segunda-feira, 2 de junho de 2014

FIFA INAUGURA CENTRO INTERNACIONAL DE TRANSMISSÃO DA COPA

A FIFA inaugurou na manhã desta segunda-feira o Centro Internacional de Transmissão no Rio de Janeiro. A estrutura, com 55 mil metros quadrados, foi montada no Riocentro e funcionará como uma central que fornecerá imagens para 86 detentores de direitos de mídia (de 41 países) – todos com estrutura individual no local – e mais de 160 redes de TV licenciadas para a Copa do Mundo. “Há seleções chegando e agora o Centro começa a funcionar. Para quem duvidava, a Copa do Mundo já começou”, afirmou o secretério-geral da FIFA, Jérôme Valcke. Mais de 15 mil jornalistas foram credenciados para trabalhar no Mundial. “Estamos atendendo um número recorde de empresas de mídia. Durante um mês, teremos aqui o maior estúdio de televisão do mundo. Para a televisão, a conectividade é o mais importante, por isso gostaria de agradecer ao governo brasileiro pelo apoio”, disse o diretor da FIFA TV, Nicklas Ericsen. O Centro recebe imagens ao vivo, enviadas pela produção da FIFA TV, de todos os jogos da Copa do Mundo nas 12 cidades-sede brasileiras – há 34 câmeras em cada arena. No Centro há 17 estúdios de até 400 metros quadrados e foram montados 350 monitores HD de 40 polegadas, além de um parque de antenas de 6 mil metros quadrados – uma estrutura que levou cinco meses para ser construída. “A importância do IBC (International Broadcasting Centre) é fazer com que meia população do planeta, cerca de três bilhões de pessoas, tenha condições de assistir à Copa do Mundo mesmo sem estar aqui no Brasil. Foi um grande esforço que nos permitiu conectar por meio de fibra ótica a região amazônica do Brasil no programa federal de banda larga, integrando aquela região pela primeira vez. Esse é um grande legado da Copa no Brasil”, afirmou o secretário executivo do Ministério dos Esportes, Luís Fernandes. O secretário executivo do Ministério das Comunicações, Genildo Lins, explicou que toda a infraestrutura do IBC será utilizada após a Copa para prover internet banda larga para a população que hoje ainda não tem acesso. “Para cá convergirão todas as imagens captadas nos estádios e a transmissãoo é feita por uma empresa estatal federal, a Telebrás. Ao término da Copa, a capacidade oferecida será revertida para a população, para oferecer internet banda larga de baixo custo. O primeiro detentor de direitos de mídia a utilizar as instalações chegou no dia 12 de maio ao IBC, que estará totalmente operacionalizado a partir desta terça-feira. A FIFA espera que o centro faça a transmissão de cerca de 5 mil horas de programação. “Teremos uma acolhida certamente incomparável e esperamos que todos se sintam em casa na cidade mais bonita do mundo”, afirmou o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. O governador do estado, Luiz Fernando Pezão, e o diretor executivo do Comitê Organizador Local (COL), Ricardo Trade, também participaram da cerimônia de inauguração.

A PETISTA DILMA ROUSSEFF PERDE APOIOS POR TODO LADO NO BRASIL

A menos de um mês das convenções partidárias, um levantamento feito pelo jornal O Globo mostra que a presidente Dilma Rousseff enfrenta rebeliões dos aliados em pelo menos nove Estados. Os principais partidos da base aliada, como PMDB e PP, ameaçam compor palanques com adversários da petista no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul, em Minas Gerais, na Bahia, em Mato Grosso do Sul, em Mato Grosso, em Santa Catarina, em Tocantins e em Goiás. Dilma, que já perdeu o apoio de pelo menos meia dúzia de pequenos partidos da base aliada (PRP, PHS, PTN, PTC, PMN e PSL) — todos negociando com os seus adversários Aécio Neves (PSDB) ou Eduardo Campos (PSB) — pode perder também a aliança com o PR de Valdemar Costa Neto, sigla que oscila entre ela e Eduardo Campos. "Problemas com a base aliada temos em praticamente todos os Estados. A questão é que fechamos a aliança nacional com o PMDB, por exemplo, para se discutir o Brasil, mas, quando descemos para os Estados, para o projeto estadual, há o choque de interesses; e a base fica fragmentada. Estamos trabalhando para aparar as arestas até as convenções. Se não der para resolver tudo, vamos acomodar situações durante a campanha", disse Florisvaldo Costa, secretário de Organização do PT, encarregado de fazer o mapa das alianças nos Estados. A confusão maior na base aliada acontece nos maiores colégios eleitorais. No próximo dia 10, o PMDB fará sua convenção nacional e anunciará apoio a Dilma. No entanto, as convenções nos Estados, que virão em seguida, apontarão caminho antagônico ao dos petistas. No Rio de Janeiro, por exemplo, os peemedebistas estão rachados. Enquanto o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que disputa a reeleição, e o ex-governador Sérgio Cabral, candidato ao Senado, declaram voto em Dilma, o líder do partido na Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e o presidente estadual do partido, Jorge Picciani, articulam o apoio a Aécio Neves. Há até o movimento “Aézão”, com Aécio e Pezão, que na semana passada ganhou o reforço do PP fluminense, partido que, nacionalmente, também é aliado a Dilma. O PT vai de Lindbergh Farias para governador. No Rio Grande do Sul, o PMDB lançou José Ivo Sartori ao governo, que já disse que apoiará Eduardo Campos. O PP, outro partido da base aliada, lançou a senadora Ana Amélia candidata a governadora. Ela já anunciou que vai fazer campanha para Aécio Neves. Lá, o governador petista Tarso Genro é candidato à reeleição. O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirma que os problemas com o PP nos Estados já estão sendo resolvidos: "Falei com o presidente Ciro Nogueira e ele reconhece que alguns deputados gostariam de ter outro caminho, mas a aliança está consolidada. Ele acha que não haverá nenhum problema na convenção. Inclusive no próprio Rio Grande do Sul, tem o deputado Vilson Covatti, um dos mais votados (que não concorre à reeleição), que apoiará a Ana Amélia, disciplinadamente, e vai coordenar, no PP, a candidatura da presidente Dilma no Estado". Em Minas Gerais, o PMDB selou acordo com Dilma, mas lideranças como o senador Clésio Andrade ainda não embarcaram na candidatura petista. Clésio é mais próximo de Aécio Neves. No Estado, o ex-ministro Fernando Pimentel disputará o governo pelo PT. Caminhos diferentes também estão sendo tomados em Mato Grosso do Sul, onde o PMDB lançou Nelson Trad Filho candidato ao governo. Ele ameaça apoiar Aécio Neves, pois a convivência com o PT nunca foi pacífica no Estado. O PT terá candidatura própria, com o senador Delcídio Amaral. Em Goiás, a direção nacional do petista, além de Dilma, desejava que o partido embarcasse na candidatura de Iris Resende, do PMDB. Porém, o PT local lançou a candidatura de Antônio Gomide. Quadro muito parecido acontece em Tocantins: Dilma queria que o PT apoiasse o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB), que vai enfrentar a candidatura de Eduardo Siqueira Campos (PTB). PTB e PMDB fazem parte da base aliada. No entanto, o PT não vai com nenhum deles e está resolvido a lançar a candidatura de Paulo Mourão. No Rio Grande do Norte, Lula queria que o PT endossasse a candidatura do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB), mas o partido está optando pela candidatura de Robinson Farias (PSD). Um dos casos mais emblemáticos do racha acontece na Bahia, onde o PT lançou a candidatura de Rui Costa. O PMDB já resolveu apoiar a candidatura de Paulo Souto (DEM), que anunciou apoio a Aécio Neves. Lá, o peemedebista Geddel Vieira Lima, até recentemente aliado de Dilma, com cargo na Caixa Econômica Federal, será candidato ao Senado nessa coligação com DEM e PSDB. Em Mato Grosso, a base aliada está em pé de guerra. O PDT, que faz parte da aliança nacional, lançou o senador Pedro Taques como candidato a governador. Ele diz que pode apoiar Campos, e o PT está articulando lançar Lúdio Cabral para o governo. Em alguns Estados, os partidos da base aliada baterão de frente em busca de espaço para o segundo turno, como em São Paulo. O PMDB lançou o empresário Paulo Skaf como candidato a governador. Ele disputará espaço com o petista Alexandre Padilha, para saber qual dos dois será o principal oponente do governador Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição. Dilma disse recentemente, em jantar com a cúpula do PMDB, em Brasília, que tem em São Paulo duas candidaturas (Skaf e Padilha) contra os tucanos. O PT, segundo levantamento tabulado por Florisvaldo Costa e Francisco Rocha da Silva, coordenador da corrente Construindo Um Novo Brasil (CNB), majoritária dentro da direção petista, tem candidaturas próprias em 13 Estados, podendo chegar a 16. O partido apoia sete candidatos do PMDB, como Lobão Filho (Maranhão), Renan Filho (Alagoas), Jackson Barreto (Sergipe) e Eduardo Braga (Amazonas). Chegou a estudar ainda apoiar outros peemedebistas, como Confúcio Moura, candidato à releição em Rondônia, mas lá o PT deve lançar a candidatura de Padre Tom ao governo. No plano nacional, o PT fechou aliança com oito partidos (entre eles PMDB, PTB, PDT e PP) e aguarda negociações com o PR para ter o nono partido aliado. Além dos problemas com divergências na base aliada, Dilma pode enfrentar situações delicadas em dois Estados: Espírito Santo e Amapá, onde os governadores disputam a reeleição. O PT apoia as candidaturas dos governadores socialistas Renato Casagrande (ES) e Camilo Capibaribe (AP). "No Espírito Santo, o governador havia assumido o compromisso com o PT de ficar neutro, mas, recentemente, vem declarando voto em Eduardo Campos. Por isso, pensamos em apoiar a candidatura de Paulo Hartung (PDMB), que se lançou candidato ao governo. Só não fechamos com o PMDB porque desejamos que eles aceitem João Coser como nosso candidato ao Senado, e eles querem manter a candidatura da deputada Rose para a vaga no Senado", explicou o petista Florisvaldo Costa. No Amapá, o problema é mais sério. O PT não quer apoiar a reeleição do senador José Sarney (PMDB) e lançou a petista Dora Nascimento para disputar o cargo. O partido deve ir de Camilo Capiberibe (PSB) para governador, o que pode deixar Dilma sem palanque no Estado. "Ainda não fechamos nada no Amapá, pois o PMDB pode ainda lançar um candidato a governador e, nesse caso, com nosso apoio", disse Florisvaldo. (O Globo)

