domingo, 31 de maio de 2015

PSDB DO RIO GRANDE DO SUL, QUE CABE EM UMA KOMBI, TERÁ TRÊS CHAPAS À DIREÇÃO DO DIRETÓRIO REGIONAL

Ficou escancarado na noite deste domingo: três chapas vão disputar a presidência do PSDB do Rio Grande do Sul, cuja eleição está marcada para ocorrer no próximo dia 14 de junho. As chapas são as seguintes: 1) o deputado federal Nelson Machezan Jr., com os deputados estaduais Pedro Pereira e Zilá Breitenbach; 2) o deputado estadual Lucas Redecker, com os também estaduais Jorge Pozzobom e Adilson Troca (este é o atual presidente); 3) os fundadores nacionais do PSDB, Tomaz Wonghon e Vicente Bogo. 

China supera os Estados Unidos na importação de petróleo

A liderança da China sobre os Estados Unidos como maior compradora de petróleo bruto do mundo aumentará e isso se deve em grande parte aos "bules de chá". Dezenas de pequenas refinarias, conhecidas no setor como "bules de chá", representam um terço da capacidade de processamento do país asiático. Agora, elas estão se expandindo, pois novas regras quase dobrarão a quantidade de petróleo bruto que as refinarias, entre elas a Shandong Yongxin Energy Group, podem importar. Os Estados Unidos, a maior economia do mundo, têm agora a menor dependência do petróleo estrangeiro desde 1994 e a China está aproveitando a depressão nos preços para expandir seus estoques estratégicos – o que ajudou o país a superar os Estados Unidos como o maior comprador no mês passado. O fluxo de petróleo para a Ásia ajudará a criar um déficit mundial de oferta até o fim do ano, segundo a Sanford C. Bernstein Ltd. “A nova cota de importação de petróleo bruto esperada para os "bules de chá" ajudará a reforçar o apetite da China por petróleo estrangeiro”, disse Gao Jian, analista da SCI International, consultoria com sede em Shandong. As importações de petróleo bruto neste ano superarão o nível de 2014. A China comprou o recorde de 7,4 milhões de barris por dia em abril, uma alta de quase 17% em relação a março e de 3,1% em relação ao recorde anterior, registrado em dezembro, mostram dados alfandegários. Os Estados Unidos importaram cerca de 7,3 milhões de barris diários, segundo dados do governo. A necessidade de petróleo estrangeiro dos Estados Unidos está diminuindo em meio a um recorde de produção doméstica de petróleo. A Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA) prevê que o país importará uma média diária de 6,54 milhões de barris no ano que vem, frente a 6,69 milhões em 2015. Os Estados Unidos receberam 6,99 milhões no ano passado. É possível que a China volte a ficar atrás dos Estados Unidos como maior importadora mundial nos próximos meses devido ao fechamento de refinarias para manutenção. Empresas que respondem por 12% da capacidade de processamento do país programaram fechar unidades durante o segundo trimestre, estimou a ICIS China neste mês. Talvez o país não volte a superar os EUA em uma base anual até 2017, segundo a consultoria de energia com sede em Xangai. O petróleo bruto Brent despencou quase 50% no ano passado porque a Organização de Países Exportadores de Petróleo optou por proteger sua participação no mercado em vez de reduzir a produção em meio à uma superabundância mundial de oferta. A China reagiu redobrando suas compras a fim de preencher suas reservas de emergência. Cinco refinarias estatais têm licenças para importar petróleo, mas as companhias independentes precisam de aprovação especial do governo. Em 2012, a China National Chemical Corp. se transformou no primeiro "bule de chá" a receber permissão para importar, com uma cota de 10 milhões de toneladas por ano. A Guanghui Energy Ltd. foi a primeira empresa não estatal, quando recebeu uma alocação de 200.000 toneladas para 2014. É provável que os "bules de chá", a maioria dos quais está na província de Shandong, no leste do país, recebam cotas de até 30 milhões de toneladas de petróleo estrangeiro em 2015, segundo a China International Capital Corp., banco de investimentos com sede em Pequim. A cifra equivale a cerca de 600.000 barris por dia. Os "bules de chá" também estão empregando mais petróleo bruto porque estão substituindo o óleo combustível, que produz gasolina e diesel de menor qualidade. O petróleo bruto respondeu por quase 70% das matérias-primas utilizadas pelas refinarias no ano passado, comparado com 53% em 2011, segundo a SCI International. “Nos últimos dois anos, as refinarias independentes da China empreenderam uma transição notável para utilizar petróleo bruto como matéria-prima, já que gera melhores retornos”, disse Li Li, diretora de pesquisa e estratégia da ICIS China.

