segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Presidente do PT abre baterias contra o Poder Judiciário

O presidente do PT, o "porquinho" José Eduardo Dutra, criticou nesta segunda-feira o Poder Judiciário em discurso feito à bancada de deputados federais do partido. Ao dizer que há uma "judicialização da política", citou dois exemplos: decisões recentes do Supremo Tribunal Federal de dar posse a suplentes do partido, não da coligação, e a aplicação da Lei da Ficha Limpa para punir atos ocorridos antes de sua entrada em vigor. "Para não falar que minha posição é partidária, disse aos deputados do PT que a lei não poderia ter sido aplicada nem ao Paulo Rocha nem ao Roriz. O problema do Ficha Limpa é a retroatividade. Existe uma conquista da civilização, de que nenhuma lei pode retroagir para prejudicar a pessoa. Se isso acontece na política, daqui a pouco acontecerá em qualquer coisa", afirmou o "porquinho" José Eduardo Dutra, após deixar a reunião, que ocorreu a portas fechadas. O presidente do PT se referia ao ex-deputado Paulo Rocha (PT-PA), que renunciou ao cargo durante o escândalo do Mensalão do PT, em 2005, e que, devido a isso, teve o seu registro de candidatura ao Senado, ano passado, negado pela Justiça eleitoral. E ao ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC), que renunciou ao cargo de senador em 2007. Devido à lei, ele abandonou em 2010 a candidatura ao governo do Distrito Federal. A crítica à posse de suplentes do partido e não da coligação também foi feita pelo presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), outro que participou da reunião com os deputados petistas. Ele disse que a Câmara continuará dando posse aos suplentes da coligação, apesar de o Supremo já ter decidido em duas ocasiões que a vaga pertence ao partido.

Justiça bloqueia contas de ex-dirigente do banco PanAmericano

A Justiça bloqueou as contas de quatro empresas de Rafael Palladino, ex-superintendente do PanAmericano, por suspeitar que sejam fantasmas e que receberam recursos desviados do banco. O PanAmericano era do apresentador Silvio Santos até a penúltima segunda-feira, quando foi vendido para o BTG Pactual por R$ 450 milhões. O banco teve um rombo de R$ 3,8 bilhões, prejuízo absorvido pelo Fundo Garantidor de Créditos, entidade dirigida pelos bancos que recebe recursos dos depositantes. Silvio Santos saiu sem dívidas. A decisão do bloqueio foi tomada no último dia 21 de janeiro. A suspeita de que são empresas fantasmas deve-se ao fato de que as quatro funcionam no mesmo endereço, um conjunto comercial na rua Pedroso Alvarenga, no Itaim Bibi, na zona oeste de São Paulo. As empresas sediadas no mesmo endereço são: RCF Administração e Participações, Max Control Evento e Promoção, Max America Negócios Imobiliários e Max America Participações.

Petrobras normaliza operação na plataforma P-50

A Petrobras abriu investigação para apurar um vazamento de gás ocorrido na manhã de domingo na plataforma P-50, instalada no campo de Albacora Leste, na bacia de Campos. A produção da unidade chegou a ser paralisada, mas foi normalizada horas depois. O plano de emergência da plataforma chegou a ser acionado, com o deslocamento da brigada de incêndio, mas o vazamento logo foi bloqueado, e as equipes não foram utilizadas. O incidente ocorreu na ligação de um dos poços com a plataforma, no trecho de superfície da linha de serviço. A plataforma P-50 é um navio-plataforma do tipo FPSO (que produz, processa, armazena e escoa petróleo e gás), e opera desde 2006. Tem capacidade para produzir até 180 mil barris/dia de petróleo, e 4 milhões de metros cúbicos/dia de gás.

STJ aceita três listas de indicados da OAB

Após três anos de impasse, o Superior Tribunal de Justiça definiu, nesta segunda-feira, as três listas tríplices com os indicados pela OAB para o preenchimento de três vagas reservadas à classe dos advogados no tribunal. As indicações seguem para a presidente Dilma Rousseff. Nos últimos anos, as vagas provocaram uma queda de braço entre o STJ e a OAB que foi parar no Supremo Tribunal Federal. Após o Superior Tribunal de Justiça rejeitar lista com os escolhidos das entidades, que recorreu, o Supremo definiu que o tribunal tinha autonomia para acatar ou não a lista. Segundo a legislação, um terço das 33 cadeiras deve ter como titular profissional da advocacia e do Ministério Público. Em setembro de 2007, a primeira vaga foi aberta com a aposentadoria do ministro Antônio Pádua Ribeiro. Para esse posto foram escolhidos nesta segunda-feira: Antônio Carlos Ferreira, Carlos Alberto Menezes e Ovídio Marins de Araújo. A segunda cadeira está em aberto desde julho de 2008 com a saída de Humberto Gomes de Barros. Podem ocupar o lugar dele: Rodrigo Lins e Silva Candido de Oliveira, Alde da Costa e Sebastião Alves dos Reis Júnior. Disputam a vaga de Nilson Naves, aberta em 2010, os advogados Ricardo Villas Bôas Cueva, Reynaldo Andrade da Silveira e Mário Roberto Pereira de Araújo. As cadeiras de Pádua Ribeiro e Barros motivaram o desentendimento entre o Superior Tribunal de Justiça e a OAB. Em 12 de fevereiro de 2008, o plenário da corte, com o quorum de 28 ministros, apreciou a lista sêxtupla encaminhada pela OAB para o posto de Pádua Ribeiro. Após três votações na mesma sessão, no entanto, nenhum dos advogados indicados obteve 15 votos, número correspondente à maioria dos ministros presentes, necessário para fazer parte de uma lista tríplice. Segundo o Superior Tribunal de Justiça, após o resultado caberia à OAB encaminhar nova lista sêxtupla, mas para a entidade, o plenário do tribunal deveria formar a lista tríplice com os mais votados, independentemente do mínimo de 15 votos previstos no regimento interno. A entidade apresentou um mandado de segurança ao próprio Superior Tribunal de Justiça, requerendo que o tribunal elaborasse a lista tríplice, mas a ação foi julgada improcedente. A OAB recorreu ao Supremo. O Supremo estabeleceu que o STJ pode recusar a lista quando nenhum dos integrantes obtiver votação mínima para compor a lista tríplice que deve ser encaminhada à Presidência da República.

