sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Horário de verão economiza 4,4% de demanda no horário de pico

O horário de verão rendeu ao sistema elétrico brasileiro uma economia de 2.376 MW no horário de pico, que vai das 18 às 21 horas, segundo relatório preliminar divulgado nesta sexta-feira pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico). A redução representa 4,4% da demanda máxima das três regiões onde o horário especial vigorou no Sudeste, Sul e Centro-Oeste. A economia dessas 18 semanas foi inferior à alcançada no horário de verão passado, quando houve 4,7% de redução nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, e de 4,8% no Sul, uma economia de pico de 2.587 MW. No Sudeste e Centro-Oeste, a redução foi equivalente a duas vezes a carga no horário de pico de Brasília. No Sul, houve uma redução equivalente a 60% da carga no horário de ponta de Curitiba, exemplificou o ONS. O resultado foi um pouco inferior às projeções do operador, que esperava uma economia de 2.530 MW no horário de pico. A redução de energia foi de 0,5% nas três regiões. É o equivalente ao que a cidade de Curitiba consome por três dias. O horário de verão é adotado com o objetivo principal de aliviar as redes de transmissão nos horários onde o consumo é mais intenso. Segundo o governo, aumenta a segurança do sistema e diminui custos. Caso a energia economizada tivesse que ser gerada por usinas térmicas, haveria um gasto de R$ 30 milhões. Isso significa dizer que a economia produzida é irrisória.

STJ manda colunista indenizar filha de Lula em R$ 100 mil

O ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça, determinou que o colunista Giba Um pague uma indenização de R$ 100 mil por danos morais a Lurian Lula da Silva, filha do ex-presidente Lula. Na quarta-feira, Luis Felipe Salomão aceitou recurso da defesa de Lurian contra decisão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina que fixou indenização em R$ 10 mil. Segundo a filha de Lula, o colunista publicou em seu site comentários tendenciosos sobre ela. A defesa de Lurian afirma que uma nota indicava que o ex-prefeito de Blumenau (SC), Décio Nery de Lima, deu para ela um apartamento, num bairro elegante, insinuando a existência de favores políticos envolvendo Lula. Ao ampliar a indenização, o ministro justificou que o antigo valor não cumpria os dois objetivos de desestímulo e compensação. Na decisão, Salomão aponta que levou em consideração a gravidade e extensão do dano, a reincidência (comentário publicado em outros sites) e a posição profissional e social de Lurian e do colunista. O jornalista Giba Um deverá recorrer ao Plenário do Superior Tribunal de Justiça.

Empresa brasileira quer comprar parte da TAP

Uma empresa aérea brasileira estuda comprar uma participação na companhia portuguesa TAP. A informação partiu do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, durante a visita ao Brasil do chanceler de Portugal, Luís Amado. Patriota ressaltou o aumento do mercado brasileiro para a TAP, tanto com a maior frequência dos vôos quanto a maior procura de passageiros. Patriota e Amado ressaltaram que as empresas privadas portuguesas são ainda umas das principais investidoras no Brasil. Para o ministro de Portugal, a crise financeira vivida pelo país não deve reduzir esse fluxo de investimentos. Amado destacou, ainda, que no encontro não foi discutida a compra pelo Brasil de títulos públicos da dívida de Portugal. Segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a TAP representa mais de um quarto do tráfego de passageiros entre Brasil e Europa, com uma fatia de 26,4%. A segunda colocada, de acordo com os dados de 2009 da agência, é a TAM, com 23%. A TAP é a companhia estrangeira com maior número de vôos diretos entre capitais brasileiras e uma cidade européia. Ela adotou como estratégia expandir operações com vôos a partir de capitais do Nordeste. A empresa é destaque ainda no transporte de carga e ocupa o terceiro lugar neste segmento, com um percentual de 15,2%.