A PETISTA DILMA ROUSSEFF PERDE APOIOS POR TODO LADO NO BRASIL

A menos de um mês das convenções partidárias, um levantamento feito pelo jornal O Globo mostra que a presidente Dilma Rousseff enfrenta rebeliões dos aliados em pelo menos nove Estados. Os principais partidos da base aliada, como PMDB e PP, ameaçam compor palanques com adversários da petista no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul, em Minas Gerais, na Bahia, em Mato Grosso do Sul, em Mato Grosso, em Santa Catarina, em Tocantins e em Goiás. Dilma, que já perdeu o apoio de pelo menos meia dúzia de pequenos partidos da base aliada (PRP, PHS, PTN, PTC, PMN e PSL) — todos negociando com os seus adversários Aécio Neves (PSDB) ou Eduardo Campos (PSB) — pode perder também a aliança com o PR de Valdemar Costa Neto, sigla que oscila entre ela e Eduardo Campos. "Problemas com a base aliada temos em praticamente todos os Estados. A questão é que fechamos a aliança nacional com o PMDB, por exemplo, para se discutir o Brasil, mas, quando descemos para os Estados, para o projeto estadual, há o choque de interesses; e a base fica fragmentada. Estamos trabalhando para aparar as arestas até as convenções. Se não der para resolver tudo, vamos acomodar situações durante a campanha", disse Florisvaldo Costa, secretário de Organização do PT, encarregado de fazer o mapa das alianças nos Estados. A confusão maior na base aliada acontece nos maiores colégios eleitorais. No próximo dia 10, o PMDB fará sua convenção nacional e anunciará apoio a Dilma. No entanto, as convenções nos Estados, que virão em seguida, apontarão caminho antagônico ao dos petistas. No Rio de Janeiro, por exemplo, os peemedebistas estão rachados. Enquanto o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que disputa a reeleição, e o ex-governador Sérgio Cabral, candidato ao Senado, declaram voto em Dilma, o líder do partido na Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e o presidente estadual do partido, Jorge Picciani, articulam o apoio a Aécio Neves. Há até o movimento “Aézão”, com Aécio e Pezão, que na semana passada ganhou o reforço do PP fluminense, partido que, nacionalmente, também é aliado a Dilma. O PT vai de Lindbergh Farias para governador. No Rio Grande do Sul, o PMDB lançou José Ivo Sartori ao governo, que já disse que apoiará Eduardo Campos. O PP, outro partido da base aliada, lançou a senadora Ana Amélia candidata a governadora. Ela já anunciou que vai fazer campanha para Aécio Neves. Lá, o governador petista Tarso Genro é candidato à reeleição. O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirma que os problemas com o PP nos Estados já estão sendo resolvidos: "Falei com o presidente Ciro Nogueira e ele reconhece que alguns deputados gostariam de ter outro caminho, mas a aliança está consolidada. Ele acha que não haverá nenhum problema na convenção. Inclusive no próprio Rio Grande do Sul, tem o deputado Vilson Covatti, um dos mais votados (que não concorre à reeleição), que apoiará a Ana Amélia, disciplinadamente, e vai coordenar, no PP, a candidatura da presidente Dilma no Estado". Em Minas Gerais, o PMDB selou acordo com Dilma, mas lideranças como o senador Clésio Andrade ainda não embarcaram na candidatura petista. Clésio é mais próximo de Aécio Neves. No Estado, o ex-ministro Fernando Pimentel disputará o governo pelo PT. Caminhos diferentes também estão sendo tomados em Mato Grosso do Sul, onde o PMDB lançou Nelson Trad Filho candidato ao governo. Ele ameaça apoiar Aécio Neves, pois a convivência com o PT nunca foi pacífica no Estado. O PT terá candidatura própria, com o senador Delcídio Amaral. Em Goiás, a direção nacional do petista, além de Dilma, desejava que o partido embarcasse na candidatura de Iris Resende, do PMDB. Porém, o PT local lançou a candidatura de Antônio Gomide. Quadro muito parecido acontece em Tocantins: Dilma queria que o PT apoiasse o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB), que vai enfrentar a candidatura de Eduardo Siqueira Campos (PTB). PTB e PMDB fazem parte da base aliada. No entanto, o PT não vai com nenhum deles e está resolvido a lançar a candidatura de Paulo Mourão. No Rio Grande do Norte, Lula queria que o PT endossasse a candidatura do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB), mas o partido está optando pela candidatura de Robinson Farias (PSD). Um dos casos mais emblemáticos do racha acontece na Bahia, onde o PT lançou a candidatura de Rui Costa. O PMDB já resolveu apoiar a candidatura de Paulo Souto (DEM), que anunciou apoio a Aécio Neves. Lá, o peemedebista Geddel Vieira Lima, até recentemente aliado de Dilma, com cargo na Caixa Econômica Federal, será candidato ao Senado nessa coligação com DEM e PSDB. Em Mato Grosso, a base aliada está em pé de guerra. O PDT, que faz parte da aliança nacional, lançou o senador Pedro Taques como candidato a governador. Ele diz que pode apoiar Campos, e o PT está articulando lançar Lúdio Cabral para o governo. Em alguns Estados, os partidos da base aliada baterão de frente em busca de espaço para o segundo turno, como em São Paulo. O PMDB lançou o empresário Paulo Skaf como candidato a governador. Ele disputará espaço com o petista Alexandre Padilha, para saber qual dos dois será o principal oponente do governador Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição. Dilma disse recentemente, em jantar com a cúpula do PMDB, em Brasília, que tem em São Paulo duas candidaturas (Skaf e Padilha) contra os tucanos. O PT, segundo levantamento tabulado por Florisvaldo Costa e Francisco Rocha da Silva, coordenador da corrente Construindo Um Novo Brasil (CNB), majoritária dentro da direção petista, tem candidaturas próprias em 13 Estados, podendo chegar a 16. O partido apoia sete candidatos do PMDB, como Lobão Filho (Maranhão), Renan Filho (Alagoas), Jackson Barreto (Sergipe) e Eduardo Braga (Amazonas). Chegou a estudar ainda apoiar outros peemedebistas, como Confúcio Moura, candidato à releição em Rondônia, mas lá o PT deve lançar a candidatura de Padre Tom ao governo. No plano nacional, o PT fechou aliança com oito partidos (entre eles PMDB, PTB, PDT e PP) e aguarda negociações com o PR para ter o nono partido aliado. Além dos problemas com divergências na base aliada, Dilma pode enfrentar situações delicadas em dois Estados: Espírito Santo e Amapá, onde os governadores disputam a reeleição. O PT apoia as candidaturas dos governadores socialistas Renato Casagrande (ES) e Camilo Capibaribe (AP). "No Espírito Santo, o governador havia assumido o compromisso com o PT de ficar neutro, mas, recentemente, vem declarando voto em Eduardo Campos. Por isso, pensamos em apoiar a candidatura de Paulo Hartung (PDMB), que se lançou candidato ao governo. Só não fechamos com o PMDB porque desejamos que eles aceitem João Coser como nosso candidato ao Senado, e eles querem manter a candidatura da deputada Rose para a vaga no Senado", explicou o petista Florisvaldo Costa. No Amapá, o problema é mais sério. O PT não quer apoiar a reeleição do senador José Sarney (PMDB) e lançou a petista Dora Nascimento para disputar o cargo. O partido deve ir de Camilo Capiberibe (PSB) para governador, o que pode deixar Dilma sem palanque no Estado. "Ainda não fechamos nada no Amapá, pois o PMDB pode ainda lançar um candidato a governador e, nesse caso, com nosso apoio", disse Florisvaldo. (O Globo)

REVISTA VEJA INDAGA: QUEM É O SÓCIO FANTASMA DO GRUPO JBS FRIBOI, DONO DE 13% DA EMPRESA?

O nome do sócio fantasma de Júnior Friboi é Blessed, que significa "abençoado" em inglês. A JBS, uma das maiores empresas brasileiras em faturamento, dona da marca Friboi e responsável por aquisições bilionárias nos últimos anos, diz que não sabe quem é o detentor de 13% de seu capital. A Blessed Holding, uma sociedade incorporada em Delaware, nos Estados Unidos, onde há menos exigências legais para a abertura de empresas, aparecia até semana passada como dona de 13% do capital da JBS… até que o jornal O Estado de São Paulo começou a fazer perguntas à CVM. Na sexta-feira, a JBS alterou a participação da Blessed em seu capital em seu formulário de referência (um documento que as empresas têm que arquivar com a CVM), reduzindo sua participação na companhia para 6,6%, cujo valor de mercado é de cerca de 1,4 bilhão de reais. Mas o mistério permanece. Quem está por trás da Blessed? A empresa tem como acionistas duas seguradoras — a US Commonwealth Life e a Lighthouse Capital — sediadas em paraísos fiscais diferentes, mas com telefones e emails para contato iguais. Até agora, ninguém identificou as pessoas físicas por trás das seguradoras. “Os donos da JBS costumam declarar que não sabem” quem é o dono da Blessed, escreveram no Estadão as repórteres Alexa Salomão e Josette Goulart. Convém continuar perguntando. Uma empresa do tamanho da JBS não pode correr tamanho risco de imagem, ainda mais quando bilhões de reais do BNDES entraram na empresa nos últimos anos. O BNDES já investiu mais de R$ 8 bilhões na JBS e hoje é dono de 25% da empresa. A Caixa Econômica Federal é dona de outros 10%. Ou seja: dinheiro público é dono de mais de um terço da JBS. Ao que tudo indica, a Blessed é a criança bastarda de um casamento forçado. O BNDES foi o padrinho da união societária entre os Batista e os Bertin, famílias que não exatamente morriam de amores uma pela outra. O banco sempre foi credor e acionista tanto da JBS quanto de seu concorrente, o frigorífico Bertin. Em 2009, com o Bertin vergando sob o peso de R$ 6 bilhões em dívidas, o BNDES decidiu que fazia sentido enterrar a dívida de uma empresa na outra, formando assim um ‘campeão nacional’ cada vez mais "too big to fail". Logo depois da fusão, a Blessed apareceu no formulário de referência da JBS como parte da cadeia societária que controla a empresa. E em meados do ano passado, virou pivô de uma briga feia entre as duas famílias, com os Bertin acusando os Batista de falsificar assinaturas e roubar-lhes 1 bilhão de reais. Há alguns meses, as famílias chegaram a um acordo pelo qual os Bertin sairão da sociedade, mas a Blessed continua sendo um ponto de interrogação. Agora, a JBS se prepara para fazer o IPO de uma subsidiária, a JBS Foods. Nunca a necessidade de transparência foi tão grande. (VEJA)

