sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

"GOVERNO LULA FINANCIA BANDITISMO E SUBVERSÃO DA ORDEM CONSTITUCIONAL"

De Reinaldo Azevedo: "O banditismo e a subversão da ORDEM CONSTITUCIONAL são promovidos e financiados pelo próprio governo. O homem que incentivou a invasão da fazenda da Cutrale, uma das maiores fabricantes de suco de laranja do Brasil, assinou convênios com o Incra em nome de uma associação. O valor repassado chegou a R$ 222 mil. Essa associação acabou sendo considerada inadimplente pelo próprio Incra. E os supostos beneficiados pelo convênio não receberam benefício nenhum. A Associação Regional de Cooperativa Agrícola da Reforma Agrária tem como endereço uma casa na cidade de Iaras, interior de São Paulo. Um dos diretores é Miguel da Luz Serpa, o homem que o Jornal Nacional mostrou, na quarta-feira (27), passando orientações sobre como deveria ser a invasão da fazenda da empresa Cutrale, em outubro passado. “Esta é a quarta ocupação. E agora nós viemos para pelo menos dar prejuízo para eles”, diz Serpa em vídeo. O prejuízo ultrapassou R$ 1,3 milhão. Dois anos antes da invasão, Miguel Serpa, em nome da associação, assinou convênios com o Incra para receber verbas do governo federal. É o que mostram os documentos divulgados pela ONG Contas Abertas. O convênio de R$ 180 mil foi assinado em outubro de 2007. O dinheiro foi repassado, mas o Incra não aprovou a prestação de contas por falta de documentação complementar e considerou a associação inadimplente. O segundo convênio, no valor de R$ 42 mil também foi assinado por Miguel, menos de um mês depois, e teria como objetivo capacitar trabalhadores rurais de um assentamento em Iaras. Desta vez, o Incra aprovou a prestação de contas. Nossa equipe foi ao assentamento Zumbi dos Palmares, que seria o beneficiado por este segundo convênio. No local, vivem 248 famílias. No assentamento, cada lote tem seis alqueires. A maioria dos assentados vive de forma precária. Ao redor das casas, não há plantação. No solo, ainda estão os tocos que sobraram do corte das árvores, o que impede a plantação de lavouras. Um homem, há dois anos no assentamento, diz que não vive da terra e sim com o dinheiro da aposentadoria. Segundo ele, a capacitação prometida não chegou. “Nós não temos ajuda. Nós precisamos de ajuda, porque a terra do acampamento não tem condições”, denuncia o senhor. E ele não é o único a reclamar: “Não tem como estar fazendo alguma coisa na terra. Mas a gente pegou o lote e a gente está feliz por isso, mas o que acontece é que a gente não tem condições de trabalhar e produzir”, fala uma assentada. Miguel Serpa está preso, suspeito de comandar invasões de terra e de interceptar produtos levados da fazenda da Cutrale.

Médico Tulio De Rose diz que punição à ginasta Daiane dos Santos é pequena

O médico gaúcho Eduardo De Rose, especialista em controle de dopagem e membro da comissão médica do COI, comentou na manhã desta sexta-feira a punição de cinco meses imposta à ginasta Daiane dos Santos pela Federação Internacional de Ginástica. A atleta, flagrada no antidoping para a substância "furosemida", poderia ficar afastada por até dois anos. Diante da situação, De Rose afirma que a notícia foi boa para a ginasta gaúcha: "Sempre gostei de apreciar a Daiane. É uma atleta que trouxe muitas alegrias. Essa notícia é boa para ela. Os advogados dela estão de parabéns, frente à possibilidade de ficar fora por dois anos. Uma punição de cinco meses é praticamente nada, visto que ela não está competindo".

Uruguai senta no banco dos réus na Corte Interamericana

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos notificou as vítimas de sua decisão de enviar à Corte Interamericana de Direitos Humanos o caso aberto contra o Uruguai pelo desaparecimento forçado de Maria Claudia Garcia Irureta Goyena de Gelman. Pouco mais de um ano do prazo concedido ao Uruguai para o cumprimento das recomendações emitidas pela Comissão Interamericana, e diante do não cumprimento das recomendações pelo governo uruguaio, o caso foi enviado para a Corte, que decidirá finalmente sobre as violaciones da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos nas quais incorreu o Uruguai no caso Gelman. María Claudia García Irureta Goyena e Marcelo Gelman foram sequestrados por homens armados no dia 24 de agosto de 1976, em sua casa em Buenos Aires, Argentina. Ella tinha 19 anos e estava grávida de sete meses. Foi levada por militares uruguaios para Montevidéu, onde deu a luz uma menina no dia 1º de novembro de 1976. Os militares que a sequestraram e a mantiveram presa em um país estrangeiro, permitiram que ela ficasse com o nenê por dois meses, até dezembro, quando a separaram do bebê e a assassinaram. O nenê apareceu dentro de uma cesta na porta da casa de um policial uruguaio, no dia 7 de janeiro de 1977, e foi batizada como María Macarena. Marcelo Gelman sufreu torturas em uma centro clandestino de repressão, o famigerado Automotores Orletti, em Buenos Aires, onde permaneceu até outubro de 1976. Seu cadável apareceu em 1089, sepultado em uma tumba sem identificação, em um cemitério de Buenos Aires, junto a outros sete cadáveres. O pai de Marcelo, o escritor argentino Juan Gelman, nunca deixou de procurar sua neta e a encontro 23 anos mais tarde, após incansáveis gestões no Uruguai.

Confusão em licitação milionária da Petrobras

Está destinado a dar uma tremenda confusão o resultado da mais esperada licitação do ano no setor de publicidade, a conta da Petrobras, no valor de 250 milhões de reais por ano. Na quinta-feira, às 14 horas, na sede da estatal no Rio de Janeiro, foram abertos os envelopes para que as três escolhidas fossem conhecidas. Estavam na disputa 18 agências de publicidade. As mais pontuadas foram a curitibana Heads (60,9 pontos de um máximo de 70 pontos), a Dentsu (55,7 pontos) e a carioca Quê (54,6 pontos). Só que mais de duas horas antes, o site da revista Propaganda & Marketing, divulgou o resultado. E aí começa o rolo. Para evitar possíveis vazamentos ou suspeitas, a Petrobras fizera o que é praxe em concorrências públicas: as propostas não estvam identificadas. Ou seja, em tese, a comissão julgadora não saberia quem é quem e só na hora da abertura dos envelopes apareceriam os nomes das agências vencedoras. Não foi o que aconteceu. O mercado publicitário entrou em polvorosa. Todos os derrotados prometem ir à Justiça. Entre os vencedores, duas agências (Quê e Heads) já detêm a conta da Petrobras. A Dentsu é a novata (de origem japonesa, desfez sua parceria com a DPZ há dois meses), tirando o espaço que hoje é da F/Nazca.

