segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Regime fechado para Pedro Corrêa

O ministro Luís Barroso determinou que Pedro Corrêa volte a cumprir pena em regime fechado no processo do mensalão. A decisão decorre da condenação de Corrêa na Lava Jato. O ex-deputado e ex-presidente do PP estava no regime semiaberto, mas cumpria prisão preventiva determinada por Sérgio Moro. Como negocia delação premiada, Corrêa poderia ser liberado para sair da carceragem durante o dia. Agora, deve permanecer na cadeia por mais um tempo. Há um mês, ele foi condenado por Moro a 20 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Dilma não vai resistir

A chance de impeachment pode ter caído para 40%, como diz a Arko Advice. A própria consultoria, porém, lembra que a economia, em 2016, vai entrar em parafuso, com o consequente rebaixamento da nota do Brasil. O que mais? Antonio Palocci vai ser preso. José Carlos Bumlai vai ser preso. Lulinhazinho poderá ser denunciado. Novos delatores vão entregar a quadrilha petista. A Lava Jato vai cobrar do PT os 500 milhões de reais roubados da Petrobras. Em maio, Gilmar Mendes tomará posse como presidente do TSE. Dilma Rousseff não vai resistir.

Olho no pixuleco da Petros

O Antagonista foi informado de que o Conselho Fiscal da Petros fez um questionamento formal à Diretoria Executiva da Petros sobre as recentes denúncias publicadas aqui e em outros órgão de imprensa. Uma delas trata da nomeação de Thaís Brescia para a gerência de investimentos da Petros. Brescia, apadrinhada por Carlos Gabas, foi sócia de Alexandre Romano, o Chambinho, preso na Pixuleco II.

Fux diz que oposição acha voto eletrônico seguro

Luiz Fux, o ministro que mata no peito, defende o uso das urnas eletrônicas e diz que sua segurança foi atestada pela oposição. "Acabamos de julgar um pedido de auditoria formulado por partidos de oposição e eles foram uníssonos no sentido de que esse método de votação é muito seguro." Fux só não mencionou que o TSE impediu que a auditoria contratada pelo PSDB auditasse o sistema.

Moro e o jornalismo investigativo

Sérgio Moro vai participar hoje, às 16h, do fórum "O papel do jornalismo na cobertura da Operação Lava Jato: o jornalismo investigativo de qualidade como pilar da democracia e das instituições brasileiras", organizado pela Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner). O Antagonista recomenda que todos acompanhem a fala do juiz.

Caiu a sócia do Chambinho

O Antagonista foi informado de que Thaís Brescia deixou o cargo de gerente de investimentos da Petros, o fundo de previdência dos funcionários da Petrobras. Como revelamos aqui, Brescia foi parceira de Alexandre Romano na VIS Investimentos, empresa usada pelo pivô da Operação Pixuleco II para repassar propina ao PT. Brescia ainda preside o Conselho Fiscal da Sete Brasil?

40% de chance de impeachment

A Arko Advice avalia que a possibilidade de impeachment contra Dilma Rousseff caiu de 50% para 40%. Entre os fatores listados pela consultoria, destacam-se os seguintes:
1 - Eduardo Cunha não tomará qualquer decisão este ano sobre o assunto.
2 - Não existe pressão popular suficiente para a abertura de processo. Os protestos perderam força e os movimentos pró-impeachment estão desmobilizados.
3 - A oposição, depois que se afastou de Cunha, avalia que o assunto perdeu consistência e aguarda fatos novos para voltar à carga.

Dilma não vai resistir

A chance de impeachment pode ter caído para 40%, como diz a Arko Advice. A própria consultoria, porém, lembra que a economia, em 2016, vai entrar em parafuso, com o consequente rebaixamento da nota do Brasil. O que mais? Antonio Palocci vai ser preso. José Carlos Bumlai vai ser preso. Lulinhazinho poderá ser denunciado. Novos delatores vão entregar a quadrilha petista. A Lava Jato vai cobrar do PT os 500 milhões de reais roubados da Petrobras. Em maio, Gilmar Mendes tomará posse como presidente do TSE. Dilma Rousseff não vai resistir.

Regime fechado para Pedro Corrêa

O ministro Luís Barroso determinou que Pedro Corrêa volte a cumprir pena em regime fechado no processo do mensalão. A decisão decorre da condenação de Corrêa na Lava Jato. O ex-deputado e ex-presidente do PP estava no regime semiaberto, mas cumpria prisão preventiva determinada por Sérgio Moro. Como negocia delação premiada, Corrêa poderia ser liberado para sair da carceragem durante o dia. Agora, deve permanecer na cadeia por mais um tempo. Há um mês, ele foi condenado por Moro a 20 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Congresso da Juventude do PT termina em racha e dissidentes protestam


Com gritos "Nem Meirelles, nem Levy, eu quero a Dilma que elegi" e "Cunha, você vai ver, a juventude está chegando ao poder", um grupo de aproximadamente 150 pessoas fez um protesto neste domingo, em Brasília. Todos participaram do 3.º Congresso da Juventude do PT e, após o encontro - que terminou em racha -, os dissidentes da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), majoritária no PT, caminharam até a Esplanada. Subiram na cúpula da Câmara e, depois, foram até o Ministério da Fazenda. Um dia depois de a Polícia ter retirado do gramado do Congresso dezenas de manifestantes ali acampados, que pediam o impeachment da presidente Dilma Rousseff, os petistas mais à "esquerda" do partido decidiram ir mais longe e, do alto da Câmara, gritaram "Fora Cunha".  


O ato contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) - que enfrenta processo no Conselho de Ética, sob acusação de manter contas secretas na Suíça com dinheiro desviado da Petrobrás -, ocorreu no mesmo dia da eleição para a Secretaria Nacional da Juventude do PT, na esteira de conflitos internos. Cinco tendências do PT se uniram contra a CNB, corrente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que é majoritária no partido e tem 54% dos assentos no Diretório Nacional. Sob a justificativa de irregularidades no processo eleitoral, porém, os representantes das alas que divergem da CNB resolveram não votar e caminharam até a Esplanada para fazer um protesto. Mesmo assim, Jefferson Lima, o atual secretário da Juventude do PT e integrante da tendência majoritária, foi reeleito por aclamação. Entre as principais reivindicações do grupo dissidente - batizado de "Mudar o PT" no 5º Congresso Nacional do partido, em junho - está a cobrança pela saída do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e a defesa da cassação de Cunha. Durante três dias, o encontro da Juventude do PT também revelou o desencanto com os rumos do governo e da própria legenda. "Estamos fazendo história ao dizer que o caminho do PT está equivocado", observou Tássia Rabelo, 26, uma das participantes do congresso, em Brasília. "O programa eleito em 2014 precisa ser cumprido".