Volks vai investir R$ 360 milhões para ampliar fábrica de Taubaté

A Volkswagen vai investir R$ 360 milhões para ampliar a capacidade da fábrica de Taubaté, com a construção de uma nova área de pintura. A produção diária da fábrica passará de 1.050 para 1.300 veículos, quando a ampliação for concluída. O anúncio foi feito nesta sexta-feira pelo presidente da montadora, Thomas Schmall, durante evento de lançamento da pedra fundamental da nova área, que terá 65 mil metros quadrados e deve iniciar suas operações a partir de dezembro de 2012. A fábrica de Taubaté emprega atualmente 5.200 funcionários e completa neste ano 35 anos de atividade. No ano passado, a fábrica de Taubaté atingiu seu recorde de produção, com 280 mil automóveis. Na unidade, são feitos o Novo Gol e Novo Voyage. A linha de pintura é a que exige maior investimento no processo produtivo de uma montadora. Os preparativos para a operação vão durar dois anos. O investimento no projeto está inserido no plano de R$ 6,2 bilhões anunciado pelo grupo para o período de 2010 a 2014. Para resolver os gargalos em sua produção, a Volks também fez investimentos no setor de pintura da fábrica de São Bernardo do Campo (ABC paulista), em dezembro passado, que ampliarão a capacidade de produção diária em 23%. A nova área de Taubaté, totalmente automatizada, terá 70 robôs que trabalharão na pintura interna e externa dos carros. Com a tecnologia, será eliminada uma camada de tinta do processo e uso de tinta à base de água, o que diminui o uso de solventes. A Volks estima aumentar a produção entre 5% e 6% neste ano. Em 2010, foram a montadora fabricados 823 mil no Brasil.

PT diz que protocolou mandado de segurança contra Kassab

A bancada de vereadores do PT em São Paulo afirmou em nota divulgada nesta sexta-feira que protocolou no Tribunal de Justiça um mandado de segurança contra o prefeito Gilberto Kassab (DEM), em uma tentativa de cancelar o reajuste da passagem de ônibus na cidade, que subiu de R$ 2,70 para R$ 3,00 em janeiro. Para isso, o partido pede a impugnação da planilha de custos usada pela SPTrans para calcular a tarifa, sob a alegação de que ela possui "uma série de números inconsistentes" e levanta a suspeita de que pode ter sido "manipulada" para justificar o reajuste. Segundo a nota divulgada pelo PT, a empresa afirma que o custo do litro de óleo diesel passou de R$ 1,705 em 2009 para R$ 1,8543 em 2010. O partido diz, no entanto, que consultou a Petrobras, e que a estatal informou que vende o litro do combustível a R$ 1,70 em São Paulo. A diferença, ainda segundo a nota do partido, representaria uma economia de R$ 5,85 milhões por mês com gasto de combustível e permitiria uma redução de R$ 0,05 na tarifa de ônibus. A bancada do PT também questiona afirmação da Secretaria de Transportes que, segundo eles, disse em audiência pública que o consumo de combustível aumentou em função dos congestionamentos na cidade. Para os vereadores, os dados da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), da prefeitura, mostram o contrário.

Egito aprova passagem de navios de guerra do Irã por Suez

O Egito aprovou a passagem de dois navios de guerra iranianos pelo canal de Suez, disse uma fonte do setor de segurança nesta sexta-feira, mesmo depois de o ministro de Relações Exteriores de Israel, Avigdor Liberman, ter dito nesta semana que a travessia seria uma "provocação". Para atravessar o canal, os navios de guerra precisam da aprovação dos ministérios da Defesa e das Relações Exteriores do Egito. O Irã havia informado nesta sexta-feira que os dois navios (uma fragata e um navio com suprimentos) planejavam cruzar o canal. É a primeira vez, desde a Revolução Islâmica de 1979, que navios de guerra iranianos tentam passar por Suez, que liga o mar Vermelho ao Mediterrâneo. Um funcionário de Suez afirmou que o Egito só pode negar passagem pelo canal em caso de guerra. Na quarta-feira, Liberman havia demonstrado preocupação com o desejo iraniano, já que o regime nazista islâmico de Teerã representa uma ameaça existencial para Israel.

DNA de negros e pardos do Brasil é 60% a 80% europeu

No Brasil, faz cada vez menos sentido considerar que brancos têm origem europeia e negros são "africanos". Segundo um novo estudo, mesmo quem se diz "preto" ou "pardo" nos censos nacionais traz forte contribuição da Europa em seu DNA. O trabalho, coordenado por Sérgio Danilo Pena, da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), indica ainda que, apesar das diferenças regionais, a ancestralidade dos brasileiros acaba sendo relativamente uniforme. "A grande mensagem do trabalho é que geneticamente o Brasil é bem mais homogêneo do que se esperava", disse Pena. De Belém (PA) a Porto Alegre, a ascendência européia nunca é inferior, em média, a 60%, nem ultrapassa os 80%. Além de moradores das capitais paraense e gaúcha, foram estudadas também populações de Ilhéus (BA) e Fortaleza (compondo a amostra nordestina), Rio de Janeiro (correspondendo ao Sudeste) e Joinville (segunda amostra da região Sul). Para analisar o genoma, os geneticistas se valeram de um conjunto de 40 variantes de DNA, os chamados "indels" (sigla de "inserção e deleção"), pequenos trechos de "letras" químicas do genoma que às vezes sobram ou faltam no DNA. Cada região do planeta tem seu próprio conjunto de indels na população. Dependendo da combinação deles no genoma de um indivíduo, é possível estimar a proporção de seus ancestrais que vieram de cada continente. Do ponto de vista histórico, o trabalho deixa claro que a chamada política do branqueamento, defendida por estadistas e intelectuais nos séculos 19 e 20, acabou dando certo, diz Pena. Segundo os pesquisadores, a combinação entre imigração européia desde o século 16 e casamento de homens brancos com mulheres índias e negras gerou uma população na qual a aparência física tem pouco a ver com os ancestrais da pessoa. Isso porque os genes da cor da pele e dos cabelos, por exemplo, são muito poucos, parte desprezível da herança genética, embora seu efeito seja muito visível.

