quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

BCE deve manter juros, mas reduzirá previsão de crescimento no euro


O Banco Central Europeu deverá manter em níveis baixos a taxa básica de juros no relatório que será divulgado nesta quinta-feira. No entanto, deverá indicar a nova política para o ano que vem, que inclui estimativas mais pessimistas para a zona do euro. A reunião do Conselho do BCE começou pouco depois das 6 h (de Brasília) e deverá definir novas ações para tentar diminuir os efeitos da crise nas economias dos 17 países da moeda única.A última tentativa apresentada foi o programa da compra de títulos da dívida pública, em setembro. Depois, a instituição evitou novas ações até que entre em vigor, em janeiro. Essa espera deve continuar, uma vez que a Espanha resiste à pressão para pedir um resgate, uma condição para o BCE comprar os títulos do país. Os mercadores devem se focar nas novas estimativas econômicas do BCE em busca de indicações de qual será a política monetária. A expectativa é de que o banco reduza a perspectiva de crescimento para este e o próximo ano, uma vez que a crise da zona do euro afetou a economia de forma generalizada, incluindo a Alemanha, maior economia da região e que desacelerou nos últimos trimestres. Como as taxas de juros variam bastante entre os 17 países do bloco, o BCE está focado em determinar o que chama de "mecanismo de transmissão" para passar à frente as próprias taxas antes de pensar em reduzir os custos de empréstimos oficiais, já em uma mínima recorde de 0,75%.

Petista Paulo Vieira usava o nome de amante de Lula para intimidar colegas


O presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, afirmou nesta quinta-feira que o petista Paulo Vieira, diretor afastado da agência, era uma pessoa “ambiciosa”, que almejava cargos no governo e carreira política, mas desprovida de conhecimentos técnicos para ocupar a diretoria de hidrologia do órgão. Em audiência esvaziada no Senado, Andreu foi questionado sobre a conduta de seu ex-subordinado, indiciado pela Polícia Federal por chefiar um esquema de tráfico de influência e de venda de pareceres de órgãos públicos na cúpula do governo. Segundo Andreu, Vieira era uma pessoa de temperamento “difícil”, que, “por intimidação” dentro da ANA, tinha o hábito citar o nome de Rosemary de Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, amante de Lula, também acusada de integrar o esquema fraudulento, e do ex-ministro José Dirceu. “Era do tipo de pessoa que queria alçar outros vôos. Falava muito em ser candidato, tinha pretensões eleitorais, chegava a mencionar que estava sendo cotado para ser ministro. Esse tipo de arroubos que a gente tinha que lidar”, disse: “Vieira mencionava constantemente seu desejo de ser candidato a deputado estadual por outro partido. Mas ele sempre manifestou que ele concorreria por um partido que não era o PT". Andreu não escondeu, contudo, que José Dirceu ainda tem ascendência sobre a agência. Sobre as insinuações de Vieira, afirmou que chegou a procurar José Dirceu para questioná-lo se ele conhecia o ex-diretor. “O Zé Dirceu me disse ‘não conheço, apertei a mão dele duas vezes na vida, fica falando o meu nome. Faz o que você acha que deve fazer’”, comentou. O presidente da ANA relatou que Vieira “manifestava desejo” de se apresentar “de uma maneira muito fortalecida do ponto de vista político”. “VieiraFazia menção às situações de conhecimento de pessoas e relações que nós sabíamos que não passava de se arvorar de um conhecimento que ele não detinha”, disse Andreu.

Limite para compra de imóvel com o FGTS pode subir para R$ 750 mil


Em mais uma medida para estimular a economia, o governo avalia aumentar de R$ 500 mil para R$ 750 mil o valor máximo dos imóveis que o trabalhador pode comprar com o seu saldo do FGTS, tanto à vista como financiado dentro do SFH (Sistema Financeiro da Habitação), que tem juros menores. A medida é uma reivindicação antiga das construtoras e que estava engavetada. . Tecnicamente, a medida está pronta e tem a simpatia de Guido Mantega (Fazenda). A palavra final caberá a Dilma Rousseff. Com seu aval, o governo precisará aprovar resolução no CMN (Conselho Monetário Nacional, presidido por Mantega). Oficialmente, o órgão diz considerar adequado o teto de R$ 500 mil.

Celulose Riograndense confirma investimento de R$ 5 bilhões no Rio Grande do Sul


O diretor-presidente da Celulose Riogradense, Walter Lídio Nunes, confirmou nesta quinta-feira, em Panambi, no Planalto Médio, a expansão da empresa no Rio Grande do Sul. Serão aplicados R$ 5 bilhões na ampliação da unidade da empresa em Guaíba. Com a modernização da fábrica, a empresa pretende triplicar a produção de celulose. "A expansão dessa unidade tem um significado especial para o Rio Grande do Sul, pois será o maior investimento privado no Estado e ultrapassará os R$ 5 bilhões", destacou Nunes. Deve ser a quadragésima vez que essa empresa anuncia projeto de crescimento. É de se pagar para ver..... o papel aceita tudo, como se sabe.

Dilma anuncia R$ 56,8 bilhões até 2017 para investimentos em portos


O governo federal anunciou nesta quinta-feira que vai investir R$ 54,2 bilhões no setor portuário brasileiro e mais R$ 2,6 bilhões para acessos hidroviários, ferroviários e rodoviários, além de pátios de regularização de tráfego. Dezoito portos serão beneficiados pelo programa de incentivo ao setor. O plano anunciado prevê o fim da outorga como critério de licitação, para eliminar custos. Além disso, o governo pretende criar um marco regulatório para os portos, a fim de permitir a regulação do serviço de praticagem (manobras de alto custo feitas para posicionar as embarcações nos portos), a eliminação de barreiras, a abertura de chamadas públicas para terminais de Uso Privativo (TUP) e agilização de processos de arrendamentos e de licenciamentos ambientais. A Região Sul receberá R$ 3,36 bilhões na primeira etapa e R$4,25 bilhões na segunda. A Região Norte receberá, entre 2014 e 2015, R$ 4,37 bilhões em investimentos, e, nos dois anos subsequentes, mais R$ 1,5 bilhão. O Nordeste receberá R$ 11,94 bilhões (dos quais R$ 6,77 bilhões entre 2014 e 2015 e R$ 5,15 bilhões entre 2016 e 2017). No Sudeste, serão investidos R$ 16,50 bilhões no primeiro período (2014-2015); e R$ 12,14 bilhões no segundo (2016-2017). Como se vê, a região Sul é o patinho feio do governo Dilma. Ela tem tratado a pão salgado e água o Rio Grande do Sul. E olhe que o governador peremptório petista Tarso Genro valoriza tanto sua "amizade" com Dilma Rousseff. Imagine se fosse inimigo....

