia salário de 18.000 reais mensais. O parlamentar é suspeito de receber até 80.000 reais da ONG Tesloo, que tem uma série de contratos com a secretaria municipal que Bethlem comandava.

SUPREMO AUTORIZA MENSALEIRO DO PT A CUMPRIR PENA EM CASA

O ministro Luís Roberto Barroso, novo relator do processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, autorizou o ex-tesoureiro do extinto PL (atual PR), Jacinto Lamas, a terminar de cumprir sua pena em prisão domiciliar. Condenado a cinco anos em regime semiaberto, Lamas conseguiu o direito de progressão de pena após a Justiça ter constatado que ele trabalhou e estudou enquanto cumpria sua sentença. Segundo a defesa do mensaleiro, Lamas completou três cursos de capacitação à distância e trabalhou quatro meses na empresa Mísula Engenharia. A Lei de Execução Penal prevê que o preso pode abater um dia de pena a cada doze horas de frequência escolar e um dia a cada três dias trabalhados. “Verifico a existência de dias remidos pela realização de atividades laborativas e educacionais, devidamente comprovadas e reconhecidas pelas autoridades carcerárias”, afirmou o ministro Barroso, ao autorizar a progressão de regime.

PREMIER TURCO CHAMA JORNALISTA DA REVISTA THE ECONOMIST DE "SEM-VERGONHA"

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, foi alvo de críticas na sexta-feira por chamar uma jornalista de "sem-vergonha". Amberin Zaman, que é correspondente na Turquia da revista britânica The Economist e também escreve para o diário turco Taraf, perguntou ao principal dirigente opositor, Kemal Kiliçdaroglu, durante um debate televisionado, se uma sociedade muçulmana podia questionar suas autoridades. Depois dessa pergunta, em um ato eleitoral na cidade de Malatya, na quinta-feira, Erdogan, apontado como favorito nas eleições presidenciais de 10 de agosto, se referiu a Zaman sem dizer seu nome. "Uma militante disfarçada de jornalista, uma mulher sem-vergonha [...] Lembre-se de qual é o seu lugar. A você foi dada uma caneta para escrever em um jornal [...] e insulta uma sociedade de 99% de muçulmanos", afirmou o primeiro-ministro. Em um comunicado, a The Economist disse que a "intimidação de jornalistas não tem sentido em uma democracia. Com Erdogan, a Turquia se converteu num lugar cada vez mais difícil para o jornalismo independente". O vice-primeiro-ministro Bulent Arinç também afirmou há algum tempo que "uma mulher não deve rir alto em público". Sua declaração foi alvo de muitas críticas dentro de seu próprio país, uma nação majoritariamente muçulmana, mas onde o Estado é laico. O candidato da oposição Ekmeleddin Ihsanoglu criticou Arinç, afirmando: "Precisamos ouvir a risada alegre das mulheres". Os recentes casos de corrupção envolvendo altos funcionários do governo, o autoritarismo crescente na Turquia – que chegou a proibir o uso de redes sociais – e as desastradas declarações de Erdogan não foram suficientes para lhe tirar a popularidade. De acordo com uma pesquisa do instituto Gallup divulgada nesta sexta-feira, 59% dos turcos turca aprovam a gestão do primeiro-ministro islamita.

INFLAÇÃO CRAVA 6,5% EM 12 MESES DO DESASTRADO GOVERNO DA PETISTA DILMA

O IPCA é considerado o índice oficial de inflação. É calculado com base nos gastos de famílias com rendimentos mensais entre 1 e 40 salários mínimos residentes em 12 regiões metropolitanas. A diferença em relação ao IPCA-15, considerado prévia da inflação, está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica (não mede as variações de preços em Vitória nem Campo Grande). O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou praticamente estável em julho, ao registrar variação de apenas 0,01%, desacelerando em relação a junho, quando teve alta de 0,4%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na sexta-feira. Em julho do ano passado, a inflação variou apenas 0,03%. Com isso, o acumulado em doze meses é de 6,5%, pouco abaixo dos 6,52% registrados no mesmo período até junho. Contudo, o indicador está no limite da inflação "aceitável" pelo governo, cuja meta vai de 2,5% (mínimo) a 6,5% (máximo), com centro de 4,5%. No acumulado dos sete primeiros meses do ano, a alta é de 3,76%.

