domingo, 26 de fevereiro de 2012

Rick Santorum critica desculpas de Obama em caso do Corão

Rick Santorum, pré-candidato republicano às eleições presidenciais americanas de 2012, afirmou neste domingo que o Afeganistão deveria se desculpar pela reação excessiva à queima de exemplares do Corão. O cristão conservador, postulante à indicação do partido, disse que "não houve nenhum ato de falta de respeito" pelas autoridades da base militar americana de Bagram, ao norte de Cabul, onde aconteceu o episódio na madrugada de segunda para terça-feira. Segundo Santorum, o presidente afegão Hamid Karzai e a população é que deveriam pedir desculpas "pelos ataques e assassinatos" de militares americanos, "e por terem reagido, de forma exagerada, a um erro cometido por inadvertência". Os ataques dos afegãos "contra nossos soldados são o verdadeiro crime", destacou. Santorum criticou o presidente democrata Barack Obama por ter pedido desculpas por esse ato. Desculpas que, segundo ele, não eram necessárias. O adversário de Santorum, Mitt Romney, considerou por sua vez domingo, no canal Fox News, que as desculpas apresentadas por Obama "incomodaram muita gente".

PT de Belo Horizonte aprova continuidade de aliança com atual prefeito, mas sem PSDB

Em votação simbólica no começo da tarde de sábao, a corrente Articulação, com cerca de 25% dos delegados do PT de Belo Horizonte, aprovou a manutenção da aliança eleitoral com o prefeito Marcio Lacerda (PSB), mas sem a presença do PSDB. Integra essa corrente o ex-ministro Patrus Ananias, que votou com a maioria dos integrantes. A aprovação da aliança com essa restrição foi uma forma de responder ao PSDB que, na sexta-feira, se reuniu com a direção estadual do PSB e com Lacerda para entregar as suas oito exigências para a formulação da aliança, entre elas, a de palpitar e vetar o eventual nome petista que for escolhido candidato a vice na chapa de Lacerda.

Ex-atleta Ronaldinho Gaúcho se candidata a disputar Olimpíada

O ex-atleta Ronaldinho Gaúcho, de 31 anos, quer disputar os Jogos Olímpicos de Londres, este ano. Para tanto, teria que ser um três jogadores com mais de 23 anos chamados pelo técnico Mano Menezes. "É uma grande competição, claro que estamos motivados para estar lá", disse ele neste domingo, na Suíça, onde a seleção disputa amistoso contra a Bósnia, nesta terça-feira: "Claro que vou fazer minha parte para estar lá". Ronaldinho participou de duas edições das Olimpíadas. Em 2000, era uma das estrelas do time treinado por Vanderlei Luxemburgo, eliminado por Camarões de forma vexatória nas quartas de final, quando tinha dois jogadores a mais.

Farc anunciam fim de sequestros e libertação de reféns

A guerrilha colombiana das Farc (organização terrorista e traficante de cocaína) anunciou neste domingo que vai libertar dez reféns, quatro a mais do que havia prometido em dezembro, ao mesmo tempo em que declarou que vai renunciar à prática do sequestro de civis, conforme um comunicado publicado em sua página na Internet. "Queremos comunicar nossa decisão de que realizar a anunciada liberação de seis prisioneiros de guerra, além dos quatro restantes em nosso poder", afirmou o comunicado, subscrito pelo Secretariado (o centro de poder da organização) das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Os dirigentes do grupo terrorista e narcotraficante, o mais importante e antigo do país, com mais de 47 anos de existência e 9.000 combatentes, também anunciaram a renúncia ao sequestro de civis como mecanismo para financiar economicamente suas atividades. No comunicado, as Farc aceitaram também que o governo brasileiro facilite a logística para a liberação dos dez reféns, como já feito em ocasiões anteriores. O regime petista em vigor no Brasil é o pai o Foro de São Paulo, o qual as Farc já fizeram parte. A decisão das Farc representa mais uma admissão de parte desta organização terrorista sobre suas dificuldades militares. Afinal de contas, a prática de sequestros vai contra a intenção da guerra de guerrilhas, que é a de mover uma guerra de movimentos. Manter reféns imobiliza tropas.

