sábado, 16 de fevereiro de 2013

Oposição quer que ministros expliquem dossiê contra a blogueira cubana Yoani Sanchez

Foto distribuída pelo embaixador cubano, para denegrir Yoani
Partidos de oposição no Congresso Nacional informaram neste sábado que vão apresentar requerimentos de convocação dos ministros de Relações Exteriores, Antonio Patriota, e da Secretaria-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, para que os dois expliquem a participação do corpo diplomático, de dirigentes partidários e de funcionários do governo na distribuição de um dossiê contra a blogueira cubana Yoani Sánchez. Os oposicionistas também vão protocolar um pedido de informações para que o embaixador cubano no Brasil, Carlos Zamora Rodríguez, esclareça a perseguição que emissários do governo de Raúl Castro pretendem fazer à ativista. Yoani Sánchez desembarca em território brasileiro para divulgar o livro "De Cuba, com Carinho". Reportagem da revista VEJA desta semana mostra as articulações da Embaixada de Cuba no Brasil para monitorar a passagem de Yoani Sánchez pelo País. A proposta de desqualificação da cubana inclui a distribuição de um dossiê com informações distorcidas sobre o que seria uma vida de luxo dela. Em meio a montagens com fotos da ativista estão insinuações de que ela teria se rendido ao dinheiro porque bebe cerveja, come banana e vai à praia. O pedido para a distribuição do dossiê e a estratégia de desqualificação de Yoani Sanchez foram orquestradas no dia 6 de fevereiro em uma reunião organizada pelo conselheiro político da embaixada de Cuba em Brasília, Rafael Hidalgo. Conforme revelou VEJA, um grupo de militantes de esquerda, incluindo filiados do PT e PCdoB e integrantes da CUT, se reuniu com o embaixador cubano Carlos Zamora Rodríguez para ouvir o projeto de desqualificação da blogueira. Entre os presentes no encontro estava Ricardo Poppi Martins, coordenador-geral de Novas Mídias da Secretaria-Geral da Presidência e subordinado ao ministro Gilberto Carvalho. “O uso de dossiês tem sido recorrente no governo do PT. Agora há uma conspiração cubana em território nacional com a participação de agentes públicos instalados no Palácio do Planalto”, disse o vice-líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PSDB-PR). “O governo federal tem que esclarecer sua participação em um monitoramento inadmissível como esse contra Yoani Sánchez”, completou o líder tucano na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio (PSDB-SP). Além dos pedidos de convocação dos ministros de Relações Exteriores e da Secretaria-geral, os partidos de oposição vão requisitar esclarecimentos por escrito de autoridades do governo. Na próxima terça-feira, o PSDB vai encaminhar um pedido de informações a Gilberto Carvalho. O Democratas deve fazer o mesmo também na próxima semana. “É um assunto muito grave. É um ‘mal combinemos’ para evitar a liberdade de expressão e de manifestação da cubana. Fere totalmente o princípio da convivência democrática”, afirmou o presidente do Democratas, senador José Agripino (DEM-RN). Na avaliação do parlamentar, a participação de Poppi Martins na reunião “por si só já justifica um pedido de informações” ao ministro Gilberto Carvalho. “Se for o caso, eu mesmo vou levar ao plenário a discussão sobre um pedido de informações ao ministro”, informou o senador. “O Gilberto Carvalho tem tantas explicações para dar, inclusive para a própria Justiça, que essa é só mais uma. Infelizmente, falta de compromisso democrático é proverbial nesse governo”, disse neste sábado o presidente nacional do PPS, Roberto Freire.

