sexta-feira, 4 de junho de 2010

Ex-petista Soninha Francine explica porque está com José Serra

Questionada na internet, a jornalista paulista Soninha Francine, ex-vereadora paulista pelo PT, explicou também na internet porque está com José Serra. Veja a sua explicação: "Posso explicar, sim. Talvez não em poucas palavras, mas em muitas informações sobre o que vi, vivi e aprendi nos últimos anos. Pra não deixar sem nenhuma resposta agora, posso resumir assim. Descobri que o meio em que eu vivia - de petistas - inventava muitas barbaridades sobre o Serra. Por que o Serra? Não sei, talvez porque ele tenha sido o candidato do governo à sucessão do Fernando Henrique, portanto rival direto do Lula na disputa presidencial. Porque os petistas já pintavam os tucanos como o fel da terra (e eu, mesmo quando era do PT, achava isso um pouco absurdo), e o Serra como o próprio Satanás. Só que os fatos, mesmo vistos de longe, já desmentiam algumas coisas que diziam sobre ele: como ele podia ser "queridinho" da grande mídia quando comprava briga contra a publicidade de cigarro, por exemplo - que era uma baita fonte de receita para os meios de comunicação? E como ele era parte da elite imperialista internacional, quando foi à OMC e lutou contra os lobbys e cartéis da indústria farmacêutica, conseguindo as quebras de patente em nome da saúde pública dos países mais pobres? Mesmo com esses fatos, eu acreditava nas versões do PT. Afinal, o PT era o meu partido, eu tendia a concordar com tudo. Pensava: "Ok, ele fez uma ou duas coisas importantes, corajosas, mas nem por isso é uma pessoa decente". O PT dizia que ele era covarde, porque tinha "fugido" da ditadura. Que era um manipulador ardiloso, porque "armou" um flagrante pra Roseana Sarney (se bem que eu já pensava naquela época: o marido da Roseana Sarney tem um milhão e meio de reais de origem desconhecida e a culpa é do Serra?). Enfim, eu o detestava. Até ser vereadora e ele, prefeito. E descobrir que o demônio que pintavam não era nada daquilo. Mal humorado, impaciente, carrancudo, ríspido demais às vezes? Sim. Mau caráter? Não. Em 2005, começo do meu mandato, o Serra me recebeu (a meu pedido), ouviu atentamente tudo o que eu disse e reconheceu que estava equivocado em algumas medidas que havia tomado como prefeito. Na manhã seguinte, desfez o que tinha feito. Depois, me procurou inúmeras vezes para perguntar de assuntos que acreditava que eu conhecesse melhor do que ele - políticas de juventude, meio ambiente, cultura. Cansei de vê-lo pedindo idéias, sugestões, opiniões. O contrário do que diziam dele. Enquanto isso, o PT - que era o meu partido - continuava inventando, mentindo. Uma barbaridade. Analisava um projeto de lei enviado á Câmara pelo prefeito, concluía que o projeto era muito bom e... No plenário da Câmara, fazia DE TUDO para barrar o projeto. Saía do plenário para não dar quórum, subia na tribuna e passava meia hora falando horrores de um projeto que TINHA CONSIDERADO BOM - apenas para prejudicar "os tucanos" na eleição seguinte. Mesmo assim, mesmo no meio da guerra mais suja - petistas espalhavam mentiras para assustar a população, uma coisa realmente horrorosa - se chegasse um Projeto de Lei de um vereador do PT e ele considerasse o projeto bom para a cidade, ele sancionava (isto é, aprovava). E se chegasse um Projeto de Lei de um vereador do PSDB e ele considerasse o projeto ruim para a cidade, ele vetava. Aliás, nós ficamos amigos, e ele... vetou vários projetos meus. Ou seja, um comportamento REPUBLICANO, de respeito à Casa Legislativa e ao interesse coletivo. Mas o PT continuava espalhando que ele era autoritário, mentiroso, privatista, neoliberal... E que era repressor, "inimigo dos pobres", "amigo das elites", tudo de pior no mundo. Mas o Serra ia fazendo coisas muito legais na cidade - criou a Coordenadoria da Diversidade Sexual, a Secretaria da Pessoa com Deficiência. O Centro de Juventude da Cachoeirinha, que é do cacete. Pegou um esqueleto que estava lá abandonado desde o Janio Quadros e fez um troço muito legal. Terminou o primeiro trecho do maldito Fura-Fila do Pitta, que também estava abandonado. Voltou atrás na história dos CEUS - porque essa foi uma das coisas que eu consegui convencê-lo de que ele estava errado - e mandou fazer vários outros, mantendo o nome "CEU" (bandeira da Marta...). Idem com os Telecentros - que os petistas diziam que ele ia "destruir", transformar em Acessa São Paulo, que era bem diferente... Criou a Virada Cultural. Fez os benditos hospitais de Cidade Tiradentes e do M'Boi Mirim - que o PT anunciava que a Marta tinha feito, quando na verdade ela não tinha começado nem a cavar o alicerce... Sem falar que a Marta, que passou os 2 primeiros anos de seu governo sanando as contas da prefeitura detonadas pelo Pitta, passou os dois últimos anos destroçando as contas da prefeitura - e deixou dívidas absurdas, contratos temerários de 20 anos assinados "no apagar das luzes"... O Serra deu muita força para a Secretaria do Meio Ambiente, que sempre era das mais pobrezinhas. E chamou para trabalhar com ele pessoas que tinham trabalhado com a Marta, sem a menor hesitação, sem rancor e ressentimento, porque considerava que elas eram competentes. Enfim, eu vi, eu testemunhei, condutas absurdas do meu partido - e condutas admiráveis do Serra, que o meu partido pintava como o enviado do capeta. Resultado: (lembre-se, este é um resumo, a história completa é uma enciclopédia) saí do PT, que foi se distanciando barbaramente dos ideais que pregava, adotando o "vale tudo" (pra governar, pra ser oposição), e fui para um partido de oposição. Que hoje apóia o Serra para presidente, assim como eu. E eu nem falei do governo do estado... De mais uma seqüência enorme de mentiras e terrorismos, como de costume ("ele vai privatizar o metrô!"; "ele publicou decretos para acabar com a autonomia universitária!"), e, da parte dele, realizações admiráveis, mais ainda para quem ficou 3 anos e pouco no governo (e 1 ano e meio na prefeitura). Uma lista de pontos em que a atuação dele me agrada muito: trens metropolitanos, metrô, meio ambiente, cultura, pessoa com deficiência... E outros mais. Se você odeia o Serra como eu odiava, eu sei que não vai mudar de idéia assim tão fácil. Não tenho essa pretensão. Mas gostaria que você acreditasse em mim: é com muita convicção que eu voto nele, baseada nos meus 6 anos de vida mergulhada integralmente na política. Abração - Soninha"

