segunda-feira, 30 de junho de 2008

A inflação ganhou de todos os investimentos no primeiro semestre

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) no primeiro semestre deste ano superou a rentabilidade de todos os investimentos no País. Até junho, a alta de preços somou 6,82%, mais de dois pontos porcentuais acima do rendimento dos Fundos de Renda Fixa, o melhor investimento no período, de 4,55%. As aplicações em CDB líquido acima de R$ 100 mil ficaram em segundo lugar no ranking de rentabilidade, com 4,29%, seguidas pelos Fundos DI, que registraram rendimento de 4,15% nos seis primeiros meses do ano. No fim da lista, como os piores investimentos do período ficaram o dólar paralelo e o comercial, com perdas de 8,04% e 10,03%, respectivamente. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) ocupa o 7º lugar da lista, com alta de apenas 1,77% no período. A Bolsa teve em junho o pior mês desde 2004, com perdas acumuladas de 10,65%.

Relator da CPI do Detran quer indiciamento de novos nomes

O deputado estadual Adilson Troca (PSDB), relator da CPI do Detran da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, negociava na tarde desta segunda-feira com parlamentares da base do governo os nomes que serão sugeridos para indiciamento na fraude milionária na autarquia. Além dos 40 réus que já respondem na Justiça Federal, o relator da CPI diz que existem razões para incluir o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro João Luiz Vargas, e do ex-secretário de Segurança no governo Germano Rigotto (PMDB), atual deputado federal José Otávio Germano (PP). Como os dois citados possuem foro privilegiado, um documento deverá solicitar autorização ao Supremo Tribunal Federal para abrir a investigação. Também deve constar na lista o ex-presidente da Fatec (fundação de direito privado de Santa Maria, que se aproveita do nome da Universidade Federal de Santa Maria), Ronaldo Morales.

Querosene de aviação acumula alta de 35% no ano

Começa a vigorar nesta terça-feira um reajuste de 3,6% no preço do querosene de aviação (QAV), informou o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea). É o sétimo aumento mensal do querosene este ano determinado pela Petrobras. Com isso, o combustível utilizado nos aviões acumula alta de 35,32% em 2008. Nos sete primeiros meses do ano passado, o preço do querosene subiu apenas 1% e fechou o ano com alta acumulada de 12,6%. Em 2006, o QAV acumulou alta de 7%. No ano anterior, o reajuste acumulado do combustível havia ficado em 8,9%.

Contas públicas têm o melhor resultado da história

Pela primeira vez na história as contas do setor público (União, Estados , municípios e empresas estatais) apresentaram um superávit nominal, nos cinco primeiros meses do ano, de acordo com o chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Altamir Lopes. O superávit nominal ocorre quando o setor público consegue arrecadar o suficiente para pagar as suas despesas, além dos encargos com juros da sua dívida. De janeiro a maio, as contas do setor público registraram um superávit nominal de R$ 3,9 bilhões. Lopes comemorou o resultado e ressaltou que esse desempenho positivo das contas do setor público permitiu a redução da dívida líquida para o menor patamar, desde 1998. Pelos dados divulgados, a dívida líquida fechou o mês em 40,8% do Produto Interno Bruto (PIB). Altamir disse que o bom comportamento das contas públicas em maio foi influenciado pela boa performance dos Estados e das empresas estatais federais. Segundo ele, o superávit dos Estados, de R$ 3,5 bilhões em maio, é o maior da série iniciada em 1991. Ele também ressaltou que as empresas estatais federais, que não vinham apresentando bom desempenho até abril, devido ao pagamento de dividendos e também a royalties, registraram em maio melhor resultado para o mês. De acordo com os dados, as empresas estatais federais tiveram um superávit de R$ 4,4 bilhões no mês passado. Altamir prevê que a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB deve fechar o mês de junho em 40,8%, patamar idêntico ao resultado de maio.

