domingo, 30 de setembro de 2012

Hebe Camargo é enterrada em São Paulo

Após 13 horas de velório, que contou com missa do padre Marcelo Rossi e homenagem do cantor Roberto Carlos, a apresentadora Hebe Camargo foi enterrada no cemitério Gethsêmani, no bairro do Morumbi, em São Paulo, às 10h30 deste domingo. O sepultamento foi aberto ao público e contou com a presença de amigos, familiares, empresários e autoridades, entre eles o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). A única exigência da família para o enterro foi a decoração com flores colombianas, muito apreciadas pela apresentadora. Alguns fãs chegaram a fretar ônibus para dar o último adeus a Hebe. Hebe morreu aos 83 anos na madrugada de sábado , de parada cardíaca, em sua casa no bairro do Morumbi, em São Paulo. O velório de Hebe Camargo foi realizado no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo, das 19 horas do sábado às 9 horas deste domingo. Passaram pela cerimônia diversas estrelas da música e da TV, entre eles o cantor Roberto Carlos, amigo íntimo e ídolo da apresentadora. O padre Marcelo Rossi celebrou no local uma missa de corpo presente. O padre lembrou ao público que Hebe não queria uma missa triste, mas uma missa com "muita saudade", e seria dessa forma que a cerimônia seria conduzida. Um dos momentos mais emocionantes foi quando o padre cantou "Como é grande o meu amor por você", de Roberto Carlos. A missa foi encerrada com a canção "Jesus Cristo", também de Roberto Carlos. Ao final, um fã fez um discurso em homenagem à apresentadora. Do Palácio dos Bandeirantes, o corpo foi levado em um carro do Corpo de Bombeiros. O cortejo chegou por volta de 10h30 ao cemitério na zona sul de São Paulo. Desde 2010, Hebe lutava contra graves problemas de saúde. Passou por cirurgias para retirar a vesícula, um nódulo cancerígeno no peritônio (membrana que reveste os órgãos digestivos) e um tumor no intestino. A apresentadora foi dignosticada com câncer no peritônio no começo de 2000. Ela havia se queixado de dores abdominais durante as férias em Miami com alguns amigos e decidiu passar no hospital para alguns exames. Após a descoberta de tumores cancerígenos, passou a se tratar com uma equipe de cinco médicos, entre eles, o gastroenterologista Antonio Luiz de Vasconcellos Macedo e o oncologista Sérgio Simon. O ano de 2009 havia sido especial para Hebe. Seu aniversário de 80 anos, completados em 8 de março, foi repleto de comemorações. Uma recepção organizada pela socialite Lucilia Diniz na sua casa no Jardim Europa contou com a presença de 600 convidados, entre eles o então governador José Serra, o cantor espanhol Julio Iglesias e o amigo Roberto Carlos, por quem Hebe tinha verdadeira devoção.

Popularidade da peronista populista Cristina Kirchner cai mais com inflação e criminalidade

A popularidade da presidente argentina, a peronista populista muito incompetente Cristina Kirchner, continuou sua espiral decrescente em setembro, despencando para 24,3%, ante 30% em agosto, de acordo com uma pesquisa publicada neste domingo, pressionada pela alta inflação e temores sobre a criminalidade no país. Em setembro de 2011, um mês antes de vencer as eleições para seu segundo mandato, a popularidade de Kirchner estava em 64,1% com sua campanha prometendo uma política ainda mais profundamente intervencionista que seu falecido marido e predecessor como presidente, Nestor Kirchner. A porcentagem de 24,3% de popularidade em setembro é o número mais baixo para o segundo mandato de Kirchner. Em julho, ela estava com 38,1%. Mas a economia tem desacelerado bastante devido à alta inflação, à desaceleração econômica mundial, uma fraca demanda do Brasil, importante parceiro comercial, a seca que atingiu as safras 2011/12 dos grãos do país, e novos controles cambiais que abalaram a confiança. A Argentina registrou crescimento zero no segundo trimestre de 2012, sua pior performance ano a ano desde o terceiro trimestre de 2009, quando o mundo foi atingido por uma crise financeira. O levantamento da Management & Fit, que ouviu 2.259 argentinos, constatou que 60,6% dos entrevistados desaprovaram a gestão do líder peronista.

Henrique Capriles faz comício para monumental multidão na Venezuela

A uma semana das eleições presidenciais na Venezuela, no encerramento da campanha, centenas de milhares de pessoas saíram às ruas de Caracas neste domingo, e lotaram completamente a Avenida Bolivar, para o último comício de Henrique Capriles. Em um caminhão, Capriles percorreu ruas e avenidas da capital venezuelana enquanto seus seguidores acompanhavam o cortejo. Havia cerca de um milhão de venezuelanos presentes ao ato. Enquanto isso, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, dava sequência a sua campanha pela reeleição em outra parte do país. Também neste domingo, o ministro da Justiça da Venezuela, Tareck El Aissami, informou que um homem foi preso por suspeita de envolvimento no assassinato de duas pessoas, dirigentes da campanha de Capriles, em um frio assassinato em um ato de campanha da oposição em Barinas, no sábado.

