segunda-feira, 23 de julho de 2012

Unasul exigirá eleições transparentes ao Paraguai para readmissão

A Unasul exigirá ao Paraguai um processo eleitoral transparente para que o país seja readmitido após a destituição do esquerdopata bispo priápico Fernando Lugo, indicou nesta segunda-feira o presidente do grupo de alto nível da organização formado para acompanhar e avaliar a situação paraguaia, o peruano Salomón Lerner Ghitis. Essa será uma das condições mínimas de democracia que os membros da Unasul decidiram exigir ao Paraguai na primeira reunião deste grupo, realizada em Lima, uma vez que o Peru ostenta a presidência temporária da organização, em detrimento do Paraguai. Essa Unasul é uma organização marginal, central da idiotia esquerdopata latino-americana. Tem o atrevimento de fazer tais comentários a respeito das futuras eleições na Paraguai, e não diz absolutamente nada sobre a imensa fraude montada pela tiranete Hugo Chavez na Venezuela. A Unasul afastou o Paraguai da presidência e da própria instituição por considerar que o processo que levou à destituição de Lugo como presidente do país não contou com as garantias suficientes. É que esquerdopatas não gostam de cumprimeiro de determinações constitucionais, que foi exatamente o que aconteceu no Paraguai.

Petrolífera chinesa oferece US$ 15 bilhões por concorrente canadense

A estatal chinesa de petróleo CNOOC fez nesta segunda-feira a maior proposta já realizada no país para a aquisição de uma empresa estrangeira, ao assinar acordo de compra da canadense Nexen por cerca de US$ 15,1 bilhões. A proposta força Ottawa a se decidir sobre preocupações com a segurança nacional. A CNOOC, terceira maior empresa de petróleo da China, espera oferecer um acordo aos acionistas e ao governo propondo um prêmio de 61% sobre o preço das ações da Nexen na sexta-feira. A petrolífera chinesa compromete-se a manter todos os funcionários e a fazer do Canadá a base para suas operações no hemisfério ocidental. A CNOOC está oferecendo US$ 27,50 em dinheiro por ação da Nexen, que tem operações de petróleo na província canadense de Alberta, gás de xisto na Columbia Britânica e extensivas operações de exploração e produção no Mar do Norte, Golfo do México e no mar Oeste da África. A proposta é a mais ambiciosa incursão de uma empresa da China sobre o mercado norte-americano de energia, depois que uma tentativa em 2005 de compra da Unocal, dos Estados Unidos, por US$ 18,5 bilhões, foi frustrada por uma reação política nos Estados Unidos. A CNOOC tem reservas para apenas nove anos, com base em sua produção atual, uma das mais baixas proporções entre as grandes companhias de petróleo em todo o mundo, e disse que o acordo aumentaria suas reservas provadas em 30%. A Sinopec Corp disse que vai comprar 49% da unidade britânica da Talisman Energy por US$ 1,5 bilhão. A Nexen, que recentemente passou por uma reforma administrativa, foi vista durante anos pelos banqueiros de investimento como um alvo potencial. Analistas haviam se referido à empresa como uma história de reviravolta desde que Kevin Reinhart assumiu como presidente interino no início deste ano. Ele estava mostrando sucesso na melhoria da confiabilidade de projetos como o enorme campo de petróleo Buzzard, no Mar do Norte, depois de anos de metas de produção perdidas. As ações da Nexen, cujo conselho aprovou por unanimidade o acordo, subiram 53%, para 26,52 dólares canadenses em Toronto nesta segunda-feira.

Justiça determina que servidores da Anvisa voltem a trabalhar no porto de Paranaguá

A Justiça Federal determinou nesta segunda-feira que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) volte a emitir os certificados que permitem o embarque e desembarque de mercadorias no porto de Paranaguá (PR). A emissão dos certificados de livre prática, como são chamados, estava suspensa desde a semana passada, quando começou a greve dos servidores das agências reguladoras do governo federal. A autorização da Anvisa é necessária para a entrada e saída de pessoas a bordo de um navio e para a movimentação de qualquer mercadoria, inclusive água e mantimentos. Por causa da paralisação, a fila no porto chegou a 130 navios na semana passada. Algumas embarcações, sem a autorização que lhes permitiria atracar em Paranaguá, tiveram que desviar do porto e descarregar em outros terminais. Duas entidades coletivas, o Sindapar (Sindicato das Agências de Navegação Marítima do Paraná) e o Sindop (Sindicato dos Operadores Portuários de Paranaguá), conseguiram decisões judiciais que determinam o retorno da emissão dos certificados. O juiz federal Vicente de Paula Ataide Junior, da Justiça Federal em Paranaguá, considerou que "o impedimento da atracação de navios causa transtornos econômicos não só para os importadores e exportadores, mas para toda a sociedade, pois matéria-prima e produtos de diversos setores são necessários para a continuidade do comércio". O desembargador federal Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz determinou que "a Anvisa deve assegurar, ainda que de forma precária, a execução dos serviços de fiscalização que lhe compete, para que promova a liberação, em tempo hábil, dos navios". No Espírito Santo, apenas cinco dos 29 servidores da Anvisa trabalharam nesta segunda (23), segundo o Sinagências. Os postos da agência no aeroporto de Vitória e nos portos de Tubarão e Vitória, que registram filas e lentidão, estão fechados. De acordo com o sindicato, em Tubarão e Vitória, a emissão de certificados de livre prática para os navios que chegam e saem dos terminais estão demorando 48 horas, tempo máximo previsto por lei. Em condições normais, a autorização é concedida em cerca de 24 horas. Em alguns casos, pode ser feita mesmo em uma ou duas horas.

Juventude do PT de Brasília anuncia ato de apoio a Delúbio Soares

A dez dias do início do julgamento do processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, a Secretaria de Juventude do PT do Distrito Federal fará um "ato de apoio" ao ex-tesoureiro nacional do PT, Delúbio Soares. Ele foi convidado a fazer uma "exposição" de duas horas, a partir das 19 horas desta terça-feira, no auditório do Diretório Nacional do PT, em Brasília. O evento foi confirmado por Juliander Alves, da Secretaria da Juventude do PT-DF. "É um momento importante para a sociedade ter opotunidade de conhecer o processo", disse o petista Juliander Alves. A organização espera um público de cerca de cem pessoas. Não foi anunciada a presença de nenhum parlamentar do PT. Delúbio também tem divulgado o evento em seu blog. Segundo o convite, o objetivo do ato é "ouvir e compreender a explanação de defesa do companheiro Delúbio Soares, fazendo um debate ético e democrático, isento de manipulação midiática". "É missão de cada militante compreender e difundir as reformas de que tanto o Brasil precisa, tais como a reforma política e o marco regulatório das comunicações", diz o texto do convite. Desde que foi revelado seu papel protagonista no escândalo do Mensalão do PT, em junho de 2005, Delúbio Soares tem feito palestras e encontros por todo o País para expor argumentos de defesa. Nos eventos, normalmente organizados pela militância e diretórios do PT, Delúbio costuma distribuir exemplares de um texto intitulado "A Defesa de Delúbio Soares no STF", no qual diz que o mensalão foi um delito de natureza eleitoral, não compra de deputados para votarem a favor do governo. Quando jovens se prestam a iniciativas desse gênero, é de se colocar em dúvida o futuro do País.