Petrobras avalia compra de bloco de exploração de petróleo em Angola

A petrolífera norte-americana Marathon Oil está em negociações com ao menos três companhias de petróleo (empresas estatais chinesas, indianas e a Petrobras) sobre a venda de 20% de participação em um bloco de exploração de petróleo em águas profundas em Angola. No início deste ano, a Marathon decidiu revisar todos os ativos da sua carteira global, incluindo refinarias e projetos de petróleo que estão sendo desenvolvidos ou que já estão em produção. De acordo com as fontes, no Bloco 32, em Angola, 11 poços de exploração foram perfurados com sucesso. A Marathon possui 30% das ações do Bloco 32, localizado a 200 quilômetros da costa angolana, mas vai considerar apenas a venda de 20% para concorrentes, de acordo com as fontes. A China Petrochemical (Sinopec) está se unindo à Cnooc para fazer uma oferta pela participação no bloco, com uma oferta conjunta provavelmente na faixa de US$ 1 bilhão a US$ 1,5 bilhão. Mas os chineses vão enfrentar a concorrência da ONGC Videsh, braço de investimento no exterior da estatal indiana Oil & Natural Gas, e da brasileira Petrobras, que estariam em negociações separadas com a Marathon. O Bloco 32 é operado pela francesa Total, com 30% de participação, enquanto a norte-americana ExxonMobil tem 15%. A estatal angolana Sonangol e a Petrogal, unidade da portuguesa Galp Energia, possuem 20% e 5%, respectivamente.

Filho de promotora vai depor sobre morte de jovem em Ipanema

O filho da promotora Márcia Velasco prestará depoimento à polícia até esta terça-feira sobre o caso em que seu segurança baleou e matou o estudante Daniel Duque Pittman, de 18 anos, na saída de uma boate em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro, no último sábado. Pittman foi baleado na cabeça pelo policial militar Marcos Parreira, que é segurança da promotora Márcia Velasco e de seu filho Pedro Velasco. Amigos de Pedro Velasco contaram em depoimento prestado à 14ª Delegacia de Polícia (Leblon) no sábado que o policial deu dois tiros para o alto para defendê-los de um grupo de jovens que tentavam agredi-los. O terceiro disparo, que atingiu e matou o estudante Daniel Duque, foi feito "acidentalmente" pelo segurança quando o suposto grupo de agressores tentava tirar a arma dele, segundo relato do estudante Bruno Monteiro Leite, amigo de Pedro Velasco.

Petrobras reajusta GLP industrial em 5,3%

A Petrobras comunicou nesta segunda-feira que o GLP industrial (Gás Liquefeito de Petróleo), que é vendido em cilindros de 45 quilos, terá o preço reajustado em 5,3% já a partir desta terça-feira. Segundo a estatal, o reajuste deve-se ao aumento do preço do petróleo no mercado mundial. Esse é o terceiro repasse de preço que a Petrobras faz no ano. Em janeiro, o GLP industrial teve elevação de 15% e em abril subiu 10%. Em 2007 o produto não teve reajuste. Enquanto o GLP industrial sobe, o gás de cozinha, que é vendido em botijão de 13 quilos e consumido pela população em geral, está com o preço inalterado desde dezembro de 2002.

Petrobras inicia produção de petróleo na Nigéria em julho

A Petrobras informou nesta segunda-feira que vai iniciar a produção de petróleo no campo de Agbami, na Nigéria, a partir do próximo dia 21 de julho. A empresa informou que a produção no local, em parceria com a Chevron-Texaco, em campo que foi descoberto em 1998, será inicialmente de 100 mil barris diários e, em 2009, o navio-plataforma instalado em Agbami deve atingir a sua capacidade máxima de produção, de 250 mil barris. A petrolífera brasileira também revelou que a produção em outro campo na Nigéria, o Akpo, em parceria com a Total, será iniciada no começo do próximo ano. A expectativa da Petrobrás é que os dois campus nigerianos produzam juntos 70 mil barris/dia. Ainda na Nigéria, país que é um dos maiores produtores de petróleo do mundo, a Petrobrás deve iniciar a prospecção em um terceiro campo, o Egina.

PP anuncia filha de ex-deputado envolvido em mensalão como vice de Maluf em São Paulo

O PP anunciou nesta segunda-feira o nome da deputada federal Aline Corrêa como vice na chapa do ex-prefeito e deputado federal Paulo Maluf (PP) na disputa pela prefeitura de São Paulo. O partido deixou para o último dia o anúncio porque ainda estudava a possibilidade de coligações com outros partidos, o que não aconteceu. Aline é filha do ex-deputado federal Pedro Corrêa, cassado por envolvimento no esquema de compra de votos de congressistas (escândalo do Mensalão montado pelo PT). Corrêa é réu na ação penal do Mensalão. Segundo Maluf, a deputada federal, ainda em seu primeiro mandato, foi escolhida pelo partido por ter origem nordestina, ser jovem e ser mulher. "Ela vai fazer a campanha pelos redutos nordestinos da cidade, na zona leste", disse Maluf. Apesar de ter sido anunciada no último dia do prazo estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral, Aline disse não ter a sensação de ser "tapa-buraco" na chapa encabeçada por Maluf e afirmou se sentir lisonjeada com a escolha.

