sábado, 13 de agosto de 2016

Ministro da Saúde se desculpa por dizer que homens trabalham mais



O ministro da Saúde, Ricardo Barros, pediu desculpas na sexta-feira por dizer que homens vão menos ao médico porque trabalham mais que as mulheres. Por meio de nota, o ministro esclareceu que se referia ao número de homens no mercado de trabalho. “Conhecendo o quanto as mulheres trabalham, eu jamais diria que os homens trabalham mais que as mulheres. Quero deixar claro que eu me referia ao número de homens no mercado de trabalho, que ainda é maior”, explicou. Esse ministro, lamentavelmente, cada vez que abre a boca solta uma besteira monumental. Ainda na noite de quinta-feira, a própria filha do ministro, deputada estadual Maria Victória Borghetti Barros (PP-PR), chamou a atenção do pai através das redes sociais:  “Pai, logo o senhor que tem duas mulheres como nós em casa, a vice-governadora do Estado do Paraná, Cida Borghetti, e eu, deputada estadual. Trabalhamos tanto quanto o senhor”. Após a saia-justa, o ministro afirmou que “as mulheres, além de trabalhar fora, têm as tarefas de casa, cuidam da família e ainda arrumam tempo para cuidar da saúde. A campanha que lançamos quer espelhar esse exemplo das mulheres”. Esse bocó precisa ter a boca fechada.

Clube Pinheiros é maior que 162 delegações e sonha com medalha

Se o Esporte Clube Pinheiros, entidade paulistana com 117 anos de história, fosse uma Nação, a delegação de seus atletas nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro deste ano seria maior que as de 162 países, incluindo os elencos búlgaro, chileno, iraniano, marroquino, norueguês e tailandês. O clube azul e branco de São Paulo enviou ao Rio de Janeiro um total de 65 atletas — além de 12 treinadores — para disputar onze modalidades: atletismo, esgrima, ginástica artística, handebol, judô, levantamento de peso, natação, polo aquático, remo, saltos ornamentais e voleibol. “Esse número demonstra que o trabalho desenvolvido aqui, em prol do esporte nacional, é feito com amor, mas também seriedade, profissionalismo e competência”, diz o presidente do Esporte Clube Pinheiros, Roberto Cappellano.


O Pinheiros soma hoje 38 mil associados, sendo desse universo um total de 5 mil atletas, que vão desde a base até o alto rendimento. Em 2015, o clube teve receita de R$ 152,7 milhões e lucro de R$ 1,6 milhão. Se somadas as atividades de restaurantes, o faturamento pinheirense chega a R$ 184,3 milhões. Antes do Rio de Janeiro, o quadro de medalhas do Pinheiros na história dos jogos ostenta 10 conquistas — seis bronzes, três pratas e um ouro. O primeiro pódio foi em 1960, com Manuel dos Santos, um bronze na Natação —, e o último outro bronze, no judô, com Rafael Silva, em Londres. Neste ano, o judoca repetiu o feito na sexta-feira, ao ganhar o bronze na categoria pesado (mais de 100 kg) ao vencer Abdullo Tangriev, do Uzbequistão. Em 2008, o clube subiu ao lugar mais alto do pódio com Cesar Cielo, em Pequim, na natação. No Rio 2016, o Pinheiros tem alguns destaques na natação e no judô, novamente, no atletismo e na ginástica artística. Na natação, o clube foi representado por Bruno Fratus, um dos atletas mais rápidos do mundo na prova dos 50 metros livre, e os experientes Guilherme Guido, Henrique Rodrigues, Manuella Lyrio, João de Lucca e Joanna Maranhão. 


No Atletismo, a equipe — campeã do Troféu Brasil nesse ano — cede 18 atletas, entre eles a bicampeã pan-americana da maratona Adriana Aparecida da Silva, as velocistas Rosângela Santos, Franciela Krasucki e Bruna Farias, o saltador Talles Frederico, além de Geisa Arcanjo, no arremesso do peso e a experiente Joana Costa Ribeiro, do Salto com Vara. Na ginástica artística, os ginastas Arthur Nory e Francisco Barreto Jr. integram a seleção masculina. Já no levantamento de peso, quase toda a equipe brasileira é formada por atletas do clube. Entre eles, Fernando Saraiva Reis, o homem mais forte das Américas e associado do clube desde os 5 anos de idade. “Cresci no Pinheiros. Lembro que meu avô me levava para o Clube e eu passava o dia jogando bola nas quadras, até descobrir o levantamento de peso”, conta Reis. Esgrimista, o presidente do Pinheiros projeta o fortalecimento do clube após esse ciclo olímpico por causa de investimentos recebidos e do intercâmbio com alguns dos melhores atletas do mundo proporcionados pela China. É que a China usou as instalações do Pinheiros para fazer o período de treinos preparatórios finais e de aclimatação antes do embarque para a Rio 2016. O clube recebeu atletas de 14 modalidades, desde o dia 22 de julho, e até o próximo dia 14 de agosto. O Pinheiros recebeu cerca de R$ 2 milhões para esse programa, recursos que foram investidos integralmente nas instalações do parque esportivo da entidade, para ceder os espaços do clube — aos atletas chineses de esgrima, tênis de mesa, badminton, vôlei, boxe, tae-kwon-do, natação, pentatlo moderno, polo aquático, nado sincronizado, levantamento de peso, futebol, ginástica artística e luta olímpica. “O Pinheiros vai reaproveitar 90% do que foi modernizado ou criado”, disse diretor de esportes olímpicos do Clube Pinheiros, Arnaldo Queiroz, citando entre as melhorias de iluminação, piscina, pisos de quadra, além de uma nova área de badminton que não havia. Segundo o presidente do Pinheiros, o intercâmbio com atletas e treinadores chineses também fortalece o clube em quesitos de formação e preparação técnica de seus atletas. E ter aqui nas nossas dependência uma potência olímpica como a China, para nós é uma honra, é mais uma prova de que estamos no caminho certo”, disse Cappellano. O Clube Pinheiros também tem em seus quadros o melhor e maior enxadrista do Brasil, Herman Claudius van Riemsdyk, mestre internacional da Federação Internacional de Xadrez. 