Marina Silva lança novo partido em Brasília


Com um discurso recheado de menções ao meio ambiente e diante de uma plateia de 1,5 mil pessoas, segundo os organizadores, a ex-ministra Marina Silva deu o primeiro passo neste sábado para tentar criar um partido político. A nova legenda, que deverá se chamar Rede Sustentabilidade, servirá para abrigar a provável candidatura de Marina à Presidência da República, em 2014. "Nós não seremos nem oposição nem situação à Dilma (Rousseff). Se a presidente estiver fazendo coisa boa para o Brasil, somos favoráveis. Se ela for contra o Código Florestal, o voto é contrário", afirmou Marina, em um de seus discursos. "É um partido para questionar a si próprio. Não pode ser um partido para eleição", completou. Dizendo que são "diferentes", Marina defendeu alianças partidárias: "Podemos fazer alianças pontuais. Não precisamos eliminar sonhos. Mas é preciso que fique claro que somos diferentes". Para poder se candidatar pela nova legenda em outubro de 2014, Marina e os fundadores da sigla terão de conseguir 500 mil assinaturas até setembro deste ano. "Vamos dedicar os próximos três meses para a coleta de assinaturas. Não será difícil", disse o deputado Walter Feldman (SP), que pretende sair do PSDB para ingressar no partido. Em 2014, o eleitor votará para eleger os titulares dos governos estaduais, e representantes do Legislativos nos Estados e no Congresso Nacional. Além de Feldman, os deputados Alfredo Sirkis (PV-RJ) e Domingos Dutra (PT-MA) e a ex-senadora e vereadora por Maceió, Heloisa Helena, anunciaram o ingresso no novo partido.

Petrobras inicia produção em campo do pré-sal


A Petrobras anunciou na noite de sexta-feira o início da produção de petróleo no campo de Sapinhoá Norte, no pré-sal da Bacia de Santos (litoral de São Paulo). O óleo está sendo extraído pelo navio-plataforma (FPSO) Cidade de São Vicente, em operação desde a última terça-feira em poço exploratório localizado no bloco BM-S-9, operado pela Petrobras (45%), em parceria com a BG E&P Brasil Ltda (30%) e a Repsol Sinopec Brasil S.A. (25%). De acordo com o comunicado da petroleira, a produção do navio Cidade de São Vicente será de cerca de 15 mil barris de óleo por dia, devido à limitação de aproveitamento de gás e se estenderá por um prazo máximo de seis meses, conforme o plano do Sistema de Produção Antecipada (SPA) de Sapinhoá Norte. O navio-plataforma está ancorado a 310 quilômetros da costa e opera a uma profundidade de 2.140 metros. A Petrobras definiu o óleo produzido como "de elevada qualidade". O escoamento será feito por navios, que trarão o petróleo cru para os principais portos brasileiros. O Plano de Desenvolvimento (PD) de Sapinhoá, um dos maiores campos de petróleo do País, prevê dois sistemas definitivos compostos pelos FPSOs Cidade de São Paulo e Cidade de Ilhabela. O Cidade de São Paulo já produz desde 5 de janeiro passado, com capacidade instalada de saída de 120 mil barris de óleo e 5 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. O pico da produção, segundo a Petrobras, não será alcançado antes do segundo semestre de 2014. O Cidade de Ilha Bela ainda está em construção. O casco está sendo fabricado na China. Os módulos da planta de produção, no Brasil. Com capacidade de produção de 150 mil barris por dia de óleo e 6 milhões de metros cúbicos diários de gás, o Cidade de Ilha Bela tem início de operação previsto para o segundo semestre de 2014. O volume recuperável total de Sapinhoá é estimado em 2,1 bilhões de barris de óleo equivalente (boe). O campo entrou em produção comercial exatos quatro anos e meio após a descoberta, ocorrida em julho de 2008.

Ordem de "interdição" geral do peremptório petista Tarso Genro vale para todos, menos para o setor público gaúcho


É incompreensível que o Corpo de Bombeiros e a prefeitura de Porto Alegre ainda não tenham interditado o prédio onde funcionam a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e a Fepam. O prédio pegou fogo no ano passado, o incêndio foi contido, mas desde lá as condições de trabalho são precárias. A secretaria e a Fepam já deveriam ter mudado para o edifício da Cia. União, mas a demora já dura um ano. No local, as marquises estão apoiadas por estacas e há sinais claros de infiltração no prédio. Boa parte dos servidores prefere subir 10 andares pelas escadas, temendo as frequentes paralisações dos elevadores.

