sexta-feira, 28 de julho de 2017

Nelson Marchezan vai atrasar de novo o pagamento dos salários dos funcionárias da prefeitura de Porto Alegre


O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr (PSDB) ordenou o início do pagamento dos salários do funcionalismo municipal nesta segunda-feira. Ele vai parcelar os pagamentos de novo. Na real: atrasará os pagamentos do mês de julho. A primeira parcela pagará até R$ 6.650,00 líquidos para cada matrícula dos servidores municipais. Com esse crédito, 78% (24,6 mil servidores) do funcionalismo estará com salários integralizados. Os demais servidores (6,9 mil) receberão o saldo de seus vencimentos até o dia 4 de agosto. Serão depositadas duas parcelas no dia 31 de julho: a primeira no valor de R$ 5.300,00 e a segunda no valor de R$ 1.350,00, o que corresponde a um total de R$ 119,4 milhões. A folha de julho ficou em R$ 139,2 milhões, e o pagamento do saldo restante, R$ 19,8 milhões, dependerá do ingresso de novos recursos até o montante necessário ao pagamento total da folha. A prefeitura de Porto Alegre tem um déficit mensal médio de R$ 60 milhões, oriundos grande parte da herança maldita deixada pela administração anterior que praticamente quebrou os cofres públicos. Essa desgraça de gastança desbragada começou na década de 2000, com os governos do PT realizando concursos atrás de concursos, fazendo ingressar uma grande massa de funcionários nos quadros da prefeitura. O próprio secretário da Fazenda do governo Tarso Genro, José Eduardo Utzig, produziu um documento na época, para discussão interna no PT e em grupos graduados na prefeitura, mostrando o degringolamento das contas públicas. Não adiantou nada. Ninguém deu ouvidos para ele. A capital gaúcha chegou ao ponto de ter 24.600 funcionários, para uma população estimada, este ano, de 1.490.000 habitantes na cidade. Dividido, isso aponta a existência de um funcionário para cada 60 habitantes da cidade. É um evidente absurdo. Se Nelson Marchezan Jr. fosse um político com visão histórica, colocaria as contas da prefeitura em ordem em meio ano. Mas, para isso, seria preciso coragem para a adoção de medidas drásticas. Uma delas seria mandar cerca de 10 mil funcionários para casa, dispensados do trabalho, recebendo um terço do salário por três anos, podendo renovar este afastamento por mais três anos, e ainda concedendo que os mesmos servidores possam encontrar outro trabalho na iniciativa privada durante esse período. As únicas exigências seriam que os funcionários não fizessem concurso para outro cargo na prefeitura, ou exercessem cargo em comissão na administração municipal. Paralelo a isso ele deveria propor legislação impondo limites ao gasto da receita líquida do município com a folha de pagamento. Não há novidade nesta proposta, ela já está em vigor no chamado PDV do governo federal, editado por Medida Provisória. Como Nelson Marchezan Jr. não dispõe do instrumento da Medida Provisória, então restaria a ele a aprovação de sua política por meio de um referendo popular. Sabem quando ele fará isso? Nunca, o que já demonstra que a cidade deverá sofrer bastante mais tempo os efeitos da crise atual.

Em dois anos Florianópolis terá um novo aeroporto


Vencedora do leilão de concessão do Aeroporto Internacional Hercílio Luz (FLN), a Zurich Airport, representada pelo CEO do Aeroporto de Florianópolis, Tobias Markert, formalizou nesta quinta-feira, em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, a concessão para operar e expandir a estrutura capital catarinense. A Zurich Airport pretende lançar um novo terminal no prazo de dois anos e meio, que seja o "estado da arte na construção", com previsão de entrega para o último trimestre de 2019. Também planeja ampliar o estacionamento para 2.500 veículos, construir uma pista secundária para taxiamento de aeronaves e aumentar em 100 metros a atual pista. O investimento previsto pela companhia é de R$ 500 milhões para os próximos dois anos e meio. A empresa também pretende criar novas oportunidades de negócios para empresas nacionais e internacionais. A entrada em funcionamento desse novo aeroporto em Florianópolis, com dez fingers para parqueamento de aeronaves, deixará a capital catarinense em condições excepcionais para a recepção de turistas do mundo inteiro. Florianópolis tem mais de 50 praias para serem usadas pelos turistas. Uma das suas melhores praias é a Daniela, que fica na entrada da baía norte.

