sábado, 9 de agosto de 2014

PETROBRAS TRAVA EMBATE PARA TENTAR REDUZIR CONTEÚDO LOCAL DE SEUS PROJETOS

A Petrobras negocia com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a redução nos porcentuais exigidos de compra no Brasil de equipamentos e serviços para o afretamento de sondas, o chamado conteúdo local. A reclamação do setor é que o pré-sal aumentou a demanda da indústria, que não conseguiu se desenvolver como era esperado e, por isso, não será possível manter os atuais patamares de conteúdo local. O tema dominou o debate na quinta-feira durante um seminário sobre conteúdo local, promovido pela Câmara Britânica de Comércio, no Rio de Janeiro. No leilão de 2005, a Petrobras se comprometeu a comprar um mínimo de 55% a 65% em equipamento e serviços no Brasil para afretamento de sondas. Para o gerente de Conteúdo Local da Petrobras, Edival Dan Júnior, esse porcentual só deve ser alcançado em 2015, quando as primeiras embarcações de um total de 28 unidades contratadas começarem a ser entregues para explorar o pré-sal. A projeção era que, já neste ano, a indústria brasileira de equipamentos e serviços estivesse preparada para atender pelo menos à metade da demanda da Petrobras nas áreas adquiridas em 2005, na sétima rodada de licitações. Contudo, atualmente a indústria local só atende 15% da capacidade de afretamento de sondas. Diante disso, a estatal propõe a redução do conteúdo local agora, mas, se comprometeria a aumentar as compras em outras fases de desenvolvimento das áreas exploradas. Se o pedido da Petrobras for aceito, a petroleira conseguirá se livrar do pagamento de multas. Contudo, a diretora-geral da agência, Magda Chambriard, foi firme ao responder que qualquer mudança na política atual será para aumentar ainda mais as exigências e não diminui-las. "Ajustes poderão vir para reforçar a política. Cabe às empresas desenvolver a sua cadeia de fornecedores", afirmou. Gargalos no setor naval são, atualmente, as principais fontes de preocupação entre investidores e governo, que vê no setor uma oportunidade de geração de renda e emprego. O secretário executivo do Sindicato Nacional da Indústria de Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval), Sérgio Leal, diz que casos de atrasos na entrega de embarcações e de cobrança de preços maiores do que os internacionais são pontuais e "estão sendo resolvidos pelo mercado". Ele atribui o problema à carência na escolaridade da mão de obra e, consequentemente, à baixa produtividade durante a fabricação de navios nos estaleiros. O mais recente caso é o do Estaleiro Ilha S.A. (Eisa), no qual 2,5 mil funcionários estão em casa, sem receber salários.

AEROPORTOS DO BRASIL FARÃO ALERTA SOBRE O EBOLA

Aeroportos brasileiros passaram a veicular mensagens de alerta aos passageiros sobre os riscos do vírus ebola a partir deste sábado. A ação integra um pacote de medidas adotado pelo governo horas depois de a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretar a atual epidemia da doença na África Ocidental uma emergência de saúde internacional. Até agora, foram registrados 1.711 casos e 932 mortes pela infecção em Serra Leoa, Libéria, Guiné e Nigéria. Não haverá restrição de viagens para áreas afetadas. A decisão, de acordo com o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, segue as recomendações feitas pela própria OMS. Segundo ele, na avaliação do governo é improvável que exista um surto da doença no Brasil. "Não há risco de transmissão de ebola no Brasil. Não vamos fazer restrições de viagens e vamos continuar a investigação e a vigilância epidemiológica dos viajantes", afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

BANDIDO PETISTA MENSALEIRO JOSÉ GENOÍNO VAI DEIXAR A PAPUDA NA TERÇA-FEIRA

Depois de pouco mais de três meses cumprindo pena no Complexo Penitenciário da Papuda, o ex-presidente do PT, o bandido petista mensaleiro José Genoino, condenado no julgamento do Mensalão do PT, deve deixar a cadeia na terça-feira. Nessa data, ele receberá instruções sobre regras e procedimentos do regime aberto – horários para retornar à sua casa e a ressalva de que só pode deixar a cidade com autorização judicial. O petista foi autorizado a cumprir o restante da sentença em prisão domiciliar porque conseguiu abater parte do tempo da sentença trabalhando no presídio e completando cursos à distância. A Lei de Execução Penal prevê a redução de um dia de pena a cada 12 horas de frequência escolar e um dia a cada três dias trabalhados. Como o Distrito Federal não tem as chamadas casas de albergado, estabelecimento definido por lei para condenados em regime aberto, o petista será encaminhado para prisão domiciliar.

EMPRESAS FORNECEDORAS DO GOVERNO PEZÃO DOAM MILHÕES AO PMDB

Fornecedores do governo do Rio de Janeiro ajudaram a financiar as campanhas eleitorais do PMDB neste ano, segundo dados da primeira parcial de prestações de contas das campanhas entregues à Justiça Eleitoral. Em dois casos, as doações foram feitas simultaneamente à autorização de pagamentos do governo Luiz Fernando Pezão (PMDB), que tenta a reeleição. No total, prestadoras de serviço do Estado, que receberam pagamentos em 2014, doaram 7,13 milhões de reais para o Comitê e o Diretório do PMDB no Rio de Janeiro. O caso mais emblemático é o da empresa Ipê Engenharia, que obteve a prorrogação de um contrato exatamente no mesmo dia em que sua contribuição caiu na conta do Comitê Financeiro Único do PMDB. A Ipê Engenharia contribuiu até agora para as eleições com 1,5 milhão de reais em duas transferências eletrônicas, nos dias 14 e 23 de julho, destinadas ao Diretório do PMDB. Em 18 de julho, o diretório transferiu os recursos para o Comitê Financeiro Único do partido. A empresa teve a segunda prorrogação de um contrato com previsão de pagamento de 1,4 milhão de reais, pela locação de equipamentos para drenagem e pavimentação de rodovias na Região Serrana. Leonel Gonçalves da Costa Júnior, sócio da Ipê Engenharia, alegou que foi "coincidência" ter recebido a prorrogação de um contrato milionário, poucos dias depois de doar recursos para o PMDB. Ele não soube informar exatamente quais rodovias receberiam seus serviços, mas disse que o contrato garante a pavimentação e a drenagem apenas nos momentos em que houver necessidade. "Não sei dizer quem pediu a doação. Foram pessoas do partido, que a gente convive e conhece. Meu faturamento do ano passado (90 milhões de reais) permitiu fazer esse valor de contribuição”, afirmou Leonel. A Ipê faturou mais de 148 milhões de reais do governo do Rio de Janeiro entre 2013 e 2014, sendo que 5,2 milhões de reais foram desembolsados no dia 27 de junho. A construtora Colares Linhares passou por uma situação semelhante. No dia 24 de julho, garantiu 655.000 reais ao renovar um contrato, iniciado em 2010, de contenção de encostas em rodovias da Região Serrana. No dia seguinte, contribuiu com 1 milhão de reais para o Comitê Financeiro Único do PMDB. No início de junho, a Linhares já havia obtido a prorrogação de um convênio para fornecimento de equipamentos para pavimentação da malha rodoviária, por 1,4 milhão de reais. Somente neste ano, a empresa faturou pouco mais de 17 milhões de reais do governo fluminense. Outra empresa beneficiada por um aditivo, pela quinta vez no mesmo contrato, foi a Hécio Gomes Engenharia. Uma prorrogação do serviço subiu o valor da contratação para 63,7 milhões de reais no dia 16 de junho. No dia 31 de julho, a empresa contribuiu com 230 mil reais para o Comitê Financeiro Único do PMDB.  A empresa já faturou 27,1 milhões de reais do governo fluminense neste ano. Grandes empreiteiras, como a OAS e a Carioca Christiani-Nielsen Engenharia, também aparecem na lista de doadores e fornecedores do Estado. Contribuiram respectivamente com 2 milhões de reais e com 1,3 milhão de reais. A Carioca embolsou 17 milhões de reais por serviços prestados ao governo Pezão somente neste ano e é sócia do consórcio RioBarra, que atua na construção da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro. A OAS faturou diretamente 54 milhões de reais do governo fluminense, incluindo obras da construção do Arco Metropolitano, e é acionista da Invepar (operadora do metrô do Rio). Almeida e Filho Terraplenagens e Collet & Sons Engenharia também deram respectivamente 1,1 milhão de reais e 200.000 reais para o PMDB. Faturaram, pela ordem, 33,2 milhões de reais e 552.855 reais do governo do Rio de Janeiro neste ano.

