domingo, 14 de junho de 2009

Navio mercante recolhe pedaço do Airbus A330 da Air France

Um navio mercante de Antigua e Barbuda recolheu um fragmento na zona onde se concentram as buscas dos destroços do vôo AF 447, que caiu no Atlântico com 228 pessoas a bordo, informaram neste sábado fontes militares. Marinha e Aeronáutica comunicaram que o navio "Gammagas", que seguia do Uruguai para o Reino Unido, encontrou e içou o fragmento na mesma zona onde se realizam as buscas dos destroços do vôo AF 447. O vice-almirante Edson Lawrence revelou à imprensa que o capitão do cargueiro "tentou manter contato por rádio com os navios da Marinha que participam das buscas", mas não obteve sucesso. Diante da falta de contato por rádio, o capitão enviou um e-mail à Marinha brasileira com fotos da peça recolhida no mar, e as imagens estão à disposição dos peritos.

Novo monitoramento de aeronaves será testado a partir de agosto

Os controladores do espaço aéreo brasileiro começam a utilizar, em agosto, um novo tipo de monitoramento de aeronaves. O Automatic Dependent Surveillance-Broadcast (ADS-B) permite saber, via satélite, a posição exata dos aviões, mesmo em áreas onde não há radares terrestres, como parte da rota Rio-Paris, sobre o Oceano Atlântico, onde caiu o A330 da Air France com 228 pessoas a bordo. O acidente da Air France na última semana teria a localização facilitada, uma vez que a aeronave estava equipada com o ADS. Uma estimativa aponta que 70% do espaço aéreo mundial não está coberto por radares terrestres. O novo sistema ADS, que passa a funcionar inicialmente na rota América do Sul-Europa, é parte de uma série de mudanças que estão sendo feitas pelo Brasil para aderir ao modelo mundial de controle aéreo CNS/ATM, que significa Comunicação, Navegação, Vigilância/Gerenciamento de Tráfego Aéreo.

Petrobras paga R$ 4 milhões a produtoras ligadas ao PT

Duas produtoras de vídeo que trabalharam nas campanhas do governador Jaques Wagner (PT-BA) e de duas prefeitas do PT receberam R$ 4 milhões da Petrobras em 2008, sem licitação, em projetos autorizados por Geovane de Morais. Ele era o gerente de Comunicação da área de Abastecimento da estatal. Sob sua administração estava um orçamento no ano passado de R$ 31 milhões. Ele foi demitido em 3 de abril, após uma sindicância interna ter constatado uma série de irregularidades em sua gestão, incluindo "indícios de pagamentos sem a devida entrega de serviços contratados". Ele mandou pagar R$ 1,5 milhão para filmagem de festas de São João e Carnaval na Bahia. Há também trabalhos como telerreportagem sobre "o primeiro ponto de solda" de um gasoduto em Catu (BA), pelo qual embolsaram R$ 60 mil. A apuração sobre Morais começou por iniciativa de sua superiora hierárquica, Venina Velosa da Fonseca, gerente-executiva da área de Abastecimento. Com base no relatório da equipe de Venina, o departamento jurídico da Petrobras concluiu que era o caso de demitir Morais por justa causa. A demissão foi informada a ele, mas ainda não foi consumada por ele estar de licença médica desde o final de 2008.

Polícia Federal e Ministério Público vão à Justiça para obter documentos do Senado

A Polícia Federal e o Ministério Público já decidiram: vão recorrer ao Judiciário para conseguir os documentos do Senado Federal com as listas das milionárias e suspeitas transações de empréstimos consignados. Um inquérito, que está sob o comando do delegado federal Gustavo Buquer, foi aberto no dia 13 de maio para investigar a atuação da Contact Assessoria de Crédito como intermediária em contratos de crédito consignado feitos pelos servidores e que movimentam cerca de R$ 12 milhões mensais no Senado. Em menos de um mês, o delegado federal fez três ofícios (dois dos quais de reiteração) solicitando à presidência do Senado os documentos com os empréstimos feitos pelas instituições de crédito conveniadas com o Legislativo. O primeiro ofício foi enviado em 14 de maio e dava prazo de cinco dias para receber os documentos. Entre 22 de maio e 1º de junho, outros dois ofícios com prazo de mais cinco dias cada um. E também nenhuma resposta. O delegado e o procurador Gustavo Pessanha, que também trabalha no inquérito, vão recorrer à Justiça para conseguir os documentos. O inquérito foi aberto porque há indícios de participação do ex-diretor João Carlos Zoghbi (Recursos Humanos) em um esquema de intermediação e cobrança de propina nas transações do crédito consignado por meio da Contact - a empresa tem como sócia Maria Izabel Gomes, 83 anos, ex-babá de Zoghbi que foi usada como laranja.

