quinta-feira, 9 de maio de 2013

Lucro da Braskem atinge R$ 227 milhões


Com lucro líquido de R$ 227 milhões, a Braskem fechou o primeiro trimestre do ano com recuo de 17,5% em relação ao período anterior mas aumento de quase 50% em relação ao resultado obtido em igual trimestre de 2012. Conforme a empresa, houve reforço nos estoques na Ásia e paradas de plantas para manutenção, o que fez crescer a demanda mundial por resinas e petroquímicos. No Brasil, as vendas totais de resinas totalizaram 1,3 milhão de toneladas, crescimento de 5,6% sobre o trimestre anterior. Desse total, as vendas da Braskem no mercado interno chegaram a 921 mil toneladas, com alta de 6,2% no mesmo período. Como cresceu acima do mercado, a empresa aumentou sua participação de mercado em um ponto percentual, atingindo 71%. A receita líquida da Braskem atingiu R$ 9,3 bilhões, alta de 1% sobre a registrada no trimestre anterior. Um dos motivos foi a elevação da taxa média de utilização da capacidade, de 82% no último trimestre de 2012 para 90% no primeiro deste ano. Para este ano, a empresa estima investimentos de R$ 2,2 bilhões, 70% dos quais direcionados à manutenção, melhoria da produtividade e confiabilidade dos ativos, incluindo despesa decorrente da parada programada de 30 dias para manutenção de uma das unidades básicas em Camaçari (BA) e de 25% para a construção do novo complexo petroquímico do México. O restante será direcionado para outros projetos em andamento, como estudos relacionados ao pólo do Rio de Janeiro (Comperj) e à construção do pipeline para futuro fornecimento de propeno ao pólo acrílico da Bahia.

Produção de motos em abril cresceu 6,2%


A produção de motocicletas em abril atingiu 154.670 unidades, alta de 6,2% ante as 145.697 unidades de abril de 2012 e 18% mais do que os 131.174 veículos de março deste ano, informou a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), nesta quinta-feira. A venda de motos para as concessionárias chegou a 159.286 veículos, alta de 14,9% ante as 138.608 unidades de abril de 2012 e crescimento de 22,5% sobre as 129.982 unidades de março. No acumulado de janeiro a abril, as vendas no atacado recuaram 13,5% em relação ao mesmo período de 2012, caindo de 607.101 para 525.364 unidades. Ainda no acumulado do quadrimestre a produção ficou 18,1% inferior, com 536.378 unidades, em 2013, ante as 655.242 unidades, em 2012. No varejo, as vendas cresceram 6,6% na comparação entre abril deste ano com igual mês de 2012, de 132.201 para 140.878 unidades. No volume acumulado de janeiro a abril, os licenciamentos caíram 14,2%, passando de 574.713 unidades, em 2012, para 493.038 unidades, em 2013.

Maior safra gaúcha de soja da história é confirmada pela Conab


A produção recorde de soja no Rio Grande do Sul, com 12,19 milhões de toneladas, é confirmada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). No último levantamento antes de consolidar os números do ciclo de verão 2012/2013, a supersafra do grão é ratificada pelo órgão. Os números da Conab se referem a abril, principal mês da colheita de soja no Estado. O aumento de 10% na área plantada da oleoginosa,  especialmente na Metade Sul do Estado, puxou o volume histórico da safra neste ano. Conforme o 8º levantamento de estimativa de produção da Conab, a safra gaúcha total de grãos deve chegar a 27,9 milhões de toneladas, a segunda maior da história, atrás apenas da safra 2010/2011.

Emprego é tão ou mais importante que o PIB, diz Mantega


A geração de empregos formais no País é tão ou mais importante do que o Produto Interno Bruto (PIB). A afirmação é do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que, nesta quinta-feira, fez uma apresentação fechada a parlamentares da bancada do PT na Câmara. Embora a apresentação tenha sido realizada a portas fechadas, foi possível ver, por meio de uma porta de vidro, os destaques do ministro. Além do emprego, foi possível ver que Mantega citou a crise internacional, dizendo que não houve crise para a maioria da população e que o País enfrenta a crise com forte estímulo à economia e com a manutenção do emprego, que os fundamentos do Brasil são sólidos, há solidez fiscal e a inflação está sob controle. Também foi possível perceber que o ministro, em uma das tabelas apresentadas, destacou os juros, o câmbio, tributos e os investimentos em infraestrutura. Mantega também destacou a previsão de crescimento para a produção agrícola, com alta de 16% em valor e que a a economia brasileira irá se recuperar em 2013.

Produção brasileira de grãos deve crescer 14,2%, estima IBGE


A produção da safra nacional de grãos deve alcançar 185 milhões de toneladas neste ano. A estimativa, referente ao mês de abril, é 14,2% maior que o resultado obtido em 2012 (161,9 milhões de toneladas) e 2% maior que a projeção de março (181,3 milhões de toneladas). Os dados fazem parte da quarta estimativa de 2013 da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A área a ser colhida em 2013 é estimada em 52,8 milhões de hectares, 8,2% maior do que a de 2012 (48,8 milhões de hectares) e 0,3% (mais 143.306 hectares) superior ao previsto no mês anterior. As três principais culturas (arroz, milho e soja), que representam 92,4% da produção de grãos, respondem por 86,1% da área a ser colhida. Em relação a 2012, foi estimado aumento da área a ser colhida de 0,9% para o arroz, 9,1% para o milho e 10,6% para a soja. Ainda na comparação com o ano passado, a produção do arroz deve crescer 5,1%, a do milho 9,1%, e a da soja 23,3%. Entre os 26 produtos selecionados, 18 apresentam variação positiva na quarta avaliação, na comparação entre 2013 e 2012, e oito têm variação negativa. Na comparação com a produção estimada no mês de março, destacam-se seis produtos: café arábica (1,8%), feijão primeira safra (-7%), feijão segunda safra (3%), milho segunda safra (7,3%), sorgo (7%) e trigo (11,1%). Entre as regiões pesquisadas, a Sul lidera na produção de cereais, com 73,3 milhões de toneladas, seguida da Centro-Oeste (72,5 milhões de toneladas), Sudeste (19,5 milhões), Nordeste (13,1 milhões) e Norte (4,5 milhões). Comparando à safra passada, deverá haver aumento de 1,2% na Sudeste; de 5,2%, na Centro-Oeste; de 32,8%, na Sul; e de 10,4% na Nordeste. Na Região Norte, é estimado decréscimo de 4%. Segundo o IBGE, o Estado de Mato Grosso, lidera como maior produtor nacional de grãos, com participação de 23,2%, seguido pelo Paraná (20,8%) e Rio Grande do Sul (15,4%). Os três Estados, somados, representam 59,4% do total nacional. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) também divulgou estimativa para a safra de grãos. A estatal prevê que devem ser colhidos 184,15 milhões de toneladas de grãos no ciclo 2012/2013. O volume é 10,8% maior do que o da safra anterior, quando 166,17 milhões de toneladas foram colhidas. A diferença entre os dados divulgados pelo IBGE e pela Conab se deve aos períodos avaliados. O instituto analisa a colheita de janeiro a dezembro, enquanto a Conab se baseia no ano-safra, que vai de agosto a julho do ano seguinte.

Mesmo com Afif Domingos em ministério, PSD diz que continua independente


Nem mesmo a nomeação do vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, para a Secretaria da Micro e Pequena Empresa, que tem status de ministério, convenceu o PSD a integrar a base do governo no Congresso Nacional. Após reunir a bancada, o líder do partido na Câmara, deputado Eduardo Sciarra (PR), disse que por unanimidade os deputados decidiram não integrar a base do governo. "Está definido. Vamos nos manter independentes na nossa atuação no Congresso nesta legislatura. Esta independência faz com que a gente venha a público dizer que nós temos um grande apreço pelo nosso correligionário Guilherme Afif Domingos, que é um homem público de extrema competência e qualidade dentro daquilo que foi sempre sua marca em defesa do pequeno e micro empresário. É um a pessoa que honra muito nosso partido. Entendemos que o convite foi feito a ele", disse Sciarra. Segundo o líder, o PSD tem reafirmado que não quer qualquer cargo no governo federal até o final desta legislatura e que a decisão de Afif de aceitar o convite da presidenta Dilma Rousseff é pessoal e não partidária: "A decisão pessoal do Afif pode contribuir muito para o País pela competência que ele representa, porém não vai fazer com que mude a nossa posição no Congresso, até porque nós nunca pleiteamos cargos e não queremos compor a base do governo até o final desta legislatura".

Nono suspeito de adulterar o leite se apresenta à polícia em Ibirubá


Um novo suspeito de adulterar o leite se apresentou na delegacia de Ibirubá, no noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, na manhã desta quinta-feira. Paulo César Chiesa é sócio de uma transportadora de leite e está sendo investigado pela polícia. Na quarta-feira, durante ações da Operação Leite Compen$ado, foram cumpridos mandados de busca e de prisão na empresa Irmãos Chiesa, da qual o suspeito é sócio. Um caminhão foi apreendido, mas ele não foi encontrado no local. Após ser ouvido, ele foi encaminhado a um presídio. O advogado de Chiesa, Pedro Luiz Rebelato, diz que não vai se pronunciar sobre o caso. Na manhã de quarta-feira, oito pessoas foram presas. Seis delas continuam com a prisão preventiva decretada. Duas foram liberadas pela polícia. Os envolvidos na fraude do leite podem ser punidos, em caso de condenação, em até oito anos de prisão, conforme o advogado Aury Lopes Junior, professor universitário e doutor em Direito Penal. O crime é enquadrado no artigo 272 do Código Penal, como "corromper, adulterar, falsificar ou alterar substância ou produto alimentício destinado a consumo, tornando-o nociva à saúde ou reduzindo-lhe o valor nutritivo".

Com variação de 0,35%, Porto Alegre tem a menor inflação semanal entre as capitais


O Índice de Preços ao Consumidor Semanal da cidade de Porto Alegre (IPC-S) registrou variação de 0,35%, na apuração realizada na primeira semana de maio de 2013. O resultado foi 0,12% inferior ao divulgado na quarta semana de abril, que foi de 0,47%. O índice na capital gaúcha ficou abaixo da média nacional de 0,45%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Seis das oito classes de despesa apresentaram desaceleração, entre as quais se destacam alimentação e habitação, cujas taxas passaram de 0,65% para 0,24%, e de 0,54% para 0,17%, respectivamente. Puxada pela queda do tomate (16,83%), as hortaliças apresentaram deflação de 2,77%. Batata inglesa e cebola apresentaram retração nos preços, com 9,07% e 0,31%, respectivamente. Subiram os preços do feijão (5,1%) e laticínios (4,14%), com alta acentuada do leite longa vida (4,22%). Também se situaram em nível abaixo da variação média: despesas diversas, com 0,22%, transportes, com 0,11% e educação, leitura e recreação, com -0,10%. As pressões acima da variação média foram exercidas pelos grupos: saúde e cuidados pessoais, com 1,49%, comunicação, com 0,60% e vestuário, com 0,49%. O IPC-S é calculado com base em preços pesquisados no intervalo de 30 dias fechados sempre nos dias 7, 15, 23 e 30 de cada mês - este último, por coincidir o fechamento do calendário, pode ser considerado a variação da inflação em um determinado mês. O índice é composto pelo preço de 460 produtos coletados em sete capitais, incluindo Porto Alegre.

Quadro "Le Petit Pâtissier", de Chaim Soutine, é vendido por US$ 18 milhões


O quadro "Le Petit Pâtissier" de Chaim Soutine, um artista russo que trabalhou e morreu na França, foi vendido na quarta-feira por US$ 18 milhões em Nova York pela casa de leilões Christie's, um recorde para uma obra do autor. A pintura, que mostra um jovem com blusa branca e gorro de chef, pintado em 1927, foi adquirido por um colecionador chinês. No total foram vendidas 47 obras, incluindo uma pintura de Marc Chagall, "Três Acrobatas" (1926), que alcançou US$ 13 milhões.

Oposição vacila e adia apoio à CPI do peremptório petista Tarso Genro


A CPI do Tarso na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul patina nas nove assinaturas, aguardando pelas oposicionistas bancadas do PMDB, PP e PPS. São necessárias 19 assinaturas. Assinaram seis deputados do PSDB e os deputados Paulo Borges (DEM), Marcelo Moraes e Cassiá Carpes (PTB), estes dois da base aliada. O PDT, que é da base aliada e tem seis deputados, avisou ao governador Tarso Genro que a bancada assinará o requerimento, caso o PT não retire as assinaturas que deu à proposta de CPI do Fortunati na Câmara de Vereadores. O aviso foi dado na quarta-feira pelo presidente do PDT, Romildo Bolzan.

