terça-feira, 7 de junho de 2011

Senadora petista arrecadou R$ 7,9 milhões para campanha

Nas eleições do ano passado para o Senado, a nova ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), conseguiu o maior volume de arrecadações, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foram pouco mais de R$ 7,9 milhões, enquanto o segundo colocado, o senador Roberto Requião (PMDB), obteve cerca de R$ 3 milhões. Além do diretório nacional do PT, que repassou R$ 1,9 milhão à campanha, o principal doador foi a empreiteira Camargo Corrêa, com R$ 1 milhão. A Construtora OAS foi responsável pela colocação de R$ 500 mil na campanha, enquanto a OAS Empreendimentos contribuiu com outros R$ 280 mil. Outra das grandes construtoras que ajudaram financeiramente na eleição da senadora é a CR Almeida, com R$ 250 mil. Entre os bancos, apenas o Fator aparece na prestação de contas, tendo doado R$ 100 mil. O dinheiro transferido a ela pelo PT nacional também veio direto de empresas que não quiseram aparecer, mas certamente é originário de grandes empreiteiras e bancos. Isso é o petismo.

Brasil vira o maior exportador de frango do mundo

O Brasil caminha para superar pela primeira vez os Estados Unidos em alguns dos setores agrícolas que por mais de 30 anos estiveram sob o controle dos exportadores americanos e obriga importadores a rever suas estratégias de abastecimento. Dados divulgados nesta terça-feira, pela FAO, apontam que, em 2011, o Brasil será já o maior exportador de frango do mundo, com um terço do comércio global. Além disso, dá passos importantes para se aproximar dos Estados Unidos na liderança da soja no planeta. Setores como carne bovina, milho e arroz também registraram ganhos importantes no ano. Se os avanços são claros no País, a FAO alerta que um salto maior exigirá que o governo dê uma solução aos entraves que a falta de infraestrutura está causando para as exportações nacionais. Em seu relatório bianual sobre a produção agrícola no mundo, o real fortalecido e os custos de produção no País também terão de ser tratados pelas autoridades nos próximos anos. No setor de carnes, a FAO aponta que o Brasil já o segundo maior produtor do mundo e sua expansão tem "mais que compensado a queda persistente da Argentina". Entre os exportadores, o Brasil já é o primeiro do mundo, com 1,5 milhão de toneladas neste ano. A FAO admite que a único fato que pode afetar a expansão brasileira seria um eventual entrave colocado pela Rússia, como acabou ocorrendo. Mesmo assim, a previsão é de que as exportações do País devem crescer em 2011, depois de três anos de queda diante do consumo doméstico. Para 2011, a entidade prevê uma queda nas vendas de frango dos Estados Unidos. Isso deve tirar dos americanos a tradicional posição de maior exportador de frango do mundo. No complexo de soja, a produção brasileira chegará a 76,9 milhões de toneladas no ano, contra apenas 61 milhões há apenas dois anos. A diferença entre a produção americana e a brasileira diminui. Nos Estados Unidos, a produção neste ano deve ser de 100 milhões de toneladas. A expansão brasileira permitirá ainda que o mundo registre em 2011 uma produção recorde de soja na história: 464 milhões de toneladas. A produção de milho no Brasil atingirá um recorde em 2011, com 60 milhões de toneladas. As exportações também baterão recorde: 12 milhões de toneladas.

Meninos, eu vi jogar

Ronaldo, o Fenômeno
O fim de mais uma era do futebol brasileiro terminou às 22h43min desta terça-feira, dia 7 de junho de 2011, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, quando Ronaldo Nazário encerrou a sua trajetória na Seleção Brasileira. Nesa hora, e nesse minuto, o árbitro argentino Sergio Pezzotta, da Argentina, apitou o fim do primeiro tempo, e ali se encerravam os últimos 15 minutos de futebol de Ronaldo, durante os quais seus colegas de Seleção lhe serviram três grandes oportunidades para marcar um gol de despedida. Mas, a bola, a grande amiga dele por toda a vida, e que lhe foi presenteada ao fim desse primeiro tempo pelo juiz, não foi sua amiga. A bola só é amiga daqueles que estão preparados para ela. Ronaldo já é uma lenda do futebol brasileiro. Eu me lembrei das centenas de vezes que vi jogos na tribuna de imprensa daquele estádio do Pacaembu, do Morumbi, do Mineirão, do Maracanã, ou na arquibancada do estádio Olímpico. Vi grandes jogadores. Vi Pelé dezenas de vezes, entrevistei-o dentro do vestiário da Vila Belmiro. Vi Garrincha. Vi Gerson, o Canhotinha de Ouro, distribuindo suas bolas de dezenas de metros em passes milimétricos. Vi Edson e Pedro Rocha. Vi Ademir da Guia, o gênio das passadas longas, o falso lento. Vi Toninho Guerreiro, vi Leivinha, Leão, vi Tostão. Tanta gente de grande qualidade, tanto craque. E vi Ronaldinho. Será que ainda haverá futebol depois dele, da maneira como todos esses grandes craques jogaram? Tenho grandes dúvidas a esse respeito. Como tudo na vida, Ronaldinho saiu do gramado do Estádio Pacaembu e deixa saudades. A cena dele, rodeado por seus dois filhos, inspira agora outra esperança, aquela representada pelas crianças do Brasil. Entre elas, com certeza, deve estar se gerando um novo Pelé, um novo Ronaldinho.

Aécio Neves diz que saída de Palocci põe fim à crise política

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou nesta terça-feira que a demissão de Antonio Palocci do cargo de ministro da Casa Civil põe fim à crise que paralisa o governo desde 15 de maio. "Do ponto de vista político, obviamente há um encerramento", afirmou. No entanto, o tucano, conhecido por muitos como "Joaquim Silvério dos Reis" na oposição, diz acreditar que as investigações das suspeitas levantadas após a revelação do enriquecimento de Palocci continuarão. "Do ponto de vista jurídico, a Procuradoria do Distrito Federal certamente vai ouví-lo ainda, vai investigar se houve, eventualmente, tráfico de influência", disse. Ele afirmou que as novas assinaturas de senadores governistas ao pedido de abertura de CPI pode ter influenciado na decisão do agora ex-ministro, e disse acreditar que a mudança na Casa Civil reduzirá a "arrogância" do governo. Segundo o senador tucano, a oposição continuará atuando em conjunto nas ações para investigar a origem da fortuna de Palocci e rever a estratégia de convocação de Palocci ao Congresso para prestar esclarecimentos.

Câmara de São Paulo arquiva investigação contra Netinho e mais dois

A Câmara Municipal de São Paulo decidiu nesta terça-feira arquivar os procedimentos disciplinares que investigavam denúncias contra os vereadores Netinho de Paula (PCdoB), Ushitaro Kamia (DEM) e Antonio Goulart (PMDB). Eles eram suspeitos, em casos diferentes, da utilização do cargo para proveito pessoal e poderiam até perder o mandato. Todos eles negam irregularidades. Para que as denúncias fossem investigadas, os processos tinham de ser aprovados por pelo menos 28 dos 55 vereadores. O processo contra Netinho recebeu 18 votos a favor da investigação, 27 contra e cinco abstenções. No de Kamia, 18 vereadores votaram pela investigação, 29 contra e cinco se abstiveram. No caso de Goulart, foram 22 votos a favor da investigação, 24 não e cinco abstenções. Goulart era suspeito de pagar, com recursos públicos, serviços prestados pela gráfica de sua mulher. Já contra Kamia pesava a suspeita de desvio de donativos destinados às vítimas das chuvas da região serrana do Rio de Janeiro. Netinho, por sua vez, seria investigado pela utilização de notas fiscais de empresas com endereços fantasmas para justificar gastos de seu gabinete na Câmara. Como se vê, tudo coisa fina.

STJ anula provas e condenação do banqueiro Daniel Dantas

Por três votos a dois, a 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça anulou nesta terça-feira as provas e a condenação do banqueiro Daniel Dantas por suborno, durante a Operação Satiagraha da Polícia Federal. A condenação do banqueiro havia sido decidida pelo juiz Fausto De Sanctis, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, que considerou haver provas de que Daniel Dantas tentou corromper delegados da operação, no primeiro semestre de 2008. A votação no STJ estava empatada em dois votos quando, às 19h15, o presidente da turma, Jorge Mussi, desempatou em favor dos argumentos da defesa de Daniel Dantas. Votaram a favor do banqueiro o relator do processo, Adilson Macabu, e o ministro Napoleão. Os ministros Gilson Dipp e Laurita Vaz votaram pela manutenção das provas e da condenação. A decisão do Superior Tribunal de Justiça poderá ter efeito em outros processos e inquéritos derivados da Operação Satiagraha. Em seu voto, Mussi leu vários trechos da decisão do juiz Ali Mazloum, que condenou o delegado Protógenes Queiroz por "fraude processual", e também mencionou relatório da equipe da Polícia Federal que investigou Protógenes Queiroz.