SKAF DIZ QUE NÃO É DE SER "ENQUADRADO"

Após ironizar o apoio à candidata-presidente Dilma Rousseff (PT) em um vídeo de campanha, o candidato do PMDB ao governo de São Paulo, Paulo Skaf, negou nesta sexta-feira ter sido "enquadrado" pelo vice-presidente da República, Michel Temer. "Não é do meu perfil receber enquadramento de ninguém. Também não é do perfil de Temer enquadrar as pessoas. Tanto o PT como o PSDB são meus adversários. O palanque do PT é do PT, e o do PMDB é do PMDB, até para não confundir o eleitor", disse ele em sabatina promovida pelo jornal O Estado de S. Paulo. "Meu voto pessoal é para o presidente do meu partido (Michel Temer, que é candidato à vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff). Considero-o um amigo. Voto com o meu partido", afirmou. Ou seja, ele um mero silogista, fez um silogismo: não dá palanque para Dilma, mas afirma votar em Dilma. Isso é enganação pura. Fiador da candidatura de Skaf, o vice-presidente já havia afirmado publicamente que Skaf faria campanha para Dilma. Questionado se colocará a imagem da presidente em seu material de campanha, Skaf tergiversou, dizendo que a sua campanha está "focada em São Paulo". Ele está bem enquadradinho.

DECAPITAÇÕES, CRUCIFICAÇÕES, EXECUÇÕES SUMÁRIAS, É O HORROR SENDO IMPLANTADO PELOS TERRORISTAS ISLÂMICOS NO IRAQUE E NA SÍRIA

Nem mesmo crianças são poupadas da fúria selvagem dos jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL). O avanço do grupo terrorista obrigou os Estados Unidos a atacarem o território iraquiano pela primeira vez desde a retirada das tropas, em 2011. Execuções sumárias, decapitações, amputações e crucificações compõem um modus operandi de brutalidade incomensurável, que faz empalidecer até mesmo a violência da Al Qaeda. Ao ordenar a ação, o presidente muçulmano Barack Hussein Obama mencionou a necessidade de ajudar a minoria yazidi, que foi encurralada pelos terroristas em regiões montanhosas de Sinjar, onde estão morrendo de fome e sede. Essa minoria segue uma religião pré-islâmica que o EIIL vê como "demoníaca". “Crianças estão morrendo de sede, enquanto isso, o EIIL pede a destruição sistemática de toda a população yazidi, o que constituiria genocídio”, disse Obama. Em Raqqa, na Síria, o grupo expôs as cabeças de várias vítimas em postes. Em uma das gravações da selvageria postadas no YouTube, um cristão é forçado a se ajoelhar, cercado de homens mascarados que o forçam a se "converter" ao Islã. A vítima é decapitada. Em outro vídeo, um narrador afirma que os corpos expostos são de soldados sírios. Depois de proclamarem a criação de um Estado islâmico em um vasto território entre a Síria e o Iraque, extorquindo os que quiserem "proteção", os jihadistas divulgaram uma lista de regras para moradores da província de Nínive, no noroeste iraquiano. Algumas delas: “todo muçulmano será bem tratado, a menos que esteja aliado com opressores ou ajude criminosos”; “qualquer pessoa que roube ou saqueie enfrentará amputações”; “rivais políticos ou armados não serão tolerados”; “policiais e militares podem se arrepender, mas quem insistir em apostasia será morto”; “a lei da sharia será implementada”; “sepulturas e santuários serão destruídos”; “as mulheres são informadas de que a estabilidade está no lar e, por isso, não devem sair sem necessidade. Elas devem estar cobertas com vestes islâmicas completas”. E ainda, um "conselho": “seja feliz por viver em uma terra islâmica”. A maioria dos recrutados são jovens. E uma nova geração de jihadistas está sendo preparada.