Juros continuarão caindo, diz presidente do Banco Central

O Banco Central pretende continuar baixando a taxa básica de juros do Brasil, a Selic, atualmente em 10,5% ao ano, até que ela chegue a um dígito, afirmou neste domingo o presidente da instituição, Alexandre Tombini. "O Banco Central sinalizou recentemente que há uma alta probabilidade de que tenhamos no Brasil no futuro uma taxa de um dígito. Essa estratégia não se alterou até hoje", afirmou Tombini na Cidade do México, onde participa de reunião entre ministros da Fazenda e presidentes de bancos centrais do G-20 (grupo de países ricos e em desenvolvimento). O Banco Central vem reduzindo a taxa básica desde agosto, e há dúvida no mercado de quanto mais é possível baixar. Tombini evitou falar da relação entre juros e a pressão inflacionária, mas notou que há grande preocupação do Banco Central brasileiro e dos demais bancos centrais mundo afora com os preços do petróleo, que sofrem uma escalada ante os temores de um conflito no Irã.

Alckmin anuncia candidatura de José Serra e sugere adiamento das prévias em São Paulo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), avisou ao secretário José Aníbal (Energia) e ao deputado Ricardo Tripoli que o ex-governador José Serra participará das prévias do PSDB para a escolha do candidato à prefeitura de São Paulo. Na conversa, realizada na manhã deste domingo no Palácio dos Bandeirantes, Alckmin apelou para que concordassem com o adiamento das prévias. A ambos o governador pediu que não criassem embaraço à inscrição de Serra e que aceitassem o adiamento da consulta interna em duas semanas. A data inicialmente prevista é 4 de março, próximo domingo. Na reunião, Alckmin deixou evidente que o secretário estadual Bruno Covas (Meio Ambiente) concordaria em abrir mão em favor de Serra. O governador ponderou ainda que o secretário de Cultura, Andrea Matarazzo, teria dificuldades de concorrer contra Serra, de quem é amigo e aliado político. No início da tarde, Matarazzo comunicou a seu grupo de apoiadores que concederia uma entrevista coletiva para anunciar sua desistência de disputar as prévias.

Escolha de membros da Comissão da Verdade preocupa Dilma

Uma preocupação ajuda a explicar a demora de Dilma Rousseff para nomear os membros da Comissão da Verdade. A presidente tem dito que o grupo não é "como um ministério", em que você pode trocar os ocupantes caso apareçam restrições ou denúncias. A presidente não quer ex-presos políticos nem militares no grupo, para que não se transforme num "palco para ajustes de contas", diz um auxiliar. A comissão, ainda não instalada, foi criada no final de 2011 pela presidente Dilma Rousseff para apurar violações aos direitos humanos cometidas por agentes do Estado entre 1946 e 1988.

Ministro do Supremo defende fim do foro privilegiado

Mais antigo dos integrantes do Supremo Tribunal Federal, onde despacha há 23 anos, o ministro Celso de Mello, de 66 anos, defende a extinção do foro privilegiado para todos os políticos e autoridades em matéria criminal. O ministro diz que o benefício não tem similar no mundo e deveria ser limitado a casos de delitos cometidos em razão do mandato. A mudança só seria possível se o Congresso aprovasse uma emenda à Constituição acabando com o privilégio, mas o ministro afirmou que pensa em propor a seus colegas no STF uma solução alternativa.

Fortunati demonstra preocupação com nota divulgada pela Andrade Gutierrez

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT), passou a demonstrar ostensiva preocupação com a nota oficial divulgada pela Andrade Gutierrez na última sexta-feira. Ele admitiu que a situação é preocupante e revelou ter conversado com o presidente do Inter, Giovanni Luigi, que mostrou-se surpreso com o comunicado da construtora divulgado à imprensa. "A nota da Andrade Gutierrez surpreendeu a todos. Consegui conversar com o presidente Giovanni Luigi somente no sábado pela manhã, que mostrou a mesma surpresa. Isso traz uma novidade preocupante. Se já tínhamos questões pendentes e uma expectativa em relação à demora na assinatura do contrato entre Inter e Andrade Gutierrez, indiscutivelmente, a nota publicada nos jornais de sábado coloca uma "pimenta" no assunto", comentou o prefeito. Mesmo com a nota publicada, onde a Andrade Gutierrez alega que ainda não assinou a parceria com o Inter porque o Banrisul não respondeu ao pedido de financiamento, Fortunati garante que o banco não irá atender a solicitação da empreiteira sem que haja garantias. "Não será a pressão de uma nota que fará o Banrisul atender ou não os desejos da Andrade Gutierrez. O Banrisul depende de regras que são estipuladas pela direção e também regras nacionais, impostas tanto pelo Banco Central quanto pela inflação federal, que não permite que o banco saia emprestando de qualquer forma", disse ele. Fortunatti ainda acrescentou: "Começo a achar que estamos chegando ao final de uma novela. Não vou passar panos quentes, ou isso desata nos próximos dias ou uma definição pública terá de ser tomada, tanto do Inter quanto da Andrade Gutierrez. O que nos preocupa é que isso coloque em xeque a própria Copa do Mundo. À medida em que os prazos começam a passar sem uma definição, todos ficam preocupados".