Tesoureiro de Dilma é mantido no cargo mesmo depois de condenado

Mesmo tendo sido condenado pela Justiça a devolver dinheiro à prefeitura de Diadema (PT), por ter contratado ilegalmente o advogado petista Luiz Eduardo Greenhalgh, o ex-prefeito José de Filippi Júnior (PT) disse que será mantido nas funções de tesoureiro da pré-candidata Dilma Rousseff. Antes de desembarcar em São Paulo, após dez meses de estudo na Universidade de Harvard, Filippi esteve em Brasília, onde se reuniu com Dilma e com o deputado federal Antonio Palocci. Disse ele: "A condenação não será óbice para a função nem para a candidatura a deputado federal". Claro, no PT isso nunca foi óbice, ao contrário, engrandece o currículo.

Novo barco com ativistas quer chegar à Faixa de Gaza neste sábado

Depois da morte de nove ativistas que tentaram furar o bloqueio à Faixa de Gaza na última segunda-feira, uma nova crise pode surgir com a ordem do governo israelense para que os militares impeçam que outro barco com ativistas se aproxime do território palestino. Tripulantes do navio MV Rachel Corrie dizem que ele chegará a Gaza até este sábado. A embarcação zarpou de Malta na segunda-feira e leva 15 ativistas, inclusive a norte-irlandesa Mairead Corrigan, Prêmio Nobel da Paz de 1976, e Denis Halliday, ex-assistente do secretário geral das Nações Unidas. "Não vamos permitir que o barco entre em Gaza", disse o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu a ministros nesta quinta-feira.

