sábado, 7 de maio de 2011

Israel fecha passagem à Cisjordânia devido a sua festa de independência

O exército israelense impôs neste sábado um fechamento às passagens de segurança à Cisjordânia a partir de meia-noite e que vigorará até a meia noite de terça-feira, para os festejos da independência de Israel. Durante este período, os palestinos não estarão autorizados a ingressar em Israel, com exceção de casos humanitários ou para as pessoas que precisam de tratamento médico. As celebrações que marcam o 63º aniversário da criação do Estado de Israel começam nesta segunda-feira à noite após o "Dia da Memória" em homenagem aos soldados mortos durante suas funções e às vítimas dos atentados. A festa da Independência comemora a proclamação do Estado de Israel, 14 de maio de 1948, segundo o calendário hebraico. Israel fecha sistematicamente as passagens com a Cisjordânia nas principais festas por medo de atentados. O cerco à Faixa de Gaza, imposto desde que o movimento islamita palestino Hamas tomou o controle, em junho de 2007, é ainda mais estrito.

Heineken pode fazer oferta para compra da Schincariol

A Heineken, terceira maior cervejaria do mundo em termos de volume, estuda fazer uma oferta para a compra da Schincariol, informou a Bloomberg, citando duas pessoas próximas ao assunto. A agência afirmou que a Heineken, cujas principais marcas são Heineken e Amstel, está analisando as informações contábeis da Schincariol, segunda maior cervejaria do Brasil, atrás da Anheuser-Busch InBev. De acordo com o Sunday Times, a Schincariol está à venda por cerca de US$ 2 bilhões, afirmou a Bloomberg. Na quinta-feira, a Heineken afirmou ter obtido um novo empréstimo de 2 bilhões de euros que será usado para diversos fins, incluindo aquisições. A Heineken atua no Brasil em parceira com a Kaiser. O país é o terceiro maior mercado mundial de cerveja em termos de volume, de acordo com a Mintel International.

Porsche apresenta versão Black Edition do Cayman S

Porsche Cayman S

Depois do Boxter e do 911, é a vez do Cayman S ganhar uma versão Black Edition. O modelo chega em junho na Europa, e a venda será limitada a 500 unidades. Além da cor preta e de mudanças estéticas, a versão será equipada com motor 3.4 de 330 cv, 10 cv a mais que o Cayman S normal. Segundo a Porsche, o Cayman S Black Edition tem velocidade máxima de 279 quilômetros horários e atinge 100 quilômetros em cinco segundos. Na Alemanha, o preço do carro partirá de 67.807 euros.

Argentina estuda dar pensão a escritores

A Argentina quer instituir uma pensão social para escritores. A idéia, inspirada em leis aprovadas na França e na Espanha, é defendida há anos por um grupo de escritores do país. A pressão é tanta que já são dois projetos em trâmite no Senado. "Com a barriga vazia, o escritor não escreve", diz o poeta Miroslav Scheuba, coordenador da Sociedade Argentina de Escritores. "Como escritores são boêmios, não economizam e acabam sem nada", completa. A entidade já conseguiu aprovar o projeto em Buenos Aires, em 2009. São 100 escritores beneficiados, que recebem por mês 2.650 pesos, cerca de R$ 1.080,00. A prefeitura da cidade analisa atualmente o pedido de pensão de outros 30 autores. Pelos cálculos do governo, no âmbito federal, seriam quase mil beneficiados. Os requisitos para o autor postular à pensão é não ter fonte de renda, ou tê-la menor que o valor da bolsa-escritor. É necessário ter mais de 60 anos, ter se dedicado mais de 20 anos à atividade literária ou publicado mais de cinco livros. Outro quesito essencial é morar há pelo menos 15 anos na Argentina. No final de abril, o deputado governista Carlos Heller apresentou um outro projeto com quase as mesmas propostas. A diferença é que a idade mínima para receber a pensão é de 65 anos, e o escritor necessita ter contribuído pelo menos 15 anos com a previdência.