Petistas criticam fala de Aécio Neves sobre "autoritarismo" de Dilma

Petistas reagiram nesta sexta-feira à declaração do senador Aécio Neves (PSDB-MG) criticando a relação da presidente Dilma Rousseff com o Congresso. "Aécio governou com leis delegadas, a pior forma de desprezar o Legislativo. Pelo visto, ele quer competir com o Tiririca, como comediante", afirmou o deputado federal Ricardo Berzoini (PT-SP). Em entrevista ao blog Presidente 40, Aécio Neves disse que o governo começou de forma "autoritária" sua relação com o Congresso Nacional. Ele apontou pelo menos duas manifestações desse autoritarismo. A primeira teria sido declaração do ministro de Assuntos nstitucionais, Luiz Sérgio, segundo a qual "a ordem'' do governo era que a base votasse os R$ 545,00 para o salário mínimo. A segunda demonstração seria o artigo que estabelece o aumento dos salários mínimos dos próximos anos por decreto presidencial. "Dilma não propõe nenhuma 'lei delegada'. Ela respeita o Congresso e disputa no voto", rebateu Berzoini pelo Twitter. O petista fez referência às leis delegadas que Aécio aprovou quando governou Minas Gerais. A edição de uma lei delegada ocorre após o Legislativo autorizar o Executivo a editar normas cujo objeto, extensão da matéria, prazo e os princípios são definidos previamente. Essas leis não são votadas pelos deputados. O deputado lembrou que o atual governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB) conseguiu aprovar na Assembléia a prerrogativa de editar uma lei delegada para uma nova reforma administrativa no Estado. O presidente do PT, José Eduardo Dutra, também fez críticas a Aécio Neves no mesmo sentido. "Para ele, democrático é lei delegada, como em Minas". No Rio de Janeiro, Aécio Neves reforçou a crítica ao governo: "É violência enorme querer subjugar o Congresso Nacional buscando aprovar a partir de agora a majoração do salário mínimo via decreto". O senador lembrou que a Constituição é clara ao definir que o reajuste tem de ser previsto anualmente em lei discutida pelo Legislativo. As leis delegadas são previstas em algumas constituições estaduais. Na verdade, são uma repetição do estatuto federal da Medida Provisória, uma maneira de o presidente governar por meio de "decreto", sem o voto do Congresso. O "ataque" de Aécio Neves foi muito "cordial", mas o suficiente para desamarrar a virulência rábica dos petistas, que já começam a atacar o eventual futuro candidato de oposição ao petralhismo.

Procuradoria aciona TSE para cassar o governador petista Tião Viana

O Ministério Público Eleitoral entrou com um recurso no Tribunal Superior Eleitoral pedindo a cassação do governador do Acre, Tião Viana (PT), do vice, Carlos Messias, do senador Jorge Viana (PT) e dos suplentes, por abuso de poder econômico nas eleições de 2010. Segundo a procuradoria, eles cometeram abusos e ilícitos nos meio de comunicação. Há ainda relatos de uso de servidores de empresas privadas que executavam serviços ao Estado na divulgação e realização de campanhas. Contra os políticos petista pesa também acusação de conduzir a linha editorial dos periódicos de grande circulação e de canais de rádio e televisão locais, fortalecendo as imagens por meio de matérias jornalísticas positivas, dirigindo críticas aos oponentes. Ainda de acordo com o Ministério Público Eleitoral, o governo acreano, por meio da empresa de publicidade Companhia de Selva Criação e Produções Ltda., destinou publicidade e recursos financeiros a todos os principais jornais efetuando pagamentos por meio de interpostas pessoas jurídicas. Foi registrada ainda a convocação de servidores do Estado para eventos de campanha, como uma reunião com 1.500 educadores da rede pública de ensino. Para a procuradoria, "todos os candidatos recorridos foram coautores dos abusos de poder, agindo dolosamente e com domínio funcional dos fatos, usufruindo conscientemente dessas medidas". De acordo com o artigo 237, do Código Eleitoral, "a interferência do poder econômico e o desvio de poder de autoridade, em desfavor da liberdade do voto, serão coibidos e punidos", sustenta o Ministério Público Eleitoral. Na avaliação da procuradoria, a cassação é necessária porque a vitória das urnas ocorreu de forma "ilegítima e ilegalmente, com violações flagrantes que levaram ao desequilíbrio da disputa eleitoral no Estado do Acre".