Jornal ícone da esquerda, Le Monde é colocado à venda na França

O jornal francês Le Monde, ícone da esquerda mundial, um dos mais importantes do mundo, criador do Foro Social Mundial, foi oficialmente posto à venda na quarta-feira, em Paris. O anúncio foi feito em editorial de capa pelo diretor-executivo da publicação, Eric Fottorino, e confirma a perspectiva aberta em janeiro de 2008, quando começou o agravamento da crise do jornal. Os futuros proprietários, que deverão injetar entre € 80 milhões e € 100 milhões em troca do controle acionário, terão de assinar um termo de compromisso para garantir a total independência editorial do periódico esquerdóide, o que é bobagem, porque ninguém põe tanto dinheiro bom em uma droga de produto, incapaz de gerar lucro. A troca de controle do Le Monde é o maior movimento em curso no mercado editorial da Europa, e está mobilizando investidores da própria França, mas também da Itália, da Espanha e da Suíça. As ofertas deverão ser concretizadas até 14 de junho pelo conjunto do grupo Le Monde, integrado também pelo site lemonde.fr (portal informativo mais frequentado do país), pelo jornal Le Monde Diplomatique, pelas revistas Courrier International, Télérama e La Vie, e pela gráfica da companhia, além de seus imóveis. A perspectiva é de que, até 30 de junho, o selecionado para liderar o processo de recapitalização do grupo seja conhecido. A venda, nas palavras do diretor Fottorino, marcará "uma virada histórica para o Le Monde", um jornal fundado pelo legendário jornalista Hubert Beuve-Méry, em 1944, e controlado por seus funcionários desde 1951. Ele tem razão, vai significar mesmo uma grande virada.

Marta Suplicy pede votos abertamente em São Paulo, afrontando a lei eleitoral

A festa de aniversário de José de Filippi Júnior, tesoureiro da campanha da pré-candidata Dilma Rousseff (PT), ocorrida quarta-feira à noite, em Diadema (SP), transformou-se em ato de campanha petista. Em período pré-eleitoral, a ex-prefeita de São Paulo, a ricaça petista Marta Suplicy, subiu ao palco para pedir votos abertamente, atacar os adversários tucanos e instruir militantes e curiosos sobre os eixos da campanha petista deste ano. Um pouco mais contido, Filippi, recém-chegado dos Estados Unidos, comparou a eventual vitória na disputa ao Planalto a um tricampeonato de futebol. Com música ao vivo, churrasco, acarajé e cerveja, o evento organizado pelo PT local reuniu cerca de 2 mil pessoas. Marta Suplicy, pré-candidata a senadora, e Filippi, pré-candidato a deputado federal, sambaram, posaram para fotos com eleitores e usaram o palco como palanque. A petista insinuou que os adversários tucanos irão piorar o Bolsa Família, acabar com o PAC e desmontar a política de relações exteriores do presidente Lula. O evento aconteceu no salão do Clube Okinawa. A ricaça petista Marta Suplicy fez vários ataques ao PSDB. Segundo ela, os opositores tentam ressuscitar o discurso do medo, que teria sido usado pelos tucanos contra Lula em 2002. Ao falar sobre a economia, disse que Dilma está dando exemplo de competência: "Precisa ver o banho que ela deu em Nova York. Foi espetacular, Filippi! Com todos os banqueiros internacionais questionando, perguntando. Ela mostrou uma competência de tirar o chapéu. Todo mundo ficou tranquilo". Ela conclamou os presentes a lutar pelo PT e finalizou pedindo votos: "Eu quero todo o apoio de vocês para colocar lá a Dilma, o Mercadante, Marta Suplicy, Filippi e todos os companheiros aqui presentes que tem candidato! Inclusive o Vicentinho que está aqui, o nosso candidato a deputado federal. E queremos vocês juntos para continuar a luta, para o PT continuar a mudar o Brasil. À vitória companheiros!" E agora a Justiça Eleitoral fará o quê?

Justiça argentina inicia julgamento sobre prisão-símbolo da Operação Condor

A Justiça argentina começou a julgar nesta quinta-feira três militares e três civis acusados de comandar o centro clandestino de detenção e tortura Automotores Orletti, instalado pelo serviço de inteligência da ditadura militar (1976-1983). Disfarçado de oficina mecânica, o local foi cativeiro de argentinos, uruguaios, bolivianos e cubanos e é considerado símbolo da Operação Condor, a articulação repressiva entre as ditaduras sul-americanas. O Ministério Público atribui crimes contra a humanidade ao general do Exército reformado Eduardo Rodolfo Cabanillas, atualmente preso; ao coronel Rubén Visuara e ao comodoro da Força Aérea, Néstor Guillamondegui. Os réus civis são Raúl Guglielminetti, Eduardo Ruffo e Honorio Ruiz, ex-agentes do órgão de inteligência argentino e do Exército. Os três já estão presos. Tantos os militares como os civis responderão por 65 casos de sequestro, tortura e assassinato. A vítima mais conhecida do Automotores Orletti é Marcelo Gelman, filho do poeta e jornalista argentino Juan Gelman. O corpo dele foi encontrado em 1976 no fundo de um rio, dentro de um tanque de concreto. Sua mulher foi levada grávida a outro centro de detenção clandestino, no Uruguai, e nunca foi encontrada. A filha do casal nasceu em cativeiro e foi entregue pelos militares a uma família uruguaia. Em 2000, a menina foi restituída à família pela Associação Avós da Praça de Maio, que se dedica a recuperar filhos de desaparecidos. Os processos judiciais contra militares e agentes acusados de crimes ocorridos na época foram retomados depois de o governo do presidente Néstor Kirchner revogar a lei de anistia em 2005.

