domingo, 22 de janeiro de 2012

Damas de Branco fazem homenagem a dissidente morto em Cuba

O grupo de opositoras cubanas Damas de Branco prestou homenagem, neste domingo, em Havana, ao preso Wilmar Villar, morto na quinta-feira após 50 dias de greve de fome, e culpou o governo do facínora ditador Raúl Castro por sua morte. "Hoje é um dia que o povo de Cuba, as Damas de Branco, e a oposição interna em Cuba, estão de luto, visto que perdemos a vida de um jovem de 31 anos, Wilmar Villar, um homem digno, um homem que não devia ter morrido", disse Berta Soler, líder do grupo. Soler falou para mais de 40 mulheres, que após celebrar a habitual marcha dominical pela 5ª Avenida de Havana, fizeram um minuto de silêncio em memória de Villar. Operador têxtil de 31 anos, Villar morreu na quinta-feira em um hospital de Santiago de Cuba, 960 quilômetros a sudeste de Havana, após 50 dias de greve de fome para exigir sua liberdade. Ele era membro da opositora União Patriótica de Cuba. A ditadura comunista da dinastia facínora dos irmãos Castro negou em um comunicado que Villar fosse um "dissidente" ou fizesse greve de fome, acrescentando que a pena de quatro anos de prisão sob acusações de desacato, desobediência e atentado, foi devido a uma agressão física contra a esposa, a também opositora Maritza Pelegrino, e a resistir à prisão. "O governo não o escutou, o deixou morrer, assim como a Orlando Zapata", disse Berta Soler em alusão ao pedreiro falecido em 23 de fevereiro de 2010, após fazer na prisão uma greve de fome de 85 dias, despertando fortes críticas internacionais contra Cuba e atribuindo uma bandeira política à dissidência.

Classe média responde por 63% da população brasileira

A classe média corresponde a 63% da população da população brasileira, segundo pesquisa do Datafolha divulgada neste domingo. Essa fatia da sociedade tem 90 milhões de pessoas, que são muito diferentes entre si, sobretudo ao considerar a renda, a escolaridade e acesso a bens de consumo. A classificação de classe média do instituto considera os brasileiros que estão se distanciando das classes D e E, chamados de excluídos, mas ainda está distante da classe A, o topo da pirâmide da sociedade. No fim de 2002, o Brasil tinha 40% da população na classe média, segundo Datafolha. Os principais motivos para o salto são os ganhos de renda, devido ao crescimento econômico e às políticas de distribuição de renda, e acesso mais fácil ao crédito. Dentro da divisão de classe média, a pesquisa, que leva em conta apenas brasileiros maiores de 16 anos, considera três estratos: média alta, média intermediária e média baixa. A primeira tem 19% da população, a segunda, 26%, e a terceira, 18%. Um fator que une os três recortes é o acesso aos bens de consumo duráveis, como eletrodomésticos, computadores e carros. Por outro lado, a classe média alta tem como principais características maior escolaridade e salários maiores que as outras duas.

Brasil pede fim do embargo russo a carnes brasileiras

Brasil pede fim do embargo russo a carnes brasileiras A ministra da Agricultura da Rússia, Yelena Skrynnik, disse neste domingo ao colega brasileiro, Mendes Ribeiro Filho, que deverá vir ao Brasil em junho para participar do Rio + 20. No encontro, o Brasil pediu o fim do embargo russo às carnes brasileiras e a Rússia, a abertura do mercado para o trigo. De acordo com o comunicado enviado pela Pasta, o encontro "tão esperado" ocorreu de "forma amistosa". Mendes aproveitou a ocasião para pedir a abertura de mercado aos estados produtores que ainda estão com as exportações suspensas: Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso. "Apesar de termos duas plantas restritas, a região Sul tem uma situação privilegiada em termos de controle sanitário", disse o ministro, de acordo com a nota divulgada pelo Ministério da Agricultura. Ele teria informado também que o sistema de defesa sanitária brasileiro é organizado nacionalmente com o uso dos mesmos critérios para todos os Estados. Esse fato, alegou Mendes Filho, torna injustificável a manutenção do embargo apenas a esses Estados. O ministro voltou a enfatizar que a questão sanitária deve ser tratada como um tema de todo o cone Sul e não de forma isolada pelos países.