Dilma em cadeia nacional para informar que a conta de luz caiu menos por culpa dos tucanos. Imaginem o estrago.


Ninguém discute a razão dos governadores tucanos. Mas não se trata de ter ou não razão. Se trata de impedir um desconto maior na conta de luz, pois é assim que vai chegar ao eleitor. O PSDB afunda cada vez mais, sabem por quê? Porque não tem projeto. Porque é cada um por si. Porque não tem estratégia. Porque ninguém conversa com ninguém. É ou não é? A redução da conta de luz em 2013 pode ficar menor que o anunciado pela presidente Dilma Rousseff em cadeia nacional de rádio e TV no início de setembro. A promessa era cortar, em média, 20,2% da tarifa, mas, com a resistência de algumas empresas em renovar suas concessões, o desconto cai para 16,7%. Os técnicos do Ministério de Minas e Energia afirmam que ainda não desistiram de alcançar o corte anunciado. O governo vai estudar alternativas, como reduzir impostos e outros encargos.  As companhias de geração de energia de São Paulo (Cesp), Minas Gerais (Cemig) e Paraná (Copel) não aderiram ao pacote de energia. Apesar da divergência, a Cemig não descartou a possibilidade de recorrer à Justiça para manter as regras atuais para três hidrelétricas. Os acionistas das empresas consideraram os novos preços da energia e a indenização muito baixos. Com a recusa, continuarão vendendo energia pelas tarifas atuais até 2015 e 2017. O governo federal jogou a culpa pelos problemas do pacote em São Paulo e Minas Gerais. "A decisão dessas empresas, principalmente as companhias de São Paulo e Minas Gerais, de não renovar seus contratos sob novas bases, é a causa de, hoje, não podermos anunciar o corte na conta de luz pretendido pelo governo federal", disse o secretário executivo de Minas e Energia, Márcio Zimmerman. Os técnicos desconversaram quando questionados sobre eventual influência política na decisão. Os governadores dos três Estados são do PSDB, de oposição. Anteontem, o senador Aécio Neves, ex-governador de Minas Gerais (2003-2010), foi lançado pelo partido como pré-candidato à sucessão de Dilma nas eleições de 2014. Os técnicos do governo criticaram a decisão tomada por Cesp, Cemig e Copel. Segundo Zimmerman, "essas companhias privilegiaram seus acionistas, e não a população brasileira". Ah tá..... quer dizer, então, que sociedades anônimas são constituídas para fazer benemerência com o dinheiro de seus adionistas? E os governadores dos Estados donos dessas companhias também não devem responder perante a lei de responsabilidade fiscal?

Governador de Sergipe diz que Lula não pode responder por erros de outros


O governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT), defendeu nesta quinta-feira o ex-presidente Lula, alegando que ele não pode ser responsabilizado por erros de terceiros. O grau de vassalagem política e moral no País é incomensurável. "Quem cometeu delito, quem fez tráfico de influência tem de responder à Justiça. O que não se pode fazer é, a cada situação como esta, ficar transformando em tentativa de politização. As coisas têm de ser investigadas e quem fez tráfico de influência que responda à Justiça. Segundo Déda, não há preocupação de o ex-presidente Lula ser envolvido nestas denúncias. "Até o momento, todas as informações divulgadas pelas autoridades são no sentido de que não há nenhum tipo de vinculação ao presidente Lula. Não há como transformar, automaticamente, erros individuais em erros coletivos apenas porque você tem essas pessoas em áreas de subordinação a um governo estadual ou federal", afirmou.

Vereadores de Itacaré reajustam salários em mais de 100%


Os vereadores de Itacaré, no sul baiano, aprovaram dois Projetos de Lei, nesta quinta-feira, que elevam os salários em mais de 100%. O salário de prefeito passa a ser de R$ 17 mil. Já os proventos do vice sobem para R$ 8,5 mil, enquanto os secretários receberão R$ 4 mil e os edis terão em suas contas bancárias todo início de mês R$ 5,5 mil. Com cerca de 24 mil habitantes e uma arrecadação de cerca de R$ 3 milhões mensais, os pagamentos aos políticos se equiparam aos da cidade vizinha de Itabuna, que arrecada R$ 21 milhões por mês, ou seja, sete vezes mais. Por que a população brasileira de municípios com menos de 50 mil habitantes é obrigada a pagar salário mensal para essas totais inutilidades que os vereadores.

Operação da Polícia Federal afasta prefeito petista da capital de Rondônia


O prefeito de Porto Velho (RO), Roberto Sobrinho (PT), foi afastado do cargo nesta quinta-feira durante operação da Polícia Federal para desarticular um grupo suspeito de desviar recursos públicos por meio de licitações. Sobrinho, que deixaria a administração em 31 de dezembro, está proibido de entrar na prefeitura. Três secretários municipais foram presos em caráter temporário. Segundo a Polícia Federal, o suposto esquema atingia as secretarias de Projetos Especiais, Administração, Serviços Básicos e Agricultura, além da Procuradoria-Geral do Município e da Controladoria-Geral do Município. O esquema era praticado por servidores municipais, empresários e "laranjas". A operação, batizada de Vórtice, envolve 18 mandados de prisão, 31 mandados de busca e apreensão e 22 mandados de afastamento de cargo público.