Dilma nomeia cunhada de Romero Jucá para tribunal eleitoral em Pernambuco

A presidente Dilma Rousseff nomeou a advogada Érika Barros Lima Ferraz para vaga de juíza eleitora do Tribunal Regional Eleitoral. Érika é cunhada do senador Romero Jucá (PMDB-RR). Ela é casada com o empresário Álvaro Jucá, irmão do senador. A nomeação foi publicada no Diário Oficial de sexta-feira.

Lula fará viagem à Itália para falar de fome

O ex-presidente Lula X9 viajará à Itália na próxima quarta-feira (3) para participar de eventos nos quais discursará sobre fome e pobreza, além de se reunir com o primeiro-ministro do país, Matteo Renzi. Na quinta-feira (4), será recebido por Renzi no Palácio Chigi, em Roma, às 13h locais (8h de Brasília). No dia seguinte, Lula X9 irá discursar na sessão de encerramento do Fórum de Ministros da Agricultura da Expo Milão 2015, cujo tema é "Para além da Expo - A Agricultura para Alimentar o Planeta". Já no sábado (6), Lula X9 participa da 39ª Conferência da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), cujo presidente é o brasileiro José Graziano da Silva. Também consta na agenda do ex-presidente um encontro no domingo (7) com jovens no âmbito do evento "Rome 4 the Planet" ("Roma para o Planeta"), organizado pela Prefeitura da capital italiana. Antes de morrer, o advogado petista Marcio Thomaz Bastos havia aconselhado que Lula X9 não viajasse à Europa, para não correr risco de ser preso, assim como foi o ditador chileno Augusto Pinochet, em face das investigações que se desenvolvem em torno da falência fraudulenta do grupo financeito Espírito Santo, de Portugal. Este grupo está envolvido no escândalo do Mensalão do PT, por pagamento de propina por meio de subsidiária de Macao.

Termos da delação do empreiteiro propineiro Ricardo Pessoa são definidos

O empresário Ricardo Pessôa, apontado como chefe do “clube” que atuava em contratos fraudulentos com a Petrobras, concluiu a negociação dos detalhes de sua delação premiada. O grupo de trabalho da Procuradoria Geral da República que atua na operação Lava Jato e a defesa do empresário, dono da construtora UTC, fizeram os ajustes solicitados pelo relator do processo no Supremo Tribunal Federal, ministro Teori Zavascki, para homologar o acordo de delação. Pessoa decidiu colaborar com a Justiça para tentar obter a redução de uma eventual pena. Conforme advogados que trabalham no processo, os ajustes reivindicados por Zavascki foram apenas na redação do acordo, para não permitir dupla interpretação em termos da delação, que ainda é sigilosa. A negociação será validada pelo Supremo porque, em seus depoimentos, o dono da UTC citou autoridades que têm foro privilegiado. Além de se comprometer a contar detalhes do esquema, Pessoa prometeu devolver parte dos recursos desviados da estatal. Preso pela Polícia Federal em novembro do ano passado, na sétima fase da Lava Jato, Pessoa foi autorizado, no fim de abril, a ficar em regime de prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. Para viajar a Brasília para negociar os termos da delação, ele teve de solicitar autorização ao juiz federal Sérgio Moro. O dono da UTC desembarcou na capital federal na última segunda-feira. No dia seguinte, ele começou a prestar depoimentos da delação na sede da Procuradoria.