AVIÕES DOS ESTADOS UNIDOS LANÇAM MAIS QUATRO ATAQUES AÉREOS NO IRAQUE CONTRA OS TERRORISTAS ISLÂMICOS DO CALIFADO

Os Estados Unidos realizaram no sábado outra série de bombardeios seletivos contra alvos do grupo jihadista Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) no norte do Iraque para proteger a minoria yazidi que vive no Curdistão, reportou a rede CNN citando informações do Pentágono. O primeiro dos ataques foi feito por aviões de combate e drones (aeronaves não tripuladas), segundo o Comando Central dos Estados Unidos, encarregado do Oriente Médio. O bombardeio teve como objetivo destruir dois veículos blindados que estavam disparando contra os yazidis perto do monte Sinjar. Alguns minutos depois, durante outro ataque, um avião americano bombardeou e destruiu outros dois veículos blindados e um caminhão armado. O terceiro ataque de sábado aconteceu quando uma aeronave americana destruiu um veículo blindado na mesma região. Na sexta-feira, duas séries de ataques aéreos americanos atingiram uma posição de artilharia do grupo jihadista, destruíram um comboio de militantes e mataram uma equipe de morteiro. Na manhã de sábado, o presidente dos Estados Unidos, o muçulmano Barack Hussein Obama, anunciou o êxito dos primeiros bombardeios seletivos contra os jihadistas do EIIL, mas reiterou a necessidade de se criar um governo de unidade no país. Obama fez um pronunciamento para analisar a situação na região autônoma do Curdistão iraquiano, após ter ordenado ataques aéreos e lançamentos de mantimentos para os cidadãos curdos cercados no Iraque. “As forças americanas realizaram ataques aéreos dirigidos contra as forças terroristas nos arredores da cidade de Erbil (capital do Curdistão) para evitar o avanço sobre a cidade e para proteger nossos diplomatas americanos e o pessoal militar”, disse o presidente americano. Segundo Obama, os ataques “destruíram com sucesso armamento e equipamentos que os terroristas poderiam ter utilizado contra Erbil”. Os Estados Unidos realizaram também duas séries de lançamentos de alimento e água para as dezenas de milhares de refugiados isolados no monte Sinjar, uma ajuda humanitária apoiada pelos governos da França e Grã-Bretanha. O Conselho de Segurança da ONU está estudando uma minuta de resolução apresentada pela Grã-Bretanha  para condenar a ofensiva jihadista no Iraque e tentar enfraquecê-la cortando suas vias de financiamento. O texto propõe congelar os ativos financeiros de vários dirigentes do EIIL e ameaça com sanções qualquer pessoa ou organização que forneça apoio à milícia terrorista sunita. A minuta adverte que os terroristas estão recrutando novos membros por meio da internet e redes sociais.