Suplente do PMDB vai assumir Senado no lugar de nova ministra

O advogado Sérgio de Souza (PMDB) afirmou nesta terça-feira que não esperava chegar ao Senado em tão pouco tempo. Ele é o primeiro suplente da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que vai assumir a Casa Civil. "Não passava pela cabeça que fosse tão rápido. Imaginava que ela poderia ser candidata ao governo em 2014", afirmou o advogado. Souza é ligado politicamente ao ex-vice-governador Orlando Pessuti (PMDB), que até o ano passado era do grupo do senador Roberto Requião (PMDB-PR). Os dois entraram em conflito depois que Requião deixou o governo para disputar o Senado e Pessuti assumiu o cargo de abril a dezembro do ano passado. Souza disse que está no PMDB há mais de 15 anos e sempre foi ligado ao grupo de Pessuti. Ele afirmou que trabalhou no gabinete de Pessuti até 2002, quando o ex-vice-governador era deputado estadual. Com a posse do suplente, o PMDB passa a contar com 20 senadores. Desde 2003, Souza tem um escritório de advocacia que atua no Direito Público, Administrativo e Eleitoral. "Estou preparado para assumir o cargo", afirmou Souza, que disputou uma eleição pela primeira vez em 2010.

Oposição comemora saída de Palocci e diz que demissão não encerra caso

A oposição comemorou nesta terça-feira a demissão do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, e afirmou que a saída dele não encerra o caso. Para o líder do PSDB na Câmara, deputado federal Duarte Nogueira (SP), a demissão de Palocci não encerra o assunto. "Nós vamos continuar insistindo para que ele preste todas as informações. O suposto tráfico de influência e o extraordinário aumento de seu patrimônio ocorreram antes dele entrar no governo. Os fatos que vieram a público podem ser apenas a ponta do novelo", disse. Segundo Nogueira, os 20 dias em que se manteve em silêncio e as lacônicas entrevistas que concedeu na última sexta reforçam os indícios de irregularidades nas atividades que desenvolveu como consultor: "Sua demissão não pode ser usada como pretexto para que as perguntas fiquem sem respostas, quem eram seus clientes, que serviço prestou e quanto recebeu". O deputado federal Roberto Freire (SP), presidente nacional do PPS, afirmou que o pedido de demissão facilita a investigação sobre seu enriquecimento. "Não haverá mais blindagem do governo Dilma na Câmara para convocação, por exemplo; o foro privilegiado acaba e a sociedade não fica refém da decisão do procurador-geral, que foi omisso e se negou a investigar o ministro", disse Freire. O parlamentar afirmou que, com a demissão, o processo contra Palocci será acelerado: "Ele vira um cidadão comum sem a proteção do governo". Já o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno, afirmou que Palocci sai do governo "pela porta dos fundos sem dar explicação convincente à sociedade sobre os escândalos envolvendo seus negócios milionários". Na avaliação do parlamentar, fica provado mais uma vez que a palavra do governo não é levada a sério pela sociedade. "O governo afirmou mais de uma vez que o caso envolvendo o patrimônio do ministro estava encerrado. A saída do ministro, graças à pressão da sociedade, mostra que a palavra do governo padece de credibilidade". Bueno afirmou ainda que a queda do ministro não encerra o caso: "Ao contrário, agora o Ministério Público terá mais facilidade para investigar a fortuna do ministro, já que ele perdeu o foro privilegiado".

Iraniana prêmio Nobel da Paz do Irã insistirá em reunião com Dilma

A advogada iraniana Shirin Ebadi, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz de 2003, lamentou o fato de que não será recebida pela presidente Dilma Roussef durante sua visita ao Brasil. "Eu só vim ver a Dilma. Agora vou ter que mandar uma carta para agradecer a ajuda dela no caso Sakineh", disse a ativista em entrevista coletiva em São Paulo, em referência ao caso da iraniana Sakineh Ashtiani, alvo de uma polêmica sentença de morte por apedrejamento no ano passado. A assessoria de Ebadi disse que insistirá com o Planalto para que a presidente receba a ativista. Em janeiro, Dilma anunciou uma mudança de posição de direitos humanos em sua gestão, passando a condenar os abusos em países como o Irã. Em 2006, Sakineh Mohammadi Ashtiani, de 43 anos, foi condenada duas vezes à pena de morte por dois tribunais diferentes de Tabriz (noroeste do país) em dois processos distintos, acusada de participação no homicídio do marido e de ter cometido adultério, em particular com o suposto assassino do marido. O grupo de direitos humanos Anistia Internacional disse que Sakineh foi considerada culpada de "adultério quando estava casada", o que teria negado, e foi sentenciada à morte por apedrejamento. A Anistia Internacional listou o Irã como o segundo país do mundo com mais execuções em 2008, depois da China, e disse que o regime nazista islâmico de Teerã matou ao menos 346 pessoas em 2008.

Morre o escritor e roteirista espanhol Jorge Semprún

Jorge Semprun, referência necessária no pensamento
O escritor e roteirista espanhol Jorge Semprún morreu nesta terça-feira, em Paris. Ele tinha 87 anos e era considerado uma testemunha excepcional do século 20. Construiu sua obra literária baseada nas lembranças de sua juventude, em especial do período em que ficou preso em um campo de concentração alemão. Essa prisão foi retratada no romance "A longa viagem", que narra sua condução para o campo de concentração em um trem com vagões para gado apinhado de prisioneiros dos nazistas. Após a morte de sua mãe, quando ele tinha oito anos, Semprúm se mudou de Madri para Haya, onde seu pai era embaixador. Depois, se instalou em Paris, onde aprendeu francês, língua em que escreveu boa parte de sua obra. Membro da resistência francesa durante a ocupação nazista, foi detido e enviado a um campo de concentração. Sobreviveu ao Holocausto e agiu na clandestinidade contra o franquismo pelo Partido Comunista Espanhol. Nesta organização ele chefou a secretário geral, cargo logo abaixo do de Dolares Ibarrarri, a "Pasionaria". Semprun rompeu com o Partido Comunista espanhol e escreveu um livro monumental, contendo suas memórias de comunista. Foi um libelo contra os crimes dos comunistas. O título do livro é "A Autobiografia de Federico Sanchez" (1977). Este era o seu codinome como secretário geral do PCE. Ele também escreveu outro romance memorável, "A segunda morte de Ramon Mercader", sobre o assassinato de Leon Trotski no México. Outro livro monumental de Semprun é "Quel beau dimanche", relatando os crimes do stalinismo na União Soviética. Jorge Semprun foi também um monumental roteirista de cinema. Ele fez os roteiros de filmes antológicos,  como "La guerre est finie", do cineasta francês Alain Resnais; "Z" e "A confissão", de Costa-Gavras, "Las rutas del sur", de Joseph Losey. Semprún também foi ministro da Cultura da Espanha durante o governo socialista de Felipe González.

Palocci cai e Gleisi Hoffmann é a nova ministra da Casa Civil

Após 23 dias de crise e forte pressão para que deixasse o cargo, o ministro Antonio Palocci (Casa Civil) entregou na tarde desta terça-feira carta à presidente Dilma Rousseff com sua demissão do governo federal. A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), de 45 anos, será a substituta de Palocci na Casa Civil. Mulher do ministro Paulo Bernardo (Comunicações) e eleita para o Senado pela primeira vez no ano passado, ela já aceitou o convite do governo. "O ministro considera que a robusta manifestação do Procurador Geral da República confirma a legalidade e a retidão de suas atividades profissionais no período recente, bem como a inexistência de qualquer fundamento, ainda que mínimo, nas alegações apresentadas sobre sua conduta. Considera, entretanto, que a continuidade do embate político poderia prejudicar suas atribuições no governo. Diante disso, preferiu solicitar seu afastamento", diz nota do ministério. A crise que levou à saída de Palocci teve início no dia 15 de maio, após o jornal Folha de S. Paulo revelar que o ministro multiplicou seu patrimônio por 20 entre 2006 e 2010. A Projeto, empresa aberta por ele em 2006, quando o ministro afirmou ter patrimônio de R$ 356 mil, comprou, em 2009 e 2010, imóveis em região nobre de São Paulo no valor total de R$ 7,5 milhões. A Folha também mostrou que o faturamento da empresa foi de R$ 20 milhões em 2010, quando ele era deputado federal e atuou como principal coordenador da campanha de Dilma à Presidência da República.

Setor de cartões faturou R$ 145 bilhões no primeiro trimestre

O mercado de cartões fechou o primeiro trimestre com faturamento de R$ 145,2 bilhões, crescimento de 22,5% ante o mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pela Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços). Somente o setor de cartões de crédito teve um aumento de 23%, com faturamento de R$ 83,7 bilhões. "Um fator que contribuiu para essa evolução no faturamento foi o aumento dos gastos de brasileiros no Exterior, que utilizaram em grande parte esse meio de pagamento", segundo comunicado da entidade. Os cartões de débito apresentaram faturamento de R$ 43,3 bilhões, com crescimento acima da média (de 25%), e os cartões "private label" responderam por R$ 18,2 bilhões (21% de aumento).

