quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Ministério Público gaúcho processa músico por causa de letra de rap

O deputado estadual petista Adão Villaverde, presidente da Assembléia Legislativa gaúcha, diz que é contrário ao processo crime movido contra o músico Tonho Crocco pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul. Esse processo está sendo promovido a pedido do ex-presidente da Assembléia, atual deputado federal Giovani Cherini (PDT-RS). Problema: como a ação é promovida pelo Ministério Pùblico, só ele tem a titularidade do processo. A ação fica indisponível. Portanto, o deputado Adão Villaverde fica em uma posição cômoda, se diz contra, mas o processo contra o músico continua. E ele é processado por que? Ora, porque ousou criticar na letra de um rap, chamado "Gang da Matriz", os deputados que se atribuíram um vergonhoso e milionário aumento salarial. Ora, Lula chamou deputados federais de "bando de picaretas", isso foi para um rock conhecido da banda Paralamas do Sucesso, e não aconteceu nada. Nenhum promotor ou procurador, no País inteiro, achou que Lula deveria ser processado por aquilo. Mas, no Rio Grande do Sul, que não cansa de produzir espetáculos lastimáveis, ocorre um ataque dessa ordem à liberdade de expressão, de manifestação, de criação artística, de crítica, sob o manto de proteção do Ministério Público. É para isso que os cidadãos pagam salários milionários a promotores e procuradores de Justiça? Eles não se envergonham? Promotores e procuradores justos e democratas não se indignarão com o que estão fazendo com a instituição? Aliás, é praticamente um hábito do Ministério Público gaúcho dar guarida a ações criminais contra jornalistas por suas opinições e até mesmo pelas informações que divulgam. Esse é o mesmo Ministério Público que se recusou a investigar denúncia protocolada de supostas corrupções e desvios de dinheiro no Daer. Veja o rap de Tonho Crocco abaixo.

STF aprova orçamento que prevê salário de R$ 30 mil a ministros

O Supremo Tribunal Federal aprovou nesta quarta-feira sua proposta orçamentária para 2012, que prevê um salário de R$ 30,6 mil aos ministros e outros gastos, como R$ 4 milhões para trocar vidros do prédio principal (com a possibilidade de blindagem) e um projeto de R$ 2,8 milhões para construir um prédio da TV Justiça. Os dados foram enviados à Presidência da República, que repassará a proposta ao Ministério do Planejamento, para a inclusão no Projeto da Lei Orçamentária Anual a ser enviado ao Congresso até o fim do mês. No total, o Supremo quer um orçamento de R$ 614 milhões para o ano que vem. Deste total, R$ 391 milhões são referentes a gastos com pessoal. O valor foi calculado pelo tribunal já levando em conta a aprovação de projetos de leis que tramitam hoje no Congresso Nacional prevendo reajustes no subsídio dos ministros e no plano de carreira dos servidores do poder Judiciário. Por isso, os salários aparecem maiores. Atualmente, um ministro do Supremo ganha R$ 26.725,00 - valor que representa o teto do funcionalismo público. Se o projeto for aprovado e o salário aumentar, esse teto aumenta para todos os Poderes. Só para obras e projetos, o Supremo pede R$ 18,9 milhões. Além dos vidros e prédio para a televisão, o orçamento também prevê outro projeto de R$ 2,8 milhões para a ampliação da garagem do tribunal, modernização da iluminação (R$ 787 mil) e a construção de uma torre para abrigar três novos elevadores (R$ 3 milhões), cujo projeto será assinado pelo escritório de Oscar Niemeyer. "São obras absolutamente indispensáveis para o Supremo", disse o diretor-geral da Corte, Alcides Diniz. Em relação à nova sede da TV Justiça, a idéia é construir um prédio de 3.000 metros quadrados, cuja obra, se aprovada, só deverá ser concluída em 2015 e depende de aprovação do Governo do Distrito Federal.

Dívida pública dos Estados Unidos supera 100% do PIB

A dívida pública dos Estados Unidos atingiu 100% do Produto Interno Bruto (PIB) nesta quarta-feira, um dia após o Congresso aprovar a elevação do teto da dívida, informou o departamento do Tesouro americano. Segundo o relatório diário sobre as finanças públicas divulgado pelo Tesouro, a dívida federal subiu na terça-feira US$ 238 bilhões, somando US$ 14,5807 trilhões, superando o PIB de 2010, de US$ 14,5265 trilhões. Na terça-feira, o presidente Barack Obama aprovou um aumento do limite de endividamento de US$ 2 trilhões. Na terça-feira, o presidente americano, Barack Obama, assinou a lei que aumenta o teto da dívida pública americana apenas algumas horas antes de expirar o prazo para que o Tesouro declare a moratória. A promulgação ocorreu nas últimas horas antes do prazo final dado pelo Tesouro americano, meia-noite desta terça-feira. A partir desta data, o governo já não podia garantir o pagamento aos investidores dos juros sobre seus títulos.

Senado aprova MP que reajusta tabela do IR em 4,5%

O Senado aprovou nesta quarta-feira a MP (medida provisória) que corrige a tabela do Imposto de Renda das pessoas físicas em 4,5%. Como a MP foi aprovada sem mudanças em relação ao texto que passou na Câmara, segue para sanção da presidente Dilma Rousseff. Com a correção da tabela do IR em 4,5%, a faixa de isenção passou para R$ 1.566,61 neste ano (era de R$ 1.499,15 no ano passado). A MP estabelece ainda uma política de reajustes até 2014. Em 2012, a isenção será para ganhos até R$ 1.637,11; em 2013, até R$ 1.710,78; em 2014, até R$ 1.787,77.

D'Urso lança pré-candidatura a prefeito de São Paulo pelo PTB no sábado

O presidente da OAB de São Paulo, Luiz Flávio Borges D'Urso, será lançado pré-candidato a prefeito de São Paulo pelo PTB no próximo sábado. No evento, que ocorrerá na Assembléia Legislativa de São Paulo, D'Urso também se filiará ao PTB. Além dos presidentes estaduais e municipais do PTB, estarão presentes ao lançamento o ex-deputado Roberto Jefferson e o presidente nacional do PTB, o senador Gim Argello, além do advogado do partido, Luiz Francisco Correa Barbosa. A pré-candidatura de D'Urso foi negociada com o presidente do PTB de São Paulo, deputado estadual Campos Machado, há dois meses. D'Urso está no terceiro mandato como presidente da seccional paulista da OAB. O PTB tem negociado com outros partidos, como o PDT, uma aliança para 2012. "Mas não estamos negociando a cabeça de chapa", disse D'Urso. Campos Machado estima que comparecerão à festa petebista cerca de 5.000 pessoas. De acordo com o presidente do PTB paulista, em 2012 o partido vai lançar a candidatura de 500 prefeitos nos 645 municípios do Estado.

