domingo, 15 de junho de 2014

JUAN MANUEL SANTOS É REELEITO PRESIDENTE DA COLÔMBIA, AS FARC VÃO CHEGAR AO PODER

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, superou o candidato da oposição Oscar Iván Zuluaga e foi reeleito par mais um mandato de quatro anos. Com mais de 98% das urnas apuradas, Santos tinha 50,85% e Zulaga, 45,09%. Mais de 32 milhões de colombianos foram convocados às mesas de votação, que abriram às 08h00 locais (10h00 de Brasília). De acordo com estimativas, a abstenção deve superar 50%. Na Colômbia, o voto não é obrigatório. No primeiro turno, a abstenção chegou a 60%, a mais alta dos últimos 20 anos no país. A eleição deste domingo foi a mais disputada dos últimos tempos, segundo analistas. Elas marcarão o futuro do processo de paz com a guerrilha terrorista da organização narcotraficante Farc. Os embates armados deixaram mais de 220.000 mortos e cinco milhões de deslocados. O processo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que o governo de Santos leva adiante desde novembro de 2012 em Havana, dominou o debate eleitoral. Santos busca seguir com as negociações, que já produziram avanços em temas como a reforma rural, a participação política dos guerrilheiros, a luta contra o narcotráfico e o reconhecimento às vítimas, com a promessa de que a paz beneficiará a todos, em um país onde um terço dos 47 milhões de habitantes é pobre, apesar de um crescimento superior a 4% anual. Determinado a alcançar uma pacificação integral da Colômbia depois de protagonizar uma ofensiva contra as Farc quando era ministro da Defesa de Uribe, o presidente revelou nesta semana o início de negociações com o Exército de Libertação Nacional (ELN), segunda guerrilha do país, um anúncio que seu rival considerou eleitoreiro. Zuluaga, inicialmente um feroz opositor a dialogar com a guerrilha, suavizou seu discurso depois de vencer o primeiro turno no dia 25 de maio, dizendo que só negociará se as Farc abandonarem as ações terroristas, as minas terrestres, o recrutamento de crianças, os sequestros e extorsões. Preocupado com a impunidade dos guerrilheiros, Zuluaga também exige um mínimo de seis anos de prisão para seus chefes.

TORCIDA ENFRENTA FALTA DE LUZ NA SAÍDA DO JOGO NO ESTÁDIO BEIRA RIO, EM PORTO ALEGRE

Após o fim da partida entre França e Honduras no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, torcedores que deixaram o estádio se depararam com um trecho da Avenida Padre Cacique às escuras. O problema chegou a atingir um trecho mais de 1 quilômetro da via, mas, na maior parte do tempo, se restringiu à iluminação do viaduto Dom Pedro I, próximo ao Hospital Mãe de Deus. Por volta de 19h20, mais de uma hora depois do jogo, o serviço foi normalizado. A Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) garantiu não ter registrado falhas e que não houve interrupção no fornecimento de energia elétrica na região. Com as vias do entorno do Beira-Rio bloqueadas para o tráfego de veículos, os torcedores tiveram que deixar o estádio a pé ou recorrer ao transporte coletivo.