TRT suspende demissões sem justa causa no Santander em São Paulo


O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, em São Paulo, decidiu nesta quinta-feira suspender as demissões sem justa causa, ainda não homologadas, de trabalhadores do Banco Santander. A decisão atende a um pedido do sindicado da categoria, que teme uma demissão em massa de trabalhadores do banco motivada pela crise econômica que atinge a Europa, especialmente a Espanha, sede do banco. Segundo a desembargadora Rilma Aparecida Hemetério, se o banco desobedecer a liminar, estará sujeito à multa diária de R$ 100 mil. Durante audiência os advogados que representavam o banco negaram que vá ocorrer demissão em massa, creditando a notícia sobre esse fato a “boatos”. “Não houve dispensa coletiva em novembro e dezembro e não haverá nos próximos meses”, disseram os advogados. Segundo eles, o Santander tem  mais de 55 mil trabalhadores em todo o Brasil. Os advogados disseram que 2,1 mil pessoas foram desligadas do banco este ano em São Paulo, índice menor que no ano passado, quando 2,4 mil pessoas foram demitidas. De acordo com os advogados que estiveram presentes na audiência, 170 funcionários do banco em São Paulo foram desligados em novembro e 415 já foram comunicados que serão desligados do banco este mês, número que inclui dez funcionários que pediram demissão.

Município fluminense quer construir oceanário projetado por Niemeyer


A lagoa de Ponta Negra, em Maricá, poderá ganhar um oceanário projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Representantes do escritório de Arquitetura e Urbanismo Oscar Niemeyer estiveram reunidos há pouco mais de um mês com o secretário executivo da prefeitura do município fluminense, Márcio Leite, para viabilizar a construção do oceanário, considerado estratégico pela administração municipal para impulsionar o turismo na região. “A primeira conversa que tivemos foi ótima, e a prefeitura agora aguarda o envio de documentações e o projeto final, para decidir a melhor maneira de viabilizar tanto a elaboração como a construção da obra”, disse Marcio Leite. O prefeito Washington Quaquá defende a obra como forma de homenagear o arquiteto. "Niemeyer era de uma família originária de Maricá. Seu avô, Ribeiro de Almeida, que foi ministro do Supremo Tribunal Federal, dá nome a uma das principais ruas da cidade. Estamos contratando o projeto do Oceanário Niemeyer, que é uma das últimas obras projetadas por um dos maiores brasileiros de todos os tempos", disse o prefeito.

Dilma recebe Jaques Wagner e ACM Neto e discutem projetos para Salvador


A presidenta Dilma Rousseff recebeu nesta quinta-feira o prefeito eleito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM), em uma reunião intermediada pelo governador do Estado, Jaques Wagner, para discutir projetos para a capital baiana. Os três conversaram sobre projetos nas áreas de mobilidade urbana, saúde, infraestrutura e habitação. A revitalização da orla e a operação do metrô de Salvador estão entre as prioridades, segundo relato de Wagner e ACM Neto. “O prefeito eleito ACM Neto é prefeito da terceira maior capital do País, e me pediu essa audiência. Eu falei com a presidente e ela se disponibilizou. Tivemos uma conversa longa, de mais de uma hora, onde foram colocadas as dificuldades de Salvador”, disse Jaques Wagner. ACM Neto é o primeiro prefeito eleito de um partido da oposição a ser recebido pela presidenta após as eleições municipais de outubro. O novo prefeito disse que saiu “muito entusiasmado” do encontro com a presidenta e com a disposição do governo federal em colaborar com a gestão da prefeitura de Salvador. “Tenho certeza que com a colaboração da prefeitura, com a gestão eficiente que pretendemos fazer, as coisas vão sair do papel e nós vamos ter uma relação extremamente produtiva, pensando no cidadão de Salvador”, disse ACM Neto. Entre as obras de infraestrutura que o prefeito eleito pretende implementar com a ajuda do governo federal, estão a revitalização da orla de Salvador e a construção de corredores exclusivos para ônibus nas vias da capital baiana.

Depois de três horas de velório, corpo de Niemeyer deixa o Palácio do Planalto sob aplausos


Depois de três horas de velório, o caixão com o corpo do arquiteto Oscar Niemeyer deixou o Palácio do Planalto. Coberto com a bandeira do Brasil, o caixão desceu a rampa carregado por cadetes do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, às 19h30. O corpo saiu em cortejo em direção à Base Aérea de Brasília, às 19h45. De lá, seguiu em avião da Presidência da República para o Rio de Janeiro, onde será velado até esta sexta-feira no Palácio da Cidade, em Botafogo. O enterro ocorrerá no Cemitério São João Batista, às 17h30, desta sexta-feira. De acordo com a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto e da Polícia Militar, 3,8 mil pessoas passaram pelo local durante as três horas de velório. O caixão chegou às 15h45, e a entrada do público foi liberada às 16h40. Ainda de acordo com o Planalto, o fim do velório foi antecipado a pedido da família de Niemeyer. Os parentes do arquiteto alegaram problemas de limitação de horário para o pouso do avião no Rio de Janeiro.

Justiça Federal mantém decisão de retirada de não índios de área de 230 mil hectares em Mato Grosso


A Justiça Federal em Mato Grosso negou o pedido para que a retirada de não índios da Terra Indígena Xavante Marãiwatsédé, no norte do Estado, fosse suspensa. Com isso, terminou nesta quinta-feira o prazo para que os fazendeiros do primeiro grupo a ser notificado sobre o limite de 30 dias deixassem a área voluntariamente. O pedido foi negado em decisão tomada na quarta-feira. Segundo o Ministério Público Federal no Mato Grosso, 455 pessoas em 242 imóveis (casas, comércios e fazendas) foram notificadas sobre o prazo entre os dias 7 e 17 de novembro. As notificações de desocupação foram entregues em quatro etapas. Os primeiros a ser notificados foram os grandes fazendeiros que, oficialmente, têm até a meia-noite de hoje para deixar a área de 185 mil hectares, homologada pelo Poder Executivo em 1998.

Tesouro Nacional ainda não definiu como bancará redução na conta de luz, diz Mantega


O Tesouro Nacional ainda não decidiu como bancará a redução média de 20,2% na tarifa de energia a partir de março do ano que vem, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega. “Isso ainda não está definido”, declarou Mantega ao chegar ao ministério depois de participar do velório do arquiteto Oscar Niemeyer. Por meio da Medida Provisória 579, o governo decidiu renovar automaticamente as concessões das empresas de energia com a condição de que elas concordassem em reduzir as tarifas em 20,2%. Em troca, as companhias receberão indenização por investimentos realizados na rede elétrica. Cinco concessionárias controladas por governos estaduais (Companhia Energética de São Paulom Cesp; Companhia Energética de Minas Gerais, Cemig; Companhia Paranaense de Energia, Copel; e Centrais Elétricas de Santa Catarina, Celesc, recusaram-se a assinar os novos contratos e terão as concessões leiloadas entre 2015 e 2017.