Justiça Eleitoral de Minas Gerais multa Zezé di Camargo em R$ 25 mil por propaganda antecipada

A juíza Sônia Helena Tavares de Azevedo, da 45ª Zona Eleitoral de Bom Despacho (a 158 quilômetros de Belo Horizonte) condenou, em primeira instância, o cantor sertanejo Zezé di Camargo a pagar uma multa de R$ 25 mil por propaganda política partidária antes do prazo legal. A decisão foi anunciada na sexta-feira e, nesta segunda-feira, os advogados do cantor recorreram da decisão. Representantes do Ministério Público, por sua vez, também recorreram e abriram recurso para aumentar o valor da multa. Nas comemorações do centenário de Bom Despacho, em 2 de junho, Zezé di Camargo apresentou um espetáculo para cerca de 12 mil pessoas. Durante o evento, o cantor criticou o vereador da oposição Fernando José de Castro Cabral (PPS), então pré-candidato a prefeito. "A gente sabe da história do político, do vereador aí, que criou o maior caso e que faz parte da oposição e que queria que a festa não acontecesse. Pensou muito mais no seu próprio umbigo do que no povo. Então, para esse cara que quis atrapalhar uma festa dessa, uma vaia bem grande que eu quero ouvir aqui’, disse Camargo para o público, durante o show. Conforme a juíza, não foi possível provar se o prefeito da cidade, Haroldo de Souza Queiroz (PDT), pediu para o cantor fazer a crítica. Na sua decisão, a juíza afirmou que "diante da abrangência e o potencial dos eleitores afetados, quase um terço do eleitorado do município, o significativo valor despendido para custeá-la (R$ 170 mil, o valor do cachê do artista) e das condições financeiras do representado (Zezé di Camargo), imponho a sanção pecuniária no importe de R$ 25 mil". "Diante de todo o exposto, percebo claramente que Mirosmar José de Camargo sabia muito bem a quem se referia, quando dizia um ‘vereador de oposição’ no seu show realizado na festa do centenário desta urbe", disse a juíza na sua sentença.

Ayres Britto pede para Dilma aumento de salário aos juízes

Em reunião de uma hora com a presidente da República, Dilma Rousseff, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Carlos Ayres Britto, pediu a aprovação de um plano de carreira para a magistratura, que prevê um aumento médio de 33% nos salários de juízes e de servidores do Judiciário. A reunião aconteceu no Palácio do Planalto no fim da tarde desta seguna-feira. Ayres Britto também pediu mais segurança para os magistrados e defendeu o 3º Pacto Republicano. A questão da segurança se tornou prioridade das associações de juízes, após os casos de mortes e ameaças de magistrados nos últimos anos. Já o pacto tem o objetivo de fortalecer as defensorias públicas. Na semana passada, o presidente do Supremo pediu ao Ministério da Justiça para que a Força Nacional de Segurança ajude a Polícia Militar do Distrito Federal a garantir a segurança da Corte durante o julgamento do processo do Mensalão do PT. O objetivo do Supremo é o de assegurar que as manifestações contrárias e favoráveis aos réus não interfiram no julgamento. O tribunal quer evitar que o barulho dos manifestantes impeça a continuidade das sessões do julgamento e também está preocupado em garantir a segurança das pessoas que vão assistir às sessões no prédio da Corte na Praça dos Três Poderes.

Pela primeira vez, títulos públicos deixam de ser vendidos com juros maiores que 10%

Os investidores que podiam comprar títulos públicos e obter rendimentos anuais de dois dígitos perderam essa oportunidade. A redução da taxa Selic para o menor nível da história fez os títulos públicos prefixados de longo prazo deixarem de ser vendidos com juros superiores a 10% ao ano. Pela primeira vez, nenhum papel oferecido pelo Tesouro Nacional rende mais que esse percentual. De acordo com o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Fernando Garrido, títulos NTN-F com vencimento em 2023, que foram vendidos com juros de 10,80% ao ano no início de junho, foram leiloados com taxa de 9,66% ao ano neste mês. Atualmente, esses papéis pagam as maiores taxas entre os títulos oferecidos pelo Tesouro. “Quem comprava papéis esperando rendimentos de dois dígitos não pode mais fazê-lo”, disse. Segundo Garrido, apesar da queda dos juros, os rendimentos continuam atrativos. “Se pensarmos em um rendimento em torno de 9,5% ao ano, com uma Selic de 8% ao ano e a maioria das aplicações em fundos de investimento rendendo próximo disso, a aplicação em títulos públicos segue atraente”, declarou. Cada vez mais, os investidores estão migrando para títulos de prazo mais longos e corrigidos por outros indexadores. Os títulos prefixados têm os juros definidos no momento da emissão. O Tesouro sabe exatamente a taxa que vai pagar daqui a vários anos quando os papéis vencem. Em troca dessa previsibilidade, o governo paga juros um pouco maiores que a taxa Selic. A queda dos juros reflete dois fatores: o atual ciclo de redução dos juros básicos e a maior confiança dos investidores de que o governo brasileiro não dará calote. Mas, se a queda dos juros é desvantajosa para os investidores, beneficia o governo, que paga menos para rolar (renegociar) a dívida pública. De acordo com o Tesouro Nacional, o custo médio acumulado em 12 meses da Dívida Pública Federal (DPF) caiu de 12,85% ao ano em maio para 12,81% ao ano em junho. Os principais fatores para essa queda são a redução da Selic, hoje em 8% ao ano, e do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que caiu de 0,15% em junho de 2011 para 0,08% em junho deste ano. A redução dos custos é um dos fatores que ajudará a conter o crescimento da dívida pública e impedir que o estoque ultrapasse a barreira de R$ 2 trilhões.

