quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Sobe para 600 o número de feridos em acidente ferroviário na Argentina

Desastre em Buenos Aires
Autoridades argentinas elevaram para 600 o balanço de feridos na colisão de um trem contra a plataforma da estação Once de Septiembre, na região central de Buenos Aires, na manhã desta quarta-feira. Pelo menos 49 pessoas morreram no acidente. A colisão desta quarta-feira foi o pior acidente ferroviário registrado na capital argentina nos últimos 80 anos. Antes desta quarta-feira, o último incidente com trens na Argentina tinha sido registrado no dia 18 de dezembro, quando uma locomotiva se chocou contra um trem repleto de passageiros parado em uma estação da periferia sul da capital, o acidente deixou 17 feridos. Em 13 de setembro de 2011, nove pessoas morreram e 212 ficaram feridas no choque de dois trens e um ônibus em uma passagem de nível do bairro metropolitano de Flores, a oeste, em um dos episódios mais graves dos últimos anos. Uma investigação foi aberta para apurar as causas da colisão. A linha ferroviária urbana Sarmiento opera com intensidade em uma distância de até 70 km e transporta diariamente cerca de meio milhão de pessoas. Os trens utilizados pela empresa são da década de 1960.

Cosan compra fatia de controle da ALL

A Cosan deu mais um passo de diversificação da receita para além das commodities e seus preços cíclicos, ao fechar acordo para comprar quase 6% da empresa de logística ALL. A maior produtora de açúcar e etanol do Brasil se dispôs a pagar mais que o dobro do valor da ação da ALL negociada na Bovespa, o que motivava queda expressiva dos papéis da sucroalcooleira na Bolsa paulista. Usuária intensiva de logística para movimentar sua produção, a Cosan acertou a aquisição de quase 39 milhões de ações da ALL por um total de R$ 896,5 milhões, ajustado pelo IPCA. Com base nesses dados, é possível se chegar a um valor de R$ 23,00 atribuído a cada ação da ALL na operação, um prêmio de quase 110% sobre o preço do papel da companhia na Bolsa no fechamento da sexta-feira passada. Em fato relevante no final da terça-feira, a Cosan informou que se comprometeu a comprar ações da ALL de Riccardo Arduini, Julia Dora Koranyi Arduini e GMI (Global Market Investments). Trinta e quatro milhões do total de 38,98 milhões da ALL envolvidas no negócio estão vinculadas ao acordo de acionistas da empresa de logística, segundo a Cosan. O casal Arduini continuará com participação de 3,20% na ALL após a operação de venda de parcela da fatia na empresa para a Cosan. A entrada da Cosan no capital da ALL depende de autorizações regulatórias e do aval dos demais integrantes do acordo de acionistas da empresa de logística, permitindo, inclusive, a entrada da sucroalcooleira no grupo de controle da ALL. A Cosan já possui um braço de transportes, a Rumo Logística. A empresa, criada há cerca de três anos com foco na movimentação de açúcar, opera em acordo com a ALL e tem frota própria de locomotivas e vagões.

CNBB critica corte no orçamento da Saúde

O baixo financiamento federal da saúde no País e o corte de R$ 5,4 bilhões no orçamento de 2012 do Ministério da Saúde, anunciado na semana passada, foram alvo de críticas da CNBB, que lançou nesta quarta-feira a campanha da fraternidade deste ano, com o tema da saúde. "Não é exagero dizer que a saúde pública no País não vai bem", afirmou dom Leonardo Steiner, secretário-geral da entidade, sentado ao lado do ministro Alexandre Padilha. Dom Leonardo classificou como "preocupante" o corte dos R$ 5,4 bilhões e como "frustrante" a aprovação da Emenda 29, em 2011, sem ampliação dos gastos federais em saúde, o que parte dos parlamentares quis aprovar, mas foi barrado pelo Palácio do Planalto. Outras críticas foram feitas durante o evento, como a falta de investimento em novas tecnologias e a terceirização dos gastos em saúde.

