quinta-feira, 7 de abril de 2011

Médicos de todo o País protestaram nesta quinta-feira contra a remuneração dos planos de saúde

Em vez de ser no consultório, nesta quinta, o expediente de muitos médicos conveniados a planos de saúde foi na rua. O protesto ocorreu em todas as regiões do País. Em São Paulo, os médicos fizeram uma passeata no centro da capital. Os médicos alegam que as empresas de planos de saúde interferem indevidamente no trabalho deles e citam como exemplos o cancelamento de consultas, o não pagamento de certos procedimentos e a pressão para que os médicos não peçam exames sofisticados, que custam mais caro. Os médicos também reclamam dos valores que recebem das operadoras e dizem que não há critérios para reajustes. De acordo com a Federação Nacional dos Médicos, eles recebem por consulta R$ 39,65 em média. Para fazer um ele trocardiograma, R$ 16,20. E para imobilizar uma perna ou um braço, R$ 8,05. “Está muito difícil, ao longo dos últimos dez anos, as empresas não repassaram aos médicos os reajustes que eles aplicaram às mensalidades de seus beneficiários”, diz o diretor da Associação Médica Brasileira, Florisval Meinão. Dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar, que regula os planos de saúde, mostram que em seis anos o faturamento anual das operadoras cresceu 129%, enquanto o valor médio das consultas subiu 44%. A ANS declarou que busca um entendimento entre operadoras e prestadores de serviços de saúde.

Crédito a imóvel da Caixa soma R$ 14,7 bilhões no primeiro trimestre

A Caixa Econômica Federal registrou R$ 14,7 bilhões em financiamentos habitacionais no primeiro trimestre de 2011, valor bem próximo do obtido em igual período do ano anterior (R$ 14,6 bilhões). A performance também é 33% inferior aos R$ 21,96 bilhões informados no quarto trimestre do ano passado. Conforme nota da instituição, entre janeiro e março foram assinados 226.381 contratos de empréstimos. Por dia, o banco registrou uma média de R$ 236,6 milhões e 3.651 contratos no período, sendo que 50% das famílias beneficiadas têm renda até 10 salários mínimos. Para imóveis novos, foram destinados 56% de todo o montante contratado, o que corresponde a R$ 8,1 bilhões. Do total financiado no primeiro trimestre, R$ 7,7 bilhões vieram da caderneta de poupança, indicando acréscimo de 14,8% em relação a um ano antes. Já as contratações com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aumentaram 11,4% na mesma base de comparação, somando R$ 6,8 bilhões. Apesar da estabilidade no crédito para a compra de imóveis, o financiamento para a compra de material de construção foi destaque no comparativo entre mesmos trimestres, com expansão de 18,2% e volume de R$ 1,3 bilhão. Dentro da segunda etapa do programa "Minha Casa, Minha Vida", a instituição informa que já foram realizados aproximadamente R$ 4,6 bilhões em financiamentos. O montante equivale à construção de 64.422 novas moradias.

37 ex-presos políticos cubanos e famílias viajam para Espanha

Trinta e sete ex-presos políticos cubanos e mais de 200 parentes viajaram nesta quinta-feira para a Espanha, como parte de um acordo entre a Igreja Católica e a ditadura de Cuba, pelo qual dezenas de dissidentes foram soltos desde julho, segundo fontes diplomáticas e da oposição ao regime da ilha. O grupo, não identificado, viajou em um vôo fretado pelo governo da Espanha. O dissidente Elizardo Sánchez, porta-voz da Comissão Cubana de Direitos Humanos, organização declarada ilegal pela ditadura dos facínoras da dinastia Castro, disse por telefone que 37 famílias foram trasladadas desde o meio-dia desta quinta-feira, vindas de um local onde estavam alojadas, nos arredores de Havana, para o aeroporto Internacional José Martí. O que chamam de exílio é um verdadeiro degredo imposto pela ditadura cubana.

Mantega anuncia IOF de 3% no crédito para pessoa física

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta quinta-feira que as operações de crédito para pessoa física terão o Imposto sobre Operações Financeiras elevado da atual taxa de 1,5% para 3% ao mês. A medida entra em vigor nesta sexta-feira. Ou seja, ele dobrou o IOF para as compras a prazo. É a tentativa desesperada para conter a inflação.

Menina diz que atirador baleava alunos nos pés para evitar fuga

Uma aluna que presenciou Wellington Menezes de Oliveira, de 24 anos, atirando nos alunos dentro da escola municipal Tasso da Silveira, em Realengo (zona oeste do Rio de Janeiro), disse que o criminoso atirou nos pés dos estudantes para que eles não fugissem. Onze alunos morreram, e o atirador cometeu suicídio, segundo a polícia. "Ele entrou primeiro no primeiro andar e ele falava assim: 'vou matar vocês, vou matar vocês', e eu escutava muitos tiros e um monte de criança gritando. Quando eu subi para o segundo andar, vi duas alunas falando assim: 'sobe, sobe, senão ele vai matar vocês'. Aí a gente subiu, e nisso ele ia atirando no pé das crianças para elas não subirem e ia mandando as crianças virarem para a parede porque ele ia atirar nelas. E as crianças pediam 'não atira, não atira, por favor' e ele atirava na cabeça delas", afirmou Jade Ramos. A aluna também contou que viu muitas crianças mortas, agonizando nas escadas e uma "cachoeira de sangue". "Falei para minha amiga: 'meu Deus, o que será que vai acontecer comigo?'. Aí a gente subiu e tinha uma menina caída na escada, dei a mão para ela, mas ela não estava ferida, e a gente foi subindo". A garota afirmou que ela e seus colegas entraram em uma sala e se depararam com Oliveira "carregando a arma". "Aí corri mais rápido, entrei na sala e o professor trancou a porta, botou cadeira, mesa, estante, armário, caderno, tudo. E mandou todo mundo abaixar, ele abaixou também, várias alunos desmaiados na sala, um monte de gente gritando e o professor falava: 'não gritem, não gritem, silêncio'. Aí eu agachei e fiquei desenhando uma casa na mão com a minha canetinha, a única coisa que eu consegui pegar", disse a aluna à TV. Na entrevista, a aluna também agradeceu aos policiais que renderam o atirador. "Eu queria agradecer os dois policiais que salvaram a minha vida, rendendo esse atentado. Queria agradecer muito eles, senão não sei o que seria de mim. E também tenho pena dos que morreram e não estão aqui para contar história", afirmou.

