sexta-feira, 4 de julho de 2014

PARLAMENTO RUSSO CONFIRMA PERDÃO DE DÍVIDA CUBANA

O Parlamento russo ratificou nesta sexta-feira um acordo assinado com Cuba que anula 90% da dívida de Havana com a extinta União Soviética. O montante chega a 35 bilhões de dólares (cerca de 77 bilhões de reais). O restante, cerca de 3,5 bilhões de dólares, deverá ser pago ao longo de dez anos, mas o documento prevê que os recursos serão reinvestidos na ilha. Ou seja, significa que não há necessidade de pagamento da parte da ditadura de Cuba, é quase uma doação. Os dois países tiveram estreitas relações durante a Guerra Fria, e o regime cubano nunca se recuperou totalmente da perda da ajuda financeira decorrente do desmoronamento da União Soviética. O perdão acontece no momento em que a Rússia está isolada diplomaticamente por causa do seu envolvimento no conflito da Ucrânia e a anexação da Criméia. Havana, agradecida pelo gesto russo, já se manifestou a favor da Rússia na questão ucraniana. Nos últimos anos, Rússia e Cuba ensaiaram uma reaproximação após o distanciamento verificado desde a desintegração do bloco soviético, em 1991. Depois de ser durante três décadas o principal parceiro comercial da ilha, Moscou passou para a atual nona posição, muito atrás de Venezuela, China e Espanha, os três primeiros. Para reforçar ainda mais a aproximação, Vladimir Putin tem uma visita a Havana agendada para  os próximos dias, quando deve se reunir com os irmãos ditadores sanguinários Raúl e Fidel Castro.

CONSÓRCIO NÃO APRESENTA DOCUMENTOS E MONOTRILHO DE SÃO PAULO SEGUE INTERDITADO

A Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo manteve a interdição em parte das obras do Monotrilho Linha 17 Ouro, paralisadas desde o desabamento de uma viga da estrutura, no último dia 9 de junho, que matou um operário. De acordo com a superintendência,  o consórcio responsável pela obra não apresentou a documentação necessária para a liberação dos trabalhos. “O consórcio, composto pelas empresas Andrade Gutierrez e CR Almeida, deveria apresentar, no último dia 3, a proposta de uma nova tecnologia de içamento, lançamento e fixação da viga, o que não ocorreu. Além disso, deveria assinar um termo de compromisso visando a garantir a segurança do ambiente de trabalho da obra, mas alegou que ainda está no estudo jurídico das cláusulas exigidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego”, disse, em nota, a superintendência. Para que a obra seja completamente liberada, o consórcio deverá cumprir quatro exigências: a revisão dos procedimentos de içamento, lançamento e colocação dos pilares; a revisão dos projetos de ajuste e sustentação da viga; análise de risco dos procedimentos, descrição detalhada das tarefas e capacitação dos trabalhadores; e a apresentação de relatórios técnicos que garantam segurança nos procedimentos e análises de risco.

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE DIZ QUE FARÁ EXAMES ADICIONAIS NO VIADUTO DO PAC QUE CAIU

O desabamento de uma construção sobre a Avenida Pedro I, em Belo Horizonte (MG), levou a Secretaria de Obras e Infraestrutura da capital mineira a anunciar que todos os viadutos que fazem parte do chamado BRT (Bus Rapid Transit) passarão por novas inspeções. “As etapas que levam à aprovação de um empreendimento desta natureza são muito detalhadas. Nenhum exame de teste, nenhum ensaio técnico, nenhuma medida preventiva deixou de ser feita em todas as obras do BRT. Evidentemente, procurando garantir a satisfação que a opinião pública merece, a prefeitura conduzirá exames adicionais”, anunciou nesta sexta-feira o secretário municipal José Lauro Nogueira.  Ao ruir, por volta das 15 horas de quinta-feira, toneladas de ferro e concreto atingiram um micro-ônibus, um carro e dois caminhões, matando duas pessoas e ferindo ao menos 22 pessoas. Os escombros também interditaram uma das principais opções de acesso entre a zona norte de Belo Horizonte e o Estádio Mineirão, que sedia, na terça-feira, uma das partidas das semifinais. Nogueira confirmou que todo o Viaduto Guararapes terá que ser demolido. Ainda de acordo com o secretário, tão logo os órgãos técnicos e a Polícia Civil concluam as perícias e liberem a área, a prefeitura e as empresas responsáveis começarão a liberar a via. Inicialmente prevista para ser entregue em junho, a obra estava em fase de acabamento, com previsão de ser concluída no final deste mês. Todo o complexo de obras necessárias à implementação do BRT belo-horizontino está sendo executado pela Cowan que, em nota divulgada esta tarde, garantiu que todos os procedimentos e material usado passaram pelos testes obrigatórios sem apresentarem qualquer problema, atendendo a todas as normas vigentes.

