terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Simon pede cancelamento de sua aposentadoria de ex-governador

O senador Pedro Simon (PMDB) comunicou em Plenário, nesta terça-feira, o encaminhamento de pedido ao secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul, o petista Odir Tonollier, solicitando a suspensão do pagamento da aposentadoria a que tem direito por ter sido governador do Estado entre 1987 a 1990. Pedro Simon requereu o beneficio somente em novembro do ano passado, 20 anos depois do fim do seu mandato de governador. Desde então, passou a receber R$ 24,1 mil mensais. Diante da pressão da opinião pública, que se rebelou diante deste privilégio, especialmente de parte de um senador que se declara "franciscano", ele resolveu voltar atrás na mordomia.

Sobe para 902 o número de mortos na tragédia na região serrana do Rio de Janeiro

O número de mortos na tragédia na região serrana do Rio de Janeiro com deslizamentos de terra nos morros subiu para 902. No dia 12 de janeiro uma enxurrada atingiu vários municípios. Em Nova Friburgo há 426 mortos. A cidade de Teresópolis, a segunda mais castigada, contabiliza 379 vítimas. O distrito de Itaipava, no município de Petrópolis, tem 71 mortos; Sumidouro, o maior produtor de verduras e legumes do Rio de Janeiro, tem 21 mortos; São José do Vale do Rio Preto, quatro; e Bom Jardim, um morto. O número de mortos vai passar facilmente dos mil, devido ao grande número de desaparecidos.

Mais um curtume é interditado e proprietários são presos em Ivoti

Uma operação desencadeada nesta terça-feira resultou na interdição de dois curtumes e na prisão em flagrante dos seus proprietários por crime de poluição ambiental, em Ivoti (RS). No primeiro local vistoriado, efluentes industriais fora dos padrões estavam sendo despejados em um arroio próximo ao local. Conforme o promotor regional de Defesa do Meio Ambiente, Daniel Martini, foram vistoriados durante o dia cinco estabelecimentos. Um deles não foi interditado e ainda permanece sob investigação. Também participam da ação no Vale dos Sinos o promotor de Estância Velha, Michael Flach, e representantes da Delegacia de Defesa Ambiental (Dema), Patrulha Ambiental da Brigada Militar, Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), Divisão de Assessoramento Técnico do Ministério Público (DAT) e Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público. Na última quinta-feira já havia sido verificado o armazenamento irregular de resíduos de couro wet blue em Estância Velha. Na ocasião, duas pessoas foram presas e dois curtumes interditados no município. Na Promotoria de Justiça de Estância Velha tramitam, atualmente, dois inquéritos civis parar apurar as irregularidades nos curtumes.

Conselho Nacional do Ministério Público retoma no dia 26 julgamento dos seis procuradores gaúchos que acusaram Yeda Crusius

Está marcada para o próximo dia 26 a retomada da sessão do Conselho Nacional do Ministério Público que examina a reclamação disciplinar protocolada pela ex-governadora Yeda Crusius (PSDB) contra os seis procuradores que, no dia 5 de agosto de 2009, produziram espetacular entrevista coletiva que por pouco não a derrubou do cargo. O julgamento dos procuradores já começou e o resultado parcial é 2 votos favoráveis à reclamação de Yeda Crusius contra um voto a favor dos procuradores. Se a tendência continuar com os demais oito membros do Conselho Nacional do Ministério Público, todos os denunciados serão advertidos. A pena será simbólica, porque até já prescreveu. No dia seguinte ao da espetacular entrevista coletiva dos procuradores e do ajuizamento da ação de improbidade na Justiça Federal de Santa Maria, a oposição (PT) na Assembléia Legislativa conseguiu maioria para instalar a CPI do PT e o Parlamento passou a examinar o pedido de impeachment dela. Para que isso fosse alcançado o PT contou com apoio decisivo dos deputados estaduais do PMDB, especialmente do deputado estadual Alexandre Postal. Mais tarde, Yeda Crusius obteve vitória política e parlamentar nos casos da CPI e do impeachment, além de vitórias consecutivas no Tribunal Regional Federal e no Superior Tribunal de Justiça, ambos mandando a Justiça Federal retirá-la do processo de improbidade administrativa. Yeda Crusius é muito bem defendida pelo advogado Fábio Medina Osório. Os seis procuradores federais denunciados são Ivan Marx, Fredo Sagner, Adriano Raldi, Alexandre Schneider, Enrico de Freitas e Jerusa Burmann.