Jarbas Vasconcellos ataca Sarney por críticas a Ulysses Guimarães em sua biografia

O senador Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE) fez duros ataques nesta quinta-feira ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), por ter criticado em sua biografia oficial o deputado federal Ulysses Guimarães, morto em 1992. Jarbas disse que Sarney adotou um dos "comportamentos humanos mais reprováveis" que é "atacar quem não pode se defender". "A declaração do senador José Sarney é injusta e inadequada e tenta macular a biografia de um dos personagens mais importantes do Brasil do século 20", afirmou Jarbas Vasconcellos. O peemedebista ficou irritado com o trecho da biografia de Sarney em que o senador responsabiliza Ulysses, em um de seus diários da época, por problemas em seu governo. No diário, Sarney afirma que Ulysses "não tem grandeza nem espírito público. É um político menor, que tem o gosto da arte da política, puro gosto do jogo, nada mais". Segundo Jarbas Vasconcellos, ao contrário do que afirmou Sarney, Ulysses é "um dos melhores modelos de homem público principalmente nestes tempos nos quais a mediocridade é regra no meio político". Em um ataque direto à biografia de Sarney, Jarbas disse que o peemedebista mandou escrever sua biografia e teceu "todas as loas" à sua trajetória. "Ele pode ser transformado num democrata revolucionário e no maior líder político da história do Brasil. É para isto que servem as chamadas biografias autorizadas: para criar uma realidade alternativa, ao gosto do freguês". Jarbas Vasconcellos disse que decidiu reagir porque Ulysses "não pode sequer se defender por se encontrar no fundo do mar", ao lembrar a morte do deputado, morto em um acidente de helicóptero que caiu no mar.

Quatro estudantes estão em estado grave em hospitais do Rio de Janeiro

Quatro dos 13 estudantes que ficaram feridos no ataque a escola municipal Tasso da Silveira, na zona oeste do Rio de Janeiro, estão internados em estado grave, segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde. Entre os feridos estão dez meninas e três meninos. A pasta chegou a anunciar 18 feridos, mas o número foi revisto. Além dos feridos, há confirmação ainda de 13 mortes, além do próprio atirador, que se matou. As vítimas foram encaminhadas para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, Hospital Universitário Pedro Ernesto, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia e Hospital da Polícia Militar.

Dólar fecha a R$ 1,58, menor taxa em dois e meio

Há dois anos e meio o mercado de capitais brasileiros não via o dólar tão barato como a taxa fixada nesta quinta-feira, menos de 24 horas depois da equipe econômica lançar novas medidas para conter a desvalorização cambial. O setor financeiro, no entanto, vê com descrédito sobre a eficácia dessas iniciativas. A forte queda vista nesta quinta-feira, um tombo de 1,8%, o pior em quase dez meses, para muitos especialistas, é um reflexo desse ceticismo, a exemplo do que ocorreu no início deste mês, quando a taxa cambial também cedeu mais de 1%. Por esse motivo, já não se descarta que as cotações cheguem a R$ 1,56 (menor preço de 2008), ou até menos, nos próximos dias. O dólar encerrou o dia negociado por R$ 1,584, sua menor taxa de fechamento desde a sessão de 6 de agosto de 2008. O Banco Central fez suas intervenções de praxe, comprando dólares por volta das 12 horas (hora de Brasília) e perto das 15h40, sem surpreender o mercado com novos leilões de "swap" cambial ou mesmo comprando dólar a termo. "São pequenas barreiras para deter ondas enormes de dólar para o País", compara Alex Agostini, analista da Austin Rating, numa referência às providências tomadas pelo governo.

Governo confirma novo adiamento do leilão do trem-bala

O diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Bernardo Figueiredo, confirmou nesta quinta-feira o adiamento do leilão do trem-bala ligando Campinas-SP-RJ. O leilão estava marcada para segunda-feira. Agora ele acontecerá em 11 de julho, quando os interessados terão que entregar suas propostas. O leilão já havia sido adiado em novembro do ano passado. Naquela oportunidade, o governo informou que o adiamento seria para aumentar a concorrência já que apenas um consórcio, liderado por empresas da Coréia do Sul, manifestava interesse em participar da concorrência. O projeto está estimado pelo governo em R$ 33,1 bilhões (valor de 2008). O governo concordou com o novo adiamento porque as empresas estão manifestando dificuldades em firmar parcerias e conseguir garantir os recursos necessários para realizar o projeto. Com o novo adiamento, o governo já não tem mais esperanças que o projeto esteja pronto para a Copa de 2014 e também acha difícil que ele possa ser usado nos Jogos Olímpicos em 2016. A Câmara dos Deputados concluiu na última quarta-feira a votação da medida provisória que garante financiamento e cria a empresa estatal do trem-bala. O texto segue para o Senado.

Israel usa escudo antimísseis pela primeira vez

Em novos ataques terroristas islâmicos nesta quinta-feira, Israel usou pela primeira vez seu sistema antimísseis de curto alcance "Domo de Ferro" ao interceptar um foguete lançado da faixa de Gaza, quando o projétil passava pela cidade de Ashkelon. Um outros foguete palestino atingiu um ônibus no sul de Israel, deixando ao menos duas pessoas feridas. Em resposta, Israel ordenou uma ofensiva contra a faixa de Gaza, matando ao menos quatro pessoas e ferindo ao menos 32. O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, disse que o sistema, que entrou em operação no dia 27 de março, foi disparado contra um foguete lançado de Gaza. O governo de Israel acredita que as novas defesas possam ajudar a solucionar anos de ataques de foguetes palestinos ao país, embora tenha alertado que o sistema não terá capacidade de proteger integralmente todas as cidades israelenses.

Comissão do Senado aprova cota de 50% para mulheres em lista

A comissão de reforma política do Senado encerrou nesta quinta-feira suas atividades ao aprovar a adoção de cotas para mulheres nas eleições. A proposta determina que 50% das vagas nas eleições proporcionais (deputados e vereadores) sejam destinadas às mulheres, com alternância entre um homem e uma mulher nas listas fechadas de candidatos, novo sistema eleitoral aprovado pela comissão. A lei eleitoral atual diz que 30% das candidaturas proporcionais devem ser ocupadas por mulheres. No entanto, a Justiça Eleitoral flexibilizou a norma por conta da dificuldade dos partidos para cumprí-la. No modelo das listas, os eleitores passam a votar nos partidos, e não mais nos candidatos. Cabe às siglas elaborar listas com os nomes de candidatos que vão ocupar as vagas nas eleições proporcionais (deputados e vereadores), agora com a ressalva de que 50% das vagas devem ser destinadas às mulheres. Se o percentual feminino não for cumprido, a proposta prevê que a lista seja indeferida pela Justiça Eleitoral.