PROCURADORIA DO DISTRITO FEDERAL ABRE INVESTIGAÇÃO SOBRE FRAUDE NA CPI DA PETROBRAS NO SENADO FEDERAL

A Procuradoria da República do Distrito Federal abriu investigação na sexta-feira para apurar a farsa montada por senadores  do PT e assessores do Palácio do Planalto na CPI da Petrobras no Senado Federal. Reportagem de VEJA desta semana revelou que governistas engendraram um esquema para treinar os principais depoentes à comissão de inquérito, repassando a eles previamente as perguntas que seriam feitas pelos senadores e indicando as respostas que deveriam ser dadas. O caso chegou ao Ministério Público a pedido de parlamentares da oposição. O procurador Ivan Claúdio Marx vai apurar, na esfera cível, se os envolvidos no esquema cometeram o crime de improbidade administrativa. A Procuradoria também foi notificada na área criminal, mas, nesse caso, a representação será encaminhada à Procuradoria-Geral da República pela possibilidade de ter parlamentares envolvidos no crime de fraude. A gravação mostra uma reunião entre o chefe do escritório da Petrobras em Brasília, José Eduardo Sobral Barrocas, o advogado da empresa, Bruno Ferreira, e o chefe do departamento jurídico, Leonan Calderaro Filho, para tramar a fraude no Congresso. Barrocas revela no vídeo que um gabarito foi distribuído aos depoentes mais importantes para que não entrassem em contradição. Paulo Argenta, assessor especial da Secretaria de Relações Institucionais; Marcos Rogério de Souza, assessor da liderança do governo no Senado; e Carlos Hetzel, secretário parlamentar do PT na Casa, são citados como autores das perguntas que acabariam sendo apresentadas ao ex-diretor Nestor Cerveró, apontado como o autor do “parecer falho” que levou a estatal do petróleo a aprovar a compra da refinaria de Pasadena, no Texas, um negócio que deixou prejuízo de quase 1 bilhão de dólares à empresa. Segundo Barrocas, o senador Delcídio Amaral (PT-MS), ex-presidente da CPI dos Correios, encarregou-se da aproximação com Cerveró. Relator da comissão, José Pimentel (PT-CE), a quem respondem Marcos Rogério e Carlos Hetzel, formulou 138 das 157 perguntas feitas a Cerveró na CPI e cuidou para que o gabarito chegasse ao ex-presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli.

EUROPEUS CHAMAM BRASILEIROS DE "OPORTUNISTAS" POR VENDEREM PARA RÚSSIA

Agricultores europeus acusam os exportadores brasileiros de “oportunistas” diante da crise na Rússia. Os maiores sindicatos de agricultores da Europa admitiram na quinta-feira que o embargo russo terá impacto na renda do campo na União Européia e pedem que Bruxelas leve o caso imediatamente aos tribunais da Organização Mundial do Comércio (OMC). Xavier Beulin, presidente da Federação Nacional de Sindicatos de Produtores Agrícolas da França, não poupou críticas ao Brasil. Segundo ele, a Rússia já preparou o terreno para essa medida adotada, abrindo negociações com parceiros como Brasil, Argentina e China. “É uma atitude oportunista”, acusou Beulin, que pediu uma reunião com o presidente francês François Hollande para “exigir uma resposta”. Na França, a estimativa é de que o embargo possa custar 500 milhões em exportações. Mas o sindicalista diz que Vladimir Putin agiu de forma “muito inteligente”. “Ele escolheu produtos perecíveis e que terão de ser jogados no mercado europeu agora”, comentou: “A consequência disso é não apenas a queda das exportações, mas também a redução do preço doméstico para setores como o de frutas, legumes, leite e carnes. Isso significa, portanto, uma queda na renda dos produtores". O poderoso Sindicato Agrícola Europeu apelou a uma ação na OMC, alertando que a diferenciação que os russos fazem entre produtos brasileiros e europeus é “ilegal”. A Rússia é o quinto maior importador de bens agrícolas do mundo e consome pouco mais de 2% do fluxo mundial. Em grandes cidades, 60% do consumo é de bens importados. O Brasil é o segundo maior fornecedor de bens agrícolas, superado apenas pela Bielorrússia. Na Espanha, o secretário-geral da Coordenação de Organizações Agrícolas e Pecuárias, Miguel Blanco, acusou o setor agrícola europeu de estar sendo manipulado por “considerações geopolíticas”. Segundo ele, em 2013, 43% da cota russa para alimentos foram abastecidas pela União Européia, contra apenas 8% pelo Brasil. Na Alemanha, os sindicatos alertaram que vendas no valor de pelo menos 580 milhões devem ser afetadas. Em Berlim, fontes do setor agrícola também insinuaram que o Brasil estava tirando proveito de uma guerra e de uma violação da soberania de um país, a Ucrânia. “Isso tudo só prova que, na Rússia, o comércio é uma arma política e que não existem regras”, declarou uma representante do setor privado.

GOVERNO PETISTA CONTA COM APOSENTADORIA DE MINISTRO DO TCU PARA LIVRAR GRAÇA FOSTER DE BLOQUEIO DOS SEUS BENS

O governo petista de Dilma Rousseff conta com a aposentadoria do ministro José Jorge, do Tribunal de Contas da União,  em novembro, para adiar a decisão sobre o bloqueio de bens da presidente da Petrobras, Graça Foster, pelo menos até a eleição. Na avaliação do Palácio do Planalto, um veredicto desfavorável à presidente da estatal atingiria não só a imagem da companhia, em um momento de crise econômica, como causaria danos políticos à campanha da presidente Dilma Rousseff. “Vou me aposentar, mas não vou deixar de herança esse processo”, disse José Jorge, que é relator do caso no TCU. O ministro completará 70 anos daqui a três meses e vai se aposentar por idade, mas promete apresentar o parecer sobre o assunto antes de sua última sessão no TCU, em 11 de novembro. Na prática, o governo tenta ajudar Graça Foster a conseguir se livrar do processo rapidamente, mas, se a estratégia não funcionar, a alternativa é pressionar novamente o TCU para outro adiamento da decisão. A presidente da Petrobras entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal para que seus bens não sejam bloqueados. O TCU avalia a responsabilidade de Graça Foster pelos prejuízos decorrentes da compra da refinaria de Pasadena, no Texas. No mês passado, José Jorge isentou Dilma, que era ministra da Casa Civil e presidente do Conselho de Administração da Petrobrás na época da polêmica transação, em 2006. No diagnóstico do governo, a inclusão de Graça Foster na lista dos diretores com bens bloqueados ressuscitaria a vinculação do negócio mal feito com Dilma, que pretende “vender” na campanha a imagem de boa gestora.

PETROBRAS NEGA BOATO SOBRE SAÍDA DE GRAÇA FOSTER DA PRESIDÊNCIA

A Petrobras enviou comunicado ao mercado na sexta-feira informando que seu Conselho de Administração, após reunião, manifestou-se para esclarecimento de notícias. O conselho “refuta, por inverídicas, quaisquer especulações sobre a saída da presidente da empresa, Maria das Graças Silva Foster”, de acordo com a nota enviada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O comunicado não trouxe mais detalhes.