ASSEMBLÉIA DE SÃO PAULO APROVA PROJETO QUE PROÍBE O USO DE MÁSCARAS EM MANIFESTAÇÕES PÚBLICAS

A Assembléia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou o Projeto de Lei 50/2014, que proíbe o uso de máscaras em protestos. O texto também estabelece que todas as manifestações e reuniões em locais e vias públicas deverão ser previamente comunicadas às polícias Civil e Militar. A norma, proposta pelo deputado Campos Machado (PTB) e assinada por outros 15 parlamentares, busca regulamentar incisos do Artigo 5º da Constituição Federal, que garante o direito de se manifestar e veda o anonimato. Segundo a matéria, aprovada na noite de quinta-feira, “fica proibido o uso de máscara ou qualquer outro paramento que possa ocultar o rosto da pessoa ou que dificulte ou impeça sua identificação”. A regra não se aplica às manifestações e reuniões culturais incluídas no calendário oficial do Estado. Na justificativa do texto, os deputados defendem que as manifestações são legítimas, mas que “tornaram-se palco quase que exclusivo de grupos autodenominados radicais, cuja plataforma principal de reivindicação é destruir, danificar, explodir, queimar, saquear e aterrorizar”. Por isso, estabelece que, além do porte de armas brancas em manifestações e reuniões, fica proibido o uso de armas de fogo, objetos pontiagudos, tacos, bastões, pedras, armamentos que contenham artefatos explosivos e outros que possam causar lesões ou danificar patrimônio público ou particular. Aprovado, no mesmo dia, tanto em reunião conjunta das comissões de Constituição, Justiça e Redação e de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários quanto pelos deputados reunidos em plenário, o projeto de lei prevê que mesmo as manifestações convocadas por meio das redes sociais, na internet, terão que ser informadas previamente, “na forma de regulamento expedido pela Secretaria da Segurança Pública”. O texto agora segue para o governador Geraldo Alckmin, que tem até 15 dias para sancionar ou vetar a proposta. Proposta semelhante foi tornada lei no Rio de Janeiro, no ano passado, e aprovada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais, logo após os primeiros protestos durante a Copa do Mundo.

UNICEF DIZ QUE HÁ APROXIMADAMENTE 6,6 MILHÕES DE CRIANÇAS NECESSITANDO DE AJUDA NA SÍRIA

Aproximadamente 6,6 milhões de crianças vítimas da guerra civil na Síria precisam de ajuda, alertou nesta sexta-feira o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), uma organização esquerdopata, que não fundamenta em dados e documentos as suas afirmações. Desse total, 5,1 milhões de crianças vivem na Síria e 1,49 milhão são refugiados, de acordo com o Unicef. A entidade registrou o receio de que a falta de recursos leve a uma redução da ajuda. "É um número estarrecedor e que aumenta rapidamente", advertiu um porta-voz da organização, Simon Ingram, durante um encontro com a imprensa em Genebra, na Suíça. "Os números deste mês representam aumento de 2 milhões relativamente a junho do ano passado, um aumento de cerca de um terço", disse. O porta-voz lamentou que a organização tenha recebido apenas 37% dos US$ 770 milhões pedidos para ajudar as crianças este ano. Com o início do verão e de temperaturas extremamente elevadas na região, o Unicef está particularmente preocupado com a falta de verbas para os programas de fornecimento de água e de saneamento básico. "Por exemplo, no Iraque, Líbano e Jordânia, existe um risco significativo de que os serviços de água e saneamento sejam interrompidos devido à falta de financiamento", declarou Simon Ingram, acrescentando a preocupação com o risco de doenças transmitidas pela água, como a poliomielite. Desde março de 2011, a revolta contra o regime do presidente sírio Bashar Al Assad se transformou em uma guerra civil complexa que levou mais de 9 milhões de sírios a abandonar suas casas, incluindo 3 milhões que fugiram para o estrangeiro, principalmente para países vizinhos.

