sexta-feira, 12 de junho de 2009

Ex-pastor de Obama acusa sionistas de o afastarem do presidente

Jeremiah Wright, ex-pastor da igreja que era frequentada pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que os "sionistas" o mantêm afastado do presidente. A declaração foi uma tentativa de explicar o que considerou uma interpretação equivocada de uma entrevista que concedeu na última terça-feira ao jornal "Daily Press", quando dissera que os judeus que cercam Obama não lhe permitem que fale com o presidente. Dois dos principais assessores do presidente norte-americano são judeus: o chefe de gabinete (equivalente a ministro-chefe da Casa Civil no Brasil), Rahm Emanuel, e o conselheiro sênior, David Axelrod. O reverendo parece decidido a seguir causando polêmica. "Não estou falando de todos os judeus, de todo o povo da fé judaica. Estou falando dos sionistas", afirmou Wright em entrevista à emissora de rádio por satélite Sirius. Durante anos Obama foi membro da congregação de Wright, que batizou suas duas filhas. Mas, o então pré-candidato democrata à presidência rompeu relações com o pastor e com sua igreja depois que vieram a público vídeos com sermões inflamados de Wright. Em um deles. Wright dizia que o 11 de Setembro foi um castigo de Deus ao país. Na entrevista desta quinta-feira, Wright disse que diferentes historiadores e teólogos judeus escreveram sobre a influência que a Comissão de Assuntos Públicos Americano-Israelense, o principal lobby judaico do país, tem sobre o governo dos Estados Unidos e a política da ONU. Ele insistiu em que são grupos como esses os que não querem que Obama fale sobre o que descreveu como "extermínio étnico" em Gaza, porque isso seria anti-israelense.

Morre chefe de grupo de extermínio argentino

Rodolfo Almirón, ex-chefe operacional do grupo ultradireitista argentino Aliança Anticomunista Argentina (“La Triple A), Rodolfo Almirón, acusado de crimes de lesa-humanidade, morreu aos 73 anos em um hospital de Buenos Aires, nesta quinta-feira. Almirón, que cumpria prisão domiciliar, foi transferido há algumas semanas ao hospital Ramos Mejía devido a uma piora em seu estado de saúde. Nesta quinta-feira, ele teve uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. Almirón liderou a organização conhecida como Triple A. Entre 1973 e 1975, o grupo cometeu cerca de mil assassinatos durante o mandato da ex-presidente argentina María Estela Martínez de Perón, conhecida como Isabelita Perón, e de seu ministro do Bem-estar Social, José López Rega. Após a queda de López Rega, Almirón fugiu para a Espanha, onde foi preso no final de 2006 com o objetivo de ser extraditado à Argentina. Ao retornar, foi levado a um presídio e processado por pelo menos 12 crimes, mas não chegou a ser condenado e conseguiu o regime de prisão domiciliar devido à gravidade de seu estado de saúde após uma embolia cerebral. Segundo a ação aberta pelo juiz argentino Norberto Oyarbide, López Rega foi o supervisor político da Triple A e Almirón atuou como responsável militar (operativo) do grupo.

Navio francês avista mais corpos de vítimas do desastre ao Airbus A330 da Air France

Uma embarcação francesa que participa dos trabalhos de busca e resgate aos ocupantes e destroços do desastre do Airbus A330 da Air France que fazia o voo 447, avistou nesta quinta-feira mais corpos no oceano Atlântico. O mau tempo prejudica o trabalho de buscas, conforme o brigadeiro Ramon Borges Cardoso, diretor do Decea (Departamento de Controle Aéreo). Entre sábado e terça-feira foram retirados do oceano 41 corpos. No final da noite de quarta-feira, 16 corpos levados inicialmente a Fernando de Noronha chegaram em Recife, onde serão identificados no Instituto Médico Legal. Segundo Ramon o mau tempo prejudica a visibilidade na posição aeronáutica Tasil (localizada a cerca de a 1.200 quilômetros de Natal), região que concentra a maior parte das buscas. Devido a isso outras áreas que não sofrem a influência do mau tempo permanecerão sendo monitoradas. O mau tempo nas imediações do arquipélago de Fernando de Noronha também foi a alegação para o atraso da saída do C-130 da Hércules da FAB que levou os 16 corpos para Recife na noite de quarta-feira. Os 25 corpos que estavam na fragata Bosísio já foram levados para Fernando de Noronha.

OMS declara que gripe suína atingiu nível de pandemia

A OMS (Organização Mundial da Saúde) informou nesta quinta-feira aos países-membros a existência de uma pandemia (epidemia generalizada) de gripe suína (H1N1). O motivo foi a abrangência da doença, que já atingiu diversas regiões do mundo, e não a periculosidade do vírus. A decisão de passar do nível 5 para o atual nível 6, o máximo na escala de alerta de pandemias, foi tomada depois que o número de casos aumentou nos Estados Unidos, na Europa, na América do Sul e em outras regiões. De acordo com o mais recente balanço da OMS sobre o assunto, divulgado na quarta-feira, foram registrados, em apenas dois dias, 2.449 novos casos da gripe no mundo, sendo 1.283 no Chile, 173 na Austrália, 33 na Argentina e 331 no Canadá.