TEXTO QUE CAUSOU DEMISSÕES NO BANCO SANTANDER, POR EXIGÊNCIA DO PT, FOI FEITO PELO BANCO FATOR

O relatório que previa um cenário ruim para a economia brasileira com a reeleição de Dilma — e deu origem a quatro demissões no banco Santander — é, na verdade, uma cópia parcial de um texto escrito pelo banco Fator. Elaborado pelo economista da instituição, Paulo Gala, o relatório foi enviado a seus clientes em 9 de maio deste ano e continha as informações que foram usadas pelo Santander em sua carta aos clientes. Das seis frases do relatório do Santander, cinco foram tiradas do texto do Fator. Questionado sobre o fato, o Santander afirmou que desconhecia a existência da análise do Fator. O Fator afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não cogita entrar com acusação de plágio contra o banco espanhol. O banco Santander demitiu quatro funcionários após a divulgação da análise. Entre os demitidos está a superintendente Sinara Polycarpo, responsável pela área Select, e outros três funcionários, incluindo o que escreveu o texto enviado aos clientes. Sinara estava no Santander há mais de seis anos. Quando a análise foi divulgada na imprensa, em 25 de julho, o Santander enviou comunicado afirmando que o texto não transmitia a opinião do banco e que não era papel da instituição induzir clientes ao voto. O banco disse ainda que havia tomado providências em relação aos responsáveis. Em seguida, o presidente do PT, Rui Falcão, afirmou que se tratava de "situação inadmissível" e "terrorismo eleitoral". Já a presidente Dilma afirmou que o pedido de desculpas do Santander não havia sido suficiente. Ela queria mais — inclusive falar com o próprio presidente do banco. O ex-presidente Lula também não hesitou em opinar — usando, inclusive, palavras ofensivas. Coincidentemente, dois dias após o episódio, a prefeitura de Osasco cancelou um contrato de 2 bilhões de reais com o banco espanhol. Além de cercear o Santander, o partido também protocolou uma representação impedindo que a consultoria de investimentos Empiricus veiculasse anúncios de suas análises prevendo a economia em apuros caso a presidente Dilma ganhe nas urnas. O tiro, pelo menos contra a Empiricus, saiu pela culatra: desde a censura petista, o número de clientes da consultoria quase dobrou.

JUSTIÇA ARGENTINA ABRE MAIS UM PROCESSO CONTRA O VICE-PRESIDENTE

A Justiça da Argentina decidiu abrir na sexta-feira mais um processo contra o vice-presidente do país, Amado Boudou. Desta vez, ele vai responder por falsificação de documentos relativos à compra de um automóvel nos anos 90. A investigação sobre o caso foi aberta em 2009. Nos últimos meses, Boudou chegou a prestar um depoimento sobre o caso, em que culpou os despachantes que cuidaram da transação. Mas o juiz Claudio Bonadio acabou entendendo que Boudou usou um formulário falso e com datas alteradas para transferir para seu nome um veículo Honda CRX Del Sol ano 92. De acordo com o juiz, peritos apontaram irregularidades na documentação apresentada por Boudou à época da transferência. Não está claro por que Boudou teria cometido o crime. A Justiça suspeita que ele adiantou propositalmente a data no documento de compra de 1993 para 1992 para não ter que dividir o veículo com sua ex-mulher, registrando assim que a transação teria ocorrido antes do seu casamento. Um dos erros apontados é que na data forjada para a compra – outubro de 1992 –, o veículo nem estava na Argentina: aguardava transporte do Japão para a América Latina. Além de Boudou, a Justiça decidiu processar Agustina Seguin, uma ex-namorada de Boudou que utilizava o carro à época da tramóia, e María Graciela Taboada de Piñero, a despachante que comandou o processo. Ao se inteirar do caso, a oposição argentina aproveitou para pedir novamente o afastamento do braço direito de Cristina Kirchner. O vice já estava enrolado na Justiça por causa do chamado "Caso Ciccone", que em junho resultou na abertura de um processo criminal por suspeita de corrupção contra ele. Em julho de 2010, em investigação de vantagem comercial indevida, o Fisco argentino pediu à Justiça a quebra do sigilo da gráfica Ciccone, que mantém contratos com o governo e vende papel moeda ao Banco Central argentino. A Justiça suspendeu o pedido três meses mais tarde por solicitação da própria empresa, que negociou um plano de pagamentos de multas à Receita. Uma investigação descobriu que o Ministério da Economia, pasta então ocupada por Amado Boudou, teria pressionado o Fisco para favorecer a empresa. Depois do episódio, a companhia foi vendida para o fundo de investimentos The Old Fund, presidida por Alejandro Vandenbroele, que é apontado como testa de ferro de Boudou, embora o vínculo tenha sido negado pelo vice-presidente. Amado Boudou deixou a pasta de Economia depois das eleições de 2011 para ocupar a vice-presidência, mas as denúncias ofuscaram sua carreira política e seus planos de suceder Cristina Kirchner na Presidência do país.