Roger Agnelli sai da Vale denunciando atuação de consultores petistas na empresa

Antes de cair, o ex-dirigente da Vale, Roger Agnelli, alertou a presidente sobre a estranha atuação de consultores ligados ao PT que faturam milhões com royalties. O município de Parauapebas, no sudeste do Pará, abriga a maior mina de ferro a céu aberto do mundo, a jazida de Carajás, explorada pela Vale. Pela riqueza mineral, a cidade recebeu R$ 700 milhões de royalties da mineradora nos últimos cinco anos. Trata-se de uma compensação pela exploração do solo. Apesar dos repasses milionários, Parauapebas é cercada por favelas, cujos barracos se expandem por uma sequência de morros. Bairros próximos ao centro têm esgoto a céu aberto e ruas sem asfalto, muitas com pedaços de madeira e sucata para evitar que motoristas desavisados atolem na lama. Comandado pelo PT, o município integra um capítulo até aqui não revelado da campanha para tirar o executivo Roger Agnelli da presidência da Vale. Há nesse episódio suspeitas de desvio de milhões de reais de recursos públicos. É dinheiro pago pela mineradora, que entrou no caixa da prefeitura e que deveria ser aplicado na melhoria das condições de vida da população. De acordo com investigações de dois órgãos de fiscalização, esse dinheiro foi parar em lugar impróprio. Fortes indícios do caso chegaram à mesa da presidente Dilma Rousseff, em uma carta assinada por Agnelli, em 14 de março. No texto, Agnelli alerta que a disputa em torno dos royalties estava inserida em um “contexto político” e que havia “investigações criminais em andamento” sobre o esquema da prefeitura de Parauapebas. O Palácio do Planalto afirmou que a cobrança dos royalties é feita pelas prefeituras e que a carta foi encaminhada ao Ministério de Minas e Energia. A campanha contra Agnelli foi deflagrada no início de março por determinação de Dilma. Sem cerimônias, o Planalto despachou o ministro Guido Mantega, da Fazenda, a Osasco, em São Paulo, para convencer o Bradesco, principal sócio privado da companhia, a aceitar a substituição de Agnelli. Em outra frente, o ministro Edison Lobão, de Minas e Energia, pressionou publicamente a mineradora a pagar R$ 5 bilhões de royalties pela exploração do solo no País, soma além dos valores que a Vale recolhe regularmente todo ano. A empresa contesta o débito na Justiça. É nesse contexto que entra Parauapebas. Do total da suposta dívida dos royalties, R$ 800 milhões caberiam ao município paraense, administrado desde 2005 pelo petista Darci José Lermen. Enquanto cobra a fatura da Vale, Lermen enfrenta o escrutínio do Tribunal de Contas dos Municípios do Pará e do Ministério Público Estadual. Os dois órgãos querem saber onde foram aplicados os R$ 700 milhões que a cidade já recebeu da mineradora nos últimos anos. A investigação envolve um contrato mantido por Lermen, desde 2006, com o advogado Jader Alberto Pazinato, filiado ao PR, partido da base aliada do governo. O escritório de Pazinato fica em Balneário Camboriú, em Santa Catarina, a mais de 3.000 quilômetros de distância do Pará. Pelo acordo, a que a resvista ÉPOCA teve acesso, Pazinato fica com R$ 20,00 de cada R$ 100,00 depositados nos cofres da prefeitura referentes a impostos e royalties da Vale. Desde 2007, ele já embolsou cerca de R$ 9 milhões, segundo o Tribunal de Contas dos Municípios. O Tribunal apura a legalidade do contrato, assinado sem licitação. Há interesse de terceiros envolvidos, como consultores pedindo altas comissões, razão pela qual a disputa adquire tal contexto político. Uma das tarefas de Pazinato é atuar na Justiça contra a Vale. Além da cobrança política feita pelo Planalto, o governo federal processou a mineradora para receber o valor que considera ser seu de direito. Nessas ações, as prefeituras podem atuar como assistentes do Departamento Nacional de Mineração (DNPM), encarregado de encabeçar os processos. Foi nessa brecha que o prefeito Lermen encaixou o escritório de Pazinato. O Tribunal de Contas dos Municípios do Pará não detalha a que se referem exatamente os valores recebidos por Pazinato até agora, se aos royalties em disputa ou aos pagamentos regulares feitos pela mineradora. Pazinato busca diversificar sua atuação. Para isso, conta com o apoio da Associação dos Municípios Mineradores do Brasil (Amib), cujo vice-presidente é Lermen. O presidente é outro petista, o prefeito de Congonhas, em Minas Gerais, Anderson Cabido. Pazinato presta assessoria jurídica à associação, mas não consegue oferecer seus serviços aos municípios mineiros. Lá, o Tribunal de Contas local proíbe contratos dessa natureza com municípios. O prefeito Cabido diz acreditar que o embate pelos royalties foi “a gota d’água” para a queda de Agnelli. A cronologia dos fatos combina com a afirmação. No início de fevereiro, Lobão recebeu por escrito, da Amib, a reivindicação para que a Vale aceitasse pagar a mais pelos royalties. No fim daquele mês, a superintendência do DNPM no Pará, órgão subordinado a Lobão, abriu processo para cassar a concessão da Vale na mina de Carajás, com base nas multas lançadas em 2008 e 2009. As penalidades haviam sido aplicadas sob o argumento de que a Vale não pagara o valor correto de royalties aos municípios. As mineradoras e o DNPM divergem sobre a forma de cálculo desses recursos. De um lado, as mineradoras entendem que, do valor a ser recolhido, podem ser descontados impostos e custos operacionais, como o transporte do minério. De outro, o DNPM afirma que não há previsão legal para esses abatimentos. No fim, a direção nacional do DNPM arquivou o processo de cassação da concessão. Mas o desgaste já estava consumado. Na carta enviada a Dilma, Agnelli cita a “tentativa de ameaçar o direito minerário de Carajás, o que o próprio DNPM anulou por total ilegalidade”. No mesmo dia em que funcionários da Vale entregavam o documento no Planalto, Agnelli se reunia com Lobão. Gestava-se ali mais uma surpresa desagradável para ele e para a Vale: logo após o encontro, Lobão disse à imprensa que a Vale admitia finalmente a dívida. ÉPOCA apurou que Agnelli ficou constrangido com a declaração. Ele dissera apenas que a Vale mantinha ações na Justiça contra a cobrança que considerava indevida, mas acataria eventuais decisões opostas. Agnelli entendeu que a iniciativa de Lobão era mais uma arma do governo para tirá-lo do cargo. No fim, Agnelli caiu. Menos de 15 dias depois da carta e da reunião com Lobão, os acionistas da mineradora tornaram pública a decisão de substituí-lo. O governo interfere na gestão da mineradora por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e da Previ, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, que, juntos, detêm 60,5% do bloco de controle da Vale. Em Parauapebas, ainda resta uma ponta sem desfecho. Danyllo Pompeu Colares, promotor de justiça do Pará, diz que moradores pediram abertura de um inquérito civil para apurar onde são aplicados os royalties depositados na conta do município. Colares afirma que, cinco meses após o início da investigação, a prefeitura nada esclareceu. O investimento público que mais chama a atenção de quem chega à cidade é o prédio da prefeitura, inaugurado em dezembro de 2009. Com quatro andares, no alto de um morro, custou cerca de R$ 12 milhões, segundo o prefeito. Lermen afirma que faz investimentos maciços na infraestrutura da cidade (construção de escolas, estradas, saneamento e hospitais), mas que os recursos não são suficientes diante do crescimento populacional.

