terça-feira, 3 de julho de 2012

Zona norte de São Paulo ganha primeira lixeira high tech

Moradores do condomínio Nova União, na Parada de Taipas, na zona norte da capital paulista, não precisam mais esperar o dia da coleta domiciliar para colocar seu lixo na calçada. O endereço foi o primeiro da cidade a ter funcionando, ainda em teste, o sistema de coleta high-tech em que o lixo é depositado pelos moradores em contêineres subterrâneos. Até o fim desta semana este sistema, chamado coleta mecanizada, deve também entrar em operação no Mercado Municipal, no centro. Desde março os moradores aguardavam a novidade que começou a ser instalada em novembro de 2011 pela concessionária Loga, responsável por recolher o lixo nas regiões norte, oeste, centro e parte da leste. Primeiro, um enorme buraco começou a ser escavado em uma calçada no centro do condomínio. Dentro dele foi colocado um contêiner com capacidade para 20m³ de lixo – ou 20 mil litros, mais de 20 toneladas. O piso foi refeito e do lado de fora o que se vê é uma lixeira pequena, que só abre quando acionado por um cartão magnético, distribuído para cada uma das 144 casas do bairro. Quando o morador encosta o cartão magnético no sensor, vê a tampa do contêiner se abrir. O sistema foi desenvolvido pela multinacional portuguesa TNL, que vendeu a tecnologia à Loga. O lixo é depositado no contêiner subterrâneo que possui sensores para medir sua capacidade. Quando estiver quase cheio, um sinal é enviado à central da Loga e um caminhão é direcionado ao local. É preciso só apertar um botão de um controle remoto para acionar o levantamento do piso e do contêiner que é substituído por outro vazio. O presidente da Loga, Luiz Gonzaga (do Grupo Solvi, ou Vega Ambiental, ou Revita), afirma que a previsão é de que nos próximos dois meses outras 30 lixeiras estejam funcionando. “E até o fim do ano queremos que sejam 100, mas o número pode ser menor porque estamos em fase de teste e pode ocorrer imprevistos”, explicou. O mecanismo é uma obrigação contratual das concessionárias de lixo com a prefeitura, a partir de outubro de 2013. A Ecourbis, que cuida das regiões leste, centro e sul, ainda não apresentou uma versão do projeto.

CPI da Delta aprova quebra de sigilos de prefeito e ex-prefeito de Goiânia

A CPI da Delta aprovou, nesta terça-feira, a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e de mensagens SMS de Paulo Garcia (PT), prefeito de Goiânia, e Iris Rezende (PMDB), ex-prefeito da capital. A comissão, instalada na Assembleia Legislativa de Goiás, investiga o possível envolvimento de autoridades e políticos goianos com a contravenção e o crime organizado e, ainda, a atuação das empresas Delta e Gerplan. Os requerimentos, apresentados pelos deputados Talles Barreto (PTB) e Tulio Isac (PSDB), foram aprovados por 3 votos a 2. Segundo os deputados da base aliada do governo estadual, o peemedebista e o petista aprovaram vários termos aditivos "duvidosos" em contratos da prefeitura com Delta e teriam "muitas explicações a dar". O prefeito Paulo Garcia respondeu que não há motivo para alarde quanto à quebras dos sigilos, mas criticou a conduta dos parlamentares estaduais. "Como já havia dito anteriormente, minha vida é um livro aberto. Isso não me impede de ressaltar que a Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembleia Legislativa mantém uma conduta questionável e submissa", diz a nota. Na mesma sessão em que aprovou a quebra dos sigilos de Garcia e Rezende, o deputados rejeitaram, por 3 votos a 2, a convocação do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso durante a Operação Monte Carlo suspeito de comandar uma quadrilha de jogos ilegais. Também foram negados os requerimentos para ouvir o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) e o jornalista Luiz Carlos Bordoni.

