domingo, 28 de outubro de 2012

GOVERNO FORTUNATI ESCONDE VIAGEM PARA TRATAR DO LIXO DURANTE MAIS DE UM ANO

Fortunati e Tutikian, em reunião em Lima

O governo José Fortunati (PDT), na prefeitura de Porto Alegre, escamoteou durante mais de um ano a viagem a Lima, no Peru, do seu secretário para Negócios Especiais, Edemar Tutikian. Essa viagem ocorreu no período de 6 de agosto de 2011 a 8 de agosto de 2011. Mas, só na última terça-feira, 23 de outubro de 2012, um ano e dois meses depois, o gabinete do prefeito José Fortunati mandou publicar no Diário Oficial de Porto Alegre o ato autorizativo para esta viagem, com o seguinte conteúdo: "AUTORIZA EDEMAR MOREL TUTIKIAN, 1047450, Gestor A CC, a afastar-se de suas funções para participar de reunião em Lima, Peru, representando-o, para acompanhar comitiva composta de membros do DMLU e da SMAM, com o objetivo de realizar visita técnica sobre serviços integrados de limpeza urbana (coleta, capina e varrição), conservação de parques e monumentos, visando adotar as melhores práticas nesta área para qualificação da cidade na realização da Copa das Confederações e Copa do Mundo 2014, de 06/08/2011 a 08/08/2011, em Lima, no Peru, com ônus para o município, com base no artigo 32, inciso II, da Lei Complementar n° 133 de 31/12/1985, através da Portaria  355  de 19/10/2012 (processo 001.029441.11.0)". No dia 19 de junho de 2012, o governo de José Fortunati realizou a audiência pública prévia à licitação para contratação dos serviços de limpeza pública. A audiência pública foi comandada pelo secretário da Fazenda, Roberto Bertoncini (fiscal do ICMS da Secretaria da Fazenda do Estado do Rio Grande do Sul, cedido). Edemar Tutikian fazia parte da mesa. Eu, jornalista Vitor Vieira, editor do blog Videversus (http://poncheverde.blogspot.com), perguntei sobre essa viagem, seus objetivos e resultados, e tive a palavra cassada pelo secretário Roberto Bertoncini, rispidamente, o qual assegurou que esse assunto nada tinha a ver com o tema da audiência pública. Conforme se verifica agora pela publicação ordenada pelo prefeito José Fortunati que, ao contrário do que disse Bertoncini, tinha tudo a ver, sim, com o objeto da audiência pública. Ou seja, Edemar Tutikian foi a Lima, no Peru, por ordem do prefeito José Fortunati, para fazer "visita técnica sobre serviços integrados de limpeza urbana (coleta, capina e varrição), conservação de parques e monumentos, visando adotar as melhores práticas nesta área para qualificação da cidade na realização da Copa das Confederações e Copa do Mundo 2014, de 06/08/2011 a 08/08/2011". Eu estava na audiência pública em busca de fatos atinentes à licitação para contratação de serviços de limpeza pública. Eu não menti. Quem mentiu então naquela audiência pública? Mas, o Diário Oficial do Município de Porto Alegre, nessa mesma segunda-feira, não publicou somente aquele ato retroativo (e põe retroativo nisso.....) referente à viagem a Lima de um ano e dois meses atrás. Publicou também um segundo ato retroativo, referente a outra viagem feito pelo secretário de Negócios Especiais, Edemar Tutikian, também para Lima, no Peru. Esta segunda viagem aconteceu no período de 26 de maio de 2012 a 29 de maio de 2012. Desta vez ele acompanhou o prefeito José Fortunati, que também viajou a Lima. A íntegra do despacho publicado na edição da última terça-feira do Diário Oficial de Porto Alegre é a seguinte: "EXECUTIVO PESSOAL - Portarias - Gabinete do Prefeito - Protocolo: 50807 - AUTORIZA EDEMAR MOREL TUTIKIAN, 1047450, Gestor A CC, a afastar-se de suas funções para participar de reunião em Lima, Peru, para tratar do projeto de implantação da Central de Tratamento de Resíduos Sólidos em Porto Alegre, objetivando modernizar o setor com vistas à Copa do Mundo 2014, de 26/05/2012 a 29/05/2012, em Lima, no Peru, com ônus para o município, com base no artigo 32, inciso II, da Lei Complementar n° 133 de 31/12/1985, através da Portaria   356 de  19 /10/2012 (processo 001.006245.12.9)". Aí tem algo muito estranho, que deve ser objeto de investigação pelo Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul. Está explítico no documento público que ele foi a Lima, junto com o prefeito José Fortunati (conforme se verifica pela fotografia que acompanha esta matéria, publicada no site da prefeitura de Lima), para "tratar do projeto de implantação da Central de Tratamento de Resíduos Sólidos em Porto Alegre, objetivando modernizar o setor com vistas à Copa do Mundo 2014". Que central é essa? De que tipo? É um aterro sanitário? Se for, Porto Alegre não tem área para colocar aterro sanitário para receber as 1.300 toneladas diárias de lixo que produz. Foi tratar da instalação da usina para queima do lixo e geração de energia elétrica, sobre a qual o governo de José Fortunati já emitiu um decreto, declarando a sua intenção de desapropriar área privada onde hoje se localiza o aterro da zona norte, na altura da cabeceira norte da pista do aeroporto internacional Salgado Filho? Se foi a Lima para tratar deste assunto, a instalação da usina de queima de lixo e geração de energia elétrica, então com quem ele foi tratar na capital peruana? Afinal, a administração municipal de Lima não tem usina de queima de lixo e geração de energia elétrica. Ao contrário, tem dois tradicionais e muito ortodoxos aterros sanitários, ao sul e norte da capital de mais de 10 milhões de habitantes, que recebe todo o lixo coletado diariamente. Mas, tem uma coisa muito instigante: sabem quem coleta, transporta e coloca o lixo nos aterros sanitários em Lima? É a empresa Relima, irmã gêmea da empresa Revita, que faz a coleta em Porto Alegre. Ambas pertencem ao grupo Solvi, dono também da empresa Vega, muito conhecida dos brasileiros. Em Lima, a Relima tem uma concessão pública de 15 anos, renováveis por mais 15. Ela já está no segundo período. Em Porto Alegre, a Revita está agora entrando no terceiro contrato semestral emergencial, sem licitação, sempre com reajuste de preço. Nesse caso, por uma dedução absolutamente lógica, José Fortunati e seu secretário do Gabinete de Assuntos Especiais, estariam em Lima para "tratar do projeto de implantação da Central de Tratamento de Resíduos Sólidos..." com a Relima (ou Grupo Solvi), porque não teriam absolutamente nada a tratar com a prefeitura de Lima, que não tem absolutamente nada a ensinar para a prefeitura de Porto Alegre. Ah..... aliás, a prefeitura da capital peruana só teria uma coisa a ensinar a Fortunati e Edemar Tutikian, sobre como montar uma concessão pública reunindo todos os serviços em apenas uma licitação. Será que, uma vez em Lima, no Peru, Fortunati e Edemar Tutikian aproveitaram e se inteiraram do gigantesco escândalo envolvendo a Relima (Grupo Solvi), e a administração do ex-prefeito Luis Castañeda Lossio, conhecido como Caso Comunicore, referente ao desvio de mais de 25 milhões de reais dos cofres da prefeitura de Lima. Clique no link a seguir para saber sobre o Caso Comunicore, http://www.mafiadolixo.com/2012/06/caso-comunicore-no-peru-repercute-em-porto-alegre/ ,  e também neste outro link http://www.mafiadolixo.com/2012/06/ex-prefeito-de-lima-e-indiciado-pela-justica-no-processo-do-caso-comunicore-que-trata-do-desvio-de-135-milhoes-de-dolares-dos-cofres-publicos/  Tanto na primeira, como na segunda viagem que fez a Lima, Edemar Tutikian poderia ter se inteirado do processo criminal instaurado contra o ex-prefeito Luis Castañeda Lossio, ex-candidato à presidência do Peru, que foi instaurado em 14 de janeiro de 2011. Na mesma ação estão indiciados ex-funcionários do município de Lima, Alonso Perez Rhodes (gerente de Serviços de Gestão), Juan Garcia Blest (gerente Finanças), e diretores da empresa RELIMA, entre outros, sob a acusação de peculato e conluio contra o Estado. É este modelo de gestão exemplar que o prefeito Fortunati e Edemar Tutikian foram buscar em Lima, no Peru? O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, deve saber que a publicação tão retardada dos atos autorizativos das viagens de Edemar Tutikian a Lima, no Peru, ainda não esgotou o assunto. O primeiro ato publicado no Diário Oficial da última terça-feira refere-se a uma "comitiva composta de membros do DMLU e da SMAM". Videversus tem a informação de que o também secretário municipal Luiz Fernando Zachia, titular da Secretaria do Meio Ambiente (ex-deputado estadual, ex-presidente da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, ex-presidente do PMDB de Porto Alegre) também integrou essa comitiva, e se desconhece que tenha saído ato publicado autorizativo de sua viagem, o que é uma exigência legal imprescindível. Luiz Fernando Zachia é réu na ação civil pública de improbidade administrativa (processo  nº 2009.71.02.002693-2 (RS) / 0002693-27.2009.404.7102), movida pelo Ministério Público Federal, ajuizada no dia 5 de agosto de 2009, que tramita na 1ª Vara Federal e Justiça Especial Federal Criminal de Santa Maria, ao encargo da juíza Simone Barbisan Fortes. Zachia tem como parceiros réus nesse processo o deputado federal José Otávio Germano (PP), o deputado estadual Frederico Cantori Antunes (PP) e o ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, João Luiz Vargas. Clique aqui para ler sobre o caso   Luiz Fernando Zachia é um dos padrinhos políticos de parte da diretoria que está no DMLU (Departamento Municipal de Limpeza Urbana). Ele é diretor responsável pela indicação do Superintendente de Operações, Adelino Lopes Neto, seu colega também no Conselho do Internacional. O diretor da Divisão de Limpeza e Coleta (DLC), Oswaldo Cauduro de Souza, também é ligado a Luiz Fernando Zachia. Ele foi tesoureiro do Diretório Municipal do PMDB em Porto Alegre durante a gestão de Zachia. Cauduro também foi tesoureiro de campanha eleitoral a vereador de Sebastião Melo, eleito agora vice-prefeito de Porto Alegre. Ou seja, o DMLU tem uma gestão do lixo ligada ao PMDB. O diretor geral do PMDB, coronel brigadiano reformado Mário Fernando dos Santos Moncks, foi colocado no cargo durante o primeiro governo de José Fogaça, e teve grande influência para a sua indicação o todo-poderoso (na época) secretário de Infraestrutura da prefeitura da capital gaúcha na época, Clóvis Magalhães. Mario Moncks está afastado da direção geral do DMLU desde dezembro do ano passado, quando teve uma crise cardíaca e passou por cirurgia para implantação de válvula. De lá até agora, o DMLU está sendo dirigido pelo seu colega Carlos Vicente Bernardoni Gonçalves, também coronel reformado da Brigada Militar. Nos últimos dois anos, esta gestão peemedebista exacerbou no completo descalabro no DMLU. Escamoteou todas as denúncias de que havia uma iminência de colapso na prestação do serviço de coleta de lixo na capital, diante do evidente processo falimentar da empresa Qualix/Sustentare. Quando ficou evidente que havia a falência, eles viajaram a Lima para os entendimentos com o Grupo Solvi. Em dezembro do ano passado, após alguns dias de caos em Porto Alegre, devido à falta de coleta de lixo, começou a Revita a fazer o serviço, sem licitação, com um contrato emergencial. O Ministério Público Estadual deu, em dezembro do ano passado, um prazo de 30 dias para que o governo Fortunati, em janeiro de 2012, lançasse o edital da licitação do lixo. Passaram-se mais de seis meses e o governo José Fortunati não deu a menor bola para o assunto. Nesse intervalo, abriu a licitação para a capina da cidade (contrato de 70 milhões de reais, que estava com a empresa Delta, de Fernando Cavendish). Esta licitação foi suspensa por ordem judicial. Na metade do ano, depois de receber um ultimato do Ministério Público,  o governo de José Fortunati realizou a audiência pública da licitação do lixo. Mais de 60 dias depois, lançou o edital, viciado, que foi também brecado na Justiça. Agora, o governo Fortunati ostenta o lastimável recorde de realizar oito contratos emergenciais, sem licitação, na área de limpeza pública. Isto pode ser chamado de gestão? Para ler o documento oficial que atesta este descalabro, clique aqui.