Serpro do Rio Grande do Sul faz até treinamento contra incêndios, mas não tem PPCI e nem "habite-se"


Os mesmos problemas que afligem o governo estadual do Rio Grande do Sul  são vivenciados pelo governo federal no Estado, porque também os prédios federais apresentam inúmeras irregularidades e não são interditados pela prefeitura de Porto Alegre e pelo Corpo de Bombeiros, ou pelo Ministério Público Federal, que agiu na UFSM, Santa Maria. É caso emblemático o edifício do Serpro, o Serviço Federal de Processamento de Dados, que tem cinco pisos, sete mil metros quadrados, onde trabalham 320 profissionais. O prédio não tem "Habite-se" da prefeitura e nem Plano de Prevenção e Combate a Incêndios aprovado pelos Bombeiros. O mais curioso é que o Corpo de Bombeiros ministra cursos para os Brigadistas da BCI (Brigada de Combate a Incêndio) do Serpro. A responsabilidade direta pela irregularidade, no Serpro, é dos gestores da área de GL (Gestão Logística), ex-sindicalistas ligados ao grupo Articulação, do PT. O PT manda no Serpro há dez anos.

A temporada nababesca em Salvador do vice-presidente da Guiné Equatorial, ditadura que Dilma vai visitar em breve


O vice-presidente da Guiné Equatorial, Teodorin Nguema Obiang Mangue, estava em Salvador quinta-feira quando a Justiça francesa expediu mandado de prisão contra ele, no processo em que responde por lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos estrangeiros. Mangue, que é filho do atual presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, deixou a capital baiana na noite da mesma quinta-feira, em avião oficial do governo de seu país. Ele passou o carnaval em Salvador, deu grandes festas privadas, foi fotografado com autoridades como o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e o deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB), e participou do desfile do bloco afro Ilê Aiyê, que este ano saiu com o tema “Guiné Equatorial — da herança pré-colonial à geração atual”, em referência à luta contra a discriminação racial e à valorização da cultura africana na Bahia. De acordo com o jornal francês “Le Monde”, o mandado de prisão foi expedido após Mangue faltar a uma audiência do processo, na última quarta-feira, em Paris. Nesse dia, ele patrocinava uma festa em uma das três mansões que alugou para acomodar a delegação de seu país, na Praia de Busca Vida, em Lauro de Freitas, região nobre do litoral norte baiano. Zeca Pagodinho teria sido um dos artistas contratados para animar a festa. Em Salvador, a Polícia Federal informou que não havia recebido até o início da noite de sexta-feira o mandado de prisão expedido pela Justiça da França. A presidente Dilma Rousseff irá à Guiné Equatorial, nos próximos dias, para a reunião de cúpula dos países da América do Sul e da África.

Documento mostra que bombeiros pediram máquinas de café e academia a fundo mantido pela comunidade