Morre Lídio Toledo, médico da Seleção brasileira nas Copas de 94 e 98

Lídio Toledo, ex-médico da seleção brasileira de seis Copas do Mundo, entre elas 1994 e 1998, morreu na manhã deste sábado, no Rio de Janeiro, aos 78 anos. Lidio Toledo foi internado na sexta-feira, no hospital Samaritano, em razão de problemas cardíacos e insuficiência renal. Além da seleção, o ortopedista também trabalhou no Botafogo e no Vasco. Lidio Toledo protagonizou momentos fortes na equipe nacional, principalmente no Mundial da França, em 98, quando o Brasil foi vice-campeão após perder da França na decisão. Até o início do torneio, Lídio Toledo era considerado um dos poucos intocáveis na comissão técnica. Após a série de equívocos protagonizada pelo médico e pela sua equipe na França, acabou afastado do cargo. Além de ter liberado o atacante Ronaldo para disputar a final contra a seleção francesa, após a crise sofrida pelo jogador na concentração, o médico foi o responsável pelo corte do atacante Romário às vésperas do encerramento do prazo de inscrição na competição. O caso de Romário foi ainda mais eloquente. Quando o atacante chegou à França e começou a ser poupado dos treinos, Lídio Toledo disse que ele tinha uma mialgia.

Milícia bandida no Rio de Janeiro já controla o "Minha Casa, Minha Vida"

A milícia chefiada pelo ex-policial militar Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, vem impondo a cobrança de "taxas de segurança" a cerca de dez mil moradores de 2.709 imóveis em 11 conjuntos habitacionais do Programa "Minha Casa, Minha Vida", em Campo Grande, Cosmos e Realengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O secretário municipal de Habitação, Jorge Bittar, disse que a atuação dos grupos paramilitares pode pôr em risco a continuidade do programa federal, que prevê a entrega este ano de 12 mil unidades, 80% delas na região. Para impor o medo aos moradores, o grupo chefiado por Batman (hoje preso em unidade de segurança máxima em Mato Grosso do Sul) costuma invadir as áreas internas dos condomínios, exibindo armas e até disparando tiros para o alto. No condomínio Ferrara, em Campo Grande, os milicianos chegaram a ocupar e vender 143 dos 262 apartamentos. A situação no condomínio Ferrara é a mais grave. Lá, os milicianos aproveitaram que o conjunto ainda não havia recebido todos os moradores cadastrados pela secretaria e invadiram 143 unidades.

Plebiscito para divisão do Pará em três Estados causa divergências

A aprovação pela Câmara de Deputados de plebiscitos para o desmembramento do Pará e criação de dois novos Estados - Carajás e Tapajós - foi recebida por estudiosos da vida administrativa brasileira como simples manobra para criação de cargos executivos, mais empregos públicos e espaço para troca de favores políticos. “Não vejo como os problemas daquela área seriam mais bem resolvidos com essa providência”, resumiu a economista Luciana Gross, da Escola de Administração da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Um dos sérios desafios da região, adverte a economista, “é sua precária estrutura rodoviária e fluvial”. E isso não se resolve, acrescenta, “com a construção de mais prédios e instalação de novas assembléias, fóruns, secretarias e mais empregos públicos”. “Criar um Estado não melhora a capacidade de arrecadar tributos”, afirmou. No mesmo tom, o cientista político Marco Antonio Teixeira, da PUC, diz que a aprovação dos plebiscitos, até pelo modo como foi obtida, numa votação simbólica, numa tarde de quinta-feira, com pouca gente em plenário, aponta para “uma acomodação entre lideranças políticas, para futura troca de favores”.