STJ diz que Policia Federal deve dar proteção ao delator do Mensalão de Brasília

O Superior Tribunal de Justiça determinou que a Polícia Federal volte a ser responsável pela proteção a Durval Barbosa, delator do Mensalão de Brasília. A decisão é uma resposta à consulta feita pelo governo do Distrito Federal. Desde setembro de 2010, Barbosa estava sendo protegido pela Polícia Civil do Distrito Federal, subordinada ao governador Agnelo Queiroz (PT). O petista foi filmado quando foi convidado por Barbosa para ver as cenas com os casos de corrupção, mas esse vídeo nunca foi tornado público. Agnelo confirma seu encontro com Barbosa e diz que o objetivo era ver trechos dos vídeos. Ele diz nunca ter obtido cópias das gravações. Quando revelou as gravações, no final de 2009, Barbosa havia feito um acordo de delação premiada com o Ministério Público e ficou sob proteção da Polícia Federal.

STJ adia decisão sobre união de casal homossexual

Pela terceira vez este ano, o Superior Tribunal de Justiça esteve frente à pergunta "um casal gay é uma família?" e adiou essa polêmica decisão, que pode equiparar pela primeira vez no tribunal um casal homossexual a um heterossexual. Na tarde desta quinta-feira, a Terceira Turma do STJ discutiu a possibilidade de reconhecer "post-mortem" a união estável entre um casal de homens do Mato Grosso. Estava em jogo a forma de divisão dos bens partilhados pelo casal nos 18 anos de vida em conjunto. O julgamento deste caso já tinha sido suspenso uma vez por um pedido de vista, em março. Um novo pedido de vista foi feito nesta quinta-feira. O ministro Paulo de Tarso Sanseverino, que presidia a sessão, argumentou que o tema do reconhecimento da união homoafetiva já está na pauta da Segunda Seção do tribunal, instância que reúne a Terceira e a Quarta Turmas e que possibilita uma uniformização do pensamento do tribunal. Por isso, continuou o ministro, é mais adequado esperar o posicionamento da Seção antes de julgar na Turma. Em fevereiro, a Segunda Seção interrompeu o julgamento de um caso do Rio Grande do Sul em que também se questionava a possibilidade de reconhecer um casal gay como núcleo familiar. A eventual equiparação dos relacionamentos homoafetivos aos heterossexuais teria consequências diretas em questões patrimoniais, de herança, de seguros e na adoção, segundo especialistas. Apesar de não ser vinculante, uma decisão do STJ influencia as instâncias inferiores.

Mortos em escola no Rio de Janeiro tinham entre 12 e 15 anos

Dez meninas e um menino, com idades entre 12 e 15 anos, foram mortos a tiros na manhã desta quinta-feira na escola municipal Tasso da Silveira, em Realengo (zona oeste do Rio de Janeiro). O atirador, Wellington Menezes de Oliveira, de 24 anos, um ex-aluno, cometeu suicídio após ser ferido em troca de tiros, afirma a polícia. Veja os nomes dos mortos, segundo dados da Secretaria da Segurança e do IML (Instituto Médico Legal): Ana Carolina Pacheco da Silva, 13 anos;  Bianca Rocha Tavares, 13 anos; Jéssica Guedes Pereira, 15 anos; Karine Lorraine Chagas de Oliveira, 14 anos; Larissa dos Santos Atanázio, 14 anos; Laryssa Silva Martins, 13 anos; Luiza Paula da Silveira, 14 anos; Mariana Rocha de Souza, 12 anos; Milena dos Santos Nascimento, 14 anos; Rafael Pereira da Silva, 14 anos; Samira Pires Ribeiro, 13 anos. O criminoso entrou na escola por volta das 8 hors, conversou com algumas pessoas e seguiu em direção às salas de aula, onde começou a disparar. Segundo a polícia, a ação durou cerca de cinco minutos.

Petróleo sobe de novo e fecha a US$ 110,00 em Nova York

O petróleo voltou a subir nesta quinta-feira, após ter superado os US$ 109,00 em Nova York ontem pela primeira vez desde setembro de 2008. Na Nymex (Bolsa de Valores de Nova York), o barril do tipo Texas ("light sweet crude") para entrega em maio subiu nesta quinta-feira 1,35% e fechou cotado a US$ 110,00 por barril, impulsionado pela queda das solicitações de auxílio-desemprego nos Estados Unidos. Em Londres a commodity também fechou em alta. No IntercontinentalExchange de Londres, o barril de Brent do Mar do Norte fechou nesta quinta-feira em alta de 0,30%, cotado a US$ 122,67, após o FMI alertar que começou um período de maior escassez de petróleo pelo aumento da demanda de alguns países emergentes e a redução da oferta.

Ibope diz que consumo de remédios vai movimentar R$ 55 bilhões em 2011

O brasileiro deve gastar neste ano R$ 337,00 em medicamentos. O comércio de medicamentos no País deve chegar a R$ 55 bilhões em 2011, aponta pesquisa do Ibope Inteligência divulgada nesta quinta-feira. A pesquisa refere-se apenas ao consumo domiciliar, ou seja, comprado por pessoas físicas, excluindo o comércio envolvendo hospitais e postos de saúde, por exemplo. A classe C deve responder por 42% do consumo, segundo o Ibope, seguida pelas classe B (37%), e A (11%). As classes DE devem responder por 10% do consumo. O Ibope aponta ainda que a região Sudeste tem o maior potencial de consumo, com 55,2%, seguido pelo Sul (16,0%) e pelo Nordeste (15,1%). O Norte tem um potencial de 5,0%, e o Centro-Oeste, de 8,6%, informa o estudo.

Câmara aprova alterações no Código de Processo Penal

A Câmara aprovou nesta quinta-feira projeto de lei que altera o Código de Processo Penal, aumentando, entre outros pontos, a possibilidade de adoção de medidas cautelares e o valor das fianças. O texto segue para sanção da presidente Dilma Rousseff. A votação só foi possível após os deputados fecharem um acordo para retirar do texto proposta que acabava com a prisão especial para diversos setores, como advogados, parlamentares, prefeitos e governadores. O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, participou das discussões de dentro do plenário. Pelo texto que veio do Senado, a prisão especial teria que ser determinada pelo juiz para pessoas que corressem algum tipo de risco, independente do diploma do preso. Os senadores, porém, não alteraram a lei da magistratura, que garante a cela especial para a defensoria e os magistrados, por exemplo. "Não podemos revogar algumas prisões especiais e outras não. Temos que discutir a prisão especial para todos. Voltaremos a tratar disso na reforma do Código de Processo Penal", disse o líder do PT, Paulo Teixeira (SP). Até lá, todas as possibilidades de prisões especial, inclusive para deputados e senadores, estão mantidas. De acordo com o texto aprovado hoje, a possibilidade de penas alternativas, as chamadas medidas cautelares, aumentarão. Ficam instituídos, por exemplo, a proibição de acesso a determinados lugares, o recolhimento domiciliar noturno e a monitoração eletrônica. O intuito, explica João Campos (PSDB-GO), relator da proposta, é desafogar as prisões.