ARMÍNIO FRAGA CRITICA "ARTIFÍCIOS" USADOS PARA CONTER INFLAÇÃO

O ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga, que esteve aconselhando o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, criticou o uso dos preços da gasolina e da eletricidade, por parte do governo petista, para controlar a inflação. O economista chamou as ações do governo de “artifícios” e afirmou que essas manobras já estão se mostrando ineficientes. “Eu não me colocaria à disposição se não estivesse profundamente incomodado, e eu estou”, disse Fraga sobre sua decisão de apoiar o tucano Aécio Neves nas eleições deste ano. O economista fala até em voltar ao governo, talvez se tornar ministro da Fazenda, se seu candidato ganhar a disputa em outubro. Embora a presidente Dilma Rousseff ainda esteja à frente nos levantamentos de intenção de voto, Aécio Neves se aproxima cada vez mais da possibilidade de um segundo turno. Fraga também criticou as intervenções do Banco Central no mercado de câmbio para controlar a alta do dólar, uma medida que chamou de “manobra populista”. O ex-presidente do Banco Central acredita que o Brasil precisa voltar ao modelo do tripé econômico, com restrição dos gastos públicos, metas de inflação e taxas de câmbio variáveis. Segundo Fraga, o País precisa focar nos fundamentos de longo prazo, como o aumento dos investimentos privados e o controle fiscal. “Nós precisamos nos livrar desses artifícios, que têm muitos efeitos colaterais, e focar no controle da inflação”, disse ele. Armínio Fraga acredita que muitos brasileiros sentem que o País está no caminho errado e que o pessimismo atual sobre a economia é bem fundamentado.

EDUARDO CAMPOS PROMETE CRIAR FUNDO PARA A SEGURANÇA PÚBLICA

O candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, prometeu na sexta-feira criar um Fundo Nacional para Segurança Pública durante agenda de campanha em Araparica, em Alagoas. O ex-governador de Pernambuco aproveitou para dirigir críticas à gestão de Dilma Rousseff, dizendo que o País precisa cuidar da segurança também depois da Copa. "Para isso nós vamos criar um fundo para ajudar os Estados e municípios que têm hoje o grande desafio de devolver a paz e a tranquilidade em todos os recantos desse país. Nós vamos colocar os recursos para ajudar na contratação de pessoal, de equipamento e soluções de tecnologia de informação", prometeu o candidato, que usou uma camisa do ASA de Arapiraca durante seu discurso. Questionado sobre de onde virão os recursos, Eduardo Campos deu uma resposta vaga. "Hoje tem recursos que são cobrados desde a aposta na loteria esportiva e outros tributos que ficam contingenciados e desviados para outras finalidades. Nós vamos respeitar a finalidade desses fundos e colocar em um fundo nacional", explicou. A ideia do candidato é usar recursos do fundo para melhorar a remuneração dos profissionais de segurança pública. Segundo ele, aqueles que apresentarem redução de criminalidade receberão gratificação financeira. "Seja no Estado que for, a União vai estar junto", prometeu.

POLÍCIA FEDERAL FAZ ESCOLTA DOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Os candidatos à Presidência da República começaram a contar nesta semana com a presença de policiais federais organizando a segurança das campanhas. Entre os quatro candidatos que lideram as pesquisas de intenção de voto, só Eduardo Campos (PSB) abriu mão da escolta oficial. A Polícia Federal é polícia política do PT, esses policiais irão espionar os candidatos a serviço do petralhismo. O que os candidatos deveriam fazer é pedir proteção do serviço secreto do Exército Nacional. Todos os candidatos à Presidência da República têm direito à requisitar proteção da Polícia Federal. Uma equipe liderada por um delegado acompanha o candidato 24 horas por dia, visita com antecedência os locais por onde o presidenciável passará, vistoria aeronaves que serão utilizadas por ele, orienta por onde o candidato deve circular nas agendas de rua e pode sugerir até alterações na rotina do presidenciável. O mais recomendável mesmo é que os candidatos providenciem segurança particular.

MÉDICOS SEM FRONTEIRAS PEDEM IMEDIATA AÇÃO DA OMS AO SURTO DE EBOLA

O diretor operacional da ong Médicos sem Fronteiras (MSF) que atua no Oeste da África, Bart Janssens, pediu que a declaração de emergência por causa do surto de ebola feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS)  seja traduzida em ação imediata. Para o diretor, vidas estão sendo perdidas porque a resposta ao surto é lenta demais. “Declarar ebola uma emergência internacional de saúde pública mostra o quão seriamente a OMS está assumindo o surto atual, mas declarações não salvam vidas", disse o diretor. Ele considera que precisam ser ampliadas ações como atendimento médico, treinamento de profissionais de saúde, controle de infecção, rastreamento das pessoas que tiveram contato com infectados e sistema de alerta. Atualmente há 66 profissionais estrangeiros e 610 locais atuando pelo Médicos Sem Fronteiras no atendimento das vítimas do ebola em Serra Leoa, na Nigéria e na Libéria: ”Todos os nossos especialistas em ebola estão mobilizados, nós simplesmente não podemos fazer mais". A OMS decretou na sexta-feira que a epidemia de febre hemorrágica pelo vírus ebola, registrada em pelo menos quatro países da África Ocidental, é emergência de saúde pública de alcance mundial. A epidemia de ebola no Oeste da África matou 961 pessoas desde o início do surto, em março. Guiné,  Serra Leoa e Libéria são os locais onde o surto está instalado, mas a Nigéria já registrou duas mortes pela doença.

IRMANDADE MUÇULMANA REALIZA GRANDE MANIFESTAÇÃO PRÓ-HAMAS NA JORDÂNIA

Mais de 15 mil apoiadores da Irmandade Muçulmana se reuniram em uma manifestação pró-Hamas na capital da Jordânia na sexta-feira, na qual muitos entoaram “morte a Israel" e exortaram o grupo terroristas islâmico a intensificar o lançamento de foguetes contra cidades israelenses. Na manifestação do final da tarde, a maior em Amã em anos, foram vistos vários jovens mascarados e vestidos com o uniforme das Brigadas Izzedine al-Qassam, a ala militar do Hamas, imitando uma parada militar, sob os aplausos da multidão. A Irmandade, contrapartida ideológica do Hamas e maior grupo político da Jordânia, procura tirar vantagem do aumento do sentimento anti-Israel resultante da ofensiva de um mês na Faixa de Gaza.

JUSTIÇA RESTABELECE VALIDADE TOTAL DE REGULAMENTO PARA O SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região restabeleceu na sexta-feira a eficácia de todos os itens do Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações (RGC). Na semana passada, uma decisão liminar desobrigou um grupo de empresas de cumprir algumas regras estabelecidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que beneficiam os consumidores. A juíza federal substituta da 21ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, Célia Regina Ody Bernardes, decidiu manter a vigência de todos os itens do regulamento, acatando recurso da Advocacia-Geral da União. A decisão anterior tinha desobrigado as empresas associadas à Telcomp de cumprir obrigações como o retorno imediato das ligações feitas aos call centers, que tenham sofrido interrupção, e a oferta para os clientes antigos dos mesmos benefícios oferecidos para captar novos clientes. Em reunião na quinta-feira (14), a diretoria da Anatel irá julgar um pedido das empresas de telefonia para escalonar a implantação das obrigações previstas no RGC.