Comissão do Senado aprova recondução de Gurgel à Procuradoria Geral da República

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal aprovou nesta quarta-feira, por 21 votos a 1, a recondução de Roberto Gurgel ao cargo de procurador-geral da República. Ele foi sabatinado pelos senadores. Gurgel foi indicado pela presidente Dilma Rousseff para mais dois anos no comando do Ministério Público Federal. Ele está no cargo desde 2009 e, se for aprovado pelo Senado, vai continuar como procurador-geral até 2013. O mandato de Gurgel à frente da Procuradoria Geral da República terminou no último dia 22. Com isso, o subprocurador-geral da República, Eugênio Aragão, cancelou suas férias para assumir interinamente o Ministério Público Federal. Ele assumiu a função dia 25. Até o fim do processo, o cargo de Aragão é ocupado por Sandra Cureau, que é vice-procuradora-geral eleitoral. Durante a sabatina na Comissão de Constituição e Justiça, Gurgel precisou responder sobre algumas atitudes à frente do órgão, como a decisão de arquivar as denúncias de enriquecimento incompatível com a renda do então ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. Gurgel afirmou que não viu indícios de crimes nas suspeitas e para que fosse possível pedir a quebra de sigilo bancário de Palocci era necessário ter mais provas. "O que sustentei essencialmente foi que a lei penal não tipifica como crime a incompatibilidade entre o patrimônio e a renda declarada", disse Gurgel, durante a sabatina.

Ex-ditador do Egito nega participação em morte de manifestantes

O ditador deposto do Egito Hosni Mubarak e seus filhos Alaa e Gamal, acusados de envolvimento na morte de manifestantes e de corrupção, se declararam inocentes nesta quarta-feira diante do Tribunal Penal do Cairo. "Nego completamente as acusações", declarou Mubarak, deitado em uma maca dentro da "gaiola" reservada aos réus no lotado tribunal. Em seguida, seus filhos tomaram a palavra para rejeitar as acusações. Eles seguravam cópias do Corão. Mubarak, seus filhos, o empresário Hussein Salem, o ex-ministro do Interior Habib al Adli e seis de seus assessores enfrentam um julgamento inédito no Egito por seus crimes de corrupção no governo e por ordenar que as forças de segurança matassem os manifestantes oposicionistas que participaram da revolta de 18 dias que o depôs, em fevereiro passado. Um balanço oficial do governo diz que 850 morreram na revolta.

Corte francesa decide se investiga Christine Lagarde, chefe do FMI

A Justiça francesa vai decidir nesta quinta-feira se a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, deverá ser formalmente investigada por ter aprovado um pagamento compensatório a um amigo do presidente Nicolas Sarkozy quando era ministra das Finanças. Se a corte de Justiça da República endossar o pedido da procuradoria, estará lançando uma cortina de fumaça sobre a gestão de Lagarde no FMI, um mês depois de ela ter sido nomeada para o cargo em meio à turbulência econômica mundial. Promotores dizem que Christine Lagarde abusou de seu poder ao aprovar um pagamento de 285 milhões de euros ao empresário Bernard Tapie, em 2008, para compensá-lo em sua alegação de que o banco Crédit Lyonnais (na época, estatal) o fraudou na venda de sua participação na Adidas, em 1993. Ex-ministro de esquerda, Tapie mudou de lado no espectro político para apoiar a campanha presidencial de Sarkozy, em 2007. O empresário perdeu a causa na mais alta instância judiciária da França, em 2006, e estava apelando da decisão quando Sarkozy chegou ao poder. Christine Lagarde nega que tenha agido de modo impróprio. Ela passou por cima das objeções de alguns altos funcionários do ministério para deixar de lado o caso na Justiça e seguiu adiante com a mediação, argumentando ser necessário resolver rapidamente a longa disputa.

Entrada de dólares em julho é a segunda maior da história

As duas medidas cambiais anunciadas pelo governo no mês passado levaram o País a registrar a segunda maior entrada de dólares da série histórica iniciada em 1982 pelo Banco Central. O Brasil recebeu US$ 15,8 bilhões em julho (diferença entre o que entrou e saiu de moeda estrangeira no País), segundo dados do Banco Central. O valor fica atrás apenas dos US$ 16,5 bilhões registrados em junho de 2007. O movimento do mês passado ficou concentrado em dois dias. No dia 11, primeiro dia útil após o anúncio de uma medida cambial, entraram no País US$ 7,4 bilhões. O valor foi trazido pelos bancos para liquidar parte das suas apostas contra o dólar no mercado à vista, uma exigência do Banco Central publicada na sexta-feira anterior.

Governo cancela benefício do Bolsa Família a 15 mil famílias

O Ministério do Desenvolvimento Social cancelou o benefício do Bolsa Família a 15.034 famílias em todo o País por conta de "faltas constantes à escola". A frequência às aulas de jovens em idade escolar é condição para que as famílias recebam a ajuda de custo mensal. No total, 297.441 famílias receberam algum tipo de notificação por descumprir a contrapartida da frequência escolar. O número corresponde a 2,29% do total de cerca de 12,9 milhões de famílias inscritas no programa. Segundo a nota, 86% dos alunos registrados no Bolsa Família foram monitorados pelos ministérios do Desenvolvimento Social e da Educação entre abril e maio. A maioria cumpriu o requisito de no mínimo 85% de frequência às aulas. Mais de 155 mil famílias, porém, receberam uma advertência por não atingir a meta. Outras 70 mil famílias tiveram o benefício bloqueado temporariamente e mais de 50 mil foram suspensas pela primeira ou segunda vez. Após essas punições, se a criança ou adolescente continuar descumprindo a regra, o benefício é cancelado. Das 15.034 famílias que perderam a ajuda de custo do Bolsa Família, mais de 9.000 estão no Sudeste: 6.161 vivem em São Paulo, 1.488 em Minas Gerais e 1.294 no Rio de Janeiro. Na região Nordeste, 2.383 famílias tiveram o benefício cancelado. No Sul, foram 2.196. O número de famílias que agora perdeu o benefício no Centro-Oeste e na região Norte é de 756 e 424, respectivamente.

TCU identifica centenas de empresas com sócios que são servidores públicos

O Tribunal de Contas da União identificou 733 empresas contratadas pelo governo federal que têm entre seus sócios servidores públicos, o que é proibido. Identificou também contratos entre empresas de parlamentares no exercício do mandato e o governo federal, muitos deles sem licitação. Mas não disse quantos e nem quais. Na verdade, o Tribunal de Contas da União encontrou muito mais ainda na auditoria feita em 142.524 contratos do governo federal entre 2006 e 2010. Informa o relatório sobre empresas que participaram de pregões cujos sócios, além de servidores públicos, integram a comissão de licitação. Mais: 1.470 empresas contratadas são inidôneas. Uma só empresa venceu 12.370 licitações, mas desistiu de todas para favorecer outras cujos lances eram mais altos. Outros 9.430 contratos receberam aditivos superiores a 125% (o limite é de 25%); duas empresas com os mesmos sócios participaram de 16.547 licitações; são muitas as dispensas de licitação sem justa causa. E vai por aí.