Em meio às investigações sobre as responsabilidades pelo incêndio que matou 239 pessoas na assassina boate Kiss, em Santa Maria, um documento circula pela cidade e chama atenção. É a lista de pedidos que os bombeiros fizeram em 2012 ao Fundo de Reequipamento do Corpo de Bombeiros de Santa Maria (Funrebom). Dos R$ 899,9 mil solicitados, R$ 133 mil se destinavam à montagem de uma academia para a tropa, um carro novo para o  comandante e máquinas de café. Bancado pela comunidade, o Funrebon foi criado para ajudar a equipar os bombeiros. O Comando Regional, sediado em Santa Maria, pediu verba para duas cafeteiras expressas, a R$ 11 mil, uma viatura para o comandante da unidade (R$ 70 mil) e a instalação de equipamentos de musculação (R$ 51,9 mil). Os pedidos foram rejeitados pelo conselho do Funrebom em abril do ano passado. O mesmo conselho aceitou pagar por outros itens como 120 capacetes de combate a incêndio de alta resistência (R$ 42 mil), 50 conjuntos completos de combate ao fogo, a R$ 140 mil, e 50 pares de botas de combate a incêndio, a R$ 24 mil. As duas cafeteiras de café expresso são superiores às encontradas em outros quartéis, como o de Passo Fundo, onde um equipamento simples foi doado pelo comandante, ou em Ijuí, que tem café passado no filtro. O comandante regional dos bombeiros, tenente-coronel Moises da Silva Fuchs, argumenta que os bombeiros precisam ficar acordados em escalas de plantão de 24 horas: "Em vez de um policial militar fazer o serviço, colocar pó e água em uma cafeteira comum, as máquinas de café expresso do tipo comercial atenderiam o quadro e visitantes a qualquer hora. Hoje são os servidores que pagam o café. Precisamos de máquinas grandes para atender todos". O oficial também fez eloquente defesa da doação de uma academia: "Colocaria Santa Maria em posição privilegiada no Estado. A maioria das unidades dispõe de poucos equipamentos, alguns adquiridos com recursos do Funrebom, outros por doações da comunidade". Segundo o oficial, em Santa Maria, os bombeiros têm de se matricular em academias privadas, pagando de seu próprio bolso.

Governo de Santa Catarina recebe Força Nacional


O governo de Santa Catarina recebeu na tarde de sexta-feira homens da Força Nacional de Segurança (FNS), para atuar no combate à onda de ataques que assola o Estado há mais de duas semanas. O envio de tropas federais para Santa Catarina foi decidido em uma reunião do governador com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, na quarta-feira. Na quinta-feira, Cardozo afirmou que um plano de ação estava sendo elaborado, mas disse que não poderia fornecer detalhes. Na madrugada de sexta-feira foram registrados mais dois ataques no Estado. Em Laguna, no litoral sul, dois homens atiraram um coquetel molotov contra um caminhão estacionado, mas o explosivo falhou. Em Içara, na mesma região, bandidos atearam fogo em um carro depois de renderem um casal que estava no veículo. Nos dois casos, a polícia não conseguiu prender os criminosos. Os crimes são atribuídos a uma organização criminosa do Estado, o Primeiro Grupo Catarinense (PGC). Gravações telefônicas obtidas pela polícia mostram presidiários ordenando ataques como reação às condições das cadeias estaduais.

Ex-reitor e ex-diretor da UFSM são condenados em ação de improbidade administrativa

O ex-reitor da UFSM, Paulo Sarkis, e o ex-diretor do Centro de Processamento de Dados da instituição, Sérgio João Limberger, foram condenados pela Justiça Federal por improbidade administrativa. Conforme a sentença, os dois terão de devolver R$ 5,1 milhões que teriam sido indevidamente utilizados e, além disso, estabeleceu multas nos valores de R$ 50 mil para Sarkis e R$ 100 mil para Limberger. A ação civil pública foi ajuizada em 2007 pelo Ministério Público Federal, segundo o qual teria havido desvio de finalidade na aplicação de recursos públicos oriundos de um convênio firmado em 2001 entre o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep) e a Universidade Federal de Santa Maria para o desenvolvimento de um projeto na área de informática. Conforme a Justiça, a UFSM teria recebido R$ 4,3 milhões para a realização do projeto, valor que teria sido repassado à Fundação de Apoio Educacional de Santa Maria (Fatec) por meio de um contrato com dispensa de licitação. Já a Fatec teria subcontratado empresas privadas para a tarefa, entre as quais a SIG Soluções em Informática e Gestão Ltda, que têm professores e analistas de sistemas da universidade como sócios.