Estudo diz que dados de 41% das empresas estão desprotegidos

Uma análise revela que 41% das organizações de diversos países estão desprotegidas contra os riscos à segurança da área de tecnologia, ou desconhecem esses riscos. Outras 40% estão totalmente inseguras em relação à implementação de contramedidas. Elaborado pela empresa McAfee e divulgado nesta quinta-feira, o relatório "Panorama de risco e conformidade - 2011" constatou que cerca da metade das empresas planeja investir este ano 21% mais em soluções de risco e conformidade. Em geral, a pesquisa conclui um forte crescimento no setor de risco e conformidade. A maioria dos profissionais prefere soluções automatizadas e integradas. Entre as principais conclusões, 41% das empresas indicaram investimentos em monitoramento da atividade de bancos de dados e 45% das empresas aplicam "patches" (arquivos utilizados para aplicar correções de programas) semanais em seus sistemas; 49% das empresas declararam que tentam proteger os dados por meio da aplicação de "patches" em todos os elementos do sistema; 84% dos entrevistados sentem que suas empresas e operações comerciais são afetadas por "patches" inesperados e 37% têm dúvidas de quais ativos precisam de "patches" quando surge uma nova ameaça. Em relação aos investimentos, 24% das organizações estão investindo mais de US$ 250 mil anuais em auditores. O estudo envolveu Austrália, Canadá, França, Alemanha, Nova Zelândia, Cingapura, Reino Unido e Estados Unidos.

Clube dos 13 pede à SDE investigação em negociação da Globo

O Clube dos 13 encaminhou nesta quinta-feira à Secretaria de Direito Econômico, do Ministério da Justiça, pedido para que o órgão abra uma investigação sobre a negociação entre a Globo e os clubes de futebol pelos direitos do Campeonato Brasileiro. O Clube dos 13 também teve uma reunião protocolar com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Na mesma petição, o Clube dos 13 pede ainda que seja determinada a suspensão de negociações e contratos entre a Globo e os clubes para que a investigação não seja prejudicada. A emissora carioca já conseguiu concluir oficialmente a negociação dos direitos do Brasileiro de 2012 até 2015 com 13 clubes: Botafogo, Palmeiras, Cruzeiro, Coritiba, Bahia, Vitória, Sport, Corinthians, Grêmio, Santos, Vasco, Goiás e Flamengo. A Globo e a CBF serão responsáveis pela gestão do Fundo de Custeio nos Brasileiros de 2012 a 2015, de acordo com os contratos firmados entre a emissora e os clubes. O documento diz que "caberá aos gestores, da forma como julgarem mais adequada, a negociação, a administração e o pagamento dos valores relativos aos custos e despesas". O fundo será abastecido com R$ 110 milhões por ano. Os contratos que vêm sendo assinados são os primeiros nos quais o Fundo de Custeio está descrito. Nos acordos anteriores, ele era discutido em assembléia dos clubes e não englobava o total do dinheiro de TV por assinatura (R$ 80 milhões) e internet (R$ 30 milhões).

Resgate de restos do Airbus Airfrance divide familiares de vítimas na França

A recente descoberta de novos destroços do Airbus A330 da Air France, que desapareceu no Atlântico dois anos atrás, é um grande avanço na tentativa de identificar as causas da tragédia. No entanto, para as famílias das 228 pessoas que morreram no desastre, a notícia também trouxe angústia e dúvidas. Na semana passada, as equipes de busca encontraram, além de pedaços do avião, também restos mortais de algumas das vítimas. Dentro de três semanas, começarão operações para a retirada de mais fuselagem, a uma profundidade de 4 quilômetros no Atlântico, e um número desconhecido de corpos deve ser retirado no processo. Inevitavelmente, isso deve reavivar a dor da perda entre amigos e parentes das vítimas. "Entre as famílias, há dois grupos", explica Robert Soulas, que perdeu sua filha, Caroline, de 24 anos, e o noivo dela, Sebastien: "Há os que preferem deixar os corpos no leito oceânico. E há os que querem trazê-los para identificação e funeral. O segundo grupo é definitivamente maior. De certa forma, é um debate inútil. O governo francês já deixou claro que os corpos serão trazidos à superfície. Então, não temos escolha". Para Soulas, acompanhar a operação de resgate promete ser uma experiência traumática. "Vai ser muito dolorido", ele disse: "Faz dois anos que perdemos Caroline e Sebastien, e, com o tempo, lidamos com o ocorrido. Agora, de repente, temos que enfrentar uma nova situação em que talvez tenhamos que cuidar de um corpo, identificá-lo, preparar um enterro e assim por diante". Um de seus temores é que apenas um dos corpos do casal seja recuperado: "Isso seria terrível para nós, separá-los dessa maneira". Segundo o médico forense Michel Sapanet, a profundidade pode ter ajudado a preservar os corpos: "Grande profundidade significa baixas temperaturas e pouco oxigênio na água, que são boas condições para preservação. O tecido adiposo pode se transformar em uma espécie de cera, que reduz a velocidade da decomposição". No entanto, ele adverte que a operação para trazer os restos mortais à superfície vai requerer grande cuidado, por conta das mudanças de pressão na água. Superado esse desafio, a identificação dos corpos não deve ser difícil. Agora, o Escritório de Investigações e Análises (BEA) precisa escolher qual embarcação iniciará o processo de resgate. Os barcos equipados para tal são usados por empresas de telecomunicações para instalar cabos no oceano, e três deles se candidataram para o serviço. A operação usará veículos controlados remotamente e equipados com câmeras, braços robóticos e garras cortantes, que partirão a fuselagem em pedaços para trazê-la à superfície. É possível que nem todas as partes da aeronave sejam removidas, só as consideradas essenciais para as investigações da causa do acidente. Assim, é possível que alguns dos corpos não sejam trazidos. Mas há grandes expectativas de que, desta vez, as caixas-pretas da aeronave sejam recuperadas.

José Eduardo Dutra pede prorrogação de licença do comando do PT

O presidente do PT, o "porquinho" José Eduardo Dutra, informou ao partido que, por orientação médica, vai prorrogar seu afastamento do comando do partido. Em nota enviada ao PT, José Eduardo Dutra informou que só deve voltar após a Semana Santa. Licenciado desde 22 de março após uma crise de hipertensão, José Eduardo Dutra informou que sua médica pediu que o tratamento não fosse interrompido, apesar de ter registrado melhora. No dia 22, ele pediu licença por 15 dias. O vice-presidente Rui Falcão, deputado estadual por São Paulo, manterá a interinidade à frente do partido. Nos últimos dias, surgiram boatos de que o "porquinho" José Dutra, de 53 anos, estaria ressentido por não ter obtido um posto no governo da presidente Dilma Rousseff, após atuar na coordenação da campanha eleitoral da petista. Os outros "porquinhos", Antonio Palocci, atual chefe da Casa Civil, e José Eduardo Cardozo, na pasta da Justiça, formavam com Dutra o principal trio de apoio à então candidata. Dutra foi o único que não recebeu um ministério. Uma forma de acomodação poderia ser instalar Dutra no Senado, onde é suplente do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), que foi cotado para a recém-criada Secretaria de Micros e Pequenas Empresas. Uma fonte do PT, no entanto, afastou ressentimentos de Dutra e disse que não faz sentido ele demandar um cargo uma vez que deixou a direção da BR Distribuidora, onde ficou de 2007 a 2009, para se candidatar à presidência do PT, principal partido governista.