ESTÁDIO DAS DUNAS ESTÁ CERCADO POR ALAGAMENTOS

Às vésperas da partida Estados Unidos vs. Gana, marcada para esta segunda-feira no estádio Arena das Dunas, o prefeito Carlos Eduardo quer decretar estado de emergência ou de calamidade pública em Natal. O motivo são os estragos causados pelas chuvas que caem sobre a cidade incessantemente nos últimos dois dias. Várias ruas próximas da Arena das Dunas estão alagadas. Desde sexta-feira, houve ao menos três deslizamentos de encostas e o desabamento de casas na Zona Leste. A Defesa Civil desalojou famílias temporariamente, levando-as para abrigos, por causa do risco de novos desabamentos. O clima de caos afastou os torcedores das ruas. Protegida por forte esquema de segurança em um dos hotéis mais luxuosos da cidade, a seleção americana cancelou os treinos que faria na sexta-feira e no sábado. Segundo nota da prefeitura, “a Procuradoria do Município foi acionada para elaborar um decreto de estado de calamidade pública ou emergência, a fim de que sejam tomadas as medidas necessárias para a recuperação das áreas atingidas”. Não há registro de vítimas até agora, mas vários locais da cidade enfrentam problemas de alagamento pelo excesso de água, que sobrecarregou o sistema de esgotos de Natal. Dois edifícios e 50 casas foram evacuadas na Zona Leste e parte da iluminação foi cortada, para evitar choques elétricos e possíveis incêndios. A previsão para os próximos dias é de mais chuva. “O prefeito Carlos Eduardo determinou estado de alerta na cidade, deixando todas as secretarias com equipes, material e veículos de sobreaviso durante a noite de hoje e enquanto durar essas chuvas”, informa o texto. Estão atuando nos locais dos acidentes a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros, o Exército, a Marinha e a Secretaria de Segurança e Defesa Social. Até agora, houve três deslizamentos na região. Na sexta-feira, um barranco desabou em parte da Via Costeira, que dá acesso aos hotéis onde estão hospedadas as seleções que jogarão em Natal e a delegação da Fifa. Vários veículos ficaram soterrados. A via também dá acesso à Fifa Fan Fest, que foi cancelada na sexta-feira. No sábado, o evento ocorreu apenas com a transmissão de jogos, sem os shows que estavam programados. No sábado pela manhã houve deslizamento na comunidade de Jacó, também na Zona Leste da cidade. Os moradores foram realojados, pois há risco de desmoronamento total das casas. No sábado à noite foi registrada uma erosão na rua Guanabara, no bairro Mãe Luiza, na mesma região. Dois edifícios foram evacuados e os moradores levados para um abrigo temporário, até que a situação seja resolvida. Houve também deslizamento na rua do Condor, em Brasília Teimosa, ainda na Zona Leste. No sábado, a Prefeitura de Natal emitiu nota informando que, nas últimas 36 horas, os pluviômetros registraram na Zona Leste uma precipitação de 221 milímetros. A média pluviométrica registrada na cidade para o mês de junho é de 284 milímetros. Segundo a nota, a situação mais grave registrada até o momento é a erosão na rua Guanabara.

DILMA ABANDONA PADILHA E IRRITA O PT

Mesmo com dificuldades de avaliação entre o eleitorado paulista, a presidente Dilma Rousseff cancelou a participação que faria neste domingo no lançamento da candidatura do ex-ministro Alexandre Padilha (Saúde) ao Palácio dos Bandeirantes. A decisão surpreendeu e irritou o comando da campanha de Padilha que tinha feito ampla divulgação do ato ressaltando a presença de Dilma e do alcaguete Lula (delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr), padrinho do petista. A cúpula da campanha avalia que a medida trará desgaste ao candidato logo na largada. Um dos motes da campanha de Padilha é justamente reforçar a ligação com o governo Dilma, apresentando os dois como responsáveis por um novo ciclo de mudança. O Palácio do Planalto informou que a mudança na agenda foi motivada pelo encontro de Dilma com a chanceler Angela Merkel, da Alemanha, em um jantar com a petista em Brasília. Segundo os assessores, Dilma iria se preparar para o encontro ao longo do dia. Ela devia receber ministros para tratar de medidas para serem tratadas no encontro. Alguns petistas, no entanto, disseram que foram avisados de que a presidente estaria gripada e por isso estaria ausente. Padilha aparece em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, com 3%. Ele está atrás do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que reúne 44%, e Paulo Skaf (PMDB), com 21%, segundo pesquisa Datafolha.

BANQUEIRO MOISE SAFRA, FUNDADOR DO BANCO SAFRA, MORRE EM SÃO PAULO

Fundador em 1955 do banco Safra ao lado dos irmãos Edmond e Joseph, o imigrante libanês Moise Yacoub Safra morreu neste domingo, aos 79 anos, em São Paulo. Ele sofria de Mal de Parkinson e estava internado no hospital Alberto Einsteia. Deixa uma fortuna pessoal estimada em US$ 2,2 bilhões. No ano passado, comprou ao lado de um bilionário chinês 40% do edifício General Motors, em Nova York. Era casado com Chella Cohen Safra, com que teve cinco filhos: Jacob, Azuri, Edmundo, Esther e Olga.