Número de feridos em queda de meteorito na Russia se aproxima de mil


Já chega perto de mil o número de pessoas feridas pela queda de vários meteoritos na manhã de sexta-feira na região russa dos Urais. Acompanhados por clarões incandescentes e violentas explosões, os meteoritos derrubaram paredes e janelas e provocaram pânico entre a população. "O número de feridos é 950", afirmou o governador da região de Cheliabinsk, Mikhail Yurevich. O balanço inicial era de mais de 500 feridos na região, muitos deles atingidos por estilhaços devido à quebra das janelas. O trânsito foi detido subitamente na cidade de Cheliabinsk, nos Urais, enquanto o meteorito queimava parcialmente em sua queda ao ingressar na camada inferior da atmosfera, iluminando o céu, segundo imagens exibidas pela televisão. O Ministério das Situações de Emergência apontou que as comunicações dos telefones celulares estavam momentaneamente cortadas. Às 09h20min (1h20min de Brasília) foi observado um objeto em Cheliabinsk que voava em grande velocidade e deixava um rastro. Dois minutos depois foram ouvidas duas explosões. A onda de choque quebrou as janelas em Cheliabinsk e em outras cidades da região, afirmou Yuri Burenko, funcionário do Escritório Regional de Situações de Emergência.   Os primeiros relatórios afirmaram que uma parte do meteorito caiu a 80 quilômetros da cidade de Satki, que fica 100 quilômetros ao oeste do centro regional, mas isso não foi confirmado oficialmente. "Esse meteorito foi um objeto bastante grande, com uma massa de várias dúzias de toneladas", calculou o astrônomo russo Serguei Smirnov, do Observatório Pulkovo. A região de Cheliabinsk é o coração da zona industrial da Rússia. Está repleta de fábricas e outras instalações, que incluem uma usina de energia nuclear e o grande centro de depósito e tratamento de dejetos nucleares Mayak. Um porta-voz da Rosatom, a empresa de energia nuclear da Rússia, assegurou que as operações não foram afetadas.

Tribunal Superior Eleitoral suspende eleição suplementar em Erechim


Decisão do Tribunal Superior Eleitoral determinou na tarde de sexta-feira o retorno imediato do prefeito eleito Paulo Alfredo Polis (PT) ao cargo de prefeito. Eleitos em outubro com mais de 64% dos votos, os candidatos Paulo Polis(PT) e Ana de Oliveira (PMDB) tiveram o registro de candidatura cassado por suposta propaganda irregular e abuso do poder econômico. A impressão de uma entrevista com o prefeito em um anuário econômico publicado por um jornal local, com edição de 10 mil exemplares, foi considerada propaganda subliminar pela justiça local e pelo Tribunal Regional Eleitoral. Uma cautelar ingressada no TSE pela candidata Ana de Oliveira, com pedido liminar, foi deferida pela Ministra Luciana Lóssio. Ela argumentou a decisão dizendo que não vislumbrava gravidade suficiente nas condutas investigadas para configurar abuso do poder econômico e político e uso indevido dos meios de comunicação social. Na decisão, a Ministra alerta ainda que manter afastado o candidato vencedor nas urnas teria prejuízo irreparável. Com a decisão, o Tribunal Regional Eleitoral comunicou que foi suspensa a realização da eleição suplementar marcada para o dia 3 de março em Erechim. Polis permanecerá no cargo até o julgamento final do recurso que tramitava no Tribunal Superior.

Governo do peremptório petista Tarso Genro sonega a comissão de deputados federais a documentação emitida pelos bombeiros para a boate Kiss