Gripe A já matou 133 pessoas na Região Sul

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul confirmou hoje (23) a ocorrência de mais oito mortes causadas pela influenza A (H1N1) – gripe suína. Agora são 46 os casos fatais ocorridos no estado este ano. No Paraná, a Secretaria Estadual de Saúde anunciou mais duas mortes, elevando para 25 o total de óbitos. Assim, com as 62 em Santa Catarina, sobe para 133 o total de mortes este ano na região Sul. Nos três Estados foram registrados até agora 1,9 mil casos da doença: 899 no Paraná, 685 em Santa Catarina e 316 no Rio Grande do Sul. O total de mortes registradas até o momento na Região Sul, este ano, equivale a 16,9% do que foi verificado em 2009, quando 789 pessoas morreram nos três estados. Naquela ocasião, o mundo passou por uma pandemia da doença, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O Ministério da Saúde deve enviar, na próxima quinta-feira, mais 400 mil doses da vacina ao Paraná. Com isso, o Estado pretende imunizar as crianças de 2 a 5 anos incompletos, que não fazem parte dos grupos priorizados na campanha nacional de vacinação. Em Curitiba, que tem entre 60 mil e 70 mil crianças nessa faixa etária, a vacinação começou nesta segunda-feira.

Petrobras anuncia saída de Jorge Zelada do cargo de diretor da área Internacional

Jorge Luiz Zelada não é mais o diretor da área Internacional da Petrobras. A empresa divulgou nesta segunda-feira nota na qual relata a saída do diretor cujo cargo será acumulado pela presidente da estatal, Graça Foster. O comunicado não relata os motivos que levaram Zelada a deixar a diretoria, mas informa que a renúncia foi aceita pelo Conselho de Administração da Petrobras. “A Petrobras informa que o seu Conselho de Administração, em reunião realizada hoje, tomou conhecimento da renúncia do diretor da área Internacional, Jorge Luiz Zelada, e designou a presidenta Maria das Graças Silva Foster para, cumulativamente, responder pelos encargos afetos ao diretor da área Internacional. A Companhia agradece ao Diretor Zelada pelos relevantes serviços prestados durante o exercício do cargo”, diz a nota.

Ex-cunhado de Cachoeira é solto após pagar fiança

O ex-cunhado de Carlinhos Cachoeira, Adriano Aprígio, foi solto no final da tarde desta segunda-feira do prédio da Superintendência da Polícia Federal em Goiás após pagar fiança de R$ 10 mil. Aprígio estava detido desde o dia 6 de julho acusado de enviar um e-mail ameaçador à procuradora Lea Batista de Oliveira, que atuou nas investigações contra suposto grupo criminoso chefiado por Cachoeira. Na mensagem, encaminhada em junho, o remetente anônimo se mostrava inconformado com a dura atuação do Ministério Público no caso. Investigações da Polícia Federal identificaram que a mensagem veio do computador do ex-cunhado de Cachoeira. Aprígio admitiu que mandou a mensagem e alegou que enviou o e-mail para “desabafar”. Adriano Aprígio está entre os 80 denunciados pelo Ministério Público Federal em Goiás por envolvimento com a rede criminosa de Cachoeira. De acordo com as investigações, ele dissimulava os recursos arrecadados pelo grupo com a exploração ilegal de jogos em Goiás e outros esquemas de corrupção. Além da mensagem enviada pelo ex-cunhado de Cachoeira, a procuradora Lea Batista recebeu mais dois e-mails ameaçadores, um deles com palavras de baixo calão e ameaças explícitas. A Polícia Federal continua as investigações para descobrir os autores.

Custo da dívida pública deve cair a 10,5% até fim do ano

O coordenador geral de planejamento estratégico da dívida pública do Tesouro Nacional, Otavio Ladeira de Medeiros, salientou nesta segunda-feira que a expectativa é de que o custo da dívida pública caia dos atuais 12,81% ao ano para 10,50% até o final do ano. A informação foi divulgada pelo subsecretário da Dívida Pública, Paulo Valle. "O que vamos observar é que até o fim do ano há previsão de queda, com a expectativa de custo atingindo 10,50% ao ano, conforme o secretário Paulo Valle disse em uma entrevista recentemente", afirmou o coordenador. Ele salientou que isso será possível com a redução da Selic e a troca de papéis indexados pela taxa básica de juros por outros indicadores. Além disso, também colaborará para a redução do custo, de acordo com Ladeira, a substituição de títulos prefixados mais curtos por papéis com prazo maior de vencimento.

Conselhos de Medicina pedem antecipação da vacinação no próximo ano

Com 1,9 mil casos confirmados e 133 mortes pela gripe A na região Sul do País neste ano, os Conselhos de Medicina dos três Estados (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná) iniciam movimentação para evitar um novo surto em 2013. A idéia dos profissionais de saúde é antecipar a campanha de vacinação, para garantir que a população esteja imunizada por volta da 26ª semana do ano, período que, historicamente, ocorre o pico da doença na região. Na pauta do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) está o aumento no número de doses distribuídas nos Estados do Sul, que concentram 80% dos casos da doença no País, e a criação de unidades de atendimento para pacientes com síndromes gripais, para acelerar o início do tratamento com o antiviral Oseltamivir, conhecido pelo nome comercial Tamiflu. "Precisamos que o Ministério trate a região Sul como região Sul. O Brasil não é só praia no Nordeste", criticou o presidente da entidade, Rogério Aguiar. Ele admitiu também que a diminuição dos casos depende ainda de condições climáticas. Para o Secretário Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, Ciro Simoni, a avaliação de que o pico de casos da doença já passou precisa ser revista com o acompanhamento dos dados.

Lula entrará na campanha a partir do dia 6 de agosto

Em reunião de aproximadamente duas horas com dirigentes do PT e o candidato do partido à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, o ex-presidente Lula pediu uma avaliação da situação eleitoral da sigla em todo o País e um levantamento de onde será preciso sua participação direta. Lula voltou nesta segunda do descanso de dez dias no interior de São Paulo, mas avisou a cúpula do PT que só estará 100% disponível a partir do dia 6 de agosto, quando fará um novo check up para avaliar a sua recuperação após o tratamento do câncer na laringe. Segundo Haddad, apesar de estar se sentindo melhor, Lula só poderá se engajar nas campanhas com o aval dos médicos. "Estamos prevendo, a depender dos exames do dia 6, algumas atividades externas, como participação na apresentação do programa de governo e de carreatas", revelou o candidato. Durante a reunião, os dirigentes listaram as cidades prioritárias para o partido, entre elas, Recife e Belo Horizonte. "Tem algumas capitais em que ele estará presente, outras será por meio de depoimentos na TV", contou o deputado Edinho Silva, presidente do diretório estadual do PT em São Paulo.