Ex-diretor da Assembléia do Espírito Santos condenado a cinco anos de prisão por sonegação fiscal

A pedido do Ministério Público Federal no Espírito Santo, a Justiça Federal condenou André Nogueira, ex-diretor-geral da Assembléia Legislativa do Espírito Santo, por crime contra a ordem tributária. Nogueira foi condenado a cinco anos e seis meses de cadeia, em regime inicial fechado. Ele também terá que pagar multa no valor de R$ 21,7 mil. Segundo a denúncia, ele omitiu informações sobre movimentações financeiras em suas contas-correntes durante o período de janeiro de 1997 a dezembro de 2000 para reduzir tributo devido ao Fisco. Na época, André Nogueira, braço direito administrativo do então presidente do Legislativo estadual, José Carlos Gratz, declarou à Receita Federal ter movimentado R$ 428 mil, quando, na realidade, o valor movimentado na sua conta foi de R$ 4,32 milhões, ou seja, dez vezes maior. De acordo com a sentença de condenação da Justiça Federal no Espírito Santo, André Nogueira apresenta “culpabilidade e conduta social manifestamente negativas”. A pena de prisão, entretanto, só passa a ser aplicada após o trânsito em julgado da ação, ou seja, quando não houver mais possibilidade de recurso.

Procuradoria arquiva ação contra Palocci no caso Francenildo

O procurador-geral da República, o engavetador-geral Roberto Gurgel, arquivou mais uma representação contra o ministro Antonio Palocci (Casa Civil), agora no caso envolvendo o estupro da conta bancária do caseiro Francenildo dos Santos Costa. A ação, apresentada pelo presidente do PPS, deputado federalRoberto Freire (SP), pedia oferecimento de nova denúncia contra Palocci após o jornal Folha de S. Paulo ter publicado, no dia 25 de maio, que a Caixa Econômica Federal informou à Justiça Federal que o responsável pela violação foi o gabinete do então ministro da Fazenda e hoje ministro da Casa Civil. No pedido, Freire alegou que a resposta da Caixa constituiria "informação inédita que pode levar ao egrégio Supremo Tribunal Federal novos elementos de convicção para apreciar nova denúncia contra Palocci". Para Gurgel, o fato referido pelo deputado não consubstancia prova nova, apta a ensejar o oferecimento de outra denúncia por suposta violação do sigilo do caseiro: "A autoria intelectual do delito pelo denunciado foi exatamente o fundamento da acusação apresentada pelo Ministério Público e que foi rejeitada pelo Supremo Tribunal Federal". Ele explica que a denúncia proposta pelo então procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, descreveu uma série de fatos que comprovariam a atuação do gabinete do então ministro da Fazenda para a divulgação dos dados bancários na imprensa. "O Supremo Tribunal Federal, muito embora tenha afirmado a materialidade do crime, rejeitou a acusação quanto ao representado, exatamente pelo fundamento de que, não detendo legitimamente a informação sigilosa, o representado não poderia ser autor do crime na modalidade revelar. Entendeu, também, que o Ministério Público não provou que o representado determinou ao presidente da Caixa que violasse o sigilo nem que o representado divulgou os dados para a imprensa", diz Roberto Gurgel no parecer.

Prefeitura de Campinas embarga obra do "Minha Casa, Minha Vida"

Um projeto habitacional da construtora MRV financiado pelo programa "Minha Casa, Minha Vida" teve as obras embargadas na última segunda-feira, em Campinas. Os motivos são irregularidades na aprovação do projeto e a falta de contrapartida social exigida por lei. A prefeitura de Campinas havia sido notificada de irregularidades em obras do programa no início de maio, quando o prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT), o dr. Hélio, determinou uma auditoria em todos os empreendimentos. As obras da MRV foram embargadas e os alvarás de aprovação e execução, suspensos até que sejam apresentadas soluções viárias, ambientais, de drenagem, entre outras, conforme publicação no Diário Oficial. Quando aprovou o projeto, a prefeitura havia atestado que a área já possuía parte da infraestrutura obrigatória, o que não foi comprovado pela auditoria.

Cinzas de vulcão cancelam mais de 50 vôos de TAM e Gol

A nuvem de cinzas do vulcão chileno Puyehue continua causando cancelamento de vôos no Brasil. Até as 17h desta terça-feira, 51 vôos das companhias aéreas TAM e Gol haviam sido cancelados. A nuvem de cinzas, que chegou à capital argentina pela manhã, fechou os dois aeroportos da cidade. De acordo com a TAM foram fechados os aeroportos de Buenos Aires (Argentina); Assunção e Ciudad del Este (Paraguai); Montevidéu (Uruguai), Santiago (Chile) e Foz do Iguaçu (PR). A companhia cancelou 32 viagens até agora e diz que está analisando permanentemente as informações disponíveis sobre a densidade e o deslocamento da nuvem. Em sua avaliação, porém, ainda há riscos para a operação de voos nessas rotas. Já a Gol teve 19 vôos cancelados provenientes das regiões afetadas pela nuvem de cinzas vulcânicas. No aeroporto de Guarulhos (Grande São Paulo), 26 vôos foram cancelados até as 18 horas, sendo 19 partidas e sete chegadas. Das partidas canceladas, 14 iam para Buenos Aires (Argentina), três para Montevidéu (Uruguai), uma para Lima (Peru) e uma para Santiago (Chile). Das sete chegadas canceladas, cinco viriam de Buenos Aires e duas de Montevidéu. No total, havia 45 chegadas e 45 partidas programas no aeroporto para estas cidades.

Dilma também vai substituir ministro petista Luiz Sérgio

A presidente Dilma Rousseff já decidiu substituir também o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio (PT-RJ), e busca um novo nome para o cargo. A escolha deverá ser feita até quinta-feira. Embora o PT reivindique a permanência do partido no cargo, não está descartada a hipótese de o substituto ser do PMDB. Na reunião em que o ex-ministro Antonio Palocci entregou o cargo, os dois discutiram a relação do governo com o Congresso muito criticada pelos próprios partidos da base aliada. A presidente vai mudar a estrutura da cozinha do Palácio, com a Casa Civil voltando a ter suas funções mais focadas para políticas públicas e a articulação política concentrada na Secretaria de Relações Institucionais. Este era o modelo adotado por Lula quando Dilma ocupava justamente a chefia da Casa Civil.

Governo barra nova tentativa de convocar Palocci

A oposição fez nesta terça-feira, sem sucesso, mais uma tentativa de convocar o ministro Antonio Palocci (Casa Civil) a prestar depoimento no Congresso sobre sua evolução patrimonial nos últimos quatro anos. O PSDB aproveitou reunião da Comissão Mista de Atividades de Inteligência (com deputados e senadores), presidida por um tucano, para colocar o requerimento de convocação em votação. Os oposicionistas conseguiram dar início à votação, quando estavam em maioria na comissão, mas rapidamente o governo mobilizou sua base de apoio na Câmara e no Senado para impedir a análise do pedido. Em poucos minutos, mais de sete deputados e senadores governistas chegaram à sala da comissão para interromper o processo de votação, que acabou suspenso sem a análise do requerimento. O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), classificou de "golpe" a manobra da oposição para tentar convocar Palocci: "É uma tentativa desesperada de uma reunião mal constituída para transformar uma comissão específica em palco político com o objetivo de convocar um ministro que ontem teve todas as representações contra ele arquivadas pelo Ministério Público".

Governo negocia trocar convocação de Palocci por convite

Integrantes do governo negociam para que o ministro Antonio Palocci (Casa Civil) vá à Câmara dar explicações sobre o fato de seu patrimônio ter aumentado monumentalmente pelo menos 20 vezes de 2006 para 2010. A articulação está sendo desenhada, no Congresso, entre o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), o líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP), e o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN). Marco Maia conversou mais cedo com integrantes da oposição para ver a possibilidade de eles desistirem da convocação e aceitarem aprovar um requerimento de convite ao ministro. "Não vamos fazer um cavalo de batalha se Palocci tem que falar em uma comissão presidida pelo DEM, se vem com convite ou convocação. O importante é que o ministro venha", disse o líder do DEM, ACM Neto (BA), já entregando as balas, como é muito comum nesse tipos convertidos em oposição, mas que sempre gostaram dos palácios.

Estado de saúde do ditador do Iêmen é grave

O governo do Iêmen afirmou que o ditador Ali Abdullah Saleh teve 40% de seu corpo queimado durante ataque ao palácio na última sexta-feira. Seu quadro de saúde é, portanto, mais grave do que havia sido anunciado inicialmente pelas autoridades do país. Saleh estava em uma mesquita dentro do palácio, em Sanaa, quando o complexo foi foi atingido por foguetes. Sete pessoas morreram durante o ataque, segundo autoridades iemenitas. Inicialmente, o governo havia dito que o ditador, que tem 69 anos, havia apenas sido atingido por estilhaços, sem mencionar as queimaduras. Ele foi levado no último sábado para tratamento em um hospital na Arábia Saudita. Sua saída do país foi vista pelos opositores e pelas potências ocidentais como uma oportunidade para acabar com sua ditadura de 33 anos.

Lula atende Dilma e evita ir a Brasília nesta semana

O ex-presidente Lula descartou ir a Brasília até o fim desta semana, antes de ser anunciada a demissão do "porquinho" Antonio Palocci (Casa Civil). Foi o segundo manda-chuva da campanha de Lula que caiu. O primeiro foi José Dirceu. Ambos ocupavam a Casa Civil. Ambos se dedicam a atividades de "consultoria".