Em sua primeira visita ao Corpo de Bombeiros de Santa Maria, na sexta-feira, a comitiva formada por nove deputados federais não obteve todas as respostas que esperava. A Comissão Externa da Câmara dos Deputados, liderada pelo petista Paulo Pimenta, foi criada especialmente para acompanhar os desdobramentos da tragédia na assassina boate Kiss, que ocorreu em 27 de janeiro e deixou 239 mortos. Em um primeiro momento da reunião, o chefe do Estado Maior do 4º Comando Regional do Corpo de Bombeiros, major Gerson Pereira, contou como foi o trabalho dos bombeiros no combate ao incêndio e resgate às vítimas da tragédia. Conforme o major, após o chamado, os bombeiros levaram cerca de sete minutos para chegar ao local. A equipe deslocada para a boate contava com cinco bombeiros e outros cinco servidores que ainda não completaram o curso. Pereira foi enfático que o principal problema enfrentado foi o acesso ao local. "Ninguém no mundo está preparado para uma situação como esta. Tivemos que retirar os corpos para conseguir entrar na boate. A queima da espuma tóxica fez com que as pessoas desmaiassem antes de conseguir sair e acabaram obstruindo a passagem", disse Pereira. O major Ricardo Vallejos França, comandante do 5º Comando Regional de Bombeiros, em Caxias do Sul, apresentou um vídeo institucional e defendeu o Sistema Integrado de Gestão de Prevenção de Incêndio (Sigpi), que teve sua eficácia contestada por especialistas. Segundo França, o cadastro eletrônico serve para agilizar o processo administrativo e supre as deficiências encontradas no cadastro convencional. O major explicou que, ao contrário do que vem sendo divulgado, o Plano de Prevenção e Contra Incêndio não é um documento isolado, e sim um conjunto de documentos que compõem o plano como um todo. Ao mostrar uma pilha de papéis, França foi enfático ao afirmar que, se depois de fiscalizado, o local sofrer qualquer tipo de alteração, todos aqueles documentos perderiam a validade. "Fraude técnica é não fazer como deve ser feito. Papel não salva vida", opinou França. Por volta do meio-dia, a comitiva deixou o local com a promessa de que, em uma próxima reunião, o cadastro eletrônico referente à boate seria mostrado. Ou seja, foi pura enrolação.

Dilma revê planos e amplia reforma em ministérios


A presidente Dilma Rousseff deve fazer em março uma reforma ministerial mais ampla do que a prevista inicialmente para acomodar novos aliados e resolver pendências com antigos parceiros, num movimento planejado para construir as bases de sua campanha à reeleição, em 2014. Empenhada em conquistar apoios, Dilma pode ceder à cúpula do PDT, que reivindica a troca do ministro do Trabalho, Brizola Neto, e atender o PR, ávido por substituir o titular dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. Os movimentos da presidente, na fase pós-faxina, período iniciado em julho de 2011, quando seis ministros foram substituídos por conta de irregularidades nas pastas, têm o objetivo de evitar que apoiadores do PT sejam atraídos por outros candidatos ao Palácio do Planalto. O governo acompanha com lupa os passos do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e do senador Aécio Neves (PSDB-MG), possíveis adversários de Dilma na disputa do ano que vem, e fará de tudo para impedir a debandada de aliados. Brizola Neto se reuniu na sexta-feira com dirigentes da Força Sindical, em São Paulo. O ministro contou que Dilma lhe telefonou e garantiu que notícias sobre sua saída não passam de "especulação". Contrariada com o "vazamento" de informações, a presidente também pediu à ministra da Comunicação Social, Helena Chagas, que negasse a preparação de uma reforma ministerial, neste momento. Antes do carnaval, o presidente do PDT, Carlos Lupi, disse a Dilma que o partido não se sente representado por Brizola Neto, seu desafeto. Ex-ministro do Trabalho, defenestrado em 2011, no rastro de denúncias de corrupção, Lupi indicou para o ministério o secretário-geral do PDT, Manoel Dias.