Começa a derrocada das gigantes do petismo, Standard&Poors rebaixa notas de crédito da JBS

A agência de classificação de risco Standard &Poors (S&P) rebaixou nesta sexta-feira a nota de crédito global da JBS de ‘BB+’ para ‘BB’, e de ‘brAA+’ para ‘brAA-‘ na escala nacional, após a empresa divulgar um balanço trimestral considerado fraco. A agência também rebaixou a nota de crédito da JBS USA de ‘BB+’ para ‘BB’. A perspectiva para o rating é estável. Ou seja, os mercados começam a se dar conta que os gigantes mundiais do regime petralha são ficção, gigantes de papel. Vai continuar a derrocada. 

Oficializado o gigantesco calote, Sete Brasil protocola pedido de recuperação judicial

O plano de recuperação judicial protocolado na sexta-feira pela Sete Brasil na Justiça do Rio de Janeiro prevê a construção de até 12 sondas de perfuração de poços de petróleo, que vão demandar investimentos adicionais de US$ 5 bilhões. A empresa terá que conseguir financiamentos de terceiros para conseguir levar o plano adiante. “O objetivo do plano é tentar viabilizar a empresa do ponto de vista operacional para garantir um fluxo de receitas e pagar os credores”, disse Adriana Chagastelles, gerente-executiva de governança e relações com investidores da Sete Brasil. A partir de sexta-feira até a assembléia geral de credores, prevista para 10 de novembro, a Sete Brasil vai precisar avançar em negociações com a Petrobras — a cliente única da empresa — em uma mediação cujas discussões ainda não começaram. O plano apresentado à Justiça, portanto, é um plano geral cujas condições comerciais ainda precisarão ser detalhadas a partir das conversas com a Petrobras. Essas condições a serem acertadas com a Petrobras incluem o número de plataformas marítimas a serem construídas a ser incluído no portfólio da Sete Brasil e os valores das taxas de afretamento, entre outras questões. “Nossos contratos são válidos e eficazes, mas como precisamos buscar fontes de financiamento para terminar as 12 sondas os potenciais investidores precisam ter segurança sobre a continuidade dos projetos”, disse Adriana. E acrescentou: “E quem pode passar essa segurança é a Petrobras". Ocorre que, no momento, depois da destruição demolidora promovida pelo regime petralha na estatal, a Petrobras não consegue segurar nada. Ela afirmou que como o mercado tende a ter resistência de tomar o risco de construção das sondas, uma das alternativas consideradas pela Sete Brasil é que alguns estaleiros financiem uma ou duas sondas. A lógica é que o estaleiro poderia auto-financiar o término da construção tendo como garantia uma carta de crédito de banco que aceitaria financiar a unidade após a entrega. É tudo pedalada, barrigada, não tem consistência alguma o tal plano. 

Lucro dos cinco maiores bancos de varejo cai 13,5% no trimestre

Os cinco maiores bancos de varejo do País voltaram a registrar queda nos lucros no segundo trimestre. Juntos, tiveram um resultado ajustado 13,5% inferior ao do mesmo período do ano passado, somando R$ 14,953 bilhões. Considerando o semestre, a queda nos lucros foi ainda maior: 29,6%. 


Se os resultados do quinteto já viram dias melhores, em uma coisa Santander, Bradesco, Itaú Unibanco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal parecem concordar: o pior ficou para trás. Sinal que suporta esse princípio de otimismo, o lucro dos cinco cresceu 13,9% ante os três primeiros meses do ano. Mais uma vez, as despesas para fazer frente à piora da qualidade de crédito foram as grandes responsáveis pela queda nos resultados. Para digerir possíveis calotes bilionários de grandes empresas, como aqueles que poderão suceder as recuperações judiciais da fabricante de sondas Sete Brasil e da operadora de telefonia Oi, os cinco bancos gastaram R$ 27,6 bilhões na constituição de provisões para devedores duvidosos, cifra 31,3% maior que a de igual período do ano passado. Também nesse indicador, a comparação com os volumes gastos no primeiro trimestre favorece os bancos. As despesas com provisão entre abril e junho foram apenas 1% superiores às dos três primeiros meses do ano. Não fosse o gasto da Caixa, que cresceu 64,32% nessa comparação, teriam encolhido. Para se ter uma idéia do tamanho do estrago que os calotes provocaram, as despesas com provisão representaram 42% da margem financeira bruta que os bancos tiveram no segundo trimestre (R$ 65,7 bilhões). A margem financeira é o resultado entre as receitas que os bancos têm com crédito e com tesouraria deduzidas do custo de captação de recursos. A carteira de crédito ampliada do quinteto também tornou a encolher. Juntos, os cinco bancos chegaram a junho com um estoque de R$ 2,807 trilhões de operações de crédito, queda de 2,84% ante o que tinham em março e recuo de 1,01% no acumulado de 12 meses. Nas explicações que acompanharam os resultados, os esforços de executivos desses bancos foi na direção de apontar sinais de melhora à frente, embora sem deixar de reconhecer que o estrago foi grande. O Itaú Unibanco, por exemplo, indicou que espera que sua carteira de crédito volte a crescer, em termos reais, no ano que vem. A expectativa do maior banco privado do país é de um aumento da ordem de 6% para o crédito no ano que vem. Esse resultado representaria um crescimento real (descontada a inflação) pouco acima do Produto Interno Bruto (PIB), afirmou Eduardo Vassimon, vice-presidente executivo e diretor financeiro do Itaú. “Teremos um pequeno, mas real, crescimento de crédito em 2017. Em 2018, o crescimento pode ser mais relevante”, disse a analistas, na divulgação de resultados. Já o Bradesco prometeu uma queda mais acentuada nas suas despesas para provisão contra calotes no quarto trimestre deste ano. Para o terceiro, os gastos devem ficar em torno de R$ 5 bilhões, parecido com o montante visto entre janeiro e março, afirmou o diretor de relações com investidores, Luiz Carlos Angelotti. Por outro lado, os três bancos do grupo que divulgam suas projeções para 2016 pioraram boa parte delas no segundo trimestre. Itaú, Bradesco e Banco do Brasil esperam agora um crescimento ainda menor no crédito do que no começo do ano.