Oposição anuncia ofensiva no Congresso contra Palocci

Partidos da oposição na Câmara e no Senado anunciaram nesta terça-feira uma ofensiva no Congresso em resposta à decisão do procurador-geral da República de arquivar os pedidos de investigação sobre o ministro Antonio Palocci (Casa Civil). Como primeira ação, DEM, PSDB, PSOL e PPS vão convidar o procurador Roberto Gurgel para esclarecer à Câmara os motivos do arquivamento. A oposição vai apresentar requerimentos com convites para que Gurgel deponha às comissões de Constituição e Justiça e Fiscalização e Controle da Câmara. "Abre-se a porta da impunidade, que é o que a rua do Brasil não aceita", disse o presidente do DEM, deputado federal José Agripino Maia (RN). Também serão convidados, em outra frente, os "laranjas" do apartamento em que mora o ministro, em São Paulo, assim como sócios de Palocci na empresa Projeto, por meio da qual o petista multiplicou monumentalmente por 20 seu patrimônio nos últimos quatro anos. A oposição vai solicitar formalmente à Procuradoria Geral da República, hoje transformada em Engavetadoria-Geral, para encaminhar ao Ministério Público do Distrito Federal e aos partidos políticos todos os autos do processo que envolvem Palocci, uma vez que o Ministério Público do Distrito Federal também realiza investigação para apurar a evolução patrimonial do ministro. Outra medida será o envio de requerimentos à Justiça de São Paulo e ao Ministério Público do Estado para que sejam abertas investigações sobre o crescimento do patrimônio de Palocci nos últimos meses de 2010, quando houve maior incremento de seus bens. "Pode ter havido crime fiscal nesse período", disse o líder do PSDB na Câmara, deputado Duarte Nogueira (SP). Os oposicionistas também prometem recorrer ao Supremo Tribunal Federal caso o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), anule a convocação do ministro para depor na Comissão de Agricultura da Casa, aprovada na semana passada. Tudo isto era anunciado antes da demissão de Palocci. Vamos ver se a oposição continuará agora demonstrando o mesmo vigor.

Família de dissidente cubano Orlando Zapata se mudará para os Estados Unidos

Os familiares do cubano Orlando Zapata Tamayo, morto no início de 2010 em decorrência de uma greve de fome, vão se mudar para os Estados Unidos ainda nesta semana, ocasião em que devem levar os restos mortais do dissidente. Fontes da oposição cubana confirmaram que a mãe de Zapata, Reina Luisa Tamayo, que pensava em deixar o país desde novembro do ano passado, já está com as permissões de viagem e vistos em mãos. Os restos mortais do dissidente provavelmente serão cremados em Havana para que possam ser transportados pelos 12 membros de sua família. O corpo de Zapata já foi exumado. O cubano cumpria uma pena de mais de 30 anos por diversos crimes, entre eles o de injúria e desacato. Zapata morreu em um hospital da capital em fevereiro de 2010, após uma greve de fome que durou 85 dias. Ele reivindicava que outros presos políticos fossem soltos e pedia melhores condições de vida nas prisões. Zapata é aquele que Lula comparou com bandidos de São Paulo.

Bancada do PT no Senado rejeita nota de apoio a Palocci

A situação do ministro Antonio Palocci (Casa Civil) já estava crítica dentro de seu próprio partido antes da demissão. Mesmo após o procurador-geral da República, o engavetador-geral petista Roberto Gurgel, ter arquivado as representações que pediam investigação sobre a evolução de seu patrimônio, em reunião a portas fechadas, realizada no início da tarde desta terça-feira, a bancada de senadores do PT rejeitou, por maioria, a divulgação de uma nota de apoio ao ministro da Casa Civil. A proposta foi apresentada na reunião pela senadora Marta Suplicy (PT-SP), mas a maioria da bancada se posicionou contra o desagravo público. A arrogante socialite paulistana não tem noção dos ritmos da história. Ela vive em outro mundo. A bancada do PT possui 15 senadores, sendo que vários deles vinham cobrando explicações públicas do ministro da Casa Civil.

Paulo Bernardo diz que caso Palocci é assunto superado

O ministro Paulo Bernardo (Comunicações) afirmou nesta terça-feira que a crise política no governo causada pelas suspeitas sobre o ministro Antonio Palocci (Casa Civil) foi superada após o arquivamento das denúncias pela Procuradoria-Geral da República. Menos de duas depois dele ter dado esta declaração estúpida, Antonio Palocci foi demitido do cargo.

CNI diz que inflação reduziu massa salarial de trabalhadores em abril

Dados divulgados nesta terça-feira pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) mostram que a alta da inflação, cujo acumulado anual está em 6,55% em maio, acima do teto da meta inflacionária, afetou significativamente a massa salarial e o rendimento médio reais dos trabalhadores da indústria em abril. Enquanto a massa salarial teve redução de 3,5% na comparação com março, o rendimento diminuiu 4% no período, segundo dados sem ajustes sazonais. Conforme a CNI, os indicadores de produção, contudo, apresentaram sinais diferenciados, afetados ainda pelo calendário atípico, com o feriadão do Carnaval em março. O faturamento real subiu 4,3% em abril sobre março, enquanto as horas trabalhadas aumentaram 1,5% e o emprego manteve-se praticamente estável, com declínio de 0,1%. O levantamento indica ainda que a indústria operou em abril, em média, com 82% da UCI (utilização da capacidade instalada), uma queda de 0,4% ante março. Foi o segundo recuo consecutivo da UCI, que atingiu em abril o menor patamar desde fevereiro de 2010.

Cargill inaugura centro de tecnologia em Campinas

A Cargill inaugurou na última segunda-feira, em Campinas, o primeiro centro de tecnologia e inovação de alimentos do grupo na América Latina. A unidade recebeu investimentos de R$ 20 milhões. No local, funcionarão sete laboratórios. Cinco serão destinados a áreas de produção específicas (bebidas, panificação, confeitos, comidas de conveniência e derivados de leite). Os outros dois estudarão alternativas no desenvolvimento de aromas e sabores e ingredientes para produção de papel e têxteis. O centro realizará também testes com consumidores. "Se um cliente quiser fazer bombons mais crocantes, ele traz esse desafio e, juntos, pensamos o processo fabril e criamos aplicações", afirma o presidente da Cargill no Brasil, Marcelo Martins. A Cargill possui centros de inovação na Europa, Ásia e Estados Unidos, mas optou por investir na América Latina por conta do crescimento do mercado. Segundo dados da empresa, o setor de alimentos faturou R$ 300 bilhões no Brasil em 2010.

Consórcio de empresas revela maior fábrica de caviar do mundo

O consórcio de empresas Bin Salem, um dos maiores dos Emirados Árabes, apresentou nesta terça-feira em Abu Dhabi a maior fábrica de caviar do mundo e a primeira do tipo no Oriente Médio. Em entrevista coletiva na capital emiradense, o vice-presidente do Conselho Administrativo do Bin Salem, Ahmed el Zahery, anunciou que a produção começará no próximo ano. A empresa receberá o nome de Royal Caviar e terá o objetivo, segundo El Zahery, de "satisfazer a crescente demanda mundial da melhor qualidade de caviar, que será fabricado mediante uma tecnologia sofisticada". Na fábrica, que foi construída em colaboração com a companhia United Food Tecnology, serão feitas 124 toneladas até o final do ano para dispor caviar no mercado emiradense no segundo semestre de 2012. O responsável pelo consórcio anunciou a chegada de 120 mil ovos de esturjões, que originarão os primeiros esturjões, os quais serão criados nos Emirados Árabes Unidos. A Royal Caviar pretende satisfazer cerca de 10% da demanda mundial do alimento e se transformar na primeira fábrica que o dispõe de maneira regular, finalizou El Zahery. Por sua vez, o diretor comercial do Bin Salem, Robert Harper, revelou que a demanda de caviar em seu território chega a 14 toneladas anuais. A fábrica contará com um sistema de vigilância digital permanente e disporá das mais modernas tecnologias para garantir uma criação de boa qualidade aos peixes, além de níveis adequados de acidez e oxigênio e uma alimentação regulada.

Empresas captam mais recursos no Exterior

As empresas brasileiras aproveitaram o ambiente internacional de juros menores e capital disponível para levantar mais recursos no Exterior. Além de tomar dinheiro emprestado nos bancos, empresas têm outros meios à disposição para se financiar: a venda de títulos de dívida, que pagam juros ao comprador, ou a venda de ações, em que o emissor reparte seus lucros com os acionistas. Essas operações podem ser realizadas tanto no mercado doméstico quanto no externo. Até maio, as companhias haviam tomado US$ 23,194 bilhões no Exterior, ante US$ 20,302 bilhões no mesmo período em 2010, conforme um levantamento da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). Somente no mês passado foram captados US$ 6,9 bilhões, isto é, uma cifra 14,2% acima do registrado em maio do ano passado. "Dados já coletados no início de junho indicam que outros US$ 3,7 bilhões estão em curso e sinalizam para a continuidade do bom momento para captações corporativas no mercado internacional", constata a Anbima, no relatório divulgado nesta terça-feira.