ALAVANCAGEM DA PETROBRAS SOBE PARA 40% NO SEGUNDO TRIMESTRE

A alavancagem líquida da Petrobrás, medida pela relação entre endividamento líquido e patrimônio líquido, fechou o segundo trimestre de 2014 em 40%, novamente acima do patamar de 35% desejado pela estatal. O indicador havia rompido a barreira de 35% no terceiro trimestre do ano passado, ao atingir 36%. No trimestre seguinte, o indicador voltou a subir e chegou a 39%, número mantido no primeiro trimestre deste ano. Embora o limite de 35% de alavancagem líquida fosse defendido pelo diretor Financeiro, Almir Barbassa, a companhia já incorporou o cenário de alavancagem acentuada em suas projeções. No plano estratégico divulgado em fevereiro passado, a Petrobrás destacou que a alavancagem terá trajetória decrescente, dentro do limite de 35%, somente a partir de 2015. No mesmo plano estratégico, a companhia informou que o indicador entre dívida líquida e Ebitda ajustado cairá abaixo do limite de até 2,5 vezes igualmente a partir de 2015. Por enquanto, contudo, esse indicador continua em níveis elevados. Após atingir o patamar de 4 vezes no primeiro trimestre, a alavancagem caiu para 3,94 vezes no segundo trimestre. O indicador de alavancagem líquida ganhou importância em 2010, ano em que a estatal realizou sua megacapitalização de mais R$ 120 bilhões. Na oportunidade, uma das razões para que a Petrobrás anunciasse a operação foi justamente a preocupação de que o indicador superasse 35% e colocasse em risco a condição de grau de investimento concedido pelas agências de classificação de risco. Concluída a operação, a alavancagem da estatal caiu de 34% no segundo trimestre para 16% no terceiro trimestre de 2010. Desde então, porém, o indicador manteve trajetória ascendente até o primeiro trimestre deste ano, quando parou de subir.

ISRAEL ATACA GAZA APÓS TERRORISTAS DO HAMAS RETOMAREM DISPAROS DE FOGUETES

Israel lançou ataques aéreos contra a Faixa de Gaza na sexta-feira em resposta a foguetes palestinos, depois que conversas mediadas pelo Egito não conseguiram ampliar uma trégua de 72 horas. Mais tarde o Egito pediu uma retomada do cessar-fogo, dizendo que só falta obter concordância em alguns pontos. Uma autoridade do governo israelense declarou que seu país não irá negociar com os árabes palestinos enquanto os terroristas continuarem disparando mísseis. Os militares disseram que “terroristas de Gaza" enviaram pelo menos 57 foguetes na sexta-feira e que o sistema de interceptação “Domo de Ferro” foi usado contra alguns deles. A Jihad Islâmica e os Comitês de Resistência Popular assumiram a autoria dos disparos do enclave dominado pela organização terrorista Hamas. Israel afirmou que vários dos foguetes foram lançados cerca de quatro horas antes do final programado para a trégua, às 2 horas (horário de Brasília). Lançamentos mais intensos se seguiram pouco depois do fim do cessar-fogo. Ao retomar os ataques, os terroristas de Gaza pareceram estar tentando pressionar Israel, deixando claro estarem prontos para continuar lutando. Um terrorista da Jihad Islâmica e três outros palestinos foram mortos em ataques aéreos no sul de Gaza. Em Israel, a polícia disse que duas pessoas ficaram feridas por projéteis de morteiro vindos de Gaza.

PETROBRAS TERÁ MENOR IMPORTAÇÃO DE GASOLINA COM USO DE CONDENSADOS

A Petrobras vem intensificando o uso de uma tecnologia de produção de gasolina a partir de condensados de gás associados a novos campos de petróleo, e aposta nessa técnica para reduzir mais as compras do combustível no Exterior este ano. Alterações na logística e um crescimento menos expressivo na demanda por gasolina no País em relação ao ano passado também favorecem uma redução maior do que a projetada nas importações do combustível pela Petrobras. O movimento nas refinarias e na logística faz parte do esforço da empresa de reduzir a dependência da importação de gasolina e, consequentemente, diminuir a pressão sobre as contas da companhia. A área de Abastecimento da petroleira tem registrado prejuízos nos últimos anos pela defasagem de preços dos combustíveis em relação aos valores internacionais. Com a produção de gasolina a partir de condensados de gás, a estatal pode reduzir em 10 mil barris/dia a necessidade de importação em 2014, em relação às previsões iniciais. Historicamente, nos últimos anos, as importações de gasolina ficaram na média anual perto de 60 a 70 mil barris/dia. A Petrobras tem a expectativa de importar este ano algo perto de 200 mil barris/dia de combustíveis (gasolina e diesel), sendo 150 mil barris/dia só de diesel. Este ano a demanda por diesel e gasolina está crescendo na média em cerca de 4%, enquanto em 2013 estava acima desse patamar. A fatia do gás associado que pode se transformar em gasolina está presente em campos das bacias do Espírito Santo e Santos. Dá para produzir mais sem aumentar custos. O condensado dá para fazer boa quantidade de gasolina. A empresa aproveita tudo que é possível, e à medida que entram mais plataformas com gás associado, a produção aumenta. A estatal tem usado cada vez mais nafta para fazer gasolina, reduzindo a dependência externa do combustível.

JUIZ JULGA IMPROCEDENTE REPRESENTAÇÃO CONTRA ALCKMIN POR USO DE LINKS PATROCINADOS

O juiz auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, Marcelo Coutinho Gordo, julgou improcedente a representação contra o candidato à reeleição, governador Geraldo Alckmin (PSDB), por utilização de links patrocinados no Facebook. O juiz entendeu que, apesar da utilização desses links, as postagens não possuem elementos para serem caracterizadas como propaganda, o que seria vedado pela legislação eleitoral. Conforme a decisão, a promoção de determinada figura pública não é suficiente para caracterizar a propaganda eleitoral. É necessário, segundo o juiz, “elementos, que, ainda que de maneira velada, tencionem a incutir a idéeia de que a personalidade é a mais indicada a ocupar determinado cargo eletivo”. Para o magistrado, “é inegável que o expediente de links e posts patrocinados permitiu a potencialização de seguidores a um dos réus, detentor de cargo de Governador de Estado, e que por isso, só pela própria exposição de sua figura nos citados links deve ter atraído a curiosidade de outros tantos que se multiplicaram. Mas daí a constituir desvio eleitoral vai uma longa distância”, destacou o juiz Marcelo Gordo. A representação foi proposta pela coligação majoritária São Paulo Quer o Melhor (PMDB/PDT/PSD/PP/PROS) contra Alckmin, Facebook e Felipe Sartori Sigollo. A representante sustenta que houve propaganda eleitoral paga na rede social por meio da contratação de links patrocinados, “ao arrepio da legislação”, o que teria aumentado o número de seguidores de Alckmin.