Preços administrados pelo governo é que fizeram inflação estourar teto da meta

Os grandes vilões da inflação este ano são os serviços e produtos com preços sob controle ou vigilância do governo, como os combustíveis. Ao contrário do ano passado, os alimentos têm contribuído menos para a inflação em 2011. O álcool e a gasolina mais caros puxaram a alta de 0,77% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em abril. No acumulado de 12 meses, o índice chegou a 6,51%, acima do teto da meta do governo de 6,5%. O Banco Central diz, porém, que a inflação vai baixar nos próximos meses e que a meta só vale para o período de janeiro a dezembro e não leva em conta variações além da primeira casa decimal depois da vírgula. Ou seja, a inflação ainda estaria, tecnicamente, dentro da meta. “Este ano, estão pressionando a inflação os reajustes de ônibus urbano, energia, taxa de água e esgoto e, neste ultimo mês, com força, também a gasolina”, disse a coordenadora de índices de preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Eulina Nunes dos Santos. A inflação de maio também deve voltar a ser pressionada pelos preços administrados, com o aumento nas tarifas de energia elétrica em algumas regiões metropolitanas e também pela tarifa de ônibus urbano no Rio de Janeiro, reajustada na sexta-feira em 4,17%.

PT faz churrasco e festa para a volta do mensaleiro Delúbio Soares

Uma semana depois de ser reintegrado ao PT, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares, réu no processo que julga o esquema corruptor do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, foi homenageado neste sábado, em Buriti Alegre (GO), sua cidade natal. O diretório municipal do PT, com a ajuda do prefeito da cidade, o petista João Alfredo Mello Neto, promoveu uma grande festa para o ex-tesoureiro, expulso em 2005 por “gestão temerária”. Essa é a primeira mostra de boas-vindas. No dia 26, uma megacelebração está em preparação pela direção municipal do PT em Goiânia, com shows de artistas locais, discursos e apoios políticos. Petistas amigos de Delúbio Soares apostam que seu futuro político será sair como candidato a uma vaga de deputado federal por Goiás em 2014. O irmão do ex-tesoureiro, Carlos Soares, já anunciou sua candidatura à vereador de Goiânia. Carlos Soares não conseguiu se reeleger a uma vaga na Câmara Municipal nas últimas eleições, mas, com a ajuda de Delúbio Soares, espera voltar ao cargo. “Vamos dar as boas-vindas a Delúbio. O PT virou uma grande família e estamos recebendo o nosso filho de volta”, afirmou Ivanor Florêncio, ex-presidente do PT de Goiânia, assessor da prefeitura da cidade e um dos organizadores da festa de boas-vindas. O petista reuniu em torno de 500 pessoas no dia 26. A festança reuniu 15 prefeitos da região, companheiros de partido e familiares do petista no ginásio de esportes da Paróquia Nossa Senhora Abadia, alugado pelo diretório municipal do PT.

Ministro da Justiça anuncia liberação de verbas para forças policiais

O ministro da Justiça, o "porquinho" José Eduardo Cardozo, anunciou a liberação de R$14 milhões a serem repartidos pela Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Força Nacional. Segundo Cardozo o valor será usado para o pagamento de diárias de agentes em operações. "Isso já desafoga situações e evita especulações que indicavam que operações estavam parando", disse o ministro. O Ministério da Justiça, com orçamento previsto de R$ 4,2 bilhões para 2011, sofreu corte de verbas no valor R$ 1,5 bilhão pelo governo federal. Cardozo disse que a Polícia Federal não vai diminuir a quantidade de operações ou outras ações por conta da restrição financeira. "A ordem é botar o pé no acelerador mas dirigindo, do ponto de vista da gestão, da forma mais cuidadosa. Cada centavo deve ser multiplicado por dez, com uma boa gestão, e isso vem acontecendo na Polícia Federal", afirmou. O ministro participou na noite desta sexta-feira da posse do novo superintendente da Polícia Federal no Estado de São Paulo, Roberto Troncon Filho.

Aldo Rebelo é vaiado em Salvador

O relator do novo Código Florestal, deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), foi vaiado na sexta-feira por estudantes durante um debate sobre o texto com integrantes do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, em Salvador. Segundo o estudante Diego Souza, diretor da Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil, que participou do protesto, as vaias demonstraram a insatisfação dos estudantes de agronomia de todo o País. Para ele, a mudança do código atende aos interesses da bancada ruralista da Câmara dos Deputados e do agronegócio. "O que nós queremos é a preservação da mata nativa. A alteração do código vai favorecer a monocultura e o agronegócio", afirmou.

Unicamp abre processo disciplinar para acusado de fraude

A comissão de sindicância Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) que analisava a acusação de fraude em 11 artigos científicos envolvendo um dos pesquisadores da instituição, o químico Claudio Airoldi, pediu abertura de processo administrativo disciplinar contra o docente. A sindicância veio depois que a editora de revistas científicas Elsevier afirmou ter achado evidências de manipulação de imagens de ressonância magnética nos estudos assinados por Airoldi e outros colegas, após consultar três cientistas independentes. Os estudos foram "retratados", ou seja, despublicados, e seu conteúdo foi invalidado. Em nota, a Unicamp afirmou que irá encaminhar o resultado da sindicância também para a Universidade Federal do Mato Grosso. O outro envolvido na suspeita de manipulação, Denis Guerra, é professor dessa instiruição. O processo deve levar entre 30 e 60 dias para ser concluído.

