quinta-feira, 7 de junho de 2012

Fortunati tem vantagem sobre Manuela no diretório municipal do PP

Em levantamento feito pelo jornal Zero Hora, de Porto Alegre, faltando três dias para a realização da reunião que vai decidir a posição do PP na corrida pela prefeitura de Porto Alegre, os apoiadores da aliança com o atual prefeito José Fortunati (PDT) estão em vantagem. Após ouvir os iintegrantes do diretório municipal do PP, Zero Hora aponta que a coligação com o pedetista tem 46 votos em um universo de 107. Já a aliança com a deputada federal Manuela D'Ávila (PCdoB) recebe 22 votos. O diretório é formado por 101 membros, mas seis deles têm direito a votar duas vezes por exercerem mandatos eletivos. Foram ouvidos 93 membros do diretório. O levantamento inclui a posição de três suplentes, uma vez que três titulares informaram que não estarão presentes na reunião de segunda-feira e não tiveram a opinião computada. Outros 11 titulares não foram localizados. Além dos que abriram os votos a favor de Manuela ou Fortunati, 28 se disseram indecisos ou optaram por não revelar posição. Ou seja, entre os 107 votos, 39 não foram conhecidos. Confira como votariam hoje os membros do diretório municipal do PP: Pela aliança com José Fortunati - Adelar Rogério de Lima Marques, Andressa Kournowski Winter, Angelica Coelho Leal Richardt, Antonio Carlos C. Farias, Beto Moesch (2 votos), Carlos Fett Paiva Neto, Cassiane G. Nascimento, Cristiane de Azevedo Saffi, Daniela de Souza da Silva, Danuzi de Lorena Fraga, Deborah Pilla Villela, Eduardo de Aguiar Ribeiro, Lavinia Cristiane Palma, Gilmar Moraes de Lorena, Giovani Mariath Arisio, Gleci Maria De La Rocha, Guilherme Rangel Paradeda, Guilherme Socias Villela, João Antonio Dib (2 votos), João Carlos Cavalheiro Nedel (2 votos), Jose Juarez Silveira Pereira, Julio Cesar Fontoura, Julio Lo Pumo de Brito Velho, Kevin Chaves Krieger (2 votos), Luciano Silveira Fraga, Madalena Maggi Lumertz, Marco Antonio Amaral Seadi, Mariana Prais Puggina, Andrea Seadi Scherer, Marcelo Leal Markusons, Miguel Antonio Barreto, Monica Leal Markusons, Pedro Henrique Denardin, Jose Antonio Celia, Rochele Scott Marinho, Ronaldo Michalesen Napoleão, Sidnei Ayala, Tarso Roveda Boelter, Thomas Godoy Chagas Machado, Walton Pontes Carpes, Sergio Juarez Kaminski, Vanessa Castro Menezes; Pela aliança com Manuela D'Ávila - Ana Amelia Lemos (2 votos), Ana Maria de Araujo Costa Maia, Ana Regina Gorski Rodrigues, Carlos Pereira de Carvalho, Celso Bernardi, Cezar Gressler, Hermes Pereira Dutra, Isabel Cristina Geiss Nardes, José Antonio da Silva, Josue da Silva Lopes, Leandro Veloz Lopes, Luiz Antonio Franciscatto Covatti, Mano Changes (2 votos), Maria Rita Chang, Miguel Tedesco Wedy, Ney Michelucci Rodrigues, Roberto de Andrade Schuh, Roberto Scussel Lonzetti, Solange Concer Fortuna, Tulio Jairo Pires de Macedo; Indeciso/não revelou - Adão Oliveira da Silva, Antonio Gregorio Goidanich, Caetano Cuervo Lo Pumo, Candido Estevao de Lima Lemos, Carlos Eugênio Gonçalves, Celso Luiz Staub Lehnen, Claudio Jorge Dos Santos Alves, Cristiano Atelier Roratto, Erlon Jacques de Oliveira, Fabio Bandeira Machado, Geancarla Greogory, Gustavo Bohrer Paim, Jair de Oliveira Soares, Lauro Balle, Lino Pereira Leite, Lucas Muller Rieth, Luis Antonio Steglich Costa, Luiz Carlos Bueno de Lima, Luiz Carlos Mandelli, Marcelo Machado Soares, Maria das Graças B. da Silva, Newton Braga Rosa, Octávio Badui Germano, Paraguassu Reis da Silva, Paulete Zielinski, Paulo Renato Pultz, Sergio Luiz da Silva, Simone Della Bona; Não localizado - Andreia Pereira Fioravante, Caio Graco Sequeira da Silva, Eduardo Nemoto Rechden, Fernanda Pitrez Correa de Barros, Luiz Eduardo Barbosa, Marcia Pitrez Krieger, Marcia Rejane Dambroz, Mauro Fernandes de Quadros, Paula Berlowitz, Regina Paulo Paiva, Thiago Bandeira Machado.

