quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Preocupação com a China volta a pressionar o dólar, que fecha a R$ 4,05


O dólar fechou no maior nível em relação ao real em mais de três meses nesta quinta-feira, em mais um dia marcado por intensas preocupações com a economia chinesa nos mercados globais após nova desvalorização do iuan derrubar as bolsas do país asiático. A moeda americana avançou 0,77%, a 4,05 reais, seu maior nível desde 29 de setembro. O governo chinês permitiu que o iuan se desvalorizasse mais rapidamente, alimentando preocupações com a possibilidade de a segunda maior economia do mundo estar mais fraca que o esperado. Além disso, investidores temem que o gigante asiático possa provocar uma disputa de desvalorização cambial com seus parceiros comerciais. "As autoridades chinesas parecem perplexas e, com a falta de transparência, os mercados tendem a reagir com força a qualquer sinal de fraqueza", disse o economista da 4Cast, Pedro Tuesta. O tombo das ações chinesas ativou um mecanismo de circuit breaker, suspendendo as negociações pelo resto do dia pela segunda vez nesta semana. Mais tarde, o governo chinês anunciou que deve suspender o mecanismo a partir de sexta-feira, o que contribuiu para tirar o dólar das máximas da sessão. A moeda americana chegou a atingir 4,07 reais nesta quinta-feira. A China é um dos principais parceiros comerciais do Brasil e serve de referência para investidores em mercados emergentes. "O tema deste início de ano é China, e o Brasil é particularmente vulnerável por causa da incerteza política", disse o operador de uma corretora nacional.

TAM passa a usar navegação por satélite para pousar no Santos Dumont


A TAM começa este mês a usar navegação por satélite nos pousos e decolagens no aeroporto Santos Dumont. O mecanismo permite que as aproximações dos aviões possam acontecer com teto mínimo de cem metros, mesmo sob tempo adverso. O Santos Dumont, devido à posição geográfica, costuma ser bastante afetado pelo clima. Além das pistas curtas, não existe uma área de segurança no final delas, nem zona de escape. Resultado: falta de teto, voos atrasados (ou cancelados) e passageiros irritados. Agora, as duas maiores companhias aéreas do país passam a operar com a tecnologia no aeroporto. A primeira foi a Gol, em 2013. 

Jaques Wagner se lambuzou

O PT se lambuzou. A frase foi pronunciada antes de ontem por Jaques Wagner. Ele sabe do que fala. Nesta quinta-feira, o Estadão publica uma série de mensagens de telefone interceptadas pela Lava Jato que mostram os arranjos financeiros entre Jaques Wagner e Léo Pinheiro, presidente da OAS.

A Cavalgada das Valquírias

Nas mensagens interceptadas pela Lava Jato, o presidente da OAS, Léo Pinheiro, trata Jaques Wagner como JW ou como Compositor, em alusão a Richard Wagner. Lula mereceu de Léo Pinheiro um apelido mais prosaico: Brahma. Apesar de usar apelidos em suas mensagens, a linguagem em código do presidente da OAS é ridiculamente transparente. Ao negociar o apoio do candidato PMDB ao candidato do PT à prefeitura de Salvador, Léo Pinheiro reclama com Jaques Wagner do valor cobrado, como nesta mensagem reproduzida pelo Estadão: “O valor é muito alto. 3.600 Street Brown”. E nesta: “Ok. Salvador acho que devemos dar +1”. E nesta: “O Compositor (Jaques Wagner) me ligou ontem, disse-lhe que estava fora e que MR iria procurá-lo x MK (Mário Kertész, candidato do PMDB à prefeitura de Salvador em 2012) (saldo)”. 

Dida é vital

Aldemir Bendine, o presidente da Petrobras, caiu na Lava Jato. As mensagens da OAS, interceptadas pela PF, sugerem que ele, quando ainda presidia o Banco do Brasil, negociou com Léo Pinheiro a compra de debêntures da empreiteira. Em outubro de 2014, Léo Pinheiro enviou a seguinte mensagem a outro dirigente da OAS: “O Dida marcou às 18h30. Terei de ir com ‘ACMP’, pois temos a nova debênture, que é vital”. Segundo o Estadão, a Procuradoria-Geral da República acusa a OAS de pagar propina a Eduardo Cunha a fim de que bancos públicos e fundos de pensão estatais comprassem suas debêntures. O Banco do Brasil de Aldemir Bendine, o Dida, faria parte desse mesmo esquema.