O ALCAGUETE LULA DIZ: "EXISTE UMA CAMPANHA DE ÓDIO CONTRA O PT"

O xingamento dirigido à presidente Dilma Rousseff foi a tônica dos discursos dos políticos presentes no ato de lançamento da candidatura do ex-ministro Alexandre Padilha ao governo paulista e a fala do alcaguete Lula (delatava companheiros para o Dops paulista na ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr, indesmentido) não foi diferente. O X9 Lula disse que existe uma campanha de ódio por parte dos adversários contra o PT e que as hostilidades dirigidas a Dilma no jogo de abertura da Copa do Mundo tiveram origem em parte da elite "que não sabe o que é um calo na mão". "Duvido que alguma pessoa com o mínimo de educação trataria a presidente com o desrespeito como parte da elite tratou a Dilma", disse. "Aquelas pessoas não sabem o que é um calo na mão", completou Lula. O ex-presidente disse que o suposto ódio da oposição contra o governo do PT resultará em uma campanha eleitoral "atípica" e "perigosa" em 2014. "Se em 2002 tínhamos que fazer a esperança vencer o medo, agora a campanha consiste em esperança vencer o ódio", disse. De acordo com ele, a campanha deste ano deverá conter "uma boa dosagem de debate ideológico". Lula afirmou que o sentimento dos adversários do PT se deve à política de inclusão e de participação social defendida pelo seu partido nos últimos 12 anos de governo. "O PT mudou o padrão de governança deste País", afirmou. Para ilustrar a sua tese, o alcaguete X9 Lula relembrou a história do partido e a campanha eleitoral de 1989, quando, segundo ele, houve uma mobilização dos políticos nacionais e da mídia para impedir que "um metalúrgico ocupasse a Presidência da República": "O ódio dos adversários se deve ao fato de que, pela primeira vez neste País, termos provado à elite que tem gente mais competente para governar". O ex-presidente disse ainda, em seu discurso, que vai se empenhar na campanha de Padilha e para a reeleição de Eduardo Suplicy ao Senado Federal. E pediu tranquilidade e empenho dos militantes para rebater os ataques da oposição. "Temos que levantar a cabeça", afirmou.

DE NOVO OS MELANCIAS ÀS AVESSAS DA ESPN E SEU ESQUERDISMO CHULÉ SUSTENTADO "PELUZAMERICÂNU". NOVOS DETALHES SOBRE A FALA DE UM FARSANTE

Vamos lá. Prometi que voltaria aos “progressistas” da ESPN e volto. É aquela gente que paga pau aos esquerdistas, posa de nacionalista, faz discursinho anti-imperialista e só se comporta bem na hora de receber o rico dinheiro dos patrões norte-americanos. Hipócritas! Como sabem, o tal José Trajano, chefão da emissora no Brasil, não gostou das vaias e dos xingamentos que o público dirigiu a Dilma no jogo de abertura da Copa. Resolveu passar um carão nos torcedores, que reagiram ao pito do vovô chapa-branca (e vermelha). Ele, então, ficou ainda mais bravo e arrumou quatro culpados: Reinaldo Azevedo, Diogo Mainardi, Demétrio Magnoli e Augusto Nunes.