PALOCCI CAIU

O ministro chefe da Casa Civil, Antonio Palocci (PT), foi demitido no final da tarde desta terça-feira pela presidente Dilma Rousseff. Ele saiu com o joguinho de cena do "a pedido", tão comum na vida política. É demitido do cargo sem ter dado explicações sobre o seu monumental enriquecimento, que teve ganhos de 20 milhões de reais apenas no ano passado, quando era um dos coordenadores da campanha de Dilma. Assim, é o seguindo "porquinho" da campanha da presidente que entra em declínio.

Presidente da Câmara recebe resposta sobre convocação de Palocci

Em resposta enviada nesta terça-feira ao presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), o presidente da Comissão de Agricultura, Lira Maia (DEM-PA), afirma que a sessão que aprovou requerimento de convocação do ministro Antonio Palocci (Casa Civil), na semana passada, foi legítima. Para ele, não havendo imagens claras da sessão "não haverá razão objetivamente lícita para simplesmente se revisar a decisão dessa Comissão": "Pena de se criar, casuisticamente, um precedente por demais deletério para o desenvolvimento dos trabalhos não só desta, mas de toda e qualquer comissão da Câmara dos Deputados". Sobre argumento do governo de que o requerimento da convocação de Palocci teria que ser apresentado pela oposição 24 horas antes do início da sessão, Lira Maia diz: "isso tinha que ser questionado antes. Se fomos levar isso em consideração a maioria das matérias dessa Casa deve ser anulada". Diz ainda que a pauta da sessão foi amplamente divulgada anteriormente. Lira Maia cita o regimento que diz que "o voto do deputado, mesmo que contrarie o da respectiva representação ou sua liderança, será acolhido para todos os efeitos" para rebater o argumento do governo de que ele não levou em consideração a orientação feita pelos líderes. Seguindo as orientações, a convocação seria rejeitada. Após receber a resposta de Lira Maia, o presidente da Câmara, Marco Maia, disse que poderia adiar a sua decisão de anular ou não a convocação de Palocci. Ele está procurando um consenso para não sair desgastado: "Estou conversando com os líderes, vendo as repercussões".

França diz que 74 corpos de passageiros do Airbus A330 da Air France ficarão no mar

Setenta e quatro corpos do desastrado Airbus A330 da Air France, que caiu no oceano Atlântico em 2009 com 228 pessoas a bordo, ficarão definitivamente no fundo do mar, segundo as autoridades francesas. Em uma carta enviada aos familiares, o governo francês informa que, no total, 104 corpos "suscetíveis de serem identificados" foram retirados do oceano durante essa quinta fase de buscas. Logo após a catástrofe, em 2009, 50 corpos que estavam flutuando no mar haviam sido resgatados, sendo 20 deles de brasileiros. No total, portanto, 154 corpos dos 228 que estavam a bordo do avião puderam ser retirados do oceano. "Todos os corpos que podiam ser resgatados conforme os critérios definidos pela carta dos juízes em 10 de maio e verificados pelas equipes de legistas, o foram", diz a nota enviada às famílias das vítimas. Os juízes responsáveis pelo processo na França haviam informado aos familiares, em 10 de maio, que apenas os corpos que não estivessem muito degradados e que "pudessem ser entregues decentemente às famílias" poderiam ser resgatados. No entanto, a decisão foi criticada pelos familiares, principalmente no Brasil. O navio Ile de Sein deixou o local do acidente, a cerca de 1.100 quilômetros da costa brasileira, na sexta-feira, um dia antes do previsto. Agora, ele segue para Las Palmas, na Espanha, e deverá atracar no porto do Bayonne, no sudoeste da França, em meados de junho. Os corpos serão transferidos para um instituto médico legal para o início do processo de identificação, que será feita por peritos do Instituto de Pesquisas Criminais da Polícia Militar francesa. O instituto, que já atuou em 38 grandes catástrofes, dispõe até o momento do DNA dos parentes das vítimas européias. A transferência à França do material genético dos parentes brasileiros será realizada pela Interpol.

Dilma diz que não vai negociar desmatamento no Código Florestal

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira que não pretende dar permissão para ações de desmatamentos no Código Florestal que tramita no Senado. Em evento no Palácio do Planalto, Dilma disse que não permitirá "uma volta atrás". "Nós não negociamos nem tergiversamos sobre a questão do desmatamento. Nós não permitiremos que haja uma volta atrás na roda da história", disse ela durante o lançamento da Comissão e do Comitê Nacional de Organização da conferência Rio+20. A platéia, composta em sua maioria por estrangeiros, aplaudiu Dilma de pé após o seu recado aos ruralistas. Em almoço com senadores do PMDB, na semana passada, ela já havia sinalizado que poderá vetar o artigo que concede anistia a desmatadores, aprovado pela Câmara. No encontro, ela pediu o apoio dos senadores para a discussão de um texto que una ambientalistas e ruralistas. O governo quer alterar no Senado 11 pontos da reforma do Código Florestal, aprovada no mês passado pela Câmara. Fazem parte da lista a anistia irrestrita aos desmatadores, o ressarcimento dos serviços agrícolas, a participação dos Estados na regularização ambiental. O Palácio do Planalto também quer ampliar os benefícios para a agricultura familiar. Karl Marx tinha razão. Na história, um fato acontece primeiro como tragédia, depois como farsa. Dilma e o PT não aprenderam nada. Na Argentina, a peronista populista Cristina Kirchner colocou-se contra o setor primário da economia e foi fragorosamente derrotada. Agora, Dilma se põe contra o grande motor da economia, que é o setor primário, com seu discurso ideológico ambientalista ditado pelas ongs internacionais patrocinadas por grandes corporações financeiras, e fecha os olhos. O resultado é previsível.

Irã envia esquadra de submarinos ao Mar Vermelho

O Irã anunciou nesta terça-feira ter enviado seus submarinos, pela primeira vez, para uma missão em águas internacionais, no Mar Vermelho. O operação é parte de um esforço de Teerã para se tornar uma potência militar regional e mostrar ao ocidente seu poder naval, depois de um atualizações tecnológicas em sua marinha e nos sistemas de defesa antiaérea. A agência de notícias Fars, ligada ao governo, afirmou que o objetivo da missão é coletar dados em águas internacionais e identificar navios de outros países. O país não forneceu informações sobre o número de submarinos que compõe a esquadra usada na operação, nem suas características. No ano passado, Teerã comissionou três submarinos de fabricação russa da classe Kilo. Eles são de médio porte e alimentados por motores a diesel e baterias elétricas. O país também possui quatro minisubmarinos da classe Ghadir, operados por pequenas tripulações para ataques em águas pouco profundas. Eventuais operações de detecção e combate contra submarinos exigiriam uma mobilização de grandes proporções de embarcações e aeronaves por parte das potências ocidentais.

Falta só uma assinatura para acontecer a CPI que investiga Palocci

Inconformados com a decisão do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, conhecido agora como engavetador geral do PT, de arquivar representação da oposição para apurar a monumental evolução patrimonial do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, os senadores Cristovam Buarque (DF) e Pedro Taques (MT), ambos do PDT, portanto da base aliada do governo Dilma, assinaram nesta terça-feira o requerimento pedindo a criação de uma CPI para investigar o ministro. Cristovam Buarque lembrou que há dez dias chegou a dizer que não assinaria pedido de investigação antes de conhecer o parecer do Ministério Público. “Mas não houve parecer. Houve uma simples decisão de arquivamento. Continuo sem saber quem pagou ao ministro Palocci, para que fez esse pagamento e quanto ele teria recebido”, afirmou o senador do Distrito Federal. Cristovam Buarque disse que a sua iniciativa, ao assinar o requerimento, se deve ao empenho de ajudar o governo da presidente Dilma Rousseff: “E a permanência de um ministro sob suspeita atrapalha muito o governo”. No twitter, Taques também justificou a decisão: “Sou do PDT, tenho orgulho disso. Mas ser da coalizão não significa submissão. Não posso fugir do meu passado. Meu patrimônio é minha coerência”. O líder do DEM no Senado, Demóstenes Torres, informou nesta terça que falta apenas uma assinatura para alcançar as 27 necessárias para a criação de uma CPI que investigue Palocci. Além das 23 assinaturas já obtidas, o líder do DEM dá como certo o apoio dos senadores Pedro Simon (PMDB-RS) e Itamar Franco (PPS-MG), o que elevaria o número para 25. Ele conta, ainda, com o apoio do peemedebista Ricardo Ferraço (ES), que já adiantou a decisão de ser o 27º parlamentar a apoiar a CPI no Senado.