OEA condiciona readmissão de Honduras ao fim do exílio do golpista Zelaya

A reincorporação de Honduras à Organização dos Estados Americanos (OEA) passa pelo regresso sem represálias do presidente deposto, o golpista Manuel Zelaya, ao seu país, disse nesta quinta-feira o secretário-geral da entidade, o esquerdóide chileno José Miguel Insulza. A OEA suspendeu Honduras há 11 meses por causa do golpe de Estado contra Zelaya, atualmente exilado na República Dominicana. "Sou partidário do retorno de Honduras à OEA, mas (...) com o retorno de Manuel Zelaya", disse Insulza a jornalistas durante uma conferência no Peru. "Acho que o caminho, mas sobretudo para muitos países da América do Sul, passa pelo retorno de Zelaya a Honduras, em condições de absoluta tranquilidade", acrescentou. O Brasil e outros governos sul-americanos não admitem a volta de Honduras à comunidade internacional porque não reconhecem o governo de Porfirio Lobo, já que este resulta de uma eleição realizada pelo governo de facto que substituiu Zelaya. Lobo disse que aceitaria a volta de Zelaya para que fosse julgado em liberdade por crimes de prevaricação. Já Zelaya, numa entrevista pela Internet à Reuters, afirmou que seria "impraticável e injusto" se submeter a tribunais "golpistas." Vários grupos de direitos humanos afirmam que o novo governo de Honduras, que tomou posse em janeiro, continua perseguindo seguidores de Zelaya.

PT vai processar Serra por atribuir autoria de suposto dossiê a Dilma

O PT decidiu interpelar judicialmente o pré-candidato tucano à Presidência, José Serra, para que ele confirme ou não a declaração na qual atribuiu a Dilma Rousseff (PT) a responsabilidade pela confecção de um dossiê contra ele. Se reafirmar, será processado, segundo os petistas. A decisão foi tomada nesta quinta-feira após reunião entre o presidente do partido, José Eduardo Dutra, e o secretário-geral do partido, deputado federal José Eduardo Cardozo (PT-SP). "Um candidato à Presidência não pode ficar fazendo acusações ao léu. Se ele confirmar o que disse, entraremos com uma ação por danos morais. Ele terá de provar o que falou. Essa declaração é uma lesão à imagem de Dilma", atacou José Eduardo Cardozo (é o namorado da deputada comunista gaúcha Manuela D'Ávila). "Decidimos interpelar o Serra judicialmente, pelas suas acusações a Dilma e ao PT sobre o tal dossiê. Quem não deve, não teme", escreveu Dutra, na sua página no Twitter.

PSDB diz que processo do PT contra Serra é "cúmulo da inversão ética"

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), criticou o PT por dizer que irá interpelar judicialmente o pré-candidato tucano à Presidência, José Serra. Segundo ele, o processo do PT é o "cúmulo da inversão ética". Segundo o tucano, "se a Dilma não manifesta repúdio ao que foi feito, não manda embora e nem entrega os malfeitores, então ela assume a responsabilidade por mais essa trapalhada. Não adianta inverter as coisas". No último sábado, a revista "Veja" divulgou que petistas articularam a montagem de uma equipe de espionagem para confeccionar dossiês contra adversários, mas a estratégia não teria ido adiante, em razão de intervenção de outra ala do partido. Na quarta-feira, Serra comentou pela primeira vez o episódio: "A principal responsabilidade desse dossiê é da candidata Dilma. Não tenho dúvidas", afirmou ele. A ex-ministra da Casa Civil rebateu a acusação: "Isso é uma falsidade. Não vou ficar batendo boca, mas isso é uma falsidade".