Lucro líquido da Caixa Econômica Federal cresce 12,5% no primeiro trimestre


A Caixa Econômica Federal encerrou o primeiro trimestre de 2013 com lucro líquido de R$ 1,3 bilhão, 12,5% acima do resultado registrado em igual período de 2012. As receitas totais do banco chegaram a R$ 21,5 bilhões, com expansão de 13,6%. As receitas com operações de crédito, R$ 9,9 bilhões, cresceram 21,1%. A carteira de crédito da Caixa ficou com saldo de R$ 390,6 bilhões. A contratação de crédito totalizou R$ 88,2 bilhões no primeiro trimestre do ano. O crédito comercial respondeu por R$ 51,1 bilhões, crescimento de 54,5% em relação ao mesmo período de 2012. As operações com pessoas físicas alcançaram R$ 27,3 bilhões, enquanto as com pessoas jurídicas atingiram R$ 23,8 bilhões, aumento de 50,9% e 59%, respectivamente, comparadas ao mesmo período do ano passado. As contratações de crédito imobiliário chegaram a R$ 28,9 bilhões no primeiro trimestre de 2013, crescimento de 31,7% em relação ao mesmo período de 2012. Desse total, R$ 12,5 bilhões foram contratados com recursos da poupança (SBPE) e R$ 11 bilhões das linhas que utilizam o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A carteira imobiliária apresentou saldo de R$ 220,2 bilhões em março, aumento de 33,8% comparado ao mesmo período do ano passado. No âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida, a Caixa contratou R$ 13 bilhões no primeiro trimestre, que correspondem a 173,8 mil novas moradias. Para a faixa de renda de até três salários mínimos, foram contratadas 80,3 mil novas moradias, 46,2% do total, somando R$ 4,6 bilhões.

Dilma almoça com Lula para discutir alianças de 2014


Nesta quinta-feira, a presidente Dilma Rousseff almoçou, no Palácio da Alvorada, com o ex-presidente Lula, o presidente do PT, Rui Falcão, e o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Na pauta, o palanque para 2014 nos Estados e avaliações de onde poderá haver coligação com que partidos e onde essas alianças não serão possíveis. Os acertos partidários para a campanha eleitoral do ano que vem e a ampliação do espaço do PSB, com a movimentação de Eduardo Campos, também entrará no cardápio. Por causa do almoço, foi atrasada em uma hora a chegada do ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, ao Palácio do Planalto. Esta foi a primeira visita do ditador Maduro ao Brasil depois da eleição fraudulenta que o elegeu na Venezuela. Dilma, que não pára de se movimentar pela reeleição, se reuniu na quarta-feira com o PMDB gaúcho, no Palácio do Jaburu, a convite do vice-presidente Michel Temer. A presidente recebeu o apoio dos peemedebistas gaúchos para a sua reeleição, mas foi avisada que o partido terá candidato próprio em 2014 ao governo do Rio Grande do Sul e não aceitará mais imposições do PT local. Os dois partidos são adversários políticos no Estado. "O próximo candidato ao governo do Estado é do PMDB, e o partido espera contar com o apoio do PT", disse o deputado estadual Edson Brum, em discurso, deixando o vice-presidente Temer ruborizado e a presidente embaraçada. A presidente Dilma deu um sorriso amarelo e, depois, ao falar, salientou que se sentia "muito à vontade" entre gaúchos, porque, apesar de ser mineira, fez sua vida política no Estado. Fez questão de agradecer ainda o anúncio de apoio à sua reeleição, acrescentando que "ficava muito feliz" de contar com o apoio deles. Esses e outros tipos de problemas nos palanques estaduais entram em discussão no almoço no Alvorada entre Lula e Dilma e outros petistas.

Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul determina suspensão de outras três marcas de leite


Mais três marcas de leite estão com as vendas proibidas no Rio Grande do Sul. Além daquelas já divulgadas pelo Ministério Público do Estado (Líder, Mumu, do Grupo Vonpar, e Italac, e todos os produtos da Latvida), a Secretaria da Agricultura do Estado determinou que sejam retiradas de circulação as marcas Hollmann, Goolac e Só Milk, industrializadas pela VRS Indústria de Laticínios, a mesma fabricante da Latvida. O governo do peremptório petista Tarso Genro é o direto responsável pela produção destes leites envenenados com formal e uréia, porque sua Secretaria da Agricultura é completamente incompetente. Ela é comandada pelo petista Luiz Fernando Mainardi, um condenado em primeiro grau na Justiça gaúcha por improbidade administrativa. Embora os exames não tenham revelado resultado positivo de formol nos lotes analisados, entendeu-se que, por segurança, essas marcas devessem ser retiradas dos pontos de venda, explicou Ângela Antunes de Souza, titular da coordenadoria de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Secretaria da Agricultura (Cispoa). Todas as operações da VRS foram proibidas. A empresa já havia sido intimada a retirar lotes adulterados de circulação no início de abril, o que foi descumprido.

Consórcio Maracanã vence licitação e administrará o estádio por 35 anos


Não houve surpresa no Palácio Guanabara durante o anúncio do vencedor da licitação para a operação do complexo do Maracanã. O Consórcio Maracanã, composto por Odebrecht , IMX e AEG, foi escolhido pelo governo do Rio de Janeiro para administrar o principal estádio da Copa do Mundo de 2014 pelos próximos 35 anos. O outro concorrente era o consórcio Complexo Esportivo e Cultural do Rio de Janeiro, formado por OAS, Largadère e Stadion Amsterdan. Antes de o novo "dono" assumir a administração do estádio, contudo, um assunto terá de ser resolvido na Justiça. A empresa Golden Goal, que explorava parte dos camarotes do antigo Maracanã, conseguiu liminar que garante a suspensão deste setor na concessão. O secretário da Casa Civil do governo do Rio de Janeiro, Régis Fichtner, minimizou a questão: "Quando o Maracanã foi fechado, ainda havia um tempo de utilização para esta empresa, mas é uma questão pequena, o Estado vai fazer a indenização". Apesar das críticas sobre a entrega de um estádio que custou mais de R$ 1 bilhão, Fichtner destacou o que considera importante na decisão de conceder o Maracanã à iniciativa privada: "Teremos mais eficiência com a gestão privada, e vamos colocar dinheiro em outras áreas". A Odebrecht, que também foi responsável pela obra, terá 90% de participação, a IMX, do bilionário Eike Batista, 5%, e a americana AEG, 5%. Foram avaliadas questões financeiras e técnicas. A proposta do grupo foi de R$ 181,5 milhões em 33 parcelas anuais, mais o investimento de R$ 594.162.148,71 em obras no entorno. O Maracanã será vizinho de uma área de entretenimento, do museu do futebol e olímpico e de um estacionamento. O estádio de atletismo Célio de Barros e o Parque Aquático Júlio Delamare virão abaixo, mas há o comprometimento para a construção de centros esportivos de atletismo e natação em local próximo como compensação. A grande dúvida é saber quando tudo isso ficará pronto, pois, hoje, a parte de fora do Maracanã é um grande canteiro de obras. Tecnicamente, pesou a experiência da AEG em administração de complexos esportivos. Com sede em Los Angeles, a empresa administra de 120 arenas por todo o mundo, como o Staples Center e os estádios de Galatasaray e Fenerbahçe, na Turquia. Além disso, a AEG é proprietária de clubes de futebol (Galaxy), hóquei no gelo (Kings) e basquete (Lakers) e será parceira na gestão de outros três estádios no Brasil: Arena Pernambuco, em Recife; Arena Palestra, em São Paulo, e Arena da Baixada, em Curitiba.

Produção global de grãos aumentará este ano, segundo a FAO


Com condições climáticas mais normais que em 2012, a produção global de arroz, trigo e grãos deve aumentar este ano. A previsão foi divulgada nesta quinta-feira pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). A produção de grãos, incluindo o milho, deve superar um novo recorde de cerca de 1,3 bilhão de toneladas, uma alta de 9,3% em relação ao recorde de 2011, segundo comunicado da FAO. O milho deve responder por cerca de 960 milhões de toneladas desse total, em alta de cerca de 10%, devido à produção dos Estados Unidos, onde as plantações de milho devem alcançar seu nível mais alto desde 1936. Outro fator de crescimento da produção é que a maioria dos países produtores da ex-União Soviética estão se recuperando da seca, disse a organização. A produção global de trigo deve aumentar 5,4% e pode chegar a cerca de 6 milhões de toneladas abaixo do recorde de 2011, a 695 milhões de toneladas. A produção de arroz deve aumentar 3,3% a 497,7 milhões de toneladas por causa da alta prevista na Índia e na Indonésia.

Polícia Civil deflagra operações em todos os Estados brasileiros


Além dos 30 suspeitos de tráfico de drogas presos no Rio Grande do Sul, a Operação PC 27, da Polícia Civil, ocorreu em todos os Estados brasileiros nesta quinta-feira. As ações fazem parte de um movimento nacional para mostrar à população o trabalho realizado pela corporação. Policiais civis aproveitaram a mobilização também para protestar contra a discussão da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 37. A matéria retira do Ministério Público e de outras instituições o poder de investigação, que passaria a ser prerrogativa exclusiva das polícias Civil e Federal. No Paraná, até o final da manhã, 84 pessoas haviam sido presas, sendo 54 na capital, Curitiba, e 30 no Interior, conforme o jornal Gazeta do Povo. Na Bahia, pelo menos 13 pessoas foram detidas, segundo o jornal Correio. No Mato Grosso do Sul houve a prisão de 110 suspeitos, de um total de 215 mandados, de acordo com o site Campo Grande News. Somente na capital, Campo Grande, cerca de 50 pessoas teriam sido presas. Já em Goiás são 101 presos, entre eles 18 policiais militares suspeitos de envolvimento em crimes como homicídios e tráfico de drogas. A Operação Dilúvio ocorreu simultaneamente em 33 municípios.

Câmara dos Deputados marca votação da MP dos Portos para segunda-feira


O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), anunciou nesta quinta-feira a convocação de uma sessão extraordinária para segunda-feira, com o objetivo de votar a Medida Provisória 595, conhecida como MP dos Portos, que perde a validade se não for aprovada pela Câmara e depois pelo Senado até a próxima quinta-feira. A votação da MP, que estabelece novo marco regulatório para a concessão de terminais portuários à iniciativa privada, foi inviabilizada na quarta-feira depois de denúncias feitas pelo deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) de que alterações ao texto enviado pelo governo eram fruto de “negociatas”. Nesta quinta-feira, durante cerimônia de posse do ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, a presidente Dilma Rousseff fez um apelo ao Congresso pela aprovação da MP: “Quero dizer aos senhores que meu apelo é no sentido de que o Congresso Nacional faça um esforço, no tempo que resta, que é até quinta-feira, para aprovar essa que é uma medida estratégica”. O presidente da Câmara, que decidiu encerrar a sessão de ontem com o argumento de que precisava preservar a Casa, ressaltou que o Parlamento tem o dever de votar a matéria: “A questão do mérito, o plenário discutirá. O que votará, o que vai mudar, alterar, destaques que serão apresentados, é uma questão dos líderes, da bancadas e de cada parlamentar, com a sua consciência. Agora, o dever da Câmara é pautar essa matéria, já que ela caduca na próxima quinta-feira. Esta Casa tem o dever de cumprir a determinação de votar”. Para ele, acalmados os ânimos, deve haver clima para votação da matéria na segunda-feira.

Justiça concede a Ustra direito de ficar calado na Comissão da Verdade


A Justiça Federal concedeu ao coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra o direito de permanecer calado durante depoimento na Comissão Nacional da Verdade marcado para esta sexta-feira. Brilhante Ustra foi convocado para falar de crimes contra os direitos humanos cometidos durante a ditadura militar. A decisão do juiz Marcos Vinícius Reis Bastos da 12ª Vara Federal do Distrito Federal foi tomada após habeas corpus apresentado pela defesa de Ustra. Carlos Alberto Brilhante Ustra foi ex-comandante do Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna do 2º Exército em São Paulo (DOI-Codi/SP) entre 1970 e 1974. A defesa do coronel pediu que Ustra não comparecesse ao depoimento e caso o fizesse que pudesse permanecer em silêncio. O juiz acatou somente o segundo pedido. “Não há como se identificar no ato da convocação qualquer ilegalidade”, diz a liminar. Em outro trecho o juiz diz que “tem o paciente Ustra o direito de negar-se a responder qualquer pergunta que, a seu juízo, possa incriminá-lo”. O decreto que criou a Comissão da Verdade lhe confere a prerrogativa de convocar testemunhas, podendo, inclusive, solicitar ao Poder Judiciário a condução coercitiva em caso de ausência do depoente ou encaminhar representação ao Ministério Público.