Analista aponta risco de desinvestimento na América Latina no caso de colapso da Espanha

A Espanha é o segundo país que mais investe na América Latina e o retorno desses investimentos tem dado fôlego a empresas espanholas que enfrentam dificuldades em casa. Com o aprofundamento da crise financeira no país, porém, a dúvida é se algumas companhias espanholas seriam obrigadas a se desfazer dessas "jóias da coroa". Para o analista Wilber Colmerauer, diretor da consultoria Brasil Funding, em Londres, a possibilidade de que empresas espanholas tenham de reduzir seus investimentos e vender ativos na América Latina não pode ser ignorada: "Ninguém quer se desfazer de ativos lucrativos na região, mas esse é um cenário provável se a crise na Espanha descambar para um colapso financeiro. Primeiro porque a União Europeia deve pressionar por uma reestruturação das instituições financeiras espanholas antes de ajudar o país. Segundo, porque deve ficar cada vez mais caro para empresas espanholas rolarem suas dívidas". A Espanha conseguiu vender com êxito 2,6 bilhões de euros em bônus do governo nesta quinta-feira, com juros de 6%. No mês passado, o Bankia, quarto maior banco do país, pediu uma ajuda de 19 bilhões de euros ao governo, o que tem gerado incertezas entre investidores sobre a solidez do sistema financeiro espanhol. Recentemente, rumores de uma possível venda de 30% a 40% do Santander no Brasil para o Banco do Brasil, em um primeiro momento, e para o Bradesco, logo em seguida, repercutiram em jornais e sites brasileiros, apesar de as negociações terem sido negadas por executivos dessas instituições financeiras. O Santander já vendeu uma parte de seus ativos no Chile e se desfez de sua filial colombiana, conseguindo cerca de US$ 2 bilhões para reforçar sua posição na Espanha, onde a inadimplência está crescendo. O banco BBVA anunciou no mês passado que pretende liquidar total ou parcialmente seus fundos de pensão no Chile, Colômbia, Peru e México. Para Colmerauer, tais iniciativas indicam que a América Latina e o Brasil, em especial, podem ser afetados por um possível acirramento da crise espanhola, não só por uma redução do comércio bilateral, mas também pela saída de divisas.

Fitch rebaixa nota da Espanha para nível igual ao do Brasil

A agência de avaliação de risco Fitch Ratings anunciou nesta quinta-feira que rebaixou a "nota" atribuída à Espanha, país que enfrenta uma severa crise bancária. Também advertiu que, em sua próxima revisão dessa "nota", a "perspectiva" é negativa, isto é, as chances são maiores de um nova piora. O chamado "rating" soberano do país, que classifica a capacidade do país em saldar seus compromissos financeiros, passou de "A" (próximo ao topo da escala) para "BBB", a mesma "nota" atribuída ao Brasil. Com essa nota, a Espanha ainda é enquadrada na categoria "grau de investimento" (de menor risco de inadimplência), mas se distancia de seus pares mais robustos como Alemanha e França, países como a nota máxima "AAA". Na prática, a Fitch somente sanciona o que uma visão corrente do mercado financeiro: a Espanha se tornou um lugar mais arriscado para aplicar dinheiro, e por isso, grandes investidores vem exigindo juros mais altos para adquirir títulos de renda fixa emitidos por Madri.