Rio de Janeiro estuda ampliar número de UPPs que serão instaladas

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, disse nesta segunda-feira que o número de UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) previstas até 2014 poderá ser ampliado. Atualmente, o cronograma do governo do Rio de Janeiro prevê 40 UPPs até o fim do governo Sérgio Cabral (PMDB). Até agora, 14 foram instaladas, e novas unidades estão sendo preparadas, como as do complexo de favelas do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, e de favelas de Santa Teresa, na região central, ocupadas desde domingo pela polícia. "São 40 UPPs, mas já estamos com estudos de viabilidade de expansão. UPP é uma coisa muita séria que a gente não pode prometer. Temos que fazer para todos verem", afirmou Beltrame, após ser homenageado em almoço promovido pelo Lide (Grupo de Líderes Empresariais). UPP é um programa de acordão montado entre o governo populista do Rio de Janeiro e a bandidagem do tráfico de drogas. Ninguém vai preso.

Petista Erenice Guerra terá dez dias para apresentar alegações

O parecer da Comissão de Ética Pública da Presidência sobre a ex-ministra da Casa Civil, a petista Erenice Guerra, deve ficar pronta na próxima semana, informou o presidente do órgão, Sepúlveda Pertence. A petista deixou o cargo em setembro, durante a campanha eleitoral, após denúncias de tráfico de influência. Parentes da ex-ministra, que sucedeu a presidente Dilma Rousseff na Casa Civil quando ela saiu do posto para disputar a eleição, teriam intermediado contratos de empresas com entidades ligadas ao governo. "O relator recebeu todas as informações solicitadas, ele oferecerá o relatório e a ministra terá o prazo de dez dias para apresentar alegações", disse Sepúlveda. Segundo ele, o relator do processo, Fábio Coutinho, recebeu no fim da última semana documentos de órgãos que já tinham algum procedimento de investigação sobre a ex-ministra, como a Casa Civil, o Tribunal de Contas da União, a Controladoria Geral da união e o Ministério Público. Ainda de acordo com Sepúlveda, Erenice pode, ao final do processo, receber a sanção de censura que, na prática, não a impede de assumir um cargo público, mas funciona como um aspecto negativo em seu currículo de servidora pública. Não é mesmo fantástico? E ele já foi ministro do Supremo e se presta a esse serviço.

Sarney promete criar comissão para reforma política

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), prometeu instalar na semana que vem um comissão para elaborar o projeto de reforma política para tramitar no Congresso. Apesar do tema já estar em discussão na Câmara e no Senado há mais de dez anos, somente mudanças pontuais no sistema político saíram do papel, sem avanços em uma ampla reforma. Na opinião de Sarney, o Brasil "regrediu" na área política nos últimos anos, por isso a reforma se faz necessária. "Em geral, quando se fala em reforma política, discute-se, apresenta-se e não se acompanha. Quero acompanhar diariamente esse assunto porque eu acho que é o mais necessário que nós temos para melhorar a participação política no processo nacional", afirmou. Sarney disse nesta segunda-feira que a comissão deve reunir os projetos em tramitação no Congresso com mudanças no sistema política, com debates sobre o tema.

Senador pede informações a ministérios sobre cartões corporativos

Em busca de informações sobre os gastos do governo federal com cartões corporativos, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) protocolou nesta segunda-feira 37 pedidos de informações para cada ministério sobre a utilização dos cartões. Ele quer levantar os gastos de cada pasta com os cartões corporativos entre 2003 e 2010, a discriminação das despesas e a relação de funcionários autorizados a usar os cartões. Álvaro Dias também devia acionar a assessoria jurídica de seu partido para ingressar com pedidos de informação em seu nome pessoal, com fundamento na Lei Federal 9.051 (Lei das Certidões), para valorizar os direitos dos cidadãos. "As informações visam dar mais transparência à forma com que estão sendo efetuadas essas despesas, na tentativa de realizar um controle detalhado desses gastos", disse ele. Álvaro Dias afirmou que, durante o governo do ex-presidente Lula, tentou ter acesso às informações sobre os cartões corporativos, mas não obteve sucesso com o argumento de que os dados eram sigilosos. Portanto, mais uma razão para ingressar em juízo com o pedido de informações. Com base em dados do Portal da Transparência do governo, os gastos com cartões de pagamento do governo federal alcançaram, desde 2003 até o final de outubro de 2010, cerca de R$ 350 milhões. "No segundo mandato, esse valor triplicou, ficando em torno de R$ 267 milhões.

Ladrão do letreiro de Auschwitz é extraditado para a Suécia

O ex-líder neonazista sueco Anders Högström, condenado a dois anos e oito meses de prisão por "incitação ao roubo" do letreiro do campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, foi extraditado à Suécia. Ele deve cumprir o resto de sua sentença no país. Högström foi escoltado por agentes poloneses até o Aeroporto de Belize, perto de Cracóvia, onde foi transferido para a custódia da polícia sueca. O ex-neonazista foi condenado no último mês dezembro pelo Alto Tribunal de Cracóvia, pelo roubo do letreiro "Arbeit macht frei" ("O trabalho liberta"). A polícia recuperou a inscrição dias depois do roubo, repartida para facilitar sua ocultação no jardim de uma casa localizada no centro da Polônia. Na operação policial foram presas cinco pessoas, todas de nacionalidade polonesa, que permitiram a posterior detenção de Högström, idealizador do roubo. Os danos sofridos pela inscrição original, uma peça de ferro que tinha sido dividida em três partes pelos ladrões, obrigou o museu do campo de concentração a localizar temporariamente uma cópia do letreiro. Desde que aconteceu o roubo, o museu reforçou as medidas de segurança para frear outros possíveis atos criminosos no lugar, que possui 200 hectares e inclui vários edifícios. Entre 1940 e 1945, a Alemanha nazista exterminou em Auschwitz-Birkenau cerca de 1,1 milhão de pessoas, entre elas judeus, ciganos, poloneses não judeus e prisioneiros soviéticos.