Lobistas e falastrões usam Marina Mantega para influenciar pessoas no governo Dilma Roussef

A revista Veja denuncia que uma empresa que diz ter parceria com a filha do ministro da Fazenda tenta conseguir negócios no governo. A modelo e atriz Marina Mantega.; Seu sócio é Bruno Queiroga, um advogado lobista e falastrão, segundo Veja. O nome da empresa é Fidelity e José Fernando Sarney, neto de Sarney, é um dos sócios. Uma das "agraciadas" pelos contatos seria o grupo Bertin. Não andam fáceis os dias do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Há alguns meses, ele lida com um sério problema de saúde em família: o câncer da esposa Eliane Berger, que já o fez pensar em deixar o governo, para acompanhar o tratamento. Além disso, ele tem sido cobrado pela presidente Dilma Rousseff para encerrar de vez a guerra interna no Banco do Brasil, onde alas rivais travam duelos de vida ou morte. Reportagem da revista Veja desta semana, revela que lobistas, em Brasília, estariam usando o nome da filha do ministro, Marina Mantega, para fechar negócios bilionários no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal, duas instituições que estão subordinadas ao Ministério da Fazenda. A reportagem menciona até uma operação específica: um empréstimo de R$ 1,6 bilhão para o grupo Bertin, um dos principais do País na área de carnes e leite. No Rio Grande do Sul, o grupo Bertin, associado a empresários espanhóis, tocará o projeto Cais Mauá Brasil, de R$ 500 milhões. Mantega reagiu com indiferença à reportagem. Disse que não irá processar as pessoas que estariam usando – em vão – o nome de sua filha. Não é a primeira vez que Marina traz problemas ao pai. Na campanha presidencial de 2010, um dossiê preparado pelo PT revelou que ela mantinha encontros com o executivo Paulo Caffarelli, vice-presidente do BB, para encaminhar pedidos de patrocínio no banco. À época, os dossiês foram atribuídos à ala sindical do BB, liderada pelo deputado Ricardo Berzoini, e Mantega saiu ileso. Na verdade, saiu até fortalecido do episódio. Agora, no entanto, sua família é exposta num momento de fragilidade. Mantega já foi alvo de denúncias no episódio da queda do presidente da Casa da Moeda, Luiz Felipe Denucci. O jornalista Vicente Nunes, do Correio Braziliente, também publicou a informação de que ele teria pedido demissão à presidente Dilma no início de fevereiro.

Warren Buffett revela em carta que o seu sucessor foi escolhido

A Berkshire Hathaway já identificou seu próximo presidente-executivo, que vai substituir Warren Buffett quando o bilionário de 81 anos não comandar mais a companhia, afirmou o investidor em sua carta anual a acionistas no sábado. O plano de sucessão tem sido discutido por acionistas há anos, mas anteriormente a empresa havia revelado apenas que o conselho trabalhava com os nomes de três candidatos. Isso mudou em alguma medida com a carta na qual Buffett deixou claro que há um sucessor escolhido agora. "O conselho está entusiasmado em relação ao meu sucessor, uma pessoa com quem tiveram muito contato e cujas qualidades administrativas e humanas eles admiram", disse Buffett, acrescentando que existem dois candidatos como "reservas". Buffett afirmou, no entanto, que não pretende deixar o comando da empresa no curto prazo. Embora o nome do sucessor não tenha sido revelado, o palpite mais forte entre os especialistas na Berkshire é que seja Ajit Jain, que comanda o negócio de resseguros do grupo. A Berkshire planeja separar o cargo de Buffett em três, nomeando um presidente-executivo, um presidente do conselho e alguns gestores. A contratação de Todd Combs e Ted Weschler como gestores nos últimos dois anos foi vista como um avanço no processo sucessório na parte de administração dos investimentos da Berkshire.