O Brasil quebra

A indústria caiu 2,4% em novembro, informou o IBGE. Comparado com novembro do ano passado, a indústria caiu 12,4%, a vigésima-primeira queda consecutiva. Nos primeiros 11 meses de 2015, a queda foi de 8,1%. A China despenca. O Brasil quebra.

Banco Central de mãos atadas

Apesar de todos os indícios de que aumentaria os juros em janeiro, o Banco Central está de mãos atadas. Sem a divulgação das novas diretrizes econômicas prometidas pelo governo e com a economia dando sinais diários de que continua afundando, o ambiente não é propício para mais juros. Como se não bastasse o cenário desfavorável, há pressão sobre o Banco Central. “Há um boato forte de que Dilma (Rousseff) estaria influenciando o Banco Central para não aumentar os juros”, afirma Paulo Petrassi, chefe de renda fixa da Leme Investimentos.

O prestígio do lobista junto a Lula

Depois de tomar o depoimento de Lula, a Polícia Federal vai interrogar nesta quinta-feira Mauro Marcondes, o lobista que pagou Luleco. Diz a Época: "Preso na penitenciária da Papuda, em Brasília, Marcondes pagou R$ 2,5 milhões para o filho de Lula, Luis Claudio, fazer um relatório com trechos copiados da Internet. O lobista costumava dizer aos seus clientes que tinha prestígio junto a Lula e a ministros de estado, conforme material apreendido pela PF. Investigadores querem saber se Marcondes fez tráfico de influência para aprovar medidas provisórias que beneficiaram algumas montadoras".

Sinfonia desafinada do compositor Wagner

As mensagens de Jaques Wagner interceptadas pela Lava Jato mostram que ele negociou o pagamento da OAS ao peemedebista Mario Kertész para obter seu apoio ao candidato do PT à prefeitura de Salvador. Agora a coluna Radar, da Veja, informa que esse acordo foi fechado numa reunião no escritório da OAS no Rio de Janeiro, "na presença do ex-presidente da empreiteira Leo Pinheiro". A sinfonia do Compositor está ficando mais e mais desafinada.

Imprensa à passarinho

A Folha de S. Paulo publica uma longa reportagem sobre o fechamento do restaurante São Judas Tadeu, de São Bernardo do Campo. O assunto principal é a receita do frango à passarinho. Não há uma única palavra sobre o fato de que José Carlos Bumlai foi acionado para quitar as dívidas dos herdeiros do restaurante, amigos de Lula. E não há uma única palavra sobre o fato de que Ricardo Lewandowski foi indicado ao STF pelo dono do restaurante. O São Judas Tadeu faliu porque era grande demais e caro demais. Além disso, segundo seus fregueses, a qualidade do frango piorou muito nos últimos anos. A imprensa corre o risco de falir pelos mesmos motivos.

Edinho também se lambuzou na OAS

A Globonews revelou agora há pouco que Léo Pinheiro também trocou mensagens com Edinho Silva. O ministro, que já foi pego achacando gentilmente Ricardo Pessoa, da UTC, agora é flagrado negociando doações da OAS para a campanha de Dilma Rousseff. Uma das mensagens fala de três pagamentos de R$ 5 milhões. Outra mostra que Edinho ganhou uma gravata de Léo Pinheiro, com quem parece ter uma relação de amizade.

A lambuzada é Dilma

A doação de R$ 15 milhões - em três parcelas - negociada por Edinho Silva com Léo Pinheiro foi para a campanha de Dilma, da qual era tesoureiro. O valor total doado pela OAS chegou a R$ 20 milhões. Dilma está toda lambuzada de dinheiro do petrolão.

Então foi Dilma quem mandou Edinho se lambuzar...

Com a revelação da troca de mensagens entre Léo Pinheiro e Edinho Silva, O Antagonista lembra o depoimento dado espontaneamente pelo próprio ministro sobre como Dilma conduziu sua campanha de reeleição.

Reveja o post que publicamos em setembro.
Arrecadação seguiu orientação de Dilma
Brasil 06.09.15 19:25
Quando as contas de Dilma foram aprovadas com ressalvas pelo TSE, Edinho Silva gravou esse vídeo. Nele, o tesoureiro da campanha de reeleição de Dilma, que agora é alvo de inquérito no Supremo, mostra-se visivelmente aliviado. Edinho desabafa e entrega o jogo. Diz que a vitória no TSE não foi apenas "jurídica', mas "política", e afirma que toda a condução da campanha - gastos e arrecadação, inclusive - seguiu a "orientação da presidenta Dilma". É a delação de Edinho.