Justiça gaúcha condena Sérgio Buchman a indenizar ex-governadora Yeda Crusius

Sérgio Buchman, auditor de carreira da Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul, foi condenado pela Justiça do Estado a indenizar a ex-governadora Yeda Crusius (PSDB) em R$ 50 mil. Está no Tribunal de Justiça a apelação de Sérgio Buchmann, ex-diretor Geral do Detran, que foi condenado a indenizar a ex-governadora Yeda Crusius por danos morais. A sentença determina que Buchmann terá que pagar R$ 50 mil por ter injuriado e caluniado Yeda Crusius. Ele prestou um depoimento à Polícia Federal que foi considerado mentiroso, todo ele baseado em fofocas. Na época, o grupo jornalístico RBS recebeu cópia do depoimento sigiloso de Sérgio Buchman e colocou o peso de sua mídia e de seus comunicadores contra a ex-governadora Yeda Crusius. O depoimento dele foi determinante para que os procuradores federais ingressassem com uma ação por improbidade administrativa contra Yeda Crusius. Ela também foi excluída dessa ação por decisão da Justiça Federal, mas o estrago político foi muito grande. Nada aconteceu na Justiça contra ela, mas Yeda Crusiu sofreu um linchamento moral midiático, o que liquidou seu projeto político de tentativa de reeleição ao governo gaúcho.

OAB pede no Supremo fim de superaposentadorias para ex-governadores no Piauí e Rio Grande do Sul

A OAB entrou nesta terça-feira com ações contestando as aposentadorias vitalícias pagas aos ex-governadores do Piauí e do Rio Grande do Sul. Com as duas ADIs (ações diretas de inconstitucionalidade), já são sete os pedidos contra as superaposentadorias. Nesta quarta-feira o Supremo Tribunal Federal deve julgar o primeiro caso do tipo. A ministra Cármen Lúcia colocou na pauta a ação contra as pensões dos ex-governadores do Pará. A entidade questiona ainda as pensões pagas aos ex-governadores de Sergipe, Paraná, Amazonas e Acre. A decisão sobre o caso do Pará deve criar jurisprudência sobre a questão. O Supremo já considerou inconstitucional as pensões de ex-governadores de Mato Grosso do Sul. No entendimento da OAB, a previsão de pagamento de pensões nas Constituições estaduais viola a Constituição Federal sob vários aspectos.

Mandonismo da ricaça petista Marta Suplicy provoca novo bate-boca no Senado Federal

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) voltou a trocar farpas no plenário do Senado nesta terça-feira, desta vez com o senador Mário Couto (PSDB-PA), pelo seu mandonismo no comando das sessões da Casa. Aos gritos, Mario Coutro protestou contra atitude da ricaça petista Marta Suplicy, que permitiu ao senador Jorge Viana (PT-AC) falar por 30 minutos em seu discurso de estréia no plenário, enquanto o tempo previsto para os discursos é de 10 minutos. Ao pedir que o tucano encerrasse seu discurso, Marta Suplicy foi surpreendida pela reclamação pública do colega: "Quero dizer a Vossa Excelência que o Regimento Interno não diz que, na estréia, o senador pode falar o tempo que quiser. Eu vou descer desta tribuna certo de que não fui intimidado, certo de que neste Senado ninguém vai cortar a minha palavra, a palavra do meu povo, a palavra daqueles que me colocaram aqui, senadora. Ninguém, ninguém". A ricaça petista mandona Marta Suplicy reagiu: "Talvez até ele tenha falado 30 minutos, mas se ele falou a mais, era um discurso de estréia, e a sua é uma comunicação inadiável. Então, o senhor tem dois minutos a mais, por favor". Couto disse que a "igualdade tem que ser respeitada" na Casa, mas acabou deixando a tribuna após ser alertado pela petista de que seu tempo havia acabado.

Governo do Rio de Janeiro anuncia uma delegada para a chefia da Polícia Civil

Após a demissão do chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Allan Turnowski, na manhã desta terça-feira, o governador Sérgio Cabral anunciou no início da noite o nome da substituta, a delegada Martha Rocha. Ela é é atualmente chefe da Dpam (Divisão de Polícia de Atendimento a Mulher), que coordena as dez delegacias especializadas de atendimento à mulher, área na qual fez carreira. Ela trabalhou em delegacias distritais como em Campinho (zona norte) e Copacabana (zona sul) e foi candidata a deputada estadual na última eleição. Ela também atuou no caso do sequestro ao ônibus da linha 174, em 2000, que terminou com a morte da professora Geísa Firmo Gonçalves e do sequestrador Sandro do Nascimento. Na época, era titular da 15ª DP, na Gávea, mas foi transferida para outra delegacia após indiciar, sob suspeita de homicídio culposo, o então comandante do Bope (Batalhão de Operações Especiais), coronel José Penteado. Tudo parece indicar mais uma jogada midiática do governador populista neopetista Sérgio Cabral.