Cardeal de São Paulo vai supervisionar ações do Banco do Vaticano

Caberá ao brasileiro dom Odilo Pedro Scherer uma das tarefas mais delicadas no próximo pontificado: vigiar a atuação do Banco do Vaticano. Hoje, a Igreja anunciou que ele vai manter seu cargo como um dos membros da Comissão Cardinalícia de Vigilância, que irá justamente avaliar as denúncias de corrupção e desvios de dinheiro no Banco do Vaticano. A Igreja amplia ainda mais as polêmicas ao reconfirmar também o cardeal Tarcísio Bertone como presidente da Comissão. Nesta semana, a Igreja abriu uma nova polêmica ao anunciar o novo CEO da Instituição de Obras Religiosas, o nome oficial do banco. Isso porque o escolhido é acionista de um estaleiro que produziu navios de guerra, inclusive fornecendo no passado ao governo de Adolf Hitler. O cargo estava vago porque, em maio, o banqueiro Ettore Gotti Tedeschi, um amigo pessoal do papa, foi sumariamente demitido. Na época, o Vaticano deu a entender que o banqueiro estava relacionado com o vazamento dos documentos roubados pelo mordomo do papa e que revelavam a corrupção na Igreja. Mas, poucos dias depois, a polícia italiana encontrou em sua casa uma carta que era para ser lida caso ele fosse assassinado. Durante seus três anos no comando dos cofres do Vaticano, ele teria descoberto que as contas eram usadas para a lavagem de dinheiro e mesmo crime. A pressa na nomeação de seu sucessor fez despertar suspeitas de que não teria sido nem mesmo o papa quem o nomeou, e sim o cardeal Tarcísio Bertone, protagonista da disputa interna. Fontes no Vaticano sustentam a tese de que, com a nomeação, o italiano teria garantido um aliado seu no cargo, antes da chegada de um novo papa. Agora, Bertone garante que ele mesmo vai continuar a fiscalizar o banco. “Ao fazer a nomeação, podemos evitar ver coisas que não são verdades sendo ditas”, disse o cardeal Jose Saraiva Martins. Não é a primeira vez que o Banco do Vaticano é envolvido em escândalos. Em 1982, o então banqueiro Roberto Calvi, com ampla relação com o Vaticano, foi encontrado enforcado numa ponte de Londres. Em 2010, juízes de Roma congelaram 23 milhões de euros que o Banco mantinha em contas na Itália. O dinheiro acabou sendo liberado, mas a investigação por lavagem de dinheiro continua. Há sete meses, a União Europeia alertou que o Banco do Vaticano não cumpre as regras básicas do sistema financeiro para o combate à lavagem de dinheiro e crimes financeiros. A crise envolvendo o banco foi apontada como um dos motivos para a renúncia do Papa. Mas em uma entrevista realizada há dez semanas pelo Papa Bento XVI com seu biografo, o jornalista alemão Peter Seewald, o pontífice já havia alertado: “não se pode mais esperar mais nada de mim”. Seewald admitiu que, no encontro, o Papa parecia mais desanimado que nunca, mas negou que os escândalos de corrupção tenham influenciado em sua decisão de abandonar o cargo. “Ratzinger estava esgotado há muito tempo”, disse seu biógrafo, em artigo publicado na revista alemã Focus. Quando foi questionado sobre o que se poderia esperar dele no restante de seu pontificado, Bento XVI foi taxativo: “De mim? Não muito. Ja sou um homem velho, as forças me abandonaram. Acho que basta com o que fiz até agora”.