CNJ arquiva denúncia de Daniel Dantas contra juiz De Sanctis

O Conselho Nacional de Justiça arquivou a denúncia apresentada pelo banqueiro Daniel Dantas contra o ex-juiz e desembargador federal Fausto De Sanctis. Daniel Dantas o acusava de desobedecer o Supremo Tribunal Federal ao mandar prendê-lo duas vezes na Operação Satiagraha. O conselho considerou que a decisão de prender Daniel Dantas pela segunda vez poderia até ser considerada uma infração disciplinar. Mas, como não há pena de censura ou advertência para desembargador, os conselheiros decidiram arquivar o processo. De Sanctis hoje é desembargador do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (São Paulo e Mato Grosso do Sul). A alegação de Daniel Dantas era que De Sanctis teria descumprido ordens superiores do Supremo Tribunal Federal e Tribunal Regional Federal ao se recusar a prestar determinadas informações sobre a Operação Satiagraha, em 2008. Esse mesmo argumento já havia sido analisado em 2009 pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que decidiu na época pelo arquivamento após uma sessão de seis horas, em São Paulo. Os advogados de Daniel Dantas, Luciano Feldens e Antonio Pitombo, disseram aos conselheiros que De Sanctis descumpriu ordens do Supremo. Eles se valeram principalmente dos discursos feitos por ministros do Supremo em 2008, quando do julgamento do habeas corpus concedidos a Daniel Dantas pelo então presidente do tribunal, Gilmar Mendes. Após o julgamento, Feldens disse que "houve um crime, mas não houve um castigo", referindo-se ao voto da conselheira.

Presidente do Supremo diz que sistema judiciário é "danoso e perverso"

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Cezar Peluso, classificou nesta terça-feira o atual sistema judiciário brasileiro de "danoso e perverso". Ao participar de audiência no Senado para defender a PEC (proposta de emenda constitucional) que reduz o número de instâncias para apresentação de recursos no Judiciário, Peluso defendeu as mudanças como forma de agilizar as decisões da Justiça. "O sistema não é apenas custoso e ineficiente, ele é danoso e perverso. O sistema atual concorre para proliferação das prisões preventivas ilegais, em dano da liberdade do cidadão", afirmou. Peluso disse que a PEC, se aprovada pelo Congresso, vai representar uma "revolução" para o povo brasileiro. "Ela vai à raiz do problema. O cerne está em antecipar o marco do trânsito em julgado das decisões, sem abolir os recursos e, portanto, permitir quando seja o caso execuções definitivas". O ministro rebateu, uma a uma, as principais críticas à PEC, às quais chamou de "mitos", entre elas a que reduz os direitos e garantias individuais e ofende a chamada presunção da inocência. Peluso disse que o texto ainda mantém as mesmas funções dos tribunais superiores, sem acabar com a uniformização da interpretação das leis. Também afirmou que, ao contrário da percepção comum, os juízes de primeira e segunda instâncias tomam decisões corretas em sua maioria. "Há subsistência na maioria das decisões. Noventa e seis por cento das decisões são mantidas. Como dizer que os tribunais locais e regionais não decidem bem?", questionou. Favorável à aprovação da PEC, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse que as mudanças permitem que os processos judiciais tenham mais agilidade. "Julgamentos em duas instâncias evidentemente que já são conclusivos", disse. O peemedebista admitiu, porém, que há resistências à aprovação da proposta especialmente por parte de advogados: "A convicção dos advogados é de que a defesa tem que ir até o fim e esgotar todos os prazos".

Supremo volta a analisar nesta quarta-feira o caso do terrorista italiano Battisti

O plenário do Supremo Tribunal Federal volta a analisar nesta quarta-feira o caso do terrorista italiano Cesare Battisti, preso no Brasil desde 2007 e condenado à revelia pelo governo da Itália por terrorismo. A Corte vai analisar uma reclamação e uma petição avulsa ao processo de extradição. Na primeira, o governo da Itália pede ao Supremo que faça cumprir uma decisão tomada em 18 de novembro de 2009, quando, por maioria, os ministros do Supremo autorizaram a extradição de Battisti para a Itália. Na ocasião, os ministros do Supremo concluíram que, apesar da decisão pela extradição, caberia ao presidente da República determinar a entrega ou não do ex-ativista às autoridades italianas. Tal conclusão, porém, estabeleceu a ressalva de que se observasse o tratado de extradição firmado entre os dois países. Diante da controvérsia jurídica, no entanto, o caso volta à análise da Suprema Corte. Na petição avulsa, a defesa do terrorista Battisti pede a expedição de alvará de soltura para o ex-ativista, sob a alegação de que, com a decisão do presidente da República de não extraditá-lo, não caberia mais a manutenção da custódia para a extradição. Para a defesa, a jurisdição do Supremo se esgotou após o julgamento do processo em 18 de novembro de 2009, "cabendo aos órgãos do Poder Executivo a responsabilidade por dar cumprimento à decisão presidencial". Entre 1976 e 1979, Battisti foi membro do PAC (Proletários Armados pelo Comunismo), organização terrorista em ações das quais executou quatro assassinatos, de Antonio Santoro, Lino Sabbadin, Andrea Campagna e Pierluigi Torregiani.

Mais de dez vôos com destino a Buenos Aires são cancelados

As cinzas do vulcão chileno Puyehue já atingem a província de Buenos Aires, na Argentina, e provocaram o fechamento dos dois aeroportos da cidade. Com isso, diversos vôos do Brasil para a capital argentina foram cancelados na manhã desta terça-feira. De acordo com a Infraero (estatal que administra os aeroportos brasileiros), todos os vôos que sairiam de Guarulhos (Grande SP) com destino a Buenos Aires foram cancelados ou ficaram sem previsão de decolagem. Buenos Aires está a mais de mil quilômetros do vulcão, localizado no sul do Chile. O Puyehue, que forma parte da cadeia Puyehue-Cordón Caulle, perto da fronteira com a Argentina, entrou em erupção no sábado, provocando grandes nuvens de fumaça e cinzas. A cinza do vulcão já atinge o Rio Grande do Sul.

Mundo terá 15 bilhões de aparelhos conectados na web até 2015

Cerca de 15 bilhões de equipamentos (de computadores a geladeiras) estarão conectados à internet até 2015, em um movimento de expansão da conectividade que desafia a infraestrutura mundial da indústria de tecnologia.Os números foram apresentados por Krig Skaugen, vice-presidente da Intel, em Las Vegas, durante evento promovido pela HP para debater inovações em tecnologia e apresentar produtos ao mercado corporativo. Segundo Skaugen, o volume é ainda mais surpreendente quando se observa o potencial de conectividade das "coisas" à Internet ao longo dos próximos anos. Até 2020, o número será de 50 bilhões de máquinas, que terão seu próprio número IP e serão capazes de se conectar com outros equipamentos e interagir com pessoas, no movimento da real automação residencial e corporativa. "A indústria ainda não está preparada para suportar esse crescimento. Na última década o mundo tinha 40 milhões de servidores e achava que a conexão estava garantida, mas não estamos nem perto de ter infraestrutura básica para suportar o que virá", disse o executivo. Os gargalos, segundo Skaugen, passam por capacidade de servidores, capazes de processar o tráfego de internet gerado pelos novos aparelhos e também pelo consumo de energia que eles vão demandar. Nos últimos dois anos, o tráfego de dados da internet cresceu exponencialmente. Em 2010, foram trafegados 245 exabytes de dados na internet (o equivalente a cerca de 65 milhões de DVDs), mais do que o volume circulado em toda a história da rede. Ao mesmo tempo, crescem os custos para ampliar a infraestrutura de armazenamento. Os US$ 58 mil que eram a média de gastos com capacidade de servidor em 2000 passaram para US$ 138 mil no ano passado. "Para abastecer todos os novos servidores e suportar a estrutura que existirá em 2015 seriam necessárias pelo menos 45 novas plantas de geração de energia a carvão", afirmou o executivo. Ainda de acordo com Skaugen, atualmente 2% dos servidores do mundo já correspondem a US$ 15 bilhões gastos por ano só com energia. Diante dos números, os desafios atuais dos fabricantes de equipamentos estão em criar produtos mais eficientes em consumo de energia e aproveitar novas tecnologias, como a de computação em nuvem, para responder à necessidade de conexão dos novos dispositivos. "A computação em nuvem é um dos elementos que podem transformar a economia e que podem contribuir para conectar a próxima onda de cerca de 1 bilhão de pessoas à internet", disse.

Procuradores insatisfeitos com a decisão do engavetador-geral Gurgel

A decisão do procurador-geral causou perplexidade e até indignação entre promotores de Justiça e procuradores da República. Eles avaliam que o chefe do Ministério Público Federal poderia, a par de seu argumento central (a lei penal não tipifica como crime a incompatibilidade entre o patrimônio e a renda declarada), ter adotado medidas preliminares, sem que isso violasse o status dignitatis do indivíduo, no caso Antonio Palocci. Afinal, argumentam, não é assim que o Ministério Público age, rotineiramente? Um procurador, de Brasília, foi taxativo: “Qualquer João da Silva já teria seus registros devassados pela Receita, Banco Central e Polícia Federal, a requerimento do procurador". Ele observa que a simples abertura de investigação não significa denúncia criminal. Tecnicamente, os procuradores consideram que Roberto Gurgel deveria ter mandado verificar o rol de empresas às quais Palocci diz ter prestado consultorias e se tiveram ou têm algum tipo de relação com o governo. “Para abrir investigação, não precisa de provas, mas indícios”, anota um promotor de São Paulo, que investiga corrupção. “Um indício é a multiplicação do patrimônio do ministro. Ninguém está dizendo que é crime. O membro do Ministério Público não pode esperar que as representações já venham acompanhadas de documentos comprobatórios. Fosse assim, para que serve o Ministério Público?” Um procurador invocou a Castelo de Areia, operação da PF que em 2009 apontou suposto esquema de evasão de divisas, mandou para a prisão executivos da Construtora Camargo Corrêa e pôs sob suspeita grande elenco de políticos de partidos diversos. A investigação teve início com base em denúncia anônima e delação premiada de um doleiro com alentada folha corrida. O Superior Tribunal de Justiça mandou trancar o caso. Um Roberto Gurgel diligente entrou em ação: imediatamente anunciou que iria recorrer e afirmou que as provas do esquema não são ilegais.