GALEÃO REINAUGURADO POR DILMA NÃO MUDOU EM NADA, CONTINUA A MESMA COISA, NADA FUNCIONA

A presidente petista Dilma Rousseff reinagurou no domingo o aeroporto do Galeão, junto com o governador do Rio de Janeiro. Foi “inaugurar” uma nova área de embarque no terminal 2 do Galeão, o local por onde vão chegar os turistas, delegações e jornalistas para os jogos do Maracanã na Copa do Mundo. Já nesta segunda-feira os passageiros que passaram pelo local devem ter ficado confusos. Afinal, como pode um local recém-inaugurado parecer tão caótico e desconfortável para os usuários? A inauguração do que não está pronto foi o padrão da visita de Dilma ao Rio de Janeiro, onde também festejou a entrega de um conjunto habitacional sem documentação e mangueiras de incêndio. O Galeão, mesmo depois da inauguração, ainda é o velho aeroporto cheio de percalços para quem planeja deixar ou chegar ao Brasil pelo Rio de Janeiro. A reforma dos terminais 1 e 2 do Galeão custou 354,75 milhões de reais, segundo a Infraero, mas está inacabada e não ficará pronta para a Copa do Mundo. O terceiro andar do terminal 2, onde funciona o embarque internacional, está cheio de tapumes que escondem obras inacabadas. Os passageiros encontram dificuldades para descer do terceiro piso porque funcionam apenas quatro das oito escadas rolantes que ligam o terceiro ao segundo andar. Outras quatro estão inoperantes, isoladas por tapumes. A interdição de metade das escadas obriga os que precisam descer e que estão ao lado dos equipamentos Interditados a percorrer um longo caminho. Os elevadores também apresentam problemas. Dos oito elevadores do andar, apenas três estão funcionando. Um deles está parado e os outros quatro estão isolados por tapumes devido a obras. Do lado de fora do aeroporto é possível ver a estrutura destinada aos quatro elevadores vazias, sem os equipamentos. No segundo andar, onde estão as áreas de alimentação, lojas, bancos e farmácia do terminal 2, a sinalização é precária. Uma na saída da escada com a inscrição "T1" leva o turista a entender que ele está no terminal 1. A única farmácia de todo aeroporto funciona no segundo piso do terminal 2, mas a sinalização que indica a existência do estabelecimento está no segundo piso e não aponta a direção correta. No primeiro e no segundo pisos não há referência à farmácia. As esteiras no corredor de 550 metros que deveriam levar os passageiros de um terminal ao outro estão inoperantes e os carrinhos elétricos são insuficientes. Dos quatro carrinhos, apenas um funcionava na tarde desta segunda-feira. Segundo um funcionário, apenas dois carros estão transportando passageiros e um deles pára quando o motorista vai lanchar. Cada carro tem capacidade para cinco passageiros e o motorista. Quem precisa usar os caixas eletrônicos não tem melhor sorte. Os bancos estão no fim do corredor, em um local que parece abandonado e que transmite sensação de insegurança. A iluminação é precária e parte do teto está inacabado, deixando a mostra tubos de refrigeração e fios. Passageiros reclamam da demora paga pegar as malas e do barulho das esteiras. O estacionamento é outra reclamação frequente de quem passa pelo Galeão. Motoristas não entendem a sinalização e dizem que o estacionamento é escuro.

JANOT DÁ PARECER CONTRÁRIO A MUDANÇA DE CORREÇÃO DO FGTS

Se depender do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o Supremo Tribunal Federal deverá rejeitar a ação do partido Solidariedade para que os saldos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) sejam corrigidos pela inflação e não pela TR, que é o índice usado para atualização da poupança. Além da ação do Solidariedade, existem milhares de processos em tramitação na Justiça requerendo a alteração do índice de correção. De acordo com Janot, o debate é político e não jurídico. "O STF não detém condições técnicas necessárias para definir índice apto a atualizar monetariamente os saldos das contas vinculadas do FGTS", opinou o procurador em parecer enviado ao Supremo sobre a ação do Solidariedade. Para tentar convencer o Supremo a modificar a correção, o partido sustenta que o uso da TR para atualizar os saldos do FGTS desrespeita princípios garantidos pela Constituição Federal, como o direito de propriedade e da moralidade administrativa. No parecer enviado ao Supremo, Janot afirmou que o princípio fundamental em questão refere-se à indenização por tempo de serviço, que tem natureza trabalhista, e não ao fundo em si. "Trabalhadores titulares das contas do FGTS contam com essa proteção no caso de certos imprevistos, notadamente a despedida sem justa causa", afirmou o procurador. Janot ressaltou que existem outras possibilidades de movimentação da conta do FGTS, como aposentadoria, morte, compra de imóvel para moradia e em caso de doença grave, entre as quais, câncer e Aids. O procurador observou que existem vários projetos de lei sobre o assunto tramitando no Congresso Nacional. Para ele, "o debate possui importante componente político e apresenta espaço para amadurecimento no processo legislativo, próprio para a tomada de decisões políticas dessa natureza". "A apreciação judicial nesses casos deve ser cuidadosa e autocontida, com foco no respeito ao núcleo essencial dos direitos fundamentais e às regras constitucionais concernentes ao processo legislativo", completou Janot.

JUSTIÇA SOLTA EX-JUIZ NICOLAU DOS SANTOS NETO

Preso desde março do ano passado, acusado de desviar 169 milhões de reais da obra do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, o ex-juiz Nicolau dos Santos Neto, o Lalau, obteve alvará de soltura na Justiça nesta segunda-feira. A permissão para deixar a penitenciária de Tremembé (SP) foi expedida pela Vara de Execuções Criminais de Taubaté. O ex-juiz foi beneficiado pelo indulto pleno, concedido a presos doentes, com mais de 60 anos e que já tenham cumprido um terço da pena. Ele tem 85 anos e foi condenado a 26 anos e seis meses de prisão em maio de 2006 pelos crimes de peculato, estelionato e corrupção passiva. Lalau deve deixar a cadeia nesta terça-feira, assim que o alvará for formalizado pela direção da penitenciária. O ex-juiz teve revogado na Justiça, no ano passado, o direito de cumprir a pena em casa, conquistado em 2007, após sua defesa ter alegado que ele sofria de depressão e estava com a saúde debilitada. Em março de 2013, o Tribunal Regional Federal da 3ª região (TRF-3) cassou a decisão que o mantinha em prisão domiciliar. A 5ª turma do TRF-3 determinou a volta imediata do ex-magistrado para a cadeia. Nicolau cumpria a prisão em sua casa, no bairro do Morumbi, em São Paulo, desde 2007. O pedido de cassação da prisão domiciliar foi interposto pelo Ministério Público Federal.  A defesa do ex-juiz recorreu duas vezes da decisão do TRF-3 e perdeu as duas. Uma reclamação foi extinta pela ministra  Nancy Andrighi, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em maio do ano passado, e a primeira foi negada pelo ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça, no mês anterior, em abril do mesmo ano. Este mesmo benefício pode ser solicitado pelo ex-deputado federal Roberto Jefferson.

GOVERNO DA PETISTA DILMA ROUSSEFF DÁ AUMENTO À POLÍCIA FEDERAL PARA EVITAR GREVE DURANTE A COPA DO MUNDO

A poucos dias do início da Copa do Mundo, o governo petista de Dilma Rousseff conseguiu um acordo com a Polícia Federal para evitar um greve da categoria durante os jogos. O Palácio do Planalto acertou um aumento salarial de 15,8% para agentes policiais, escrivães e papiloscopistas. Será repassado 12% agora e 3,8% em janeiro. A correção salarial terá um impacto de R$ 376 milhões na folha de pagamento da União até janeiro, segundo a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), entidade que representa mais de dez mil servidores. Com isso, a categoria que ameaçava fazer greve durante o Mundial para pressionar o Planalto a retomar as negociações de aumento e reestruturação de carreiras, decidiu suspender a ameaça de greve - o que impactaria principalmente os aeroportos da cidades-sede da Copa. "Não vamos fazer paralisação e greve na Copa, tanto por causa do acordo de aumento quanto por causa das decisões do Supremo Tribunal Federal e o Superior Tribunal de Justiça, respectivamente, que classificaram a greve como ilegal", afirma o vice-presidente da Fenapef, Luis Antônio Boudens. O Superior Tribunal de Justiça chegou a determinar uma multa de R$ 200 mil caso a Polícia Federal decidisse manter a greve na Copa. Boudens afirma que o acordo foi assinado por causa da reestruturação e não pelo aumento em si, considerado distante do ideal. "Nós cedemos na aceitação do índice para avançar na reestruturação", diz, afirmando que desde 2007 o governo "ficou intransigente", fechando o canal de diálogo com os policiais. "Nosso salário está defasado há 7 anos e isso significa 40% para ser resgatado", diz. O governo vai enviar ao Congresso Nacional um projeto de lei alterando a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2014 para incluir o aumento da Polícia Federal. Embora a legislação eleitoral proíba aumentos salariais em ano eleitoral, o governo conseguiu escapar de ser questionado judicialmente por enquadrar o aumento como parte da negociação iniciada em 2012 pela Secretaria de Relações de Trabalho no Serviço Público do Ministério do Planejamento.

MOBILIZE-SE! COM AGRESSIVIDADE E VIOLÊNCIA RETÓRICA, GILBERTO CARVALHO SAI EM DEFESA DA DITADURA PETISTA POR MEIO DE CONSELHOS. MINISTRO DE DILMA DEFENDE O GOLPE DO PT UNHAS E DENTES