Maduro abate e avião e mata dois traficantes brasileiros, e a petista Dilma não diz nada

Um avião com dois traficantes brasileiros a bordo foi abatido pela Força Aérea Venezuelana na madrugada do último domingo (24) no espaço aéreo do país vizinho, divulgou o Ministério para Relações Interiores, Justiça e Paz da Venezuela. Klender Hideo de Paula Ida, de 24 anos, e Fernando César Silva Da Graca, de 32 anos, morreram no local e mais de 600 tabletes de cocaína foram encontrados na aeronave. O avião bimotor modelo Embraer EMB-820C, de prefixo PT-RCN, teria partido da Colômbia com a cocaína e se dirigia para alguma ilha do Caribe para depois levar a droga para os Estados Unidos ou para a Europa. A aeronave foi derrubada no município de Ricaurte, no Estado venezuelano de Cojedes. Ele estava sendo pilotado por Klender Hideo, segundo autoridades. E aí, Dilma não vai endurecer com Maduro? O que difere esses dos traficantes dos dois fuzilados na Indonésia?

Dilma passeia de bicicleta por Brasília sem ser reconhecida

Depois de emagrecer 15 quilos com a dieta Ravena, a presidente petista Dilma Rousseff resolveu pedalar para manter a forma. Na manhã deste sábado (30), ela deu uma volta de bicicleta durante meia hora nos arredores do Palácio da Alvorada, sua residência oficial. De calça legging preta, camiseta branca, jaqueta esportiva preta, tênis branco e capacete, a presidente deixou o Alvorada por volta das 9 horas e pedalou sem ser reconhecida entre os carros. Evidentemente, foi uma jogada de marketing. E chamaram uma equipe jornalística, da TV Record, para documentar o fato. Os marqueteiros de Dilma só se esqueceram que ela pode ser condenada por pedaladas fiscais e perder o mandato por conta disso. E foram justamente mostrar que ela é do ramos de pedalada. No México, nesta semana, Dilma disse que sua receita de vida saudável envolve caminhada, musculação, bicicleta e boa alimentação. Na ocasião, ela afirmou que a restrição à bebida alcoólica deixa a vida "muito ruim", mas defendeu a moderação. Todos que conhecem Dilma sabem que ela sempre teve grande intimidade com o copo. E também com o fumo.

DEM e PTB desistem de fusão

O prazo para democratas e petebistas anunciarem a fusão venceu, no último dia do mês de maio, mas o anúncio será o de que os diálogos foram encerrados e cada um tocará suas vidas da sua maneira. A discussão da união do DEM com o PTB, iniciada em março deste ano, chegou ao fim com um resultado amargo para partidários de ambas às legendas que enxergavam um fortalecimento da nova sigla no Congresso Nacional e, consequentemente, nas eleições de 2016 e 2018. Entre os beneficiados estaria o prefeito de Salvador e um dos principais articuladores da fusão, ACM Neto (DEM). O democrata participou ativamente dos diálogos, mas deixou a mesa de negociação antes mesmo de se esgotar todas as possiblidades. Na prática, os democratas queriam permanecer na oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT). A falta de entendimento, inclusive nas nomeações para os comandos dos diretórios nos Estados, gerou insatisfações em ambas as partes. O secretário-geral do PTB, deputado Campos Machado, chegou a se queixar de possíveis exigências feitas pelos democratas. “A conversa é sobre fusão, mas alguns democratas pensam em apropriação. Isso, no Código Penal, configura apropriação indébita”, disse. Já o presidente nacional do DEM, senador Agripino Maia, que iria para a presidência do Instituto Presidente Tancredo Neves, voltou atrás e tentou renegociar as regras estabelecidas para a formação da Executiva Nacional do novo partido. “Não se pode pensar em fusão, se não tiver uma democracia interna. No nosso partido, a direção é conduzida por aqueles que têm votos no partido, pelos deputados, senadores. E queríamos continuar com essa prática, de que os congressistas pudessem participar da gestão do partido. Sem representação popular, não se tem democracia. A questão é de convicção de que o novo partido teria uma convivência democrática interna que não fosse prejudicar os interesses”, defendeu o presidente estadual do DEM, o deputado federal José Carlos Aleluia.