Esse vídeo é dedicado a Teori Zavascki, Rodrigo Janot e João Otávio de Noronha (O Antagonista)

Dilma se lambuzou na Petros

Andréia Sadi, da Globonews, reproduziu uma das mensagens de Léo Pinheiro, o presidente da OAS condenado pela Lava Jato: "Garreta falou com Edinho sobre a Petros". Ele se refere a Valdemir Garreta, o marqueteiro petista que fez a campanha de Lindbergh Farias. A mensagem é de 30 de outubro de 2014, quando Edinho Silva ainda buscava dinheiro para quitar as dívidas da campanha presidencial. O que a Petros tem a ver com a campanha de Dilma?

Pobres mais pobres

O Banco Central informa que, pela primeira vez nos últimos vinte anos, a caderneta de poupança teve perda anual. O saldo total da aplicação, que em 2014 era de 662,72 bilhões de reais, baixou para 656,59 bilhões, em 2015. No ano passado, os saques superaram as aplicações em 53,56 bilhões. Os mais pobres estão cada vez mais pobres.

O celular delator de Léo Pinheiro

Léo Pinheiro desistiu da delação premiada, mas seu celular, apreendido pela Polícia Federal, traz material suficiente para derrubar a República. Como diz a Folha, há mensagens citando mais de 20 políticos, de ministros a parlamentares. Além de diálogos com Jaques Wagner e Edinho Silva, o celular de Léo Pinheiro traz o agendamento de viagens para Lula e de encontros com Renan Calheiros. A "delação" do celular de Léo Pinheiro produziu um relatório de quase 600 páginas.

Marta sabe do que está falando

Fernando Haddad quer eleições diretas para subprefeitos em São Paulo. Marta Suplicy, agora no PMDB, afirmou no Facebook que se trata de "engodo populista". Ela sabe do que está falando.

"Léo, coloca o avião à disposição de Lula"

Nas mensagens do celular de Léo Pinheiro, Lula é "Brahma". Numa conversa com funcionários, o empreiteiro diz que "Brahma quer fazer a palestra" em Santiago, entre os dias 24 e 26 de novembro. O funcionário responde prontamente disponibilizando um avião da empreiteira para o ex-presidente. "Leo, colocamos o avião à disposição de Lula para sair amanhã ao meio-dia. Seria bom você checar com Paulo Okamotto se é conveniente irmos no mesmo avião", escreve César Uzeda, executivo da OAS na área internacional. Em outra mensagem, ele comenta com Léo Pinheiro que Lula estava "procurando saber" de obras da OAS no país vizinho. Numa mensagem de texto de 7 de janeiro de 2014, Léo Pinheiro diz a Uzeda que Lula poderia "ir ao Uruguai agora em janeiro ou início de fevereiro". "Veja com Diego quando seria melhor". O celular de Léo Pinheiro fala mais que Lula em suas palestras.

Renan fez hora extra com Léo Pinheiro

A Polícia Federal identificou nas mensagens do celular de Léo Pinheiro, entre 2012 e 2014, ao menos seis pedidos do empreiteiro para encontrar-se com Renan Calheiros. Um desses encontros foi marcado numa ensolarada manhã do domingo, 13 de setembro de 2013. "Dr Alexandre Grangeiro agendou uma reunião com dr. Renan na residência dele domingo às 11h". Na sua casa ou na minha?

A Invepar de Léo Pinheiro e Lula

A menção à Petros é explosiva, pois expõe a Invepar, consórcio inventado por Lula e Léo Pinheiro para abocanhar a concessão do aeroporto de Guarulhos com ágio de 373%. A OAS entrou no negócio com apenas 25%, enquanto Petros, Previ e Funcef aportaram os outros 75% em três partes iguais.