Estados Unidos dão asilo à família alemã que quer educar filhos em casa

A Justiça dos Estados Unidos considerou vítima de perseguição em seu próprio país uma família que quer dar educação para seus filhos na própria casa, e isso é probido na Alemanha. A família Romeike deixou sua pátria, a Alemanha, em agosto de 2008 e entrou como turista nos Estados Unidos, onde pediu asilo. O motivo é que ela quer educar seus filhos em casa, sem ter que enviá-los à escola. E a Alemanha é um dos poucos países na Europa onde isso é proibido. Nos Estados Unidos é diferente. Recentemente, um juiz da cidade norte-americana de Memphis concedeu asilo à família, baseado no que considera uma violação aos direitos humanos pelo Estado alemão. Desde que chegou à sua nova pátria, a família vive em Morristown, uma pequena cidade industrial no estado do Tennessee. O dia escolar dos pequenos Damaris, Christian, Josua, Lydia e Daniel, com idades entre 3 e 11 anos, começa com a leitura da Bíblia em inglês. A atividade, realizada em uma grande mesa de madeira, é ao mesmo tempo uma aula de inglês ministrada pelo pai das crianças, Uwe Romeike. Daniel e Lydia frequentaram a escola de Bissingen, no estado alemão de Baden-Württemberg, durante alguns anos. Mas, nesse período, segundo a mãe, Hannelore Romeike, eles se tornaram quietos e pouco ativos. Os pais decidiram então ensinar seus filhos em casa. Lydia diz que gosta. Porque agora já não tem que ficar com medo das outras crianças. Ela conta que seu irmão Daniel ficou com o nariz sangrando, depois de ter levado uma pedrada de um colega de turma. Mas os Romeike têm outras razões para não enviar seus filhos à escola. Segundo a mãe, em casa, eles podem controlar o conteúdo e o ritmo do processo de aprendizagem das crianças. Além disso, os pais podem decidir quais livros usar, como também os valores a serem transmitidos. Os Romeike desejam que seus filhos sejam educados de acordo com os valores cristãos, que tenham respeito pelos pais e professores, que aprendam a dizer a verdade e a se comportar corretamente. Os Romeike têm apoio da Associação de Defesa Legal da Escola Domiciliar. A entidade defende os que têm problemas por ensinarem seus filhos em casa. O chamado "homeschooling" é permitido legalmente em todos os 50 estados norte-americanos. Esse sistema deveria ser liberado no Brasil. No momento em que isso ocorrer, pais poderão se reunir em condomínios, contratar professores e conduzirem diretamente a educação de seus filhos, que deverão prestar exames periodicamente. Isso acabaria com a malfadada ideologização esquerdóide nas escolas. Mas, terminaria com a ação desses sindicatos petistas que destróem a educação pública há várias décadas. Nunca mais usar livros pedagógicos que ensinam geografia e matemática pela ótima da organização terrorista MST. E, importante, a Justiça dos Estados Unidos considera isso uma questão de direitos humanos inalienáveis. E é, efetivamente.

Paulo Bernardo diz que prorrogação de corte de IPI é desnecessária

O ministro do Planejamento, o petista Paulo Bernardo, disse na quinta-feira considerar desnecessária a prorrogação no corte de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para a linha branca e para automóveis. "Se houver alguma coisa comprovando que é necessário manter, certamente o governo vai ter sensibilidade. Eu particularmente acho que não precisa. A economia está boa, as vendas estão boas", afirmou ele, ao deixar a reunião do Conselho Monetário Nacional. A redução na alíquota do IPI para eletrodomésticos da chamada linha branca, como geladeiras, fogões e máquinas de lavar, acaba no dia 31 de janeiro. Para os carros vai até 31 de março, mas apenas para carros flex ou a álcool.

Petista Berzoini diz que PMDB terá autonomia para escolher vice de Dilma Rousseff

O presidente do PT, deputado federal Ricardo Berzoini (SP), disse na quinta-feira que o PMDB terá autonomia para escolher o nome que vai disputar a vice-presidência da República na chapa da candidata petista Dilma Rousseff (ministra chefe da Casa Civil). Berzoini disse que a declaração do presidente Lula de que o PMDB deve elaborar lista tríplice de nomes para que o PT decida quem será o vice de Dilma foi "pouco refletida", o que gerou uma crise que não existe entre os dois partidos. "Não há qualquer problema. É uma crise artificial. Não existe no PT nenhum tipo de restrição ao presidente do PMDB, Michel Temer, para a vice. Agora, a indicação é do PMDB, não é nossa. Quem indica é o PMDB", afirmou ele.

Evo Morales pede que militares bolivianos sejam "anticapitalistas"

O presidente da Bolívia, o cocaleiro trotskista Evo Morales, disse na quinta-feira que quer as Forças Armadas "anticapitalistas" para consolidar, em seu recém-iniciado segundo governo, o processo de "refundação" do país. Morales defendeu uma renovação ideológica da instituição militar durante a cerimônia em que foi reconhecido formalmente como o capitão-general, seis dias depois de prestar juramento como presidente do período 2010-2015 do que agora se chama Estado Plurinacional, em substituição da velha "república liberal". A convocação pareceu não deixar dúvidas de que o chefe trotskista pretende seguir cultivando uma estreita relação com os militares, a quem agradeceu o apoio à nacionalização dos hidrocarbonetos, decretada por ele em 2006, e ao pagamento de populares bônus para estudantes, idosos e mães.

Governo determina registro de operações com derivativos no Exterior

O Conselho Monetário Nacional aprovou na quinta-feira resolução que determina que operações com derivativos de empresas brasileiras no Exterior terão que ser registradas. De acordo com o chefe do Departamento de Normas do Banco Central, Sérgio Odilon dos Anjos, a intenção é dar mais transparência para esse tipo de operação. A determinação é que os bancos que fazem a remessa de recursos para esse tipo de operação terão que registrar junto a uma central de liquidação autorizada pelo Banco Central. A medida entra em vigor a partir de 15 de março, prazo dado para que as instituições financeiras tenham adequado os seus sistemas operacionais. O Conselho Monetário Nacional aprovou também resolução que permite às instituições financeiras receberem recursos de estatais apresentadas como garantia para obras no setor elétrico que estão incluídas no PAC. A medida complementa norma divulgada no fim do ano passado que permitiu às empresas estatais, como a Eletrobrás, apresentarem garantias para esse tipo de obra.

Presidente do Paraguai processa opositor que o acusou de envolvimento em sequestro

O presidente do Paraguai, Fernando "Pai Nosso" Lugo, acionou a Justiça do país contra Luis Aníbal Schupp, membro do opositor Partido Colorado, que o acusou de envolvimento no sequestro do fazendeiro Fidel Zavala. O presidente decidiu processar Schupp por calúnia, injúria e difamação. Segundo o advogado do presidente, Marcos Fariña, Lugo pediu pena de dois anos de prisão para o político ou o pagamento de uma indenização de US$ 300 mil, dinheiro que seria repassado a uma instituição de caridade. O opositor, famoso no Paraguai por suas declarações polêmicas, afirmou que os US$ 550 mil pagos no resgate de Zavala, de 45 anos, foram parar "nos bolsos" de Lugo. O pecuarista permaneceu três meses em poder do Exército Popular Paraguaio (EPP), grupo terrorista que concentra suas ações no norte do país, e foi libertado na semana passada depois que seus familiares pagaram o resgate. Políticos opositores afirmam que Lugo é excessivamente tolerante com as ações do grupo terrorista. Alguns foram além e apontaram vínculos entre o grupo e o chefe de Estado, que antes de chegar ao poder, em 2008, foi bispo católico no departamento de San Pedro, uma das áreas de influência do EPP.

A morte do escritor J.D. Salinger aos 91 anos

O escritor J.D. Salinger morreu aos 91 anos, "de causas naturais", em sua casa em New Hampshire, nos Estados Unidos. Recluso havia muitos anos, o escritor não dava entrevistas desde 1980 nem se deixava fotografar. O seu livro mais conhecido, "O Apanhador no Campo de Centeio", foi lançado em 1951, quando ele tinha 32 anos. O personagem principal do livro, o adolescente Holden Caufield, se tornou símbolo da geração de jovens do pós-guerra. A obra foi um sucesso mundial, e vendeu mais de 60 milhões de cópias em todo o globo. O anúncio da morte foi feito pelo filho do autor, a partir de um comunicado emitido pelo representante literário de Salinger, na quinta-feira. Jerome David Salinger completou 91 anos no último dia 1º. Ele estava sem publicar um trabalho havia mais de quatro décadas. "Amo escrever", disse Salinger em 1974, em uma de suas raras entrevistas, ao jornal "The New York Times": "Mas, só escrevo para mim mesmo e para o meu prazer". O último trabalho literário publicado assinado por ele foi "Hapworth 16, 1924", em junho de 1965. O autor, filho de um judeu importador de queijos kosher e de uma escocesa-irlandesa que se converteu ao judaísmo, cresceu em um apartamento da Park Avenue, em Manhattan, estudou durante três anos na Academia Militar de Valley Forge e em 1939, pouco antes de ser enviado à guerra, estudou contos na Universidade de Columbia. Durante a Segunda Guerra Mundial ele se alistou na infantaria e esteve envolvido com a invasão da Normandia. Os companheiros de exército de Salinger o consideravam corajoso, um verdadeiro herói. Em relação a outros escritores, Salinger classificou Ernest Hemingway (1899-1961), que conheceu em Paris, e John Steinbeck (1902-1968), como de segunda categoria, mas expressou sua admiração por Herman Melville (1819-1891). Em 1945, Salinger casou-se com uma médica francesa chamada Sylvia, de quem se divorciou e, em 1955, casou-se com Claire Douglas, união que também terminou em divórcio, em 1967, quando se acentuou a reclusão do escritor em seu mundo privado e seu interesse pelo budismo. Salinger namorou durante algum tempo, na década de 1980, a atriz Elaine Joyce, e no final daquela década se casou com a enfermeira Colleen O'Neill, 45 anos mais jovem do que ele.