Lula diz que nova candidatura depende de reação de Dilma

O ex-presidente Lula X9 disse a aliados que só teria condições de ser candidato do PT e concorrer nas eleições de 2018 caso a avaliação da presidente Dilma Rousseff melhore e, então, ele tenha um legado para defender junto ao seus eleitores. Ele está preocupado com a crise política que atinge sua sucessora. Amigos e aliados de Lula relataram que o ex-presidente citou as eleições presidenciais de 1994, quando Leonel Brizola perdeu para o nanico Enéas Carneiro, terminando em quinto lugar. Esse fato ilustra o medo de Lula do que pode acontecer em 2018. Lula X9 diz que não adianta pensar que ganharia votos apenas por ter decidido se candidatar, pois o eleitor olha para o futuro e não para o passado. Para se candidatar, então, Lula considera que o governo precisa ter uma avaliação, no mínimo, regular. Caso contrário, o PT deve escolher outro nome como candidato. Lula X9 teria, inclusive, apresentado esses argumentos a Dilma. No entanto, aliados ponderam que Lula X9 tem se colocado como responsável pelo projeto petista e, como tal, a possibilidade de ver seu legado terminar dessa forma mexe com ele. A esperança do ex-presidente é que, após o lançamento do plano de concessões prometido para 9 de junho, Dilma organize uma agenda positiva e consiga melhorar sua imagem.

Paul McCartney deixou de fumar maconha para não dar mau exemplo aos netos

O ex-Beatle Paul McCartney, que foi preso no Japão nos anos 80 por posse de maconha, já não fuma a erva para "não dar mau exemplo" aos seus filhos e netos, segundo disse em entrevista ao jornal "The Daily Mirror". O músico, de 72 anos, assegura que "há muito tempo" não fuma um "baseado" e explica que agora prefere relaxar com uma taça de vinho. "Já não faço. Por quê? A verdade é que não quero dar um mau exemplo para meus filhos e netos. Agora é uma questão de paternidade", declara. "Antes, eu era simplesmente um tipo que andava por Londres e as crianças eram pequenas, portanto o que tentava era não fazer diante deles", afirmou na entrevista ao jornal. "Ao invés de fumar um baseado, agora tomo uma taça de vinho ou uma boa margarita. A última vez que fumei foi há muito tempo", assegura. De acordo com Paul, foi o cantor americano Bob Dylan que lhe apresentou a maconha em agosto de 1964. Sua predileção pela droga chegou às manchetes dos jornais em janeiro de 1980, quando o músico foi detido no Japão depois que os agentes alfandegários descobriram que Paul portava 225 gramas de erva em sua bagagem. O músico passou dez noites em uma prisão japonesa antes de ser libertado e deportado, graças à pressão de seus admiradores. Seu consumo regular de cannabis também foi utilizado como argumento por sua ex-esposa Heather Mills durante a audiência de divórcio em 2008. Na entrevista ao jornal, o ex-Beatle, pai de cinco filhos e avô de oito, explica também o segredo de seu saudável aspecto físico. Assim, segundo detalha, vai quase diariamente à academia, exercita sua flexibilidade durante vários minutos e utiliza o creme hidratante de sua terceira esposa, Nancy, de 55 anos, com quem se casou em 2011.

Deputados recorrem ao STF contra aprovação de doações pela Câmara

Chamados de "chorões" pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), 61 parlamentares afirmam terem entrado no Supremo Tribunal Federal com mandado de segurança para derrubar a emenda que inclui o financiamento privado de campanha na Constituição, aprovada na quarta-feira (27) em primeira votação. O grupo é formado por deputados do PT, PSB, PCdoB, PPS, PSOL e Pros, os perdedores, que querem agora ganhar no tapetão. Na ação, eles alegam que Eduardo Cunha colocou em votação, na quarta-feira, com um texto ligeiramente diferente, a mesma emenda que tinha sido rejeitada no dia anterior. A Constituição proíbe que a mesma matéria seja votada duas vezes no mesmo ano. A aprovação da proposta, que teve o apoio de 330 dos 513 deputados, provocou críticas pesadas do grupo de parlamentares. Em resposta a eles, o presidente da Câmara disse que o recurso ao STF era choro de perdedor.