Subprocurador do Distrito Federal é detido por desacato após acidente de carro

Um flagrante de desacato à autoridade em Brasília registrado em Brasília, na noite de sexta-feira, comprova o quanto determinados cidadãos se consideram mais cidadãos do que os outros. José Lucino Arantes, subprocurador do Distrito Federal, foi preso após um acidente de carro, porque xingou policiais sem saber que estava sendo filmado. Segundo testemunhas, o subprocurador bateu no carro que estava na frente e fugiu. A vítima, Silvana Negrão, foi atrás e só conseguiu falar com José Arantes quando ele chegou na porta de sua casa. Segundo ela, a tentativa de conversa não deu certo e acabou em briga. A polícia foi chamada. Pediu que José Luciano Arantes fizesse o teste do bafômetro. Ele se recusou e a ordem de prisão foi dada. E gravada pelos policiais. "Então, a gente vai levar o senhor preso. Mete o grampo nele!", diz um policial na gravação. "Você está preso. Eu sou um cabo da polícia militar", afirmou. E ouviu a resposta do subprocurador: "Você é um cabo de....". O policial militar ainda questionou: "Eu sou o quê?". Algemado, dentro do Camburão, José Luciano xinga os policiais. "Eu sou advogado seus... Vou botar vocês pra rua!". Dentro da delegacia, ainda faz ameaças. "Você passou perto da minha casa, você é um cara morto!". O delegado diz que o subprocurador vai responder por seis delitos (ameaça, desacato, lesão corporal, desobediência, injúria e resistência). Quer saber de uma coisa: não vai acontecer com o republicanissimo subprocurador. Perigo os dois soldados da Polícia Militar pegarem uma prisão, por não saber com quem estavam tratando. Em Porto Alegre já aconteceu uma coisa semelhante: uma soldada da Brigada Militar prendeu, à noite, um secretário de Estado que estava em uma boca de drogas, com seu motorista, comprando cocaína. A policial civil levou uma cana republicana, para aprender que não se prende autoridade.

Ato secreto assinado pelo senador Efraim Morais disbribuiu benesses ilegais

Com efeitos retroativos, um ato secreto assinado pelo senador Efraim Morais, ex-secretário geral do Senado Federal, garantiu aos seus apadrinhados um adicional salarial retroativo por 10 meses. Um dos beneficiados foi o atual diretor geral do Senado Federal, José Alexandre Lima Gazineo. A norma criou comissão especial para analisar “processos da licença para capacitação” dos funcionários. Gazineo e demais integrantes foram escalados para a missão em 8 de outubro de 2008. Mas o ato embutiu um prêmio. Teve “efeitos financeiros a partir de 2 de janeiro” do ano passado. Além de Gazineo, foi escolhido para desempenhar as funções Alberto Cascais, ex-advogado-geral do Senado, afastado dias antes de suas funções após a elaboração de um parecer que abria brecha para a Casa descumprir a súmula do Supremo Tribunal Federal que proibiu a contratação de parentes (nepotismo) na administração pública. Outra vaga na comissão seria destinada ao diretor do Instituto Legislativo Brasileiro (ILB), centro de capacitação do Senado. Na época do ato assinado por Efraim Morais, quem comandava o ILB era Denise Zoghbi, mulher do ex-diretor de Recursos Humanos João Carlos Zoghbi. Uma das práticas mais antigas existente nos parlamentos consiste em dar gratificações a funcionários que são desviados para os próprios parlamentares. O Senado Federal, vê-se hoje, é a autêntica “Casa da Sogra”, é gandaia geral. Que gentalha mais vagabunda...... Por falar nisso, quando vão começar a investigar a Câmara dos Deputados? Por que, se aconteceu no Senado Federal, pode ter quase certeza de que aconteceu também na Câmara dos Deputados. Também é hora de começar a investigar as Assembléias estaduais e a Câmara Municipais, especialmente as das capitais. Jornalismo existe para isso, já que os Tribunais de Contas só são, de verdade, Tribunal de Faz de Contas.

Lucro dos bancos que atuam no País tem queda de 39%

Com a crise, o lucro dos bancos que atuam no Brasil caiu 39% no primeiro trimestre deste ano quando comparado com os primeiros três meses de 2008, segundo levantamento feito pelo Banco Central a partir dos balanços entregues pelas instituições financeiras. No período, os ganhos acumulados pelo setor passaram de R$ 12,3 bilhões para R$ 7,5 bilhões. Os números consideram apenas os chamados bancos comerciais, ou seja, aqueles que oferecem contas correntes a seus clientes. Se considerados apenas as chamadas financeiras independentes, que operam apenas com a concessão de empréstimos e não estão ligadas a grandes conglomerados financeiros, a queda foi maior: no mesmo período, o lucro recuou de R$ 70 milhões para R$ 14 milhões.