Dissidente cubano completa 100 dias de greve de fome

O dissidente cubano Guillermo Fariñas completou nesta quinta-feira a marca de 100 dias em greve de fome. Segundo ele, os presos políticos estão sendo usados como "peças de xadrez" pelo ditadura da dinastia comunista de Raúl Castro, o sucessor do com(andante) Fidel Castro. O psicólogo e jornalista, de 48 anos, conversou com a Agência Efe na tarde desta quinta-feira. No dia 24 de fevereiro ele começou um jejum para reivindicar a libertação dos opositores presos doentes. Fariñas chegou aos 100 dias de protesto em um momento de expectativa sobre os resultados da mediação da igreja católica cubana junto ao governo em prol dos presos políticos. E se mostrou disposto a interromper a greve caso os presos mais doentes (cerca de dez, segundo seus cálculos) sejam libertados. O primeiro fruto do diálogo aberto entre igreja e a ditadura foi a transferência nesta semana de seis detentos políticos a prisões de suas províncias de residência. "O governo cubano está usando os presos como peças de xadrez. É preciso ver realmente o que está acontecendo", disse Fariñas. O estado de saúde do dissidente é considerado "grave estável" pelos médicos, embora ele tenha tido algumas complicações geradas por infecções produzidas pelo próprio cateter que o alimenta. Fariñas começou sua greve depois da morte do opositor preso Orlando Zapata Tamayo, em Havana, em decorrência de greve de fome.

BP consegue cortar duto danificado em poço do Golfo do México

Os operários da British Petroleum (BP) conseguiram cortar o duto do poço de petróleo danificado no Golfo do México, que origina o vazamento, afirmou o chefe da Guarda Costeira americana, almirante Thad Allen. Enquanto a situação se agrava na Louisiana, o derrame de petróleo já chega a ilhas da costa do Alabama e ameaça alcançar a Flórida, pondo em risco o turismo, a economia pesqueira e a biodiversidade desses Estados. Na quarta-feira, as tentativas da BP de deter o vazamento fracassaram. Os funcionários da empresa estavam usando uma serra especial, recoberta com diamantes, para cortar a tubulação, mas ela ficou presa no tubo. Quando a serra foi liberada, ficou claro que ela não era mais capaz de cortar com eficiência. Tony Hayward, principal executivo da BP, declarou que os custos da operação podem chegar a US$ 3 bilhões "caso os esforços atuais falharem". Na ilha Dauphin, no Alabama, equipes de trabalhadores já estão recolhendo bolas de piche, com tamanho entre uma bola de golfe e um punho humano, que estão chegando à praia. "São muito grudentas", diz o prefeito da ilha, Jeff Collier. O governador da Flórida, Charlie Crist, afirmou que está se preparando para a chegada da mancha de óleo: "Estamos fazendo de tudo para proteger nosso belo Estado". O plano atual da BP é usar uma espécie de sifão para estancar o vazamento. Uma estrutura cônica cobriria a área do poço e sugaria o petróleo para um petroleiro na superfície.

Serra é aplaudido em missa do padre Marcelo em São Paulo

Ao lado do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra (PSDB), participou nesta quinta-feira da missa de Corpus Christi do padre Marcelo, no Santuário do Terço Bizantino, na zona sul da cidade. Havia mais de 15 mil pessoas no local, e o pré-candidato do PSDB foi aplaudido quando sua chegada foi anunciada.O convite foi feito pelo próprio padre Marcelo e pelo bispo dom Fernando, um dos condutores da missa. O tucano, que rezou e comungou, e foi convidado a ler um trecho da Bíblia, do livro de Gênesis.