Ex-ditadores argentinos no banco dos réus por roubos de bebês

Será anunciado nesta quinta-feira o veredicto de um julgamento histórico contra os ex-ditadores argentinos Jorge Rafael Videla e Reynaldo Bignone. O tribunal vai decidir sobre a existência de um plano sistemático de roubo de bebês, filhos de desaparecidos políticos durante a ditadura no país (1976-83). Foram analisados 35 casos de apropriação de crianças, das quais 26 recuperaram a identidade. "Este é um julgamento histórico, carregado de muito simbolismo que serviu para manter viva a memória e a luta por justiça, contra a impunidade e que não tem precedentes no mundo, porque o roubo de menores da maneira como aconteceu na ditadura argentina nunca havia ocorrido antes", declarou Alan Iud, advogado das Avós da Praça de Maio, denunciante na causa. Ao lado de Videla, de 86 anos, e Bignone, 84 anos, está Jorge Acosta, chefe da Escola de Mecânica da Armada (Esma), o principal campo de concentração da ditadura, além de três ex-chefes militares, um obstetra e um agente da inteligência. Em sua alegação final, Videla, que recebeu em 2010 sua segunda condenação à prisão perpétua por crimes contra a Humanidade, classificou como "terroristas" as mulheres que deram à luz nas prisões da ditadura e que depois, em grande parte dos casos, eram jogadas vivas no mar de aviões militares em pleno vôo. "Todas as gestantes, a quem respeito como mães, eram militantes ativas da máquina do terrorismo. Usaram seus filhos como escudos humanos", disse o ex-ditador no tribunal. De acordo com Videla, a existência de um plano sistemático para roubar crianças "é uma falácia, havia ordens estritas e escritas para devolver menores desamparados a seus familiares". "É impossível que se tenha estabelecido lugares especiais para grávidas dentro dos centros de detenção e toda uma logística sem uma decisão das cúpulas", argumentou o advogado das Avós da Praça de Maio. O ex-subsecretário de Direitos Humanos do Departamento de Estado americano (1982-1985), Elliott Abrams, revelou durante o julgamento que os Estados Unidos sabiam do que ocorria na Argentina. "Acreditávamos que era um plano, porque prendiam ou assassinavam muitas pessoas, e nos parecia que o governo militar tinha decidido que algumas crianças seriam entregues a outras famílias", declarou no consulado argentino em Washington. As "Avós" estimam em 500 o número de crianças roubadas ao nascer durante o cativeiro de suas mães, em sua maioria desaparecidas, das quais 105 recuperaram sua identidade.

Captação líquida de poupança da Caixa soma R$ 1,67 bilhões

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira que os depósitos na caderneta de poupança superaram os saques em R$ 1,67 bilhão em junho, o melhor resultado para o mês em dez anos e 74% superior ao visto no mesmo período de 2011. No semestre, as cadernetas do banco público registram captação líquida positiva de R$ 6,71 bilhões, valor 189% maior que o desempenho da primeira metade de 2011. Com o desempenho positivo observado nos últimos meses, a Caixa comemora a marca de R$ 160 bilhões aplicados na poupança. Com esse montante, o banco estatal tem 35,8% do mercado, de acordo com dados do Banco Central. No acumulado do mês de junho até o dia 27, as cadernetas de todos os bancos registraram captação líquida positiva de R$ 2,272 bilhões, segundo dados preliminares do Banco Central. O valor foi gerado pelos depósitos que alcançaram R$ 87,5 bilhões e superaram os saques de R$ 85,2 bilhões no período. O balanço do setor do mês de junho será conhecido nos próximos dias.

Senado aprova isenção de IPI para veículo de transporte escolar

O Senado aprovou nesta terça-feira projeto que isenta da cobrança de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) os veículos automotores usados por governos ou prefeituras estaduais e municipais para transporte escolar. O projeto determina que o imposto não seja cobrado sobre automóveis que transportam dez pessoas ou mais, de fabricação nacional, quando adquiridos por órgãos da administração estadual, distrital ou municipal para uso específico de transporte escolar. O objetivo é isentar do imposto os ônibus usados para os estudantes chegarem às escolas, facilitando o acesso de crianças, especialmente no interior do país, às salas de aula. Pelo projeto, caberá à Receita Federal reconhecer a isenção. "É um projeto que acaba com o pau de arara no Nordeste brasileiro. Se hoje eu quiser comprar uma Mercedes, eu tenho isenção de IPI, mas a prefeitura não tem o benefício para comprar um ônibus escolar", disse o autor do projeto, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Ações do Banco Cruzeiro do Sul fecham em alta de 57% nesta terça

As ações do banco Cruzeiro do Sul, que sofreu intervenção do Banco Central no início de junho, dispararam 57% na Bovespa nesta terça-feira. Foi a maior alta entre os papéis negociados na Bolsa e Valores de São Paulo (Bovespa) no pregão. O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa brasileira, subiu 1,99% no dia. As ações do Cruzeiro do Sul não fazem parte do índice. O Banco Central decretou intervenção no banco Cruzeiro do Sul pelo "descumprimento de normas aplicáveis ao sistema financeiro e da verificação de insubsistência em itens do ativo". A intervenção foi por meio do chamado Regime de Administração Especial Temporária (Raet), pelo prazo de 180 dias e foi nomeado o Fundo Garantidor de Créditos (FGC), entidade privada mantida com recursos dos próprios bancos – como administrador especial temporário. Também foi criada uma Comissão de Inquérito para investigar o Banco Cruzeiro do Sul. Segundo ato do Banco Central, servidores da autoridade teriam 120 dias, desde 18 de junho, para investigar as empresas Banco Cruzeiro do Sul S.A., Cruzeiro do Sul Holding Financeira S.A., Cruzeiro do Sul S.A. Corretora de Valores e Mercadorias, Cruzeiro do Sul S.A. DTVM e Cruzeiro do Sul S.A. Companhia Securitizadora de Créditos Financeiros.