Ex-dirigentes do Inep são condenados por vazamento no Enem 2009

O Tribunal de Contas da União determinou que dois dirigentes do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), instituto responsável pelo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), paguem multas por falhas no exame que acabou sendo adiado em 2009 depois do furto da prova. Héliton Ribeiro Tavares, ex-diretor de Avaliação da Educação Básica, terá que pagar R$ 5.000,00 por erros no acompanhamento do contrato do governo com o consórcio Connasel, responsável pela aplicação do exame, e por pagamento de serviços não prestados ao consórcio. Dorivan Ferreira Gomes, que ocupava o cargo de coordenador-geral de exames para certificação do Inep, terá que pagar R$ 3.000,00 por pagamento de serviços não prestados. O tribunal considerou que parte do pagamento de R$ 36 milhões feito pelo Inep ao Connasel foi indevido porque calculado com base na estimativa de 6 milhões de inscritos, e não no número real de 4,1 milhões. Tavares disse ao tribunal que o Inep fez uma visita ao local de impressão das provas, mas admitiu que as comunicações dos problemas constatados foi verbal, devido à velocidade necessária para o processo. Afirmou também que "o Enem/2009 foi o exame que contou com maior nível de acompanhamento pelo Inep".

Temer diz que PMDB foi 100% leal "porque é governo"

O vice-presidente da República, Michel Temer, comemorou nesta sexta-feira a atuação de seu partido, o PMDB, na aprovação do salário mínimo de R$ 545,00 da Câmara dos Deputados. Todos os parlamentares da sigla votaram pelo valor proposto pelo governo, de R$ 545,00."Conseguimos, o Henrique Eduardo Alves, líder na Câmara e eu, que houvesse uma unidade de ação. Já havia conseguido isso no partido e agora estamos conseguindo na bancada", afirmou em reunião na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Temer ressaltou ainda que o PMDB votou unido "porque é governo": "O importante para ter presença política é que haja unidade de ação. O PMDB entendeu isso. O partido é governo e por isso votou com o governo". Após demonstrar 100% de lealdade na votação, o PMDB espera ser retribuído pela presidente Dilma Rousseff na distribuição de cargos na máquina federal. É o toma-lá-cá, tão "apreciado" pelo deputado estadual petista gaúcha Raul Pont. Na verdade, é o Mensalão II do PT.

Zambiasi volta ao rádio no Rio Grande do Sul

Radialista Sérgio Zambiasi
O ex-senador Sérgio Zambiasi, ex-senador do PTB do Rio Grande do Sul, reassume nesta segunda-feira, às 6 horas, o comando de seu velho programa na rádio Farroupilha, de Porto Alegre, pertencente ao grupo RBS. Ele não quis mais concorrer a senador, no que foi convencido por investigações da Polícia Federal envolvendo algumas pessoas muito próximas a ele, como o empresário canoense Juarez Piccinini. Foi está associados de Sérgio Zambiasi que o convenceu a levar o PTB a apoiar a candidatura do petista Tarso Genro ao governo do Estado. Isso ocorreu, naturalmente, depois de a Polícia Federal ter invadido residências e escritórios de Juarez Piccini e de suas duas filhas.