Gilberto Carvalho, o homem da gravata vermelha, quer os sovietes à moda petista
Gilberto Carvalho, o homem da gravata vermelha, quer os sovietes à moda petista
É o fim da picada! Gilberto Carvalho, o segundo homem mais poderoso do PT (só perde para Lula) e secretário-Geral da Presidência, é o mais bolivariano dos ministros da presidente Dilma Rousseff. Nesta segunda-feira, em tom agressivo, ele saiu em defesa do absurdo decreto Decreto 8.243, assinado por Dilma Rousseff, aquele que institui pela via cartorial a ditadura petista.
Já escrevi a respeito do assunto, no dia 29 passado, o texto está  aqui. Evidencio lá que Dilma se dá o direito de definir o que é “sociedade civil” —  são os movimentos sociais — e que, na prática, ela os transforma em instâncias da República não-eleitas por ninguém. Trata-se de uma forma descarada de golpe branco na democracia representativa. Com esse decreto, os petistas outorgam a si mesmos o poder permanente, eterno, já que a esmagadora maioria desses grupos é ligada ao PT.
Pego no pulo, vendo que parte da sociedade percebeu a manobra, Carvalho decidiu sair no grito e chamou os críticos de “hipócritas”. Fingindo-se de inocente e leso, tudo o que ele não é, fez a seguinte indagação retórica: “Como se pode falar em ditadura quando se fala em ampliar o controle da sociedade sobre o governo?”. Ora, ministro… Isso é pergunta para enganar trouxas. O que teremos, isto sim, será um maior controle da “sociedade petista” — e, portanto, de um partido — sobre o governo, qualquer que seja ele.
Esse caminho é conhecido pela Venezuela, pela Bolívia, pelo Equador, pela Nicarágua. Esse caminho, saibam, é conhecido até por Cuba, formalmente ao menos, uma das sociedades mais mobilizadas e mais organizadas do mundo — mas sempre sob o tacão do Partido Comunista.
Carvalho achou que, se fosse agressivo e malcriado, poderia ter razão. Mandou bala: “Só ignorância, má-fé ou desconhecimento histórico e a falta de uma atenção à leitura ao primeiro parágrafo da Constituição pode levar uma pessoa a fazer acusações absurdas como essas, de que estamos usurpando do poder ou que estamos fazendo tentativas bolivarianistas”.
Errado! Ignorante — ainda que seja ignorância voluntária, calculada — é a fala de Carvalho. Ele fala em primeiro parágrafo — suspeito que quisesse dizer “artigo” — da Constituição? Então vamos a eles.
O primeiro parágrafo, no sentido propriamente textual, não jurídico, é este:
“Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembleia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.”
Onde estão os “conselhos populares” de que trata o decreto presidencial? O primeiro parágrafo fala, sim, em democracia direta, mas atenção!
Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
I – a soberania;
II – a cidadania;
III – a dignidade da pessoa humana;
IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
V – o pluralismo político.
Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.
O “exercício direto” do “poder do povo” se dá “nos termos desta Constituição”, na forma de “plebiscito, referendo e consulta popular”, conforme estabelece o Artigo 14. A Constituição brasileira não autoriza os “sovietes” de Gilberto Carvalho. Assim, se existe má-fé nessa história, ela parte de Carvalho e dos petistas.
O decreto de Dilma é grotescamente autoritário. O Inciso I do Artigo 2º abre as portas do poder para toda e qualquer organização. Está escrito lá que “sociedade civil” compreende “o cidadão, os coletivos, os movimentos sociais institucionalizados ou não institucionalizados, suas redes e suas organizações”.
Atenção para o truque, leitores! Tudo o que não é “institucionalizado é não-institucionalizado”, certo? Vocês querem ver eu abarcar cem por cento da humanidade? Basta que eu me refira a “todos os corintianos e não-corintianos” (fatalmente, todas as pessoas do mundo são uma coisa ou outra); a “todos os vegetarianos e não-vegetarianos”; a “todos os admiradores do Bolero de Ravel e aos não-admiradores”; a “todos os apreciadores de comida japonesa e aos não-apreciadores”.
Ora, a seu critério, então, o governo pode escolher um conselheiro de órgãos federais da administração direta e indireta de um “movimento não institucional” qualquer? Se a Associação dos Amigos de Gilberto Carvalho quisesse, a seu modo, das pitaco no governo, é claro que ela poderia, certo? Afinal, tratar-se-ia de um movimento não-institucional.
Gilberto Carvalho, com o seu jeito santarrão, sabe ser truculento, mas nunca foi um bom argumentador. Em defesa de sua tese, lembrou que a ditadura militar criou diversos conselhos. Ainda que tivessem natureza distinta desses que Dilma pretende instituir, a lembrança não deixa de ser oportuna. Carvalho está dizendo que chegou a hora de instituir a ditadura petista. Por Reinaldo Azevedo

JUIZ ACATA PEDIDO DO MINISTÉRIO PÚBLICO E SUSPENDE CARAVANAS DO PETISTA ALEXANDRE PADILHA

O juiz Antônio Carlos Mathias Coltro, presidente do TRE de São Paulo, suspendeu em decisão liminar (provisória), a caravana “Horizonte Paulista” do pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha. Para Mathias Coltro, a caravana antecipa a propaganda eleitoral, o que é proibido por lei. “Há a necessidade de se evitar a antecipação de propaganda eleitoral consubstanciada na realização e na divulgação de eventos públicos, abertos à participação de pessoas não filiadas ao PT”, diz o magistrado na decisão. O juiz também afirma que a “Horizonte Paulista” cria uma disputa desigual entre os candidatos, “diante da possível influência causada nos eleitores”. A decisão é da última quinta-feira. A autora da ação é a Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo, que além da suspensão da caravana, pediu a aplicação de multa de R$ 750 mil a Padilha e ao diretório do PT em São Paulo. O processo ainda será julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral.

NA CONDIÇÃO DE ACIONISTA FORÇADO DA PETROBRAS, EXIJO QUE GRAÇA FOSTER DIGA O QUE ESCONDE

A presidente da Petrobras, Graça Foster, participou nesta segunda do 4º Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira, na Fundação Getulio Vargas. Foi indagada sobre as declarações de Paulo Roberto Costa, segundo quem as contas feitas inicialmente para a construção da refinaria de Abreu e Lima eram “de padeiro” — isto é, feitas na base do achômetro. Quem já viu padeiros em ação entende a metáfora. Parece que eles vão jogando a farinha sem critério. É uma falsa impressão. Os pães que comemos, na média, como pães, são bem melhores do que a Petrobras que temos, como petroleira.

Graça se negou a responder: “Não é que eu não queira falar. Eu não posso falar”. Pois é… Mas uma vez, sugeriu que existem mesmo mistérios bastante sondáveis, mas ainda guardados a sete chaves, na Petrobras. Ora, esta senhora já prestou dois depoimentos ao Congresso. Sobre o que, exatamente, ela não quer falar? Que segredos esconde? Paulo Roberto Costa é quem é, mas era um diretor da Petrobras. Sua fala, de algum modo, faz sentido?
Se querem saber, o custo inicialmente estimado — US$ 2,5 bilhões — para Abreu e Lima, dado o tamanho do empreendimento, parece mesmo subestimado quando se consideram os números do setor. Tanto quanto soa absurdo o dinheiro que já se gastou ali: US$ 18,5 bilhões — A CONTA FOI MULTIPLICADA POR 7,4!!!
A diferença é tão brutal que, muito provavelmente, as contas foram feitas mesmo, lá atrás, de maneira irresponsável. Ademais, a Venezuela era sócia do empreendimento e nunca pôs um centavo na refinaria. Nada! Mas parece matéria de bom senso considerar que um custo não se multiplica dessa forma sem uma pantagruélica roubalheira.
Pois bem… Boa parte do país querendo saber o que aconteceu, uma declaração dada por um ex-diretor afirmando que o cálculo foi feito no joelho, e a presidente da Petrobras vem a público com seus enigmas??? Ora, tenham a santa paciência! Fico com a desconfiança, então, de que Graça Foster omitiu informações dos parlamentares quando foi convocada a falar sobre a situação da Petrobras — e ela não foi indagada apenas sobre o imbróglio de Pasadena.
Se é assim, agora eu quero saber o que a presidente da Petrobras esconde. Trata-se de uma empresa pública. Também sou dono. Na condição de acionista forçado, exijo que ela dê os devidos esclarecimentos. Por Reinaldo Azevedo

CONTA PETRÓLEO EXPLICA DEFICIT DA BALANÇA COMERCIAL, CONFORME MINISTÉRIO

Apesar da queda do preço das commodities – bens agrícolas e minerais com cotação internacional – e do recuo na venda de veículos para a Argentina, a conta petróleo explica o déficit acumulado de US$ 4,854 bilhões na balança comercial em 2014, informou o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Segundo a pasta, não fosse o desempenho das importações e exportações de petróleo e de derivados, a balança registraria superávit de US$ 2,752 bilhões no ano. De janeiro a maio, o país importou US$ 7,606 bilhões em petróleo e derivados do que exportou. O déficit é 31% menor que o rombo de US$ 11,038 bilhões registrado no ano passado. A estatística, no entanto, está influenciada por US$ 4,5 bilhões de importações de petróleo feitas em 2012, que só foram registradas entre janeiro e maio de 2013. O atraso, que prejudicou a conta petróleo no ano passado, beneficiou o saldo em 2014. Mesmo com o efeito estatístico, o secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Daniel Godinho, diz que a conta petróleo está sendo beneficiada por mudanças estruturais como a retomada da produção de plataformas que ficaram em manutenção no ano passado. “O registro em atraso teve impacto apenas nas importações de petróleo e derivados. É importante deixar claro que não apenas as importações estão caindo, mas as exportações estão subindo”, justificou. De janeiro a maio, o País exportou US$ 9 bilhões de petróleo e de derivados, 9,7% a mais que no mesmo período do ano passado pela média diária. As importações desses produtos totalizaram US$ 16,611 bilhões, significando um recuo de 13,2%. “Para o segundo semestre, a expectativa é que as exportações de petróleo subam ainda mais porque mais plataformas vão entrar em operação”, disse o secretário, sem, no entanto, dizer se a conta petróleo encerrará o ano no positivo.

RIO NEGRO TEM A SEXTA MAIOR CHEIA DESDE 1902

O nível do Rio Negro, em Manaus, atingiu 29,36 metros nesta segunda-feira, segundo a Agência Nacional de Águas  (ANA). Com isso, a cheia é a sexta maior já registrada na capital amazonense desde 1902, quando o curso de água começou a ser monitorado. A cidade está em estado de emergência desde a semana passada. O rio passa pelo área central da capital do Amazonas que, em poucos dias, sediará a Copa do Mundo. A prefeitura disse que as situações emergenciais se tornaram cotidianas e que, com o maior conhecimento adquirido sobre os riscos, o poder público tem conseguido amenizar os efeitos das enchentes. Cerca de dez órgãos estão envolvidos nas ações sob o comando das áeras de defesa civil e assistência social. Segundo estimativa do Serviço Geológico do Brasil, no pico da cheia do rio Negro, o que geralmente acontece em junho, o nível poderá variar entre 28,84m e 29,44m neste ano. Caso atinja este máximo, o rio terá a quinta maior cheia desde o início do monitoramento em Manaus. A maior cheia da região ocorreu em 2012, quando o Rio Negro atingiu os 29,97 m. A segunda maior aconteceu em 2009 (29,77m), atrás apenas da ocorrida em 1953, quando o nível da água atingiu a marca de 29,69 m. No ano passado, a cota ficou em 29,33 metros.

ESPIÃO TRAIDOR EDWARD SNOWDEN DIZ QUE SOLICITOU ASILO AO BRASIL

O Ministério das Relações Exteriores reafirmou nesta segunda-feira que o governo brasileiro não recebeu formalmente pedido de asilo político do espião traidor Edward Snowden, ex-agente da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, que vive atualmente na Rússia. Segundo o Itamaraty, nenhuma solicitação foi feita pelas vias formais. No domingo, Snowden disse em entrevista ao Fantástico, da TV Globo, que adoraria morar no Brasil, e que não sabia que o governo brasileiro havia negado que tenha recebido seu pedido. Em julho de 2013, após as primeiras denúncias de espionagem dos Estados Unidos, o ex-agente solicitou asilo a 21 países, entre eles o Brasil. Na entrevista, ele explicou a negativa dizendo que talvez algum procedimento não tenha sido respeitado. “Não é uma resposta que se dê com um 'sim' ou 'não'. Se chegar o pedido, será analisado, mas não chegou”, disse o chanceler Luiz Alberto Figueiredo. Essa foi a mesma opinião manifestada pela presidente Dilma Rousseff em dezembro passado, quando comentou uma campanha que recolheu assinaturas em prol da concessão do asilo. Para o ativista antiamericanista Glenn Greenwald, um dos responsáveis por divulgar o esquema que acusa o governo norte-americano de espionar a comunicação de cidadãos e autoridades de vários países, o Brasil e a Alemanha deveriam conceder asilo a Snowden porque ele “protegeu a liberdade de informação desses países”. Desde quando cabe ao estrangeiro Glenn Greenwald ficar emitindo opinião sobre a política externa brasileira?