Sim, os que foram esculhambá-lo — por causa de sua sujeição voluntária e de seu hábito de andar de joelhos — seriam leitores desses quatro Cavaleiros do Apocalipse, que, segundo ele, incentivam o ódio e a inveja. Como? Inveja, a depender do ramo de atividade e da coisa na qual eu esteja pensando, eu poderia ter é de Flaubert, de Brad Pitt, de Churchill, até do mais desgraçado dos mendigos. De Trajano? Das outras sumidades? Deem-me uma miserável razão para isso. Vamos relembrar a sua fala, em que ele arrota a sua grande coragem.
Quando botei esse vídeo no ar, ontem, uns poucos gatos-pingados o tinham visto. Agora, já são mais de 100 mil visitas. Trajano, cuja existência eu ignorava e sobre quem, é evidente, eu jamais havia escrito uma linha, também descobriu que atacar certas pessoas rende trânsito, bochicho, audiência. Sou generoso. De vez em quando, dou uma esmola a gente como ele.
Senti, ao assistir ao vídeo, a tal vergonha alheia. Então esse banana acha que é preciso grande coragem para atacar na televisão homens PODEROSOS (???) como Reinaldo, Diogo, Demétrio e Augusto? Por quê? Qual é o nosso poder? Percebam ali o tonzinho de “ninguém vai me calar”. O trecho mais encantador de sua fala é o “não vou me vergar”. Ora, vergar-se a quem? A nós? No que me diz respeito, se um sujeito como esse se vergar diante de mim, vomito no cangote dele.
De resto, não pode mais se vergar quem vergado já está. Não a mim, é claro! Não aos outros três! Mas ao poder, a uma ideologia, às patrulhas.
Ora, alguma coragem é necessária para combater os poderosos de turno, não para fazer a genuflexão até no vocabulário. Esse cara é do tipo que chama Dilma de “presidenta”, mas diz que não se verga a Reinaldo Azevedo e a seus leitores. Nossa!!! Que valente! Quando eu tiver 50 anos a menos de reflexão, quero ser como ele. Mas, se chegar a ter 30 a mais de idade, quero ser como sou. Leia de novo, Trajano!
É preciso ser muito vigarista para criticar os que “não respeitam a opinião alheia”, atacando, em seguida, quatro pessoas que não estão presentes para se defender, que absolutamente nada tinham a ver com a questão e que não podiam, sob qualquer pretexto —  exceto o ódio, a intolerância —, ser responsabilizadas por aqueles que, exercendo seu sagrado direito de divergir, resolveram discordar da opinião de Trajano e da de seus outros “camaradas”. Ao fazê-lo, ele estava sendo… tolerante? Se nunca toquei no nome dele, se não escrevo sobre esportes, se nem mesmo o conhecia, ele me agride por quê? Ah, é que sou considerado um crítico do PT, um conservador, até mesmo um “direitista”, entendem? E o tal acha que gente assim merece ser achincalhada. Trajano cobra tolerância com os que são de sua laia para que ele possa mandar para o paredão os que não são. Pai, mãe, se vocês, ainda assim, quiserem assistir à ESPN, tirem ao menos as crianças da sala.
Bem, é um comportamento compatível com gente que sustentou ser muito justo mandar a Fifa “tomar no c…”, mas que considerou um crime de lesa-pátria dirigir tal impropério a Dilma. Também se perguntou na ESPN por que nunca ninguém mandou Paulo Maluf fazer tal coisa. Entendo! Com Maluf, então, seria justo, mas não com Dilma!!! Assim, não é que Trajano, seus pares e a ESPN considerem inadequado mandar que os outros “tomem no c…”. Só não se pode fazer isso com as pessoas erradas, com os “progressistas”. Com os “reacionários” — ainda que Maluf seja hoje um reacionário aliado ao PT —, pode. Para Trajano e sua trupe, mandar “tomar no c…” um sujeito procurado pela Interpol é aceitável. Mas fazer isso com a turma que elevou o orçamento da refinaria de Abreu e Lima de US$ 2,5 bilhões para US$ 19 bilhões é um atentado ao bom gosto, ao bom senso e à cidadania.
É o triunfo do “Paradigma Moral José Dirceu”. Assim como certas pessoas estão acima da lei, algumas outras, não importa o que façam, estão acima do palavrão. Xingar os inimigos de Trajano — ou aqueles que ele considera inimigos — é um dever cívico. Fazer o mesmo com aqueles de quem ele puxa o saco e diante dos quais se verga é um crime moral. Se acontece, ele precisa, então, arrumar culpados.