Bombardier recebe pedidos da Delta e da China em revés para Embraer


A canadense Bombardier assegurou encomendas por jatos regionais estimadas em até 3,6 bilhões de dólares da Delta Air Lines e de um cliente não-revelado da China, recuperando terreno num segmento que vinha sendo dominado pela rival brasileira Embraer. A Delta fez pedido firme por 40 aviões Bombardier CRJ900, com a opção de comprar mais 30 unidades, em um acordo de até 3,29 bilhões de dólares. No fim desta quinta-feira, a Bombardier informou que um cliente chinês fechou a compra de sete aeronaves CRJ700 por 330 milhões de dólares. Juntas, as encomendas dão fôlego à divisão de aviões comerciais da Bombardier e ofuscam as esperanças de que a Embraer, que estava na disputa pelo contrato da Delta, possa manter o ritmo de produção estável no ano que vem. A Bombardier vinha entregando cerca de metade dos jatos comerciais da Embraer nos últimos anos e perdendo muitas encomendas importantes disputadas com a fabricante brasileira, especialmente na China, onde a Embraer tem conseguido participação de cerca de 75% no mercado de jatos de até 120 assentos. Neste ano, contudo, a Bombardier conseguiu encomendas por mais de 90 jatos regionais, comparado a 12 vendas líquidas da Embraer até o fim de setembro. A encomenda da Delta marca o primeiro grande pedido de uma companhia aérea norte-americana no processo de renovação das frotas de aviões regionais nos Estados Unidos que deve ganhar força no ano que vem, incluindo possíveis compras de jatos por SkyWest e American Airlines, controlada pela AMR. O acordo da Delta com a Bombardier prevê também que a empresa canadense ajude a companhia aérea a retirar de sua frota 60 jatos CRJ200, de 50 passageiros, em uso atualmente. A Delta espera começar a receber novos aviões Bombardier e Boeing no segundo semestre de 2013. No começo deste ano, a Delta acertou a compra de 88 aviões Boeing 717-200 com 110 lugares que atualmente estão em uso pela AirTran, unidade da Southwest Airlines. No ano passado, a Delta encomendou 100 aeronaves 100 Boeing 737-900ER.

Lewandowski diz que decisão de cassar mandato cabe ao Legislativo


O revisor da ação penal do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, votou nesta quinta-feira para que a decisão da perda de mandato dos parlamentares condenados pela Corte no processo seja do Congresso, e não automática. Pouco antes, o relator do processo, Joaquim Barbosa, havia votado pela perda automática do mandato com o trânsito em julgado da ação, isto é, quando não couber mais recursos, conforme está escrito na Constituição brasileira. Segundo Lewandowski, a lei é clara ao determinar que, no caso de senadores e deputados, a decisão final é do Legislativo, uma exceção da Constituição em relação a outros políticos, como o presidente da República. "Suspensão dos direitos políticos é uma coisa, cassação do mandato é outra", disse Lewandowski. A posição do Supremo é decisiva para três deputados, João Paulo Cunha (PT-SP), Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP), além de atingir ainda o ex-presidente do PT, José Genoino, que assumiria em janeiro vaga na Câmara por ser suplente. Todos foram condenados no processo do Mensalão do PT.

Chávez não deve comparecer à cúpula do Mercosul por motivo de saúde


O ditador da Venezuela, Hugo Chávez, não deverá comparecer à cúpula do Mercosul em Brasília, nesta sexta-feira, após viajar a Cuba para um tratamento relacionado a um câncer. A presença de Chávez era aguardada para a reunião do bloco regional e o próprio presidente estava entusiasmado em participar do encontro, que celebrará a entrada da Venezuela no grupo. O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores brasileiro, Tovar Nunes, disse haver indícios de que Chávez se ausentaria do encontro, mas que os venezuelanos ainda não confirmaram a informação. Em Caracas, uma fonte no palácio presidencial também disse que Chávez, de 58 anos, não viajaria ao Brasil. Chávez deverá ser representado pelo vice-presidente, Nicolás Maduro. A última vez que o presidente venezuelano foi visto em público foi há três semanas, e na semana passada viajou a Cuba para um tratamento de oxigenação hiperbárica, normalmente usado para tratar ossos enfraquecidos por radioterapia. Chávez foi submetido a três cirurgias relacionadas a um câncer em Cuba desde meados de 2011 e, apesar de autoridades considerarem seu último tratamento como normal após radioterapia, rumores são crescentes em uma piora na sua saúde.

Enviado para Síria fez reunião com Hillary e Lavrov nesta quinta-feira


O chanceler russo, Sergei Lavrov, e a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, reuniram-se nesta quinta-feira com o mediador internacional para a Síria, Lakhdar Brahimi, em Dublin, para tentar colocar o processo de paz da ONU de volta aos trilhos. As negociações ocorrem antes de uma reunião do grupo apoiado pelo Ocidente "Amigos da Síria", em Marrakech, na semana que vem, na qual se espera um estímulo à luta dos rebeldes para depor o presidente sírio, Bashar al-Assad. "Eles irão falar sobre um plano ou entendimento comum sobre como ir adiante", disse uma fonte sobre a reunião desta quinta-feira. Brahimi pediu às potências mundiais para discutirem uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, baseada em um acordo de junho alcançado em Genebra, para estabelecer um governo de transição, em uma tentativa de acabar com o derramamento de sangue.