Iraque executa secretário do ex-presidente Saddam Hussein

O secretário pessoal do ex-presidente Saddam Hussein, Abed Hmud, que foi preso em junho de 2003 e condenado à morte pelo seu envolvimento em crimes contra a Humanidade, foi executado nesta quinta-feira no Iraque. Em comunicado, o Ministério da Justiça iraquiana confirmou a aplicação da pena de morte de Hmud, a mesma condenação que Saddam foi submetido no dia 30 de dezembro de 2006. O secretário do ex-ditador iraquiano foi considerado culpado, em outubro de 2010, pelo assassinato de influentes líderes religiosos no Iraque. O ex-vice-primeiro-ministro Tarek Aziz e o ex-ministro do Interior Sadun Shaker também foram condenados à morte sobre a mesma acusação. Hmud figurava no quarto lugar da lista dos responsáveis do regime de Saddam Hussein mais procurados pelas forças americanas depois da invasão do país em 2003. Em junho deste mesmo ano, o secretário pessoal de Saddam foi detido em Tikrit, sua cidade natal, localizada no norte do Bagdá. Além da condenação à pena de morte, Hmud tinha sido previamente condenado a prisão perpétua pelo assassinato de comerciantes durante o embargo econômico da comunidade internacional contra o Iraque na época de Saddam.

"Comunista" Protógenes Queiroz diz que vai se defender de pedido de investigação

O deputado federal Delegado Protógenes (PCdoB-SP) afirmou nesta quinta-feira em seu perfil no microblog Twitter que vai se defender contra o parecer apresentado pelo deputado federal Amauri Teixeira (PT-BA), que recomenda a abertura de processo disciplinar contra ele no Conselho de Ética da Câmara. "Recebo com respeito e tristeza o parecer do deputado Amauri Teixeira, do PT. Contraria os depoimentos dos delegados e documentos que me inocentam. Vou me defender!", disse Protógenes no Twitter. Ele já havia utilizado a rede social para dizer que o pedido de investigação queria desviar o foco da CPI do Cachoeira. Em mais uma declaração, também pelo Twitter, o Delegado Protógenes se defende, dizendo que "talvez o erro ético maior foi requerer a CPM do Cachoeira e revelar os ladrões desta República e aqueles que se revelam no processo". O deputado também acusa o relator da representação, movida contra ele pelo PSDB, de estar cumprindo acordo entre o PT e o PSDB para desviar as investigações da CPI da Delta. "Um passarinho me contou agora que o deputado Amauri Teixeira, do PT, cumpriu tarefa do PT em acordo com o PSDB. Querem desviar o foco da corrupção da Delta". Em outro ele afirma: "Desculpa, mas virei joguete da situação e da oposição". Protógenes é integrante da CPI do Cachoeira instalada pelo Congresso para investigar as relações do empresário com políticos e agentes privados. O deputado foi alvo de representação do PSDB depois que gravações feitas pela Polícia Federal indicaram sua proximidade com Idalberto Matias Araújo, o Dadá, apontado como integrante do grupo de Cachoeira.

Vice do governador petista do Distrito Federal casa filho em castelo da Itália

Enquanto o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), procura se defender na CPI do Cachoeira, seu vice, Tadeu Filippelli (PMDB), reuniu nesta quinta-feira, a nata da "sociedade" de Brasíllia e de seu partido em uma festa no Castelo Odescalchi, em Ladispoli, a 40 minutos de Roma, para celebrar as bodas de seu filho, Bruno Filippelli, e Gisela Jardim. Deputados e senadores peemedebistas, além do vice-presidente Michel Temer, foram convidados. O líder do PMDB na Câmara, Henrique Alves (RN), e o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foram alguns dos que aproveitaram o feriadão para ir à cerimônia, com esticadinha em Roma. Os noivos colocaram transporte até o castelo à disposição dos convidados que preferirem se hospedar na capital italiana. O casal poderá se gabar de ter se casado no mesmo castelo onde se casaram, por exemplo, os astros de Holywood Katie Holmes e Tom Cruise. A estrela pop Christina Aguilera e o produtor Jordan Bratman gastaram cerca de U$ 2 milhões (R$ 4 milhões) com a cerimônia no mesmo local. Petra Ecclestone, filha de Bernie Ecclestone, que preside a Foca (Associação de construtores da Fórmula 1), gastou R$ 35 milhões em uma festa no mesmo castelo. No ano passado o pai da noiva, diretor da Oi em Brasília, Jorge Jardim Moraes Filho, casou outra filha, Camila, mas em uma cerimônia mais modesta, em um hotel em Brasília. Filippelli é vice de Agnelo Queiroz e preside o PMDB local. É empresário do setor de bebidas e declarou à Justiça Eleitoral em 2010 patrimônio de R$ 8,4 milhões.