STJ mantém Carlinhos Cachoeira preso

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, Ari Pargendler, negou nesta segunda-feira pedido da defesa de Carlinhos Cachoeira para que ele fosse solto. Os advogados do contraventor tentaram suspender liminar do ministro Gilson Dipp que o mantém preso. O argumento é que o julgamento de recurso já apresentado pela defesa do bicheiro, iniciado pela Terceira Seção, foi interrompido por pedido de vista e, na melhor das hipóteses, só será retomado em 8 de agosto, após o recesso do Judiciário. Sendo assim, diz o pedido, os "graves efeitos" da liminar perdurariam por prazo excessivo. Ao negar o pedido, Pargendler argumentou que o juiz de plantão não pode revisar decisão do juiz natural, que "relatou e decidiu durante o período normal de atividades do tribunal", e nem avocar a competência já submetida à Terceira Seção. "A avocação é via de uma só direção, partindo do órgão colegiado para o singular, e não o contrário", explicou ele na decisão.

Comunidade cubana em Miami pede esclarecimento sobre morte de Payá

A comunidade anticastrista cubana radicada em Miami exigiu nesta segunda-feira um esclarecimento sobre a morte do dissidente Oswaldo Payá, assassinado em um acidente de trânsito provocado no domingo. O corpo de Payá chegou em Havana no início da noite desta seguna-feira e deve ser enterrado nesta terça-feira. "Enquanto tentamos saber quais as circunstâncias da morte de Payá, é muito importante que a comunidade internacional se una àqueles que estão em Cuba para pressionar o regime a revelar a verdade", disse o senador cubano-americano Marco Rubio, do Partido Republicano. Ele também pediu proteção às pessoas que têm informações sobre o acidente. A organização Mães e Mulheres Antirrepressão em Cuba (MMAC) divulgou um comunicado no qual responsabilizou o governo do ditador comunista assassino Raúl Castro pela morte de Payá. "O governo tem um amplo histórico de assassinatos, perpetrados por diversos meios, para eliminar seus adversários", diz o texto: "Entre eles, estão supostos acidentes de automóvel". Payá, de 60 anos, liderava o Movimento Cristão de Liberação e viajava com um cubano, um espanhol e um sueco. O primeiro morreu e os outros dois ficaram feridos. O carro chocou-se contra uma árvore em Bayano, a 744 quilômetros de Havana. "Quero agradecer a todas as mensagens de pessoas que manifestaram seu apoio em este momento trágico para a dissidência e para a família de Payá", afirmou o dissidente Ernesto Martini. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a chefe da diplomacia da União Européia, Catherine Ashton, lamentaram a morte do dissidente.

Senador asilado em embaixada do Brasil na Bolívia acusa indio cocaleiro Evo Morales de abuso de poder

Roger Pinto, senador de oposição, refugiado desde maio na embaixada do Brasil em La Paz, declarou nesta segunda-feira, em carta destinada ao ditador da Bolívia, o índio cocaleiro Evo Morales, que o chefe de Estado "abusa do poder", porque seu governo lhe nega um salvo-conduto de saída do país. "Pode me negar um salvo-conduto e com isto me manter privado da liberdade de movimentos, mas não poderá me impedir de ser autenticamente livre. Senhor presidente, o senhor abusa do poder, mas deve saber que há coisas muito mais importantes que não poderá conseguir nem com todo o seu poder", redigiu Roger Pinto. A carta foi enviada um dia depois de a ministra da Transparência, Nardi Suxo, dizer que "o chanceler incorreria em descumprimento de deveres" se desse um salvo-conduto a Roger Pinto, que é acusado pela justiça de "crimes comuns", segundo ela. Roger Pinto, um pastor protestante, voltou a se considerar em sua carta de "perseguido político". A ministra das Comunicações da Bolívia, Amanda Dávila, questionou o papel do embaixador do Brasil, Marcel Biato, neste tema, depois de este ter pedido ao governo boliviano para resolver a situação. Ele é perseguido por ser de oposição e por ter denunciado o indio cocaleiro Evo Morales de chefiar um governo ligado ao narcotráfico.

Número de mortes por gripe A sobe para 46 neste ano no Rio Grande do Sul

Conforme o boletim divulgado nesta segunda-feira pelo site da Secretaria Estadual da Saúde, o Rio Grande do Sul registra 316 casos de gripe A, com 46 mortes. São oito a mais do que o registrado nos últimos dados divulgados no dia 19 de julho, que mostravam 262 casos com 38 mortes. E mal termina o primeiro mês do inverno. Os gaúchos que se preparem....

PSDB pede investigação de blogs que apoiam PT

O PSDB pediu que a Procuradoria-Geral Eleitoral investigue o patrocínio de empresas públicas a sites e blogs acusados de apoiar o PT. Os advogados da direção nacional tucana afirmam que as páginas na internet são usadas como "centrais de coação e difamação de instituições democráticas" e como "instrumento ilegal de propaganda eleitoral". O pedido de investigação foi entregue nesta segunda-feira, três dias depois que o candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo acusou o PT de financiar "blogs sujos" e uma "tropa nazista" na web para atacar adversários. Os tucanos acusam especificamente os blogs "Conversa Afiada", do jornalista Paulo Henrique Amorim, e o site do jornalista Luis Nassif, de fazerem propaganda para candidatos apoiados pelo PT e defender os réus do escândalo do Mensalão do PT. Segundo o PSDB, as duas páginas recebem recursos da Caixa Econômica Federal, em forma de patrocínio.