Relator do processo contra vice-governador gaúcho indica que vai evitar punição

O relator do processo de expulsão do vice-governador do Rio Grande do Sul, Paulo Afonso Feijó, do DEM, deputado federal André de Paula (DEM-PE), disse nesta segunda-feira que deve sugerir a rejeição do pedido de exclusão do democrata dos quadros do partido. Para o relator, a expulsão é uma "decisão muito extremada", uma vez que a intenção do vice-governador foi advertir sobre atos irregulares que ocorriam no governo de Yeda Crusius (PSDB). No próximo dia 8, o parecer de André de Paula deve ser votado pela Executiva Nacional do DEM, em Brasília. Apesar de já ter seu ponto de vista concluído, o relator pretende ouvir ao longo desta semana as opiniões dos demais integrantes da cúpula dos democratas. "Ao meu ver, o vice-governador já recebeu as devidas repreensões quando nomes do comando nacional do partido chamaram a atenção dele. Não é caso de expulsão. Eu, particularmente, defendo que o partido faça outro tipo de manifestação. A expulsão é uma decisão muito extremada", disse André de Paula.

O ex-cara-pintada e petista Lindberg Farias é suspeito de roubo

Na edição desta semana da revista IstoÉ, o atual prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias (PT), que liderou o movimentou dos "caras-pintadas" para destituir o então presidente Fernando Collor de Melo, agora é denunciado por roubalheira de recursos públicos na prefeitura que comanda, Nova Iguaçu, na baixa fluminense. A denúncia foi formalizada pelo Ministério Público e pode custar o mandato do petista Lindberg, acusado de fraudar uma licitação, em 2005, para beneficiar a empresa Supernova Mídia e Comunicação, contratada para prestação de serviço por seis meses ao custo de R$ 598.460. Esta mesma empresa tinha feito a campanha de Lindberg Farias na campanha eleitoral de 2004. E ele devia R$ 250 mil para essa empresa referente à sua campanha. O procurador- geral de Justiça do Rio de Janeiro, Marfan Martins Vieira, denunciou Lindberg Farias na última sexta-feira, junto com mais sete pessoas, pelo crime de desvios de recursos públicos.

Fujimori desviou US$ 325 milhões para seu assessor de operações secretas

O ex-presidente peruano Alberto Fujimori autorizou o desvio de US$ 325 milhões (cerca de R$ 521 milhões) para contas comandadas por seu então assessor Vladimiro Montesinos para realizar operações secretas de inteligência. Uma investigação do jornal "La República" descobriu que os juízes acumularam indícios em dois processos abertos contra Fujimori e seu conselheiro de inteligência por desvios de fundos e transferências ao Serviço de Inteligência Nacional do Peru, no qual Montesinos figurava como assessor de honra. A documentação oficial e testemunhos recolhidos pelos magistrados levaram a crer que "entre julho de 1990 e dezembro de 2000 aconteceu uma retirada irregular de fundos públicos de cerca de 916 milhões de novos sóis, o equivalente a aproximadamente US$ 325 milhões (cerca de R$ 521 milhões)". Os fundos provinham dos ministérios de Defesa e Interior, do Exército, da Marinha, da Força Aérea e do próprio SIN para duas contas: Reserva 1, que era para benefício de Fujimori, e Reserva 2, para uso exclusivo de Montesinos. As declarações foram feitas pela empresária Matilde Pinchi Pinchi, uma colaboradora da justiça e ex-testa-de-ferro do ex-assessor presidencial. De acordo com a Sala Penal Especial da Corte Suprema, os fundos desviados do SIN para a verba secreta de Ações Reservadas foram de 3,7 milhões de novos sóis por mês (cerca de R$ 2 milhões). Desse valor, dois milhões de novos sóis (R$ 1,07 milhão) iam para a Reserva um, e 725 mil (R$ 389,3 mil), para a Reserva dois. A diferença de 975 mil novos sóis (R$ 523,6 mil) era administrada pelo chefe do SIN no pagamento de gratificações para o grupo Colina, responsável pelos massacres de Barrios Altos (1991) e La Cantuta (1992), nos quais morreram 25 pessoas, entre outros crimes. Fujimori enfrenta um processo por violação aos direitos humanos justamente pelos casos de Barrios Altos e La Cantuta, e pelo seqüestro do jornalista Gustavo Gorriti e do empresário Samuel Dyer depois do Autogolpe de 1992.

