terça-feira, 25 de abril de 2017

Goleiro Bruno tem habeas corpus cassado pelo Supremo e voltará para prisão


A Primeira Turma do STF revogou o habeas corpus concedido pelo ministro Marco Aurélio Mello ao goleiro Bruno, condenado em primeira instância a 22 anos de prisão pela morte de Eliza Samudio, uma ex-namorada com a qual teve um filho. O pedido da revogação foi feito pela Procuradoria-Geral da República na quinta-feira passada. Os ministros Alexandre de Moraes, relator do caso, Luiz Fux e Rosa Weber votaram contra a manutenção do habeas corpus, e Marco Aurélio, que o concedeu em fevereiro, foi o voto vencido. O ministro José Roberto Barroso estava ausente, em viagem. Apesar de condenado em primeira instância em 2013, Bruno ainda aguardava preso o julgamento de recurso pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Polícia Federal indicia primeira-dama petista de Minas Gerais e secretários estaduais por corrupção


A Polícia Federal indiciou a mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT); os secretários da Casa Civil e do Planejamento do governo mineiro e dois executivos no âmbito das investigações da Operação Acrônimo. Carolina Pimentel foi indiciada como partícipe em corrupção, lavagem de dinheiro e crime eleitoral. Antonio Maciel, ex-presidente da Caoa, e o presidente do grupo Aliança, Elon Gomes, foram indiciados por falsidade ideológica e crime eleitoral, no artigo 350. Não há acusação contra as duas empresas. Também foi indiciado o publicitário Vitor Nicolato, homem de confiança do empresário Benedito de Oliveira, o Bené, próximo ao petista Fernando Pimentel. A Acrônimo foi deflagrada em maio de 2015 para investigar esquema de tráfico de influência para liberação de empréstimos do BNDES e esquema de lavagem de dinheiro em campanhas eleitorais envolvendo gráficas e agências de comunicação. 

Chineses compram parte da Odebrecht no Galeão



O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, confirmou nesta segunda-feira que o grupo chinês HNA vai entrar na concessionária que administra o aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, a RIOgaleão. “Felizmente, as coisas se deram de maneira positiva. Os chineses compraram a parte da Odebrecht e, com isso, vamos ter a Changi e o grupo chinês, que é forte”, disse Franco. Segundo o ministro, a outorga ao governo federal que era devida pela concessionária do Galeão, relativa a 2016, de 919 milhões de reais, foi paga na semana passada, quando a RIOgaleão afirmou que desembolsará outros 4,5 bilhões para pagar as parcelas da outorga deste ano, de 2018, de 2019 e parte da de 2020. A entrada de um novo sócio era aguardada dentro do governo para que a concessionária pagasse as outorgas em atraso. Por conta do envolvimento da Odebrecht na operação Lava Jato, o grupo teve dificuldades para obter financiamento, o que estava complicando a situação do consórcio. Fontes próximas da negociação para o reescalonamento da dívida da concessionária junto ao governo federal vinham afirmando que a entrada de um novo sócio na RIOgaleão era uma exigência do governo para resolver as pendências financeiras do grupo que administra o aeroporto. O consórcio RIOgaleão venceu o leilão do aeroporto em 2013, com um lance de 19 bilhões de reais, um ágio de quase 300%. No ano passado, a chinesa Hainan Airlines, do grupo HNA, anunciou investimento de 450 milhões de dólares na companhia aérea Azul. 

