sexta-feira, 13 de junho de 2014

O ALCAGUETE LULA FALA PARA UM AUDITÓRIO COM CENTENAS DE CADEIRAS VAZIAS NO PIAUI, A MÍSTICA JÁ NÃO É MAIS A MESMA

A tão anunciada vinda do ex-presidente e alcaguete Lula (delatava companheiros para o Dops paulista na ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr.) ao Piauí não foi como o PT planejava. Aqueles que esperavam que a casa de show Teresina Hall estivesse lotada de petistas e simpatizantes saíram frustrados do evento. Faltou gente e a organização do evento foi obrigada a usar como estratégia pedir que os presentes se levantassem das cadeiras e se "amontoassem" na frente do palco para "disfarçar" o enorme vazio na platéia. O X9 Lula desembarcou no aeroporto de Teresina Petrônio Portela por volta de 13 horas. Almoçou na companhia dos senadores Ciro Nogueira (PP), Wellington Dias (PT), João Vicente (PTB) do pré-candidato ao Senado, Elmano Ferrer (PTB) e alguns deputados federais e estaduais no próprio aeroporto. Chegou ao evento na Teresina Hall por volta das 13h40, gravou participação na propaganda eleitorais de alguns candidatos da aliança petista e "enrolou'', talvez esperando que mais gente chegasse. E nada! Desta vez, o alcaguete Lula não conseguiu mobilizar aquela multidão que sempre "arrastava" por suas viagens ao Piauí. Foram poucas as caravanas do interior do Estado e o público presente estava pouco entusiasmado. Para piorar a situação, um grande constrangimento foi causado após o pré-candidato ao Senado, Elmano Ferrer, ter que se retirar do palco após passar mal. Lula foi participar do evento que consolidaria a pré-candidatura de Elmano, após João Vicente Claudino desistir, mais o "Veim" não resistiu à pressão. Com 73 anos, o mal-estar de Elmano levantou dúvidas sobre se ele terá condições de disputar uma campanha tão acirrada quanto a de senador e ainda tendo como adversário o ex-governador Wilson Martins (PSB), conhecido em todo Estado como o "trator". Elmano começou a passar mal durante a fala do senador Wellington Dias e nem conseguiu acompanhar a apresentação de Lula. Tentando animar o evento, W. Dias acabou colocando o "Veim" em uma saia justa. Isso porque ao pegar o microfone para falar W. Dias pediu que todos ficassem de pé e fossem para frente do palco. Elmano, que já não estava se sentido bem, não resistiu e teve que se retirar do evento. Pelo constrangimento do evento desta sexta-feira,tanto pelo público irrisório que deixou a desejar quanto pelo vexame de Elmano, resta saber se a presença de Lula terá algum efeito na pré-campanha de W. Dias e Elmano. Em 2010, o ex-presidente foi considerado o responsável pela derrota dos ex-senadores Heráclito Fortes (PSB, na época do DEM), e Mão Santa (PSC). Em evento no Estado, Lula pediu ajuda aos piauienses para derrotar os dois que ele classificou de seus inimigos. O pedido foi atendido e Ciro Nogueira e W. Dias foram eleitos. Passados quatro anos, Lula dá sinais que sua imagem não é mais tão influente assim no Piauí. Se fosse, W. Dias teria sido eleito prefeito de Teresina em 2012. O petista, apesar de contar com o apoio do presidente, ficou apenas em terceiro lugar. O primeiro colocado Firmino Filho (PSDB) teve 162 mil votos. Elmano ficou em segundo com 139 mil votos e W. Dias ficou em terceiro com apenas 59 mil. (Com informações do site 180graus.com)