BNDES prevê papel menos influente e retomada do investimento privado

A concessão de crédito para a Petrobras e a linha de incentivo à produção de bens de capital impulsionaram o desempenho do BNDES em 2009, quando os desembolsos somaram o montante recorde de R$ 137,4 bilhões, 50% de incremento perante os R$ 92,2 bilhões liberados em 2008. Para 2010, o presidente da instituição, economista petista Luciano Coutinho, projeta um desempenho bastante positivo da economia brasileira, com a consolidação da retomada dos investimentos que vem sendo observada desde a segunda metade de 2009, com exceção de setores especialmente ligados à economia externa. O executivo disse esperar que o banco exerça um papel menos influente este ano, com o mercado privado assumindo um papel de mais destaque no fomento às necessidades de investimentos das empresas.

Imprensa da Nicarágua denuncia Chávez

A imprensa da Nicarágua associa o nome do ditador venezuelano Hugo Chávez à compra da emissora local TV Telenica Canal 8. Considerado um dos principais veículos local, a emissora é crítica ao presidente Daniel Ortega, aliado do ditador venezuelano. Há uma semana o então diretor da Telenica, Carlos Briceño, informou que a emissora havia sido vendida a sócios, cujos nomes não foram revelados por imposição contratual. No último domingo, o jornalista e apresentador Carlos Fernandes Chamorro, de oposição ao atual governo da Nicarágua, pediu demissão do canal. Filho da ex-presidente Violeta Barrios de Chamorro (1990-1997) e ex-militante sandinista, o jornalista disse ter confirmado com várias fontes o emprego de capital venezuelano no canal, firmado por meio de acordo de cooperação entre os países. "As pessoas que estão tomando decisões são da secretaria do partido do governo, a Frente Sandinista. O filho de Ortega está lá fisicamente já. O governo não está fechando meios de comunicação. Está recorrendo a métodos mais sofisticados para exercer esses tipos de pressão", disse Chamorro. Ainda de acordo com o jornalista, o governo de Ortega pressiona as TVs, com ameaças de não renovação de concessões. É o bolivarianismo em ação, liquidando liberdade de imprensa no continente, e com a complacência da bocó Hillary Clinton e do muçulmano Barack Hussein.

Polícia Federal indiciou a irmã de Daniel Dantas

A Polícia Federal indiciou por corrupção ativa a empresária Verônica Dantas, irmã do banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity. O indiciamento ocorreu em 18 de dezembro, data em que o ministro Esteves Lima, do Superior Tribunal de Justiça, paralisou a Operação Satiagraha, inquérito sobre evasão e lavagem de dinheiro. A polícia atribui a Verônica envolvimento na tentativa de suborno do delegado federal Vitor Hugo Rodrigues Alves, a quem Daniel Dantas teria mandado oferecer US$ 1 milhão em troca do arquivamento da Operação Satiagraha. Ela já havia sido indiciada no inquérito principal da Operação Satiagraha, no qual a Polícia Federal lhe imputou seis crimes: lavagem, evasão de divisas, sonegação fiscal, formação de quadrilha, gestão fraudulenta de instituição financeira e empréstimo vedado.

Reinaldo Azevedo critica governo Lula e Celso Amorim pela postua a respeito de Honduras

O jornalista Reinaldo Azevedo postou em seu blog (http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo) uma contundente crítica da postura do governo Lula e do chanceler Celso Amorim a respeito de Honduras. Diz ele: "A posse de Porfirio Lobo Sosa, novo presidente de Honduras, encerra uma crise de sete meses, que teve início com a deposição CONSTITUCIONAL de Manuel Zelaya, no dia 28 de junho do ano passado. Permitam-me uma pontinha de orgulho. No dia em que o Congresso Internacional da Impostura decidiu chamar aquele ato de golpe, eu decidi ler a Constituição do país — sim, mesmo Honduras, tratada como uma espécie de quintal da “Nova Ordem de Esquerda” da América Latina, tinha uma Constituição democraticamente instituída. A despeito dos fatos e da clareza com que o texto indicava que Zelaya, ele sim, tentara o golpe, esta tal “nova ordem” seguiu o grito de guerra de Hugo Chávez: restituição de Zelaya já! Hesitantes a princípio, severos em seguida, os Estados Unidos engrossaram o coro, congelando fundos de assistência e cancelando o visto de hondurenhos comprometidos com o “golpe”. Poucos países sofreram cerco semelhante. E atenção: nenhuma democracia passou por algo parecido. Porque, por incrível que pareça — e, hoje, vista a coisa a uma certa distância, o absurdo não faz senão crescer —, Honduras seguiu sendo uma democracia: o calendário eleitoral foi mantido, não se votou uma só lei de exceção, os Poderes Constituídos mantiveram a sua autonomia e as suas prerrogativas, não houve cassações, não se fizeram prisões políticas. Não obstante, tentava-se classificar a deposição de Zelaya como um golpe “tipicamente latino-americano”, o que era uma piada, arte da mais pura pilantragem intelectual. Hugo Chávez decidiu patrocinar pessoalmente a volta do golpista deposto, invadindo o espaço aéreo hondurenho. Falhou. Com o auxílio de Brasil, Nicarágua e El Salvador, conseguiu finalmente instalar o bigodudo delinqüente na embaixada brasileira. Na coleção de absurdos, o Brasil ganhou lugar de destaque. Lula e Celso Amorim, senhores, apostaram na guerra civil hondurenha! Passada a era da mistificação, isso restará indelével em suas respectivas biografias. O Megalonanico hiperativo, em entrevista recente ao Estadão, teve a cara-de-pau de afirmar que a presença de Zelaya na representação brasileira impediu a explosão de violência. Mentira tosca! A esmagadora maioria dos hondurenhos não queria o candidato a ditador. A verdade, como sempre, está no avesso do que diz Amorim: o risco de violência surgiu com a presença do Chapeludo maluco no país. O tempo foi-se encarregando de revelar o que estava em curso. Parte da imprensa, daqui e do mundo, decidiu fazer o que nós, caros leitores, fizemos desde o primeiro dia: ler a Constituição de Honduras. Quando Daniel Ortega, outro apoiador de primeira hora de Zelaya, deu um golpe na Constituição da Nicarágua e fez a Corte Suprema declarar sem efeito parte do texto para, também ele, tentar se eternizar no poder, a ficha de Washington caiu. Os republicanos botaram o dedo na ferida: Obama e Hillary Clinton comportavam-se como caudatários do chavismo. A posse de Porfírio Lobo, em eleições ainda não-reconhecidas pelo Brasil — os hondurenhos não estão nem aí para o que pensa Lula — humilha a diplomacia brasileira e seus aloprados e também expõe o ridículo a que está submetida a OEA sob o comando de José Miguel Insulza, que previa — talvez torcesse por isso — um banho de sangue se Zelaya não fosse reconduzido ao poder. O que se viu, na verdade, foi uma espécie de conspiração de idiotas e esquerdistas pilantras contra a democracia. Durante meses se repetiu o mantra de que não se pode depor um presidente eleito. Não? Se ele desrespeitar a Constituição, não é uma questão de poder, mas de dever. E cada país tem as suas regras para fazê-lo. No Brasil, é preciso um processo de impeachment. Em Honduras, a depender do crime, a deposição é automática, ouvidos, como foram, o Congresso e a Corte Suprema. Sete meses depois de Hugo Chávez ter patrocinado a tentativa de golpe em Honduras — de pronto rechaçada pelo Congresso, pela Justiça, pelo Ministério Público, pelas Forças Armadas e pela maioria do povo —, quem já deu início à trilha que o levará à desgraça e à liberdade dos venezuelanos é Hugo Chávez. Seu governo está se esfarelando. Cada vez mais, ele depende do apoio dos militares para governar. E isso, sim, remete ao pior passado da América Latina. Neste blog, como sabem, escrevi muitas vezes: a derrota de Manuel Zelaya em Honduras é o começo do fim do chavismo. O país, com todas as dificuldades, segue, felizmente (e contra a vontade de Lula e de Amorim) na trilha da democracia. Chávez, o patrocinador de golpes, está cada vez mais perto de ser pendurado pelos pés em praça pública. A democracia ainda assistirá a esta vitória. Anotem aí. Para não perder a viagem. A vitória da democracia em Honduras também derrotou boa parte da imprensa brasileira. Uma derrota intelectual e profissional. Há honrosas exceções que não caíram no conto bolivariano — VEJA, felizmente, entre elas. Não se esperava dessa gente muita coisa: apenas a leitura da Constituição daquele país e o reconhecimento de que a Carta daqui não pode ser aplicada lá. Houve até uma tonta que achou um absurdo que não houvesse um processo de impeachment para depor Zelaya… Pois é, estivesse o impeachment previsto nas leis daquele país, talvez fosse mesmo… O Itamaraty de Celso Amorim costuma usar os jornais brasileiros como passarela de seus delírios de onipotência. O Megalonanico chega ao requinte de ter uma colunista que funciona como sua porta-voz. Esta senhora teve a ousadia (!?) de escrever, certa feita, que o Brasil havia combinado com a Casa Branca a visita de Ahmadinejad ao país. No dia seguinte, o mundo ficou sabendo que Obama enviara uma carta às autoridades brasileiras esculhambando a… visita de Ahmadinejad!!! A situação de certa imprensa é terminal. Ou muda ou morre".

