sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

MÉDICA CUBANA COBRA NA JUSTIÇA INDENIZAÇÃO DE R$ 149 MIL

A médica cubana Romana Rodriguez entrou nesta sexta-feira com uma ação trabalhista e por danos morais na Vara do Trabalho de Tucuruí, no Pará, pedindo indenização de 149.693,37 reais. Romana deixou a cidade de Pacajá (PA) no início do mês, onde trabalhava como única médica de um posto de saúde pelo programa federal Mais Médicos, alegando se sentir enganada por receber menos que os outros participantes do programa federal. A ação é contra a União e o município de Pacajá. No documento, Ramona alega que recebia 22% da remuneração ofertada aos demais médicos apesar de exercer a mesma função deles. De acordo com contrato firmado com a Sociedade Mercantil Cubana Comercializadora de Serviços Médicos Cubanos, a médica teria direito a receber cerca de 1.000 reais mensais (400 dólares) e seriam destinados 600 dólares para uma conta em Cuba, cujo valor total poderia ser sacado ao fim do programa – em três anos. Enquanto isso, os participantes – brasileiros e estrangeiros não cubanos – recebem 10.000 mensais. “Tal fato demonstra a discriminação sofrida pela reclamante e a violação aos princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana e igualdade. Não há justificativa plausível para explicar o fato de os profissionais cubanos receberem valor menor que os profissionais de outra nacionalidade, com a anuência do governo”, alega o advogado João Brasil de Castro na ação. A defesa alega ainda que a cubana vivia “sob constante monitoramento, sendo vigiada por um supervisor a quem deveria se reportar quando pretendia alterar sua rotina” e que o pedido de autorização para sair de casa se estendia inclusive durante o período de descanso. “A reclamante sofreu tratamento discriminatório desde a sua chegada em nosso país. Com efeito, a cooptação da trabalhadora fere os direitos estabelecidos em nossa Carta Constitucional, os quais pareceram ser mitigados em desfavor da estrangeira, que vem de uma nação que vive sob o jugo de um regime totalitário”, diz o advogado. Somente por danos morais, a defesa pede uma indenização de 80.000 reais. Os outros pagamentos são referentes a 13º salário, diferença salarial referente aos quatro meses em que atuou no programa, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e multas. Além disso, a ação pede, de forma liminar, o bloqueio dos valores destinados para Cuba que seriam pagos para Ramona. A médica conseguiu refúgio provisório no Brasil e começou a trabalhar nesta semana na Associação Médica Brasileira (AMB), com salário de 3.000 reais.

A DELINQUÊNCIA INTELECTUAL NA ENTREVISTA DE UM CHEFETE DO PSTU

Um festival de boçalidade, covardia e prevaricação toma conta do país. Aconteceu o que parecia impossível. Agora estamos discutindo se sair quebrando e incendiando tudo por aí é ou não, em alguma medida, aceitável. Há estupidez em todo canto: na imprensa, no governo, nos partidos de esquerda…

O presidente do PSTU do Rio de Janeiro, por exemplo, um certo Ciro Garcia, resolveu conceder uma entrevista coletiva para negar que o partido tenha vínculos com a violência de rua. Muito bem! Então não tem. Mas o que ele pensa a respeito parece dar pistas do que a sua turma anda a fazer nos bastidores. Garcia diz que, se existe financiamento para os black blocs, ele “vem da direita”. É mesmo? Qual direita? Na única lista que veio a público até agora com doações àqueles patriotas, só há esquerdistas. Ou o PSOL se situa à direita no espectro político?
Mas essa ainda uma abjeção leve deste senhor. Referindo-se ao assassinato do cinegrafista Santiago Andrade, afirmou:
“Foi uma ação inconsequente de consequências desastrosas. Não temos nenhuma relação com esses meninos. Não acreditamos com a metodologia por acreditarmos que ela serve à própria burguesia, que não quer as pessoas nas ruas. Essa criminalização das pessoas que estão protestado, porém, é intencional para esvaziar as ruas às vésperas da Copa do Mundo”.
Então vou decupar a fala desse valente:
1: para ele, a estratégia só é ruim porque, a seu juízo, serve à burguesia. Não fosse isso, infere-se, seria boa. Não se trata de um repúdio à violência como princípio. Ele só acha que não atende a bons fins. Um gigante moral!
2: Não são meninos.
3: Qual criminalização? Quem está criminalizando o quê? O que é intencional? Será que Santiago Andrade se deixou assassinar apenas para esvaziar as ruas?
A delinquência intelectual dessa gente não tem limites. Segundo esse cara, “a linha editorial da grande mídia é a da espetacularização da violência. Deu-se importância maior ao quebra-quebra do que às reivindicações dos trabalhadores e da juventude”.
Decupo de novo:
1: Ainda que tudo tivesse se resumido ao quebra-quebra, note-se: ele sempre será mais importante do que as reivindicações — já que a imprensa atende aos interesses coletivos, não os de grupos minoritários.
2: Quebra-quebra uma ova! Um homem foi morto, sujeito! Um pai de família teve os miolos estourados por delinquentes disfarçados de manifestantes.
3: Quem é o PSTU para falar em nome “dos trabalhadores e da juventude”? Esse partido não conseguiu até hoje eleger um único representante no Congresso porque se sustenta aparelhando alguns sindicatos e algumas entidades estudantis — e nada mais. O povo mesmo nem sabe que existe;  não saberia distinguir o partido de um rato morto. Por Reinaldo Azevedo

DILMA PRESSIONA E PETROBRAS PRODUZ NO LIMITE DA IRRESPONSABILIDADE, VIDAS DE TRABALHADORES CORREM RISCO EM ALTO MAR

Última plataforma da Petrobrás a ser entregue, em cerimônia em dezembro, com a presença da presidente Dilma Rousseff, a P-62 saiu do estaleiro incompleta. Não foi a primeira, segundo sindicalistas. Por pressão política, para melhorar o saldo da balança comercial e para dar satisfação ao mercado, as plataformas são inauguradas inacabadas e depois finalizadas em mar - o que é mais caro e lento para a empresa, além de menos seguro para trabalhadores. "Precisam justificar ao mercado que a empresa vai ter capacidade de produção nos próximos meses, tem muita pressão", diz o representante dos trabalhadores no conselho de administração da Petrobrás, José Maria Rangel, que levará o assunto a discussão na reunião do órgão no próximo dia 25. O diretor de segurança e saúde do Sindipetro-NF, Norton Almeida, credita o lançamento ao mar de plataformas ainda não operacionais a pressão política. No início do mês, ele embarcou na P-62 e conferiu pessoalmente os problemas. O sindicato diz que o sistema náutico saiu do estaleiro sem um cabo de ré, sem uma das amarras do sistema de ancoragem de bombordo (lado esquerdo) e sem o sistema elétrico pronto, entre outros itens. O cabeamento de energia incompleto forçou, por exemplo, a instalação de um gerador de energia que pegou fogo em janeiro, quando a plataforma navegava em direção ao campo de Roncador, na Bacia de Campos. Foram 40 minutos para controlar o incêndio, ao lado de um tanque de diesel, segundo Almeida. A unidade chegou à locação com duas semanas de atraso. O sindicato diz que, se a plataforma ficasse mais alguns dias no Estaleiro Atlântico Sul (EAS, Pernambuco), muitos dos problemas poderiam ter sido resolvidos, já que em terra milhares de operários podem trabalhar simultaneamente, enquanto em mar a legislação internacional limita a tripulação. A P-62 está com 160 homens embarcados e 20 em barco de apoio. Além disso, a instabilidade marítima traz riscos para manipulação de itens pesados e a distância torna toda a logística mais cara e lenta. Hoje, qualquer parafuso precisa viajar 125 km da costa para chegar ao destino final. "Não é um cálculo nada matemático, mas um serviço em mar pode levar dez vezes mais tempo do que em terra, e custar dez, quinze vezes mais. Tudo fica mais difícil", disse Almeida. O lançamento ao mar no Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em 30 de dezembro, fez cumprir, em calendário, o compromisso da Petrobrás de pôr na água nove plataformas em 2013. Em 31 de dezembro, foi lançada ao mar também a P-61, que saiu do estaleiro BrasFels, na baía de Angra dos Reis (RJ), para o campo de Papa-Terra, na Bacia de Campos. Também no último dia do ano a P-55 entrou em produção, às 22h30m, depois de ter sofrido reparos em mar. Depois de concluída, a plataforma se enquadra em um benefício tributário (Repetro). As embarcações passam ao guarda-chuva de uma subsidiária da Petrobrás na Europa e podem ser contabilizadas pelo País como exportação, mesmo sem sair do País. Só no quarto trimestre, quatro plataformas tiveram impacto de US$ 5,3 bilhões na balança comercial, maior valor já contabilizado em um trimestre. As nove plataformas têm potencial para adicionar capacidade de até 1 milhão de barris/dia e são apresentadas pela Petrobrás como a promessa da empresa para tirar a produção de petróleo da estagnação. Mesmo com o pré-sal, há quatro anos a produção não descola dos 2 milhões de barris/dia. O Sindipetro lembra que o problema não acontece com plataformas construídas por terceiros e afretadas (alugadas) pela Petrobrás. Estas só vão ao mar prontas, mesmo quando construídas em estaleiros brasileiros. "Em maior ou menor grau, isso (ir ao mar inacabada) aconteceu com as últimas 12 plataformas próprias da Petrobrás", disse Almeida, citando a P-43, P-48, P-50, P-51, P-52, P-53, P-54, P-55, P-56, P-57, P-58 e P-63.