Dezessete são presos durante desocupação em Pinheirinho

Dezessete pessoas foram presas neste domingo durante a reintegração de posse no acampamento Pinheirinho, na zona sul de São José dos Campos, interior de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, alguns dos presos não fazem parte da comunidade. Segundo a Polícia Militar, foi uma "ação brilhantemente planejada, onde não foi encontrada resistência". O elemento surpresa foi o sucesso, segundo a Polícia Militar. A área já está 100% tomada pela polícia e amanhã será feita a retirada dos móveis dos moradores por homens contratados pela prefeitura. A polícia deixará a área apenas depois que todos os invasores saírem. Segundo o batalhão de choque, foram encontradas armas improvisadas e todas foram levadas para a delegacia em São José dos Campos. Seis veículos foram queimados, sendo um da TV Vanguarda. O homem ferido durante a reintegração, de acordo com a Polícia Militar, fazia parte do grupo de vândalos que derrubou o portão do Centro Esportivo. Um guarda civil municipal teria atirado contra o manifestante. O homem foi operado para a retirada de uma bala, na região lombar, e passa bem, segundo a prefeitura.

Rita Lee anuncia que não fará mais shows

A cantora Rita Lee anunciou no sábado que não vai mais fazer shows. A "aposentadoria" foi revelada durante uma apresentação no Circo Voador, no Rio de Janeiro, e confirmada pela cantora em seu perfil no Twitter. "Aposento-me de shows, da música nunca. Quem me viu ontem pode bem atestar minha fragilidade física. Saio de cena absolutamente paixonadacocês", escreveu ela no microblog. Um vídeo postado no YouTube mostra a cantora anunciado sua aposentadoria durante apresentação de sábado. "Eu queria falar uma coisinha. Esse é o penúltimo show, mas eu considero o último. O último da turnê e eu vou aposentar dos palcos", disse. "Aposentadoria é bom, 67 anos, tá bom", completou Rita Lee, emocionada. A cantora tem 64 anos. O último show de Rita Lee acontece no próximo sábado em Aracaju.

Maradona chama Pelé de 'boneco de controle remoto'

Maradona não perde a oportunidade de provocar Pelé, ainda mais depois que o ídolo do Santos provocou o atacante Lionel Messi, do Barcelona. Maradona disparou contra o brasileiro ao falar sobre sua idade. "Parece que a idade influi em algumas de suas decisões", disse o argentino no sábado. "Mas a culpa não é toda dele. Já são 20 anos que ele não faz nada. Não o vemos nem no supermercado", afirmou Maradona. "O único lugar em que possamos vê-lo é quando a Fifa o presenteia com algum prêmio, e ele parece um boneco de controle remoto", concluiu. Em entrevista publicada na sexta-feira pelo jornal francês "Le Monde", Pelé provocou Messi ao afirmar: "Quando Messi tiver marcado 1.283 gols e ganho três Copas, conversamos".

Newt Gingrich vence primárias e complica disputa nos Estados Unidos

Newt Gringrich ganhou as eleições primárias republicanas para candidato à presidência dos Estados Unidos no Estado da Carolina do Sul, no sábado, e abalou a liderança de Mitt Romney, que ficou em segundo lugar, indicando que a a batalha para a escolha do rival do presidente Barack Obama pode durar meses, não semanas. A vitória de Gingrich no estado sulino injeta volatilidade à nomeação republicana, que até esta semana parecia estar certa para Romney, o ex-governador do Estado de Massachusetts e executivo da área de private equity. Os eleitores da Carolina do Sul rejeitaram o discurso de Romney de que ele é o melhor nome para arrumar a economia do país e derrotar Obama, um democrata, na eleição presidencial de 6 de novembro. Três candidatos diferentes (Gingrich, Romney e o ex-senador Rick Santorum) ganharam cada um deles uma das três primárias na batalha Estado por Estado pela nomeação de um republicano para enfrentar o democrata Obama. O triunfo de Gingrich deve levar a uma batalha dura entre os pré-candidados republicanos. O próximo embate entre eles será dia 31 de janeiro na Flórida.