Fiesp informa que atividade da indústria paulista fecha 2009 com recuo de 8,5%

A atividade da indústria paulista fechou 2009 com baixa de 8,5% na comparação com o ano anterior, segundo dados divulgados na quinta-feira pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e o Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo). A entidade também divulgou o INA (Índice de Atividade da Indústria) dos meses de novembro e dezembro. Nos dados com ajuste sazonal, o índice avançou 1,3% em novembro ante outubro, e depois subiu 2,4% na comparação entre dezembro e novembro. Sem ajuste sazonal, o índice teve recuos de 3,1% e 7,6%, respectivamente. O nível de utilização da capacidade instalada, que mensura o uso de máquinas e equipamentos nas indústrias, ficou em 83,2% em dezembro, contra 78,2% registrado no mesmo mês de 2008. O levantamento da Fiesp e do Ciesp mostrou ainda que o total de salários pagos em 2009, já descontada a inflação, teve queda de 0,4% ante 2008. Já as horas trabalhadas na produção caíram 7,8% sobre o ano anterior. As vendas reais da indústria, por sua vez, subiram 0,9% na mesma base de comparação.

Anistia Internacional condena execução de dois iranianos por protestos de oposição

A Anistia Internacional condenou na quinta-feira a execução de dois iranianos por participação nos protestos da oposição reformista após a contestada reeleição do ditador fascista islâmico Mahmoud Ahmadinejad (reencarnação de Adolf Hitler). Em comunicado, a Anistia afirmou que Mohamad Reza Ali Zamani e Arash Rahmanipour foram enforcados após serem condenados em processos judiciais "injustos". "Estas execuções mostram que as autoridades iranianas não se deterão com nada para erradicar os protestos pacíficos que persistem desde as eleições", afirmou Hassiba Hadj Sahraoui, subdiretora do programa da Anistia Internacional para o Oriente Médio e Norte da África. Hadj Sahraoui afirmou ainda que os dois executados foram "processados de maneira injusta e agora foram injustamente assassinados e nem sequer ficou claro se tinham vínculos com este grupo, já que parece que suas confissões foram extraídas por coação". O governo Lula ficou escandalosamente silencioso até agora diante dessa monumental violação dos direitos humanos pelos fascistas islâmicos do Irã.

Lugo nomeia novo diretor paraguaio em hidrelétrica de Itaipu

O presidente do Paraguai, Fernando "Pai Nosso! Lugo, nomeou na quinta-feira Gustavo Codas, assessor da Presidência para assuntos internacionais, como novo diretor em Assunção da hidrelétrica de Itaipu, co-dirigida com o Brasil. O secretário de Comunicação da Presidência, Augusto dos Santos, confirmou a nomeação de Codas, em substituição a Carlos Mateo Balmelli, que foi diretor da hidrelétrica desde agosto de 2008. Santos não deu detalhes sobre os motivos do afastamento de Balmelli. Ele é ex-legislador do Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), principal força da coalizão que levou Lugo ao poder nas eleições de 20 de abril de 2008. A mudança ocorreu um dia depois que o vice-presidente paraguaio, Federico Franco, principal rival de Balmelli dentro do PLRA, aprovou a gestão do ex-legislador à frente de Itaipu, em resposta aos rumores sobre um possível afastamento. Balmelli, que assumiu o cargo em agosto de 2008, foi afastado no momento em que o Congresso brasileiro deve analisar um acordo entre o Executivo paraguaio e o brasileiro, por meio do qual o Paraguai poderia receber US$ 360 milhões anuais e triplicar as compensações que recebe pela cessão do excedente de sua parte da energia gerada por Itaipu.

Marina Silva confirma co-presidente da Natura como vice na chapa presidencial

A senadora Marina Silva (PV-AC) confirmou na quinta-feira o empresário Guilherme Leal, co-presidente do conselho de administração da Natura, como candidato à vice de sua chapa para a Presidência da República. "Há o desejo de ambas as partes, do PV e de grande parte do empresariado brasileiro", disse ela. "Quando me filiei foi um gesto político. Tinha o significado de que estou a serviço do movimento que a Marina está promovendo. Os desejos, as disponibilidades políticas estão colocadas, precisam ser amadurecidas", afirmou o empresário. Segundo Marina Silva, Guilherme Leal é um empresário que discutia e se preocupava com a sustentabilidade "quando o tema ainda não era moda". A senadora e pré-candidata à Presidência da República minimizou o anúncio do PSOL de que não apoiará oficialmente sua candidatura e reafirmou que, apesar da ausência de aliança, vai apoiar a candidatura de Heloísa Helena para o Senado por Alagoas.

Supermercados querem isenção de impostos para alimentos e higiene

O setor de supermercados deve reivindicar ao governo a isenção dos impostos PIS/Cofins sobre produtos alimentícios e de higiene, provavelmente em março, afirmou na quinta-feira o presidente da Abras (Associação Brasileira de Supermercados), Sussumo Honda. Segundo ele, o Brasil é um dos países que mais taxam o setor de alimentação, com uma média de 25%. "As isenções de impostos deveriam ser feitas também para produtos de largo consumo, o que beneficiaria a todos e não apenas alguns segmentos", destaca. No ano passado, o governo reduziu o IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) de produtos como carros, materiais de construção e eletrodomésticos. O presidente da Abras afirma que já foi apresentado um estudo sobre impacto das reduções ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, no ano passado, e que agora o próximo passo será ir ao Ministério da Fazenda. "Sabemos que há uma sensibilidade no governo para isso, então vamos trabalhar para que neste ano essas isenções, que vão beneficiar também as classes que mais impulsionaram o consumo em 2009, as C, D e E", afirmou. A carga do PIS/Cofins na alimentação é em torno de 10%, sendo 7,65% de Cofins e 1,65% de PIS.

Novo governo do Uruguai quer estreitar relações com o Brasil

O governo do presidente eleito do Uruguai, José Mujica, buscará estreitar as relações com o Brasil e a Argentina, que são "insubstituíveis", afirmou o futuro chanceler, Luis Almagro, na quinta-feirae. "Exportamos US$ 100 milhões ao Brasil, e a Argentina é o segundo ou terceiro mercado. Definitivamente, isso é insubstituível", destacou Almagro. O futuro chanceler definiu como fortes os vínculos do Uruguai com seus dois vizinhos e também com o Paraguai, outro parceiro do Mercosul. Admitiu, no entanto, que, com a Argentina, têm diferenças muito perceptíveis que estarão sendo negociadas. Mujica, que assumirá em 1º de março próximo a Presidência do Uruguai, se reuniu há duas semanas em Buenos Aires com a presidente argentina, a peronista populista Cristina Fernández de Kirchner, e em várias ocasiões assinalou que a gestão do presidente Lula é tomada como modelo.