Deputado vai responder a ação penal no STF por calúnia e difamação


O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quinta-feira, por unanimidade, que o deputado federal Wladimir da Costa (PMDB-PA) terá que responder a ação penal por calúnia e difamação. A queixa-crime foi oferecida pelo então prefeito de Nova Timboteua (PA), Antônio Nazaré Elias Correa. O caso refere-se a entrevista concedida pelo parlamentar a uma rádio da cidade de Capanema (PA), em janeiro de 2010. Na ocasião, Wladimir acusou Correa de ameaçar um repórter, de ser alcoólatra e usuário de drogas e de praticar atos de corrupção. A defesa do deputado alegou que seu cliente estava coberto pela imunidade parlamentar, uma vez que estava no exercício do mandato. Também invocou princípios como liberdade de expressão, crítica política e proteção à honra. Os ministros do STF seguiram entendimento do relator do processo, ministro Luiz Fux, para quem a imunidade parlamentar tem limites. “A imunidade não se aplica à entrevista jornalística prestada à rádio”, disse. De acordo com ele, a prerrogativa se aplica quando as afirmações são feitas no calor do debate e no exercício da função parlamentar.

STF adia desfecho do processo que condenou primeiro parlamentar à prisão


Novo pedido de vista no Supremo Tribunal Federal adiou o desfecho do processo que condenou o ex-deputado José Tatico a sete anos de prisão, em 2010. Este foi o primeiro caso em que um parlamentar em exercício teria que cumprir pena na cadeia. Nesta quinta-feira a Corte analisava recurso que tenta anular as condenações por apropriação indébita previdenciária e sonegação de contribuição previdenciária. O julgamento dos embargos declaratórios foi suspenso pelo ministro Teori Zavascki quando o placar estava em 5 votos a 4 pela rejeição do recurso. Embora já tivesse votado com a maioria, o ministro disse que pretende analisar mais detalhadamente um argumento trazido pelo ministro Antonio Dias Toffoli, que seguiu a divergência. Zavascki não deu prazo para devolver o processo. A defesa de Tatico alega que houve prescrição do crime, pois o acórdão do julgamento foi publicado após o aniversário de 70 anos do político. Segundo a legislação penal, os prazos de prescrição caem pela metade quando os réus atingem essa idade. Os advogados também argumentam que Tatico pagou o débito com a Previdência antes da publicação do acórdão, o que elimina a pretensão punitiva do Estado. O julgamento do recurso começou em dezembro de 2011, com voto do relator, ministro aposentado Carlos Ayres Britto. Ele entendeu que os advogados tentavam “retardar o início do cumprimento das penas aplicadas”, pois a prescrição foi rejeitada pelos ministros quando condenaram o político. Ele também entendeu que não é possível o pagamento do débito após a condenação por única e última instância, no caso, o Supremo. O julgamento foi suspenso por pedido de vista do ministro Luiz Fux, que abriu divergência ao devolver o caso ao plenário nesta tarde. Fux acatou os dois argumentos da defesa, e foi seguido pelos ministros Marco Aurélio Mello, Antonio Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Concordaram com Ayres Britto os ministros Joaquim Barbosa, Teori Zavascki, Rosa Weber e Cármen Lúcia. Seguindo linha de pensamento inaugurada por Ayres Britto, Joaquim Barbosa defendeu a execução imediata da prisão, afirmando que os pedidos da defesa tinham caráter protelatório.

Tesouro capta US$ 750 milhões com emissão de títulos da dívida externa


O Tesouro Nacional informou nesta quinta-feira que o total captado com a reabertura de títulos da dívida externa, denominados bônus da República, nos mercados europeu e norte-americano foi US$ 750 milhões. O vencimento dos títulos é previsto para 5 de janeiro de 2023. A taxa de retorno para o investidor foi 2,75% ao ano. O Tesouro também informou que a oferta poderá ser estendida ao mercado asiático, até US$ 75 milhões, nas mesmas condições obtidas na oferta nos mercados europeu e norte-americano. Com as emissões de títulos da dívida externa, o governo pega dinheiro emprestado dos investidores internacionais com o compromisso de devolver os recursos com juros. A última vez que o Brasil emitiu títulos no Exterior foi em setembro do ano passado, quando foram captados US$ 1,35 bilhão em títulos com vencimento em 2023 e juros de 2,686% ao ano.

Operação das polícias civis já prendeu 1.179 criminosos em todo o País


O primeiro balanço parcial nacional da Operação PC27, deflagrada nesta quinta-feira, em todo o País, fez a prisão de 1.179 pessoas, incluindo ações para cumprimento de mandados e de flagrante delito. Também foram apreendidos 14 adolescentes. A operação foi deliberada pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil, presidido pela chefe de Polícia do Rio, delegada Martha Rocha, e ocorre simultaneamente em todos os estados do País e no Distrito Federal. Estão participando 4.610 agentes e 535 delegados. O foco é a repressão ao tráfico de drogas, à venda de produtos piratas e ao roubo de carros, além do cumprimento de mandados de prisão. Até o meio da tarde, haviam sido apreendidas 88 armas, cerca de 9 quilos de maconha, 16 quilos de cocaína e 3 quilos de crack. Foram recuperados 77 veículos roubados. No Rio de Janeiro, a Operação PC27 foi deflagrada na noite de ontem (8), com apoio de 2,7 mil policiais. Até o início da tarde desta quinta-feira haviam sido registradas no Estado do Rio de Janeiro 76 prisões em flagrante, com cumprimento de 31 mandados de prisão e a recuperação de 13 veículos roubados, além de apreensão de quantidade não informada de drogas e munição. Na comunidade do Engenho da Rainha, zona norte da capital, foram apreendidas munições calibres .30 e .50, capazes de derrubar aeronaves e perfurar veículos blindados. No camelódromo de Madureira, também na zona norte, agentes apreenderam centenas de produtos piratas. Policiais da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) prenderam três pessoas em uma empresa transportadora em Campos Elíseos, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, por fraude de combustíveis. Em Irajá, na zona norte, um soldado da Aeronáutica foi preso pela Divisão de Capturas da Polinter por envolvimento em um roubo de táxi ocorrido em janeiro deste ano. Na delegacia, ele foi reconhecido pela vítima.

Anthony Garotinho vira réu no Supremo por difamação e calúnia



O deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) tornou-se réu no Supremo Tribunal Federal pelo crime de difamação e calúnia. Ele foi processado pelo dono de uma empresa de informática de Mato Grosso por citá-lo pejorativamente em seu blog. A notícia tratava de suposta fraude em licitação na Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) do Rio de Janeiro. O texto publicado no Blog do Garotinho em junho de 2010 relatava que “a empresa GMF, embora pouco conhecida no Rio de Janeiro, no Mato Grosso tem uma péssima fama. Está sendo acusada pelo Ministério Público de envolvimento em licitações fraudulentas”. Garotinho também informava que os donos da GMF, entre eles o autor da ação no Supremo, Hiroshi Matsuyama, são donos da empresa MaxService Comércio e Serviços, “que está na lista das 500 maiores devedoras do INSS”. Mesmo citado por Garotinho pela suposta participação na fraude, o presidente da Cedae, Wagner Victer, não está no processo. Para o relator do caso, ministro Marco Aurélio Mello, Garotinho ultrapassou o direito de informar e atacou Matsuyama sem provas. “Para atingir o presidente da Cedae, o quadro de início não revela a vontade de apenas informar. E o mais interessante é que ao invés de o querelado se dirigir ao Ministério Público, ele ao término da noticia consignou ao Ministério Público a apuração dos fatos”, analisou o ministro. O único voto contrário foi do ministro Joaquim Barbosa. Para ele, o relato de Garotinho estava respaldado em informações prestadas por funcionários da Cedae: “O texto reputado, embora rude ou áspero, demonstra apenas o ânimo de narrar ou de criticar, insuficiente para caracterizar crime contra a honra”.

Telebras conclui anéis de fibra ótica no Nordeste e Sudeste


A Telebras informou nesta quinta-feira que concluiu a instalação de anéis de fibra ótica nas regiões Nordeste e Sudeste do país, expandindo sua rede de telecomunicações em mais 8,9 mil quilômetros. As regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória e Belo Horizonte passam a integrar a rede nacional da Telebras, ampliando a possibilidade de atendimento do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL). Com isso, a rede da empresa atinge o total de mais de 25 mil quilômetros em todo o País, interligando todas as regiões brasileiras. A rede também será utilizada para atendimento da Copa das Confederações no fornecimento de serviços de transporte de imagens e som para televisão em alta definição para a Fifa, para garantir as transmissões dos jogos para o mundo. Na última semana, a Telebras fez testes com a empresa contratada pela Fifa para a transmissão do sinal de vídeo dos jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo. Segundo o presidente da Telebras, Caio Bonilha, o resultado foi excelente.

Vírus H7N9 já matou 32 na China


O novo vírus da gripe aviária H7N9 já fez 32 mortos na China, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelas autoridades chinesas. A última vítima foi na província de Henan. O homem, de 56 anos, morreu depois de manifestar as primeiras reações de contaminação há duas semanas. Conhecido apenas como Cui, o homem teve febre por uma semana, antes de ser internado já em estado considerado crítico pelos médicos. O caso dele foi agravado, de acordo com os profissionais de saúde, porque sofria de hipertensão e tinha histórico de doença cardíaca. As autoridades médicas informaram que Cui não teve contato direto com aves, mas havia gaiolas penduradas no corredor do edifício residencial em que morava. Apenas na região de Henan foram registrados quatro casos. Três pacientes se recuperam. A China identificou 129 pessoas afetadas pela doença, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde e da Comissão de Planejamento Familiar.

Inep estuda uso de lacres eletrônicos para transportar provas do Enem


O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Luiz Cláudio Costa, disse nesta quinta-feira que a instituição estuda a possibilidade de colocar lacres eletrônicos em todos os malotes de transporte de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os lacres eletrônicos registram o horário do fechamento do malote na gráfica e o horário em que foi aberto no local de aplicação da prova, aumentando assim a segurança no processo. “Os resultados são extremamente positivos e nos dão muita segurança sobre a hora exata em que os malotes são abertos”, disse Cládio Costa ao participar de audiência pública sobre correção de provas do Enem na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. No Enem de 2012, os lacres eletrônicos foram usados para fechar dez mil malotes de provas, cerca de 25% do total. Os lacres podem ser usados em até seis exames.

Pane atinge Caixa Econômica Federal em todo País


O sistema da Caixa Econômica Federal ficou fora do ar nesta quinta-feira pela manhã em todo o País. Segundo informou o banco, o sistema já voltou à normalidade. De acordo com a Caixa, não foi possível fazer nenhuma transação nas agências, nas lotéricas e nem mesmo pela internet. O banco ainda não informou o que causou o problema, nem por quanto tempo o sistema ficou fora do ar, nem quantos usuários foram afetados pela pane. De acordo com a CEF, o setor de tecnologia está fazendo a apuração.

Embaixadora assume consulado em Sydney no lugar de diplomata denunciado


O Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, confirmou nesta quinta-feira que uma embaixadora assumirá, em junho, o lugar do cônsul-geral do Brasil em Sydney, na Austrália, Américo Fontenelle, alvo de denúncias de desrespeito a funcionários da representação brasileira. A diplomata cujo nome é mantido sob sigilo, por enquanto, ficará quatro meses no posto. Fontenelle recebeu ordens do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, para deixar o cargo e voltar para Brasília, depois que as denúncias de desvio de comportamento vieram à tona. Fontenelle e o cônsul adjunto em Sydney, Cesar Cidade, foram denunciados por funcionários por assédio moral e sexual, homofobia e desrespeito. Ambos são esperados em Brasília para prestar esclarecimentos sobre as acusações. Eles têm prazo de 60 dias prorrogáveis pelo mesmo período, para apresentar defesa formal, mas a previsão é que isso ocorra antes do limite. As investigações do caso serão conduzidas por três embaixadores com experiência consular e em questões administrativas. Dependendo do resultado das apurações, Fontenelle e Cidade poderão ser condenados com punições que vão desde uma simples advertência oral, até exoneração das funções. Ao Itamaraty, Fontenelle e Cidade negaram as acusações. As denúncias surgiram a partir de acusações feitas por funcionários do Consulado de Sydney, que informaram ao Itamaraty situações em que foram humilhados e houve abuso de autoridade por parte do cônsul e do adjunto dele. Desde então, o ministério passou a apurar as informações. Há um dossiê com todas as denúncias. Na edição do Diário Oficial da União de quarta-feira foi publicada a ordem para Fontenelle deixar o cargo. A íntegra da portaria determinando a saída de Fontenelle está na página da Imprensa Nacional. Paralelamente, Cidade também deve deixar o cargo de cônsul adjunto. Antes das acusações virem à tona, ele pediu para ser incluído no plano de remoção, documento que reúne pedidos dos diplomatas que pretendem mudar de posto. A cada seis meses, o Itamaraty avalia os pedidos e define as mudanças.