FILHO DE VICE-PRESIDENTE DA FIFA ADMITE TER VENDIDO INGRESSOS DA COPA

O filho do vice-presidente da Fifa, Humberto Mario Grondona, admitiu nesta sexta-feira ter vendido parte dos ingressos a que teria direito na Copa do Mundo no Brasil. A declaração foi dada depois que ingressos em nome dele foram recolhidos com cambistas no Rio de Janeiro, em operação realizada pela Polícia Civil que desarticulou uma quadrilha internacional que faturava mais de 200 milhões de reais por Mundial. O pai de Humberto é o argentino Julio Grondona, também responsável pelo departamento de Finanças da entidade. "Sou instrutor da Fifa e tenho quatro entradas para o primeiro jogo, quatro para o segundo, quatro para o terceiro, quatro para as oitavas, quatro para as quartas, duas para a semifinal, duas para a final e comprei todas por mais de 9.000 dólares. Tenho um amigo, muito conhecido na Argentina, que queria vir e vendi a ele alguns ingressos. Ele, por sua vez, deu ingressos a outro amigo. Agora, o que fizeram com as entradas eu não sei", disse Humberto, ao canal por assinatura TyC Sports, de seu país. Ele se recusou a dizer o nome do amigo e afirmou ter agido na "boa fé". A porta-voz da Fifa, Delia Fischer, se recusou a falar sobre o possível envolvimento de Humberto, mas garantiu que a entidade vai cobrar punição rígida a qualquer um que tenha alimentado a quadrilha de cambistas. "Não posso comentar investigação em andamento. A Fifa é muito firme. Se alguém violou alguma regra, será punido, mas não podemos tirar conclusões precipitadas", disse. Delia também garantiu que todos os ingressos apreendidos com os criminosos serão colocados à venda para torcedores no site oficial: www.fifa.com/ingresso. Dois representantes da Match, única empresa autorizada pela Fifa para a venda de pacotes de ingressos e camarotes da Copa do Mundo, estiveram na manhã desta sexta-feira na 18ª DP, na Praça da Bandeira, que investiga o esquema de venda ilegais de entradas do Mundial. Os dois, um indiano e uma advogada brasileira, fotografaram um por um os cerca de 130 ingressos (muitos de camarote) apreendidos pela polícia civil do Rio na Operação Jules Rimet, que prendeu 11 pessoas na terça-feira, como o franco-argelino Lamine Fofana, que tinha trânsito livre pela Fifa e era amigo de jogadores e ex-jogadores. Segundo um inspetor responsável pela investigação, os representantes da Match informaram aos policiais que vão averiguar a autenticidade das entradas e também rastreá-las, para descobrir quem seriam os responsáveis por repassá-las à quadrilha. Na quinta-feira, a polícia informou que a Match também está sendo investigada e, além do integrante da Fifa que seria o líder do milionário esquema criminoso, há também alguém da empresa responsável pela venda dos ingressos e camarotes. A Match é ligada ao sobrinho do presidente da Fifa, Phillip Blatter.

JUSTIÇA BLOQUEIA BENS DA KPMG PARA PAGAR CREDORES DO BVA

A 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo determinou que a empresa de auditoria KPMG coloque à disposição da Justiça seus bens no Brasil. A empresa está sendo investigada no âmbito do caso do BVA, banco que teve sua liquidação decretada em meados do ano passado e deixou um passivo de 6 bilhões de reais. A KPMG era a responsável pela auditoria externa do BVA até ele ser liquidado pelo Banco Central em junho de 2013. A idéia é que os bens a serem bloqueados sejam usados para pagar credores da instituição financeira. O juiz entendeu que há evidências de negligência da KPMG e de “ocultação de notícias sobre a existência dos graves fatos” apurados pelo Banco Central no BVA. Em maio, já havia saído a notícia de que o Banco Central encontrou indícios de crimes de fraudes contábeis, desvio de recursos, gestão temerária (irresponsável) e evasão fiscal no banco BVA durante a gestão do presidente da instituição Ivo Lodo, entre os anos de 2007 e 2012. No relatório final de inquérito, entregue em abril à Justiça, é apontado ainda conluio de gestores do fundo de pensão Petros em empréstimos irregulares.