Oscar Niemeyer recebe alta no Rio de Janeiro


O arquiteto Oscar Niemeyer, de 104 anos, recebeu alta, no sábado, alta do Hospital Samaritano, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde estava internado há duas semanas com um quadro de desidratação. Niemeyer já está em casa com a família. O arquiteto foi internado no dia 13 de outubro após sentir-se mal e deixou o hospital no sábado. De acordo com a assessoria de imprensa de Niemeyer "ele está muito bem, em casa, se recuperando e bebendo muita água, por recomendação médica". Niemeyer esteve internado pela última vez no mesmo hospital em maio, quando deu entrada com desidratação e pneumonia. Depois de 16 dias, com passagem pela UTI, recebeu alta. Em abril de 2011, o arquiteto ficou internado por 12 dias por causa de uma infecção urinária. Também já foi submetido a cirurgias para a retirada da vesícula e de um tumor no intestino. O arquiteto, reconhecido internacionalmente por suas obras, completará 105 anos no dia 15 de dezembro.

Gustavo Fruet é eleito prefeito de Curitiba


O candidato do PDT, Gustavo Fruet, foi eleito prefeito de Curitiba neste domingo. Ele venceu Ratinho Jr (PSC) no segundo turno da eleição municipal. Ele havia sido o segundo colocado no primeiro turno do pleito, mas reverteu a vantagem do adversário, obtendo a maioria dos votos válidos. Com 100% das urnas apuradas, Gustavo Fruet recebeu 60,65% dos votos, ou 597.200 eleitores. Ratinho Jr, por sua vez, recebeu 387.483 votos, totalizando 39,35%. Ou seja, Fruet tratorou Ratinho Jr. Questionado se a população de Curitiba compreendeu as propostas de Fruet para Curitiba, ele afirmou que sim, e que já começou a dialogar com lideranças como o atual prefeito Luciano Ducci. Gustavo Fruet nasceu em Curitiba no dia 18 de abril de 1963. O prefeito eleito de Curitiba se graduou em Direito, com mestrado e doutorado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), exercendo posteriormente mandatos como vereador de Curitiba e deputado federal. Este será o primeiro cargo de Fruet no Poder Executivo. Ele começou a carreira política sendo eleito vereador em 1996 pelo PMDB, cadeira que ocupou por dois anos. Às vésperas das eleições de 1998 ele assumiu a candidatura do pai, o ex-prefeito de Curitiba, Maurício Fruet, que faleceu enquanto concorria a deputado federal. Foi eleito com 45.929 votos. Ainda pelo PMDB, renovou o mandato, em 2002, com 105.166 votos, migrando para o PSDB em 2005. Pelo novo partido foi reeleito em 2006 com a maior votação entre os deputados federais do Paraná, 210.674 votos. Fruet foi ainda candidato a uma cadeira no Senado da República em 2010, mas terminou em terceiro lugar e não se elegeu, com 2.502.805 votos. Ele trocou o PSDB pelo PDT em 2011, sob alegação de falta de espaço para construir uma candidatura do partido à prefeitura de Curitiba. A mudança de partido e a aliança estabelecida com o PT, que indicou a vice-prefeita eleita, Mirian Gonçalves, foi alvo de ataque dos concorrentes de Fruet durante a campanha. As investidas vieram em um primeiro momento do atual prefeito Luciano Ducci (PSB), que contou com o apoio do PSDB e classificou a mudança do pedetista como “incoerente”, em referência à atuação oposicionista de Fruet no Congresso Nacional. O prefeito eleito rebateu as críticas reforçando que a aliança com o PT se deu em virtude de afinidades “programáticas”, e sustentando que foi “traído” pela direção do PSDB.  Ducci, contudo, ficou de fora do segundo turno da eleição em Curitiba, com 26,77% dos votos válidos. Fruet ficou pouco a frente, com 27,22%, disputando o segundo turno contra o candidato do PSC, Ratinho Jr, que fez 34,09%.

Eduardo Leite, do PSDB, vence eleição em Pelotas com folga


Candidato do PSDB venceu as eleições em Pelotas com 57,15% dos votos, contra 42,85% destinados ao seu adversário, Fernando Marroni (PT). Diante de milhares de pessoas, o prefeito eleito de Pelotas, Eduardo Leite (PSDB), comemorou a vitória nas eleições na Avenida Bento Gonçalves, tradicional ponto de encontro da cidade do sul do Estado. Acompanhado da vice, Paula Mascarenhas (PPS) e do deputado federal Nelson Marchezan Jr (PSDB), ele discursou para os eleitores que celebravam o resultado das urnas.

Em Florianópolis, mais de 30% dos eleitores não votaram em nenhum dos candidatos


Os percentuais de votos brancos, nulos e abstenções tem crescido nas eleições municipais de Florianópolis. Na eleição deste domingo, o Tribunal Regional Eleitoral registrou que 65.596 pessoas deixaram de votar, o que representa 30,67%. Os votos nulos somaram 25.548 e os brancos chegaram a 7.884 votos. Os percentuais mostram que estes dados têm crescido. Neste ano, as abstenções foram 20,32%, contra 17,8% cravados na última eleição municipal, em 2008. Quatro anos antes, 17,7% dos eleitores não votaram. Somados, brancos e nulos também têm crescido. Uma fatia de 12,99% dos eleitores não escolheram Gean ou Cesar para comandar Florianópolis a partir de 2013. Em 2008, esse percentual era de 9,15%.

PCdoB E SEU LADO FEMININO É VARRIDO NAS ELEIÇÕES PARA CAPITAIS NO BRASIL


O velho e stalinista PCdoB resolveu dar uma de moderninho nas últimas eleições. E lançou três candidaturas femininas a capitais brasíleiras, achando que, assim, poderia conquistar votos. Em Porto Alegre, todo mundo sabe o tamanho do fiasco que foi o resultado eleitoral obtido pela deputada federal comunista Manuela D'Ávila. O fiasco se repetiu em Florianópolis, com a deputada estadual comunista Angela Albino. Ela sequer passou para o segundo turno. O PCdoB catarinense achou que bastaria dominar o movimento estudantil, provocar uma série enorme de paralisações dos ônibus em Florianópolis, perturbando a vida das administrações municipais, para se credenciar ao governo. Levou um pontapé..... E também no Amazonas, o PCdoB levou agora, no segundo turno, um tremendo pontapé no traseiro, com a acachapante derrota de sua estridente senadora Vanessa Grazziotin. Ela se prestou ao papel de desafiante de Arthur Virgílio para atender aos desejos de vingança de Lula contra o antigo líder da oposição ao seu governo. Enfim, o PCdoB teve uma lição acachapante sobre o papel da sabujice em política.

Cesar Jr. é eleito prefeito de Florianópolis


Cesar Junior, do PSD, é o novo prefeito de Florianópolis. Com 100% das seções eleitorais apuradas, Cesar Jr. recebeu 52,64% dos votos válidos, derrotando seu adversáriol Gean Loureiro, do PMDB, que obteve 47,36% dos votos. O PSD em Santa Catarina é uma criação da dinastia dos Bornhausen. Gean Loureiro recebeu o apoio no segundo turno da candidata comunista derrotada, deputada estadual Angela Albino (PCdoB).