TSE APONTA QUE NÚMERO DE ELEITORES NO EXTERIOR CRESCEU 68,2%

O número de eleitores no Exterior que poderão votar nas eleições de outubro cresceu 68,2% em relação às eleições presidenciais de 2010. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral. Neste ano, 337,1 mil eleitores que vivem fora do País estão aptos a votar. Em 2010, foram 200,3 mil. Brasileiros no Exterior podem votar apenas para eleger o presidente da República. De acordo com  levantamento, o País que terá mais brasileiros votando serão os Estados Unidos (108,6 mil eleitores), seguido por Japão (30,6 mil), Portugal (30,4 mil), Itália (20,9 mil) e Alemanha (17,5 mil). Três cidades norte-americanas têm a maior concentração de eleitores aptos a votar: Nova York (20,9 mil); Miami (20,3 mil) e Boston (18,2 mil). As capitais européias Lisboa (17,1 mil) e Londres (15,9 mil) aparecem em seguida. Nas eleições de 2010, a votação ocorreu em 113 países e foram instaladas 624 seções eleitorais em embaixadas brasileiras e órgãos consulares ligados ao País.

PT SUSPENDE E TIRA DAS ELEIÇÕES O DEPUTADO ESTADUAL PAULISTA QUE SE REUNIA COM BANDIDOS DO PCC

A Comissão Executiva do PT de São Paulo decidiu nesta segunda-feira suspender do partido por 60 dias o deputado estadual Luiz Moura. Ele foi flagrado pela Polícia Civil em uma reunião com suspeitos de integrar a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), na Zona Leste da capital paulista. Com a medida, o partido também negou a legenda para que Moura dispute as eleições em outubro. Ele pretendia concorrer ao mandato de deputado federal. O afastamento de Luiz Moura foi votado e aprovado por unanimidade pela Executiva paulista do PT, apesar de o deputado ter apresentado defesa na reunião. Ex-presidiário, Luiz Moura nega relação com o crime organizado. As denúncias contra ele também serão apuradas por uma comissão do partido. O parlamentar ainda poderá ser expulso do PT. "O PT não dará legenda para ele ser candidato e, durante esse período, vamos fazer o procedimento disciplinar que pode resultar em penalidade máxima. Pela gravidade da situação, essa averiguação vai ser conduzida pela Executiva estadual”, disse o presidente do PT paulista, Emídio de Souza, que afirmou ter consultado também a direção nacional da sigla sobre as denúncias contra Luiz Moura: "Não vamos ter complacência com mal feito". Segundo o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), Luiz Moura esteve presente em uma reunião na sede da cooperativa de ônibus Transcooper com cerca de dez suspeitos de ligação com o PCC. O Deic investigava a participação da facção nos ataques incendiários a ônibus na capital paulista. Curiosamente, a partir do dia em que este fato foi revelado para os paulistas pelo secretário estadual de Comunicação Social, pararam os ataques a ônibus em São Paulo, comandado pelo PCC, que é dono do sistema de transporte via peruas, base de apoio de peitsas. O deputado e o irmão, o vereador Senival Moura (PT), são ligados a cooperativas de transportes que mantêm contratos com a prefeitura de São Paulo. Ambos têm base eleitoral no extremo Leste da cidade, no bairro de Guaianazes, e também em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo. Em nota publicada em sua página no Facebook, Luiz Moura disse ter protocolado documento no Ministério Público de São Paulo, por meio do qual se compromete a colaborar com possíveis investigações: "Me coloco à inteira disposição para esclarecer, informar e fornecer quaisquer documentos que se fizerem necessários para provar a inveracidade dos fatos noticiados pela imprensa sobre minha pessoa". O petista Luiz Moura já foi preso e condenado por assalto a mão armada no Paraná e em Santa Catarina, antes de entrar na política. Ele fugiu da prisão e, mais de uma década depois, recebeu perdão judicial. luis Moura filiou-se ao PT em 2006 e elegeu-se deputado estadual em 2010, com 104.705 votos. Na campanha, teve ajuda financeira de figurões do partido, como o deputado licenciado Jilmar Tatto, atual secretário municipal de Transportes, os ministros Marta Suplicy (Cultura), Aloizio Mercadante (Casa Civil), os mensaleiros petistas mensaleiros João Paulo Cunha e José Genoino, e os deputados federais Arlindo Chinaglia, Cândido Vaccarezza, Carlos Zarattini e Devanir Ribeiro.

POLICIAIS DE UPP SÃO BALEADOS EM TROCA DE TIROS NO COMPLEXO DE FAVELAS DO ALEMÃO

Dois policiais militares foram baleados em um tiroteio no complexo de favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio de Janeiro,  nesta segunda-feira. Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, os agentes foram atacados por criminosos armados, por volta das 9h30, na localidade conhecida como Largo do Bulufa, e reagiram. Os polciais militares feridos foram atendidos na Policlínica Rodolpho Rocco e passam bem. Os bandidos conseguiram fugir. A segurança foi reforçada na região e uma ação de varredura saiu em busca dos suspeitos. A Unidade de Polícia Pacificadora do Alemão não é a única que sofre com o enfrentamento de traficantes. Na Rocinha, Zona Sul da capital, o fim de semana foi de intensos tiroteios, que terminaram com um homem morto e outras duas pessoas feridas.

BANCO MUNDIAL ARTICULA EMPRÉSTIMO PARA ITAÚ UNIBANCO

A Corporação Financeira Internacional (IFC), braço financeiro do Banco Mundial, articula um empréstimo de aproximadamente 300 milhões de dólares para o Itaú Unibanco. O dinheiro deve ser usado pelo banco brasileiro para dar crédito a projetos de energia renovável ou que melhorem a eficiência energética nas empresas. O empréstimo do IFC será feito em três "parcelas". A primeira, chamada será um aporte direto de até 100 milhões de dólares pelo próprio braço do Banco Mundial. Além disso, haverá uma segunda e um empréstimo paralelo que, somados, devem ser de 200 milhões de dólares. Nessas duas últimas operações, o IFC vai articular a captação de recursos com bancos internacionais e outras instituições financeiras e investidores. O Itaú tomou no ano passado 470 milhões de dólares em um empréstimo semelhante no IFC para dar crédito a pequenas e médias empresas controladas por mulheres. No mês passado, o IFC articulava uma captação para o Santander com o mesmo propósito, de 352 milhões de dólares. Em 2012, foi o Itaú BBA que tomou 340 milhões de dólares em uma operação no IFC para financiar empresas no Norte e Nordeste do Brasil.

BRASIL PODE DIMINUIR USO DAS USINAS TÉRMICAS, CONFORME A EPE

A redução do preço da energia no mercado à vista para menos de 600 reais por megawatt-hora (MWh) é um indicativo de que é possível diminuir o uso de usinas térmicas, diz Maurício Tolmasquim, presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). A energia gerada por térmicas é bem mais cara do que a das hidrelétricas - o mercado à vista chegou a negociar energia a mais de 800 reais em fevereiro. Mas, com a situação emergencial que vive o País com clima seco e baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, as térmicas estão funcionando em capacidade máxima. Agora, com uma oferta um pouco maior das hidrelétricas, a tendência é o preço do MWh cair e as térmicas deixarem de ser usadas na plenitude. Apesar do otimismo de Tolmasquim, a previsão do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é de diminuição do nível dos reservatórios em junho, para 36,1% no sistema Sudeste/Centro-Oeste, onde estão instaladas as principais usinas. Em maio, a capacidade de armazenagem das hidrelétricas fechou em torno de 37%. A previsão é de chuva na região Sul e precipitações fracas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, informou Hermes Chipp, diretor-geral do ONS nesta segunda-feira. Em setembro, a previsão é de chuvas acima da média nas três regiões por causa do fenômeno El Niño. Mas, no fim de novembro, os reservatórios devem chegar a 18,5%, volume inferior ao da série histórica. O presidente da EPE afirma que o País vive um cenário muito diferente do de 2001, época do racionamento. Ele argumenta que houve uma mudança estrutural, que afasta o risco de não haver eletricidade para prover as distribuidoras: o crescimento da capacidade ofertada superou o avanço do consumo, além da diversificação da matriz energética e o aumento da capacidade de interligação entre os diferentes submercados consumidores. O presidente da EPE garantiu ainda que a oferta de energia é suficiente para garantir o crescimento sustentável do PIB nos próximos anos. "Nós temos como perspectiva um crescimento do PIB em torno de 4,5% ao ano nos próximos dez anos. Se nós prepararmos o Brasil para crescer nesse ritmo, ele estará preparado para outras situações", garantiu o executivo. Contudo, segundo o relatório do ONS, se a escolha for por desligar as térmicas mais caras, em 2015 o volume de chuva teria de ser, no mínimo, 81% da média histórica para o País evitar um racionamento. Se essas usinas continuarem a funcionar no ano que vem, as precipitações devem ser de 77% da média histórica, no mínimo, para não haver problema de abastecimento. Mas, o órgão destacou que as previsões ainda são muito incertas. Hermes Chipp defende que as usinas térmicas continuem ligadas neste e no próximo ano. O leilão A-5 teve um número impressionante de projetos cadastrados. Ao todo são 1.041 para participar do pleito marcado para 12 de setembro. Serão oferecidos 20 mil MWh de capacidade térmica, 17 mil MWh de geração eólica e 575 MWh de hidrelétrica, além de geração fotovoltaica. Toda produção que será leiloada tem entrega prevista para janeiro de 2019. "O número é superlativo. É o maior leilão do mundo em termos de interessados", afirmou. O desafio, contudo, está na apresentação de garantias de que há gás natural disponível para atender à demanda das usinas térmicas, disse Tolmasquim. Ao todo, estão inscritas no leilão dez usinas térmicas a gás, mas são as eólicas que dominam, com 708 unidades concorrendo. Além do A-5, serão ainda realizados neste ano outros leilões: um leilão A-3 (com entrega prevista para 2017) na próxima sexta-feira e mais um leilão de reserva, em 10 de outubro, quando serão ofertadas usinas de fonte solar, eólica e de resíduos sólidos. Um quarto leilão, o da hidrelétrica do Rio Tapajós, ainda poderá ocorrer neste ano, a depender da liberação de licenciamento socioambiental. A avaliação do presidente da EPE é de que o modelo brasileiro de leilões é atraente para os investidores. A expectativa, segundo Tolmasquim, é que sejam contratados 41 megawatts de 2014 a 2018.