DILMA É A CANDIDATA QUE MAIS RECEBE DOAÇÕES DO AGRONEGÓCIO

A presidente petista Dilma Rousseff, candidata à reeleição, recebeu até agora mais doações de campanha de empresas ligadas ao agronegócio do que seus concorrentes Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) juntos. Dados do Tribunal Superior Eleitoral mostram que Dilma arrecadou R$ 6,35 milhões de empresas do setor. Os recursos levantados por Aécio Neves e Eduardo Campos somam R$ 7 milhões em doações. A maior doação recebida pelo comitê de campanha da presidente e a direção nacional do PT foi da JBS (R$ 5 milhões), que tem o BNDES entre seus acionistas. Em seguida aparece a Seara (R$ 1 milhão), Laticínios Bela Vista Ltda. (R$ 350 mil), Agropecuária Nova Guaxupé Ltda (R$ 15 mil) e Fazenda Lua Nova Ltda (R$ 15 mil). O candidato do PSDB, Aécio Neves, recebeu duas doações no valor de R$ 5 milhões da JBS direto para seu comitê de campanha. O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) recebeu R$ 2 milhões repassados por empresas do agronegócio. A lista de doadores inclui JBS e Coopersucar - ambas repassaram R$ 1 milhão.

PREÇO DA ELETRICIDADE NO CURTO PRAZO NOS PRÓXIMOS DIAS CAI A R$ 658,50 NA CARGA PESADA

O valor da energia no mercado de curto prazo dado pelo Preço de Liquidação de Diferenças (PLD) caiu para 658,50 reais por megawatt-hora (MWh), na carga pesada, para a próxima semana em todas as regiões do país, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), na sexta-feira. O preço, que valerá entre os dias 9 e 15 deste mês, é cerca de 159 reais inferior ao definido pelo PLD para os últimos dias, que era de 817,53 reais, confirmando previsão da Agência Nacional de Energia Elétrica. Os valores das cargas média e leve também recuaram. Na manhã de sexta-feira, a Aneel aprovou revisão para baixo da previsão de demanda de energia no Brasil até 2018.

ESTADOS UNIDOS DIZEM QUE PODEM DAR MAIS APOIO MILITAR SE NOVO GOVERNO DO IRAQUE PRECISAR

A autorização do presidente dos Estados Unidos, o muçulmano Barack Hussein Obama, para uma ação militar limitada no Iraque, poderia eventualmente incluir mais apoio militar para as forças de segurança iraquianas, que lutam para repelir combatentes do grupo Estado Islâmico, quando o país formar um novo governo "inclusivo", disse a Casa Branca na sexta-feira. O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, afirmou que o apoio inicial dos Estados Unidos será em ataques militares para proteger funcionários norte-americanos que trabalham no Iraque, e para resolver a situação de emergência humanitária em Sinjar. Mas os Estados Unidos também têm um terceiro objetivo "relacionado com a nossa crença e compromisso de apoiar as forças de segurança iraquianas integradas e as forças de segurança enquanto elas unem o país para repelir a ameaça" representada pelos combatentes do Estado Islâmico, disse ele, reiterando que qualquer apoio dos Estados Unidos não será "prolongado" e não envolverá o envio de soldados norte-americanos para o país.

JORNALISTA MIRIAM LEITÃO DENUNCIA POLÍTICA DE ESTADO PARA SUPRIMIR LIBERDADE DE IMPRENSA

A jornalista Miriam Leitão, estrela da Rede Globo, que teve seu perfil na Wikipédia alterado a partir de um computador usado no Palácio do Planalto, deixou claro não estar satisfeita com as explicações apresentadas até agora: "É ingenuidade acreditar que uma pessoa isolada, enlouquecida, resolveu, do IP da sede do governo, achincalhar jornalistas". Ela denuncia que existe uma política de estado em curso para "suprimir a liberdade de imprensa". Não é a primeira vez que de dentro do Palácio do Planalto, delinquentes políticos do PT ousam organizar grupos de aloprados para produzir dossiês falsos contra adversários, organizar quadrilhas de achacadores e empregar campanha de insultos pela Internet. O próprio marco regulatório sobre a mídia é um exemplo disso.

DILMA SE DIZ "INDIGNADA", MAS NÃO LOCALIZA E NEM PUNE A PETRALHADA QUE CALUNIA, DIFAMA E INSULTA PELA INTERNET EM COMPUTADORES DO GOVERNO