Piloto tentou se ejetar antes de caça da FAB explodir na divisa entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina


O piloto da Força Aérea Brasileira (FAB) tentou se ejetar antes da aeronave da Base Aérea de Santa Maria (Basm) explodir no final da manhã desta quinta-feira, em Zortéa, na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O gaúcho André Ricardo Halmenschlager, 33 anos, estava sozinho no caça AMX e morreu no acidente. Testemunhas contaram aos peritos que, por volta das 9h30min, o caça pilotado pelo capitão aviador chocou-se com fios elétricos que passam por cima do Rio Pelotas, que separa as cidades de Zortéa e Machadinho (RS). A aeronave caiu na mata, em local de difícil acesso. O corpo do piloto foi localizado cerca de uma hora depois do acidente, em meio aos destroços e muita fumaça causada pelas explosões durante os choques. Toda a área do acidente, cujo acesso só é possível de barco, foi isolada pela Aeronáutica. Peritos estiveram no local atrás de provas que podem indicar os motivos que levaram à queda do avião. Ainda não é possível afirmar, por exemplo, se houve alguma falha mecânica.O avião havia decolado da Base Aérea de Santa Maria para um treinamento operacional, o que justificaria a baixa altura do vôo, quando bateu nos fios de alta tensão que levam a energia produzida pela Usina Hidrelétrica de Machadinho até uma subestação de Campos Novos. Com a colisão, uma das torres de ferro que sustenta a rede foi partida ao meio. Testemunhas afirmam que o avião explodiu antes da queda, pois foram ouvidos pelo menos dois fortes estrondos nas redondezas.

Paraguai seguirá suspenso do Mercosul até eleições


O Mercosul manterá a suspensão do Paraguai até a realização de eleições presidenciais, em abril do ano que vem, ratificando posição contra o governo adotada após a destituição do ex-presidente, o ex-bispo esquerdopata e priápico Fernando Lugo em um muito constitucional e legal processo de impeachment, em junho. A decisão segue os passos da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), o que mantém o Paraguai praticamente isolado na região. "Não há alteração da suspensão", disse o ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, a jornalistas após reunião de chanceleres do Mercosul em Brasília.

Presos 11 acusados de integrar a maior milícia do Rio de Janeiro


Onze pessoas acusadas de integrar o segundo escalão da milícia conhecida como Liga da Justiça, a maior em atividade no Rio de Janeiro, foram presas nesta quinta-feira durante a Operação Pandora 2, desencadeada pela Secretaria de Segurança e pelo Ministério Público estadual. Os agentes também cumpriram 30 mandados de busca. Foram apreendidos R$ 30 mil em espécie, um caminhão com combustível possivelmente adulterado, três armas, cinco veículos importados, além de grande quantidade de munição, documentos e computadores. Uma central clandestina de distribuição de sinal de TV a cabo, conhecida como "gatonet", que contava com 5 mil assinantes, foi estourada. O bando é acusado dos crimes de formação de quadrilha armada, agiotagem e extorsão. Calcula-se que as atividades ilícitas rendiam cerca de R$ 500 mil mensais à quadrilha. Entre os presos está o pastor evangélico Dijanio Aires Diniz, de 39 anos. Segundo o delegado Alexandre Capote, da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), o religioso utilizava sua igreja, em Campo Grande, na zona oeste da capital fluminense, como escritório de agiotagem da milícia: "Ele emprestava dinheiro a qualquer pessoa, mas principalmente aos seus fiéis, e depois cobrava juros extorsivos de até 60% ao mês. Quando atrasavam o pagamento de uma parcela, o próprio pastor ameaçava as vítimas de morte". A investigação, que durou um ano, também descobriu que a milícia começou a explorar uma nova atividade econômica: a venda de combustível adulterado. "Além da adulteração, os criminosos obtinham lacres falsificados de outros Estados e usavam notas fiscais frias para dar uma aparência de legalidade ao negócio. Por isso, acreditamos que os postos de gasolina que revendiam esse combustível agiam de boa-fé", explicou Capote. O delegado disse que o bando também ganhava dinheiro cobrando "taxa de segurança" de moradores, comerciantes e motoristas de transporte alternativo, detendo o monopólio na venda de botijões de gás na sua região de atuação e explorando máquinas caça-níqueis. Além do pastor, foram presos o ex-PM José Luiz Cordeiro Cavalcante da Silva, conhecido como Bolt, José Ribamar Gomes Passos, Elber Meireles Pessanha, Aline Barbosa da Silva, Antônio Claudino Ribeiro Blanco, Rhuan Claudius Martins Blanco, e Leandro José de Freitas da Silva. Outros três homens que estão presos desde maio tiveram a prisão decretada neste inquérito: o ex-PM Carlos Henrique Garcia Ramos, Luciano Alves da Silva, e Célio Alves Palmas Júnior.

Argentina e Uruguai trocarão dados sobre violações de direitos humanos


Os governos da Argentina e do Uruguai assinaram nesta quinta-feira um memorando de entendimento para trocar informações e documentos sobre as violações de direitos humanos durante o período das ditaduras militares nos dois países. De acordo com a chancelaria argentina, os governos uruguaio e argentino irão ajudar um ao outro no esclarecimento de crimes ocorridos no período. "Se trata de uma aposta na relação bilateral entre os dois países e um compromisso com a memória e a verdade", diz a nota. Os governos de Uruguai e Argentina colaboraram durante os períodos de ditadura com a troca de informações e de presos pelos regimes militares. A ditadura na Argentina começou em 1976, com um golpe que derrubou a então presidente Isabelita Perón, e terminou em 1983, com a eleição de Raúl Alfonsín. A estimativa é que até 30 mil pessoas desapareceram durante a repressão. No Uruguai, o período militar foi de 1973, quando o então presidente Juan María Bordaberry fechou o Congresso com ajuda dos militares, e terminou em 1985, quando Julio Maria Sanguinetti assumiu o governo como primeiro presidente civil após o período ditatorial.

Novo diretor-geral do Daer é empossado e promete modernizar gestão


O engenheiro Carlos Eduardo de Campos Vieira foi empossado no cargo de diretor-geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), durante o evento de interiorização do governo no salão de atos da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), em Frederico Westphalen. O substituto do arquiteto José Francisco Thormann, exonerado na semana passada, prometeu modernizar a gestão e criticou a situação do departamento. "O Daer vem passando por um processo de desqualificação da gestão", disse ele. Vieira, que era secretário de Planejamento de Canoas, enfatizou que terá uma relação próxima com o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Caleb de Oliveira, ao contrário do que ocorria entre o seu antecessor e o ex-secretário Beto Albuquerque.