RIO DE JANEIRO É TRATADA NO NOTICIÁRIO INTERNACIONAL COMO CIDADE PERIGOSA, ONDE TRAFICANTES ATUAM À VONTADE E POLICIAIS SÃO CAÇADOS

A imagem do Rio de Janeiro como uma cidade violenta começou a ser atenuada em 2008, quando surgiu a primeira Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), notícia imediatamente seguida por uma campanha de marketing que incluía a visita de celebridades como Madonna às favelas “pacificadas”. O trabalho de convencimento de que o Rio de Janeiro mudou, e que as favelas são seguras, rolou ladeira abaixo justamente no período mais importante, a chegada dos turistas para a Copa do Mundo e a ‘época de ouro’ da cidade, sede da Olimpíada de 2016. Os esforços do governo do Estado, com apoio federal e do município (que paga a gratificação aos policiais das UPPs), foram neutralizados nos Estados Unidos e na Europa por uma sequência de reportagens que têm, como nas décadas de 1980 e 1990, o crime e a violência urbana como centro da questão. Na semana passada, a rede de TV CNN destacou, em seu site, uma reportagem que mostra traficantes armados vendendo cocaína, maconha e crack em uma favela não identificada. As câmeras também flagram o consumo de drogas à luz do dia, enquanto crianças brincam numa rua. No fim de semana, o jornal americano New York Times publicou uma reportagem, com texto e vídeo, que parte de um ponto de vista específico, a morte de mais de 100 policiais este ano, 30 deles nas favelas com UPPs. Personagens cariocas entrevistados pelo The New York Times lançam a pergunta: se a polícia não consegue proteger os policiais, como garantirá a segurança de quem visita o Rio de Janeiro? Entram, em seguida, quase todos os tipos de problemas de segurança que atormentam os cariocas, como milícias, envolvimento de policiais com o crime, abusos de policiais (como a mulher arrastada por uma viatura) e protestos contra a UPP. Nem todos estão conectados, é verdade, mas contribuem de alguma forma para o momento turbulento que a cidade atravessa, num ‘revival’ indigesto dos piores momentos da insegurança de décadas atrás. O destaque internacional para a criminalidade no Rio de Janeiro é impulsionado pela proximidade da Copa do Mundo. E, para desespero das autoridades de segurança e da população, o período coincide com uma retomada do crescimento dos índices de violência. O Mapa da Violência, estudo anual que é referência para as ocorrências de homicídios e mortes de causas externas no País, cuja edição referente a 2012 será publicada nas próximas semanas, destaca a volta do crescimento dos homicídios. O Brasil, com 29 casos para cada 100.000 habitantes, voltou ao patamar de 1980. O Rio de Janeiro registrou taxa de 28,3, idêntica à de 2011 e bem inferior à de 2002, quando era de 56,5. O governo do Estado sustenta que houve redução significativa no volume de assassinatos, com queda acentuada no período das UPPs. Mas, como destaca uma prévia do Mapa da Violência, a curva voltou a ser ascendente. Especificamente no caso do Rio de Janeiro, houve, a partir do ano passado, uma retomada da ofensiva do tráfico de drogas, com ataques sistemáticos à polícia. O The New York Times cita a jornalista carioca Roberta Trindade, que mantém um blog dedicado a acompanhar casos de grande repercussão e, em especial, as mortes de policiais. Roberta Trindade acompanha de perto os casos de policiais baleados e mortos, e passou a ser, para os próprios policiais, a referência nesse tipo de contabilidade. O blog que atualiza diariamente cita caso a caso – ou seja, não trata apenas dos números colhidos na estatística oficial. Ao longo de 2014, de acordo com essa contagem, houve 121 policiais baleados – dos quais 119 militares. Trinta morreram. Estavam trabalhando 75 deles, outros 41 foram mortos de folga, seja como vítimas da criminalidade a que estão expostos os cidadãos comuns ou executados por serem policiais, descobertos por bandidos durante um assalto, por exemplo. Mas são crimes mais leves, e mais frequentes, os que impactam diretamente na sensação de segurança da população. E nesse quesito o Rio de Janeiro vai mal. Os roubos de rua – que compreendem os assaltos, os roubos de celular e os ataques dentro do transporte público – são os que mais rapidamente se refletem no comportamento da população. Em janeiro deste ano o Rio de Janeiro bateu um recorde, com o maior índice de roubos dos últimos dez anos. Somados todos os tipos de roubo (residência, coletivos, transeuntes, carros e celulares), o primeiro mês do ano da Copa do Mundo foi o mais perigoso dos últimos dez anos, com 13.876 registros.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PEDE SUSPENSÃO DA 12ª RODADA DE LICITAÇÕES DA ANP

O Ministério Público Federal entrou com ação civil pública pedindo a suspensão dos resultados da 12ª Rodada de Licitações realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP) em novembro do ano passado. A ação pede liminar para suspender imediatamente os resultados e questiona a permissão para exploração de gás de folhelho (ou gás de xisto) na Bacia do Rio Paraná, no sul do País. Esta foi a primeira rodada da agência em que estava prevista a exploração de gases não convencionais pelos consórcios exploradores. Com o certame, a agência arrecadou mais de 21,4 milhões de reais em bônus pela exploração das áreas questionadas pelo Ministério Público Federal de Cascavel, no interior do Paraná. A ação é direcionada para o setor SPAR-CS, que engloba 11 blocos localizados no Oeste do Estado. A ação foi proposta em 20 de maio e, além da ANP, questiona também as empresas que participaram do leilão para a área da Bacia do Paraná. Sete blocos foram arrematados pela Petrobras, sendo cinco deles em parceria com a empresa Cowan Petróleo, que possuía 40% de participação em cada um dos blocos em que integra o consórcio vencedor. O Ministério Público Federal considerou que a liberação desse tipo de exploração pela ANP foi "precipitada e temerária". "Essa técnica de exploração é altamente questionada no mundo inteiro (foi proibida, inclusive, em países como Itália, Áustria, Dinamarca e Alemanha) e representa um potencial e extenso dano ambiental em caráter irreversível, especialmente em relação aos cursos de água e aquíferos que se localizam na região em que ocorrer - no caso, na Bacia do Rio Paraná, atingindo diretamente o Aquífero Guarani, um dos maiores do Brasil", diz o comunicado da Procuradoria. De acordo o Ministério Público, a licitação também possui vícios que poderiam anular o procedimento. A ação entende que a suspensão deve acontecer até que sejam feitos "estudos técnicos que demonstrem a viabilidade, ou não, do uso da técnica do fraturamento hidráulico em solo brasileiro, com prévia regulamentação do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama)". A procuradoria solicita ainda que a possível exploração dos blocos deve levar em consideração "a participação das pessoas que serão impactadas diretamente pela exploração, como os moradores da Terra Indígena Xetá e da comunidade quilombola Manoel Ciríaco dos Santos, que não foram consultados previamente".

RELATOR QUER CONVOCAR EX-DIRETORES DA PETROBRAS PARA DEPOIMENTO EM CPI

O relator da CPI mista da Petrobras, deputado federal Marco Maia (PT-RS), defendeu nesta segunda-feira que a comissão priorize os depoimentos dos ex-diretores da estatal, Nestor Cerveró e Paulo Roberto Costa, e do doleiro Alberto Youssef. Para Marco Maia, os três devem ser os primeiros a ser ouvidos pelo colegiado. Marco Maia apresentou nesta segunda-feira o plano de trabalho da CPI, mas não justificou por que quer ouvir os três imediatamente. Ele afirmou apenas que pedidos de oitivas do ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, e da atual, Graça Foster, não são urgentes porque ambos participaram de audiências públicas na Câmara e no Senado recentemente. “Como já foram ouvidos exaustivamente tanto na CPI do Senado e em comissões do Senado e da Câmara, neste momento ouvi-los seria repetir mais do mesmo”, afirmou. Segundo o presidente da CPI mista, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), já foram apresentados 606 requerimentos para depoimentos, quebra de sigilo e acesso a documentos. O relator propôs que 227 requerimentos sejam votados em bloco nesta terça-feira. Na última semana, quando a CPI mista foi instalada, os oposicionistas, que têm oito das 32 cadeiras da comissão, defenderam que as primeiras iniciativas fossem as convocações de Nestor Cerveró, Alberto Youssef, Paulo Roberto Costa, além de propostas de quebra de sigilo fiscal, bancário e telefônico. Depois de abandonar a CPI da Petrobras no Senado para pressionar a instalação da comissão mista, a oposição também sugeriu a criação de quatro subcomissões para apurar, separadamente, irregularidades envolvendo a Petrobras e a SBM offshore, a compra de refinarias, a construção de plataformas incompletas e a controversa aquisição da refinaria de Pasadena, no Texas.

ASTRÔNOMOS DESCOBREM A PRIMEIRA MEGA-TERRA

Cientistas da Universidade Harvard anunciaram nesta segunda-feira a descoberta da primeira Mega-Terra, um planeta rochoso que tem duas vezes o tamanho da Terra e 17 vezes a sua massa. O planeta superou as já conhecidas Super-Terras, que têm entre cinco e dez massas terrestres. Catalogado como Kepler-10c, o planeta foi apelidado de "Godzilla das Terras" pelo pesquisador Dimitar Sasselov, diretor da Iniciativa Origens da Vida da Universidade Harvard. A descoberta foi apresentada no evento da Sociedade Americana de Astronomia. Um ano neste planeta, que está a 560 anos-luz da Terra, na Constelação Draco, dura apenas o equivalente a 45 dos nossos dias. O Kepler-10c foi avistado pela primeira vez pelo telescópio espacial Kepler, que busca planetas a partir da variação que eles causam no brilho de uma estrela ao passar na frente dela. Com essa técnica, os astrônomos conseguem determinar o diâmetro do planeta, mas não sua composição. Por ter um pouco mais do dobro do diâmetro da Terra, o planeta a princípio foi considerado gasoso e classificado como um mini-Netuno. Os pesquisadores utilizaram então o Telescopio Nazionale Galileo, localizado nas Ilhas Canárias, para medir a massa do Kepler-10c e descobriram que era muito maior do que imaginavam: o equivalente a 17 vezes a massa da Terra, o que indica que se trata de um planeta rochoso. "Como ele é bastante massivo, tem o potencial grande de ter retido sua atmosfera, o que favorece a existência de vida. Além disso, o sistema estelar do qual ele faz parte, o Kepler 10, é muito antigo. A descoberta desta Mega-Terra traz implicações para a história do Universo e a possibilidade de existência de vida em outros planetas. Isso porque o sistema do qual ela faz parte se formou há 11 bilhões de anos, menos de 3 bilhões depois do Big Bang. De acordo com as teorias tradicionais de formação planetária, o Universo inicialmente continha apenas hidrogênio e hélio. Elementos mais pesados, necessários para a formação de planetas rochosos, como ferro e silício, teriam se originado a partir da primeira geração de estrelas que, ao explodir, espalharam esses ingredientes pelo espaço. Estima-se que esse processo demorou bilhões de anos para acontecer, mas o Kepler-10c mostra que o Universo foi capaz de formar planetas rochosos grandes mesmo durante o período em que os elementos mais pesados eram escassos. "Nós nem imaginávamos que podiam existir planetas como esse, que representa um novo desafio para a ciência desvendar. Podemos esperar muitos outros planetas estranhos e complexos que serão descobertos, mostrando que o Universo ainda está repleto de novidades, e, talvez, de outros mundos habitáveis", completa Galante.