Supremo enquadra ministro Lewandowski

Os ministros do Supremo Tribunal Federal, com a reunião de quarta-feira em que foi marcado o início do julgamento do processo do Mensalão do PT para 1º de agosto, deram uma enquadrada no ministro Ricardo Lewandowski, que estava e está fazendo corpo mole para apresentar seu relatório como revisor. Lewandowski foi procurado por Lula, em sua casa, em São Bernardo do Campo, com o pedido para retardar o início do julgamento. Isso acontecendo, dois ministros precisariam se aposentar. Então precisariam ser escolhidos outros dois para o lugar. Até que fossem aprovados, teriam prescrito as penas, e todos os mensaleiros estariam livres. Agora Lewandowski está encostado na parede. Isso é resultado também da denúncia feita pelo ministro Gilmar Mendes, o qual tornou público o pedido de Lula feito na infame reunião no escritório de Nelson Jobim.

Presidente petista Rui Falcão confirma o óbvio, Lula deu aval para o golpe na militância e direção partidária em Recife

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, reconheceu na quarta-feira que o ex-presidente Lula deu respaldo à decisão da Executiva Nacional do PT de intervir no cenário eleitoral de Recife e justificou a imposição do nome do senador Humberto Costa como uma maneira de conter o “clima de fratricídio” na capital pernambucana. O dirigente petista minimizou a reação do atual prefeito, João da Costa, que chamou de antidemocrática a intervenção em Recife, e afirmou não acreditar em sua eventual saída do PT. O prefeito de Recife pleiteava a reeleição e foi o vencedor da convenção. Ao deixar na terça-feira a reunião da direção nacional do partido, não descartou a hipótese de sair da legenda. João da Costa será o primeiro prefeito de Recife a não disputar a reeleição. “Nós consultamos o ex-presidente Lula, que respalda a decisão. O prefeito saiu indignado, dizendo que ia sair, mas depois voltou atrás. É natural que nos processos de alta tensão política, como nas últimas semanas, as emoções tomem conta das pessoas. O agir toma o lugar do pensar. Hoje, ele já está com o pensar antes do agir”, afirmou Rui Falcão.

Inflação anual cai para 4,99% com a freada da economia

A forte freada da economia, a moderação do consumo e a crise externa estão ajudando a conter os aumentos de preços para o consumidor, o que abre caminho para o Banco Central promover novos cortes nos juros nos próximos meses. O IPCA, índice oficial de inflação, subiu 0,36% em maio. Ficou abaixo das previsões do mercado e foi inferior à taxa de abril (0,64%). A taxa acumulada nos 12 meses até maio atingiu 4,99%, a mais baixa desde setembro de 2010, segundo o IBGE. Apontado pelos dados do PIB do primeiro trimestre (alta de apenas 0,2%), o menor ritmo de atividade da economia e o receio de ampliar gastos em tempos de inadimplência crescente rebateram nos preços dos serviços, até então vilões da inflação. Com o consumo menos aquecido e uma folga menor no orçamento, comprometido para saldar dívidas, os preços dos serviços (de refeições fora de casa a empregados domésticos) subiram 0,21% em abril, menor nível desde outubro de 2009. Caíram os preços de serviços como passagens aéreas, pacotes de viagens, hotéis e outros. Para Eulina Nunes dos Santos, coordenadora do IBGE, a alta menor dos serviços pode estar ligada à menor disposição das famílias em consumir serviços que, em muitos casos, não são essenciais. Mas reflete também, diz ela, uma “saturação dos preços”, que já haviam subido muito (8,76% em 12 meses até maio), o que tornou muitos serviços caros e afastou uma parcela de consumidores.