Indicação de Luiz Fux para o Supremo já está na CCJ do Senado

A indicação do ministro Luiz Fux, do Superior Tribunal de Justiça, para ocupar a vaga deixada por Eros Grau no Supremo Tribunal Federal, já chegou à Comissão de Constituição e Justiça do Senado. A mensagem presidencial com a indicação foi lida na primeira reunião do Senado da nova legislatura, e encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça, comissão encarregada de sabatinar e votar a indicação. Antes de ser analisada, no entanto, o órgão deve escolher os novos membros da comissão (23 titulares e 23 suplentes e um relator para a mensagem), para somente então ser realizada a sabatina que, regimentalmente, é feita em reunião posterior à leitura do relatório, caso não seja requerida dispensa de prazos.

Lula acusa sindicalistas de oportunismo na discussão do mínimo

O ex-presidente Lula chamou de oportunista a recusa dos dirigentes sindicais em aceitar o aumento no salário minimo proposto pelo governo de sua sucessora, Dilma Rousseff. Lula fez duras críticas às entidades por, segundo ele, não respeitarem a regra informal do reajuste negociada em sua gestão. "O que não pode é os nossos companheiros sindicalistas, a cada momento, quererem mudar a regra do jogo", disse em Dacar, onde participa do Fórum Social Mundia: "Ou você tem uma regra, aprova na Câmara, vira lei e todo mundo fica tranquilo, ou você fica com o oportunismo". Lula disse que a regra do reajuste não foi dada pelo governo, e sim negociada com as centrais sindicais pelo então ministro do Trabalho, Luiz Marinho (PT), hoje prefeito de São Bernardo do Campo. "Na política, muitas vezes vale a palavra. Não é uma boa política querer mudar a cada ano um acordo que a gente faça", declarou o ex-presidente.

Ministro do Supremo mantém decisão que nega posse de Cunha Lima

O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, manteve decisão que impediu a posse do governador cassado Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) como senador. No dia 27 de janeiro, o presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, já havia negado o mesmo pedido. Para ele não havia pressa na decisão. Cunha Lima recorre da decisão do Tribunal Superior Eleitoral que cassou o registro de sua candidatura com base na Lei da Ficha Limpa. Apesar de ter recebido votos suficientes para assumir o mandato, foi considerado inelegível pela Justiça Eleitoral porque foi condenado por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2006.

OAB pede paralisação da construção da usina de Belo Monte

O presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, pediu no domingo que as obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte não sejam iniciadas antes da obtenção da Licença de Instalação definitiva, não a parcial concedida pelo Ibama. Segundo informações da Ordem, Cavalcante atendeu a um pedido do presidente da OAB do Pará, Jarbas Vasconcelos, e do vice-governador do Estado, Helenilson Pontes. Segundo ele, os empreendedores terão de cumprir as 40 condicionantes impostas pelo Ibama na Licença Prévia antes de iniciar qualquer ação na região. Com a Licença de Instalação parcial, a Nesa (Norte Energia S.A.) recebeu autorização para desmatar 238 hectares de florestas para a montagem dos canteiros de obra e acampamentos dos sítios Pimental e Belo Monte, onde serão construídas as duas barragens. O presidente da OAB nacional apelou à Justiça Federal que conceda, com urgência, liminar suspendendo a licença dada pelo Ibama. A décima ação civil pública contra o empreendimento aguarda análise ainda em 1ª instância.

Nelson Jobim defende que investimentos em defesa sejam fixados

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse nesta segunda-feira que está em gestação dentro de sua pasta um projeto que pretende obrigar o governo federal a manter os investimentos programados para a área militar. De acordo com Jobim, a medida é necessária para dar segurança a empresas nacionais cuja produção é voltada para o setor de defesa, incentivar investimentos em novas tecnologias e impedir que, por falta de oportunidades, técnicos brasileiros busquem emprego no Exterior. "Precisamos ter um tipo de segurança em relação às questões de defesa de que os programas que sejam estabelecidos, como o Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras) e monitoramento da Amazônia, tenham continuidade, tenham permanência", disse Jobim em São José dos Campos (a 91 quilômetros de São Paulo). O ministro defendeu a medida em discurso a empresários durante visita ao Parque Tecnológico de São José. A cidade é sede de grandes empresas do setor de defesa como a Embraer e a Avibras, que passa por dificuldades financeiras. Jobim, aliás, citou a Avibras para mostrar a importância de sua proposta. A empresa aguarda liberação de verbas federais para desenvolver um novo sistema de lançadores de foguetes chamado de Astros 2020. No final de janeiro, a Avibras demitiu 170 funcionários e uma das justificativas para a medida foi justamente o atraso do governo em liberar a verba para o programa. Depois, Jobim atribuiu o atraso à "paralisia" do governo federal devido à transição presidencial. Segundo ele, a situação da Avibras está sendo discutida e uma decisão deve sair em dez dias.

Poder Judiciário gaúcho demite juiz por conduta imprópria

Uma decisão inédita no Judiciário gaúcho levou à demissão o juiz Marcelo Colombelli Mezzomo, da Comarca de Três Passos, nesta segunda-feira. Mezzomo estava afastado das atividades desde julho de 2010 e respondia a um processo administrativo disciplinar por conduta incompatível às funções de magistrado. O processo teve início em maio do ano passado, a partir de um registro na delegacia de polícia de Três Passos. A dona de uma sorveteria afirmou que o juiz teria se dirigido à sua nora com "comentários e elogios impróprios" e com "comportamento visivelmente alterado", nas primeiras horas da manhã do dia 25 de maio de 2010. O juiz negou os fatos e afirmou ter dito apenas que a moça era muito bonita. Mesmo assim, o relator do caso, desembargador Luiz Ari Azambuja Ramos, considerou coerente a versão da proprietária da sorveteria, descartando a possibilidade de que as vítimas fossem "fantasiar uma situação inexistente, mesmo sabendo posteriormente que estavam acusando um Juiz de Direito da Comarca".  O desembargador também considerou o fato de que o juiz Marcelo Colombelli Mezzomo já havia sofrido pena de censura por envolvimento em acidente de trânsito e também respondia a outros processo administrativos por conduta inconveniente. Mezzomo, que havia sido nomeado em 25 de junho de 2007 teve o vitaliciamento (confirmação no cargo) suspenso, após a decisão unânime do Órgão Especial.