Brasil tem 4,5 milhões de jovens desempregados


Segundo dados da OIT, Organização Internacional do Trabalho, o Brasil encerrou 2012 com 4,5 milhões de jovens desempregados, na faixa etária de 15 a 24 anos.  Os dados da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE confirmam que o desemprego nestes tempos de PT castiga mais os jovens. A taxa de desemprego das pessoas de 18 a 24 anos medida pelo IBGE para as seis maiores regiões metropolitanas do País foi de 12,4% no ano passado, mais que o dobro dos 5,5% da taxa média do ano no País. Na faixa etária mais baixa, 15 a 17 anos, o índice de desemprego foi ainda maior: 22%. O que demonstra porque o PT tratou de enterrar aquele programa chamado "Primeiro Emprego".

Inflação da Dilma bate no teto: 6,48%.


Não foi em abril que os alimentos deram a trégua esperada aos consumidores. A pressão desses itens, aliada ao reajuste de remédios e ao custo dos serviços em alta, fizeram com que o IPCA subisse 0,55% em abril frente a março, quando foi de 0,47%, e superasse as projeções de analistas, que previam um aumento de 0,48%. Com isso, a inflação em 12 meses está praticamente no teto da meta estabelecida pelo governo: acumula alta de 6,49%, enquanto o limite perseguido pelo governo é de 4,5%, com margem de tolerância de dois pontos percentuais para baixo ou para cima, isto é, até um máximo de 6,5%. Em abril, a inflação acumulada em 12 meses chegou a superar o teto da meta, indo a 6,59%. Os preços de alimentos ficaram acima do previsto. Eles tiveram apenas uma leve desaceleração e passaram de 1,14%, em março, para 0,96% em abril. Em 12 meses, sobem 13,99%. Os produtos in natura (hortaliças, legumes e frutas), que sofrem com problemas climáticos e aumento do custo do frete, aceleraram os preços no mês passado.

Rose do Lula, abandonada por ele e por todos


A ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, amante de Lula, sofreu duas derrotas no processo administrativo disciplinar em curso na Controladoria Geral da União (CGU). Por determinação do ministro-chefe da CGU, Jorge Hage, a comissão responsável pelo processo restringiu a apuração ao tráfico de influência supostamente praticado por Rosemary dentro do governo, sem estender a investigação a outros servidores públicos, em outros casos, como quer a defesa da acusada. A orientação do ministro já teve efeitos práticos: a comissão vetou nove das 20 testemunhas indicadas por Rosemary para defendê-la, entre elas o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e o ex-embaixador do Brasil na Itália, o ex-ministro da Defesa, José Viegas Filho. Além disso, a comissão processante da CGU negou pedido dos advogados por diligências em normas que permitem acesso ao conteúdo de e-mails institucionais no curso de uma investigação. Também deixarão de ser ouvidos, contrariando os interesses da defesa, a ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra; o secretário-executivo do Ministério da Previdência, Carlos Gabas; o secretário-executivo da Casa Civil, Beto Vasconcelos; e Lúcio Reiner, ex-tradutor de francês e espanhol do ex-presidente Lula. A indicação dos nomes para testemunhas de defesa e a exclusão pela CGU foram confirmadas pelo advogado de Rosemary, Fábio Medina Osório. Ele diz ter sido notificado da decisão na terça-feira. O processo disciplinar foi aberto na Corregedoria da CGU depois de a Casa Civil da Presidência concluir uma sindicância, no fim de janeiro, que detalha diversas irregularidades por parte de Rosemary, com informações sobre a prática de tráfico de influência. O Ministério Público Federal denunciou a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, amante de Lula, por tráfico de influência, corrupção passiva, formação de quadrilha e falsidade ideológica. Ela é acusada na Justiça Federal de integrar a organização criminosa responsável por um esquema de compra e venda de pareceres jurídicos no governo, desbaratada em novembro na Operação Porto Seguro, da Polícia Federal. Na esfera administrativa, o processo disciplinar caminha para a reta final, e a CGU tem até seis de junho para concluir as investigações.

Senador Alvaro Dias critica confusão do governo petista na administração do Brasil


O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) criticou nesta quinta-feira a “confusão” feita pelo governo petista na administração do País. Segundo ele, o governo federal tem adotado posições contraditórias para tentar agradar o eleitorado de 2014. “No presidencialismo forte, o que se vê é a presidente da República ausente dos grandes debates que buscam entendimento nacional para reformas de profundidade. E todos sabemos que no presidencialismo forte como o brasileiro, sem que a Presidência da República participe, e articule, sobretudo por possuir uma maioria esmagadora no Congresso Nacional, as reformas não ocorrem”, disse.

Diplomatas brasileiros perseguiram exilados políticos


A ditadura militar utilizou os serviços diplomáticos do Brasil no Exterior para vigiar, perseguir e eliminar asilados e refugiados políticos brasileiros. Funcionários do Centro de Informações (CIEx) do Ministério das Relações Exteriores atuavam em conjunto com os adidos militares sediados nas embaixadas. Ajudavam a identificar e a esquadrinhar as atividades de brasileiros que haviam sido banidos ou deixado o País para escapar de perseguições políticas. Documentos divulgados nesta quinta-feira pelo procurador Claudio Fonteles, da Comissão Nacional da Verdade, confirmam essa participação dos diplomatas na caça aos refugiados, especialmente nos países vizinhos da América Latina. "O Estado Ditatorial militar subverte, por completo, a razão de ser dos relevantes serviços diplomáticos, transformando-os na longa manus da espionagem sobre os seus próprios nacionais, para aprisioná-los e eliminá-los", disse Fonteles. As conclusões de Fonteles estão baseadas sobretudo na documentação sobre o caso do desaparecido político Edmur Péricles Camargo. Ele foi preso em 17 de junho 1971 pelos órgãos da repressão argentina, durante uma viagem do Chile para o Uruguai. Em uma escala do vôo, em Buenos Aires, ele foi detido no aeroporto e entregue a agentes policiais brasileiros. No dia seguinte um avião Força Aérea Brasileira (FAB) pousou no aeroporto de Ezeiza com a missão de trazê-lo de volta para o Brasil. Nunca mais foi visto. Por meio de documentos obtidos nos arquivos do Exército, Fonteles observa: a prisão de Edmur Péricles Camargo é mais uma prova das ações da Operação Condor, que uniu órgãos de repressão política de países da região sul do continente para perseguir e eliminar dissidentes políticos; ela só foi possível com a participação de agentes do Itamaraty em Buenos Aires e Montevidéu. Os documentos contêm detalhes da operação. Revelam que foi apreendida com Edmur Péricles Camargo uma carta do almirante Cândido Aragão, militar dissidente do golpe militar, endereçada ao ex-presidente João Goulart, que se encontrava no Uruguai. Ele pedia ajuda para o refugiado, que estava doente e precisava de cuidados médicos. Edmur Péricles Camargo fazia parte do contingente de 70 brasileiros que foram trocados pelo embaixador suíço Giovanni Bucher, sequestrado em 1970 por terroristas da Vanguarda Popular Revolucionária, comandada por Carlos Lamarca. Edmur Péricles Camargo era um antigo militanrte comunista. Na década de 60 foi transferido pelo PCB para o Rio Grande do Sul. Na época ele confidenciou ao jornalista Marcos Faerman e sua noiva, estudante de engenharia, que dirigentes do PCB o tratavam como um escravo, obrigando-no a lustrar seus sapatos e de suas mulheres. Assim eram os comunistas.

Tribunal de Justiça destitui direção da Federação Mineira de Futebol


A pouco mais de um mês do início da Copa das Confederações, a Federação Mineira de Futebol, que controla o esporte em uma das sedes da competição, está sem direção. A Justiça determinou nesta quinta-feira o afastamento imediato de toda a diretoria da entidade, ao cassar uma liminar que mantinha no cargo, desde o início do ano, o presidente Paulo Schettino e os demais diretores. A decisão unânime foi da 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que negou agravo de instrumento apresentado por Schettino e pela federação contra decisão do juiz Wauner Batista. Em dezembro passado, o magistrado, então titular da 6ª Vara Cível do Fórum Lafayette, em Belo Horizonte, atendeu a pedido do Ministério Público Estadual e anulou os efeitos de uma assembleia geral realizada pela FMF em 18 de agosto de 2011, que, entre outras decisões, estendeu o mandato de Schettino até dezembro de 2014. O dirigente assumiu o cargo há nove anos, quando era vice-presidente da FMF e o então presidente, Elmer Guilherme, já morto, foi cassado por diversas irregularidades, incluindo desvio de verbas. Schettino, que é ex-delegado da Polícia Civil mineira e ex-deputado estadual, conseguiu se reeleger e, desde então, enfrenta uma série de batalhas judiciais, principalmente contra o Ministério Público Estadual. Após o juiz Wauner Batista anular os efeitos da assembléia de agosto de 2011, Schettino conseguiu liminar para se manter no comando do futebol mineiro e recorreu ao Tribunal de Justiçpa mineiro, questionando a legitimidade do Ministério Público para atuar no caso, já que a FMF é uma entidade privada. Mas o relator do recurso, desembargador Newton Teixeira Carvalho, ressaltou que a Lei Pelé classificou o futebol como "patrimônio cultural brasileiro", com "elevado interesse social", e considerou que o Ministério Público Estadual tem competência para atuar na "defesa dos interesses da liga desportiva".

Líder do Hezbollah no Líbano diz que Síria fornecerá novas armas ao grupo


O chefe do Hezbollah do Líbano, o terrorista Hassan Nasrallah, afirmou nesta quinta-feira que a Síria irá fornecer armamentos ao grupo que "mudarão o jogo" como resposta aos recentes ataques aéreos israelenses que atingiram Damasco. Nasrallah considera que os ataques foram uma maneira de Israel neutralizar a Síria e prevenir o Hezbollah de aumentar seu arsenal. Segundo Nasrallah, Damasco vai responder entregando ao grupo libanês armas sofisticadas que antes não eram entregues. Além disso, o Hezbollah vai apoiar qualquer outro grupo que queira atingir Israel nas Colinas do Golã. "Se o objetivo do ataque era impedir o fortalecimento das capacidades da resistência, então a Síria vai dar à resistência armas sofisticadas, nunca antes vistas", disse ele em um discurso televisionado nesta quinta-feira. "A resistência está preparada para aceitar qualquer armamento sofisticado, mesmo se for para quebrar o equilíbrio na região", afirmou Nasrallah. "Nós somos dignos de ter tais armas e as usaremos para defender o nosso povo, o nosso país e nossos locais sagrados", completou.

Eike Batista pode ganhar R$ 1 bilhão em acordo com estatal da Malásia


A Petronas, empresa estatal da Malásia que atua no ramo petrolífero, firmou acordo com a OGX, do mesmo ramo, para a possível compra de 5% das ações da empresa. Esse percentual sairia da parte em poder de Eike Batista e, com o valor de R$ 6,30 por ação, o empresário pode receber mais de R$ 1 bilhão pelos papéis. Seria um alívio para Eike Batista, pois é o mesmo valor que os investidores podem exigir que ele invista até abril de 2014. De acordo com o diretor da OGX, Luiz Carneiro, o interesse da Petronas é prova da “qualidade do time de executivos e das oportunidades de crescimento” da empresa. Na tgerça-feira, a OGX vendeu, por US$ 850 milhões, 40% de um campo de exploração na Bacia de Campos, mas que, para se concretizar, deve passar pelo crivo da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Após sessão tumultuada, presidente da Câmara desiste de votar MP dos Portos


O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), desistiu de votar a Medida Provisória que regulamenta os Portos e encerrou a sessão na noite desta quarta-feira, após bate-boca entre o líder do PR, Anthony Garotinho (RJ), e os líderes Beto Albuquerque (PSB) e Eduardo Cunha (PMDB). O clima esquentou após Garotinho declarar, sob protestos dos demais parlamentares, que os líderes transformaram a MP em um "monstrengo" e que a emenda aglutinativa proposta era uma demonstração de "esperteza e do negócio". "O deputado tem que cuidar dos seus problemas, que não são poucos, para usar a tribuna para fazer acusações levianas", disse dirigindo-se ao deputado Eduardo Cunha, que reagiu ameaçando representar contra ele no Conselho de Ética da Câmara. Garotinho atacou ainda o líder do PSB, Beto Albuquerque: "Se Vossa Excelência acha que fez negócio, vestiu a carapuça porque quis", provocou. O socialista também reagiu às acusações de Garotinho, a quem chamou de "patético" e "sem competência" para falar de moral.