Governo petista de Dilma estuda flexibilizar leis ambientais para acelerar obras

O governo petista de Dilma Rousseff prepara para depois do Carnaval um grande pacote de flexibilização dos licenciamentos ambientais, com o objetivo de acelerar obras de infraestrutura e a exploração do pré-sal. Chamado pelo governo de "choque de gestão ambiental", o pacote consistirá de uma série de decretos regulando o licenciamento de rodovias, petróleo (dois decretos), portos, linhas de transmissão de energia elétrica e hidrovias. Em uma segunda etapa, ainda neste ano, serão flexibilizadas ferrovias e mineração. Hidrelétricas, por enquanto, estão de fora do "choque". O objetivo é aplicar a cada tipo de obra regras específicas, em vez da regra única existente hoje, e evitar atrasos como o das linhas de transmissão das hidrelétricas do rio Madeira. "Não é diminuir exigências, é rever quais informações são relevantes para o licenciamento", declarou nesta quinta-feira a ministra Izabella Teixeira (Meio Ambiente). A facilitação das licenças já vinha sendo articulada desde o fim do governo Lula. Ainda no ano passado foi publicada uma instrução normativa facilitando o licenciamento de termelétricas. Assinada por Isabella Teixeira, ela desfaz em parte exigências impostas por seu antecessor, Carlos Minc, que exigia que as usina térmicas plantassem árvores para compensar 100% de suas emissões de carbono. Uma das mudanças em discussão é a isenção de licenciamento para duplicação de rodovias, por exemplo. Bastará uma autorização do órgão ambiental. Outra mudança será a redução do número de licenças necessárias para a exploração de petróleo. Hoje, cada uma das quatro fases da atividade (sísmica, prospecção, produção e descomissionamento) demanda três licenças (licença prévia, licença de instalação e licença de operação), como manda a lei de licenciamento, ou seja, até 12 licenças ao todo para um poço. No caso de linhas de transmissão, estuda-se a possibilidade de dispensa de inventários de biodiversidade. Linhões que atravessam áreas pobres em fauna e flora recebem o mesmo tratamento de linhões em áreas biodiversas da Amazônia. Como resultado, atrasam às vezes um ano além do previsto e acabam custando duas vezes mais,  pela necessidade de acionar usinas térmicas enquanto a hidrelétrica não entra em operação. Ou seja, por via indireta, o governo da petista Dilma Rousseff está demonstrando sua preocupação com a possibilidade ocorrências regulares de apagões, o que já está acontecendo no País.

Decreto enxuga Casa Civil e deixa o órgão mais político

A presidente Dilma Rousseff transferiu nesta sexta-feira para a Secretaria Geral da Presidência, comandada pelo ministro Gilberto Carvalho, uma série de atribuições burocráticas que antes estavam sob responsabilidade da Casa Civil. A medida dá seguimento à intenção do ministro Antonio Palocci de transformar o órgão em um braço de assessoramento político e técnico à presidente. O decreto publicado no Diário Oficial da União põe sob responsabilidade da pasta de Carvalho a Secretaria de Administração (responsável por todas as licitações ligadas ao dia a dia do Palácio do Planalto). Também saiu da Casa Civil a Secretaria de Controle Interno, que tem, entre suas atribuições, a realização de auditorias sobre o uso de recursos federais por órgãos e entidades públicos e privados. Com o enxugamento da Casa Civil, o órgão perde 224 cargos para a Secretaria Geral. Antes da transferência desses dois órgãos, a Casa Civil também perdeu o controle sobre a execução do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), principal programa de investimentos do governo federal, e do Minha Casa, Minha Vida. Também saiu do guarda-chuva da pasta de Palocci o Arquivo Nacional e a gestão do Sipam (Sistema de Proteção da Amazônia).

Justiça condena pela primeira vez por uso de informação privilegiada

A Justiça Federal em São Paulo condenou um ex-diretor e um ex-conselheiro da Sadia pelo uso de informações privilegiadas em negociações de ações em Bolsa, o chamado "insider trading". Essa é a primeira condenação no Brasil por esse tipo de crime. Os dois são acusados de se aproveitar de informações internas da empresa sobre as negociações da fusão entre Sadia e Perdigão para lucrar com a compra e venda de ações na Nyse (Bolsa de Valores de Nova York). "Em virtude de suas funções, ambos os réus tiveram, em abril de 2006, informações privilegiadas da oferta pública da Sadia pelo controle acionário da então concorrente Perdigão, que ocorreria três meses depois e, com isso, lucraram negociando ações da Perdigão", afirma a denúncia do Ministério Público Federal em São Paulo. Foram condenados o ex-diretor de Finanças e Relações com Investidores da Sadia, Luiz Gonzaga Murat Filho, e o ex-membro do Conselho de Administração da companhia, Romano Alcelmo Fontana Filho. Murat foi condenado ao pagamento de multa no valor de R$ 349.711,53 e a pena de um ano e nove meses de prisão, convertida na prestação de serviços comunitários, e na proibição de exercer função de administrador ou conselheiro de companhia aberta pelo mesmo prazo de cumprimento da pena. Já Fontana recebeu multa de R$ 374.940,52 e a pena de um ano, cinco meses e 15 dias de prisão, convertidos também em prestação de serviços e proibição de exercício de função semelhante por igual período ao da pena. A sentença foi dada pelo juiz federal substituto Marcelo Costenaro Cavali, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, especializada em crimes financeiros e lavagem de dinheiro.