Crédito do Bradesco deve crescer até 25% em 2010

Com o crescimento acelerado esperado para a economia neste ano, o Bradesco espera ver suas operações de crédito crescerem entre 21% e 25% em 2010. A expansão das operações será puxada pelos empréstimos às empresas. Em balanço divulgado na quinta-feira, o vice-presidente financeiro do banco, Domingos de Abreu, afirmou que o crédito para as pessoas jurídicas deve registrar alta de 25% a 29% no período, contra faixa de 16% a 20% para as pessoas físicas. A previsão do banco para o crescimento do PIB neste ano é de 6%. Por produtos, a expectativa é de que o crédito para veículos cresça entre 10% e 14%, enquanto os financiamentos para cartões devem ter aumento entre 9% e 13%. Os empréstimos consignados devem crescer entre 32% e 36%. O crédito imobiliário deve ter R$ 6,5 bilhões apenas em financiamentos à construção, em sua maioria para empresas, o que significa uma elevação de quase 50% em relação a 2009. Em 2009, a carteira de crédito do Bradesco atingiu R$ 228,078 bilhões, evolução de 6,8% em relação ao saldo final de 2008.

Médicos avisam que estresse é vilão dos "hipertensos silenciosos"

A hipertensão é uma doença mais comum do que se imagina. O Ministério da Saúde estima que 35% dos brasileiros acima de 40 anos tenham o problema, caracterizado pela pressão arterial igual ou maior que 14 por 9 (a do presidente Lula chegou a 18 por 12). Muitas vezes, o paciente já tem a doença, mas não apresenta sintomas. Nesses casos, as crises podem ser deflagradas por situações de estresse. "O estresse libera substâncias endógenas (produzidas pelo próprio organismo) chamadas catecolaminas, que promovem a elevação da frequência cardíaca e, em paralelo, o aumento no tônus (resistência) vascular, levando a um incremento na pressão arterial", explica Firmino Haag, cardiologista do Hospital e Maternidade São Luiz. Entre as catecolaminas mais comuns está a adrenalina. Além do estresse, fatores relacionados ao estilo de vida podem desencadear a alta da pressão arterial. "Alguns pacientes têm oscilações mediante situações decorrentes de sedentarismo, sobrepeso e má alimentação", afirma Haag. O consumo de cigarro e álcool, além do excesso de sal, também estão associados à ocorrência das crises, que podem até passar despercebidas. "Em 90% dos casos, não se sente nada e a alta só é descoberta por medição. A crise só é sentida quando a elevação da pressão ocorre muito rapidamente. Caso seja gradativa, a pessoa pode não apresentar nenhum sintoma", diz Celso Amodeo, cardiologista do Hospital do Coração. Os sintomas desse aumento súbito da pressão arterial podem ir de dor de cabeça e cansaço até outros mais graves, como infarto, derrame (AVC) e complicações renais. O tratamento de uma crise já deflagrada pode implicar um simples repouso ou a administração de medicamentos.

Petrobras nega exploração em reserva ambiental peruana

A Petrobras negou na última quarta-feira que esteja desenvolvendo, atualmente, qualquer operação no bloco 117, na fronteira entre o Peru, o Equador e a Colômbia. Essa atividade foi denunciada no Fórum Social Mundial (FSM) pelo índio peruano Henderson Hualinga, da Associação Interétnica de Desenvolvimento da Selva Peruana. Ele chegou a pedir a saída da Petrobras da área de exploração de petróleo, que fica em uma região de floresta, no noroeste do Peru. A Petrobras respondeu que "a empresa, no momento, apenas realiza levantamentos aerogravimétricos, autorizados pelos órgãos competentes daquele país. Ou seja, a companhia somente faz sobrevôos na região do bloco, sem qualquer presença física em terra". O líder indígena peruano afirmou que "os povos Quechua estão dizendo, bem claro, que não querem a Petrobras. Ali, é uma reserva natural e nós queremos nosso território são".

Projeto na Câmara dos Deputados propõe proibir hidrelétricas em estâncias hidrominerais

Tramita em caráter conclusivo na Câmara dos Deputados projeto de lei do deputado federal Ricardo Tripoli (PSDB-SP), que proibiria a construção de usinas hidrelétricas em estâncias hidrominerais, climáticas e turísticas. A proibição valeria tanto para as usinas grandes quanto para as pequenas centrais elétricas, em todos os municípios com títulos de estância hidromineral, climática ou turística, concedidos por atos do poder público federal ou estadual. O autor defende a importância das hidrelétricas, que respondem por 86% da oferta de energia elétrica hoje no Brasil, mas argumenta que essas usinas causam um significativo impacto ao ambiente. O principal impacto, segundo ele, decorre da formação do reservatório das usinas. "Nas grandes barragens, dezenas ou centenas de quilômetros quadrados de vegetação natural, junto com a fauna residente, são destruídos", relata ele. "O impacto das barragens irradia-se pelos rios, prejudicando a fauna aquática, principalmente os peixes que sobem os rios para desovar. O impacto social costuma ser também significativo e, em muitos casos, dramático, com o deslocamento forçado de comunidades inteiras", enumera. Ele acrescenta que, mesmo nos casos das usinas pequenas, o impacto ambiental pode ser grande, sobretudo sobre a flora e a fauna, especialmente a aquática.

Lula apela para evitar execução de brasileiro na Indonésia

O presidente Lula fez um apelo na última quarta-feira ao governo da Indonésia a fim de evitar a execução do brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, de 48 anos, condenado à pena de morte no país asiático. Em carta, Lula pediu "generosidade" ao presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, e disse que a morte do brasileiro afetaria a relação entre os dois países. Lula classifcou o de "especialmente urgente". A carta, que exalta a boa relação entre Brasil e Indonésia, foi enviada após Marco pedir nova intervenção de Lula. É a última chance de Marco escapar da execução, ele quer a conversão da pena para prisão perpétua ou para 20 anos. Pelas leis locais, o condenado tem direito a dois pedidos de clemência. O presidente da Indonésia já negou o primeiro em 2006 e ainda não se pronunciou sobre o segundo. Na Justiça, não cabe mais recurso. Yudhoyono foi reeleito em 2009 com posição favorável à pena de morte. A punição é apoiada pela maior parte dos políticos e pela população local. O brasileiro foi preso em 2003 ao tentar entrar na Indonésia com 13,4 kg de cocaína escondidos em sua asa delta. A condenação de morte ocorreu no ano seguinte. Instrutor de vôo livre, nascido no Rio de Janeiro, Marco está no presídio de Pasir Putih (a 400 quilômetros da capital Jacarta), em uma cela com mais cinco pessoas. Ele dorme em uma rede. Em Pasir Putih também está Rodrigo Gularte, de 37 anos, condenado à morte em 2004 igualmente por tráfico de drogas. A execução na Indonésia é feita por 12 soldados com rifles; apenas duas armas são carregadas, sem que os atiradores saibam quais. Cada soldado atira no peito do condenado, uma vez. Se ele sobreviver, leva um tiro na cabeça, à queima-roupa. Lula pede clemência para um traficante de drogas brasileiro, o que Videversus concorda que deveria fazer (Videversus é radicalmente contrário à pena de morte), mas nada protesta quando o governo fascista islâmico executa dois opositores, em um crime contra a humanidade.