Líder sindical na USP já fez 12 greves e prega revolta armada

Na pauta de reivindicações de funcionários grevistas da USP, o primeiro item, escrito em negrito e letras maiúsculas sob o título "questões políticas", é a "readmissão do diretor do sindicato Brandão". O Brandão é o ex-servidor Claudionor Brandão, de 52 anos, um dos cabeças do Sintusp (Sindicato dos Trabalhadores da USP) e da atual greve na universidade paulista. Ele é um dos dirigentes de um grupelho comunista denominado "Liga Estratégia Revolucionária", uma dissidência do PSTU. Ele acredita que só com a “revolução” será possível alcançar o comunismo. Revolução armada, é claro. "Você viu as bombas do coronel Longo? Acha que é possível derrotar aquilo só com palavras?", diz, referindo-se ao confronto com a Polícia Militar na última terça na USP (que teve saldo de dez feridos). O tenente-coronel Cláudio Longo dirigiu a operação. No episódio, Brandão foi detido por desacato e resistência à prisão. Ele afirma que apenas tentou dialogar com o policial que prendia um colega. Foi solto no mesmo dia, após a realização de um "termo circunstanciado". A ele juntam-se outros sete boletins de ocorrência (por ameaça, invasão, dano ao patrimônio e atentado violento ao pudor, entre outros), outro termo circunstanciado e três inquéritos policiais. Desde 1987, Brandão trabalhava na antiga prefeitura da universidade, reparando e instalando aparelhos de ar condicionado. Acabou demitido em dezembro passado, após um processo administrativo iniciado em 2005, acusado de "ter invadido uma biblioteca, ameaçado as pessoas e colocado em risco o acervo". Na ocasião, entrou na biblioteca da faculdade com mais 50 funcionários da FAU para levar os servidores do local para um piquete. Você já ouviu falar de LER-QI? A LER-QI é a Liga Estratégia Revolucionária – Quarta Internacional. Identificam-se com a Quarta Internacional grupos trotskistas ultra-radicais, minoritários. O Sintusp, o sindicato dos funcionários da USP, é comandado pela LER-QI.

Tribunal de Contas da União determina rescisão de contrato nos Correios

O Tribunal de Contas da União determinou na sexta-feira a rescisão de contratos da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) com as empresas Skymaster Airlines, Beta Brazilian Express Transportes Aéreos e a Aeropostal Brasil Transporte Aéreo por indícios de fraude. De acordo com o ministro Walton Alencar Rodrigues, do Tribunal de Contas da União, relator do processo, há suspeitas de que as empresas simularam competição em um pregão realizado pelos Correios para contratar serviços de transporte aéreo de cargas da Rede Postal Aérea Noturna (RPN). Não, não pode ser..... Imagina..... não é possível..... o ministro deve estar errado......

Sobrinha de Sarney foi nomeada por ato secreto

Os boletins secretos que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirma desconhecer, foram utilizados em maio de 2003 para nomear sua sobrinha Vera Portela Macieira Borges para um cargo na Casa. Apesar de morar em Campo Grande (MS), distante 1.079 quilômetros de Brasília, ela foi contratada para exercer o cargo de confiança de assistente parlamentar, com salário de R$ 4,6 mil, na presidência do Senado. Sarney exercia, na ocasião, seu segundo mandato no cargo. Vera Portela Macieira Borges está na folha de pagamento do Senado até hoje. Assinada pelo então diretor-geral Agaciel Maia, a primeira nomeação de Vera foi publicada, às claras, no dia 24 de março do mesmo ano, juntamente com outros atos. Um mês e meio depois, porém, Agaciel Maia assinou duas outras medidas, mas secretamente. Uma delas, só agora divulgada, tratava da nomeação da sobrinha do presidente do Senado. O gabinete de Sarney informou que a graciosa sobrinha dá expediente no escritório político do senador petista Delcídio Amaral (PT-MS), em Campo Grande. E assim se fica sabendo que senador petista serve para isso...

Médica dissidente deixa Cuba após 15 anos de permanência forçada

A médica dissidente Hilda Molina partiu no sábado de Cuba para reencontrar sua família, na Argentina, após 15 anos de permanência forçada na Ilha da ditadura comunista comandada pelos facínoras dinásticos Castro (Fidel e Raul). Hilda Molina, de 66 anos, tomou um vôo da companhia aérea Copa Airlines, que partiu às 18 horas e chegou a Buenos Aires na manhã deste domingo. Pouco antes de subir no avião, a médica, que tem na Argentina seu único filho, a nora, dois netos e a mãe, Hilda Morejón, de 90 anos, disse à imprensa que partia de Cuba sem "uma gota de rancor". Neurocirurgiã de fama internacional, ela dirigiu o Centro Internacional de Restauração Neurológica (Ciren) até 1994, quando foi destituída e se tornou uma férrea opositora ao regime do facínora Fidel Castro.