José Serra critica gasto fiscal de R$ 25 bilhões

O ex-governador de São Paulo, José Serra, alertou nesta quarta-feira, em sua página no Twitter, para as medidas adotadas pelo governo suíço para valorizar sua moeda. O tucano ressaltou que a diminuição de juros foi a fórmula encontrada pelo governo de lá. Enquanto isso, aqui no Brasil, critica Serra, o governo preferiu "subsidiar com gasto fiscal de R$ 25 bilhões a moeda supervalorizada. Ou seja, vamos gastar muito dinheiro para aliviar a dor das distorções da política econômica, não para combatê-las", critica Serra.

Montadoras terão redução de IPI até julho de 2016

O governo irá reduzir a alíquota de IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) para as empresas fabricantes de veículos automotivos instaladas no Brasil até 31 de julho de 2016. O valor da alíquota, no entanto, ainda será anunciado pelo governo por meio de decreto. A medida foi publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União. Segundo a Receita Federal, o objetivo é estimular a competitividade no Brasil e a agregação de conteúdo nacional nos veículos fabricados no País. Para poder receber o benefício, as empresas terão que atender a alguns requisitos, como investimento, inovação tecnológica e produção local.

Sarney rejeita criação de CPI por falta de assinaturas

Sem o apoio de mínimo 27 senadores, o pedido de criação da CPI da Corrupção que investigaria denúncias de corrupção no Ministério dos Transportes foi devolvido à oposição nesta quarta-feira pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A devolução representa, na prática, o arquivamento do pedido, o que levou senadores da oposição a recomeçarem do zero a coleta de assinaturas para tentar viabilizar a comissão. A atitude de Sarney segue o regimento do Senado, que prevê a leitura do pedido de investigações no plenário da Casa depois que ele é formalmente solicitado. Como o pedido da oposição não atendia o critério mínimo de assinaturas, acabou devolvido. DEM e PSDB tinham conseguido as 27 assinaturas na terça-feira, mas dois senadores governistas retiraram o apoio à criação da CPI. O PSDB recomeçou a coleta de assinaturas em uma ofensiva para tentar emplacar a comissão. O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), conseguiu até agora o apoio de 19 senadores às investigações, cinco deles integrantes de partidos governistas: Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE), Roberto Requião (PMDB-PR), Ana Amélia Lemos (PP-RS), Ricardo Ferraço (PMDB-ES) e Pedro Taques (PDT-MT).

Armas armazenadas em fóruns de São Paulo ficarão com a polícia militar

A Polícia Militar de São Paulo será responsável por guardar as armas de fogo apreendidas pela Justiça que antes ficavam nos fóruns do Estado. O acordo foi selado na terça-feira entre o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o presidente do Tribunal de Justiça, José Roberto Bedran. Um provimento da Corregedoria Geral da Justiça, a ser publicado nos próximos dias, vai definir de que modo a polícia vai retirar as armas e munições, que eram armazenadas pela Justiça por serem provas de processos. De acordo com o governo, São Paulo é o primeiro Estado a adotar a medida, que atende a uma determinação do Conselho Nacional de Justiça, publicada em junho.

MST ocupa sede do Incra de São Paulo

Cerca de 500 filiados do MST ocuparam nesta quarta-feira a sede da Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em São Paulo. Segundo o MST, o protesto tem como objetivo pressionar o governo para a pauta da reforma agrária, já que desde junho os trabalhos do órgão estariam paralisados, aguardando a nomeação de um novo superintendente. Os sem-terra querem a desapropriação de terras, regularização dos assentamentos já existentes, assistência técnica, crédito para a produção, infraestrutura e negociação das dívidas das famílias assentadas. Segundo Gilmar Mauro, da direção nacional do MST, o "Incra de São Paulo não tem superintendente, não tem assistência técnica proporcional à demanda, não tem dinheiro". "É mais fácil perguntarmos o que afinal temos para realizar a reforma agrária. É preciso compreender que a Reforma Agrária não depende apenas do MST, mas de toda a sociedade. Estamos reivindicando terra sim, mas também um outro modelo de produção que vai contra o que está sendo praticado pelas grandes empresas, com o apoio do Estado brasileiro. Trata-se de discutir se vamos continuar comendo esta comida envenenada, e que tipo de uso queremos dar aos nossos recursos naturais, que estão sendo transformados em mercadoria", afirmou Mauro.

PR formaliza saída do bloco governista no Senado

O PR formalizou nesta quarta-feira a saída do bloco do governo no Senado depois que a presidente Dilma Rousseff promoveu uma "limpeza" no Ministério dos Transportes, comandado pela sigla. Com a decisão, o partido fica livre para atuar de forma independente nas votações e decisões tomadas na Casa, sem ter que seguir a orientação do PT, principal partido do bloco. A saída dos seis senadores do PR faz com que o bloco do PMDB passe a ser o maior do Senado, com 28 senadores, contra 24 do bloco liderado pelos petistas. Antes da saída do PR, o bloco do governo era integrado por 30 senadores do PT, PR, PDT, PSB, PC do B e PRB. O PR formalizou o documento com o pedido para saída do bloco na Mesa Diretora do Senado. O senador Magno Malta (ES), líder do partido, disse que a decisão representa o "fim da cegueira" do partido apoiar todas as votações orientadas pelo Palácio do Planalto.

Conselho de Segurança da ONU condena violência na Síria

O Conselho de Segurança da ONU aprovou na tarde desta quarta-feira uma declaração presidencial, lida pelo presidente rotativo do Conselho de Segurança da ONU, o embaixador indiano Hardeep Singh Puri, condenando a violência do regime Sírio contra a população civil desde o início dos protestos e pediu o cessar imediato da violência. Depois de dois meses de bloqueio no Conselho de Segurança, os membros do órgão máximo da ONU condenaram as "violações generalizadas dos direitos humanos e o uso da força contra os civis por parte das autoridades sírias". O texto aprovado também solicita às autoridades sírias "o completo respeito aos direitos humanos" e que cumpram com "duas obrigações perante as leis internacionais", ao mesmo tempo que assegura que "os responsáveis pela violência devem ser responsabilizados" por suas ações. A declaração presidencial também pede que opositores do regime sírio evitem novas reações ao regime do ditador Bashar Assad. Um dos oito pontos do documento pede o "fim imediato de toda a violência e insta todos os lados a agir com máxima calma e evitem represálias, incluindo ataques contra instituições do Estado". Comparada com papel higiênico usado, este deve ter mais valor do que essa ridícula resolução da ONU.

Desoneração da folha para novos setores não sai em 2011, diz Pimentel

O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, disse nesta quarta-feira que, apesar da meta do governo de estender a desoneração da folha de pagamento a outros setores, novas medidas nesse sentido não devem ocorrer ainda neste ano. Os critérios para inclusão de novos setores na desoneração da folha serão definidos pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial, que contará com 18 ministros, e igual número de representantes industriais e sindicais. O CNDI, originalmente criado em 2003 (primeiro ano do governo Lula), será recriado nas próximas semanas. De acordo com técnicos do MDIC, os setores mais intensivos em mão de obra terão prioridade. A avaliação de Pimentel é de que não há tempo hábil para expandir o estímulo até dezembro, dado que a implantação das medidas anunciadas na terça-feira deve levar mais 60 dias.