Sayad demite cerca de 150 funcionários da TV Cultura

A TV Cultura, de São Paulo, confirmou nesta segunda-feira, em nota, a demissão de "cerca de 150 funcionários" de seus quadros. Segundo comunicado oficial, a redução se deve "a um projeto de reestruturação da emissora, adequando a grade de programação à capacidade instalada, redução de custos e investimentos em novos programas." A reformulação prossegue na política de enxugamento levada a cabo por João Sayad, atual presidente da Fundação Padre Anchieta, gestora da TV Cultura, que assumiu há sete meses. As demissões começaram em agosto, quando ele informou seus planos de cortar 450 pessoas (chegou-se a especular que seriam 1,4 mil), além de encerrar os serviços terceirizados da fundação (gravações, por exemplo, para a TV Assembléia, TSE, Procuradoria da República e TV Justiça) e finalizar contratos. Segundo Sayad, em 24 horas de programação, a TV Cultura só produzia 6 horas de conteúdo próprio, o que considerava muito pouco para o tamanho da folha salarial. Segundo a TV Cultura, a fórmula para demitir mais 150 funcionários foi baseada "nas propostas feitas pelos gestores de cada uma das áreas envolvidas", e a comunicação da dispensa "foi feita individualmente a cada funcionário". Segundo José Maria Lopes, representante dos funcionários da TV Cultura no Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, a direção da fundação explicou detalhadamente cada corte e sua justificativa. A Fundação Padre Anchieta informou que "pagará integralmente todos os direitos rescisórios, valorizando e respeitando a dedicação e trabalho realizado na empresa por esses colaboradores". O grupo de 96 funcionários lotados na TV Assembléia, que corriam o risco de serem demitidos, serão absorvidos pela Fundac (Fundação para o Desenvolvimento das Artes e da Comunicação). O sindicato dos radialistas estima que, agora, a TV Cultura esteja com cerca de 900 funcionários. Desde meados do ano passado, Sayad se concentra na reestruturação da emissora. Seus cortes não são lineares. O presidente extinguiu também diretorias, como as de Produção, de Programação e de Produção Independente, que produzia para órgãos como a TV Justiça. Executivos foram demitidos, como Marcelo Amiky, de Produção, e Mauro Garcia, de Programação. Logo a seguir, foi extinta a Sucursal de Brasília da TV Cultura. Em julho, Sayad já tinha afastado de suas funções executivos importantes da TV, como Gabriel Priolli, que era Diretor de Jornalismo. Ele alegou que Priolli não tinha o perfil adequado para o cargo na emissora, gerida pela fundação. "Foi escolha equivocada", afirmou Sayad.

Governo recua e garante política para mínimo só até 2014

Prometida pela presidente Dilma Rousseff na mensagem enviada ao Congresso Nacional na semana passada, a política de valorização de longo prazo do salário mínimo vai ficar no médio prazo, com a fixação de regras para os reajustes até 2014, último ano do governo. O recuo do governo vai de encontro à lei 12.255/2010, que determinava que o Executivo deveria enviar ao Congresso, até 31 de março deste ano, um projeto de lei prevendo a política de valorização do salário mínimo até 2023. O ministro Luiz Sérgio (Relações Institucionais) chegou a dizer, após a reunião de coordenação do governo, no Palácio do Planalto, que o projeto enviado pelo ex-presidente Lula previa uma política para o salário válida até 2023, mas que o projeto não tinha sido aprovado no Congresso. Luiz Sérgio não explicou por que o governo desistiu de manter uma política fechada de valorização do salário mínimo até 2023.

Petrobras desiste de comprar participação da ENI na Galp

A Petrobras confirmou nesta segunda-feira que desistiu de comprar a participação que a petroleira italiana Eni tem na Galp Energia. Em comunicado, a estatal afirmou que finalizou as conversações. A empresa brasileira negociava, desde novembro passado, a compra de parte dos 33,34% que a Eni tem na Galp. A operação abriria à Petrobras o mercado europeu e reforçaria sua posição de líder no mercado nacional. A Galp é sócia da Petrobras no pré-sal, com 10% de participação na exploração de quatro campos, em Tupã e em Cernambi. A estatal não informou a razão da desistência. A negociação esbarrava na questão preço, já que a Petrobras estaria disposta a pagar cerca de R$ 7,8 bilhões, enquanto a ENI pedia R$ 10,4 bilhões.

OAB recebe dados e deve contestar pensões a políticos do Rio Grande do Sul

O presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, recebeu informações sobre as aposentadorias e pensões pagos a ex-governadores e beneficiários no Rio Grande do Sul e deve contestar no Supremo Tribunal Federal esses privilégios. A OAB já entrou com três Adins (ações diretas de inconstitucionalidade) contra o pagamento de aposentadorias vitalícias a ex-governadores dos Estados de Sergipe, Paraná e Amazonas. Cavalcante recebeu os dados do presidente da Seccional da OAB do Rio Grande do Sul, Claudio Lamachia. No documento, Lamachia informa que a Lei 10.548, de 26 de setembro de 1995, a qual deu nova redação à Lei Estadual 7.285/79, assegura aos ex-governadores que tenham exercido o cargo em caráter permanente, o recebimento de subsídio mensal equivalente aos vencimentos atualmente pagos aos desembargadores do Estado. No entendimento da OAB, a previsão de pagamento de pensões nas Constituições estaduais violam a Constituição Federal sob vários aspectos.

Foz do Iguaçu faz maior apreensão de munição da história

Fiscais da Receita Federal apreenderam 11.770 projéteis para armas de uso restrito das forças armadas em Foz do Iguaçu. Foi a maior apreensão de munição pela Receita na região de Foz, no Paraná. Os projéteis encontrados são compatíveis com fuzis AK-47, AR-15, 556 e 762, todos de alto poder de destruição e uso restrito de forças militares. A carga foi localizada na manhã de domingo, em um ônibus particular, durante operação da Receita em um posto de gasolina na saída de Foz de Iguaçu, na BR-277. Dentro do veículo, com placa de Mogi das Cruzes (SP), os fiscais também encontraram 960 frascos de lança perfume.