Petrobrás anuncia nova descoberta no pré-sal da Bacia de Santos

A Petrobrás encontrou nova reserva potencial de óleo no pré-sal, em área denominada como Macunaíma, dentro do chamado Pólo de Tupi, na Bacia de Santos. O reservatório está localizado no bloco BM-S-10, onde já havia sido localizada a reserva denominada Parati. A nova a acumulação de petróleo é de boa qualidade (26º API). A descoberta resultou da perfuração do poço 4-BRSA-818 (4-RJS-668), em lâmina de água de 2134 metros, a 244 quilômetros da costa do Estado do Rio de Janeiro. A descoberta foi comprovada por meio de amostragem de óleo em teste a cabo, nos reservatórios localizados em profundidade de cerca de 5680 metros. A Petrobrás é a operadora do consórcio para exploração do bloco BM-S-10 (65%), formado ainda pelas empresas BG Group (25%) e Partex Brasil (10%). O consórcio dará continuidade às atividades e investimentos necessários para a avaliação das jazidas descobertas nessa área conforme Plano de Avaliação aprovado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), cuja conclusão está prevista para abril de 2012. A companhia ainda não apresentou quaisquer dados sobre o potencial da área.

Construção da plataforma P-63 é iniciada em Rio Grande

A Quip deu início à construção da plataforma P-63 no porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. Avaliada em US$ 1,3 bilhão, a obra prevê a geração de 4 mil empregos diretos e 7,5 mil indiretos. A terceira embarcação para produção de petróleo e gás feita no Estado deve ser concluída entre o final de 2012 e início de 2013. Após um ano de trabalho em cima dos projetos, a execução da construção e montagem da plataforma começou no último dia 7. As obras acontecem no canteiro que a empresa mantém na área do Porto Novo de Rio Grande, no canal portuário. Reformado, o local foi o berço da P-53, a primeira plataforma de petróleo feita no Estado, concluída em 2008. Entre o final de fevereiro e começo de março, acontecerá a reinauguração oficial do canteiro. A Quip ainda constrói na cidade gaúcha a P-55, feita no Estaleiro Rio Grande. Em Rio Grande, iniciou a construção dos módulos da P-63. O navio BW Nisa, que dará origem ao casco da embarcação, está sendo adaptado na China, trabalho desenvolvido pela empresa norueguesa BW Offshore, parceira da Quip. Do tipo FPSO, a plataforma P-63 é similar à P-53. Terá 334 metros de comprimento por 57 metros de largura e uma capacidade de 140 mil barris de petróleo ao dia, para operar no Bacia de Campos, no Rio de Janeiro.

Eliseu Padilha é indiciado por crime em licitações e formação de quadrilha

O ex-deputado federal Eliseu Padilha (PMDB) foi indiciado por crime em licitações e formação de quadrilha depois de prestar depoimento na tarde desta terça-feira na sede da Polícia Federal, em Porto Alegre. Ele é investigado no inquérito referente a irregularidades em licitações das barragens dos arroios Jaguari e Taquarembó. A ação da Polícia Federal faz parte das investigações da Operação Solidária, iniciada em 2007 e que apura fraude em licitações de obras de infraestrutura no Estado. Conversas captadas com autorização da Justiça Federal indicam que Eliseu Padilha, a partir da atuação em Brasília, teria sido um dos principais articuladores para o direcionamento de licitações das barragens em prol de empresários também investigados pela Polícia Federal. Eliseu Padilha era alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal, em Brasília, porque tinha foro privilegiado. Como não se reelegeu deputado federal, passa a responder às apurações da Solidária perante à Justiça Federal do Estado.

PSDB fica com comando da Comissão de Infraestrutura do Senado

O PSDB venceu a queda de braço com o PT pela presidência da Comissão de Infraestrutura do Senado. Depois de um impasse que durou mais de duas semanas, os petistas abriram mão do comando da comissão. O PT acabou isolado na disputa, sem o apoio do PMDB, que defende a regra da proporcionalidade partidária com base no tamanho de cada partido na Casa. O PMDB, maior bancada do Senado, escolheu a presidência da Comissão de Constituição e Justiça. O PT, com a segunda maior bancada eleita, ficou com a presidência da Comissão de Assuntos Econômicos, mas também reivindicava a Comissão de Infraestrutura. O PSDB, que é terceira maior bancada, conseguiu emplacar o comando da Comissão de Infraestrutura mesmo com a pressão contrária dos petistas. Os petistas vão agora brigar pelo comando da Comissão de Assuntos Econômicos e pela indicação do PDT para a presidência da Comissão de Agricultura e do PSB para o comando da Comissão de Meio Ambiente. O DEM reivindica a presidência da Comissão de Agricultura, o que pode se transformar em um novo embate na Casa. Sem acordo entre os partidos até agora, somente a CCJ deu início aos seus trabalhos no Senado duas semanas depois do início do ano legislativo.

