domingo, 31 de julho de 2016

Tribunal Regional Eleitoral anula a intervenção do PP gaúcho no diretório de Canoas e seus acordos

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul, em decisão adotada pela desembargadora Maria de Lourdes Galvão Braccine de Gonzalez, concedeu liminar no mandado de segurança impetrado por Francisco Biazus e determinou a anulação da intervenção decretada pelo PP no diretório municipal de Canoas, bem como a anulação de todos os atos derivados dessa intervenção. Com essa decisão, Francisco Biazus reassume a presidência do partido em Canoas e volta a realinhá-lo no apoio à candidatura de sua mulher, Beth Colombo, à prefeitura na eleição de outubro. Ela é a atual vice-prefeita do petista Jairo Jorge, que a escolheu para sua sucessão. Como o PT foi contra a candidatura dela, porque era do PP, ela saiu do partido. Então o PP gaúcho reagiu. Agora o marido dela consegue reafirmar o acordo paroquial de Canoas. Esse é o segundo maior colégio eleitoral do Estado do Rio Grande do Sul e submetido a acordos dessa espécie. Francisco Biazus é defendido pelo escritório Vargas e Leão Advogados Associados. Leia a íntegra da decisão da desembargadora que foi expedida neste fim de semana: https://drive.google.com/file/d/0B8_RBOFhHrDUbzdyb1lnUWhnb1k/view?usp=sharing

Marqueteiro João Santana faz proposta de delação premiada com entregação total da mulher sapiens petista Dilma Rousseff



A mulher sapiens petista, a presidente afastada Dilma Rousseff, vem ajustando seu discurso de acordo com o avanço da Lava-Jato. Há cerca de um ano, diante das acusações de que sua campanha recebera doações por fora da construtora UTC, ela afirmou: “Eu não aceito e jamais aceitarei que insinuem sobre mim ou a minha campanha qualquer irregularidade porque não houve”. De lá para cá, as negativas da petista ganharam um tom cada vez mais baixo. Há duas semanas, após o marqueteiro baiano João Santana e sua mulher, Mônica Moura, admitirem ter recebido dinheiro pelo caixa dois na campanha presidencial de 2010, Dilma disse: “Não autorizei pagamento de caixa dois a ninguém. Se houve, não foi com meu conhecimento”. Cinco dias depois, eis que surge outra justificativa: “Minha campanha não tem a menor responsabilidade sobre em que condições pagou-se dívida remanescente da campanha de 2010. João Santana tratou essa questão com a tesouraria do PT”. Em pouco tempo, a negativa da existência de dinheiro sujo saltou do “eu não sabia” e pousou no “a culpa é do partido”. Mas, ela ainda precisará mudar a versão mais uma vez. Em sua proposta de delação premiada feita à Procuradoria-Geral da República, João Santana e sua mulher relatam que a mulher sapiens petista não só sabia da existência do "caixa dois" como aprovou as operações ilegais. "Caixa dois" é uma ova, é propina mesmo que pagou a campanha dela. Segundo o casal, Dilma conhecia detalhes do custo real da campanha e o valor que era declarado oficialmente. A diferença, de algumas dezenas de milhões de reais, vinha de empresas envolvidas no Petrolão do PT, era propina. Uma parte dos recursos, oriundos de propinas avalizadas pela petista, foi usada até para pagar despesas pessoais da presidente. Para comprovar as acusações, que constam em mais de dez capítulos chamados de “anexos”, o marqueteiro baiano João Santana apresentará documentos. Os detalhes do acordo do marqueteiro foram tratados recentemente em uma reunião realizada com integrantes da Procuradoria Geral da República. Quem leu os anexos garante: o mago do marketing petista, que ajudou a construir a imagem de Dilma, está agora armado com provas para fulminá-la.

Sogra de Bernie Ecclestone, o dono da Fórmula 1, é resgatada de seus sequestradores em São Paulo


Terminou no início da noite deste domingo o sequestro de Aparecida Schunck , de 67 anos, sogra do empresário dono da Fórmula-1, Bernie Ecclestone. A polícia localizou o cativeiro onde ela estava sendo mantida, em Cotia, na Grande São Paulo, e a libertou. Não houve pagamento de resgate. Segundo informações iniciais, dois suspeitos foram presos no local. Aparecida havia sido sequestrada no dia 22 de julho, no bairro de Interlagos, em São Paulo. Ela é mãe da brasileira Fabiana Flosi, de 38 anos, que é casada com Ecclestone, de 85. O casal mora em Londres. Os dois se conheceram em 2009, quando Fabiana trabalhava na organização do Grande Prêmio do Brasil. Bacharel. Na época ela era casada com um médico e vivia em São Paulo. Em 2010, Ecclestone, então dono de uma fortuna avaliada em quase 8 bilhões de reais, protagonizou um dos mais ruidosos divórcios da Inglaterra. Ao final do processo, o chefe da Fórmula 1 concordou em pagar 1,7 bilhão de reais à ex-modelo croata Slavica Radic, com quem viveu por 25 anos. Pouco depois da separação, Fabiana deixou o Brasil e, em 2012, casou-se com Ecclestone em uma cerimônia em Gstaad, na Suíça. O valor do resgate pedido a Ecclestone era de 120 milhões de reais – o que faria desse o maior sequestro do Brasil. Os criminosos pediram para que os pagamentos fossem feitos em libras esterlinas, com o dinheiro dividido em quatro sacolas. Entre 2001 e 2002, essa modalidade de crime atingiu o auge no País. O ano de 2002 terminou com 321 casos apenas no Estado de São Paulo – um a cada 27 horas. A Delegacia Anti-Sequestro (DAS) chegou a monitorar, num único dia, 43 cativeiros – em um deles estava o publicitário Washington Olivetto, que só foi libertado depois de 53 dias em poder de seus captores, que haviam pedido 18 milhões de dólares por ele.

