quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Turquia bombardeia Síria depois de disparos contra povoado turco


A Turquia bombardeou nesta quarta-feira alvos situados em território sírio em represália aos disparos de obuses sírios que provocaram a morte de cinco civis em uma localidade na fronteira turca, anunciou o primeiro-ministro turco Recep Tayyip Erdogan. "Este ataque foi uma resposta imediata de nossas forças armadas, que bombardearam ao longo da fronteira alvos identificados por radar", indicou Erdogan em um comunicado. "A Turquia jamais deixará impunes tais provocações do regime sírio, que ameçam a nossa segurança nacional, no respeito ao direito internacional e as suas regras de intervenção", acrescentou. Erdogan também informou que os países membros da Otan devem realizar uma reunião de emergência para discutir os disparos sírios. O chanceler turco, Ahmet Davutoglu, conversou com o secretário-geral da Aliança Atlântica, Andres Fogh Rasmussen, e ficou decidido que a Otan se reunirá em breve. Pouco antes, vários obuses disparados a partir do território sírio haviam atingido a localidade fronteiriça turca de Akçakale, matando cinco civis e ferindo cerca de dez, segundo um último registro divulgado pelo governador da província de Sanliurfa, Celalettin Guvenc. Este incidente é o mais grave entre Turquia e Síria desde que a defesa antiaérea síria abateu um avião militar turco em junho. Em uma reunião de emergência convocada em Bruxelas, os 28 países membros da Otan manifestaram solidariedade à Turquia.

Pedida prisão preventiva de homem que atacou médica no Bom Fim


O Ministério Público pediu, nesta quarta-feira, a prisão preventiva de um dos homens flagrados no roubo à médica pediatra, baleada na frente do Parque Farroupilha, em Porto Alegre. Ele foi preso em seguida ao crime pela polícia, o auto de prisão foi lavrado e homologado pela Justiça. No entanto, o flagrado foi solto pelo Juiz plantonista que entendeu que não houve requerimento de prisão e nem ameaça à ordem pública. O expediente que tramitou no Plantão do Fórum Central foi distribuído à 8ª Vara Criminal. Segundo a Ana Lúcia Cardozo da Silva, que somente teve acesso aos autos nesta quarta-feira, a soltura do flagrado é “situação gravíssima e o risco à ordem pública é evidente quando se deixa um assaltante que pratica um crime à luz do dia no Parque da Redenção, à solta”. Por isso, está pedindo a decretação da prisão preventiva do flagrado ao Juiz titular da 8ª Vara Criminal da capital gaúcha.

Médica baleada em assalto é transferida de hospital em Porto Alegre


Baleada em uma tentativa de assalto em frente ao Parque da Redenção, a médica Simone Teixeira Napoleão, de 49 anos, foi transferida de hospital na tarde desta quarta-feira. A pediatra está internada na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Moinhos de Vento. O hospital informou que o estado de saúde é dela "bom". Após o crime, Simone Teixeira Napoleão passou por cirurgia no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre (HPS), que removeu parte do intestino, região onde a bala ficou alojada. Segundo amigos próximos, a expectativa é de que ela saia da UTI na quinta-feira e que fique internada por cerca de 10 dias. Por volta das 17 horas de terça-feira, após sair de uma pet shop localizada na Avenida José Bonifácio, entre a Travessa Paz e a Rua Santana, no bairro Farroupilha, com sua duas cadelas Yorkshire, a pediatra Simone Teixeira Napoleão foi abordada por dois homens quando chegava em seu carro, que estava estacionado a poucos metros do estabelecimento. Um vendedor, que estava na entrada do prédio em frente, assistiu à cena e tentou acudir a vítima na companhia do porteiro. "Eles tentaram tirar a bolsa dela, e nós gritamos: 'Deixa, deixa ela'. Quando os assaltantes nos viram, disseram: 'Queima eles", relatou Fabio Rodrigues, de 31 anos. Assustados, os dois voltaram para o edifício, localizado no número 213, quando um dos criminosos disparou um tiro que atingiu o vidro do portão. A médica tentou entrar no prédio, mas não conseguiu, e foi novamente abordada pelos assaltantes. Um tiro foi efetuado contra a pediatra e atingiu o seu quadril. A polícia trata o caso como tentativa de roubo de carro. Dono da pet shop onde a pediatra buscou os animais de estimação, o empresário Adilson Zanatta, 45 anos, auxiliou a cliente logo após a tentativa de assalto. Segundo ele, a pediatra teria tentado argumentar com os criminosos para deixar os cães a salvo quando foi baleada. Os ladrões fugiram com a reação dos pedestres e moradores. Após buscas, um deles, Eduardo Paulon Madruga, de 21 anos, foi preso nas redondezas pelo Batalhão de Operações Especiais (BOE), que atuou em parceria com o 9º Batalhão de Polícia Militar. Com informações dadas por Madruga, a Brigada Militar encontrou, por volta das 21 horas, o segundo suspeito de participar da ação. José Lucas Peixoto Mesquita, 18 anos, estava em casa, na Rua Antônio João Brugnera, no bairro Santa Tereza. Os suspeitos foram levados à 2ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (2ª DPPA).

O PREFEITO DE MACAPÁ É VELHO CONHECIDO DA PF: EM DEZEMBRO DE 2010, ELE FOI PRESO POR CORRUPÇÃO


A Polícia Federal apreendeu nesta quarta-feira quatro toneladas de alimentos e material de campanha do prefeito de Macapá e candidato à reeleição, Roberto Góes (PDT). O mandado de busca foi determinado pela Justiça Eleitoral, a pedido do Ministério Público. Pedro dos Santos Martins e Rodrigo Flávio Portugal Alves, ligados a Roberto Góes, estavam armazenando alimentos. A suspeita é de que eles seriam “trocados” por votos. Líder nas pesquisas, Roberto Góes é o mesmo prefeito que, em 2010, foi preso pela Operação Mãos Limpas, da Polícia Federal, junto com a mulher, Marília, o então governador Pedro Paulo Dias e o ex-governador Waldez Góes, acusados de montar um esquema para desviar dinheiro dos cofres públicos.

Justiça suspende concurso para procurador do Estado do Rio Grande do Sul


A juíza Carmen Carolina Cabral Caminha, da 2ª Vara de Fazenda Pública de Porto Alegre, concedeu liminar para suspender o 13º concurso para o cargo de procurador do Estado no Rio Grande do Sul. O pedido foi feito por vários candidatos representados pelo escritório Medina Osório Advogados. Os 11 autores da ação, a maioria servidores públicos e advogados, contestam a aplicação de prova oral, aplicada nos termos da Resolução 44/2011 da própria Procuradoria-Geral do Estado. Afirmam que a norma é hierarquicamente inferior à Lei Complementar 11.742/2002 que, para essa categoria de concurso, só exige provas escritas e de títulos. O edital do 13º concurso previu três fases: preliminar, com uma prova objetiva; intermediária, com provas escritas através de dissertações; e última, com prova oral, exigência inédita, não prevista em Lei, mas que reprovou 40% dos candidatos, tornando-se eliminatória. A homologação das notas ocorreu no dia 31 de agosto passado. Todos os autores foram aprovados nas fases preliminar e intermediária. Alegam que a Resolução 44/2011, baixada pela Comissão do Concurso, é um ato administrativo de autoridade incompetente, que inovou sem respeitar a lei. Pedem a anulação da prova oral e novo cálculo das médias finais de classificação. Como há "inegável risco de nomeação dos candidatos aprovados em exame eivado de vicio de ilegalidade em sua origem", com possíveis "danos irreparáveis" aos autores da ação e de outros candidatos, a juíza Carmen Carolina suspendeu o 13º concurso para ingresso na Procuradoria Geral do Estado do Rio Grande do Sul até julgamento do mérito. Governos petistas adoram realizar processos nos quais podem escolher os que quer nomear.

Duas únicas chapas são denunciadas por compra de votos em São José do Ouro


Um esquema de compra e venda de votos envolvendo as duas únicas coligações que disputam a prefeitura de São José do Ouro, na Região Norte do Rio Grande do Sul, levou o Ministério Público a oferecer representação eleitoral e denúncia criminal contra os candidatos a prefeito e vice das duas chapas, contra um vereador que tenta a reeleição e contra 45 eleitores do município. Na representação, por captação ilícita de sufrágio, é pedida a cassação do registro ou diploma dos candidatos. Na esfera criminal os envolvidos responderão por compra e venda de votos, formação de quadrilha, peculato e emissão de certidão ou atestado ideologicamente falso. Áudios que comprovam as ilegalidades foram divulgados. De acordo com as investigações do Ministério Público, que iniciaram em meados de setembro e contaram com o monitoramento de mais de três mil escutas telefônicas com autorização da Justiça, os candidatos a prefeito e vice da Coligação Aliança Democrática, Ademir Perinetto e Gabriel Norberto Lottici; e da Coligação União Popular Democrática, Algacir Menegat e Vitor Hugo Bergamo, e o policial civil e candidato à reeleição para vereador Osnildo Luiz de Godoi, coordenavam o esquema de compra de votos visando o pleito do próximo domingo. Também houve comprovação da participação dos secretários municipais da Administração, Elmo Centenaro, e da Saúde, Elizandréia de Fátima Raimundo Kunzler. Eles ofereciam desde botijões de gás e vales-combustíveis até compras em supermercados, dinheiro em espécie e materiais de construção em troca do apoio dos eleitores. As escutas também comprovaram que um dos candidatos intermediou a aprovação de uma eleitora em teste para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em um Centro de Formação de Condutores (CFC) de Sananduva.

Médicos de todo o País vão suspender atendimento a planos de saúde por até 15 dias


Médicos de todo o País irão suspender o atendimento a planos de saúde neste mês, informou a Associação Médica Brasileira (ABM). A paralisação pode chegar a ocorrer ao longo de 15 dias, entre 10 e 25 de outubro, mas a decisão sobre a duração do protesto caberá a cada cidade e só será de fato definida até o próximo dia 9. Os médicos de São Paulo, por exemplo, já decidiram que irão suspender o atendimento de doze planos de saúde (Green Line, Intermédica, Itálica, Metrópole, Notredame, Prevent Sênior, Santa Amália, São Cristóvão, Seisa, Trasmontano e Universal) entre os dias 10 e 18 deste mês. Em São Paulo, quatro em cada cinco pessoas enfrentaram problemas com planos de saúde nos últimos dois anos. Além da suspensão, os profissionais do País pretendem realizar, no dia 10, marcando o início das mobilizações, atos públicos, com assembléias e caminhadas. A partir dessas manifestações, eles podem inclusive decidir pela interrupção das consultas em outros procedimentos realizados por meio de guias de convênios por tempo indeterminado. Entre as reivindicações da classe médica estão o reajuste de honorários, o fim da interferência "antiética" das operadoras na relação médico-paciente e a inserção nos contratos de índices e periodicidade de reajustes salariais. A ABM ainda informou que os atendimentos de urgência e emergência continuarão sendo feitos normalmente. Além disso, os pacientes serão previamente informados sobre a suspensão dos atendimentos e aqueles que perderem uma consulta ou um procedimento que já estava previamente agendada poderão reagendá-los.

Condenação do petista João Paulo Cunha já foi esquecida, diz Lapas


O candidato do PT à prefeitura de Osasco, Jorge Lapas, escolhido às pressas para disputar a eleição após o deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), primeiro nome indicado pelo partido ao pleito municipal, ter sido condenado no julgamento do mensalão, afirmou nesta quinta-feira, 27, que o veredicto sobre João Paulo "já foi esquecido" pela população da cidade. O Supremo Tribunal Federal condenou em 30 de agosto o deputado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato. A pena será definida ao final do julgamento, que ainda não terminou. "Está esquecido já", disse Lapas, após caminhada eleitoral ao lado do candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, no Jardim D'Abril, zona oeste, divisa das duas cidades. Lapas reagiu com irritação à pergunta se o nome do corrupto e peculatário João Paulo Cunha influencia a sua candidatura. "Pergunta isso pra ele. Pergunta para mim o que diz respeito a Jorge Lapas", respondeu. Segundo pesquisa Ibope divulgada em 17 de setembro, 77% dos eleitores de Osasco consideraram justa a condenação de João Paulo e 70% não votariam em candidatos apoiados por pessoas ligadas ao deputado federal. O atual líder nas pesquisas em Osasco é o tucano Celso Giglio, que teve a candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral e recorreu da decisão. Lapas está empatado tecnicamente em segundo lugar com Osvaldo Vergínio (PSD).

Bombardeio mata 2 chefes das Farc antes de negociações de paz


Dois chefes da organização terrorista e traficante de cocaína Farc, inclusive um parente de um dos principais comandantes do grupo, morreram em um bombardeio nesta quinta-feira, em uma nova demonstração de que o governo mantém sua ofensiva militar às vésperas do início de um processo de paz. O ministro da Defesa, Juan Carlos Pinzón, disse que Efrayn González Ruiz, comandante das frentes 35 e 37 das Forças Amadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), e Jonathan Lascarro, que dirigia uma unidade móvel do grupo, foram mortos nos arredores da localidade de El Bagre, no Departamento de Antioquia. Pinzón disse que Lascarro era sobrinho de Pastor Alape, um dos sete membros do secretariado das Farc, máxima instância da guerrilha marxista. Outros seis guerrilheiros morreram, e cinco foram presos, segundo o ministro.

Obama tem 49% das intenções de voto e Romney 42%


O presidente norte-americano, Barack Obama, permanece em vantagem sobre seu rival Mitt Romney a 40 dias da eleição de 6 de novembro, segundo a pesquisa Reuters/Ipsos desta quinta-feira. A pesquisa diária mostrou que o democrata Obama tem 49% das intenções de voto entre eleitores inclinados a votar, contra 42% do republicano Romney. O Ipsos entrevistou pela Internet 1.194 eleitores registrados. O resultado basicamente mostra uma estabilidade nos últimos dias, num mês em que Obama se beneficiou da visibilidade proporcionada pela Convenção Nacional Democrata, e Romney enfrentou a repercussão negativa de um vídeo em que disse que 47% dos norte-americanos eram dependentes do governo e que provavelmente não iriam apoiá-lo. A campanha de Romney diz ter pesquisas internas mostrando que a disputa está bem mais acirrada do que mostra a maioria das pesquisas.

"Política não é necessariamente corrupta", diz ministra Carmen Lucia



A ministra Carmen Lucia, do Supremo Tribunal Federal, fez nesta quinta-feira um desabafo ao concluir o seu voto com que condenou 12 réus do processo do Mensalão do PT pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Responsável pelas eleições municipais deste ano, como presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Cármen Lúcia disse que sua manifestação não pode ser vista como motivo de "desesperança na política". "Este é um julgamento de direito penal em que nós julgamos pessoas que eventualmente tenham errado e contrariado o direito penal. Mas que, obviamente, isso não significa, principalmente para os jovens, que a política seja necessariamente ou sempre corrupta. Pelo contrário: a humanidade chegou ao momento em que nós chegamos porque é a política ou a guerra", afirmou. Cármen Lúcia conclamou os eleitores, principalmente os jovens, para que não ficassem desacreditados com a política a dez dias do primeiro turno das eleições municipais "por causa de erro de um ou outro". A ministra disse que quem exerce cargo político tem de atuar "com mais rigor em termos de ética e de cumprimento de leis do que aquele que resolve cuidar apenas das suas próprias coisas". A magistrada disse que, principalmente nos casos de corrupção, toda a sociedade é furtada. "Pela escola que não chega, pelo posto de saúde que não se tem, pelo saneamento básico que tantas centenas de cidades brasileiras não têm, exatamente pelo escoadouro dessas más práticas, dessas criminosas práticas", afirmou, ressaltando que a conduta leva também ao "furto da desesperança de uma sociedade que chega às vésperas de uma eleição como agora". Cármen Lúcia lembrou que a política é necessária. "O meu voto não é absolutamente qualquer desesperança na política, menos ainda uma desconsideração da necessidade da política. É a crença nela para que todos nós nos conduzamos com mais rigor", destacou. "É porque eu sei que a política é necessária, e que ela é difícil, e que a ética é a única forma possível de a gente viver em sociedade. A gente vota com tristeza num caso como esse, mas que eu tenho que votar", concluiu.

"PT será avaliado pelo conjunto da obra", diz o petista Gilberto Carvalho


O ministro petista Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, afirmou que o governo está ocupado demais em resolver problemas sociais, para acompanhar o julgamento do Mensalão do PT e as trocas de hostilidades entre ministros do Supremo Tribunal Federal. Mas admitiu que o PT está tendo muito trabalho para reverter os danos à sua imagem e o quadro desfavorável nas eleições municipais. "A gente está trabalhando muito no governo, muito nos finais de semana, nas campanhas eleitorais, para fazer valer o peso da nossa história". Segundo o ministro, ao final de tudo, o dano eleitoral será amenizado. "Achamos que o que vai valer no nosso caso é a história de um partido que está transformando o País", disse ele.

OGX dá início à exploração de petróleo em Tubarão Martelo


A OGX, petroleira do empresário do Eike Batista, iniciou a perfuração dos três primeiros poços produtores de petróleo no campo de Tubarão Martelo e também perfurou o terceiro poço produtor no campo de Tubarão Azul, ambos na bacia de Campos. As informações fazem parte de uma apresentação da área de Relações com Investidores da companhia, atualizada na última terça-feira. A petrolífera intensificou a campanha exploratória no segundo semestre de 2012. Ao todo, foram perfurados desde o início do mês de agosto nove poços, nas bacias de Campos e Santos. A companhia já produz em Tubarão Azul. A extração de petróleo da OGX na área foi de 10,6 mil barris diários em agosto, com os dois primeiros poços produzindo. A companhia espera que o terceiro poço de Tubarão Azul inicie a produção no último trimestre de 2012. Já os três poços perfurados em Tubarão Martelo são os primeiros do campo, cujo início de produção é esperado para o final do ano que vem. Quando a companhia anunciou em junho a vazão média em Tubarão Azul de 5 mil barris de petróleo por poço, um terço do previsto, as ações da companhia desabaram 40% em dois dias.

Para os ministros Ayres Britto e Celso de Mello, esquema corruptor petista do Mensalão não se resumiu a caixa 2


O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Carlos Ayres Britto, e o decano da corte, ministro Celso de Mello, descartaram em plenário a tese de que o esquema do Mensalão do PT se resumiu a caixa dois de campanhas eleitorais. Os dois manifestaram esta posição em apartes durante o voto de Luiz Fux, que já se posicionou no sentido de entender o sistema na forma como feita a acusação, como compra de votos no Congresso Nacional. O ministro Fux argumentou que caixa dois seria uma falsidade ideológica e não um crime de corrupção passiva, como a corte vem decidindo. Foi interrompido por Britto: "Ademais, nunca se viu caixa dois com dinheiro público". O presidente do STF prosseguiu: "Caixa dois sempre foi associado a dinheiro privado, doações privadas. Quando se identifica a origem pública dos recursos não há como falar de caixa dois". Retomando a palavra, Fux afirmou que houve prática de corrupção, ainda que o dinheiro dado para a compra de apoio político tenha sido destinado a financiamento eleitoral. Foi a vez do decano complementar. "O delito de corrupção passiva é de mera conduta, consumação antecipada e que se consolida na aceitação ou solicitação por parte do agente público que pode praticar ato na sua esfera. No âmbito do parlamento, o ato de ofício por excelência do congressista é o hábito de votar, ainda que de acordo com seu partido". Concluindo o debate, Fux afirmou que o relator, Joaquim Barbosa, deixou comprovada a prática de compra de votos: "O voto do relator comprovou a contemporaneidade dos atos de corrupção com as deliberações de ofício perpetradas pelos parlamentares".

Federação Paulista de Futebol barra entrada de torcida uniformizada do Palmeiras nos estádios


A Federação Paulista de Futebol divulgou nesta quinta-feira uma resolução onde proíbe, por tempo indeterminado, a entrada de qualquer objeto que tenha ligação com a Torcida Uniformizada do Palmeiras, a TUP, uma das principais organizada da equipe paulista. A decisão se deu em decorrência da confusão ocorrida no clássico com o Corinthians, no último dia 16, no Pacaembu. Além da TUP, seis torcedores foram proibidos também: Fernando Cantesani Monteiro Pinto, Fábio Messias de Oliveira, Marcelo Avanco Lima, Alef Conrado Cardoso Mendes, Caio Isiama Fresarin e José Carlos Honorato. Todos por provocar tumultos e incitar a violência durante as partidas.

Netanyahu pede clara linha vermelha sobre programa nuclear do Irã


O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, disse nesta quinta-feira que a única forma de evitar que o Irã obtenha armas nucleares era estabelecer "uma clara linha vermelha" para deter seu programa atômico. "Nestes momentos existe apenas uma forma de evitar pacificamente que o Irã obtenha bombas atômicas e é traçando uma clara linha vermelha frente ao programa de armas nucleares do Irã", disse Netanyahu em discurso na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas. "Linhas vermelhas não conduzem à guerra, as linhas vermelhas evitam a guerra", acrescentou.

Lula faz comício para tentar resgatar PT em Campinas


O ex-presidente Lula faz comício nesta sexta-feira em Campinas, maior colégio eleitoral do interior de São Paulo, reduto em que o PT enfrenta séria crise. O candidato do partido à prefeitura, Márcio Pochmann, aparece nas pesquisas em terceiro lugar, muito distante do primeiro colocado, Jonas Donizete, do PSB, cotado para vencer no primeiro turno. O coordenador da campanha petista na cidade, Renato Simões, garante que Pochmann já teria ultrapassado o segundo colocado nas intenções de voto, o atual prefeito Pedro Serafim, do PDT, e estaria em condições de provocar o segundo turno. Simões esteve com a equipe do ex-presidente nesta quinta-feira, no Instituto Lula, na capital, para definir detalhes da agenda. Lula subirá num carro de som na Praça Rui Barbosa, no centro, e seguirá até o terminal central, onde deve fazer discurso de apoio a Pochmann.

Queda de Russomanno acende alerta, diz analista


A queda de cinco pontos porcentuais do candidato do PRB à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, que passou de 35% para 30% das intenções de votos na pesquisa Datafolha/TV Globo divulgada nesta quinta-feira à noite, acendeu o sinal amarelo em sua campanha e reavivou a possibilidade de que, na reta final deste primeiro turno da disputa, os três primeiros colocados nas pesquisas (Celso Russomanno, José Serra e Fernando Haddad) terminem a corrida eleitoral embolados. Essa é a avaliação do especialista em marketing político e pesquisa eleitoral, Sidney Kuntz. Serra oscilou positivamente nesta pesquisa de 21% para 22% e Haddad subiu de 15% para 18%. "Não é maluquice achar que pode haver segundo turno entre Serra e Haddad", afirmou Kuntz. Ele acredita que "foi um erro" dos tucanos e petistas darem como certo a ida de Russomanno ao segundo turno. "As pessoas estão começando a acreditar que os dois têm condições de chegar ao segundo turno. Russomanno começou a demonstrar inconsistência", avaliou. Kuntz atribui a queda de Russomanno ao seu fraco desempenho em debates e aos ataques de seus adversários, que ressaltam a sua falta de experiência em cargos executivos.

Sonda Curiosity descobre primeira evidência de água em Marte


A sonda Curiosity, da Nasa, encontrou indícios de que o local do seu pouso em Marte já esteve cheio de água, elemento considerado crucial para a possibilidade de ter havido vida no planeta, disseram cientistas nesta quinta-feira. A Curiosity, um laboratório móvel completo, do tamanho de um carro pequeno, pousou em 6 de agosto dentro de uma depressão próxima ao equador marciano. Análises de uma lasca de pedra encontrada nos arredores indicam que ali já houve uma corredeira. Imagens enviadas pela sonda e divulgadas nesta quinta-feira mostram pedras arredondadas incrustadas na rocha. Rebecca Williams, cientista ligada ao projeto, disse que essas pedras são grandes demais para terem sido transportadas pelo vento. "O consenso da equipe científica é que são seixos transportados pela água em um riacho vigoroso", disse ela. Acredita-se, portanto, que a rocha tenha estado no leito de um antigo rio com profundidade de 10 a 50 centímetros. A sonda se dirige agora a uma área conhecida como Glenelg, onde três tipos diferentes de rocha se encontram. Os cientistas ainda não decidiram se a lasca de rocha merece uma análise química, ou se há alvos mais adequados para que a Curiosity procure elementos constitutivos da vida e os minerais que os preservariam. "A questão da habitabilidade vai além da simples observação da água de Marte", disse o cientista John Grotzinger, do Instituto de Tecnologia da Califórnia. "Certamente a água corrente é um lugar onde micro-organismos poderiam ter vivido. Esse tipo em particular de rocha pode ou não ser um bom lugar para preservar esses componentes que associamos a um ambiente habitável", afirmou. O Laboratório Curiosity de Ciência em Marte custou 2,5 bilhões de dólares e é a primeira missão de astrobiologia da Nasa desde as sondas Viking, na década de 1970.

Presidente paraguaio acusa Mercosul e Unasul de intervenção


O presidente Federico Franco acusou nesta quinta-feira o Mercosul e a União das Nações Sul-Americanas (Unasul) de intervirem no Paraguai com o discurso de que a democracia no país deve ser protegida. O Paraguai "se encontra em uma difícil situação internacional criada por seus vizinhos", argumentou Franco na Assembleia Geral da ONU. Ele assumiu a presidência no último 22 de junho em substituição a Fernando Lugo, cassado em um julgamento político no Congresso. Para Franco, os integrantes do Mercosul e da Unasul violaram tratados internacionais quando "pretenderam erigir-se em tutores da democracia paraguaia, deixando de lado o princípio de não-intervenção consagrado na carta das Nações Unidas". Após o impeachment-relâmpago de Lugo e a posse de Franco, que era o vice-presidente do país, o Paraguai foi suspenso da Unasul e no Mercosul. Os dois órgãos sustentam que no Paraguai aconteceu uma "ruptura democrática" com a destituição de Lugo e que só reconhecerão as autoridades que surjam das eleições gerais do dia 21 de abril de 2013. "O Paraguai jamais aceitará a intervenção em seus assuntos internos por parte de potências estrangeiras e seguiremos construindo nossa democracia de acordo com a vontade do povo", disse Franco, lembrando que o julgamento político que aconteceu contra Lugo no Congresso obedeceu as regras da Constituição do país. Franco convocou os países da região a "refletir e encontrar juntos o caminho da reconstrução do processo de integração sul-americano".

Ministro Marco Aurélio Mello questiona se Joaquim Barbosa tem condição de ser presidente do STF


Um dias após a sessão mais tensa do julgamento do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, o ministro Marco Aurélio Mello aumentou a polêmica e questionou, nesta quinta-feira, as condições do colega Joaquim Barbosa presidir a Corte futuramente. Marco Aurélio disse que a condução de Barbosa à presidência, prevista para novembro, com a aposentadoria de Carlos Ayres Britto, não é automática. Ele questiona a postura de Barbosa: "Eu fico muito preocupado diante do que percebo no plenário. Eu sempre repito, o presidente é um coordenador, é um algodão entre cristais, não pode ser metal entre os cristais". Ele disse, no entanto, que não vê que a eleição esteja em risco: "Vamos aguardar novembro, é muito cedo. E afinal o voto até pela escolha do presidente e do vice do Supremo é um voto secreto. Há cédulas que são distribuídas e realmente nós temos a designação de um escrutinador e a proclamação de um resultado. Não é por aclamação".

“Estruturou-se verdadeira engrenagem para o pagamento dessas vantagens", conclui Supremo sobre esquema corruptor no governo Lula


Após 29 sessões do julgamento do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, a maioria da corte escreveu nesta quinta-feira um importante capítulo na história política brasileira: o governo Lula cooptou, sim, parlamentares para formar sua base no Congresso Nacional e comprou votos para aprovar seus projetos no Legislativo. Nesta quinta-feira, seis dos dez ministros condenaram líderes da gestão Lula na Câmara pelo crime de corrupção passiva. Foram considerados culpados até agora o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP) e os ex-parlamentares Roberto Jefferson (PTB-RJ), Bispo Rodrigues (PL-RJ), Romeu Queiroz (PTB-MG), José Borba (PMDB-PR) e Pedro Corrêa (PP-PE). O atual deputado Pedro Henry (PP-MT) enfrenta placar de 5 a 2 pela sua condenação e pode integrar a lista na semana que vem. No caso de Borba, hoje ele é prefeito da cidade de Jandaia do Sul, no Paraná, pelo PP. Já votaram pela condenação do grupo os ministros Joaquim Barbosa (relator), Ricardo Lewandowski (revisor), Rosa Weber, Luiz Fux, Cármen Lúcia e Gilmar Mendes. O ministro José Antonio Dias Toffoli não concluiu seu voto, mas já condenou Pedro Henry e Pedro Corrêa por corrupção. A cooptação dos políticos chegou, no caso do grupo de Valdemar Costa Neto, por exemplo, a cerca de dez milhões de reais. “Quem está dando sabe que é ilícito e quem está recebendo sabe que aquilo é inusual”, resumiu o ministro Luiz Fux ao relatar a distribuição de propina aos mensaleiros e condenar os acusados por corrupção passiva. “Estruturou-se verdadeira engrenagem para o pagamento dessas vantagens. Não é razoável que parlamentares recebam para votar ‘a’ ou ‘b’, que seu agir como parlamentar seja movido por dinheiro ou recompensa”, disse Gilmar Mendes. “A solicitação da vantagem na espécie está motivada pela função pelos parlamentares exercida, o que basta para configurar o crime”, completou o ministro José Antonio Dias Toffoli, que já condenou parte dos políticos por corrupção, mas não concluiu seu voto. A discussão sobre a corrupção de parlamentares foi iniciada na última semana, quando o relator da ação penal do Mensalão do PT, ministro Joaquim Barbosa, atestou ter havido farta distribuição de propina a partir de 2003 para a venda de votos no primeiro mandato do governo Lula. “Os réus concederam seu apoio e o apoio de parlamentares por eles orientados aos interesses dos corruptores”, resumiu o relator. Para Joaquim Barbosa, cujo entendimento foi seguido por outros cinco ministros até agora, nem mesmo o denunciante do mensalão, o atual presidente do PTB, Roberto Jefferson, pode se livrar de ser condenado por corrupção. “A partir de dezembro de 2003, o próprio Jefferson aceitou receber recursos pagos pelo PT para conduzir o apoio de seus correligionários em projetos de interesse do governo”, disse o ministro ao condená-lo. “Impensável admitir-se que repasses efetuados dessa forma, por meio da estrutura criminosa, seriam harmonizáveis com o sério exercício da função parlamentar pelos beneficiários”, completou ele.

Abilio Diniz e Casino acertam novas regras para conselho do Pão de Açúcar


O grupo francês Casino, que assumiu em junho o controle do Pão de Açúcar, e o empresário Abilio Diniz, presidente do conselho de administração do grupo, chegaram a um acordo para reduzir o clima belicoso dos últimos dias na companhia. Em reunião nesta tarde do conselho de administração, o empresário brasileiro concordou com a criação dos comitês de governança e de auditoria propostos pelo Casino, mas não aceitou extinguir o conselho consultivo formado por economistas de renome que davam suporte às decisões da empresa. Nessa proposta, Abilio foi voto vencido, e o conselho será extinto. Por outro lado, Abilio conseguiu criar uma regra para a proposta que permitia a instalação das reuniões do conselho de administração com apenas oito membros, número de cadeiras do Casino. Na primeira convocação, as reuniões podem ser instaladas com dez membros, o que garante sempre a presença de conselheiros independentes ou do lado de Abilio. Na segunda convocação, pode ser instalada com oito membros. Também foi aprovada a criação do cargo de vice-presidente do conselho, função que permite comandar a reunião na ausência de Abilio Diniz, mas com poderes limitados. O vice-presidente só poderá presidir a reunião se Abilio Diniz não indicar alguém para substitui-lo ou se a pessoa indicada pelo empresário brasileiro não comparecer à reunião. O vice também não poderá definir ou colocar em votação assuntos que reduzam o poder de Abilio Diniz na empresa, previsto em acordo de acionistas. Para pedir a criação dessa função, o grupo francês Casino se baseou em levantamento feito a partir das companhias que integram o Ibovespa, principal termômetro dos negócios na Bolsa paulista. Das empresas que compõem o índice, 72% delas têm o cargo de VP no conselho de administração. Há dez dias, o Casino tinha feito uma série de propostas de mudanças para aumentar a transparência na gestão, mas o empresário se recusou a discuti-las por entender que se tratava de uma tentativa de diminuir sua influência na empresa.

Secretário do Comércio argentino xinga manifestantes de panelaço


O secretário do Comércio Interior da Argentina, Guillermo Moreno, insultou na quarta-feira os cerca de 30 participantes de um panelaço feito na porta da sua casa, em Buenos Aires. Em um evento com sindicalistas, Moreno, um dos principais integrantes do governo da presidente peronista populista muito incompetente Cristina Kirchner, se irritou com a presença dos manifestantes, que protestavam contra a suposta pressão exercida por ele para minimizar um processo movido por uma despachante da alfândega. "Não costumo pedir que minha mulher me acompanhe, mas hoje pedi que viesse porque a essa hora estão fazendo um panelaço na minha casa. Por isso eu digo aos que estão protestando na frente da minha casa que enfiem as panelas no cú". A informação foi revelada pelo jornal de bairro "Zona Norte" e repercutida pela imprensa argentina. A declaração foi feita durante a reunião da Frente para a Vitória (vertente kirchnerista do peronismo), em Vicente López. O protesto foi convocado pelas redes sociais e tinha como principal slogan: "O secretário de Comércio maltrata as pessoas". Depois das 20 horas, a palavra "Moreno" foi um dos temas mais abordados no microblog Twitter. Após o xingamento, Moreno comparou a economia argentina com um avião com quatro motores: Brasil, China, Europa e Estados Unidos. "Desses motores, um está em chamas, dois estão parando e o quarto está falhando. Isso quer dizer que estamos levando o avião com o oxigênio que temos na cabine, que é nosso mercado interno". A principal razão para o panelaço foram os desdobramentos de um processo contra o secretário feito pela despachante da alfândega Paula de Conto, revelado na semana passada pela imprensa argentina. Na ação, Paula de Conto acusa Moreno de agressão e violência de gênero quando a convocou para uma reunião em particular no prédio da Secretaria de Comércio, em Buenos Aires. Ela diz que o secretário gritou com ela e outros dois funcionários de sua empresa, que trabalham em São Paulo. O processo, que foi acompanhado pelos meios de comunicação, foi admitido pela Justiça e encaminhado por sorteio ao tribunal chefiado por Norberto Oyarbide, um dos juízes aliados a Cristina Kirchner. Devido à escolha, cerca de 150 pessoas protestaram na porta da casa do magistrado, em Buenos Aires. Após o ato, ele renunciou ao caso, sendo substituído pelo juiz Daniel Rafecas, o primeiro a julgar a causa de tráfico de influência do vice-presidente Amado Boudou.

Líder da Al-Qaeda vive tranquilo na Líbia


Um dos mais importantes integrantes da Al Qaeda, indiciado por envolvimento em atentados terroristas contra duas embaixadas americanas, vive tranquilamente na Líbia, segundo fontes de inteligência ocidentais, divulgou nesta quinta-feira a rede CNN. Abu Anas al Libi, de 48 anos, tem sido visto na capital Trípoli, informaram as fontes, que acrescentaram que não está claro se o governo líbio está consciente de sua presença no país. Um oficial do exército líbio disse à CNN que não sabia que al Libi estava de volta à capital e supunha que ele estivesse no Afeganistão. Apesar de ser procurado pelos Estados Unidos, al Libi dificilmente será enviado pelo governo líbio ao país para responder pelas acusações, pois não existe um tratado de extradição entre os dois países. Analistas consultados disseram que o membro da Al-Qaeda pode não ter sido preso graças a situação de instabilidade em várias áreas do país, onde grupos jihadistas exercem um poder paralelo.

Papiro sobre Jesus casado é falso, diz jornal do Vaticano


O jornal L'Osservatore Romano, uma publicação oficial do Vaticano, afirmou nesta quinta-feira que o papiro no qual aparece a frase em copta 'Jesus lhes disse, minha esposa ...' é falso. Um breve artigo assinado pelo diretor do jornal, Giovanni Maria Vian, afirma que "razões consistentes nos levam a concluir que o papiro seja uma desajeitada falsificação (como tantas outras provenientes do Oriente Médio)". O papiro, supostamente datado do século 4, foi apresentado na semana passada por Karen King, historiadora de Harvard, em um congresso sobre a língua copta que aconteceu em Roma. A divulgação do documento reacendeu o debate sobre se Jesus Cristo teria ou não se casado. A afirmação do diretor do jornal vem acompanhada de um extenso artigo de Alberto Camplani, especialista em copta e professor de história do cristianismo da universidade romana La Sapienza. No texto, o professor faz ressalvas em relação à autenticidade do documento. Segundo Camplani, é preciso adotar numerosas precauções uma vez que o fragmento, ao contrário de outros achados apresentados no congresso, não foi encontrado em escavações, mas veio do mercado de antiguidades.

GP investirá R$ 503 mi em torres de telecomunicações


O grupo de private equity GP Investments revelou nesta quinta-feira um investimento de 503 milhões de reais para compra de torres de telecomunicações no Brasil. O anúncio marca a criação de uma empresa de gerenciamento de torres no País em meio à necessidade de mais capacidade e compartilhamento de rede. O investimento contemplará a aquisição de cerca de duas mil torres de uma operadora brasileira não identificada para gerenciamento pela nova empresa: a BR Towers. "Com este investimento, a BR Towers se estabelecerá como empresa líder em operação de torres no Brasil, com abrangência nacional, contratos de locação de longo prazo e uma forte base de clientes", disse o documento enviado ao mercado. O investimento será feito pelo fundo de private equity GP Capital Partners, gerido pela GP Investments V, uma subsidiária integral da GP Investments, com um comprometimento total do fundo entre 90 milhões de dólares e 164 milhões de dólares.

Estudo revela mecanismo necessário para manter ereção


Um estudo desenvolvido na Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, desvendou os processos químicos que levam um homem a manter uma ereção. Até agora, só eram conhecidos os fatores que faziam com que o pênis ficasse ereto, mas não os necessários para mantê-lo dessa forma. Para os autores da pesquisa, publicada nesta semana no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences, a descoberta abre portas para novas terapias capazes de ajudar pacientes que sofrem de disfunção erétil. Resultado: Depois de liberar com estímulos físicos e do cérebro, ondas de óxido nítrico, o sistema nervoso cria uma cascata de substâncias químicas que são geradas com a ereção, fazendo com que a liberação do neurotransmissor continue por mais tempo. De acordo com os pesquisadores, a liberação de óxido nítrico, um neurotransmissor produzido no tecido nervoso, provoca a ereção pois relaxa os músculos, permitindo que o sangue chegue ao pênis. "No entanto, nós sabíamos que esse era apenas um estímulo inicial. Por isso, queríamos descobrir o que permite que a ereção se mantenha", afirma o coordenador do estudo, Arthur Burnett. Ao estudarem camundongos, Burnett e sua equipe descobriram que o sistema nervoso, depois de liberar com estímulos físicos e do cérebro ondas de óxido nítrico, produz uma cascata de substâncias químicas que são geradas com a ereção, fazendo com que a liberação do neurotransmissor continue por mais tempo, dentro de um modelo cíclico. Embora o estudo tenha sido feito com animais, Burnett afirma que a biologia básica da ereção é a mesma entre roedores e seres humanos.

Aneel lista 123 usinas que podem renovar concessão


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou nesta quinta-feira o nome de 123 usinas hidrelétricas com prazo de concessões vencendo entre 2015 e 2017. As empresas que quiserem renovar essas concessões terão de manifestar interesse ao órgão regulador até o próximo dia 15 de outubro, de acordo com cronograma da Medida Provisória 579. Na lista, estão usinas que já tiveram prazo de concessão prorrogado pela Lei 9074/1995 e também empreendimentos que não passaram por esse processo. A relação traz, por exemplo, usinas da Cesp, Cemig, Celg, de Furnas, Celesc, Copel, Eletronorte, CEEE e Chesf.

Petrosul confirma outro estaleiro para o Rio Grande do Sul, agora em Guaíba


A Petrosul confirmou nesta quinta-feira a compra de 63 hectares à beira do rio Guaíba, em Guaíba, cidade fronteiriça a Porto Alegre, onde construirá um estaleiro. A disseminação de novos estaleiros no Rio Grande do Sul tem tudo a ver com o incremento do Pólo Naval de Rio Grande.

Nova morte no Hospital Centenário de São Leopoldo, administrado pelo PT


Foi uma tragédia para a candidatura do deputado federal petista Ronaldo Zulke, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, a morte de outra paciente no Hospital Centenário, administrado pelo prefeito Ary Vannazi, seu companheiro e fiel escudeiro nas eleições deste ano. O hospital está sob investigação da Polícia Civil desde o primeiro semestre, no âmbito da Operação Costa Nostra. Cremers e Simers já tentaram interditá-lo, mas sem êxito. Termo de Ajustamento de Conduta firmado com o Ministério Público do Estado resultou descumprido, mas novos ajustes foram feitos. Casos de mortes e maus atendimentos são recorrentes em São Leopoldo. O novo incidente poderá ocasionar nova interdição. Nesta quinta-feira, a paciente , Edianes de Oliveira Aguiar, de 33 anos, morreu depois de atendimento apontado como criminoso pelos familiares, que registraram Boletim de Ocorrência na Policia  e denunciaram erro médico no Ministério Público Estadual.

MINISTRO RELATOR JOAQUIM BARBOSA CONDENA JOSÉ DIRCEU E MAIS SETE RÉUS DO MENSALÃO DO PT POR CORRUPÇÃO ATIVA


O relator do processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, votou nesta quarta-feira pela condenação por corrupção ativa do ex-ministro da Casa Civil, o deputado federal cassado por corrupção José Dirceu, do ex-presidente do PT, José Genoino, do ex-tesoureiro do partido, Delúbio Soares, do publicitário Marcos Valério e de outros cinco réus. Ele absolveu apenas o ex-ministro dos Transportes, Anderson Adauto, e Geiza Dias, ex-funcionária de Marcos Valério, descrita como "mequetrefe" e "batedeira de cheque" por sua defesa. Em seguida, o ministro revisor, Ricardo Lewandowski, começou seu voto. Joaquim Barbosa concordou com a acusação do Ministério Público de que o petista mensaleiro José Dirceu ocupava posição de liderança no esquema. "José Dirceu mantinha influência superlativa sobre os corréus. Ele detinha o domínio final dos fatos, em razão do elevadíssimo cargo atuava em reuniões fechadas, jantares, encontros secretos, exercendo comando e dando garantia ao esquema criminoso".

MINISTRO RICARDO LEWANDOWSKI ABSOLVE O MENSALEIRO JOSÉ GENOÍNO


O ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo do Mensalão do PT, votou nesta quarta-feira pela absolvição do mensaleiro José Genoino, presidente do PT na época do escândalo. Apesar de José Genoino ter assinado, em nome do partido e na condição de fiador, a concessão de um empréstimo comprovadamente fraudulento para a sigla, o ministro considerou que o petista não tinha ciência dos crimes cometidos por Delúbio Soares. "O Ministério Público jamais individualizou as condutas imputadas a Genoino", disse o ministro, que criticou duramente a Procuradoria-Geral da República ao tratar a acusação, neste ponto, de "artificial e forçada". Chegou a afirmar que o mensaleiro José Genoino era um deputado "ideológico", que não enriqueceu ao longo da trajetória política e, no limite, disparou: "O réu se viu obrigado à kafkiana tarefa de defender-se de atos abstratos". Mais uma vez, Lewandowski falou nitidamente como se fosse um advogado de defesa, e menos como um juiz, que examina provas ou a falta delas em um processo. Mesmo o aval dado aos empréstimos por José Genoíno não vale como prova, alegou o ministro Lewandowski, que acabou criando uma nova categoria de avalista: "Esse era um aval moral, muito mais do que um aval real". Que tal, hein?!!!! A acusação aponta que, com seu pequeno patrimônio declarado, José Genoino jamais poderia se tornar avalista de um empréstimo de 3 milhões de reais. Lewandowski, aliás, disse que o empréstimo obtido pelo PT foi pago, o que provaria a lisura da transação. Coube ao presidente da corte, ministro Carlos Ayres Britto, lembrar o óbvio: o pagamento só foi finalizado neste ano, bem depois que o escândalo do Mensalão do PT eclodiu. O ministro Marco Aurélio de Mello também interrompeu, com fina ironia: "Vossa Excelência está quase me convencendo de que o PT não fez nenhum repasse a qualquer parlamentar". Para livrar o ex-guerrilheiro, terrorista no Araguaia, José Genoíno, o revisor chegou a citar o patrimônio modesto (170 000 reais, segundo a Justiça Eleitoral) de Genoino como uma prova da idoneidade do réu. O ministro só se esqueceu de que o petista é acusado de corrupção ativa, não passiva. O petista, aliás, responde a mais sete processos, inclusive o que trata da concessão fraudulenta de um empréstimo do Banco BMG ao PT. Engraçado, um síndico de condomínio toma condenação bem mais facilmente do que o presidente do PT. Lewandowski adotou a estratégia de centrar as acusações do núcleo político em Delúbio Soares. Para o ministro, foi o tesoureiro do PT quem montou o esquema em parceria com Marcos Valério:  "Ficou bem comprovado que Delúbio agiu com plena desenvoltura, sempre associado a Marcos Valério para os fins políticos e quiçá privados descritos na denúncia". Ele chegou inclusive a referir outros processos que tramitam na Justiça e sugerir que Delúbio Soares se apropriou em benefício próprio de parte do dinheiro do Mensalão do PT. Lewandowski também condenou quatro nomes ligados ao núcleo publicitário: Marcos Valério, Cristiano Paz, Ramon Hollerbach e Simone Vasconcelos.

Dirceu era mandante do esquema do mensalão, diz relator


O relator do processo do Mensalão do PT, ministro Joaquim Barbosa, disse nesta quarta-feira que o ex-ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, tinha "posição central" no esquema corruptor, agindo como "mandante" dos acordos para compra de apoio parlamentar. José Dirceu foi apontado pelo Ministério Público Federal como "chefe de quadrilha" responsável pelo esquema de compra de apoio parlamentar durante o governo do ex-presidente Lula. "Os pagamentos efetuados por Delúbio Soares e Marcos Valério aos parlamentares com os quais José Dirceu mantinha reuniões frequentes o colocam em posição central, posição de organização e liderança da prática criminosa, como mandante das promessas e pagamentos das vantagens indevidas aos parlamentares que viessem a atender propostas de seus interesses", disse Joaquim Barbosa durante a leitura de seu voto. Joaquim Barbosa iniciou a análise sobre o chamado "núcleo político" do esquema, incluindo a cúpula do PT à época do escândalo, em 2005. O relator detalhou encontros que teriam ocorrido na Casa Civil entre José Dirceu, Marcos Valério, Delúbio Soares e envolvidos no esquema, como representantes do Banco Rural, que concedeu empréstimos fictícios que abasteceram o Mensalão do PT, além de ter sido usado no repasse dos recursos. "O problema não é o ministro receber diretores de instituições financeiras, mas sim o contexto com que se deram essas reuniões", disse Joaquim Barbosa. "Fatos derrubam de uma vez a tese sustentada inicialmente de que José Dirceu não tinha nenhuma relação com Marcos Valério". Joaquim Barbosa disse ainda que os "dados permitem perceber que José Dirceu comandou a ação de Marcos Valério e Delúbio Soares".

Para relator, fatos derrubam tese de que petista José Dirceu não tinha nenhuma relação com Marcos Valério



O relator do processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, afirmou que os encontros do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, com altos dirigentes dos bancos Rural e BMG, com a presença de Marcos Valério e Delúbio Soares, contrariam as teses da defesa de que José Dirceu não tratava de questões financeiras relativas ao PT nem tinha relações próximas com Marcos Valério. Joaquim Barbosa iniciou o voto neste capítulo destacando trechos da acusação do Ministério Público. Na sequência, fez uma rápida abordagem da defesa de José Dirceu, mas já a desqualificou: "Tudo isso poderia gerar duvida, mas o conjunto probatório não permite que se acolham os argumentos". A partir daí, o relator começou a citar os encontros do ex-ministro com Marcos Valério e com as cúpulas dos bancos que realizaram os empréstimos usados no esquema do Mensalão do PT. Joaquim Barbosa citou a coincidência de datas de algumas dessas reuniões com os créditos concedidos às empresas de Marcos Valério para a realização de repasses a políticos por indicação de Delúbio Soares. O primeiro caso citado foi de uma audiência do presidente do BMG, Ricardo Guimarães. O encontro aconteceu no dia 20 de fevereiro e teve a presença de Marcos Valério e Delúbio Soares. Quatro dias depois, o BMG liberou um empréstimo de R$ 12 milhões para a SMP&B, uma das agências do publicitário. Na sequência, Joaquim Barbosa destacou três encontros de José Dirceu com integrantes da cúpula do Banco Rural, entre eles um com a presidente da instituição, Kátia Rabello, que já está condenada. Observou que uma dessas reuniões aconteceu, segundo a própria Kátia, no primeiro semestre de 2003. Em maio desse ano, o Banco Rural liberou R$ 19 milhões para a SMP&B. Outro encontro aconteceu em agosto de 2003. Mesmo sem a quitação dos débitos anteriores, Marcos Valério conseguiu mais R$ 10 milhões em crédito em dezembro do mesmo ano. "A questão é que, embora o dinheiro fosse repassado por pessoas indicadas pelo tesoureiro do PT para alegado pagamento de dívidas de campanha, não foi o presidente do PT quem se reuniu com a diretoria do banco Rural e BMG para essa finalidade. Foi o acusado José Dirceu que se reuniu com dirigentes dessas duas instituições antes das tomadas dos empréstimos", disse o relator. O ministro citou ainda um depoimento da esposa de Marcos Valério, Renilda Santiago, no qual ela afirma que José Dirceu sabia dos empréstimos, segundo o que ouviu do marido. No depoimento, Renilda disse que o tema foi discutido em uma reunião de Kátia Rabello, Marcos Valério e José Dirceu, em Belo Horizonte. A reunião foi confirmada, mas o tema negado. "Esse tema, sem dúvida, era de interesse do PT e também do governo porque os recursos obtidos através desse empréstimo permitiu que a SMP&B funcionasse como uma central de pagamento a parlamentares da base aliada", disse Joaquim Barbosa, destacando ainda que foi o Banco Rural que forneceu um mecanismo de lavagem de dinheiro para o esquema. O relator destacou que parte desses encontros foi negada inicialmente. "Os fatos já mostrados aqui derrubam de uma vez a tese sustentada inicialmente de que Dirceu não tinha nenhuma relação com Marcos Valério. Mostrei aqui a série de encontros que só vieram a conhecimento no curso da instrução", declarou ele.

Barbosa afirma que Dirceu liderou organização do Mensalão do PT


O relator do processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, afirmou que o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, estava "em posição central e de liderança" na organização do esquema.  Segundo o relator, José Dirceu atuava nas duas pontas: "Primeiro, na promessa de vantagens indevidas dirigidas aos deputados federais que com ele se reuniam. Segundo, no pagamento das vantagens", afirmou Joaquim Barbosa. Na direção de que José Dirceu comandava o esquema, o ministro afirmou não ser comum que um publicitário, referindo-se a Marcos Valério Fernandes de Souza, estivesse presente na reunião do chefe da Casa Civil com presidentes de bancos. Os bancos foram os que fizeram empréstimos à empresa SMP&B, de Marcos Valério, que por sua fez foi o responsável por abastecer a distribuição do dinheiro aos parlamentares. O ministro afirmou ainda "não ser absolutamente comum" que os assuntos tratados pelos dirigentes de bancos não guardassem relação com as atribuições do ministro da Casa Civil, como a liquidação do Banco Mercantil e sobre uma mina de nióbio. Joaquim Barbosa destacou que o próprio José Dirceu disse ser o responsável pela articulação política e fortalecimento da base aliada no Congresso. Citou diversos depoimentos mostrando que muitos dos réus políticos já condenados estiveram em reuniões com José Dirceu na Casa Civil. "O acervo probatório forma um grande mosaico no qual o acusado José Dirceu é o grande negociador do esquema de apoio político, uma vez que dependia de sua atuação na Casa Civil a formação da base aliada. Utilizou-se os bancos Rural e BMG, que disponibilizaram R$ 55 milhões nas contas de Marcos Valério e seus sócios e, uma vez disponível o numerário nas contas, os réus atuaram de forma que os recursos fossem distribuídos a parlamentares sugeridos pelo ministro por meio de Delúbio Soares", afirmou ele. O relator destacou ainda que os bancos citados no caso esperavam ser beneficiados pelo governo. O BMG foi privilegiado na concessão de crédito consignado a aposentados. O Rural, além do caso do banco Mercantil de Pernambuco, tinha também interesse em ser excluído nas investigações da CPI do Banestado, que tinha o petista José Mentor como relator. Ele, aliás, é alvo de outro inquérito paralelo que é uma continuidade do caso do Mensalão do PT.

Lewandowski condena Marcos Valério e mais três do núcleo publicitário


O ministro revisor do processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, condenou o empresário Marcos Valério e outros três réus do núcleo publicitário do esquema pelo crime de corrupção ativa: Ramon Hollerbach, Cristiano Paz e Simone Vasconcelos. O ministro inocentou, porém, a secretária da empresa de Marcos Valério, Geiza Dias, e o advogado de Valério, Rogério Tolentino. O ministro classificou de "paupérrima" a denúncia do Ministério Público no caso de Tolentino no delito de corrupção ativa. "Ele era advogado e o acompanhava em todas as reuniões. Não era surpreendente que ele fosse par de Marcos Valério", disse. O ministro revisor seguiu o ministro relator, Joaquim Barbosa, e absolveu o ex-ministro Anderson Adauto pelo crime de corrupção ativa. "Estou concordando integralmente com o relator", disse. Ele afirmou que Adauto teria dado telefonema para Delúbio Soares, dizendo que o deputado Romeu Queiroz ia procurá-lo. "Ele fez ponte entre Romeu e Delúbio, mas não significa que Anderson Adauto tenha incorrido no crime. Como se alguém viciado em maconha fosse procurado por alguém que busca entorpecente e diz para buscar o traficante, e liga para procurá-lo", comparou.

Lewandowski condena Delúbio Soares por corrupção ativa


O ministro revisor do processo do Mensalão do PT, Ricardo Lewandowski, votou pela condenação do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, por corrupção ativa. Ele seguiu o entendimento do relator, Joaquim Barbosa. Lewandowski descreveu Delúbio Soares como um "personagem onipresente" do processo. Destacou que ele atuou sempre em conjunto com Marcos Valério, outro que já foi condenado pelos dois ministros.
"Marcos Valério e Delúbio Soares são os dois grandes articuladores deste esquema criminoso e de repasse de verbas a políticos para os mais diversos fins: apropriação pessoal, para fins eleitorais e, talvez, pode ser até para compra de consciência em algum caso", afirmou o revisor.

PT quer volta de Pizzolato para não prejudicar réus


O ex-diretor de do Banco do Brasil, o petista corrupto Henrique Pizzolato está sob pressão do Partido dos Trabalhadores para retornar ao País imediatamente. Ele se encontra desde julho “na Europa”, segundo seu advogado, mas há informações de que ele foi para a Itália para fixar residência, porque tem dupla cidadania, fugindo da condenação que já sofreu no Supremo Tribunal Federal. Seria um Salvatore Cacciola II, que recebeu habeas corpus do ministro Marco Aurélio Mello e se mandou do Brasil, enquanto respondia processo. Segundo avaliação da cúpula do PT, o sumiço de Pizzolato prejudicaria os demais réus do Mensalão do PT. Réus como José Dirceu e os ex-dirigentes do PT, José Genoino e Delúbio Soares, temem ser prejudicados pelo sumiço de Pizzolato. O petista Pizzolato foi condenado à unanimidade por vários crimes, no caso do Mensalão do PT, e quase certamente terá de cumprir prisão em regime fechado.