PRESIDENTE DO BANCO MINEIRO QUE REPASSOU DINHEIRO AO VALERIODUTO É ASSESSOR DO PETISTA FERNANDO PIMENTEL

Ex-presidente do Bemge (Banco do Estado de Minas Gerais) e réu no processo do mensalão mineiro, ou Valerioduto, que tramita em Minas Gerais, José Afonso Bicalho trabalha como assessor econômico no gabinete do petista Fernando Pimentel no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Ele é contratado através do BNDES desde abril do ano passado. Quando Bicalho era presidente do Bemge, em 1998, o banco transferiu R$ 500 mil à SMP&B, agência de Marcos Valério, a título de patrocínio de um evento de motocross. O dinheiro teria sido desviado para a campanha pela reeleição de Eduardo Azeredo (PSDB), de acordo com a denúncia do Ministério Público. No processo, Bicalho responde pelo crime de peculato. Na noite de quarta-feira, outro réu do mesmo processo, o jornalista Eduardo Guedes, deixou a assessoria que prestava ao senador Aécio Neves (PSDB), depois da revelação de que ele ainda atuava próximo ao pré-candidato à Presidência, apesar de responder na Justiça por eventual participação no esquema de desvio de recursos implantado por Marcos Valério. Na quinta-feira, tanto o BNDES quanto o Ministério do Desenvolvimento se recusaram a informar o salário de Bicalho no governo federal, sob a alegação de que o decreto que regulamentou a Lei de Acesso à Informação desobrigaria o BNDES de divulgar o salário de seus empregados de forma individualizada.

PREFEITO FORTUNATI DENUNCIA O SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL, O PETISTA NEOTROTSKISTA ARNO AUGUSTIN, MANDRAKE DA ECONOMIA NACIONAL, DE TRANCAR A LIBERAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS JÁ ASSINADOS COM A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

O prefeito José Fortunati (PDT) usou a sua conta no Twitter para justificar a lentidão das obras de mobilidade urbana iniciadas na cidade de Porto Alegre e que estão paralisada para reclamar da demora do governo da petista Dilma Rousseff na liberação do empréstimo já tomado pela prefeitura para pagar as empreiteiras, sem o que elas não retomarão o ritmo forte que vinham executando até o final do terceiro trimestre do ano passado. A prefeitura já colocou por conta algo como R$ 80 milhões na frente, contando com o dinheiro, cujo contrato foi assinado com a Caixa Econômica Federal, mas cujos recursos são trancados pelo petista neotrotskista gaúcho Arno Augustin, secretário do Tesouro Nacional. Ele é membro da DS - Democracia Socialista, grupelho trotskista que habita o PT. E se tornou o grande Mandrake (mágico, truques) da economia da petista Dilma Rousseff. Fortunati faz de conta que não, mas o trancamento do dinheiro acontece por ordem direta de Dilma Rousseff. No governo Yeda Crusius, o "mandrake" Arno Augustin fez o que pôde e o que não pôde para trancar aval a empréstimo com o Banco Mundial, obrigando o senador Pedro Simon a fazer greve de fome na tribuna. Ele age novamente para boicotar interesses do Rio Grande do Sul, apenas porque não são patrocinados pela sua seita partidária. Esta semana, também o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, reclamou da "lentidão" do governo federal do PT, de Dilma Roussef. É uma lentidão proposital, destinada a criar problemas e produzir desgastes para o governante local.

ECONOMIA BRASILEIRA JÁ ESTÁ EM RECESSÃO, SEGUNDO DADOS DO BANCO CENTRAL

Em dezembro, segundo o Índice de Desempenho Econômico, uma espécie de PIB apurado pelo Banco Central, registrou um recuo de 1,35% ante novembro, o maior desde maio, que teve o mesmo resultado. Apesar de o indicador ter registrado dado positivo no conjunto do ano, economistas apontam para uma recessão técnica, já que o IBC-Br completou dois trimestres negativos seguidos. Na comparação do quarto trimestre com o terceiro, o IBC-Br mostrou contração de 0,17%, depois de ter se contraído 0,21% no terceiro trimestre sobre o segundo. No acumulado de 2013, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), acusou alta de 2,57%, tudo em função do desempenho razoável registrado nos dois primeiros trimestres do ano.

PREFEITO DE SÃO LEOPOLDO CONTINUA RECUPERANDO A PREFEITURA, QUE FOI DEVASTADA PELA GESTÃO DO PETISTA ARY VANAZZI

Em apenas um ano de administração, o prefeito Aníbal Moacir, o Moa, conseguiu pagar R$ 62,5 milhões, portanto 25% das dívidas vencidas de R$ 161 milhões deixadas pelo ex-prefeito Ary Vannazi, do PT. A prefeitura tinha sido incluída no Cadin, o que a impedia de tomar empréstimos com a banca privada e pública. O cadastro já está limpo novamente. O petista Ary Vannazi deixou dívidas milionárias com o Hospital Centenário, Fundo Municipal de Saúde e Instituto Municipal de Aposentadoria. Somente com fornecedores, o prefeito Moa pagou metade do que deixou pendurado o ex-prefeito do PT, ou seja, pagou R$ 50 milhões, tudo  para retomar os serviços e obras públicas inadiáveis. Até a coleta do lixo estava interrompida. E 100% dos precatórios atrasados foram pagos. O  empréstimo de R$ 6,7 milhões tomado para pagar o 13º salário dos funcionários foi quitado. O secretário da Fazenda, Gilso Gotardo, avisou que, além de pagar as dívidas deixadas penduradas, portanto já vencidas, a prefeitura passou a honrar em dia todos os novos compromissos. A herança maldita foi calculada esta semana em R$ 369 milhões, conforme exposição feita aos vereadores pelo secretário da Fazenda, Gilso Gotardo. Essa dívida, boa parte da qual nem foi contabilizada, dada a desordem administrativa do governo anterior, corresponde a 107% de toda a receita prevista para 2013. A nova administração reintroduziu a racionalidade administrativa e conseguiu com isto elevar a receita corrente líquida do município, que cresceu 14,11% no ano passado, alcançando R$ 349,3 milhões. A projeção da receita para este ano é de R$ 376 milhões. As transferências dos governos federal e estadual respondem pela metade dos valores. . A Folha de Pessoal responde por 49,97% de toda a receita, com viés de alta. Moa aumentou em 32,4% as transferências para o Hospital Centenário. Foram R$ 41,4 milhões em 2013. O ex-prefeito Ary Vannazi deixou dívidas de R$ R$ 7,7 milhões espetadas no Hospital Centenário, que registrou permanente turbulência durante sua segunda administração, vivendo crises permanentes e sob vigilância estreita até mesmo do Cremers, que chegou a determinar sua interdição. Por ordem do novo prefeito, o tucano Moa, que é médico, 40% das dívidas vencidas, no valor de R$ 3,1 milhões, foram quitadas. Além disto, a prefeitura elevou as transferências mensais para o hospital, que pularam de R$ 2,6 milhões do último ano da administração do PT, para o total de R$ 3,5 milhões em 2013 - mais 31,4%. Computando-se o Fundo Municipal de Saúde e o Centenário, a nova administração alocou R$ 87,1 milhões para a área de saúde no ano passado, 30,05% mais do que o total do último ano do petista Vannazi, que foi de R$ 67 milhões.

GILMAR MENDES: MENSALEIROS DEVEM USAR EXPERTISE ARRECADATÓRIA PARA RESSARCIR AOS COFRES PÚBLICOS PELO MENOS R$ 100 MILHÕES. E O QUE DIZ A CONSTITUIÇÃO. LEIA ÍNTEGRA DA RESPOSTA DO MINISTRO A SUPLICY

Que coisa, não? Foi preciso que um ministro do Supremo lembrasse o Inciso XLV do Artigo 5º da Constituição para que a, vá lá, consciência jurídica do País se desse conta do óbvio: penas são intransferíveis. E a multa aplicada pelo Supremo Tribunal Federal aos mensaleiros é parte da pena, a exemplo da prisão. Assim como petistas não podem se oferecer para passar alguns dias na cadeia em lugar de José Dirceu ou de Delúbio — não que, em muitos casos, não fosse, em si, merecido… —, é um deboche que esses senhores apelem a uma arrecadação pública para pagar uma multa, transferindo a outros a pena. O que diz o Inciso XLV? Isto: “XLV – nenhuma pena passará da pessoa do condenado, podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação do perdimento de bens ser, nos termos da lei, estendidas aos sucessores e contra eles executadas, até o limite do valor do patrimônio transferido”.

A que me refiro?
O ministro Gilmar Mendes, do STF, respondeu a um pedido de informação que lhe foi enviado pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP). O petista cobrou, ora vejam!, explicações do ministro, segundo quem o Ministério Público tem de apurar essas “doações” feitas aos petistas condenados. Na sua resposta, Gilmar Mendes sugere que a expertise arrecadatória da turma seja usada para ressarcir os cofres públicos dos pelos R$ 100 milhões desviados pelo mensalão. E vai ao ponto:“Repito: a falta de transparência na arrecadação desses valores torna ainda mais questionável procedimento que, mediando o pagamento de multa punitiva fixada em sentença de processo criminal, em última análise sabota e ridiculariza o cumprimento da pena – que a Constituição estabelece como individual e intransferível – pelo próprio apenado, fazendo aumentar a sensação de impunidade que tanto prejudica a paz social no País”.
O ministro lembra ainda que os sites criados para arrecadar dinheiro estão hospedados no exterior, o que cria dificuldades adicionais para verificar a origem do dinheiro. Bem, quando enviou o seu pedido de esclarecimento, Suplicy estava esperando uma aula de direito. Que tenha aprendido alguma coisa. Leia, abaixo, a íntegra da resposta de Mendes.
carta Gilmar 1
 Carta Gilmar 2
Por Reinaldo Azevedo

OU O BRASIL NÃO TERÁ UMA LEI ANTITERRORISMO OU TERÁ UMA QUE, NA PRÁTICA, VAI LIBERAR A EXTREMA ESQUERDA PARA PRATICAR O...... TERROR! OU: QUEM TEM MEDO DA LEI ANTITERRORISMO?

Cardozo: mais uma contribuição à confusão. Hora de pegar o paletó...
Cardozo: mais uma contribuição à confusão. Hora de pegar o paletó...
Às vezes, é desinformação; às vezes, é má-fé; com alguma frequência, trata-se de um misto das duas coisas. O Projeto de Lei do Senado 499, a chamada Lei Antiterrorismo (íntegra aqui), corre o risco de não sair do papel. A gritaria já começou. Se sair, é possível que a emenda fique bem pior do que o soneto porque os petistas, as esquerdas e seus porta-vozes na imprensa querem é criar uma espécie de “ECA do Terror” — ou por outra: os “movimentos sociais” passariam a ser as “crianças” e os “adolescentes” do terrorismo e seriam inimputáveis. Assim, determinados crimes, se praticados por esse ou aquele, mereceriam a designação de “terrorismo”; se, no entanto, seus autores forem “dos nossos” (isto é, da turma deles…), aí não!
Vamos botar os pingos nos is. Com ou sem black bloc nas ruas, o país precisa de uma lei para punir o terrorismo. Não posso afirmar com certeza, mas é possível que sejamos a única democracia do mundo cuja Constituição diz que “repudiar o terrorismo”, considerando-o, adicionalmente, crime inafiançável e não suscetível de graça ou anistia, mas que não tem a) uma legislação que defina o que é terror; b) estabeleça uma punição. Assim, sem lei, atos terroristas têm de ficar vagando pelo Código Penal em busca de uma tipificação.
O arquivo está aí. Nem se sonhava ainda em falar em black blocs, eu já chamava a atenção para tal fato. O Brasil prendeu um libanês ligado à Al Qaeda e o soltou. Não temos a lei antiterror em razão justamente desse alarido que vocês ouvem à volta e leem. Os nossos “progressistas” consideram isso muito “reacionário”.
O PLS 499 está sendo combatido sem que tenha sido lido. Articulistas escondem o texto do leitor porque isso facilita a peroração em nome da liberdade, entenderam? Quem de boa-fé pode se opor a isto?
Terrorismo texto 1
Terrorismo 3
Respondam
Quem pratica os atos que vão acima faz o quê? Militância política? Manifestação legítima? Protesto corriqueiro, a que a sociedade está sempre sujeita? Eis um texto que deveria ser aprovado no país ainda que vivêssemos o melhor dos mundos.
“Ah, mas o MST teria de abrir mão de certos procedimentos… E o MST, obviamente, não terrorista”, diz o inimigo da lógica. Ora, o MST, obviamente, não é terrorista desde que não pratique… terrorismo. As coisas são o que são em sua natureza, certo? Caso essa lei fosse aprovada, e o Movimento dos Sem-Terra fizesse uma das coisas nela previstas, estaria praticando… terrorismo, ora essa!
Digam-me: o texto acima impede alguém de ir às ruas expressar o seu descontentamento? Tolhe a liberdade de expressão? Impede a organização? Tenha paciência! José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, como não poderia deixar de ser, deu sua contribuição pessoal à confusão. Leio na Folha o que segue. Volto depois:
Folha Cardozo
1: Quem falou em impedir as manifestações?
2: Quem está pensando em criminalizar movimentos?
3: A afirmação de que a violência de rua “não é terrorismo” é só uma tolice. Em primeiro lugar, não poderia ser porque, dada a legislação brasileira, NADA É TERRORISMO. Esse crime ainda não foi tipificado. Se e quando for, então se vai avaliar. Em segundo lugar, algumas das práticas dos black blocs e do MST seriam, sim, consideradas terroristas nas democracias mais libertárias do mundo.
Passional uma ova!
Finalmente, execro mais uma vez essa conversa de “que não podemos agir de forma passional”. Muito bem! Então vamos agir de forma racional, senhor ministro! Qual é a proposta?
As elites intelectuais brasileiras padecem de uma espécie de Complexo de Superioridade Iluminista que as faz desprezar os problemas reais das pessoas em nome dos altos desígnios humanistas, que estariam muito distantes da percepção e da sensibilidade dos brutos e dos homens médios. É por isso que se está a fazer essa maravilha de País. É por causa da racionalidade de gente como Cardozo. Por Reinaldo Azevedo

UM DOS ASSASSINOS DO CINEGRAFISTA SANTIAGO ANDRADE CONFIRMA A EXISTÊNCIA DE GRUPOS QUE FINANCIAM A VIOLÊNCIA; O PETISTA JOSÉ EDUARDO CARDOZO DIZ QUE VAI INVESTIGAR. ENTÃO TÁ!