Petista Marcus Alexandre é eleito prefeito de Rio Branco

Em uma eleição muito equilibrada, Marcus Alexandre (PT) venceu Tião Bocalom (PSDB) e será o prefeito de Rio Branco, no Acre, pelos próximos quatro anos. O candidato petista teve 90.557 votos (50,77%) contra 87.818 (49,23%) do tucano. A diferença entre os dois candidatos foi de 2.739 votos, de um total de 178.375 votos válidos.

Artur Virgílio conquista a prefeitura de Manaus


Ao obter 603.483 votos (65,95% do total), o ex-senador tucano Artur Virgílio conquistou mais do que a eleição a prefeito de Manaus. Sua vitória representa uma nova base para o PSDB. Com a derrota em São Paulo, os tucanos passaram a considerar a eleição na capital do Amazonas, a sexta maior do País, como a mais importante para o partido este ano. Arthur Virgílio ainda venceu a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, que se engajaram pessoalmente na campanha derrotada da senadora Vanessa Grazziotin (PCdo B). Os dois foram a Manaus para participar de comícios da aliada. Abater o tucano era um dos principais projetos de Lula que, em discurso, disse que apoiaria até um candidato desconhecido contra o antigo desafeto. Arthur Virgílio foi um dos mais contundentes opositores no Congresso ao governo do ex-presidente. Vanessa teve irrisórios 311.607 votos (34,05% do total). O PCdoB teve suas candidaturas femininas varridas em todo o País. Além de Manaus, perdeu em Porto Alegre e Florianópolis. Dois anos depois de perder a reeleição ao Senado justamente para Vanessa, o novo prefeito de Manaus obtém sua revanche e volta a ser um importante quadro da oposição na política nacional. O tucano já declarou que vai propor uma reunião nacional de seu partido depois do pleito para fazer um balanço dos resultados e reformular partes do discurso político da legenda. Após o anúncio oficial, Arthur Virgílio fez um longo discurso em que anunciou uma reforma administrativa no município e informou que procuraria a presidente Dilma no início de fevereiro para formalizar parcerias em projetos de infraestrutura, como a construção de BRTs (linhas expressas de ônibus articulados). "Os palanques acabaram. Ela tinha o dela, nós tínhamos o nosso. Aqui no Amazonas ganhou o nosso. Não quer dizer nada para ela, que até mexeu em pontos a favor para a candidata dela. Provou prestígio aqui em Manaus. Mas decisões na cidade são tomadas pelo povo de Manaus", disse o prefeito eleito. Apesar da sinalização da disposição para um convívio harmonioso com o governo federal, Arthur Virgílio não perdeu a oportunidade para alfinetar os adversários. Pouco antes de votar, ao comentar o favoritismo apontado pelas pesquisas, o tucano disse que sua vitória representaria a independência de Manaus e que a cidade estava "acima de mandonismos e caciquismos". Artur Virgilio anunciou o economista Rodemarck Castelo Branco como coordenador da equipe de transição. Disse ainda Artur Virgilio que mais quatro nomes irão compor a equipe, mas disse que eles serão anunciados depois de uma análise mais rígida com o seu vice, Hyssa Abrahão. A equipe deverá ser apresentada completa somente no dia 10 de novembro. Dentro de 90 dias, Artur Virgilio anunciou que vai realizar uma auditoria para ver qual a verdadeira situação da prefeitura.

Com 100% da apuração em São Paulo, o petista Haddad alcança 55,57%


Com 100% das urnas apuradas, o segundo turno da eleição na cidade de São Paulo mostrou que o prefeito eleito, Fernando Haddad (PT), somou 3.387.720 votos, ou 55,57%, enquanto o candidato do PSDB, José Serra, obteve 2.708.768 votos, ou 44,43%. Do total de 6.896.290 votos, os válidos somaram 6.096.488, ou 88,40%. Votos em branco somaram 299.224 (4,34%) e nulos, 500.578 (7,26%). O segundo turno na capital paulista foi marcado por um elevado índice de abstenção, uma vez que praticamente 20% do eleitorado não votou. Mais precisamente, as abstenções chegaram a 1.722.800 (19,99%). O número superou o do primeiro turno, quando as abstenções foram de 1.592.722, ou 18,48% do eleitorado de 8.619.170.

PT vence em João Pessoa e PSDB em Campina Grande


O deputado estadual Luciano Cartaxo (PT) foi eleito prefeito de João Pessoa com 246.581 votos (68,13%). O adversário Cícero Lucena (PSDB), obteve 115.369 votos (31,87%). Cartaxo foi o candidato proporcionalmente mais votado do Brasil em porcentual. Ele liderou toda a disputa na capital paraibana e confirmou o resultado da última pesquisa do Ibope, com 72% das intenções de voto. A vitória de Cartaxo representa na verdade a derrota para o esquema político do governador Ricardo Coutinho (PSB), que não conseguiu colocar sua candidata, Estela Bezerra (PSB), no segundo turno. Em Campina Grande, a segunda maior cidade da Paraíba, o deputado federal Romero Rodrigues (PSDB) foi eleito com 129.414 votos (59,10%). Ele derrotou a ex-secretária de Saúde do município, a médica Tatiana Medeiros, que obteve 89.543 votos (40,90%). Rodrigues também liderou todas as pesquisas eleitorais e tem o apoio do senador Cássio Cunha Lima, que indicou seu irmão, Ronaldo Cunha Lima Filho, como candidato a vice. Tatiana Medeiros é protegida do prefeito Veneziano Vital do Rêgo e do senador Vital do Rêgo Filho, ambos do PMDB.

PSDB vence em Taubaté


Ortiz Júnior, do PSDB, apoiado pelo governador Geraldo Alckmin, é o novo prefeito de Taubaté (SP) com avassaladores 62,92% dos votos válidos e vai governar a cidade com maioria na Câmara de Vereadores. PSDB e PT travaram a batalha do segundo turno na cidade com 215.151 eleitores. O petista Isaac do Carmo ficou com apenas 37,08% dos votos válidos e teve como seu principal cabo eleitoral o ex-presidente Lula, que visitou a cidade na última quinta-feira e atraiu míseros três mil para o último comício do candidato petista. O candidato eleito deve governar com folga no apoio político. Onze dos 19 vereadores eleitos fazem parte da bancada tucana. O índice de abstenção no segundo turno na cidade foi de 20,45% em Taubaté, ou seja, 44,008 mil eleitores deixaram de votar.

Petista Donisete Braga é eleito prefeito de Mauá (SP)


Com 100% das seções apuradas, Donisete Braga (PT) foi eleito prefeito de Mauá (SP), com 57,14% dos votos válidos. Ele disputou com Vanessa Damo (PV), que obteve 42,86% dos votos válidos. Pela quantidade de votos alcançados pela sua opositora, de um partido inexpressivo, já dá para antever que ele não terá vida fácil.

ACM Neto derrota candidato petista de Lula e Dilma em Salvador


Antonio Carlo Magalhães Neto (DEM) foi eleito prefeito de Salvador neste domingo, derrotando com folga o petista Nelson Pelegrino, depois de uma disputa bastante acirrada nas últimas semanas. ACM Neto alcançou 53,6% dos votos válidos, contra 46,4% de Pelegrino. ACM Neto é herdeiro político de seu falecido avô, o ex-senador e ex-ministro Antônio Carlos Magalhães, liderança que dominou a política baiana por décadas e que "criou" o verbete político "carlismo".

Vereador paulista compara Serra a Churchill e nega fim da carreira política


O vereador eleito Floriano Pesaro (PSDB-SP) negou na noite deste domingo a tese de que a derrota de José Serra (PSDB-SP) para Fernando Haddad, candidato do PT e novo prefeito eleito de São Paulo, signifique o fim da carreira política do tucano e comparou o tucano ao ex-primeiro-ministro britânico Winston Churchill, para dizer que ainda restam muitos anos de vida pública ao concorrente derrotado. "Imagina. Não existe isso, fim da carreira, em política. Ele mesmo tem que ser prudente suficiente para não entrar nessa. Não tem mais essa de idade. O Churchill foi primeiro-ministro com mais de 80 anos. Acho precoce acreditar que o Serra vai sair da vida pública", argumentou. Pesaro ainda disse que Serra não queria se candidatar à prefeitura de São Paulo e afirmou que o PSDB "deve" ao tucano por isso: "Ele não queria se candidatar. Ele tomou a decisão depois de conversas com várias lideranças. O Serra deu uma resposta positiva ao partido e o partido deve isso a ele também". Por causa dessa "dívida" com Serra, o vereador também falou que o ex-prefeito "pode ser o que ele quiser" no PSDB. Além disso, Pesaro defendeu que o candidato é "fortíssimo" para disputar uma vaga no Senado em 2014: "Ele é fortíssimo para o Senado. Ele pode ser qualquer coisa. O Serra pode ser o que ele quiser no partido".

PSB elege prefeito de Duque de Caxias


O prefeito eleito de Duque de Caxias, Alexandre Cardoso (PSB), destaca duas prioridades nos primeiros dias de governo. Ele vai centrar esforços na melhoria do sistema de saúde, que leva os moradores a recorrer a hospitais de outras cidades, e no sistema de coleta de lixo, que é caótico desde o fechamento do aterro sanitário de Gramacho. Alexandre Cardoso obteve 230.549 votos, equivalente a 51,51% do total válido, e venceu Washington Reis (PMDB), que recebeu 217.004 votos, ou 48,49% do total. Cardoso, que é médico, disse que vai investir no Programa de Saúde da Família para aumentar a cobertura de equipes a pelo menos 60% da população. Cardoso venceu o adversário por 13.545 votos, sendo que em alguns momentos da apuração a diferença caiu para cerca de 6 mil votos. Duque de Caxias tem 855 mil moradores, uma renda per capita de cerca de R$ 37 mil, por abrigar uma grande refinaria da Petrobras, mas ocupa apenas a 52ª posição, entre os 92 municípios fluminenses, no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) estadual.