Sobe para 58 o número de casos de gripe suína no Brasil

O Ministério da Saúde informou na tarde deste sábado que foram registrados quatro novos casos de gripe suína no Brasil, elevando para 58 o total de casos no País. Três novos casos foram registrados em São Paulo e um no Distrito Federal. Segundo o ministério, dois pacientes (um de São Paulo e outro do Distrito Federal) foram infectados pelo vírus no Exterior. Os outros dois casos (ambos de São Paulo) foram infectados por contato direto com pessoa que já havia sido diagnosticada com a doença e que a contraiu também no Exterior. Todos os pacientes estão em tratamento e passam bem.

Ministério de Minas e Energia sonega informações a deputados sobre a Petrobras

Neste ano, 16 requerimentos foram enviados ao Ministério de Minas e Energia pelos deputados federais pedindo informações sobre os mais variados assuntos envolvendo a Petrobras e apenas dois foram respondidos, ambos fora do prazo de 30 dias estipulado pela Constituição. Um foi respondido com mais de dois meses da solicitação e outro oito dias depois do prazo. Um terceiro, enviado em conjunto para os ministérios do Planejamento e de Minas e Energia, obteve, até agora, resposta apenas do primeiro órgão. Dos outros 13 requerimentos, 3 já estão fora do prazo de 30 dias, segundo informou a Secretaria Geral da Câmara. O presidente nacional do DEM, deputado federal Rodrigo Maia (RJ), autor de um dos requerimentos respondidos fora do prazo, reclama das demoras constantes e ameaça entrar com um pedido de ação por crime de responsabilidade contra o ministro Edison Lobão. Esses caras todos gostam mesmo é de fazer apenas um joguinho de cena. Até parece que deputado federal não conhece as leis, ou não tem assessoria para fazer suas pesquisas. Assim sendo, Videversus manda uma ajuda aos deputados federais: invoquem a Lei Federal nº 9051 (Lei das Certidões), que tem apenas dois artigos, a qual obriga que todas as autoridades forneçam no prazo de 15 dias, improrrogáveis e corridos, toda e qualquer informação solicitada por qualquer cidadão, por meio de certidão. Só é preciso dizer para que fim é pedida a informação. Se a autoridade negar, mandado de segurança nela, com pedido de liminar. É simples assim, o resto é só lorota de politiqueiro que não quer trabalhar de fato.

Senador Arthur Virgílio admite deixar relatoria por abertura da CPI da Petrobras

O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) já fala em deixar o cargo de relator da CPI das ONGs para viabilizar um acordo que permita a instalação da CPI da Petrobras. "É uma coisa que pode até acontecer, deixar o cargo de relator, mas não será um acordo tão simples", afirmou ele. Na terça-feira, Arthur Virgílio vai ao plenário do Senado para discursar sobre o que considera ser fundamental investigar nas ONGs do País. No mesmo dia, ele realiza uma reunião com toda a cúpula do PSDB e lideranças do DEM, inclusive da Câmara, para fechar o discurso. A idéia é não dar mais pretextos para o governo adiar a instalação da CPI da Petrobras. È inacreditável como está liderança nacional do PSDB se agacha diante de qualquer arreganho de petistas, como os do senador Aloizio Mercadante. Com oposição assim, Lula nem precisa de eleição. É só marcar a posse para o terceiro mandato. Como se fosse uma grande coisa instalar essa CPI da Petrobras, outra gigantesca pizza desnecessária. Aliás, o instituto da CPI pode ser varrido da Constituição, porque não vale absolutamente nada.

Pedido de crédito de montadoras é recorde

A recuperação de vendas as montadoras de volta ao BNDES e lançou o banco em um inusitado desafio para poder emprestar dinheiro a esse setor. O apetite das montadoras é recorde. Impulsionadas pela redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e pelo aumento de crédito ao consumidor, as consultas das montadoras ao BNDES para investir em produção subiram 106% até abril ante igual período de 2008. Primeira etapa de um pedido de empréstimo no BNDES, a consulta é tida como termômetro da atividade econômica porque mostra a disposição dos empresários em investir, o que só ocorre quando há otimismo com o mercado. Entre as empresas com pedido no banco está a GM. Para atender as montadoras, o BNDES vem analisando como impedir que a situação crítica das matrizes contamine a avaliação de capacidade das subsidiárias brasileiras de honrar o compromisso.