Trump envia submarino nuclear para a Península Coreana



O governo dos Estados Unidos enviou o submarino nuclear USS Michigan para o litoral da Coreia do Sul, informou a CNN nesta segunda-feira. De acordo com a rede de notícias americana, a embarcação deve passar pelo porto da cidade sul-coreana de Busan nesta terça-feira, mesmo dia em que a Coreia do Norte celebra o 85º aniversário da criação de seu Exército do Povo, uma data importante para o regime de Kim Jong-un e que, segundo alguns analistas, pode ser a ocasião para um novo teste balístico de Pyongyang. A manobra é mais uma demonstração de força do presidente americano Donald Trump, com o objetivo de intimidar o ditador norte-coreano, que afirmou que reforçará suas “medidas nucleares de autodefesa” perante o envio do porta-aviões americano USS Carl Vinson para perto de seu território. O porta-aviões USS Carl Vinson e sua frota de ataque se encontram atualmente realizando exercícios conjuntos estratégicos com tropas japonesas no Pacífico e planejam se aproximar da península da Coreia no final desta semana. Washington anunciou há duas semanas que tinha enviado o porta-aviões em resposta a um teste de mísseis norte-coreano no início de abril, embora a frota tivesse participado primeiro de exercícios com a Austrália sem que a Casa Branca confirmasse até a última quinta-feira.  Em um artigo de opinião publicado pelo jornal estatal Rodong, Pyongyang afirma que “seria um erro fatal por parte dos EUA pensar que pode amedrontar a Coreia do Norte com o porta-aviões”. O texto adverte que se “as provocações do inimigo” continuarem, as forças norte-coreanas “responderão com golpes mortais” e resistirão a “qualquer tentativa de guerra total com um ataque nuclear sem piedade”.  O artigo também ameaça “aniquilar os invasores” e anuncia que o exército e o povo norte-coreanos “reforçarão suas medidas de dissuasão nuclear para a autodefesa de todas as formas possíveis”.

Fãs despediram-se do ídolo Jerry Adriani cantando as suas músicas no Cemitério do Caju

O corpo do cantor Jerry Adriani foi enterrado no final da tarde desta segunda-feira (24) no Cemitério Francisco Xavier, no Caju, zona portuária do Rio de Janeiro. Ídolo da Jovem Guarda, o artista enfrentava um câncer e morreu no domingo (23), vítima da doença. Centenas de fãs que acompanharam a cerimônia de despedida cantaram músicas do artista ao longo do cortejo até o jazigo da família. Discos de vinil e uma guitarra do músico foram levados pelos fãs ao velório, que durou todo o dia. Jerry Adriani era o mais jovem integrante da Jovem Guarda e estava com a agenda de shows lotada até setembro.


O cantor Neguinho da Beija-Flor disse que visitou Jerry no hospital na sexta-feira passada (21) e ficou conversando com ele por quase duas horas. “Ele era meu amigo há mais de 40 anos. Vou ficar bom para a gente fazer um show junto na quadra da Beija-Flor'”, lembrou. A cantora Adriana disse que a morte de Jerry Adriani é uma perda irreparável. “Primeiro show que eu fiz na vida ele me apresentou como irmã. Ele é muito importante para mim. Estive no aniversário dele e a gente fez a maior farra. Estou muito abalada.” A fã Sonia Maria, de 66 anos, disse que gostava do cantor desde que era criança. “Assisti vários shows do Jerry quando era mais jovem. Ele foi meu ídolo e vai ser para sempre. Estou aqui para prestar as últimas homenagens". O cantor Flávio Miranda, também lamentou a morte do amigo. “É um momento muito triste para mim. Eu já o conhecia há muitos anos, mas fiquei amigo íntimo dele há 10 anos, quando convivi com ele, a mulher, a família. Foi uma das maiores honras que eu tive na minha vida, com essa pessoa especial que Deus nos colocou". Nascido Jair Alves de Souza em 29 de janeiro de 1947 no bairro do Brás, na cidade de São Paulo, Jerry Adriani começou a vida profissional em 1964, com a gravação do seu primeiro disco, Italianíssimo. No mesmo ano gravou seu segundo LP, Credi a Me. Seu nome foi inspirado em dois artistas estrangeiros: o ator americano Jerry Lewis e o cantor italiano Adriano Celentano. Em 1965 lançou Um Grande Amor, seu primeiro disco gravado em português. Tornou-se apresentador do programa Excelsior a Go Go, na antiga TV Excelsior de São Paulo. Ao lado do comunicador Luís Aguiar, apresentava músicas dos Vips, Os Incríveis, Trini Lopez, entre outros. Entre 1967 e 1968, já na TV Tupi de São Paulo, passou a apresentar A Grande Parada, ao lado de artistas como Neyde Aparecida, Zélia Hoffmann, Betty Faria e Marília Pera. O programa era um musical ao vivo que apresentava grandes nomes da música popular brasileira. Depois se transferiu para o Rio de Janeiro e trouxe Raul Seixas para a capital fluminense. Os dois eram amigos desde a época em que Raul tinha uma banda em Salvador, chamada Raulzito e os Panteras, que posteriormente foi a banda de apoio de Jerry e o acompanhou em sucessos como Tudo Que É Bom Dura Pouco, Tarde Demais e Doce Doce Amor. Em 1975, participou do musical Brazilian Follies, dirigido por Caribé Rocha, e exibido no Hotel Nacional por um ano e meio. Dali em diante, fez shows por todo o Brasil e em vários países do Exterior. No começo dos anos 1990, gravou um disco que trazia de volta as origens do rock and roll, intitulado Elvis Vive, um tributo a Elvis Presley, o 24º de sua carreira.

Marqueteiros dizem ao TSE que trataram de caixa 2 com Dilma em 2014


Em depoimento ao ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral, o casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura afirmou que a ex-presidente Dilma Rousseff tinha conhecimento dos pagamentos via caixa 2 à sua campanha eleitoral de 2014. Mônica disse que discutiu diretamente com a ex-presidente Dilma sobre o assunto. O depoimento ocorreu na sede do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Segundo a marqueteira, o encontro com Dilma ocorreu no Palácio do Planalto. Depois, Mônica teria acertado os pagamentos com o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o ex-tesoureiro da campanha, Edinho Silva, e os encaminhado à Odebrecht, que teria se comprometido a pagar R$ 70 milhões via caixa 1 e outros R$ 35 milhões de forma não declarada. O casal afirmou, porém, que recebeu apenas uma quantia entre R$ 10 milhões e R$ 12 milhões, já que o restante do pagamento, que seria realizado por meio de uma conta no Exterior, ficou comprometido com o avanço da Operação Lava-Jato. Segundo Mônica e João Santana, não foi tratado de assuntos financeiros da campanha com Michel Temer, então candidato a vice. O casal foi condenado pelo juiz Sergio Moro a oito anos e quatro meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro no esquema de corrupção na Petrobras. O depoimento foi colhido no âmbito da ação que apura se a chapa Dilma-Temer cometeu abuso de poder político e econômico para se reeleger.

PT, PMDPT, PMDB e PSDB unidos contra a Lava Jato

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima disse ao Estadão que PT, PMDB e PSDB se uniram para intimidar a Lava Jato com a Lei do Abuso de Autoridade: "Quando você tem a união de PT, PSDB e PMDB ao entorno de um assunto que por todas as obviedades não atende o interesse público, realmente é um assunto lateral, mas discutido, mal formulado, você tem que buscar qual o real motivo. E o que une esses três partidos é realmente a sobrevivência". O STF também une petistas, peemedebistas e tucanos. (O Antagonista)

STF REVOGA PRISÃO DE BUMLAI

A Segunda Turma acaba de decidir por revogar a prisão preventiva de José Carlos Bumlai. O TRF da 4ª Região fica autorizado a "adotar medidas alternativas outras" - como o uso de tornozeleira -, após novos exames do condenado. Por motivos de saúde, o pecuarista estava cumprindo prisão domiciliar desde uma liminar do então ministro Teori Zavascki. O amigão de Lula foi condenado 9 anos e 10 meses de prisão por corrupção passiva e gestão fraudulenta. Votaram pela revogação da prisão de José Carlos Bumlai na Segunda Turma do STF os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Celso de Mello. Edson Fachin e Ricardo Lewandowski votaram para manter a prisão domiciliar do pecuarista. Perderam. Ao revogarem a prisão de José Carlos Bumlai, a maioria dos ministros da Segunda Turma do STF destacaram a doença cardíaca e o câncer na bexiga do condenado. (O Antagonista) 
COMENTO - Cada dia dá mais nojo do Brasil e da paciência bovina dos brasileiros. E esta porcaria ainda se atreve a ser chamada de República Federativa do Brasil. Pode ser qualquer coisa, menos uma república. O que irão fazer agora com as dezenas de milhares de outros presos que estão nas cadeias e que também estão doentes?