“Imobiliária” que aluga apartamento para Palocci muda de ramo duas vezes e usa endereço falso em Santo André

Nos últimos três meses, a empresa Morumbi Administração de Imóveis, da qual o ministro Antonio Palocci aluga um apartamento-mansão em Moema , mudou duas vezes de ramo e de nome comercial. Primeiro, se transformou em uma revendedora de automóveis Asia Motors. Atualmente, funciona com o nome de Home Ortobel, que atua, no papel, no ramo de venda de móveis e colchões. Em ambos os casos, o endereço fornecido, no Centro de Santo André, no ABC paulista, são falsos. De acordo com informações registradas na Junta Comercial de São Paulo, o único sócio e administrador da empresa é Filipe Garcia dos Santos, de 17 anos, filho emancipado do verdadeiro dono, Gesmo Siqueira dos Santos. As mudanças na sociedade e objeto da empresa são indicativos da tentativa de esconder bens, que ficariam blindados contra execuções judiciais. Gesmo é réu em dezenas de processos. Gesmo reconheceu que o contrato atual com Palocci pode ser inválido, já que a Home Ortobel não pode atuar no setor imobiliário:”Para acabar com esse tormento, vamos ter que procurar outra imobiliária para administrar o imóvel. Não tenho má-fé. Não tenho nada com o Palocci”, disse Gesmo, que afirmou não se lembrar das alterações na sociedade: “Antes de mais nada, preciso ter acesso à documentação”. O endereço oficial da Home Ortobel não existe há décadas. A Avenida Santos Dumont, 155, no Centro de Santo André, foi transformada na Travessa Jussiape, uma vila com 23 casas. Moradores mais antigos brincam que o 155 é poste de luz na calçada, em frente à fachada lateral da primeira casa. Por dois meses, Gesmo transformou a empresa na Asia Motors Veículos Ltda, em alusão ao nome da montadora de veículos sul-coreana. Novamente, o endereço, na mesma avenida, não existe. Nas proximidades, funcionam uma loja de colchões de outra marca e uma oficina de pneus.

Dono do apartamento-mansão alugado por Palocci é filiado ao PT

O advogado Gesmo Siqueira dos Santos, proprietário do apartamento alugado pelo ministro Antonio Palocci, é filiado ao PT de Mauá, no ABC paulista, há 23 anos, segundo informou o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo: "sua situação é regular no PT com data de filiação de 16 de abril de 1988″. "O ministro reafirma que não conhece Gesmo Siqueira dos Santos. Nunca esteve com ele, nunca o viu no PT ou em qualquer outro lugar. O ministro não pode ser responsável pelos atos de Gesmo”, disse Thomaz Traumann, assessor especial de Palocci, ao ser informado sobre a filiação. O presidente do PT de Mauá, Leandro Dias confirmou, por meio de sua assessoria, que Gesmo já foi filiado ao partido, mas informou que a inscrição foi cancelada. Leandro não informou a data do cancelamento. Mas, segundo o TRE, a filiação de Gesmo ao PT “é regular”. Leandro é Dias filho do prefeito petista de Mauá, Oswaldo Dias. Nesta segunda-feira, a assessoria do prefeito e do presidente municipal do PT, que é a mesma, disse que a administração petista da cidade do ABC não tem qualquer envolvimento com Gesmo ou com seu sobrinho, Dayvini Costa Nunes. Em entrevista à revista “Veja”, Dayvini disse ser laranja no caso do aluguel do apartamento a Palocci. Afirmou que morava num casebre e que chegou a trabalhar na prefeitura de Mauá. A assessoria do prefeito e do presidente do PT confirmou que Dayvini trabalhou na prefeitura, de 7 de julho de 2008, na administração de Leonel Damo, adversário do PT, até 5 de janeiro de 2009, quando foi exonerado da chefia de uma unidade de saúde. Dayvini, segundo a assessoria, foi demitido pelo prefeito Oswaldo Dias. Gesmo disse nesta segunda-feira não se lembrar de ter se filiado ao PT. “Não tenho nada com o PT. Sou apartidário. Nunca atuei no partido. Não me lembro de ter assinado a ficha de filiação”, disse Gesmo, que responde a 35 processos por falsificação de documentos e adulteração de combustíveis em postos de gasolina de sua propriedade. Gesmo só fala por celular. Todos os endereços fornecidos em documentos oficiais por ele são frios e suas empresas são de fachada. Até o endereço dado por ele à OAB, seção de São Paulo, é frio. Nesse endereço, em Moema, funciona uma clínica veterinária; o veterinário não conhece Gesmo. O advogado disse que não pode aparecer para não sofrer ações e retaliações de seus credores, razão pela qual também passou seus bens para os filhos e sobrinhos. Disse que não conhece Palocci e que, ao firmar os contratos de aluguel do apartamento, o fazia por meio de motoboys, que levavam os contratos até os escritórios de Palocci e sua mulher Margarete, que os devolviam aos motoboys, após assinados.

Prefeita petista de Gravataí pode ser cassada

Está bem complicada a situação da prefeita de Gravataí (RS), Rita Sanco (PT). O PV protocolou nesta segunda-feira, na Câmara, pedido de abertura do processo de cassação dela. Para ser aprovado, bastam sete votos. E a base aliada da petista Rita Sanco conta com oficialmente só quatro dos 14 vereadores. A votação pode ocorrer na quinta-feira. Com mais de mil páginas, o documento acusa a prefeita de nomear como procurador-geral do município um advogado que atuava em negócios da sua própria família (de Rita Sanco). Também aponta supostas irregularidades em contratos com a CEEE, a Corsan e a RGE. Naturalmente, o Tribunal de Contas não fez nada, nem viu nada.

BNDES empresta US$ 637 milhões para estatal venezuelana

A visita do ditador venezuelano Hugo Chávez ao Brasil selou a assinatura de dez acordos e convênios. Entre eles estão um empréstimo de US$ 637 milhões do BNDES e a criação de um fundo de US$ 4 bilhões para obras de infraestrutura no país vizinho. O empréstimo do BNDES servirá para a PDVSA, empresa estatal de petróleo venezuelana, construir um "estaleiro continental" na América do Sul, segundo a embaixada venezuelana. Pelo acordo, o banco emprestará US$ 637 milhões à estatal e empresas brasileiras participarão da construção do estaleiro. O empreendimento será utilizado pelos países que fazem parte da Alba (Aliança Bolivariana dos Povos da Nossa América). A Camex (Câmara de Comércio Exterior) já havia aprovado o empréstimo em 2010, segundo o Itamaraty. Em outro acordo assinado, a PDVSA irá fornecer à Braskem, empresa mista brasileira, óleos crus, naftas e derivados de petróleo. Em troca, a empresa, que tem BNDES e Petrobras como acionistas, contribuirá com US$ 4 bilhões para um fundo destinado a obras de infraestrutura da Venezuela. Um dos planos é viabilizar o "Gran Vivienda", programa lançado por Chávez em abril e que pretende construir 2 milhões de casas, nos moldes do brasileiro Minha Casa, Minha Vida. Apesar de o tema estar fora dos acordos assinados nesta segunda-feira, o ditador Hugo Chávez afirmou, após reunião com a presidente Dilma Rousseff, que seu país tem interesse em comprar aviões da Embraer para melhorar o deslocamento de pessoas e negócios pelo Caribe. Chávez disse que a intenção da Venezuela é comprar entre 8 e 20 aviões do Brasil. Em troca, Chávez afirmou que espera que o Brasil tenha mais linhas diretas entre Brasil e Caracas.

Ex-primeira dama Dulce Figueiredo morre no Rio de Janeiro aos 83 anos

A ex-primeira dama Dulce Figueiredo, viúva do ex-presidente João Figueiredo (1979-1985), morreu nesta segunda-feira no Rio de Janeiro, pouco depois das 18h. Dulce sofria de câncer e de acordo com um de seus netos, João Baptista Figueiredo, estava bastante debilitada. A ex-primeira dama morava em um apartamento em São Conrado, zona sul. Por volta das 16 horas, sentiu-se mal e uma ambulância foi chamada. Dulce foi levada para um hospital em Botafogo, zona sul, mas não resistiu. O enterro deve acontecer nesta terça-feira, no cemitério do Caju, na zona norte da cidade, onde a família tem um mausoléu. Figueiredo, morto em 1999, foi o último presidente do período da ditadura militar (1964-1985) e um dos principais responsáveis pela abertura política que culminou na redemocratização do País. Foi ele quem encaminhou ao Congresso Nacional o projeto de lei que dispunha sobre a Anistia. Em 2001, Dulce leiloou 218 objetos pertencentes ao ex-presidente. Entre os presentes dados ao ex-presidente que entraram no leilão estava um tinteiro, presente dos reis Juan Carlos e Sofia, de Espanha; uma bandeja de prata, dada pelo ex-ditador chileno Augusto Pinochet, e um cavalo de bronze oferecido pelo ex-presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan.