Lula critica antecessores e volta a descartar hipótese de terceiro mandato

O presidente Lula criticou na sexta-feira, em Sergipe, os seus antecessores "que não tiveram preocupação com o País" e disse que seu governo fez a opção de investir em educação os recursos antes usados para construir cadeias. Lula voltou a descartar a hipótese de um terceiro mandato, diferentemente da proposta que tramita na Câmara dos Deputados, e reafirmou que tem uma candidata à sucessão, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. "A minha oposição fica zangada, fica nervosa e eles sabem que eu tenho candidata à Presidência da República. Eles têm que saber mais, que as mulheres de hoje não são subservientes como há 30 anos. As mulheres, agora, querem estudar, fazer política e chegar ao poder. E por que não à Presidência da República?", - perguntou o homem que não estudou, porque não quis, porque oportunidade e tempo não lhe faltou.

Calçado brasileiro perde mercados e exportação cai 26%

O Brasil é o terceiro produtor mundial de calçados, com 800 milhões de pares por ano, superado apenas pela Índia, com 900 milhões, e pela China, com 9 bilhões, mas a crise econômica mundial enfraquece o calçado brasileiro. O resultado é uma redução nas vendas externas brasileiras, que, no primeiro quadrimestre do ano, caíram 26,5% na quantidade de pares vendidos, embora o País se mantenha também como o quinto maior exportador mundial, com 165,5 milhões de pares comercializados no ano passado. O Brasil só perde em volume de exportações de pares de calçados para a Itália (200 milhões), Vietnã (500 milhões), Hong Kong (700 milhões) e China (7 bilhões). A queda nas exportações brasileiras produz sérias conseqüências no Vale do Rio dos Sinos, no Rio Grande do Sul, que perde empresas, postos de trabalho e faturamento. O Vale dos Sinos, a cerca de 50 quilômetros de Porto Alegre, é considerado o maior pólo produtor de calçados do mundo, formado pelos municípios de Araricá, Campo Bom, Canoas, Dois Irmãos, Estância Velha, Esteio, Ivoti, Nova Hartz, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, Portão, Sapiranga, Sapucaia e São Leopoldo. A importância da produção de calçados é enorme para a economia do Rio Grande do Sul. No ano passado, o estado exportou 51,5 milhões de pares, o equivalente a 31% do que o Brasil vendeu no Exterior, e arrecadou US$ 1.117,7 bilhões, ou 59,4% do total obtido pelo País no mercado externo com as vendas de sapatos nacionais.

Ministério Público vai pedir abertura de processo para investigação de atos secretos

O Ministério Público vai pedir ao Tribunal de Contas da União abertura de processo para investigar os atos secretos editados pelo Senado nos últimos 14 anos. O procurador Marinus Marsico, do Ministério Público no Tribunal de Contas da União, solicitará no pedido a devolução dos recursos pagos pelo Senado com base em atos sigilosos e sugere punições aos responsáveis pelas medidas secretas. Marsico disse que, a princípio, todos os recursos liberados com base em atos secretos devem ser ressarcidos aos cofres públicos, uma vez que a lei obriga a divulgação de atos administrativos às Casas Legislativas. É inacreditável que o Ministério Público só agora, 14 anos depois, aja no caso dos atos secretos do Senado Federal. Mas também não é de estranhar porque, no Brasil inteiro, nas esferas federal e estaduais, os Tribunais de Contas não passam de Tribunal de Faz de Contas.

Primeiro-secretário do Senado faz cirurgia para reduzir estômago

O primeiro-secretário do Senado Federal, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), foi submetido na sexta-feira a uma cirurgia de redução de estômago no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Ele deverá ficar afastado de suas atividades parlamentares nos próximos dias, e será muito conveniente, porque se eximirá de explicar a inacreditável canalhice dos atos secretos cometidos no Senado Federal.

G8 quer cortar taxas a remessas de imigrantes para financiar desenvolvimento

O ministro das Relações Exteriores da Itália e presidente do G8 (grupo dos sete países mais ricos e a Rússia), Franco Frattini, propôs na sexta-feira reduzir à metade as taxas aplicadas às remessas enviadas pelos imigrantes a seus países de origem. A medida seria "uma maneira inovadora de financiamento" para as nações em desenvolvimento. O encontro do G8 terminou na sexta-feira, em Roma, e reuniu os membros do G5 (grupo formado por Brasil, México, China, Índia e África do Sul), além de uma ampla representação africana. A reunião de cúpula concluiu com um apelo a que "os países emergentes e em desenvolvimento" desempenhem um papel importante nos esforços globais para estimular o desenvolvimento econômico. Entre as medidas propostas pelo G8, Frattini sugeriu baratear o envio de dinheiro dos imigrantes aos países de origem, uma decisão que poderia representar "entre US$ 12 bilhões e US$ 15 bilhões a mais ao ano" para os Estados emissores de imigração.