Promotoria recebe inquérito que indicia ex-chefe da polícia

O Ministério Público do Rio de Janeiro informou nesta sexta-feira que já recebeu o inquérito da Polícia Federal que indiciou o ex-chefe de Polícia Civil do Estado, Allan Turnowski. A Polícia Federal acusa Turnowski de vazar informações sobre operações policiais em andamento.  O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, foi econômico nos comentários. Disse que o indiciamento é "peça técnica", afirmou não ter detalhes de provas, e considerou "temerário tecer juízo de valor" sobre o indiciamento. O secretário afirmou que se for de interesse da Polícia Federal, ele poderá ser ouvido no inquérito. A saída de Turnowski foi definida na terça-feira em reunião com o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, após quatro dias de crise na instituição.

Empresa cria avião-espião com aparência de beija-flor

Uma empresa americana que desenvolve produtos aeronáuticos para o Pentágono apresentou nesta semana um avião-espião que cabe no bolso e que tem a aparência e o vôo semelhantes aos de um beija-flor. O protótipo, que custou cerca de US$ 4 milhões (aproximadamente R$ 6,6 milhões) e foi desenvolvido ao longo de cinco anos, pode voar por até 11 horas e carrega uma câmera capaz de espionar posições inimigas durante conflitos militares. O dispositivo, batizado de Nano Hummingbird (Nano Colibri) voa batendo as asas como um pássaro de carne e osso e, com suas asas abertas, mede só 16 centímetros. O beija-flor mecânico é capaz de voar a uma velocidade de até 17 quilômetros por hora e pesa apenas 19 gramas. A aeronave foi produzida para a Agência de Pesquisa de Projetos Avançados do Departamento de Estado americano. O Nano Colibri, que foi apresentado oficialmente para a imprensa nesta quinta-feira, usa apenas as suas asas como meio de propulsão. Os modelos atuais de aviões-espião dependem de propulsores para voar. O avião-pássaro é movido a bateria, conta com motores e é guiado por meio de controle remoto. Durante a demonstração de oito minutos desta quinta-feira, o colibri mecânico voou para dentro de um edifício e retornou ao seu ponto de origem.

Belo Monte viabiliza hidrovia no Xingu

Arte Folha de São Paulo
A construção da usina de Belo Monte, no Pará, pode viabilizar (após a formação do reservatório) a expansão da hidrovia do baixo para o médio Xingu. O lago da usina criará um desvio do maior obstáculo para a navegação na região, os cem quilômetros de rio com leito rochoso chamado de "os pedrais". A formação do reservatório dentro da Volta Grande do Xingu, onde atualmente existem só propriedades rurais, permitirá a navegação. A viabilidade da transposição foi incluída nos estudos de impacto ambiental apresentados ao Ibama. O trabalho não chegou a ser discutido nas audiências públicas. A Eletronorte, subsidiária da Eletrobras que assina o estudo, aponta três arranjos diferentes para a construção das eclusas (espécie de elevador que permite às embarcações transpor barragens). Caso seja construído, o conjunto viabiliza a transposição das embarcações no degrau de 95 metros que passará a existir entre o canal de navegação do baixo Xingu e o reservatório da usina. A profundidade do canal será de 3 metros, suficiente para o trânsito de comboios com até 2,5 metros de calado (parte submersa das embarcações). O trecho navegável no baixo Xingu tem 298 quilômetros (de 1.815 quilômetros de extensão) e conecta Belo Monte (onde há um terminal da Petrobras) ao rio Amazonas. Os estudos feitos pela Eletronorte são preliminares. Não informam, por exemplo, quantos quilômetros seriam adicionados à hidrovia, tampouco o potencial de carga. A inclusão de estudos prévios de eclusas em projetos hidrelétricos virou cobrança do setor hidroviário. Todos os construtores de usinas precisam apresentar à ANA (Agência Nacional de Águas) pelo menos um pré-estudo do aproveitamento hidroviário do rio que será barrado. É condição para que o empreendedor obtenha a outorga de uso da água. A expansão da hidrovia do Xingu pode conectar a região centro-norte de Mato Grosso a uma nova opção de escoamento agrícola. Boa parte da safra de um dos maiores Estados produtores do País sai por caminhões para Santos (SP) e para Paranaguá (PR). A região do Xingu não é produtora de grãos, mas tem potencial mineral. No entorno de Altamira, por exemplo, já foram identificados potenciais reservas de bauxita (matéria-prima do alumínio), indústria só viável com grande oferta de energia. A Nesa (Norte Energia S.A.), responsável por Belo Monte, refuta a idéia da hidrovia devido aos obstáculos, mas o Ministério dos Transportes diz que o rio Xingu integrará o Plano Hidroviário Estratégico do governo. As prioridades agora são as hidrovias do Teles Pires/ Tapajós e do Tocantins.