Aécio Neves admite que PSDB pode apoiar mínimo de R$ 560,00

Bandeira de campanha do ex-governador José Serra (PSDB), o salário mínimo de R$ 600,00 não é unanimidade na bancada do PSDB no Senado. Parte dos tucanos já admite votar o salário mínimo de R$ 560,00 se o valor de R$ 600,00 não prosperar na Casa, entre eles o senador Aécio Neves (PSDB-MG). "O PSDB tem compromisso com o salário de R$ 600,00. Mas o realismo da política nos orienta a ter alternativas. Vamos ficar com os R$ 600,00 até quando possível", disse Aécio Neves. O tucano recebeu representantes das centrais sindicais nesta terça-feira para discutir o reajuste no mínimo. Aécio Neves ouviu dos sindicalistas apelos para que o PSDB defenda os R$ 560,00 no Senado. Apesar das centrais reivindicarem um reajuste maior que os R$ 545,00 propostos pelo governo federal, não consideram viável o valor de R$ 600,00 e por isso querem o apoio da oposição. "Tivemos o compromisso de que, se os R$ 600,00 forem derrotados no Senado, eles vão no mínimo para os R$ 560,00", disse o deputado federal pelegão Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), presidente da Força Sindical.

DEM quer mínimo de R$ 560,00 diz ACM Neto

O líder do DEM, deputado federal Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), confirmou nesta terça-feira que o partido vai apresentar emenda ao projeto do governo petista de Dilma Rousseff sobre o reajuste do salário mínimo para aumentar o valor para R$ 560,00. A bancada do partido se reuniu na manhã desta terça-feira para discutir a estratégia para a votação do assunto, marcada para esta quarta-feira. A emenda do DEM é a primeira ao projeto. Ele argumenta que esse valor aumentaria o poder aquisitivo do trabalhador, sem comprometer a Previdência nem as contas públicas de prefeituras, governos estaduais e União. ACM Neto disse concordar com a necessidade de uma política de valorização do salário mínimo de longo prazo, mas ressalta a necessidade de o governo ser flexível neste ano e conceder um aumento maior. O parlamentar argumentou que o aumento da inflação com alimentos e bebidas foi maior do que o registrado no INPC, índice proposto pelo governo como base para correção do salário mínimo.

Delegado comunista Protógenes Queiroz quer casar com banqueira suiça

Deputado federal (PCdoB-SP) e delegado licenciado da Polícia Federal, o neocomunista Protógenes Queiroz está namorando a banqueira bilionária Roberta Luchsinger. Os dois se conheceram na campanha eleitoral do ano passado, quando Protógenes concorreu e venceu a pelo Partido Comunista do Brasil de São Paulo à Câmara dos Deputados. Roberta Luchsinger tem uma das maiores fortunas do Brasil e do planeta. Ela é a única herdeira do grupo Credit Suisse, com sede em Zurique, o segundo maior banco da Suíça, depois do UBS. A instituição atua mundialmente e tem 48 mil funcionários. Em 2007, teve um lucro líquido de 7,8 bilhões de francos suíços. A neta de Peter Paul Arnold Luchsinger diz não falar sobre sua vida pessoal. Protógenes Queiroz frequenta com regularidade o Hotel e Restaurante Emiliano, mas há quem garanta que ele é hóspede contumaz de um dos mais luxuosos hotéis da capital paulistana, de propriedade do grupo Credit Suisse e que integra a rede The Leading Hotels. O “Emiliano” fica na Rua Oscar Freire, no coração dos Jardins, um dos bairros mais exclusivos de São Paulo. O agora deputado também recebeu apoio “indireto” de Roberta. Em dezembro de 2010, Roberta e Protógenes estiveram juntos em um evento público. Foi na XVª Edição da Taça Bárbara Wright de Vela na região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Também esteve presente Peter Paul Arnold Luchsinger, o avô de Roberta, que, segundo consta, já teria dado a bênção para um eventual casamento. O casal pensa em união formal, mas esbarra no passado de Protógenes, ainda legalmente vinculado a um primeiro casamento. O deputado se apressa para regularizar a situação da separação judicial. O contrato nupcial está praticamente concluído com cláusulas bem específicas. Além de resolver a questão documental, Protógenes tem outras questões pessoais pendentes. Há 12 anos ele é companheiro de Heloísa, com quem tem um filho de nove anos. A relação estaria em crise nos últimos dois anos. Roberta esteve recentemente em Brasília, quando se hospedou em luxuoso hotel da capital federal. Fez compras em um badalado shopping de Brasília e só não foi à posse de Protógenes Queiroz na Câmara dos Deputados por conta de um apelo do próprio namorado. É que também estava na cidade Heloísa. É de imaginar o constrangimento que poderia ocasionar um eventual encontro entre as duas mulheres. A banqueira chegou a Brasília a bordo de um helicóptero Agusta Westland, modelo AW 109 Power, utilizado na aviação executiva e que atinge a velocidade de 311 quilômetros horários. Certamente Protógenes Queiroz faz jus à tradição dos comunistas, que adoram uma boa vida mordômica e bem capitalista.