Ministra divulga vídeo de encontro entre chanceler de Hugo Chávez e assessores de Lugo provando interferência da Venezuela no país

A ministra de Defesa do Paraguai, María Liz García, divulgou nesta terça-feira um vídeo que, segundo ela, comprova a reunião que o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, manteve com altos comandantes militares paraguaios, em 22 de junho, pouco antes do julgamento político que determinou o impeachment do bispo esquerdopata priápico Fernando Lugo. O ditador Hugo Chávez é acusado pelo governo de Federico Franco de incentivar um levante das Forças Armadas paraguaias para impedir a destituição de Lugo. Em breve entrevista coletiva, a ministra disse que recebeu ordens do presidente Federico Franco, que sucedeu Lugo no mesmo dia do encontro, de entregar à imprensa cópias da gravação, que mostra os participantes da reunião entrando e saindo do local das conversas. A data da reunião não aparece no vídeo. O CD entregue pela ministra a jornalistas contém nove vídeos do circuito interno do Palácio do Governo, informou o jornal Ultima Hora. Em alguns momentos, é possível ouvir barulho de conversas nos corredores do palácio, mas o ruído impede a compreensão dos diálogos. O jornal identificou nas imagens, além de Maduro e de Julio Prado, embaixador do Equador, diversos assessores do ex-presidente. Entre eles, o ex-secretário particular de Lugo, Miguel Rojas, a ex-ministra da Saúde, Esperança Martinez, e o senador Sixto Pereira. Já o ABC Color, outro periódico de grande circulação no país, enumera, em um vídeo, os militares flagrados pelas câmeras: o comandante do Exército, Adalberto Martinez, o comandante da Força Aérea, Miguel Jacobs, e o comandante da polícia, Arnaldo Sanabria. A reunião, segundo a ministra da Defesa, teria ocorrido por volta ds 16 horas. Confira o vídeo divulgado pelo site do Ultima Hora:

Agências revisam ratings da OGX, de Eike Batista

A agência de classificação de risco Fitch rebaixou a nota de crédito da petroleira OGX, do empresário Eike Batista. Já a Moody’s revisou de estável para negativa a sua avaliação para a empresa, conforme dois comunicados publicados nesta terça-feira. O IDR (Rating de Inadimplência do Emissor) da Fitch à companhia passou de B- para B e o rating de longo prazo em escala nacional de BBB para BBB-. Segundo a Fitch, a revisão reflete o anúncio de que os volumes de produção em dois poços no campo de Tubarão Azul na Bacia de Campos serão menores que o esperado pelo mercado e o anunciado anteriormente pela própria empresa, o que irá atrasar o ponto no qual a OGX irá trabalhar com um fluxo de caixa positivo. Como resultado, também irá adiar o seu processo de desalavancagem. “A perspectiva negativa para o rating reflete o desempenho abaixo do esperado para os dois primeiros poços da OGX, afetando negativamente os fluxos de caixa e a produtividade de capital”, disse a vice-presidente da Moody’s, Gretchen French. Segundo ela, a notícia se soma aos recentes atrasos em projetos e aumento de custos no ano passado, o que já tinha afetado a flexibilidade dentro da nota B1, agora com a perspectiva revisada de estável para negativa. Os papéis da OGX despencaram 41% na semana passada após o mercado receber mal o detalhamento sobre a vazão de dois poços no Campo de Tubarão Azul, na Bacia de Campos. Após testes, a empresa concluiu que a área tem uma capacidade de vazão ideal de 5 mil barris de óleo equivalente por dia para os dois primeiros poços em estágio inicial. O mercado esperava algo em torno de 15 mil a 20 mil barris por dia.