MINISTRO MARCO AURÉLIO MELO CONFIRMA DECISÃO DE JOAQUIM BARBOSA E MANTÉM O BANDIDO PETISTA MENSALEIRO JOSÉ DIRCEU NA PAPUDA

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, negou pedido apresentado pelo PT para revogar as decisões do presidente da Corte, Joaquim Barbosa, que cassou os benefícios de trabalho externo dos condenados no processo do Mensalão do PT. Nas decisões, Joaquim Barbosa entendeu que os condenados não têm direito ao benefício por não terem cumprido um sexto da pena. Com base no Artigo 37 da Lei de Execução Penal, que prevê o cumprimento de um sexto da pena ao preso do regime semiaberto antes da autorização para deixar o estabelecimento prisional para trabalho, Barbosa negou pedido feito pela defesa do ex-ministro da Casa Civil, o bandido petista mensaleiro José Dirceu e revogou o benefício do ex-tesoureiro do PT, o também bandido petista mensaleiro Delúbio Soares, dos ex-deputados federais Valdemar Costa Neto, Pedro Corrêa e Carlos Alberto Pinto Rodrigues (Bispo Rodrigues), além de Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do então Partido Liberal (PL). Na arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF), o advogado do PT, Rodrigo Mudrovitsch, argumentou que a exigência é “incompatível” com o Artigo 5º da Constituição Federal, podendo afetar milhares de apenados, o que, segundo ele, seria um “contrassenso à individualização da pena”. De acordo com o advogado, a decisão do ministro Joaquim Barbosa fere o preceito constitucional da obrigação de se assegurar aos apenados o respeito à integridade física e moral. Marco Aurélio negou o pedido do PT por considerar que a ADPF não é adequada para o caso em análise.

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA TEM O PIOR SALDO PARA MAIO DOS ÚLTIMOS 12 ANOS

A balança comercial brasileira registrou superávit de 712 milhões de dólares em maio, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O resultado é o pior para o mês desde 2002, quando houve saldo positivo de 384,2 milhões de dólares. Enquanto as exportações somaram 20,752 bilhões de dólares, com média diária de 988,2 milhões, as importações totalizaram 20,040 bilhões de dólares no mês passado, com média diária de 954,3 milhões de dólares. O resultado do mês de maio ficou muito pior do que as previsões dos analistas, de saldo negativo de 75 milhões de dólares. As projeções variavam de um resultado negativo de 600 milhões de dólares a um superávit de 100 milhões de dólares. Na última semana de maio, houve um superávit de 1,057 bilhão de dólares. No acumulado dos primeiros cinco meses de 2014, o saldo ficou negativo em 4,854 bilhões de dólares, com exportações de 90,064 bilhões de dólares e importações de 94,918 bilhões de dólares.

LASIER MARTINS E PDT VÃO À JUSTIÇA ELEITORAL CONTRA CAMPANHA ELEITORAL ANTECIPADA DIFAMATÓRIA NA INTERNET

O jornalista Lasier Martins e o seu partido, o PDT, resolveram acionar o governador Tarso Genro por propaganda eleitoral antecipada, reclamando sobretudo dos posts disponibilizados na semana passada no Facebook e no Twitter, sempre contra o candidato trabalhista ao Senado. Facebook e Twitter são administrados pelo Gabinete Digital, vinculado diretamente ao gabinete de Tarso Genro. O governo não anunciou nenhuma punição aos funcionários que difamaram o candidato do PDT, usando ilegalmente ferramentas digitais, salários e espaços mantidos com dinheiro público, violando além disto as regras legais da impessoalidade nos atos públicos. Por ordem de Tarso Genro, o governo retirou a poltrona da sala (bloqueio de acesso ao Twitter e Face). O responsável pelo controle dessa área no Palácio Piratini é o grande responsável dentro do PT gaúcho, e do governo do peremptório petista Tarso Genro, na área de informação. Ele se chama Marrey.

ECONOMISTA DARCI F. C. DOS SANTOS DEMONSTRA QUE O RIO GRANDE DO SUL É O ESTADO QUE MENOS CRESCE NO SUL DO BRASIL

Do jornalista Políbio Braga - Depois de ler o artigo do economista Darcy Francisco Carvalho dos Santos (Análise comparativa dos Estados da Região Sul), fica impossível considerar séria a caríssima campanha de propaganda paga pelos cofres públicos do governo Tarso Genro, tentando vender a idéia de que "o RS é o Estado que mais cresce no Brasil". O editor já tocou neste ponto antes. É tudo propaganda enganosa. A economia do Rio Grande do Sul cresce como o rabo do cavalo. No seu artigo, o economista gaúcho analisa o desempenho dos três Estados do Sul ao longo da década 2003-2012, entre si e comparativamente ao Brasil como um todo. A base de cálculo são indicadores construídos a partir do arquivo Execução Orçamentária dos Estados, elaborado pela Secretaria do Tesouro Nacional. Os números são ajustados pelo IPCA, portanto são reais.
Crescimento da Receita Corrente Líquida - Brasil, 68,6%
Paraná, 59,5%
RS, 39,8%
Santa Catarina, 94,7%
Fatia do RS no PIB do Brasil
2003 - 7,3%
2012 - 6,.4%
São números. Qualquer pessoa pode fazer o cálculo. No período, o Rio Grande do Sul foi o que mais despendeu com previdência no Brasil, aquele de maior passivo entre todos os Estados, ficando em último lugar no País em investimentos.

DILMA ERGUE A TAÇA E COMEMORA A COPA QUE NÃO ENTREGOU

Presidente Dilma Rousseff levanta a taça da Copa do Mundo durante apresentação oficial pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, no Palácio do Planalto (Dida Sampaio/AE)
Presidente Dilma Rousseff levanta a taça da Copa do Mundo durante apresentação oficial pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, no Palácio do Planalto (Dida Sampaio/AE)
Na VEJA.com: A dez dias do início da Copa do Mundo no Brasil, com uma lista de obras em estádios inacabadas e outras de mobilidade urbana que não serão cumpridas, a presidente Dilma Rousseff resolveu posar para fotos erguendo a taça oficial do mundial de futebol. “Os estádios estão prontos. Muitos deles foram palcos dos campeonatos estaduais e do Brasileiro. Os aeroportos, por onde a maioria dos nossos visitantes passará, estão preparados para essa demanda adicional que nós vamos receber neste mês”, discursou em evento ao lado do presidente da Fifa, Joseph Blatter, do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e do ex-jogador Cafu. No auge da cerimônia, Dilma pediu ajuda ao capitão do penta para, em um ato deselegante com as delegações que desembarcam no país, erguer a taça. Chefes de Estado têm permissão para tocar no troféu, mas ele é feito para ser erguido por jogadores de futebol e não por políticos. Para quem viu o país patinar na organização do torneio e receber sucessivas críticas da Fifa, é difícil compreender o que a presidente fez questão de comemorar. 

AEROPORTOS DA COPA DO MUNDO: TESTADOS E REPROVADOS PELA POLÍCIA FEDERAL

Além das filas e dos atrasos, aeroportos também preocupam pela falta de segurança

Além das filas e dos atrasos, aeroportos também preocupam pela falta de segurança (ALE SILVA/FUTURA PRESS)
A poucos dias do início da Copa do Mundo, os aeroportos brasileiros já começam a maltratar os turistas que vêm ver os jogos. Mesmo remendados para se adequarem às exigências da Fifa, o que se prevê são filas e a desinformação de sempre — tudo potencializado pela explosão da demanda. Estima-se que 600.000 turistas estrangeiros circulem por esses locais durante o Mundial. Mas, além dos gargalos mais conhecidos por quem costuma percorrer os tortuosos caminhos dos aeroportos brasileiros, há outro, menos visível, que vem afligindo autoridades em Brasília: a falta de segurança nas portas de entrada do País. Oficialmente, a Polícia Federal garante que está tudo sob controle. Dois relatórios reservados da própria Polícia Federal, porém, mostram a distância entre a realidade e a versão oficial. Um dos documentos descreve os resultados dos testes de segurança realizados em dezesseis aeroportos. Catorze foram reprovados em mais de 50% dos itens analisados. O segundo relatório trata apenas do Galeão, no Rio de Janeiro, e é bastante didático quanto à extensão do descalabro: não raro, traficantes armados perambulam por ali em áreas restritas, informa o texto. VEJA teve acesso ao documento de dezembro de 2012 que traz à luz o atoleiro de notas vermelhas na área da segurança. Naquele ano, os aeroportos que pior se saíram na avaliação da Polícia Federal foram precisamente os que terão maior movimento na Copa: Congonhas foi reprovado em 85% dos itens; Galeão, em 75%; Confins, em 70%; e Guarulhos, em 69%. Em um dos testes, agentes disfarçados conseguiram facilmente embarcar simulacros de artefatos explosivos em bagagens de vôos internacionais. Entrar em áreas proibidas com credenciais irregulares tampouco foi um problema.Uma peneira federal
UMA PENEIRA FEDERAL – Documentos a que VEJA teve acesso expõem a vulnerabilidade dos aeroportos do país: um deles mostra a facilidade com que policiais disfarçados colocaram simulacros de explosivos em bagagens de voos internacionais; outro revela que traficantes chegam a roubar até cabos dentro do Galeão
Exercício se repetiu no fim do ano passado, dessa vez em todos os aeroportos da Copa, e só serviu para enfatizar o que já havia sido constatado. “Nada mudou. É uma bagunça generalizada”, afirma um policial que integrou a equipe. Entre as constatações, descobriu-se uma zona de sombra que ameaça um ponto-­chave da segurança: a fiscalização dos passaportes. Faltam agentes para realizar a tarefa e, segundo o relato de mais de uma dezena de policiais ouvidos em quatro grandes aeroportos, o sistema de computadores da imigração, por causa da manutenção precária, funciona com extrema lentidão — quando funciona. “Operamos a maior parte do tempo off-­line, recolhendo apenas o formulário de entrada. Do contrário, as filas seriam intermináveis”, diz um delegado da Polícia Federal. “É o que chamamos de abrir a porteira.” Sem o sistema, os agentes trabalham no escuro, ignorando se o turista que deixaram entrar é, por exemplo, um terrorista procurado.
Com os jatinhos particulares — e milhares deles estão prestes a pousar em terreno brasileiro — a situação se agrava ainda mais. Nesses casos, os viajantes nem sequer costumam passar pelos guichês da imigração. “É o piloto quem informa o número de passageiros pelo rádio e encaminha os passaportes. Se quiser, ele poderá omitir a presença de uma pessoa e ela entrará clandestinamente no País, na maior tranquilidade”, conta um experiente funcionário da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
A fiscalização precária não se limita ao espaço aéreo — a peneira furada é a dura realidade também nos portos do País. A Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar) estima que 23 000 turistas desembarcarão no Rio de Janeiro, em Santos e em Salvador por estes dias. No Porto do Rio de Janeiro, a conferência da documentação dos cerca de 3 000 passageiros de cada embarcação caberá a dois ou, no máximo, três agentes. “Entramos no navio e registramos a pilha de passaportes que nos entregam. Não chegamos nem a ver as pessoas, quanto mais saber se todas foram contabilizadas”, relata um agente.
Segundo aeroporto mais movimentado do País, o Galeão mereceu um relatório à parte por causa de uma característica singular: ele está circundado de favelas tomadas por bandidos que agem não só nas suas imediações, mas também no seu interior. O vaivém dos traficantes não se dá nos saguões, mas em áreas menos visíveis, onde praticamente inexiste vigilância. O relatório mapeia oito pontos especialmente vulneráveis. Em alguns deles, os bandos se infiltram para surrupiar cabos, crime contumaz no local e uma das causas dos apagões que a toda hora deixam o Galeão às escuras.
Numa via que leva à área de apoio do aeroporto, a investigação flagrou uma solitária cancela desativada. “Há acesso irrestrito a qualquer veículo, tornand­o-se um potencial alvo de atentados”, conclui o texto. Para reforçar o contingente durante a Copa com policiais de outras cidades, a PF está oferecendo o dobro do valor das diárias. Pode funcionar por ora, mas é solução temporária. Dado o apito final no Maracanã, a segurança nas portas de entrada do país voltará a ser como antes: padrão Brasil. 