Produção de veículos cresce 7,9% e bate recorde no primeiro trimestre

A produção de veículos no Brasil bateu recorde no primeiro trimestre do ano, com a fabricação de 902.148 automóveis, comerciais leves, ônibus e caminhões. De acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira pela Anfavea (associação das montadoras), houve acréscimo de 7,9% no confronto com o mesmo período no ano passado. Considerando apenas março (319.363), houve diminuição de 0,4% ante fevereiro e recuo de 6,0% no comparativo com igual intervalo em 2010. Já as exportações somaram 67.764 unidades em março, com redução de 7,6% em relação ao mês anterior e de 2,7% no confronto anual. Considerando o resultado nos três primeiros meses do ano (195.723), houve incremento, de 14,3%.  As vendas de veículos novos também bateram mais um recorde no primeiro trimestre, com o emplacamento de 825.161 unidades, apesar das medidas de restrição ao crédito tomadas pelo Banco Central em dezembro. Os licenciamentos apresentaram elevação de 4,7% no confronto com igual período no ano passado. Apenas em março (306.135), as vendas cresceram 11,7% no comparativo com fevereiro, mas recuaram 13,5% ante o mesmo intervalo no ano passado, que teve um impulso extra por causa do IPI reduzido.

Vazamento de gás na torre do Tom Jobim fechou espaço aéreo no Rio de Janeiro

O espaço aéreo do Rio de Janeiro foi fechado por cerca de uma hora na manhã desta quinta-feira por conta de um vazamento de gás na torre de controle do aeroporto internacional Tom Jobim (Galeão). Segundo a Aeronáutica, os aeroportos foram fechados às 10h25 e reabertos às 11h20. Durante a realização de uma obra de manutenção feita por uma empresa terceirizada a tubulação de gás foi furada. Cerca de 15 controladores tiveram de ser retirados e substituídos. Os controladores convocados para a substituição seguiram para o trabalho com máscaras. O fechamento do espaço aéreo foi necessário porque na torre de controle do Tom Jobim ficam os controladores que cuidam dos pousos e decolagens no aeroporto. Também fica no local uma equipe responsável pela aproximação de vôo no espaço aéreo do Rio de Janeiro. O incidente resultou no desvio de 15 aeronaves, que se aproximavam da cidade, para aeroportos como os de Campinas e Confins. Outros 15 aviões ficaram parados no Santos Dumont. No Tom Jobim, o saldo foi de oito aeronaves paradas.

Dólar acentua queda e é negociado a R$ 1,594, menor taxa em 2 anos e meio

O dólar comercial foi negociado por R$ 1,594 na venda, nesta quinta-feira, em um decréscimo de 1,23% sobre a taxa do fechamento anterior. Neste ano, o preço da moeda americana já desvalorizou 4,3%. Na quarta-feira à noite, após o encerramento dos mercados, o governo baixou uma nova norma, ampliando o prazo para incidência do IOF (imposto sobre operações financeiras) sobre empréstimos externos, de 360 para 720 dias. A medida, no entanto, teve uma avaliação cética no mercado financeiro. "A medida deve ser considerada leve pelo mercado e, na prática, apenas reforça a posição defendida publicamente pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que é a de apenas atenuar o movimento de valorização do real", avalia Miriam Tavares, diretora da AGK Corretora. Há meses prevalece um ceticismo em bancos e corretoras sobre o arsenal do governo para conter a desvalorização cambial em face do motivo fundamental para explicar o fenômeno: o diferencial de juros domésticos e externos, o que torna o País atrativo para o capital estrangeiro, inundando a economia de dólares. E como as pressões inflacionárias não cedem, há poucas perspectivas de que a taxa básica da economia caia, reduzindo esse diferencial. O governo tem insistido que vai enfatizar "medidas macroprudenciais" para refrear o crédito e controlar a alta dos preços. Mas essa nova estratégia é vista com dúvidas no setor financeiro. Além do fluxo cambial, outros especialistas preferem olhar para outro fator financeiro: as apostas bilionárias dos grandes agentes financeiros (como bancos e fundos estrangeiros) na valorização da moeda brasileira. A equipe econômica já começou a tentar restringir essas "apostas", ao exigir que instituições financeiras aumentem suas reservas comparativamente as suas aplicações em dólar. "Está faltando às autoridades monetárias coerência, pois se desejam obstar os ingressos de curto prazo, as posições vendidas dos bancos no mercado de câmbio à vista já deveriam ter sido drasticamente reduzidas", diz o economista Sidnei Nehme, diretor da corretora NGO.

Senado substituirá frota de carros oficiais e celulares de parlamentares

O Senado vai substituir a frota de carros oficiais da Casa, disponível para todos os 81 senadores. Com gasto anual de R$ 17 milhões com os veículos, o comando da instituição vai leiloar os carros antigos para substituí-los por novos, que serão comprados ou alugados, de acordo com estudo a ser executado pela primeira-secretaria do Senado. O senador Cícero Lucena (PSDB-PB), primeiro-secretário, disse que a frota está sucateada após oito anos de uso. "Eles estão consumindo mais combustível, estão gastando mais peças, estão tendo custo elevado de mão de obra para a manutenção. Quando você tem carro novo, tem vários modelos que dão quatro, cinco anos de garantia, dão manutenção. Eu não acredito que seja papel do Senado ter uma grande oficina", afirmou. Lucena informou à Mesa Diretora do Senado nesta quinta-feira que vai fazer um levantamento de todos os gastos com transportes na Casa, incluindo os custos de combustíveis de cada veículo. Além dos veículos de 81 senadores, há outros carros disponíveis para a instituição que também serão substituídos. Cada veículo de parlamentar está avaliado, em média, entre R$ 14 mil e R$ 15 mil. O Senado também vai substituir os telefones celulares dos 81 senadores por Iphones. Lucena justificou a troca ao afirmar que os modelos antigos não permitem aos senadores usar a internet nem enviar mensagens, o que elevaria os gastos com ligações da Casa.

Serra defende voto distrital puro para eleições 2012

O ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB), defendeu nesta quinta-feira, durante seminário do PSDB, que o partido se lance em uma campanha para adoção do voto distrital puro para as eleições municipais do próximo ano. Ele defendeu a aprovação de projeto apresentado na quarta-feira pelo senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP): "Temos que ter um foco. Na minha opinião, temos que concentrar esforços para a eleição municipal de 2012". Embora ele admita que a proposta beneficia o PSDB, Serra disse que esse não deve ser o critério de avaliação de projetos. À saída da reunião, ao comentar a repercussão do discurso do senador e potencial candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, Serra disse que "é um erro fazer tudo sob a ótica de 2014": "Aí, não se faz nada. Nem oposição".