Retirada de investimento é a maior desde 2008

A piora da crise na Europa e o fraco desempenho da economia brasileira provocaram uma forte retirada de dólares do País em maio. O saldo da conta financeira ficou negativo em US$ 6,3 bilhões no mês passado, pior resultado desde novembro de 2008, quando o mundo estava em pânico devido à quebra de bancos nos Estados Unidos. A conta financeira contabiliza todos os dólares que entram e saem do País em transações não comerciais. Já as trocas comerciais resultaram em um saldo positivo de US$ 3,6 bilhões em maio, compensando parte do deficit financeiro. Ainda assim, o fluxo total de dólares ficou negativo em US$ 2,7 bilhões, maior deficit em dois anos. Economistas explicam que é comum que investidores externos repatriem seu dinheiro em momentos de incerteza. Além disso, a redução do crescimento e a queda dos juros no Brasil diminuem a rentabilidade das aplicações, estimulando também a saída de recursos. Para completar, acrescentam, alguns investimentos aqui estão mais caros devido a uma série de medidas adotadas pelo governo ao longo dos últimos anos para conter a valorização do real. Mas, apesar da saída de dólares na conta financeira ter sido a maior em mais de três anos, economistas discordam sobre a gravidade do quadro.

Delta deixa de pagar funcionários demitidos no Rio de Janeiro

Passadas três semanas da decisão da Petrobras de rescindir o contrato das empresas que participavam do Consórcio Delta/TKK/Projectus para a construção de módulos do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, ex-funcionários reclamam que até agora não receberam o pagamento relativo à rescisão. Dizem também que sequer podem dar entrada no FGTS ou no seguro-desemprego, porque o consórcio não deu baixa na carteira de trabalho de nenhum deles e a documentação encontra-se toda bloqueada. Na última segunda-feira, a Delta entrou com pedido de recuperação judicial na Justiça do Rio de Janeiro. A decisão pegou os cerca de 800 funcionários de surpresa. Ao chegarem para trabalhar, encontraram todos os computadores bloqueados e foram informados da demissão. Jean Santana, técnico de edificações, que trabalhou durante seis meses na construção da Unidade Industrial de Tratamento, Recuperação e Armazenamento de Enxofre (URE) e da Unidade de Hidrotratamento de Nafta (HDT), diz que a empresa lhe deve algo em torno de R$ 20 mil pela rescisão além do pagamento do adiantamento, que acontecia todo dia 20 do mês.

Brasil começa a produzir energia das ondas do mar

O Brasil começa este mês a produzir energia a partir do aproveitamento das ondas do mar. A primeira usina de ondas da América Latina funciona no porto do Pecém, a 60 quilômetros de Fortaleza. O potencial é grande, asseguram os especialistas. O litoral brasileiro, de cerca de 8 mil quilômetros de extensão, é capaz de receber usinas de ondas que poderiam produzir até 87 gigawatts. Quem financia a experiência de Pecém é a Tractebel Energia, através do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica, com o apoio do governo do Ceará. Dois enormes braços mecânicos foram instalados no píer do porto do Pecém. Na ponta de cada um deles, em contato com a água do mar, há uma bóia circular. Conforme as ondas batem, a estrutura sobe e desce. O movimento contínuo dos flutuadores aciona bombas hidráulicas, que fazem com que a água doce contida em um circuito fechado circule em um ambiente de alta pressão. A pressão simula uma queda de água de 200 a 400 metros, diz Segen Estefen, professor de Engenharia Oceânica da Coppe. Neste projeto foram investidos R$ 15 milhões em quatro anos.