Obama diz que iranianos devem ter coragem para manter protestos

O presidente americano, Barack Obama, afirmou nesta terça-feira esperar que os iranianos tenham "coragem" para continuar protestando contra o regime, em declarações durante uma coletiva de imprensa na Casa Branca. Milhares de iranianos foram às ruas da capital Teerã e outras cidades na segunda-feira para protestar contra o ditador nazista islâmico Mahmoud Ahmadinejad, cuja reeleição, em 2009, consideram fraudulenta. As forças de segurança reprimiram os protestos com balas de borracha e gás lacrimogêneo e ao menos duas pessoas morreram. Obama disse ainda que era irônico que Teerã tenha aplaudido as manifestações populares que derrubaram o ditador Hosni Mubarak no Egito, mas "prenda e golpeie quem quer se expressar livremente" no país. O presidente também disse que os Estados Unidos enviaram uma "mensagem clara" aos seus aliados no Oriente Médio, dando como exemplo as mudanças políticas ocorridas no Egito e que os governos na região estão começando a entender a "fome por mudança" de seus povos. Nesta segunda-feira, em meio aos intensos confrontos entre manifestantes e as forças de segurança, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse que os Estados Unidos apóiam as demandas dos opositores e saudou a coragem e as aspirações dos que protestam contra o governo do ditador Ahmadinejad.

Aposentados da Previ terão aumento de 20% no benefício

Os aposentados e pensionistas do Plano 1 da Previ, o fundo de pensão do Banco do Brasil, receberão em até quatro dias úteis o primeiro crédito do benefício especial temporário a que têm direito devido ao superávit do plano, que engloba os funcionários admitidos até dezembro de 1997. Esse benefício corresponde a 20% do complemento da Previ, logo não engloba a parcela do INSS, e será pago enquanto houver recursos disponíveis no chamado Fundo de Destinação. O valor que será creditado neste mês para mais de 86 mil aposentados e pensionistas é referente a 14 parcelas, incluindo as 12 já previstas e mais duas correspondentes a janeiro e fevereiro. As demais serão creditadas junto com as respectivas folhas de pagamento, no dia 20 de cada mês. O mesmo percentual será projetado para os participantes da ativa e creditado em uma conta individual, podendo ser sacado quando se aposentarem. A alteração do regulamento do Plano 1 foi aprovada nesta terça-feira pela Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), a última instância necessária para que os recursos excedentes sejam destinados aos participantes, e inclui ainda a manutenção da suspensão integral das contribuições, o que já vem acontecendo desde 2007, do Banco do Brasil e dos participantes por mais três anos consecutivos. Ao todo, o Plano 1 da Previ tem cerca de 120 mil participantes, dos quais mais de 33 mil estão na ativa. Em comunicado, os membros da diretoria executiva da Previ avaliam que "a construção do processo de destinação do superávit, desde os primeiros debates com entidades dos participantes até o referendo dos associados e aprovação dos órgãos reguladores, foi muito importante para o sucesso de uma operação dessa magnitude, com a distribuição de recursos da ordem de R$ 15 bilhões".

Empresas de capital aberto já perdem o equivalente a um Banco do Brasil em valor de mercado

A desvalorização da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) desde o início deste ano já provocou uma destruição de valor entre as empresas de capital aberto em montante equivalente ao do Banco do Brasil, aponta um levantamento da consultoria Economática. A consultoria leva em conta o total das ações disponíveis na praça multiplicado pelo seu preço corrente para calcular o valor de mercado. Pelos cálculos da Economática, as 320 empresas brasileiras de capital aberto tinham um valor de mercado total de R$ 2,433 trilhões no final de 2010. Essa cifra encolheu para R$ 2,347 trilhões até o pregão de segunda-feira, uma diferença de R$ 85,6 bilhões, isto é, o valor do Banco do Brasil, uma das maiores instituições financeiras do País, nesse mesmo dia. Ainda conforme o levantamento da Economática, o setor da Bolsa que amargou as maiores perdas foi de alimentos e bebidas, em que o valor de mercado contraiu R$ 25,3 bilhões desde o final de 2010, representando uma queda de 11,7%. O setor de máquinas industriais veio em segundo lugar, com uma queda de 10,8%. Em termos absolutos, a maior perda foi verifica no setor bancário: o valor de mercado das empresas desse segmento ficou R$ 32,60 bilhões menor entre o final de 2010 e o pregão de segunda-feira.