Tribunal de Justiça do Acre processa governo para participar da elaboração do orçamento

O presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Adair José Longuini, pediu que o Supremo Tribunal Federal assegure a sua participação na elaboração do orçamento de 2012. Segundo o desembargador, o Judiciário do Acre tentou dialogar com o governo sobre a questão, mas não obteve "sucesso". Ele diz que nos últimos anos o Tribunal de Justiça "tem sido alijado, sistemática e propositalmente, das discussões preparatórias e, ainda, do processo legislativo para a elaboração das Leis de Diretrizes Orçamentárias". O presidente do Tribunal de Justiça do Acre quer do governo todas as informações sobre o orçamento, que deve ser enviado para a Assembléia Legislativa até 15 de maio.

Chile exumará corpo de ex-presidente Allende em 23 de maio

A exumação dos restos do ex-presidente chileno Salvador Allende será realizada no dia 23 de maio para esclarecer se houve suicídio, como indica a versão oficial, ou se ele foi executado durante o golpe de Estado que o derrubou em 1973, informou o juiz encarregado do processo. "Marcamos a data de 23 de maio. O horário não foi estabelecido, porque depende muito das pessoas que vão participar" do exame, disse o juiz Mario Carroza. O juiz decretou na sexta-feira a exumação dos restos mortais do ex-presidente Salvador Allende para a realização de uma nova autópsia para tentar identificar as causas reais de sua morte, em 1973. O magistrado não forneceu maiores detalhes da exumação, mas adiantou que "tudo será revelado ao público, como deve ser". As perícias ficarão a cargo do Serviço Médico Legal do Chile e serão realizadas depois que em 15 de abril a Justiça teve acesso a um pedido da família do mandatário para exumar seus restos. Salvador Allende morreu aos 65 anos durante o golpe militar que instaurou a ditadura de Augusto Pinochet, no dia 11 de setembro de 1973. Sua família continua sustentando a tese de suicídio, mas considera necessário esclarecer as circunstâncias em que ocorreu a morte de Allende, que estava dentro do palácio presidencial bombardeado por terra e ar pelas forças golpistas.

Resgate de corpos de vítimas do Airbus A330 da Air France terá reforço

A equipe que realiza o resgate dos corpos das vítimas do Airbus A330 da Air France, que caiu em 2009 no oceano Atlântico, matando 228 pessoas, vai receber reforços nas próximas semanas. A polícia francesa, encarregada de resgatar os corpos em cumprimento à determinação do juiz responsável pelo processo do acidente, indicou em comunicado que o navio Ile de Sein vai receber cerca de dez novos especialistas no próximo dia 20. Atualmente, oito policiais franceses, entre eles peritos do Instituto de Pesquisa Criminal Militar, estão no navio. A equipe de reforço vai ajudar na análise dos corpos e restos pessoais recolhidos, inicialmente por duas semanas. Os policiais já submeteram os corpos resgatados a testes para determinar se é possível sua identificação pela análise de DNA, mas os resultados não foram divulgados. Segundo a polícia francesa, é possível que exames não permitam a identificação, devido à deterioração.

Investimento da Vale deve ficar abaixo do previsto em 2011

A mineradora Vale deverá investir menos do que previa em 2011 devido a alguns fatores que estão retardando o avanço dos seus vários projetos no Brasil e no Exterior. Executivos da companhia comentaram nesta sexta-feira, em teleconferência com analistas e investidores sobre o resultado financeiro da empresa no primeiro trimestre, divulgado na última quinta-feira, que o volume total de investimentos pode ficar cerca de US$ 4 bilhões abaixo do volume inicialmente projetado, de US$ 24 bilhões. "Estamos vendo que está muito difícil conseguir manter prazos em todos os projetos", disse José Carlos Martins, diretor diretor de Marketing, Vendas e Estratégia. "Vai ficar mais para 20 bilhões de dólares do que 24 bilhões de dólares", acrescentou. Os diretores da companhia disseram que além da demora de licenciamentos ambientais há escassez de mão de obra altamente qualificada e falta de recursos como equipamentos e materiais, que dificultam a execução dos inúmeros projetos da empresa. Em resposta a analistas, a empresa confirmou que o projeto de carvão de Moatize, em Moçambique, entrará em operação este ano até setembro, estendendo por um mês a entrada em operação que era prevista para agosto. Já o polêmico projeto de níquel de Goro, na Nova Caledônia, que entrou em operação em meados do ano passado, foi citado pelos executivos da empresa como um que tem enfrentado desafios tecnológicos que não estavam previstos. O projeto, que no passado sofreu resistências ambientais, ainda está distante de sua capacidade máxima de produção.

Petrobras terá participação maior na produção de etanol

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, anunciou nesta sexta-feira que o governo decidiu aumentar a participação da Petrobras na produção do etanol. Após uma reunião de mais de mais três horas com a presidente Dilma Rousseff, Lobão disse que a idéia é que a estatal seja responsável pela produção de 12% a 15% do etanol produzido no País nos próximos quatro anos. Atualmente, a Petrobras responde por 5% de toda a produção do combustível no País. "Vamos avançar rapidamente para produção de 10%, 12%, 15 % em três, quatro anos. Com isso, a Petrobras se transforma em regulador eficiente do fornecimento e dos preços do etanol", disse o ministro. Edison Lobão disse ainda que, com a intensificação da safra da cana no centro-sul do Brasil, o preço do etanol, que tem afetado também o valor da gasolina, devido à adição ao combustível de etanol anidro, tende a se normalizar.