Dominique Strauss-Kahn é liberado da prisão em Lille

Dominique Strauss-Kahn foi liberado nesta quarta-feira da prisão, depois de um dia de detenção provisória em Lille, no norte da França, onde foi ouvido pela polícia sobre o caso Carlton. O ex-diretor geral do FMI "está satisfeito por ter sido ouvido", declarou o seu advogado. Strauss-Kahn foi detido na terça-feira em Lille (norte da França) para investigações sobre seu envolvimento com redes de prostituição e por "ocultação de abuso de bens sociais", em processos paralelos ao escândalo sexual no qual esteve envolvido no hotel Sofitel, de Nova Iorque. Ele foi ouvido sobre as festas libertinas das quais teria participado em Paris e em Washington para que os investigadores determinem se as mulheres que participavam das mesmas eram prostitutas. As testemunhas sobre o caso disseram que várias viagens de mulheres foram organizadas e financiadas por dois empresários do norte da França, Fabrice Paszkowski, diretor de uma empresa de equipamentos médicos, e David Roquet, ex-diretor de uma filial do grupo de obras públicas Eiffage. A última dessas viagens aconteceu de 11 a 13 de maio na capital dos Estados Unidos, às vésperas da prisão de Strauss-Kahn no caso do hotel Sofitel de Nova Iorque.

Boeing diz que 55 jatos Dreamliners podem ter problema na fuselagem

Cerca de 55 unidades do jumbo 787 Dreamliner podem ter uma falha recentemente descoberta na fuselagem, afirmou a Boeing nesta quarta-feira. A fabricante tinha anunciado no começo deste mês sinais de "delaminação" em uma estrutura de suporte na fuselagem traseira, o mais recente da série de problemas no desenvolvimento do revolucionário avião. A Boeing está examinando os Dreamliners já montados para saber se apresentam sinais similares de estresse, que creditou a uma falha no processo de construção. "Todos os aviões que foram construídos até o de número 55 têm potencial para essa questão", disse o presidente-executivo da Boeing Commercial Airplanes, James Albaugh. Ele disse que o problema pode ser reparado. Apesar de componentes de compósito de carbono já existirem há anos, o 787 é o primeiro avião comercial construído principalmente com esses novos materiais, que reduzem o peso da aeronave e ajudam as companhias aéreas a economizarem combustível. Albaugh afirmou que as inspeções podem afetar a entrega dos aviões a curto prazo, mas a companhia ainda espera atingir a meta para este ano. Os primeiros seis modelos produzidos são geralmente para testes. Analistas disseram que a descoberta da falha cerca de nove semanas após a aeronave ter entrado em operação aumentou as dúvidas sobre se a Boeing é capaz de aumentar a produção para dez aviões por mês até o fim de 2013, das atuais 2,5 aeronaves. A Boeing até agora entregou cinco desses aviões para a japonesa All Nippon Airways, que começou a usá-los em dezembro.

BNDES aprova emissão de R$ 2 bilhões em títulos de médio e longo prazos

O BNDES aprovou a emissão de R$ 2 bilhões em debêntures não conversíveis em ações pela BNDESPar, braço de participações do banco. A emissão poderá ser elevada em até 35% caso haja demanda e terá três séries. As debêntures são títulos de dívida de médio e longo prazos que conferem ao detentor do título, o debenturista, um direito de crédito contra a emissora. Assim, ao comprar uma debênture, o investidor passa a ser credor da empresa, no caso, do banco. Serão emitidas até dois milhões de debêntures ao valor unitário de R$ 1 mil. Essa será a sexta emissão de debêntures da BNDESPar e a segunda dentro do programa de valores mobiliários arquivado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em 2010. A data prevista para a emissão é 1º de abril e o valor será atualizado pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) mais juros, a serem definidos pelo processo de "bookbuilding" para cada série. A data de vencimento será 15 de maio de 2019. O Conselho de Administração do BNDES se reúne na próxima sexta-feira para aprovar o resultado do banco em 2011. Até setembro, o lucro havia sido de R$ 7,9 bilhões, um aumento de 29,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os desembolsos do BNDES fecharam o ano de 2011 em R$ 139,7 bilhões, 17% abaixo de 2010.

Israel aprova construção de 695 casas na Cisjordânia

O Ministério da Defesa de Israel aprovou a construção de 695 casas em assentamentos judaicos na Cisjordânia, entre elas 195 que já haviam sido erguidas na colônia de Shiloh. A autorização foi expedida pela Administração Civil na Judeia, Samaria e Gaza, um órgão vinculado ao Ministério da Defesa de Israel. A decisão buscava legalizar a construção de quase 200 imóveis no bairro de Shvut Rachel, no assentamento de Shiloh, que já tinham sido construídos, mas que não contavam com as permissões necessárias das autoridades. O movimento Paz Agora havia recorrido ao Tribunal Supremo para que condenasse as construções, mas ao solicitar a medida obteve a resposta de que já haviam sido autorizadas. As demais casas serão construídas em outros assentamentos do conselho de Biniamin, no distrito palestino de Ramallah. Os assentamentos são o principal obstáculo às negociações de paz na região, interrompidas desde setembro de 2010 pela construção em áreas que Israel ocupou em 1967.