PSOL vence em Macapá com Clécio Luís


Em Macapá, o PSOL derrotou o grupo que assumiu o poder em 2002 e teve seus caciques presos na Operação Mãos Limpas, em 2010, acusados de desviar cerca de R$ 1 bilhão dos cofres públicos. Em uma disputa acirrada, Clécio Luís (PSOL) venceu Roberto Góes (PDT), que concorria à reeleição, por pouco mais de 1% dos votos válidos. Clécio Luís disse que o povo escreveu neste domingo uma nova página da história. Agradeceu e prometeu que não envergonhará Macapá, em uma referência ao prefeito Roberto Góes que foi preso na Operação Mãos Limpas. O senador Randolfe Rodrigues (PSOL) considerou que o povo tomou a decisão de fazer a reconstrução da cidade e reafirmou que se escreve uma nova página na história política da capital amapaense, onde o que era descrença se transformou em fé e desesperança deu lugar a esperança. Isso é uma tremenda bobagem. Essa cidade e esse Estado são os mesmos que elegem e reelegem o senador José Sarney.

Prefeita se reelege em Ribeirão Preto


A prefeita Dárcy Vera (PSD) foi reeleita para um novo mandado à frente da prefeitura de Ribeirão Preto (SP), com 51,97% (155.265) dos votos válidos. Ela derrotou Duarte Nogueira (PSDB), que obteve 48,03% (143.516). Esta prefeita era do PSDB, mas foi rechaçada por seu partido. A diferença entre os candidatos alcançou 11.749 votos. O município se destaca no País pela produção de álcool e açúcar, e também porque foi governada pelo petista Antonio Palloci e seu turma. Dárcy Vera é jornalista e tem 45 anos. Foi radialista, apresentadora e produtora de televisão. Começou a vida política como vereadora de Ribeirão Preto em 1995. Dárcy Vera se reelegeu por mais três vezes para o mesmo cargo na cidade. Em 2006, foi eleita deputada estadual. Um ano depois, em 2008, foi eleita a primeira mulher prefeita de Ribeirão Preto. O Produto Interno Bruto (PIB) da cidade, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), chegou a R$ 14,7 bilhões em 2009. O destaque é o setor terciário, formado por serviços e comércio (R$ 10,5 bilhões). O setor agrícola contribuiu menos para a riqueza de Ribeirão Preto (R$ 41 milhões).

São Paulo regista a maior abstenção histórica do eleitorado


O segundo turno da eleição para prefeito de São Paulo neste domingo teve o maior índice de abstenção desde a primeira eleição municipal após a ditadura, em 1988, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. Até as 20 horas, 1.642.298 eleitores não votaram, o equivalente a 19,96% do eleitorado. Resumindo, um quinto do eleitorado mandou as eleições às favas, simplesmente desconheceu que havia eleições e não apareceu para votar. O eleitor já sabe que a multa é irrisória para quem não vota e não nem aí para eleições, candidatos, partidos políticos. O recorde anterior havia sido no primeiro turno deste ano, com 18,48% do eleitorado. Ou seja, de um turno para outro, aumentou mais a abstenção. Antes das eleições de 2012, o máximo de abstenção registrado foi no segundo turno de 1996, com 18,11%. Na época, havia 6.765.407 eleitores na cidade de São Paulo. Hoje, são 8.619.170 pessoas com domicílio eleitoral na capital. Isso quer dizer que, em números absolutos, cada vez mais gente deixa de votar. Até 1996, não havia urna eletrônica em todos os municípios do Brasil, e os índices de abstenção são mais fiéis a partir das votações para prefeito em 2000, quando todas as cidades do País passaram a contar com a tecnologia.

Menina paquistanesa Malala Yousafzai atacada pelo talibã continua se recuperando na Inglaterra


O Paquistão se levantou após o ataque contra a jovem Malala Yousafzai pelos talibãs, o que constitui virada para o país, declarou o pai da garota, Ziauddin Yousafzai, após visitar a menina no hospital Birmingham. "Quando ela caiu, o Paquistão se levantou e o mundo também. Este foi um ponto de virada", considerou Yousafzai, que chegou na quinta-feira no Reino Unido acompanhado por sua esposa e dois filhos, de 8 e 12 anos. O pai de Malala, que visitou a filha de 15 anos na noite de quinta-feira, afirmou que seu estado de saúde "melhora a uma velocidade encorajadora". "Estamos muito felizes. Ela recebe o tratamento certo no lugar certo na hora certa. Quando a vimos na noite passada, choramos de alegria", acrescentou ele. Há alguns dias, Malala conseguiu ficar de pé com a ajuda da equipe médica pela primeira vez desde o atentado. Ela também está se comunicando com algumas notas por escrito, segundo o médico encarregado de seu tratamento. Malala foi baleada em um ônibus escolar no antigo reduto talibã do Vale do Swat na semana passada como punição por defender os direitos das meninas à educação, em um ataque que revoltou o mundo. Mensagens de apoio de admiradores e ativistas dos direitos humanos foram deixadas no site do hospital, a maioria delas elogiando sua campanha e rezando por sua recuperação. Doações para seu tratamento, que está sendo financiado pelo governo do Paquistão, estão sendo repassadas ao Hospital Queen Elizabeth. Malala é conhecida no exterior por seu blog, hospedado no site da BBC, no qual denuncia os atos de violência cometidos pelos talibãs no Vale de Swat, onde chegaram a tomar o poder entre 2007 a 2009. No ano passado, a adolescente recebeu o primeiro Prêmio Nacional da Paz criado pelo governo paquistanês e foi indicada ao prêmio internacional de Crianças para a Paz da fundação Kids Rights. Malala foi ferida por tiros no dia 9 de outubro, em Mingora, a principal cidade do Vale de Swat (noroeste do Paquistão) por homens armados que pararam o ônibus escolar em que ela estava. O Talibã reivindicou a autoria do atentado contra Malala.

Justiça determina interdição parcial da penitenciária de Montenegro


Um dos maiores presídios do Estado do Rio Grande do Sul foi parcialmente interditado na manhã de sexta-feira. A Penitenciária Estadual de Montenegro, no Vale do Caí, não poderá receber novos detentos até que comprove que está adequando seu sistema de esgoto. Atualmente o presídio tem 1,2 mil detentos, sendo que a capacidade seria para 476. Um novo módulo, que deve ser concluído no próximo mês, iria atenuar a superlotação, mas a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) projetava transferir presos do Presídio Central para o local. Até que a Susepe realize obra para readequar o sistema de esgoto, nenhum preso entrará pelos portões da penitenciária, incluindo as possíveis transferências de presos de Porto Alegre. A conclusão da Justiça é de que o sistema atual está poluindo o meio ambiente, levando uma grande carga orgânica para arroios e também para o Rio Caí. Os problemas que resultaram na interdição do presídio foram constatados pelo Ministério Público em 2008. Naquela ocasião, a penitenciária chegou a ser parcialmente interditada por um ano. Um acordo foi firmado na Justiça, em que o governo do Estado se comprometia a realizar obras de limpeza das lagoas de decantação, construir uma nova lagoa, e fazer uma manutenção nas bombas que levam o esgoto até as estações de tratamento.

Jovens detidos por invadir e furtar residências em Jurerê Internacional ganham liberdade


Depois de cinco dias presos, os cinco jovens que invadiam e furtavam casas em Jurerê Internacional, em Florianópolis, estão em liberdade. O grupo indiciado por formação de quadrilha em inquérito conduzido pelo delegado Eduardo Mattos da Central de Plantão Policial do Norte da Ilha, ganhou liberdade provisória em decisão da 3a Vara Criminal de Florianópolis. Felipe Willian Cardozo Gonçalves, 24 anos, Fernando Roberto Pavan Júnior, 26 anos, Guilherme Vanderlei Nunes, 22 anos, Marcel Motter, 23 anos e Victor Cardoso Soares da Silva, 19 anos, foram detidos no último sábado, dia 20, em operação da CPP Norte. As investigações sobre o grupo começaram há cerca de um mês quando o delegado Mattos recebeu imagens do sistema de segurança de Jurerê Internacional. As imagens mostram pessoas saindo de um Palio prata, entrando e saindo de uma das casas furtadas carregando prancha, sacolas e mochila. Os cinco são suspeitos de furtar pelo menos dez residências em Jurerê Internacional. Enquanto os proprietários dormiam, eles invadiam as casas e furtavam bebidas importadas, eletrônicos e outros objetos de valor.

Líder da Al-Qaeda convoca muçulmanos a sequestrar ocidentais


O líder da rede islamita Al-Qaeda, Ayman al Zawahiri, convocou os muçulmanos a sequestrar ocidentais e pediu aos egípcios que reiniciem sua revolução para estabelecer a lei islâmica, informou na sexta-feira o grupo de inteligência SITE.  "Convoco os muçulmanos a capturar cidadãos dos países que conduzem guerras contra os muçulmanos", disse Al Zawahiri, segundo vídeo publicado em fóruns jihadistas e traduzido pelo serviço americano. Chamando de corrupto o governo egípcio, cujo presidente é membro da Irmandade Muçulmana, o líder da Al-Qaeda disse que no Egito está sendo travada uma batalha entre uma minoria laica e muçulmanos que buscam a aplicação da lei corânica. "A batalha não terminou, acaba de começar", disse Al Zawahiri, pedindo a "toda pessoa sincera no Egito" para "fazer uma campanha popular" para "completar a revolução, que foi abortada". Al Zawahiri, médico egípcio que substituiu o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, quando foi morto, em maio de 2011, disse que os muçulmanos egípcios querem ver seu governo livre da influência americana e a vitória dos palestinos sobre Israel. O líder da Al-Qaeda também atacou o presidente americano, Barack Obama, chamando-o de "mentiroso profissional" e exigindo que admita sua derrota no Iraque, Afeganistão e norte da África.