Roberto Requião agora diz que é contra a superaposentadoria

Em vídeo divulgado em seu site, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) afirmou que é contra a superaposentadoria de R$ 24,1 mil mensais, que recebe por ser ex-governador do Paraná. Ele justificou o recebimento do benefício como uma ação em legítima defesa do patrimônio da sua família. "Sobre as pensões, sempre fui contra. Quando fui prefeito, acabei com as pensões para ex-prefeito. Quando fui deputado, encabecei a liquidação da pensão dos deputados estaduais, sem contribuição", afirma. No mês passado, ele entrou na Justiça do Paraná para manter a pensão depois que o governador Beto Richa (PSDB) cancelou a aposentadoria dele e de outros três ex-governadores, Orlando Pessuti (PMDB), Jaime Lerner e Mário Pereira. No dia 18 de abril, o Tribunal de Justiça do Paraná revogou a liminar que garantia o beneficio ao senador. "Eu poderia ter recebido a pensão desde 2004. Poderia estar recebendo há 16 anos. Não aceitei, não recebi, eu tinha salário. Agora, quando saí do governo, em abril de 2010, eu tive dificuldade de pagar conta de luz e de água". Segundo o senador, a pensão é necessária para pagar as despesas dos processos que responde na Justiça. Requião é o senador colocado em segundo lugar entre os mais acumula ações no Supremo Tribunal Federal, atrás apenas do senador Lindenbergh Farias (PT-RJ). Requião responde a quatro inquéritos e duas ações penais, todos por crimes de opinião, como calúnia e difamação: "Estão me condenando sistematicamente em quantias pesadas. Se isso continuar assim, eu acabo, para defender o Paraná e o Brasil, tendo de vender minha casa, o carro, o papagaio e o cachorro".

Jaguar fabricará superesportivo híbrido C-X75

Jaguar esportivo C-X75
A Jaguar anunciou na sexta-feira que o protótipo C-X75 será produzido em série como superesportivo híbrido. O Jaguar C-X75 promete desempenho similar aos esportivos de série a combustão, com baixos consumo de combustível e emissões de poluentes. Segundo a montadora, o C-X75 tem velocidade máxima superior a 320 quilômetros horários e emite menos de 99 g/km de CO2 (ciclo europeu). "O C-X75 teve uma boa aceitação como protótipo e identificamos a oportunidade de seguir em frente com um modelo de série", afirma Adrian Hallmark, diretor da Jaguar. O protótipo foi apresentado no Salão do Automóvel de Paris, no ano passado. O modelo é desenvolvido em colaboração com a equipe Williams de Fórmula-1. O chassi desse modelo é feito em fibra de carbono, criando uma estrutura leve e rígida. Além do motor a combustão, há um propulsor elétrico em cada eixo. "O tamanho compacto do motor permite alojá-lo em uma situação baixa, para uma distribuição otimizada do peso e para manter a estilizada silhueta do protótipo. Isto permite ao C-X75 ser um superesportivo capaz de circular em silêncio durante 50 quilômetros", diz Bob Joyce, diretor de engenharia da Jaguar. O conjunto promete levar o carro a 100 quilômetros por hora em 3 segundos. Apenas 250 unidades serão produzidas com preços entre 700 mil e 900 mil libras esterlinas, que podem ser encomendadas de qualquer país pelo site da Jaguar.

Um mês após massacre, ministro lança campanha contra armas

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, lançou na manhã de sexta-feira, no Rio de Janeiro, a nova campanha de desarmamento no País. Essa é a terceira campanha nacional e termina no dia 31 de dezembro. A presença de familiares das vítimas da chacina na escola Tasso da Silveira, ocorrida há um mês, marcou o encontro. "A escola é um local de sonhos e futuro. É muito ruim ver um local como esse transformado no palco da tragédia que vimos", disse o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB). O ministro da Justiça afirmou que a campanha "não é oportunista", como críticos afirmam, em razão da proximidade da tragédia. "Essa campanha está prevista em duas leis. Não é uma campanha do ministro ou do ministério. Temos parceiros", disse Cardozo. Ele anunciou que o ministério deve lançar até o fim do mês um plano de fiscalização de fronteiras, para evitar a entrada de armas no País. Segundo ele, o foco é a integração das forças de segurança, como Exército, polícias Federal, Civil e Militar.