MINISTÉRIO PÚBLICO E ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA GAÚCHA EXIGEM TRANSPARÊNCIA NOS GASTOS DOS R$ 30 MILHÕES DAS ESTRUTURAS TEMPORÁRIAS DA COPA DO MUNDO

Além do presidente da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado estadual Gilmar Sossela (PDT), também o Ministério Público do Estado exige que o governo do peremptório petista "grilo falante" Tarso Genro divulgue os gastos com as estruturas temporárias do estádio Beira-Rio para a Copa do Mundo. Lei criada para que empresas financiem os equipamentos em troca de isenção de ICMS prevê que os dados sejam disponibilizados, em tempo real no site da administração estadual, contratos, valores, compras e toda a aplicação dos recursos. O governo prometeu fazer a divulgação ainda nesta segunda-feira, mas até agora sequer respondeu às exigências feitas publicamente. (Políbio Braga)

"NÃO POSSO COMENTAR", DIZ GRAÇA FOSTER SOBRE DECLARAÇÕES DE EX-DIRETOR DA PETROBRAS

A presidente da Petrobras, Graça Foster, não quis comentar as declarações do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa, um dos principais investigados pela Operação Lava-Jato da Polícia Federa. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Costa afirmou que o aumento dos custos de construção da refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco, foi um erro de planejamento e que a estatal “fez conta de padeiro” sobre o orçamento da obra. “Não é que eu não queira falar, eu não posso”, disse Graça ao deixar um seminário na Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro. A construção da refinaria Abreu e Lima começou com custo de 2,5 bilhões de dólares (5,6 bilhões de reais), mas deverá terminar em 18,5 bilhões de dólares (41,5 bilhões de reais). O Tribunal de Contas da União (TCU) apontou indícios de superfaturamento na obra. Paulo Roberto Costa ficou dois meses preso por envolvimento em esquema de lavagem de dinheiro que movimentou 10 bilhões de reais. Paulo Roberto Costa afirmou que a Petrobras “errou” por ter divulgado que a refinaria de Abreu e Lima sairia a 2,5 bilhões de dólares sem saber qual seria o custo real do projeto. “Não teve superfaturamento. Como você avalia o custo de uma refinaria? A Petrobras pegou uma refinaria no golfo do México e falou: quanto custa o preço por barril para construir uma refinaria lá? Custa 15.000 dólares, 20.000 dólares. Se fosse 15.000 dólares por barril e Abreu e Lima produzisse 200.000 barris, a obra ficaria em 3 bilhões de dólares. Essa é uma conta de padeiro. As condições aqui são muito diferentes das do golfo do México. A Petrobras errou. Divulgou o valor de 2,5 bilhões de dólares sem saber quanto a refinaria iria custar, sem ter um projeto”, afirmou o ex-diretor da estatal. Ele disse ainda que “era dono do orçamento, mas não mandava na obra” de Abreu e Lima. “Os contratos têm de ser aprovados pela diretoria colegiada: o presidente e sete diretores. Quem levava esses documentos era o diretor da área de serviços, não a minha diretoria”, justificou. 

AYRES BRITTO NA COMISSÃO DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO: BOA NOTÍCIA! QUE ELE VÁ AO STF CONTRA A CENSURA QUE SOBREVIVE DA LEGISLAÇÃO ELEITORAL

A OAB — Ordem dos Advogados do Brasil — deu posse nesta segunda-feira à Comissão Especial de Defesa da Liberdade de Expressão. Seu presidente será um homem que já demonstrou uma compreensão larga, profunda, generosa e, ao mesmo tempo, rigorosa do que é o direito de informar. Trata-se de Carlos Ayres Britto, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, que soube dignificar a cadeira que ocupou na chamada egrégia corte do País. Em seu discurso, destacou Britto: “Não há democracia sem liberdade de imprensa, as duas coisas juntas criam a mesma ambiência. (…) O debate crítico é eminentemente libertário, emancipatório”. Pois bem! Neste blog, na minha coluna na Folha e no programa “Os Pingos nos Is”, na Jovem Pan, tenho chamado a atenção para a sobrevivência de um mecanismo de censura na Lei Eleitoral nº 9.504, que tende a silenciar os jornalistas de rádio e televisão. Por quê? Diz a lei, no Inciso III do Artigo 45, que, a partir de 1º de julho do ano da eleição, é vedado às emissoras de rádio e televisão, em sua programação normal e no noticiário, “veicular propaganda política ou difundir opinião favorável ou contrária a candidato, partido, coligação, a seus órgãos ou representantes”. Ora, se faz sentido, e faz todo, não veicular propaganda política como se notícia fosse, que diabos significa “difundir opinião favorável ou contrária a candidato ou partido”? A expressão é de tal sorte subjetiva que se busca, sob pena de multa e ameaças maiores, calar o jornalismo. Cabe a pergunta óbvia: um analista afirmar que determinada proposta de um candidato é boa, sensata, justa, matematicamente correta, corresponde à difusão de opinião favorável? E se um postulante a cargo público, levando a idéia ao absurdo, propuser o fim da Lei da Gravidade? Deve o jornalista ser impedido de apontar que se está diante de uma óbvia bobagem?

Dirijo-me agora diretamente a Ayres Britto, que deu um belíssimo voto em favor do fim da famigerada Lei de Imprensa, que carregava ainda o ranço do regime autoritário: o senhor que se fez um doutor em liberdade de expressão tem de se debruçar sobre esse Inciso III e perceber que aí está o germe da censura — e o que é pior: de uma forma perversa de censura prévia. Espero que Britto convença a OAB que já passou da hora de recorrer ao Supremo contra essa excrescência, incompatível com a democracia. Em entrevista ao programa “Os Pingtos nos Is”, o ex-ministro deixou claro que a restrição viola a liberdade de expressão e a liberdade de informação.
Dado o histórico de Britto, a Comissão Especial da OAB não poderia estar em melhores mãos. Que ele concorra para eliminar mais esse entulho autoritário da legislação recorrendo, sem tardança, ao Supremo com uma Ação Direita de Inconstitucionalidade contra o Inciso III do Artigo 45 da Lei 9504. Afinal, como diz o ex-ministro, “o debate crítico é eminentemente libertário, emancipatório”. Por Reinaldo Azevedo

PT PAULISTA AFASTA DEPUTADO QUE FOI A REUNIÃO COM MEMBROS DO PCC E RECEBEU DEPOIS O CANDIDATO ALEXANDRE PADILHA EM UMA FESTANÇA; COMANDO PRESSIONA PARA QUE ELE DEIXE O PARTIDO

Padilha (camisa azul) junto Luiz (primeiro à esq) e Senival Moura: tudo positivo e operante...:
Padilha (camisa azul) com Luiz (primeiro à esq.) e Senival Moura: tudo positivo e operante…
O PT de São Paulo decidiu afastar o deputado estadual Luiz Moura de suas funções partidárias e resolveu lhe dar um ultimato: ou pede desfiliação do partido ou será expulso. A decisão foi tomada à revelia do grupo liderado pelo deputado federal licenciado Jilmar Tatto, atual secretário de Transportes da gestão Fernando Haddad. A crise foi deflagrada depois que o secretário de Comunicação do governo de São Paulo, Márcio Aith, revelou que a Polícia havia surpreendido um deputado numa reunião com membros do PCC cujo objetivo era incendiar ônibus. Descobriu-se, mais tarde, que esse deputado era Luiz Moura.
O político — que é ligado a cooperativas de perueiros, bem como seu irmão, Senival Moura, vereador do partido na capital — nega envolvimento com o crime organizado e diz estar sendo alvo de preconceito por ter sido condenado, no passado, a 12 anos de cadeia por vários assaltos à mão armada. Ele fugiu da cadeia e não cumpriu a pena. Obteve perdão judicial em 2005 e conseguiu até um atestado de pobreza, em que declarava não ter condições de arcar com o custo de sua defesa ou de ressarcir suas vítimas. Cinco anos depois, já candidato a deputado estadual, declarou um patrimônio superior a R$ 5 milhões.
O petista Luiz Moura pertence ao grupo político de Jilmar Tatto, que também tem sua base política entre as cooperativas de perueiros. A polícia investiga a infiltração do PCC no setor. O deputado que agora está sendo mandado para escanteio era uma liderança em ascensão no partido. Em sua festa de aniversário, a figura de maior destaque, com direito a discurso, foi Alexandre Padilha, que vai disputar o governo de São Paulo pelo PT, conforme atesta foto lá no alto. Jair Tatto, irmão de Jilmar, vereador na capital, também estava presente. Por Reinaldo Azevedo