Comunista cocaleiro Evo Morales critica Peru e prega revolução para os índios

O presidente boliviano, o trotskista cocaleiro Evo Morales, criticou duramente na última quinta-feira a atuação do governo do Peru no conflito com comunidades indígenas locais, deteriorando as já desgastadas relações bilaterais. Evo Morales, durante visita a Cuba, lamentou pelos indígenas peruanos mortos durante confronto na cidade de Bagua, há uma semana (foram 9 os mortos, enquanto foram assassinados mais de 20 policiaia). “Não é possível que os mais vilipendiados da história latino-americana sejam humilhados”, disse o ditador comunista cocaleiro, igualmente índio, da etnia aimará, também existente no Peru. As declarações do comunista cocaleiro Evo Morales aprofundam meses de mal-estar e troca de acusações entre La Paz e o governo democrata de Alan García. O governo peruano já reclamava da ingerência boliviana no arrastado conflito com os indígenas, que exigem a revogação de um pacote de leis que facilitam investimento na Amazônia, baixado em 2008. Na última semana, o governo de Alan Garcia acusou o trotskista cocaleiro Evo Morales de incitar a sublevação no Peru por ter defendido que indígenas busquem a “segunda e definitiva independência” em carta enviada a um congresso internacional indígena realizado na cidade de Puno, no final de maio. “Nossa luta não termina, da resistência passamos à rebelião e da rebelião à revolução”, disse o trotskista cocaleiro Evo Morales no texto enviado a 5.000 delegados de povos indígenas.

Seguidores de Geraldo festejam hipótese de Ciro Gomes se candidatar em São Paulo

A possibilidade do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) disputar o governo de São Paulo no próximo ano tem sido discretamente festejada por seguidores de Geraldo Alckmin (PSDB-SP). Eles acham que "ameaças" de lançamento de candidatos competitivos pelos partidos de oposição aos tucanos em São Paulo ajudam a forçar o governador José Serra (PSDB-SP) a desistir de seu projeto de lançar Aloysio Nunes Ferreira, secretário da Casa Civil, para a sua sucessão. Aloysio Nunes Ferreira tem só 2% de intenção de votos, contra até 50% de Geraldo Alckmin.

América Latina perdeu 1 milhão de empregos no primeiro trimestre

A crise mundial fez com que 1 milhão de pessoas perdessem seus empregos na América Latina no primeiro trimestre deste ano, apontaram na última sexta-feira a Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe) e a OIT (Organização Internacional do Trabalho). Segundo relatório dessas instituições, a taxa de desemprego na região atingiu 8,5% no primeiro trimestre, ante 7,9% de um ano antes. "A queda na demanda externa (exportações) e as restrições de crédito tiveram forte impacto sobre o mercado de trabalho", afirmou Osvaldo Kacef, diretor de Desenvolvimento Econômico da Cepal. A partir de uma previsão de queda de 1,7% no PIB regional em 2009, Cepal e OIT estimam que o percentual de desempregados alcance até 9,1% até o fim do ano. "Isso significa que entre 2,8 milhões e 3,9 milhões de pessoas poderiam se somar aos 15,9 milhões de desempregados que havia em 2008 nos centros urbanos", alerta o relatório, que também prevê aumento na informalidade.

Laboratório anuncia vacina contra a gripe suína

A empresa farmacêutica suíça Novartis informou na sexta-feira ter produzido com sucesso o primeiro lote de uma vacina contra a gripe suína. O laboratório afirmou que vai utilizar o primeiro lote de vacina para a avaliação pré-clínica e testes, os quais devem começar em julho. Segundo a empresa, a vacina foi feita em células, e não cultivada em ovos (técnica normalmente utilizada na fabricação de vacinas), porque permitiria maior rapidez no processo. A OMS havia informado que as vacinas para a gripe suína deveriam estar aprovadas e prontas para venda em setembro e recomendou, na quinta-feira, que as autoridades reguladoras dos países trabalhem em conjunto para ajudar na aprovação rápida das vacinas. A vacina anunciada pela Novartis foi produzida em uma fábrica em Marburg, na Alemanha. A companhia afirmou que a unidade poderá potencialmente produzir milhões de doses de vacina por semana. A Novartis informou que mais de 30 governos solicitaram suprimentos do medicamento, incluindo o Departamento de Saúde dos Estados Unidos, que fez uma encomenda no valor de US$ 289 milhões em maio. Algumas das principais companhias farmacêuticas do mundo estão trabalhando no desenvolvimento de uma vacina contra o novo tipo de vírus influenza A H1N1, que causa a gripe suína.