Advogado brasileiro é eleito juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos

O advogado brasileiro Roberto Caldas foi eleito para o cargo de juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), da Organização dos Estados Americanos (OEA). Com 19 votos, ele foi o candidato mais votado na eleição durante a 42ª Sessão da Assembleia Geral da OEA, ocorrida na quarta-feira, em Cochabamba, na Bolívia. Caldas é bacharel em direito pela Universidade de Brasília. Atua como advogado nas áreas de direitos humanos, constitucional, trabalhista, administrativo, ambiental, do consumidor, eleitoral e internacional. Ele também é membro da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, da Comissão Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae). Em nota, a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, disse que recebeu com grande satisfação a notícia da eleição de Caldas. Segundo ela, a eleição do candidato brasileiro ocorreu durante um importante momento da história do Brasil, no qual está se consolidando a democracia e o respeito aos direitos humanos. Claro, Roberto Caldas foi indicado para o cargo pelo governo petista de Dilma e Maria do Rosário, e a escolha dele é muito providencial, já que o governo petista está denunciado nessa mesma Corte por agressão aos direitos humaos.

Bank of America reduz preço-alvo de ações da Petrobras

A redução das estimativas de preço para o petróleo por parte do Bank of America Merrill Lynch levou a instituição a cortar o preço-alvo para as ações ordinárias da Petrobras, de R$ 33,50 para R$ 30,75. Mas a recomendação foi mantida em "compra", principalmente por conta do período de crescimento esperado para começar entre 12 meses e 18 meses. O resto da década, prevê o BofA, deve ser de expansão para a estatal brasileira. A redução no preço-alvo para os papéis foi feita, segundo relatório da instituição, por conta do possível atraso no reajuste dos combustíveis que a desvalorização do petróleo deve trazer. Antes de reduzir as projeções para o preço do barril Brent de petróleo (7,3% a menos) e também para o WTI (queda de 8,7%), a expectativa era que a alta no valor da gasolina e do diesel viria no segundo semestre deste ano. Agora, ela foi para o começo de 2013. A projeção do banco americano é de um lucro líquido 13% menor para este ano, frente à perspectiva anterior, sendo US$ 2,72 por ação. Para 2013, a estimativa caiu 8%, para US$ 3,67 por papel. Atualmente, o cálculo do BofA é que a gasolina e o diesel estão sendo vendidos pela Petrobras com um desconto entre 21% e 22% em relação aos preços praticados internacionalmente.

Comando Ambiental da Brigada Militar interdita 15 pedreiras por atuação irregular no Rio Grande do Sul

Uma operação do Comando Ambiental da Brigada Militar reallizada na quarta-feira em 19 municípios de quatro regiões do Rio Grande do Sul interditou 15 pedreiras por atuação irregular. Doze delas estão localizadas no Vale do Paranhana, onde ocorreu a maior parte das fiscalizações. A operação foi realizada com o objetivo de fiscalizar a extração ilegal de produtos minerais e também o comércio, transporte e utilização de explosivos, necessários para extração do basalto (pedra ferro). Segundo o CABM, estes produtos são frequentemente roubados, furtados ou desviados dos depósitos para utilização em assaltos a bancos, carros fortes e até em ações contra a polícia. Foram vistoriados 57 empreendimentos, sendo que 15 deles tiveram as atividades suspensas, e gerados 21 termos circunstanciados, principalmente pela falta de licença ambiental. Também foram emitidas 11 notificações para que os responsáveis apresentem a documentação que alegaram possuir. Segundo o CABM, as áreas apresentam degradação sem possibilidade de recuperação. Os 19 municípios percorridos são Taquara, Três Coroas, Gramado, Igrejinha, Santo Antônio do Palma, São Domingos do Sul, Parobé, Nova Prata, Paraí, Nova Bassano, Carlos Barbosa, Bento Gonçalves, Veranópolis, Flores da Cunha, Antônio Prado, Ipê, Nova Roma do Sul, Santa Rosa e Três de Maio.