Gasto do trabalhador brasileiro para comer fora de casa subiu 16% em 2010

O trabalhador brasileiro gastou, em média, R$ 21,11 para consumir fora de casa prato principal, sobremesa, bebida e cafezinho em 2010, aponta pesquisa feita pela Assert (Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador). O estudo do ano anterior indicou valor médio de R$ 18,20, o que aponta para uma alta de 15,98% no período. "O custo dos alimentos pressionou a inflação no ano passado e isso se reflete também no preço das refeições fora de casa", afirma o presidente da Assert, Artur Almeida. A inflação oficial, medida pelo IPCA, encerrou 2010 em alta de 5,91%. Almeida aponta que os alimentos ficaram 10,39% mais caros, contribuindo com 2,34% na formação do IPCA. "Isso representa 40% do índice", ressalta. Segundo ele, a forte demanda também pressionou os preços das refeições: "Há um forte crescimento no País da procura por restaurantes, uma vez que a massa salarial no País tem aumentado". Na divisão por região do País, as refeições mais caras estão na Sudeste (R$ 22,19), Centro-Oeste (R$ 21,21) e Norte (R$ 19,96). Em seguida aparecem a Nordeste (R$ 18,95) e a Sul (R$ 18,20). Já entre as cidades mais caras, aparecem o Rio de Janeiro (R$ 26,57) e Santos (R$ 26,34). Os analistas da associação acreditam que isso se deve às novas obras em andamento na cidade, projetos da construção civil visando à Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas e investimentos no pré-sal. Na sequência, estão Brasília (R$ 22,77), Campinas (R$ 22,26) e Grande São Paulo (R$ 21,72). O levantamento foi feito em 3.256 estabelecimentos que aceitam tíquete, vale e cartão-refeição, entre 22 de novembro e 16 de dezembro. Veja a lista por cidade: Belém - R$ 20,73; Manaus - R$ 18,81; Fortaleza - R$ 17,01; Salvador - R$ 20,59; Recife - R$ 18,84; Brasília - R$ 22,77; Campo Grande - R$ 16,44; Cuiabá - R$ 19,83; Goiânia - R$ 18,02; Belo Horizonte - R$ 17,97; Grande Vitória - R$ 21,57; Grande São Paulo - R$ 21,72; Campinas - R$ 22,26; Ribeirão Preto - R$ 20,97; Santos - R$ 26,34; São José dos Campos - R$ 20,90; Rio de Janeiro - R$ 26,57; Blumenau - R$ 16,35; Curitiba - R$ 17,23; Florianópolis - R$ 19,82; Joinville - R$ 20,72; Porto Alegre - R$ 18,24.

Ala de Kassab dá ultimato ao DEM e já prepara saída

Aliados do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, deram na segunda-feira um ultimato ao comando do DEM. Um dia após jantar com o prefeito, fixaram esta quarta-feira como prazo para a costura de uma chapa única para a direção do partido. Do contrário, deixarão a sigla. Como o clima é de beligerância, o gesto foi recebido como sinal de que, diante do risco de derrota, o grupo prepara o desembarque. Em almoço em São Paulo, o ex-senador Jorge Bornhausen (SC) avisou ao líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), que se desfiliará se não prosperar o acordo. "Minha contribuição [ao partido] acaba hoje. Se não construirmos um acordo até quarta-feira, encerro minha participação. Não adianta tentar por mais um mês", disse Bornhausen, cuja saída pavimentaria a adesão do governador Raimundo Colombo (SC) à base governista. Apoiado pela atual direção para a presidência do DEM, Agripino explica que o grupo pediu resposta já para avaliar seu futuro um mês antes da eleição do partido. O grupo apresentou uma proposta de difícil aceitação como condição de permanência. Pela idéia de Bornhausen, o grupo apoiaria a eleição de Agripino, abrindo mão do nome de Marco Maciel, desde que a Executiva fosse mantida como está.

USP prepara reformulação da Cidade Universitária por R$ 60 milhões

A reitoria da USP iniciou na Cidade Universitária obras preparatórias para o que afirma ser a primeira remodelação do campus desde sua criação, em 1968. O plano aprovado prevê a construção de três complexos e reformas de prédios. Entre as novas estruturas estão um centro de difusão internacional (para relações com o Exterior), um centro de convenções e área para museus. A USP planeja reformar totalmente o prédio da antiga reitoria (que voltará a abrigar a administração) e o anfiteatro Camargo Guarnieri. A administração informou que as intervenções já estão em licitação, com previsão de início das obras até junho e de entrega para até 2013. O custo do plano é de R$ 60 milhões. A universidade gasta, anualmente, R$ 15 milhões com bolsas de estudo e auxílio a estudantes.