Anvisa suspende fabricação e uso de produto com sibutramina

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) suspendeu em todo o País a fabricação, importação, distribuição, o comércio e uso dos produtos Quitosana e Quitosana associada a outros produtos das marcas Algas Regi, Sliminus e Fibratto, fabricados pela empresa Ledal Química do Brasil Ltda. O motivo da proibição foi a presença da sibutramina, substância indicada para redução do peso no tratamento da obesidade, nas fórmulas dos produtos citados, que eram vendidos como alimentos. A Anvisa determinou ao SNVS (Sistema Nacional de Vigilância Sanitária) a apreensão e inutilização de todos os lotes dos produtos. A resolução foi publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União.

Policial Militar que parou atirador do Rio de Janeiro diz que sentimento é de dever cumprido

O policial militar Márcio Alexandre Alves, de 38 anos, que dava apoio a uma fiscalização do Detro (Departamento de Transportes Rodoviários), em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro, foi quem rendeu o atirador Wellington Menezes de Oliveira, de 24 anos, que atirou contra alunos de uma escola municipal na manhã desta quinta-feira. De acordo com o Detro, equipes do órgão atuavam na rua Piraquara, perto da escola, quando uma criança baleada se aproximou e avisou que havia um homem atirando dentro da escola municipal Tasso da Silveira. Os PMs do Batalhão de Polícia Rodoviária foram imediatamente para o local. Lá, encontraram as crianças trancadas nas salas de aula e Oliveira subindo uma escada em direção ao terceiro andar. O policial atirou no abdome do criminoso e pediu que ele largasse a arma. Em seguida, o atirador caiu no chão e se matou com um tiro na cabeça. Segundo o policial militar, Oliveira apontou sua arma para ele, mas não chegou a atirar. "O sentimento é de tristeza pelas crianças. Eu tenho filho nessa idade. Mas também é sentimento de dever cumprido, impedi que ele chegasse ao terceiro andar e fizesse mais vítimas. Se tivesse chegado cinco minutos antes, poderia ter impedido mais alguma coisa", disse o 3º sargento, que está na corporação há 18 anos.

Líder do governo diz que oposição busca "confronto a qualquer preço"

O líder do governo na Câmara, deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou nesta quinta-feira que a oposição está adotando a postura de "confronto a qualquer preço". Ele criticou o fato de na quarta-feira o plenário ter demorado quase 16 horas para concluir a votação de uma MP (medida provisória), cujo relatório já havia sido distribuído havia três semanas, e aprovar um projeto (a revisão do Tratado de Itaipu). Segundo ele, a oposição está dividida, o que inviabiliza a execução de acordos. Vaccarezza também fez referência ao discurso do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que na quarta-feira fez críticas ao governo petista na tribuna do Senado. O parlamentar classificou a fala do senador como "sectária, radical, que nem pessoas da ultradireita fazem". Segundo ele, Aécio Neves tomou emprestado o discurso do candidato derrotado à Presidência José Serra (PSDB-SP), que afirmou, durante a campanha, que o PT iria dividir o Brasil. "Infelizmente, o Aécio caiu nessa. A primeira ação do presidente Dilma, após a vitória, foi estender a mão para o Brasil, inclusive para a oposição", afirmou. Segundo o líder do governo, mesmo que a oposição provoque, o governo vai continuar trabalhando para unir o Brasil, sem dar "cotoveladas" na oposição.

Montadoras são contra intervenção do governo no álcool

Embora reconheça a escalada do preço do álcool combustível, o presidente da Anfavea (associação das montadoras), Cledorvino Belini, ressalta que a entidade é "a favor do livre mercado". "O empreendedor tem que escolher onde vai colocar os recursos. À medida que se possa interferir, nosso receio é que haja uma inibição dos investimentos na área, principalmente na expansão da produção", afirmou ele nesta quinta-feira. Na sua avaliação, "se o negócio é bom, outros virão investir e produzir". A presidente Dilma Rousseff determinou uma série de ações para conter a alta no preço do álcool e evitar o desabastecimento do combustível, incluindo a transferência do controle da cadeia produtiva do etanol para a ANP (Agência Nacional do Petróleo). A participação dos carros flex nas vendas de automóveis e comerciais leves foi de 84,7% nos três primeiros meses do ano, com os veículos movidos apenas a gasolina ficando com 9,7%. No acumulado de todo o ano de 2010, os percentuais eram 86,4% e 8,4%, respectivamente. Para Belini, no entanto, essa redução na fatia dos carros bicombustíveis se deve ao aumento dos importados nos licenciamentos no País.

Relatório brasileiro é favorável à poda sustentável na Amazônia

A poda sustentável de árvores na Amazônia para a extração de madeira poderia gerar ao País receita anual de US$ 6 bilhões (R$ 9,5 bilhões) e 170 mil empregos, segundo estudo encomendado pelo Ministério da Fazenda brasileiro. Além de garantir a preservação a longo prazo e de gerar renda e emprego para os habitantes da Amazônia, o chamado manejo florestal sustentável se transformaria em uma atividade econômica de utilidade para o Brasil, diz o documento. Apesar de o relatório não ter sido publicado, suas conclusões foram citadas em Belém pelo diretor do SFB (Serviço Florestal Brasileiro), Antônio Carlos Hummel, para defender a rapidez na concessão de áreas da selva a madeireiros interessados em explorá-las de forma sustentável e combater a devastação sem controle. "A principal conclusão do estudo é que a atividade que mais pode gerar renda e emprego na Amazônia e, ao mesmo tempo, manter a floresta de pé, é o manejo florestal da madeira", disse Hummel. O estudo também identificou como atividade rentável o manejo de produtos como a castanha do Pará, o açaí e a borracha, que responderiam por 500 mil empregos. A renda calculada de US$ 6 bilhões anuais é mais que o dobro dos US$ 2,4 bilhões (R$ 3,9 bilhões) que o País obteve pela poda em áreas selváticas em 2009, quando o Brasil produziu 15,3 milhões de metros cúbicos de madeira na Amazônia. Segundo números oficiais, dos cerca de US$ 8,58 bilhões que o Brasil recebeu em 2009 por atividades florestais, 66,4% tiveram origem na silvicultura (principalmente a exploração de florestas cultivadas para a produção de papel) e 28,6% vieram da poda de madeira nas selvas nativas. A concessão de áreas da floresta para o manejo florestal foi regulamentada em 2006, mas é agora que começa sua caminhada. A única área concedida e em exploração é a floresta nacional do Jamari (96.540 hectares), mas o Serviço Florestal Brasileira já adjudicou a floresta de Saracá (48.857 hectares), lançou a licitação para ceder a de Amapá (210.161 hectares) e estudou outras seis áreas com um total de 1,1 milhão de hectares. "Nosso objetivo é fechar este ano com um milhão de hectares concedidos e ter até 2025 com dez milhões de hectares operados por concessionárias", indicou Hummel. O diretor do SFB explicou que o governo pode conceder 10 milhões de hectares de floresta, outros 10 milhões de hectares de áreas selváticas destinadas a assentamentos rurais e 10 milhões de hectares de reservas extrativistas, seriam explorados de forma sustentável por seus habitantes. Com os contratos, os madeireiros podem explorar as áreas por 40 anos mediante planos aprovados pelo governo que só permitem a poda anual de 3,33% da concessão para poder garantir a recuperação da selva. A concessionária precisa fazer um inventário dos recursos da reserva e comprometer-se a não extrair mais que 25 metros cúbicos de madeira por hectare, a manter 10% das árvores de pé para que possam fornecer sementes e a não cortar espécies com menos de três exemplares por hectare.