TIM espera chegar a 60 milhões de linhas móveis até o fim do ano

A TIM Participações prevê a continuidade de crescimento em linhas móveis até o fim do ano e espera um maior fortalecimento de caixa na segunda metade de 2011. No último ano, a base de clientes móveis da operadora cresceu substancialmente, e em junho a companhia alcançou a Claro no segundo lugar do ranking do setor, com 25,55% de participação de mercado cada, fechando o mês com 55,5 milhões de linhas. A meta da TIM é chegar a 60 milhões de assinantes até dezembro. Segundo o vice-presidente financeiro da TIM, Claudio Zezza, a empresa pretende fortalecer a posição de caixa até o fim do ano e não deve emitir dívida.

Justiça derruba liminar e permite ação contra boicote de médicos

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região decidiu suspender a liminar que evitava ações do Ministério da Justiça contra o boicote de médicos a planos de saúde. Com isso, o governo volta a poder aplicar medidas contra médicos que aderirem ao boicote. A decisão da Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça de proibir os boicotes aconteceu após a paralisação ocorrida em de 7 de abril, quando houve suspensão de atendimento a clientes dos planos. Na ocasião, foram atendidas apenas urgências e emergências. Desde então, as entidades que representam a categoria dizem tentar negociar com 15 operadoras, que foram escolhidas aleatoriamente em uma primeira rodada de negociações. Algumas delas, no entanto, não responderam às solicitações de negociação ou não informaram o quanto pretendem reajustar. Por conta disso, está programado um novo boicote contra esses planos. São eles: Gama Saúde, Green Line, Intermédica, ABET (de uma empresa de telefonia), Companhia de Engenharia de Tráfego e Notredame. Os médicos querem passar a receber dos planos R$ 80,00 por consulta. Hoje, dizem, recebem em média R$ 30,00. Eles querem ainda a inserção, no contrato com as operadoras, de uma cláusula que preveja reajuste anual nos honorários com base no índice de aumento das mensalidades dos usuários autorizado pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

BNDES anuncia linha de R$ 4 bilhões para setor de petróleo e gás

Um dia após o anúncio de medidas de estímulo à indústria pelo governo, o BNDES informou que vai disponibilizar uma linha de R$ 4 bilhões para financiar a cadeia de fornecedores do setor de petróleo e gás natural até 2015. As taxas juros vão variar de 4,5% ano, para projetos de inovação, a 11,04%, para capital de giro, informou o banco. Além disso, o acesso para micro, pequenas e médias empresas, que representam 85% dos fornecedores do setor, será flexibilizado. O banco poderá financiar empresas de pequeno porte por meio de uma empresa-âncora com receita anual de mais de R$ 90 milhões. Essa empresa-âncora terá que fazer um plano de desenvolvimento para seus fornecedores, direcionando no mínimo 30% do financiamento à cadeia de fornecedores e subfornecedores. A medida vem ao encontro da nova estratégia da Petrobras de não utilizar mais o seu caixa para financiar seus fornecedores, um volume de recursos que atingia cerca de R$ 1 bilhão por ano. Por outro lado, a empresa tem necessidade, assim como as outras que atuam no setor no País, de cumprir um índice de conteúdo nacional exigido pelo governo nos seus projetos. O apoio do BNDES ajuda a liberar o caixa da estatal para os vultosos investimentos programados até 2015, de US$ 224,7 bilhões.

Tucano recua e assina novamente CPI, mas governista retira apoio

Pressionado pelo PSDB, o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) recuou e assinou novamente a lista para a criação da CPI da Corrupção do Senado nesta quarta-feira. Depois de formalizar na manhã a retirada de sua assinatura, o tucano voltou atrás. Em contrapartida, o senador Reditario Cassol (PP-RO) retirou seu nome, o que manteve em 25 o número de senadores que apóiam a comissão. Para que a CPI fosse instalada, seria necessário que 27 senadores assinassem o requerimento de criação da comissão.

Câmara aprova convite para ouvir mais cinco ministros

A Comissão de Fiscalização da Câmara aprovou nesta quarta-feira convites a cinco ministros e ao presidente da ANP (Agência Nacional do Petróleo), Haroldo Lima, para esclarecer suspeitas de irregularidades em suas respectivas pastas. Os requerimentos foram apresentados pelo deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP). A aprovação dos requerimentos foi possível graças acordo entre base e oposição para transformar as convocações em convites, ou seja, isto significa que os ministros não são obrigados a comparecer. O líder do governo na Casa, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), no entanto, já informou que apoia à ida de todos eles à Câmara. Foram convidados Paulo Bernardo (Comunicações) para prestar esclarecimentos sobre notícias que apontam seu envolvimento em negociações de contratos para obras rodoviárias e ferrovias em execução ou a serem executadas principalmente no Estado do Paraná; Paulo Passos (Transportes), para prestar esclarecimentos sobre possíveis irregularidades praticadas nos aditivos do Dnit (Departamento Nacional de Insfraestrutura de Transportes); Mário Negromonte (Cidades), para falar sobre suspeitas de corrupção na destinação de verbas e possível favorecimento de empresas doadoras de campanhas políticas; Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário e do Meio Ambiente) e Izabella Teixeira (Meio ambiente), para prestar esclarecimentos sobre acusações de ocupação ilegal de terras em áreas de proteção  ambiental e de assentamentos destinados à reforma agrária. O presidente da ANP, Haroldo Lima, deve falar sobre os indícios de corrupção na agência, como cheques, e-mails, relatos de empresários vítimas de extorsão e até um vídeo em que uma advogada que atua no ramo é achacada por dois assessores da ANP.

Venda de imóveis usados tem queda de 31% na cidade de São Paulo

A venda de imóveis usados teve queda de 31,31% na cidade de São Paulo em junho na comparação com maio, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo). Trata-se do terceiro mês seguido de retração neste tipo de comparação. O índice de vendas foi de 0,4937 para 0,3391. A pesquisa foi feita com 460 imobiliárias, que venderam 156 apartamentos e casas no mês. Segundo o Creci, os apartamentos superaram as casas na preferência dos compradores de imóveis usados em junho na capital paulista. Foram 108 apartamentos e 48 casas. Os imóveis mais vendidos foram aqueles de valor médio superior a R$ 200 mil, com 66,67% do total negociado pelas imobiliárias.

Brasil Maior pode estourar meta de desembolso do BNDES em 2011

A política industrial anunciada pelo governo Dilma, denominada Brasil Maior, pode colocar por água abaixo a meta de reduzir os desembolsos do BNDES. Ao ampliar de R$ 3,4 bilhões para R$ 10,4 bilhões a dotação de recursos que o BNDES pode emprestar como capital de giro a micro e pequenas empresas via o programa Progeren, a meta de repetir ou mesmo ficar abaixo dos R$ 143,7 bilhões emprestados pelo banco em 2010 pode ser furada. Nos primeiros cinco meses do ano, o BNDES desembolsou 6% menos que em igual período do ano passado. De acordo com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, os desembolsos do banco em 2011 podem chegar a R$ 147 bilhões, caso toda a dotação extra seja efetivada pelos empresários.