O petista Aldemir Bendine comprou uma flamante BMW X5 há um mês

No início do mês passado, Aldemir Bendine adquiriu uma BMW X5. Pagou à vista R$ 325 mil, como consta da nota fiscal emitida em nome da ZB Empreendimentos, empresa registrada em nome da mulher e da filha. A imagem da nota fiscal foi obtida pela Operação Cobra na nuvem do celular de Bendine. Não dá para saber como ele pagou, mas o Ministério Público Federal pode perguntar a Claudemir Alledo, ex-assessor de Bendine no Banco do Brasil e hoje diretor de Tecnologia da Cateno. Em outra mensagem obtida pelo Ministério Público Federal, Alledo pergunta a Bendine se "deu tudo certo com a documentação do carro". (O Antagonista)


Marqueteiro preso teria intermediado propina da JBS a Renan, Eunício, Jader e Vitalzinho

Ricardo Saud, operador de propina da JBS, contou em sua delação premiada que o publicitário André Gustavo Vieira da Silva, preso hoje na Operação Cobra, intermediou repasses de propina a caciques do PMDB. O dinheiro, como publicamos na época da delação, serviria para comprar o apoio dos peemedebistas do Senado à reeleição da petista Dilma Rousseff - tudo autorizado por Guido Mantega. Renan Calheiros teria recebido R$ 3,8 milhões das mãos de André Gustavo; Jader Barbalho, outros R$ 980,6 mil "em espécie". Segundo Saud, o marqueteiro teria entregue R$ 318 mil a Eunício Oliveira, atual presidente do Senado, e R$ 1 milhão a Vital do Rêgo, hoje ministro do TCU. A delação de Saud foi anexada aos autos da operação que prendeu Aldemir Bendine. (O Antagonista)

Marqueteiro preso teria entregue dinheiro a Fernando Bezerra, Paulo Câmara e Bruno Araújo

Em sua delação premiada, Ricardo Saud, da JBS, também contou sobre os repasses feitos através do marqueteiro André Gustavo Vieira da Silva, preso hoje na Operação Cobra, a caciques do PSB, como o senador Fernando Bezerra. Ministro da Integração no governo Dilma e alvo de inquéritos da Lava Jato no STF, Bezerra teria recebido R$ 2 milhões das mãos de André Gustavo. Seu filho, Fernando Bezerra Coelho Filho é o atual ministro de Minas e Energia. O marqueteiro ainda teria entregue R$ 1 milhão, em Recife, ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB). Segundo Saud, André Gustavo também entregou R$ 200 mil ao tucano Bruno Araújo, atual ministro das Cidades, que também é de Pernambuco. (O Antagonista)


Venda da Petrobras na Argentina realizada pelo petista com grande prejuízo agora é investiga na Lava Jato

Após a prisão de Aldemir Bendine, chama atenção na Lava Jato a venda da Petrobras Argentina a preço de banana, em 13 de maio de 2016, dia seguinte ao impeachment de Dilma, quando ele presidia a Petrobras. A Pampa Energia, de Marcelo Mindlin, levou 30 blocos exploratórios, quase 300 postos, e parte de térmica, hidrelétrica e petroquímicas, por apenas US$ 897 milhões em “negociação exclusiva”. A Justiça Federal do Rio de Janeiro acatou em outubro ação popular para apurar o prejuízo à Petrobras, estimado em R$ 3,2 bilhões. A Câmara dos Deputados marcou para 16 de agosto audiência pública para discutir a venda muito suspeita da Petrobras Argentina. A Pampa Energia foi alvo, em maio, de busca e apreensão por ordem da Justiça argentina, que também investiga a venda dos ativos. Marcelo Mindlin, da Pampa, é muito ligado a Cristina Kirchner, ex-presidente argentina muito amiga de Dilma Rousseff.

O petista Aldemir Bendine, amigo da Val, ganhava muito bem, mas parecia viciado em propina

A propina exigida da Odebrecht por Aldemir Bendine era falta de vergonha misturada com ganância. Ele recebia R$62,4 mil do Banco do Brasil, como aposentado, e mais R$ 123 mil para presidir a Petrobras, mas decidiu cobrar propina da empreiteira antes mesmo de assumir o cargo. Após sair do comando da petroleira, o ambicioso Bendine ainda levou mais R$ 750 mil pela infame quarentena. Esse valor equivale a seis meses de salário do cargo ocupado durante o governo Dilma. Vários executivos delataram os achaques de Bendine, e até um ex-motorista, que revelou a rotina de leva-e-traz de malas de dinheiro. A prisão Aldemir Bendine era uma das mais sólidas certezas, no âmbito da Lava Jato, em razão do estilo agressivo, no submundo de Brasília. Quando o escolheu para presidir a Petrobras, a então presidente Dilma o anunciou como uma espécie de “salvação”. Quase quebrou a estatal. (CH)

Terapia experimental reverte câncer de próstata avançado


Um tratamento experimental para tumor de próstata avançado reverteu a doença em dois pacientes que já tinham metástases e haviam sido submetidos a todas as terapias, como cirurgia, radioterapia e quimioterapia e hormônios, sem sucesso. A revelação consta em artigo publicado no "Journal of Nuclear Medicine" e vem causando alvoroço entre os médicos porque a terapia teria potencial de mudar a forma de tratar não só o tumor de próstata como outros tipos.

A pesquisa, porém, está em fase muito inicial e há um longo caminho a ser percorrido até que o tratamento possa eventualmente chegar à prática clínica. Desenvolvida por pesquisadores alemães, a terapia (225Actínio-PSMA-617) envolve a aplicação de um radioisótopo (substância radioativa) guiado por exame de imagem (PET-CT). O composto "explode" as células tumorais. "Ele vira uma nanobomba nuclear", explica o urologista Miguel Srougi, professor da USP e que acompanha a evolução do estudo.

Srougi explica que as células do câncer de próstata produzem uma proteína chamada PSMA. Uma vez fixada em um anticorpo, esse composto, guiado pelo PET-CT, serve de veículo para levar a substância radioativa até o tumor. A pesquisa alemã está usando essa estratégia para transportar um radioisótopo mais potente (actínio 225) até as células cancerosas e destrui-las. "É uma forma revolucionária de administrar o tratamento", diz Henrique Rodrigues, do departamento de uro-oncologia da Sociedade Brasileira de Urologia.

Um grupo de 80 pacientes recebeu a terapia e está sendo seguido há três anos. Segundo os autores do artigo, embora os resultados publicados sejam de apenas dois pacientes, há outros casos de respostas "completas e duradouras" que serão publicados futuramente. Nos casos descritos, após três e quatro sessões da terapia experimental, os valores do PSA (exame que detecta níveis aumentados de proteína produzida pela próstata e que aumenta nos casos de câncer) dos pacientes caíram abaixo do limite de detecção (0,1 ng/ml). Antes, os níveis superavam 3.000 ng/ml e 419 ng/ml, respectivamente.

As imagens radiológicas também mostraram que as metástases, antes claramente visíveis, haviam desaparecido após a terapia. "Apesar das respostas clínicas, bioquímicas e radiológicas importantes e animadoras, o que vai determinar se o tratamento chegará ou não ao uso clínico será um real aumento da sobrevida desses pacientes", diz Rodrigues. Até a publicação do estudo, que ocorreu dois anos após o início do seguimento do primeiro caso, ambos os pacientes permaneciam em boas condições. Eles continuam sendo observados. Antes da terapia, a expectativa de vida era de dois a quatro meses.

No artigo, os pesquisadores afirmam que a dose do composto usado no tratamento demonstra ser segura e eficaz e que o único efeito colateral verificado até o momento foi xerostomia (boca seca em razão da destruição das glândulas salivares). Para Álvaro Nagib Atallah, professor de medicina baseada em evidência da Unifesp e diretor brasileiro do Cochrane Centre, serão necessários estudos controlados de mais dezenas de outros casos para que se possa afirmar algo sobre a eficácia, a efetividade, a eficiência e a segurança do tratamento. "Os próprios autores dizem que não se pode ter certeza de que não restaram células cancerosas viáveis não detectadas pelo exame de imagem, mas não se pode negar que essa seja uma boa esperança para a ciência e para milhares de pessoas hoje e no futuro."

Segundo Srougi, após a publicação do artigo, o grupo relatou já ter chegado a uma dose ideal de actínio capaz de destruir o tumor sem ser tão tóxica às glândulas salivares. A esperança, explica o médico, é que essa terapia, uma vez aprovada, possa ser usada no futuro em fases mais precoces do câncer. "Ela tem potencial de ser uma grande transformação na área terapêutica do câncer. Em vez de fazer químio, que ataca todas as células, você terá esses tratamentos com substâncias radioativas que vão direto às células doentes".