O governo petista só não encontra os responsáveis em 24 horas se não quiser. Os IPs dos delinquentes foram localizados em computadores do Palácio do Planalto. Basta localizar a máquina exata e identificar o usuário que disparou a guerra cibernética. O governo não faz isto porque encontrará seus próprios parceiros na investigação. As notas de Dilma e as falas dos seus auxiliares são apenas conversa fiada. A presidente petista Dilma Rousseff não resistiu ao volume dos protestos e resolveu falar neste sábado sobre a denúncia de que computadores do Palácio do Planalto foram usados para alterar as biografias dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia: "Repudio integralmente. Será criada uma comissão interministerial de sindicância para se chegar aos responsáveis". Mais cedo, o tucano Aécio Neves (PSDB-MG) cobrou uma posição de Dilma: "É necessária uma palavra da presidente da República que, em última instância, é responsável pelas pessoas que nomeia e pelo que ocorre na sede do governo brasileiro". Uma comissão só terá sentido se contar com a presença de representantes do Ministério Público Federal, da OAB e da ABI, contando com prazo curto para encontrar os culpados, todos eles alojados dentro do próprio Palácio do Planalto. Na sexta-feira, depois da denúncia, o IP de um computador do Serpro foi usado para difamar jornalista. É a turma da Dilma zombando dos brasileiros. O verbete de Wikipédia da jornalista Míriam Leitão, colunista do GLOBO, sofreu nova alteração a partir de um computador do governo petista na sexta-feira. Desta vez, a sigla “LOL”, que na internet conota risos e zombarias — "laugh out loud", em inglês —, foi inserida antes do título do livro “Convém sonhar” na lista de obras escritas pela jornalista. A mudança foi feita a partir de um computador da rede do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), conforme divulgou o perfil @brwikiedits no Twitter, que monitora alterações feitas na Wikipédia a partir de Senado, STF, Câmara, Serpro, Procuradoria Geral da República, Dataprev, Petrobras, Banco Central, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. De acordo com a Wikipédia, o IP — identidade digital que permite saber de onde saíram as publicações — que realizou a alteração foi o de número 189.9.20.51. O Serpro informou que não divulga o órgão público que utiliza um de seus IPs. Segundo a assessoria, sua divulgação seria caracterizada como quebra de confidencialidade, uma vez que o artigo 8º da Lei 5.615/1970 obriga servidores da empresa a “guardar sigilo quanto aos elementos manipulados”. A jornalista Míriam Leitão, que já havia tido seu perfil modificado a partir de um computador do Palácio do Planalto, se disse indignada com a situação: "Fico muito indignada, como cidadã que lutou pela democracia, de ver o aparato público sendo usado para atacar quem quer que seja". O @brwikiedits, que divulga no Twitter quando um verbete na Wikipédia é alterado por um computador do governo, não está sozinho na empreitada. O @parliamentedits, por exemplo, presta serviço semelhante, entregando as vezes em que um computador do Parlamento inglês faz alguma modificação. O mesmo faz o @congressedits, mas com o Congresso americano. Foi este que serviu de inspiração para o desenvolvedor Pedro Felipe Melo Menezes, de 18 anos, que criou a versão brasileira do serviço no início de agosto. Morador de Natal, ele explica que buscou o registro dos provedores do governo e, a partir daí, encontrou os IPs. Sempre que há uma alteração, é seu robô que publica no Twitter. "O programa em si já existia, e seu código de programação é livre. Só precisei adaptar com os IPs brasileiros. Sou da área de TI, mas gosto muito de acompanhar a política", conta o estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Instituto Federal do Rio Grande do Norte. Segundo Menezes, todos os órgãos federais já são monitorados pela ferramenta. (O Globo)

INFRAERO QUER SE VER LIVRE DE 2.550 FUNCIONÁRIOS PELA DEMISSÃO VOLUNTÁRIA

Com a entrega, nesta segunda-feira, dos aeroportos de Confins (MG) e Galeão (RJ) aos concessionários, a estatal Infraero entrará em seu mais agudo período de "vacas magras", que deve perdurar pelo menos até 2018. A partir de 2015, a estatal, até então responsável por esses dois aeroportos, deverá dar prejuízo da ordem de R$ 450 milhões ao ano, informou o presidente da empresa, Gustavo do Vale. Com a entrega dos principais aeroportos à iniciativa privada, a Infraero perdeu a fonte de cerca de 65% das receitas que tinha até 2012. Além de Confins e Galeão, a empresa deixou de arrecadar com Guarulhos, Viracopos (SP) e Brasília. Além disso, o Augusto Severo, no Rio Grande do Norte, foi fechado depois que o aeroporto privado de São Gonçalo do Amarante começou a operar. "Mas nós não perdemos as despesas correspondentes", disse Vale. Cerca de 80% dos funcionários dos aeroportos já concedidos foram devolvidos à Infraero. Voltando, eles são readequados na própria empresa, já que até agora a opção foi não demitir. Para aliviar a situação, a empresa negocia com o Ministério do Planejamento um programa de redução do seu quadro de funcionários. A Infraero pede recursos, estimados inicialmente em R$ 750 milhões, para iniciar um Plano de Demissão Voluntária (PDV). Isso ajudaria a desligar 2,5 mil funcionários de um total pouco superior a 12 mil. A medida, explicou Vale, é necessária para equilibrar as despesas de custeio da estatal a seu novo nível de receitas: "Com 10 mil funcionários, eu equilibro receitas e despesas". Sem o PDV, a Infraero terá um prejuízo de R$ 450 milhões em 2015. A empresa, que até agora conseguia bancar o próprio funcionamento com a arrecadação de taxas próprias, precisará dessa injeção dos cofres públicos. "Pela primeira vez, precisaremos de aporte do Tesouro para pagar custeio", disse Vale. Além do quadro de pessoal que não é pequeno, a Infraero precisa bancar o funcionamento de 75 unidades de navegação aérea, e que não geram receita. O custo anual dessa atividade coincide com os R$ 450 milhões de prejuízo.

BANDIDOS PETISTAS USAM COMPUTADORES DO GOVERNO DILMA PARA FRAUDAR PERFIS DE ADVERSÁRIOS

IPs de computadores do governo da petista Dilma são usados por petralhas contra jornalistas e políticos. Em crime anterior, perfil até de Marina Silva foi falsificado  a partir dos computadores do Palácio do Planalto. O governo diz que lamenta, mas não pune ninguém. Palácio do Planalto afirmou ser "lamentável" e "absolutamente condenável a utilização de equipamentos públicos com o intuito de atacar a imagem de qualquer cidadão". A afirmação foi uma resposta à reportagem do jornal O Globo que apontou que IPs de computadores do Palácio do Planalto alteraram perfis de jornalistas na Wikipedia. Segundo a matéria, as biografias de Míriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg, comentaristas de economia da Rede Globo, foram modificadas e, com as alterações, passaram a ter críticas contra os jornalistas. O Planalto afirmou também que é "tecnicamente impossível" identificar os autores das alterações, porque não há mais registros dos acessos feitos em maio do ano passado, quando ocorreram as mudanças na Wikipedia. Para o ministro petista Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, o caso é "abominável" e prometeu investigação para punir os responsáveis. "Não seria nossa vontade em fazer qualquer atitude dessa. O IP do Planalto é usado por muita gente, vamos fazer uma investigação para localizar de qual máquina partiu essa bobagem. Esse tipo de ação é abominável. Faremos de tudo para punir duramente. Isso não é aceitável em uma democracia", afirmou. A Procuradoria da República do Distrito Federal vai analisar as alterações. A partir da avaliação, os procuradores decidirão se será aberto ou não algum procedimento para apurar o caso.

REJEIÇÃO DA PETISTA DILMA ROUSSEFF É ENORME NO RIO GRANDE DO SUL

Ao perguntar ao eleitor gaúcho em quem ele não votaria de jeito nenhum, portanto ao tentar saber qual o grau de rejeição de cada candidato, o resultado da pesquisa Ibope conflita diretamente com as intenções de votos, já que a rejeição à candidata do PT é o dobro da soma de todos os adversários:
Dilma - 28%
Aécio Neves - 11%
Eduardo Campos e Luciana Genro - 2%
Todos os demais somam 1% cada um.
A nota concedida a Dilma é um sofrível 5,6%.