Com ressalvas, TSE aprova contas de campanha presidencial do PMDB

O Tribunal Superior Eleitoral aprovou, com ressalvas, as contas da campanha presidencial do PMDB referentes às eleições de 2010. A decisão é do ministro Arnaldo Versiani. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, após análise da documentação apresentada pelo partido, a área técnica do tribunal constatou a existência de inconsistências pontuais que, de acordo com o parecer, não chegam a comprometer a regularidade das contas. A primeira irregularidade seria uma doação de R$ 600 feita por uma empresa supostamente criada em 2010, o que contraria a lei eleitoral. O valor, contudo, aponta o parecer, representa apenas 0,013% do total de R$ 4,55 milhões arrecadados pela legenda. Assim, considerando os princípios da razoabilidade e proporcionalidade, a irregularidade não implicaria a desaprovação de contas.

Jornal diz que órgão omitiu informações em relatório do desastre do Airbus A330 da Air France

O jornal francês "Les Echos" divulgou na terça-feira um relatório confidencial sobre a investigação do desastre do Airbus A330 da Air France, que questiona o papel do alarme de estol (perda de sustentação) na tragédia. O vôo Rio-Paris caiu no Atlântico em 2009, matando os 228 ocupantes. De acordo com o jornal, o relatório foi feito no dia 25 de julho, quatro dias antes da divulgação da terceira análise sobre a tragédia pelo BEA, órgão do governo francês encarregado das investigações, que apontou erros dos pilotos por falta de treinamento. Segundo o "Les Echos", esse relatório teve suprimida uma parte que trazia uma explicação sobre o comportamento do alarme de estol, que foi acionado diversas vezes nos últimos minutos do vôo e indicava a queda livre do Airbus A330. O jornal diz ainda que, na versão divulgada pelo BEA, foi retirada uma recomendação às autoridades sobre o alarme, que constava no relatório confidencial. O BEA emitiu dez recomendações de segurança a partir das novas conclusões sobre o acidente. Dados registrados pelas caixas-pretas do Airbus mostram que o alarme de estol foi acionado e desativado diversas vezes, mesmo com a aeronave se mantendo em queda. O BEA confirmou ter retirado do relatório divulgado as referências ao alarme, alegando que as investigações sobre esse ponto ainda não foram finalizadas. A falta de referência ao alarme no relatório foi criticada pelo sindicato de pilotos da Air France, que considerou que "suas múltiplas ativações e interrupções intempestivas, em contradição com o estado do avião, contribuíram para dificultar à tripulação a análise da situação".

Paulo Bernardo é convidado a falar sobre irregularidades na Câmara

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle aprovou nesta quarta-feira requerimento para que o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) dê explicações na Câmara sobre seu envolvimento em negociações de contratos para obras rodoviárias e ferrovias, principalmente no Paraná. O documento foi aprovado após acordo entre base e oposição para transformar a convocação em convite. Ou seja, Paulo Bernardo comparece à Casa apenas se quiser. O líder do governo, deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP), no entanto, afirmou que todos os ministros estão dispostos a comparecer. Autor do requerimento, o deputado federal Vanderlei Macris (PSDB-SP), cita entrevista dada à Folha pelo ex-diretor do Dnit (Departamento Nacional de Insfraestrutura de Transportes) Luiz Antonio Pagot que fala que o órgão não "inventa orçamento". "O Pagot disse que Paulo Bernardo era responsável por todas as obras, principalmente no Paraná, quando era ministro do Planejamento. Então, queremos ouvi-lo sobre isso", explicou Macris.

PT consegue adiar votação da proposta que muda rito de MPs

O PT adiou nesta quarta-feira a votação da PEC (proposta de emenda constitucional) que muda o rito de tramitação das medidas provisórias no Congresso. O senador Aníbal Diniz (PT-AC) pediu o adiamento da votação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado com o argumento de que os partidos precisam "discutir melhor" a proposta do senador Aécio Neves (PSDB-MG) sobre as MPs. O impasse sobre a PEC das MPs vem se arrastando desde o primeiro semestre. Aécio fez mudanças no texto a pedido do governo em uma tentativa de aprovar a proposta, mas agora ameaça retomar o texto original com regras mais duras sobre as medidas provisórias se até a semana que vem não houver um acordo sobre a proposta. "O que está ficando claro é que o PT, que pediu vistas à matéria, prefere manter a situação atual. Abdicamos de muitas posições do meu parecer inicial. Se não houver entendimento, preferirei voltar à nossa proposta original", afirmou. Na principal concessão, Aécio retirou o artigo que impedia a vigência imediata da MP depois de editada pelo Poder Executivo sem antes passar pela análise do Congresso.

Rede social Google+ atrai 25 milhões de visitantes

A nova rede social do Google atraiu 25 milhões de usuários, se transformando no site mais rápido a conseguir tamanha audiência, de acordo com dados divulgados na última terça-feira pela comScore. O Google+, lançado no fim de junho, tinha 25 milhões de visitantes únicos até 24 de julho e crescia a uma taxa de aproximadamente um milhão de visitantes por dia, disse a comScore em uma apresentação. Em contraste, o Facebook levou cerca de três anos para atrair 25 milhões de visitantes, enquanto o Twitter precisou de apenas pouco mais de 30 meses, de acordo com a comScore. Embora os dados mostrem que a última tentativa do Google de entrar para a rede social tenha começado com força, isso não significa que o projeto é um sucesso a longo prazo. O MySpace chegou a 25 milhões de usuários em menos de dois anos, mais rápido que o Facebook ou Twitter. Porém, perdeu muitos internautas no último ano, apontou a comScore. Segundo os dados, 6 milhões de visitantes do Google+ vivem no Estados Unidos e mais de 3,6 milhões na Índia. Canadá e Grã-Bretanha aparecem com 1 milhão cada, enquanto Alemanha tem 920 mil e o Brasil, pouco mais de 780 mil. França e Taiwan têm cerca de 500 mil visitantes cada.

Comissão aprova realização de seminário sobre crimes na internet

A Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara aprovou na manhã desta quarta-feira a realização de um seminário sobre o polêmico projeto de lei que tipifica crimes na internet, conhecido como "Lei Azeredo". A data provável para sua realização é dia 24 de agosto. A aprovação do seminário significa, na prática, o adiamento da votação do projeto. Em junho, em meio aos ataques de hackers a sites do governo, a comissão chegou a marcar a votação do texto para a segunda semana de agosto. Esta tentativa de se aprovar o projeto, porém, foi prejudicada após a "Lei Azeredo" receber duras críticas de especialistas durante audiência pública realizada em julho. O projeto relatado pelo deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG) cria uma série de novos crimes, todos ligados ao ambiente digital. A difusão de código malicioso (vírus), o estelionato eletrônico e o acesso não autorizado a sistemas protegidos estão entre os tipos penais descritos no texto. Apesar de governo e sociedade civil concordarem com a necessidade de aprovação de um projeto de lei que defina e puna crimes na internet, o texto de Azeredo é rejeitado pelo Ministério da Justiça e por parte considerável de especialistas no tema. Entre as críticas feitas estão o excesso de novos tipos penais e a criminalização de atos cotidianos dos usuários da rede.