Caio Silva de Souza, um dos dois rapazes que acenderam o morteiro que matou o cinegrafista Santiago Andrade, prestou depoimento à polícia no complexo penitenciário de Bangu. Ele repetiu acusações feitas por seu advogado em entrevista concedida à rádio Jovem Pan na manhã de quarta-feira: afirmou que há, sim, grupos que financiam os protestos violentos e disse acreditar que o dinheiro tenha origem nos partidos que comparecem aos atos com bandeiras — citou o PSOL, o PSTU e a FIP (Frente Independente Popular), seja lá o que isso signifique. Nesse depoimento, mudou versão anterior e disse que quem acendeu o morteiro foi Fábio Raposo, o outro jovem que está preso. Ele próprio teria apenas segurado o artefato. Afirmou ainda que direcionou o morteiro contra os policiais — o que não condiz com a linha seguida por Jonas Tadeu Nunes, o advogado de defesa, segundo quem os dois rapazes não queriam ferir ninguém, mas apenas fazer barulho. O advogado, aliás, disse que vai pedir a nulidade do inquérito ou abandonar o caso se esse depoimento for anexado aos autos, já que foi colhido sem a sua presença. Convenham: é mesmo um erro primário da polícia. Pra quê? Muito bem! Na quinta-feira, reportagem de Gabriel Castro e Pâmela Oliveira, na VEJA.com, trouxe à luz uma planilha de pessoas que fizeram doações para uma das atividades promovidas pelos black blocs. Lá estão dois vereadores do PSOL, um delegado e até um juiz — este nega a doação, embora tenha participado de um vídeo que convocava protestos, no qual uma atriz faz a defesa aberta da violência praticada pelos black blocs. Agora que a coisa esquentou, ninguém quer dar a cara ao tapa. Lembro o que disse na quarta-feira o advogado Jonas Tadeu na entrevista à Jovem Pan:
“Ajuda financeira para o “terrorismo social”
“Esses jovens… Esse Caio, por exemplo, é miserável. Esses jovens são aliciados por grupos. Eles recebem até uma espécie de ajuda financeira, de mesada, para participar dessas manifestações, com o intuito de terrorismo social”.
Pobre aliciados
“São jovens de preferência revoltados, que têm uma certa ideologia, pobres, são aliciados para participar das manifestações. São jovens que não têm dinheiro para comprar máscaras, não tem dinheiro para comprar fogos…”
Por trás, vereadores e deputados estaduais
“Isso cabe a vocês da imprensa [apurar]. Vocês, da imprensa, são os olhos e os ouvidos da sociedade. A prisão desse rapaz não deveria encerrar essa desgraça que houve com a família do Santiago, a desgraça que está havendo com a família desses dois jovens. Vocês deveriam investigar isso: investigar vereadores em Câmaras Municipais, investigar deputados estaduais…
Diretórios de partidos
“Sim, são agrupamentos, movimentos… Tem até diretórios [de partidos políticos], segundo informações que eu tenho… Eu não posso divulgar porque tenho que preservar vidas… É papel da imprensa, da Polícia Federal, investigar diretórios regionais de partidos, investigar esses movimentos sociais, que aliciam esses jovens, que patrocinam, que fomentam financeiramente essas manifestações.”
Cardozo promete reagir. É mesmo?
O ministro José Eduardo Cardozo, da Justiça, prometeu “investigar a fundo” o eventual financiamento da violência. É mesmo? É ver para crer. Leio na Folha uma de suas afirmações sempre muito pomposas: “Temos de investigar a fundo. Se há pessoas que financiam atos de vandalismo e prática de crimes, têm de ser punidas. Não só quem pratica, mas quem os financia, incentiva e articula tem de ser punido, não importa quem seja”.
Pois é. Já escrevi a respeito. Eu me dou o direito de duvidar. A razão é simples. Esse é o método historicamente empregado pelo PT. A relação que o partido mantém com os ditos movimentos sociais não é muito diferente disso. Nos Estados e cidades em que é oposição, a legenda também incentiva a “tigrada” a partir para cima dos adversários. Sabem o que vai acontecer? Nada! Por Reinaldo Azevedo

POLÍCIA VAI INVESTIGAR SE DINHEIRO DOADO POR POLÍTICOS FOI USADO EM AÇÕES CRIMINOSAS DOS BLACK BLOCS

A Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) vai investigar se o dinheiro doado a integrantes do grupo Black Bloc, como revelou reportagem do site de VEJA, foi usado para financiar atos criminosos em manifestações. A unidade também foi designada para, a partir de cópias de documentos colhidos pela 17ª DP (São Cristóvão), investigar o aliciamento de manifestantes para atuar em ações violentas nos protestos. De acordo com uma nota divulgada pela Polícia Civil na noite desta quinta-feira, a Coordenadoria de Informações e Inteligência Policiais (Cinpol) dará apoio aos procedimentos de apuração.

A DRCI é a unidade da Polícia Civil responsável também por desvendar casos de vazamento de imagens furtadas por meio eletrônico – como no caso da atriz Carolina Dieckmann e do ator Murilo Rosa – e de crimes que envolvam redes sociais. De acordo com o depoimento prestado na quarta-feira pelo auxiliar de serviços gerais Caio Silva de Souza, preso e acusado de matar o cinegrafista Santiago Dantas, as redes sociais são a forma de aliciamento de jovens pobres para participar de atos dos black blocs. O advogado de Souza, Jonas Tadeu Nunes, afirmou que seu cliente recebia dinheiro para atuar em protestos e que partidos políticos e diretórios estão envolvidos no pagamento de quantias para quem aceita promover tumultos.
Reportagem do site de VEJA detalhou as doações atribuídas a dois vereadores, um delegado da Polícia Civil e um juiz. Os dois vereadores são do PSOL do Rio: Renato Cinco e Jefferson Moura. A assessoria de Jefferson Moura admitiu que a doação ocorreu, e alega que o dinheiro partiu de funcionários do gabinete. Afirmou, também, que o parlamentar “provavelmente doaria” o dinheiro se estivesse presente. Renato Cinco, que está fora do Rio, não foi localizado. A assessoria do vereador, em nota, confirma que houve a doação de 300 reais informada no documento. Mas negou, no entanto, que o dinheiro tenha sido destinado a black blocs. “O objetivo era oferecer um jantar natalino a moradores de rua na Cinelândia, Centro do Rio de Janeiro. Tanto que a lista inclui água, gelo, pão, rabanada e toalha papel. O vereador e seu partido repudiam ações violentas”, acrescenta. O juiz João Damasceno negou ter contribuído financeiramente “para qualquer manifestação ou entidade da sociedade civil que as convoque”.