Latam Airlines Brasil, a ex-TAM, apresenta prejuízo de US$ 29,3 milhões no País no 2º trimestre


A Latam Airlines Brasil (antiga TAM), controlada pela Latam Airlines, registrou no segundo trimestre deste ano prejuízo líquido de US$ 29,352 milhões, segundo balanço consolidado da controladora registrado nos órgãos reguladores do mercado de capitais chileno e americano. No mesmo período de 2015, a empresa brasileira havia apurado perda de US$ 76,9 milhões. Com o resultado líquido apurado entre abril e junho, a Latam Airlines Brasil aparece no balanço consolidado da Latam Airlines com uma perda acumulada no semestre de US$ 8,732 milhões, já que entre janeiro e março a empresa brasileira havia apurado lucro líquido de US$ 20,620 milhões. Nos primeiros seis meses de 2015 a Latam Airlines Brasil havia registrado perda de US$ 61,89 milhões. Em termos de receita, a Latam Airlines Brasil apurou entre abril e junho US$ 895,5 milhões, um faturamento 19,4% menor que o registrado em igual período de 2015, que fora de US$ 1,11 bilhão. Levando em conta os seis primeiros meses do ano, a receita da Latam Airlines Brasil apresenta queda de 24,1%, ficando em US$ 1,854 bilhão. Esses números estão no balanço consolidado da Latam Airlines, todos expressos em dólares. A Latam Airlines — que controla Latam Airlines Brasil, Lan Perú, Lan Cargo, Lan Argentina, Lan Ecuador e Aerovias de Integración Regional — reportou para o segundo trimestre um prejuízo de US$ 92 milhões, o que representa um aumento de 85,2% em relação ao resultado negativo do mesmo trimestre de 2015. Na mesma base de comparação, a receita caiu 12,5% para US$ 2,1 bilhões. O lucro operacional foi de US$ 1,3 milhão, enquanto as despesas operacionais registraram queda de 12%. Em relatório de administração, a Latam Airlines admitiu que os resultados não cumpriram integralmente as expectativas da companhia. “Por essa razão, e a fim de nos prepararmos para futuros desafios e oportunidades do mercado, reconhecemos a necessidade de nos tornarmos mais inovadores e de continuarmos a trabalhar em ritmo acelerado para abordar a mudança dinâmica de clientes e da indústria, bem como a situação econômica na América do Sul". A Latam Airlines, entretanto, manteve as metas operacionais da companhia, com cortes de oferta no Brasil em até 12% e expectativa de atingir uma margem operacional no ano entre 4,5% e 6,5%. Mas entre abril e junho, esse indicador ficou em apenas 0,1%, acumulando em seis meses 5%. A Latam Airlines Brasil diminuiu a oferta doméstica em 13,7%, resultando em um aumento de 6,2% na receita por ASK, em reais, no segundo trimestre de 2016 em relação ao mesmo período de 2015. Além disso, a empresa brasileira continua a reduzir a capacidade em rotas internacionais entre o Brasil e os Estados Unidos, atingindo uma redução de aproximadamente 35% durante o segundo semestre de 2016 em comparação com o mesmo período de 2015.

A operação Lava Jato já recuperou quase R$ 3 bilhões

A Operação Lava Jato, que este mês completou um ano e cinco meses, já recuperou mais de R$ 2,9 bilhões aos cofres públicos, segundo dados do Ministério Público Federal. O levantamento aponta 574 buscas e apreensões autorizadas pelo juiz Sergio Moro e 118 pelo Supremo Tribunal Federal. No 1º grau, houve 5 prisões em flagrante e foram expedidos 155 mandados de prisão e 152 de condução coercitiva. Dos mandados de prisão, foram 70 prisões preventivas e 85 prisões temporárias, todas depois confirmadas nas instâncias superiores. No âmbito do Supremo, houve 126 quebras de sigilo fiscal, 146 de sigilo bancário e 115 quebras de sigilo telefônico. O Supremo Tribunal Federal autorizou 2 quebras de sigilo telemático, uma de sigilo de dados, 17 sequestros de bens e de valores e 5 prisões preventivas. “Realizamos 74 acordos durante a operação, sendo que 59 foram feitos com pessoas em liberdade e 15 com detidos”, diz o procurador geral, Rodrigo Janot.

A galega italiana Marisa Letícia e Lulinha vão manter silêncio sobre sítio de Atibaia

 

A ex-primeira dama, a galega italiana Marisa Letícia, e Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho do poderoso chefão da Orcrim petista e ex-presidente Lula, informaram à Polícia Federal que pretendem ficar em silêncio caso tenham de depor no inquérito que investiga se a família é ou não a real proprietária do sítio de Atibaia, que está em nome de Jonas Suassuna e Fernando Bittar. Em documento encaminhado pelos advogados da família, os dois informaram que pretendem usar o direito constitucional de permanecer em silêncio, "razão pela qual se mostra inútil" o deslocamento até Curitiba ou outro local para que sejam ouvidos. Para eles, será desperdício de recursos e de tempo para as autoridades. "Tendo em vista grande estardalhaço realizado pela imprensa a respeito dos fatos apurados por Vossa Excelência e, ainda, que nada mais tem a acrescentar em relação aos esclarecimentos já prestados por seu cônjuge, ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva", afirma o documento assinado pela galega italiana Marisa Letícia. Tanto Marisa quanto Fábio Luís afirmam no documento enviado à Polícia Federal não serem proprietários de fato ou de direito do sítio investigado e não terem "qualquer ciência ou participação da utilização de recursos de origem não lícita empregados no imóvel objeto de investigação". O delegado federal Márcio Anselmo, um dos responsáveis pela Lava-Jato, considerou lamentável a posição dos dois, já que a família tem alegado estar à disposição das autoridades para esclarecimento das investigações. No documento, informou que os depoimentos serão mantidos, em data ainda a ser designada, para que, caso queiram, ambos possam apresentar suas versões dos fatos. "Lamentável posição por parte dos referidos que, além de serem críticos da condução coercitiva, cuja validade já fora reconhecida no julgamento do HC 107644 sob relatoria do ministro Ricardo Lewandowski, julgado em 06/09/2011, apesar de sempre terem alegado estarem à disposição das autoridades para esclarecimento dos fatos quando intimados, buscam evitar comparecimento, notadamente diante de tantos fatos serem esclarecidos pelos ora peticionantes", escreveu o delegado. 