Novo presidente de Furnas promete "transparência absoluta"

Ao tomar posse como novo presidente de Furnas, na tarde desta terça-feira, o engenheiro Flávio Decat colocou a "transparência absoluta" como uma das prioridades de sua gestão. Decat foi nomeado para o cargo após a vinda à tona de suspeitas de irregularidades na gestão de seu antecessor, Carlos Nadalutti, afilhado político do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ligado ao senador José Sarney (PMDB-AP), o novo presidente disse que promoverá ajustes nos processos internos da estatal e novas regras de governança societária. Decat disse ter o objetivo de que os funcionários de Furnas voltem a se orgulhar de trabalhar para a estatal. Decat afirmou que o seu primeiro desafio será "pacificar a casa". Ao emplacar Decat na presidência, a presidente Dilma Rousseff formalizou a retirada do PMDB da Câmara do comando da estatal.

Chefe de polícia civil do Rio de Janeiro não resiste a investigações de corrupção e cai

O chefe de Polícia Civil do Rio de Janeiro, delegado Allan Turnowski, deixou o cargo nesta terça-feira, após reunião com o secretário de Segurança do Estado, José Mariano Beltrame. Em nota, a corporação explica que a decisão foi tomada "após os dois concluírem que seria o mais adequado para preservar o bom funcionamento das instituições". A reunião foi feita como decorrência de uma crise na cúpula da Segurança do Rio de Janeiro, desencadeada na última sexta-feira, após a prisão de dezenas de policiais militares e civis, durante a Operação Guilhotina, da Polícia Federal. Ao todo, 45 pessoas foram detidas, acusadas de envolvimento em corrupção, participação em milícias, desvio de armas e venda de proteção a bicheiros, narcotraficantes e contrabandistas. Entre os presos está o delegado Carlos Antonio Oliveira, que até o ano passado foi o principal assistente de Turnowski, este considerado homem de confiança do de Beltrame. José Mariano Beltrame garantiu que "eventuais mudanças na equipe não vão prejudicar o compromisso assumido com a sociedade que é o de fazer do Rio de Janeiro um lugar cada vez mais seguro". A situação na Segurança ficou mais delicada após a cúpula da Polícia Civil saber que a Delegacia de Repressão contra o Crime Organizado (Draco) colaborou nas investigações da Polícia Federal que acabaram na Operação Guilhotina. Ao ser ouvido pela Polícia Federal, Turnowski reagiu atacando o delegado da Draco, Claudio Ferraz. No domingo, alegando ter recebido denúncias por meio de uma carta anônima, o ainda chefe da Polícia Civil mandou lacrar a sede especializada chefiada por Ferraz, acusando os policiais daquela especializada de arquivarem investigações após o possível recebimento de propinas. Ferraz disse que não era surpresa a reação tomada pela Polícia Civil, mas que a devassa realizada era um "constrangimento". Na semana passada, ele foi escolhido por Beltrame para assumir a superintendência de contrainteligência da Secretaria, cargo no qual dará continuidade às investigações contra policiais com desvio de conduta.

Supremo pede desculpas por piada com Sarney no Twitter

A Secretaria de Comunicação Social do Supremo Tribunal Federal definiu como "ato impensado" de uma funcionária terceirizada o comentário feito na rede de microblogs Twitter sobre o presidente do Senado, José Sarney (PMDB). Na conta oficial do tribunal no site, a funcionária escreveu que Sarney deve "pendurar as chuteiras", em uma referência à aposentadoria do jogador Ronaldo Fenômeno, anunciada na segunda-feira. Em nota, o Supremo pede "encarecidas desculpas" pelos "comentários impróprios a respeito de eminente autoridade" e afirma que a mensagem em nada reflete os pensamentos da Corte. A nota informa também que já foram tomadas as medidas administrativas cabíveis. Sarney, que está na política há quase 60 anos, acaba de ser eleito para o seu quarto mandato no comando do Senado.

Ministério da Defesa pode ter corte de até R$ 4 bilhões

O corte orçamentário do Ministério da Defesa deverá atingir cerca de 36 por cento dos recursos contingenciáveis da pasta, afirmou nesta terça-feira o ministro Nelson Jobim, após participar de reunião com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Jobim explicou que o orçamento total do ministério é 15,1 bilhões de reais, mas, segundo um técnico que o acompanhou, o valor passível de corte varia entre 10,5 bilhões de reais e 11 bilhões de reais. É sobre este montante que incidiriam os 36%. O corte na Defesa faz parte do esforço de todo o governo federal anunciado na semana passada de cortar 50 bilhões de reais do Orçamento da União. Questionado se a redução de gastos atrapalharia a compra dos novos caças da Força Aérea, ele explicou que, de uma forma ou de outra, a compra não seria concluída este ano. Segundo ele, após a tomada da decisão do fornecedor escolhido, a compra será avaliada pelo Conselho de Defesa Nacional e uma vez selecionada a empresa ela teria que discutir a compra com a Força Aérea. "Essa discussão de contrato leva no mínimo um ano", disse Jobim, que acredita que apenas a decisão sairá este ano.