Palocci não repete "República de Ribeirão Preto"

Cinco anos após os escândalos que derrubaram o ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, o grupo que ficou conhecido como "República de Ribeirão Preto" está dividido entre os que continuam no poder e os "esquecidos". Palocci, ex-prefeito de Ribeirão Preto, levou para Brasília parte de sua equipe na administração municipal ao se tornar ministro no primeiro governo Lula, e alguns assessores se envolveram em denúncias em 2006. Agora, fortalecido na gestão Dilma Rousseff como ministro da Casa Civil, preferiu não repetir a dose. O engenheiro eletrônico Wagner Quirici, ex-presidente da Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) que caiu logo após Palocci, "reclama". Ele diz que só não está no governo federal por falta de convites. O ex-assessor Vladmir Poleto, que relatou à revista "Veja" ter transportado dólares vindos de Cuba para a campanha de 2002, se diz hoje "consultor empresarial" e vive longe da política, na periferia de Ribeirão Preto. Rogério Buratti, que em 2005 acusou Palocci de ter recebido "mensalinho" de uma empreiteira em sua segunda gestão em Ribeirão, é advogado em Belo Horizonte. Distante do grupo, afirma não se sentir abandonado, diz que se afastou da política "por opção" e não fala em se reaproximar do PT. Habituado a postar comentários pró-governo no Twitter, Buratti mantém petistas em suas redes sociais e não poupa elogios a Palocci: "Ele ocupa o lugar que uma pessoa com a competência dele tem de ocupar". Da antiga "República de Ribeirão", três membros se mantiveram no governo e um teve seu retorno confirmado no final de janeiro. Galeno Amorim, ex-secretário da Cultura de Ribeirão Preto, foi nomeado para a presidência da Fundação Biblioteca Nacional. Já o ex-subsecretário da Saúde em Ribeirão Preto, Fernando Mendes Garcia Neto, foi nomeado pelo próprio Palocci neste ano para um cargo no Ministério da Agricultura, pasta comandada por Wagner Rossi (PMDB), outro político ribeirão-pretano.

Produção de veículos bate recorde em janeiro no Brasil

A produção de veículos no Brasil bateu recorde em janeiro, atingindo o melhor desempenho para o mês com a fabricação de 261.777 automóveis, comerciais leves, ônibus e caminhões e ultrapassando o volume contabilizado em 2008 (254,2 mil). De acordo com os dados divulgados nesta segunda-feira pela Anfavea, houve acréscimo de 6,4% no confronto com janeiro do ano passado, mas redução de 9,1% ante dezembro. Já as exportações somaram 53.607 unidades, com alta de 10,7% ante janeiro e de 5,8% no confronto com dezembro. Em vendas (244,9 mil), janeiro apresentou expansão de 14,8% na comparação com igual intervalo no ano passado. Já no confronto com dezembro, os licenciamentos tiveram queda de 35,8%. O número de empregados nas montadoras somou 118.599 trabalhadores ao final do mês passado, superando o patamar contabilizado em dezembro (117.654).

Tesouro Direto foi melhor aplicação dos últimos dez anos com rendimento de 164%

O Tesouro Direto foi a modalidade que mais deu lucro aos investidores nos últimos dez anos no Brasil. Levantamento feito pelo Instituto Assaf, especializado em investimentos, mostra que as Notas do Tesouro Nacional (NTNs) proporcionaram ganhos reais de 164% aos investidores entre 2001 e 2010. Esses títulos são recomendados para investimentos de longo prazo, com vistas à aposentadoria por exemplo. Em segundo lugar do ranking que avalia rentabilidades reais obtidas entre 2001 e 2010, está a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), com ganho de 139,3%. Depois vem os fundos DI, com rendimento de 119%. O único investimento que não conseguiu resultados positivos no período avaliado foi o dólar, que demonstrou queda de 56,6%. Especialistas em investimentos e finanças pessoais salientam, em cima dos dados do estudo e também do desempenho dos investimentos no decorrer de janeiro deste ano (que foram bem semelhantes à avaliação dos últimos dez anos), como a renda fixa é um bom investimento no Brasil. O cenário positivo para os investimentos com baixíssimo risco é impulsionado pelas altas taxas de juros praticadas no País. "Mas é importante lembrar que, nos últimos 10 anos, a Selic esteve em 20% ao ano, coisa que não se repetirá, portanto, os ganhos na renda fixa serão menores de agora em diante", lembra Rafael Paschoarelli, professor de finanças da Fipecafi. Hoje a Selic está em 11,25% ao ano. "A atratividade da renda fixa no Brasil é inabalável", diz Willian Eid Júnior, coordenador do Centro de Estudos em Finanças da Fundação Getúlio Vargas. Ele chama atenção para os dados de janeiro: a Bovespa, por exemplo, amargou a última colocação no ranking de rentabilidade do mês, com recuo de 3,94%. A ausência de risco na renda fixa afasta os investidores de alternativas como a bolsa, que além do risco, exigem cuidado e estratégia na administração dos recursos.

Captação da poupança cai 90% em janeiro

Os depósitos na caderneta de poupança superaram os saques em apenas R$ 275 milhões em janeiro, segundo dados do Banco Central. Houve queda de 90% em relação a janeiro de 2010. Esse é o menor resultado desde abril de 2009. Naquele mês, os saques superaram os depósitos. Janeiro é tradicionalmente um mês fraco para a poupança em termos de captação de novos recursos, devido às despesas do início de ano. Em 2008 e 2010, no entanto, os resultados haviam sido expressivos, R$ 1,2 bilhão e R$ 2,6 bilhões, respectivamente. No mês passado, o total de recursos depositados na poupança, que inclui depósitos e rendimentos, chegou a R$ 381 bilhões, representando aumento de 18% em 12 meses.

Moedas rígidas prejudicam Brasil, diz secretário dos Estados Unidos

O Brasil enfrenta uma carga desproporcional de entrada de capital estrangeiro porque outras economias emergentes estão tentando sustentar moedas subvalorizadas, disse o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, nesta segunda-feira. Geithner não mencionou a China em comentários preparados para seu discurso em São Paulo, mas pediu que os países emergentes com grandes superávit comerciais e taxas de câmbio controladas façam mais para reequililbrar a economia mundial. Isso ajudará o Brasil e outros emergentes que têm taxas de câmbio flexíveis e mercados abertos, completou Geithner.