Os advogados da família Lula informaram, em nota, que seus clientes nada têm a acrescentar em relação às informações já prestadas pelo ex-presidente. Segundo eles, Fernando Bittar já entregou aos investigadores em março passado documentos que comprovariam que os recursos utilizados na compra do imóvel são da família Bittar. "Não há, por isso, qualquer razão jurídica para o envolvimento de familiares de Lula nas investigações sobre a propriedade desse imóvel, que pertence a Fernando Bittar e Jonas Suassuna conforme farta documentação já apresentada aos investigadores", diz a nota. Uma avaliação do sítio de Atibaia feita pela Polícia Federal mostra que, em decorrência da crise econômica, a propriedade vale hoje R$ 1,318 milhão, menos do que o R$ 1,5 milhão pago por Fernando Bittar e Jonas Leite Suassuna Filho em agosto de 2010, quando foi comprada. Os peritos chegaram à conclusão que o sítio, formado pela soma de duas propriedades com matrículas diferentes no cartório de imóveis, tem sua área mais valorizada, em função das edificações, na parte que pertence à Fernando Bittar, que corresponde a 77% do valor de mercado estimado. Para a Polícia Federal, como as duas matrículas foram registradas com preços iguais, a parte de Bittar foi subvalorizada e a de Suassuna, sobrevalorizada na escritura.

Moro suspende por duas semanas ação contra Odebrecht e marqueteiro petista João Santana


O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância, em Curitiba, suspendeu nesta sexta-feira a ação penal correspondente à 26ª fase da operação batizada de Xepa, que tem como réus, entre outros, o o sinhozinho baiano e empreiteiro propineiro Marcelo Odebrecht e o marqueteiro também baiano João Santana. Moro justificou sua decisão, contrária à manifestação prévia do Ministério Público Federal, a partir das informações de que “todos os presos por este processo” estão negociando delações premiadas com a força-tarefa da Lava Jato. O magistrado escreveu que “há notícia de que alguns acusados, inclusive todos os presos por este processo, estariam negociando alguma espécie de acordo de colaboração, que pode ser determinante para posição que adotarão em seus interrogatórios nesta ação penal. Nesta condição, com concordância das defesas, resolvo suspender Ação Penal por duas semanas”.  O despacho foi dado no termo de audiência de três testemunhas de acusação arroladas pelo Ministério Público e ouvidas nesta sexta-feira por Sergio Moro: Vinícius Veiga Borin, Marco Pereira de Sousa Bilinski e Luís Augusto França. O processo, sobre cuja continuação o juiz decidirá após as duas semanas, diz respeito às investigações que escancararam um setor de pagamento de propina instalado na Odebrecht, eufemisticamente denominado “Setor de Operações Estruturadas”. Na verdade era o Departamento da Propina, com sistema informatizado próprio e servidores localizados na Suiça. Revelado pela ex-secretária da Odebrecht, Maria Lúcia Tavares, o sistema era de tal maneira organizado que altos executivos da empresa eram os responsáveis por liberar os pagamentos ilícitos. Além de Maria Lúcia, operavam o departamento de propinas executivos de alto escalão da empreiteira – incluindo o herdeiro, o sinhozinho baiano Marcelo Odebrecht. 


Bandido petista mensaleiro José Dirceu acha pouco propina de 11 milhões de reais



A defesa do ex-ministro-chefe da Casa Civil, o bandido petista mensaleiro e petroleiro José Dirceu, recorreu a uma comparação para rebater a acusação do Ministério Público Federal na qual ele é apontado como um dos chefes do esquema de corrupção na Petrobras. Em documento apresentado à Justiça, Dirceu sustenta que jamais ocupou posição de liderança ou de comando no petrolão. “Ainda que se admita que houve pagamentos de propinas não se poderia explicar que o ex-ministro receberia "pixulecos" enquanto pessoas quase anônimas recebiam valores expressivos, inclusive devolvendo valores exorbitantes, como se deu com o delator e corréu Pedro José Barusco”, escreveram os advogados. Para reforçar a tese de que o ex-ministro não é o cabeça da organização criminosa, a defesa fez cálculos: “Os valores supostamente recebidos por ele (valor de 11.884.205,50 de reais) não chegam perto nem de 2% do montante desviado pelo corréu e colaborador Pedro Barusco”. O ex-diretor da Petrobras, em acordo de delação premiada, se comprometeu a devolver quase 100 milhões de dólares em propinas. Os defensores do ex-ministros recorrem a outras comparações financeiras para justificar a tese: “Justamente José Dirceu teria recebido valores menores, quase que inexpressivos se comparados aos recebidos por Barusco, um gerente executivo? E perto dos 80 milhões de reais que o corréu Milton Pascowitch admitiu ter ganhado?” O bandido petista mensaleiro José Dirceu já foi condenado a 20 anos e 10 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro no Petrolão do PT.