Valor pago pela Schin não inclui dívida

O valor de R$ 3,95 bilhões pagos pela Kirin por 50,45% da Schincariol não incluem a dívida da empresa, segundo o advogado João Ricardo de Azevedo Ribeiro, do escritório Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados, que assessoraram Adriano e Alexandre Schincariol. Os dois são donos da Aleadri-Schinni, empresa que detém os 50,45% da cervejaria Schincariol e que foi vendida para a Kirin. "Esse valor foi pago em dinheiro e não tem nada a ver com a dívida, embora a Kirin agora tenha se tornado acionista de uma empresa endividada", explica ele. Isso, porém, diz o advogado, não quer dizer que a japonesa tenha assumido os débitos da cervejaria brasileira. No balanço publicado em 31 de março pela Schincariol Participações e Representações (que engloba todas as empresas do grupo Schincariol) as dívidas financeiras da empresa somavam um montante líquido de R$ 828,5 milhões (empréstimos de curto e longo prazo, descontado o caixa da empresa). Além disso, em nota explicativa no mesmo balanço, a cervejaria e suas controladas tinham "perdas possíveis não provisionadas" que "têm ainda ações de natureza trabalhista, cível e tributária (...) nos montantes de R$ 127,3 milhões (trabalhista), R$ 185,9 milhões (cível) e R$ 1,790 bilhão (tributária)". Todas essas pendências juntas somam R$ 2,932 bilhões.

Autoridades encontram túnel que liga México aos Estados Unidos

As autoridades policiais do Estado mexicano da Baixa Califórnia descobriram dois túneis que eram utilizados para o contrabando de drogas e, provavelmente, para a passagem de imigrantes ilegais na fronteira do México com os Estados Unidos. Por meio de denúncia anônima, a polícia pôde encontrar as passagens que haviam sido abertas dentro de um galpão industrial. Uma delas já havia sido encontrada e cimentada no lado americano da fronteira, mas foi reaberta. Segundo especialistas da Promotoria Geral do México, um dos buracos tem 18 metros de profundidade e 26 metros de comprimento. Calcula-se que o segundo tenha dois metros de profundidade e dez de extensão. As autoridades americanas foram alertadas sobre a existência das passagens para que possam investigar o caso do outro lado da fronteira. Em janeiro deste ano, as forças de segurança do México encontraram um túnel de passagem de drogas na fronteira do município de Nogales, no Estado de Sonora, fronteira com os Estados Unidos. Localizado a uma profundidade de 1,5 metro, media 30 metros e sua saída para o estado do Arizona ainda seria construída. Em novembro do ano passado, uma outra passagem, com 800 metros de comprimento e com trilhos para transporte da droga, foi encontrada no país. Com saídas em Tijuana, no México, e em San Diego, nos Estados Unidos, possuía também pontos de luz e ventilação e o custo de sua construção é estimado em US$ 1 milhão.

Guido Mantega ironiza agência chinesa que rebaixou nota dos Estados Unidos

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, ironizou nesta quarta-feira a decisão tomada pela agência chinesa de classificação de risco Dagong Global de rebaixar a nota da dívida dos Estados Unidos de A+ para A. Para o ministro, os chineses deviam ter mais cuidado antes de tomar uma atitude como esta. "Eles deviam tomar cuidado, porque o principal credor dos Estados Unidos é a China e eles estão rebaixando os títulos que eles possuem. Não é o caso de rebaixamento dos Estados Unidos, porque do ponto de vista financeiro, o país vai continuar sólido e cumprindo suas obrigações", disse Mantega. O ministro disse ainda que o governo americano não deve ter condições de crescer nos próximos anos: "Eu acredito que o governo americano não tenha condições para fomentar o crescimento da economia. Tanto nos Estados Unidos, quanto na União Européia, a perspectiva é de uma recuperação demorada. Portanto, vai prejudicar o mundo todo". Segundo ele, apesar da crise atingir o mundo todo, nos países emergentes o impacto será menor.

Excesso de água limita visitação às Cataratas do Iguaçu

A vazão recorde de água nas Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, fez com que a administração do Parque Nacional do Iguaçu, interditasse, na terça-feira, parte das passarelas que dão acesso às quedas. A interdição atingiu a passarela que dá acesso à visão panorâmica da Garganta do Diabo, uma das principais quedas do parque. Os passeios de barco pelas corredeiras abaixo das cataratas também tiveram que ser suspensos ontem, mas já foram retomados. A visitação ao local continua ocorrendo, segundo a administração do parque. O grande volume de água se deve às fortes chuvas que atingiram a bacia do rio Iguaçu nos últimos dias. A vazão nas quedas chegou a 12,5 milhões de litros de água por segundo, o recorde do ano. O número é cerca de dez vezes maior do que o normal. Segundo a administração do parque, a interdição de parte das passarelas por causa da forte vazão acontece uma ou duas vezes por ano, mas sempre durante a época de chuvas, nunca no inverno.

Em depoimento, ministro Wagner Rossi apresenta documentos sobre venda de terreno

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, negou nesta quarta-feira em depoimento na Câmara dos Deputados irregularidades na pasta e na Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). Rossi foi à comissão, obedecendo estratégia do PMDB, para apresentar esclarecimentos aos deputados acerca de denúncias feitas por Oscar Jucá Neto, ex-diretor financeiro da Conab e irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). Jucá Neto, em entrevista à revista "Veja", acusou o ministro, indicação do vice-presidente Michel Temer (PMDB), de prometer dinheiro em troca do silêncio dele, demitido após realizar, por conta própria, um pagamento de R$ 8 milhões para um armazém em nome de laranjas. Além disso, o irmão de Romero Jucá, que ficou dez dias no cargo de diretor financeiro, segundo Wagner Rossi, afirmou à "Veja" que a Conab estava retardando um pagamento determinado pela Justiça à Caramuru Alimentos, um dos maiores armazéns do País. O objetivo da suposta demora, segundo Jucá Neto, era forçar a empresa a aceitar um aumento de R$ 5 milhões que seria destinado a autoridades da Conab e do Ministério da Agricultura. Também acusou a Conab de vender por preço abaixo de mercado um terreno em área valorizada de Brasília para um amigo e vizinho do senador Gim Argello (PTB-DF). Rossi apresentou à comissão o processo que resultou na venda do terreno. Segundo ele, o processo seguiu todos os trâmites legais. A Caixa Econômica Federal fez a avaliação do terreno e, após concorrência pública, a área foi vendida, segundo o ministro, por preço acima do avaliado pela Caixa. Em relação ao débito judicial com a Caramuru, Rossi disse que o caso transitou em julgado (encerrou a fase de recursos judiciais) em abril deste ano e que o pagamento será feito obedecendo a ordem cronológica de pagamentos da Conab. O ministro afirma que o valor a ser pago à Caramuru foi definido em perícia judicial e que seria impossível aumentar esse valor. "O valor é arbitrado em juízo, não é qualquer valor determinado por funcionário da Conab", disse Rossi.