Dilma retoma programa e defende ponto de encontro com povo

A presidente Dilma Rousseff retomou nesta segunda-feira o programa semanal de rádio criado no governo de seu antecessor, o falastrão Lula, e disse que pretende fazer do mesmo "um ponto de encontro" com o povo brasileiro. "Eu gosto muito de falar no rádio, porque ele chega aos lugares mais distantes", disse Dilma logo após uma introdução do apresentador do programa. "Toda semana, Luciano Seixas, eu quero ter uma conversa com você e com os amigos e as amigas que estão me ouvindo, sobre o nosso País. Falar do que temos feito e falar também do que pretendemos fazer para melhorar a nossa vida e discutir os desafios que certamente vão aparecer", acrescentou Dilma durante a reestréia do programa. Com uma pequena mudança no nome, agora passa a chamar "Café com a Presidenta", o programa semanal de rádio com Dilma terá seis minutos de duração. Na primeira edição deste governo, a presidente aproveitou para falar da distribuição gratuita de remédios para hipertensão e diabetes, anunciada semana passada.

Google põe parte do acervo dos maiores museus do mundo na web

Está bem guardada na National Gallery de Londres a tela "Os Embaixadores" (1533), de Hans Holbein, o Jovem. Mas não é mais preciso tomar um avião à Inglaterra para vê-la em detalhes. Desde a semana passada, um novo site (www.googleartproject.com) do Google disponibiliza imagens em altíssima resolução dessa e de outras obras dos principais museus do mundo. O projeto, denominado Google Art Project, foi lançado com cerimônia na Tate, uma das 17 galerias participantes, e se assemelha ao Google Street View. O visitante pode navegar pelos corredores virtuais, "passear" pelas salas, aproximar as pinturas e saber mais sobre elas. A qualidade hiperreal das mais de mil reproduções impressiona, deixa identificar minúcias nas pinceladas, marcas da ação do tempo sobre a matéria. Mas nem todas as salas estão lá, e muito menos, todas as obras. A parceria com as megainstituições se deu de tal modo que cada museu escolheu exatamente o que de seu acervo mostrar. Entre as galerias participantes estão, até agora, quatro americanas (MoMA, Metropolitan, Frick Collection e Freer Gallery of Art), duas britânicas (National Gallery e Tate), uma tcheca (Kampa), as berlinenses Alte Nationalgalerie e Gemäldegalerie, as espanholas Reina Sofía e Thyssen-Bornemisza, a italiana Uffizi, o Palácio de Versalhes, duas holandesas (Rijksmuseum e Van Gogh) e duas russas (Museu Hermitage e Tretyakov).

Governo pretende limitar gastos com servidores

Arte/Folha
O governo petista de Dilma Rousseff pretende resgatar a proposta que limita o aumento real dos gastos com o funcionalismo público (governo federal, Legislativo e Judiciário). O tema será tratado como prioridade neste primeiro ano de mandato da presidente Dilma Rousseff. A discussão ainda é preliminar. Embora o número ainda não esteja fechado, já se fala em impor um teto de 2% ao ano, além da inflação. A trava ao gasto com pessoal restringe reajustes salariais e limita contratações e reestruturações de carreiras. O percentual discutido hoje na Presidência da República é maior que o proposto pelo Ministério da Fazenda em 2007 (1,5%), porém menor que os 2,5% a serem aplicados até 2019, já aprovados no Senado e aguardando deliberação da Câmara. De todo modo, será uma guinada. De 2009 para 2010, por exemplo, dados do Tesouro Nacional mostram que o crescimento das despesas com pessoal na União chegou a 9,8% no período, sem contar a inflação acumulada. O Executivo ainda não decidiu se vai mandar uma nova proposta ou recuperar a que está no Legislativo. Sob Lula, os desembolsos com servidores da União mais que dobraram. Em 2002, último período de Fernando Henrique Cardoso na Presidência, havia 1,82 milhão de funcionários públicos ativos e inativos distribuídos nas estruturas dos três Poderes, a um custo de R$ 73,3 bilhões. No ano passado, chegou-se à marca de 2,02 milhões de servidores, com uma conta inacreditável de R$ 166,5 bilhões, muito mais do que o dobro do gasto pelo governo do PSDB.

Kassab procura interlocutores do PT com plano para trair PSDB em São Paulo

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), procurou interlocutores do PT com um plano para "varrer" os tucanos do Estado: ele indicaria o vice para uma chapa do partido e do PMDB à sucessão municipal, em 2012. Em troca, ele iria para o ministério de Dilma Rousseff e os petistas o apoiariam numa candidatura ao governo do Estado em 2014, contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) ou um candidato lançado pelo tucano. Os interlocutores do PT ponderaram ser difícil garantir apoio a Kassab em 2014. "Se o Lula e a presidente Dilma Rousseff participarem desse acordo, ainda assim ele tem chance de fracassar. O PT é complicado", diz um dirigente do próprio partido que acompanha de perto as conversas com Kassab. E o PSDB está quieto, fazendo de conta que não acontece nada.

China vende mais caro para o Brasil, diz consultor americano

Consultor de dezenas de pequenas e médias empresas estrangeiras que se aventuram na China, o americano Paul Midler adverte: o Brasil está pagando mais pelo mesmo produto do que outros países por desconhecer como funciona a cadeia produtiva do seu principal parceiro comercial. Segundo Midler, as empresas chinesas aceitam fabricar para companhias americanas a preços mais baixos para ter acesso a modelos de produtos que podem ser depois exportados a países de regiões periféricas, como o Brasil e países africanos. Em 2009, Midler publicou "Poorly Made in China" (Malfeito na China), um relato bastante pessimista sobre como funciona a indústria de exportação chinesa. Segundo ele, os Estados Unidos são um dos mercados mais baratos do mundo, e isso é uma grande ironia da economia global. Os cidadãos mais ricos do planeta pagam menos por seus produtos, e essa é uma das razões por que as pessoas de países mais pobres viajam para comprar. Uma pequena garrafa de sabonete líquido que custa US$ 1,00 é vendida por US$ 2,00 e US$ 3,00 em outros países. Por diversos motivos, a mesma garrafa poderia ser vendida por US$ 5,00 no Brasil. As fábricas chinesas estão reconhecendo a oportunidade de vender seus produtos a um preço mais alto e estão priorizando lugares como o Brasil. Há algo com o comércio entre China e Brasil que se assemelha ao comércio com os Estados Unidos uns dez anos atrás: "Estamos agora vendo muito mais pequenos e médios importadores brasileiros chegando à China. Não falo do grande negócio, mas de pequenos jogadores que acabam de descobrir que é fácil fazer uma conexão com uma fábrica chinesa. Há muitas razões pelas quais estamos todos comprando produtos feitos na China. Um motivo é que as fábricas chinesas facilitam para os compradores. Outra razão é que elas oferecem barreiras baixas para entrar. As fábricas chinesas dão engenharia grátis. Elas embalam. Elas dizem para os clientes, "apenas me dê uma amostra e nós faremos". Uma das grandes diferenças é que as quantidades mínimas para um pedido caíram tanto que se pode começar um negócio na China com apenas US$ 25 mil (R$ 42 mil). Antes, eram necessários milhões de dólares. Essa barreira menor significa mais pessoas vindo para a China. A razão é que ninguém realmente quer discutir todos os problemas. Os chineses querem ignorar a situação, e a imprensa ocidental não ajuda ao escrever sobre os trens-bala e os produtos mais excepcionais em fabricação na China. Há obviamente bons e maus produtos, mas é perturbador ver esses tipos de falha de qualidade. Há uma negligência de segurança em demasiados ângulos. E a solução política tem sido reuniões entre os principais agentes de segurança do consumidor americanos e os funcionários de segurança chineses. Eu trabalho nessas fábricas, e a atitude com relação à qualidade não tem mudado".