Governador petista de Minas Gerais diz que investigar primeira-dama é um erro

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), chamou de "erro clamoroso" a investigação de uma empresa da primeira-dama na Operação Acrônimo, da Polícia Federal, e disse que apresentará esclarecimentos ao órgão que permitirão excluir Carolina Oliveira do inquérito. O petista Fernando Pimentel convocou a imprensa para uma entrevista no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, na tarde de sábado (30). Ele disse que o mandado de busca e apreensão no apartamento alugado em Brasília em nome de sua mulher foi expedido com base em uma fundamentação inverídica. "O mandado de busca e apreensão foi expedido com base numa alegação, numa definição inverídica, absolutamente inverídica. Portanto, a Carolina está sendo vítima de um erro, um equívoco que eu tenho certeza que vai ser corrigido", disse. Abatido, o petista Fernando Pimentel afirmou que prestava esclarecimentos à opinião pública não como governador, mas como cidadão, e que, nesta segunda-feira (1º), irá apresentar à Polícia Federal os documentos necessários para que Carolina seja excluída do inquérito. "Os esclarecimentos que vamos levar às autoridades competentes, ao juiz, ao Ministério Público e à própria Polícia Federal são mais do que suficientes para permitir a exclusão da Carolina desse inquérito", disse. Pimentel disse ainda que não acredita que haja "má-fé" por parte da Polícia Federal na investigação e que confia na Justiça brasileira. Carolina não participou da coletiva, segundo o governador, por orientação médica, já que está grávida e teria ficado muito abalada com os fatos recentes. O advogado de Carolina Oliveira, Pierpaolo Bottini, negou que a Oli Comunicação, que pertence à sua cliente, seja uma empresa de fachada, conforme aponta relatório da Polícia Federal. A Oli Comunicação é investigada sob suspeita de ter sido usada por um grupo criminoso que atuaria em campanhas políticas do PT. Bottini disse que a firma nunca prestou serviços para empresas públicas nem para partidos políticos e que esteve ativa apenas de 2012 a 2014. Ele afirmou que a empresa ocupou o imóvel até julho de 2014 e que, depois, uma das firmas do empresário Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, preso na sexta-feira (29) pela Polícia Federal sob suspeita de associação criminosa, funcionou no mesmo endereço. Bené, como é conhecido, atua no ramo de gráfica, publicidade e organização de eventos e é ligado ao PT e ao governador Fernando Pimentel. Desde 2005, suas empresas receberam ao menos R$ 525 milhões em contratos com o governo federal petista. Durante a operação, a Polícia Federal fez buscas em um apartamento em Brasília usado até o ano passado como residência da mulher do petista Fernando Pimentel. Um levantamento apontou entre os principais clientes das empresas de Bené os ministérios da Saúde, com R$ 105 milhões, das Cidades (R$ 56 milhões) e do Desenvolvimento Social (R$ 21 milhões). Na campanha de Fernando Pimentel de 2014, o PT pagou R$ 3,2 milhões por serviços prestados pela gráfica de Bené.

Presidente da Câmara avisa que redução da maioridade penal será votada até o fim de junho


O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou neste domingo, em seu perfil no Twitter, que vai colocar em votação até o fim de junho a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que diminui de 18 para 16 anos a maioridade penal no País. O peemedebista disse que a comissão especial da redução da maioridade penal deve concluir os trabalhos até dia 15 de junho e, imediatamente, a proposta será levada a plenário. “Além dessa polêmica, teremos ainda muitas outras, já que não vamos deixar de levar a votação matéria porque um grupo do PT não quer”, disse Cunha, afirmando que a redução da maioridade penal estava parada há mais de 20 anos e “tiramos da gaveta”. “O PT não quer a redução da maioridade e acha que todos têm de concordar com eles”, postou o presidente da Câmara, que, neste domingo, escreveu também uma série de mensagens sobre reforma política, em que diz ser choro dos deputados a ação no STF contra emenda da reforma política. Cunha disse defender um referendo sobre a questão para que se faça um grande debate e afirmou que a consulta poderia acontecer junto com as eleições de 2016. A discussão sobre a redução da maioridade penal esquentou com a morte do médico Jaime Gold. Ele andava de bicicleta na Lagoa, quando foi assaltado e esfaqueado, supostamente, por adolescentes. 