OMS registra mais de 29 mil casos de gripe suína em 74 países

Ao menos 29.669 pessoas, de 74 países, já contraíram gripe suína, segundo balanço divulgado na sexta-feira pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Em 145 casos, os pacientes morreram. O balanço foi divulgado no dia seguinte ao anúncio da organização de que a doença causada pelo vírus atingiu o nível de pandemia. Os Estados Unidos continuam sendo o país com o maior número de casos (13.217, com 27 mortes). Em seguida vem o México, considerado o epicentro da doença, com 6.241 casos confirmados e o maior número de mortes (108). No Canadá, 2.978 pessoas foram contaminadas pelo vírus da gripe suína; quatro delas morreram. No Chile, dos 1.694 casos confirmados, dois resultaram em morte. Costa Rica, República Dominicana, Guatemala e Colômbia relataram, cada um, uma morte causada pela gripe suína. Os demais países com casos de gripe suína são Austrália (1.307), Reino Unido (822), Japão (549), Espanha (488), Argentina (343), Panamá (221), China (188), Costa Rica (104), Alemanha (95), República Dominicana (91), Honduras (89), Peru (79), Filipinas (77), Guatemala (74), França (73), El Salvador (69), Israel (68), Equador (67), Itália (56), Nicarágua (56), Coréia do Sul (53), Uruguai (36), Colômbia (35), Holanda (35), Nova Zelândia (27), Paraguai (25), Venezuela (25), Vietnã (23), Suíça (20), Suécia (19), Kuait (18), Cingapura (18), Bélgica (14), Noruega (13), Irlanda (12), Dinamarca (11), Jamaica (11), Romênia (11), Egito (10), Turquia (10), Índia (9), Líbano (8), Tailândia (8), Áustria (7), Grécia (7), Polônia (7), Cuba (6), Bolívia (5), Malásia (5), República Tcheca (4), Estônia (4), Finlândia (4), Hungria (4), Islândia (4), Trinidad e Tobago (4), Barbados (3), Rússia (3), Eslováquia (3), Bulgária (2), Ilhas Cayman (2), Portugal (2), Bahamas (1), Bahrein (1), Chipre (1), Dominica (1), Luxemburgo (1), Arábia Saudita (1), Ucrânia (1), Emirados Árabes (1).

Produção industrial da zona do euro tem queda recorde de 21,6% em abril

A produção industrial na zona do euro registrou uma queda recorde de 21,6% em abril na comparação com o mesmo mês de 2008, segundo dados divulgados na sexta-feira pela Eurostat, a agência europeia de estatísticas. O dado divulgado superou as expectativas dos analistas, que esperavam uma contração de 19,8%. Em relação a março, o recuo na atividade industrial na região foi de 1,9%. A produção de bens duráveis (com durabilidade mínima estimada em três anos) na região caiu 22,4% em termos anualizados. A produção de bens de capital caiu 26,7%. A atividade econômica dos países que compartilham o euro contraiu 2,5% anualizado no primeiro trimestre do ano.

Polícia Federal apura nova pista de corrupção na Operação Castelo de Areia

A Polícia Federal acredita ter colocado a mão em papéis que podem dar novo rumo ao pedaço do inquérito da Operação Castelo de Areia que tem conexão com a política. A revista Época, pelo repórter Wálter Nunes, que o dossiê consiste em um calhamaço de 54 páginas. São folhas de papel A4, recolhidas em uma batida policial realizada há dois meses no escritório da residências de um dos executivos da Camargo Corrêa. Chama-se Pietro Francesco Giavina Bianchi o executivo que guardava em casa essas folhas, contendo tabelas e planilhas, com nomes de instituições, obras, partidos, políticos e membros do Tribunal de Contas da União. Muitos nomes estão associados a valores, em dólares e em reais. Referem-se a transações realizadas entre 1998 e 2000. Uma das colunas expostas nas tabelas faz menção às obras públicas conduzidas pela empreiteira Camargo Corrêa. Em outra coluna constam os valores recebidos dos governos contratantes. Em uma terceira coluna aparecem novos valores, em um aparente rateio promovido entre políticos, partidos e pessoal do Tribunal de Contas da União. Se não aparecer o PT vai ser tudo de novo uma grande farsa. Para variar, as denúncias encontram-se sobre a mesa do juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara Criminal de São Paulo, o mesmo da Operação Satiagraha conduzida pelo inefável delegado federal fundamentalista Protógenes Queiroz, aquele que anda pelos quatro cantos do País aparecendo em atos organizados pelo PSOL, e que viaja com passagens pagas ilegalmente pelo Congresso Nacional.

Petrobras gastará R$ 540 mil com assessoria em CPI

A CPI da Petrobras ainda nem foi instalada pelo Senado e já gera despesas à estatal. Embora disponha de mais de 1500 comunicadores em assessoria de imprensa própria, a Petrobras decidiu contratar uma empresa especializada no ramo. Firmou contrato com a CDN (Companhia de Notícias). Foi mais um desses “contratinhos” camaradas, coisa de companheiro para companheiro, coisa “emergencial”, sem licitação, voltada especificamente ao acompanhamento da CPI. Assinado na última sexta,feira, o contrato terá validade por pelo menos três meses. O custo mensal é de R$ 180 mil. O valor total: R$ 540 mil. A ausência de licitação fundamenta-se em um miserável e desgraçado decreto baixado em 1998, no governo de Fernando Henrique Cardoso (número 2.745). O Tribunal de Contas da União questiona a frequência com que a Petrobras recorre a esse decreto. E não há um cidadão, um parlamentar, um partido político, que questione na Justiça a ilegalidade desse instrumento. Ainda tem uma pergunta: se a Petrobras tem uma assessoria de comunicação com mais de 1500 assessores, para que precisa contratar mais jornalista, e ainda sem licitação?