Grupo de Nizan Guanaes cria empresa na área de entretenimento

O grupo ABC, do publicitário Nizan Guanaes, anunciou nesta quinta-feira a criação da XYZ Live, empresa de eventos e marketing para as áreas de entretenimento e esportes. "Entretenimento é uma grande plataforma de comunicação. A área de entretenimento e mídia deve crescer 10% ao ano até 2014", afirma Guga Valente presidente executivo do ABC. A previsão do grupo é de que somente na Copa de 2014 sejam gastos R$ 6,5 bilhões em mídia. A XYZ nasce da fusão de 11 empresas do grupo ABC que atuam nestas áreas, assim como de parcerias que já existiam. Entre elas, a da Luminosidade, empresa que organiza a São Paulo Fashion Week, com o ABC. Juntas, as 11 companhias devem faturar R$ 168 milhões em 2011, o que deve representar 40% das receitas do ABC até o fim do ano. A expectativa é que a XYZ represente 60% do grupo até 2014. Para isso, a empresa planeja investir R$ 110 milhões em aquisições no período. A empresa será presidida por André Mantovani, 46 anos, ex-presidente da MTV.

FMI diz que escassez de petróleo coloca em risco crescimento mundial

Uma maior escassez de petróleo pode colocar em risco a economia global, diz um documento divulgado nesta quinta-feira pelo FMI (Fundo Monetário Internacional). Apesar de afirmar que um aumento "gradual e moderado" da escassez de petróleo teria um impacto pequeno no crescimento econômico mundial no médio prazo, o FMI alerta que "persistem os riscos" de que a escassez seja mais significativa, assim como seu impacto na economia global. "Seria prematuro concluir que a escassez de petróleo será inevitavelmente uma limitação forte para o crescimento mundial", diz um capítulo do relatório World Economic Outlook ("Perspectiva da Economia Mundial"), antecipado pelo Fundo. Uma simulação analisada pelo FMI mostra que "uma desaceleração significativa e inesperada" no crescimento da oferta de petróleo equivalente a 1 ponto percentual reduziria o crescimento mundial anual em 0,25% no médio e no longo prazo. "No entanto, esse efeito leve no crescimento global não deve ser considerado garantido, já que a escassez ou seu impacto no crescimento podem ser mais significativos", diz o texto. Segundo o FMI, a maior escassez de petróleo é evidenciada por uma tendência de aumento nos preços e é resultado do rápido aumento da demanda em economias emergentes ao mesmo tempo em que há redução no crescimento da oferta. Além dos fatores apontados pelo FMI, o mercado internacional de petróleo vem também registrando altos preços por conta de crises internas em diversos países produtores no Oriente Médio e no norte da África.

Atirador no Rio era introvertido, diz ex-colega de trabalho

Calado e introvertido. Assim o atirador Wellington Menezes de Oliveira, de 24 anos, que atacou alunos de uma escola municipal do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira foi descrito por um ex-colega de trabalho, que pediu anonimato. Oliveira trabalhou na unidade industrial da Rica Alimentos entre fevereiro de 2008 a agosto de 2010. Foi demitido por "baixa produtividade", segundo o mesmo funcionário. Ele entrou na empresa como auxiliar de serviços gerais, e foi promovido dois anos depois a auxiliar de almoxarifado. A partir daí, segundo o ex-companheiro de trabalho, o desempenho profissional do atirador caiu bruscamente, à medida em que a nova função exigia mais responsabilidade. Seis meses depois, acabou sendo demitido. "Era uma pessoa extremamente tímida. Mesmo nos eventos sociais, ele mostrava distância, pouco interagia com os colegas, de uma forma meio autista mesmo", afirmou o funcionário da empresa. Depois que foi demitido, o atirador não voltou mais à empresa nem fez qualquer contato telefônico. Os funcionários da Rica que trabalharam com Oliveira ficaram estarrecidos. "Não tem como não pensar que ele poderia ter vindo aqui. Mas nunca íamos imaginar. Ele tinha uma aparência inofensiva, era franzino. Nunca demonstrou qualquer reação violenta aqui", relatou.

Indústria terá que reduzir sódio em 16 alimentos

A indústria de alimentos se comprometeu nesta quinta-feira a reduzir o teor de sódio em 16 categorias de alimentos. As primeiras serão as massas instantâneas, os pães e as bisnagas, que, de 2012 a 2014, terão de reduzir em até 30% o teor de sódio. O compromisso foi selado por meio de acordo assinado pelo ministro Alexandre Padilha (Saúde) e por representantes de associações de produtores de alimentos. Cada categoria terá um percentual de redução de sódio e um prazo diferente a cumprir. Em julho, serão definidas as metas para pão francês, bolos prontos, misturas para bolo, salgados de milho e batatas fritas. No final do ano, o mesmo ocorrerá com biscoitos, embutidos, caldos e temperos, margarinas, maioneses, derivados de cereais, laticínios e refeições prontas. A expectativa do presidente da Abia (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação) é que todo o processo acabe em 2020. Ele afirmou que a indústria está estudando a melhor forma de substituir o sódio tanto para o sabor como para a conservação dos alimentos.