Marta Suplicy declara R$ 13,3 milhões em bens à Justiça Eleitoral


A candidata à Prefeitura de São Paulo, senadora socialite Marta Suplicy (PMDB-SP), entregou ao Tribunal Superior Eleitoral uma declaração de bens no valor de R$ 13,3 milhões. Entre os bens listados, quase metade (R$ 6,3 milhões) é relacionada a cotas da empresa Salamina Participações. Marta Suplicy também possui R$ 2,8 milhões em cotas da Copara Organização e Administração e R$ 1,7 milhão em um fundo de investimento do Banco do Brasil. O imóvel mais valioso é um apartamento de R$ 1,8 milhão no Jardim Paulistano (zona oeste de São Paulo). Entre os bens móveis, a candidata declarou cinco quadros, dois tapetes, cinco faqueiros, três esculturas, quatro aparelhos de jantar, dois anéis e um brinco de brilhantes no valor de R$ 60 mil. Comparando com a declaração feita por Marta Suplicy na campanha ao Senado, em 2010, o patrimônio dela diminuiu. Na ocasião, ela declarou cerca de R$ 12 milhões em bens, o equivalente a R$ 18 milhões em valores atuais. Um dos bens dos quais Marta Suplicy se desfez está um apartamento no Guarujá avaliado na ocasião em R$ 1,4 milhão. O candidato a vice de Marta Suplicy, Andrea Matarazzo (PSD), declarou cerca de R$ 1,4 milhão em bens – a quase totalidade em cotas da empresa Matarazzo Participações. O prefeito Fernando Haddad (PT) e os candidatos João Doria e Celso Russomanno (PRB) também já apresentaram a declaração de bens à Justiça.  

Total em bens declarado: R$13.319.274,83
Descrição Tipo Valor do bem
85.065 QUOTAS FAZ. MANTIQUEIRA CNPJ 60.797.008/0001-52. NOTA:A EMPRESA SERÁ CINDIDA E A ACIONISTA RECEBERÁ SUA PARTE EM TERRAS. Quotas ou quinhões de capital R$125.754,94
25% DE UM TERRENO LOCALIZADO NA CHACARÁ MARANHÃO - COTIA - SP Terreno R$ 7.220,95
CREDITO CONTRA ANDRE SMITH DE VASCONCELLOS SUPLICY Crédito decorrente de empréstimo R$ 50.000,00
BB CURTO PRAZO BANCO BRASIL Fundo de investimento financeiro - FIF R$1.713.326,27
50% DA PARTE IDEAL SITUADA NA RUA CAMINHO DA SERVIDÃO, 115 EM UBATUBA - SP, PRAIA DE PICINGUABA Terreno R$ 56.534,31
17700 AÇÕES PN PETROBRAS Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica) R$ 502.720,83
NA RUA CARDEAL ARCOVERDE, 2811- SÃO PAULO - SP Sala ou conjunto R$ 265.328,08
RDB/CDB ITAU PERSONNALITE Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) R$ 181.987,26
50% BB RF CP ESTILO Fundo de investimento financeiro - FIF R$ 76.991,90
49.500 QUOTAS DO CAPITAL SOCIAL DA EMPRESA SALMINA CONSULTORIA ESTRATÉGICA E EMPRESARIAL LTDA. CNPJ 10.937.891/0001-60 Quotas ou quinhões de capital R$ 49.500,00
SALDO CONTA ITAU PERSONNALITE Depósito bancário em conta corrente no País R$ 13.594,48
FUNDO BB RENDA FIXA CURTO 200 Fundo de investimento financeiro - FIF R$591.221,80
16100 AÇÕES PNA VALE DO RIO DOCE Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica) R$700.398,93
79.013 AÇÕES (52.582 ON E 26.431 PN) DA CIA MECHANICA IMP. SÃO PAULO CNPJ 60.500.105/0001-31 Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica) R$ 10.746,90
NA RUA CORONEL ALFREDO CABRAL - JD. PAULISTANO - SP Apartamento R$1.838.500,00
AÇÕES PNA USIMINAS Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica) R$ 37.555,00
GARAGEM DO EDIFÍCIO BARÃO DE GRANITO SITUADO NA AV. SÃO GABRIEL, 555 Outros bens imóveis R$10.433,47
5 QUADROS, 2 TAPETES, 5 FAQUEIROS, 3 ESCULTURAS, 4 APARELHOS DE JANTAR, 2 ANEIS E 1 BRINCO DE BRILHANTES Outros bens móveis R$ 60.000,00
50% FUNDO BB REF DI PLUS EST Fundo de investimento financeiro - FIF R$ 188.613,37
DINHEIRO EM ESPECIE Dinheiro em espécie - moeda nacional R$ 120.000,00
40,75% LOCALIZADO NA VILA IZABEL - CAMPOS DO JORDÃO - SP CHACARÁ N.º 9 Terreno R$ 36.352,61
22.420 QUOTAS DA LUNO ADM. DE BENS S/C LTDA. CNPJ 50.380.203/0001-29 Quotas ou quinhões de capital R$ 22.420,00
6342400 QUOTAS SALAMINA PART AUM CAPITAL CONF BENS Quotas ou quinhões de capital R$6.342.400,00
7008 AÇÕES ON DO BRASIL Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica) R$ 172.747,30
5% DA PARTE IDEAL DA GLEBA DE TERRAS EM ABERNESSIA EM CAMPOS DO JORDÃO - SP Terra nua R$ 117.821,47
NA AV. SÃO GABRIEL, 555 Outros bens móveis R$ 24.231,00
80.968 QUOTAS DA COPARA ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO S/C CNPJ 60.596.517/0001-17 Quotas ou quinhões de capital R$ 2.873,96