PR destitui Garotinho da liderança


O deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) foi destituído na noite desta quarta-feira da liderança do partido na Câmara após bate-boca com parlamentares, a quem acusou de fazer "negócios nada republicanos" na Medida Provisória dos Portos, que acabou tendo sua votação encerrada devido ao tumulto. A decisão foi tomada pela cúpula do partido, em reunião com a bancada federal. O vice-líder Bernardo Santana (PR-MG) foi designado pela bancada para assumir o cargo. Durante a sessão, o clima esquentou após Garotinho partir para o enfrentamento com os líderes do PSB, Beto Albuquerque (RS), e do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), que reagiu pedindo representação no Conselho de Ética da Câmara contra o republicano. A discussão começou quando Garotinho criticou duramente emenda aglutinativa assinada por Eduardo Cunha que reuniu modificações à MP dos Portos propostas por diversos partidos. “Essa MP, senhor presidente, é a MP dos Porcos. Essa MP é podre", disse Garotinho, da tribuna. "Isso aqui não pode ser transformado no show do milhão. Eu votarei no texto original, nessa emenda eu não voto. Essa emenda é Tio Patinhas”, completou, sob protesto dos demais parlamentares que estavam no Plenário.

Em reunião com Mantega, empresários já falam em crescimento de PIB de 2%, de 1,5%…


As revisões para baixo das projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013, que ganharam força no mercado financeiro, contaminaram também o setor empresarial. Em reunião nesta quarta-feira com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, dirigentes dos 30 maiores setores da economia previram que a alta do PIB este ano dificilmente passará de 1,5% a 2%, expansão bem abaixo dos 3,5% previstos pela equipe econômica. Apesar dos sinais de retomada dos investimentos, os empresários aumentaram as críticas ao custo elevado da produção e pediram mais medidas para destravar a economia. Mesmo os dirigentes dos setores que foram beneficiados com redução de tributos, como as indústrias automobilística, têxtil e da construção civil, se disseram insatisfeitos com a ação do governo para enfrentar os entraves para a redução dos custos no Brasil. O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Paulo Safady Simão, afirmou que o governo precisa reagir e que a expectativa de um PIB menor mostra que as medidas já adotadas não foram suficientes. “Um crescimento de 1,5% a 2% não é o pibinho do ano passado, mas é um PIB pequeno”, disse Safady.

Justiça concede a EMI o direito de manter posse dos LPs de João Gilberto


A gravadora EMI conseguiu reverter a decisão judicial favorável ao músico João Gilberto, que teria a chance de receber as matrizes de três LPs ícones da bossa nova: "Chega de Saudade", "O Amor, o Sorriso e a Flor" e "João Gilberto", além do compacto vinil "João Gilberto cantando as músicas do filme Orfeu do Carnaval". O juiz Sérgio Wajzenberg revogou a liminar que obrigava a gravadora a fornecer as matrizes dos LPs ao autor. O prazo limite para a entrega do material se encerraria nesta quarta-feira. A matriz de um LP, também chamada de "master" na indústria fonográfica, é o disco que dá origem à produção das cópias autorizadas. No dia 26 de abril, a juíza Simone Dalila Nacif Lopes, da 2ª Vara Civil do Rio de Janeiro, concedeu liminar que determinava a transferência dos discos para João Gilberto. Em sua decisão, ela ressaltou ser "evidente a urgência de viabilizar que João Gilberto, aos 81 anos, possa se debruçar sobre sua obra para atualizá-la, com os recursos tecnológicos contemporâneos e sob seu crivo de qualidade, havendo inegável risco de o artista já não ter condições para tanto, se esperar pelo julgamento final".  A EMI não pode produzir novas cópias e comercializar os discos de João Gilberto sem sua autorização. Por isso, na avaliação da juíza da 2ª Vara Civil, com as matrizes em posse da gravadora "a obra-prima de João Gilberto permanecerá aprisionada, sem que o público, seu verdadeiro destinatário, possa dela usufruir". Uma coletânea lançada em 1987 pela EMI deu início à disputa judicial. Sem a autorização de João Gilberto, a gravadora reuniu os três LPs em um álbum triplo, batizado como "O Mito", no mercado brasileiro. Nos Estados Unidos, o mesmo álbum foi comercializado como "The Legendary João Gilberto".

Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra vai depor na Comissão da Verdade


O coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra, de 80 anos, deverá prestar depoimento à Comissão Nacional da Verdade nesta sextafeira, em Brasília, segundo afirmou seu advogado, Paulo Alves Esteves. O militar foi convocado pelo colegiado no último dia 26. O grupo quer ouvir o coronel sobre as acusações de que ele teria participado de crimes e violações aos direitos humanos durante a ditadura militar (1964-1985). Ustra comandou, de setembro de 1970 a janeiro de 1974, o DOI-Codi de São Paulo, o maior órgão de repressão aos grupos de esquerda envolvidos na luta armada contra a ditadura. Ele é acusado de comandar sessões de tortura em presos políticos no local, o que ele nega. Inicialmente, o advogado de Ustra havia afirmado que o militar tentaria ser dispensado da obrigação de comparecer à comissão, argumentando que tudo que ele poderia falar sobre o assunto já está dito em seus livros. No início desta tarde, o advogado afirmou à reportagem que Ustra temia ser vítima de desmoralização, e por isso tentou evitar o depoimento, mas que depois mudou de idéia e que, "se ele sentir que tem segurança de ir sem ser ofendido, ele vai depor". Caso não compareça, Ustra poderá responder pelo crime de desobediência. Mesmo se comparecer, ele terá o direito de não responder às questões da Comissão da Verdade. "Tudo que ele tinha para falar ele já escreveu", disse o advogado. Ustra é autor dos livros "Rompendo o Silêncio" (1987) e "A Verdade Sufocada" (2006), em que conta sua versão sobre os anos do regime militar e os crimes cometidos pela esquerda. Em abril, Ustra recusou convite da Comissão Municipal da Verdade de São Paulo para prestar depoimento, com o mesmo argumento de que tudo que teria a dizer sobre o período já está em seus livros. Ustra é réu em uma ação na Justiça Federal pelo suposto crime de sequestro qualificado contra o corretor de valores Edgar de Aquino Duarte, em junho de 1971. Uma segunda denúncia do Ministério Público Federal contra Ustra, pelo desaparecimento do líder sindical Aluízio Palhano, em 1971, não foi aceita, e a Procuradoria vai recorrer ao Superior Tribunal de Justiça. No dia 29 de abril, o Ministério Público Federal denunciou Ustra e o delegado aposentado Alcides Singillo pelo crime de ocultação do cadáver do estudante de medicina Hirohaki Torigoe, de 27 anos, morto em janeiro de 1972, em São Paulo. A Procuradoria aguarda confirmação da Justiça Federal sobre a aceitação da denúncia.

Primeira licitação de hidrovias deve sair em 2014, diz EPL


O diretor-presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, afirmou há pouco que a primeira licitação de concessões de hidrovias deve ser realizada em 2014. A primeira hidrovia prevista para ir a leilão é a de Tocantins, que ligará Palmas (TO) a Belém (PA), com objetivo de reduzir o custo de escoamento de grãos no País. “Teria condições de realizar o leilão no ano que vem. Mas isso tem que passar pelo ministro dos Transportes, César Borges, e pelo crivo do Conselho Nacional de Desestatização. É uma proposta que estamos concluindo e que vamos oferecer ao governo”, afirmou Figueiredo, durante o 24º Congresso Nacional do Aço, no Rio de Janeiro. Segundo ele, a EPL está estudando uma modelagem diferente para o leilão de hidrovias. A idéia é implantar o modelo de concessão administrativa, em que não há cobrança de pedágio pelo uso da hidrovia. A concessão seria remunerada mensalmente pelo governo. O objetivo é não onerar o usuário. Segundo Figueiredo, os estudos para a modelagem técnica serão concluídos até setembro. O modelo também está sendo estudado para os investimentos previstos para aeroportos regionais, pertencentes a governos estaduais e municipais. A ideia é que o governo federal contribua e que não haja cobrança de taxa de embarque dos passageiros. “É uma parceria com os Estados. Estamos em contato com os Estados. O que o governo está oferecendo é o suporte financeiro e a parceria para colocar os projetos de pé”, completou o diretor-presidente da EPL. Se aprovado, o modelo será aplicado para pouco mais de 600 aeroportos. Desse total, 270 estabelecimentos que são administrados pela Infraero terão investimento direto do governo federal. Os demais poderão ser desenvolvidos em parceria entre os governos federal e estadual ou municipal, dependendo do caso.

Prejuízo de empresa de Eike Batista sobe para R$ 250,9 milhões no primeiro trimestre


A MPX, empresa de energia do empresário Eike Batista, ampliou seu prejuízo no primeiro trimestre, para R$ 250,9 milhões, ante perda de R$ 76,8 milhões no mesmo período do ano anterior, de acordo com dados divulgados pela companhia nesta quarta-feira. O resultado foi atribuído, principalmente, pela compra de energia para "cumprir as obrigações contratuais de Pecém I e Itaqui", segundo relatório de resultados. Os custos operacionais dispararam quase quatro vezes, para R$ 312,6 milhões, pesando sobre os resultados mesmo após a receita operacional líquida ter quase triplicado no período, somando R$ 196 milhões. A empresa também foi prejudicada pelo resultado financeiro, que ficou negativo em R$ 77,8 milhões, ante R$ 6,2 milhões no primeiro trimestre de 2012. A geração de caixa operacional medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi negativa em R$ 137,6 milhões, ante resultado negativo em R$ 65,3 milhões um ano antes.

José Serra critica crescimento lento da economia brasileira


O ex-governador José Serra (PSDB-SP) fez nesta quarta-feira uma análise crítica da política econômica do governo Dilma Rousseff e disse que o Brasil segue uma tendência de baixa expansão da economia. "O crescimento lento, dos últimos dez anos, é a tendência da economia brasileira. De 3% ao ano e olha lá", disse ele durante palestra promovida pela FEA (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade) da USP (Universidade de São Paulo). Porém, o ex-presidenciável afirmou que não acredita que haja uma explosão da inflação e que a redução dos juros é benéfica. "Foi bom ter baixado os juros, também porque tinha um custo fiscal fenomenal. E não tem por que ser diferente. E o aumento agora foi por conta de expectativas de alta da inflação. Eu não acredito que vá resolver a questão de inflação, que está relacionada com preços relativos, outras questões. Mas não vejo a inflação explodindo, não creio que o problema vá por aí, mas pelo lado do emprego, outras questões". Ainda assim, disse que "a inflação está no meio da estagnação". Serra disse que o modelo de expansão vinculado ao aumento do consumo está esgotado: "Não é sustentável em médio e longo prazo, não há economia que cresça sem investimento". Na exposição, o tucano afirmou que o governo não aplica recursos da própria União nem consegue estimular o setor privado a investir por "incapacidade". Na última década, segundo ele, o País vem sofrendo uma queda nas condições de exportar: "Essa situação não se sustenta. E achar que o Brasil vai viver de commodities é delirante. Não há mercado mundial para absorver as commodities". O ex-governador disse que a primeira rodada de privatização de estradas dos governos Lula-Dilma, em 2007, fracassou, e que só agora está sendo reformulado o modelo de concessões rodoviárias. Porém, na análise do tucano, um eventual sucesso da desestatização levada à frente pelo governo Dilma esbarra no loteamento das agências reguladoras entre os partidos da base. Segundo o ex-governador, mesmo o aumento do emprego formal nos últimos anos foi desigual, considerando os salários: "Houve uma distribuição distorcida nas faixas salariais, com o grosso concentrado em assalariados até dois mínimos". Ao responder sobre outros temas, disse que "o ímpeto reformista acabou, tanto na saúde como na educação".