Eu sabia, meninos!
No texto anterior, afirmei que iria procurar a direção da ESPN  para saber se o braço brasileiro do grupo norte-americano endossa a avaliação de que a elite branca de São Paulo — como se acusou lá — é capaz de cometer essas coisas hediondas. Leitores às pencas escreveram para dizer que o chefão é o próprio Trajano. Caros, àquela altura, eu já sabia. Já havia feito uma rápida pesquisa na Internet. Estava apenas sendo irônico.
O companheiro esquerdista e certamente anti-imperialista não dorme do ponto, não é?, e conseguiu arrumar uma boquinha com “uzamericânu”. Não é de hoje que gente com esse perfil é boa para arrumar emprego. As respectivas direções de institutos culturais de bancos e de grandes empresas, por exemplo, estão coalhadas de esquerdistas. São, assim, uma espécie de bobos da corte, regiamente pagos para que o patrão ou tenha onde colocar o seu complexo de culpa ou possa posar de “moderno e progressista” nas colunas sociais e nas pré-estreias de filmes-cabeça. Oswald de Andrade, que, dentro da sua loucura, tinha coerência, chamava valentes assim de “palhaços da burguesia”. No que me diz respeito, tenho mais desprezo por eles do que por qualquer maluco de uma seita ultraesquerdista que se leve a sério. Se o bicho realmente um dia pegasse no país, aqueles seriam os primeiros a se esconder, com a cueca borrada. Não, esses nem são a esquerda caviar. Faltam-lhes gosto para apreciar a iguaria e coragem para lutar por aquilo em que dizem acreditar.
O queridinho de Freixo
Na minha rápida pesquisa, quanto tomei conhecimento da existência do tal Trajano, topei com este vídeo.
Eis aí. Agora, a coisa está completa pra mim. Agora, a equação se fecha de maneira inequívoca. O deputado estadual Marcelo Freixo, do PSOL do Rio, o queridinho dos socialistas da Zona Sul, com vista para o mar, propôs a “Medalha Tiradentes” para Trajano. O partido que engrossa o coro em favor do controle da mídia no Brasil — sim, o PSOL também está nessa — resolveu defender a “linha editorial” “duzimperialista” porque, nesse caso, diz o guru das “socialites socialistas”, a ESPN trata das “contradições que esse mundo dos negócios, dos esportes, das paixões pode envolver”. Ah, entendi! Contamos “cuzamericânu” para nos ajudar a entender as “contradições desse mundo dos negócios”… Que bom que tenho o estômago forte!
Nos comentários, leitores me informam que a ESPN nunca foi dura o bastante com a turma do pega pra capar que está nas ruas. Todo o ódio que Trajano e seus camaradas destilaram contra os que vaiaram e xingaram Dilma nunca teria sido secretado contra black blocs e contra quem sai quebrando tudo por aí. Não sei se é verdade porque nunca vi o canal — tanto é assim que Trajano sabia da minha existência, mas eu ignorava a dele. Deve ser verdade. E isso também tem explicação, como se vê.
Não custa lembrar que Freixo é o chefão do PSOL no Rio, partido que comanda, por exemplo, os sindicatos de professores das redes estadual e municipal, que não viram nada demais em fazer uma parceria explícita, admitida em nota oficial, com os black blocs. Como esquecer que a notória Sininho, ora indiciada pela polícia, foi oferecer um advogado a um dos acusados pela morte do cinegrafista Santiago Andrade em nome de uma entidade politicamente ligada a Freixo, esse santo do pau oco do socialismo com vista para o mar?
Os outros três incluídos na baba hidrófoba de Trajano falem por si se quiserem. Falo por mim. Faz todo sentido que este senhor veja com maus olhos o meu trabalho. Gente que recebe comenda de Marcelo Freixo, dadas as suas ações recentes no Rio, não tem mesmo por que ter simpatia pelo meu trabalho. É claro que nem isso explica a sem-vergonhice que foi dita no ar.
Gente que incentiva o linchamento em nome da tolerância não é apenas contraditória. É canalha também. Por Reinaldo Azevedo