Poupança registra maior captação líquida para meses de novembro desde 2009


Os depósitos em poupança superaram as retiradas em R$ 4,086 bilhões, em novembro, segundo dados do Banco Central. É a maior captação líquida para o mês desde 2009, quando o resultado ficou em R$ 4,469 bilhões. No dia 30, último do mês, foi registrada maior captação líquida de R$ 3,643 bilhões. A data marcou o término do prazo para o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário. De janeiro a novembro, a captação líquida da poupança chega a R$ 40,513 bilhões, valor recorde na série histórica do Banco Central, iniciada em 1995. Em igual período de 2011, a captação líquida da poupança havia ficado em R$ 10,596 bilhões. Em todo o ano passado, a captação líquida ficou em R$ 14,186 bilhões. O recorde na captação da poupança ocorreu mesmo após a decisão do governo de mudar as regras de remuneração da poupança. Em maio deste ano, ficou definido que sempre que a taxa básica de juros, a Selic, for igual ou menor que 8,5% ao ano, a forma de remuneração passa a ser 70% da Selic mais a taxa referencial (TR), calculada todos os dias pelo Banco Central.

Projeção da Conab aponta recuperação das principais culturas agrícolas após perdas sofridas com a seca


Com um crescimento de 30,3% em relação à safra passada, prejudicada pela seca, a colheita de grãos no Rio Grande do Sul está estimada em 27,23 milhões de toneladas para  o período 2012/2013. É o que indica o terceiro levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgado na manhã desta quinta-feira. No ano passado, o volume colhido no Rio Grande do Sul chegou a 20,89 milhões de toneladas. A soja continua como destaque, com uma previsão de produção recorde de 11,95 milhões de toneladas, acima das 11,62 milhões de toneladas colhidas em 2010/2011. No mesmo período do ano passado, sob os efeitos da estiagem, o levantamento já desenhava um cenário pessimista, com uma colheita de 9,95 milhões de toneladas, depois confirmada pela quebra que reduziu a safra para 6,52 milhões de toneladas de soja no Rio Grande do Sul. Segundo o superintendente da Conab no Estado, Glauto Melo, este levantamento começa a definir melhor o que deve ser a safra, uma vez que boa parte das culturas de verão já foram plantadas. Também devastada pela seca, a cultura do milho deve se recuperar nesta safra. A produção do grão deve chegar a 4,84 milhões de toneladas. O arroz deve manter uma produção parecida com a do ano anterior, com colheita estimada em 7,88 milhões de toneladas.

IBGE prevê safra de grãos 6,9% maior em 2013


A safra brasileira de grãos em 2013 deve ser 6,9% maior do que a safra de 2012, de acordo com o segundo prognóstico divulgado na manhã desta quinta-feira pelo IBGE. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2013 foi estimada em 173,8 milhões de toneladas, em comparação com 162,6 milhões colhidos em 2012. A área a ser colhida deve somar 51,511 milhões de hectares, um aumento de 5,4% em relação à área em 2012. Em 2013, entre os dez produtos de maior importância analisados para a próxima safra de verão, seis mostraram aumento na produção em relação a 2012, segundo o IBGE: arroz (1,3%), feijão 1ª safra (26,5%), fumo (6,9%), mandioca (2,8%), milho 1ª safra (7,4%) e soja (23,9%).
Houve estimativa de redução, entretanto para a safra de algodão (-22,5%), amendoim 1ª safra (-7,8%), batata-inglesa 1ª safra (-1,1%) e cebola (-4,0%). Quanto à área colhida em 2013, a estimativa é de aumento para o arroz (0,1%), feijão 1ª safra (18,4%), milho 1ª safra (4,6%) e soja (7,5%). Os produtos que devem ter redução na área em relação a 2012 são o algodão herbáceo (-22,4%), amendoim 1ª safra (-0,3%), batata-inglesa 1ª safra (-3,9%), cebola (-0,6%), fumo (-0,3%) e mandioca (-4,8%).

Procuradoria instaura inquérito contra projeto de Eike no Açu


O Ministério Público Federal instaurou inquérito civil público para verificar denúncia sobre a salinização do canal do Quitingute, em São João da Barra, no norte fluminense, onde está sendo construído o Porto do Açu, do empresário Eike Batista. "O processo de concentração progressiva de sais estaria ocorrendo por causa do aterro feito com areia retirada do mar, objetivando elevar a área para erguer o Distrito Industrial do Açu", disse o Ministéro Publico Federal em nota. O inquérito foi instaurado após o Ministério Público Federal receber uma representação que noticiava a existência de impacto de grande alcance gerado pelas obras de construção do Complexo Logístico Portuário do Açu. O procurador Eduardo Santos de Oliveira, responsável pela abertura do inquérito, pede que seja enviado um ofício ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para que o órgão encaminhe as licenças concedidas às empresas responsáveis pela obra.

Ex-premiê israelense Ehud Olmert não disputará eleição


O ex-líder israelense Ehud Olmert pôs um fim a semanas de suspense político nesta quinta-feira com a decisão de não concorrer contra o primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu, nas eleições de janeiro. O centrista Olmert tem considerado um retorno à cena política desde outubro, quando Netanyahu convocou a eleição depois que seu governo não conseguiu chegar a um acordo sobre o orçamento de 2013. "Ele não está concorrendo", disse seu assessor Yanki Galanti. Olmert, de 67 anos, foi forçado a renunciar como primeiro-ministro em 2008 em meio a acusações de corrupção das quais foi absolvido neste ano. Ele é internacionalmente reconhecido por buscar a paz com os palestinos. Netanyahu, apontado pelas pesquisas como provável vencedor nas urnas, está sob pressão internacional desde a semana passada após seu governo anunciar planos para ampliar os assentamentos israelenses em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia ocupada, territórios que os palestinos querem para um futuro Estado.

Dilma diz que Tesouro irá bancar queda adicional da tarifa elétrica


A presidente Dilma Rousseff assegurou nesta quinta-feira que o Tesouro Nacional irá bancar a diferença da tarifa de energia elétrica para que o percentual de queda da conta de luz no próximo ano seja o prometido pelo governo, apesar da adesão parcial das empresas de geração. Em discurso no lançamento do plano de investimento para o setor de portos, Dilma voltou a criticar as empresas que se negaram a renovar antecipadamente as concessões e a ressaltar que o País precisa de energia mais barata. "Nós tivemos não colaboradores nessa missão, e quando você tem não colaboradores, os não colaboradores deixam no seu rastro uma falta de recursos", disse a presidente. "Essa falta de recursos vai ser bancada pelo Tesouro do governo federal", acrescentou. O governo anunciou em setembro um plano de redução, em média, de 20,2% das tarifas a partir do próximo ano, que previa a renovação antecipada e condicionada das concessões elétricas que vencem entre 2015 e 2017. Mas o plano do governo foi frustrado com a recusa das empresas estatais estaduais Cesp, Cemig e Copel em aceitar a renovação das concessões. Com isso, a redução média das tarifas ficou em 16,7%. É claro, Dilma não teve qualquer respeito pela independência federativa dos Estados, e quis impor pesadas perdas às companhias estatais estaduais. Assim é fácil fazer política econômica, com o chapéu dos outros.

BNDES aprova financiamento de R$ 888 milhões para MPX de Eike Batista



O BNDES aprovou um pacote de financiamento de longo prazo de R$ 887,5 milhões para implantação da usina termelétrica Parnaíba I. A unidade tem capacidade instalada de 676 megawatts (MW). A MPX, empresa de geração de energia do grupo EBX, do empresário Eike Batista, possui 70% do projeto, e a Petra Energia, 30%.O financiamento terá prazo total de 14 anos e carência para pagamento de juros de até seis meses após o início da operação da usina. Durante a fase de construção, os juros serão capitalizados, informou a MPX. O pacote de financiamento se divide em três empréstimos diretos.O primeiro será de R$ 204,3 milhões com custo contratado de IPCA, mais TR, acrescido de taxa de 1,88% ao ano. A segunda parte será de R$ 671 milhões com custo contratado de TJLP, mais 1,88%. A terceira, por fim, a parcela de R$ 12,2 milhões com custo contratado de TJLP. Considerando o valor total financiado pelo BNDES e o investimento necessário para a implantação, a estrutura de capital do projeto será de aproximadamente 30% capital próprio e 70% dívida, afirmou a empresa em comunicado.

Brasília rende sua última homenagem a Oscar Niemeyer


Brasília recebeu nesta quinta-feira o corpo do arquiteto Oscar Niemeyer, na cidade construída há meio século, para render-lhe uma última homenagem. O caixão de Niemeyer, coberto com a bandeira brasileira, chegou em um avião da Presidência vindo do Rio de Janeiro, sua cidade natal e na qual faleceu na noite de quarta-feira, aos 104 anos, e foi recebido na Base Aérea de Brasília por uma guarda de honra militar. Após um percurso de vários quilômetros sob sol forte até o Palácio do Planalto, o caixão subiu a rampa da sede presidencial ladeado pelos Dragões da Independência, honra reservada para os chefes de Estado. Vestida de preto, a presidente Dilma Rousseff, que estava acompanhada pela viúva de Niemeyer, Vera Lucia, esperou na parte superior da rampa a chegada do corpo e aplaudiu quando o caixão do premiado arquiteto e militante comunista entrou no palácio. A governante decretou luto oficial de sete dias pela morte do arquiteto. Para Brasília, Niemeyer desenhou, entre outros, os palácios do Planalto (sede da Presidência), da Alvorada (residência oficial) e do Itamaraty, o Congresso Nacional, o Palácio de Justiça, a sede do Supremo Tribunal Federal e dos ministérios, que estão alinhados um ao lado do outro ao longo de uma esplanada, assim como a catedral. Em sua tarefa criativa, o artista teve como parceiro o urbanista Lúcio Costa, que projetou o Plano Piloto sobre o qual se traçou a capital brasileira, uma cidade que começou a ser construída no meio do nada em 1956, que foi inaugurada em 1960 e que por sua arquitetura singular foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco em 1987. Niemeyer, que exerceu a arquitetura desde 1934 quase até o final de seus dias, desenhou mais de 600 obras que estão espalhadas por diversas cidades brasileiras e de países como França, Espanha, Itália, Estados Unidos, Argélia e Arábia Saudita, entre outros.

Relator pede perda de mandato de condenados no mensalão


O Supremo Tribunal Federal começou a analisar nesta quinta-feira a possibilidade de perda de mandato dos parlamentares condenados na ação penal do Mensalão do PT, que está em julgamento na Corte. O relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, iniciou a leitura de seu voto, indicando que irá votar a favor da perda de mandato, mas contrário à prisão imediata dos condenados, sem esperar o trânsito em julgado, como deseja a Procuradoria Geral da República. "Ao ser condenado pela Justiça, inexiste espaço para o juízo político. A suspensão do mandato é efeito irreversível da sentença", disse ele. "A condenação é grave o suficiente a ponto de impedir o exercício do mandato legislativo", acrescentou.

Negociação entre Gol e ex-funcionários da Webjet é marcada para dia 12


A reunião entre governo, representantes da Gol/Webjet e ex-funcionários da companhia aérea foi marcada para a próxima quarta-feira. O objetivo do Ministério do Trabalho é intermediar o encontro que vai tratar das demissões anunciadas no mês passado. Em 23 de novembro, a Gol demitiu 850 trabalhadores, entre tripulação técnica, tripulação comercial e funcionários de manutenção de aeronaves, como parte do processo de conclusão das atividades da marca da controlada Webjet. Desde então, patrões e ex-funcionários travam um embate. O ministro Brizola Neto (Trabalho) recebeu representantes dos demitidos e mostrou preocupação com o corte na companhia aérea Webjet, comprada pela Gol em agosto do ano passado. Paulo Kakinoff, presidente da Gol, foi chamado por órgãos do governo, como a Secretaria de Aviação Civil, mas manteve a posição da empresa.

Vale está perdendo dinheiro com restrições da China a navios


A Vale está perdendo 2 ou 3 dólares por tonelada de minério de ferro com as restrições da China aos navios gigantes de transporte da commodity, os chamados Valemax, disse nesta quinta-feira um executivo da empresa. A maior produtora de minério do mundo espera autorização do governo chinês para entrada de seus mega navios nos portos chineses em 2013, disse o executivo em evento em Londres. A China é o maior comprador de minério do mundo, e principal cliente da mineradora brasileira. "A situação não é ideal", disse o diretor de Ferrosos e Estratégia da Vale, José Carlos Martins. "Agora temos de transferir o minério para navios menores no mar", afirmou Martins. A Vale decidiu encomendar os maiores mineraleiros do mundo para reduzir custos de transporte do minério de ferro considerando que a maior parte de suas exportações tem a Ásia como destino, e a distância é uma desvantagem em relação a suas maiores concorrentes, BHP e Rio Tinto, que produzem na Austrália. A China, porém, anunciou, no começo deste ano, que não permitiria a entrada dos navios. O governo chinês alegou motivos de segurança e necessidade de adequação dos portos aos novos navios, em meio à pressão da indústria naval, temerosa da concorrência da Vale, para vetar as embarcações.