SENADOR RANDOLFE RODRIGUES DESISTE DE DISPUTAR PRESIDÊNCIA PELO PSOL, LUGAR SERÁ OCUPADO POR LUCIANA GENRO

O senador Randolfe Rodrigues (PSOL/AP) desistiu, nesta sexta-feira, de disputar a Presidência da República. Ele vinha tendo um desempenho fraco nas pesquisas. O senador disse que tomou sozinho a decisão, após consultar poucos companheiros de sigla nos últimos dias. "Temos que fazer uma revisão profunda. A esquerda tinha que ter se renovado depois das manifestações de junho, e isso não foi feito", afirmou. "Eu faço a autocrítica, porque acho que não consegui unir nem o meu partido em torno da candidatura", acrescentou. Randolfe indicou o nome do deputado Marcelo Freixo (RJ) para seu lugar. Este, por sua vez, indicou a ex-deputada gaúcha Luciana Genro (RS), que deve ser candidata do partido. Luciana Genro, de 43 anos, foi duas vezes deputada estadual no Rio Grande do Sul e deputada federal também por dois mandatos. Ela é filha do governador gaúcho, o peremptório petista "grilo falante" Tarso Genro (PT), e está impedida de concorrer a cargos públicos no Estado devido ao parentesco. Ela disse que vai defender como principais propostas na campanha a auditoria da dívida pública e uma mudança no sistema de tributação em vigor no País. A escolha de Luciana Genro como candidata a presidente ainda precisa ser oficializada em uma convenção do PSOL que ocorrerá nos dias 21 e 22 deste mês, em Brasília.

JUSTIÇA APROVA PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA PETROLEIRA OGX

Dez dias após a aprovação em assembléia de credores, a Justiça do Rio de Janeiro deu o sinal verde à execução do plano de recuperação judicial do grupo OGX. Após a decisão ser publicada será aberto prazo para eventuais recursos de credores. O juiz Gilberto Clóvis Matos, titular da 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, destacou a aceitação expressiva dos termos do plano por 90% dos credores (e créditos) presentes à reunião, realizada em 3 de junho, no prédio da Bolsa de Valores. Matos descartou a hipótese de tratamento privilegiado ao grupo de detentores de títulos (bondholders) que fechou um acordo para injetar US$ 125 milhões na empresa no fim do ano passado, ponto discutido na assembléia de credores. Para o juiz, os demais bondholders que alegaram tratamento diferenciado "tiveram todas as oportunidades de negociar com as empresas" em recuperação e foram procurados pela Blackstone, Lazard e Angra Partners, que costuraram o acordo. O principal opositor nesse caso é o fundo Autonomy Master Fund Limited, das Ilhas Cayman. O texto destaca ainda a importância da reestruturação do grupo petroleiro, que gera mais de mil empregos diretos. E destaca a validade da cláusula pela qual os credores aceitam os termos de pareceres de juristas contratados para definir sobre a validade da cláusula de "put option", pela qual o controlador Eike Batista se comprometia a injetar US$ 1 bilhão na empresa. No entanto, ressalta que ela é ineficaz para os credores que a ela se opuseram de forma expressa. Votaram pela rejeição do plano a BR Distribuidora e o Autonomy. "É uma notícia muito auspiciosa porque afasta o risco de falência e reflete a maior confiança na recuperação da empresa", disse o advogado Sergio Bermudes, responsável pela elaboração do plano de recuperação judicial do grupo OGX. Pelo plano aprovado a maior fatia da empresa ficará com os credores que injetarem recursos novos (US$ 215 milhões) na companhia, com 65% da petroleira. Os donos da dívida antiga, como o estaleiro OSX, ficarão com 25%. Os atuais acionistas terão os 10% restantes: Eike Batista fica com 5,02% e os minoritários, com 4,98%.

GOVERNO DILMA AGRADECE COM MULTA, ACREDITEM!, A AÇÃO DE ALCKMIN PARA MANTER O METRÔ EM FUNCIONAMENTO E A RADIAL LESTE DESOBSTRUÍDA! A VAIA E O XINGAMENTO NÃO VÊM DE GRAÇA!

Chega a ser asqueroso, mas é verdade. O governo Dilma, por intermédio do Ministério do Trabalho em São Paulo, cumpriu a ameaça e decidiu mesmo aplicar uma multa no Metrô por ter demitido 42 pessoas que, durante a greve, atentaram contra a segurança do sistema. Segundo a empresa, as dispensas não aconteceram porque fizeram greve — fosse assim, a lista seria muito maior.