Desde setembro, cinco apagões já ocorreram no País


O apagão que atingiu os nove Estados da região Nordeste e áreas de Tocantins, Pará e Distrito Federal foi o quinto de uma série de falhas no fornecimento que teve início em setembro. Para Márcio Zimmermann, ministro interino de Minas e Energia, os recentes acontecimentos não podem ser considerados normais, ainda mais por estarem acontecendo em sequência. "Eventos como esses não são normais e a coincidência, então, é que é mais anormal ainda. Isso é que esta sendo avaliado. Nós estamos com uma equipe de técnicos que vão lá em Colinas, do ONS, da Aneel. Deslocamos uma equipe para a subestação de Colinas, para verificar in loco", afirmou Zimmermann na manhã de sexta-feira. O apagão começou às 23h14m de quinta-feira (0h14m de sexta-feira no horário de Brasília). Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), quatro horas depois do ocorrido, 70% das cargas haviam sido restabelecidos. Na manhã de sexta-feira, a energia já havia voltado em todos os locais afetados. O ONS também informou que o isolamento do Nordeste provocou desligamento total das cargas da região, onde vivem 53 milhões de pessoas. Na região Norte, houve desligamento de 3.400 MW, ou 77% da carga total. A capital do Pará, Belém, não foi afetada porque foi suprida pela hidrelétrica de Tucuruí.

Defesa alega "valor social" de José Dirceu na tentativa de reduzir pena


Em novo memorial encaminhado ao Supremo, a defesa do ex-ministro da Casa Civil, o corrupto quadrilheiro José Dirceu apelou ao passado político do petista para buscar reduzir a pena a ser estabelecida pelos ministros do tribunal. José Dirceu foi condenado por corrupção ativa e formação de quadrilha. José Luis Oliveira Lima, advogado do petista José Dirceu, argumenta no documento que seja considerada a vida pregressa do réu e que se considere como atenuante atitudes de "relevante valor social", como prevê o Código Penal. O memorial cita a participação de José Dirceu no movimento estudantil, seu enfrentamento contra a ditadura militar, sua prisão e banimento do País, a fundação do PT e eleição para vários mandatos parlamentares. "A análise dos fatos relevantes da vida de José Dirceu se inicia na década de 60, quando era um dos líderes do movimento estudantil na luta contra um regime político violentíssimo, que desrespeitava inúmeras garantias individuais e fazia uso da tortura", diz o documento. E conclui: "Independentemente de qualquer valoração política ou ideológica, é fato incontestável que José Dirceu atuou por décadas em prol de importantes valores de nossa sociedade, participando corajosamente do movimento estudantil que lutava contra o regime militar, atuando com destaque na fundação de relevante partido político e, ainda, exercendo mandatos parlamentares com grande comprometimento e reconhecimento". No caso da corrupção ativa, a defesa reivindica a pena mínima de um ano, prevista no Código Penal, antes da vigência da lei nova, de novembro de 2003 sobre esse tipo de crime. Pela lei "velha", a pena vai de 1 a 8 anos. Pela "nova", é previsto para corrupção ativa pena de 2 a 12 anos. A defesa de José Dirceu diz que todos os fatos envolvendo o petista teriam ocorrido e, se encerrado, em 2003, entre agosto e setembro, quando foram votadas as reformas da Previdência e a Tributária. "A denúncia afirma taxativamente que todos os parlamentares já estavam corrompidos nos dias 27/08/2003 e 24/09/2003. Essas datas, conforme acusação aceita por esta Corte, ilustram o apoio político prestado após o aludido oferecimento da vantagem indevida".

José Dirceu vai ter que sequestrar um embaixador, se quiser fugir. De novo.


Do jornalista Reinaldo Azevedo - O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pediu nesta semana ao Supremo Tribunal Federal que determine a apreensão dos passaportes dos condenados no processo do mensalão. A medida, preventiva, tem como objetivo de evitar que os réus fujam do País para escapar da prisão. O Supremo já sinalizou que fixará penas severas para os condenados a serem cumpridas em regime inicialmente fechado. Operador do esquema, o publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza recebeu penas cuja soma é de 40 anos, 1 mês e 6 dias de prisão. Para o sócio dele Ramon Hollerbach o Supremo estabeleceu por enquanto penas num total de 14 anos, 3 meses e 20 dias. O desejo de Gurgel é que os réus condenados sejam presos imediatamente após a proclamação do resultado do julgamento do Mensalão do PT, que não tem previsão para acabar. No entanto, o procurador-geral reconhece que dificilmente o tribunal determinará as prisões imediatas. A praxe da Corte é esgotar todos os recursos para, só então, expedir os mandados de prisão. Para evitar fugas, o procurador-geral pediu a apreensão de passaportes. Segundo pessoas próximas a ele, Gurgel começou a pensar na iniciativa ao saber, no mês passado, que um dos réus do processo, o ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, estava na Itália desde julho, mesmo já tendo sido condenado pelo Supremo. Mas Pizzolato retornou ao Brasil às vésperas do primeiro turno da eleição municipal. Mesmo com o retorno de Pizzolato, Gurgel quer se precaver para evitar episódios como a fuga do ex-banqueiro Salvatore Cacciola, que é italiano e fugiu para sua terra natal para escapar do risco de prisão após ter sido processado por crime contra o sistema financeiro. Cacciola somente foi extraditado para o Brasil depois de ter viajado para Mônaco.

Soja responde por mais de 35% da área cultivada e continua com o maior valor da produção agrícola

A Produção Agrícola Municipal (PAM), pesquisa que o IBGE divulgou na sexta-feira, constatou que a soja, mais uma vez, foi a cultura com o maior valor da produção, respondendo por 25,7% do valor total da produção agrícola brasileira de R$ 195,6 bilhões, verificado em 2012. A produção de soja, em valores, ficou em R$ 50,3 bilhões. Em seguida, vêm a cana-de-açúcar, que respondeu por 20,1% do valor total (ou R$ 39,2 bilhões); e o milho, com 11,4% (R$ 22,2 bilhões). Em 2011, ano-base da pesquisa, a cultura da soja bateu mais um recorde de produção, com 74,8 milhões de toneladas produzidas em uma área de 24 milhões de hectares, um aumento de 8,8 milhões de toneladas em relação a 2011 e de 3% em relação à área plantada. Na avaliação do IBGE, os produtores expandiram as áreas cultivadas de soja, em detrimento principalmente do milho primeira safra, que é cultivado na mesma época, “atraídos por melhores preços e facilidades de comercialização”.

Produção de milho em 2011 fica estável em relação a 2010


Os dados relativos à Produção Agrícola Municipal 2011 (PAM), divulgados na sexta-feira pelo IBGE, indicam que a produção de milho cresceu apenas 0,5%, ficando praticamente estável em relação à produção de 2010. Ainda assim, a área plantada sofreu uma redução de 4,7% (617.803 hectares), dando lugar principalmente à soja, já que os preços da cultura não estavam atrativos na época do plantio da primeira safra, ao contrário do preço internacional da soja. A redução da área cultivada de milho, no entanto, foi compensada por uma melhor produtividade, devido às boas condições climáticas. Já na implantação da segunda safra, a conjuntura econômica melhorou com a redução dos estoques internacionais, a quebra da safra norte-americana e o aumento das exportações brasileiras, o que incentivou os produtores que aumentaram a área de plantio, avaliou o IBGE. O instituto, no entanto, constatou que houve, pontualmente, uma redução de rendimento em algumas localidades, registrada na segunda safra. Apesar da estabilidade da produção de 2010 para 2011, o aquecimento do mercado, com o aumento da demanda externa, proporcionou um crescimento no valor da produção de 46,4%.

Arrecadação federal cai e fica em R$ 78,2 bilhões em setembro


A arrecadação federal em setembro ficou em R$ 78,215 bilhões, com queda de 1,08%, descontada a inflação oficial pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), na comparação com o mesmo período do ano passado. No acumulado de janeiro até setembro deste ano, a arrecadação federal totalizou R$ 751,791 bilhões, com crescimento de 1,19%, também levando em conta o IPCA e em comparação com igual período de 2011. De acordo com a Receita Federal, o resultado deve-se principalmente ao pagamento de débitos em atraso e à antecipação de parcelas de dívidas do parcelamento especial previsto na Lei n° 11.941/2009. A redução na lucratividade das empresas em relação ao ano de 2011 impediu um crescimento mais expressivo no acumulado do ano. Segundo a Receita, a arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) apresentou redução real de R$ 5,8 bilhões, com queda de 15,49% ante 2011. A arrecadação vem perdendo fôlego e crescendo menos ao longo deste ano, o que levou o governo à revisão das previsões de crescimento.

Operações de crédito chegam a R$ 2,2 trilhões


O saldo das operações de crédito do sistema financeiro chegou a R$ 2,237 trilhões, em setembro, com alta de 1,1% no mês e 15,8%, em 12 meses. Em relação a tudo o que o País produz, o saldo ficou em 51,5%, ante 51,2% em agosto deste ano e 47,4% de setembro de 2011. “A greve dos bancários e o menor número de dias úteis, quatro a menos que em agosto, contribuíram para a redução das concessões de crédito em setembro, afetando, em particular, as contratações do segmento livre a pessoas físicas”, diz relatório do Banco Central. Os empréstimos com recursos direcionados, informa o Banco Central, “seguiram apresentando crescimento mais expressivo, mantendo-se os ritmos de expansão do financiamento habitacional e do crédito rural”.

Produção de cana-de-açúcar registra menor crescimento dos últimos seis anos


A produção brasileira de cana-de-açúcar registrou, em 2011, a menor expansão dos últimos seis anos, tendo crescido apenas 2,3% em relação a 2010. Os dados fazem parte da pesquisa Produção Agrícola Municipal (PAM), divulgada na sexta-feira pelo IBGE. A produção total de cana-de-açúcar do País ficou em 427.364.854 toneladas, resultado apenas 0,2% maior do que o verificado na safra de 2010. No Estado de São Paulo, a área colhida apresentou um crescimento de 4,4% (219.207 hectares). O rendimento médio, no entanto, caiu 4%, diminuindo de 85.543 quilos por hectare (kg/ha) para 82.093 kg/ha, de 2010 para 2011. O Estado continua sendo o maior produtor nacional de cana-de-açúcar, respondendo por 58,2% da produção do País. Na avaliação do IBGE, a desaceleração do crescimento da cultura do produto deve-se à falta de chuvas regulares nas principais regiões produtoras do Brasil, situação registrada a partir do segundo semestre de 2010, estendendo-se, posteriormente, de abril a setembro de 2011. Ainda segundo o IBGE, a falta de renovação dos canaviais no momento adequado e a diminuição da quantidade de insumos aplicados, devido à descapitalização dos produtores, agravou a queda de produtividade dos canaviais, que fechou 2011 em menos 3,3%. Para o IBGE, a queda no ritmo de crescimento da produção e uma maior destinação de cana para a produção de açúcar e também para a produção de álcool anidro (produto que é misturado à gasolina) levaram a uma redução na oferta de álcool hidratado, que é comercializado diretamente nas bombas dos postos de combustíveis.

Grupo de trabalho vai coordenar desligamento da TV analógica e implantação do sistema digital


O Ministério das Comunicações determinou na sexta-feira a formação de um grupo de trabalho para coordenar o desligamento da televisão analógica e a implantação da transmissão digital no País. De acordo com portaria publicada no Diário Oficial da União, o grupo deverá concluir o trabalho em um ano. O Plano de Desligamento da Televisão Analógica deverá ser encaminhado para consulta pública em até 60 dias. Entre as atribuições do grupo estão a elaboração de um cronograma de desligamento do sistema de transmissão analógica, a realização de testes pilotos e ações relativas à cobertura e à recepção do novo sistema. Também deverá haver a divulgação do desligamento e ações de atendimento ao cidadão. O grupo deverá seguir diretrizes como o acesso de famílias de baixa renda à televisão digital, a comunicação adequada à população dos eventos relativos ao desligamento da televisão analógica, o aproveitamento eficiente do espectro e as oportunidades para a indústria nacional. O Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre (SBTVD-T) foi implantado em 2006. A previsão do governo é que o sistema analógico seja desligado totalmente em 2016.

Coppe inaugura primeira fábrica de polímeros nanos do Brasil para beneficiar o tratamento da esquistossomose


A pós-graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ) inaugurou na sexta-feira a primeira fábrica de nanopolímeros do Brasil para aplicação nas áreas médica, biotecnológica e farmacêutica. As primeiras cápsulas vão armazenar o medicamento Praziquantel que trata a esquistossomose, doença que atinge 200 milhões de pessoas em todo o mundo e, no Brasil, é endêmica e aflige 8 milhões de pessoas, sobretudo, crianças. Cada cápsula é mil vezes menor que um fio de cabelo. A nova tecnologia vai permitir que o medicamento entre no organismo humano, transportado por uma cápsula que irá diminuir o tamanho do remédio e que será aberta apenas no local exato onde deve agir contra a doença. De acordo com o professor de engenharia química da Coppe e coordenador dos laboratórios e da fábrica, José Carlos Pinto, o aprisionamento evita que grande parte do remédio se perca no caminho, no estômago e no fígado, antes de atacar os parasitas. Com isso, os nanopolímeros vão diminuir o tamanho do remédio e a dosagem diária (que depende do peso do paciente). “Com a pílula, o medicamento acaba sendo absorvido pelo organismo e uma parte se perde. Como as bolinhas protegem o produto que promove a cura da doença, você acaba podendo tomar doses menores e a eficiência é muito maior.” Além disso, segundo ele, o nanoencapsulamento do Praziquantel será muito útil no tratamento das crianças, pois mascara o sabor ruim do remédio e facilita a ingestão. “O gosto amargo faz com que algumas crianças rejeitem o remédio. A pílula é muito grande e em alguns casos provoca ânsia de vômito. Então, como o remédio está protegido, ele não entra em contato direto com a língua e, como as bolinhas são muito pequenas, elas são apresentadas em forma de um pozinho, a solução pode ser espalhada na água ou no suco e a criança pode beber em uma solução sem gosto". Atualmente, o tratamento consiste em aplicações orais de doses diárias de 20 a 60 miligramas/quilo (mg/kg). No mercado são encontradas dosagens de 150, 500 e 600 mg. Uma criança de 3 anos com cerca de 20 quilos, no estado mais grave da doença, precisa ingerir 1.200 mg de Praziquantel diariamente. Nos dias atuais, os comprimidos são muito grandes e amargos. O projeto conta com a parceria da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com recursos de R$ 11 milhões por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Com uma área de 740 metros quadrados, a fábrica e mais seis laboratórios estão localizados no Laboratório de Engenharia de Polimerização da Coppe. A meta da fábrica é produzir 100 quilos de materiais micro e nanométricos diariamente. A previsão é de que os testes em animais comecem no ano que vem e que, em 2014, o medicamento comece a ser testado em humanos. Ainda segundo José Carlos, a fábrica também poderá desenvolver produção de filtros solares avançados que hoje não são comercializados porque têm substâncias que afetam o mecanismo hormonal. “As nanopartículas vão funcionar como uma espécie de filme que aprisiona o filtro solar e possibilita a proteção dos raios solares e impede que ele entre no organismo pela pele.” Futuramente, a fábrica também produzirá em escala industrial micropartículas de polímeros para tratamento de câncer, por meio da técnica da embolização, que entope os vasos sanguíneos que alimentam os tumores e mata o tecido doente.

Especialistas advertem para o número excessivo de presos provisórios no Brasil


O número excessivo de presos em situação provisória, ou seja, sem que estejam definitivamente condenados pelo trânsito em julgado do processo, comprova que prevalece no Brasil uma “lógica do encarceramento”, segundo a opinião de especialistas reunidos no seminário Prisão Provisória e Seletividade, realizado na sede do Conselho da Justiça Federal, em Brasília. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça, organizador do evento junto com o Ministério da Justiça e a Rede Justiça Criminal, quatro de cada dez presos são mantidos encarcerados no Brasil sem julgamento definitivo, equivalentes a 40% da população carcerária brasileira, que é de aproximadamente 500 mil detentos. Os dados apresentados durante o seminário apontam que muitos dos crimes praticados por encarcerados em prisão cautelar não oferecem grave ameaça à sociedade, a exemplo de pequenos furtos, depredação de patrimônio e brigas, entre outros. “Há no Brasil, um excessivo número de presos provisórios. É preciso oferecer instrumentos diversos à prisão para aqueles casos em que ela não é necessária”, observou o coordenador da Secretaria de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Luiz Antônio Bressane. Desde julho de 2011, com a Lei 12.403/11, os juízes têm novas opções, chamadas medidas cautelares, além da prisão preventiva, para afastar ameaças à condução do processo criminal. A lei determina também que a prisão provisória só deva ser realizada em caráter excepcional. Entre as medidas alternativas oferecidas pela lei estão a prisão domiciliar, o monitoramento eletrônico e a proibição de viajar. Contudo, estes instrumentos não vêm sendo utilizados pela maioria dos magistrados. Na avaliação do secretário de Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça, Flávio Caetano, é preciso construir um pacto interinstitucional pela melhoria do sistema carcerário brasileiro. “A situação é realmente muito ruim. Precisamos, em conjunto, buscar condições de aplicar a nova lei e avaliar se ela tem contribuído para reduzir a banalização do uso da prisão provisória no País”.

Assassinato de desembargador provoca aumento da sensação de insegurança em Niterói


Apesar de as estatísticas criminais indicarem redução da violência, o assassinato do desembargador aposentado Gilberto Fernandes na última quinta-feira, em  Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, voltou a provocar aumento da sensação de insegurança. A opinião é do presidente da OAB de Niterói, Antonio José Barbosa da Silva. O presidente da OAB disse que a cidade de Niterói experimenta aumento de “assaltos, roubo de automóveis e ação de pivete”, embora as estatísticas do Instituto de Segurança Pública do governo do Estado do Rio de Janeiro demonstrem queda do número de crimes violentos (homicídio, lesão corporal e tentativa de homicídio). “A cidade está relaxada. Há falta de material humano na polícia, que está voltada para a cidade do Rio de Janeiro. Os ladrões, que não são bobos, migram para Niterói”, acredita ele. Segundo Silva, a cidade perdeu efetivo policial para a capital, que foi  contemplada com ações de pacificação em comunidades consideradas entre as mais violentas. “A prioridade é sempre o Rio. De fato, a criminalidade lá é dez vezes maior por causa do tráfico, só que os bandidos acabaram vindo para cá. Niterói também tem comunidades carentes para eles se abrigarem e, aqui, eles têm que sobreviver, vender drogas, montar o tráfico”, disse o advogado.