Desembargador acusado de assédio é punido em Goiás

O Conselho Nacional de Justiça decidiu nesta terça-feira punir um desembargador de Goiás acusado de assediar uma mulher que tinha um processo sob a sua análise. Por unanimidade, o Conselho Nacional de Justiça resolveu determinar a aposentadoria compulsória do desembargador Hélio Maurício de Amorim, integrante do Tribunal de Justiça goiano. De acordo com a acusação julgada nesta terça-feira pelo Conselho Nacional de Justiça, Amorim teria ido à casa da mulher e tentado agarrá-la. Ele também a teria convidado para tomar um "vinhozinho". A aposentadoria compulsória é a pena máxima prevista na legislação para os magistrados que ferem a dignidade, a honra e o decoro necessários para o exercício do cargo. Mesmo sendo considerada uma punição, ela garante aos magistrados o direito de receber uma remuneração proporcional ao tempo de serviço prestado pelo juiz. No julgamento, a defesa de Amorim reconheceu que ele esteve na casa da mulher, mas disse que jamais tentou assediá-la. Ele teria ido à residência para conversar sobre a possibilidade de uma das filhas da suposta vítima, formada em Direito, trabalhar na Justiça. As alegações não foram aceitas pelos integrantes do Conselho Nacional de Justiça. Para eles, a conduta do magistrado foi incompatível com o que é exigido para a ocupação do cargo. A vítima do assédio era parte de processo sobre dissolução de união estável e guarda de filhos. Na época, em 2007, Amorim era juiz de uma vara da Família em Goiânia. Em 2009, ele foi promovido ao cargo de desembargador. Antes do Conselho Nacional de Justiça, o tribunal goiano tinha analisado o caso, mas decidido não abrir processo contra o desembargador.

Cai liminar que impedia divulgar salários públicos do Distrito Federal

Um desembargador de Brasília derrubou na terça-feira uma liminar que impedia a divulgação dos salários de servidores públicos do Distrito Federal. O desembargador Otávio Augusto Barbosa concluiu que a revelação das remunerações está de acordo com a Lei de Acesso a Informações Públicas. No final de semana, a pedido de um sindicato representativo de funcionários públicos, outro desembargador, Romeu Gonzaga Neiva, tinha concedido uma liminar suspendendo a divulgação individualizada dos vencimentos dos servidores. A liminar contrariava decisões recentes de uma série de órgãos públicos, inclusive o Supremo Tribunal Federal, que resolveram divulgar os salários de autoridades e funcionários com base na Lei de Acesso a Informações Públicas. Na terça-feira, o Conselho Nacional de Justiça também decidiu determinar aos tribunais de todo o País que publiquem de forma individualizada as remunerações dos juízes e servidores.

Rompimento com Lacerda faz PT lançar Patrus Ananias em Belo Horizonte

Com o aval da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula, a Executiva Nacional do PT indicou na tarde desta terça-feira o ex-ministro Patrus Ananias para concorrer à prefeitura de Belo Horizonte. Em reunião na sede do Diretório Nacional, em São Paulo, os petistas decidiram que o nome de Patrus Ananias deverá ser referendado por uma comissão formada pelo atual vice-prefeito Roberto Carvalho e pelo deputado federal Miguel Correa Júnior, que chegou a ser indicado pelo PT para ser vice na chapa de Márcio Lacerda (PSB) à reeleição. Após a reunião, o presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão, disse que o vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, chegou a pedir um tempo para reverter a decisão de Lacerda que, recentemente, rompeu acordo com o PT para a formação de uma coligação proporcional nessa eleição municipal, em favor do PSDB. No final do encontro desta terça, Falcão destacou que o acordo entre PT e PSB em Belo Horizonte foi "rasgado unilateralmente" por Lacerda e que o rompimento de acordo em política "é uma coisa gravíssima". Falcão disse que não vê nos rompimentos de aliança entre PT e PSB em outras capitais um indicativo de que o governador Eduardo Campos tenha intenções independentes do PT. "Não vejo nenhuma intenção do governador de precipitar a sucessão de 2014 agora. Até porque ele tem dito que estará com a companheira Dilma em 2014", disse Falcão, ressaltando que o rompimento do PT com o PSB é em Belo Horizonte e com o Márcio Lacerda.

Aneel nega suspensão de cobrança de encargos para a Celpa

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) negou nesta terça-feira pedido da paraense Celpa, do Grupo Rede Energia, para que fosse suspensa a cobrança de encargos setoriais enquanto estiver em processo de recuperação judicial. Desta forma, a empresa continuará sendo cobrada pelos débitos relativos a encargos como Conta de Desenvolvimento Econômico (CDE), Proinfa, Conta de Consumo de Combustíveis (CCC) e Reserva Global de Reversão (RGR). No final de junho, a Equatorial Energia apresentou proposta de aquisição do controle da distribuidora paraense. Os termos da proposta não foram divulgados e a conclusão efetiva do negócio está sujeita a condições suspensivas, como aprovações dos órgão públicos competentes e de credores e investidores.