Petrobras estuda vender campos de petróleo nos Estados Unidos

A Petrobras pode colocar à venda parte dos campos de petróleo que possui no golfo do México, nos Estados Unidos. No total, os ativos companhia na região estão avaliados em US$ 8 bilhões. A estatal contratou o BNP Paribas para conduzir o negócio, mas ainda não iniciou o processo de venda. Os técnicos da Petrobras estão discutindo com o assessor financeiro se vale a pena vender agora e o tamanho da fatia a ser oferecida ao mercado. É provável que a companhia não saia totalmente da região. A Petrobras possui participação em sete campos de petróleo no golfo do México, cinco que já produzem e dois em fase exploratória. A estatal só atua como operadora em Cascade e em Chinook, que respondem pela maior parte do óleo que extrai nos Estados Unidos desde 2012. A companhia brasileira também possui fatias minoritárias nos campos de St. Malo, Lucius, Hadrian South, Hadrian North e Tiber. Os três primeiros começaram a produzir nos últimos meses. Não é a primeira vez que a Petrobras tenta vender seus ativos nos Estados Unidos. Em 2012, a então presidente da empresa, Graça Foster, chegou a dizer publicamente que estava muito perto de fechar negócio. Na época, a estatal queria vender uma parte dos blocos e levantar entre US$ 4 bilhões e US$ 6 bilhões para investir no pré-sal. Mas o negócio não foi para a frente, porque a Petrobras exigia que o comprador levasse todos os blocos. Desta vez, os compradores devem ter mais flexibilidade para escolher os ativos em que estão interessados. Além disso, as petroleiras voltaram a se interessar pelos Estados Unidos, uma das poucas economias do mundo com boa expectativa de crescimento. Se o processo avançar, os blocos de petróleo nos Estados Unidos vão se juntar a um amplo grupo de ativos que a estatal colocou à venda para reduzir sua dívida: blocos no pré-sal, termelétricas, distribuidoras de gás e postos de gasolina, entre outros. Pessoas envolvidas no processo de venda desses ativos acreditam que o valor total do patrimônio que a estatal está oferecendo ao mercado já chegue a US$ 20 bilhões. 
Oficialmente, a estatal divulgou que pretende obter US$ 13,7 bilhões com a venda de ativos neste ano e no próximo, mas que esse valor pode sofrer alterações. De acordo com essas fontes, a Petrobras está sendo conservadora em suas estimativas, porque pode encontrar dificuldades para se desfazer de alguns negócios. Já estão em fase mais avançada a venda das distribuidoras de gás e dos blocos de petróleo no Brasil e a abertura de capital da BR Distribuidora. A negociação das usinas termelétricas, no entanto, caminha mais devagar.

Vaiando Jaques Wagner

Jaques Wagner usou a internet para comentar os episódios de hostilidade contra membros do PT, como Guido Mantega e Alexandre Padilha. Ele disse:
"Tenho visto com muita preocupação manifestações recentes de ódio e intolerância contra simpatizantes e representantes do PT... Em aeroportos, hospitais e restaurantes, brasileiros que não concordam com nosso projeto estão se sentindo à vontade para nos agredir. Não podemos aceitar isso. Temos que reagir, mas não usando as armas deles".
Segundo Jaques Wagner, é preciso ter orgulho de ser petista: "De cabeça erguida, peito estufado e sonhos renovados, temos que continuar lutando para derrotar o conservadorismo".
Se os leitores cruzarem com Jaques Wagner em algum aeroporto, hospital, restaurante ou obra da OAS, já sabem o que fazer: sintam-se à vontade para vaiar seu peito estufado e seus sonhos renovados. Quanto mais alto, melhor. (O Antagonista)