Vereadores de Porto Alegre aprovam criação de fundação para cuidar do SUS

Com 26 votos favoráveis e apenas 10 contrários, a Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou, na madrugada desta terça-feira, o projeto de lei do Executivo que cria o Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf). Juntamente com o texto principal foram apreciadas e aprovadas 33 emendas apresentadas pelos vereadores. Conforme o texto do Executivo, o Imesf será uma fundação pública de direito privado que irá operar a rede integrada e articulada dos serviços de saúde, considerando ações que levem em conta o perfil epidemiológico da população e que se desenvolvam sob a forma de programas com metas de impacto definidas sobre a atenção básica, promoção, prevenção e proteção da saúde coletiva e individual. Resumindo: vai operacionalizar todos os serviços do SUS. Ainda pela proposta aprovada, o Imesf deverá desenvolver atividades de ensino e pesquisa científica e tecnológica na área da saúde. O instituto será vinculado à Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre e terá autonomias gerencial, patrimonial, orçamentária, englobando a contratação e gestão de convênios públicos. O projeto prevê ainda que os servidores contratados pelo Imesf, que integrarão as equipes multiprofissionais da Ação Estratégica à Saúde da Família, serão regidos pela CLT. Os Agentes Comunitários de Saúde e os Agentes de Combate a Endemias serão contratados por processo seletivo público com provas de conhecimento, e deverão dedicar tempo integral ao desenvolvimento da Ação Estratégica à Saúde da Família, cuja carga horária será de oito horas diárias e quarenta horas semanais. Os cargos do Imesf serão os seguintes: médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, dentistas, técnico em saúde bucal, atendente de gabinete odontológico, agente comunitário de saúde, agente de combate a endemias. Entre as carreiras de apoio constam administrador, assessor jurídico, contador, assistente administrativo, técnico em contabilidade e técnico em segurança do trabalho. O projeto sofreu uma avassaladora oposição do petismo, representado por veradores do PT e de seu braço auxiliar, o PSOL, e por organizações filopetistas, como o Conselho Municipal de Saúde. Foi uma oposição irracional, porque administrações petistas como as de Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo, no Estado do Rio Grande do Sul, já operam com suas fundações do SUS nos mesmos moldes de Porto Alegre. Também o governo petista da Bahia criou uma fundação similar.

Presidente da Colômbia proíbe negociações de paz com as Farc

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, reiterou nesta segunda-feira que seu governo não autoriza negociações de paz entre grupos humanitários e membros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização terrorista e traficante de cocaína). "Digo com toda a clareza, o governo não autorizou ninguém, nem pensa em fazê-lo - que fique claro, ninguém - para que realize nenhum tipo de contatos com grupos à margem da lei", disse Juan Manuel Santos. Segundo o presidente, "cada coisa tem seu momento e este não é o momento para esta discussão, muito menos para lançar propostas especulativas" sobre possíveis contatos ou autorizações dirigidas a contactar grupos ilegais para negociar a paz. No domingo, em uma entrevista divulgada pelo jornal colombiano "El Tiempo", a ex-senadora Piedad Corboba (cassada por suas ligações com os terroristas) e mediadora na entrega de vários reféns das Farc, pediu autorização a Santos para que possa dialogar com os grupos terroristas e traficantes de cocaína "na busca por um processo de paz". Para Juan Manuel Santos, "não há nada que mais afaste a paz do que estar permanentemente falando sobre ela", e por isso, disse, neste momento "devemos nos concentrar em construir condições de paz e reconciliação". Em outra parte de seu discurso desta segunda-feira, o presidente colombiano foi enfático ao afirmar que no futuro "não haverá zonas desocupadas para os grupos violentos, nem zonas vedadas para a Força Pública", como estipula a lei da Ordem Pública, cuja vigência foi prorrogada pelo Congresso por mais quatro anos. Entre outros assuntos, esta lei autoriza o governo a iniciar negociações com grupos armados ilegais. De acordo com o presidente, qualquer esforço de diálogo ou de paz que seja realizado no futuro não trará consigo as mencionadas zonas nem proibirá a presença da Força Pública. Mais cedo o governo também sinalizou que a retomada das operações de resgate dos últimos dois de um grupo de seis reféns das Farc não deve ocorrer nesta terça-feira, como espera o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV). A missão foi frustrada no domingo devido a coordenadas erradas fornecidas pelos terroristas e traficantes de cocaína das Farc. A missão conta com o apoio do Exército do Brasil, que integra as operações com helicópteros e soldados.