Governador Sartori manda voltar todos os brigadianos que estão cedidos


Cobrado por fazer ouvidos de mercador às reclamações recorrentes e diárias sobre a inação do governo na área da segurança pública, o governador José Ivo Sartori resolveu sair da poltrona e anunciar ele mesmo algumas ações na área. Sartori avisou que editará tantos atos quantos forem necessários para que retornem todos os brigadianos e policiais cedidos para outros órgãos públicos, inclusive Tribunal de Justiça, Ministério Público Estadual, Tribunal de Conas e Assembléia Legislativa. Ele quer todos os brigadianos e policiais na rua. "Temos que proteger a população atacada todos os dias", avisou o governador. No total, 420 brigadianos e policiais servem ao Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas do Estado, Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, prefeituras e até a governos de outros Estados. E a população gaúcha continua desprotegida, sendo morta como gado no matadouro. No Estado, 131 policiais e brigadianos trabalham em secretarias do governo, 109 na Casa Militar, 48 estão no Ministério Público, fazendo investigações, 23 na Assembleia Legislativa e 22 no Tribunal de Justiça. A lista ainda revela que existem policiais cedidos para 12 prefeituras, Comando Militar do Sul, Câmara de Porto Alegre, Incra e até para os Estados de Rondônia e Espírito Santo. Quando é cedido, um policial recebe uma gratificação, que pode até dobrar o salário.Um tenente-coronel que está há mais de 20 anos no Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul recebe R$ 16.237,82 pela corte de contas e R$ 17.525.18 pela Brigada Militar, um total de R$ 33.763, o máximo que um servidor público pode receber, por lei. O valor é equivalente ao salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).










O diretor-geral do TCE, Valtuir Pereira Nunes, justifica a necessidade do agente no local. “O tribunal necessita da atuação desses profissionais da segurança porque é um órgão institucional, a exemplo do Poder Judiciário, da Defensoria Pública, do parlamento e do próprio Executivo. Então é uma atividade necessária junto ao Tribunal de Contas.”

Marina Silva agora defende impugnação de Dilma no TSE ou o impeachment no Congresso

A presidente nacional da Rede, Marina Silva, deixou claro que mudou de posição em relação ao futuro do governo Dilma. Ela deu uma guinada em sua posição tortuosa e agora acha que é melhor cassar Dilma e Temer, convocando novas eleições: "No meu entendimento, o melhor caminho para o Brasil é o processo que está no TSE, porque teria a cassação da chapa com a comprovação de que o dinheiro da corrupção foi usado para a campanha do vice e da presidente". Mas, se não der certo, ela aceita o impeachment de Dilma, que já não acha um golpe: "Impeachment não é golpe. Está previsto na Constituição, foi feito contra o Collor, foi pedido pelo PT várias vezes e eles achavam que não era golpe".

Delegados do Rio Grande do Sul aprofundam crise entre Polícia Federal e ministro da Justiça

O Sindicato dos Delegados da Polícia Federal do Rio Grande do Sul tirou nota de apoio ao superintendente da PF do Paraná, Rosalvo Ferreira Franco, atacado pelo ministro da Justiça por ter aceito ajuda da Justiça Federal para pagar as contas de luz do ano passado. O ministro disse que a Superintendência do Paraná devolveu R$ 3 milhões e não teria que ter pedido nada ao juiz Sérgio Moro. Os delegados federais do Paraná tiraram nota chamando o ministro de mentiroso. A nota dos delegados gaúchos é assinada pelo presidente do sindicato local, Nicio Brasil Lacorte.

Petrobras anula contrato de sonda da fornecedora inglesa Ensco


A Ensco informou nesta quarta-feira (6) que recebeu notificação da Petrobras na qual a estatal relatou que o contrato sobre a sonda DS-5 está nulo, devido a irregularidades na contratação. As sondas são fundamentais na atividade de exploração, fase anterior à produção. O equipamento faz perfurações em busca dos poços mais produtivos das áreas adquiridas em leilão. Como as reservas são finitas, as petroleiras precisam explorar continuamente novas áreas para manter a produção em contínua expansão. A Petrobras tem reduzido significativamente seu número de sondas no País. A Petrobras fretou a DS-5 em 2008, quando o equipamento era propriedade da Pride International, uma empresa com sede em Londres que a Ensco comprou em 2011. 

Petróleo tipo Brent fica abaixo de US$ 35,00 pela primeira vez em 11 anos


O barril de petróleo tipo Brent caiu nesta quarta-feira abaixo dos US$ 35,00 pela primeira vez em 11 anos, em um mercado deprimido por um excesso de oferta. O Brent é o tipo de barril de petróleo negociado em Londres que serve como referência para a maior parte do setor, incluindo a Petrobras. No meio da sessão, o barril de Brent do mar do Norte para entrega em fevereiro caiu para US$ 34,83 no Intercontinental Exchange (ICE) de Londres, seu nível mais baixo desde julho de 2004. Pouco depois, teve uma leve recuperação, cotado pouco acima dos US$ 35. No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de "light sweet crude" (WTI) para entrega no mesmo prazo abriu com queda acentuada de US$ 1,39, a US$ 34,58. O WTI já havia caído abaixo dos US$ 35,00 em meados de dezembro, em uma cotação inédita desde fevereiro de 2009. "Acho que tudo isso tem a ver com as preocupações internacionais e com os mercados de ações, que ultimamente têm seguido o mercado do petróleo", comentou Oliver Sloup, da iiTrader.com.