AGU irá recorrer contra suspensão de salários de ministros


A Advocacia-Geral da União está preparando o recurso contra a liminar da Justiça Federal em Passo Fundo, que determinou a suspensão do pagamento dos salários de 11 ministros, que ultrapassam o teto constitucional do funcionalismo público federal, de R$ 26,7 mil. A decisão prevê a suspensão em até dez dias. Para que o salário dos ministros não extrapole o limite, o juiz titular da 2ª Vara Federal em Passo Fundo, Nórton Luís Benites, responsável pela decisão, também proibiu o exercício remunerado de funções em organizações estatais, em caso de acúmulo com os cargos ocupados nos ministérios. O recurso será apresentado pela Advocacia Geral da União nos próximos dias e vai manter a mesma linha da defesa inicial, no sentido da legitimidade da ocupação concomitante dos cargos sob o argumento de que “a retribuição pelo exercício de função em conselho de entidade de direito privado guarda um caráter próprio, correspondente à retribuição de representação”. A Lei Federal 9.292, de 12 de julho de 1996, que trata da remuneração dos membros dos conselhos de administração e fiscal das empresas públicas e das sociedades de economia mista federais, assim como das demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União, diz no Artigo 119 que “o servidor não poderá exercer mais de um cargo em comissão”. Já o parágrafo único do Artigo 9º prevê que “não se aplica à remuneração devida pela participação em conselhos de administração e fiscal das empresas públicas e sociedades de economia mista, suas subsidiárias e controladas, bem como quaisquer empresas ou entidades em que a União, direta ou indiretamente, detenha participação no capital social”. A liminar cita os ministros Celso Amorim (Defesa), Miriam Belchior (Planejamento), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Guido Mantega (Fazenda), Helena Chagas (Secretaria de Comunicação Social da Presidência), Marco Antonio Raupp (Ciência, Tecnologia e Inovação), Paulo Bernardo (Comunicações), Paulo Sérgio Passos (Transportes), Tereza Campello (Desenvolvimento Social), Wagner Bittencourt (Secretaria da Aviação Civil) e Luis Inácio Adams (AGU). Na decisão, constam ainda o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Participações (Bndespar), a BR Distribuidora, a Brasil Cap, a Brasil Prev, as Centrais Elétricas Brasileiras (Eletrobras), a Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba), a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), a Petrobras Biocombustíveis, a Petróleo Brasileiro S/A e a Usina Hidrelétrica de Itaipu. O Ministério Público Federal apoiou a suspensão dos salários. Para o Ministério Público Federal, a atuação dos ministros nos conselhos consultivos das estatais é um artifício usado com a finalidade de proporcionar remuneração acima do teto constitucional para o alto escalão do governo.

Policiais civis do Distrito Federal decidem continuar com a greve que já dura 65 dias


Os policiais civis do Distrito Federal, os mais bem pagos do País, decidiram na sexta-feira, em assembléia em frente ao Palácio do Buriti, continuar com a greve iniciada em 23 de agosto. A categoria votou pela continuidade do movimento e marcou nova assembléia para o dia 1º de novembro, às 8 horas, em frente ao prédio da Câmara Distrital. Os policiais reivindicam do governo aumento salarial de 28%, reestruturação da carreira, plano de saúde subsidiado e a transformação ou renomeação do cargo de agente penitenciário, incluindo-o no quadro da Polícia Civil.

Petrobras fecha terceiro trimestre do ano com lucro líquido de risíveis R$ 5,5 bilhões


Depois de fechar o segundo trimestre do ano com um prejuízo de R$ 1,3 bilhão, o pior resultado dos últimos 14 anos, a Petrobras fechou o terceiro trimestre do ano com um lucro líquido risível de R$ 5,56 bilhões. Com o resultado, o lucro líquido acumulado, nos primeiros nove meses do ano (janeiro a setembro), ficou em R$ 13,43 bilhões, 52% inferior ao do mesmo período de 2011 e refletindo a depreciação cambial. O terceiro trimestre também ficou 12,1% abaixo do resultado de igual período do ano passado, mas 36% maior do que o prejuízo verificado no trimestre imediatamente anterior. Em comunicado divulgado ao mercado, a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, avalia que a reversão do resultado em relação ao trimestre anterior “está relacionada aos reajustes nos preços da gasolina e do diesel, feitos em junho e julho deste ano que somaram, respectivamente, 7,83% e 9,94%, ao aumento da produção de diesel das refinarias da empresa, ao menores gastos com baixas de poços secos ou subcomerciais e à estabilidade cambial”. As informações indicam que a utilização da capacidade nominal das refinarias brasileiras atingiu 98%, com maximização da produção de diesel. Houve aumento de 2% na carga fresca processada e recorde de processamento no dia 12 de agosto, quando a carga total processada foi 2 milhões e 101 mil barris por dia.

Petrobras admite que produção de petróleo e gás natural caiu 1% nos primeiros nove meses do ano


A produção total de petróleo e gás natural da Petrobras no Brasil e no Exterior atingiu, entre janeiro e setembro deste ano, comparativamente aos primeiros nove meses de 2011, a média diária de 2 milhões e 592 mil barris de óleo equivalente (petróleo e gás natural), volume 1% inferior ao produzido no mesmo período de 2011. Segundo o balanço financeiro da empresa, no Brasil, a produção total de petróleo isoladamente diminuiu 2% na comparação com mesmo período do ano anterior, alcançando 1 milhão e 980 mil de óleo equivalente. A redução foi causada pelas paradas operacionais e ao declínio natural da produção. Já a produção de gás natural aumentou 5% em virtude do crescimento da produção nos campos da Bacia de Santos (Uruguá-Tambaú e Mexilhão). Mas, na comparação entre o segundo e o terceiro trimestre de 2012, a produção total de petróleo e líquido de gás natural (LGN) caiu 3%, reduzida em 66 mil barris de petróleo por dia, devido a paradas programadas que “duraram mais tempo que o esperado, problemas operacionais que impactaram especialmente o mês de setembro, além do declínio natural da produção (57 mil barris de petróleo por dia). A empresa, porém, trabalha com a expectativa de recuperação da produção de óleo e LGN no Brasil no quarto trimestre de 2012.

Advogada brasileira é reeleita para o Subcomitê de Prevenção Contra a Tortura das Nações Unidas


A advogada brasileira Maria Margarida Pressburger, que atua na área de defesa dos direitos humanos no País, foi reeleita para o Subcomitê de Prevenção da Tortura das Nações Unidas. Presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ, ela também é conselheira da Comissão de Reparação Política do Estado.  A reeleição de Maria Margarida foi elogiada pelo governo do Brasil. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República destacaram a atuação de Maria Margarida na defesa e preservação dos direitos humanos no Brasil. “As credenciais da atuação de Margarida Pressburger em diversas iniciativas de direitos humanos, seu engajamento na campanha pelo Direito à Memória e à Verdade, bem como seu recente mandato no Subcomitê de Prevenção à Tortura, respaldam sua importante missão na prevenção da tortura e de tratamentos cruéis e desumanos nos ambientes de privação de liberdade”, diz a Secretaria de Direitos Humanos.

DEM atribui apagão a aparelhamento de cargos pelo PT


O presidente do DEM, senador José Agripino (RN), responsabilizou o aparelhamento dos cargos públicos pelo governo do PT pelos apagões ocorridos no País. Em nota divulgada na sexta-feira, Agripino Maia lembrou que, desta vez, a falta de energia atingiu o Nordeste e o Norte. “A origem do novo apagão de Dilma está no abandono da meritocracia pelo governo do PT, nas estatais e na ocupação desenfreada e inconsequente de cargos estratégicos por critérios exclusivamente partidários”, acusa. Na avaliação do partido Democratas, a desorganização das empresas de energia nos governos petistas “fragiliza a manutenção e a operação do sistema”. “Some-se a isso a falta de investimento”, acrescenta. A nota lembra que os apagões ocorreram em várias regiões do Brasil, onde as estatais operam no limite da capacidade. “O alívio de carga não funciona. É o retrato do desprezo pela qualidade técnica”, reitera. “Esses apagões não acontecem por causas naturais ou simples falhas, como procura sistematicamente justificar o governo do PT. Há o uso das empresas estatais de forma irresponsável pelo governo”, afirma a nota. O texto destaca ainda que a sequência de fatos lamentáveis de suprimento de energia elétrica de Norte a Sul no Brasil decorre de um marco regulatório defeituoso que minimizou novos investimentos no setor. “Esse marco foi proposto e pessoalmente defendido pela então ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, hoje presidente da República”, lembra ainda a nota do DEM. O deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP) anunciou que pedirá a realização de audiência pública na Câmara dos Deputados para debater a “sequência de apagões”. “Quando incidentes como esse acontecem com frequência, fica evidente a fragilidade do sistema”, disse o deputado, que é membro da Comissão de Minas e Energia da Câmara. Ele lembra que, em pouco mais de um mês, o Nordeste foi atingido por dois apagões de grande proporção.

Os apagões de Dilma – Cuidado com a cabeça, ministro!!!


