domingo, 30 de julho de 2017

Apoiadores do juiz Sérgio Moro preparam festa de aniversário na frente da Justiça Federal



Os movimentos de apoio à Lava Jato promoverão uma festa nesta terça-feira, 1º de agosto, na frente do prédio da Justiça Federal, no bairro Ahú, em Curitiba. È quando o juiz Sérgio Moro fará 45 anos. A festa está marcada para as 17 horas na calçada na frente da Justiça Federal e depois deve seguir para a barraca de apoiadores, que fica logo na frente da sede. Segundo Narli Rezende, uma das organizadoras da festa, haverá bolo, música, coxinhas e muitos balões nas cores verde e amarela. "Tudo que ele merece", disse ela. Os organizadores tentarão ainda entregar um presente a Moro. "Ainda estamos pensando o que será, mas será especial", disse Narli.

Ministro da Defesa não descarta a possibilidade de haver mortes em operações no Rio


O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que mortes poderão ocorrer, embora a operação no Rio de Janeiro, com o emprego de mais de 10 mil soldados do Exército, tenha como objetivo salvar vidas. Os efeitos colaterais de uma guerra, termo usado pelo próprio ministro, podem ser inevitáveis. Ele afirmou que as forças militares estão unidas e que não irão recuar. "Quando usei estes termos eu pensei no seguinte: estamos no Rio de Janeiro para promover a segurança e a paz. Porém, se vierem reações, estamos determinados. Não vamos recuar. O Rio de Janeiro quer segurança e paz e estamos aqui, junto com a sociedade, para promover isso. Se não interrompermos essas mortes, os assassinatos de policiais, saiba que isso nos diz respeito. O que o governo federal vai fazer, por meio de suas forças policiais, é estar ao lado para punir e encontrar os responsáveis. Vida não importa de quem seja, nos diz respeito. Ela é o objetivo superior. Essa operação é para salvar vidas. Evidentemente que, quem comete o delito, tem que responder à lei", disse Jungmann,  que na quinta-feira já havia usado o termo 'guerra' ao falar sobre a ação das forças nacionais.

As tropas federais vão seguir um planejamento conjunto em que a Secretaria de Segurança irá definir as metas e prioridades. Segundo o ministro da Defesa, as tropas irão atuar na rua em apoio, mas nada de ocupações. "A inteligência vem na frente. Não vou descartar tropa na rua. Quem vai nos orientar são as demandas da Secretaria de Segurança. As tropas militares vão atuar em apoio. O cardápio é toda e qualquer ação para golpear a capacidade de reduzir as mortes. Quem vai dizer para onde ir é a Secretaria de Segurança, a polícia daqui. Eles estão acostumados, conhecem o terreno",  ressaltou.

O ministro não quis detalhar as ações, mas explicou que a operação iniciada às 14 horas de sexta-feira é a primeira fase de reconhecimento. "Nós teremos tropas na rua por um determinado período e, posteriormente, sua participação em áreas mais extensas. Não haverá uma rotina de emprego dos militares. Se tiver o cumprimento de mandato em determinada área, poderemos fazer operação de cerco. Isso seria uma grande dificuldade para a polícia sozinha. Serão missões específicas. Não há uma rotina de participação das Forças Armadas", completou Jungmann. 

Após recolher dados na fase de reconhecimento, os militares atuarão em missões específicos para o combate ao crime organizado. As operações, segundo Jungmann, serão sequenciadas. "A inteligência é um diagnóstico. Não estou descartando nada. O que vai nortear essa ação conjunta será justamente onde está a capacidade operacional do crime, seus meios, seu arsenal, seu circuito. Isso não dará resultados do dia para a noite. Não vamos ter mágica, pirotecnia. Será um trabalho duro e continuado. É isso que vai dando os resultados", explicou o ministro. Jungmann pediu o crédito da população para o sucesso da operação: "Estamos aqui sem fazer promessas mirabolantes. Estamos dentro de um conceito integrado para trabalhar duro".

Conta de luz terá bandeira vermelha e vai ficar bem mais cara


A conta de luz de todos os brasileiros ficará mais cara em agosto. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou na sexta-feira que a bandeira tarifária que será aplicada nas contas de energia no próximo mês será vermelha, ou seja, com cobrança extra de R$ 3,00 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. A bandeira vermelha é ativada quando é preciso acionar mais usinas termelétricas, por causa da falta de chuvas. Como o sinal para o consumo é vermelho, os consumidores devem intensificar o uso eficiente de energia elétrica e combater os desperdícios, indicou a Aneel.