General diz que fronteira brasileira não pode ficar "a reboque" de índios

A política indígena do governo brasileiro, complacente com a atuação de ONGs estrangeiras na fronteira amazônica, ameaça a soberania nacional. A afirmação é do general-de-brigada Luiz Eduardo Rocha Paiva, comandante de 2004 a 2006 da escola que prepara os oficiais superiores do Exército. Paiva endossa as críticas do general Augusto Heleno, responsável pelo Comando Militar da Amazônia, quando eclodiu o conflito entre arrozeiros e índios na reserva Raposa/Serra do Sol (Roraima). "Eu acho que na faixa de fronteira tem que ter cidades, vilas, comércio. A terra indígena impede o surgimento. Somos 190 milhões de habitantes. Não podemos ficar a reboque de 700 mil índios", disse ele. O general acha que, como estão pouco povoadas, as reservas na área de fronteira podem virar territórios autônomos: "Se o brasileiro não-índio não pode entrar nessas reservas, daqui a algumas décadas a população vai ser de indígenas que, para mim, são brasileiros, mas para as ONGs não são. Eles podem pleitear inclusive a soberania". Paiva afirma que o Estado "não se faz presente": "A Amazônia não está ocupada. É um vazio. Alguém vai vir e vai ocupar. Se o governo não está junto com as populações indígenas, tem uma ONG que ocupa. As ONGs procuram levar as populações indígenas a negar a cidadania brasileira. Elas atuam sem o controle do Estado brasileiro. Ligadas a interesses estrangeiros, são um perigo”. O risco maior, segundo o general, está na região entre Roraima e Amapá, devido à influência de Inglaterra (sobre a Guiana), França (Guiana Francesa) e Holanda (Suriname) e aos interesses dos Estados Unidos. "Eu acho que podemos perfeitamente caracterizar a ameaça e dizer o nome desses atores”. Na fronteira com a Venezuela e com a Guiana, na região da Raposa/Serra do Sol, o Exército mantém pelotões especiais, mas o general diz que isso de pouco adianta: "O pelotão de fronteira não defende nada. É preciso uma ação de presença importante, mas para vivificar. Vivificar com gente brasileira, inclusive com o índio”.

Supremo decide que INSS só pode cobrar dívida até 5 anos

O Supremo Tribunal Federal reduziu de dez para cinco anos o prazo para que o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) cobre contribuições previdenciárias devidas pelas empresas. A decisão, unânime, adotada no dia 11 deste mês durante julgamento de recursos extraordinários, segue a mesma regra válida para os demais tributos administrados pela Receita Federal. A regra dos dez anos já havia sido declarada inconstitucional pelo Superior Tribunal de Justiça em agosto do ano passado. Assim, o Supremo seguiu a mesma linha, confirmando os cinco anos. O INSS somente poderá cobrar as contribuições que não foram pagas de junho de 2003 para cá. Contribuições de maio de 2003 ou anteriores, mesmo que não pagas, não poderão mais ser exigidas pelo INSS. Os ministros declararam inconstitucionais os artigos 45 e 46 da lei nº 8.212/91, que fixam o prazo de dez anos para a cobrança das contribuições da seguridade social. Para eles, apenas lei complementar pode dispor sobre normas gerais em matéria tributária, como prescrição e decadência. Como o prazo foi fixado por lei ordinária, os ministros entenderam que ele é inconstitucional. A decisão do Supremo obriga o governo Lula a cancelar cobrança de R$ 63 bilhões em contribuições com mais de cinco e até dez anos de atraso.

Filósofo Roberto Romano diz que juízes e promotores extrapolam atribuições e assumem papel de censurar

Em nome de valores, ou "desculpas" como a defesa dos costumes e a luta contra a corrupção, alguns juízes e promotores extrapolam suas atribuições e assumem o papel de legislar, desprezam os contribuintes e censurar o que as pessoas comuns podem ler, ver, ouvir, diz o filósofo e professor titular de ética e filosofia política na Unicamp, Roberto Romano, em artigo na assinado coluna "Tendências/Debates", do jornal Folha de S. Paulo, publicado neste domingo. Diz ele: "Revistas e jornais têm sido censurados com base em normas cuja magnitude não é a da própria Constituição. Nas multas à Folha e à revista 'Veja', por entrevistas com candidatos à Prefeitura de São Paulo, as sanções se deviam a uma ordem que, reconhecida a sua inconveniência, foi modificada por quem de direito. No caso da censura imposta ao 'Jornal da Tarde', a questão é ainda mais complexa", diz o artigo. "A cidadania brasileira, cansada de lutar contra os desvios do Executivo e do Legislativo, hoje testemunha a instalação do arbítrio em várias ações de magistrados", diz o texto. Segundo Romano, citando o filósofo John Locke (1632 - 1704), o ofício do juiz é "interpretar a lei, e não legislar". "O titular da 'maiestas' deve saber, antes de votar, o que pensam e pretendem os candidatos à representação. Discutir plataformas políticas é o mais comezinho dever dos que afirmam servir ao povo. Proibir tal prerrogativa é subverter a essência democrática. E, para entender a liberdade de imprensa no regime democrático, é preciso captar o significado da própria liberdade política”.

