domingo, 24 de abril de 2011

Humala e Keiko disputarão segundo turno de eleições no Peru

O Escritório Nacional de Processos Eleitorais (Onpe) do Peru concluiu a apuração dos votos das eleições presidenciais de 10 de abril e anunciou que o nacionalista Ollanta Humala obteve 31,6% dos votos, enquanto a legisladora Keiko Fujimori ficou com 23,5%. Após o fim da contagem dos votos, a Onpe afirmou na sexta-feira em seu site que Humala alcançou 4.643.060 votos e Keiko 3.449.554, o que os obrigará a disputar um segundo turno em 5 de junho. Em seguida ficaram o economista Pedro Pablo Kuczynski, que obteve 18,5% dos votos; o ex-presidente Alejandro Toledo, com 15,6%, e o ex-prefeito de Lima, Luis Castañeda, com 9,8%. Estes três últimos se negam a declarar apoio exlícito a Humala ou Keiko, embora alguns membros dos partidos de Kuczynski e Castañeda tenham se mostrado favoráveis à legisladora, enquanto dentro da legenda de Toledo se fale em uma aproximação com Humala.

Governador da Bahia vende sua barba por R$ 500 mil

Conhecido pela barba grisalha no estilo dirigente sindical da década de 1980, o governador da Bahia, Jaques Wagner, vendeu os pelos do rosto em troca de R$ 500 mil para uma empresa fabricante de produtos de higiene pessoal. O petista anunciou na sexta-feira que vai doar o cachê para o Instituto Ayrton Senna desenvolver programas de educação no território baiano. A ação de marketing da marca Gillette surpreendeu os participantes do 10º Fórum Empresarial de Comandatuba. Autoridades, políticos e artistas participam até este domingo do evento organizado pela Lide, Grupo de Líderes Empresariais. Em meio às discussões sobre o sistema fiscal brasileiro, a presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, aproveitou para fazer um balanço da gestão da ONG e pedir apoio financeiro aos representantes do setor produtivo. Ao longo do seminário, dezenas de empresários anunciaram doações para o instituto dirigido pela irmã do ex-piloto de Fórmula-1. Pouco antes de encerrar o painel, o empresário João Dória Jr., anfitrião do evento, interrompeu as discussões para alertar sobre a doação recorde de Wagner, a maior contribuição individual do dia. Diante da surpresa coletiva, o petista se apressou a explicar a origem do dinheiro: "Antes que perguntem de onde esse cara roubou para fazer essa doação, quero explicar que vendi minha barba". No último carnaval, a Gillette já havia convencido o líder da banda de axé Chiclete com Banana, Bell Marques, outro barbudo ilustre, a tirar a barba e ficar com rosto liso.

Três Estados já registraram casos de sarampo neste ano

A Secretaria de Saúde de Mato Grosso do Sul registrou, no mês passado, um caso de sarampo em uma francesa de 28 anos, que chegou ao Brasil pelo Rio de Janeiro. A mulher viajou de ônibus pelos Estados do Rio de Janeiro, do Paraná, de São Paulo e Mato Grosso do Sul, onde recebeu atendimento médico em Campo Grande. Não há registro de que a mulher tenha sido vacinada. Ela relatou que teve contato com pessoas com a doença na França, antes de vir para o Brasil. O laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmou a doença e identificou o vírus tipo D4, o mesmo que circula na França. O governo de Mato Grosso do Sul adotou medidas de controle e prevenção para evitar novos casos, como verificar se passageiros que tiveram contato com a mulher apresentaram sintomas. No Rio Grande do Sul, a doença foi identificada em uma menina de 9 anos, moradora de Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre. A garota viajou com a família para Iporã e Cascavel, no Paraná. O vírus é o mesmo identificado em Mato Grosso do Sul. A caderneta de vacinação registra que a menina foi vacinada aos 9 meses de idade. Com a confirmação do caso, as autoridades de saúde buscam novos doentes entre parentes, colegas de escola e vizinhos da criança. Foram aplicadas 111 doses da vacina na escola e no prédio onde a menina mora para evitar um surto da doença.  São Paulo confirmou a doença em um morador de Campinas, de 41 anos, sem documentação de ter sido vacinado, que viajou para Orlando (Estados Unidos) em janeiro. O Estado não tinha registro de sarampo havia seis anos. Segundo o Ministério da Saúde, desde 2000, os casos identificados no País foram originários de outros países (importados), ou seja, não foram causados por vírus que circula livremente no território nacional. Em 2010, o Brasil registrou o maior número de casos da doença nos últimos quatro anos, total de 68.

Vargas Llosa provoca argentinos em feira do livro

"Um peixe na água": o título do livro de memórias do Prêmio Nobel de Literatura em 2010, o peruano Mario Vargas Llosa, define com precisão sua conferência de abertura na Feira do Livro de Buenos Aires, na última quinta-feira. A polêmica começou quando o presidente da Biblioteca Nacional argentina, Horacio González, criticou a homenagem a um liberal convicto no maior evento literário do país. Sua participação só foi assegurada após a intercessão da presidente Cristina Kirchner. A Argentina se prepara para eleições presidenciais, em 23 de outubro, em meio a acirradas batalhas culturais. Tão elegante quanto mordaz, Llosa agradeceu: "Agradeço a ela e espero que esse ato em favor da liberdade de expressão e da liberdade na Argentina contagie todos os seus partidários e guie sua própria conduta". Sedutor, Llosa dissolveu as expectativas de uma participação explosiva recapitulando sua biografia de menino criado em Bogotá até receber o Nobel em 2010. Não deixou, porém, de fazer críticas frontais, não ao governo kirchnerista, mas à história política local. "O que aconteceu com este país?", perguntou a uma platéia que o ouvia muda: "No começo do século 20, a Argentina era um país de primeiro mundo, enquanto dois terços da Europa eram de terceiro mundo". E indagou por que o país "que todos invejávamos" perdeu "oportunidades incríveis", cometeu "erros políticos garrafais" e entrou em "crise quase permanente". Quando o mediador mencionou o elo ideológico do liberalismo com a ditadura militar (1976-1983), que deixou um saldo de 30 mil mortos e desaparecidos, o escritor o cortou afirmando que "associar o liberalismo a uma ditadura é uma obscenidade".

Pensão criada pelo marechal Deodoro ainda consome R$ 58,6 milhões da União

Um século depois de criado, o desconhecido Montepio Civil da União sobrevive até os dias de hoje pagando vultosas pensões vitalícias, em média de R$ 20 mil mensais, a 237 herdeiros da alta magistratura. Em 2010, o Tesouro Nacional gastou R$ 58,6 milhões para pagar as aposentadorias ao seleto grupo de beneficiários. Dados do Ministério da Fazenda apontam que os gastos com o pagamento de pensões do montepio vêm se mantendo estáveis nos últimos anos. O número de benefícios ficou inalterado. Em 2009, o governo desembolsou R$ 58,3 milhões para pagar os 237 pensionistas. Em uma década, o montante de beneficiários do montepio encolheu drasticamente: hoje é 15 vezes menor do que as 3.719 pessoas que desfrutavam do benefício em 2000. A queda acentuada no número de pensões pagas se deve à extinção da possibilidade de aderir ao montepio. Desde 10 de maio de 1991, quando foi revogado o decreto que regulamentava a concessão do benefício, o Ministério da Fazenda não aceita mais adesões. Os valores pagos hoje são para beneficiários de quem entrou no sistema até o início da década de 90. Mesmo assim, a liberação dessas pensões continua pressionando as contas da previdência do funcionalismo público. As contribuições adicionais feitas pelos servidores para bancar a pensão vitalícia de seus familiares são insuficientes para cobrir as despesas.