Morre Pininfarina, o gênio dos gênios no desenho de carros clássicos

Sergio Pininfarina, cuja empresa da família projetou quase todas as Ferrari desde 1950 e cujo nome ainda é sinônimo de alguns dos carros mais glamourosos do mundo, morreu aos 85 anos. A companhia Pininfarina informou nesta terça-feira que ele morreu durante a noite em sua casa, em Turim. Pininfarina foi preparado por seu pai Gian Battista, um ex-fabricante de carruagens em Turim que fundou a influente casa de design de automóveis na década de 1930, para sucedê-lo no negócio desde que ele era criança. Nascido em 1926, ele ingressou na empresa da família depois de se formar em engenharia mecânica pela Universidade Politécnica de Turim. Tornou-se presidente-executivo em 1961 e, em seguida, presidente do conselho, quando seu pai morreu, em 1966. Na época, a empresa já havia ascendido à proeminência através de um talento especial para tornar as últimas tendências de design aerodinâmico atraentes para um público mais amplo. O prestígio da família na Itália era tanto que ela foi autorizada a mudar seu nome para Pininfarina do original Farina com um decreto presidencial em 1961. Pinin, que significa "o pequeno" no Piemonte, era o apelido de Gian Battista. O inovador modelo coupe Cisalfa, de 1947, projetado por Gian Battista "Pinin" Farina após a 2ª Guerra Mundial, agora está exposto no Museu de Arte Moderna de Nova York. Era um dos modelos preferidos de Sergio. Gian Battista também iniciou a conexão Ferrari em 1952, mas Sergio acabou por gerir a maioria dos projetos comuns e transformou um negócio que era artesanal em um nome de reconhecimento mundial. Sob o comando de Pininfarina durante meio século, a produção da empresa automobilística cresceu de 524 unidades por ano para mais de 50.000. Além da parceria histórica com a Ferrari, Alfa Romeo e Maserati (todas de propriedade da Fiat), Pininfarina também projetou automóveis para a Rolls-Royce e outros marcas não italianas. O Chevrolet Corvette Rondine de 1963, o Cadillac Allante de 1986, o Bentley Azure de 1995 e o Peugeot 406 Coupe de 1996 (projetado por Sergio) usavam o emblema Pininfarina. Sergio também projetou o Fiat 124 Spider de 1986, o Ferrari Testarossa de 1984, o Ferrari Enzo de 2002, o Maserati Quattroporte de 2003 e o Ferrari Scaglietti de 2004. A Pininfarina foi listada na bolsa Italiana em 1986. Sergio Pininfarina deixou o cargo para tornar-se presidente honorário em 2006, pouco antes da crise financeira, que atingiu fortemente a indústria automotiva. A Pininfarina foi forçada a levantar capital em 2009, renegociar a sua dívida e reduzir o seu negócio. Ela teve que fechar suas operações de fabricação e reinventar-se como um pequeno nicho de design, com participação de 77% da família na empresa sendo usada como garantia para empréstimos com os credores, que precisam ser pagos até 2018.

Comissão de Constituição e Justiça do Senado assegura direito de defesa de Demóstenes

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), afirmou nesta terça-feira que não vai tirar o direito de defesa de nenhum parlamentar. Em uma referência ao senador Demóstenes Torres (ex-DEM, sem partido-GO), Eunício disse que permitirá que ele tenha direito de fazer, se quiser, sua defesa na CCJ dentro do processo de quebra de perda de mandato a que responde. Demóstenes é acusado de usar seu mandato em defesa dos interesses de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Nesta quarta-feira, a comissão se reúne para discutir e votar o parecer do senador Pedro Taques (PDT-MT), favorável ao prosseguimento da representação contra Demóstenes. Cabe à Comissão de Constituição e Justiça analisar se o processo infringiu algum preceito legal. "O senador Demóstenes ainda é senador. Se ele pedir tempo, vai ter o mesmo dos demais senadores para usar a palavra. Nada impede de ele fazer sua defesa na comissão. Eu não tirarei nenhum direito de defesa de ninguém", afirmou Eunício. O presidente da CCJ disse que foi "extremamente conservador" ao pautar o processo contra o senador goiano na comissão.