Após mortes, diretor da Santa Casa do Pará decide deixar o cargo

O presidente da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, Antônio Anselmo Bentes de Oliveira, deixou o cargo, após a morte de 20 bebês na maternidade do hospital em uma semana. Na verdade, ele deveria ter deixado a instituição preso, após a maior matança de bebês já ocorrida na história do Brasil. O Pará da governadora petista Ana Julia Carepa se encarrega de promover situações escandalizantes sucessivas. Antonio Anselmo Bentes de Oliveira e toda a atual diretoria da Santa Casa entregaram o cargo a Ana Júlia Carepa.

Conselho Nacional de Justiça afasta juiz investigado por desvio de recursos em Manaus

O Conselho Nacional de Justiça decidiu afastar e instaurou processo administrativo disciplinar contra o juiz Celso Gióia, titular da Vara da Infância e da Juventude Criminal de Manaus (AM). A decisão, inédita na Corte do Amazonas, saiu na semana passada e é resultado de uma sindicância, aberta em janeiro, que investigou crimes de venda de sentença, manipulação de processos, falsificação de documentos, formação de quadrilha, extorsão e corrupções ativa e passiva, além de desvio de recurso públicos. O juiz está afastado das funções de magistrado desde a última quinta-feira, mas continuará a receber o salário de cerca de R$ 19 mil. A sindicância que resultou no afastamento do juiz foi aberta após um empresário do ramo de transporte fluvial de Manaus denunciar ao Tribunal de Justiça do Amazonas uma extorsão de R$ 120 mil feita pelo magistrado. A sindicância do Conselho Nacional de Justiça apurou as ligações de Celso Gióia com a empreiteira Perfil, que ganhou licitações de obras públicas e tem como sócio o filho do juiz, Vitor Andrade Gióia, em 2007. O filho do juiz passou a ser sócio da empreiteira ao receber cotas do vendedor de seixo (pedra solta) Arleson Carlos Rodrigues, que foi ouvido pelo Conselho Nacional de Justiça, em Manaus.

Construção do dique seco para estaleiro em Rio Grande vai atrasar em sete meses

O dique seco de Rio Grande ficará pronto sete meses após o previsto. O atraso nas obras é conseqüência de descobertas sobre o tipo de solo na área do Superporto feitas com escavações, já durante a construção. As condições do solo, uma mistura de areia com argila, obrigaram a WTorre, empresa vencedora da licitação para a obra, a mudar o plano original. O projeto das fundações será mudado, com a colocação de estacas mais longas do que as planejadas inicialmente. A profundidade será definida quando as escavações alcançarem 18 metros. Até agora, as máquinas já cavaram 14 metros abaixo da terra. A Petrobras e WTorre assinarão um aditivo ao contrato mas as empresas não revelam exatamente quais mudanças serão feitas nem o quanto mais cara a obra ficará. A Petrobras só admite que o orçamento de R$ 439 milhões deverá sofrer "ligeiro aumento".

Reunião entre Lula e Chávez termina sem avanços na área de integração energética

A reunião entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez, na sexta-feira, em Caracas, terminou sem avanços na área de integração energética. O encontro ocorreu na sede da petroleira PDVSA, e serviu para o anúncio de pequenas parcerias bilaterais e de um acordo de compra de gás venezuelano que só terá resultados práticos em 2013. Nenhum avanço sobre os projetos da Petrobras com a estatal venezuelana foi apresentado. Ao longo da semana, assessores do governo venezuelano e representantes do Itamaraty sugeriram que poderia ser anunciada a resolução para o impasse em torno de pelo menos dois projetos, sobre uma refinaria em Recife, no Brasil, e sobre a participação da Petrobras em exploração na faixa petrolífera do Orinoco, na Venezuela. Lula disse apenas que a demora "se deve ao fato de que são duas empresas grandes e poderosas e estão estabelecendo denominadores comuns para fechar o acordo". Desde 2005, os cinco projetos que a Petrobras anunciou como possibilidade de parceria com a PDVSA não saíram do papel.