PMDB decide desfiliar Rosinha Garotinho

O PMDB de Campos (RJ) decidiu remover a prefeita da cidade, Rosinha Garotinho, de seu quadro partidário, segundo o vereador peemedebista Jorge Magal. Ele afirma que o ofício sobre a desfiliação chegou na semana passada à ex-governadora e mulher do deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ), fora do PMDB desde 2009. Aliado do casal Garotinho, o vereador Jorge Magal diz também ter sido enquadrado pela legenda. Os dois ainda podem recorrer da decisão. Segundo o político, paira contra ele e Rosinha acusação de apoiar candidatos do PR no pleito eleitoral passado. "Nós não pedimos para sair. Foram eles que quiseram", disse o vereador Magal, que tenta reverter a desfiliação. Anthony Garotinho governou o Rio de Janeiro entre 1999 e 2002, eleito pelo PDT e, em 2000, filiado ao PSB. Em 2003, ele integrou o quadro do PMDB. Trocou de partido mais uma vez há dois anos, dizendo-se traído pelo peemedebista Sérgio Cabral, ex-aliado e atual governador do Rio de Janeiro. Sua mulher, Rosinha, ficou no PMDB. Já a filha Clarissa, eleita deputada estadual em outubro, seguiu o pai rumo ao PR em 2009.

Instituto inglês vai revelar os documentos apreendidos com chefe terrorista das Farc morto no Equador

O Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, da Inglaterra, vai divulgar no próximo dia 10 de maio os documentos encontrados no computador do porta-voz da Farc (organização colombiana terrorista e traficante de cocaína). Esses documentos compravam a estreita relação entre o governo da Venezuela e a organização terrorista e traficante de cocaína. Os milhares de documentos, que mostram os esforços do ditador venezuela Hugo Chavez para dotar as Farc de apoio financeiro, político e bélico, estarão disponíveis em CDs que serão postos à venda. O acervo foi encontrado em um notebook entregue pelo governo da Colômbia, chefiado na época pelo presidente Alvaro Uribe, logo que o terrorista Reyes foi morto em 2008 pelo exército colombiano, em um ataque ao acampamento da organização terrorista e traficante de cocaína situado em território do Equador.

Supremo julga nesta semana questão dos suplentes da Câmara

O plenário do Supremo Tribunal Federal vai julgar na próxima quarta-feira se a vaga de suplente pertence ao partido ou à coligação. A decisão afetará 24 vagas na Câmara dos Deputados. O primeiro caso, que servirá de parâmetro, será o do suplente Carlos Victor Rocha Mendes, do PSB do Rio de Janeiro . Ele quer ficar com a vaga deixada por Alexandre Cardoso (PSB-RJ), que está ocupada por Carlos Alberto (PMN-RJ). No tribunal, já há 18 mandados de segurança com o mesmo pedido. Até agora, o Supremo determinou liminarmente cinco posses de suplentes dos partidos. No entanto, a Câmara não deu posse a eles. Nos cinco casos, os ministros entenderam que a vaga pertence ao partido por conta do princípio da fidelidade partidária. A questão não é unanimidade no tribunal. Os ministros Ricardo Lewandowski e Celso de Mello já decidiram de forma contrária, em favor das coligações. Segundo eles, não se aplica a regra de que o mandato pertence aos partidos na substituição dos deputados.

Venezuela prende colombiano procurado por ligação com as Farc

Autoridades venezuelanas anunciaram a detenção de um colombiano acusado em seu país de vínculos com terrorismo. Joaquín Pérez Becerra foi detido na noite de sábado no Aeroporto Internacional de Maiquetia, que serve Caracas, ao tentar ingressar ao país a partir de um vôo procedente de Frankfurt (Alemanha). Pérez Becerra é diretor da ANNCOL, agência de notícias das Farc (organização terrorista e traficante de cocaína). Ele é acusado pela Justiça colombiana de " financiamento de terrorismo" e "administração de recursos relacionados com atividades terroristas". De acordo com autoridades venezuelanas, a Colômbia havia solicitado à Interpol o "alerta vermelho" para incluir ao colombiano na lista das pessoas mais procuradas do mundo. Pérez Becerra vivia como exilado político na Suécia. A detenção do diretor da ANNCOL ocorre em meio à crescente expectativa do governo venezuelano para a extradição do narcotraficante sírio-venezuelano Walid Makled, capturado na Colômbia no ano passado. O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, prometeu a Chávez entregar a Makled, contrariando pedido do governo dos Estados Unidos, que quer submeter o traficante à Justiça americana. Makled é um dos principais chefes do narcotráfico procurados pelos Estados Unidos.