BRASIL REALIZOU MAIS DE 24 000 FERTILIZAÇÕES IN VITRO EM 2013

O Brasil realizou em 2013 mais de 24 000 ciclos de fertilização in vitro. Nesse procedimento, a mulher recebe estímulo para produção e retirada de óvulos, que são fertilizados e colocados em seu útero. No mesmo ano, 52 000 embriões foram transferidos a pacientes submetidas à técnica (um mesmo ciclo pode incluir mais de uma transferência até que o procedimento resulte em uma gravidez de sucesso). Esses dados fazem parte do 7º Relatório do Sistema Nacional de Produção de Embriões (SisEmbrio), elaborado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O documento traz informações coletadas em 93 dos 120 bancos de células e tecidos germinativos do Brasil, conhecidos também como clínicas de reprodução humana assistida. Segundo o relatório, o número de embriões doados para pesquisas com células-tronco embrionárias foi de 5 131 em 2013. Além disso, foram congelados 38 062 embriões nas clínicas de reprodução assistida. Desse total, 66% estão em bancos da região Sudeste; 14% na região Sul; 12% na região Nordeste; 7% na região Centro-Oeste e 1% na região Norte. O relatório da Anvisa não inclui dados sobre a quantidade de mulheres que conseguiram engravidar com a fertilização in vitro, mas, segundo o ginecologista Adelino Amaral Silva, diretor da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, essa porcentagem é de, em média, 35%. "A taxa varia com a idade, sendo mais baixa em mulheres acima de 40 anos", diz.  O relatório anterior havia indicado que o País realizou ao menos 21 074 ciclos de fertilização in vitro e 34 964 transferências de embriões ao útero em 2012. Isso não quer dizer necessariamente que a reprodução assistida está em expansão no País, uma vez que mais clínicas estão disponibilizando seus dados à Anvisa, o que pode ter elevado o número. Em 2012, os dados diziam respeito a 91 bancos, dois a menos do que o relatório atual. Em 2011, apenas 77 participaram do levantamento.

RETIRADA DE ESCORAS PODE TER CAUSADO A QUEDA DO VIADUTO EM BELO HORIZONTE

A queda do viaduto na Avenida Pedro I, em Belo Horizonte, na quinta-feira, pode ter sido causada pelo afundamento do pilar principal da obra, após a retirada das escoras. É o que afirmou o presidente do Instituto Brasileiro de Avaliação e Perícias de Engenharia de Minas Gerais (Ibape), Frederico Correia, nesta sexta-feira, depois de ter vistoriado o local. O acidente causou a morte de duas pessoas, a motorista de ônibus Hanna Cristina, de 26 anos, e o condutor de um automóvel, Charles Federico do Nascimento, de 25 anos. Os veículos foram esmagados pela estrutura de concreto. "Quando a estrutura é retirada, o peso antes distribuído entre os pilares e as escoras é direcionado para o pilar principal. Nesse momento, acreditamos ter havido o afundamento", explicou o engenheiro. A prefeitura de Belo Horizonte destacou um grupo, formado por engenheiros indicados pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-Minas) e por empresas do setor, para avaliarem as causas do desabamento. Funcionários da obra afirmaram que os suportes de sustentação não eram suficientes para aguentar o peso da estrutura. A construção do viaduto fazia parte de um pacote de obras que deveria ter sido entregue antes da Copa do Mundo. As intervenções viárias eram financiadas com recursos do chamado “PAC da Copa”, estimado em 713 milhões de reais. Segundo a prefeitura, o viaduto estava na fase final de construção. O secretário municipal de Obras, José Lauro Nogueira, afirmou que estenderá a vistoria para mais dois viadutos, que fazem parte do mesmo complexo viário, para avaliar se há risco de novos desabamentos. Em fevereiro, o pilar de um dos viadutos teve um afundamento de 27 centímetros. A obra precisou ser paralisada e a região foi isolada. Nogueira responsabilizou a prefeitura e a construtora Cowan, responsável pelas obras, pela tragédia desta quinta-feira. Também levantou-se a suspeita de superfaturamento nas obras. Em 2012, o Tribunal de Contas do Estado detectou indícios de sobrepreço no valor de 6 milhões de reais. O Ministério Público de Minas Gerais apura o caso.