Irã executa dois opositores e condena mais 11 à pena de morte por protestos da oposição

A Corte Revolucionária de Teerã condenou à pena de morte 11 pessoas pela participação nos protestos da oposição reformista que se seguiram à fraudada eleição do ditador fascista islâmico Mahmoud Ahmadinejad. Dois dos condenados foram enforcados, segundo a imprensa estatal, e os outros nove aguardam sentença do Tribunal de Apelação. Conforme a corte islâmica, um arremedo fascista de tribunal, os réus foram condenados por serem "moharebeh" (inimigos de Deus), tentar derrubar o governo islâmico e fazer parte de grupos armados e antirrevolucionários. Os protestos da oposição, enfrentados com violência pela polícia e a milícia Basij, ligada à Guarda Revolucionária, deixaram ao menos 20 mortos, dezenas de feridos e cerca de 2.000 presos. Em 27 de dezembro, durante protestos na ocasião da festividade de "Ashura", ao menos oito pessoas foram mortas em um dos piores episódios de repressão desde então. O governo fascista islâmico iraniano, reencarnação do regime totalitário de Hitler na Alemanha, nega que suas forças de segurança mataram os manifestantes na "Ashura" e tem a desfaçater de acusar os reformistas pela violência. Mohamad Reza Ali Zamani e Arash Rahmanipour foram enforcados no início da manhã de quinta-feira em uma prisão da capital Teerã. Ambos foram acusados de pertencer aos grupos de oposição Mujahedin Khalq e Assembléia do Reino do Povo, que o governo fascista islâmico considera "terrorista". A advogada de Rahmanipour, Nasrin Sotudeh, disse que ele foi detido dois meses antes dos protestos de junho. Ele teria sido obrigado a confessar sua participação diante de ameaças das autoridades contra sua família. A advogada disse ainda estar chocada com a sua execução, já que nem ela, nem a família do condenado, receberam anúncio formal. "Uma execução nesta velocidade e pressa tem apenas uma explicação. O governo está tentando prevenir a expansão do atual movimento de oposição espalhando medo e a intimidação", disse Sotoudeh. Enquanto isso, o governo Lula, que chamou as manifestações de protestos dos iranianos de "marolinhas" da oposição por haver perdido as eleições, fica absolutamente quieto face a essas monstruosas execuções de cidadãos iranianos.

Ex-assessor de Arruda falta a depoimento à Polícia Federal em Brasília

Ex-secretários e ex-colaboradores do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), resistem em revelar detalhes à Polícia Federal sobre o esquema de arrecadação e pagamento de propina. Na quinta-feira, o ex-assessor de imprensa do governador Omezio Pontes não compareceu ao depoimento. Até agora, das 12 pessoas convocadas, apenas duas aceitaram colaborar com as investigações da Operação Caixa de Pandora. Pontes, apontado por Durval Barbosa (delator do esquema e ex-secretário de Relações Institucionais) como um dos distribuidores da propina, não se apresentou no prédio da Superintendência da Polícia Federal, em Brasília. O ex-assessor de Arruda, que aparece em dois vídeos gravados por Barbosa tratando do esquema, chegou a avisar ao delegado Alfredo Junqueira que iria prestar depoimento. Após uma hora de espera e sem nenhum sinal de Pontes, o delegado cancelou a oitiva. Ele será convocado mais uma vez, se não aparecer, na terceira poderá ser conduzido pela Polícia Federal.

Banco do Brasil estuda aumento de capital de R$ 8 bilhões

O Banco do Brasil avisou na quinta-feira ao mercado que estuda um aumento de capital da ordem de R$ 8 bilhões, podendo chegar a R$ 10 bilhões, "com o objetivo de sustentar o crescimento futuro da instituição" e "preservado o controle acionário da União". No mesmo comunicado, o Banco do Brasil informou que o Tesouro Nacional e o BNDES Participações estudam plano para vender "pelo menos 5%" do capital total da instituição, de modo a aumentar a parcela desse capital em circulação pelo mercado de ações, atingindo 25%. Está em estudo, portanto, uma oferta primária (lançamento de ações novas) e uma oferta secundária (lançamento de ações já existentes) do Banco do Brasil, que não apontou prazos em seu comunicado ao mercado.

Lucro de 2009 do Bradesco foi o terceiro maior da década entre bancos

O lucro líquido de R$ 8,012 bilhões registrado pelo Bradesco no ano passado foi o terceiro melhor resultado para uma instituição financeira do País nesta última década, segundo levantamento feito pela consultoria Economática. A amostra considera somente os bancos de capital aberto (com ações na Bolsa de Valores), mas abrange justamente as maiores instituições bancárias brasileiras, com exceção do BNDES. O desempenho do Bradesco no ano passado é superado somente pelo lucro do Banco do Brasil apurado em 2008 (R$ 8,803 bilhões) e pelo resultado do Itaú apurado em 2007 (R$ 8,474 bilhões).

Organização petista Dieese diz que construção civil deve impulsionar criação de empregos em 2010

Após registrar uma taxa de desemprego praticamente estável no ano passado, em 14,2%, o mercado de trabalho deverá retomar o crescimento em 2010. A expectativa é do coordenador da equipe de análise da Fundação Seade e do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, uma organização petista), Alexandre Loloian, que acrescentou que o setor que mais irá impulsionar a alta é o da construção civil. "Há uma boa expectativa por causa do crescimento do credito no setor e também por conta do programa 'Minha Casa, Minha Vida', que terá seus efeitos mais visíveis em 2010", afirmou Loloian. O número de pessoas ocupadas no setor de construção civil cresceu 12,1% no ano passado, na comparação com 2008, enquanto a média geral ficou em 0,7%. "Nos últimos três meses do ano, tivemos um crescimento consistente no nível de ocupação. Esse desempenho prenuncia o que ocorrerá em 2010", disse ele. Empregos na construção civil são de baixa categoria e duram pouco.

Médico afirma que "Lula vai fazer check-up nem que seja amarrado pela orelha"

O cardiologista Roberto Kalil, médico particular do presidente Lula, disse que o petista "vai fazer um check-up nem que seja amarrado pela orelha". Kalil recepcionou Lula na manhã da quinta-feira no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Após sofrer uma crise hipertensiva, o presidente ficará em repouso em seu apartamento em São Bernardo do Campo (SP) até o domingo. Ele deve descansar e fazer o check-up nos próximos dias. O presidente deixou às 6h58 de quinta-feira o Hospital Português, no Recife (PE), com destino a São Paulo. Ele sofreu a crise hipertensiva quando estava no avião com destino a Davos (Suíça), por volta da 0h30 (horário de Brasília). Por ordem médica, foi proibido de viajar. Lula saiu do hospital com aparência abatida, vestido com um conjunto de moletom branco. Ele estava acompanhado pelos ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Alexandre Padilha (Relações Institucionais), que passaram a noite toda com o presidente. Lula cumprimentou a equipe médica e não deu declarações à imprensa. O médico da Presidência, Cleber Ferreira, que acompanha o presidente há cinco anos, disse que a pressão arterial de Lula chegou a 18 x 12. Lula passou por exame de eletrocardiograma, raio-x do tórax e exame de sangue. Segundo o médico, a crise hipertensiva pode ter sido provocada por um quadro de estresse e cansaço. Esta é a primeira vez, durante o período que o médico atende ao presidente, que Lula tem uma alteração na pressão arterial. A pressão arterial normal de Lula é de 11 x 8.

Superávit do setor público é o menor em 11 anos e fecha 2009 abaixo da meta

As contas públicas fecharam 2009 abaixo da meta do governo, de acordo com dados divulgados na quinta-feira pelo Banco Central. A economia da União, dos Estados e dos municípios para pagar os juros da dívida pública (chamado superávit primário) terminou o ano em R$ 64,51 bilhões. O valor corresponde a 2,06% do PIB, o menor valor nesta base desde 1998 e abaixo da meta para o ano, que era de 2,5% do PIB. No ano passado, porém, o governo estipulou que poderia ser abatido da conta os recursos investidos no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e do PPI (Projeto Piloto de Investimentos). Com isso, o governo poderá abater até R$ 17,9 bilhões para chegar à meta. De acordo com a nota, descontados os investimentos do PAC e PPI, a meta de superávit cai para 1,93% do PIB, o que foi cumprido. É a primeira vez, para o setor público consolidado, que é necessário abater investimentos para conseguir cumprir a meta. Segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes, o governo abateu da meta efetivamente 0,44% de investimentos, o que dá um total de R$ 13,9 bilhões. Em 2008, o setor público teve resultado superávitário de R$ 106,42 bilhões, ou 3,54% do PIB. No ano passado, o setor público pagou R$ 169,14 bilhões em juros. Descontado esse valor, as contas públicas registraram déficit nominal de R$ 104,62 bilhões em 2009. O governo central acumulou superávit de R$ 42,44 bilhões em 2009, contra R$ 71,3 bilhões em 2008. Já a economia dos governos regionais ficou em R$ 21 bilhões, contra R$ 30,57 bilhões no ano anterior. As estatais registraram superávit de R$ 1,07 bilhões, contra superávit de R$ 4,53 bilhões em 2008. A relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB (principal medida de endividamento do setor público) fechou 2009 em 43%.