GRAÇA FOSTER É ALVO DE INQUÉRITO DA POLÍCIA FEDERAL

A Polícia Federal instaurou inquérito para investigar se a presidente da Petrobrás, Graça Foster, omitiu do Senado informações relacionadas à compra da refinaria de Pasadena (EUA) e sobre a existência de contratos celebrados pela empresa de seu marido, Colin Foster, com a estatal. O inquérito foi aberto após pedido do Ministério Público Federal encaminhado em junho, conforme informou ao Estado a assessoria de imprensa dessa instituição. Antes disso, Graça Foster havia prestado depoimento à Comissão de Infraestrutura do Senado.

A presidente da Petrobrás ainda pode responder a outro inquérito, que deve ser aberto na próxima semana, para investigar a denúncia de que teria combinado com senadores da base aliada na CPI da Petrobrás as perguntas que lhe seriam feitas na comissão investigativa. O Ministério Público Federal no Distrito Federal já abriu inquérito nas áreas cível e criminal para apurar essa suspeita – esse caso tem outros ex-diretores da estatal como alvo. A assessoria da PF informou que este caso está em análise. A corporação não quis comentar o inquérito já aberto sobre o depoimento de Graça no Senado. Ontem, ao defender a permanência de Graça Foster no comando da Petrobrás, a presidente Dilma Rousseff afirmou que “não há qualquer processo que pese contra” a presidente da estatal .
Audiência
O Ministério Público e a Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal vão investigar se Graça Foster prestou informações falsas aos senadores, o que poderia configurar crime de falso testemunho. O alvo dessa apuração é o depoimento dela prestado em maio à Comissão de Infraestrutura do Senado. Na audiência, Graça afirmou que o Conselho de Administração da Petrobrás não teve responsabilidade na compra de Pasadena. Em 2006, o colegiado aprovou a compra de 50% da refinaria por US$ 360 milhões. Após litígio, a Petrobrás adquiriu a segunda metade por US$ 889 milhões. O custo total do negócio foi de US$ 1,2 bilhão. No mesmo depoimento, os senadores questionaram a presidente da Petrobrás sobre contratos da estatal com a empresa C.Foster Serviços e Equipamentos, pertencente ao marido de Graça Foster. Ela afirmou que a C.Foster não celebrou contratos com a Petrobrás.
Segundo a denúncia que motivou a abertura de procedimento no Ministério Público Federal e depois a do inquérito policial, a Petrobrás tem negócios com a C. Foster Serviços e Equipamentos. “A senhora Graça Foster foi muito além dos atos de improbidade alhures elencados. Ela, nitidamente, operou tráfico de influência para favorecer a empresa de seu marido no firmamento de 43 contratos com a Petrobrás, sendo 20 deles sem licitação”, escreveu o senador Mário Couto (PSDB-PA), autor de representação ao Ministério Público Federal que desencadeou a investigação oficial. Por Reinaldo Azevedo

OPOSIÇÃO QUER A CONTADORA DO DOLEIRO YOUSSEF DEPONDO NA CPMI DA PETROBRAS

Meire Poza – "O Beto (Youssef) lavava o dinheiro para as empreiteiras e repassava depois aos políticos e aos partidos. Era mala de dinheiro pra lá e pra cá o tempo todo." (Jefferson Coppola/VEJA)
Meire Poza – “O Beto (Youssef) lavava o dinheiro para as empreiteiras e repassava depois aos políticos e aos partidos. Era mala de dinheiro pra lá e pra cá o tempo todo.”(Foto: Jefferson Coppola/VEJA)
Por Gabriel Castro, na VEJA.com:
A oposição quer que Meire Poza, a contadora de Alberto Yousseff, compareça à CPMI da Petrobras e à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara para falar sobre as engrenagens da quadrilha que girava em torno do doleiro pego na Operação Lava Jato da Polícia Federal. Meire revela detalhes do esquema de propina em reportagem publicada por VEJA nesta semana. A contadora confirma que parlamentares como o deputado André Vargas (PT-PR) e o senador Fernando Collor (PTB-AL) se aliaram ao doleiro em um esquema de lavagem de dinheiro que tinha prefeituras petistas como uma de suas principais fontes de recursos. Ela também relatou como empreiteiras que mantém contrato com estatais e órgãos públicos repassavam dinheiro para o esquema.
O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE), diz que o partido vai apresentar os requerimentos na próxima semana, em conjunto com os outros partidos da oposição. O partido promete tratar o tema como prioridade. “É uma testemunha-bomba que atesta todas as evidências, muito claras, do envolvimento de Youssef com a Petrobras, parlamentares e personagens importantes do governo federal”, diz Mendonça Filho. O PPS também cobra que a contadora seja ouvida pelo Congresso. “Esta mulher conheceu, como poucos, a arquitetura e a operação do sofisticado esquema de lavagem de dinheiro que atingiu 10 bilhões de reais”, diz o líder do partido na Câmara, Rubens Bueno (PR), que também integra a CPMI.
A Câmara dos Deputados faz um esforço concentrado na primeira semana de setembro, quando os parlamentares poderiam tomar o depoimento da contadora na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle. Já a CPMI da Petrobras não teve os trabalhos interrompidos durante o período eleitoral e, em tese, poderia ouvir Meire Poza antes disso. O presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), calcula que a contadora pode ser ouvida daqui a três semanas: “Temos depoimentos marcados para as duas próximas semanas. Se o requerimento for apresentado, será votado como qualquer outro”, afirma.
Tanto na Comissão de Fiscalização Financeira quanto na CPMI da Petrobras, Meire não seria obrigada a comparecer porque não ocupa cargo público. Ela iria ao Congresso na condição de convidada. O doleiro Alberto Youssef foi preso na operação Lava Jato, da Polícia Federal. Ele era figura central em um esquema bilionário de lavagem de dinheiro abastecido com recursos públicos desviados.
No bolso de Youssef
Por Reinaldo Azevedo

EIKE BATISTA PÕE À VENDA LAMBORGHINI DE R$ 2,5 MILHÕES

O empresário Eike Batista colocou à venda, por R$ 2,5 milhões, a sua Lamborghini Aventador LP700-4, que decorava a sua sala. O veículo, com 700 cavalos, que alcança até 350 quilômetros por hora (km/h) e chega do zero aos 100 km/h em apenas 2,9 segundos, está em na M3 Motors, loja especializa em veículos de luxo na cidade de Goiânia (GO). Não se sabe se o modelo será substituído por outro na mansão do antigo sétimo homem mais rico do mundo. De acordo com a tabela Fipe, o mesmo modelo zero quilômetro sai por R$ 2,947 milhões. A exibição de um Lamborghini na sala de casa é coisa da mais vulgaríssima "nouvelle richesse". Dinheiro não compra sofisticação.