Guido Mantega diz que alta no preço dos alimentos surpreendeu

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, comentou nesta quinta-feira que nem os analistas foram capazes de prever a elevação da inflação dos alimentos no mês de março. "Todos os analistas se enganaram. Houve um repique da inflação de alimentos, que não era esperado", declarou. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta quinta-feira que o IPCA (a inflação oficial) dos alimentos ficou em 0,79%. O governo previa um crescimento da inflação em torno de 0,45%, enquanto os analistas do mercado financeiro acreditavam em um aumento de 0,65%. Mantega disse que os motivos da elevação estão relacionados ao período do ano: "Tem a ver com o regime de chuvas. Foi excepcional, porque todo ano, a esta altura, os alimentos já começam a cair. Então, foi fundamentalmente alimentos. Eles tem que cair a partir de abril, porque pega um período de chuva, entressafra. Daqui a pouco isso cai", explicou. Mantega repete Delfim Netto durante a ditadura militar, quando a culpa pela inflação era do chuchu. Sobre a elevação dos preços dos serviços, que tiveram crescimento de 8% em doze meses até março deste ano, Mantega disse os serviços já dão sinais de queda, mas o governo vai ficar atento e tomará as medidas necessárias. O ministro, porém, não detalhou quais medidas serão essas.

Piloto de Dilma infiltra amiga em avião presidencial e põe em xeque segurança

O comandante do avião da Presidência da República, coronel Geraldo Corrêa de Lyra Júnior, infiltrou uma amiga nos vôos de ida e volta que levaram Dilma Rousseff para descansar em Natal (RN) no carnaval. O episódio abriu uma crise no Gabinete de Segurança Institucional (GSI), responsável pela segurança da presidente. O coronel botou no avião presidencial a professora de educação física Amanda Correa Patriarca, irmã de Angélica Patriarca, comissária da mesma aeronave. Amanda disse que o coronel ajudou a colocá-la no avião de última hora porque ele é “amigo” de sua família. Ela afirmou que a presidente Dilma Rousseff não sabia de sua presença. Todos viajaram a Natal e ficaram na cidade a passeio entre 4 e 8 de março. A presença de uma estranha alojada de improviso no avião presidencial, sem a ciência de Dilma, foi considerada internamente um risco às regras no aparato de segurança e uma ousadia ao rigor militar. A “carona” despertou a atenção dos integrantes da base aérea em Brasília, também comandada pelo coronel Lyra Júnior. Contrariados, funcionários despacharam, no vôo de volta, a mala de Amanda Patriarca diretamente para o gabinete da presidente Dilma Rousseff, para que, assim, o caso fosse descoberto pela alta cúpula do Palácio do Planalto. A professora, aliás, usou uma mala do Grupo de Transporte Especial (GTE), entregue a todos os passageiros, para que sua presença no avião presidencial não fosse notada. Amanda Patriarca confirmou que viajou no avião presidencial para passear em Natal no carnaval. Segundo ela, a autorização foi dada pelo coronel Lyra Júnior um dia antes do embarque. O comandante Geraldo Corrêa de Lyra Júnior foi quem recebeu o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na base aérea de Brasília no dia 18 de março. Na última segunda-feira, o Diário Oficial da União publicou autorização para Lyra Júnior integrar o comando aéreo da viagem de dez dias que a presidente Dilma Rousseff fará à China a partir desta sexta-feira. Na viagem a Natal, no carnaval, Dilma levou a filha Paula, o neto Gabriel, o genro Rafael, a mãe, Dilma Jane, a tia, e o ex-marido, Carlos Araújo. Todos se hospedaram no hotel de trânsito do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, que pertence à Aeronáutica. Já a tripulação do avião presidencial, incluindo o coronel Lyra Júnior e a comissária Angélica Patriarca, e a professora Amanda ficaram num hotel em Natal.

Governo do Rio de Janeiro confirma 11 mortos em escola

A Secretaria da Saúde do Rio de Janeiro informou no fim da manhã que dez meninas e um menino morreram baleados nesta quinta-feira, após um rapaz invadir a escola municipal Tasso da Silveira, na região de Realengo (zona oeste do Rio de Janeiro), e atirar contra os alunos. O atirador cometeu suicídio, segundo a polícia. Outras 18 pessoas (estudantes) ficaram feridas. Inicialmente, o Corpo de Bombeiros havia informado a morte de 13 pessoas, 12 alunos e o atirador. O crime ocorreu por volta das 8h30, quando o rapaz identificado como Wellington Menezes de Oliveira, de 24 anos, ex-aluno da unidade, entrou na escola dizendo que daria uma palestra. Em seguida, passou a atirar contra os alunos, dentro das salas de aula. Uma professora fez com que alguns alunos deixassem a unidade durante o ataque para pedirem ajuda, informou o governador Sérgio Cabral (PMDB). Segundo ele, dois desses estudantes percorriam uma rua próxima quando encontraram um carro da Polícia Militar. As duas crianças, que estavam feridas, foram socorridas e um PM identificado como sargento Alves se dirigiu ao local do crime. O policial militar Márcio Alexandre Alves relatou, por sua vez, que o rapaz chegou a apontar a arma para ele quando estava na escada que dá acesso ao terceiro andar do prédio, onde alunos estavam trancados em salas de aula. O policial disse ter atirado no abdome do criminoso e pedido que ele largasse a arma. Em seguida, o atirador caiu no chão e se matou com um tiro na cabeça. Várias das crianças feridas foram levadas de helicópteros do Corpo de Bombeiros para o hospital Albert Schweitzer e demais unidades de emergência do Rio de Janeior, como o hospital Souza Aguiar, no centro. O coronel Beltrame informou que o atirador deixou uma carta suicida com referências ao islamismo.

Dívida do lixo se acumula em governo petista em Brasília

Uma área equivalente a 10.385 maracanãs foi roçada em Brasília, na operação comandada pela Secretaria de Obras e Novacap, do governo do Distrito Federal, desde 1º de janeiro. O balanço será divulgado segunda-feira. O governo do Distrito Federal não paga desde dezembro os serviços de limpeza pública em Brasília, e o lixo ameaça voltar às ruas, como na gestão de Rogério Rosso. A dívida já soma R$ 32 milhões.

Itália investiga elo da Máfia com o lixo no Brasil

O jornalista Claudio Humberto informa em sua coluna desta quinta-feira: "A brigada antimáfia da Itália confiscou ontem € 13 milhões em imóveis, carros de luxo e um galpão do “rei do lixo” Cipriano Chianese, 57, notório no clã da Camorra, no norte da Itália. Seria o testa de ferro de Franco Caccaro, 49, presidente da TPA, de trituração de lixo, atuante em vários países, inclusive no Brasil. Um diretor da TPA Trituradores em São Paulo, Emilio Zambello, 85, nasceu em Pádua, como Caccaro. Zambello e o filho, Sílvio, aficcionados por carros, negam vínculo com a empresa italiana e relação com Caccaro e Chianesi. Caccaro está preso, acusado de associação mafiosa, e terá o benefício da delação premiada. A operação foi um duro golpe na Camorra. O império mafioso do lixo da Camorra foi descrito no livro “Gomorra” pelo jornalista italiano Roberto Saviano, que vive sob proteção policial. A TPA Trituradores do Brasil, criada em 2004, saiu da lista de beneficiários dos empréstimos com cartão do BNDES.