TCU multa 10 ex-diretores da Saúde pelo escândalo da sanguessuga

O Tribunal de Contas da União multou dez ex-secretários executivos do Ministério da Saúde e diretores-executivos do Fundo Nacional de Saúde pelo Escândalo da Sanguessuga. As multas variam de R$ 5.000,00 e R$ 8.000,00 e cabe recurso. Entre os penalizados estão o atual prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB), o diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Agenor Álvares, e o diretor do Fundo Nacional de Saúde, Arionaldo Bonfin Rosendo. O escândalo do governo Lula aconteceu em 2006, quando foi descoberto que emendas parlamentares destinadas a compra de equipamentos de saúde (principalmente ambulâncias) para municípios eram desviadas por uma quadrilha que corrompia funcionários públicos e políticos. O valor estimado da fraude era de R$ 100 milhões. Os ministros, por 5 votos a 1, entenderam que os ex-secretários e diretores não exigiram a documentação completa para a assinar os convênios e não os fiscalizaram de forma adequada. Neste tipo de convênio, o governo federal repassa recursos e os municípios fazem as compras dos equipamentos, tendo que prestar contas depois. Os dirigentes foram isentados de culpa pelos desvios e penalizados pela não adoção das regras existentes para assinar os convênios e liberar os recursos.

Iniciativa privada poderá pagar só 20% de aeroporto de Natal

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) anunciou que deverá publicar nesta segunda-feira o edital do leilão de privatização do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, em Natal (RN). Será o primeiro aeroporto do governo federal concedido à iniciativa privada, que poderá pagar só 20% do investimento público. A idéia é que outros aeroportos do País, como Guarulhos, em São Paulo, sigam o mesmo modelo de privatização. O vencedor do leilão será quem oferecer o maior preço de outorga pelo uso da unidade. O valor mínimo é de R$ 51,7 milhões ao longo da concessão. O novo aeroporto do Rio Grande do Norte já está com sua pista e pátio de manobras em obras tocadas pelo Exército com recursos públicos. Segundo a Anac, estas obras públicas já custaram R$ 250 milhões e estão com 80% da previsão. Se o governo obtiver o preço mínimo, o valor pago pelo setor privado para explorar toda a operação da unidade cobrirá apenas cerca de 20% do investimento público. "A outorga não é feita para cobrir estes investimentos. E o investimento privado ficará para o poder público após a concessão", afirmou o diretor de Infraestrutura da Anac, Rubens Vieira. Quem ganhar a concessão terá que fazer o terminal de passageiros do aeroporto, além de outros investimentos. Ao longo da concessão, os estudos apontam que o concessionário terá gastos de R$ 650 milhões com a unidade. O vencedor ganha o direito de explorar a unidade por 25 anos e tem prazo de três anos para fazer as obras.

Temer isenta Congresso sobre paralisação da reforma política

Caso a reforma política não seja votada, o vice-presidente Michel Temer afirmou que o Congresso não pode ser criticado, "porque o silêncio também é uma manifestação de vontade". "Como todos anseiam por uma reforma política, seria útil que se fizesse. Mas, se deixar como está, o Congresso estabeleceu o seguinte, nós não queremos mudar. Achamos que há muitas dificuldades e que talvez esse seja o melhor sistema. Nós somos os titulares da vontade popular neste momento, portanto, nós não queremos mudar", disse o vice-presidente. A afirmação foi feita na sexta-feira, em São Paulo, em uma palestra organizada pela Associação Comercial de São Paulo e pela Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo). Para uma proposta de reforma política "transitável", Temer defendeu a adoção de um sistema misto para as eleições dos legislativos estaduais e federal, com parte dos parlamentares eleitos pelo voto majoritário e parte pelo voto em lista. Para as eleições em municípios com mais de 200 mil eleitores, o vice-presidente diz que aceita a proposta para um voto distrital, que divide as cidades em várias regiões que elegeriam por voto majoritário seus vereadores, conhecida como "distritinho".

Uruguai vai intervir em empresa da Petrobras

O governo uruguaio vai intervir na endividada companhia Montevideo Gas, propriedade da Petrobras, informou na sexta-feira o ministro da Indústria e Energia, Roberto Kreimerman. "O Estado tem pensado em intervir e também fazer parte da direção", afirmou Kreimerman, destacando que ainda é preciso definir de que maneira será realizada esta intervenção. "Em uma reunião que tivemos com o presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, afirmamos que achamos importante que o Estado intervenha e que o faça a partir de uma situação saneada da empresa", destacou, indicando que a companhia está tentando solucionar seu alto endividamento. O problema financeiro da empresa (concessionária da distribuição de gás natural em Montevidéu) "está sendo estabilizado, o sócio majoritário da Petrobras está trabalhando neste sentido, e se formou uma comissão entre a petroleira estatal uruguaia Ancap e Petrobrás para ver o futuro da empresa", afirmou Kreimerman. O ministro explicou que os problemas da empresa se originam fundamentalmente na reduzida escala de negócios. Atualmente a Montevideo Gas abastece a 45.000 usuários. O fornecimento de gás, proveniente da Argentina, é muito irregular. A Petrobras comprou 66% das ações da Montevideo Gas em 2006.

Segundo corpo de vítima do Airbus A330 da Air France é resgatado dos destroços

O segundo corpo preso aos destroços do avião Airbus A330 da Air France, que caiu em 2009 no oceano Atlântico, matando 228 pessoas, foi resgatado na sexta-feira. De acordo com o presidente da Associação dos Familiares das Vítimas do Vôo 447, Nelson Faria Marinho, o governo francês comunicou o resgate por volta das 10 horas, em e-mail encaminhado às famílias. O comunicado foi assinado pelo diplomata Philippe Vinogradoff. A polícia francesa confirmou o resgate. Especialistas do Instituto de Pesquisa Criminal Militar (IRCGN), presentes a bordo do navio Ile de Sein, estudam se será possível determinar a identificação do corpo pelos testes de DNA. Na quinta-feira a polícia informou que o primeiro corpo foi içado à superfície após permanecer quase dois anos a uma profundidade de 3.900 metros. Ele ainda estava preso ao assento pelo cinto de segurança, e se encontrava em estado avançado de putrefação. Segundo a polícia francesa, é possível que exames não permitam a identificação dos corpos, devido à deterioração. Marinho considera impossível que os exames não consigam identificar os corpos. "O exame de DNA permite identificar até corpos muito antigos. É impossível que não consiga saber a identidade de um corpo de dois anos. Essa hipótese é bobagem", afirmou. Os restos mortais estão sendo levados a bordo do navio francês Ile de Sein, e serão transportados para Paris nos próximos dias.

Grupo de sem-teto ocupa entrada da sede do Ministério das Cidades

Um grupo de 150 sem-teto de 18 Estados do País ocupou a partir das 9 horas de sexta-feira a entrada do prédio do Ministério das Cidades, em Brasília, impedindo a entrada de servidores e visitantes. Segundo representantes do movimento Resistência Urbana (entidade clandestina que reúne organizações sociais de luta por moradia de todo o País), a ocupação foi a forma encontrada para cobrar do governo federal respostas às reivindicações apresentadas pelo grupo em setembro do ano passado. Uma comissão formada por 18 representantes do movimento se reuniu com o secretário de Programas Urbanos do ministério, Norman Oliveira, e com a secretária executiva do Conselho das Cidades, Marta Morosini. Além de pedir a construção de moradias populares e a destinação de mais recursos do programa federal "Minha Casa, Minha Vida" para as entidades sociais, o grupo pede uma solução para conter o que classificam como uma onda de despejos. É o MST se transferindo para as cidades.

Maracanã pode ter arquibancada metálica e público de 80 mil


Obras do Maracanã, estádio tombado, destruído
A capacidade do Maracanã, estádio escolhido para receber a final da Copa do Mundo de 2014, pode chegar a 80 mil torcedores. Segundo o governo do Rio do Rio de Janeiro, com a alteração do projeto, a capacidade fixa do estádio passará de 76.525 para 78.554 assentos. Outros dois mil outros lugares serão criados com a colocação de arquibancadas metálicas móveis nos túneis de acesso. A colocação das arquibancadas móveis, metálicas, está em fase final de análise. O projeto executivo das obras será entregue este mês ao Tribunal de Contas da União pelo governador Sérgio Cabral. Na quinta-feira ele anunciou a concessão da administração do estádio para a iniciativa privada após as obras. O aumento do número de cadeiras fixas já consta do projeto executivo e foi incluída depois de estudo técnico feito pela Secretaria de Obras e pela Empresa de Obras Públicas (Emop), responsáveis pela nova reforma do Maracanã. As seguidas reformas dos últimos anos encolheram a capacidade de público do Maracanã, passando de 120 mil, antes da reforma de 1999, para pouco mais de 80 mil. O governador Sérgio Cabral anunciou que a gestão do Maracanã será concedida para a iniciativa privada após a conclusão das obras. "O Maracanã é um equipamento para ser gerido pelo setor privado. Nós vamos começar esse processo no segundo semestre de 2011. Não tem cabimento um estádio como o Maracanã nas mãos do poder público. A concessionária terá de ter, obviamente, obrigações públicas. O estado tem de concentrar os esforços naquilo que é importante. Como será um estádio renovado, e mais o Maracanãzinho, é um equipamento muito interessante para o setor privado", afirmou. Engraçado é que durante 50 anos ninguém tenha entendido que o complexo do Maracanã precisava ser entregue à iniciativa privada. Mas é assim, o governo põe o dinheiro para construção e reformas, e o privado assume o controle.

Custo da construção civil subiu 0,48% em abril

O custo da construção civil, mensurado pelo Sinapi (Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil), teve alta de 0,48% no mês de abril. Os dados, divulgados n a sexta-feira, mostram que no primeiro quadrimestre a alta chega a 1,67%, abaixo do resultado computado em igual período de 2010 (2%). No acumulado dos últimos 12 meses, a variação foi de 7%, acima dos 6,88% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. O custo nacional da construção por metro quadrado passou de R$ 775,43 (registrado em março) para R$ 779,18. Desse valor, R$ 439,78 é o gasto com materiais e R$ 339,40, com a mão de obra. A região Sudeste continua a ter o maior preço por metro quadrado: R$ 819,71. Entre os Estados, o Rio de Janeiro é aquele com custo maior (R$ 894,95), seguido por São Paulo (R$ 844,11) e Acre (R$ 835,56). Entretanto, a região Nordeste foi a que apresentou a maior variação no ano, com alta de 2,72%. O Sinapi é um levantamento feito pelo IBGE em convênio com a Caixa Econômica Federal. O indicador é apurado por meio do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil.