sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Evo Morales é acusado de engravidar filha de ministra

O líder opositor boliviano Samuel Doria Medina reafirmou em um programa de TV que o ditador boliviano, o indio cocaleiro trotskista Evo Morales engravidou uma filha menor da ministra Nemesia Achacollo, em um escândalo que anima a Bolívia. Doria Medina denunciou inicialmente no Twitter que Morales seria "pai com uma menor e que isto tinha implicações": "Perguntem à mãe dela: Nemesia Achacollo". Na quarta-feira, o ex-candidato à presidência e líder da Unidade Nacional (UN) confirmou na televisão que o índio cocaleiro Evo Morales engravidou a filha da ministra Achacollo, mas que não lhe cabe apresentar as provas, e sim, à Justiça. A acusação gerou uma severa reação de Achacollo, ministra do Desenvolvimento Rural e Terras: "Não peço que se desculpe ou ao menos que se retrate, mas lhe advirto que neste país há leis e que existe a Justiça. Farei tudo ao meu alcance para que esta infâmia não fique impune. O que vai ser da minha filha, que está em casa atemorizada?" - perguntou Achacollo entre soluços, ao lado de colegas do gabinete e membros do Congresso. "O senhor Doria Medina, que fez a acusação, a infâmia, agora deve apresentar provas", disse Achacollo, que também é secretária executiva da Federação Nacional de Mulheres Camponesas da Bolívia. Doria Medina "está querendo prejudicar a imagem do nosso presidente e para tal utiliza as mulheres, as crianças, mas estou aqui para enfrentá-lo, com as organizações sociais e as ministras aqui presentes". O vice-presidente Alvaro García entrou na polêmica ao afirmar que "se o senhor Doria Medina fosse honesto, apresentaria as provas imediatamente ou pediria desculpas, se possível de joelhos, à senhora e a sua filha". O índio cocaleiro Evo Morales, que não comentou o assunto, é pai de duas adolescentes que residem com suas respectivas mães, em Oruro (oeste) e Cochabamba (centro). Seria ele também um "pegador" ao estilo do bispo esquerdopata priápico paraguaio Fernando Lugo? E o que as feministas têm a dizer sobre isto? E o que têm a dizer os defensores da infância e da juventude?

Cristina Kirchner pede lei de "ética pública" para jornalistas na Argentina

A presidente da Argentina, a peronista populista e muito incompetente Cristina Fernández de Kirchner, defendeu nesta quinta-feira a criação de uma lei de "ética pública" para os jornalistas do país, em um novo ataque aos meios de comunicação opositores. A declaração foi feita na abertura da exploração de um poço de petróleo da empresa YPF, expropriada em abril. "Precisamos de uma lei de ética pública para o quarto poder de uma vez por todas na Argentina, para saber se quem difunde a informação recebe dinheiro de alguma empresa. Não me refiro aos meninos que vêm com um microfone ou gravador correndo e tentando fazer uma reportagem, mas àqueles que já são estrelas", disse. A presidente peronista fez referência a uma série de reportagens publicadas pelo jornal "Clarín", um dos principais opositores ao governo, sobre a ameaça de renunciar feita pelo presidente da YPF, Miguel Galuccio, após ser desautorizado por Cristina ao fazer um decreto sobre a exploração petroleira. A alusão às estrelas aconteceu porque as matérias publicadas pelo "Clarín" foram escritas por Marcelo Bonelli, jornalista que tem coluna no jornal e programa diário no canal TN, do mesmo grupo de comunicação. Cristina Kirchner o acusou de fazer essa matéria porque Bonelli tem um familiar e um sócio que trabalhavam para a área da publicidade da YPF quando a companhia era controlada pela espanhola Repsol. O contrato foi rescindido quando o Estado tomou conta da petroleira, em abril. A presidente argentina faz referências constantes aos meios de comunicação durante seus discursos, na maior parte criticando os meios opositores, especialmente o Grupo Clarín, a quem os governistas chamam de "monopólio".

Advogado de José Dirceu envia novo texto ao STF com apelo final

A defesa de José Dirceu protocolou nesta quinta-feira, no Supremo Tribunal Federal, um apelo derradeiro contra os argumentos da Procuradoria-Geral da República nos autos do processo do Mensalão do PT. Os advogados do ex-ministro-chefe da Casa Civil, réu pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa, tentam, nesse texto, refutar ponto a ponto os indícios apontados pela acusação. Eles sustentam que trechos do memorial entregue pela Procuradoria aos ministros da Corte contêm "omissões incompreensíveis". A petição dos defensores de José Dirceu, também denominada memorial, chega às mãos dos 11 ministros do Supremo na etapa mais importante do julgamento, faltando apenas uma semana do início da votação. No próximo dia 16 os magistrados começam a ler seus votos. O primeiro será lido pelo relator, Joaquim Barbosa. José Dirceu é apontado pela Procuradoria-Geral como mentor de "sofisticada organização criminosa" que teria sido montada para cooptação, mediante pagamentos mensais a parlamentares, em troca de apoio na votação de reformas promovidas pelo governo Lula. "Basta notar que, contra José Dirceu, o único testemunho judicial que consta dos memoriais da PGR é o de Virgílio Guimarães (ex-deputado PT-MG), que de tão vago e genérico nem sequer pode ser considerado um elemento indiciário dos fatos em apuração", assinala o documento, subscrito pelos criminalistas José Luís Oliveira Lima e Rodrigo Dall’Acqua.

Israel autoriza helicópteros de ataque do Egito contra terroristas na Península do Sinai

Israel autorizou nesta quinta-feira o Egito a utilizar seus helicópteros de ataque para combater terroristas islâmicos na península do Sinai, na fronteira com Israel. Os 14 membros do gabinete de segurança israelense aprovaram uma flexibilização temporária dos termos do acordo de paz de 1979, que limita a mobilização militar egípcia na Península do Sinai. A decisão ocorreu um dia após a operação do Exército egípcio que matou 20 terroristas no Sinai. No domingo passado, 16 guardas de fronteira egípcios morreram em um ataque dos terroristas islâmicos, que capturaram um blindado de transporte de tropas e entraram no território israelense, onde foram eliminados.