JORNAL EL UNIVERSAL, CRÍTICO DA DITADURA BOLIVARIANA NA VENEZUELA, É VENDIDO PARA COMPRADOR NÃO REVELADO

O jornal El Universal, dos mais antigos da Venezuela e um dos poucos ainda críticos ao governo do ditador Nicolás Maduro, foi vendido para um grupo de investidores espanhóis. A venda foi confirmada pela própria publicação nesta sexta-feira em sua versão digital, mas o nome do comprador não foi divulgado oficialmente. Segundo o texto, o novo presidente do jornal, o engenheiro civil Jesús Abreu Anselmi, assegurou que o grupo comprador “não tem nenhum vínculo com o governo” e que a linha editorial será mantida. Há mais de um ano circulavam rumores sobre o interesse da família Mata, que controlava o jornal desde sua fundação, em 1909, de se desfazer do diário. Em maio, El Universal foi obrigado a reduzir o número de páginas impressas diariamente devido às dificuldades impostas pelo ditadura bolivariana nos trâmites de importação de papel. No ano passado, mais de dez diários fecharam ou reduziram o número de páginas diante dos obstáculos para compra de matéria-prima. Aos funcionários, Jesús Abreu Anselmi prometeu que haverá papel para imprimir o jornal. Ainda que o novo presidente tenha tentado tranquilizar a equipe, existe o temor de que El Universal passe a ser menos crítico em relação ao governo, o que sem dúvida acontecerá. Segundo o Sindicato Nacional de Jornalistas da Venezuela (que não tem nada a ver com essas entidades sabujas existentes no Brasil, de capachos do petismo), pelo menos 58 jornalistas deixaram a Globovisión e 33 o grupo do Últimas Notícias depois da mudança de comando.

NEYMAR, COM VÉRTEBRA FRATURADA, ESTÁ FORA DA COPA DO MUNDO

O Brasil vai enfrentar uma das maiores seleções do planeta – a única que também chegou a sete finais de Copa do Mundo – desfalcada de seu capitão e de seu melhor jogador. Contra a Alemanha, na terça-feira, no Mineirão, em Belo Horizonte, a ausência de Thiago Silva já era certa: o zagueiro recebeu o seu segundo cartão amarelo no Mundial e está suspenso na semifinal. A presença de Neymar foi descartada logo depois: atingido nas costas pelo joelho do lateral Juan Camilo Zuñiga, no fim do segundo tempo das quartas de final contra a Colômbia, nesta sexta-feira, no Castelão, o camisa 10 está fora do Mundial. Ele foi levado a uma clínica de Fortaleza para examinar a região da pancada. Foi constatada uma fratura na terceira vértebra lombar do atleta, lesão que exige de quatro a seis semanas de recuperação. O técnico Luiz Felipe Scolari já dizia ser improvável o retorno do craque na partida da semana que vem. “Acho difícil ele jogar. Ele foi levado ao posto médico do estádio e depois acabou sendo transferido a uma clínica particular para passar por exames. Não será uma recuperação fácil. Pelo que o doutor José Luiz Runco nos passou e pela dor que ele sentiu, preocupa. Mas vamos esperar e torcer para que corra tudo bem”, afirmou o treinador, cerca de meia hora antes da confirmação da lesão. Felipão disse que não estava otimista, mas se agarrava ao perfil do atleta para manter viva a esperança de que o atleta ficasse pronto para a semifinal. “Ele é jovem, tem uma vontade muito grande, se cuida. Talvez...” Felipão disse que o colombiano Zuñiga não teve maldade na jogada, mas reclamou do árbitro espanhol Carlos Velasco, que não advertiu o lateral. “Aí eu pergunto, não tem cartão amarelo nem nada? E o Thiago Silva, que está passando pela frente do goleiro, leva cartão?”, comparou, citando o lance em que o zagueiro foi punido pelo espanhol. Felipão também mostrou irritação com o lance que tirou Neymar da Copa mesmo depois de tantos lances na competição em que o camisa 10 foi marcado de forma truculenta. “A gente já sabia desde antes da Copa que ele seria caçado, mas ninguém aqui no País parecia dar muita importância. Agora ficamos numa situação complicada, mas vamos encontrar um substituto entre os atletas que temos no grupo".