FORÇA-TAREFA INVESTIGA PROVÁVEL PROPINA AOS PETISTAS ANTONIO PALOCCI E JOSÉ DIRCEU


A força-tarefa da Operação Lava Jato investiga se os pagamentos das empreiteiras WTorre e Engevix por consultorias dos ex-ministros Antonio Palocci e José Dirceu, entre 2007 e 2012, podem ter servido para ocultar propina do esquema de cartel e corrupção na Petrobras em contratos do pré-sal. Os investigadores da Lava Jato têm elementos para acreditar que houve desvios de recursos da Petrobras na construção do Estaleiro Rio Grande (RS), iniciada em 2006, e nos contratos fechados para produção de cascos de plataformas e sondas de exploração de petróleo no local, a partir de 2010. A WTorre foi quem construiu o Estaleiro Rio Grande, a partir de 2006. Em 2010, vendeu seus direitos no negócio para a Engevix. Nos períodos em que foram contratadas pela Petrobras, as empresas tinham como consultores o "porquinho" petista Antonio Palocci e o bandido petista mensaleiro Jose Dirceu. A suspeita do Ministério Público Federal e da Polícia Federal é de que os dois ex-ministros possam ter sido elos do PT no esquema de corrupção envolvendo o negócio. O ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto já foi apontado por delatores como operador da propina em parte desses contratos. A empresa de Palocci, a Projeto Consultoria, foi contratada pela WTorre entre 2007 e 2010. O ex-ministro informou ter prestado quatro palestras aos diretores da empresa em 2007 e duas em 2010 cada uma por R$ 20 mil. A WTorre afirmou que os serviços foram palestras sem relação com a Petrobrás. Apresentou 18 notas fiscais, que totalizaram R$ 350 mil, emitidas pela Projeto, em 2007, 2008, 2009 e 2010. A partir de 2010, o negócio envolve a Engevix - empresa denunciada por corrupção na estatal em contratos de refinarias. A aquisição do estaleiro fez parte de um contrato de US$ 3,4 bilhões. Em 2011, o grupo fechou outro negócio no Estaleiro Rio Grande: a construção de três navios-sondas para a Sete Brasil, empresa criada pela Petrobrás em parceria com fundos de pensão e bancos para explorar o pré-sal. Quebra de sigilo fiscal obtida pela Lava Jato mostrou que entre 2008 e 2012 a JD Assessoria e Consultoria, do bandido petista mensaleiro José Dirceu, recebeu R$ 2,6 milhões da Engevix, uma parte paga pela empresa e outra por meio da Jamp Engenheiros Associados, do lobista Milton Pascowitch. O ex-ministro e a empresa negam que os pagamentos tenham sido referentes ao negócio com a Petrobras.

Corrupção, recessão e racha interno vão destruir o PT


A combinação é mortal. Não há como escapar. O PT está caminhando para a destruição. Não há milagres a fazer. Envolvido no mar de lama do petrolão, com o tesoureiro preso e as denúncias chegando cada vez mais perto de Lula e Dilma, o partido tenta tirar coelhos da cartola. Só que a cartola virou um chapéu velho de palha. A recessão é inevitável. Ou segue a receita do FMI de ajuste fiscal sem precedentes, tirando direitos dos trabalhadores, ou perde o grau de investimento e a economia vira pó. Porque o partido não tem coragem de cortar 110.000 cargos comissionados e nem fechar a metade de 39 ministérios. Não corta a própria carne. Corta a carne dos brasileiros mais pobres. Com isso, o partido começa a rachar, comandado por Lula, que quer voltar em 2018 e sabe que, com o fracasso de Dilma, a derrocada do PT já começará nas eleições de 2016. Quem vai querer manter o PT no poder em prefeituras como São Paulo, por exemplo? Quanto mais nas pequenas cidades, afundadas em dívidas e na falta de repasses para saúde, educação e programas sociais. Na segunda quinzena de junho, o PT realiza seu congresso nacional, onde o racha interno vai se evidenciar. Para tentar vencer a mistura explosiva e destrutiva de corrupção e recessão, seus líderes buscarão o contraponto em saídas mágicas que não existem mais. O resultado mostrará um partido sem rumo e sem saída. Rumo, finalmente, à autodestruição. Abaixo, matéria do Estadão.