Advogado paulista apoiador de Dilma deve ser indicado para o Cade

O governo Dilma indicará na próxima semana três novos nomes para o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), espécie de tribunal pelo qual passam os maiores casos de fusões e aquisições de empresas no País. Um dos favoritos, Alessandro Octaviani, advogado e professor da Faculdade de Direito da USP, foi um dos signatários de um manifesto de juristas em apoio ao governo Lula e participou de ato em prol da candidatura da presidente Dilma Rousseff no Largo São Francisco. Nos bastidores, seu nome é dado como certo, uma sugestão do conselheiro Vinícius de Carvalho, que assumirá a Secretaria de Direito Econômico, referendada pelo ministro da Justiça, o "porquinho" José Eduardo Cardozo. Carvalho e Octaviani foram colegas de graduação no Largo São Francisco. Apesar de ter passado pelo programa de intercâmbio do Cade, Octaviani é visto com ressalvas por advogados com trânsito no conselho, pela escassa atuação em defesa da concorrência. Ele é um especialista nas obras do marxista italiano Antonio Gramsci (1891-1937) e tanto sua dissertação de mestrado quanto a de doutorado remetem às obras do comunista. A presidência do Cade deve ficar com o conselheiro Fernando de Magalhães Furlan, que ocupa o posto interinamente desde a saída do antigo titular, Arthur Badin, em novembro passado. Ele deve permanecer no posto até pelo menos o fim de seu mandato, em janeiro de 2012. A indicação de Octaviani ficará na cota do Ministério da Justiça. Já o ex-conselheiro César Mattos, cujo mandato venceu em novembro passado, deve ser reconduzido. Mattos deverá ser indicado pelo Ministério da Fazenda. A Casa Civil indicará um terceiro nome. Nos bastidores, é citada ainda Paula Forgioni, especialista na área e ligada a Eros Grau, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal.

Hotel negocia compra de prédio de hospital tombado em São Paulo

Hospital Umberto Primo
O antigo hospital Umberto Primo, também conhecido como hospital Matarazzo, na região da avenida Paulista, em São Paulo, está próximo de ser vendido. O principal interessado é o grupo proprietário do hotel Le Royal Monceau, em Paris, recentemente reformado. A idéia do grupo Allard é restaurar o antigo hospital para fazer ali o hotel mais luxuoso do Brasil, classificado internacionalmente como "seis estrelas", e outro padrão cinco estrelas. A Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil dono do prédio, confirma que está "em estágio avançado de negociação com grupos de investidores interessados no imóvel". O órgão, no entanto, não informa quem seriam os investidores interessados nem qual é o destino que deve ser dado ao prédio. O complexo com dez edifícios foi construído entre 1904, quando a ala administrativa foi inaugurada, e 1974. Endividado, o hospital fechou em 1993, quando o prédio foi vendido à Previ. No total, são 26,3 mil metros quadrados de área construída em um terreno de 19 mil metros quadrados. Corretores que atuam na região da avenida Paulista estimam que o imóvel valha, pelo menos, R$ 160 milhões, podendo chegar a R$ 260 milhões.

Governo petista e Dilma já sabiam desde 2007 que ocorreriam apagões

Desde 2007, durante o segundo mandato do falastrão Lula, o Ministério das Minas e Energia sabia sobre os riscos de apagões no sistema elétrico neste ano de 2011, segundo reportagem publicada no jornal Folha de S. Paulo. Um estudo chamado "Análise de Confiabilidade da Rede Básica", elaborado pelo próprio ministério, já apontava que a situação só melhoraria em 2012, com a inauguração de dezenas de subestações e a entrada em operação do sistema de transmissão do rio Madeira. Mesmo com a previsão de mais apagões, o jornal destaca ainda que o problema é que várias dessas obras atrasaram, em muitos casos devido a restrições ambientais. O estudo previa, em 2007, que São Paulo teria a situação mais delicada e a causa seria a carência de subestações no sistema elétrico interligado nacional. De acordo com a Folha, os técnicos da Empresa de Pesquisa Energética já detectavam que possíveis falhas em subestações teriam a "contribuição mais significativa" para a vulnerabilidade.