Advogado da Comissão Pastoral da Terra é condenado à prisão no Pará

José Batista Afonso, principal advogado da Comissão Pastoral da Terra e um dos seis coordenadores nacionais do movimento, foi condenado a 2 anos e 5 meses de reclusão por ter mantido funcionários do Incra presos dentro da sede do órgão federal em Marabá (PA), durante uma invasão feita por trabalhadores rurais em 1999. Afonso já havia sido indiciado anteriormente pela mesma acusação, mas, por meio de um acordo com a Justiça, foi obrigado na ocasião apenas a pagar seis cestas básicas. A atual condenação é resultado da ação do juiz federal Carlos Haddad, que não tinha participado da primeira conciliação legal e, em 2004, resolveu anular a primeira decisão e reabrir o processo. Segundo a subversiva e marxista milenarista CPT (Comissão Pastoral da Terra, da Igreja Católica), a Justiça está sendo mais dura ao julgar integrantes de movimentos sociais, especialmente depois do discurso de posse do atual presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, no dia 23 de abril, o que já fazia falta há muito tempo.

Secretaria recomenda restrições à venda da Ipiranga para a Petrobras

A Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda recomendou que a compra do Grupo Ipiranga pelo consórcio Petrobras/Ultra/Braskem seja aprovada com restrições. O parecer da secretaria serve de base para que o negócio possa ser analisado agora pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Entre as restrições está a obrigação de que o grupo comprador venda os negócios de distribuição e revenda de combustíveis da Ipiranga no Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. Há também cláusulas em relação ao tratamento dado às demais empresas distribuidoras em outros negócios que serão adquiridos pelo consórcio. A compra da Ipiranga foi anunciada no primeiro semestre do ano passado, mas ainda não foi aprovada pelos órgãos reguladores do governo.

Consumo de gás natural teve alta de 28% em maio

O consumo de gás natural no Brasil registrou aumento de 28% em maio deste ano na comparação com o mesmo período do ano anterior, ao alcançar 49,760 milhões de metros cúbicos por dia, em média, contra 38,828 milhões, conforme levantamento realizado pela Abegás (Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado). Segundo os dados da entidade, o consumo que mais cresceu foi o das térmicas, que saltou 341%. Foram 11,870 milhões de metros cúbicos por dia em maio deste ano, em média, contra 2,687 milhões no mesmo mês de 2007. O consumo industrial, excluindo as térmicas, alcançou 27,330 milhões de metros cúbicos por dia em maio deste ano, em média, o que representa um aumento de 5,3% na comparação com os 25,953 milhões do ano passado.

Petróleo fechou semana com novo recorde depois de se aproximar de US$ 143,00

O preço do petróleo cravou novos recordes na sexta-feira, no fechamento e durante as negociações na Nymex (Bolsa Mercantil de Nova York), quando chegou perto dos US$ 143,00. A expectativa dos investidores por mais desvalorizações do dólar frente a outras moedas, como o euro, o temor de escassez e fatores como tensões entre Israel, Irã e União Européia, além de riscos à produção na Nigéria, mantiveram o ritmo ascendente do preço da commodity. O barril para entrega em agosto, negociado na Nymex, fechou cotado a US$ 140,21 (alta de 0,41%), novo recorde para um encerramento de sessão. Durante o dia, o preço bateu o recorde de US$ 142,93. O barril do petróleo Brent, negociado em Londres, chegou a US$ 142,91. Sem dúvida, o preço do petróleo caminha firme em direção aos 150 dólares o barril.

Superávit primário do governo Lula cai para R$ 5,5 bilhões em maio

A economia feita pelo governo central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência) para pagar os juros da dívida teve forte queda no mês passado. Apesar desse recuo, o resultado no ano continua se aproximando da meta estimada pelo governo Lula. O superávit primário do governo caiu de R$ 16,9 bilhões em abril para R$ 5,5 bilhões em maio. No ano, o resultado acumulado chegou a R$ 53,6 bilhões, o equivalente a 4,69% do PIB (Produto Interno Bruto), ante 3,68% no mesmo período de 2007 (R$ 37,432 bilhões). A meta de superávit para o ano é de R$ 62,6 bilhões (2,2% do PIB anual).