Ministro da Justiça cobra da Polícia Federal a identificação de corpos das vítimas da ditadura

O ministro da Justiça, o petista José Eduardo Cardozo, cobrou explicações à Polícia Federal sobre a identificação de corpos de vítimas da ditadura. Pressionado por críticas ao trabalho da corporação, responsável por fazer exames de DNA em ossadas de possíveis desaparecidos e auxiliar nas buscas, ele informou que aguarda esclarecimentos para se posicionar sobre o caso e tomar eventuais providências. Ofício da Comissão da Verdade ao ministro pede informações sobre o estágio das expedições e dos testes em corpos, além dos resultados já obtidos. O motivo é documento do Ministério Público Federal, com acusações à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência e à Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos. A Polícia Federal é parceira dos dois órgãos no trabalho de identificação. O relatório menciona as dificuldades para encontrar mortos e desaparecidos nos cemitérios de Vila Formosa e Dom Bosco, no bairro de Perus. Separadas em 1990, 1.049 ossadas estão desde 2001 no Cemitério do Araçá (SP), sem qualquer tipo de exame. O Ministério Público cita os casos de Hiroaki Torigoe, que, apesar da indicação das ossadas, não entrou na pauta da comissão; e Aylton Mortati, cujos restos mortais aguardam a finalização de testes antropológicos e de DNA desde 2010. Cópia do relatório foi enviada a José Eduardo Cardozo. Presidente do Grupo Tortura Nunca Mais no Rio de Janeiro, grupo formado por familiares de vítimas da ditadura, Vitória Grabois diz que tem faltado vontade política para dar à comissão e seus parceiros melhores condições. "Ela existe desde 1995 e fez muito pouco. No princípio, trabalhou exaustivamente para a indenização de famílias. Mas nunca teve pessoal suficiente para trabalhar em buscas e identificação, apesar da boa vontade dos integrantes", comentou.

Carlinhos Cachoeira é transferido para Goiânia, para audiência em processo judicial

Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, chegou nesta segunda-feira em Goiânia e foi levado para a Superintendência da Polícia Federal. A segurança no local foi reforçada com policiais federais e agentes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). A Justiça Federal de Goiás marcou para esta terça-feira as audiências de instrução para o julgamento de Cachoeira, e outros sete membros da organização criminosa comandada pelo bicheiro. O processo é resultado da operação Monte Carlo, em que 81 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Federal. Em 31 de maio, uma liminar concedida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região suspendeu os depoimentos. Nesta terça-feira, 10 testemunhas de defesa e outras quatro de acusação serão ouvidas. Na quarta-feira será a vez dos réus. Um deles (Geovani Pereira da Silva) está foragido. Sem autorização para receber visitas, a namorada dele, Andressa Mendonça, esteve na sede da Polícia Federal e entregou um bilhete "de amor". Ela voltou a dizer que o bicheiro está deprimido. Durante a tarde, Cachoeira passou por exames psicológicos a pedido do juiz da 11ª Vara Federal, Alderico Santos. A consulta foi realizada por um perito da Polícia Federal e acompanhada por Antônio Frota, psiquiatra do contraventor. A partir da avaliação, o magistrado poderá decidir se ele permanece preso ou poderá responder ao processo em liberdade. O magistrado também autorizou que Carlinhos Cachoeira conversasse com seus advogados, reservadamente, por quatro horas. Na última semana, a defesa de Cachoeira tentou suspender as audiências, alegando que nem todas as diligências, especialmente aquelas direcionadas às empresas de telefonia, foram cumpridas. No entanto, o Alderico Santos indeferiu o pedido e manteve as audiências. Advogado de Cachoeira, Augusto Botelho, afirmou que a defesa não irá recorrer da decisão e que as audiências devem ocorrer.

Justiça bloqueia bens do Banco Rural e de Katia Rabelo no valor de R$ 100 milhões

Com os principais diretores e ex-dirigentes na lista dos réus do processo do Mensalão do PT, que deve começar a ser julgado na próxima semana pelo Supremo Tribunal Federal, o Banco Rural S/A levou mais um golpe da Justiça. O Tribunal Superior do Trabalho autorizou o bloqueio e execução de bens da instituição no valor de mais de R$ 100 milhões para o pagamento de dívidas trabalhistas do empresário Wagner Canhedo, ex-proprietário da extinta Vasp. Para o Judiciário, o Rural auxiliou Canhedo em "cristalina fraude" para tentar ocultar patrimônio e evitar a penhora de bens. O caso começou em 2005, em uma ação que tramitou na 14ª Vara da Justiça Trabalhista em São Paulo, na qual o Ministério Público do Trabalho e o Sindicato dos Aeroviários no Estado pediam a execução de bens de Canhedo para o pagamento de dívidas com os funcionários da Vasp, cuja falência foi decretada em 2008, por causa de um acordo "que foi integralmente descumprido" pelo empresário, segundo o relator do processo no TST, ministro Pedro Paulo Teixeira Manus. O Judiciário constatou que houve "fraude de execução, no que tange a toda a alienação e oneração feita no patrimônio da Vasp ou seu controlador". A juíza Soraya Galassi Lambert determinou então, entre outros, a penhora de bens do Banco Rural no valor de R$ 43 milhões devido a duas vendas de 71,6 mil cabeças de gado que Canhedo, por meio da Agropecuária Vale do Araguaia, fez à Rural Agroinvest S/A em 2004, quando já não podia se desfazer de seus bens devido a outra sentença judicial. A magistrada ainda considerou "ineficazes" as vendas de Canhedo à Securinvest Holding S/A - pertencente ao grupo Rural - do imóvel do Hotel Nacional, em Brasília, avaliado em R$ 70 milhões, e de um imóvel em Guarulhos (SP) avaliado em R$ 20 milhões. O banco recorreu e, em janeiro de 2012, o presidente do TST, ministro João Oreste Dalazen, concedeu liminar suspendendo a execução dos bens. No entanto, a Subseção II da corte, especializada em dissídios individuais, seguiu o entendimento do ministro Pedro Paulo Manus, cassou a decisão e determinou novamente a penhora de bens, que, em valores atualizados, ultrapassam R$ 100 milhões. O acórdão é de 5 de junho. A direção do Banco Rural à época do escândalo do Mensalão do PT, incluindo a presidente Kátia Rabello, vão ter que se sentar no banco dos réus no STF a partir da semana para serem julgados pelo envolvimento no caso. Segundo a denúncia do então procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, para que o esquema funcionasse "teria sido necessário contar com os réus Kátia Rabello, José Roberto Salgado, Vinícius Samarane e Ayanna Tenório, os quais, no comando das atividades do Banco Rural, teriam criado as condições necessárias para a circulação clandestina de recursos financeiros, através de mecanismos de lavagem de dinheiro, que permitiriam o pagamento de propina".