Índios queimam quartel da Polícia Militar no oeste do Pará

O quartel da Polícia Militar em Jacareacanga, município do oeste do Pará, foi invadido, saqueado e queimado na noite da última segunda-feira, por 50 índios Munduruku. O incêndio seria uma represália ao assassinato, ocorrido há 15 dias, do índio Lelo Akay. Duas metralhadoras e um revólver calibre 38 foram levados. Os militares que estavam no local não resistiram e fugiram. Akay foi morto a facadas e pauladas durante um assalto em que criminosos levaram algumas pepitas de ouro que o índio carregava. Quatro pessoas são suspeitas de envolvimento no crime. A Polícia Civil abriu inquérito para investigar a morte do índio e a destruição do quartel. O delegado Sílvio Maués, diretor de polícia do interior, informou que reforços já foram enviados para restabelecer a ordem em Jacareacanga. Cerca de 500 índios estariam na cidade à procura dos assassinos de Akay, prometendo incendiar bares suspeitos de vender drogas. Os índios chegaram pintados para a guerra, fechando a estrada de acesso à área urbana com manilhas de cimento armado. O índio Aldo Cardoso Munduruku, líder do grupo, tinha a intenção de pegar como refém o sargento Cajado. Os Munduruku, temidos pelo espírito guerreiro, têm forte presença na vida social e econômica de Jacareacanga, com 37 mil habitantes. Dos nove vereadores da cidade, quatro são índios. O vice-prefeito também pertence ao grupo. Cerca de seis mil índios vivem na região.

Demóstenes volta ao plenário e diz ser "a bola da vez"

O senador Demóstenes Torres (ex-DEM, sem partido-GO) voltou na tarde desta terça ao plenário para fazer seu segundo discurso na tentativa de evitar a cassação por conta das acusações de ter usado o mandato parlamentar para defender interesses do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Em um pronunciamento de 15 minutos, totalmente lido, Demóstenes reafirmou que é inocente e disse que se tornou a "bola da vez". "Hoje eu sou a bola da vez. Se a tramóia der certo comigo e me amputar o mandato, daqui a pouco pode se repetir com outra vítima, um outro senador. É preocupante o precedente de tentar cassar um senador com base em provas ilegais", afirmou Demóstenes, para um platéia de apenas sete senadores em plenário. Na segunda-feira, no seu discurso de estréia da série, somente cinco parlamentares o ouviram romper o silêncio de mais de 100 dias em plenário. Demóstenes disse que foram editadas e montadas pela Polícia Federal as escutas telefônicas em que apareceram suas conversas com Cachoeira. O senador questionou o fato de ter sido negado a ele direito a realizar perícias para comprovar o que fala. Para ele, o Senado certamente não se curvará a essa tática de campanha de escolher "um parlamentar como alvo e só sossega quando aparece outro na mira". "Perícia não é uma modalidade de enrolação da defesa, não é uma filigrana para postergar julgamento. Perícia é uma ciência a serviço da Justiça", disse ele, ressaltando que foi investigado ilegalmente com o uso de "tecnologia de ponta": "Para me punir estão sendo usados métodos medievais. Existir bode expiatório é indigno do Senado da República". Mais uma vez, o senador goiano criticou o que chama de "tira hermeneuta", os agentes da Polícia Federal responsáveis por fazer a transcrição das conversas grampeadas e verificar indícios de crimes praticados pelos interlocutores: "O tira hermeneuta, de propósito, só colocou no papel o que julgou conveniente para a campanha de demolição da minha honra". Demóstenes apelou aos pares: "Aqui estamos entre os melhores hermeneutas do País, os senadores da República. E, se entre nós a análise for puramente política, poderei ser crucificado ou enaltecido. É nesse sentido lato sensu que peço para me julgarem pelo que fiz. Não posso ser responsabilizado por interpretações dissociadas da realidade fática".