Iara Lee conta histórias furadas para a mídia internacional

Detida por tropas israelenses na ação militar, Lee relatou à BBC Brasil ter visto "muito sangue" e que começou "a passar mal" quando subiu ao convés do barco em que viajava. Ela disse ainda que os atiradores de elite do Exército de Israel entraram no principal navio da frota, o Mavi Marmara, "atirando para matar": "Era muito sangue, eu comecei a passar mal, tive ânsia de vômito e até desisti de procurá-lo". As histórias contadas por essa documentarista são frágeis como duas notas de três reais. Afinal de contas, ela declarou que, antes da abordagem do navio pelos israelenses, os membros da tripulação haviam feito as mulheres descerem para o salão do convês inferior. Assim, como ela poderia ter visto a ação? Iara disse à BBC Brasil que não testemunhou as mortes, mas que '"outras pessoas que estavam no barco contaram ter visto soldados atirando corpos no mar". Ah.... então a história já é baseada em narrativas de outras pessoas, e não no que ela testemunhou. O certo é que Iara Lee, naturalizada norte-americana e casada com um herdeiro de banqueiro dos Estados Unidos, passará agora a ser amplamente investigada pelos serviços de segurança norte-americanos, devido a suas relações com organizações terroristas islâmicas, assim como o banco da família de seu marido norte-americano. Iara Lee, quando vivia no Brasil, foi casada com o cineasta Leon Cakoff, ou seja, ela tem um longo curriculo de vinculação com organizações de esquerda. Só não havia chegado tão próxima do terrorismo internacional como agora. Em sua chegada ao aeroporto de Istambul procedente de Israel, o presidente da ONG islâmica turca IHH (Fundação de Assistência Humanitária), uma das principais organizadoras da flotilha de ajuda a Gaza, afirmou que há mais mortos do que os anunciados. "Devolveram-nos nove corpos, as famílias vão identificá-los. Mas a lista de mártires é mais extensa", disse o terrorista Bulent Yildirim: "Há pessoas desaparecidas, nossos médicos entregaram a eles 38 feridos. Em troca, nos disseram que há apenas 21 feridos". Um comunicado do gabinete do primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, confirmou a identidade das vítimas nesta quinta-feira. Todos eram homens entre 19 e 61 anos, e o mais jovem era de nacionalidade americana (também turco). O jornal israelense "Haaretz" também confirma a informação de que os mortos eram oito turcos e um americano, ao contrário do que se divulgou inicialmente, quando acreditava-se que todas os corpos levados à Turquia eram de cidadãos turcos. Os corpos foram entregues às famílias, após os exames forenses em Istambul. Ainda nesta quinta-feira o presidente turco, Abdullah Gül, afirmou que as relações da Turquia com Israel "nunca mais serão as mesmas". Ora, isso é de uma hipocrisia a toda prova. Há já bastante tempo que a Turquia vem ostensivamente se afastando de Israel e promovendo a intensificação das relações com nações terroristas islâmicos e grupos ligados ao terrorismo islâmico, como a Al Qaeda. Essas atitudes não tornarão nada fácil a vida da Turquia, que é membro da Otan (Aliança para o Tratado do Atlântico Norte). Israel rejeitou nesta quinta-feira uma resolução do Conselho de Direitos Humanos da ONU que aprovou a realização de uma investigação internacional a respeito do ataque. Obviamente, só podia repudiar, porque este Conselho de Direitos Humanos é um covil de nações terroristas e ditaduras horríveis, sem moral para determinar fiscalização em lugar algum do planeta. Se fosse para valer, deveria começar por esses próprios países. Veja a listinha dos paisecos pretensamente "democratas humanistas" que votaram contra Israel: Angola, Bolívia, China, Cuba, Egito, Gabão, Nicarágua, Arábia Saudita, Senegal, Zâmbia. Esses são apenas alguns, e a lista dispensa qualquer comentário. Desde quando Chine e Cuba podem dar lições de humanismo a quem quer que seja?!!! No entanto, o chanceler israelense Avigdor Lieberman admitiu que Israel pode aceitar uma investigação com observadores internacionais, desde que seja liderada e chefiada pelo próprio Estado israelense.

OAB pede fim da vara especializada no combate ao crime organizado em Alagoas

A vara especializada no combate ao crime organizado em Alagoas, que reúne processos judiciais contra suspeitos de pistolagem, tráfico de drogas, sequestro e desvio de dinheiro público do Estado, teve sua constitucionalidade questionada pela OAB. A entidade alega em uma Adin (ação direta de inconstitucionalidade) apresentada ao Supremo Tribunal Federal que a Assembléia Legislativa do Estado não tem competência para legislar sobre assuntos penais como a criação de uma vara especializada. A OAB afirma também que os juízes da 17ª Vara escolhem os casos que atuam, dando preferência para os que têm mais destaque na TV e "lhes possam dar mais notoriedade". A 17ª Vara Criminal de Maceió tem uma estrutura inédita no País: são cinco magistrados indicados pelo Tribunal de Justiça, que atuam coletivamente nos processos, e têm mandatos de dois anos renováveis pelo mesmo período. Lá, os inquéritos e representações envolvendo as organizações criminosas no Estado são protocolados diretamente na secretaria da vara e não são distribuídos no fórum, para evitar vazamento de informações. Para o juiz Antonio Dória, que atua na 17ª Vara, o eventual fim da 17ª Vara seria um retrocesso para o Estado. "Quem ganha com isso é o crime organizado." Segundo ele, a atuação da vara coibiu os crimes de sequestros, que praticamente não são registrados há mais um ano no Estado, e focou sua atuação no combate ao tráfico de drogas. Em abril, os magistrados da 17ª Vara julgaram todos os processos protocolados até 2008. A 17ª Vara funciona desde abril de 2007. Em julho de 2008, foi responsável pelas expedição de mandados de prisão temporária contra três deputados estaduais, suspeitos de crime de pistolagem e formação de quadrilha. No ano passado, os juízes da 17ª Vara decretaram a prisão de quatro vereadores de Pilar (AL), suspeitos de desviar R$ 2,5 milhões da Câmara Municipal.