Braço direito de “caixa” do petista Paulo Bernardo é preso por coagir testemunha

A Polícia Federal prendeu na quinta-feira (11/08) Marcelo Maran, sócio do advogado Guilherme Gonçalves, responsável pela contabilidade do Fundo Consist, no qual eram movimentados valores recebidos de um esquema de desvio de recursos montado no Ministério do Planejamento. O dinheiro do fundo era usado no pagamento de despesas pessoais do ex-ministro e também era empregado em campanhas políticas. A ordem foi da 6ª Vara Federal de São Paulo, a mesma que recebeu na semana passada a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal contra Paulo Bernardo, Maran, Gonçalves e mais 10 pessoas. Os três acusados são réus pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção passiva. A Força Tarefa da Operação Custo Brasil tomou o depoimento de uma testemunha do caso. Essa pessoa já havia sido ouvida na fase de inquérito, pela Força Tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba, em julho passado. Na ocasião, o depoente contou que o dinheiro do Fundo Consist pagava despesas pessoais de Paulo Bernardo, e que Maran havia dito que o dinheiro era desviado para campanhas políticas também e que o escritório fazia pagamentos por serviços não prestados. No depoimento anterior, a testemunha contou que Maran tentou cooptá-lo em agosto de 2015, quando ela pediu demissão do escritório de Gonçalves em virtude da operação Pixuleco. Trecho do depoimento dessa testemunha foi usado na denúncia da Operação Custo Brasil. Quando Maran tomou conhecimento da íntegra da denúncia, procurou o irmão da testemunha que havia trabalhado um ano no escritório de Gonçalves, entregou a ele um envelope com o trecho da denúncia que mencionava o depoimento e disse: “Entregue isto para seu pai e pede para ele conversar com seu irmão, para que ele mude o depoimento dele”. Para os procuradores Andrey Borges de Mendonça, Rodrigo de Grandis, Silvio Luís Martins de Oliveira e Vicente Mandetta, responsáveis pelo caso, não há dúvida de que Maran tentava cooptar a testemunha e de que agora a ameaçou. “A prisão preventiva é necessária para garantia da instrução quando o imputado interfere na produção da prova. No caso, referida interferência se manifesta pela tentativa inicial de cooptar a testemunha para a continuidade do esquema – com o oferecimento de vantagens semelhantes às que Maran recebia, para que não saísse do escritório – e, atualmente, em razão da tentativa de alterar o depoimento da testemunha. A ameaça, embora destinada ao irmão do depoente, possuía clara e certa finalidade: fazer com que a testemunha alterasse seu depoimento e deixasse de incriminar Marcelo Maran”, afirma o Ministério Público Federal no pedido de prisão, que foi aceito pelo juiz Paulo Bueno de Azevedo. 

Polícia Federal prendeu mais dois simpatizantes de grupos terroristas

A Polícia Federal prendeu na quinta-feira dois suspeitos de serem simpatizantes da organização terrorista Estado Islâmico, em mais uma etapa da Operação Hashtag. As prisões ocorreram em São Paulo. A Polícia Federal não revelou as identidades deles, que são brasileiros e estavam em São Paulo. Os dois haviam feito juramento virtual de lealdade ao Estado Islâmico e mantinham contato com os doze presos no mês passado. Nas conversas com os demais detidos, eles se ofereciam para executar eventuais atos terroristas durante a Olimpíada do Rio de Janeiro. A Polícia Federal conseguiu rastrear as mensagens a partir do material apreendido na operação deflagrada em julho. Durante a ação de quinta-feira (11) foram cumpridos ainda cinco mandados de busca e apreensão e três de condução coercitiva. Deflagrada no mês passado, a Hashtag mirou num grupo de brasileiros simpatizantes do EI que estariam planejando fazer um ato terrorista durante a Olimpíada do Rio de Janeiro. Na ocasião, 12 pessoas foram presas. Esta foi a primeira ação anti-terror depois da aprovação da lei que tipificou os crimes dessa natureza. Embora não haja registros de contatos diretos com terroristas, um dos suspeitos chegou a entrar em contato com uma empresa de armas para comprar um fuzil AK-47, o que acabou não se concretizando.  Outros fizeram o juramento de lealdade ao Estado Islâmico por meio de um site que oferece uma gravação do texto que deve ser repetido a quem deseja fazer parte do EI. 

Julgamento do impeachment começará no dia 25; Dilma foi intimada nesta sexta-feira



O julgamento final do processo de impeachment da presidente afastada, a mulher sapiens petista Dilma Rousseff, começará em 25 de agosto e ela foi intimada sobre o andamento do caso nesta sexta-eira (12), na parte da tarde, depois que seu advogado, o ex-ministro da Justiça, o "porquinho" petista José Eduardo Cardozo, entregou as alegações finais da defesa. Assim, o caso poderá ser encerrado ainda em agosto, conforme previsão de senadores da base aliada do governo de Michel Temer. 

Ex-vice-prefeito de Governador Celso Ramos terá que demolir casa construída em área de preservação permanente

O ex-vice-prefeito do município de Governador Celso Ramos (SC), Claudemir de Oliveira Rodrigues (PMDB), terá que demolir uma casa construída em área de preservação permanente na localidade do Canto dos Ganchos. Na última semana, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região negou recurso do réu e determinou um prazo de 30 dias para o desmanche, sob pena de multa. A ação foi ajuizada pelo Ministério Público Federal após denúncia de que o político teria ocupado um terreno no entorno da área de proteção ambiental do Anhatomirim, zona oeste do município da região metropolitana de Florianópolis. A área referida fica às margens do curso d’água conhecido como Canal da Cuba e, de acordo com o Ministério Público Federal, o réu estaria despejando esgoto no córrego. Em março de 2007, a Justiça Federal homologou um acordo no qual Claudemir se comprometeu a elaborar um plano de recuperação ambiental para a área degradada além de colaborar com a desocupação do imóvel após cinco anos. Ao final do prazo, o político entrou com pedido para permanecer no local. Ele alegou que o Código Florestal Brasileiro, sancionado em 2012, estabeleceu como espaço urbano consolidado as ocupações inseridas em áreas de preservação permanente não identificadas como sendo de risco. O ex-vice-prefeito apontou que a urbanização no local está consolidada há anos e que há dezenas de outras construções nos terrenos vizinhos, de forma que não haveria ganho ambiental se fosse mantida a demolição apenas do seu imóvel. O pedido foi negado pela 6ª Vara Federal de Florianópolis, levando o político a recorrer contra a decisão. No entanto, por unanimidade, o TRF4 decidiu manter o entendimento de primeiro grau. Segundo o relator do processo, juiz federal Eduardo Gomes Philippsen, convocado para atuar na 4ª Turma, “o ato demolitório é resultado do acordo firmado entre as partes e homologado anteriormente e o seu cumprimento é decorrência natural”. O processo é o de nº 5015124-27.2016.4.04.0000. 