Prefeitura de Porto Alegre inicia licitação de trechos da avenida Tronco

Avenida Tronco já está em obras de duplicação
Na quinta-feira da próxima semana, dia 2 de agosto, a Comissão Especial de Licitação das Obras da Copa de 2014 receberá documentações e propostas da empresa ou consórcio que executará as obras de infraestrutura e pavimentação da avenida Tronco, trechos 1 e 2, entre a rótula da rua Gastão Mazzeron até a Terceira Perimetral e da rua Gastão Mazzeron até a rua Neves. O processo licitatório foi liberado pelo Tribunal de Contas do Estado, após o prefeito José Fortunatti se comprometer em fazer as alterações exigidas. As modificações dizem respeito à utilização da tabela da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov), ao invés da tabela do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi) para balizamento dos custos. Os trechos 3 e 4 da avenida Tronco, localizados entre a Rótula da avenida Icaraí até Rua Gabriel Camargo, a 100 metros da Gastão Mazzeron, já estão em obras. Os trabalhos começaram da rua Moab Caldas, sem a necessidade de desapropriações de imóveis. O consórcio vencedor da licitação foi o CBG-CPL-TB e o custo da obra é de R$ 76.401.350,25. O prazo de execução previsto é 18 meses.

Justiça nega pedido da Tim contra proibição da Anatel para venda de chips

A Justiça Federal negou o pedido da operadora TIM para manter as vendas de chips, suspensas por determinação da Agência Nacional de Telecomunicações na semana passada. A empresa tinha entrado com um mandado de segurança, na última sexta-feira, na 4ª Vara Federal do Distrito Federal, contra a decisão da Anatel de suspender as vendas e ativações de novos chips da empresa em 18 estados e no Distrito Federal. Ao indeferir o pedido da TIM, o juiz federal substituto da 4ª Vara, Tales Krauss Queiroz, alega que "de dois anos para cá, é pública e notória a piora na qualidade dos serviços de telefonia celular do País.

Anatel mantém suspensão das vendas da Claro

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) recebeu nesta segunda-feira o plano de ação da operadora Claro, exigido pela decisão que suspendeu as vendas da companhia em São Paulo, Sergipe e Santa Catarina. A operadora foi punida na semana passada, juntamente com as concorrentes TIM e Oi, por deficiência de serviço. De acordo com o plano, a Claro promete investir até o final do ano R$ 3,5 bilhões no aumento da capacidade de sua rede em todo o país. Além disso, a Claro promete instalar um cabo submarino ligando o Brasil — saindo do Rio Janeiro e passando por Fortaleza — aos Estados Unidos - até Miami. Segundo a Claro, esse investimento vai permitir aumentar a velocidade das transmissões e comportar crescimento de usuários dos serviços de voz e de dados. A companhia também informou que contratou três novas empresas prestadoras de serviço para operarem seus serviços de Atendimento ao Consumidor (SAC), a principal reclamação contra a companhia. Na semana passada, as operadoras Claro, TIM e OI foram suspensas para a comercialização de novas linhas de celular e de serviço de internet. A liberação da venda foi condicionada pela Anatel à apresentação de um plano de investimentos em até 30 dias. Segundo o superintendente de Serviços Privados da Anatel, Bruno Ramos, a reunião com a Claro "foi muito boa", mas a empresa ainda necessita detalhar como ajustará a rede ao crescimento de usuários. Bruno Ramos não soube informar quando a Claro terá autorização para voltar a vender chip e modem nos três Estados onde teve os serviços suspensos pela Anatel. Para evitar que a proibição seja burlada, a Anatel está fazendo fiscalização das habilitações nas centrais das empresas.

Mais de 14 mil famílias perderam Bolsa Família por falta de frequência escolar

A baixa frequência escolar de crianças assistidads pelo Programa Bolsa Família levou mais de 14 mil famílias a perderam benefício do Programa Bolsa Família em julho. O número representa 2,4% do total de atendidos em abril, último mês de acompanhamento da frequência. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, os beneficiários têm até 31 de julho para comparecer às prefeituras e tentar reverter o cancelamento, explicando os motivos das faltas à escola. Para que a família receba o benefício, as crianças e jovens de seis a 15 anos precisam estar matriculadas regularmente na rede de ensino e ter pelo menos 85% de frequência escolar. O processo entre a notificação da família e o cancelamento dura cerca de um ano. Nesse período, a prefeitura deve procurar a família para identificar os motivos para o abandono da escola. Em graus de punição que antecedem a exclusão, ministério também suspendeu o pagamento de 61 mil benefícios por 60 dias, pelo mesmo motivo, e 72 mil estão bloqueados em julho. No caso do bloqueio, os valores são pagos retroativamente no mês seguinte. Além das famílias que perderam o benefício, 7,8 mil jovens entre 15 e 17 anos também foram desligados do programa por problemas no cumprimento da frequência escolar. O mínimo exigido nessa faixa etária é 75%. Nesse caso as famílias perdem apenas a parcela referente a cada um dos adolescentes, que pode ser de R$ 38,00 ou R$ 76,00.

TCU aponta indício de superfaturamento em duplicação da BR-386, a Tabai-Canoas

O Tribunal de Contas da União identificou um superfaturamento de R$ 13,6 milhões nas obras de duplicação da rodovia Tabaí – Estrela (BR-386). As investigações apontam superestimativa de terraplenagem e diferença no cálculo entre as distâncias de transporte de material executadas e as orçadas pela empresa responsável. O superfaturamento apontado pelo Tribunal de Contas da União corresponde a 8% do total da obra, com orçamento atualizado em R$ 170 milhões para a duplicação de 34 quilômetros entre Tabaí e Estrela, no Vale do Taquari. Entre as irregularidades fiscalizadas, encontram-se R$ 4,6 milhões a mais referente ao cálculo das distâncias de transporte nos serviços de terraplenagem e proteção da rodovia; e o reembolso aos cofres públicos de R$ 9 milhões decorrentes da superestimativa das medições de terraplenagem. O Tribunal de Contas da União determinou que, a partir da notificação, os responsáveis pela aprovação e revisão do projeto e as empresas participantes do consórcio têm 15 dias para se manifestar sobre as irregularidades. Iniciada em novembro de 2010, a obra está em andamento em 25 quilômetros. Dos nove restantes, há ainda pendências com liberações da Fundação Nacional do Índio (Funai) para obras próximas a uma aldeia indígena, que será realocada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Criação de emprego cai 26% no primeiro semestre e 44% na comparação com junho

