segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Fascista Ahmadinejad diz estar orgulhoso de ter provocado revolta ao negar Holocausto

O presidente iraniano, o fascista islâmico Mahmoud Ahmadinejad, declarou nesta segunda-feira estar "orgulhoso" de ter provocado reações de indignação e de revolta na comunidade internacional ao negar o Holocausto como um mito criado para justificar Israel, um dia antes de sua viagem a Nova York para a Assembléia Geral da ONU, onde deve ressaltar "uma mensagem de paz e amizade". "A revolta dos assassinos profissionais é um orgulho para nós", declarou Ahmadinejad, em una aparente referência a Israel e a alguns países ocidentais que criticaram suas declarações. Na sexta-feira passada (19), em um discurso durante o Dia de Jerusalém, uma marcha anual pró-palestinos, Ahmadinejad afirmou que o fato dos nazistas terem usado câmaras de gás para matar 6 milhões de judeus na Segunda Guerra (1939-1945) é "uma mentira baseada em uma alegação mítica e não comprovada". Desde que chegou ao poder pela primeira vez, o fascista islâmico Ahmadinejad provocou condenação internacional por dizer que o Holocausto é uma mentira e que Israel é um "tumor" no Oriente Médio.

Empresa francesa Dassault entrega ao Brasil oferta final para construção de caças

A construtora aeronáutica francesa Dassault Aviation entregou ao governo brasileiro a oferta final para a venda de caças. O Rafale da francesa Dassault, o F18 da norte-americana Boeing e o Gripen da sueca SAAB participam de uma licitação no Brasil para a compra de 36 caças, em uma operação avaliada em US$ 7 bilhões. Na semana passada, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou no Senado Federal que o Rafale era a "opção" do governo brasileiro, bastando para isto que a França cumprisse a promessa de transferência de tecnologia. Nelson Jobim evitou comentar a proposta sueca, que oferece dois caças pelo preço de um. "Estou sabendo disso por vocês da imprensa, cada dia com sua agonia", comentou ele. O ministro destacou que a escolha será feita pela Aeronáutica. No início do mês, durante uma visita do presidente francês Nicolas Sarkozy a Brasília, o presidente Lula anunciou a abertura de negociações com a Dassault. O vice-ministro de Defesa da Suécia, Hakan Jevrell, afirmou que seu país "não está buscando compradores, mas parceiros" para o caça Gripen. Segundo Jevrell, caso opte pela proposta sueca, o Brasil poderá comprar o dobro de aviões pelo preço de um, oferecido pelos concorrentes. Ele garantiu que a proposta que será apresentada ao governo brasileiro será muito atrativa. Segundo ele, o caça Gripen é o que apresenta menor custo por ciclo de vida. Além disso, segundo ele, "a Suécia oferecerá um financiamento bastante favorável ao Brasil", caso seu caça seja o escolhido. Apesar da garantia de transferência de tecnologia, o Gripen não utiliza nem motor nem radar com tecnologia sueca. O motor é norte-americano e o radar é italiano.