terça-feira, 9 de setembro de 2014

NORUEGA VAI "EXPORTAR" SEUS DETENTOS PARA PRISÕES DA HOLANDA

O governo da Noruega planeja enviar prisioneiros para presídios da Holanda, como forma de evitar a superlotação carcerária e realizar trabalhos de manutenção nas penitenciárias norueguesas. A idéia é alugar 300 vagas em prisões da Holanda, que já recebem detentos da Bélgica desde 2009. Pelo acordo, guardas holandeses irão vigiar os detentos, mas o diretor da unidade será norueguês. Nenhum detento em regime de alta segurança será transferido. Embora registre índices de criminalidade baixos, a Noruega apresenta um déficit de vagas em seu sistema prisional. Cerca de 1.300 condenados aguardam lugar nas penitenciárias para cumprir pena (no Brasil, o déficit de vagas passa de 210 mil, só no Rio Grande do Sul há um déficit de 40 mil vagas). No ano passado, um levantamento apontou a necessidade de obras de manutenção em unidades prisionais, o que deve custar quase 1,6 bilhão de reais e pode agravar o déficit de vagas. “A situação é de urgência e precisamos considerar medidas de curto prazo. Alugar a capacidade de prisões estrangeiras pode aliviar a situação. É por isso que iniciamos negociações com a Holanda”, afirmou o ministro da Justiça da Noruega, Anders Anundsen. Antes de procurar a Holanda, o governo norueguês chegou a conversar com a Suécia, mas as negociações foram canceladas após Estocolmo constatar que a operação exigiria uma reforma em sua legislação. Na Noruega, a taxa de reincidência de criminosos é de 20%, uma das mais baixas do mundo. O país também é conhecido por oferecer boas condições aos presos. Essa postura, no entanto, pode dar lugar a exageros. No ano passado, o governo norueguês foi criticado por ter garantido ao terrorista Anders Behring Breivik, responsável pelo massacre de 77 pessoas em 2011, o direito de estudar ciências políticas durante o cumprimento de sua sentença.

IBOPE NO RIO DE JANEIRO: DEPOIS DA "REVOLUÇÃO" DOS SOCIALISTAS E ANARQUISTAS DA VIEIRA SOUTO, VOTOS DO CAMPO CONSERVADOR SOMAM 58%; ESQUERDA SOMA ...... 11%

No Rio de Janeiro, vai se cumprindo o óbvio, tantas vezes antevisto aqui. Bem, se querem saber, dos males possíveis, que dê o menor, que vem na forma de um aumentativo. O diminutivo poderia ser bem mais devastador.

Segundo o Ibope, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) ganhou sete pontos em uma semana e, com 26% dos votos no primeiro turno, já aparece numericamente à frente de Anthony Garotinho (PR), que oscilou de 27% para 25%. Marcelo Crivella, do PRB, mantém os mesmos 17%. Outro dado relevante é o naufrágio do petista Lindbergh Farias, do PT, que agora passou para um dígito, indo de 11% para 9%. Tarcísio Motta, do PSOL, tem 2%, 14% dizem anular o voto, e 6% afirmam não ter definido um nome.
O Ibope fez uma simulação do segundo turno, e, conforme o esperado, a rejeição a Garotinho faz o trabalho em favor de seu adversário: Pezão o venceria por 40% a 33%. Dizem que não votariam no candidato do PR de jeito nenhum nada menos de 39% dos eleitores. O segundo mais rejeitado é Pezão, com apenas 18%.
A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-567/2014 e ouviu 1.806 eleitores entre os dias 5 e 8 de setembro em 56 municípios. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.
Senado
Na disputa para o Senado, pode ter aumentado a diferença em favor de Romário, do PSB, que, segundo o Ibope, tem 44% — há uma semana, 40% —, seguido por Cesar Maia, que passou de 19% para 21%.
O clima e o resultado
Tudo caminha, no Rio de Janeiro, para uma vitória de Luiz Fernando Pezão. Escrevi isso aqui há muito tempo. Para quem confunde protestos de minorias extremistas com vontade popular, o resultado pode ser surpreendente. De fato, não é.
Vamos ver. Sérgio Cabral deixou o governo debaixo de vara, com uma das rejeições mais altas do País. Parecia que as “Sininhos” da vida representavam a vontade do povo fluminense. Como se vê, nada mais falso.
O mais à esquerda dos candidatos, Lindbergh, “já” está com 9%. Se formos somar o campo, digamos, mais conservador (sem debater a qualidade desse conservadorismo), há nada menos de 68% dos votos.
E se destaque, mais uma vez, o retumbante desastre do petista, a segunda maior aposta de Lula nas disputas estaduais. A outra era Alexandre Padilha, em São Paulo, que está com… 8%.
Eis o verdadeiro tamanho dos “revolucionários” do Rio de Janeiro: conservadores 58% x esquerdistas 11%. Esses 11% representam mais ou menos o tamanho dos “progressistas” abastados. Por Reinaldo Azevedo

DISPUTA É ACIRRADA NO RIO DE JANEIRO: GAROTINHO 26% E PEZÃO 25%

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (9) aponta para uma disputa apertada para governo de Rio de Janeiro: Anthony Garotinho e Luiz Pezão estão tecnicamente empatados e podem disputar o segundo turno em outubro
Anthony Garotinho (PR) – 26%
Luiz Fernando Pezão (PMDB) – 25%
Marcelo Crivella (PRB) – 17%
Lindberg Farias (PT) – 9%
Dayse Oliveira (PSTU) – 0%*
Ney Nunes (PCB) – 0%*
Brancos e nulos: 14%
Não sabe: 6%
A pesquisa está registrada registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro sob registro nº RJ-00033/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo nº BR-00567/2014.

IBOPE: SKAF CAI 5 PONTOS, E ALCKMIN VENCERIA NO 1º TURNO COM FOLGA AINDA MAIOR; SERRA LIDERA PARA O SENADO. OU: O DISCURSO DA SECA E A SECURA DE VOTOS

Saiu uma nova pesquisa Ibope para o governo de São Paulo. Skafistas, se é que isso existe, e petistas continuam sem razões para comemorar. Na verdade, estando certos os números, eles têm muito a lamentar. Em uma semana, segundo o instituto, o candidato do PMDB caiu de 23% para 18%; o tucano Geraldo Alckmin oscilou dentro da margem de erro, que é de dois pontos, e passou de 47% para 48%. Alexandre Padilha, do PT, que tinha 7%, aparece agora com 8%. Os demais candidatos somam 3%. Os brancos e nulos são 11%, mesmo índice dos que não sabem em quem votar.

O candidato tucano venceria a disputa no primeiro turno, com 19 pontos de vantagem sobre a soma dos demais candidatos. Mesmo assim, o instituto fez uma simulação de segundo turno: Alckmin venceria Skaf por 53% a 26%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-56/2014, foi realizada entre os dias 4 e 9 de setembro e ouviu de 2.002 eleitores em 97 municípios.
Se Padilha não conquistou o coração do eleitorado pelo sim, ele o conquistou pelo não. O petista segue sendo o mais rejeitado pelo eleitorado: 26% dizem que não votariam nele de jeito nenhum. Seu saldo negativo, portanto, é de 18 pontos. Um portento mesmo.
O governo Alckmin segue sendo bem avaliado pelos eleitores: 42% afirmam que sua administração é ótima e boa. Dizem ser regular 35%, e apenas 18% a avaliam como ruim ou péssima.
Senado
Tudo o mais constante, o petista José Serra vai tirar Eduardo Suplicy do Senado depois de… VINTE E QUATRO ANOS! Nesse período, ele apresentou o projeto da renda mínima, decorou uma música dos Racionais e já aprendeu a cantar Bob Dylan…
Se a eleição fosse hoje, o tucano seria eleito, com 33% dos votos. O petista aparece com 27%, e Gilberto Kassab, do PSD, aparece com 7%.
Pois é… O PT promete um esforço concentrado em São Paulo em favor da Padilha. A coisa, no entanto, parece difícil para o petista. Skaf resolveu endurecer seu discurso contra Alckmin. A estratégia parece contraproducente. A campanha tucana resolveu exibir as suas vinculações políticas, e a sua persona de “não político” disputando um cargo parece ter ido para o brejo.
O resultado não poderia ser pior para Skaf e Padilha. No lugar deles, eu pararia de culpar Alckmin pela seca em São Paulo. Mas, no lugar deles, eu também não ouviria esse meu conselho… Não sei se fui muito sutil. Em suma, o discurso da seca é uma secura de votos. Por Reinaldo Azevedo

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL GAÚCHO DETERMINA AFASTAMENTO DE CHEFE DE CAMPANHA DO DEPUTADO GILMAR SOSSELLA DA SUPERINTENDÊNCIA GERAL DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul determinou nesta terça-feira o afastamento cautelar de Artur Alexandre Souto do cargo do superintendente-geral da Assembleia Legislativa,  por suspeita de crime eleitoral. Ele tem sido chefe de gabinete do deputado Gilmar Sossella (PDT), atual presidente do Poder Legislativo, por muito anos, e é também seu atual chefe de campanha eleitoral. O pedido foi feito pela Polícia Federal, que conduz inquérito para apurar se funcionários foram pressionados a comprar convite para um jantar de campanha do presidente da Casa, deputado Gilmar Sossella (PDT), no valor de R$ 2.500,00. Esta denúncia foi feita originalmente por Videversus, com exclusividade. Artur Alexandre Souto foi um dos que prestaram depoimento à Polícia Federal na semana passada. Além do afastamento, o TRE deferiu o pedido de que Artur Alexandre Souto fique proibido de acessar ou frequentar as dependências da Assembléia. O parlamento também não pode
designá-lo para outro cargo enquanto não for concluído o inquérito. Na decisão do TRE também constou que, apesar do afastamento, Souto não terá prejuízo em sua remuneração, ou seja, segue recebendo o valor da cedência do Banco do Brasil para a Assembleia, além de uma "gratificação de confiança". A investigação começou quando a Polícia Federal teve conhecimento de que servidores com Função Gratificada (FG) estavam sendo coagidos a comprar o convite de R$ 2,5 mil. O argumento seria de que a FG rende em torno de R$ 100 mil por ano a seu detentor, além dos ganhos em salário, e, portanto, essas pessoas teriam obrigação de contribuir com a campanha. O inquérito foi aberto dia 27, com autorização da Justiça Eleitoral. Cerca de 12 pessoas da Assembléia Legislativa já foram ouvidas pela polícia.

STJ NEGA RECURSO E MANTÉM CONDENAÇÃO DE JOSÉ ROBERTO ARRUDA

Em mais uma derrota na Justiça, o candidato ao governo do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) teve o recurso contra a condenação por improbidade administrativa negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) nesta terça-feira. Com a decisão, ele continua com os direitos políticos cassados por oito anos e segue enquadrado na Lei da Ficha Limpa, o que torna mais difícil sua tentativa de voltar ao Palácio do Buriti. A defesa de Arruda promete recorrer mais uma vez da decisão. O candidato ainda aguarda uma definição do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre seu futuro político. Por 3 votos a 1, a 1ª Turma do STJ vetou o recurso do candidato que pedia a suspeição do juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública, Álvaro Ciarlini, na condução da condenação de Arruda em primeira instância, em dezembro do ano passado. Para a defesa, Ciarlini não agiu com isenção no caso, dando celeridade ao processo em detrimento a outras ações. Se o ex-governador tivesse o recurso acatado, a condenação em Primeira Instância – e, consequentemente, em Segunda – seria derrubada, o que abriria caminho para ele disputar as eleições ao governo do Distrito Federal sem questionamentos judiciais. Uma decisão favorável no STJ era a principal aposta dos advogados de Arruda. Eles se amparavam em posicionamento semelhante tomado pela corte em maio deste ano, quando acatou o pedido de substituição de Ciarlini apresentado pelo ex-deputado Leonardo Prudente, outro personagem do mensalão do DEM. À época, estava à frente do caso o advogado José Eduardo Alckmin, o mesmo que agora defende Arruda. Os argumentos apresentados foram similares. No entanto, nesta terça-feira, a corte entendeu que o caso era diferente e não deveria ter o mesmo entendimento. Apenas o relator do caso, o ministro Napoleão Nunes Maia, defendeu o afastamento de Ciarlini – e a derrubada do julgamento, em consequência. Maia também analisou o caso de Prudente, quando apoiou o afastamento de Ciarlini. Já os ministros Regina Helena Costa, Sérgio Kukina e Benedito Gonçalves se posicionaram contra a suspeição do juiz. “O magistrado sempre corre o risco de ser criticado pela celeridade. Às vezes somos veladamente censurados porque decidimos com rapidez, como deveria ser em todos os casos”, disse o ministro Kukina. Pelo crime de improbidade administrativa, Arruda foi condenado à perda dos direitos políticos por oito anos, além do ressarcimento de 300.000 reais aos cofres públicos. A decisão foi tomada em dezembro do ano passado pela 2ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal, mas a defesa recorreu e o caso foi parar na segunda instância, que manteve a condenação. O veredicto de segunda instância, tomado por um órgão colegiado, foi responsável por incluir Arruda no rol dos barrados pela Lei da Ficha Limpa. Arruda foi o primeiro governador do país a ser preso após o estouro da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. Pivô das investigações, Durval Barbosa, então Secretário de Relações Institucionais do DF, revelou detalhes do esquema de corrupção, pontuado por desvios de recursos em contratos do governo com empresas de informática e publicidade, cooptação de parlamentares e caixa dois de campanha eleitoral. O delator chegou a gravar vídeos que mostravam Arruda recebendo maços de dinheiro.

DEPUTADO DEFENDE DIVULGAÇÃO PELA POLÍCIA FEDERAL DOS NOMES DELATADOS

O coordenador jurídico da campanha presidencial do PSDB, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), defendeu nesta terça-feira, 09, a divulgação pela Justiça Federal dos nomes dos parlamentares citados em delação feita pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. "O eleitor precisa saber quem são os parlamentares transvertidos de marginais que estão envolvidos. A coisa é séria. Vamos mostrar para o Brasil quem são os envolvidos", disse o tucano. Nesta quarta-feira o presidente da CPMI da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), deve se reunir com líderes partidários para discutirem o andamento das atividades na comissão. "Vou propor irmos até o Paraná para pedir ao juiz o acesso a esses documentos", ressaltou Carlos Sampaio. Outro membro da CPMI que integra a oposição, o deputado Izalci Lucas (PSDB-DF), também adotou a mesma linha do colega de partido. "A população tem que tomar conhecimento antes das eleições de quem está envolvido. Esse esquema é o mesmo que o mensalão; o que mudou é o foco: ao invés de o alvo ser empresa de publicidade, passou a ser a Petrobras", disse. As declarações dos tucanos ocorrem após virem a público alguns nomes de parlamentares citados pelo delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras em depoimento prestado junto a Justiça Federal, no Paraná. Costa teria informado a participação num suposto esquema de pagamento de propina de ao menos 32 deputados e senadores, um governador e um ministro. Pelas informações preliminares, os políticos são de cinco partidos, incluindo do PT e do PMDB, os dois maiores do Congresso, como supostos beneficiários de um esquema de propinas na estatal.

FOGO CRUZADO NA CAMPANHA ELEITORAL: "GOVERNO PAGA BOLSA BANQUEIRO, DIZ MARINA; E DILMA RESPONDE, "NÃO TENHO BANQUEIRO ME SUSTENTANDO"

A presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) e sua adversária do PSB, Marina Silva, trocaram acusações nesta terça-feira, às vésperas da divulgação de uma nova pesquisa de intenção de voto pelo instituto Datafolha – na rodada anterior, elas estavam em empate técnico. O embate começou com a veiculação de uma inserção do PT segundo a qual um eventual governo de Marina "daria poder ao bancos" em referência à proposta de autonomia do Banco Central – a propaganda sugere que, se Marina Silva for eleita, banqueiros terão poder de decisão sobre a vida dos brasileiros. A candidata do PSB rebateu durante agenda de campamnha em Minas Gerais: "Ela disse que iria baixar os juros, e nunca os banqueiros ganharam tanto. Agora, eles que fizeram a bolsa empresário, a bolsa banqueiro, a bolsa juros altos estão querendo nos acusar de forma injusta em seus programas eleitorais". O fogo cruzado não parou por aí; em São Paulo, Dilma retomou a ofensiva: “O Banco Central, como qualquer outra instituição, não é eleito por tecnocratas nem por banqueiros. Sua diretoria é indicada por quem tem voto direto. O Congresso chama o Banco Central e manda prestar conta. Eu não digo isso porque sonhei com isso, mas porque está escrito no programa de autonomia do Banco Central e todo mundo sabe o que é autonomia do Banco Central. Então, não adianta falar que eu fiz bolsa banqueiro. Eu não tenho banqueiro me apoiando”, afirmou Dilma. Marina recebeu 1,6 milhão de reais nos últimos anos com palestras a bancos e empresas. A campanha petista pediu ao Ministério Público Eleitoral que apure eventuais inconsistências entre os rendimentos de Marina e a declaração da candidata entregue à Justiça Eleitoral. Além disso, uma das principais conselheiras da candidata do PSB, Neca Setúbal, é herdeira do Banco Itaú. Segundo a presidente-candidata, com a proposta de Marina para o Banco Central, as taxas de juros e as políticas de crédito serão definidas sem prestação de contas ao Executivo e ao Legislativo. Dilma se negou a comentar a projeção da agência de classificação de risco Moody’s, que indicou o rebaixamento da classificação do País ao deixar nota de crédito brasileira em perspectiva de queda, por causa do mau desempenho da economia. Ela disse apenas que o País “tem todas as condições de se desenvolver” e “não é instável macroeconomicamente”.

MINISTRO ITALIANO ALERTA PARA AMEAÇA DO ESTADO ISLÂMICO

O ministro do Interior italiano, Angelino Alfano, alertou nesta terça-feira para a ameaça potencial que os militantes do Estado Islâmico representam para a Itália e a Europa como um todo, dizendo que o grupo tem a ambição, o financiamento e a mão-de-obra para espalhar o terrorismo de uma forma que nenhuma outra organização jamais fez. Ao Parlamento, Alfano afirmou que 48 pessoas da Itália se voluntariaram para lutar na Síria, dois deles cidadãos italianos. Mesmo não havendo ameaça específica contra o país, o ministro disse: "nós não devemos minimizar o risco de uma ameaça concreta" imposta pelos militantes para "conquistar Roma", dada sua importância para o catolicismo. Em depoimento longo, Alfano revelou que autoridades italianas estão trabalhando com imãs, e monitoram numerosos websites para identificar possíveis tentativas de recrutamento.

PASTOR EVERALDO DIZ QUE DILMA DEVE SAIR JÁ, DEPOIS DA REVELAÇÃO DO PETROLÃO

O candidado do PSC à Presidência da República, pastor Everaldo Pereira, afirmou nesta terça-feira que, diante do megaescândalo de corrupção na Petrobras, a presidente Dilma Rousseff (PT) deveria renunciar ao cargo e à candidatura. Defensor da privatização da estatal, Everaldo disse que "hoje a Petrobras é foco de vergonha nacional". E disparou: "Dilma deveria renunciar à Presidência. A gestora que controla o País não pode deixar isso acontecer, e ela ainda dizer: `Eu não sabia de nada'. Nosso entendimento é que a atual presidente foi responsável por todo esse caos na Petrobras. Não dá para admitir que a cúpula de um partido esteja na cadeia e sejam tratados como heróis pela atual presidente, pelo partido e até pelo ex-presidente. Lamentavelmente, ela deveria sair e agora. É a minha opinião".

PASTOR EVERALDO DIZ QUE DILMA DEVE SAIR JÁ, DEPOIS DA REVELAÇÃO DO PETROLÃO

O candidado do PSC à Presidência da República, pastor Everaldo Pereira, afirmou nesta terça-feira que, diante do megaescândalo de corrupção na Petrobras, a presidente Dilma Rousseff (PT) deveria renunciar ao cargo e à candidatura. Defensor da privatização da estatal, Everaldo disse que "hoje a Petrobras é foco de vergonha nacional". E disparou: "Dilma deveria renunciar à Presidência. A gestora que controla o País não pode deixar isso acontecer, e ela ainda dizer: `Eu não sabia de nada'. Nosso entendimento é que a atual presidente foi responsável por todo esse caos na Petrobras. Não dá para admitir que a cúpula de um partido esteja na cadeia e sejam tratados como heróis pela atual presidente, pelo partido e até pelo ex-presidente. Lamentavelmente, ela deveria sair e agora. É a minha opinião".

MINISTRO DA DEFESA DIZ QUE EBOLA AMEAÇA SERIAMENTE A EXISTÊNCIA DA LIBÉRIA

A existência nacional da Libéria está “seriamente ameaçada” pelo vírus mortal do Ebola, que está “se espalhando como fogo e devorando tudo em seu caminho”, disse o ministro da Defesa do país ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira. A Libéria é a nação do oeste africano mais atingida pela epidemia e provavelmente testemunhará milhares de casos novos nas próximas semanas, afirmou a Organização Mundial da Saúde (OMS) na segunda-feira. Mais de mil pessoas já morreram da doença em solo liberiano. “A Libéria está enfrentando uma ameaça séria à sua existência nacional. O vírus Ebola causou uma interrupção no funcionamento normal de nosso Estado”, declarou o ministro Brownie Samukai. “Agora ele está se espalhando como fogo e devorando tudo em seu caminho. A infraestrutura já frágil do sistema de saúde do país foi sobrecarregada”, afirmou ele ao conselho de 15 membros, acrescentando que a reação internacional inicial “não foi nada robusta”. A enviada especial da ONU para a Libéria, Karin Landgren, disse ao conselho que pelo menos 160 agentes de saúde liberianos contraíram a doença e que metade morreu. Ela descreveu a disseminação do Ebola como “implacável” e alertou que os casos relatados e as mortes na Libéria “subestimam o verdadeiro fardo do Ebola”. “A velocidade e a escala da perda de vidas, e as reverberações econômicas, sociais, políticas e de segurança da crise estão afetando a Libéria profundamente”, declarou ela. “Os liberianos estão lidando com sua maior ameaça desde a guerra”, disse, referindo-se aos dois conflitos entre 1989 e 2003 que mataram cerca de 250 mil pessoas. A OMS informou nesta terça-feira que registrou 4.293 casos do Ebola em cinco países do oeste da África até 6 de setembro e que ainda não tem novas cifras para a Libéria. O surto começou em março na Guiné e se espalhou para Libéria, Serra Leoa, Nigéria e Senegal. Essa é a pior epidemia já registrada desde que a doença foi identificada, na República Democrática do Congo, em 1976, matando 2.296 pessoas. "É imperativo que a comunidade internacional passe a lidar seriamente com os efeitos humanitários, de saúde pública e de segurança deste surto”, afirmou a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Samantha Power. “Não acho que alguém possa dizer neste momento que a reação internacional à epidemia de Ebola está sendo suficiente”, disse Power.

SCHUMACHER CONTINUARÁ RECUPERAÇÃO EM CASA

O ex-piloto Michael Schumacher continua a sua batalha para se recuperar do grave acidente que o deixou em coma por seis meses. Nesta terça-feira (9), a porta-voz do alemão, Sabine Kehm, informou por meio de um comunicado oficial que o heptacampeão de Fórmula 1 apresentou progressos significativos e que continuará o seu tratamento junto da família, em sua própria casa, na Suíça. Kehm ressalta no comunicado que as mudanças em seu estados de saúde não foram as razões para a mudança. O piloto se recupera de forma lenta, porém progressiva. Ela ainda afirma que não foram realizadas obras na residência Schumacher para adequar às suas necessidades. O maior campeão da F1 sofreu um grave acidente enquanto esquiava na estação de Méribel, nos Alpes Franceses, quando bateu a cabeça numa rocha. Após seis meses em coma no Hospital de Grenoble, Schumi foi transferido para o Centro Hospitalar Universitário de Vaud, em Lausanne, em junho.

RELATÓRIO TÉCNICO AFIRMA QUE BOEING DA MALAYSIA AIRLINES EXPLODIU NO AR APÓS SER ATINGIDO POR VÁRIOS MÍSSEIS DOS SEPARATISTAS UCRANIANOS, FORNECIDOS PELA RUSSIA

O avião da Malaysia Airlines, que caiu na Ucrânia, partiu-se em vários pedaços durante o vôo, depois de ter sido atingido por numerosos objetos a alta velocidade (misseis), informa relatório divulgado nesta terça-feira (9) na Holanda. Segundo o documento, "o vôoo MH17 partiu-se no ar, provavelmente em consequência de danos estruturais causados por grande número de objetos de alta energia que entraram no avião procedentes do exterior". O relatório preliminar lembra que o desastre matou 298 pessoas, a maioria de nacionalidade holandesa. O relatório de 34 páginas, divulgado quase dois meses depois do acidente, também informa que o Boeing 777-200 estava em boas condições para voar, era operado por uma tripulação qualificada e experiente e não havia problemas técnicos. O documento diz que o fato de o avião ter sido atingido por múltiplos objetos a grande velocidade "explica o abrupto fim dos registos de dados, a simultânea perda de contato com o controle de tráfego aéreo e o desaparecimento do radar". O Boeing explodiu no ar quando passava pela Ucrânia, durante vôo entre Amsterdã e Kuala Lumpur no dia 17 de julho, matando todos os passageiros e tripulantes, dos quais 193 holandeses. Kiev e as principais potências ocidentais acusam os separatistas pró-russos de terem abatido o avião com mísseis fornecidos por Moscou.

RETORNO DO ICMS CAI EM MAIS DA METADE DOS MUNICÍPIOS GAÚCHOS

Um total de 53% das cidades gaúchas perderam no rateio do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços para 2015. Dos 497 municípios do Estado, 262 registraram queda no índice de retorno do tributo estadual - dividido entre o governo, que fica com 75% do total, e as prefeituras, que recebem os outros 25% do arrecadado. Os índices são provisórios, podendo haver contestação por parte dos municípios. Os prefeitos que discordarem dos dados podem questionar as informações até 1º de outubro de 2014. Com o intuito de auxiliar as prefeituras na elaboração dos recursos administrativos, a Famurs promove um curso de orientação no dia 15 de setembro. A queda no retorno de ICMS de alguns municípios se explica pelo aumento da atividade industrial em detrimento da agrícola.

PASSAGENS AÉREAS PARA ASSESSORES DE SENADORES FORAM PAGAS POR YOUSSEF

Durante as investigações sobre a operação Lava-Jato a Polícia Federal encontrou o recibo da compra de bilhetes aéreos, ida e volta, no valor de R$ 3.543,25 da companhia TAM. As passagens foram pagas pelo doleiro Alberto Youssef para os assessores dos senadores Cicero Lucena (PSDB-PB) e Ciro Nogueira (PP-PI) de Brasília para São Paulo. Esse é o primeiro documento que mostra a ligação entre os gabinetes de parlamentares e Youssef. No dia 4 de janeiro de 2012 os assessores Luiz Paulo Gonçalves de Oliveira e Mauro Conde Soares saíram de Brasília com destino a São Paulo, desembarcaram no aeroporto de Congonhas e retornaram a capital federal no mesmo dia. O boleto foi faturado pela Arbor Contábil, empresa da contadora do doleiro, Meire Poza. Ambos deixaram, com pessoas de confiança do doleiro, cartões de visita timbrados com a logotipia do Senado Federal e os contatos dos senadores. Os dois assessores eram da área de Orçamento e auxiliam os senadores quanto à aplicação de recursos para obras e projetos. Após a denúncia o senador Ciro Nogueira (PP-PI) demitiu o assessor Mauro Conde Soares que admitiu ter viajado sem o conhecimento do senador. “Eu viajei e não conversei com o senador sobre isso. Assumo meu erro. Eles tinham interesse no fundo de pensão do Tocantins. Eu tinha trabalhado para um senador de lá antes do gabinete do Ciro”. O senador se diz chocado com essa história e pediu a Polícia Federal que todas as informações com seu nome, se tornem públicas. O senador Cícero Lucena e seu assessor Luiz Paulo Gonçalves de Oliveira, que trabalha com Lucena há oito anos, ainda não comentaram o caso. O senador Lucena está voltando de uma viagem oficial para Cuba e o assessor não foi localizado. Para os investigadores, a movimentação tem outra explicação. Os dois assessores foram à capital paulista tratar de um fundo de investimentos criado por Youssef. Segundo as investigações, havia um acordo com políticos que receberiam 10% de comissão se conseguissem que fundos de pensão de prefeituras e Estados colocassem dinheiro num fundo de investimentos da empresa Marsans Brasil, em nome do doleiro. O nome do senador Ciro Nogueira foi citado na revista Veja do final de semana como um dos políticos que se beneficiaram de um esquema de corrupção na Petrobrás. O jornal O Estado de S. Paulo revelou que empresas pagavam 3% de propina a políticos em troca de contratos com a empresa na área de Paulo Roberto Costa, que chefiava o esquema com Youssef. Lucena recebeu R$ 25 mil de doação na última eleição de uma empresa de Youssef.

STF SUSPENDE TRANSFERÊNCIA DE TERRAS DA UNIÃO PARA RORAIMA

Decisão do Supremo Tribunal Federal suspendeu a transferência de terras da União para Roraima. A medida foi tomada pelo ministro Luiz Fux, que julgou parcialmente procedente uma Ação Cível Originária (ACO) para que Roraima se abstenha de promover a transferência da gleba Noroeste para o seu nome, por arrecadação sumária, até que seja regulamentada a Lei 10.304/2001 (que transfere ao domínio dos Estados de Roraima e do Amapá terras pertencentes à União). O STF explica que a ação foi motivada pela publicação de edital de transferência de terras devolutas, pelo Instituto de Terras de Roraima, que pretendia arrecadar terras pertencentes à União, incluindo até áreas de reservas indígenas. A Justiça Federal de primeira instância determinou a suspensão da transferência. O processo foi remetido ao STF quando, em grau de apelação, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região reconheceu que, por envolver conflito entre uma unidade da federação e a União, a competência para julgar o caso era da Suprema Corte. O governo estadual alegou, entre outros pontos, que as glebas contestadas teriam sido automaticamente transferidas para seu domínio com a promulgação da Constituição, que transformou Roraima de território federal em Estado federado. Luiz Fux avaliou que não poderia ocorrer transferência automática de todos os bens pertencentes ao antigo território federal sem excluir áreas que precisam ser mantidas em nome da União, conforme determina a Constituição. Isso inclui terras devolutas indispensáveis à defesa das fronteiras, das fortificações e construções militares, das vias federais de comunicação e também à preservação ambiental, sempre de acordo com definição em lei. "De qualquer sorte, antes da definição das áreas que continuarão no domínio da União, é indevida a transferência de terras registradas em nome da União por meio de arrecadação sumária pelo Estado de Roraima", assinalou o ministro. O parecer do Ministério Público Federal nos autos, também pela procedência parcial da ação cível, assinalou que a gleba Noroeste está registrada em nome da União desde julho de 1981 e considerou equivocada a argumentação do Estado sobre a transferência automática com a promulgação da Constituição de 1988.

ACUSADOS NA OPERAÇÃO LAVA JATO TENTARAM FUGIR DA PRISÃO NO PARANÁ

Quatro acusados da Operação Lava Jato – investigação sobre lavagem de R$ 10 bilhões e corrupção na Petrobrás – tentaram fugir no último dia 3, segundo relatório elaborado pelo Departamento de Execuções Penais da Secretaria de Justiça do Paraná. Carlos Habib Chaper, Rene Luiz Pereira, André Catão de Mirada e André Luiz Paula dos Santos, investigados pela Lava Jato, segundo o relatório de um agente penitenciário, pediram para “melhorar a ventilação” de uma viatura em que eram conduzidos, logo após uma audiência na Justiça Federal em Curitiba. O agente disse ter sido surpreendido pelos presos que tentaram empurrá-lo junto com a porta do camburão. O agente Leonardo Cazais, no entanto, conseguiu conter o grupo. Ainda segundo o agente penitenciário, os acusados teriam ameaçado policiais militares “utilizando para isso suas condições financeiras e dizendo que (os policiais) seriam processados”. Depois da tentativa de fuga, os quatro acusados foram encaminhados para uma cela de isolamento na Casa de Custódia de São José dos Pinhais. Chaper é um dos quatro doleiros alvos da Operação Lava Jato.

NA TELEVISÃO, MARINA SILVA PROMETE UMA PETROBRAS "SEM INFLUÊNCIA POLÍTICA"

Na propaganda eleitoral da televisão nesta terça-feira, a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, tratou indiretamente do megaescândalo de corrupção na Petrobras - e aproveitou para atacar o governo da presidente Dilma Rousseff (PT). Marina lembrou que nos últimos quatro anos a estatal perdeu metade do seu valor de mercado e que suas dívidas aumentaram quatro vezes. Sem citar a presidente-candidata, a ex-senadora afirmou que pretende “governar a empresa sem influência política e formar uma diretoria com pessoas respeitadas”. Marina Silva atacou a polarização entre PT e PSDB para, mais uma vez, apresentar-se como “mudança”. Disse que os dois partidos se revezam há vinte anos no poder e prometeu, caso eleita, fazer um governo “diferente” – sem detalhar como. Imagens de Marina em uma creche serviram de fundo para que ela afirmasse seu compromisso com a educação, prometendo escolas em tempo integral. O músico e compositor Caetano também apareceu na peça publicitária da presidenciável. Em depoimento, afirmou que tem “atração pelo projeto político” de Marina Silva e que sua candidata “representa os anseios de mudança”. Os dois principais adversários de Marina Silva na disputa pelo Planalto optaram por reprisar os programas exibidos no sábado. Dilma tratou de educação, defendendo os investimentos do governo no setor. Já Aécio Neves (PSDB) defendeu projeto de lei do senador Aloysio Nunes (PSDB), seu candidato a vice, que abre a possibilidade de jovens entre 16 e 18 anos sofrerem punição diferenciada por participação em crimes hediondos - e até serem julgados como adultos, mediante autorização de juiz da Vara da Infância e da Juventude.

AINDA SEM O IMPACTO DO MENSALÃO DA PETROBRAS, PESQUISA DA CNA MOSTRA POUCAS OSCILAÇÕES NO QUADRO ELEITORAL

Nova pesquisa de intenções de voto das eleições presidenciais, divulgada nesta terça-feira (9) pela CNT (Confederação Nacional do Transporte), feita pelo instituto MDA, mostra a presidente Dilma Rousseff (PT) isolada na liderança no primeiro turno e empatada com a candidata do PSB, Marina Silva, no segundo turno. Ambas cresceram no primeiro turno em relação à pesquisa anterior da MDA, divulgada no último dia 27, mas o crescimento maior ainda foi de Marina –embora a ex-senadora não tenha aparecido empatada com Dilma neste levantamento, como ocorreu com recentes pesquisas do Datafolha e Ibope. Dilma interrompeu uma oscilação negativa e subiu de 34,2% das intenções de voto para 38,1%, no primeiro turno. Já Marina manteve trajetória ascendente e foi de 28,2% para 33,5% das intenções de voto. O tucano Aécio Neves surge na terceira colocação da disputa: ele oscilou de 16% para 14,7%. Numa disputa no segundo turno entre Dilma e Marina, as intenções de voto da petista aumentaram, mas ela aparece empatada tecnicamente com a ex-ministra do Meio Ambiente. Na pesquisa anterior, a presidente tinha 37,8% e subiu para 42,7% nesta sondagem. Já Marina passou de 43,7% para 45,5%, oscilação dentro da margem de erro. A pesquisa ouviu 2.002 eleitores entre os dias 5 e 7 de setembro e foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-00574/2014.(Folha Poder)

MOODY'S PIORA NOTA DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS PARA ECONOMIA DO BRASIL

A agência de classificação de risco mudou nesta terça-feira 9 a perspectiva de nota dos títulos do governo brasileiro de estável para negativa. Segundo a agência, a mudança reflete o aumento do risco de baixo crescimento contínuo e a piora nos indicadores de dívida; esses fatores podem indicar uma redução na qualidade do crédito no Brasil, diz a Moody's.

O PETROLÃO E AS FALÁCIAS DE DILMA ROUSSEFF. OU: UMA PRESIDENTE QUE PROMETE QUE TOMOU TODAS AS PROVIDÊNCIAS CONTRA A INVASÃO DOS MARCIANOS. OU AINDA: DILMA ADMITE SANGRIA NA PETROBRAS. E ELA FEZ O QUÊ?

O conteúdo da fala da presidente Dilma Rousseff na entrevista — chamada “sabatina” sei lá por quê — concedida ao Estadão nesta segunda-feira não faz sentido. Entre muitas outras razões porque afronta a lógica. Eu sei que a presidente não chega a ser, assim, um Cícero da retórica, mas o fato é que as palavras fazem sentido mesmo para ela. Leiam o que disse sobre a roubalheira na Petrobras: “Se houve alguma coisa, e tudo indica que houve, eu posso te garantir que todas, vamos dizer assim, as sangrias que eventualmente pudessem existir estão estancadas”.

Como é que a presidente pode dar por resolvido um problema cuja existência ela assegurou ignorar e, ainda hoje, diz não ter a certeza se existiu? Vou empregar a mesmíssima estrutura a que ela recorreu para demonstrar o absurdo da fala:“Leitores, se houve alguns marcianos tentando ocupar a Terra, e tudo indica que houve, eu posso lhes assegurar que todas, vamos dizer assim, as ameaças que eventualmente pudessem existir estão eliminadas”. Pergunto: vocês confiariam em mim?
E, assim, vocês podem ir mudando o conteúdo da fala a seu bel-prazer. Sempre fará sentido e nunca fará sentido. Sabe o que isso quer dizer? Nada! Mas podemos avançar um pouco mais. Até agora, quem começou a investigar só um pouquinho da caixa-preta da Petrobras foi a Polícia Federal. Dilma disse ter estancado a sangria. Cadê os demitidos? Onde estão os punidos? Uma sangria, para ser estancada, tem de ter existido. Cadê o resultado da apuração? A Petrobras é uma empresa mista, com ações na Bolsa. O que ela está escondendo dos acionistas? Não por acaso, ontem, as ações ON da estatal caíram 4,79%, e as PN, 4,91%. Chega a ser espantoso que uma presidente da República faça raciocínio tão especioso.
Segundo Paulo Roberto Costa, a compra da refinaria de Pasadena rendeu ganhos à máfia e fez parte do esquema que acabou privilegiando os partidos políticos. Muito bem! Dilma afirmou que o conselho tomou decisões sobre a refinaria ancorado em informações falhas, deficientes, imprecisas. Certo. Revelado o desastre, já na Presidência da República, ela fez o quê? Nomeou Nestor Cerveró, considerado o principal responsável pela aquisição da empresa americana, para a direção financeira da BR Distribuidora.
Não, senhores! Ninguém está querendo “culpar’ Dilma Rousseff só porque ela é presidente da República. Ou porque, antes, ocupava a presidência do Conselho da empresa. Ou porque, desde 2003, era tida como a grande chefe do setor energético. Não se trata de um processo de responsabilização objetiva. Estamos a falar de outra coisa: chama-se responsabilidade política, presidente! A sua inação ao longo desse tempo dá testemunho, quando menos, da inapetência para o cargo que ocupa.
De resto, não dá para ignorar a pesada máquina oficial mobilizada para impedir qualquer forma de investigação — máquina esta que não poupou o Congresso ou o TCU. Diante das evidências escancaradas de malfeitos na empresa, a presidente preferiu ficar lançando suspeitas sobre fatos passados — e voltou a fazê-lo na entrevista ao Estadão. Falou de novo sobre o afundamento da plataforma P-36, da Petrobras: “Você acha que é tranquilo uma plataforma que custa US$ 1,5 bi afundar? E ninguém investigar? A plataforma de US$ 1,5 bi, quero lembrar, é duas vezes Pasadena.”
Bem, se a conta fosse essa, lembro que só o custo adicional da refinaria de Abreu e Lima — foi orçada em US$ 2,5 bilhões e já está em US$ 18 bilhões — corresponde a dez plataformas. Mas a questão, obviamente, não é essa. Dilma vive sugerindo que um grande crime aconteceu em março de 2001. É mesmo? Então o PT está no poder há 12 anos; Dilma foi ministra das Minas e Energia, gerontona da infraestrutura e presidente do conselho da Petrobras e não fez nada? Das duas uma: a) ou crime houve, e ela prevaricou; b) ou crime não houve, e ela fala só com o ânimo de atacar gratuitamente o governo FHC. Adivinhem qual é a resposta.
A presidente, não a candidata, está agora obrigada a vir a público para esclarecer onde estavam “as sangrias” (sic) da Petrobras, quais foram as medidas que ela tomou e que tipo de punição aplicou aos responsáveis. Ou ela nos explica, ou seremos obrigados a concluir que falou o que lhe deu na telha, sem nenhum compromisso com os fatos. E isso é muito ruim para quem comanda o país. Por Reinaldo Azevedo