Governador do Rio Grande do Norte pede socorro ao Exército em meio a onda de ataques da bandidagem em Natal

O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, pediu ajuda do Exército neste domingo para combater os ataques que vêm ocorrendo no Estado desde sexta-feira. Já foram registradas ao menos 42 ofensivas a ônibus, além de ocorrências envolvendo disparos contra prédios públicos, explosivos em agências bancárias e depredações. “Solicitei apoio das tropas do Exército para se somarem às nossas destemidas polícias no trabalho para garantir a segurança da população do Rio Grande do Norte. Desde ontem tenho mantido contato com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, com o ministro da Defesa, Raul Jungman e com a direção nacional da Polícia Federal. Aqui, todas as forças de segurança permanecem em total atenção para retomarmos a normalidade. Estou no aguardo da liberação das tropas pela presidência da República”, publicou o governador em seu perfil em uma rede social. Em entrevista coletiva no sábado, Faria relacionou os atos a uma retaliação de criminosos contra a instalação de bloqueadores de celulares no presídio de Parnamirim. “O governo está decidido a enfrentar qualquer ato violento que acontecer no Estado. Não vamos recuar na instalação dos bloqueadores celulares nos presídios e não há possibilidade de negociação com líderes de movimentos criminosos. Os policiais estão liberados a agir com autonomia e conforme a lei para prender todos os responsáveis por essas ações de vandalismo”, disse. O pedido de ajuda acontece um dia depois de os criminosos fecharem o acesso ao Aeroporto Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, e dispararem tiros na Delegacia Geral de Polícia (Degepol) de Natal. De acordo com balanço divulgado neste domingo pela secretaria estadual de Segurança Pública, cinquenta pessoas foram detidas em todo Estado por relação com os atos de vandalismo. No sábado, pelo menos quinze criminosos atearam fogo a entulhos e fecharam o acesso ao Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, na Grande Natal. O incêndio foi controlado pelo Corpo de Bombeiros, mas os criminosos fugiram. Também na capital, foram apreendidos 30 coquetéis molotov e três galões de combustível em uma casa abandonada. Em Parnamirim, três pessoas foram detidas com posse de dois galões com nove litros de combustível, um revólver calibre 38 com sete munições, celulares com informações sobre ataques a ônibus, duas placas de colete balístico e entorpecentes. Em Patu, outros três foram presos com um reservatório de gasolina. Como reação aos ataques, os rodoviários e as empresas proprietárias de ônibus suspenderam os serviços no último sábado e mantêm a posição também neste domingo. Ao jornal Tribuna do Norte, o diretor do Sindicado dos Rodoviários, Harley Davidson, disse que a orientação é que os ônibus não saiam das garagens “até que o Governo tome uma atitude drástica com relação à segurança”. Ataques já foram confirmados nas cidades de Natal, Parnamirim, Macaíba, Monte Alegre, São José de Mipibu, Caicó, Currais Novos, Caiçara do Norte, Santa Cruz, Mossoró, Jardim de Piranhas, São Gonçalo do Amarante, Florânia, São Paulo do Potengi, Touros, Tangará, Assu, Maxaranguape, Goianinha e São José do Campestre.

Manifestantes saem às ruas em 14 Estados e no Distrito Federal


Dezenas de milhares de manifestantes saíram às ruas de quatorze Estados e do Distrito Federal neste domingo em atos pela consolidação do processo de impeachment da presidente afastada, a mulher sapiens petista Dilma Rousseff. Os maiores atos se concentram neste momento em São Paulo. Convocados pelo Vem pra Rua, os favoráveis ao impeachment ocupam a Avenida Paulista, no centro de São Paulo. No Rio de Janeiro e em Brasília os atos começaram de manhã e já terminaram. No Rio de Janeiro os manifestantes levaram cartazes em inglês a fim de chamar a atenção dos jornalistas estrangeiros e turistas que vieram à cidade para acompanhar os Jogos Olímpicos. Em Brasília, os grupos cobravam dos parlamentares agilidade no andamento do processo de impedimento da presidente afastada, cujo desfecho só deve sair no fim de agosto. Comparadas aos mega protestos anteriores, as manifestações pró-impeachment deste domingo mobilizaram menos gente. Em clima de Olimpíada e volta às aulas, os movimentos Brasil Livre e Nas Ruas perceberam a baixa adesão da população nas redes sociais e decidiram adiar o ato para 21 de agosto. O Vem pra Rua, por sua vez, decidiu manter o protesto que até agora é o mais vazio deste ano, mesmo assim muito expressivo.