Jornalistas acusam Israel de usar fotos e vídeos de ataque sem autorização

A Associação de Imprensa Estrangeira em Israel e nos Territórios Palestinos acusou nesta quinta-feira o Exército israelense de utilizar fotos e vídeos do ataque de segunda-feira à flotilha do terror confiscados de jornalistas e sem autorização. "O uso desse material sem permissão dos meios de comunicação é inaceitável e uma flagrante violação da ética do jornalismo", afirma a associação em um comunicado. O texto exige que "o material e o equipamento confiscado dos jornalistas que cobriam o ataques dos barcos sejam devolvidos a seus proprietários e aos meios".

Governo dos Estados Unidos vai enviar conta de US$ 69 milhões à BP

O governo dos Estados Unidos enviou uma conta de US$ 69 milhões à British Petroleum nesta quinta-feira em despesas referentes às medidas relacionadas ao vazamento de petróleo provocado pela companhia no Golfo do México, informou a Casa Branca. Um terço das águas do Golfo do México estão proibidas à pesca devido à mancha de óleo que se aproxima da Flórida, mas a BP informou nesta quinta-feira ter conseguido algum avanço em sua tentativa de interromper o vazamento, jogando no mar milhões de litros de um controverso dispersante. A companhia conseguiu cortar o cano pelo qual o óleo vaza, utilizando uma espécie de "tesoura gigante" e tentará agora colocar um funil para sugar o petróleo para as embarcações na superfície, informou o almirante da Guarda Costeira americana, Thad Allen.

Filho de deputado petista é encontrado morto no rio Negro

O corpo de Pedro Yamaguchi Ferreira, de 27 anos, filho mais velho do deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), foi encontrado nesta quinta-feira no rio Negro, a cerca de 40 quilômetros de São Gabriel da Cachoeira (AM). Pedro Yamaguchi Ferreira atuava como agente da Pastoral Indigenista desde fevereiro na cidade. Na última terça-feira, saiu para nadar no rio e foi arrastado por uma forte correnteza. O corpo foi encontrado por um barco do Exército ao meio dia desta quinta-feira.

Estudo mostra que carga tributária embutida na conta de luz alcança 45%

A carga tributária repassada ao consumidor na conta de luz alcançou 45,08% em 2008. É o que revela a 4ª edição do estudo elaborado em parceria pelo Instituto Acende Brasil e a empresa de consultoria internacional PricewaterhouseCoopers. Desde 1999, a carga de tributos e encargos se mantém acima dos 40% no Brasil. Na comparação com outros países, o Brasil aparece na 14ª posição em carga tributária de energia elétrica para consumidores industriais, de acordo com os dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) de 2004. A Eslováquia e a Espanha são os países com menor carga tributária na conta de energia, sendo inferior a 5%. Entre os consumidores residenciais, o Brasil detém a 23ª colocação, com uma carga entre 30% e 40%. O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) foi identificado como o grande vilão da carga tributária na conta de luz. Na média, ele representa em torno de 20% do valor da conta paga. No Rio Grande do Sul, o governo de Pedro Simon (PMDB, de 1987 a 1990) fez constar na lei do ICMS um artigo que diz: "o imposto integra a base de cálculo do produto ou serviço". A alíquota é de 25%. Simplicando: se você gasta 200 reais de telefone no mês, a base para o cálculo do imposto é calculada com a soma dos 200 reais mais os 25% do ICMS, ou seja, 200 mais 50; os 50 reais equivalem a 25% de 200. Então, 200 mais 50, dá 250 reais. Esse é o valor da base de cálculo. Agora, sim, aplique os 25% sobre a base de cálculo de 250 reais e você saberá o quanto está pagando de ICMS. No fim de seu cálculo, verificará que o ICMS pago é muito maior que a alíquota de 24% que fala a lei, ultrapassa os 33% folgamente. Esses são os truques daqueles fiscais de ICMS que ficam pilotando cadeiras de rodinhas todos os dias. Esse artigo da lei já deveria ter sido questionado quanto a sua constitucionalidade há pelo menos 21 anos, mas gaúcho tem tudo à sua disposição, menos fiscal da lei, não é mesmo? E não há ninguém disposto a defender o cidadão contra a bitributação, que é inconstitucional (é proibida a cobrança de imposto sobre imposto, isto é que se chama de bitribução), O Instituto Acende Brasil acredita que a redução gradual da alíquota do ICMS em 1% ao ano seria suficiente para diminuir o peso desse imposto em até 12%, em 2020. Ora, que gracinha, que tal começar por diminuir as contribuições e impostos federais?

