quarta-feira, 20 de abril de 2011

Toyota vai reduzir de 50% a 70% produção na China

A japonesa Toyota, a montadora mundial número um, anunciou nesta quarta-feira que reduzirá de 50% a 70% a produção na China até 3 de junho, em consequência da falta de peças provocada pelo terremoto no norte do Japão. "Para administrar a situação após o terremoto de 11 de março no nordeste do Japão, a produção de veículos na China representará apenas de 30% a 50% do normal, de 21 de abril a 3 de junho, em consequência das dificuldades de fornecimento", afirma a empresa em um comunicado. Um porta-voz da empresa explicou que a produção chinesa da Toyota será reduzida em 80 mil unidades na comparação com o plano inicial para o período. A produção da Toyota no Japão e no mundo foi muito abalada pelo terremoto e tsuname de 11 de março na região nordeste do arquipélago.

CSN decide vender fatia na Riversdale por US$ 830,13 milhões

A CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) mudou de idéia e decidiu aderir à oferta de compra da Riversdale feita pela mineradora global Rio Tinto. A empresa brasileira vai vender a totalidade de sua participação na produtora de carvão por 780,32 milhões de dólares australianos (US$ 830,13 milhões). A CSN tem cerca de 19,9% de participação na Riversdale e informou que vai vender 47.291.891 ações da companhia ao preço de 16,50 dólares australianos por papel. A aceitação da CSN representa uma mudança na direção do interesse da companhia brasileira. No fim de março, o diretor executivo da CSN Paulo Penido informou que a empresa manteria sua participação na Riversdale. "A empresa pretende ficar [na Riversdale]. Reconhecemos que precisamos de um sócio-operador [das minas] de habilidade", disse o executivo na época, durante teleconferência com analistas. Procurada, a assessoria de imprensa da CSN informou que a empresa não comentará o assunto. Mais cedo, a Rio Tinto havia anunciado que passou a deter mais de 72% da Riversdale depois que a CSN aceitou a oferta. A Rio Tinto superou a marca dos 50% de participação na Riversdale, em meio à oferta de US$ 4 bilhões, em 8 de abril depois de não conseguir nos três meses anteriores persuadir os dois principais acionistas da produtora de carvão, Tata Steel e CSN, a vender suas fatias combinadas de 47% na empresa. A oferta da mineradora australiana, de US$ 4 bilhões, se encerra nesta quarta-feira. O interesse da Rio Tinto na Riversdale, que é focada na exploração de depósitos em Moçambique, são os projetos de Benga e Zambeze, que podem suprir até 10% do mercado global de carvão de coque, um ingrediente fundamental para a produção de aço.

Ministro afirma que país poderá adotar salvaguardas comerciais

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel, afirmou no programa de rádio "Bom Dia Ministro", que o governo poderá utilizar salvaguardas comerciais caso as importações causem dano comercial a algum setor da economia brasileira. De acordo com o ministro, essa medida nunca foi utilizada no mundo, pois demanda um processo rigoroso de investigação e é agressiva. "Nenhum país do mundo até hoje conseguiu usar o instrumento, mas continuamos atentos à questão e poderemos utilizar se for preciso", afirmou. Segundo ele, já existem pedidos de salvaguarda comercial por parte da CNI (Confederação Nacional da Indústria). O ministro disse que as investigações só começarão caso os argumentos da Confederação sejam bem fundamentados. "É muito difícil completar um processo desse, pois pela OMC (Organização Mundial do Comércio) isso implica que se comprove se há dano ao mercado como um todo. Não basta apenas uma empresa. Todas as empresas de um determinado setor têm que mostrar que estão sendo prejudicadas", explicou Fernando Damata Pimentel. De acordo com o ministro, para defender a economia brasileira o governo aplica medidas de medida de defesa comercial autorizadas pela OMC, como as de antidumping. "É uma obrigação do Estado Brasileiro defender nossos produtos de práticas comerciais abusivas. É uma proteção da indústria brasileira contra a concorrência desleal", afirmou.