LEI DA EUTANÁSIA INFANTIL NA BÉLGICA CELEBRA A CULTURA DA MORTE

Santo Deus! Dias estranhos estes. Tenho procurado resposta para alguns enigmas, sem sucesso até agora. É incrível como a luta em defesa dos direitos humanos convive de modo harmônico com a cultura da morte. A Bélgica decidiu tornar legal a eutanásia de crianças em qualquer idade. Leiam o que vai na VEJA.com. Volto em seguida.
*
A Bélgica aprovou na quinta-feira a eutanásia em crianças de qualquer idade com doenças terminais. A votação da nova lei, no Parlamento, teve 86 votos a favor, 44 contra e 12 abstenções. A lei passará a valer quando for assinada pelo rei Philippe — tornando o país o primeiro do mundo a remover qualquer limite de idade para a prática. A Holanda, por exemplo, permite que a eutanásia seja feita em crianças a partir dos 12 anos caso haja consentimento dos pais. Outros países europeus que descriminalizaram a eutanásia são Luxemburgo e Suíça. Pesquisas de opinião sugerem que a medida tem apoio popular na Bélgica, onde a eutanásia se tornou legal em pessoas com mais de 18 anos em 2002. Líderes cristãos, muçulmanos e judeus criticaram o projeto em uma rara declaração conjunta. Para a oposição, crianças não são capazes de tomar a decisão sobre se desejam morrer. De acordo com a emissora britânica BBC, parlamentares favoráveis à lei argumentaram que a medida vai afetar um número muito pequeno de crianças, provavelmente as mais velhas. A medida estabelece que a eutanásia poderá ser solicitada caso a criança apresente sofrimento físico e tenha uma doença terminal sem tratamento, com morte inevitável a curto prazo. A decisão sobre a eutanásia deve ser aprovada pelos pais da criança, por médicos e por um psicólogo que comprovem a capacidade de discernimento do paciente para tomar essa decisão.
Comento
É possível, sim, que a lei acabe sendo pouco, sei lá como dizer, “acionada”. A questão grave aí é de princípio mesmo. Nem tem a criança, mesmo com condições de se comunicar com clareza, discernimento o suficiente para opinar sobre algo tão… definitivo nem me parece razoável, como princípio de civilização, que outros possam definir quem continua ou não vivo, ainda que pais, médicos e psicólogos. Tudo está preparado para a falsa polarização entre a sociedade laica e as religiões, já que cristãos judeus e muçulmanos criticaram a aprovação da lei, como se a defesa incondicional da vida fosse expressão de um dogma que interessa a hierarcas religiosos. Até onde alcanço, deveria ser um fundamento inegociável do humanismo, com ou sem Deus. Sem Deus? Pois é… Quem precisa Dele quando os homens sabem, não é mesmo?, quem pode nascer, viver e morrer?
Por Reinaldo Azevedo

O BRASIL BADERNEIRO: PT, PSB E OUTROS PUXAM O SACO DO MST UM DIA DEPOIS DE PANCADARIA EM BRASÍLIA

Por que os black blocs não botariam pra quebrar Brasil afora? Ora, o governo federal e partidos políticos da “ordem” decidiram puxar o saco do MST um dia depois de o movimento ter promovido cenas impressionantes de selvageria na Praça dos Três Poderes, ferindo 30 policiais — oito deles com gravidade. Leio na Folha que representantes do PT, do PSB e do PDT — além dos do PSOL, conforme o esperado — compareceram na quinta-feira a um “ato  político” em defesa da reforma agrária em Brasília, que marcou a abertura do 6º Congresso Nacional do MST. Sim, leitores amigos, Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência também estava lá. O MST, que fez correr o sangue dos policiais militares, acreditem, está sendo beneficiado pelo governo do Distrito Federal. O governador Agnelo Queiroz, do PT, abriga a turma gratuitamente no ginásio Nilson Nelson, além de garantir a infraestrutura do evento. Então ficamos assim, leitores: o MST chega a Brasília tentando invadir o Supremo Tribunal Federal e o Palácio do Planalto. Como recompensa, ganha o direito a uma reunião privada com Dilma Rousseff e é prestigiado por um ministro de Estado na abertura do seu congresso. Líderes políticos correram para lá para demonstrar seu apreço por uma causa que já está morta. O que resta hoje é um aparelho que mama nas tetas do Estado e recorre à violência para arrancar verba pública. Este mesmo movimento é beneficiado pelo governo do Distrito Federal que, não obstante, vê a sua polícia ser agredida com paus, pedras e porretes. Calma! Havia mais gente. A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) estava presente. Como é mesmo aquela máxima do cristianismo? “Se um policial estiver cumprindo a sua função, vá lá e quebre a cabeça dele". O quê? Esse princípio não é cristão? Eu bem que desconfiava! Também a OAB, que serviu de babá de black bloc no Rio de Janeiro, se fez representar. Pergunto: era uma homenagem à escandalosa ilegalidade promovida pelo MST no dia anterior e um endosso à indústria de invasões de propriedades privadas no campo, o que afronta o estado de direito, de que a Ordem dos Advogados do Brasil deveria ser procuradora? E, ora vejam, lá estava a ONG multinacional Greenpeace… A turma da paz verde não se importa em demonstrar seu apoio àqueles que promovem a guerra vermelha. Por Reinaldo Azevedo

AÇÕES DO BANCO DO BRASIL CAEM MAIS DE 6% APÓS RESULTADO DO QUATRO TRIMESTRE

As ações ordinárias (ON), com direito a voto, do Banco do Brasil (BB), despencaram no pregão desta quinta-feira na BM&FBovespa. Com apenas 15 minutos de sessão, os papéis já caíam 4,15%, cotados a 20,99 reais cada. Por volta de 15 horas, o recuo era ainda maior, de 5,30% (20,79 reais). Na mínima do dia, as ações ON do banco chegaram a cair 6,11%, valendo 20,56 reais cada. Antes da abertura do pregão, o Banco do Brasil divulgou lucro líquido de 3,025 bilhões de reais no quarto trimestre de 2013, cifra 23,7% inferior à de igual intervalo de 2012, de 3,967 bilhões de reais. No entanto, no conceito ajustado, o lucro no período ficou em 2,424 bilhões de reais, queda de 23,8% em um ano e de 7,1% ante o terceiro trimestre. No acumulado do ano de 2013, o lucro líquido do Banco do Brasil ficou em 15,758 bilhões de reais, aumento de 29,1% em relação a 2012. O resultado da instituição no período é superior ao anunciado na semana passada pelo Itaú (15,696 bilhões de reais) e que era até então o maior para bancos brasileiros com capital aberto, de acordo com levantamento da consultoria Economatica.

CONTROLADOR DO LABORATÓRIO FLEURY CONFIRMA OFERTAS PARA VENDER SUA FATIA

A Core Participações, controladora indireta do Fleury, recebeu ofertas por sua fatia na empresa de medicina diagnóstica, em mais um sinal de atratividade do setor privado brasileiro de saúde. A Core possui direta e indiretamente mais de 40% do capital do Fleury, segundo informações disponíveis nos sites da companhia e da Bovespa. O Fleury informou, em fato relevante, nesta quinta-feira, ter recebido comunicação da acionista controladora sobre as ofertas, que "estão sendo analisadas". "A companhia informará imediatamente a seus acionistas e ao mercado em geral novas informações eventualmente recebidas de Core sobre o assunto que possam configurar um fato relevante", disse o Fleury, sem dar detalhes sobre os grupos interessados e sobre as ofertas. Há meses a imprensa vem noticiando que a Core estaria disposta a vender sua participação no Fleury. Em meados de novembro passado, o Fleury informou que a Core tinha contratado o JPMorgan para avaliar alternativas estratégicas para sua fatia na empresa, "inclusive com eventual ingresso de novos investidores", motivando forte alta das ações do laboratório. Uma mudança no controle do Fleury seria o mais recente movimento societário no setor de saúde privado brasileiro. Em outubro de 2012, o empresário Edson Bueno e sua ex-mulher Dulce Pugliese de Godoy Bueno venderam o controle da companhia de saúde Amil para a norte-americana United Health por cerca de 10 bilhões de reais. Bueno não abandonou o setor de saúde e nesta semana assumiu, junto com a ex-mulher, o controle da empresa de medicina diagnóstica Dasa, após desembolsar quase 1,8 bilhão de reais para comprar ações da rival do Fleury em leilão na Bovespa.

VENDAS DE VEÍCULOS TÊM PIOR RESULTADO EM 10 ANOS

A taxa de crescimento do varejo ampliado (que abrange o setor automotivo e de material de construção), de 3,6%, ficou abaixo da verificada pelo varejo restrito, de 4,3%, em 2013, devido ao menor dinamismo no segmento de veículos e motos, partes e peças, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis, a atividade registrou alta de apenas 1,4% nas vendas no ano passado, contra um aumento de 7,3% em 2012, o pior resultado desde 2003, quando o volume vendido caiu 7,2%. "Como os veículos são bens duráveis, a capacidade de substituição desses bens é um pouco limitada. Ninguém troca de veículo todo ano", disse a técnica da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE, Aleciana Gusmão. "Apesar das políticas de incentivo do governo, com taxas de IPI mais baixas, elas não têm tido o mesmo impacto que em anos anteriores", acrescentou. A atividade de material de construção, por sua vez, registrou crescimento de 6,9% em 2013, após um aumento de 8,0% em 2012. Segundo Aleciana, as condições de crédito ainda estão favoráveis para o segmento. Diretor do BC não confirma uso de novos instrumentos para controlar inflação

DIRETOR DO BANCO CENTRAL AFIRMA QUE JUROS CONTINUAM SENDO PRINCIPAL FERRAMENTA

O diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton Araújo, disse nesta quinta-feira que o Banco Central tem ajustado os juros para combater a inflação. Segundo ele, apesar de o indicador estar se deslocando para a meta, esse movimento ainda não está refletido nas projeções do banco. "Prefiro focar na fala do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, de que estamos usando os juros para enfrentar a inflação", afirmou o diretor ao ser questionado sobre eventual uso de outros instrumentos no combate à alta dos preços. A meta de inflação do governo é de 4,5% para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com margem de 2 pontos porcentuais para mais ou menos. A partir de abril do ano passado, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central retirou a Selic da mínima histórica de 7,25% ao ano e elevou-a para o atual patamar de 10,5%, num aperto monetário para conter a escalada preços. Mesmo após a alta dos juros, a inflação continua mostrando resistência, com indicação de nova alta na taxa na reunião do comitê marcada para a última semana de fevereiro. No mês passado, o IPCA foi a 0,55% e, em doze meses, a 5,59%, abaixo do previsto para o mercado, mas ainda em meio a um cenário de resistência dos preços ao atual ciclo de aumento dos juros. Carlos Hamilton disse que a inflação menor em janeiro decorre de fatores pontuais, como menores preços das passagens aéreas.

BLACK BLOC CAIO SOUZA AGORA ACUSA OUTRO BLACK BLOC, O TATUADOR, DE TER ACIONADO O ROJÃO QUE MATOU O CINEGRAFISTA SANTIAGO ANDRADE

Preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, o black bloc Caio Silva de Souza revelou, em depoimento à Polícia Civil e à Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro (Seap), detalhes do momento da detonação do explosivo que matou o cinegrafista Santiago Andrade. No depoimento ele atribui ao outro indiciado, o black bloc tatuador Rafael Raposo Barbosa, a iniciativa de usar o rojão. Souza afirmou a policiais da 17ª DP (São Cristóvão) e a agentes penitenciários que Raposo o “atiçou”, dizendo “solta, solta...”. Ele também acusa Raposo de ter acendido o artefato. Na versão que Raposo – também conhecido como ‘Fox’ – apresentou à polícia, a história era diferente. O tatuador afirmou, ao ser preso, que encontrou o rojão no chão e o entregou a outro homem (Souza). Este homem, então, se encarregou de acender e jogar o rojão no chão, na direção dos policiais militares. As versões apresentadas até agora pelos dois acusados de homicídio doloso (com intenção de matar) e de explosão em área pública, crimes que podem chegar a 35 anos de pena, têm conflitos.

SOBRA DE "VAQUINHA" DO BANDIDO PETISTA MENSALEIRO DELÚBIO SOARES VAI PAGAR A MULTA DO MENSALÃO DO OUTRO BANDIDO PETISTA MENSALEIRO, JOÃO PAULO CUNHA

Militantes do PT anunciaram nesta quinta-feira que desistiram de organizar campanha na internet para arrecadar dinheiro para o ex-deputado e bandido petista mensaleiro João Paulo Cunha (PT-SP), preso em Brasília, para pagar a multa de 373.500 reais imposta pela Justiça na condenação do Mensalão do PT. Mas isso não significa que o petista terá de arcar com os valores: o ex-tesoureiro do partido, o também bandido petista mensaleiro Delúbio Soares, que também cumpre pena na penitenciária da Papuda, vai doar o dinheiro que sobrou da "vaquinha" feita por seus aliados para a mesma finalidade. Condenado por corrupção ativa e formação de quadrilha, Delúbio conseguiu amealhar mais de 1 milhão de reais e quitou sua multa de cerca de 466.800 reais. A facilidade na arrecadação e as suspeitas de lavagem de dinheiro são investigadas pelo Ministério Público. No caso de João Paulo,o valor deverá ser totalmente pago com as sobras de Delúbio. “Recebemos os recursos a partir de um repasse do excedente da arrecadação coletiva que foi realizada para pagar a multa imposta ao companheiro Delúbio. Este excedente que recebemos é suficiente para saldar a multa de João Paulo, além de todos os tributos adicionais”, disseram os apoiadores do mensaleiro na página oficial do ex-deputado. Nesta quarta-feira, militantes petistas iniciaram a arrecadação de dinheiro para pagar a multa ex-ministro da Casa Civil, o bandido petista mensaleiro José Dirceu. Ele precisa depositar cerca de 971.000 reais. Até as 10 horas da manhã desta quinta-feira, a "vaquinha" já contabilizava 59.493 reais.

APÓS EXERCÍCIO DE VIOLÊNCIA, DILMA RECEBE A ORGANIZAÇÃO TERRORISTA MST E ACEITA PRESENTINHOS

Um dia depois de militantes da organização terrorista Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) promoverem um tumulto violento em Brasília, cercando os prédios dos três Poderes e ferindo policiais, a presidente Dilma Rousseff recebeu líderes dos sem-terra na manhã desta segunda-feira, no Palácio do Planalto. Além da presidente, participaram do encontro o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas. Dilma ganhou uma cesta com produtos produzidos nos assentamentos do MST. Na quarta-feira, os sem-terra arremessaram pedaços de madeira e pedras contra policiais militares – 22 ficaram feridos – e ameaçaram invadir o prédio do Supremo Tribunal Federal, que teve a sessão suspensa por um alerta da segurança. Os líderes dos sem-terra entregaram uma carta à presidente reclamando "da necessidade urgente de fazer mudanças nas políticas agrárias" do governo. "O governo foi incapaz de resolver esse grave problema social e político. A média de famílias assentadas por desapropriações foi de apenas 13.000 por ano, a menor média após os governos da ditadura militar. É necessário assentar, imediatamente, todas as famílias acampadas", diz trecho da carta.

GOVERNO FEDERAL ENFIM ADMITE "BAIXISSIMA PROBABILIDADE" DE DESABASTECIMENTO DE ENERGIA

Pela primeira vez, o governo mudou o tom em relação aos recorrentes problemas de energia elétrica dos últimos meses e admitiu o risco de desabastecimento. Em extensa nota divulgada nesta quinta-feira, pelo Ministério de Minas e Energia, no trecho final, em que o governo assegura a normalidade no fornecimento de eletricidade este ano, a garantia é condicionada a fatores climáticos e ao consequente comportamento dos reservatórios das hidrelétricas. "Portanto, a não ser que ocorra uma série de vazões pior do que as já registradas, evento de baixíssima probabilidade, não são visualizadas dificuldades no suprimento de energia no país em 2014", diz o comunicado. A nota foi divulgada durante reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). O secretário de Energia Elétrica do Ministério, Ildo Grdtner, limitou-se a ler o comunicado, sem responder às perguntas dos jornalistas. O teor da nota oficial contrasta com as recentes afirmações do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Um dia antes do apagão de 4 de fevereiro, Lobão disse que o risco de desabastecimento era nulo: "Estamos com mais de 40% nos principais reservatórios. Não enxergamos nenhum risco de desabastecimento de energia". O governo confirmou que as chuvas e o volume de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas do País foram inferiores ao esperado. Segundo o comitê, em janeiro e na primeira semana de fevereiro, as afluências ficaram em 54% da média histórica nas regiões Sudeste/Centro-Oeste e de 42% no Nordeste. Ainda assim, o ministério reiterou que há segurança e equilíbrio estrutural. Segundo o governo, há uma sobra de energia de 9% em relação às projeções feitas para o ano. A carga prevista é de 67 mil MW médios e há uma folga de 6,2 MW mil médios. A sobra considera um risco de 5% de que a oferta de energia seja inferior à demanda, considerando a série histórica das condições climáticas, iniciada em 1931.