Justiça devolve 27 fazendas a Daniel Dantas

A Justiça Federal levantou o sequestro de todo o complexo agropecuário (27 fazendas e 450 mil cabeças de gado) do banqueiro Daniel Dantas. O patrimônio estava sob regime de arresto desde julho de 2009, no âmbito da Operação Satiagraha. A Satiagraha foi declarada nula e, por consequência, todas as provas colhidas pela Polícia Federal, em decisão do Superior Tribunal de Justiça, tomada em maio de 2011. A devolução dos pastos e do rebanho do banqueiro foi ordenada pelo juiz Douglas Camarinha Gonzales, da 6ª Vara Criminal Federal em São Paulo. "Decisão judicial não se discute, cumpre-se", assinalou Camarinha, em alusão à ordem do Superior Tribunal de Justiça. A decisão de Camarinha foi baixada nos autos do sequestro das fazendas e dos semoventes, espalhados em quatro Estados: 23 no Pará, 2 em Mato Grosso, uma em Minas Gerais e uma em São Paulo.

D. Odilo elogia ação pública do governo paulista na cracolândia

O arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, disse que a operação desencadeada na cracolândia neste início de ano é um "presente" para a cidade. Ele considerou como necessária a intervenção da Polícia Militar. "Eu fico feliz que, neste ano, o aniversário da cidade possa ser coligado com este fato, com este presente à cidade", disse: "Que o aniversário de 2012 possa ficar marcado por essa intervenção numa ferida. Nunca uma intervenção numa ferida é indolor, mas que seja para sua cura, para sua superação". São Paulo completa 458 anos na quarta-feira. O religioso visitou na sexta-feira as obras do Complexo Prates, centro que atenderá dependentes, ao lado do prefeito Gilberto Kassab (PSD).

Dilma pode oferecer a Codevasf a Negromonte

A presidenta Dilma cogita oferecer ao ministro Mario Negromonte (Cidades) a presidência da Codevasf, em troca do seu cargo. Vinculada ao Ministério da Integração, a Cia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco é um dos órgãos mais ambicionados pelos políticos: tem orçamento grande e influência no Nordeste. O problema é que ele teria de renunciar ao mandato de deputado federal pelo PP da Bahia, como Henrique Meirelles (GO) ao assumir a presidência do Banco Central. Negromonte tem apoio formal do PP no Congresso para ficar no cargo, mas, nos bastidores, deputados e senadores conspiram contra ele. A um só tempo, o líder Aguinaldo Ribeiro (PB) finge apoiar e puxa o tapete de Negromonte, em favor do ex-tucano Márcio Reinaldo (MG). No Senado, o líder Francisco Dornelles (RJ) se omite, favorecendo a conspiração de políticos como Ciro Nogueira (PI) contra o ministro. Apesar de rejeitado pelos parlamentares do PP, o ex-ministro Márcio Fortes também conspira para voltar a ser ministro de Cidades.(CH)

Pesquisa Datafolha aponta que aprovação de Dilma supera a de Lula após primeiro ano de governo

A presidente Dilma Rousseff atingiu no fim do primeiro ano de seu governo um índice de aprovação recorde, maior que o alcançado nesse estágio por todos os presidentes que a antecederam desde a volta das eleições diretas. Segundo pesquisa Datafolha, 59% dos brasileiros consideram sua gestão ótima ou boa, enquanto 33% classificam a gestão como regular e 6% como ruim ou péssima. Ao completar um ano no Planalto, Fernando Collor tinha 23% de aprovação. Itamar Franco contava 12%. Fernando Henrique Cardoso teve 41% no primeiro mandato e 16% no segundo. Lula alcançou 42% e 50%, respectivamente.

Servidores recolhem 22 bilhões e recebem 74 bilhões em aposentadorias, e mais 40% se aposentam até 2015

As dimensões e o rápido e contínuo crescimento do déficit do sistema previdenciário dos servidores públicos, ao mesmo tempo que diminui o déficit do regime válido para os trabalhadores da iniciativa privada, não deixam dúvidas de que o problema é muito mais grave na área governamental. É preciso encontrar com urgência uma solução que, em algum momento, interrompa o processo de crescimento desse déficit. Por isso, é mais do que acertada a decisão da presidente Dilma Rousseff de adiar todos os concursos públicos e todas as nomeações dos aprovados até que seja instituído o fundo de previdência complementar do servidor público federal, conhecido pela sigla Funpresp. O Regime Geral de Previdência Social (RGPS), onde estão os trabalhadores do setor privado, teve déficit de R$ 36,5 bilhões no ano passado, o menor desde 2002 e inferior em 22,3% ao de 2010. Em contraste, o déficit da previdência dos servidores públicos passou de R$ 51,2 bilhões, em 2010, para R$ 56 bilhões, em 2011, e neste ano deverá superar os R$ 60 bilhões, calcula o ministro da Previdência, Garibaldi Alves. Esses números embutem uma brutal diferença de tratamento previdenciário dos brasileiros vinculados ao RGPS e dos servidores públicos. Embora atenda quase 30 milhões de pessoas (contra 1 milhão de aposentados e pensionistas do setor público), o regime geral tem déficit bem menor e o crescimento do saldo negativo nos últimos anos é bem mais lento, quando não diminui, como em 2011, do que o do funcionalismo. Mas não é apenas por propiciar aos servidores vantagens com que o contribuinte do regime geral nem pode sonhar que o sistema previdenciário precisa ser reformado. Do ponto de vista das finanças públicas, se o processo observado atualmente não for interrompido, dentro de algum tempo o déficit previdenciário do setor público se transformará num pesadelo para os governantes e para os contribuintes em geral. A criação do fundo não resolverá o problema imediatamente. Os servidores da ativa manterão o regime atual, e só aderirão ao Funpresp por decisão voluntária. O novo regime será obrigatório para todos os servidores admitidos após sua criação. Assim, seus resultados práticos surgirão somente quando esses novos servidores começarem a usufruir de seus direitos previdenciários, ou seja dentro de 30 ou 40 anos. Mesmo assim, a criação do Funpresp é urgente, pois indicará que, em algum momento, o problema deixará de piorar e uma das maiores fontes do desequilíbrio das finanças públicas começará a ser secada.

Dinastia dos Neves em Minas Gerais está nos planos do PSDB

Sem um nome de peso para disputar a eleição ao governo de Minas Gerais em 2014, integrantes do PSDB já cogitam lançar Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves, para fazer frente a uma provável candidatura do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento), que deve entrar no pleito pelo PT alavancado pela passagem pelo governo federal.Oficialmente, a maior parte do tucanato diz que a eleição ainda está longe e que a questão não está em pauta. Nos bastidores, porém, o partido já se movimenta para tentar promover nomes para a disputa, já que o atual governador, Antonio Anastasia (PSDB), não pode ser reeleito. Uma das possibilidades seria a candidatura do vice, Alberto Pinto Coelho (PP), que tem participado de diversas solenidades representando o governo em Belo Horizonte e no interior do Estado. Mas a hipótese não é muito bem-vista por parte dos tucanos. "Queremos caminhar com o maior número de aliados possível, mas o candidato tem que ser do PSDB", defende um dos representantes da legenda na Assembleia Legislativa de Minas. Outro nome cogitado é o da secretária de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena. "A Renata é muito técnica, mas não tem experiência política", avalia o presidente do PSDB mineiro, o deputado Marcus Pestana. Andréia Neves, na verdade, foi a verdadeira governadora de Minas Gerais durante os mandatos de seu irmão, já que este gastava grande parte de seu tempo fazendo turismo no Exterior com seus amigos playboys.

Peluso ressuscita auxílio-alimentação a juízes, a conta vai ser muito alta

O Tesouro vai gastar R$ 82 milhões de uma só vez com auxílio-alimentação para juízes federais e do Trabalho. O valor é referente a um longo período, desde 2004, quando a magistratura perdeu o benefício que nunca deixou de ser concedido a procuradores do Ministério Público Federal e à advocacia pública. Ainda não há previsão orçamentária para esse desembolso, mas os juízes pressionam pelo recebimento daquilo que consideram direito constitucional. Eles repudiam que o "plus" seja um privilégio. Estão na fila cerca de 1,8 mil juízes federais e 2,5 mil do trabalho. O auxílio foi cortado há sete anos por decisão da cúpula do próprio Judiciário federal. Mas, em junho de 2011, acolhendo pleito das entidades de classe dos magistrados, o Conselho Nacional de Justiça editou a Resolução 133, por meio da qual devolveu o bônus à classe. Subscrita pelo presidente do CNJ, ministro Cezar Peluso, também presidente do Supremo Tribunal Federal, a resolução anota que "a concessão de vantagens às carreiras assemelhadas induz a patente discriminação, contraria ao preceito constitucional e ocasiona desequilíbrio entre as carreiras de Estado". Desde a decisão do CNJ, o auxílio-alimentação voltou para o bolso dos juízes. São R$ 710 agregados ao contracheque da toga, mensalmente. A conta final, calculada sobre sete anos acumulados, mais correções do período, chega a R$ 82 milhões, segundo estimativa do Judiciário. O estoque da dívida é alvo de intensa polêmica nos tribunais. A maioria dos magistrados considera justo serem contemplados com o valor total do crédito, retroativo a 2004; outros avaliam sobre a obediência ao prazo prescricional de cinco anos.

Irmandade Muçulmana tem 47% do Parlamento no Egito

Um partido da Irmandade Muçulmana conquistou 47,18% das cadeiras no Parlamento, anunciou a comissão eleitoral no sábado ao divulgar os resultados finais das eleições. O Partido Liberdade e Justiça, um braço político da Irmandade Muçulmana, ganhou 235 cadeiras na nova Assembleia do Povo, afirmou o diretor da comissão, Abdel Moez Ibrahim. A eleição foi a primeira desde a queda do presidente veterano Hosni Mubarak em fevereiro do ano passado. A Assembléia do Povo, ou Câmara Baixa do Parlamento, é composta por 498 membros do Parlamento eleitos e 10 nomeados pela Junta Militar.

Dilma reúne ministros para discutir crise externa e economia

A presidente Dilma Rousseff recebeu no sábado sete ministros no Palácio da Alvorada para discutir a crise econômica mundial e a estratégia de política econômica para 2012. Com Dilma estiveram os ministros Guido Mantega (Fazenda), Gleisi Hoffmann (Casa Civil), Miriam Belchior (Planejamento), Fernando Pimentel (Desenvolvimento), Antônio Patriota (Relações Exteriores) e Celso Amorim (Defesa). Os ministros voltarão a se reunir com Dilma nesta segunda-feira, quando a presidente realiza sua segunda reunião ministerial. A primeira, reunindo todos os 38 ministros, ocorreu em janeiro de 2011. Como se observa, na reunião no Palácio da Alvorada, ela se reuniu exclusivamente com petistas. É sintomático....

Vale investe na construção de um megacentro de distribuição de minério de ferro

Para encurtar a distância até a China, competir com as mineradoras australianas (mais próximas desse principal mercado) e reduzir a volatilidade dos preços, a Vale vai construir megacentros de distribuição de minério de ferro no Exterior. A maior aposta é num complexo que inclui terminal portuário e pátio de estocagem situado na Malásia, cujo investimento é de US$ 1,4 bilhão (R$ 2,5 bilhões). Lá, a Vale poderá manter, a partir de 2014, até 30 milhões de toneladas de minério de ferro, o que representa cerca de 10% de sua produção anual. Com esse estoque estratégico, a Vale atenderá mais rapidamente os clientes chineses. A partir dos terminais brasileiros, um navio da Vale leva 45 dias para chegar à China, enquanto suas concorrentes australianas BHP e Rio Tinto não demoram mais do que 12 dias. Sozinho, o país asiático absorve 45% das vendas da Vale e poderá ser atendido em menos de dez dias a partir da Malásia. "O objetivo é, primeiro, reduzir o custo de chegar à Ásia. Segundo, possibilitar a blendagem (mistura) de diferentes minérios para melhorar a qualidade. E, terceiro, atender os clientes em tempo igual ou inferior ao dos concorrentes mais próximos (australianos, indianos e sul-africanos)", disse José Carlos Martins, diretor-executivo de Ferrosos e Estratégia da Vale. Motivo não menos importante, afirma, é diminuir a volatilidade do frete e do preço do minério -graças ao elevado estoque. "A volatilidade é ruim para produtores e consumidores e só favorece especuladores e intermediários", diz Martins. Segundo Victor Pena, analista do Banco do Brasil, a Vale poderá aproveitar mais rapidamente momentos de preço em alta para atender em prazo mais curto os clientes chineses, a maioria sem contratos longos e com preços fixados no curto prazo. A empresa já instalou outro centro de distribuição em Omã para atender África, Oriente Médio e Índia. Investiu US$ 300 milhões (R$ 530 milhões). No local, já havia um porto adaptado às necessidades da Vale, por isso, a alocação de recursos foi menor do que na Malásia. No terminal portuário da Malásia, poderão atracar os megacargueiros Valemax, navios do mesmo tipo do que sofreu rachaduras e passa por reparos na costa do Maranhão.

Polícia usará imagens de câmeras para investigar morte de secretário de ministério

As imagens das câmeras de segurança dos três hospitais por onde o secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Ferreira, passou antes de morrer vão ajudar a Polícia Civil do Distrito Federal a esclarecer o caso. Segundo a delegada-chefe de Defesa do Consumidor, Alessandra Figueredo, um inquérito foi instaurado para apurar se houve ou não omissão de socorro. "A imagens vão comprovar o estado em que ele entrou nos hospitais e a dinâmica dos fatos", disse a delegada. De acordo com ela, um laudo do Instituto Médico-Legal também vai ajudar a esclarecer as causas da morte e se ele poderia ter sobrevivido caso fosse atendido no momento em que procurou o primeiro hospital. Ferreira, de 56 anos de idade, morreu em consequência de um infarto, após ter o atendimento negado em dois hospitais particulares de Brasília, o Santa Lúcia e o Santa Luzia. O plano de saúde não era aceito pelas instituições. Para atendê-lo, os hospitais exigiram um cheque caução, mas como ele estava sem cheque, o atendimento foi recusado. Duvanier só foi atendido em um terceiro hospital, o Hospital Planalto, mas o seu estado se agravou, os médicos ainda tentaram reanimá-lo, mas sem sucesso. A diretora técnico Assistencial do Santa Luzia, Marisa Makiyama, prestou depoimento na sexta-feira. Ela negou que o secretário tenha dado entrada no hospital. Os depoimentos dos atendentes, porteiros, diretores e plantonistas dos hospitais Santa Lúcia, Santa Luzia e Planalto, além da família do secretário, vão começar nesta segunda-feira. A Polícia Civil pediu as listas com o nome das pessoas que estavam trabalhando na madrugada de quinta-feira. Apenas o Hospital Santa Lúcia não entregou a escala. Se for comprovada a omissão de socorro, as pessoas envolvidas, no caso os atendentes, serão responsabilizados e podem pegar até um ano e seis meses de prisão. "Se for uma norma do hospital, ou seja, os diretores instruem os atendentes, a fazer isso, quem fez a norma é quem será responsabilizado". Segundo Alessandra Figueiredo, os hospitais só podem responder na parte cível. Em relação ao cheque caução, a delegada disse que o Código de Defesa do Consumidor caracteriza a prática como abusiva. No entanto, a exigência de cheque caução antes do atendimento não é crime. O diretor Jurídico do Hospital Santa Lúcia, Gustavo Marinho, disse que em nenhum momento o secretário pediu atendimento de emergência: "O secretário perguntou se o hospital atendia o convênio dele. Foi dito que não, mas a pessoa que o atendeu disponibilizou o pagamento como particular". Marinho também negou que o hospital tivesse exigido cheque caução. "Isso não existe. Se ele tivesse solicitado socorro seria imediatamente levado à nossa sala de emergência e o médico prestaria o socorro. O pagamento é uma questão secundária". Em nota, a diretora do Hospital Santa Luzia, Marisa Makiyama, informou que "iniciou um levantamento para verificar o fato relatado e não constatou a entrada de Duvanier Paiva no Pronto Atendimento na madrugada de quinta-feira. Para tanto, foram checadas as imagens do circuito interno de TV, bem como os registros telefônicos e feitos contatos com funcionários que estavam de plantão".