Chávez se prepara para começar novo ciclo de quimioterapia

O ditador da Venezuela, Hugo Chávez, informou nesta quarta-feira que está se preparando para começar um novo ciclo de quimioterapia e afirmou que sua luta contra o câncer é "uma batalha nacional". "Nas próximas horas eu devo entrar para uma segunda etapa da quimioterapia. Na primeira respondi bem, com alguns efeitos colaterais, mas rapidamente assimilados", disse ele: "Estou me preparando agora fisicamente, organicamente, espiritualmente para essa nova fase da quimioterapia". Chávez afirmou que talvez "tenha de fazer uma terceira e quarta" sessões do tratamento e que terá de se submeter a avaliações "mais profundas" para ver "em que momento e em que quantidades" terão de aplicar esse novo ciclo de quimioterapia. O presidente não detalhou com qual tipo de câncer foi diagnosticado em junho em Cuba, o que o levou à mesa de cirurgia para retirada de tumor.

China e Brasil pretendem ter centro conjunto de nanotecnologia

O governo vai firmar no final deste mês um convênio com a China para implantação de um centro binacional de nanotecnologia. A idéia é que os dois países entrem com a mesma quantidade de dinheiro no projeto. Na terça-feira, em uma reunião em Campinas, o Ministério da Ciência e Tecnologia propôs R$ 4,7 milhões para os dois anos iniciais. Mas a China quer mais. O valor final será acordado em viagem que o ministro Aloizio Mercadante fará à China no próximo dia 22. Como inicialmente o centro será virtual, a idéia é que o dinheiro seja gasto com infraestrutura e com a troca de pesquisadores entre os países, pelo menos 30 por ano. Uma das áreas de interesse da China é o grafeno, material obtido quando o grafite é fatiado em camadas muito finas, com apenas um átomo de espessura. Os eletrônicos do futuro poderão ter como base o grafeno. Já o Brasil está interessado em nanotecnologia aplicada à sustentabilidade, como novas abordagens para o tratamento de resíduos agrícolas. A China é o país que mais produz artigos científicos em nanotecnologia. O centro binacional terá a colaboração de pelo menos quatro laboratórios, localizados em São Paulo, em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. No lado chinês estarão alguns dos 117 institutos de pesquisa da Academia Chinesa de Ciências. A academia gerencia hoje um orçamento de mais de R$ 6 bilhões por ano, ou seja, praticamente a mesma quantidade de recursos anuais do Ministério da Ciência e Tecnologia no Brasil.

Droga artificial simula efeito de maconha e é vendida disfarçada

A maconha artificial mais popular nos Estados Unidos, vendida como incenso, a K2 é alvo de resenhas em sites especializados, que também publicam vídeos ensinando a usá-la. O fabricante, no entanto, já enfrenta problemas típicos do sucesso de qualquer produto: as falsificações. Os inventores da K2 até criaram um "selo de originalidade" para os pontos de venda, conforme seu próprio site indica, mas ainda há muitas cópias "piratas" por aí. "Os usuários muitas vezes não fazem idéia do que estão usando. Eles se baseiam nos efeitos que os traficantes dizem que aquela droga vai ter", diz Rafael Lanaro, do Centro de Controle de Intoxicações do Hospital de Clínicas da Unicamp. "O assunto está ganhando cada vez mais espaço nos congressos de toxicologia, mas ainda há pouca literatura sobre os efeitos, sobretudo os de longo prazo, dessas drogas", conclui. O uso das drogas artificiais vem crescendo. Um estudo britânico divulgado na semana passada diz que a mefedrona (usada para fazer similares de cocaína e ecstasy) já é tão popular quanto a cocaína no Reino Unido. Mesmo assim, a maioria dos países ainda engatinha em seu controle. Nos Estados Unidos, a maior frente de batalha é contra os canabinóides sintéticos. Trinta e oito dos 50 estados americanos baniram ou aguardam legislação para banir a venda dessas substâncias em seu território.

Financiamento imobiliário com recursos da poupança bate recorde

As operações de crédito imobiliário com recursos da poupança atingiram R$ 37 bilhões no primeiro semestre deste ano, registrando o melhor resultado para esse período na série histórica, iniciada em 1967, de acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira pela Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança). O valor superou em 55% o montante contabilizado em igual período no ano passado. Em quantidade, foram 236,5 mil unidades financiadas, alcançando também um novo patamar, com expansão de 26% no mesmo comparativo. Junho, por sua vez, apresentou o melhor resultado mensal da série em valor (R$ 7,78 bilhões) e em quantidade (46,5 mil imóveis). Os sucessivos recordes estão levando os bancos a procurar fontes alternativas de financiamento, além dos recursos da poupança e do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Uma delas é a securitização, que consiste na transformação de uma dívida em um papel para investimento no mercado de capitais. O investidor é remunerado com uma taxa de retorno que varia de acordo com as características do financiamento, descontados os custos e o ganho do banco.

Deputado do PR "lembra" fase difícil de Romero Jucá para pedir apoio

Pouco antes de o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), pegar o microfone para dar a primeira palavra governista em defesa de Alfredo Nascimento, durante o seu discurso de retorno ao Senado, na terça-feira, o deputado Lincoln Portela (PR-MG) tratou de lembrá-lo, ao pé do ouvido: "Só estão batendo na gente e não tem ninguém solidário?" Jucá está em situação desconfortável com o governo desde a publicação de entrevista à revista "Veja", de seu irmão Oscar Jucá Neto. Na ediçãoo do dia 30 de julho, Jucá Neto disse que no Ministério da Agricultura "só tem bandidos" e acusou Rossi de lhe sugerir o oferecimento de propina. Jucá Neto fez as acusões após ser demitido.

Mais de 40% dos alunos das universidades federais têm baixa renda

Cerca de 43% dos estudantes das universidades federais são das classes C, D e E. O percentual de alunos de baixa renda é maior nas instituições de ensino das regiões Norte (69%) e Nordeste (52%) e menor no Sul (33%). É o que mostra pesquisa sobre o perfil dos estudantes feito pela Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior). Para a entidade, o resultado do estudo, que teve como base 22 mil alunos de cursos presenciais, desmistifica a idéia de que a maioria dos estudantes das federais é de famílias ricas. Se 43% são das classes C, D e E, os outros 57% pertencem a quais classes? Por acaso não seriam das outras duas classes não citadas, a A e B? E assim sendo, 57% não é expressiva maioria diante de 43%? Ou a universidade pública brasileira, seus dirigentes e professores, descobriram uma nova matemática? Os dados mostram ainda que o percentual de alunos das classes mais baixas permaneceu estável em relação a outras pesquisas feitas pela entidade em 1997 e 2003. Segundo o presidente da Andifes, João Luiz Martins, as políticas afirmativas e a expansão das vagas nas federais mudaram consideravelmente o perfil do estudante. Ora, se permaneceu no mesmo nível de 1997, como pode ter mudado?