PMDB gaúcho participa de jantar com Dilma em Brasília e promete se alinhar à cúpula nacional


Em mais uma movimentação de olho na sua reeleição em 2014, a presidente Dilma Rousseff participou, nesta quarta-feira à noite, de jantar oferecido pelo vice-presidente Michel Temer a prefeitos e parlamentares do PMDB do Rio Grande do Sul, no Palácio do Jaburu. Refratários a uma aliança com o PT, por causa das diferenças históricas no Estado, os peemedebistas gaúchos querem se aproximar do governo federal. Apesar da disputa local, o PMDB do Rio Grande do Sul quer apoiar a reeleição da chapa Dilma-Temer para 2014. Pelo menos cem prefeitos gaúchos estiveram presentes no jantar, a convite de Temer. O encontro foi articulado pelo deputado federal Eliseu Padilha (PMDB-RS). Os presidentes da Câmara e do Senado estiveram presentes, assim como os líderes peemedebistas. O partido, que sempre esteve mais independente do governo federal no Estado, já avisou que lançará candidato à sucessão de Tarso Genro. Após o final da reunião, o PMDB emitiu nota oficial, explicitando sua posição em relação ao partido nacional e o governo Dilma. No documento, o partido fala em "perdas irreparáveis" para a sigla por conta do desalinhamento com a cúpula nacional. Diz a nota: "O Presidente da Comissão Executiva Estadual do PMDB, Deputado Estadual Edson Brum, e o Presidente da Associação de Prefeitos do PMDB do Estado do Rio Grande do Sul e Prefeito de Cruz Alta, Juliano da Silva, vem, ante o convite e sua participação na recepção ofertada por sua Excelência o Senhor Vice Presidente da República e Presidente licenciado da Comissão Executiva Nacional do PMDB, Doutor Michel Temer, declarar o seguinte:  1º - A experiência vivida nas Eleições Nacionais de 2010 nos deixou claro que nosso isolamento partidário, inclusive por defender posição divorciada da orientação nacional, decidida em Convenção na qual nossa posição foi derrotada, nos causou prejuízos políticos eleitorais irreparáveis; 2º - A partir de nossa posse iniciamos o debate interno para a avaliação da possibilidade e da conveniência politica partidária de passarmos a seguir a orientação nacional de nosso partido, sem, contudo, renunciar ao nosso dever e direito de, no momento próprio, externar a opinião de nossas bases para a correspondente avaliação e, quando vitoriosa, o acolhimento pela Direção Nacional do PMDB; 3º - Estamos, portanto, atendendo ao chamamento de nosso Presidente Michel Temer, aprofundando os debates que possam nos propiciar as condições de seguir à orientação nacional do partido, especialmente quanto às Eleições Nacionais; 4º - O PMDB do Rio Grande do Sul sempre teve posições respeitadas e distintas, o que lhe faz ser o maior partido daquela unidade da Federação. No entanto, consciente da necessária democracia partidária interna, para permanecer grande e com a tradicional respeitabilidade dos gaúchos, ele terá que defender, também, sem abrir mão de sua autonomia estadual, um Projeto Nacional de Poder, em consonância com a orientação nacional do partido;
5º - Agradecemos a recepção e as atenções recebidas de todos os nossos companheiros, nossos grandes líderes e nossos Ministros de Estado, em especial à Senhora Presidenta da República Dilma Rousseff, que nos honraram com a companhia neste grande encontro partidário, patrocinado pelo presidente do nosso Partido, Michel Temer, e voltaremos ao Rio Grande com a certeza de que vamos, conjuntamente, prosseguir consultando as bases de nosso Partido para com sua aprovação fortalecer os laços de união partidária rumo a completa harmonia com o projeto nacional do PMDB". Naturalmente, há muito tempo, o PMDB do Rio do Grande do Sul deixou de ser aquele partido que liderou no plano nacional a luta contra a ditadura militar. Hoje, o PMDB do Rio Grande do Sul nada difere daquele do Maranhão, Amapá, Piauí, Rio Grande do Norte ou Alagoas.

Senado aprova ampliação de benefícios do Bolsa Família


Os benefícios do programa Bolsa Família foram estendidos para até R$ 70,00 por pessoa, mesmo quando não há um membro ainda criança ou adolescente. É o que prevê a Medida Provisória (MP) convertida em lei, aprovada nesta quarta-feira no Senado. A medida segue, agora, para a sanção da presidente Dilma Rousseff. A MP original, do Executivo, autorizava que famílias com crianças e adolescentes de 7 a 15 anos recebessem o benefício. Os parlamentares, contudo, ampliaram o benefício para "superação da pobreza". Dessa forma, fica garantido que cada membro da família tenha uma renda mínima de R$ 70,00 por mês a todas as famílias beneficiárias do Bolsa Família, não apenas àquelas que tem filhos, como no modelo atual. O benefício deve alcançar mais de 4,8 milhões de famílias e vai gerar um impacto de R$ 4,9 bilhões por ano ao orçamento total do programa. Eeste ano é de R$ 23 bilhões.

José Serra discorda de Aécio Neves e não prevê explosão da inflação em 2014


O ex-governador José Serra (SP) disse nesta quarta-feira, em uma palestra a estudantes da USP São Paulo, que não acredita numa explosão da inflação este ano: "Eu não vejo uma perspectiva de um descontrole inflacionário. Estou falando como um professor de Economia. Levar isso para a política é temerário". No início do mês, o senador Aécio Neves, provável candidato tucano à presidência da República em 2014, afirmou durante eventos do Dia do Trabalho que o governo petista da presidente Dilma Rousseff havia perdido o controle da inflação. Para José Serra, a inflação deve fechar o ano de 2013 entre 5% e 6%: "Eu não vejo a inflação explodindo. Mas é claro que ela incomoda". Apesar de Serra discordar da avaliação do correligionário nesse quesito, ele não poupou o governo petista de críticas ao fazer um balanço das políticas econômicas da última década - período que o Brasil foi governado pelo PT. Para ele, o decênio foi marcado pelo baixo crescimento da economia.

Federação Paulista de Futebol proíbe presença da Gaviões da Fiel nos estádios de São Paulo


Após incidentes no clássico entre Corinthians e São Paulo no último domingo, a Federação Paulista de Futebol proibiu a entrada, nos estádios de futebol, de uniformes ou objetos que identifiquem os torcedores associados com Gaviões da Fiel, a principal torcida organizada do clube alvinegro. Bombas caseiras arremessadas e assentos quebrados são alguns dos motivos apontados. A resolução, publicada nesta quarta-feira, se baseia em um documento encaminhado pela Polícia Militar que relata "envolvimento de membros da torcida uniformizada 'Grêmio Gaviões da Fiel' em ocorrência de arremesso de bombas caseiras e baqueta de instrumento musical, de dano ao patrimônio privado (assentos danificados) e de distribuição de folhetos com letras de cânticos provocativos e ofensivos à torcida adversária", na semifinal do Campeonato Paulista, no último domingo. A suspensão, determinada pelo presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, entra em vigor de imediato e vale "até a devida apuração de responsabilidade dos fatos em análise, por esta entidade (PM)". Além da punição relativa à torcida organizada, a resolução da Federação Paulista de Futebol proíbe a entrada nos estádios de futebol por 90 dias do torcedor Marcos Sérgio da Silva, enquadrado no artigo 41-B do Estatuto da Defesa do Torcedor (Promover tumulto, praticar ou incitar a violência, ou invadir local restrito aos competidores em eventos esportivos). A Gaviões já havia sido suspensa em março de 2012, junto com a principal organizada do Palmeiras (Mancha Verde), após a morte do torcedor André Alves Lezo, de 21 anos, ferido na cabeça por disparo de arma de fogo em confronto de supostos integrantes das duas torcidas na avenida Inajar de Souza, na Freguesia do Ó. Em maio do mesmo ano, um pedido de extinção da maior torcida organizada do Corinthians, feito pelo Ministério Público de São Paulo, foi negado pela Justiça.

Odir Tonollier, o secretário petista da Fazenda, vai à Assembléia gaúcha tentar explicar confisco de R$ 4,2 bilhões dos depósitos judiciais, e vai se defrontar com João Luiz Vargas


A oposição promete fazer carga cerrada sobre o secretário gaúcho da Fazenda, o petista Odir Tonollier, que falará nesta quinta-feira, a partir das 9 horas,  em audiência pública na Comissão de Finanças da Assembléia Legislativa. Ele foi "convidado" a se explicar sobre os R$ 4,2 bilhões que o peremptório governador petista sacou de forma totalmente ilegal da conta dos depósitos judiciais no Banrisul, para engordar o caixa único e dali sacar como bem entender o governo petista. O governo sacou o dinheiro, não disse se garfeará mais ainda, e avisou que não devolverá nem um tostão. Na platéia da Comissão de Finanças estará o ex-deputado estadual João Luiz Vargas (PDT), ex-conselheiro e ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, que protocolou na segunda-feira da semana passada, às 10 horas, na sala da presidência, junto ao presidente Pedro Westphalen (PP), uma representação, pedindo abertura de processo de impeachment do governador petista, o peremptório Tarso Genro, pela apropriação absolutamente ilegal dos depósitos judiciais, porque o Supremo Tribunal Federal já declarou inconstitucional a lei que autorizava esta iniciativa. Mais do que isso, o peremptório Tarso Genro, ao apropriar-se dos recursos dos depósitos judiciais, que são recursos privados, das partes que litigam na Justiça, na realidade promoveu uma gigantesca operação de crédito, sem qualquer autorização legislativa, como manda a Constituição.

Em pesquisa, argentinos definem a peronista incompetente Cristina Kirchner como "autoritária" e "populista"


"Autoritária", "populista" e "personalista" são os termos mais utilizados pelos argentinos para definir a personalidade e o estilo de governo da presidente peronista incompetente Cristina Kirchner. Isso é o que indica uma pesquisa elaborada pela Universidade de Belgrano, que investigou a opinião dos argentinos sobre a forma de ser e de governar de Cristina Kirchner. A pesquisa sustenta que 85% dos entrevistados optaram pela palavra "autoritária" para definir Cristina Kirchner. Em segundo lugar, a opção foi a de "populista", com 14%. O adjetivo "personalista" ficou em terceiro, com 13%. A qualificação de "democrática" obteve apenas 12% das opiniões, enquanto a expressão "pessoa próxima às pessoas" foi citada apenas por 8% dos pesquisados. Os analistas políticos ressaltam o tom autoritário de Cristina Kirchner nos confrontos com a mídia não alinhada, na recusa em dialogar com a oposição, na tentativa de aumentar o poder presidencial às custas do Parlamento e do Poder Judiciário, além do modus operandi de submeter os governadores por intermédio da redução das verbas às províncias. A pesquisa afirma que 62% dos argentinos consideram que Cristina Kirchner mudou seu estilo de liderança depois da morte de seu marido e antecessor no posto, o ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007), morto em 2010 após um ataque cardíaco. Do total de pesquisados, 42% afirmam que a principal mudança de Cristina Kirchner foi a de tornar-se mais "autoritária" do que havia sido Néstor. O relatório da Universidade de Belgrano também sustenta que 60% dos entrevistados acreditam nas denúncias de corrupção que envolvem Néstor e Cristina Kirchner com a suposta lavagem de dinheiro protagonizada pelo empresário Lázaro Báez, empreiteiro que enriqueceu desde o início do governo kirchnerista em 2003.

Aloprado faz-tudo de Lula presta depoimento em São Paulo na Polícia Federal


Freud Godoy, ex-segurança e ex-assessor pessoal do ex-presidente Lula, depôs na Polícia Federal em São Paulo desde as 14 horas desta quarta-feira. Godoy foi intimado para falar sobre as denúncias do empresário Marcos Valério, operador do Mensalão do PT, que declarou à Procuradoria-Geral da República, em setembro de 2012, que o esquema de compra de votos no Congresso pagou despesas pessoais de Lula. Em abril, a Polícia Federal pediu quebra do sigilo bancário de Freud Godoy, como parte da investigação para desvendar o caminho percorrido pelos recursos distribuídos no esquema. Em seu depoimento, Marcos Valério disse aos procuradores ter passado dinheiro para Lula arcar com "gastos pessoais" no início de 2003, quando o petista já havia assumido o Planalto. Os recursos foram depositados, segundo Marcos Valério, na conta da empresa de segurança Caso, de propriedade do aloprado petista Freud Godoy, ex-assessor da Presidência e uma espécie de "faz-tudo" de Lula.