A abertura de novas vagas no mercado de trabalho formal brasileiro contraiu 25,9% no primeiro semestre do ano, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta segunda-feira pelo Ministério do Trabalho. Nos primeiros seis meses do ano foram abertos 1.047.914 novos postos, contra 1.414.660 postos abertos no mesmo período do ano passado. Em junho, a economia brasileira criou 120.444 postos de trabalho com carteira assinada, o pior resultado para aquele mês desde 2009 e 44% menos do que em junho de 2011, quando foram gerados 215.393 novos empregos. Se considerado o ajuste, ou seja, admissão líquida de empregados informados pelas empresas após o prazo obrigatório, o número sobe para 255.418. O resultado de junho ficou abaixo da oferta de 139.679 vagas abertas em maio, no dado sem ajuste. Apesar da desaceleração na oferta de empregos, o mercado de trabalho se mantém como um dos pilares da economia, assegurando renda e condições de consumo e contratação de crédito à população mesmo diante de uma atividade que roda em ritmo fraco. No governo, a avaliação é que a oferta líquida de vagas se manterá em nível elevado em 2012, mas inferior à dinâmica observada em 2011. A indicação oficial é que o mercado de trabalho tende a apresentar performance melhor no segundo semestre em comparação ao primeiro devido à perspectiva de maior crescimento da economia na segunda metade do ano. Na ata apresentada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) na quinta-feira o Banco Central informou que a recuperação da atividade econômica doméstica vem ocorrendo de forma “bastante gradual”, mas que o cenário central sinaliza um “ritmo de atividade mais intenso neste semestre”.

No caso do Mensalão, Zé Dirceu é apenas o laranja de Lula

Se você clicar no endereço a seguir, http://tinyurl.com/4xdduq4, surgirá imediatamente a íntegra da representação que fez ao Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, o procurador regional Manoel Pastana, que mora e trabalha em Porto Alegre. Ele identifica Lula como o verdadeiro chefe do Mensalão do PT. A lembrança desta representação, protocolada no dia 17 de abril, surge a propósito da reportagem de Veja desta semana, na qual fica claro que o publicitário Marco Valério voltou a chantagear Lula, ameaçando-o de apresentar documentos, videos e gravações que comprovam justamente o que denunciou o procurador Manoel Pastana. A reportagem é corrosiva e assustadora - para Lula e o PT. Na semana passada, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, voltou a tocar na mesma tecla. Seu advogado, Luiz Francisco Corrêa Barbosa, que é também advogado do editor, há mais tempo representou ao STF para que Lula fosse incluído na lista dos réus do Mensalão. O que disse Roberto Jefferson: Zé Dirceu é o laranja de Lula. (Políbio Braga)

Delegado acusado no caso do megatraficante colombiano Abadia é demitido da Polícia Civil paulista

O delegado Pedro Luis Pórrio, seis investigadores e dois agentes foram demitidos da Polícia Civil de São Paulo nesta segunda-feira. A expulsão foi publicada no Diário Oficial do último sábado. Pedro Luis Pórrio é um dos policiais acusados de envolvimento em achaques a traficantes colombianos da quadrilha de Juan Carlos Abadía. Ele trabalhava no Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) quando teriam ocorridos os achaques. Mas o caso que provocou sua demissão e a dos demais policiais ocorreu pouco depois de ele deixar o Denarc, em 2007. Pórrio e os demais policiais são acusados de achacar R$ 35 mil de um traficante de drogas em Campinas. Os policiais teriam detido cinco suspeitos na cidade do interior de São Paulo. Na época, os policiais trabalhavam na Delegacia Seccional de Osasco, na Grande São Paulo. O traficante estava sendo investigado pela Polícia Federal, que gravou a negociata e repassou as fitas à Corregedoria da Polícia Civil e ao Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) de Campinas. Na época, o Gaeco apurou que, após o primeiro achaque, de R$ 35 mil, o delegado e os investigadores exigiram mais dinheiro do traficante. Depois, teriam torturado o criminoso, uma mulher e outro amigo dele. Em uma das ligações interceptadas, a mulher do bandido afirma a um policial civil que não tem mais dinheiro. Em outro diálogo, um investigador chama uma pessoa de chefe e também fala sobre dinheiro. O autor do telefonema seria o investigador Antonio Cabalero Cursi. Ele trabalhou com Pórrio no Denarc. Os policiais do departamento teriam tomado R$ 2,7 milhões dos traficantes colombianos Abadía e de Ramón Manoel Yepes Penagos, conhecido como El Negro, ambos presos em 2007, em São Paulo. Além de Pórrio e Cursi, também foram demitidos Francisco Pessoa, Luis Claudio de Oliveira, Pablo Pereira Xavier, Regina dos Santos e Sandro dos Santos, e os agentes policiais Daniel Dutra e Eduardo Benevides. O processo administrativo do caso Abadia em que Pórrio é acusado ainda não teve uma decisão final.

Dívida de Marcos Valério com bancos é de ao menos R$ 83 milhões, mas não será paga…

A dez dias do início do julgamento do Mensalão do PT, Marcos Valério e seus ex-sócios devem na Justiça pelo menos R$ 83 milhões que saíram dos bancos Rural e BMG para abastecer o PT e partidos aliados em 2003 e 2004. Isso é mostrado pelos processos no Tribunal de Justiça de Minas Gerais em que os bancos cobram o valor, mas, segundo avaliação de envolvidos no episódio, a dívida jamais será paga. O julgamento começa no dia 2 de agosto no Supremo Tribunal Federal. Apontado como operador do Mensalão do PT, Marcos Valério alega que pegou o dinheiro a pedido do PT e, para pagar aos bancos, cobra R$ 100 milhões do partido na Justiça. ”Há uma responsabilidade de natureza civil do PT”, diz o advogado de Marcos Valério, Marcelo Leonardo. De acordo com a Procuradoria-Geral da República, em 2003 e 2004 o Rural e o BMG fizeram empréstimos de R$ 64 milhões ao PT e às empresas de Marcos Valério. O objetivo, sustenta a denúncia dos procuradores, era misturar esse valor ao dinheiro público desviado de contratos das empresas de publicidade de Valério com o Banco do Brasil e a Câmara dos Deputados -e, com isso, camuflar a origem ilegal dos recursos do Mensalão do PT. O PT nega e afirma que o dinheiro que repassou a aliados e a integrantes do partido, para atender a despesas eleitorais, vieram exclusivamente dos empréstimos feitos no Rural e no BMG. E diz que pagou a sua parte em 2009, não reconhecendo, por consequência, a dívida cobrada hoje por Marcos Valério. Já a Procuradoria descreve o Mensalão do PT de outra forma: como um esquema de compra de apoio político no Congresso organizado pelo PT no início do governo Lula. E diz que os bancos liberaram o dinheiro em troca de receber benefícios do governo. Não teriam a intenção de cobrá-lo, o que só fizeram após o estouro do escândalo. O Banco Rural, segundo a Procuradoria, queria o apoio do governo na aquisição de parte do Banco Mercantil de Pernambuco. Já o BMG, diz a denúncia, teria sido beneficiado na operação de empréstimos consignados de servidores públicos. Os documentos mostram que as dívidas de Marcos Valério com os dois bancos estão longe de ser quitadas. Um dos empréstimos, de R$ 17,4 milhões, por exemplo, foi parar no arquivo da Justiça mineira no mês passado. Trata-se do empréstimo do Rural à Graffiti, empresa do grupo de Marcos Valério. A dívida foi atualizada para os R$ 17,4 milhões em 2005, quando a cobrança começou, mas hoje pode ser muito maior. O banco alega que o caso será reativado quando localizar bens de Marcos Valério para penhorar.