A situação dos reservatórios de energia, um dos indicadores para a formação dos preços, é mais preocupante no Nordeste. Na região, os reservatórios operam com 15,56% da capacidade. No Sudeste e no Centro Oeste juntos, o nível de armazenamento está em 38,8%; e no Sul, a situação é mais tranquila: 72,81% da capacidade de armazenamento dos reservatórios. Todos esses números são menores do que foi registrado no fim de junho, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Além do baixo nível dos reservatórios, choveu menos neste mês, por isso, foi preciso acionar a bandeira vermelha.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia de usinas termelétricas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função das condições de geração de eletricidade.

Quando chove menos, por exemplo, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no País. Nesse caso, a bandeira fica amarela ou vermelha, de acordo com o custo de operação das termelétricas acionadas. O último mês em que a bandeira vermelha foi acionada foi em maio. Em julho, a bandeira tarifária foi amarela, com cobrança extra de R$ 2 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Em junho, a bandeira era verde, sem custos adicionais ao consumidor.

De acordo com a Aneel, houve necessidade de aumento dos gastos de geração de energia previstos para agosto. O custo da usina termelétrica mais cara a ser acionada no mês que vem será de R$ 513,51 por megawatt-hora (MWh), a usina termelétrica Bahia 1. O primeiro patamar da bandeira vermelha é acionada quando a energia fica acima de R$ 422,56 por MWh. Quando o valor supera R$ 610,00 por MWh, é acionado o segundo patamar da bandeira vermelha, que adiciona R$ 3,50 a cada 100 kWh consumidos.

Aeroporto de Viracopos terá nova licitação de concessão

Com a decisão da assembleia de acionistas de devolver a concessão de Viracopos, o aeroporto deverá ser incluído em novas rodadas de privatização do setor aeroportuário, previstas para começar até o fim deste ano. A avaliação, porém, é que o processo deve demorar até dois anos para ser concluído. Enquanto isso, a concessionária continuará a administrar o aeroporto. Segundo técnicos do governo, a Infraero, que tem 49% de participação no negócio, ficará de fora da relicitação. Os atuais acionistas também não poderão participar da disputa. As autoridades do setor asseguram que não haverá prejuízos para os usuários, porque a legislação permite que, nos casos de devolução da concessão, os atuais operadores continuem prestando o serviço por um prazo de até dois anos. Eles serão ressarcidos pelos investimentos realizados, mas o governo precisa regulamentar esse processo.

Leiloado em fevereiro de 2012, o aeroporto de Campinas fez parte do primeiro grupo de aeroportos concedidos ainda na gestão petista. Foi arrematado pelo Consórcio Aeroportos Brasil por um lance de R$ 3,821 bilhões — ágio de 159,75% sobre o valor mínimo de R$ 1,5 bilhão. O contrato de concessão foi assinado em junho daquele ano e, desde então, a concessionária de Viracopos já investiu R$ 3 bilhões dos R$ 9 bilhões previstos em 30 anos de concessão. Ela será indenizada pelos investimentos feitos. Viracopos tinha a expectativa de ter 17,9 milhões de passageiros em 2016, segundo estudo do governo federal que embasou as licitações de aeroportos. A movimentação efetivamente registrada foi de 9,3 milhões, apenas 52% da projeção inicial. A movimentação de cargas foi de 166 mil toneladas em 2016, ante as 409 mil toneladas projetadas no mesmo estudo.

Somado ao impacto da crise econômica, o aeroporto também vive o impasse em relação às tarifas cobradas para movimentação de carga, que representam quase 60% de seu faturamento. Em 2012, após a assinatura do contrato de concessão, o governo decidiu reduzir a tarifa para transporte de carga, em regime aduaneiro, de R$ 0,50 para R$ 0,08 por quilo de mercadoria. "Esta e outras alterações unilaterais do contrato de concessão ensejariam o reequilíbrio econômico-financeiro do contrato, que não ocorreram, prejudicando o desempenho financeiro da ABV. Desta forma, a solução encontrada foi entrar com o pedido de relicitação”, disse a Aeroportos Brasil em nota. As dificuldades financeiras dos principais sócios, Triunfo e UTC, agravaram a situação. A Aeroportos Brasil Viracopos (ABV) tem entre seus acionistas a Infraero, com 49%, e um consórcio privado, com os 51% restantes. Do lado privado, a francesa Egis tem 10%. A Triunfo e a UTC, ambas investigadas pela Lava-Jato, detém 45% cada. 