Ministério da Justiça notifica empresas de leite


O Ministério da Justiça notificou nesta quarta-feira as empresas Italac, Mumu (do Grupo Vonpar), Líder e Latvida para prestarem esclarecimentos sobre o envolvimento na operação “Leite Compen$ado”, que apontou adição de uma substância semelhante à uréia e que possui formol em sua composição. As empresas têm prazo de 10 dias, a partir do recebimento da notificação, para apresentar a documentação técnica e laboratorial pertinente ou, de forma imediata, o recall dos produtos envolvidos, nos termos do Código de Defesa do Consumidor. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, é dever do fornecedor trocar o produto que cause risco ao consumidor a qualquer momento e de forma gratuita. Se houver dificuldade, a recomendação é procurar um dos órgãos de proteção e defesa do consumidor. Seis suspeitos seguem presos preventivamente após operação policial realizada nesta quarta-feira para coibir um esquema de adulteração de leite na metade norte do Estado do Rio Grande do Sul. De acordo com o Ministério Público, João Cristiano Pranke Marx, Angélica Caponi Marx, João Irio Marx, Alexandre Caponi e Daniel Riet Villanova, foram detidos nas cidades de Ibirubá, Selbach e Tapera e encaminhados ao Presídeio Estadual de Espumoso. Leandro Vicenzi, de Guaporé, foi levado ao Presídio Estadual da cidade. Outras duas investigadas, Rosilei Geller e Natália Junges, foram ouvidas e liberadas. Durante o cumprimento de 13 mandados de busca e apreensão nesta quarta-feira, também foram recolhidos diversos caminhões utilizados no transporte do leite, cerca de 60 sacos de uréia, R$ 100 mil em dinheiro, uma régua com a fórmula utilizada para medir a mistura adicionada ao leite, revólveres e pistolas, soda cáustica, corantes, coagulantes líquidos e emulsão para obtenção de consistência. A investigação identificou cinco empresas de transporte de leite suspeitas de adulterarem o material antes de entregá-lo às indústrias. Pelas investigações, depois de pegar o leite com os produtores, os atravessadores adicionariam uréia no leite, a fim de mascararem a adição de água de poço no alimento. Análises identificaram a presença de formol, que mesmo depois dos processos de pasteurização continua no produto final. Parte dos supermercados de Porto Alegre retiraram nesta manhã de quarta-feira as marcas de leite que sofreram adulteração em sua composição, depois de operação realizada pelo Ministério Público do Estado para desmontar um esquema que adicionava ureia ao produto. Conforme a rede Zaffari Bourbon, apenas uma das marcas com problemas é comercializada pela empresa, e todos os produtos já foram retirados das prateleiras. A rede Walmart, dona das bandeiras Big e Nacional, informa que ainda está avaliando se  existe produtos dos lotes adulterados. No supermercado Asun, no bairro Santana, foram retiradas da loja 528 caixas do leite Latvida. Conforme o gerente Dilson Martinez Laguna, o produto havia chegado há uma semana. Ainda que não fizessem parte dos lotes nos quais foram detectados problemas, saíram das gôndolas por precaução. De acordo com a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), estão sendo enviados comunicados para que os supermercados suspendam imediatamente a venda dos lotes das marcas envolvidas — Líder/Bom Gosto, Italac, Mumu e Latvida. Conforme a entidade, se o consumidor tiver estes produtos em casa, está no direito de solicitar a substituição no supermercado onde tenha feito a compra, ou a devolução do dinheiro. O tempo médio para um lote de leite esgotar em um supermercado de médio porte é de 30 dias. Como a adulteração ocorria há um ano, as suspeitas são de que consumidores dessas marcas tenham comprado produtos com a adição de uréia. A empresa Latvida foi interditada na manhã desta quarta-feira e proibida de comercializar qualquer tipo de produto. De acordo com o Ministério Público, a medida se deve ao descumprimento de decisão judicial que determinou a proibição da venda de leite do tipo longa vida (UHT, oferecido em caixinhas), a partir de 1º de abril deste ano. A operação policial cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão nas cidades de Ibirubá, Guaporé e Horizontina para desmontar o esquema de adulteração na metade norte do Estado. A empresa Vonpar (fabricante exclusiva da Coca Cola no Rio Grande do Sul), responsável pelo leite da marca Mumu, divulgou nota esclarecendo que a empresa "atende a todos os requisitos e protocolos de testes de matéria-prima exigidos pelo Ministério da Agricultura" e que está à disposição para novos esclarecimentos. Então tá..... acredite quem quiser. Segundo a Italac, "o problema foi pontual, ocorrido no Rio Grande do Sul, e aconteceu no transporte do leite cru entre a fazenda e o laticínio, antes de ser industrializado". Então tá... Em nota, a LBR, responsável pela marca Líder, afirmou que segue todas as regras de fiscalização do Ministério da Agricultura. Então tá...... fica evidente que essas empresas são responsáveis junto com os bandidos, porque não têm sistema de controle de qualidade. Responsável pela operação Leite Compen$ado, o promotor Mauro Rochemback qualificou o crime como pior do que tráfico de drogas: "Porque no tráfico o consumidor em geral sabe o que está consumindo. Nesse caso estamos adquirindo um produto sem saber a sua qualidade". Mas, é ainda mais canalha do que imagina o promotor, porque o leite é um alimento básico, principalmente para crianças. E o formol, adicionado ao leite, é cancerígeno e se acumula no organismo humano. Conforme o promotor, a presença de formol foi identificada ainda em abril do ano passado, em testes periódicos feitos pelo Ministério da Agricultura. Em agosto, análises de controle de qualidade teriam apontado nova adulteração do leite. Em janeiro, o Ministério Público teria sido acionado. Conforme o promotor, a fraude acontecia em três núcleos: em Horizontina, Guaporé e Ibirubá. Embora não haja indicativos de participação da indústria no esquema, o promotor afirmou que as empresas terão de responder por não terem controlado a qualidade do produto recebido. "Como fazia cerca de 30 anos que não existia indício de adição de uréia no leite, as indústrias podem ter relaxado no controle de qualidade", apontou o promotor. Conforme Rochemback, o esquema se dava após o leite sair da propriedade e antes de chegar no entreposto, local de resfriamento do produto. A adulteração era feita no próprio caminhão. Para lucrar cerca de 10% além dos 7% já pagos sobre o leite cru, algo como R$ 0,95 no litro, essas empresas colocavam, na proporção: um quilo de uréia para 90 litros de água em mil litros de leite. A estimativa é de que o esquema tenha fraudado mais de 100 milhões de litros de leite no período de um ano. Conforme o Ministério Público, a uréia é adicionada para mascarar a adição de água no produto. Um dos núcleos investigados é em Guaporé, na Serra gaúcha. O empresário Leandro Vincenzi, preso na manhã desta quarta-feira, era o responsável pelo esquema de adulteração do leite antes da entrega para indústria. Conforme o Ministério Público, o empresário tem uma frota de 30 caminhões de coleta e um do posto de recebimento. Em um ano, a frota de Vincenzi teria transportado cerca de 43 milhões de litros de leite. Em Ibirubá, foram presas outras quatro pessoas suspeitas de participar do esquema. Conforme o Ministério Público, membros de uma mesma família adicionavam, além da uréia, água de um poço artesiano localizado nos fundos de uma propriedade. Em Tapera, foi preso o médico veterinário Daniel Rieth Villanova, responsável pelo recebimento de leite em um unidade em Selbach. O técnico é suspeito de repassar a fórmula para a família de Ibirubá adulterar do produto. No mesmo esquema, estariam envolvidas as funcionárias de uma cerealista, Rosilei Geller e Natália Junges, suspeitas de avisar os adulteradores sobre a fiscalização do Ministério da Agricultura. Em Horizontina, um vereador presidente de uma cooperativa também está envolvido no esquema de adulteração do produto antes da entrega para indústria. Conforme o Ministério Público, o parlamentar não chegou a ser preso. Os investigados poderão responder ao crime hediondo de corrupção de produtos alimentícios, previsto no artigo 272 do Código Penal. A pena mínima é de quatro anos de reclusão. Veja lista dos suspeitos, presos nesta quarta-feira: Ibirubá - João Cristiano Pranke Marx, Angélica Caponi Marx, Alexandre Caponi, João Irio Marx; Tapera - Daniel Rieth Villanova; Selbach - Rosilei Geller, Natália Junges; Guaporé - Leandro Vincenzi.

Depois da entrevista de Zachia, agora RBS entrevista Mattos'Alem, um dos presos da Operação Concutare


Servidor da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) suspeito de integrar esquema de venda de licenças ambientais fraudadas, Mattos'Alem Roxo negou na tarde desta quarta-feira qualquer participação em irregularidades. Ele ocupava um cargo na diretoria técnica da fundação quando foi preso pela Polícia Federal no dia 29 de abril, na Operação Concutare. O servidor foi solto em 3 de maio. Mattos'Alem Roxo concedeu entrevista ao jornalista Daniel Scola no programa Gaúcha Repórter, da Rádio Gaúcha. Ele afirmou que, na diretoria técnica, não tinha envolvimento com a concessão de licenças ambientais e que sua principal função era servir como um canal de contato entre a Fepam e os empresários interessados na liberação de licenças para empreendimentos. A seguir, leia a entrevista.
Rádio Gaúcha — A PF aponta o senhor como integrante de um esquema de liberação de licenças ambientais. Qual sua posição?
Mattos'Alem Roxo — Tem uma confusão em relação a isso. Tenho um cargo na diretoria técnica para fazer o atendimento, fora do licenciamento ambiental. Não trabalho diretamente com emissão de licenciamentos. Trabalho no atendimento ao público e no esclarecimento aos empreendimentos que estão com problema.
Rádio Gaúcha — Qual era sua função?
Mattos'Alem — Estávamos ali para tentar resolver problemas de vários processos que ficam truncados dentro do sistema da Fepam. São processos mais antigos, que têm algum problema para resolver. Estávamos na diretoria técnica para resolver problemas técnicos. Na minha função de servidor público, é meu dever esclarecer todos os problemas para que o empreendedor consiga dar andamento ao empreendimento e ao licenciamento ambiental encaminhado ao setor competente dentro da Fepam.
Rádio Gaúcha — A PF diz que o senhor era participante de um esquema e conseguiu o aval da Justiça para a prisão temporária do senhor. O que tem a dizer sobre isso?
Mattos'Alem — Expliquei tudo para a PF. Houve explicação para todos os questionamentos do delegado. Houve uma confusão em relação a minha atuação e estou plenamente confiante de que a situação será esclarecida. Não vendi licenças e não fazia licenças ambientais. Apenas orientava os empreendedores para que eles tivessem melhor celeridade para dar andamento ao seu procedimento. Era essa minha função na diretoria técnica.
Rádio Gaúcha — Qual a relação do senhor com o Instituto Biosenso, do ex-secretário Berfran Rosado, que, segundo a PF, está no centro do esquema de corrupção?
Mattos'Alem — Não tenho relação nenhuma com o Instituto Biosenso. É apenas mais um empreendedor que nos procurou e que teve nossa ajuda, com a mesma presteza que dedicamos a todos os outros.
Rádio Gaúcha — Eles ofereceram propina para agilizar a liberação de licenças?
Mattos'Alem — Dentro da minha atribuição, nunca houve. Não tenho participação direta na liberação de licenças ambientais.
Rádio Gaúcha — Nem para ajudar na tramitação de um processo dentro da Fepam?
Mattos'Alem — Ele nem poderia me ofertar isso. O que a gente faz é o esclarecimento dos problemas e das dificuldades encontradas na tramitação e, depois, o encaminhamento do caso para o técnico competente, na divisão que está fazendo o licenciamento.
Rádio Gaúcha — Em algum momento, o senhor suspeitou da existência de um esquema de liberação de licenças, mesmo sem seu conhecimento?
Mattos'Alem — Não notei. Mas, por causa do sigilo que existe, vou me reservar de fazer comentários sobre isso. Há diligências sendo feitas, e pessoas serão ouvidas. Mas onde eu estava nunca percebi qualquer situação que me levasse a pensar desta forma.
Rádio Gaúcha — Nas investigações, veio à tona que o senhor teria atuado junto à ex-presidente da Fepam e ao ex-presidente da Fepam Carlos Niedersberg para agilizar a liberação de licenças. O senhor foi orientado pelo ex-presidente da Fepam para favorecer alguém?
Mattos'Alem — Muito poucas vezes conversei com o presidente. Na verdade, desde maio de 2011, quando pedi afastamento do meu cargo, estava completamente afastado da questão do licenciamento ambiental. Não tinha ingerência sobre isso e tampouco me reunia com a cúpula. Não tenho contato com políticos. Na verdade, eu estava na geladeira na Fepam.
Rádio Gaúcha — O senhor respondia a uma sindicância, aberta em 2011, para investigar suspeitas em licenças ambientais, em uma denúncia feita em Capão da Canoa. O senhor, na verdade, foi promovido depois disso, não?
Mattos'Alem — Não. Eu acho que não. Muito pelo contrário. Pedi a minha sindicância e meu afastamento em maio de 2011. Na época, no Litoral Norte, nós desenvolvemos um trabalho bastante interessante na aplicação de todos os preceitos e no desenvolvimento de gestão ambiental, no tratamento de esgoto e em várias outras questões, que vieram a melhorar a situação. Você pode notar hoje no Litoral Norte que há vários avanços na questão do saneamento ambiental, que é muito importante. Isso ocorre no tratamento de esgoto, por exemplo. Há também os planos de manejo de dunas. Quem me conhece, sabe dessas questões.
Rádio Gaúcha — Mas são questões que estão sendo investigadas pelo MP por irregularidades.
Mattos'Alem — Compete ao Ministério Público fazer esses esclarecimentos. Estamos à disposição do MP e vamos responder a todas as questões que forem necessárias. Ainda estou aguardando para ser ouvido pelo MP.
Rádio Gaúcha — Se o senhor não participou do esquema, quem estaria envolvido com isso?
Mattos'Alem — Não posso te afirmar. Houve uma confusão nesta questão. Tenho a convicção do que é ser um servidor público. Um servidor público tem de prestar um bom serviço para a comunidade. Não sei dizer o que está acontecendo em relação a isso. O que está acontecendo é uma confusão de valores. Como prestador de serviço público, tenho de prestar um bom serviço a todos que me procuram na Fepam, seja o Zé da Ilha, o prefeito ou a Polícia Federal. Todos foram atendidos com toda a minha colaboração e presteza.
Rádio Gaúcha — O que o senhor pretende fazer a partir de agora?
Mattos'Alem — Não sei o que vou fazer. Estou me colocando à disposição da PF. Acredito no trabalho que está sendo feito, e acho que essa questão será esclarecida. Se houver culpados, eles terão de pagar. Mas tenho certeza do papel que tive nesta questão. Tenho certeza que, se for voltar ao serviço público, vou prestar meu trabalho como sempre prestei, com dedicação.
Rádio Gaúcha — O senhor imaginava ficar preso no Presídio Central?
Mattos'Alem — Não imaginava. É uma experiência surreal. Eu estava com muito medo. Muito medo porque minha família ficou longe de mim. Além disso, estava indo para um local que tinha toda uma situação colocada pela sociedade. Mas houve surpresas. Fui muito bem tratado pelas pessoas lá dentro. Coisas que tu não imaginas. Eu pensava que não iria sobreviver ao primeiro dia, mas tive um ombro amigo, pessoas que me aconselharam, pessoas que fizeram com que eu conseguisse pensar mais na minha família e acreditar que tudo isso iria terminar.
Rádio Gaúcha — O senhor disse que foi maltratado lá dentro?
Mattos'Alem — Jamais. Fui muito bem tratado pelas pessoas. Não interessa o crime, lá todos se ajudam para enfrentar uma situação adversa, a falta de liberdade. É uma experiência surreal. Ninguém pode imaginar.
Rádio Gaúcha — A função do senhor era atuar junto à diretoria técnica da Fepam?
Mattos'Alem — Exatamente.
Rádio Gaúcha — Antes o senhor trabalhava no Litoral, em uma situação específica. E logo após a sindicância e a investigação do MP, o senhor veio para uma função-chave, na diretoria técnica. O senhor não considera isso uma promoção?
Mattos'Alem — Não considero uma promoção. Me tiraram das ruas. Quero estar na rua resolvendo problemas, junto com a Polícia Federal, a Brigada Militar, o Ministério Público. Essa é minha função. Para mim, foi um castigo estar ali. Foi muito doloroso não poder fazer a parte prática e técnica. Sou geólogo, um técnico com uma experiência muito grande. Não sou um técnico de ficar sentado em escritório dando explicação sobre processos. Para mim, foi uma penalização. Eu estava sofrendo. Já houve possibilidades de eu pedir afastamento do meu cargo e fui persuadido. Até porque eu achava que ali na frente poderia haver a possibilidade de eu voltar ao trabalho prático e prestar meus serviços de geólogo.
Fica evidente que há um movimento orquestrado, comandado por especialistas em situação de crise e gestores de imagem, junto com advogados, para livrar a cara dos acusados nas investigações, e limpar a área ambiental. Como esses profissionais custam muito caro, quem está pagando esse trabalho de limpeza de imagens públicas?