Dilma já acertou demissão com Palocci

A presidente Dilma e o chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, chegaram a acertar nesta segunda-feira os termos de uma carta de demissão do ministro, mas a decisão final depende do impacto do arquivamento do pedido de abertura de investigação na Procuradoria-Geral da República, assinada pelo procurador Roberto Gurgel, o engavetador-geral do PT. Com isso, Palocci ganhou uma sobrevida no cargo, embora interlocutores da presidente avaliem como mais provável a saída do ministro. Enquanto Dilma discutia o futuro político de seu principal colaborador, a Comissão de Ética Pública da Presidência decidia pedir ao ministro a lista de todos os clientes de sua consultoria, a Projeto. A pedido do governo, a Comissão de Ética Pública não tornou público o pedido de informações a Palocci. A comissão solicitará isso em um documento reservado. Mas, Palocci se recusa a divulgar o nome de seus clientes, alegando cláusula de confidencialidade. O pedido de demissão do ministro foi discutido, na manhã desta segunda-feira, em uma reunião entre os dois. Palocci disse que era melhor deixar o governo. Dilma ficou de analisar e dar uma resposta. Ontem à noite, porém, ao ser informada da decisão do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, Dilma comemorou e, segundo assessores, considerou uma importante vitória. A partir dali, a presidente passou a refletir sobre sua decisão, que ficou de tomar nesta terça-feira.  Palocci, por sua vez, disparou telefonemas para aliados agradecendo ao apoio e considerando como encerrada a crise política. Além de petistas, a quem pediu união para enfrentar a oposição, Palocci entrou em contato com peemedebistas, como o vice-presidente, Michel Temer, e o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). O gesto de procurar líderes políticos foi visto como tentativa de se manter no cargo. Segundo assessores de Dilma, a decisão da Procuradoria pode funcionar como uma "saída honrosa" para Palocci, que deixaria o governo afirmando que recebeu uma certidão de "nada consta" do procurador.

Leia artigo de José Serra sobre a ciranda financeira bancada pelo governo petista

Sabem qual é a maior instituição financeira da economia brasileira? O Tesouro Nacional - ele mesmo! Não há nenhuma outra que detenha, como o TN, um volume de crédito equivalente a 14% do PIB (fim de abril), diretamente contra bancos oficiais federais ou por meio de fundos e programas. Desses, o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) é o maior de todos: 3,9% do PIB na rede bancária. Mas existem outros importantes, como os fundos de desenvolvimento regional ou os setoriais - por exemplo, o da marinha mercante. Se fosse incluída a dívida renegociada com estados e municípios (11,5% do PIB), o total de crédito do Tesouro seria superior a 25% do produto. A rigor, o Tesouro não é um banco, mas o fato é que fornece crédito como se fosse: firma contratos de empréstimos, com juros, prazos etc. Não sei quanto outros Tesouros fazem isso no mundo; afinal, não é sua função precípua, talvez nem secundária. Por analogia, poderíamos equiparar o Tesouro brasileiro a um banco muito especial. Em uma de suas modalidades de operação como instituição financeira, o Tesouro começa captando empréstimos no mercado, mediante a emissão de títulos da dívida pública, à taxa SELIC, que é a taxa básica de juros da economia. Empresta, então, ao BNDES, a uma taxa bem menor, chamada Taxa de Juros de Longo Prazo, a TJLP. O total desses créditos especiais do Tesouro às instituições financeiras oficiais é enorme: equivalia a 6,8% do PIB no fim de abril. No fim de 2010, o passivo do BNDES junto ao Tesouro Nacional já era de 51,4% do total do passivo do banco (fora o FAT constitucional), o que indica que aquele banco se torna cada vez mais um braço de operação do Tesouro Nacional. Na aparência, essa operação não eleva a dívida pública brasileira, que costuma ser medida pelo conceito líquido, que é o utilizado no Brasil (mas o resto do mundo privilegia o conceito de dívida bruta). Em termos da dívida líquida, o passivo gerado pelo dinheiro que o Tesouro tomou no mercado é contrabalançado pelo ativo do empréstimo feito ao BNDES. Estivesse tudo zerado, maravilha! Acontece que há um subsídio implícito na operação, pois a taxa Selic (referência para o que o Tesouro deve) é bem mais alta do que TJLP, que remunera seu crédito; neste ano, tem sido mais de 100% superior. Ou seja: o Tesouro paga uma taxa de mais de 12% ao ano para se financiar e empresta ao BNDES a uma taxa de 6% ao ano. Esse subsídio é pago por toda a sociedade, mas beneficia apenas quem toma empréstimos no banco oficial com taxas especiais.

Lula diz que decisão de Dilma sobre Palocci é pessoal

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou na noite desta segunda-feira que não conversou com a presidente Dilma Rousseff sobre a situação do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. "Não falei [com Dilma], porque é uma questão muito pessoal. Eu já vivi [crises] e sei como é que é", afirmou o ex-presidente. Ele também afirmou que não poderia falar sobre o assunto. "É uma coisa do governo. Quando desencarnar, eu falo", disse ao ser questionado sobre o caso. Lula participou de um prêmio promovido pelos produtores de etanol em São Paulo. Durante um discurso de quase 40 minutos, o ex-presidente aproveitou para elogiar o seu governo. "A demanda popular deixou de ser um mero seguimento do mercado para se tornar um dos motores da economia", disse sobre a sua gestão. Na fala, ele citou uma vez o nome de Dilma para elogiar sua "liderança e competência". Ele também fez críticas à indústria do etanol por conta do recente aumento de preço durante a entressafra. "Estou vendo muita gente dizendo que está comprando usina e vejo pouca gente construindo." Segundo ele, é preciso impedir que o "dedo sujo de nossos adversários" prejudique a credibilidade do etanol.

Jornalista da Rede Globo denuncia que Lula e José Dirceu assumiram governo e impedem Dilma de demitir Palocci

O jornalista Jorge Bastos Moreno, da Rede Globo, publicou uma série devastadora de notas em seu Twitter (@radiodomoreno) na noite desta segunda-feira, denunciando que a presidente Dilma estava disposta a demitir o ministro Antonio Palocci, mas que foi impedido de exercer a sua decisão por intervenção direta de Lula e de José Dirceu. Segundo Jorge Bastos Moreno, José Dirceu assumiu as funções de governante, despachando direto de dentro do Palácio do Planalto. Veja as postagens de Jorge Bastos Moreno:
Atenção seguidores da RadiodoMoreno, dentro d instantes, formação d rede social para importante revelação ao país. Redações, parem máquinas!
RadiodoMoreno Jorge Bastos Moreno
O governo Dilma, desde o final da tarde de segunda, está sob intervenção políticda do PT. Lula, por telefone, e Zé Dirceu, despachando...
RadiodoMoreno
de dentro do próprio Palácio do Planalto, impediram Dilma de demitir Palocci. O script, anunciado aqui, de que 1ªº viria a decisão do...
17 minutes ago
RadiodoMoreno
PGR e depois a demissão de Palocci, havia sido confirmada por vários ministros e depois abortada pela dupla Lula/Dirceu. O argumento é ...
RadiodoMoreno Jorge Bastos Moreno
o de que a decisão do PGR é um fato novo que muda tudo. Fato novo coisa nenhuma. Fato novo é Zé Dirceu assumir comando político de um...
RadiodoMoreno Jorge Bastos Moreno
governo do qual nem faz parte. Fato novo é Lula decidir o que a Dilma deve fazer.
RadiodoMoreno Jorge Bastos Moreno
Petistas ligados a Dilma e assessores diretos da presidente estiveram até agora há poucos reunidos, discutindo a crise.
RadiodoMoreno Jorge Bastos Moreno
Só digo uma coisa, a lama até agora não chegou na Dilma e nem deve chegar. Mas se ela não se rebelar contra a intervenção, estará na crise
RadiodoMoreno
Eu disse aqui + cedo q me demitiria se Palocci não caisse hoje. Só que não contava com a interevenção. Então, não me demito forra nenhuma!
RadiodoMoreno Jorge Bastos Moreno
Se eu fosse a Dilma convocava uma reunião de emergência dos poderes, denunciava a intervenção e o povo iria pras ruas por ela.
RadiodoMoreno Jorge Bastos Moreno
Gente, sou amigo do Zé, mas é o cúmulo da ousadia o cara entrar no Palácio e despachar de lá de dentro.
RadiodoMoreno Jorge Bastos Moreno
Gente, as infrormações que postei aqui são muito graves. Será que o Congresso vai ficar calado?
RadiodoMoreno
Um minuto a mais que o Palocci ficar será o enfraquecimento da Dilma. Até ontem, o problema era de Palocci. A partir de hoje é da Dilma!
RadiodoMoreno
Dilma, não demitir Palocci e deixar Zé Dirceu despachar de dentro do Palácio do Planalto? O que fizeram contigo, amiga?
RadiodoMoreno
Dilma, um cara que virou personagem do "Zorra Total" não pode ser chefe da casa civil!