Sauditas construirão prédio de mil metros de altura

O príncipe saudita Alwaleed bin Talal anunciou nesta terça-feira planos para a construção em Jeddah do edifício mais alto do mundo. O anúncio vem à tona menos de dois anos depois da inauguração do Burj Khalifa, em Dubai, com uma altura de mil metros, com vista para o Mar Vermelho, contando com um hotel, condomínios de luxo e escritórios. Se os planos se concretizarem, o edifício, que se chamará Kingdom Tower, superará em 172 metros o Burj Khalifa para se tornar a mais alta estrutura já erigida pelo homem. O príncipe saudita informou que sua empresa, a Kingdom Holding Co, assinou um contrato de 4,6 bilhões de riais, quantia equivalente a US$ 1,23 bilhão, com o Bin Laden Group, para a construção do edifício. A expectativa é de que as obras comecem em breve e levem cinco anos para serem concluídas. O Bin Laden Group é a maior empreiteira da Arábia Saudita. O grupo foi fundado pelo pai do líder extremista islâmico Osama bin Laden, executado em maio no Paquistão por forças especiais do exército dos Estados Unidos e de quem a família afirma ter-se distanciado na década de 1990.

Petistas querem barrar Gurgel na sabatina no Senado devido à denúncia do Mensalão

Senadores do PT ameaçam, nos bastidores, votar contra a indicação de Roberto Gurgel para um novo mandato à frente da Procuradoria-Geral da República. A ação seria uma retaliação à manifestação entregue por ele em julho, pedindo a condenação de 36 réus no processo do Mensalão. Parte dos réus é filiada ao PT. A articulação petista foi revelada pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), em uma conversa na vice-presidência da República, da qual participaram Michel Temer e outros caciques peemedebistas. O líder do PT, Humberto Costa (PE), reconhece que há desconforto no partido, mas acha que, na hora da votação, os petistas darão respaldo à decisão da presidente Dilma Rousseff de reconduzir Gurgel. A sabatina do procurador-geral da República ocorrerá nesta quarta-feira, na Comissão de Constituição e Justiça. Se a indicação for aprovada pela comissão, seguirá para o plenário. Gurgel foi indicado por Dilma após ter sido o mais votado em eleição da Associação Nacional dos Procuradores da República. O DEM, comandado pelo líder Demóstenes Torres (GO), votará contra Gurgel, por causa de um parecer em que poupava Antonio Palocci quando o ex-ministro tentava continuar na Casa Civil. O partido quer convencer o PSDB a seguir o mesmo caminho. Se o PT, no voto secreto, também ficar contra a recondução, a indicação de Gurgel poderia correr risco. O procurador-geral provocou a ira de setores do PT por ter pedido a condenação de 36 dos 38 réus do processo do Mensalão um dia após ter sua indicação para um novo mandato oficializada pela presidente Dilma. Entretanto, deveriam ser muito gratos a ele e seu antecessor, porque deixaram o principal réu fora do processo.

Senador do PDT retira assinatura e compromete criação da CPI da Corrupção

O senador João Durval (PDT-BA) retirou na noite desta terça-feira sua assinatura da CPI dos Transportes, ou da Corrupção, articulada pela oposição no Senado. Com a retirada, a comissão não pode ser instalada, já que DEM e PSDB tinham conseguido apenas as 27 assinaturas mínimas necessárias para que a CPI seja criada. Os oposicionistas prometem manter a ofensiva nesta quyarta-feira em busca de mais uma assinatura que garanta a instalação da CPI. O governo, em contrapartida, articula com seus líderes uma ofensiva para impedir que novos senadores que integram a base de apoio da presidente Dilma Rousseff façam a adesão ao pedido da oposição. Desde que a oposição anunciou que havia conseguido as 27 assinaturas, o governo deflagrou o movimento para a retirada de assinaturas. O prazo para que elas sejam retiradas termina à meia-noite do dia em que o pedido de instalação da comissão for lido no plenário, que deve ocorrer nesta quarta-feira. Além de Durval, os governistas Zezé Perrela (PDT-MG), Ricardo Ferraço (PMDB-ES) e Reditario Cassol (PP-RO) assinaram o pedido de criação da CPI nesta terça-feira. Outros seis governistas já haviam aderido ao pedido de investigações antes mesmo da nova mobilização dos partidos de oposição. João Durval desmoralizou completamente a sua assinatura.

Concurso para defensor público no Amazonas é anulado por suspeita de fraude

Um concurso para defensor público do Amazonas foi anulado nesta terça-feira pelo governo estadual após a promotoria apontar suspeitas de fraude. Segundo o Ministério Público do Estado, passaram na seleção, com notas idênticas (80 pontos), filhos de defensores públicos e de secretários municipais, além do irmão do superintendente regional do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). A Polícia Civil amazonense apreendeu nesta terça-feira malotes de provas violados, computadores e documentos na empresa Instituto Cidades, que realizou o concurso. Também foram realizadas buscas na casa de Tibiriça Valério de Holanda Filho, que é filho do defensor público geral, Tibiriça Holanda. Ao menos 5.000 candidatos realizaram a prova para as 60 vagas abertas de defensor público. Cada inscrição custou R$ 200,00. Com matriz em Fortaleza, o Instituto Cidades ganhou R$ 1 milhão com as inscrições do concurso, segundo o Cao-Crime (Centro de Apoio Operacional de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do Amazonas. A empresa organiza no momento concurso público da prefeitura de Manaus. Segundo o Cao-Crime, além de Tibiriça Valério de Holanda Filho, são investigados por suspeitas de fraudes nas provas Newton Sampaio de Mello (irmão do subdefensor público geral, Wilson Mello), Luiz Domingos Zahluth Lins (irmão de Afonso Lins, superintendente do Dnit do Amazonas) e Américo Gorayeb Neto (filho do secretário municipal de Obras, Américo Gorayeb). O promotor Alberto Nascimento Júnior disse que a suspeita é de que a empresa tenha dado acesso prévio às provas a um seleto grupo de pessoas: "Os indícios são fortes de que a empresa favoreceu pessoas que passaram no concurso".

Radialista diz que Alfredo Nascimento é "covarde"

Diretor-executivo de emissoras de rádio e de um canal de TV em Manaus, o radialista Ronaldo Tiradentes, de 49 anos, disse que o senador Alfredo Nascimento (PR-AM) "é um covarde". Ronaldo Tiradentes rebateu a acusação do ex-ministro dos Transportes de que o radialista planta denúncias contra o empresário Gustavo de Morais Pereira, filho do político. "Ele nunca refutou o que eu disse porque não tem como desmentir", disse Ronaldo Tiradentes: "Desafio Nascimento a explicar como o filho formou tantas empresas e juntou um patrimônio de R$ 70 milhões". Tiradentes é diretor da CBN Manaus e âncora de um programa na emissora. Ele ainda se declara "inimigo número um" de Nascimento e faz críticas ao ex-ministro em um blog. O radialista disse que o senador deveria abrir os sigilos fiscais do filho e de suas empresas. Ronaldo Tiradentes foi deputado estadual, eleito em 1990 pelo PDC e reeleito em 1994 pelo PPB. Em 1995, assumiu a Secretaria de Comunicação do governo de Amazonino Mendes (PTB), ficando no cargo até 1997. Em 2003, sua família ganhou a primeira concessão de rádio no Amazonas. Hoje, a família dele é proprietária da rádio CBN em Manaus e Porto Velho (RO). Neste ano, a família ganhou a concessão da emissora de TV Tiradentes.