Gilberto Carvalho fala pelo Brasil e diz que governo Dilma está “disposto a apoiar os movimentos” dos países árabes

O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) disse no domingo, no Senegal, que o governo brasileiro apóia o movimento que pede a queda do ditador do Egito, Hosni Mubarak. Ele comparou a mobilização à luta contra a ditadura militar no Brasil e defendeu que Mubarak convoque eleições para permitir uma transição para a democracia. “O Brasil está acompanhando com muita atenção e disposto a apoiar esses movimentos”, disse o ministro, que representa a presidente Dilma Rousseff no Fórum Social Mundial, em Dacar. Segundo Gilberto Carvalho, o Brasil espera que Mubarak tenha “bom senso” e convoque eleições diretas para interromper os conflitos de rua. “Os movimentos de massa se mostram de tal forma fortes que é muito importante uma atitude de Mubarak evitando a violência, que abra a possibilidade de novas eleições”, afirmou o ministro. “Temos a expectativa de que Mubarak tenha bom senso e evite o derramamento de sangue.” Ele disse ainda que o Brasil espera que o Egito não embarque em um regime fundamentalista, cenário que é previsto por alguns no caso de um eventual governo liderado pela Irmandade Muçulmana. Questionado se o Planalto seguiria a posição americana, ele disse que o país não defende “intervenção direta” e manterá atitude de “cautela e apoio à democracia”. Questionados, o Itamaraty e o Planalto não quiseram comentar as declarações de Carvalho. Desde o início dos protestos contra Mubarak, o Ministério das Relações Exteriores divulgou duas notas sobre a situação do Egito -a última delas defendeu um “aprimoramento institucional e democrático” do país. Já a assessoria do ministro disse que as declarações representam a opinião pessoal de Carvalho sobre o Egito, não do governo brasileiro. Uma coisa é o governo brasileiro pedir democracia no Egito e nos países islâmicos como um todo e até mesmo conclamar que não se recorra à violência contra manifestantes; outra, distinta, é dizer que o “Brasil está disposto a apoiar esses movimentos”. Como é? O Brasil está “disposto” a “apoiar movimentos” de insurreição? Ahmadinejad deve estar orgulhoso de Carvalho Carvalho. A Rainha Dilma Primeira tem de demitir Carvalho se quiser manter a sua autoridade. Na menor das hipóteses, está se metendo em área que não é a sua. Pior: está no Fórum Social representando a presidente da República. Logo, é como se a sua fala fosse a de Dilma. Nem parece que Lula estava até anteontem de braços dados com todos os ditadores que agora os petistas querem ajudar a derrubar. É o fim da picada!

Jornalista Políbio Braga desvenda bastidores do "Caso da Arapongagem"