Crise no Banco Central da Argentina chega ao Congresso

O presidente do Banco Central argentino, Martín Redrado, que luta na Justiça para se manter no cargo, do qual foi removido por decreto no último dia 8 pela presidente peronista populista Cristina Kirchner, deu na quarta-feira sua versão dos fatos para a comissão do Congresso que deve decidir a questão. Cristina Kirchner apontou "má conduta e descumprimento dos deveres" por parte de Redrado, que se opunha a transferir US$ 6,5 bilhões das reservas do Banco Central a uma conta do Tesouro, para pagamento de parte da dívida externa. A transferência havia sido determinada por decreto em dezembro. Ao exonerar Martin Redrado, a peronista populista Cristina Kirchner ignorou a exigência que a legislação argentina impõe ao Executivo de ouvir uma comissão do Congresso antes de remover a diretoria do Banco Central. Essa lacuna permitiu a Redrado voltar ao cargo, por força de uma medida judicial. Na semana passada, Cristina recuou e pediu à comissão que se reunisse. Após o pedido, uma corte de segunda instância suspendeu a liminar (decisão provisória) que mantinha o presidente do Banco Central no posto. Na terça-feira, Redrado ensaiou resistência ao enviar à comissão uma carta em que reivindicava, antes de ser ouvido, a revogação do decreto presidencial. Ele argumentou que não havia sentido uma consulta sobre decisão já tomada. A carta de Redrado desagradou a comissão, presidida pelo vice-presidente do país, Julio Cobos, que acumula a presidência do Senado e está rompido com a populista peronista Cristina Kirchner. Cobos é acusado pelo governo de ter dado apoio para a insubmissão de Redrado.

Gravação indica "compra de apoio político" por Marconi Perillo

Gravações inéditas em poder do Supremo Tribunal Federal indicariam que o vice-presidente do Senado Federal, senador Marconi Perillo (PSDB-GO), teria montado esquema de compra de apoio político para garantir sua eleição, em 2006. Os diálogos foram gravados pela Polícia Federal com autorização da Justiça. Perillo, que antes da campanha havia deixado o cargo de governador de Goiás, é alvo de inquérito no Supremo para apurar suposto caixa 2 e suspeitas de uso da máquina pública durante a eleição. Nos relatórios, investigadores afirmam que os diálogos "demonstram a movimentação do alvo (Perillo) para obter dinheiro, visando o pagamento de dívidas de campanha e compra de apoio político". A lista dos que teriam garantido apoio a Perillo em troca de dinheiro inclui vereadores e deputados federais e estaduais de Goiás. As conversas sobre pendências financeiras prosseguiram após a eleição. De acordo com a investigação, o senador teve de recorrer a empréstimos para cumprir as promessas. Passado o pleito, telefonemas para cobrar pagamentos eram frequentes. Em um deles, Francisco Sobrinho de Oliveira, que perdera a disputa por uma cadeira de deputado federal pelo PSDB, reclama dizendo que estava endividado. Engraçado é como a Polícia Federal investiga opositores do governo Lula, mas nunca investigou, por exemplo, o senador Aloizio Mercadante (PT), ou as campanhas políticas da petista ricaça Marta Suplicy.

Decreto de Sérgio Cabral favoreceu cliente de sua mulher

Alvo de ação civil pública movida pelo município de Angra dos Reis em outubro de 2007, por danos ambientais e construções irregulares em sua casa de veraneio, o apresentador de TV Luciano Huck é representado pelo escritório de advocacia do qual é sócia a primeira-dama do Rio de Janeiro, Adriana Ancelmo Cabral. Seu marido, o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), editou, em junho do ano passado, o Decreto nº 41.921, que alterava a legislação da Área de Proteção Ambiental (APA) de Tamoios, na Baía de Ilha Grande. A medida, cuja constitucionalidade é questionada no Supremo Tribunal Federal pela Procuradoria-Geral da República, beneficiaria proprietários de residências consideradas irregulares na região, o que é o caso de Luciano Huck e sua casa na Ilha das Palmeiras. Ambientalistas contrários às mudanças determinadas por Sérgio Cabral se referem ao decreto como "Lei Luciano Huck". Na ação nº 2007.003.020046-8, que tramita na 2ª Vara Cível de Angra, o apresentador é representado por dois integrantes do escritório Coelho, Ancelmo e Dourado Advogados. O município obteve liminar, em maio de 2008, que obrigou Huck a paralisar as obras em sua casa, que incluíam a construção de bangalôs, decks, garagem de barcos e muro para criação de praia artificial, "o que pode ocasionar danos ambientais irreversíveis, assim como agravar os já existentes", conforme despacho do juiz Ivan Pereira Mirancos Junior.

Petistas preparam uma nova proposta para Ciro Gomes

Sabendo que o PSB vai esticar a corda na negociação para a retirada do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), neocoronel cearense, da disputa presidencial, o PT desenha uma saída honrosa para o parlamentar. A idéia é formar uma coordenação de campanha estrelada para a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e ter Ciro Gomes (PSB-CE) como um dos expoentes. A estratégia da campanha seria dividida entre o ex-ministro de Lula e o deputado federal Antônio Palocci, em uma forma de compensação pela desistência dele da corrida ao Planalto. A oferta, que ainda não foi oficializada, evitaria forçar Ciro Gomes a concorrer ao governo de São Paulo. Essa proposta significa sinalizar que ele seria ministro em um possível governo da petista Dilma Rousseff. A disputa pelo governo de São Paulo já foi rejeitada pelo neocoronel cearense, certamente receoso de levar um vareio eleitoral.

Governo Lula limita gastos para evitar elevação da Selic

Mesmo com o Orçamento deste ano aprovado, o governo Lula vai limitar os gastos até março para demonstrar ao Banco Central e ao mercado financeiro que está comprometido com o cumprimento da meta de superávit primário (economia para pagamento dos juros) de 3,3% do Produto Interno Bruto em 2010. Na próxima semana, o governo federal vai editar um decreto de programação orçamentária provisória para fevereiro e março, estabelecendo que nesse período poderão ser gastos o equivalente a dois doze avos do Orçamento. Esse instrumento costuma ser utilizado nos anos em que a aprovação sofre atraso. O uso do decreto neste ano não significa que o governo esteja cortando gastos, mas indica que pretende manter o Orçamento sob controle. A limitação deve ser mantida até março, quando será feita, pela primeira vez neste ano, a avaliação bimestral das receitas e despesas e será editado o decreto definitivo para 2010. Ou seja, será definido se haverá ou não cortes no orçamento.