Sérgio Cabral "oferece" palacete no Rio de Janeiro para abrigar instituto de Lula

Palacete Linneo de Paula Machado
O governador do Rio de Janeiro, o neopopulista Sérgio Cabral (PMDB), sugeriu ao ex-presidente Lula que a sede do futuro instituto dele na cidade seja no palacete Linneo de Paula Machado, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro. A sugestão foi feita durante jantar na noite de quarta-feira, na casa do governador, no qual também participaram o prefeito Eduardo Paes e o empresário Eike Batista. Há um problema na oferta: o imóvel não pertence ao Estado. Em setembro do ano passado a prefeitura confirmou que negociava a compra por R$ 10 milhões, mas não informou o que faria com ele. Começaram a circular rumores de que ali seria a sede da Fundação Lula. A prefeitura negou e disse que a negociação estava encerrada. Porém, que as negociações não pararam. Começou-se a buscar um "mecenas", um empresário que comprasse o imóvel e o cedesse ao ex-presidente. O casarão de 1.750 metros quadrados, instalado em um terreno de mais de 8.000 metros quadrados em área nobre da cidade, está desocupado desde 2005. Assessores de Lula estiveram no local e ficaram impressionados com o imóvel em estilo eclético francês, construído no início do século passado pelo empresário Cândido Gafrée. Tombado pelo Estado e pelo município, o palacete tem que ser preservado, o que afasta as incorporadoras. Avaliação feita pela Ademi-RJ (Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro) calcula que, se fosse possível construir ali, o imóvel valeria entre R$ 60 milhões e R$ 64 milhões. Ainda no Rio, Lula recebeu ontem o sociólogo Emir Sader, presidente da Fundação Casa de Rui Barbosa. Segundo Sader, o ex-presidente ainda está decidindo onde funcionará o instituto: "Ele está cauteloso. Não sabe ainda como se colocar, como fazer e qual identidade vai assumir. Mas me disse que não quer fazer uma fundação como fez FHC em torno da própria pessoa".

Exibir mapa ampliado
Não há qualquer dúvida restante de que Lula absolutamente se deixou seduzir e tomar conta pelo luxo, pela riqueza, pelo exibicionismo do poder e da exuberância material. Ele não quer nada mais do que um dos símbolos da "aristrocacia" brasileira para se instalar.

Morre Raymond D'Addario, fotógrafo do julgamento de Nuremberg

Foto de D'Addario: nazista Goering no banco de réus
O fotógrafo Raymond D'Addario, mundialmente famoso por seus retratos dos nazistas durante o julgamento de Nuremberg, morreu aos 90 anos no último domingo, em Holyoke (Massachusetts), informou nesta quinta-feira o jornal "The New York Times" em sua edição digital. O periódico, que cita a sua filha Linda Salmon, destaca que seu trabalho como fotógrafo do Exército americano permitiu ao mundo conhecer o rosto dos principais responsáveis pelas atrocidades nazistas. D'Addario foi membro da equipe do serviço de imagens militar que em novembro de 1945 documentou o Tribunal Militar Internacional de Nuremberg. Suas imagens foram distribuídas gratuitamente aos diários e revistas da época e foram empregadas em uma infinidade de livros de história. Entre as imagens mais conhecidas sobressai a do palanque do tribunal com os acusados cercados por policiais militares com seus capacetes brancos e suas mãos nas costas em posição firme. Também têm destaque os retratos dos principais responsáveis do Holocausto. Entre os principais condenados no histórico julgamento figuram Hermann Goering, o braço direito de Adolf Hitler; Rudolf Hess, o segundo no partido nazista; Joachim von Ribbentrop, ministro das Relações Exteriores; e Albert Speer, o ministro da Indústria de Guerra. Dos 18 condenados, 11 pegaram a pena capital, sendo que dez deles foram enforcados, já que Goering se suicidou horas antes de sua execução.

Novo escândalo no governo petista, Anac tem desconto nas empresas que fiscaliza

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estabeleceu "acordo" com  as empresas aéreas garantindo a seus dirigentes e servidores uma tarifa especial, obtendo desconto de 75% no preço de passagens. Com esse privilégio, a Anac aceita gentilezas de empresas que tem o dever de fiscalizar. A agência argumenta que “moralizou” essas relações, acabando o “passe livre”. O sindicato das empresas não se pronunciou. A TAM chama de “acordo comercial” o desconto de 75% para diretores e funcionários da Anac, mas não se manifestou oficialmente. Só que, quem paga esse "acordo comercial" são os passageiros brasileiros, que deixam no caixa o valor integral de passagens superavaliadas, por conta dos privilégios da Anac e outros. A ação condescendente da Anac mantém os brasileiros sujeitos a atrasos, overbooking, serviços de bordo ruins e poltronas apertadas. Claro, como ela iria fiscalizar quem a está agraciando com passagens aérea quase de graça? As empresas aéreas do Brasil estão no alto do ranking das mais inseguras do mundo, até pela atuação cosmética da Anac como órgão fiscalizador. E também das que prestam o serviço mais vagabundo do mundo inteiro.