O jornalista Políbio Braga postou em seu blog (www.polibiobraga.com.br), nesta segunda-feira, uma matéria elucidativa sobre o chamado "Caso da Arapongagem", que tomou a mídia gaúcha nas vésperas da eleição do ano passado. A seguir o texto: "A apenas três semanas das eleições do primeiro turno no Rio Grande do Sul, o promotor Amilcar Macedo, munido de mandado que pediu ao juiz de Canoas, tentou “invadir” o Palácio Piratini, em Porto Alegre, a pretexto de vistoriar carros que teriam sido utilizados pelo sargento Cesar Rodrigues, investigado desde o dia 3 de julho pelo Ministério Público Estadual, sob a acusação de extorsão pessoal e política, além de arapongagem na Casa Militar do governo do Estado. O promotor de Canoas estava acompanhado de uma dúzia de repórteres, quase todos da RBS, freqüentadores assíduos do seu Twitter. O espetáculo midiático, ocorrido depois de um ano todo de incidentes políticos que resultaram em fracassadas CPI e pedidos de impeachment, teve efeitos devastadores para a candidatura de Yeda Crusius (logo em seguida, outro espetáculo midiático inexplicável ocorreu no Banrisul, protagonizado por agentes do mesmo Ministério Público e da Polícia Federal). No grotesto episódio ocorrido no Palácio, a própria governadora Yeda Crusius apossou-se das chaves da Casa Militar, impediu o ingresso de Amilcar Macedo no Piratini, convidou os chefes dos demais Poderes (Simone Mariano da Rocha, do MPE; Leo Lima, do Tribunal de Justiça; Giovani Cherini, presidente da Assembléia) naquele mesmo dia, e obteve respaldo político para enfrentar o promotor de Canoas (os chefes de Poderes concluíram que o promotor estava fora da sua jurisdição e que juiz singular não tinha poderes para permitir seu ingresso no gabinete de despachos da goernadora). A Casa Militar caiu. O mal estava feito. O episódio prejudicou de modo irremediável as pretensões eleitorais de Yeda e ajudou a eleição de Tarso Genro. No dia 3 de julho do ano passado, o promotor Amilcar Macedo atendeu denúncia do chefe do Serviço de Inteligência do Comando de Policiamento Metropolitano (o major Adriano Klafke, inimigo pessoal do sargento Rodrigues, ligado ao PT) e conseguiu ordem do juiz para prendê-lo. Rodriguez foi mantido sem pão e sem água pelos primeiros dois dias. O pedido de prisão registrou uma  informação relevantíssima e decisiva para o convencimento do juiz, mas falsa, de que o sargento Rodriguez possuía uma senha privada da Procergs, que lhe permitia acesso a arquivos de autoridades (auditores da Procergs, mais tarde, desmentiram totalmente a informação). O leitor pode examinar o fac símile do pedido de prisão e checar este dado por conta própria. CLIQUE AQUI para examinar. A outra informação, a que se relaciona com arapongagem de dados sigilosos, resultou desmoralizada, porque logo se percebeu que 18 mil pessoas possuem as mesmas senhas usadas pelo sargento da Casa Militar. Durante vários meses, embora tenha prometido protocolar a denúncia em 15 dias, o promotor Amilcar Macedo movimentou repórteres da RBS e o seu próprio Twitter, elencando nomes ligados ao governo estadual, que nem sequer foram citados na denúncia: 1) O promotor sequer menciona a confissão feita pela própria RBS de que usava os serviços de arapongagem da Casa Militar. 2) Não há uma só linha sobre as relações do sargento com os serviços de inteligência estaduais e federais em operação no RS, inclusive a respeito do sistema Guardião, usado pelo Ministério Público para gravar telefonemas do próprio sargento, e pelo sargento para gravar telefonemas do próprio Ministério Público. 3) O promotor não faz uma única referência a possíveis desvios de dinheiro das extorsões – que não são provadas na denúncia – para finalidades eleitorais. 4) Nada, nem uma só palavra existe sobre o soldado Vargas, que admitiu ao promotor ter perseguido a deputada Stela Farias (Vargas é parente consaguínio de um jornalista da RBS e é bem conhecido na casa). O Promotor Amilcar Macedo nunca se preocupou em poupar nomes de assessores próximos da governadora Yeda Crusius. Todos eles foram submetidos à exposição pública vexatória, ameaçados de depoimento sob vara e submetidos a linchamentos públicos,  já que foram apresentados como possíveis quadrilheiros de uma provável conexão política destinada a espionar adversários de Yeda, alavancar dinheiro espúrio para a campanha eleitoral e espionar e perseguir adversários. Nada disto era verdade, como se vê agora na denúncia". Acessa também o link a seguir http://tinyurl.com/4zjg7mz para ler os documentos que acompanham a matéria de Políbio Braga.

Área cultivada do algodão em MT será 60% maior nesta safra

A área cultivada de algodão em Mato Grosso na safra 2010/11 deve ser 60% superior a safra 2009/10. De acordo com informações do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a previsão é semear 671,1 mil hectares, enquanto na safra passada foram destinados a cultura 419,2 mil hectares. Este aumento expressivo da área cultivada é explicada pela grande valorização que o produto teve no ano passado. Ainda segundo o Imea, a região Sudeste continua sendo a maior produtora da pluma no Estado, com 46% da produção total. Este número representa o total de 306 mil hectares. O instituto também informa que com a pausa no período chuvoso, por estas semanas, os produtores conseguiram praticamente finalizar o plantio da cultura com 94% da área total. "A região Oeste continua com os trabalhos no campo mais atrasados, com 83% de sua área plantada, devido a maior participação da segunda safra", aponta o boletim semanal do Imea.

Sócio do PT está privatizando o atendimento das emergências nos hospitais públicos do Rio de Janeiro

A prefeitura do Rio de Janeiro, sócia do petismo,anunciou que privatizará, entregando para Organização Sociais, a administração de suas quatro grandes emergências dos maiores hospitais da cidade: Souza Aguiar, Miguel Couto, Salgado Filho e Lourenço Jorge. Esses hospitais sofrem de problemas constantes nos últimos meses, com as faltas de pessoal e materiais nos estabelecimentos e, em especial, nas emergências, acentuadas nos fins de semana. O ex-prefeito, César Maia, aponta: "Esse caminho será o caos. Num grande hospital se terá duas cabeças de comando do mesmo espaço, público nos atendimentos ambulatoriais, cirurgias e internações, e privado na emergência. A emergência não é um setor à parte. Ao contrário. É totalmente integrada ao hospital e, nos casos mais delicados, depende do setor de cirurgias. Além disso, se terá dois regimes salariais. Será impossível administrar maqueiros, enfermeiros e médicos que no mesmo corredor têm salários e direções diferentes. E sem servidor concursado, a memória da experiência, fundamental nas emergências, se esvai. É o caos anunciado". Além dos hospitais, dois PAMs (Del Castilho e Irajá) serão incluídos no projeto de terceirização (privatização) das emergências. Esperem e verão....

O salário mínimo do petismo só serve para 545 cafezinhos no mês

O petismo se jacta das grandes promoções do salário mínimo em seus governos. Pois bem, vejamos. Um cafezinho custa, em qualquer botequim, a quantia de R$ 1,00. Uma família padrão, composta por pai, mãe e dois filhos, acorda e cada um toma um cafezinho. Isso custa R$ 4,00. Após o almoço, cada membro da família toma um cafezinho. São mais R$ 4,00. No lanche, cada um toma um cafezinho. São outros R$ 4,00. E no jantar outra vez a família gasta mais R$ 4,00 em cafezinhos. Portanto, em café da manhã, almoço, lanche e jantar, são 4 reais x 4 = 16 reais por dia. Em 30 dias são 30 x 16 = 480 reais. Isso corresponde a 88% do salário mínimo que os petistas querem dar aos trabalhadores brasileiros, de 545 reais. E só vão poder tomar cafezinho em 18 dias do mês com essa monumentalidade de salário mínimo do petismo. Que tal, hein? Se a família usa ônibus, está danada. A passagem de ônibus em Porto Alegre custa R$ 2,45. Se uma pessoa utilizar quatro passagens por dia para ir trabalhar (um gari), por exemplo, gastará no mês R4 494,00. Assim, ficarão faltando cerca de R$ 50,00 mensais no salário do trabalhador apenas para pagar ônibus. E a rainha imperial Dona Dilma 1ª e única acha que está muito bom, e que deve ficar assim? E as oposições vão ficar caladinhas?