Mais corpos são achados no transatlântico Costa Concordia

Costa Concordia
Ao menos quatro corpos foram encontrados nesta quarta-feira na parte submersa do navio Costa Concordia, que naufragou em 13 de janeiro diante da ilha italiana de Giglio, com mais de 4.000 pessoas a bordo. "Os corpos de várias vítimas foram localizados, e aparentemente são quatro. As operações para resgatá-las já foram iniciadas", informou Francesca Maffini, porta-voz do comissário do governo designado para acompanhar o caso, no qual morreram 32 pessoas e 15 estão desaparecidas. "Os corpos estão em estado de decomposição depois de todo esse tempo na água. É difícil dizer exatamente quantos são", afirmou uma fonte da equipe de resgate. A agência de defesa civil da Itália, cujo chefe Franco Gabrielli foi designado pelo governo para cuidar da remoção dos destroços, afirmou que os corpos foram achados no convés 4. Os mergulhadores realizam suas tarefas de buscas baseando-se nas informações dos sobreviventes sobre onde poderiam estar as pessoas desaparecidas.

Piloto alemão Nico Hulkenberg é o mais rápido no circuito da Catalunha

Nico Hulkenberg
O segundo dia de treino da pré-temporada da F-1, nesta quarta-feira, foi dominado por um alemão, mas da Force India, e não da Red Bull, como aconteceu no dia anterior. Nico Hulkenberg foi o mais rápido no circuito da Catalunha, em Montmeló. Hulkenberg cravou o tempo de 1m22.608s. O mexicano Sergio Perez, da Sauber, foi o segundo mais rápido. Já Sebastian Vettel, da Red Bull, fez 1min22s891, ficou com o terceiro tempo mais rápido. Vettel havia liderado o primeiro dia de treinos, com o melhor tempo na parte da manhã e da tarde. Nesta quarta-feira, ele foi o piloto com menos voltas percorridas, apenas 31. Fernando Alonso, da Ferrari, e Lewis Hamilton, da McLaren, tiveram um desempenho discreto e ficaram com as quinta e sexta posições, respectivamente, entre dez pilotos. Os brasileiros Felipe Massa, da Ferrari, e Bruno Senna, da Williams, não participaram do treino nesta quarta-feira. Estes foram os melhores tempos da primeira sessão de treinos: "1 ) Nico Hulkenberg (ALE) - Force India - 1min22s608; 2) Sergio Perez (MEX) - Sauber - 1min22s648; 3) Sebastian Vettel (ALE) - Red Bull - 1min22s891; 4) Daniel Ricciardo (AUS) - Toro Rosso - 1min23s639; 5) Fernando Alonso (ESP) - Ferrari - 1min23s640; 6) Lewis Hamilton (ING) - McLaren - 1min24s040; 7) Nico Rosberg (ALE) - Mercedes - 1min24s555; 8) Valteri Bottas (FIN) - Williams - 1min25s858; 9) Vitaly Petrov (RUS) - Caterham - 1min26s605; 10) Charles Pic (FRA) - Marussia - 1min28s092.

Fracassa o diálogo entre agência nuclear da ONU e Irã

A agência nuclear da ONU disse nesta quarta-feira que não houve acordo com o Irã nas discussões sobre as atividades do país, e que Teerã rejeitou o acesso de inspetores a uma instalação militar. O fracasso dos dois dias de reuniões pode atrapalhar a eventual retomada de negociações nucleares mais amplas entre o Irã e seis potências mundiais, e contribuir com a tensão do país com o Ocidente, que nos últimos meses intensificou suas sanções a Teerã. Uma equipe da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) esperava inspecionar uma instalação em Parchin, a sudeste de Teerã, onde a agência acredita haver uma câmera de contenção para testar explosivos, permitindo o desenvolvimento de armas. "Durante a primeira e segunda rodada de discussões, a equipe da agência solicitou acesso à instalação militar de Parchin. O Irã não concedeu a permissão para que essa visita ocorra", disse a AIEA em nota divulgada na sua sede, em Viena. "É frustrante que o Irã não tenha aceitado nossa solicitação de visita a Parchin. Nós nos envolvemos em um espírito construtivo, mas nenhum acordo foi alcançado", disse o diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano. O Irã rejeita as acusações de que seu programa nuclear acoberta uma tentativa de desenvolver bombas atômicas, e diz que seu objetivo é apenas gerar eletricidade com fins civis. Mas sua recusa em abandonar atividades atômicas sensíveis, que podem ter finalidades civis e militares, e seu histórico de anos de segredos no programa nuclear, levam a medidas cada vez mais duras da ONU e, paralelamente, dos Estados Unidos e de países europeus.