Ministro ataca PSDB por questão de redução de energia


Seguindo o tom adotado pela presidente Dilma Rousseff contra a oposição, petistas atacaram os tucanos que atrapalharam os planos do Planalto de reduzir o preço da energia para a população em 20% e deixaram claro que a luta, agora, é política. "Não fomos nós que partimos para cima dos tucanos. Eles é que vieram para cima da gente. Agora é assim: bateu, levou", avisou o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. "Como é que um partido experiente como o PSDB resolve, nesse debate, ficar com o mico de ser a grande resistência à implantação do plano de redução de tarifas e um novo modelo do setor elétrico, que é fundamental para a retomada do crescimento. E pior, pega este mico e coloca no ombro de seu candidato à Presidência", ironizou o governador de Sergipe, o petista Marcelo Déda. A declaração de ambos foi dada após a cerimônia de lançamento de plano de reestruturação do setor portuário do País, quando a presidente Dilma dedicou parte de seu discurso a criticar os tucanos, pelo segundo dia seguido, mas sem citá-los. Ao prosseguir criticando os tucanos, Marcelo Déda disse que a oposição erra em seu discurso, confundindo oposição ao governo, com oposição ao País. "Deus nos ajuda mais escolhendo nossos inimigos, do que recrutando nossos amigos", comentou Déda, acrescentando que "o PSDB podia caçar onça, elefante, ou qualquer outra coisa, mas caçou um grande mico". O governador Marcelo Déda classificou a atitude do PSDB como de um partido que tem uma "visão estreita".

Com fator Aécio Neves, PMDB-MG aumenta pressão para ampliar espaço no governo


A antecipação do lançamento do nome de Aécio Neves para a disputa à presidência da República de 2014 levou integrantes do PMDB de Minas Gerais a aumentarem a pressão para ampliar os espaços dentro do governo federal e combater possíveis avanços da campanha tucana. Entre os ministérios que os peemedebistas estão de olho para fortalecer representantes de Minas Gerais está o de Transporte e o de Minas e Energia. Em meio ao descontentamento por espaços, integrantes do partido em Minas Gerais se reuniram com o vice-presidente da República, Michel Temer, no Palácio do Jaburu. Entre os que participaram do encontro estava o presidente estadual do PMDB em Minas Gerais, Antônio de Andrade. A reunião também contou com a presença do ministro petista Fernando Pimentel (Desenvolvimento), que ficou incumbido de levar as demandas da legenda à presidente Dilma Rousseff. Apesar de Pimentel servir como o porta-voz do PMDB de Minas Gerais, o clima dentro do partido é de racha uma vez que Michel Temer sinaliza para que o espaço no governo seja para o deputado Gabriel Chalita (PMDB-SP), ou seja, para um integrante do partido de São Paulo. Diante desse cenário, integrantes do PMDB de Minas Gerais já ameaçam debandar para o lado de Aécio Neves.

'Nação não aguenta mais esse julgamento', diz Barbosa ao criticar Lewandowski


A idéia de rever os valores das multas aplicadas pelo Supremo Tribunal Federal aos condenados do Mensalão do PT, proposta pelo revisor do processo, Ricardo Lewandowski, provocou um novo mal-estar nesta quinta-feira entre ele e o relator e presidente do tribunal, Joaquim Barbosa.
O relator disse que a medida apresentada por Lewandowski vai atrasar o final do julgamento, arrastará o processo para fevereiro e ironizou o cálculo do colega. A partir do próximo dia 20, o Supremo entra em recesso e só retoma os trabalhos em fevereiro. "Eu acredito que a nação não aguenta mais este julgamento. Está na hora de acabar", cobrou Barbosa. O relator reclamou após Lewandowski começar a apresentar sua reavaliação das multas. Barbosa questionou se ele trataria de todos os 25 condenados ou só dos casos em que seu voto prevaleceu. "Com essa sistemática adotada pelo ministro Lewandowski, analisando cada um dos réus, pouco importando se seu voto prevaleceu, invadiremos em fevereiro", disse. "Eu procurei, como relator desse caso, ser o mais claro e transparente possível. Distribui meus votos em todas as votações e no final, quando está encerrando, o tribunal volta a se debruçar sobre alterações matemáticas", disparou Barbosa. No começo da sessão, o revisor afirmou que reformaria seu voto em relação às multas para corrigir distorções. As sanções aplicadas somam R$ 22,373 milhões, em valores ainda sem correções. Lewandowski disse que era preciso revisar as multas para evitar questionamentos das defesas. "Se adotarmos critérios objetivos, claros, evitaremos embargos declaratórios". Barbosa, então, rebateu: "os advogados estão aí para isso, são pagos para isso". O ministro Marco Aurélio Mello ainda aproveitou para alfinetar Barbosa que tinha cobrado o fim do processo. "Não estamos correndo contra o relógio, não pode haver pressa nessa fase importantíssima. Devemos marchar com a mais absoluta segurança". O ministro apresentou aos colegas uma tabela propondo valores máximos e mínimos para as multas, proporcional à pena de prisão. Ele citou o caso do ex-presidente do PT José Genoíno que teria recebido uma multa equivalente duas vezes ao seu patrimônio. Ele foi condenado a 6 anos e 11 meses pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa, além do pagamento de R$ 468 mil. Outro situação é a multa de Ramon Hollerbach, de R$ 2,79 milhões, maior do que a de Valério, seu ex-sócio de R$ 2,72 milhões. "Há uma discrepância muito grande, os dias-multa variam de 11 a 1.093", justificou Lewandowski. Barbosa ironizou a regra adotada pelo colega. "Posso estar enganado, mas ouvi vossa excelência aplicar uma regra de três. Isso não é possível para fixação da multa. O critério fundamental é a condição financeira. Então, nós não podemos estabelecer essa proporcionalidade. Isso foi levado em conta nas propostas de multa que eu fiz e que foram acolhidas aqui".