Inaugurado Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul em Porto Alegre

Foi inaugurado na quarta-feira, em Porto Alegre, o Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (InsCer/RS), que atenderá pacientes com doenças neurodegenerativas e lesões cerebrais. Localizado em frente ao Hospital São Lucas da PUC, na Avenida Ipiranga, o Instituto, vinculado ao Parque Científico e Tecnológico da Universidade (Tecnopuc), receberá pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), de convênios e particulares, que terão acesso a tecnologias de diagnóstico. No futuro, também poderão receber terapias com células-tronco e novos fármacos. O InsCer/RS será o único centro de diagnóstico do Estado com um aparelho de tomografia por emissão de pósitrons acoplado a uma tomografia computadorizada (PET/CT) na mesma unidade de um cíclotron (acelerador de partículas), que transforma os átomos estáveis em átomos radioativos. O material radioativo é usado como marcador para "rastrear" anormalidades durante os exames. Com esta tecnologia é possível diagnosticar e distinguir a doença de Alzheimer de outras demências. No diagnóstico do câncer, a PET/CT é capaz de alterar o tratamento em 15% a 30% dos casos devido ao aperfeiçoamento na detecção do estágio da doença. O Instituto também conta com um aparelho de ressonância magnética que gera imagens quatro vezes mais nítidas que os convencionais, possibilitando a avaliação de tumores e a diferenciação de outras lesões.

MAIS UM - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA AFASTA CONSELHEIRO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO CEARÁ

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça determinou o afastamento de Teodorico José de Menezes Neto do cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Ceará. A decisão, que seguiu o voto da presidente do inquérito, ministra Nancy Andrighi, ainda quebrou os sigilos bancário e fiscal de Teodorico e de outros dez indiciados, entre eles o deputado estadual Teo Menezes (PSDB), filho do conselheiro. O grupo é investigado por supostamente se organizar para desviar recursos públicos em um caso que ficou conhecido como "escândalo dos banheiros". Por meio de convênios com o Estado, entidades civis receberam recursos para a construção de módulos sanitários para beneficiar famílias carentes das cidades de Pacajus, Pindoretama, Cascavel, Chorozinho e Horizonte. Investigação do Ministério Público estadual levantou indícios de que houve desvio desses recursos, que jamais teriam revertido para o projeto social. As associações não só estariam ligadas, como o elo convergiria para os investigados, sendo o conselheiro o ponto comum entre todos. À época, ele era o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Ceará. O afastamento de Teodorico não tem prazo e é uma medida cautelar para assegurar a ordem pública e o recolhimento de provas sem a interferência da autoridade. A ministra Nancy Andrighi destacou que, durante o afastamento, o conselheiro não poderá ter acesso às dependências privativas de servidores e membros do Tribunal de Contas do Estado, especialmente às áreas reservadas do seu gabinete, nem poderá utilizar carro oficial. O grupo é investigado por formação de quadrilha, falsidade ideológica e peculato. Os membros das associações beneficiadas são servidores comissionados do TCE-CE nomeados por Teodorico Menezes Neto e, além do deputado Teo Menezes, outros dois filhos do conselheiro estariam envolvidos no esquema. Em um dos episódios, em julho de 2010, um servidor do TCE-CE que integra uma das associações teria quitado, com cheque no valor de R$ 157, 8 mil, o financiamento de um imóvel no nome do conselheiro junto à Caixa Econômica Federal. No mesmo dia, a associação havia recebido R$ 200 mil relativos ao convênio. A pedido do Ministério Público Federal, o Superior Tribunal de Justiça deu prazo de 30 dias para que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) emita parecer sobre a movimentação bancária dos indiciados. O afastamento do deputado Teo Menezes, também requerido pelo Ministério Público Federal, foi negado, porque a ministra Nancy Andrighi concluiu que, até o momento, não há elementos concretos de que ele tivesse ciência da origem de R$ 131 mil doados para sua campanha e que, supostamente, teriam sido repassados por pessoas ligadas às associações envolvidas no esquema. Os Tribunais de Contas dos Estados têm se revelado uma enorme fonte de corrupção. Mais de um terço dos conselheiros de todos os tribunais estão sob investigações gravísssimas. E mesmo assim esses tribunais seguem sem qualquer controle. Eternamente dorme no Congresso nacional projeto de lei que criaria controle externo dessas cortes corruptas, e mesmo assim um conselho nacional absolutamente corporativista. É compreensível, a classe política brasileira precisa da conivência dessas cortes corruptas para manter seus desvios de recursos públicos. É como diz o ditado popular: uma mão lava a outra...