Embraer volta a apresentar lucro, agora já acima de R$ 192,7 milhões

A Embraer, fabricante brasileira de aviões, informou na sexta-feira que teve lucro líquido de R$ 192,7 milhões no segundo trimestre, revertendo prejuízo de R$ 337,3 milhões verificado no mesmo período de 2016. No trimestre passado, a Embraer entregou 35 aeronaves comerciais e 24 executivas (16 jatos leves e oito grandes), representando crescimento de 34,65 e 8,3% em relação às ao mesmo período do ano passado, quando foram entregues 26 aeronaves comerciais e 26 executivas (23 jatos leves e três grandes). A carteira de pedidos firmes da empresa (backlog) encerrou o trimestre em US$ 18,5 bilhões. A receita líquida da companhia cresceu 19% em comparação ao mesmo período do ano anterior e atingiu R$ 5,6 bilhões no trimestre passado. A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de R$ 822,9 milhões entre abril e junho, ante resultado negativo de R$ 182,7 milhões no segundo trimestre de 2016, informou a empresa nesta sexta-feira. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) somou R$ 822,9 milhões no segundo trimestre de 2017, frente ao número negativo de R$ 182,7 milhões registrado no mesmo período do ano passado. A margem Ebitda foi de 14,4% no segundo trimestre, um avanço de 18,2 pontos percentuais em um ano. As despesas operacionais totalizaram R$ 459,5 milhões, menores em relação aos R$ 1,4 bilhão no segundo trimestre do ano passado, quando a empresa fez uma provisão de perda de R$ 684,9 milhões relacionados à investigação que a empresa enfrentou nos Estados unidos por não ter respeitado regras anticorrupção americanas. Excluindo-se os itens não recorrentes, as despesas operacionais totais ajustadas no período foram de R$ 428,6 milhões frente ao R$ 740,0 milhões do mesmo período do ano passado.

Petrobras aumentou preços do GLP industrial em 8% na média, já valendo a partir de sábado


De acordo com o presidente do Sindigás, Sérgio Bandeira de Mello, com o reajuste o produto, que é vendido em vasilhames acima de 20 quilos para indústria e comércio, passará a ter um preço 46% superior ao produto no mercado externo. As vendas de GLP industrial representam 29% do mercado de GLP. Os outros 71% se referem ao mercado do GLP de botijão de 13 quilos, mais conhecido como gás de botijão. A Petrobras anunciou recentemente uma política de preços do GLP residencial, que tem seus preços revistos todo dia 5 de cada mês. Segundo o Sindigás, o GLP residencial está sendo vendido pela Petrobras a preços cerca de 18% inferiores aos preços internacionais. 

A receita do governo gaúcho caiu para R$ 2,2 bilhões e as despesas subiram para R$ 3,1 bilhões, é a prova provada da falência

A Secretaria da Fazenda do governo do Rio Grande do Sul informou na sexta-feira que a receita líquida estadual fechou em junho em R$ 2,2 bilhões, o que representa uma queda de R$ 276 milhões sobre junho. A queda da receita não foi acompanhada pelas despesas. Ao contrário, estas aumentaram ainda mais R$ 70 milhões, chegando neste mês ao patamar de R$ 3,1 bilhões. Ou seja, o governo do muito incompetente e inapetente governador peemedebista José Ivo Sartori só faz aumentar o volume do déficit fiscal, do tamanho da falência das contas públicas, sem tomar qualquer medida estrutural de ataque a esse quadro danoso. 

Governo do incompetente José Ivo Sartori começa a pagar só R$ 650,00 aos funcionários públicos gaúchos

O governo do muito incompetente e inapetente governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, do PMDB, vai parcelar novamente o pagamento dos salários do funcionalismo público do Estado. E, neste mês, começa a pagar a primeira parcela com um baixíssimo valor de R$ 650,00 por servidor do Executivo. O restante dos salários será pago em parcelas, até o dia 15 de agosto. A folha de pagamento de julho alcançou o montante de R$ 1,2 bilhão. A folha de pagamento do Estado inclui 344 mil matrículas de servidores. Além dos R$ 650,00, o governo Sartori também pagará a oitava parcela do décimo terceiro salário do ano passado, cujo valor é de R$ 102 milhões.

Doleiro Youssef diz que não mentiu, afirmou que derrubaria a República e a derrubou

O doleiro Alberto Youssef, que cumpriu três anos de prisão, foi o primeiro delator (ou "colaborador", como ele prefere) a dizer que Lula e Dilma Rousseff sabiam do esquema de corrupção da Petrobras. "E eu menti? Eu não menti", disse Youssef em nova entrevista à Veja: "Se tem uma coisa em que você não vai me pegar é na mentira. Eu tive a coragem de falar. Era evidente que eles sabiam de tudo. O Lula já está condenado. Eu disse que derrubaria a República e derrubei". 

Alberto Youssef disse à Veja que "a Polícia Federal tomou o cuidado" de deixar Eduardo Cunha "totalmente separado" dele na cadeia. "Eu não tenho bronca nenhuma de ninguém. Mas logicamente não conversei com o Eduardo Cunha. Quando ele estava no poder, quis ferrar as minhas filhas. Quis ferrar a minha esposa – pessoas que nunca participaram de nada. Eu nunca deixei que a minha esposa e as minhas filhas chegassem perto dos meus negócios. Eu nem sequer depositava dinheiro na conta-corrente delas. Zero."

Youssef acusa Eduardo Cunha de ter posto a empresa de investigação internacional Kroll, contratada pela Câmara dos Deputados para auxiliar o trabalho da CPI da Petrobras, atrás dele e de suas filhas. O doleiro também conta que, no dia em que depôs na comissão, "se não fosse o advogado do Paulo Roberto Costa me segurar, eu tinha pulado para cima do deputado Celso Pansera, um pau-mandado de Cunha. Foi o advogado do Paulo que me segurou. Eu sabia que o Eduardo Cunha estava por trás das besteiras que ele estava falando". 

Disse ainda o doleiro Alberto Youssef: "Não vejo interesse em mudar os costumes políticos. Essa fase de Lava Jato vai passar, e vai continuar tudo como está. O sistema vai continuar. O Brasil não vai mudar". Mais adiante, Youssef disse que o ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto "é um cara que não tem um centavo para puxar para ele", "um cara correto", "o dinheiro roubado entrava e ele mandava para o PT": "Eu digo sempre que tem dois caras que não roubaram ali. Um sou eu. O outro é o Vaccari". Ambos estavam envolvidos em um esquema de corrupção, "mas não roubamos", reiterou o doleiro: "Éramos prestadores de serviço. O dinheiro era dos outros". 

Estados Unidos abatem emir de organização terrorista islâmica no Afeganistão


O "líder religioso" do grupo terrorista islâmico no Afeganistão, xeque Ziaulah, morreu no dia 11 de julho, junto com outros três líderes da organização, em um bombardeio dos Estados Unidos na província de Kunar, no leste do país. A informação foi divulgada somente neste domingo (30) pelo escritório de comunicação das tropas dos Estados Unidos naquele pais. "Confirmamos que os quatro líderes do EI-Khorasan (como a filial do grupo é chamada no Afeganistão) eram xeque Ziaulah, emir religioso, o professor Hubaib, comandante no Vale de Watahpur, Haji Shirullah, comandante do EI-K e ex-comandante do Hezb-e-Islami, e Asadulah, membro do conselho do EI-K", informou o escritório americano.

Segundo a nota, Asadulah era "próximo" do chefe supremo do grupo terrorista no Afeganistão, Abu Sayid, que também morreu no bombardeio. O grupo terrorista tinha escolhido Abu Sayid como emir depois de tropas americanas e afegãs terem matado seus dois antecessores, Hafiz Sayed Khan e Abdul Hasbi, em julho de 2016 e abril deste ano. Os Estados Unidos estabeleceram como objetivo derrotar totalmente o grupo terrorista no Afeganistão antes do fim deste ano. E, nesse contexto, lançou em junho contra um dos alvos do grupo a "mãe de todas as bombas", a maior de seu arsenal convencional.

Ex-deputado expulsa mulher e bebê de casa, atrasa pagamento de pensão e pode ser preso

O ex-deputado federal e ex-prefeito de Marechal Deodoro, Cristiano Matheus (PMDB-AL), atrasou a pensão alimentícia provisória de seu filho de um mês de idade e foi alvo de um pedido de prisão preventiva, já formalizado junto ao Poder Judiciário pela assessoria jurídica da ex-mulher do político, Mayane Souza Santos Silva. Cristiano Matheus foi alvo da Operação Astaroth, em que a Polícia Federal apura suas responsabilidades na lavagem de pelo menos R$ 6 milhões de verbas federais desviadas da merenda e do transporte escolar, em 20 de julho. O pagamento da pensão provisória de valor não revelado foi determinado em 2 de julho, pelo juiz Marcelo Tadeu Lemos de Oliveira, o mesmo que concedeu medida protetiva à ex-mulher de Cristiano Matheus, com base na Lei Maria da Penha, após ambos trocarem denúncias de agressões físicas, no episódio em que o ex-parlamentar a despejou da cobertura avaliada em R$ 3 milhões, na Ponta Verde, um dia depois de Mayane dar a luz ao filho do político, há um mês.


Mayane e seu advogado, rebateram afirmações que atribuem a uma entrevista que teria sido dada por Cristiano Matheus, na qual o político aliado do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) teria afirmado que a Justiça havia lhe dado ganho de causa no embate com a ex-mulher. E afirmam que a pensão está com quase duas semanas de atraso de pagamento, pois, de acordo com a decisão judicial, deveria ser paga até o dia 15 de cada mês, durante seis meses, assim como o aluguel da residência em que mora sua ex. 

“O primeiro pagamento venceu agora no dia 15/07 e ele não cumpriu a determinação judicial. E ao invés de arcar com as responsabilidades desses alimentos, viajou no mesmo dia do pagamento para participar de festas e shows no Estado de Goiás e ainda fica postando tudo nas suas redes sociais. Eu não tenho nada a ver com a vida particular dele, mas eu acho uma falta de respeito comigo e com meu filho e até mesmo com a Justiça, por que a pessoa que deixa de pagar os alimentos do próprio filho diante de uma decisão judicial para gastar em festa e viagem não tem medo da Justiça”, disse Mayane, se referindo às imagens de festas das quais Cristiano Matheus participou, em Goiânia-GO, ao lado de seu amigo, o senador Wilder Morais (PP-GO), uma delas com show do cantor Leonardo.

A publicitária disse ainda que seu advogado informou à Justiça o descumprimento da decisão do juiz e pediu as medidas legais. “Pode sair até a prisão dele. Eu jamais imaginei passar por isso, mas é o caminho que ele tá escolhendo. Mas eu só quero que ele pague o que o juiz determinou”, completou.


A ex-mulher de Cristiano Matheus disse não querer polemizar o assunto familiar, ao levá-lo a público. Mas alegou ter como única preocupação o bem estar de seu filho e sua paz. “Quando ele foi perguntado sobre esse processo que ele ainda responde por violência doméstica praticada contra mim, respondeu que tinha ganho essa causa, mas isso é mais uma grande mentira, quando na verdade o juiz determinou mediante a lei Maria da Penha que ele pague os alimentos provisórios para mim e meu filho”, argumentou.

Seu advogado, Madson Rocha, confirmou que Cristiano Matheus ainda responde a um procedimento criminal de violência doméstica, no 4º Juizado da Violência Doméstica contra a Mulher. “Ele não ganhou nada. Muito pelo contrário, a delegada de polícia da 1ª Delegacia da Mulher representou contra o senhor Cristiano para que o magistrado concedesse as medidas protetivas da Lei Maria da Penha, assim o Juiz concedeu a medida para obrigar o mesmo a pagar os alimentos provisórios a minha cliente, contudo, ele descumpriu a decisão judicial” disse o advogado de Mayane, ao confirmar ter pedido a decretação da prisão preventiva por descumprimento da medida protetiva de urgência.


O advogado de Cristiano Matheus, Fábio Ferrario, disse que seu cliente não foi intimado sobre esta decisão judicial. “Estão querendo transformar um problema de família em uma ação publicitária. Meu cliente não foi intimado por ninguém sobre nenhuma decisão. Muito pelo contrário, está processando a ex-mulher por falar inverdades ao dizer que foi agredida por ele, fato que não ocorreu”, afirmou Ferrario.

A defesa de Mayane garante que Cristiano Matheus esta ciente e intimado da decisão judicial, a partir da publicação no Diário Oficial de 10 de julho. E assegurou que dois advogados constituídos nos autos que respondem por ele estariam cientes. “Tanto é verdade que os mesmos advogados protocolizaram embargos de declaração nesse processo no dia 14 de julho. Então é preciso aqui esclarecer a verdade, e quem está querendo transformar o caso em peça publicitária é o próprio Cristiano que, ao invés de pegar o que é devido, preferiu procurar os órgãos de imprensa para modificar a realidade dos fatos”, disse a assessoria jurídica da ex-mulher do político.


Na semana passada, a Operação Astaroth, encontrou não apenas a cobertura avaliada em R$ 3 milhões em um edifício da orla da Praia da Ponta Verde, em Maceió, como evidência da vida nababesca que Cristiano Matheus leva. A Polícia Federal apreendeu em endereços dele quatro carros de luxo, uma moto e o equivalente a R$ 70 mil em centenas de notas de euros, dólares americanos e reais. Além disso, há a suspeita de que o ex-deputado alagoano registrava bens, imóveis e veículos, que seriam do ex-prefeito, em nome de “laranjas” e utilizava postos de combustíveis em Alagoas e em outros Estados para a lavagem de pelo menos R$ 6 milhões de verbas federais desviadas da merenda e do transporte escolar. Os tentáculos da organização criminosa composta por 14 pessoas se espalhavam pelos Estados de Alagoas, Maranhão, Pernambuco e Sergipe.

O delegado de Combate à Corrupção da Polícia Federal em Pernambuco, Márcio Tenório, afirmou que o perfil econômico de Cristiano Matheus permitiria seu ingresso no programa federal Bolsa Família, de tão baixa é sua renda e patrimônio registrados oficialmente. O ex-deputado federal sempre negou a propriedade da cobertura e disse estar tranquilo e disposto a esclarecer as acusações.

Governo Sartori terá duas folhas de pagamento atrasadas a partir de setembro

Se não conseguir aderir a tempo ao Regime de Ajuste Fiscal dos Estados, e tudo indica que não conseguirá, o governo do Rio Grande do Sul, do muito incompetente e inapetente governador peemedebista José Ivo Sartori, chegará ao mês de setembro com duas folhas de pagamento atrasadas, uma sobre a outra. Há um obstáculo fortissimo à assinatura do contrato com o governo federal. A lei aprovada pelo Senado Federal estabelece que o governo gaúcho deve dar as estatais CEEE, Sulgás e CRM, para serem federalizadas ou privatizadas. Mas, os muito corporativos deputados estaduais gaúchos, de todos os partidos, que só querem saber de ouvir e atender a gritaria das castas corporativas do Estado, negam-se a votar a autorização. Sem as garantias, não há contrato, nem renegociação da dívida. E a situação de falência das contas públicas do Rio Grande do Sul ficará no mínimo três vezes pior. A gauchada faz façanhas que servem de exemplo ao mundo inteiro. 

Polícia Militar do Rio de Janeiro prende o chefe do tráfico na favela Santa Marta

Após troca de tiros, a Polícia Militar do Rio de Janeiro prendeu, na noite de sexta-feira (28), Marco Polo Lipes Lima dos Santos, o "Mãozinha", de 32 anos, apontado como o chefe do tráfico da favela Santa Marta, em Botafogo, zona sul da cidade. "Mãozinha", contra quem havia um mandado de prisão em aberto, estava participando de uma festa em comemoração ao seu aniversário e acabou baleado no tiroteio e levado para o hospital Miguel Couto. Primeira favela a ter uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) no Rio de Janeiro, instalada em 2008, a favela Santa Marta era tida como "modelo" de "pacificação" pelos governos dos peemedebistas Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, ambos do PMDB. Essa política de "pacificação" dos morros, no Rio de Janeiro, comandada pelo muito corrupto governador peemedebista Sérgio Cabral, e endossada e apoiada pelos governos do PT em Brasília, foi sempre um gigantesco embuste. O governo avisava que ia tomar de assalto uma favela, os traficantes saíam todos com suas armas; depois da ocupação pela Polícia Militar, eles voltavam e continuam com sua venda de drogas, só que então com a proteção do próprio Estado. Essa política nunca prendeu traficante. Não podia dar certo. Era puro trololó para enganar o povo carioca.