BHP eleva produção de minério de ferro, mas alerta sobre carvão

A BHP Billiton, maior mineradora global, alertou que as chuvas persistentes na Austrália estão atrasando a recuperação de suas operações de carvão depois de afetarem severamente a produção do país. Enquanto isso, as minas de minério de ferro no oeste da Austrália, que também foram atingidas por chuvas torrenciais, tiveram modesta recuperação no trimestre encerrado em março, de 7% comparado com o ano anterior, abrindo caminho para um ano recorde, informou a BHP. A companhia já destinou cerca de US$ 10 bilhões de seu plano de investimentos de US$ 80 bilhões nos próximos cinco anos para expandir as operações de minério de ferro e carvão. Analistas acreditam que isso demonstra os desafios que a indústria está enfrentando para satisfazer a crescente demanda por matéria-prima em meio à industrialização que se expande pela China e Índia, passando por outros países asiáticos. A BHP informou que a produção de carvão para metalurgia no trimestre encerrado em março caiu 18% no ano, para 6,67 milhões de toneladas. Queensland perdeu cerca de 30 milhões de toneladas em produção de carvão quando as chuvas de monções e um ciclone atingiu a costa leste australiana. Outras companhias como a Rio Tinto e a Wesfarmers reportaram perdas de 12% e 34%, respectivamente, na produção de carvão metalúrgico devido às enchentes. A produção de minério de ferro da BHP, sua principal commodity, saltou 33,2 milhões de toneladas no trimestre encerrado em março, mas foi 1% menor que no trimestre anterior, por conta do verão chuvoso na Austrália. Na produção de minério de ferro, a BHP está atrás da Vale e da Rio Tinto.

Onça do ouro supera US$ 1.500,00 pela primeira vez

A cotação do ouro superou nesta quarta-feira pela primeira vez a marca dos US$ 1.500,00 a onça, impulsionado por diversos fatores como a desvalorização do dólar, a pressão inflacionária e as preocupações do mercado com a dívida soberana de vários países. O preço do ouro chegou a US$ 1.505,65 às 09h45 GMT no London Bullion Market, nível sem precedentes, e caiu um pouco nos minutos seguintes para US$ 1.503,60. A prata, por sua vez, alcançou o maior patamar em 31 anos, a US$ 44,79 a onça. Na terça-feira, o ouro alcançou US$ 1.499,32 em Londres. O valor de um lingote de um quilo equivale agora a US$ 48.200,00. "As preocupações sobre o dólar e as tendências inflacionárias são os dois grandes fatores que sustentam o ouro neste momento", resumiu Dan Smith, analista do banco Standard Chartered. A nova alta do ouro também foi favorecida pela clara desvalorização da moeda americana, que na semana passada registrou sua cotação mais baixa em relação ao ouro desde janeiro de 2010. Este enfraquecimento barateou a compra dos metais preciosos negociados em dólares. O ouro, cuja cotação já ganhou 6% desde o início do ano e vem batendo um recorde atrás do outro, está sendo inflado pelo nervosismo dos investidores, angustiados com as incertezas econômicas e a dívida pública dos países ocidentais, a começar pelos Estados Unidos. Na segunda-feira, o valor do metal amarelo subiu mais de US$ 15,00 em apenas alguns minutos, depois que a agência de classificação financeira Standard and Poor's anunciou uma perspectiva negativa para a nota da dívida americana.

Entrada de dólares no País supera saída em US$ 605 milhões em abril

A entrada de dólares no Brasil superou a saída em US$ 605 milhões em abril até a última sexta-feira, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo Banco Central. O número representa uma reversão no movimento registrado no início do mês, quando o montante de dólares que saiu do País superou o que entrou. No mesmo período do ano passado, o saldo entre entrada e saída de dólares era negativo em US$ 977 milhões. De janeiro a abril desse ano, o fluxo é positivo em US$ 36,19 bilhões, acima dos 24,3 bilhões registrados em todo o ano de 2010. O resultado da conta financeira (onde entram aplicações e investimentos em bolsa e títulos, por exemplo) é negativo em US$ 277 milhões em abril, reflexo das medidas anunciadas pelo governo para encarecer a entrada de dólares no País.

Barbara Berlusconi, namorada de Pato, passa a fazer parte do conselho do Milan

Barbara Berlusconi
A filha de Silvio Berlusconi e namorada de Alexandre Pato, Barbara Berlusconi, entrou para o Conselho de Administração do clube. O vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, explicou que a incorporação de Barbara Berlusconi ao Conselho de Administração é um sinal do compromisso da família Berlusconi com a entidade. Em novembro de 2010, começaram a cogitar a possibilidade de Barbara ocupar um cargo no clube "rossonero". Barbara Berlusconi, que tem 26 anos e namora o atacante brasileiro Alexandre Pato, é formada em Filosofia e mãe de dois filhos, fruto de sua relação com Giorgio Valaguzza.