Agaciel Maia diz que senadores sabiam da existência dos “atos secretos”

Agaciel Maia, o ex-todo-poderoso diretor-geral, ameaçado pelo criminoso descontrole que se caracterizou a sua longa gestão de 14 anos no Senado Federal, parece não estar disposto a responder sozinho para enorme quantidade de vigarices e agressõe à legislação, ao Estado Democrático de Direito. Em tom ameaçador e peremptório, Agaciel Maia disse em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo que “ninguém pode alegar que não sabia” dos atos secretos editados na Casa. Aí está, agora ele colocou às claras algo que era e continua a ser uma obviedade, nenhum senador nesses últimos 15 anos poderia ignorar, dizer que não sabia o que estava acontecendo debaixo do seu nariz. Contabilizaram-se até agora 500 decisões secretas. Ou seja, o Senado Federal é um descalabro total. Muitas delas referem-se à efetivação de servidores, que são parentes e amigos de senadores e de altos funcionários. Segundo Agaciel, foram os próprios senadores que preencheram as vagas ocupadas secretamente. Agaciel Maia diz ainda que “as decisões foram referendadas por um colegiado”, a Mesa diretora do Senado. Durante os 14 anos do mandarinato de Agaciel, responderam pela presidência do Senado os seguintes senadores: José Sarney, Antonio Carlos Magalhães, Jader Barbalho, Renan Calheiros e Garibaldi Alves. Diz Agaciel Maia sobre as decisões tomadas às escondidas da sociedade brasileira: “Não fui eu quem assinou nenhuma delas; não fui eu quem publicou, e eu sou responsável? Não vou aceitar!” Para comprovar que os senadores estão envolvidos nessa trampa inacreditável, basta ver que, na última quarta-feira, Agaciel Maia casou sua filha, com um dos beneficiários de atos secretos, e uma penca de senadores de primeiro naipe estava no casamento, como José Sarney, Renan Calheiros e Garibaldi Alves. Essas oligarquias nordestinas não têm conserto. Não mudam nunca, sempre estão assaltando os cofres públicos, de todos os modos. E sempre “cuidando de suas famílias”.

Airbus diz que seus aviões são seguros e pede cautela sobre investigação

O diretor-geral da Airbus, Fabrice Brégier, disse que seus aviões são "seguros", após as dúvidas surgidas sobre o possível envolvimento dos sensores de velocidade no desastre com o avião Airbus A330 que fazia o vôo 447 da Air France e caiu no oceano Atlântico. "Nossos aviões são seguros. Afirmamos isso, afirma a Agência Européia de Segurança Aérea, afirmam nossos clientes", reiterou Brégier. O número dois da Airbus considerou "irresponsáveis" os artigos publicados na França que indicam falhas nos sensores de velocidade como causa do acidente. "Neste estado da investigação, não há qualquer relação entre o acidente do avião da Air France e qualquer debilidade de navegação do aparelho", disse ele. O diretor-executivo da Air France, Pierre-Henri Gourgeon, também disse não estar "convencido" de que essa falha tenha provocado a catástrofe. Brégier reconheceu que o avião registrou "incoerências na velocidade medida", mas indicou que "resta agora definir o motivo". Ele lembrou que, atualmente, há 600 aviões A330 similares ao acidentado no Atlântico que somam 13 milhões de horas de vôo, e que o do AF447 foi "o primeiro acidente mortal" deste tipo de aparelhos em operação.

Senado usa ato secreto para dar benefícios a servidores

O Senado tornou permanentes adicionais salariais para um grupo seleto de servidores e reajustou o valor do auxílio-alimentação de forma retroativa por meio de atos secretos. Os atos de nomeações e de medidas administrativas que constam em BAPs (Boletins Administrativos de Pessoal) são secretos porque seus autores não os divulgaram na intranet do Senado. Uma comissão interna, criada há 15 dias, examina os atos de 1995 até março deste ano.Os anos que a comissão está examinando correspondem ao período em que Agaciel Maia esteve à frente da Diretoria Geral. Uma série de irregularidades no Senado veio à tona após a exoneração de Agaciel em março, quando o jornal Folha de S. Paulo revelou que ele escondeu da Justiça uma mansão avaliada em R$ 5 milhões.