Após o segundo apagão de grandes proporções em pouco menos de um mês – e o quarto apenas no segundo semestre do ano, o ministro interino de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, afirmou na sexta-feira que a sequência de apagões não é normal, e que o sistema elétrico brasileiro vem perdendo a confiabilidade. Na madrugada de sexta-feira, um apagão atingiu todos os nove Estados do Nordeste e ainda parte da região Norte do País. Segundo Zimmermann, suspeita-se que a origem do problema tenham sido falhas nas subestações de Colinas (TO) e Imperatriz (MA). Técnicos foram enviados aos locais para investigar o problema. “São eventos que ocorreram em sequência”, disse o ministro. “Não são normais. A coincidência, então, não é normal”, completou ele. Zimmermann destacou que o sistema elétrico brasileiro é um dos maiores do mundo, mas tem registrado “diminuição de confiabilidade”. De acordo com Zimmermann, houve falhas no banco de capacitores das duas subestações. Segundo ele, desde a madrugada técnicos do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico e do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) passaram a acompanhar o assunto. A linha de transmissão que apresentou problemas é operada pela empresa Taesa. No começo da tarde, o Operador Nacional do Sistema (ONS) confirmou que o apagão foi provocado por um curto-circuito. Nota da ONS informa que o apagão começou às 0h14 no segundo circuito da linha de transmissão em 500 kV Colinas-Imperatriz, que faz parte da interligação entre os sistemas Sul/Sudeste/Centro-Oeste e Norte/Nordeste. “O defeito foi eliminado pela atuação das proteções de retaguarda da subestação Colinas, que resultou no desligamento de oito circuitos de 500 kV a ela conectados”, diz o texto. Nas capitais nordestinas, Salvador, Recife, Fortaleza, Natal e São Luiz, o abastecimento começou a ser restabelecido mais de três horas depois da interrupção. O problema, segundo o ONS, teve início à 0h14 (de Brasília) na Bahia, Paraíba e Pernambuco, mas as concessionárias indicam que a pane começou pouco depois das 23 horas, já que os estados do Nordeste não fazem parte do horário de verão. Segundo a Coelce, companhia elétrica do Ceará, houve uma “ocorrência de grande porte no sistema interligado nacional” que afetou o Nordeste e parte da região Norte. Pelo Twitter, a concessionária informou que suas equipes estavam trabalhando para restabelecer o fornecimento de energia o mais rápido possível. Na Bahia, onde todo o Estado ficou sem luz, a assessoria da companhia de eletricidade local (Coelba) confirmou o problema no sistema interligado nacional, do Operador Nacional de Sistema Elétrico. Segundo a concessionária, a Bahia deixou de receber energia elétrica para fazer a distribuição. Na Paraíba, o apagão também afetou todas as cidades desde as 23h30 (0h30 em Brasília), informou a Energisa, concessionária de energia elétrica do Estado. O presidente da empresa, Marcelo Rocha, comunicou ao governo do Estado que a Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco) não tinha previsão para o problema ser solucionado. Em Pernambuco, a concessionária Celpe também não deu prazo para normalização do abastecimento de energia, o que só começou a acorrer no meio da madrugada. O apagão de sexta-feira é o segundo de grandes proporções que atinge o Nordeste nos últimos 35 dias. Em 22 de setembro, segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS), um problema na subestação de Imperatriz, no Maranhão, causou a suspensão do fornecimento de energia elétrica em parte da região. Em 3 de outubro, outro apagão afetou cidades das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte. Por ao menos meia hora, a pane atingiu regiões do Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Acre e Rondônia, além de cidades no Centro-Oeste.  Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico, o problema foi causado por um incêndio em um transformador da subestação de Furnas, em Foz do Iguaçu, no Paraná. A pane no equipamento causou diminuição da carga de Itaipu, o que levou à perda de 3.500 megawatts dos 60.000 produzidos pela usina. Furnas, no entanto, negou a responsabilidade pelo problema.

Justiça suspende a entrega de vistos americanos


A Justiça Federal de São Paulo suspendeu a entrega de passaportes com visto americano em todo o Brasil. A liminar foi concedida em favor dos Correios, sob alegação de que as empresas contratadas pelo Departamento de Estado Americano para prestar o serviço estariam quebrando o monopólio da estatal na entrega desse tipo de documento. A medida afeta uma média de 4 mil pessoas por dia que solicitam visto americano no País. A orientação dos Consulados para quem tem entrevista agendada para os próximos dias, entre 29 de outubro e 1º de novembro, é remarcar para datas posteriores. Quem não puder será atendido normalmente. A Embaixada americana afirma que está tentando encontrar uma "solução temporária" para a entrega dos passaportes e deu prazo até 1º de novembro. Desde abril, os passaportes com visto eram entregues pela DHL, subcontratada pela Computer Sciences Corporation (CSC) que, por sua vez, presta diversos serviços à embaixada e aos consulados americanos. Em junho, os Correios já haviam notificado "amigavelmente" o consulado sobre a ilegalidade do novo sistema de entrega. A determinação da Justiça também manda a CSC contratar os Correios para devolver os passaportes que já tem em mãos, "a fim de evitar supostos prejuízos aos titulares dos documentos". Para o juiz federal Célio Braschi, da 8ª Vara da Justiça Federal de São Paulo, "o passaporte se enquadra no conceito legal de carta. Trata-se de documento escrito de natureza administrativa que contém informação de interesse do seu destinatário". Diz ainda o magistrado que, se a terceirizada continuar com o serviço de entrega, "está presente o risco de dano irreparável". As empresas chegaram a entrar com um pedido de reconsideração, mas o juiz manteve a decisão anterior. Não é possível agora buscar o documento no consulado nem na DHL. Para o presidente da Comissão de Direito Internacional da OAB, Eduardo Tess Filho, nesse quesito o Departamento de Estado Americano tem de se enquadrar na legislação brasileira.

Dilma vai a São Bernardo do Campo comemorar aniversário de Lula


A presidente Dilma Rousseff participou na sexta-feira, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, de uma festa em comemoração aos 67 anos do ex-presidente Lula, disse a ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas. Dilma embarcou para a cidade do ABC paulista no início da noite da sexta-feira. No sábado, a presidente foi a Salvador participar da cerimônia de casamento de Eduardo Mendonça, enteado do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT).

Correios viram feudo político do PT, após terem servido como estopim do escândalo do Mensalão


Uma das fontes do escândalo do Mensalão do PT, o aparelhamento político na estatal Correios continua, sete anos depois. Após passar pelas mãos do PTB e do PMDB, desalojados do comando em meio a denúncias de corrupção, a empresa virou feudo do PT, cujos líderes indicaram nomes para os principais cargos de direção. Condenados pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do Mensalão do PT, o ex-ministro corrupto e quadrilheiro, José Dirceu, e o deputado federal corrupto, peculatário e lavador de dinheiro João Paulo Cunha (PT-SP), influenciaram a escolha dos dirigentes. O principal exemplo é o presidente da empresa, Wagner Pinheiro de Oliveira, que deve sua nomeação ao ex-ministro Luiz Gushiken, absolvido no julgamento em curso no Supremo, e teve ainda a sustentação do grupo liderado por José Dirceu. Sindicalista vinculado à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e filiado ao PT, Pinheiro ocupa cargos por sugestão de caciques do partido há pelo menos 20 anos. A ligação com o ex-chefe da Casa Civil, segundo a assessoria do próprio ex-ministro, vem desde a década de 1980, quando o presidente dos Correios era funcionário da legenda na Assembleia Legislativa de São Paulo e José Dirceu, deputado. Nomeado no início do governo Dilma Rousseff com a missão de "sanear" a estatal após o escândalo de lobby e tráfico de influência que derrubou a ex-ministra Erenice Guerra (Casa Civil), o presidente dos Correios recebeu elogios de José Dirceu em seu blog. Em janeiro de 2011, o ex-ministro da Casa Civil se referiu a ele como exemplo de gestor público "testado e aprovado". Outro réu com influência na administração dos Correios é João Paulo Cunha. Graças a ele, o petista Wilson Abadio de Oliveira ascendeu à diretoria regional da estatal na Região Metropolitana de São Paulo, a mais rentável do País. A indicação causou uma crise na bancada do PT, no início de 2011, porque João Paulo Cunha não consultou os colegas sobre a nomeação. Ex-chefe dos Correios no Rio Grande do Sul, Larry Manoel Medeiros de Almeida assumiu a vice-presidência de Gestão de Pessoas graças à indicação da ministra da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Maria do Rosário (PT-RS). Ele já foi multado pelo Tribunal de Contas da União em R$ 1,5 mil por irregularidades em licitações e na execução de despesas quando atuava na regional gaúcha. Almeida não recorreu da condenação, quitando o débito. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, escalou seu ex-auxiliar no Ministério do Planejamento, Nelson Luiz Oliveira de Freitas, para a diretoria de administração. Na cúpula dos Correios, os petistas encontraram espaço para alojar também, como assessor especial, Ernani de Souza Coelho, marido da ex-senadora Fátima Cleide (PT-GO). Ele acumula ainda a presidência do conselho deliberativo da Postalis, o bilionário fundo de pensão dos funcionários. O presidente dos Correios tem ainda outros auxiliares com carteirinha do PT. Seu chefe de gabinete, Adeilson Ribeiro Telles, é militante da legenda e, assim como o patrão, sindicalista com forte atuação na CUT. Na presidência da Postalis, Pinheiro colocou Antonio Carlos Conquista, seu ex-chefe de gabinete na Petros e filiado ao PT paulista. O aparelhamento decorre também de um rearranjo institucional, que deu margem a mais apadrinhamento em cargos-chave. Mudanças feitas no Estatuto dos Correios, no ano passado, permitiram à atual diretoria nomear funcionários de outros órgãos públicos para funções técnicas e gerenciais, antes exclusivas de servidores de carreira, cujas remunerações variam de R$ 13,3 mil a R$ 18,7 mil. Na chefia da Universidade dos Correios, Pinheiro alojou a professora Consuelo Aparecida Sielski Santos, filiada ao PT catarinense, cedida pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Para assessorar Larry na vice-presidência de Gestão de Pessoas, escalou Alexandre Vidor, militante do partido no Rio Grande do Sul. Na Comunicação Social, foi alocado Felipe de Angelis, também do PT gaúcho. A vice-presidência de Administração abriga, como assessor, Idel Profeta Ribeiro, ligado à legenda em São Paulo.

Policiais civis do Distrito Federal decidem continuar com a greve que já dura 65 dias


Os policiais civis do Distrito Federal, os mais bem pagos do País, decidiram na sexta-feira, em assembléia em frente ao Palácio do Buriti, continuar com a greve iniciada em 23 de agosto. A categoria votou pela continuidade do movimento e marcou nova assembléia para o dia 1º de novembro, às 8 horas, em frente ao prédio da Câmara Distrital. Os policiais reivindicam do governo aumento salarial de 28%, reestruturação da carreira, plano de saúde subsidiado e a transformação ou renomeação do cargo de agente penitenciário, incluindo-o no quadro da Polícia Civil.