Donald Trump diz que Obama e Hillary são "cofundadores" do Estado Islâmico


O candidato presidencial republicano Donald Trump chamou, na quinta-feira (11), o presidente dos Estados Unidos, o muçulmano Barack Obama, e a candidata comunista democrata, Hillary Clinton, de "cofundadores" do Estado Islâmico.  Trump já havia criticado Obama e Hillary, secretária de Estado norte-americana entre 2009 e 2013, pela maneira como os Estados Unidos se retiraram do Iraque depois da guerra, dizendo que isso ajudou a criar a facção terrorista, que ocupa territórios no Iraque e na Síria.  


"Ele (Obama) foi o fundador do Estado Islâmico. E ela (Hillary) também. Quer dizer, eu os chamo de cofundadores", disse Trump em entrevista à rede de TV CNBC na manhã de quinta-feira: "Ele não deveria ter saído do jeito que saiu do Iraque. Foi um desastre o que ele fez". Obama foi contra a guerra do Iraque e se candidatou à Casa Branca em 2008 prometendo encerrá-la. Os EUA retiraram suas tropas de combate do país em 2011. Trump não recuou, indagando na CNBC: "Há algo errado em dizer isso? Ora, há gente se queixando por eu ter dito que ele foi o fundador do Estado Islâmico? Tudo que eu faço é dizer a verdade, sou uma pessoa que diz a verdade". Presente no Iraque e na Síria, o Estado Islâmico tem suas raízes na insurgência da Al Qaeda que surgiu após a invasão do Iraque liderada por Washington em 2003. Conhecido por sua brutalidade, o grupo declarou um califado islâmico nestes dois países em 2014. A idéia de que um presidente ainda no cargo tenha ajudado a fundar uma facção terrorista islâmica determinada a matar norte-americanos e outros ocidentais levou as polêmicas declarações de Trump a um novo patamar. 

USDA prevê maior safra de grãos da sua história

O diretor da Brasoja Agro, Antonio Sartori, afirmou nesta sexta-feira, no no III Seminário A Voz do Campo, em Gramado, no Rio Grande do Sul, que as safras de soja e milho dos Estados Unidos este ano serão as maiores da história. Ele se baseou na previsão feita nesta sexta-feira pelo Departamento de Agricultura (USDA) em um relatório mensal que elevou as previsões de produtividade e colheita para os dois grãos acima das expectativas até dos analistas de mercado mais otimistas. O USDA estimou a safra norte-americana de milho em 15,153 bilhões de bushels (384,9 milhões de toneladas), superando uma previsão de analistas que ficaram entre 14,58 bilhões e 15,146 bilhões. Para a soja, a estimativa de colheita ficou em 4,060 bilhões de bushels (110,5 milhões de toneladas), ante previsões de analistas que variaram entre 3,865 bilhões e 4,054 bilhões de bushels. Há um mês, o USDA havia projetado a produção de milho em 14,540 bilhões de bushels e a de soja em 3,880 bilhões de bushels. Os contratos futuros dos grãos ampliaram perdas na bolsa de Chicago depois do relatório sobre safras recordes no maior produtor global de soja e milho, com o primeiro contrato do cereal recuando para uma mínima de quase sete anos, a 3,12 dólares por bushel. O tempo favorável para o desenvolvimento das safras em julho em grandes áreas do Meio-Oeste dos Estados Unidos, importante área de cultivo e milho e soja, permitiu uma maturação das plantas com relativamente pouco estresse. A previsão do USDA para produtividade em Illinois, por exemplo, o segundo maior Estado produtor de milho, ficou em 200 bushels por acre. Se for confirmada, a previsão seria 25 bushels por acre acima da de 2015.

Venezuela e Colômbia vão reabrir fronteira comum após quase um ano


A Venezuela e a Colômbia decidiram reabrir a fronteira entre os dois países a partir deste sábado (13), quase um ano depois do fechamento unilateral decretado pelo ditador venezuelano, Nicolás Maduro. A reabertura, que acontecerá em etapas, deverá amenizar o desabastecimento nos Estados limítrofes. Em julho, 142 mil venezuelanos cruzaram a fronteira em duas aberturas programadas para comprar alimentos na Colômbia. 


Inicialmente, cinco pontes serão reabertas apenas para pedestres entre 6 e 21 horas no horário de Caracas (7 e 22 horas em Brasília). Ainda não há previsão de quanto tempo durará esta abertura preliminar ou quando serão permitidos veículos e o comércio. Todos serão submetidos ao controle de imigração. Moradores da região terão a passagem facilitada se fizerem um documento de identidade especial, a ser lançado nos próximos meses. Espera-se a passagem de mais de um milhão de venezuelanos. A decisão foi tomada na quinta-feira (11) em reunião entre o ditador Maduro e o colega colombiano, Juan Manuel Santos, em Puerto Ordaz (a 740 km a leste de Caracas). O ditador bolivariano psicopata Maduro, que comanda um regime narcotraficante, agradeceu "a boa vontade" de Santos pelos avanços em relação à fronteira: "Temos que fazer tudo o que for possível para que esta abertura tenha sucesso". Os dois também anunciaram a criação de um centro de combate ao tráfico de drogas, ao contrabando e aos grupos paramilitares, o que parece ser uma piada, tipica de ditadura esquerdista latinoamericana. Os dois últimos foram os motivos alegados pelo ditador Maduro para fechar a fronteira, em 19 de agosto de 2015. "A segurança é, sem dúvida alguma, o tema mais importante que contribuirá para que a normalização da circulação na fronteira possa ser resolvida", disse o colombiano Juan Manoel Santos. Os dois. O fechamento foi decretado após quatro militares venezuelanos serem mortos por paramilitares colombianos em San Antonio del Táchira, onde fica o principal acesso terrestre entre os países. Três dias depois, o ditador psicopata bolivariano Maduro ampliou o fechamento da ponte entre a cidade e Ureña, na Colômbia, por tempo indeterminado. Em seguida, decretou estado de exceção no Estado de Táchira e expulsou mais de 20 mil colombianos, incluindo refugiados, sob a acusação de contrabando e associação com paramilitares. A ordem provocou uma fuga em massa. Parte dos colombianos teve casas e pertences saqueados por militares e precisou deixar o país pelo rio da fronteira para não perder o que sobrou, inclusive a própria vida. Nas semanas seguintes, o estado de exceção e o fechamento foram ampliados para os outros quatro Estados limítrofes. Em sinal de protesto, a Colômbia convocou seu embaixador em Caracas. A crise seria amenizada em reunião entre os dois presidentes em 21 de setembro, em Quito. Nela, foi liberada a passagem só para estudantes e grupos humanitários. O fechamento fez agravar a escassez na fronteira. Em junho, centenas de mulheres de Táchira cruzaram a pé o rio que separa os dois países para comprar alimentos. Diante da tensão social, Caracas abriu a fronteira só para pedestres em 9, 16 e 17 de julho. Nos três dias, 142 mil pessoas foram à Colômbia.

Comunista Luiza Erundina declara três bens com valor total de R$ 605 mil à Justiça Eleitoral


A candidata do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Luiza Erundina, declarou no Tribunal Superior Eleitoral, na quinta-feira (11), patrimônio no valor de R$ 605,6 mil. As posses listadas incluem dois apartamentos e um carro 1.0, avaliado em R$ 16,8 mil. Ambos os imóveis se localizam em Mirandópolis, na zona sul da cidade. O candidato a vice de Erundina, o também comunista Ivan Valente (PSOL), declarou pouco mais de R$ 1 milhão em bens. Somados, eles têm o menor patrimônio entre todas as chapas que concorrem à Prefeitura e cujas declarações já foram tornadas públicas – R$ 1,7 milhão. Erundina tem patrimônio menor em relação a 2014. Concorrendo ao Congresso como deputada pelo PSB, ela havia declarado quase R$ 900 mil à Justiça Eleitoral. 

Total em bens declarado: R$ 605.605,81
Descrição Tipo Valor do bem
APARTAMENTO NO BAIRRO MIRANDÓPOLIS - SP Apartamento R$465.000,00
AUTOMÓVEL FOX 1.0 ANO 2006 Veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc. R$ 16.800,00
APARTAMENTO NO BAIRRO MIRANDÓPOLIS - SP Apartamento R$123.805,81

Candidato da Rede, Ricardo Young declara à Justiça R$ 7,4 milhões em bens



Ricardo Young, candidato da Rede Sustentabilidade à prefeitura de São Paulo, declarou possuir bens que somam mais de R$ 7 milhões à Justiça. Com 1% das intenções de voto segundo a última pesquisa do Datafolha, Young havia declarado patrimônio de R$ 11,2 milhões em 2012, quando disputou as eleições legislativas municipais. Empresário defensor da bandeira da sustentabilidade, Young tem como vice Carlota Mingotta, cuja declaração de bens é a menor entre todos os candidatos do executivo municipal de São Paulo – R$ 12 mil reais, ou 14.557 vezes menos que João Dória (PSDB), cujo patrimônio declarado é de R$ 180 milhões. 

Total em bens declarado: R$ 7.415.759,51

Descrição Tipo Valor do bem
RENDA FIXA SAFRA FIC CURTO PRAZO Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) R$ 8.497,00
FUNDO SANTANDER Fundo de investimento financeiro - FIF R$ 711.483,72
APARTAMENTO EM SANTO AMARO Apartamento R$ 254.219,76
DIREITO DE CREDITO RECEBIMENTO DE JUROS CAPITAL PROPRIO BRADESCO Outros créditos e poupança vinculados R$ 33.320,63
LOTE 3 ENSEADA CANOAS - PARAIBUNA Outros bens imóveis R$ 68.000,00
100% IMOVEL RURAL - 5.280M2 EM BOCAINA - MG Outros bens imóveis R$ 2.012,44
APLICAÇÕES SAFRA MARKET FIC FI C PRIV Outras aplicações e Investimentos R$ 101.456,46
APARTAMENTO NO BAIRRO JARDIM PAULISTA EM SÃO PAULO Apartamento R$ 750.000,00
APLICAÇÃO SAFRA GALILEO SPECIAL Outras aplicações e Investimentos R$ 91.250,21
50% TERRENO 2.160M2 EM CAIEIRAS Terreno R$ 32.500,00
LCI SANTANDER Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) R$ 550.000,00
SALDO PREMIOS PAGOS PREVIDENCIA BRASILPREV Outros créditos e poupança vinculados R$ 93.584,60
VEICULO HONDA FIT TWIST 2013 Veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc. R$ 58.800,00
PREVIDÊNCIA PRIVADA VGBL SANTANDER Outras aplicações e Investimentos R$ 212.996,58
3.815 COTAS EMPR. INSTITUTO IDIOMAS HOPE Quotas ou quinhões de capital R$ 0,51
APLICAÇÃO EM FUNDO ITAU TRUSTEE Fundo de investimento financeiro - FIF R$2.006.583,72
IMOVEL NA VILA CACHOEIRINHA Outros bens imóveis R$ 270.000,00
IMÓVEL EM JARDIM PAULISTA-SP Outros bens imóveis R$1.750.000,00
SALDO CC CEF Depósito bancário em conta corrente no País R$ 10.664,74
APARTAMENTO EM SANTO AMARO FINANCIADO PELO SANTANDER Apartamento R$ 180.421,41
APLICAÇÃO SAFRA Fundo de investimento financeiro - FIF R$ 115.000,00
APLICAÇÃO SAFRA S&P FUNDO INVESTIMENTO Fundo de investimento financeiro - FIF R$ 108.320,76
SALDO EM CC SANTANDER Depósito bancário em conta corrente no País R$ 6.646,97