PPS pede no STF decisão para garantir validade da Ficha Limpa

O PPS entrou com uma ação pedindo o reconhecimento da validade da Lei da Ficha Limpa para casos que ocorreram antes da sua promulgação em junho de 2010. Na ação declaratória de constitucionalidade ajuizada no Supremo Tribunal Federal, o partido afirma que quer garantir a aplicação da lei para as próximas eleições. De acordo com o PPS, a aplicação da Ficha Limpa para casos anteriores à promulgação não viola o princípio da irretroatividade das leis. A legenda entende que a inelegibilidade não é punição, mas restrição ao direito de ser votado. "Não é caso de determinar que aquele que foi condenado em segunda instância é culpado; apenas estabelecer que ele não pode se candidatar naquela eleição", afirma o presidente do PPS, deputado federal Roberto Freire (SP). Em março, o Supremo decidiu que a Ficha Limpa não teve validade no ano passado porque foi promulgada menos de um ano antes das eleições. No pedido, o PPS argumenta que o tribunal precisa decidir a questão porque é possível que haja questionamentos à norma.

Produção de aço no Brasil sobe no primeiro trimestre

A produção de aço bruto brasileira cresceu 7,4% em março sobre o mesmo mês de 2010, para 3 milhões de toneladas, informou nesta quarta-feira o Instituto Aço Brasil. No acumulado do primeiro trimestre, foram produzidas 8,5 milhões de toneladas de aço bruto no País, alta de 6,2% na comparação com janeiro a março do ano passado. Já a produção de aços laminados totalizou 2,4 milhões de toneladas em março e 6,4 milhões de toneladas no primeiro trimestre, com altas de 5,4% e de 2%, respectivamente, sobre iguais intervalos de 2010. As vendas internas atingiram 1,9 milhão de produtos de aço em março, avanço de 3,7% sobre igual período do ano passado. Nos três meses até março, as vendas no mercado doméstico subiram 5,6%, para 5,3 milhões de toneladas. As importações de aço (que colocaram pressão sobre as usinas nacionais no ano passado) totalizaram 265,5 mil toneladas em março, menos da metade das 573 mil toneladas um ano antes. No trimestre, as importações foram de 866,2 mil toneladas, queda de 34,3% em relação aos três meses iniciais de 2010. Em valor, as importações representaram US$ 321,9 milhões em março (queda de 31,3%) e US$ 1 bilhão no primeiro trimestre (redução de 12,3%). Já as exportações caminharam na outra direção, com aumento em volume e valor em março e no primeiro trimestre. O volume total de aço exportado em março foi de 871,4 mil toneladas e de 2,8 milhões de toneladas no primeiro trimestre, altas de 24,8% e de 39,2%. As vendas externas representaram receita de US$ 641,2 milhões em março e de US$ 2 bilhões no trimestre, de acordo com o instituto.

Brasil terá um computador para cada dois habitantes em 2012

O número de computadores no Brasil subirá de 85 milhões neste ano para 98 milhões em 2012, praticamente um para cada dois habitantes, graças à redução do preço dos equipamentos com o aumento da renda da população. Com base no estudo divulgado na terça-feira pela Fundação Getulio Vargas, o número de computadores no País praticamente triplicou desde 2005, quando somavam 30 milhões, e seguirá crescendo até 140 milhões em 2014. Enquanto neste ano há quatro computadores para cada nove habitantes, em 2012 haverá um computador para dois habitantes e em 2014 duas equipes para cada três brasileiros. "Esse aumento obedece a três fatores, a queda no custo dos equipamentos a cada ano; o aumento do poder aquisitivo da população e o crescimento da percepção das pessoas sobre a utilidade do computador", afirmou o coordenador do estudo, Fernando Meirelles, em declarações citadas nesta quarta-feira pelo site Convergência Digital. Apesar do aumento do número de computadores, o Brasil ainda está longe de países desenvolvidos como os Estados Unidos em matéria de penetração da tecnologia. Enquanto no Brasil há atualmente 44 computadores para cada cem habitantes, nos Estados Unidos essa taxa é de 106 computadores para cada cem habitantes. A média mundial, no entanto, é de 36 computadores para cada cem habitantes.

Petrobras reduz preço do gás natural em 9,7% em maio

A Petrobras vai dar um desconto médio de 9,7% nos valores estipulados nos contratos de gás natural de origem nacional a partir de maio. De acordo com o comunicado da estatal, essa medida visa preservar a competitividade do gás natural no mercado. O desconto será aplicado aos contratos de fornecimento de gás para as distribuidoras sobre o reajuste de 1º de maio e, em consequência, os valores praticados de maio a julho serão inferiores aos do período anterior. A Petrobras destaca que isso não vai afetar "a fórmula de precificação vigente", pois "o desconto não constitui mudança nos contratos ou acordo, mantendo-se, portanto, inalterados todos os instrumentos contratuais existentes". Como o desconto é só para o gás natural nacional, só consumidores de parcela pequena do País serão beneficiados. Os que consomem gás natural vindo da Bolívia não terão qualquer vantagem. O nome disso é privilégio.

Polícia do Rio de Janeiro investiga contas de empresas suspeitas de lavar dinheiro de traficantes

A Polícia Civil do Rio de Janeiro está investigando a movimentação das contas bancárias das empresas suspeitas de lavar dinheiro para o tráfico de drogas na favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. A quebra do sigilo bancário dessas empresas foi autorizada pela Justiça, segundo a polícia. "A movimentação já está sendo analisada no laboratório de lavagem de dinheiro", afirmou o delegado Rafael Willis, da Polinter, que investiga o tráfico de drogas na maior favela do Rio de Janeiro. Segundo ele, as empresas, cujos nomes estão sendo mantidos em sigilo, são registradas legalmente em nome de familiares e comparsas do traficante Antônio Francisco Lopes, o Nem, de 34 anos, que está foragido. Na terça-feira a polícia realizou uma operação na Rocinha para tentar prender Nem e outros integrantes da quadrilha, mas ele não foi encontrado. Foram presas 11 pessoas, das quais pelo menos duas são comparsas do traficante, segundo a polícia. A polícia estima que a quadrilha de Nem movimenta até R$ 2 milhões semanais com o tráfico, e parte desse dinheiro é legalizada por meio dessas empresas, situadas na zona sul do Rio de Janeiro. "A quadrilha faz isso há pelo menos três anos", conta o delegado. "Mas vamos comprovar a ligação dessas empresas com o tráfico, e então a quadrilha vai perder força", afirma Willis. Segundo ele, não há previsão para que a análise das contas bancárias seja concluída. Quem sustenta o tráfico de drogas no Rio de Janeiro são os consumidores da classe média, os artistas, jornalistas, empresários, universitários, estudantes, pessoas dessa segmento social.

Oi ganha mercado em telefonia móvel em março

A Oi foi a única das grandes operadoras celulares a ganhar participação de mercado em março em comparação com fevereiro, enquanto a Vivo, Claro e TIM perderam terreno, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). A participação da Oi avançou de 19,47% em fevereiro para 19,69% no mês passado, contabilizando 41,44 milhões de acessos no mercado móvel nacional. A Oi continua ocupando na quarta posição entre as maiores operadoras. A Vivo, controlada pela Telefónica, manteve sua liderança, mas viu sua fatia recuar de 29,55% do mercado em fevereiro para 29,48% em março, somando 62,06 milhões de acessos. A Claro, da América Móvil, também fechou o mês com perda de participação, que era de 25,47% em fevereiro e passou a ser de 25,39% em março. Já a TIM Participações manteve sua fatia próxima à da Claro, mas também sofreu perda de participação para 25,11%, ante 25,16% em fevereiro. Em março, o número de assinantes de serviços de telefonia celular avançou para 210,5 milhões, frente a cerca de 207,6 milhões em fevereiro. No acumulado do primeiro trimestre foram registradas 7,6 milhões de novas linhas móveis. Segundo a Anatel, o número absoluto de novas habilitações nos três primeiros meses de 2011 foi o maior dos últimos 11 anos. E ainda há quem fale contra as prizatizações de Fernando Henrique Cardoso no Brasil.