SECRETÁRIO DA FAZENDA DE FORTUNATI, QUE É RÉU EM AÇÃO DE IMPROBIDADE, DIZ QUE SOFRE PERSEGUIÇÃO POLÍTICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO

Ao final da sessão da CPI da Procempa realizada na Câmara Municipal de Porto Alegre, nesta quinta-feira, o secretário municipal da Fazenda, Roberto Bertoncini (fiscal do ICMS da Secretaria Estadual da Fazenda), afirmou aos vereadores que é vítima de processo com “motivação política” movido pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul. A declaração é fantástica, e demonstra o quanto o clima político no governo do prefeito José Fortunati (PDT) é de completa irrealidade. O secretário rebatia comentário do vereador Mauro Pinheiro (PT), presidente da CPI, sobre as conseqüências judiciais das irregularidades na contratação, pela Secretaria Municipal da Fazenda, do Sistema Integrado de Administração Tributária (Siat). Bertoncini é um dos acusados por improbidade administrativa em ação do Ministério Público que tramita na 7ª Vara da Fazenda Pública. Há uma acusação indicando que, devido às falhas do software contratado na gestão de Roberto Bertoncini, e de sua incompetência administrativa, o município teria perdido arrecadação, somente em IPTU, de R$ 58,3 milhões, em 2012 e 2013. O sistema foi desenvolvido pela Consult Consultoria e Informática, contratada pelo governo municipal em 2006. A empresa paranaense instalou o software em 2012 sem concluí-lo, embora já tivesse recebido R$ 5,2 milhões. O secretário esquivou-se de responder a várias perguntas alegando que assumiu a Secretaria Municipal da Fazenda apenas em julho de 2011 e que não poderia se responsabilizar por fatos anteriores. Ou seja, quis se esquivar de responsabilidade, jogando a culpa para seu antecessor no cargo.

RELATÓRIO DA OIT MOSTRA QUE 20% DOS JOVENS NÃO TRABALHAM E NEM ESTUDAM NA AMÉRICA LATINA

O relatório "Trabalho Decente e Juventude na América Latina - Políticas para Ação", da Organização Internacional do Trabalho (OIT), mostra que 21,8 milhões dos latino-americanos entre 15 e 24 anos não estudam, nem trabalham, o que representa 20,3% dos jovens. Destes 21,8 milhões denominados nem-nem, 30% são homens e 70%, mulheres, diz o relatório, divulgado nesta quinta-feira pela OIT. Aproximadamente 25% desses jovens (5,25 milhões) buscam trabalho; mas não conseguem, 16,5 milhões não trabalham, nem buscam emprego e cerca de 12 milhões dedicam-se a afazeres domésticos. Mulheres jovens constituem 92% desse grupo. Cerca de 4,6 milhões de jovens são considerados pela OIT o "núcleo duro" dos excluídos, pois representam o maior desafio e estão sob risco de exclusão social, já que não estudam, não trabalham, não procuram emprego e tampouco se dedicam aos afazeres domésticos. O relatório da OIT destaca positivamente o fato de que, apesar de as estatísticas laborais não serem alentadoras, a porcentagem de jovens que somente estudam aumentou de 32,9%, em 2005, para 34,5%, em 2011.

PSDB PEDE APURAÇÃO DE DENÚNCIA DE SUBORNO NA PETROBRAS

O PSDB na Câmara dos Deputados protocolou nesta quinta-feira uma representação na Procuradoria-Geral da República pedindo investigação da denúncia de pagamento de suborno pela SBM Offshore a empresas de diversos países, entre os quais o Brasil. A SBM Offshores é uma companhia holandesa que aluga plataformas flutuantes a petrolíferas, entre elas a Petrobras. "Há uma investigação em curso em vários países com as quais a empresa holandesa tem ou teve contratos e é necessário que a Justiça brasileira também apure se houve pagamento de suborno envolvendo a Petrobras. É o que se espera depois da divulgação desse caso", disse o líder tucano na Câmara, deputado Antonio Imbassahy (BA), que também protocolou requerimentos pedindo informações aos ministérios da Justiça e de Minas e Energia. Nesta quinta-feira, o jornal Valor Econômico publicou que a SBM Offshore está sendo investigada por autoridades da Holanda, Inglaterra e dos Estados Unidos desde 2012. Segundo um ex-funcionário, a companhia holandesa teria pago US$ 250 milhões em subornos, sendo que US$ 139 milhões teriam sido direcionados a intermediários e funcionários da Petrobras. O objetivo desses pagamentos seria conseguir contratos com a petroleira brasileira. Na representação, Antonio Imbassahy alega que há "fortes indícios" de que a SBM pode ter pago propina a funcionários da Petrobras. O tucano diz ainda que isso pode ter causado prejuízos à União Federal, ao BNDES e aos acionistas da estatal. "Os governos Lula e Dilma deixaram a Petrobras, símbolo do empreendedorismo do País, numa situação até então inimaginável: é a empresa não financeira mais endividada do mundo, com seu valor de mercado cada vez menor, e com a produção em queda. Essa é uma denúncia que precisa ser investigada", conclui o líder tucano.

"SININHO" NEGA SER FILIADA A PARTIDOS POLÍTICOS, MAS PAPAI E MAMÃE FORAM DO PT......AH..... ENTÃO TÁ.....

A esquerdóide Elisa de Quadros Pinto Sanzi, conhecida como "Sininho", de 28 anos, afirmou em depoimento à Polícia Civil do Rio de Janeiro,  que não é filiada a partidos políticos e que seus pais foram do PT. A esquerdóide relatou também que não se considera "liderança" nas manifestações e não possui vínculo com ONGs. As declarações foram dadas na tarde da terça-feira, na 17ª DP (São Cristóvão), no inquérito do assassinato do cinegrafista da TV Bandeirantes, Santiago Andrade, de 49 anos. "Sininho" foi intimada a depor após o advogado Jonas Tadeu Nunes afirmar publicamente no domingo que havia recebido uma ligação dela, durante a qual teria lhe oferecido apoio de uma equipe de advogados para defender o tatuador black bloc Fabio Raposo, a mando do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL). A esquerdóide disse que conhece Raposo, de 23 anos, desde o ano passado, quando ocorreram os protestos Ocupa Câmara e Ocupa Cabral. Ela, contudo, negou conhecer o auxiliar de limpeza black bloc Caio Silva de Souza, de 22 anos, preso na madrugada de quarta-feira, acusado de ser o direto responsável pelo assassinato do cinegrafista Santiago Andrade, ao acender e lançar o rojão que o matou. Já Raposo está preso desde domingo, após admitir ter repassado o artefato a Souza. A esquerdóide afirmou que partiu dela a iniciativa de procurar a família de Raposo para ajudá-lo, "sendo um comportamento que lhe é peculiar, por solidariedade, quando uma pessoa envolvida com o movimento é presa". Em depoimento, a esquerdóide "Sininho" admitiu que, na manhã de domingo - quando Raposo se apresentou na 17.ª DP na companhia do advogado Jonas Tadeu Nunes -, entrou em contato com o deputado Marcelo Freixo "em razão de sua atuação positiva na garantia de direitos fundamentais dos presos políticos que foram encaminhados ao sistema prisional do Estado durante as últimas manifestações". Ou seja, a esquerdóide atribui característica de "prisão política" aos dois terroristas bandidos dos Black Bloc, O contato com Freixo, diz o depoimento, "foi feito pela preocupação da declarante com o destino e estado em que Fabio se encontrava", diz a transcrição do depoimento. Segundo "Sininho", depois de falar com o deputado, ela telefonou para o estagiário Marcelo Matoso. Indagada pela polícia se teria perguntado ao estagiário "se estaria precisando de auxílio jurídico especializado para Fabio Raposo, disse que sim, mas o fez por achar que o advogado que já o acompanhava (Jonas Tadeu Nunes) não era o advogado definitivo". A ativista contou que a mãe de Raposo havia lhe dito que o defensor viria de Brasília e, por isso, ela achou que Nunes seria um advogado provisório. A esquerdóide "Sininho" negou ter dito que Fabio Raposo ou Caio Silva de Souza sejam ligados a Freixo. Questionada pela polícia se teria dito a Jonas Tadeu Nunes que o parlamentar do PSOL teria advogados a sua disposição para ajudar na defesa de Raposo, a esquerdóide Sininho disse que "por ser o deputado presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro poderia dar assistência para garantia dos direitos fundamentais de Fabio e não assistência jurídica, sendo nesse ponto mal interpretada pelo advogado". Então tá..... quem se dispõe a acreditar no depoimento da esquerdóide Sininho?!!!

CORPO DO CINEGRAFISTA SANTIAGO ANDRADE FOI CREMADO NESTA QUINTA-FEIRA EM CERIMÔNIA PARTICULAR

Em uma pequena sala, reservada apenas para a família e amigos íntimos, o corpo do cinegrafista Santiago Andrade foi cremado por volta de 12h30, desta quinta-feira. O velório começou por volta das 8 horas, quando pais e irmãos de Andrade chegaram ao cemitério Memorial do Carmo, no Caju, zona portuária do Rio de Janeiro. Antes da cremação, o arcebispo do Rio de Janeiro, d. Orani Tempesta, celebrou uma pequena missa, em memória do cinegrafista. Durante o velório, amigos e familiares leram trechos de um texto com características de Santiago Andrade. Entre amigos, familiares e profissionais da imprensa, cerca de 150 pessoas compareceram à cerimônia pública, das 8 às 12 horas, para apoiar a família. Após a cremação, a mulher de Andrade, Arlita Andrade, pediu que a imprensa retrate também coisas boas: "Santiago me pediu para deixar um recado para vocês: ele queria que as lentes de vocês só mostrem coisas boas, coisas lindas. Ele também desejou que Deus proteja vocês, porque é através desse trabalho que a sociedade sabe das notícias, do que acontece no mundo".

AGORA O ULTRA-ESQUERDÓIDE PSTU NEGA "QUALQUER LIGAÇÃO" COM MANIFESTANTES BLACK BLOC

O ultra-esquerdóide Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) divulgou nota na tarde desta quinta-feira em que nega qualquer ligação com os manifestantes que adotam a tática black bloc e promovem vandalismo durante os protestos. O partido também nega ter relação com os dois rapazes presos sob acusação de terem lançado o rojão que matou o cinegrafista Santiago Andrade. "Nas manifestações do ano passado, o PSTU foi o único partido de esquerda a contestar e discordar publicamente dos métodos empregados por estes setores do movimento social. Exigimos que se apure a denúncia de financiamento desses jovens. Se eles receberam dinheiro para agirem como provocadores, exigimos que se diga quem os financiou. Não só quem financiou esses jovens, mas quem financia a defesa da dupla acusado-delator", afirma a nota. "Somos radicalmente contrários à perseguição que os governos vêm promovendo contra os movimentos sociais. A violência instaurada naquele dia na Central do Brasil é de responsabilidade do governo e da Polícia Militar. Prestamos nossa solidariedade aos familiares de Santiago e continuaremos lutando para que novas tragédias como esta não aconteçam", conclui o texto. Essa nota é absolutamente mentirosa, porque a violência foi instaurada na Central do Brasil pelo agrupamento Black Block, que é financiado por partidos de esquerda e personalidades esquerdóides.

MANIFESTANTES VOLTARAM DE NOVO ÀS RUAS NO RIO DE JANEIRO CONTRA O AUMENTO DE PASSAGENS

Manifestantes ligados a centrais sindicais, entidades estudantis e partidos de esquerda fizeram um protesto, no centro do Rio de Janeiro, contra o aumento das tarifas de ônibus, que passaram de R$ 2,75 para R$ 3,00 no último dia 8. Os ativistas também protestaram contra a Copa do Mundo deste ano e gritaram slogans contra o governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral. Um dos manifestantes segurava um cartaz com a frase “Quero os meus R$ 150,00”, em referência à informação atribuída black bloc Caio Silva de Souza, pelo advogado Jonas Tadeu Nunes, de que alguns manifestantes receberiam essa quantia em dinheiro para participar de protestos e fazer depredação de bens públicos e privados. O protesto teve representantes do PSOL, PSTU e PCB, da Central Sindical Popular – Conlutas e do Sindicato dos Petroleiros e também participantes do grupo terrprosta Black Bloc. O policiamento foi reforçado, com um grande número de policiais usando uniformes especiais para controle de distúrbios. A concentração da passeata ocorreu na Praça Pio X, atrás da Igreja da Candelária.

MINISTRO COBRA PROVIDÊNCIAS CONTRA RACISMO NO FUTEBOL SUL-AMERICANO

Na noite de quarta-feira, o jogador Tinga, do Cruzeiro, sofreu ofensas racistas da torcida do Real Garcilaso, durante partida válida pela Copa Libertadores da América, na cidade de Huancayo, no Peru. Torcedores imitavam sons de macacos quando Tinga tocava na bola. Tinga disse que nunca havia sofrido com o racismo, mesmo na época em que jogou na Europa, e lamentou ter passado por isso justamente em um país vizinho ao Brasil, com uma população miscigenada. Aldo Rebelo também manifestou repúdio ao racismo em nota oficial no site do ministério. O ministro considerou “inconcebível” o ocorrido e prestou seu apoio a Tinga. “No ano em que o mundo inteiro se une para disseminar uma mensagem contra o preconceito durante a Copa do Mundo do Brasil, é inconcebível o comportamento que vimos em Huancayo. Tinga tem todo o nosso apoio na luta contra o racismo, que, esperamos, será combatido com firmeza pela Conmebol". Além do ministro, a presidente Dilma Rousseff, a Confederação Brasileira de Futebol e vários jogadores manifestaram publicamente repúdio às atitudes racistas no futebol e apoio ao jogador do Cruzeiro. Na tarde desta quinta-feira, o presidente peruano, o esquerdóide Ollanta Humala (tem como assessor especial o gardelão Felipe Belisário Wermus, vulgo Louis Favre), lamentou o episódio. "Manifestações como as de ontem em uma partida de futebol devem gerar indignação e impulsionar nossa luta contra todo tipo de discriminação", disse ele em sua conta no Twitter.

DILMA INDICA MINISTROS PARA STJ, TST E STM

O Diário Oficial da União publicou nesta quinta-feira a indicação de novos ministros de tribunais superiores do Judiciário. O desembargador Néfi Cordeiro, da Justiça Federal, foi indicado para ser ministro do Superior Tribunal de Justiça. Douglas Alencar Rodrigues, desembargador do Tribunal Regional do Trabalho, foi escolhido para ser ministro do Tribunal Superior do Trabalho, e Josué Barroso Filho, juiz-auditor, pode ocupar o Superior Tribunal Militar. Os nomes indicados pela presidente petista Dilma Rousseff vão passar agora por apreciação do Senado Federal. Néfi Cordeiro é desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, desde 2004. O STJ tem 33 ministros, dos quais 11 são escolhidos entre desembargadores estaduais, 11 entre desembargadores federais e 11 entre integrantes do Ministério Público e da advocacia. Cordeiro é doutor em direito, atuou no Ministério Público antes de ser juiz e assume o lugar de Castro Meira, aposentado no ano passado.