Sociólogo esquerdóide "exige" fim da "perseguição" ao MST no Rio Grande do Sul

Diante de 50 promotores e procuradores do País, que participaram na quinta-feira de um encontro sobre direitos humanos, durante a programação do Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos (figurinha carimbada do evento) fez uma crítica veemente à atuação do Ministério Público. Mesmo sem ser painelista, ele pediu a palavra para contestar a tendência de "criminalização dos movimentos sociais". E aproveitou para reivindicar o arquivamento de todas as ações civis públicas de criminalização ao MST. Disse ele: "Vejo com muita inquietação esse cenário de criminalização dos movimentos sociais. O que se passa no Rio Grande do Sul é grave". Segundo este comunista português, a prática de proibição das marchas sociais e o fechamento das escolas itinerantes cria um estado de exceção, com perda de direitos fundamentais. "Então venho aqui pedir respeitosamente ao Ministério Público que arquive todas as ações. Se isso continuar, a criminalização dos movimentos sociais, o ar do Rio Grande do Sul torna-se irrespirável para o Fórum Social Mundial", disse o esquerdopata português. O tom de crítica à Justiça também esteve presente em outras manifestações, como a do procurador-geral do Paraná, Olympio de Sá Sotto Maior Neto, que disse: "Quando é que a Justiça vai deixar de ser um espaço para manutenção de privilégios? Dizem que há leis que pegam e leis que não pegam, como se a lei fosse um resfriado, que algumas pessoas fossem imunes. Isso é um misto de hipocrisia com tragégia. Parece que só pegam as leis que interessam aos grupos hegemônicos". Fiquem de olho neste promotor, porque ele certamente faz parte do chamado grupo do Direito Achado na Rua. Em sua apresentação, o consultor em segurança pública, ex-deputado federal gaúcho e jornalista petista Marcos Rolim (atualmente ele é assessor de imprensa do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul), defendeu o Plano Nacional de Direitos Humanos. Rolim desafiou alguém a mostrar onde está escrito que o plano prevê a revisão da lei da anistia, como acusam críticos do projeto, e contestou a visão de que o plano pretenderia cercear a liberdade de imprensa. Bem, esse é Marcos Rolim, que posa de democrata, mas que trabalha por uma boa ditadura do proletariado. Disse o esquerdopata Rolim: "Os donos de rádios e TVs criaram a idéia de que liberdade de expressão é fazer qualquer coisa sem serem responsabilizados". Conforme o esquerdopata Marcos Rolim, como são concessões públicas, rádios e TVs deveriam ter por finalidade educar a população. Sendo assim, programas que fazem apologia à pena de morte ou o racismo, por exemplo, seram ilegais, por estarem em contrariedade com a legislação. Rolim trabalha pela instituicionalização da ditadura comunista no Brasil. É mais um jornalista petista gaúcho que luta pela censura à imprensa, pelo fim da liberdade de informação. E está empregado como assessor de imprensa do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul na administração do conselheiro João Osório.

Golpista Zelaya articula ida ao México para pleitear vaga no Parlamento Centro-Americano

O presidente deposto de Honduras, o golpista Manuel Zelaya, exilado desde a quarta-feira na República Dominicana, sinalizou que pretende ficar pouco tempo no país. Zelaya articula sua ida para o México, em busca de uma vaga no Parlamento Centro-Americano (Parlacen). O golpista Zelaya não esconde também que planeja retornar, sem ameaças a ele e seus seguidores, para Honduras. O Parlacen é uma instituição política, integrada pelos países da América Central, que elege um total de 20 deputados. Os parlamentares cumprem mandato de cinco anos e são eleitos pelos países-membros. No período que permanecer em Santo Domingo, Zelaya será tratado pelo governo do presidente dominicano, Leonel Fernández, como um “hóspede distinto”. Para Fernández, Zelaya é o “símbolo da democracia” e disse estar orgulhoso de conceder abrigo ao hondurenho. Por aí se tira uma idéia do quanto o presidente dominicano Leonel Fernandez preza a democracia. O presidente dominicano afastou a hipótese de tratar o presidente deposto como um “asilado”. Ao chegar à República Dominicana, o golpista Zelaya criticou a chamada Carta Democrática da Organização dos Estados Americanos por ter ocorrido o fracassado nas negociações para que ele retornasse ao poder. E olha que ele teve a ajuda possível do esquerdopata Miguel Inzulsa, que preside a OEA, atualmente uma mera linha auxiliar do ditador fascista venezuelano, Hugo Chavez.

Ministro Temporão avalia pedido para aumentar número de vacinados no Rio Grande do Sul

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, prometeu avaliar o pedido do governo gaúcho para aumentar o número de vacinados contra a gripe A no Estado. Temporão, no entanto, não garantiu a liberação de mais doses. O governo gaúcho pretende ampliar o universo da população que vai receber a vacina, incluindo o grupo com faixa etária entre 30 e 39 anos. Esta população não está contemplada no programa de imunização anunciado pelo Ministério da Saúde. Com esta medida, cerca de 45% da população gaúcha deve ser imunizada. A orientação do ministério é que profissionais de saúde e pessoas que estão nos considerados grupos de risco em relação à enfermidade, o que inclui crianças de 0 a 6 anos, indígenas, gestantes, doentes crônicos e população de 20 a 29 anos, sejam imunizados. No Rio Grande do Sul, no entanto, os habitantes que tiverem entre 30 e 39 anos também deve ser vacinados, conforme pedido encaminhado pela secretaria estadual de Saúde ao Ministério da Saúde na quarta-feira. A justificativa da secretaria é que esta faixa etária foi muito atingida pelo vírus no inverno passado com grande número de óbitos. Com os critérios atuais do ministério, cinco milhões de gaúchos receberiam a vacina, o equivalente a 45% da população. Caso o pedido de ampliação feito pela secretária seja atendido, 6,5 milhões de pessoas serão imunizadas no Estado.

Lula usou doença de Dilma Rousseff e José Alencar para justificar a não realização de exames em 2009

Em um discurso feito no dia 9 de dezembro, em Brasília, o presidente Lula afirmou que não fez e não faria o check-up em 2009, apesar de achar necessário, porque o seu vice, José Alencar, e a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, já estavam com problemas de saúde. "Precisaríamos fazer check-up todos os anos porque você consegue antever uma coisa grave ou descobrir uma coisa grave. Todos os anos eu faço check-up, mas este ano eu não fiz porque o José Alencar está com problema de saúde, a Dilma teve o problema dela. Eu falei, pô, se eu fizer e der alguma coisa também, a República está desgraçada", disse Lula naquele dia. Quinta e sexta-feira, Lula se recupera de uma crise de hipertensão que teve na noite de quarta-feira no Recife (PE). Ele vai passar por exames neste sábado, no hospital Sírio-Libanês ou no InCor (Instituto do Coração), em São Paulo. Lula também está tomando diuréticos e antibiótico para combater uma gripe mal curada. Na quinta-feira ele descansou durante todo o dia em seu apartamento em São Bernardo do Campo (SP) e não recebeu visitas durante a noite. No fim da tarde, o médico da Presidência da República, Cleber Ferreira, fez uma visita e constatou que Lula passava bem, com a pressão arterial estabilizada em 11 x 8. Lula dormiu a maior parte do dia. O presidente está em sua casa em São Bernardo com a mulher Marisa Letícia e com os filhos Fábio, Sandro, Marcos e Luiz Cláudio. No Recife, Lula cumpria agenda oficial, antes de ir para Davos (Suíça), onde participaria do Fórum Econômico Mundial. Ele passou mal ao embarcar no avião e, por orientação médica, foi para o hospital Português, onde chegou com moleza no corpo e um mal-estar geral. Lula passou a noite no hospital Português, antes de seguir para São Bernardo, onde descansará até domingo.

Lula usou doença de Dilma Rousseff e José Alencar para justificar a não realização de exames em 2009

Em um discurso feito no dia 9 de dezembro, em Brasília, o presidente Lula afirmou que não fez e não faria o check-up em 2009, apesar de achar necessário, porque o seu vice, José Alencar, e a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, já estavam com problemas de saúde. "Precisaríamos fazer check-up todos os anos porque você consegue antever uma coisa grave ou descobrir uma coisa grave. Todos os anos eu faço check-up, mas este ano eu não fiz porque o José Alencar está com problema de saúde, a Dilma teve o problema dela. Eu falei, pô, se eu fizer e der alguma coisa também, a República está desgraçada", disse Lula naquele dia. Quinta e sexta-feira, Lula se recupera de uma crise de hipertensão que teve na noite de quarta-feira no Recife (PE). Ele vai passar por exames neste sábado, no hospital Sírio-Libanês ou no InCor (Instituto do Coração), em São Paulo. Lula também está tomando diuréticos e antibiótico para combater uma gripe mal curada. Na quina-feira ele descansou durante todo o dia em seu apartamento em São Bernardo do Campo (SP) e não recebeu visitas durante a noite. No fim da tarde, o médico da Presidência da República, Cleber Ferreira, fez uma visita e constatou que Lula passava bem, com a pressão arterial estabilizada em 11 x 8. Lula dormiu a maior parte do dia. O presidente está em sua casa em São Bernardo com a mulher Marisa Letícia e com os filhos Fábio, Sandro, Marcos e Luiz Cláudio. No Recife, Lula cumpria agenda oficial, antes de ir para Davos (Suíça), onde participaria do Fórum Econômico Mundial. Ele passou mal ao embarcar no avião e, por orientação médica, foi para o hospital Português, onde chegou com moleza no corpo e um mal-estar geral. Lula passou a noite no hospital Português, antes de seguir para São Bernardo, onde descansará até domingo.