Presidente da Concacaf concorda com extradição para os EUA


Alfredo Hawit, presidente da Concacaf (entidade responsável pelo futebol nas Américas do Norte e Central e no Caribe) e um dos vice-presidentes da Fifa, concordou em ser extraditado aos Estados Unidos para enfrentar acusações criminais, disseram autoridades suíças nesta quarta-feira (6). "O Escritório da Procuradoria dos Estados Unidos para o distrito de Nova York o acusa de ter recebido propinas que totalizam milhões de dólares em ligação à venda de direitos de marketing de torneios de futebol na América Latina para várias firmas de marketing esportivo", informou a Justiça Federal suíça em comunicado. Hawit, hondurenho, foi preso em Zurique em dezembro e está entre as dezenas de pessoas acusadas de receber propina e lavagem de dinheiro. Ele foi banido do futebol por 90 dias. Também foram indiciados na ocasião o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, e o ex-presidente da entidade Ricardo Teixeira. No fim de dezembro, a Justiça suíça informou que o pedido formal da extradição de Hawit precisava ser apresentado pelas autoridades americanas até o dia 11 de janeiro.

Maduro desafia oposição a conseguir convocar referendo para retirá-lo do poder

O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, desafiou a oposição, na noite de terça-feira (5), que horas antes assumiu o controle da Assembleia Nacional, a convocar o referendo que poderia revogar seu mandato. Os adversários do mandatário têm 112 das 167 cadeiras do Parlamento, o que lhes dá a maioria de dois terços. Com ela, podem emendar a Constituição, aprovar Constituinte ou destituir altos funcionários.


Na posse, o novo presidente da Assembleia, Henry Ramos Allup, disse que em seis meses o Legislativo decidirá sobre a "saída constitucional, pacífica e eleitoral" do governo, em um sinal de que pressionarão para que ocorra o referendo. Questionado por um jornalista sobre o anúncio do líder do Legislativo, Maduro disse que seus adversários devem deixar que sejam os venezuelanos a decidir sobre sua saída da Presidência: "Que convoquem um referendo revogatório e o povo decidirá. Agora, se eles vierem por outras vias, será também com a Constituição na mão que o povo decidirá e estarei eu, como presidente, dando apoio à defesa da democracia". A Constituição determina que a saída do presidente só se dará por referendo, que pode ser convocado só na metade final do mandato — que, no caso de Maduro, começa em fevereiro. Não existe impeachment na Venezuela. Para que a consulta seja convocada, são necessárias as assinaturas de pelo menos 20% dos 15 milhões de eleitores do país. Depois de confirmadas, as assinaturas são enviadas ao Conselho Nacional Eleitoral, que convoca o referendo. O presidente só sai se, no referendo, a sua retirada for aprovada por número de votos absolutos maior que o obtido pelo mandatário na eleição anterior, desde que a participação seja superior a 25%. Em 2013, Maduro foi eleito com 7,5 milhões de votos. No programa de televisão, Maduro elogiou a decisão de seus aliados de abandonarem a cerimônia de posse depois que a oposição abriu o plenário para discursos e a proposição de projetos, como a concessão de anistia a presos políticos. "Foi extraordinário porque estão aí os dois modelos. Isso coloca em evidência a verdadeira cara da oposição, uma nova dinâmica à qual teremos que nos acostumar rapidamente", disse o mandatário. Sobre a derrota eleitoral, considerou que caberá ao próprio chavismo a superar a situação: "Que nos coloquemos nos trilhos para reverter a derrota eleitoral e voltar a construir uma nova maioria".

O voo rasante de Dilma

O Antagonista obteve uma cópia do trecho em que Léo Pinheiro cita a conversa entre Edinho Silva, tesoureiro de Dilma Rousseff, e Valdemir Garreta, marqueteiro petista. A Polícia Federal ainda não sabe o que a Petros tem a ver com o caso. Mas há um setor que ainda não foi devidamente investigado pela Lava Jato: a OAS é sócia da Petros na Invepar, controladora do aeroporto de Guarulhos. (O Antagonista)

Nasce segundo neto de Dilma

Depois de passar as festas de fim de ano aguardando a chegada do segundo neto em Porto Alegre, a presidente Dilma Rousseff não esteve presente ao parto de Guilherme. O bebê nasceu nesta manhã, no Hospital Moinhos de Vento. Dilma deve viajar à capital gaúcha para visitar a filha, Paula Rousseff Araújo.