Dólar volta a cair e fecha semana curta na taxa mais baixa desde 2008

A taxa de câmbio voltou a cair no Brasil nesta quarta-feira, encerrando a semana mais curta por conta do feriado prolongado na mínima desde agosto de 2008. O bom humor dos mercados de ações, aliado à expectativa de alta da Selic (taxa básica de juros), fez com que a moeda registrasse nova queda. O dólar comercial foi trocado por R$ 1,571, em um declínio de 0,31%, nas últimas operações desta quarta-feira. A cotação é a mais baixa desde 4 de agosto de 2008. Os preços da moeda americana oscilaram entre R$ 1,5647 e R$ 1,582. Na semana, a queda acumulada foi de 0,44%, chegando a -3,68% no mês. Em 2011, a redução chega a 5,70%. "A tendência natural da moeda é de queda. E o bom humor das Bolsas tanto aqui quanto no Exterior, além da projeção de nova alta da Selic, ajudou", afirma Felipe Pellegrini, gerente da mesa de operações do banco Confidence. O dólar chegou a ensaiar uma alta no meio do dia, mas, de acordo com Pellegrini, o movimento foi gerado por um volume grande de compras feitas por um player durante a tarde. O Banco Central fez dois leilões durante a sessão, "mas as operações não seguraram muita coisa". Para ele, a tendência a médio prazo ainda é de queda do dólar: "O Brasil está batendo recorde atrás de recorde de entrada de capital, a inflação subindo faz com que o Banco Central suba os juros, então a tendência no médio prazo é de o dólar cair um pouco mais". Nos últimos dez dias úteis, a taxa de câmbio doméstica encerrou as operações do dia abaixo de R$ 1,60.

Mantega nega que faltará gasolina em postos do País

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou nesta quarta-feira que o Brasil terá desabastecimento de gasolina. Na terça-feira a Petrobras sinalizou que pode faltar o combustível em alguns postos do País. O problema é a falta de etanol anidro, que é misturado à gasolina. Mantega é presidente do Conselho de Administração da Petrobras. "É claro que não vai faltar gasolina. De jeito nenhum", afirmou Mantega. Na terça-feira, o diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, reconheceu que pode ter escassez do combustível em alguns postos por causa da escassez de etanol. Quando autoridades públicas começam a negar algo, comece a acreditar no contrário do que elas dizem.

Ministro estima R$ 1 bilhão por ano de investimento em banda larga

Após seu retorno da China, onde foram apresentadas novas tecnologias de telecomunicações, a presidente Dilma Rousseff exigiu de sua equipe um plano mais arrojado para banda larga. Segundo o ministro Paulo Bernardo, que esteve reunido nesta quarta-feira com Dilma, a presidente quer ampliar investimentos na área para, ao mesmo tempo, popularizar o serviço no País e aumentar a velocidade. "Não vamos mais falar de kilobits, a partir de agora é de megabit para cima", disse o ministro. Segundo ele, o ponto de partida do Plano Nacional de Banda Larga serão as conexões de 1 mbps (megabit por segundo), evoluindo para velocidades maiores ao longo do tempo. Para tanto, Bernardo estima que o governo vai investir R$ 1 bilhão por ano em infraestrutura, até 2014, para deixar a banda larga no País em um nível internacional de qualidade, falou o ministro. Além do investimento intensivo em fibras e tecnologia, a presidente falou com o ministro sobre a necessidade de destravar o quanto antes problemas regulatórios e conquistar mais investimento das empresas privadas para o setor.

Petróleo tem forte alta em Londres e Nova York devido à queda dos estoques

Os preços do petróleo subiram nesta quarta-feira em Londres e Nova York sob o efeito da queda das reservas de produtos derivados nos Estados Unidos e de um enfraquecimento da moeda americana. Na Nymex (New York Mercantile Exchange), o barril de WTI ("light sweet crude" negociado nos Estados Unidos), para entrega em junho, fechou em US$ 111,45, em alta de 2,92% em relação à terça-feira. No Intercontinental Exchange de Londres, o barril de Brent (de referência na Europa) para entrega em junho ganhou 2,07%, a US$ 123,85. Assim como na véspera, a alta dos preços baseia-se no "enfraquecimento do dólar e nos temores sobre a situação mundial tanto na Líbia quanto na Nigéria", o maior produtor africano, explicou John Kilduff, da Again Capital. A moeda americana caiu ao seu nível mais baixo desde janeiro de 2010 em relação ao euro, que se aproximou de US$ 1,455. Tal movimento torna o petróleo mais atrativo, negociado em dólares, para os investidores munidos de outras moedas. Por sua vez, leva os investidores a aplicar seu dinheiro em matérias-primas para se proteger de uma perda de valor de seus outros ativos. Mas segundo Kilduff, "os novos avanços dos preços de petróleo parecem ser explicados pelos dados dos estoques" nos Estados Unidos. Este relatório revelou uma queda de 2,3 milhões de barris nas reservas de petróleo, quando os analistas esperavam uma sétima semana consecutiva de aumento.