Gigantes do petróleo querem comprar blocos da Petrobras nos Estados Unidos

A Petrobras acelerou o processo de venda de blocos de exploração de petróleo que possui nos Estados Unidos, despertando interesse das maiores petrolíferas do mundo. Já foram contratados bancos para intermediar as negociações, e as principais candidatas à compra são a Shell, Chevron, BP e Exxon, já parceiras da estatal em alguns blocos na parte norte-americana do Golfo do México. A Sinopec, que não é sócia da Petrobras na região, já demonstrou oficialmente apetite pelos ativos por meio de correspondência à Petrobras. Equipes chinesas foram recentemente ao Golfo do México para avaliar os blocos. O objetivo da estatal brasileira, que deve se desfazer dos ativos nos próximos meses, é fazer caixa que ajude a empresa a cumprir o plano de investimentos no Brasil de 236,5 bilhões de dólares em cinco anos. No mesmo plano, a Petrobras também previu um desinvestimento de 14,8 bilhões de dólares, a maior parte no Exterior, valor que inclui os blocos a serem vendidos nos Estados Unidos. A Petrobras tem participação em 173 blocos de petróleo nos Estados Unidos, onde atua como operadora em 127 deles. Todos os ativos de exploração e produção no Golfo do México onde a companhia possui participação minoritária devem ser alienados. Entre os áreas que despertam interesse estão Saint Malo, onde a estatal possui 25%, no campo operado pela Chevron (com 51%); Stones (operado pela Shell, onde a estatal detém 25%); e Tiber (onde a brasileira tem 20% e a BP é a operadora, com 61%). No complexo de Hadrian, que engloba vários campos petrolíferos, a Petrobras possui em média 25%, em sociedade com a Exxon (operadora), Anadarko e Eni. A companhia brasileira também possui fatias minoritárias nos campos de Logan (com Statoil e Ecopetrol) e Lucius (Anadarko). Já nos campos de Cascade e Chinook, que já estão em fase de desenvolvimento e onde a Petrobras é majoritária, a estratégia era, no início, não se desfazer dos blocos. Mas, diante da necessidade de caixa para cumprir o seu plano de investimentos, a estatal avalia vender os ativos. Em Cascade, onde a produção começou no início do ano, a Petrobras possui 100% do negócio e em Chinook detém 66,7%, em parceria com a Total. Cascade e Chinook estão em uma nova fronteira exploratória dos Estados Unidos, em águas profundas, onde a perfuração de um poço é mais cara. Além disso, para a Petrobras compensa mais investir em produção no Brasil do que no exterior, considerando que em águas brasileiras a estatal conta com melhor estrutura para escoar o seu petróleo. A expectativa para Cascade é de uma extração de até 20 mil barris por dia até o fim do ano. Além dos blocos, duas refinarias, uma no Texas e outra no Japão, já foram colocadas à venda.

Vice presidente do Uruguai diz que entrada da Venezuela no Mercosul é "ferida institucional"

O socialista Danilo Astori, vice-presidente do Uruguai, declarou nesta terça-feira que não aprova a decisão do Mercosul de aceitar a entrada da Venezuela como quinto sócio pleno do bloco do Cone Sul: "Não concordo com essa decisão, pois se trata de uma grande agressão institucional para o Mercosul. É a maior e mais grave ferida institucional em 21 anos do bloco". A entrada do país caribenho foi consumada na sexta-feira pelos presidentes do Brasil, Dilma Rousseff, a argentina Cristina Kirchner e o uruguaio José Mujica, em um claríssimo golpe, durante a cúpula do Mercosul na cidade de Mendoza, na Argentina. O ingresso venezuelano só foi possível graças à suspensão temporária do Paraguai, castigado pelo Mercosul pelo controvertido processo de impeachment que removeu Fernando Lugo da presidência de seu país no dia 22. O Senado do Paraguai vinha rejeitando o ingresso da Venezuela no Mercosul. "Espero que algo possa ser feito para reverter isso (a entrada da Venezuela). Caso essa possibilidade exista, acho que deveria ser explorada", disse Astori, vice do presidente José Mujica e ex-ministro da Economia do ex-presidente socialista Tabaré Vázquez. Astori sustentou ao jornal uruguaio "El Observador" que o Uruguai foi à cúpula de Mendoza com a posição de discordar da entrada do país caribenho "por essa via". Mas, segundo ele, "as coisas ocorreram de outra forma ali". Na cúpula de Mendoza a presidente Cristina destacou que a entrada da Venezuela seria oficializada numa reunião extraordinária no Rio de Janeiro no dia 31. Segundo Astori, porém, os fatos não estão consumados. O Uruguai propôs em Mendoza que, nessa data, o Mercosul "tome a decisão final". Na segunda-feira à tarde a senadora Lucía Topolanski, mulher do presidente Mujica, acrescentou mais confusão à situação ao sustentar que o Parlamento uruguaio "aprovou há muito tempo a entrada da Venezuela no Mercosul". Segundo ela, o governo continuará nessa linha.

Dinheiro apreendido com os "aloprados do PT" vai para os cofres públicos

A Justiça Federal determinou que sejam depositados nos cofres públicos os 1,2 milhão de reais e 248.800 dólares apreendidos em 2006 pela Polícia Federal com os chamados “aloprados do PT”. O dinheiro, encontrado com dois membros do PT nas vésperas da eleição daquele ano, seria usado para a compra de um dossiê fajuto que pretendia comprometer os candidatos do PSDB, Geraldo Alckmin e José Será, com a organização criminosa que ficou conhecida como a “máfia dos sanguessugas”. A denúncia, proposta pelo Ministério Público Federal em Mato Grosso contra nove pessoas por crime contra o sistema financeiro nacional, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, é resultado de quase seis anos de investigação. A Justiça também determinou que a quantia apreendida em dólar seja convertida pelo Banco Central e o valor atualizado pela Caixa Econômica Federal. O processo tramita na 7ª Vara da Justiça Federal. Em 15 de setembro de 2006, a Polícia Federal prendeu dois petistas que tentavam negociar um falso dossiê para envolver no caso dos sanguessugas os tucanos José Serra, então candidato a presidente, e Geraldo Alckmin, que disputava o governo de São Paulo. O escândalo, que o então presidente Lula atribuiu a um “bando de aloprados”, atingiu em cheio o adversário de Alckmin na corrida eleitoral, Aloizio Mercadante: Hamilton Lacerda, seu secretário de Comunicações, foi filmado entrando com uma mala de dinheiro no hotel Ibis, na frente do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, onde a transação seria feita. Na mala tinha 1,7 milhão de reais.