Governo estuda afrouxar superávit em 2013; afinal, em 2014, há eleição presidencial

O governo Dilma está disposto a afrouxar o controle de suas contas em 2013 para ter condições de ampliar a agenda de desonerações da folha de pagamento das empresas. O Ministério da Fazenda, ao discutir a possibilidade de um esforço fiscal menor no terceiro ano de mandato de Dilma Rousseff, chegou a propor recentemente nos bastidores uma desoneração generalizada para todas as áreas da economia. Se isso não for viável, a ordem é avançar o máximo possível. Nos debates internos que vêm ocorrendo no Palácio do Planalto, pouco se fala em cumprir a meta de superávit primário, ou seja, de poupar o equivalente a 3,1% do Produto Interno Bruto para o abatimento da dívida pública. Ainda não se pode dizer, porém, que esse objetivo já tenha sido abandonado. Nas entrelinhas, autoridades do governo já começam a emitir sinais públicos nesse sentido, de modo a dar conta dos investimentos públicos e estimular os privados. Argumenta-se que, no caso da folha de pagamentos, parte da redução da contribuição previdenciária acaba voltando para os cofres públicos ao mesmo tempo em que eleva a competitividade das empresas. Isso porque a medida prevê a redução da alíquota patronal de 20% em troca de uma contribuição de 1% a 2% sobre o faturamento. Quinze setores da economia passam a contar com o benefício a partir do mês que vem. Além de uma desoneração “ampla, geral e, talvez, irrestrita” da folha de pagamento, o Planalto também se prepara para anunciar em agosto um conjunto de ações para desonerar a conta da energia elétrica, sobretudo a da indústria. Também está em estudo uma reforma do PIS/Cofins, que pode simplificar sua cobrança e até reduzir alíquotas. Preocupado com a desaceleração da economia e seus potenciais efeitos sobre a popularidade presidencial, o governo promete inaugurar no segundo semestre o que já se chama na Esplanada de a “segunda fase” da política econômica de Dilma Rousseff: redução orquestrada de impostos e elevação do investimento público.

Brasil é o quarto país com mais dinheiro em paraísos fiscais

Brasileiros tornaram o país o quarto maior cliente de contas em paraísos fiscais, segundo relatório da Tax Justice Network (rede de justiça fiscal). Segundo o relatório, brasileiros tinham depositado de 1970 até 2010 cerca de US$ 520 bilhões (ou mais de R$ 1 trilhão) nessas contas, onde se pode guardar dinheiro em razoável sigilo, sem ter de responder a muitas perguntas nem pagar imposto. O valor equivale a pouco mais de um quinto do PIB oficial brasileiro. De acordo com o estudo, o tamanho da fuga de capitais do País é maior do que a dívida externa acumulada no período, de US$ 324,5 bilhões. O documento foi escrito pelo economista James Henry para a Tax Justice Network, organização independente, focada nesse tipo de levantamento, que surgiu em 2003 no Parlamento britânico. Henry cruzou dados do Banco de Compensações Internacionais, do FMI (Fundo Monetário Internacional), do Banco Mundial e de governos para chegar aos valores. No ranking de países elaborado pela organização, o Brasil perde apenas para a China (US$ 1,2 trilhão), a Rússia (US$ 779 bilhões) e a Coréia do Sul (US$ 779 bilhões). Na América Latina, além do Brasil, o México, a Argentina e a Venezuela estão entre os 20 que mais enviaram dinheiro a paraísos fiscais.

Herança maldita do lulismo – Gasto com servidor dobrou em nove anos

Os funcionários do Executivo federal passaram a custar mais que o dobro à União desde que o PT chegou ao Palácio do Planalto, em 2003. A despesa média por servidor do governo cresceu mais de 120% entre 2003 e 2011, contra uma inflação em torno de 52% no mesmo período. Com a promessa de corrigir distorções históricas na remuneração dos três Poderes, o ex-presidente Lula implementou, em seu segundo mandato, uma política de "valorização do funcionalismo". Com ela, os servidores do Executivo tiveram evolução salarial maior que os do Legislativo e do Judiciário. Segundo o Ministério do Planejamento, apenas entre 2008 e 2010, o impacto dos reajustes dados somente aos servidores civis do Executivo foi de R$ 35,2 bilhões. São esses números que sustentam a determinação da presidente Dilma Rousseff de não ceder às pressões dos servidores grevistas. Até agora, apesar de a mesa de negociação estar aberta, só foi apresentada uma contraproposta aos professores das universidades federais. Dezenas de outras categorias do serviço público estão paralisadas, mas a ordem da presidente e da equipe econômica é manter o rigor fiscal exigido pela gravidade da crise financeira internacional. A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse que é impossível atender às reivindicações dos grevistas: “Desde 2003, houve aumentos reais em todas as categorias. Estamos refazendo todas as nossas contas diante do agravamento da crise internacional e esperamos que até o início de agosto tenhamos o cenário das propostas que possam ser atendidas. A soma das demandas é de R$ 92 bilhões, ou 50% da folha atual, 2% do PIB e o dobro do PAC deste ano. Isso indica, com clareza, que é um número que não é factível de o governo atender”. O cruzamento de dados do Boletim Estatístico de Pessoal do Ministério do Planejamento sobre a evolução da folha de pagamento, do quantitativo do funcionalismo e da despesa média por servidor comprovam a vantagem dos servidores do Executivo em relação aos demais Poderes. Enquanto o número de servidores ativos do Executivo variou cerca de 15%, passando de 856,2 mil em 2003 para 984,3 mil em 2011, a despesa média com esse servidor evoluiu numa escala muito maior: passou de R$ 3.439,00 para R$ 7.678,00 este ano, um crescimento de mais de 120%.