Orquestra Sinfônica Brasileira afasta dirigentes sindicais

A direção da OSB (Orquestra Sinfônica Brasileira) suspendeu nesta quarta-feira o contrato da presidente e do diretor-secretário do Sindicato dos Músicos do Rio de Janeiro, Débora Cheyne e Antônio José Augusto. Ambos eram instrumentistas da orquestra e se recusaram a fazer a avaliação de desempenho, em março. Por serem dirigentes sindicais, eles não podem ser demitidos por justa causa. A fundação também demitiu mais dois músicos, Angélica Alves e Eliezer Rodrigues. Com isto, sobe para 37 o número de instrumentistas demitidos por não fazer a avaliação. Dos 82 integrantes da orquestra, 44 se recusaram a participar do teste. A direção da OSB já ofereceu a readmissão dos músicos, mas os ex-funcionários exigem a saída do maestro, Roberto Minczuk. Quer dizer que músico sindicalista podem desafinar à vontade nos concertos que não acontecerá nada a ele? Sindicalismo e música erudita é uma condição mortal, não combinam.

Brasil mantém e amplia o maior juro real do mundo

A decisão do Copom (Comitê de Política Monetária) de elevar a taxa básica de juros do País em 0,25 ponto percentual, para 12% ao ano, fez com que o Brasil mantivesse a liderança do ranking dos países com maiores juros reais do planeta. O Brasil ocupa a primeira posição do ranking desde janeiro de 2010, quando ultrapassou o segundo colocado à época, a Indonésia, após a quarta manutenção consecutiva da Selic. Com a alta, os juros reais foram a 6,2% ao ano. Na segunda posição aparece a Turquia, com taxa real de 2,2%, quase três vezes menor que a taxa brasileira. Na terceira posição está a Austrália, com 2%. Da taxa básica, foi descontada a inflação projetada para os próximos 12 meses.

Banco Central eleva juros pela terceira vez consecutiva, taxa Selic vai para 12% ao ano

O Banco Central anunciou nesta quarta-feira o terceiro aumento consecutivo na taxa básica de juros, que passou de 11,75% para 12% ao ano. É a maior taxa desde março de 2009, quando a Selic estava em 12,75%. A previsão dos economistas é que a Selic encerre o ano em 12,25%. A decisão não foi unânime: cinco diretores votaram a favor de um aumento de 0,25 ponto percentual e dois votaram a favor de uma alta 0,5 pp. De acordo com a nota divulgada pelo Banco Central, a decisão foi tomada "considerando o balanço de riscos para a inflação, o ritmo ainda incerto de moderação da atividade doméstica bem como a complexidade que envolve o ambiente internacional". "O comitê entende que, neste momento, a implementação de ajustes das condições monetárias por um período suficientemente prolongado é a estratégia mais adequada para garantir a convergência da inflação para a meta em 2012", diz a nota. O aumento dos juros é a principal forma do Banco Central segurar o aquecimento da economia. Com juros maiores, a tendência é que sejam tomados menos empréstimos, reduzindo o consumo e a pressão sobre os preços. Dessa forma, o Banco Central espera controlar a inflação, que, como a própria autoridade monetária prevê, deve encerrar o ano acima do centro da meta estipulada, que é de 4,5%. Ocorre que, com juros maiores, se intensificará a corrida de investidores trazendo dólares para o Brasil. Assim, a moeda americana se desvalorizará mais em relação ao dólar, e isso incentivará as importações. Ou seja, é preciso taxar fortemente as importações, ou não haverá redução de consumo. E ainda há outra consequência grave: a desvalorização do dólar promover intenso processo de desindustrialização no Brasil. Essa foi a terceira reunião do Copom, responsável pela definição dos juros, no governo Dilma Rousseff. Nas três houve aumento na taxa.