Produção na indústria brasileira cai pelo terceiro mês seguido e recua 0,9% em maio

Com queda em 14 dos 27 ramos de atividades pesquisados, a produção industrial do país teve retração de 0,9% em maio na comparação com abril. É o terceiro resultado mensal negativo em seguida, conforme dados divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O setor industrial já acumula perda de 3,4% nos cinco primeiros meses de 2012. No mês de maio, o mau desempenho da indústria foi puxado principalmente pelos setores de veículos automotores (-4,5%) e de alimentos (-3,4%), com o primeiro interrompendo três meses de taxas positivas consecutivas com crescimento de 22,7% nesse período, e o segundo acumulando perda de 7,1% em dois meses seguidos de recuo na produção. Entre as atividades que ampliaram a produção, os desempenhos de maior importância para o resultado global foram registrados por produtos de metal (13,2%), que eliminou a perda de 6,1% acumulada em três meses de taxas negativas consecutivas, indústrias extrativas (1,5%), borracha e plástico (2,6%), máquinas e equipamentos (1,2%) e refino de petróleo e produção de álcool (0,9%).

Grande salto no número de famílias gaúchas sem condições de pagar dívidas atrasadas em 30 dias

O percentual de famílias gaúchas que não terão condições de pagar suas dívidas em atraso dentro de 30 dias quase dobrou de maio para junho, passando de 6,5% para 11,3%. A constatação é da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência das Famílias Gaúchas (PEIC-RS), divulgada nesta terça-feira pela Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado (Fecomércio-RS). Conforme análise da entidade, a intensa variação registrada pelo indicador no período "requer cautela na avaliação de uma possível deterioração do cenário de endividamento". Ainda segundo a pesquisa, o número de famílias gaúchas que afirmam ter algum tipo de dívida foi de 64,7% da população. O resultado é menor do que o registro feito em junho de 2011, quando alcançou 75,4%. "Mesmo com as taxas de juros em nível inferior ao de 2011 e com outras medidas de estímulo por parte do governo, como a redução do IPI de eletrodomésticos e veículos, o ritmo mais lento da atividade econômica contribui para que o endividamento esteja abaixo do nível do ano passado", afirma, em comunicado, o presidente do Sistema Fecomércio-RS, Zildo De Marchi. Os principais tipos de dívida atualmente são: cartão de crédito (66,8%), carnês (26,5%) e crédito pessoal (22,6%). A participação do cheque especial caiu de 34,6% em maio para 14,9% em junho.

Argentina libera importação de carne suína brasileira

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informou nesta terça-feira que o governo argentino liberou a entrada de carne suína brasileira no país. No acordo firmado entre os dois países, a Argentina autoriza a entrada de cerca de 27 mil toneladas de carne suína in natura, industrializada e miudezas, no segundo semestre deste ano, volume similar ao que foi importado no mesmo período do ano passado. A carne suína brasileira vinha enfrentando barreiras para entrar no território argentino desde fevereiro deste ano. Em março, após reunião com o ministro da Agricultura argentino, Norberto Yahuar, o ministro Mendes Ribeiro Filho disse que tinha recebido uma proposta criando cotas para a entrada do produto brasileiro, mas, dias depois, o governo argentino voltou atrás.

Senado convoca Maria da Graça Foster para explicar fracasso da Petrobras

A presidente da Petrobras, Maria da Graça Foster, terá de ir ao Senado Federal na próxima terça-feira para explicar o plano de negócios da empresa para o período 2012-2016. As argumentações de Maria da Graça Foster serão dadas na Comissão de Assuntos Econômicos da Casa. O autor do requerimento é o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) que promete questionar o porquê de a estatal não cumprir as metas de produção. “Maria da Graça Foster indicou ainda que a empresa convivia com falta de planejamento, controles insuficientes e ineficiência operacional”, disse ele. Ferraço acusa ainda a presidente da Petrobras de “contar com a sorte” para atingir as metas, por conta de suas declarações na semana passada, quando ela apresentou o Plano de Negócios da Petrobras, que pretende implementar até 2016 investimentos de US$ 236,5 bilhões.