Procuradoria apura agressão de promotor contra juíza no carnaval

Está prevista para esta terça-feira a chegada em Salvador de uma juíza que foi agredida por um promotor durante o carnaval prolongado de Porto Seguro, na região sul da Bahia, na noite da última quinta-feira. Segundo o Boletim de Ocorrência, registrado na delegacia de Porto Seguro, a juíza disse que foi agredida com socos, chutes e pontapés por um promotor de Justiça. O motivo da agressão não foi divulgado. A juíza passou por exame de corpo e delito no Instituto Médico Legal de Porto Seguro. O promotor Valmiro Macedo, designado para apurar o caso, disse que uma equipe do Ministério Público vai a Porto Seguro investigar de perto os motivos da agressão. Segundo a assessoria do Tribunal de Justiça da Bahia, a juíza tem direito à medida protetiva, que impede que o promotor se aproxime a menos de três metros dela.

Indústria em Santa Rita do Sapucaí é a única do Brasil a produzir tokens

Uma indústria de Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas Gerais, é a única empresa do ramo eletrônico no país a produzir o token, um tipo de dispositivo de segurança criado para usuários que acessam contas de banco online. Praticamente do tamanho de um chaveiro, o aparelho é fornecido pelas agências bancárias. Na empresa, que possui cerca de 130 funcionários, são produzidos cerca de 10 mil tokens por dia. Já foram vendidas mais de 2,5 milhões de aparelhos no Brasil e para mais 4 países. A indústria possui também mais de 1 milhão de encomendas feitas pelos principais bancos nacionais, espanhóis e norte-americanos. O token é considerado uma evolução dos cartões de segurança para o acesso às contas. Com o dispositivo, as movimentações ficam mais seguras porque a cada 30 segundos um código de acesso diferente é gerado ao cliente. "Em Santa Rita do Sapucaí conseguimos mais mão-de-obra e parcerias. Dessa maneira foi possível melhorar a qualidade e fazer um dispositivo que lê os detalhes da operação", explica o sócio diretor de operações da empresa, Fernando Lau.

Gastos do governo petista com festas crescem 314% em cinco anos

Nem a queda de sete ministros por suspeitas de corrupção, muito menos os cortes orçamentários e a estagnação de programas carros-chefes do governo como o PAC e o Minha Casa, Minha Vida, atrapalharam o governo federal de bancar festividades oficiais e homenagens ao longo de 2011, quando os gastos em comemorações atingiram R$ 54,2 milhões, 19,5% a mais do que no ano anterior (R$ 45,4 milhões). Se levarmos em conta os dispêndios para esse tipo de evento nos últimos cinco anos o crescimento é de 314%. Segundo dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi), divulgados pela ONG Contas Abertas, em 2007, primeiro ano do segundo mandato do ex-presidente Lula, tais despesas somaram pouco mais de R$ 17 milhões. No ano seguinte, tiveram um acréscimo de 40% e saltaram para R$ 24 milhões. Já em 2009 o aumento foi de 30%, ultrapassando os R$ 31 milhões. Em 2010, ano das eleições presidenciais, o governo desembolsou R$ 45,5 milhões, o que representou um aumento de quase 45% em relação ao ano anterior.

Analistas concordam com negativa do Banrisul em dar empréstimo para Camargo Correa fazer reforma do Beira-Rio

Com a publicação de uma nota da construtora Andrade Gutierrez na imprensa responsabilizando o Banrisul pelo atraso nas obras de reforma do Beira-Rio, o impasse sobre o futuro do estádio colorado deixou de ser assunto de torcedor e virou debate entre especialistas do sistema financeiro. O entrave na liberação de recursos ocorre porque o Banrisul afirma não ter recebido garantias suficientes da empreiteira em relação à contrapartida da obra. A construtora busca crédito da linha ProCopa do BNDES, da qual o Banrisul é agente repassador no Estado. Conforme a Andrade Gutierrez, a garantia seria de 20% em relação ao total investido. Para o Banrisul, o que foi apresentado não é suficiente para repassar os recursos. Economistas e consultores do sistema financeiro dão razão ao banco, que reluta em liberar recursos para a modernização do estádio. Para os especialistas, o solicitante tem de oferecer garantias que sejam válidas para a instituição financeira, como em qualquer empréstimo. Conforme um executivo familiarizado com as negociações, o que pode estar ocorrendo é que a Andrade Gutierrez estaria querendo sair do negócio e só não o fez por pressão do governo federal. Na tentativa de justificar essa saída, teria jogado o problema para o Banrisul. Já o governador petista Tarso Genro diz que a construtora assumiu a responsabilidade de um negócio e agora está querendo repassá-la ao Banrisul.