Confirmado, Porto Alegre registra cinco casos de dengue autóctene

A Secretaria Municipal de Saúde informa nesta quarta-feira que foram confirmados cinco casos de dengue autóctone (contraída no local) em Porto Alegre. Três pacientes residem no bairro Azenha, um no Partenon e outro é morador de Alvorada, mas trabalha no bairro Azenha. Nenhum deles tem histórico de deslocamento para áreas de transmissão. As informações foram divulgadas pelo secretário municipal de Saúde, Carlos Henrique Casartelli. Segundo ele, foram tomadas todas as medidas de controle, inclusive com a realização de bloqueio de transmissão, e não há uma situação de epidemia na Capital. O início dos sintomas foram em 26 e 31 de março, 1º, 7 e 12 de abril. Os casos foram confirmados por meio de exames realizados no Lacen-RS. De acordo com o último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), o bairro Azenha apresentou um índice de infestação do mosquito (0,2%) e o Partenon teve índice de (6,2%). Técnicos da Vigilância em Saúde já realizaram bloqueio nos bairros Azenha e Partenon. Em Porto Alegre, até o momento, 128 casos foram investigados, 110 foram descartados e 18 confirmados (cinco autóctones e os outros casos são importados). A dengue é uma doença de notificação compulsória. Os serviços de saúde informam à Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde sobre os casos suspeitos. Com a notificação de um caso suspeito, é realizada a Pesquisa Vetorial Especial (PVE) para verificar a existência do mosquito Aedes aegypti no entorno da residência e no local de trabalho do infectado.

Ellen Gracie não julgará pedido de Roberto Teixeira

A ministra Ellen Gracie, do Supremo Tribunal Federal, declarou-se impedida para analisar a Ação Cautelar em que o advogado Roberto Teixeira ("compadre" de Lula) pede explicações para o ministro Asfor Rocha, do Superior Tribunal de Justiça, e o jornalista Policarpo Junior, da revista Veja. Relatora da ação, a ministra declarou sua suspeição por razões de foro íntimo. Os autos já foram encaminhados para a Presidência do Supremo Tribunal Federal para que o processo seja redistribuído. Roberto Teixeira ajuizou Pedido de Explicações após a publicação da reportagem “Calúnia ou prevaricação?”, veiculada na edição desta semana da revista Veja. O texto afirma que o ministro renunciou à candidatura ao cargo no Supremo após saber que o ex-presidente Lula divulgara uma “leviandade” para explicar porque não nomearia Asfor Rocha para o Supremo. Lula disse a algumas pessoas que o ministro teria cobrado R$ 500 mil para favorecer o seu compadre e advogado em uma causa. Roberto Teixeira afirmou que o jornalista atribuiu ao ministro a conduta de haver exigido dele o suborno e a confirmação do pedido de propina, porém, sem esclarecer em que consistiria esse "suposto suborno". No Pedido de Explicações, o advogado diz ainda que não é possível verificar, com clareza, se o ministro está se referindo ao advogado ou a outra pessoa. Por isso, pediu ao Supremo que Asfor Rocha e Policarpo Junior esclareçam as circunstâncias em que ocorreu o suposto suborno e quem seriam os envolvidos. O advogado afirmou ainda que está sendo perseguido pela Editora Abril devido a ação que corre na 33ª Vara Cível de São Paulo, na qual ele afirma que a editora é sociedade empresária irregular por ser controlada pelo grupo sul-africano Naspers.

Promotora Deborah Guerner é presa pela Polícia Federal em Brasília

A promotora Deborah Guerner foi presa na manhã desta quarta-feira pela Polícia Federal. Junto com Leonardo Bandarra, procurador de Justiça, eles são acusados de se beneficiarem do esquema de corrupção conhecido como o Mensalão de Brasília. De acordo com as investigações, eles teriam exigido R$ 2 milhões para não divulgar um vídeo onde o ex-governador José Roberto Arruda aparece recebendo dinheiro do delator do Mensalão de Brasília, Durval Barbosa. De acordo com o Ministério Público Federal no Distrito Federal, Deborah Guerner e o marido, Jorge Guerner, tiveram a prisão preventiva decretada com base em indícios de participação de ambos em outro esquema de corrupção em São Paulo. O objetivo da prisão, segundo o Ministério Público, é garantir a ordem pública e evitar que crimes continuem a ser cometidos. A promotora é acusada de fraude processual por ter supostamente simulado insanidade mental para não ser responsabilizada pelos crimes dos quais é investigada. De acordo com o Ministério Público, há provas, em vídeos e documentos, de que a promotora Deborah Guerner teria feito aulas de teatro para simular a loucura, além de outros artifícios. A denúncia será avaliada pela juíza Mônica Sifuentes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que vai decidir se ela responderá por mais essa acusação. Ela foi presa juntamente com o marido, Jorge Guerner, no Aeroporto Internacional de Brasília, quando ambos regressavam de uma viagem à Itália. O advogado disse que Deborah Guerner viajou para a Itália porque o marido tem negócios no País. Segundo o advogado, Jorge Guerner viaja uma vez por mês para a Itália. Deborah Guerner está presa na Superintendência da Polícia Federal em Brasília por ter foro privilegiado. O marido de Guerner foi encaminhado para o Complexo Penitenciário da Papuda.

Ministério Público ajuíza 384 ações civis públicas sobre áreas de risco no Rio de Janeiro

O Ministério Público do Rio de Janeiro propôs 384 Ações Civis Públicas, com pedido de liminar, relativas a áreas de risco em Petrópolis, no dia 14. Cada ação corresponde a uma localidade de risco, identificada pela Defesa Civil do Município, a pedido do Ministério Público. As ações ajuizadas pela 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo de Petrópolis (Meio Ambiente) requerem do Poder Público a classificação das áreas de acordo com o grau de alto, médio ou baixo risco e, a partir daí, o estabelecimento de prazos para a remoção definitiva dos moradores de ocupações irregulares e a remoção provisória (ou definitiva) daqueles que vivem onde é necessária a realização de obras para restabelecer o equilíbrio ambiental e urbanístico. O promotor de Justiça Paulo Valim, subscritor das ações, requer à Justiça que os moradores removidos das áreas de risco sejam incluídos em programas de reassentamento habitacional do Poder Público. E ainda: que enquanto aguardarem essa medida recebam do Município e/ou do Estado, valor pecuniário de aluguel social por prazo indeterminado. De acordo com Valim, ao longo do ano de 2010, diversos ofícios foram expedidos para secretarias do Estado e da Prefeitura cobrando a identificação das áreas de risco e a execução de medidas protetivas à sociedade nesses locais. A Defesa Civil do Município encaminhou lista de reconhecimento das localidades, que serviu de base para a propositura das ações. O Ministério Público também requisitou laudos técnicos e relatórios de vistoria nessas áreas de risco, que até a presente data não haviam sido enviados.

OEA dá oito dias para Brasil responder sobre usina

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), órgão ligado à Organização dos Estados Americanos (OEA), concedeu mais oito dias para que governo brasileiro se manifeste sobre medida cautelar que pede a suspensão do processo de licenciamento da Usina de Belo Monte, no rio Xingu, no Pará. De acordo com a CIDH, a ampliação do prazo atende ao pedido feito pelo governo. Com a decisão da comissão, o governo brasileiro terá até o dia 26 de abril para responder à medida cautelar que solicita a paralisação do projeto de Belo Monte até que sejam ouvidas as comunidades indígenas que vivem na região. O prazo inicial dado pela CIDH para a resposta era de 15 dias e terminou na última segunda-feira. Além de ouvir os índios, a decisão da CIDH pede que os estudos de impacto ambiental, apresentado aos índios, sejam traduzidos para a língua indígena e que o Brasil adote medidas “vigorosas e abrangentes” a fim de proteger a vida dos integrantes das comunidades locais. A decisão da CIDH é uma resposta à denúncia encaminhada, em novembro de 2010, por entidades como o Movimento Xingu Vivo Para Sempre, a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), a Prelazia do Xingu, o Conselho Indígena Missionário (Cimi), a Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH), Justiça Global e Associação Interamericana para a Defesa do Ambiente (AIDA). De acordo com a denúncia, as comunidades indígenas e ribeirinhas da região não foram consultadas de forma apropriada sobre o projeto. O governo anunciou que não abre mão da construção de Belo Monte, que será a maior hidrelétrica totalmente brasileira (levando em conta que a Usina de Itaipu é binacional) e a terceira maior do mundo. A usina terá capacidade instalada de 11,2 mil megawatts de potência e reservatório com área de 516 quilômetros quadrados. Até o momento, o empreendimento tem apenas uma licença parcial do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para iniciar o canteiro de obras. A OEA alega que a oitiva das comunidades é prevista na Constituição brasileira e na Convenção Americana dos Direitos Humanos e Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), das quais o Brasil é signatário. O governo pretende instalar uma representação próxima à região de construção da Usina Belo Monte para mediar conflitos e não permitir que os impactos da obra no Rio Xingu (PA) gerem problemas como os enfrentados recentemente nos canteiros do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Rio Madeira, em Rondônia.