O Palácio do Planalto iniciou uma ofensiva para conter a hostilidade contra o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, no 5.º Congresso do PT, que ocorrerá de 11 a 13 de junho, em Salvador (BA). Preocupados com o tom da resolução política a ser aprovada no encontro, no momento em que o PT e o governo enfrentam sua mais grave crise, ministros petistas procuraram dirigentes do partido e pediram cautela nas manifestações anti-Levy. Desde que foram escancaradas as divergências entre o titular da Fazenda e o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na esteira da divulgação do corte no Orçamento - que ficou em R$ 69,9 bilhões -, a presidente Dilma Rousseff procura abafar os ruídos na equipe. O receio do Planalto, porém, é que o PT jogue mais combustível na crise durante a reunião de Salvador, provocando desconfianças e agitando novamente o mercado financeiro. Convocado para debater o programa do PT e atualizar o projeto do partido, em meio a sucessivos escândalos de corrupção, o congresso petista deve ser tomado, na prática, por críticas à gestão de Dilma e pressões por mudanças na política econômica. Nos bastidores, parlamentares do PT chamam Levy de “Chicago Boy”, numa referência à Universidade de Chicago, identificada com a visão neoliberal, onde Levy se graduou Ph.D. Ex-secretário do Tesouro no governo Lula, Levy é considerado pela maioria do PT como a encarnação do mal por causa de suas ideias “ortodoxas”.  Embora o PT esteja dividido sobre a conveniência de pedir a cabeça do ministro, a avaliação predominante no partido é que o modelo de ajuste fiscal adotado porá a economia nas cordas, tornando o crescimento inviável. O diagnóstico é que a tesourada nos gastos, o corte de programas sociais e as restrições criadas a direitos trabalhistas, como seguro desemprego, travam o desenvolvimento e afastam ainda mais o PT de sua base social.  A disputa que atiça o PT nesta temporada é pelos rumos do governo Dilma pós-ajuste e por maior protagonismo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na distante relação com o Planalto. Acuado, o partido também tenta reagir para salvar sua imagem, ainda mais abalada após a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que culminou com a prisão do então tesoureiro João Vaccari Neto. Nesse cenário, nove entre dez petistas recorrem ao ministro Nelson Barbosa, visto como “desenvolvimentista”, na tentativa de criar um contraponto a Levy. O movimento contraria Dilma - que decidiu prestigiar o titular da Fazenda - e preocupa a equipe de Barbosa. Inflado pelo PT, o titular do Planejamento teme sair enfraquecido do embate.  Queda de braço. O confronto reedita uma queda de braço travada no primeiro mandato de Lula, tendo à época Antonio Palocci (Fazenda) na linha de tiro. Em novembro de 2005, Dilma, então chefe da Casa Civil, chegou a chamar de “rudimentar” o ajuste fiscal de longo prazo proposto por Palocci. Agora, no entanto, não esconde o aborrecimento com o “fogo amigo”. “É possível que existam críticas ao ministro Levy e as divergências são normais, mas o PT deve entender que o próprio projeto do partido passa pelo sucesso do governo Dilma”, disse o líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS). “Não podemos, depois de todo o esforço para aprovar as medidas provisórias do ajuste, dar motivos para insegurança.” Em conversas reservadas, Lula não esconde o desconforto com a inflexão na economia e a demora do governo em virar a página do ajuste fiscal, criando uma agenda positiva. Lula está aflito por entender que, se a rota não for corrigida a tempo, o PT sentirá ainda mais o peso do desgaste nas eleições municipais de 2016, podendo sucumbir na disputa presidencial de 2018.  No Planalto, dois ministros fazem hoje a “ponte” entre o governo, a direção do PT e os movimentos sociais. Um deles é Edinho Silva, titular da Secretaria de Comunicação Social. O outro é Miguel Rossetto, que comanda a Secretaria-Geral da Presidência. Próximo a Dilma, Aloizio Mercadante (Casa Civil) distanciou-se da cúpula petista.  Assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia ajudou a redigir o manifesto da tendência Construindo um Novo Brasil (CNB), que será apresentado no congresso do PT. Assinado pela corrente majoritária, integrada por Lula, o documento faz uma autocrítica, no rastro dos escândalos de corrupção - do mensalão à Petrobrás - e diz que o partido precisa se “reinventar”. O que mais chama a atenção no texto, porém, são os ataques à política econômica conduzida por Levy.“Não se pode fazer da necessidade de sanear a situação fiscal a ocasião para a apologia de uma política econômica conservadora, cujas consequências bem conhecemos”, assinala o documento. Para o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), a estratégia central do governo tem de ser o crescimento, e não o ajuste fiscal. “Não podemos ficar nesse samba de uma nota só”, insistiu Lindbergh, após votar contra a MP que dificultou o acesso ao seguro-desemprego. “Não é só o governo Dilma que está em jogo. É o nosso futuro, do PT e da esquerda.” O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), discorda do colega. “Levy faz o que Dilma pede. Então, quem critica Levy está criticando Dilma”, argumentou Guimarães. “Uma coisa é criticar o ajuste e outra é pedir a cabeça do ministro. Isso não dá para aceitar.” (CoroneLeaks e Estadão)