Armínio Fraga aumenta portfólio do Fundo Gávea, com participação no Grupo GPS


A Gávea Investimentos, de Armínio Fraga, comprou 5% de participação no grupo GPS, que presta serviços de manutenção de instalações industriais e prediais, logística e tratamentos de efluentes. O GPS é controlado pelo empresário José Caetano de Lacerda e tem como sócio o fundo americano Warburg Pincos, que detém 38% do grupo.

Usina a gás pirilampo, de Uruguaiana, vai voltar a produzir seus 640 megawatts em energia para a Argentina

Desativada desde o início de 2015, da maneira mais perdulária possível em um país que tem tanta necessidade de energia, a usina térmica da AES Uruguaiana vai voltar a operar. A energia será vendida para a Argentina. A usina tem 640 megawatts (MW) de potência instalada. É muita energia. O Ministério de Minas e Energia publicou portaria em que permite a importação de gás natural argentino pela companhia. A autorização é para aquisição e consumo de até 2,8 milhões de metros cúbicos por dia, por um período de dois anos. Ainda não há, entretanto, data confirmada para o acionamento.

Justiça mantém preso o dono de ônibus propineiro do Rio de Janeiro

O TRF-2 decidiu manter a prisão preventiva de Jacob Barata Filho, empresário do setor de transportes do Rio de Janeiro que pagou R$ 260 milhões em propina ao governo de Sérgio Cabral para obter a renovação de contratos e aprovação de aumentos das tarifas.

Primeiro ministro Netanyahu quer expulsar de Israel e rede propagandística do terror islâmico, a Al-Jazeera

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse nesta semana que quer expulsar de Israel a emissora catariana Al-Jazeera, após as recentes tensões envolvendo o Monte do Templo, em Jerusalém. "A emissora Al-Jazeera continua incitando à violência", indicou Netanyahu sobre as tensões surgidas nos últimos dias no Monte do Templo. "Apelei várias vezes às agências de aplicação da lei para fechar o escritório da Al-Jazeera em Jerusalém. Se isso não for possível por questões legais, então vou procurar que adotem a legislação necessária para expulsar a Al-Jazeera de Israel". A situação é muito simples: Israel permite a atuação de uma rede de televisão árabe em seu território, mas nenhum país árabe permite e presença e credenciamento de jornalistas israelenses. Além disso, a Al-Jazeera é uma rede a serviço do terrorismo islâmico, que propagandeou as chamadas revoltas da Primavera Árabe, que resultaram todas elas em grandes avanços do terrorismo islâmico nos esforços para a derrocada de regimes ditatoriais. 

Leopoldo López pede ao mundo que rejeite Constituinte do ditador psicopata comuno-bolivariano Nicolas Maduro

Em prisão domiciliar, o líder opositor venezuelano Leopoldo López fez um apelo à comunidade internacional, neste domingo (30), para que não reconheça a Assembleia Constituinte convocada pelo ditador psicopata comuno-bolivariano Nicolás Maduro. Em mensagens divulgadas no Twitter, López pediu aos "democratas do mundo" que não deem legitimidade à Constituinte - "assim como fez o povo venezuelano". Ele também denunciou uma "brutal repressão" das forças de segurança contra manifestantes da oposição. A violência neste fim de semana de votação deixou pelo menos oito mortos no país. "Alertamos a comunidade internacional sobre a repressão brutal e sobre o assassinato de venezuelanos em protestos pacíficos (...). Hoje acontece a maior fraude da nossa história: ilegítima, inconstitucional, eleitoralmente viciada e em meio a uma repressão brutal", denunciou.

Colômbia, Canadá, Panamá e Peru já anunciaram que não vão reconhecer a Constituinte do comuno-bolivariano Maduro. Em entrevista coletiva, o presidente do Parlamento, Julio Borges, mencionou uma baixa participação nas urnas, em contraste com declarações de lideranças governistas, como Héctor Rodríguez, que antecipam um alto comparecimento da população. Em nome da coalizão de partidos da oposição, a MUD, Borges convocou "a Força Armada digna, a majoritária", a entender que, "hoje mais do que nunca, seu papel é defender a Constituição". "Solicitamos o apoio à única Assembleia legítima e legal do nosso país: a Assembleia Legislativa", insistiu López, em prisão domiciliar desde 8 de julho passado por questões de saúde, após a mediação do ex-chefe de governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero.