sexta-feira, 25 de julho de 2014

IMIGRANTES CONTINUAM A CHEGAR A ISRAEL

Dois vôos especiais chegaram ao Aeroporto Ben-Gurion, em Israel, na quarta-feira à noite, com 430 imigrantes judeus franceses deixando Paris e seus subúrbios. Os vôos, organizados pela Agência Judaica para Israel e pelo Ministério da Aliyah e Imigração e Absorção, tinham principalmente famílias, incluindo 195 crianças e 18 bebês. Apesar da situação de segurança em Israel, dezenas de judeus franceses se mudaram para as cidades do sul, em Ashdod e Ashkelon. O resto vai viver em comunidades em todo o estado judeu, incluindo 100 em Tel Aviv e 130 em Netanya. Na quinta-feira, os novos israelenses receberam suas carteiras de identidade israelenses em uma cerimônia festiva em Jerusalém. Nem um novo imigrante cancelou sua chegada a Israel, apesar do lançamento de foguetes da Faixa de Gaza, de acordo com o presidente da Agência Judaica, Natan Sharansky, que estava recepcionou os novos imigrantes, juntamente com a ministra da Aliyah e Absorção de Imigrantes, Sofa Landver. "A França pode não ter vencido a Copa do Mundo, mas são campeões quando se trata de aliá - a imigração para Israel", Sharansky disse ao grupo, na quarta-feira. "Mais de 1.000 novos imigrantes de todo o mundo chegaram a Israel durante a Operação Borda de Proteção. Hoje, 430 chegam da França. Nem um único desses novos imigrantes cancelou ou adiou a sua chegada. Bem-vindos à família", disse Sharansky. A Agência Judaica espera que mais de 5.000 judeus franceses imigrem para Israel até o final do ano. Nos últimos três anos, a imigração judaica francesa aumentou dramaticamente. Em 2013, 3.289 judeus franceses imigraram para Israel em comparação com 1.917 imigrantes em 2012 - um aumento de 60%. Durante os primeiros seis meses do ano, 2.600 judeus franceses chegaram a Israel, em comparação com 812 no período equivalente em 2012. Enquanto isso, o Ministério da Aliyah e Imigração e Absorção e da Agência Judaica desenvolveram planos especiais para incentivar a aliá francesa e ajudar judeus franceses a se aclimatarem na sociedade israelense. Os planos incluem esforços para fortalecer a identidade judaica entre os jovens judeus franceses, expandir programas de experiência de Israel, remover as barreiras burocráticas para o emprego em Israel, e aumentar o número de “shlichim” (enviados) da Agência Judaica na França. A comunidade judaica na França, a maior da Europa, tem sofrido crescente hostilidade e ataques violentos nos últimos anos em todo o país. Apenas num domingo, manifestantes pró-palestinos tentaram invadir duas sinagogas de Paris, prendendo 200 fiéis judeus em uma sinagoga, enquanto arremessavam objetos e gritavam slogans antissemitas durante uma manifestação anti-Israel, que deixou três judeus feridos. A França é um país com uma terrível história de antissemitismo. Durante a Segunda Guerra Mundial, enviou centenas de milhares de judeus para os campos de concentração nazistas e a morte.

MICHAEL BLOOMBERG, EX-PREFEITO DE NOVA YORK, VIAJA A ISRAEL PELA EL AL PARA DAR SOLIDARIEDADE AO PAÍS

O bilionário americano Michael Bloomberg anunciou na terça-feira passada que ele estava aterrissando em Tel Aviv para mostrar solidariedade com Israel, pedindo que a proibição de vôos dos Estados Unidos fosse imediatamente suspensa. O movimento do ex-prefeito de Nova York, uma cidade de oito milhões de habitantes com a maior população judaica dos Estados Unidos, o coloca em conflito com o governo americano do muçulmano Barack Hussein Obama, que impôs a proibição supostamente para proteger os cidadãos norte-americanos de possíveis ataques de foguetes da organização terrorista Hamas. Na verdade, esta decisão do muçulmano Obama foi para favorecer os terroristas. Bloomberg incitou a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos a reverter a proibição, dizendo que eles tinham entregue ao Hamas uma "vitória imerecida" em um conflito de mais de duas semanas com Israel. Ele anunciou em um comunicado através de sua conta oficial no Twitter que estava embarcando num voo de companhia aérea israelense. "Esta noite vou estar voando pela El Al para Tel Aviv para mostrar solidariedade com o povo de Israel e para demonstrar que é seguro voar dentro e fora de Israel", escreveu ele. Bloomberg chamou o aeroporto Ben Gurion, em Tel Aviv, de "aeroporto mais protegido do mundo" onde os vôos da El Al tem segurança, apesar do hiato europeu e norte-americano. As restrições de vôo são um engano que entrega ao Hamas uma vitória imerecida e devem ser imediatamente suspensas. "Eu recomendo vivamente à FAA para reverter o curso e permitir que as companhias aéreas norte-americanas voem para Israel", acrescentou Bloomberg. A FAA ordenou que companhias aéreas dos Estados Unidos suspendessem vôos para Tel Aviv, por pelo menos 24 horas, depois que um foguete disparado de Gaza caiu próximo ao aeroporto principal da cidade. Israel chamou as companhias americanas para assegurar-lhes que não havia problema de segurança para descolagens e pousos. O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, disse ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que a proibição foi ordenada apenas para proteger a segurança dos cidadãos norte-americanos. Bloomberg, que foi membro de ambos os partidos, Democrata e Republicano, tem um recorde de três mandatos como prefeito de Nova York e é um dos homens mais ricos dos Estados Unidos. Ele foi recebido no Aeroporto Ben Gurion, em Israel, pelo primeiro ministro israelense Benjamin Netanyahu.

ISRAEL PRENDE E INTERROGA CENTENAS DE TERRORISTAS DO HAMAS

Na quinta-feira as forças de defesa de Israel detiveram 150 membros do Hamas que foram levados para interrogatório no Shin Bet, o Serviço de Segurança israelense. Nesta sexta-feira, os soldados identificaram um homem-bomba vestindo um cinto de explosivos, no sul da Faixa de Gaza. Os soldados dispararam contra ele. Também nesta sexta-feira, militantes terroristas do Hamas dispararam mísseis anti-tanque contra soldados israelenses, de dentro do complexo hospitalar Al-Wafa, ferindo quatro soldados, um deles gravemente. Os 120 soldados feridos na operação em andamento estão em hospitais em todo Israel. Desde o início da fase de terra da Operação Borda de Proteção, 843 foguetes foram lançados a partir de Gaza em direção a Israel, sendo que 658 desses foguetes atingiram o território israelense, enquanto um adicional de 166 foram interceptados pelo sistema de defesa antimísseis Iron Dome. Mais de 65 mil soldados das forças de reserva estão convocados pela IDF (Israel Defense Forces). Os soldados israelenses já desenterraram 63 eixos lançadores de foguetes, 31 túneis usados para o terror, 11 dos quais foram posteriormente destruídos pelas forças de defesa. De acordo com dados mais recentes do exército, Israel atingiu 3.540 alvos terroristas, desde o início da Operação Borda de Proteção em 8 de julho. Os árabes palestinos relatam que mais de 800 pessoas morreram desde o início da operação.

TERRORISTAS DO HAMAS PLANEJAVAM UMA GRANDE INVASÃO E MASSACRE DE ISRAELENSES NO ANO NOVO JUDÁICO, EM SETEMBRO

Uma fonte da segurança de Israel disse nesta sexta-feira que o exército israelense frustrou um ataque terrorista em massa, planejado para ocorrer no ano novo judaico, comemorado no próximo mês de setembro. De acordo com o relatório, milhares de terroristas foram treinados para atravessar para Israel, a partir de Gaza, através dos túneis e matar ou raptar o maior número de israelenses possível. A fonte acrescentou que o Exército obteve a informação sobre o ataque planejado durante os interrogatórios de prisioneiros do Hamas, capturados durante a Operação Borda de Proteção em Gaza. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse durante a reunião de gabinete, na quinta-feira, que o exército conseguiu frustrar um ataque que poderia ter causado um número de mortos ainda maior do que as 2.222 mortes que Israel sofreu durante 1973, na Guerra do Yom Kippur.

SUPREMO AUTORIZA DEPUTADO FEDERAL PETISTA ANDRÉ VARGAS A TER ACESSO AO SEU PROCESSO DE CASSAÇÃO NO CONSELHO DE ÉTICA E DECORO PARLAMENTAR DA CÂMARA

Uma decisão tomada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski na noite de quinta-feira, deu novo ânimo à defesa do deputado federal petista André Vargas, parceiro do doleiro Alberto Youssef. Apesar de ter negado o pedido de suspensão do processo disciplinar que corre no Conselho de Ética da Câmara, o ministro atendeu ao pleito dos advogados em liminar para ter acesso e tirar cópia dos autos da representação parlamentar. A análise de um advogado de André Vargas é de que o presidente em exercício do Supremo reconheceu uma ilegalidade - o cerceamento de defesa - no processo que corre na Câmara dos Deputados. Para a defesa do deputado, a decisão de Lewandowski sugere uma possível leitura favorável da Corte caso seja analisado pedido para anular todo o procedimento do Conselho de Ética. O petista André Vargas, que responde processo por quebra de decoro parlamentar devido a sua relação com o doleiro Alberto Youssef, afirma que a decisão de Lewandowski confirma que "o relator do processo na Câmara toca o processo já com voto formado, sem permitir defesa, com atos autoritários". "A instrução é toda nula. As declarações de Júlio Delgado são de condenação desde o primeiro dia", critica o petista. É o que ele entende, chama-se a isso de direito do esperneio, mas as coisas não funcionam assim na Câmara.

CIENTISTA POLÍTICO DIZ QUE AMBIENTE ECONÔMICO É ADVERSO À REELEIÇÃO DA PETISTA DILMA

A situação da economia doméstica deve tornar a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) mais difícil, avaliou nesta sexta-feira o cientista político Sérgio Abranches, do Ecopolítica. Para ele, as condições estruturais domésticas, como a inflação que tem afetado cada vez mais a renda, interferem mais no humor da sociedade. "Não vai ser uma eleição igual às outras, porque o Brasil não é igual ao das outras eleições. O Brasil nunca foi um País tão capaz de mostrar mau humor quanto desta vez", disse, em seminário sobre as eleições realizado na tarde de hoje pela Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro. A baixa popularidade da presidente também aumenta a incerteza sobre sua reeleição, acrescentou Abranches. "Claramente do ponto de vista do que nós sabemos, o ambiente é adverso à reeleição do presidente em exercício", disse. Em um painel anterior, o cientista político Cesar Zucco, professor da Escola Brasileira de Administração Pública e Empresas da FGV (Ebape/FGV), comentou que a avaliação positiva dos programas sociais criados ou ampliados durante a gestão do PT na Presidência seria capaz de fazer frente à baixa popularidade da atual presidente e aos questionamentos sobre a política econômica do governo durante a eleição. "Uma possibilidade é que ela faz melhor o resto do que a política econômica", afirmou. Mas a questão eleitoral não se resume à economia. Os candidatos, de acordo com os participantes do seminário, têm se obrigado a encontrar maneiras de se adaptar a mudanças no próprio modo de fazer campanha. "Desde 2002 não se faz mais campanha na rua, com cartazes e folhetos. Não foi assim em 2006, nem em 2010", disse o cientista político Jairo Nicolau, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Além disso, o horário eleitoral na televisão já não tem mais a mesma centralidade que tinha em anos anteriores. "A maioria dos eleitores desliga a televisão ou muda de canal", ressaltou Abranches.

CAMPANHA DA PETISTA DILMA ROUSSEFF PODE PROCESSAR BANCO SANTANDER APÓS INFORME AOS CLIENTES DAS CONSEQUÊNCIAS EM VOTAR NELA

O comando da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, avalia mover uma ação judicial contra o banco Santander, que enviou neste mês aos clientes de mais alta renda de sua carteira um informe no qual apontava risco de deterioração da economia brasileira em caso de reeleição da presidente. Integrantes do comitê petista dizem que a retratação pública feita pelo banco espanhol, após o caso vir à tona, aliviou a situação, mas só na segunda-feira será batido o martelo sobre se foi suficiente ou se o PT vai entrar com a ação na Justiça contra o Santander. O site Muda Mais, de apoio à campanha de Dilma, classificou o episódio como "terrorismo eleitoral". O alerta do Santander afirmava que se Dilma se estabilizar nas pesquisas de opinião para as eleições de outubro ou voltar a subir, a bolsa irá cair, os juros subir e o câmbio se desvalorizar. O alerta foi dado nos extratos de julho do banco para os clientes do segmento Select, que tem renda de mais de R$ 10 mil por mês. Em sua página principal da internet, a instituição financeira publicou um comunicado pedindo desculpas e dizendo que apenas 0,18% de seus clientes receberam esse tipo de extrato e que o texto não reflete a posição da instituição.

AO LIBERAR COMPULSÓRIOS DOS BANCOS, O BANCO CENTRAL SE CONTRADIZ E ATACA O PROBLEMA ERRADO

O Banco Central anunciou nesta sexta-feira uma portaria que permite que até metade do dinheiro aplicado em forma de depósito compulsório pelos bancos possa ser usado em operações de crédito. Com isso, o Banco Central espera aumentar em 30 bilhões de reais a oferta de crédito ainda em 2014. Os depósitos são a contribuição obrigatória que os bancos fazem junto ao Banco Central, cuja alíquota é calculada com base no volume de depósitos feitos à vista e à prazo nas instituições. A obrigação reduz o risco sobre o sistema financeiro e pode ser usada como ferramenta de política monetária. Ao reduzir a taxa do compulsório, o Banco Central permite a liberação automática de mais dinheiro para que os bancos possam emprestar a seus clientes. Quando a taxa aumenta, há um aperto monetário e tendência à redução da oferta de crédito. Segundo a nota do Banco Central, a medida leva em conta o baixo nível de inadimplência para tentar aumentar a liquidez dos bancos, ou seja, a oferta de crédito ao consumo, por exemplo. A autoridade monetária não deu mais explicações sobre as razões que motivaram o relaxamento das regras, mas diante das recentes revisões nas estimativas de crescimento da economia brasileira, não há dúvidas de que a iniciativa do Banco Central é uma das poucas, senão a única, alternativa que resta ao governo para tentar reavivar a economia. O problema, segundo economistas, é que os 30 bilhões de reais terão efeito nulo no estímulo ao crescimento, por representarem um porcentual insignificante do tamanho do mercado de crédito no Brasil, que hoje está em 2,8 trilhões de reais. Outro equívoco é o timing do anúncio. Apenas um dia antes, a autoridade divulgou a ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), documento que comunica ao mercado as razões que levaram o Banco Central a manter os juros em 11%. Nela, o órgão afirma que a moderação do crédito é positiva para o cenário de inflação: "O Comitê considera oportunas iniciativas no sentido de moderar concessões de subsídios por intermédio de operações de crédito", diz a nota. Em outro parágrafo, a autoridade afirma não ter intenção de implementar mudanças na política monetária. "O Comitê antecipa cenário que contempla inflação resistente nos próximos trimestres, mas, que, mantidas as condições monetárias – isto é, levando em conta estratégia que não contempla redução do instrumento de política monetária – tende a entrar em trajetória de convergência para a meta nos trimestres finais do horizonte de projeção", afirma. A contradição deixou economistas perplexos. "A decisão soa completamente fora do lugar quando comparada à ata. Numa medida que desafia o bom senso, o Banco Central simplesmente desdisse o que afirmou um dia antes", escreveu o economista da Gradual Corretora, André Perfeito, em nota a investidores. A contradição era tudo o que o Banco Central não precisava depois de conseguir, pouco a pouco, recuperar a credibilidade do mercado após episódios ocorridos em 2011 e 2012 que demonstraram completa ingerência do governo sobre a autoridade monetária. Para o ex-diretor do Banco Central, Alexandre Schwartsman, a medida foi infeliz. "Se alguém no Banco Central ainda tivesse a capacidade de pensar um pouco além do dia seguinte, teria notado que o anúncio das medidas de hoje, pontuais e sem impacto macro, e sim mais voltadas a questões específicas do setor bancário, não deveria se seguir à divulgação da ata que menciona moderação de crédito e manutenção da taxa de juros", afirmou o economista. O impacto da medida deve ser sentido de forma mais relevante nos bancos médios, que possuem menos liquidez, e financiam, sobretudo, a compra de automóveis, afirmou a economista Mariana Oliveira, da Tendências Consultoria. "Se o Banco Central olhar apenas o mercado de crédito, as mudanças anunciadas hoje fazem sentido porque o crédito está desaquecido, especialmente em financiamento de veículos", afirma. Na avaliação de Alexandre Schwartsman, para retomar a tendência de crescimento, a solução seria colocar em prática planos contundentes de reforma econômica, não medidas paliativas para um único setor. "São necessárias medidas que elevem a produtividade. Ou seja, um programa menos intervencionista de concessões de infraestrutura e petróleo, avanços na privatização, simplificação tributária, correção de preços administrados para destravar investimentos. Enfim, uma agenda longa, mas voltada ao amento da produtividade e investimento", afirma o economista. O arrefecimento do crédito em determinados setores não significa, contudo, que a falta de crédito seja o problema que impeça o crescimento do país, segundo análise de Tony Volpon, economista do banco Nomura. "O problema do Brasil não é crédito ou liquidez. Ambos estão amplamente disponíveis, sobretudo nos bancos estatais. O problema é a baixa demanda por crédito decorrente da falta de confiança na economia", afirma. A mensagem final transmitida pela portaria do Banco Central, na avaliação dos economistas, é de que a medida volta a colocar em xeque as expectativas do mercado em relação à Selic para 2015, caso a presidente Dilma se reeleja e mantenha Alexandre Tombini como presidente do órgão. O mercado se agarra à comunicação do Banco Central para traçar suas perspectivas sobre a economia brasileira. Quando há ruído entre o que o Banco Central diz e o que, de fato, pratica, as expectativas se perdem e o pessimismo tende a aumentar.

BANDIDO PETISTA MENSALEIRO JOSÉ GENOÍNO PÁRA DE INSISTIR EM IR PARA CASA, AGORA ELE QUER PROGRESSÃO DA PENA

Condenado a quatro anos e oito meses de prisão no julgamento do Mensalão do PT, o ex-presidente petista José Genoino, bandido mensaleiro, encaminhou à Vara de Execuções Penais do Distrito Federal pedido de progressão de pena para regime aberto. No pedido, a defesa do mensaleiro afirma que o ex-deputado trabalhou 42 dias na biblioteca do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, e fez dois cursos de educação à distância. Apenas a partir de 24 de agosto, quando cumprirá um sexto da pena, o petista estaria apto a fazer o pedido. De acordo com a Lei de Execução Penal, a progressão de regime é possível se o preso tiver bom comportamento e depois do cumprimento de um sexto da pena no regime anterior. Também pela Lei de Execução Penal, o preso pode abater um dia de pena a cada doze horas de frequência escolar e um dia a cada três dias trabalhados. Na falta de estabelecimentos adequados para o cumprimento de prisão em regime aberto, o bandido petista mensaleiro José Genoino deve ser beneficiado com a prisão domiciliar. O pedido de progressão deve ser analisado no início de agosto pelo novo relator do processo do Mensalão do PT, o ministro Luís Roberto Barroso, que já defendeu em Plenário o direito do petista ao benefício. Em junho, o plenário do Supremo Tribunal Federal negou ao mensaleiro pedido de prisão domiciliar, mas Barroso, que em outras sessões de julgamento do Mensalão do PT havia afirmado "lamentar" a penalização de José Genoino, lembrou o direito à progressão para o regime aberto, com prisão domiciliar. O ex-deputado alegava que o sistema carcerário brasileiro não tinha condições de garantir a ele tratamento de saúde adequado – no ano passado, ele se submeteu a cirurgia cardíaca. Ao longo do julgamento, a defesa de José  Genoino alegou que a vida do condenado seria colocada em risco se fosse levado ao presídio da Papuda. No julgamento do pedido de prisão domiciliar o relator do processo se apegou a laudos médicos para negar que a prisão domiciliar era fundamental.

FOTO AUMENTA A SUSPEITA DA PARTICIPAÇÃO DO APARATO TERRORISTA DAS FORÇAS ARMADAS NA MORTE DA ESTILISTA ZUZU ANGEL

Uma fotografia do local do acidente que resultou na morte da estilista Zuzu Angel, em abril de 1976, aumentou as suspeitas da Comissão Nacional da Verdade (CNV) do envolvimento do aparato terrorista das Forças Armadas no caso. A foto, apresentada pelo ex-delegado Claudio Guerra, do Departamento de Ordem Política e Social (Dops) do Espírito Santo, mostra o coronel Freddie Perdigão, do Exército, ao fundo, perto do veículo acidentado. Apontado como autor de torturas e assassinato de pessoas durante o regime militar, Perdigão morreu na década de 90. Mãe do terrorista de esquerda Stuart Angel, integrante do Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8), morto sob intensa tortura na Base Aérea do Galeão, arrastado por um jipe, com o rosto colado ao cano de escapamento, e que desapareceu em 1971, Zuzu Angel morreu após ter feito críticas ao regime. Ela deu projeção internacional ao caso e passou a ser considerada presença incômoda para o regime. Conforme o petista Pedro Dallari, presidente da Comissão da Verdade, a foto deixa claro que houve algum tipo de participação das forças militares no acidente ocorrido no Rio de Janeiro. “A grande revelação obtida durante os depoimentos feitos nesta semana veio a partir do depoimento de Cláudio Guerra, que apresentou uma fotografia na qual o oficial das Forças Armadas Freddie Perdigão aparece junto ao veículo acidentado. Isso estabelece um vínculo muito forte entre as Forças Armadas, já que Perdigão era notório operador em casos de violação de direitos humanos, e a morte de Zuzu Angel”, disse Dallari. “Trata-se de uma foto nova. Ela não estava nos autos do inquérito, e é uma revelação e documento muito importante”, acrescentou. Dallari lembra que as Forças Armadas sempre negaram relação com o acidente que resultou na morte de Zuzu. “Há muitas semelhanças entre essa foto e outras usadas pela perícia na época do acidente. Todas tinham o mesmo padrão. É por isso acreditamos que ela tenha sido feita pelos peritos. Nossas suspeitas de envolvimento dos militares no caso foram reforçadas depois que o Cláudio nos contou que, ainda na década de 80, foi procurado por Perdigão, preocupado com a foto tirada”, informou o presidente da CNV. Ainda segundo Dallari, Perdigão teria confessado a Cláudio Guerra participação no planejamento e na simulação do acidente de Zuzu Angel.

HIDRELÉTRICA DO TAPAJÓS PODE SER LEILOADA NO FIM DO ANO

A construção da Usina Hidrelétrica de São Luiz do Tapajós, no Pará, pode ser leiloada no fim deste ano, se não houver problemas com o licenciamento ambiental, informou nesta sexta-feira o presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim. Segundo ele, para definir a construção e a operação do empreendimento, será realizado um leilão exclusivo. "É uma usina estruturante e vai ser um leilão só para ela, como foi no Rio Madeira e com Belo Monte. É claro que temos que aguardar, porque tem todo um processo de análise dos autos ambientais, parecer da Funai, audiências públicas. Todo um rito que tem que ser respeitado. E é claro que a palavra final é da área ambiental, mas  esperamos que tudo corra bem". Apesar disso, Tolmasquim considera viável falar em leilão ainda neste ano: "Está andando. É viável sair neste ano, mas eu acredito que mais para o final. Certamente, no último trimestre". O presidente da EPE também falou sobre iniciativas para alavancar a produção de energia solar no Brasil, e adiantou que está em fase final a preparação de uma linha de crédito do BNDES para o setor. De acordo com Tolmasquim, recursos do Fundo Clima devem ser usados para baratear o financiamento.

MINISTRO DO SUPREMO NEGA PEDIDO DO PETISTA ANDRÉ VARGAS PARA ANULAR PROCESSO NO CONSELHO DE ÉTICA

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, negou o pedido do deputado federal petista André Vargas para anular o processo disciplinar a que ele responde no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. O petista André Vargas é acusado de receber vantagens do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal. A defesa de André Vargas pediu ao Supremo a anulação do processo, alegando que não tem amplo acesso à íntegra do processo disciplinar que tramita no Conselho de Ética. Segundo os advogados, a restrição impede a elaboração da defesa de André Vargas. Na decisão, Ricardo Lewandowski aceitou os argumentos da defesa , mas somente para garantir acesso a todo o processo disciplinar. “É plausível a alegação dos impetrantes no tocante ao cerceamento de defesa, estando evidenciados, nesse ponto, a fumaça do bom direito e o perigo na demora ensejadores do deferimento da medida cautelar. Já quanto ao pedido de paralisação do procedimento disciplinar, entendo que os mencionados requisitos não se revelam de plano, ao menos nessa análise perfunctória dos autos, própria deste momento processual”, disse o ministro. Em abril deste  ano Vargas usou um avião do doleiro Alberto Youssef para viajar a João Pessoa. O empréstimo da aeronave foi discutido entre os dois por mensagens de texto no início de janeiro. Em outras mensagens, André Vargas e o doleiro discutiram assuntos relacionados a contratos com o Ministério da Saúde, por meio do Laboratório Labogen.

A PETISTA DILMA ROUSSEFF COMEÇA A DESEMPREGAR OS BRASILEIROS EM GRANDE ESCALA

Dilma empurra Brasil para a precariedade: empresas fecham vagas, aumenta emprego sem carteira assinada e mais brasileiros vão viver de bico. É hora de mudar. A Pesquisa Mensal de Emprego (PME) mostrou outra face da recente - e ainda embrionária - piora do mercado de trabalho. Em junho, a ocupação cresceu puxada pela precariedade. No mês, foram fechados 55 mil empregos com carteira assinada nas quatro regiões para as quais foram divulgados dados (São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Recife). Ao mesmo tempo, cresceu o emprego sem carteira assinada (28 mil vagas) e a ocupação por conta própria (34 mil vagas). A variação é sempre em relação ao mês de maio. Nos últimos anos, a queda do desemprego e a forte demanda por trabalhadores permitiu o aumento da formalização no mercado de trabalho, com número crescente de contratações com carteira de trabalho assinada, o que significa acesso ao INSS e a benefícios como seguro-desemprego, FGTS etc. O aumento das ocupações precárias pode estar relacionado ao aumento de ocupações temporárias O camelô que foi para a rua vender produtos verde-amarelos durante a Copa é um exemplo do "conta própria", que voltou a crescer nas estatísticas. O garçom que reforçou a equipe em um bar pode ser um exemplo de "sem carteira". Mas há sinais além da Copa. Em junho, na comparação com maio, foram fechadas 88 mil vagas na indústria (setor que contrata com carteira). Por outro lado, o emprego doméstico voltou a crescer. Foram 40 mil novas vagas em casas de família. Esse fenômeno é mais recente. Na comparação com junho do ano passado, o saldo ainda é negativo (17 mil vagas a menos). Outro sinal do mercado de trabalho mais deteriorado é a queda no rendimento médio real. A renda caiu 1% no Recife, 2,2% em Belo Horizonte, 0,5% no Rio e 1,6% em São Paulo, sempre na comparação com maio, já descontada a inflação. Em parte, essa queda é consequência do aumento das vagas precárias (que pagam menos) e do fechamento dos empregos formais (que pagam mais), mas como essa troca ainda é pequena diante do total de ocupados, a queda no rendimento parece parte de um processo que irá mais longe. (Valor Econômico)

PETROBRAS PROMOVE ACORDO ENTRE ANDRADE GUTIERREZ E IESA ÓLEO E GÁS PARA PRODUÇÃO DE MÓDULOS DE PLATAFORMAS NO RIO GRANDE DO SUL

As empresas Andrade Gutierrez e Iesa Óleo e Gás chegaram a um consenso para dar continuidade à produção de 24 módulos que serão usados em plataformas da Petrobras. O acordo salva um contrato de cerca de US$ 800 milhões firmado pela estatal inicialmente com a Iesa, que passa por uma crise financeira e precisou buscar um parceiro para o projeto no Pólo Naval do Jacuí, na cidade gaúcha de Charqueadas. O acerto, que vem sendo costurado há semanas, deve ser oficializado em breve. Fontes envolvidas na negociação confirmaram que Iesa, Andrade Gutierrez e Petrobras se reuniram na quinta-feira, no Rio de Janeiro, e definiram os detalhes da operação. “Há 99,9% de chances de que saia”, disse uma das fontes. Falta a assinatura da estatal, esperada para os próximos dias. O acordo deve envolver uma associação entre Iesa e Andrade Gutierrez no Pólo Naval do Jacuí, mas os detalhes são desconhecidos. Existe a possibilidade de que o número de módulos e o valor do contrato sejam revistos, para cima ou para baixo. Originalmente, havia a opção de ampliação da encomenda para 32 unidades, o que elevaria a cifra para US$ 911,3 milhões. A Andrade Gutierrez admitiu a conclusão das negociações, mas disse que só se posicionará “após a assinatura final do contrato”.

MULHER DO EX-PILOTO MICHAEL SCHUMACHER PÕE JATO À VENDA PARA CUSTEAR TRATAMENTO

Corinna Schumacher, esposa do alemão Michael Schumacher, colocou o jato da família à venda para pagar os custos do tratamento do ex-piloto de Fórmula 1, que segue internado, em Lausanne, na Suíça. Corinna estaria pedindo 20 milhões de euros (cerca de 60 milhões de reais) pela aeronave. O jato, um Falcon 2000EX, tem as iniciais de Schumacher na parte traseira da fuselagem e custou cerca de 25 milhões de euros (cerca de 75 milhões de reais). Schumacher consegue se comunicar com sua família por movimentos dos olhos. O tablóide relatou que nas próximas semanas médicos suíços ajudarão Schumacher a usar uma cadeira de rodas especial, controlada pela boca do ex-piloto. Além disso, jornais da Croácia informaram que os doutores Darko Chudy e Vedran Deletis estão desenvolvendo um microchip para fazer o alemão andar e falar novamente. Mesmo assim, Schumacher ainda necessita de constantes cuidados médicos por conta dos traumatismos que sofreu no acidente de esqui, há quase oito meses. Michael Schumacher, de 45 anos, ficou internado por seis meses em Grenoble, na França, depois de bater a cabeça numa pedra, em uma pista de esqui, em Méribel, nos Alpes Franceses, em dezembro de 2013. No mês passado, o ex-piloto saiu do coma e foi levado para uma clínica hospitalar em Lausanne, na Suíça. A imprensa internacional especula que Schumacher poderá ter alta e utilizar uma cadeira de rodas eletrônica no final de agosto.

GABINETE ISRAELENSE REJEITA POR UNANIMIDADE O INACEITÁVEL PLANO AMERICANO DE CESSAR-FOGO

O gabinete de segurança israelense rejeitou por unanimidade nesta sexta-feira uma proposta de cessar-fogo na Faixa de Gaza apresentada pelo secretário de Estado americano, John Kerry, que tinha o objetivo de estabelecer uma trégua de uma semana no conflito que já deixou mais de 800 palestinos e trinta israelenses mortos. Uma fonte diplomática israelense disse que o país quer realizar mudanças no plano antes de interromper a ofensiva. Uma das exigências de Israel é que, durante o período de trégua, seja assegurado o direito de operar contra os túneis clandestinos em Gaza. Apesar da rejeição, o governo deixou a porta aberta para que a proposta seja melhorada e, consequentemente, aceita. O Hamas, por sua vez, tem insistido em um acordo mais amplo, que inclua o fim do bloqueio de Israel ao território. Embora não tenham sido divulgados integralmente, os termos da proposta de Kerry previam que as negociações entre as partes seriam mantidas para que um acordo permanente pudesse ser firmado.  A operação israelense com o objetivo de conter os disparos de foguetes a partir de Gaza contra o seu território chegou nesta sexta-feira ao 18º dia. Na Cisjordânia, cinco palestinos foram mortos e vários ficaram feridos em confrontos com forças israelenses durante manifestações contra a operação. O Exército de Israel foi colocado em alerta máximo na região, que foi declarada “dia de fúria” pelo Hamas, pela Jihad Islâmica e também pela Autoridade Palestina.

DÉFICIT EM TRANSAÇÕES CORRENTES SOMA US$ 3,345 BILHÕES EM JUNHO

O déficit em transações correntes do Brasil somou 3,345 bilhões de dólares em junho, informou o Banco Central nesta sexta-feira. O resultado foi melhor do que projetavam analistas, 3,9 bilhões de dólares, e da estimativa do Banco Central, de 4,3 bilhões de dólares. Em maio, o déficit das transações ficou em 8,3 bilhões, o pior desempenho para o mês desde o início da série histórica, em 1947. As transações correntes mostram o fluxo de divisas que circula no Brasil por meio de importações, exportações e transferências de recursos. O montante é composto pelas contas da balança comercial, serviços, rendas e pelas remessas ao Exterior. De acordo com o Banco Central, a conta de rendas ficou negativa em 2,466 bilhões de dólares, enquanto a de serviços mostrou resultado negativo de 3,371 bilhões de dólares. Esses resultados foram parcialmente compensados pelo superávit comercial de 2,364 bilhões de dólares e pelas transferências unilaterais positivas em 128 milhões de dólares. No acumulado de janeiro a junho de 2014, o déficit em conta corrente soma 43,311 bilhões de dólares, o equivalente a 3,47% do Produto Interno Bruto (PIB). No acumulado dos últimos 12 meses até junho, o saldo está negativo em 81,193 bilhões de dólares, o que representa 3,58% do PIB.  Sempre que as transações correntes ficam no vermelho, é preciso que o Investimento Estrangeiro Direto (IED) seja alto o suficiente para cobrir o rombo. Nos últimos dez anos, até o final de 2012, foi possível financiar o déficit com o IED. Contudo, a saída de recursos tem se ampliado num compasso maior que a entrada. A trajetória das contas externas do País tem se deteriorado de maneira mais intensa desde meados de 2013. Esse fator, aliado à inflação e à deterioração fiscal, constitui a principal razão para a crescente desconfiança do investidor externo em relação ao Brasil. Analisando, sobretudo, as contas externas dos países emergentes, o Federal Reserve divulgou um relatório no início do ano apontando quais países estavam em situação mais vulnerável em relação a possíveis turbulências causadas pela retirada dos estímulos monetários. O Brasil foi citado pelo Fed como um dos mais vulneráveis.

AÉCIO NEVES VISITA FAVELA NO RIO DE JANEIRO E APONTA DIFICULDADE DE DILMA PARA FAZER CAMPANHA NA RUA

Na noite de quinta-feira, Dilma esteve em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, para um jantar fechado organizado por políticos aliados. Foi uma tentativa de reação ao abandono do PMDB fluminense. O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), afagou Dilma e prometeu buscar votos para ela. A cúpula do partido no Estado, entretanto, lançou o "Aezão" para puxar votos para Aécio Neves e Pezão. Durante a visita a uma das regiões conflagradas por conflitos entre policiais e traficantes, Aécio Neves defendeu a redução da maioridade penal para jovens com mais de 16 anos acusados de crimes hediondos. A proposta consta em projeto de lei de autoria do senador Aloysio Nunes (PSDB), candidato a vice-presidente na chapa dele. “O projeto do Aloysio atinge 1% dos jovens que comete algum delito e pode sinalizar um caminho de diminuição da impunidade. Vamos travar essa discussão, mas é um paliativo. A solução é educação, oportunidade e o Brasil voltar a crescer”, afirmou. Acompanhado da filha Gabriela Neves, o presidenciável tucano visitou uma favela fluminense sem Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), o programa de ocupação policial do PMDB no Rio de Janeiro que Aécio Neves pretende reproduzir em outras regiões do País. Ele também criticou o fato de Dilma ter sido poupada no julgamento do Tribunal de Contas da União pelo prejuízo causado com a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras. “Acho curioso que diretores sejam responsabilizados e membros do conselho com responsabilidade formal pela decisão tenham tido tratamento diferenciado. Falta uma palavra pessoal da presidente sobre esse caso”, criticou.

MINISTÉRIO PÚBLICO GAÚCHO REVELA NOVA AÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA CONTRA O PREFEITO PETISTA JAIRO JORGE, EM CANOS

Jornais, rádios e TVs da grande mídia protegem o prefeito de Canoas, o petista Jairo Jorge, e nada publicam sobre as ações de improbidade movidas pelo Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul contra ele. A notícia a seguinte, exclusiva, é um novo caso. Além da ação de improbidade administrativa que já tramita nas 5ª Vara Civel de Canoas, referente as irregularidades nas compras de uniformes escolares, também vai em fase adiantada demanda de igual teor protocolada pelo Ministério Público Estadual, mas desta vez relacionadas a ilegalidades na contratação dos serviços da agência de publicidade Publi Up Propaganda. Os promotores pediram o afastamento do prefeito Jairo Jorge e a suspensão dos seus direitos políticos por oito anos. A ação civil pública fala em prejuízos de R$ 176 mil, exigindo a devolução do dinheiro. Nas eleições de 2008, a Publi Up foi doadora da campanha eleitoral de Jairo Jorge, que é do PT. A questão toda está relacionada a contratações feitas sem licitação, tudo por tomadas de preços consideradas viciadas, visando o fornecimento de serviços e produtos para festas como “Prefeitura na Rua”, “Brechó do MACA” e “Festa dos Navegantes”. O promotor José Nilton Souza de Costa, que assina a petição inicial, encontrou contratações e pagamentos irregulares para Publi Up, Hesch Editora, Impressul e Centeno. Alega o promotor que orçamentos “frios” foram apresentados, apenas para justificar a existência de três propostas. Em relação aos orçamentos, irregularidades enormes foram encontradas: ausência de dados das empresas nos orçamentos, como CNPJ, uso sistemático das mesmas empresas proponentes, ausência de empenho prévio, múltiplos contratos para a aquisição do mesmo tipo de bens. Embora a lei proíba, a agência Publi Up foi contratada, mesmo sabendo o prefeito Jairo Jorge que a empresa era devedora de débitos tributários. Na ação de improbidade administrativa, denuncia o Ministério Público gaúcho o seguinte: "Os demandados, em comunhão de esforços e convergência de vontades, incorreram em atos que importaram prejuízos ao erário público, ensejando enriquecimento ilícito de terceiros". . O inquérito Civil que instruiu as petição inicial tem o número 93/2009 e foi realizado pela 1ª Promotoria de Justiça Especializada de Canoas. (Políbio Braga)

BANCO SANTANDER DIZ A CLIENTES QUE A REELEIÇÃO DA PETISTA DILMA AFUNDARÁ A ECONOMIA DO BRASIL

O Banco Santander acaba de enviar aos seus clientes de alta renda, Porto Alegre e todo o País, um texto afirmando que o eventual sucesso eleitoral da presidente Dilma Rousseff irá piorar a economia do Brasil. A análise foi impressa na última página do extrato dos clientes na categoria “Select”, com renda mensal superior a R$ 10 mil. Diz que se Dilma melhorar nas pesquisas de intenção de voto, os juros e o dólar vão subir e a Bolsa, cair. O texto vem sob o título “Você e seu dinheiro” e orienta os clientes do Santander: um cenário eleitoral favorável à petista reverterá “parte das altas recentes” na Bolsa. O Santander confirmou a autenticidade do documento e disse adotar critérios “exclusivamente técnicos” em suas análises econômicas, “sem qualquer viés político ou partidário”. Leia o texto do comunicado do banco: "O Santander esclarece que adota critérios exclusivamente técnicos em todas as análises econômicas, que ficam restritas à discussão de variáveis que possam afetar os investimentos dos correntistas, sem qualquer viés político ou partidário. O texto veiculado na coluna ‘Você e Seu Dinheiro’, no extrato mensal enviado aos clientes do segmento Select, pode permitir interpretações que não são aderentes a essa diretriz. A instituição pede desculpas aos seus clientes e acrescenta que estão sendo tomadas as providências para assegurar que nenhum comunicado dê margem a interpretações diversas dessa orientação". (Políbio Braga)

GILBERTO CARVALHO, POR ENQUANTO, VENCE BRAÇO DE FERRO, COM AUXÍLIO DE LULA, E FICA NO GOVERNO, SABOTANDO-O. ENTÃO QUE FIQUE!

Gilberto Caralho: Lula vence batalha e mantém seu espião no governo
Gilberto Carvalho: Lula vence batalha e mantém seu espião no governo
Dedico nesta sexta, na Folha, mais uma coluna a Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência, vejam lá. A presidente Dilma Rousseff já percebeu que ele não é exatamente alguém que lute para que ela se reeleja. Em certa medida, pode até fazer o contrário: Carvalho é o tipo de militante que, caso considere que a doutrina partidária está sendo contrariada, prefere a derrota que purifica à vitória que não honra os fundamentos.
A luta dos que tentam botar Carvalho para fora do Ministério continua, a começar de Aloizio Mercadante, ministro da Casa Civil. Mas não será fácil. E, por enquanto ao menos, os seus adversários internos foram derrotados. A razão é simples. Luiz Inácio Lula da Silva, o chefão nº 1 do PT, entrou em ação para manter no Planalto o chefão nº 2 do partido — justamente Carvalho, que atua como seus olhos, mãos e ouvidos. Segundo a família de Celso Daniel, prefeito assassinado de Santo André, as mãos de Carvalho carregaram bem mais do que um destino.
Carvalho é o Savonarola do PT e do Planalto, aquele que se apresenta como o chefe da doutrina e o purificador, o que lhe rende também simpatias em amplos setores da imprensa, que o veem como um homem sem ambições pessoais. Quem quiser que se comova. Tomem o caso do Decreto 8.243, aquele que disciplina a participação dos movimentos sociais no governo federal. É claro que a presidente Dilma não foi obrigada a assinar aquela porcaria. Por sua própria vontade, no entanto, isso seria deixado pra lá. Quem forçou a mão foram setores do PT e, evidentemente, Carvalho. Diante da resistência da Câmara — na verdade, do Congresso —, em vez de buscar a conciliação, o convencimento, o entendimento, ele anuncia uma “guerra” e uma “luta até o fim”.
De junho do ano passado a esta data, a Carvalho cabia o chamado “diálogo” com os movimentos sociais — ou por outra: a sua função era justamente desarmar o gatilho das manifestações violentas, que acabaram caindo no colo de Dilma Rousseff. E o que se sabe hoje? Este senhor resolveu bater um papinho com black blocs. Sob a sua gestão, a questão indígena se tornou, literalmente, um assunto que se debate com arco, flecha e balas. Carvalho tentou até mesmo, como esquecer?, transformar os rolezinhos numa guerra racial.
Este senhor não é exatamente um homem, mas uma personagem. Num romance como “O Nome da Rosa”, por exemplo, de Umberto Eco, ele seria um daqueles obcecados que se moveriam nas sombras, com convicção inquebrantável, em nome de alguma doutrina morta. Se estivesse em “Criação”, de Gore Vidal, caber-lhe-ia o papel de um dos eunucos da corte persa, defendendo valores nos quais o próprio imperador não acredita.
Lula agiu para Carvalho continuar no governo. Dilma que se vire com os seus sabotadores. Por Reinaldo Azevedo

RESPOSTA A GUILHERME BOULOS, O VIGARISTA DELIRANTE QUE, ATENDENDO ÀS ORDENS DE SEU PARTIDO, QUER ME ELIMINAR DO DEBATE. E, CLARO, ELE AVANÇO NO ANTISSEMITISMO TAMBÉM!

Guilherme Boulos, o dono do MTST, o autointitulado Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, escreveu uma coluna na Folha Online com ataques a mim. Já publiquei seu texto no blog com uma breve resposta. Vamos, agora, a considerações nem tão breves. Sua coluna segue em vermelho, interrompida por considerações minhas, em azul.

*
A direita brasileira já foi melhor. Teve nomes como Roberto Campos e José Guilherme Merquior entre seus quadros, formulando sobre teoria econômica e política internacional. Naquele tempo, a direita recorria a argumentos, além do porrete. Hoje restou apenas o porrete, aplicado a esmo sem maiores requintes de análise.
Haviam me dito, e eu achava, sim, tratar-se de um erro, que esse cara era melhor. Já vivi o bastante para acertar na primeira impressão — quase sempre ao menos. Se há crítica vulgar, intelectualmente vigarista, picareta mesmo, é esta: “A direita brasileira já foi melhor”. Dez entre dez esquerdistas mixurucas, como é o caso desse rapaz, a repetem. Dizer o quê? Em primeiro lugar, esquerdistas não são exatamente bons juízes da qualidade da direita. Em segundo lugar, sempre que se buscam os tais “direitistas melhores”, eles não variam muito: Merquior (que nem de direita era) e Campos. Em terceiro lugar, note-se que, para eles, direitistas respeitáveis estão necessariamente mortos. Como esquecer que, vivo, Merquior foi alvo de um abaixo-assinado promovido por amiguinhos de Marilena Chaui, inconformados com o fato de que o intelectual apontara um óbvio plágio no livro “Cultura e Democracia”, de autoria da sedizente “filósofa”? Ela havia traduzido sem querer, sabem?, algumas páginas de um livro de Claude Lefort. Na obra desta senhora, em suma, havia coisas novas e boas. As novas não eram boas, e as boas não eram novas… E Campos? Durante anos foi tratado como mero conspirador, chamado jocosamente de “Bobby Fields” pelas esquerdas, que o consideravam americanista e entreguista. Aí eles morreram. Foram alçados ao panteão dos “direitistas melhores”.
Só para constar: nem Merquior nem Campos formularam “sobre” (para empregar a regência energúmena de Boulos) política internacional ou política econômica respectivamente. Isso é só a voz da ignorância posando de sábia. Vá se instruir, rapaz! Quanto a porrete, dizer o quê? A esquerda radical conta a sua história em cadáveres; os liberais, em direitos individuais.
Impressiona o baixo nível intelectual dos representantes da direita no debate público nacional. Não elaboram, não buscam teoria nem referências. Não fazem qualquer esforço para interpretar seriamente a realidade. Apenas atiram chavões, destilando preconceitos de senso comum e ódio de classe.
É um artigo ginasiano. Eu escrevi uma coluna sobre Boulos na Folha. Estáaqui. Ele, como se vê, responde. Comparem os textos. Avaliem quem apela à teoria e quem se limita ao xingamento. Ele baba, sim, mas ignorei esse aspecto em meu artigo porque não é relevante. Como? Esforço para interpretar seriamente a realidade??? Quer dizer que, caso eu me dedique a esse ofício, vou necessariamente concordar com ele? O link do meu artigo está aí. Procurem lá os “preconceitos de senso comum e ódio de classe”. Se eu me considerasse um bom juiz das esquerdas, eu diria que elas já foram melhores, não é? Já houve Caio Prado. Hoje, há Guilherme Boulos.
Reinaldo Azevedo é hoje o maior representante dessa turma. Com 150 mil acessos diários em seu blog mostra que há um nicho de mercado para suas estripulias.
Ao lado dele tem gente como Rodrigo Constantino, aquele que se orgulha das viagens a Miami e se despontou como legítimo defensor dos sacoleiros da Barra da Tijuca.
Antes os intelectuais de direita iam fazer estudos em Paris. Agora vão comprar roupas em Miami. Sinal dos tempos e das mentes.
Você está errado! A média diária é superior a 200 mil acessos. O mercado para as minhas estripulias é bem maior. Nunca estive em Miami. E não é por preconceito. Só entro em avião em último caso — e não há um último caso que possa me levar pra lá. A ignorância de Boulos é assombrosa até quando tenta fazer alguma ironia. Paris sempre foi a Meca dos intelectuais de esquerda. Os liberais, que ele chama “direita”, preferem outras praças, onde a guilhotina, por herança e atavismo, não separa o pensamento do pescoço. Boulos me decepciona um pouco. Passaram-me a impressão de que estávamos, sei lá, diante de um Marat dos Trópicos, de um Saint-Just da Vila Madalena… É só um Zé-Mané que não ouviu o número necessário de “nãos” quando era criança e se transformou em um pivete de classe média repetindo chavões do igualitarismo.
Dispostos a tudo para fazer barulho no debate público, mas sem substância em suas análises, aproximam-se frequentemente de um discurso delirante.
Qual é a “substância” das “análises” de Boulos? Qual é o pensamento desse chefe de milícia? Por que ele não produz teoria demonstrando a economicidade de sua luta? Por que ele não evidencia, também no campo da teoria, que o roubo da propriedade alheia é uma forma eficiente de redistribuição da riqueza? Esse rapaz tem a arrogância própria dos ignorantes — e isso, sim, é um traço de classe. Mas é agora que a coisa começa a ficar divertida.
Reinaldo Azevedo jura que o governo petista quer construir o comunismo no Brasil. E vejam, ele não está falando do Lula de 1989, mas do governo do PT de 2003 a 2014. Sim, o mesmo que garantiu lucros recordes aos bancos e empreiteiras na última década. Que manteve as bases da política econômica conservadora e que nem sequer ensaiou alguma das reformas populares historicamente defendidas pela esquerda. Neste governo que, com muito esforço, pode ser apresentado como reformista, ele enxerga secretas intenções socializantes. Certamente com o apoio da Odebrecht e de Katia Abreu. Só no delírio…
Vamos lá. Se alguém encontrar algum texto em que eu “jure” ou mesmo sugira que o PT quer construir o comunismo no Brasil, paro de fazer este blog, de escrever minhas colunas na Folha e de falar na Jovem Pan. Boulos não suportou as verdades que eu disse sobre ele em minha coluna e decidiu responder, dizendo mentiras sobre mim. Ao contrário, rapaz! Eu sempre fiz pouco caso da profissão de fé socialista do PT. Eu considero seus amiguinhos oportunistas, Boulos! Comunistas, não! São defeitos de caráter distintos. O arquivo do meu blog está aí, à disposição. Já escrevi centenas de textos sobre a intimidade do PT com o setor financeiro e suas relações incestuosas com o capital.
Boulos não reconhece os limites da lei e do estado de direito. Dentro de sua deformação essencial, no entanto, poderia ser um debatedor honesto, mas ele não é. Honestidade no debate de ideias requer informação e formação intelectual, o que ele não tem. Atribuir ao outro o que ele não pensa — e nunca escreveu — para contestá-lo não é só coisa de um mau debatedor; é coisa de um mau-caráter.
Para ele, João Goulart é que era golpista em 64.
Não! Eu afirmei que a democracia morreu em 1964 por falta de quem a defendesse — Goulart inclusive. E, sim, ele flertou com o golpe, está documentado, mas não levou a ideia adiante porque lhe faltaram condições. Vá estudar, ignorante!
Os black blocs são amigos do ministro Gilberto Carvalho.
Gilberto Carvalho confessou em entrevista que fez várias reuniões com eles. Se são “amigos”, não sei. Interlocutores, com certeza! Fatos.
E as pessoas só são favoráveis às faixas exclusivas de ônibus por medo de serem acusadas de elitistas. Ah sim, sem esquecer que a mídia brasileira – a começar pelas Organizações Globo – é controlada sistematicamente pela esquerda.
Ele baba, ele xinga. Ofende os fatos e fantasia perigos. Lembra, embora com menos poesia, dom Quixote atacando os moinhos de vento.
Boulos acha que pode invadir o pensamento alheio mais ou menos como invade a propriedade alheia. A referência às faixas é patética. Eu me referia a um dado em particular da pesquisa, segundo o qual os motoristas de carros defendem as faixas. É simples: não há razão objetiva para isso. Mas não me estenderei a respeito: os 47% de “ruim e péssimo” e os 15% de “ótimo e bom” de Haddad, seu amiguinho, argumentam por mim.
E, é evidente, nunca escrevi que a “mídia brasileira” — expressão que não emprego — é controlada pela esquerda. O que digo, de forma inequívoca, é que a imprensa veicula, majoritariamente, valores de esquerda. Fatos.
Eu babo? Eu xingo? Boulos não é aquele rapaz que prometeu fazer correr sangue durante a Copa se suas reivindicações não fossem atendidas? Quanto ao mais, dizer o quê? Referir-se a Dom Quixote para atacar um adversário que ele pretende tão desprezível é só mais uma expressão saliente de burrice. Boulos deve ter lido no Google que o Quixote era um passadista maluco, que buscava restaurar um tempo irremediavelmente perdido etc. Não, meu velho! A disputa que há lá é de valores. Não me sinto à altura da personagem, nem por associação de ideias.
A pérola mais recente é escabrosa: Israel seria vítima do marketing internacional do Hamas. No momento em que o mundo vê a olhos nus centenas de palestinos serem massacrados na Faixa de Gaza, ele denuncia uma conspiração internacional de mídia contra o Estado de Israel. Encontrou eco no também direitista delirante Luis Felipe Pondé, em artigo nesta Folha.
Teoria da conspiração vá lá, até pode ter seu charme; mas, como dizia Napoleão, entre o sublime e o ridículo há apenas um passo. Reinaldo Azevedo e seus sequazes já atravessaram faz tempo esta fronteira.
De fato, os textos que têm se prestado a publicar acerca do genocídio na Palestina já superaram o ridículo. Chegaram ao cinismo. Dizer que as crianças mortas na Faixa de Gaza são marketing é uma afronta do mesmo nível da deputada sionista que defendeu o extermínio em série das mulheres palestinas para impedir a procriação. É apologia covarde ao genocídio e ao terrorismo de Estado.
Afirmar que há um genocídio de palestinos ultrapassa o limite da delinquência intelectual: é um crime moral, especialmente quando se atribui a ação genocida aos judeus. Não é preciso ser muito sagaz para perceber que se está diante de uma das várias expressões da negação do Holocausto. E é claro que esse cara não me surpreende com essa afirmação asquerosa.
Boulos acredita que pode participar desse debate apelando a citações do Google. Não pode, não! Eu o desafio a demonstrar que escrevi que crianças mortas na Faixa de Gaza são puro marketing. É mentira! É coisa de um vagabundo intelectual. O que aponto, sim, desde sempre, é o culto da morte celebrado pelo Hamas. Publiquei neste blog um vídeo em que um porta-voz do movimento terrorista concede uma entrevista defendendo abertamente a prática dos escudos humanos. É Boulos, o filhinho de papai que está brincando de socialismo, a acusar os outros de cruzar a fronteira do ridículo?
A direita se diferencia da esquerda, dentre outras coisas, pela análise dos fatos. Mas não por criar fatos ou ignorá-los. Ao menos quando tratamos de uma direita séria.
A “análise” que esse cara faz da guerra entre Israel e o Hamas demonstra o apego que tem aos fatos. Falta-lhe a honestidade básica para, ao menos, responder ao que o outro efetivamente escreve ou pensa. Dispenso-me de indagar o que ele acha dos mais de dois mil foguetes que o Hamas disparou contra Israel em 15 dias.
No caso de Reinaldo Azevedo e dos seus, estamos num outro campo. Não é apenas a direita. É uma direita delirante. A psiquiatria clínica é clara: negação dos dados da experiência, somada a uma reconstrução da realidade pela fantasia chama-se delírio. Aqui há ainda o agravante da fixação em temas recorrentes. PT, movimentos populares e mais uns dois ou três.
Huuummm… Falou o especialista em psiquiatria! É evidente que eu não esperaria que ele fosse, nessa área, um exemplo de ética. Como se nota, num mundo em que Boulos estivesse no poder, eu seria mandado para o hospício ou para um campo de reeducação. É o burguesote radical convertido em líder de sem-teto que vem falar em negação dos dados da experiência? É Guilherme Boulos, que se pretende líder até do movimento dos sem-iPhone, que vem falar em fantasia?
Um delírio em si é inofensivo. O problema é quando começa a juntar adeptos, movidos por ódio, preconceitos e mentiras. É assim que nascem os movimentos fascistas. Quem defende extermínio higienista em Gaza também deve defendê-lo no Complexo do Alemão ou em Paraisópolis.
Extermínio higienista em Gaza? Mas Israel está fora de Gaza faz tempo! Quem elimina seus adversários no território é o Hamas. E as vítimas são os próprios palestinos.
Quem vem falar de movimento fascista? O cara que cerca a Câmara dos Vereadores para impor no berro a sua vontade? O cara que organiza a sua milícia para furar a fila dos cadastrados que estão à espera de casa? O cara que cassa dos paulistanos o direito constitucional de ir e vir? O cara que ameaça fazer correr sangue se a sua vontade não for satisfeita? O cara que decide tomar na marra terrenos cuja propriedade é regular e legal? Fascista é Boulos. Fascista e antissemita!
Reinaldo Azevedo certamente ainda não representa um risco político real, mas o crescimento de seus seguidores é um sintoma preocupante da intolerância e desapego aos fatos que ameaçam o debate público no Brasil.
Atenção! Ele está fazendo um alerta, viu, pessoal!? Boulos, a exemplo do PT — e ele não passa de mero estafeta do petismo —, também acha que faço mal ao debate público. Por isso o seu partido me botou na tal lista negra. Ora, o que ele está sugerindo? Que eu seja eliminado enquanto é tempo! O sujeito que não respeita a Constituição, que não respeita o Código Penal, que não respeita o Código Civil, que ignora as regras mais elementares da convivência civilizada, está fazendo um alerta: eu e meus seguidores ameaçamos “o debate público”. Vocês já me viram liderando milícias por aí?
É um engano imaginar que Boulos se distingue no PT. É a pessoas como ele que recorrem os Gilbertos Carvalhos e Fernandos Haddads da vida. Vocês acham o quê? Que as suas ações delinquentes durante a votação do Plano Diretor da cidade não estavam devidamente coordenadas com o partido e com o prefeito? Quando Lula fala em se reaproximar dos movimentos sociais, pensa em gente como esse rapaz. Ele é parte essencial da máquina autoritária petista.
Não, meus caros! Boulos, PT e toda essa gente não vão construir o socialismo no Brasil. Socialismo não há mais. Eles são, isto sim, é autoritários. E têm o anseio de tomar o lugar da sociedade. Foi assim que esse bestalhão se tornou hoje o agente imobiliário mais importante de São Paulo.
Ele está bravo comigo porque decidi prestar atenção a seu movimento. Eu e o Ministério Público de São Paulo. Hoje, ele se tornou um coronel urbano, o dono do programa de habitação da cidade. Haddad, o seu aliado, mantém escondido o cadastro das pessoas à espera de casa. É preciso que fique claro: boa parte da ação de Guilherme Boulos é crime caracterizado no Código Penal.
Ele fala em fatos… Pois é. A Folha, o jornal em que ele escreve, decidiu visitar uma das invasões que ele promove, no bairro do Morumbi. Não havia pessoas lá. Só barracas. Seus invasores eram de mentirinha. Os sem-teto de Boulos não existem — não no número que ele alardeia. Mas existe o MTST, o aparelho.
Compreendo. Não se chega a ser um Boulos na vida sem ser também um vigarista.
PS: Ah, sim: Boulos havia escrito quatro colunas na Folha. Ninguém tinha dado a menor bola. Na quinta, resolveu me atacar. Virou o mais lido do dia. Esperto esse moço! De líder do MSL (Movimento dos Sem-Leitores) ao topo. Com a ajuda do Reinaldo Azevedo. Ele não é o primeiro. A turma do MSL sempre espera a minha ajuda. Por Reinaldo Azevedo

SININHO E MAIS DOIS BLACK BLOCS DEIXAM A PRISÃO NO RIO DE JANEIRO

Os black blocs Elisa Quadros, a Sininho, Camila Jourdan e Igor D'Icarahy deixaram a prisão na tarde desta quinta-feira no Rio de Janeiro. Eles estavam presos desde o dia 12 de julho, véspera da final da Copa do Mundo, por planejar e participar de atos violentos em manifestações de rua. O trio deixou a prisão beneficiado por um habeas corpus concedido pelo desembargador Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A decisão judicial permite que respondam em liberdade a processo por associação criminosa armada. A decisão beneficia 23 black blocs, mas dois deles – Fábio Raposo e Caio Silva – continuarão detidos porque restam contra eles ordens de prisão preventiva expedidas pelo assassinato do cinegrafista Santiago Andrade. Dezoito beneficiados estavam foragidos. Sininho e Camila estavam detidas na Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, e Igor D'Icarahy estava preso na Cadeia Pública José Frederico Marques. As unidades prisionais ficam no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Por volta das 18 horas, um grupo de baderneiros que aguardava a saída dos três agrediu fotógrafos e cinegrafistas. O grupo de 23 foi investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro na Operação Firewall. Dezenove foram presos na véspera da final da Copa do Mundo acusados de organizar protestos violentos que seriam realizados durante a partida. Durante o cumprimento dos mandados de prisão, foram apreendidas garrafas, litros de combustível, um revólver e uma bomba caseira. O desembargador Siro Darlan afirmou que não analisou o processo na íntegra, mas se baseou em informações enviadas formalmente pelo juiz Flávio Itabaiana Nicolau sobre a necessidade das prisões dos 23. "O juiz mandou as informações para análise e, neste momento, não preciso analisar o inquérito. Constatei que a prisão não era necessária e que podiam permanecer em liberdade com medidas cautelares", afirmou ao site VEJA. Para impedir a fuga dos 23, o desembargador determinou que eles entreguem até a noite desta quinta-feira os passaportes para a Justiça. Também obrigou que eles compareçam mensalmente à 27ª Vara Criminal da Capital do Rio, onde corre o processo por associação criminosa, para informar e justificar atividades no período. Foram ainda proibidos de sair da cidade sem prévia autorização judicial. Se qualquer uma dessas medidas for desrespeitada, a prisão preventiva será imediatamente decretada. Na decisão, o desembargador menciona o entendimento do Ministério Público do Rio de Janeiro em relação aos acusados Camila Jourdan e Igor D'Icarahy. Além da ordem de prisão por associação criminosa armada, o casal foi preso em flagrante no dia 12 de julho pela posse de uma bomba caseira com capacidade letal. Mas, a partir da concordância da Promotoria, ganharam o direito de responder a esse crime em liberdade. Continuavam, no entanto, presos devido à ordem de prisão preventiva no processo por associação criminosa. Este é o primeiro processo no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro contra quadrilhas responsáveis por atos violentos em manifestações. A polícia diz ter obtido provas de que os 23 acusados praticaram atos violentos e planejavam novos crimes ao término da Copa do Mundo.

PETROBRAS DIZ QUE DEFENDERÁ DIRETORES CITADOS PELO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO

A Petrobras afirmou nesta quinta-feira que assegurará a defesa dos seus ex-gestores e atuais em processo no Tribunal de Contas da União sobre a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. "A Petrobras confirma a sua defesa relacionada à aquisição, apresentada ao Tribunal de Contas da União em janeiro de 2014, e, nesse novo processo que se inicia, assegurará a defesa dos seus gestores, presentes e passados, quanto aos atos decorrentes do exercício das suas funções, nos termos do art. 23, § 1º, do seu Estatuto Social", informou a empresa, em nota. O TCU apontou na quarta-feira possíveis irregularidades na compra da refinaria e pode condenar os envolvidos a pagar quase 800 milhões de dólares à estatal. Os ministros do TCU aprovaram, por unanimidade, o texto do relator José Jorge, que cobrou explicações de executivos envolvidos no negócio, incluindo o ex-presidente da empresa José Sergio Gabrielli. A estatal afirmou que a decisão do TCU deu início a um novo processo que permitirá a defesa individual daqueles mencionados no caso. "A decisão  promove o início de um processo no qual será dada a oportunidade, pela primeira vez, de defesa individual de cada um dos gestores mencionados, não significando, portanto, que o TCU tenha promovido neste momento qualquer condenação desses gestores", afirmou a empresa. O relatório do ministro relator José Jorge isentou os integrantes do Conselho de Administração da empresa, na época presidido pela presidente Dilma Rousseff. O TCU também determinou a indisponibilidade dos bens da diretoria pelo prazo de um ano. Entre os executivos que terão os bens indisponibilizados está o atual diretor de Relações com Investidores da Petrobras, Almir Barbassa, o ex-presidente da estatal José Sergio Gabrielli, os ex-diretores da Área Internacional, Nestor Cerveró, e de Refino e Abastecimento, Paulo Roberto Costa. Com a decisão, os executivos citados não poderão se desfazer de seus bens ao longo do período de investigação, mas podem continuar recebendo rendimentos, como aluguéis.

OMS DIZ QUE PROGRAMAS DE PREVENÇÃO E IMUNIZAÇÃO PODEM ERRADICAR A HEPATITE

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu nesta quinta-feira, durante uma conferência em Genebra, na Suíça, que países desenvolvam programas de prevenção de hepatite e reforcem as campanhas de imunização, a fim de reduzir a incidência dos tipos de hepatite A e B, que já possuem vacinas. Anualmente, a doença causa 1,4 milhão de mortes. Cerca de 500 milhões de pessoas no planeta estão infectadas com algum dos vírus causadores da moléstia. "Estamos pedindo aos líderes do mundo para perceberem que esse é o momento de aplicar as medidas necessárias para acabar com a hepatite. Agora podemos realmente eliminá-la", diz Samuel So, médico, diretor do Centro Asiático do Fígado e especialista da OMS. Segundo o diretor do Programa Mundial de Hepatite da OMS, Stefan Wiktor, os remédios já provaram que podem curar 90% dos casos. Em maio deste ano, a Assembléia Mundial da Saúde aprovou uma resolução que pede o desenvolvimento e implantação de políticas públicas destinadas a reduzir a incidência e mortalidade da hepatite. Stefan Wiktor explicou que as orientações já surtiram efeito em países como Brasil, Egito, Indonésia e Ucrânia, que estão estendendo ou criando programas para lutar contra a doença. A hepatite é uma inflamação no fígado, causada na maioria dos casos por uma infecção viral. Ela é gerada por cinco vírus principais: A, B, C, D e E. Os mais perigosos são os tipos B e C, que desencadeiam cirrose e câncer de fígado. Aproximadamente 240 milhões de pessoas no mundo têm o vírus B e dois terços não sabem que são portadores da doença. Em 80% dos casos, a medicação evita câncer de fígado. "O problema é que não basta ter remédios. É necessário, também, serviços clínicos, equipes capacitadas e laboratórios equipados", diz Wiktor. As hepatites A e E são contraídas pela ingestão de água ou comida contaminadas, enquanto os vírus B, C e D são transmitidos por fluidos corporais — seringas compartilhadas, transfusão de sangue ou relações sexuais. Há vacinas para os tipos A e B. "Cerca de 55% das mortes são causadas pelo vírus vírus B e 35% pelo C. Os 10% restantes são dos tipos A e E. A hepatite mata anualmente quase o mesmo número de pessoas que a aids e, no entanto, não tem os fundos necessários para sua erradicação",  diz Samuel So. Os especialistas sugerem que sejam usadas as mesmas estruturas para combater a hepatite já estabelecidas para lutar contra a aids, como o Fundo Global de Luta Contra AIDS, Tuberculose e Malária.

DESEMPREGO NA ESPANHA CAI PARA 24,5% NO SEGUNDO TRIMESTRE

O número de desempregados na Espanha recuou em 300 mil no segundo trimestre de 2014, durante um período marcado pela forte criação de empregos, mostraram dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE). A taxa de desemprego, uma das mais elevadas entre os países considerados desenvolvidos, caiu para 24,5% no segundo trimestre, de 25,9% no primeiro trimestre. Entre abril e junho, foram criados 402.400 postos de trabalho, o maior nível desde o auge do boom imobiliário espanhol em 2005. Segundo economistas, a reforma no mercado de trabalho de 2012, que flexibilizou as regras para contratação e dispensa de trabalhadores, está começando a ajudar a economia espanhola. O banco central do país estimou na quarta-feira um crescimento de 0,5% no Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre, na comparação com os três meses anteriores. Se confirmada, essa será uma das maiores expansões da zona do euro.

15% DOS ÓRGÃOS PÚBLICOS NÃO TÊM POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Todos os órgãos públicos federais e estaduais utilizam computadores em suas atividades cotidianas, mas uma fatia significativa deles ainda não adota cuidados básicos com a segurança dos dados. O estudo TIC Governo Eletrônico 2013, divulgado nesta semana pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), departamento que integra o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), mostra que 15% dos órgãos públicos pesquisados não adotam uma política de segurança da informação. Para fazer o estudo, o Cetic ouviu gestores das áreas de tecnologia de informação (TI) e conteúdo de 572 órgãos públicos federais e estaduais entre outubro e dezembro de 2013. Eles representam um universo de 1.586 órgãos de administração direta e indireta dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além do Ministério Público. O estudo reúne grandes unidades da administração pública, como ministérios e agências reguladoras; secretarias ministeriais, por exemplo, não foram computadas individualmente. Além disso, foram ouvidas 334 prefeituras, que forneceram informações sobre o Executivo local. O controle em relação à instalação de software em estações de trabalho, por exemplo, é apontado como inexistente em 15% dos órgãos públicos. “É uma falha grave que não pode ser tolerada”, diz Fabio Assolini, pesquisador sênior de segurança da fabricante de antivírus Kaspersky. A situação permite que usuários escolham quais programas instalar, o que pode levar ao uso de cópias piratas. Além disso, os computadores podem ser facilmente infectados por vírus e outras ameaças, caso os usuários façam download a partir de sites de compartilhamento de arquivos.

ISRAEL REBATE CRÍTICAS E FALA EM "IRRELEVÂNCIA" DIPLOMÁTICA DO BRASIL

A chancelaria de Israel rebateu nesta quinta-feira a nota emitida pelo Itamaraty condenando os bombardeios sobre Gaza. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Yigal Palmor, usou palavras duras ao classificar a nota como “uma infeliz demonstração de por que o Brasil, um gigante econômico e cultural, continua sendo um anão diplomático”. “O relativismo moral por trás deste movimento torna o Brasil um parceiro diplomático irrelevante, que cria problemas em vez de contribuir para soluções”, acrescentou, em declarações reproduzidas pelo jornal The Jerusalem Post. Um comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores de Israel afirma que o país “expressa seu desapontamento com a decisão do governo do Brasil de chamar seu embaixador para consultas”. “Esta decisão não reflete o nível de relações entre os países e ignora o direito de Israel de se defender. Ações deste tipo não contribuem para promover a calma e a estabilidade na região. Ao contrário, impulsionam o terrorismo e naturalmente afetam a capacidade do Brasil de exercer influência”, diz o texto divulgado no site da chancelaria. “Israel espera apoio de seus aliados na luta contra o Hamas, que é reconhecido como uma organização terrorista por muitos países ao redor do mundo”. O ministro das Relações Exteriores Luiz Alberto Figueiredo respondeu dizendo que “se há algum anão diplomático, o Brasil não é um deles, seguramente”. “Países têm o direto de discordar. E nós estamos usando o nosso direito de sinalizar para Israel que achamos inaceitável a morte de mulheres e crianças, mas não contestamos o direito de Israel de se defender. Jamais contestamos isso. O que contestamos é a desproporcionalidade das coisas”, acrescentou. Com sua fala, o ministro das Relações Exteriores comprovou que é mesmo um anão diplomático e que tomou uma atitude indigna da história da diplomacia brasileira. Ingressará com facilidade no livro da história mundial da infâmia.

CASAL KIRCHNER AGIA COMO FUNDOS ABUTRES DURANTE A DITADURA MILITAR ARGENTINA

Na última semana, a Argentina acusou os chamados fundos abutres de extorsão e de fazerem ameaças e calúnias contra o país. Em anúncio de página inteira publicado no jornal norte-americano The New York Times, a Argentina afirmou que os fundos querem um lucro de 1.600%, o que poderia elevar sua dívida de 1,5 bilhão para 120 bilhões de dólares. Os chamados "fundos abutres" são credores que se recusaram a negociar os títulos da dívida argentina entre 2005 e 2010. Eles receberam este nome devido ao seu caráter especulativo. O que poucos sabem, no entanto, é que a forma de operação dos holdouts é semelhante às execuções hipotecárias que enriqueceram o casal Kirchner durante a ditadura militar. Fundo abutre é um jargão do mercado financeiro usado para classificar fundos de hedge que investem em papéis de países que deram calote — atuam, em especial, na América Latina e na África. Sua atuação é perfeitamente legítima. O termo abutre foi criado para diferenciá-los dos fundos convencionais, justamente por trabalharem como "agiotas" de países caloteiros, emprestando dinheiro em troca de "títulos podres". São considerados pelo mercado uma espécie de "investidor de segunda linha". Sua atuação consiste em comprar títulos da dívida de nações em default por valor irrisório para depois acionar o país na justiça e tentar receber ganhos integrais. Os "abutres" compraram os papéis da dívida argentina por 48,7 milhões de dólares em 2001 e querem receber, hoje, cerca de 1 bilhão de dólares. A Argentina, por sua vez, tenta escapar do pagamento. O país teme que, caso aceite pagar os "abutres" integralmente, os 92% de credores que aceitaram a renegociação da dívida em 2005 e 2010 possam buscar na Justiça o direito de receber ganhos integrais. E isso porque os incompetentes peronistas populistas argentinos colocaram cláusula nos contratos de renegociação da dívida que permite esta hipótese. Neste caso, o pagamento poderia reduzir as reservas internacionais do país a praticamente zero. Outro agravante é que, devido ao histórico de calotes e decisões econômicas escandalosas do país, sua credibilidade para negociar com credores está fortemente abalada. Em 1976, os advogados recém-formados Néstor e Cristina Kirchner começaram a trabalhar como assessores jurídicos da agência financeira Finsud, que realizava cobranças extrajudiciárias. A agência localizava-se em Rio Gallegos, capital da província de Santa Cruz. Quando um proprietário deixava de pagar a parcela mensal de crédito, Néstor Kirchner dava duas opções ao cliente: leiloar o imóvel e ficar sem nada ou vendê-lo ao próprio Kirchner por um valor irrisório. Assim o casal adquiriu 22 propriedades entre 1977 e 1982. “Compraram as casas de  pessoas que não podiam pagar”, afirmou o ex-deputado da União Cívica Radical de Santa Cruz, Javier Bielle. O patrimônio de Néstor e Cristina Kirchner continuou a crescer mesmo após chegarem ao governo de Santa Cruz e à presidência da Argentina. Dados de declarações juramentadas mostraram que o aumento foi de 4.567% entre 1995 e 2010.

POLÍCIA O QUINTO BLACK BLOC LIGADO A DEPREDAÇÃO EM PROTESTO DO MOVIMENTO DO PASSE LIVRE

Um professor de português e inglês foi preso por agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) na manhã desta quinta-feira, apontado como um dos envolvidos na depredação da agência do Citibank na Avenida Rebouças, durante protesto do Movimento Passe Livre que terminou em vandalismo, em 19 de junho. Ele é o quinto detido no inquérito da Polícia Civil que apura a ação de black blocs na depredação de agências bancárias e uma concessionária de carros de luxo no mês passado. O homem foi detido na Fazenda da Juta, na Zona Leste da cidade. A polícia foi ao local para cumprir um mandado de prisão temporária por cinco dias contra o rapaz. O Deic ainda não confirmou como chegou ao suspeito, mas até o momento a investigação tem ocorrido por meio da análise de imagens de câmeras de segurança dos estabelecimentos depredados. Nesta semana, três dos envolvidos no inquérito e denunciados pelo Ministério Público se tornaram réus. O professor Rafael Lusvarghi, o técnico laboratorial e estudante da USP Fábio Hideki Harano e o mecânico João Antonio Alves Roza. Um quarto rapaz que havia sido detido por depredar uma placa teve a liberdade concedida pela Justiça depois de pedido da defesa. Em 19 de junho, black blocs depredaram agências bancárias e concessionárias de luxo durante manifestação promovida pelo Movimento Passe Livre. Oficialmente, o ato tinha como objetivo comemorar um ano de redução das tarifas de ônibus, trens e metrô, de 3,20 reais para 3 reais, após a onda de protestos de junho do ano passado. A Polícia MIlitar acompanhou de longe a manifestação e, logo após o ato, o comando da polícia afirmou que tinha feito um acordo com o Movimento do Passe Livre, no qual eles teriam se comprometido com a segurança do evento. A demora da ação policial durante as depredações foi criticada pelo próprio secretário da Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella. Ele admitiu que houve um equívoco por parte da PM ao se manter distante do protesto. O prejuízo estimado da concessionária de veículos destruída pelos vândalos é de 3 milhões de reais.

EX-PRESIDENTE DO BANCO ESPÍRITO SANTO É DETIDO PARA PRESTAR DEPOIMENTO

O ex-chefe do Banco Espírito Santo, Ricardo Espírito Santo Salgado, foi detido por autoridades judiciárias de Portugal e levado a um juiz nesta quinta-feira. A detenção agrava os problemas enfrentados pela família que luta para salvar seu império de negócios, após a descoberta de irregularidades na holding Rioforte este ano. Salgado foi levado ao juiz no Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa para participar de audiência fechada ao público. A Procuradoria-Geral da República informou em comunicado que a detenção de Salgado, de 70 anos, está relacionada a uma antiga investigação por lavagem de dinheiro e sonegação de impostos. O diretor do regulador do mercado de Portugal (CMVM), Carlos Tavares, disse nesta quinta-feira que o órgão investigou o Grupo Espírito Santo em diversas ocasiões nos últimos seis anos e encontrou sinais de possíveis atividades ilegais. Tavares alertou procuradores sobre o que seriam "sinais de abuso de informações privilegiadas e um possível crime de abuso de confiança". O Ministério Público também afirmou na semana passada que tem diversas investigações em andamento envolvendo o Espírito Santo.

BOMBARDEIO ISRAELENSE ATINGE ESCOLA DA ONU NA FAIXA DE GAZA E DEIXA 17 MORTOS E 200 FERIDOS; A ONU ESTÁ AGINDO COMO TERRORISTA JUNTO COM O HAMAS

Pelo menos 17 civis morreram nesta quinta-feira, entre eles várias crianças, e mais de 200 ficaram feridos em um bombardeio de Israel que atingiu uma escola da Agência das Nações Unidas para os refugiados Palestinos (UNRWA, uma organização da ONU que é cúmplice dos terroristas do Hamas) na cidade de Beit Hanoun, no norte de Gaza.  Israel sabia que a escola da ONU em Beit Hanoun servia como abrigo para civis na Faixa de Gaza, acusou o porta-voz da UNRWA, Chris Gunness. Na verdade, estes cúmplices de terroristas do Hamas sabiam perfeitamente que estavam dando suporte ao terrorismo, quando permitiram que civis ficassem no local, como reféns do Hamas. Esse é o papel que o pessoal da ONU tem feito na Faixa de Gaza. Em uma outra escola sob controle da ONU foi encontrado farto arsenal de bombas do Hamas.  De acordo com um porta-voz do Exército israelense, o Hamas impediu os civis de evacuarem a escola que vinha sendo usada como abrigo.

MINISTRO DA JUSTIÇA PEDIU PARA OS ESTADOS UNIDOS TIRAREM PAULO MALUF DA LISTA DA INTERPOL DE CRIMINOSOS PERSEGUIDOS

O ministro da Justiça, o "porquinho" petista José Eduardo Cardozo, intercedeu em favor do deputado federal Paulo Maluf (PP) em processo a que o parlamentar responde na Justiça dos Estados Unidos. Cardozo enviou um comunicado para o governo americano perguntando se havia possibilidade de Maluf ser ouvido no Brasil. A informação foi revelada pelo deputado. Maluf e seus defensores procuraram Cardozo mais de uma vez nos últimos dois anos para tratar sobre o pedido. O deputado é citado em um caso de evasão de divisas e a Justiça dos Estados Unidos o trata como foragido - seu nome consta na lista de procurados pela Interpol. Maluf nega todas as acusações. A busca por auxílio teve início justamente na época em que o deputado selou o apoio do PP à candidatura de Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo. Na esfera federal, a sigla presidida por Maluf é aliada à presidente Dilma Rousseff. O Ministério da Justiça reconhece que Cardozo atendeu ao pedido feito pelo próprio Maluf. Segundo o órgão, o procedimento seria o mesmo adotado em relação a qualquer brasileiro que se enquadrasse nessa situação: ter residência fixa, constar na lista da Interpol e requerer o direito de ser ouvido no Brasil. O caso de Maluf, contudo, é único até aqui. A Justiça americana negou o pedido de Maluf, mas, mesmo assim, o deputado continuou a pedir ajuda ao Ministério da Justiça.

SUDANESA CONDENADA À MORTE POR SE TORNAR CRISTÃ É RECEBIDA PELO PAPA FRANCISCO

A mulher sudanesa condenada à morte por se converter do islamismo para o cristianismo – e depois poupada –, e que estava proibida de deixar o Sudão, voou para Roma nesta quinta-feira em um avião do governo italiano. Mariam Yahya Ibrahim, cuja sentença e prisão desencadearam uma comoção internacional, saiu da aeronave com seu bebê no colo e foi saudada pelo primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi. Horas depois, ela, o marido e os dois filhos foram recebidos pelo papa Francisco em um encontro privado, no Vaticano. "O papa a agradeceu por seu testemunho de fé", disse o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi. Não foram divulgados detalhes sobre o processo que tirou a jovem de 27 anos do Sudão, após um mês com a situação indefinida em Cartum, mas um alto funcionário sudanês disse que sua partida havia sido liberada pelo governo do país. "As autoridades não evitaram a saída dela, que era conhecida e foi aprovada com antecedência", disse o funcionário. Mariam foi acompanhada no avião pelo vice-ministro de Relações Exteriores da Itália, Lapo Pistelli. Ele disse a jornalistas no aeroporto Ciampino, em Roma, que a Itália estava em "constante diálogo" com o Sudão, mas não deu mais detalhes sobre o papel de Roma na remoção da mulher do país africano. Pistelli publicou uma fotografia ao lado de Mariam em sua página no Facebook, com a legenda: "A alguns minutos de distância de Roma. Missão cumprida". Mariam foi sentenciada à morte em maio sob a acusação de ter se convertido do Islã para a fé cristã e ter se casado com um sul-sudanês com cidadania americana, também cristão. A condenação foi suspensa no mês passado, mas o governo do Sudão a acusou de mentir para deixar o país com papéis falsificados, e a impediu de partir para os Estados Unidos com o marido e os dois filhos. Mariam foi inicialmente detida, e então liberada e alocada na embaixada dos Estados Unidos em Cartum. Pistelli disse a repórteres no aeroporto que a família estava em boa saúde e ficaria na Itália por alguns dias antes de ir para os Estados Unidos. O ministro, que carregava um dos filhos de Mariam no avião, disse esperar que ela tenha "importantes experiências" durante seu período na Itália. Mariam diz ter nascido cristã e criada como cristã por uma família etíope no Sudão, e mais tarde sequestrada por uma família muçulmana sudanesa. Mulheres muçulmanas não podem casar com homens cristãos sob a lei islâmica no Sudão.

SINDICATO QUER NEGOCIAR FIM DA GREVE NO IBGE

Após a segunda divulgação incompleta da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) ocorrida por causa da falta de coleta de dados em duas das seis regiões metropolitanas analisadas, o sindicato dos servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sinalizou que quer negociar o fim da greve que já dura dois meses. Segundo a diretora da executiva nacional do Assibge-SN, Ana Magni, o principal obstáculo para a volta ao trabalho é a demissão de quase 200 funcionários temporários, vista como uma represália a quem aderiu à greve. "O principal ponto de impedimento que existe é que não há categoria que consiga sair de maneira honrosa de uma greve com trabalhadores demitidos", acrescentou Ana. O IBGE informou que não estava renovando o contrato de temporários que estivessem com baixo nível de assiduidade e produtividade. A atitude é contestada pelo sindicato. Os dados mais recentes mostram que o quadro de funcionários do IBGE é composto por aproximadamente 5.900 efetivos e 4.339 temporários. Segundo a associação, as condições dos temporários é precária, já que eles ganham pouco mais de um salário mínimo, não têm carteira assinada nem FGTS. "Eles são responsáveis por uma parte importante das pesquisas, que é a coleta dos dados", disse Ana.

COMUNIDADE JUDAICA EM SÃO PAULO FAZ ATO PARA PEDIR PAZ E PELO DIREITO DE ISRAEL SE DEFENDER DE AGRESSÃO DOS TERRORISTAS DO HAMAS

Cerca de 500 pessoas participaram na noite desta quinta-feira de um ato convocado pela Federação Israelita de São Paulo a “favor da paz e pelo direito de Israel se defender”. O grupo se reuniu na Praça Cinquentenário de Israel, no bairro de Higienópolis, conhecido como um reduto judeu na capital paulista. No início da atividade, os organizadores fizeram um apelo para que, caso houvesse a presença de defensores do Hamas – grupo islâmico que controla a Faixa de Gaza – os participantes evitassem conflitos. Em defesa de Israel, os manifestantes ergueram bandeiras do país, fizeram orações pelas vítimas do conflito e cantaram. “A gente sente que existe uma desinformação de parte da sociedade de que Israel é agressor, mas o que ele está fazendo é se defendendo. Nenhum Estado aceitaria ser atacado por 2 mil mísseis em um mês e não reagiria”, disse Ricardo Berkiensztat, presidente executivo da federação. Ele disse que lamenta as mortes dos civis, mas acredita que é legítima a ação do Estado judeu. Para Berkiensztat, o motivo para que haja mais mortes entre os palestinos é o fato de que eles são usados como escudos humanos pelo Hamas, além da grande densidade populacional. “Enquanto isso, Israel protege a sua população”, declarou. Ele criticou a posição do Estado brasileiro em considerar que há “uso desproporcional da força” por parte do Estado judeu, conforme declaração do Ministério das Relações Exteriores. “O Brasil sempre primou pelo equilíbrio e foi um país respeitado por todos os lados, que não toma partido em uma disputa. Com uma posição unilateral perde essa condição e, pior, importa um conflito que não é nosso”, apontou. Ele teme que isso possa acirrar os ânimos entre árabes e judeus no Brasil.