Militares comemoram em Porto Alegre o 68º aniversário do Dia da Vitória na Segunda Guerra Mundial


O Largo General Yeddo Blauth, em frente ao Monumento ao Expedicionário, em Porto Alegre, foi o cenário para comemoração do 68º aniversário do Dia da Vitória. O evento ocorreu na manhã desta quarta-feira e contou com representações de militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, além de veteranos da Força Expedicionária Brasileira (FEB). O 8 de maio marca o fim da II Guerra Mundial. A FEB desembarcou em Nápoles em 16 de julho de 1944 e combateu por 239 dias.

Remédios puxam a alta da inflação para 0,55% em abril


O aumento de 2,99% no preço de remédios em abril foi a principal contribuição para a inflação de 0,55% medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês. Em março, o IPCA registrou alta de 0,47%. Os remédios responderam por quase 20% do total da taxa medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, os preços dos remédios são tradicionalmente reajustados nos meses de abril. No ano passado, a taxa de inflação dos remédios no mesmo mês havia sido de 1,58%. Outros itens que tiveram impacto importante na inflação foram os empregados domésticos, com aumento do custo de 1,25%, e refeição fora de casa, com taxa de 0,92%. Por outro lado, alguns itens contribuíram para evitar uma inflação maior, como a passagem aérea (variação de -9,12%) e a gasolina (-0,41%). Os alimentos incluídos no decreto de desoneração da cesta básica, de 8 de março deste ano, também tiveram influência para evitar uma taxa maior.  Entre os produtos que tiveram desoneração e redução no preço em abril estão: carnes (-1,78%), frango inteiro (-1,92%), frango em pedaços (-1,58%), arroz (-1,87%) e açúcar refinado (-4,5%). – Não dá para fazer conclusões seguras sobre o impacto da desoneração da cesta básica na queda dos preços desses alimentos, porque outros fatores influenciam no preço, como a safra. Mas dá para dizer que houve, sim, algum impacto – disse Eulina. Alguns itens tiveram desoneração mas, ainda assim, registraram aumentos de preços, como feijão carioca (9,44%) e pão francês (0,8%). – A pergunta é: será que, se não houvesse a desoneração, esse aumento seria maior? – questiona Eulina.

"Les Pommes", quadro de Paul Cézanne, é arrematado por US$ 41,6 milhões em Nova York


O quadro "Les pommes", de Paul Cézanne, foi vendido na noite de terça-feira por 41,6 milhões de dólares em um leilão da Casa Sotheby's de Nova York. "Les pommes", pintado em 1889-1890, era uma das principais obras do leilão de arte impressionista e moderna da Sotheby's e estava avaliado entre 25 e 35 milhões de dólares. Outra importante obra leiloada na terça-feira foi "Amazone", de Amadeo Modigliani, que retrata a baronesa Marguerite de Hasse de Villers em 1909, quando o artista ainda buscava seu estilo. O quadro obteve 25,9 milhões de dólares, dentro da estimativa de 20 a 30 milhões. "Trois femmes à la table rouge", obra de Fernand Léger, que pertencia à cantora Madonna, obteve 7,6 milhões de dólares, um pouco acima da previsão entre 5 e 7 milhões de dólares. Madonna destinará o dinheiro à Fundação "Ray of Light" (Raio de Luz) para financiar a educação de meninas em países como Afeganistão e Paquistão. Um George Braque, "Paysage à la Ciotat", recebeu 15,8 milhões de dólares, dentro da estimativa de 10 a 15 milhões. Uma escultura de Picasso, "Sylvette", foi arrematada por 13,6 milhões de dólares, dentro da previsão entre 12 e 18 milhões.

Justiça volta a permitir a cobrança de pedágio por concessionária de Santa Cruz do Sul


A concessionária Santa Cruz Rodovias, que administra três praças de pedágio no pólo rodoviário de Santa Cruz do Sul, obteve na Justiça o direito de continuar explorando o serviço até 28 de dezembro. Até o momento, vigorava outra decisão judicial, de instância inferior, que autorizava o Estado do Rio Grande do Sul, por meio da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), a retomar o controle dessas estradas em 29 de maio. A decisão, assinada pelo desembargador federal Luís Alberto D'Azevedo Aurvalle, é o terceiro ato, em menos de um mês, da disputa entre o Piratini e a concessionária. Em 9 de abril, a Justiça Federal autorizou, por liminar, a empresa a explorar o polo até 28 de dezembro. Vinte dias depois, o governo do Estado conseguiu revogar a liminar na 6ª Vara Federal de Porto Alegre. E, na terça-feira, a decisão do desembargador Aurvalle voltou a permitir a cobrança de pedágio nas praças.

Custo da reforma do Maracanã chega oficialmente a R$ 1 bilhão


Com um aditivo de R$ 200 milhões, a obra do novo Maracanã agora chegou oficialmente ao valor de R$ 1,049 bilhão. A Empresa de Obras Públicas do Rio de Janeiro e as empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez não confirmaram como vão utilizar esta quantia, mas foi possível apurar que o dinheiro será direcionado para a urbanização do complexo, correções monetárias e gerenciamento. Um gasto bem acima do que o previsto inicialmente e que ainda vai subir, já que serão necessárias melhorias na infraestrutura do entorno, que só serão finalizadas em 2014. O Maracanã é o estádio mais caro da Copa do Mundo, superando o Mané Garrincha, em Brasília, que pela conta oficial está em R$ 1,015 bilhão. Para efeito de comparação, no Mundial de 2006, na Alemanha, a Allianz Arena, em Munique, que recebeu a abertura, custou 340 milhões de euros (R$ 890 milhões). O Estádio Olímpico de Berlim, local da final, teve um custo de 242 milhões de euros (R$ 634 milhões). O Soccer City, que sediou a abertura e a final da Copa de2010, saiu por 311 milhões de euros (R$ 759 milhões).

Ex-Dops vai reunir memória das vítimas da ditadura


Depois de anos de disputa entre grupos de direitos humanos e a Polícia Civil, o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) anunciou nesta quarta-feira que vai ceder o prédio onde ficava o extinto Departamento de Ordem Política e Social (Dops) para a criação de um centro de memória das vítimas da ditadura militar (1964-1965). A decisão foi anunciada durante a solenidade de posse da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro e foi comemorada por seus membros. Policiais civis queriam instalar no imóvel, atualmente em reforma, o Museu da Polícia, e havia também especulações de que o ex-Dops poderia ter destinação comercial. "Ninguém é contra a memória, mas a memória mais importante é que aquilo lá serviu de palco para torturas físicas e mentais e processos covardes e fascistas. Então esse é o ponto mais importante. Isso pode conviver muito bem com o próprio histórico da Polícia Civil, que é uma instituição de quase 200 anos. Não tem nenhum problema", disse o governador Sérgio Cabral, lembrando que o edifício pertence à Polícia.

Dilma defende Egito como mediador de Israel e Palestina


Durante discurso feito no Palácio do Itamaraty, em homenagem ao presidente egípcio, Mohamed Morsi, a presidente Dilma Rousseff defendeu nesta quarta-feira "o papel mediador" do Egito no conflito entre Israel e Palestina e pregou a superação da "paralisia" que domina o processo de paz entre os dois países. Segundo Dilma, o Brasil pode estender a mão para que, junto com os egípcios, se possa trabalhar para a "superação negociada do conflitos e construção de um mundo de paz". Morsi, por sua vez, elogiou a posição brasileira de apoio ao povo palestino. Em sua fala, Dilma destacou ainda a necessidade de crescimento das relações comerciais e econômicas entre Brasil e Egito. Ela citou a importância do seminário que reunirá empresários dos dois países nesta quinta-feira, em São Paulo, onde se espera que negócios sejam ampliados. Já o presidente egípcio pregou a necessidade de o seu país encontrar novos parceiros e comentou a importância da parceria com o Brasil, lembrando que os brasileiros também têm a mesma vontade de estreitar as relações econômicas com novas nações. É sintomático que a petista Dilma Rousseff tenha feito essa declaração na mesma data em que se comemora o dia em que Israel venceu a Guerra dos 6 dias, quando foi atacado por uma coalizão árabe formada por Egito, Jordânia e Síria, e reunificou Israel. Mais sintomático ainda porque o presidente egípcio Mohamed Morsi é membro da Irmandada Muçulmana, organização terrorista e aliadas dos nazistas, e que prentende a destruição de Israel e dos judeus. Dilma não é nenhuma ignorante, ela sabia muito bem o que estava dizendo. Ela resolveu tirar o véu e revelar sua verdadeira identidade política e ideológica.

Comissão Nacional da Verdade, terá equipe de peritos externos sobre Jango


A Comissão Nacional da Verdade montará uma equipe de peritos internacionais antes de pedir a exumação do corpo do ex-presidente João Goulart, que morreu em 1976, em episódio cercado de suspeitas de assassinato. A estratégia foi acertada nesta quarta-feira pela ministra dos Direitos Humanos, a petista gaúcha Maria do Rosário, e pela advogada Rosa Cardoso, em reunião na OAB Rio, com participação do presidente da Comissão dos Mortos e Desaparecidos Políticos, Marco Barbosa. A exumação terá de ser requerida à Justiça em São Borja (RS), onde o ex-presidente foi sepultado. Jango, como o ex-presidente (1961-1964) era conhecido, era do PTB e foi deposto pelo golpe militar de 31 de março de 1964. Morreu em 6 de setembro de 1976, oficialmente de um ataque cardíaco. Ele bebia demais, era fumante, tinha cirrose e graves problemas cardíacos.