Megaoperação transfere 40 presos em Santa Catarina


Quarenta presos foram transferidos na manhã deste sábado, de penitenciárias de seis cidades de Santa Catarina para presídios federais, na maior operação do tipo feita em conjunto entre Estado e União. Três dos presos são integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) e os demais 37 fazem parte do Primeiro Grupo Catarinense (PGC). Os transferidos foram apontados pelas autoridades como responsáveis pela onda de atentados ocorridas no Estado. Eles foram transportados em dois aviões Hércules, que deixaram o Estado neste sábado. Os mesmos aviões haviam trazido na sexta-feira os integrantes da Força Nacional de Segurança, que ajudaram na operação. Por questão de segurança, as autoridades ainda não revelaram o Estado dos presídios para onde esses presos foram transferidos. O anúncio dos resultados da operação foi feito pelo governador Raimundo Colombo (PSD) e pelo ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo. "Estamos quebrando a espinha dorsal do crime organizado", afirmou o governador. Desde 30 de janeiro, as autoridades contabilizaram 104 ocorrências praticadas sob a orientação de facções criminosas, entre incêndios a ônibus, disparos contra viaturas e bases policiais, entre outros alvos. Uma primeira onda de atentados já havia ocorrido em novembro. Além da transferência dos presos, as polícias fizeram uma série de operações para cumprir 70 mandados de prisão. Florianópolis e outras 11 cidades foram alvos das operações. Até o fim da manhã, 25 pessoas tinham sido presas, incluindo uma advogada acusada de passar informações aos criminosos e de integrar a facção. Outros 45 mandados foram cumpridos para presos, acusados de dar as ordens para os ataques dentro dos presídios. A maioria dos presos foi acusada de levar informações do interior dos presídios para as ruas. Cinco são advogados. Simone Gonçalves Vissoto, detida em Campeche, no sul da Ilha; Gustavo Gasparino Becker e Francine Bruggenna, presos em São José, na grande Florianópolis, foram acusados de associação com o crime organizado. Os demais presos são familiares e amigos dos presos que aproveitavam as visitas para repassar as ordens da facção. Uma das operações estratégicas ocorreu neste sábado no Morro do Horácio, local onde o traficante Rodrigo da Pedra, considerado um dos principais responsáveis pela crise, domina os negócios. A mulher de Rodolfo, acusada de comandar o tráfico no Morro, alvo principal das buscas, não foi encontrada. Familiares do traficante foram detidos para interrogatório. O ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, negou que exista a possibilidade de a transferência fortalecer os criminosos e aumentar a rede de contatos deles com outras facções. Em 2010, quando a existência da facção foi assumida em Santa Catarina, 40 presos foram transferidos para presídios federais. Depois eles voltaram para as penitenciárias do Estado. E os ataques passaram a ocorrer. "Não existe nenhuma informação de que presos ampliam seus contatos em presídios federais. Lá eles são isolados e seus contatos são cortados", disse o ministro.

MORRE O EX-DEPUTADO FEDERAL ALUIZIO PARAGUASSU


Aluízio Paraguassú, que foi vereador de Porto Alegre e deputado federal e estadual, morreu na tarde desta sexta-feira, aos 79 anos, vítima de uma pneumonia. Ele estava internado havia dois dias no Hospital da Ulbra, em Tramandaí, em razão de uma infecção pulmonar, que tratava em casa. O corpo do político está sendo velado na Capela Três do Cemitério da Santa Casa. O sepultamento está marcado para às 10 horas deste sábado. Nascido na Capital, em 13 de março de 1933, era filho de Sady Alves Ferreira e Hilda Paraguassú Ferreira, foi funcionário público federal e se aposentou como diretor da Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul (Ceasa). Havia um ano, ele estava morando em Balneário Pinhal. Foi eleito vereador de Porto Alegre em 1968, pelo MDB. Em 1971, assumiu uma cadeira na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, onde ficou até 1975. Foi deputado federal de 1975 a 1983. Ele ficou famoso por não usar sapato nem gravata. Isso quase levou à cassação de seus mandatos.

Para presidente da FGF, Olímpico seguirá como casa do Grêmio no campeonato gaúcho


O Grêmio deve seguir utilizando o Olímpico na disputa do campeonato gaúcho. Segundo o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto, o clube até poderá alterar o estádio onde quer disputar o campeonato estadual, transferindo as partidas para a Arena OAS,  mas ainda não enviou nenhuma solicitação a FGF referente ao assunto. Se a atual opção for mantida, o Olímpico receberá jogos oficiais até 19 de maio, data da final do Gauchão. Para Novelletto, o Olímpico é a casa do Grêmio até o final da competição estadual: "O Grêmio vai continuar no Olímpico. No Gauchão, comunicando a intenção de mudança para a Arena um dia antes já é o suficiente. O presidente Koff é quem determina". Após a derrota contra o Huachipato, o técnico Vanderlei Luxemburgo criticou o gramado da Arena. O treinador, inclusive, sugeriu que o clube consultasse a empresa parceira na administração do novo estádio, a Arena Porto-Alegrense, para que o Grêmio volte a atuar no Olímpico, também na Libertadores, enquanto o gramado não tiver boas condições para receber os jogos.