Lula defende impostos para fortalecer o Estado

Apesar de o Brasil ter a mais alta carga tributária da América Latina e uma das maiores do mundo, o presidente Lula defendeu o alto volume de impostos registrado hoje no País, em torno de 36,5% do PIB, como forma de garantir um Estado presente e forte. O discurso de Lula foi feito na noite de segunda-feira, no encerramento do Seminário de Alto Nível da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), em Brasília. Na quarta-feira, os dois pré-candidatos que lideram a disputa presidencial, José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), foram em outra direção, atacando a alta carga tributária e defendendo redução. Ao fazer um histórico sobre avanços socioeconômicos do País nos últimos anos, sobretudo em seu governo, Lula disse, em tom de desafio, que País com carga tributária baixa não tem um Estado presente na vida da população: "Penso que estamos construindo um mundo mais verdadeiro, com defeitos e com virtudes. Tem muita gente que se orgulha de dizer: 'No meu País, a carga tributária é de apenas 9%"; "No meu País, a carga tributária é (de) apenas 10%". Quem tem carga tributária de 10% não tem Estado! O Estado não pode fazer absolutamente nada. Está aí, cheio de exemplos para a gente ver", discursou Lula. É, os brasileiros não sabem o que estão vivendo. Quer dizer que essa maravilha de Estado brasileiro, comandada pelo PT e por sua base lulista, é a melhor coisa do mundo? Ora, por favor.... Quer dizer que temos um serviço de saúde melhor do que o da Suécia, ou da Inglaterra?

Ex-funcionários de agências de "rating" queixam-se de pressões para "dourar" avaliações

A comissão norte-americana de inquérito que investiga a crise financeira na quarta-feira vários ex-funcionários de agências de rating queixarem-se de terem sofrido pressões do empregador para "dourar" a classificação de alguns produtos financeiros. No caso de Eric Kolchinsky, que dirigiu a unidade da agência Moody´s, que classificava obrigações estruturadas no mercado imobiliário de alto risco ("subprime"), a pressão resultava do facto de a sua carreira na empresa e de o seu salário dependerem da quota de mercado. Atualmente, uma agência é paga directamente pelos emissores de títulos financeiros, que podem optar pela concorrente, se esta oferecer melhor classificação. Um antigo vice-presidente da mesma agência, Mark Froeba, referiu vários casos de intimidação e mesmo de substituição de analistas por insatisfação dos banqueiros clientes dos ratings. O resultado foi a criação de "uma população dócil de analistas com medo de perturbarem os banqueiros de investimento", disse Froeba. O governo norte-americano prepara a versão final da nova legislação do setor financeiro, que vai alterar o modelo de negócio das agências de rating como a Moody´s, Standard&Poor´s ou Fitch, que muitos observadores consideram de dependência face aos seus clientes.

Aloizio Mercadante quer indicar Lula ao Prêmio Nobel da Paz

O senador Aloizio Mercadante, pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, lançou uma campanha para indicar o presidente Lula ao Prêmio Nobel da Paz de 2011. Ele divulgou em seu site uma carta que enviou ao Instituto Nobel de Oslo indicando Lula. Milhares de pessoas podem indicar um nome ao prêmio. Para a edição de 2010, houve 237 indicações, incluindo 38 organizações. Mercadante diz que o importante é que a indicação tenha apoio da população e criou um abaixo-assinado.