Joaquim Barbosa autoriza abertura de novo inquérito sobre Mensalão do PT, alvos são os petistas Fernando Pimentel, Benedita da Silva e Vicentinho

O ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, autorizou a abertura de um inquérito para investigar repasses feitos pelo esquema corruptor petista para pessoas ligadas ao ministro do Desenvolvimento, o petista Fernando Pimentel, e a outros políticos petistas. O novo inquérito, a ser instaurado na Justiça Federal em Belo Horizonte, também vai investigar repasses a pessoas que trabalharam com os deputados Benedita da Silva (PT-RJ) e Vicentinho (PT-SP), além de dezenas de outras pessoas e empresas que receberam dinheiro do esquema. Essas pessoas não são parte do processo que está em julgamento no Supremo desde o início de agosto, porque os repasses só foram descobertos pela Polícia Federal quando a ação principal já estava em andamento no Supremo. A nova fase do caso foi inaugurada há pouco mais de um mês, após pedido da Procuradoria-Geral da República para que fossem aprofundadas as investigações sobre o destino do dinheiro para corrupção distribuído pelo PT com a colaboração do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. O requerimento cita nominalmente o petista Fernando Pimentel, um dos principais auxiliares da presidente Dilma Rousseff, Benedita da Silva e Vicentinho, dizendo que, como eles têm foro privilegiado, a investigação deverá voltar ao Supremo “caso surjam indícios concretos de que os valores arrecadados” destinavam-se aos três. Seguindo o caminho do dinheiro distribuído pelo empresário Marcos Valério, a polícia chegou a Rodrigo Barroso Fernandes, em Belo Horizonte. Na época do repasse, em 2004, ele era coordenador financeiro do comitê da campanha de Fernando Pimentel à prefeitura de Belo Horizonte, diz a Polícia Federal. As investigações também apontaram repasses para Carlos Roberto de Macedo Chaves, que teria feito dois saques no valor de R$ 50 mil em agosto e setembro de 2003. Ele disse à Polícia Federal que trabalhou como contador da campanha de Benedita da Silva em 2002. De acordo com a polícia, a origem desse dinheiro foi o fundo Visanet, controlado pelo Banco do Brasil e por outras instituições financeiras. Em relação a Vicentinho, a Polícia Federal descobriu que o produtor audiovisual Nélio José Batista Costa recebeu R$ 17 mil da empresa Estratégia Marketing, de Marcos Valério, em agosto de 2004, “devido aos serviços prestados durante a campanha eleitoral do candidato Vicentinho para a prefeitura de São Bernardo do Campo”.

Morre o escritor Autran Dourado

Morreu na manhã deste domingo o escritor Autran Dourado. Ele tinha 86 anos e faleceu em sua casa, após passar três meses internado devido a problemas respiratórios. Waldomiro Freitas Autran Dourado nasceu em Patos de Minas, em Minas Gerais, em 1926. Ainda na juventude, recebeu seu primeiro prêmio literário pelo conto O Canivete do Diabo. Em 2008, ganhou o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de letras, pelo conjunto de sua obra. Estudou direito e trabalhou como jornalista, passando a maior parte de sua vida no Rio de Janeiro. Entre suas dezenas de obras, uma das mais celebradas, a "Ópera dos Mortos", de 1967, foi listada pela Unesco como uma das mais representativas da literatura mundial.

Governo petista de Dilma Rousseff ignora R$ 26,5 bilhões enviados para ONGs

Informações sobre a destinação de R$ 26,5 bilhões do Tesouro Nacional, transferidos para organizações não governamentais (ONGs) e entidades entre setembro de 2008 e junho de 2011, não constam do banco de dados do Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse (Siconv), do Ministério do Planejamento. A revelação foi feita durante debates da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla), em Bento Gonçalves (RS). O montante à margem do cadastro do Siconv representa 54% do total repassado por ministérios e outros entes do governo petista a título de transferências voluntárias. Do total, R$ 20 bilhões foram para convênios e R$ 6,5 bilhões para termos de parcerias e contratos de repasse. A exclusão dessas informações emperra a malha fina sobre convênios e licitações. Essa situação foi comunicada à Enccla pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, do Ministério do Planejamento. "Apesar da obrigatoriedade do seu emprego e dos esforços dos gestores do Siconv em exigir dos órgãos concedentes o seu uso, ainda não há plena adesão ao sistema, o que dificulta o trabalho dos órgãos de fiscalização e controle", alerta documento submetido às discussões fechadas da Enccla. O Siconv foi concebido a partir de proposição do Tribunal de Contas da União, em novembro de 2006, para ampliar a transparência do gasto público federal realizado mediante a liberação de verbas a outros órgãos e entidades, entes federados e entidades do setor privado. A meta primordial era superar as limitações verificadas no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), onde a execução financeira e orçamentária das transferências voluntárias alcança apenas as transações realizadas pelo concedente, "inexistindo informação quanto à execução do gasto no âmbito dos convenentes". Todo o processo de execução de transferências voluntárias deveria ser registrado no sistema, em tempo muito próximo ao da realização dos atos. A Polícia Federal tem interesse direto nesses dados, tanto que faz parte do grupo que discute o aperfeiçoamento do Siconv. Desde setembro de 2008 existe a obrigatoriedade de registro de todos os atos de celebração, liberação de recursos, acompanhamento da execução e prestação de contas de convênios, contratos de repasse e termos de parceria. Nesse sentido, a Comissão Gestora do Siconv expediu uma diretriz, em maio de 2010, alertando os gestores dos órgãos concedentes sobre a obrigatoriedade de utilização do sistema e do registro das informações referentes às licitações e aos contratos administrativos celebrados no prazo de 20 dias após a realização dos procedimentos. Segundo a Enccla, para atender aos seus pressupostos, o Siconv deve incorporar todas as transferências voluntárias de todos os órgãos da administração pública federal. A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) impõe aos órgãos e entidades integrantes do orçamento fiscal: "Deverão disponibilizar ao Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais (Siasg) e ao Siconv, no que couber, informações referentes aos contratos e aos convênios com instrumentos congêneres firmados com a identificação das respectivas categorias de programação e fontes de recursos quando se tratar de convênios".