Para Renato Bignami, auditor fiscal do Trabalho, “eles (o Metrô) apenas alegaram, não comprovaram, essa justa causa. Embasaram as demissões num artigo do Código Penal, de forma bastante genérica. O que mais chama a atenção é que os demitidos estavam envolvidos diretamente com a greve”.
Não me diga, sr. Bignami! Isso faz supor que pudesse haver funcionários envolvidos com atos criminosos no Metrô, mas não diretamente envolvidos com a greve. É o fim da picada!
Essa autuação — de R$ 8 mil; ainda cabe recurso — já estava decidida antes de qualquer avaliação. O ex-deputado Luiz Antonio Medeiros, chefão do Ministério do Trabalho em São Paulo, participou da assembleia dos metroviários — aquela que decidiu pela volta ao trabalho — e já ali anunciou a multa.
Antes, essa gente havia perdido a vergonha. Depois, as coisas foram piorando.
Não fosse a responsabilidade que o governador Geraldo Alckmin tem com os cinco milhões de usuários do sistema e com o direito que têm os paulistanos de ir e vir, deveria ter deixado o Metrô parado, permitindo que a Radial Leste fosse ocupada. Aí nós veríamos o que aconteceria com o jogo de abertura da Copa.
Um petista pragmático poderia dizer que haveria menos gente para participar daquele coro que premiou a presidente com o monossílabo tônico, sem acento, em “u”… Por Reinaldo Azevedo

MORRE A CANTORA MARLENE, ESTRELA DA ERA DO RÁDIO NO BRASIL

Aos 89 anos, morreu na tarde desta sexta-feira a cantora Marlene, estrela da era do rádio no Brasil. Ela tinha sofrido uma queda em casa e o quadro se agravou. Marlene estava internada havia alguns dias na Hospital Casa de Portugal. “O ferimento da perna se agravou e ela ficou imobilizada, só se locomovia de cadeira de rodas. Ela queria voltar a trabalhar, fazer uma peça. Era uma amiga, muito querida. Tinha uma vontade indômita de trabalhar. Era um dos mitos da cultura brasileira e muito querida pelos artistas”, disse o compositor Hermínio Bello de Carvalho, seu amigo de longa data. A cantora faria 90 anos em novembro e morava em Copacabana, com o filho Sérgio. Filha de italianos nascida em São Paulo, Victória Bonaiutti de Martino (depois Delfino dos Santos, ao se casar com o ator Luis Delfino), adotou o nome artístico em homenagem à atriz alemã Marlene Dietrich. Foi uma das cantoras mais populares do Brasil nos anos 1940 e 50. Fez carreira no Rio e, com Emilinha Borba (1923-2005), viveu uma rivalidade que enlouquecia as fãs nos auditórios das rádios. Em 1949, a Rádio Nacional promoveu um concurso para escolher a Rainha do Rádio. Emilinha era considerada a vencedora antecipada, mas Marlene terminou chegando em primeiro lugar, com Ademilde Fonseca em segundo. Emilinha ficou em terceiro e isso acirrou os ânimos das fãs, que eram chamadas de "macacas de auditório". Houve até quebra-quebra durante programas da época. Marlene gravou mais de quatro mil músicas – muitas delas grandes sucessos no carnaval –, foi atriz e ícone da moda, considerada moderna e arrojada. Entre seus sucessos se contam "Apito no Samba", "Brigas Nunca Mais", "É Madrugada", "Eva", "Mora na Filosofia", "O Lamento da Lavadeira". E, assim como a rival Emilinha era favorita da Marinha, Marlene foi a favorita da Aeronáutica. Nos anos 1970 participou de novelas (como Bandeira 2) e peças de teatro (como A Ópera do Malandro). Fez 11 filmes e, em 1951, surgiu o mais prestigiado entre eles. Marlene participou, ao lado do então marido Luís Delfino, do clássico "Tudo Azul", de Moacir Fenelon, um dos fundadores da Atlântida. O filme conta a história de um homem frustrado que atenta contra a própria vida. Depois de tentar sem êxito ser compositor, ele se descobre num outro mundo, completamente diverso do que tinha sido sua vida, até então. Nesse universo, ele encontra Marlene e, numa cena que antecipa o neorrealismo de Nelson Pereira dos Santos em "Rio 40 Graus" e "Rio Zona Norte", Marlene canta seu hit "Lata d’Água", enquanto Fenelon faz uma espécie de documentário verista, com câmera na mão e tudo, sobre a favela. Recuperado pelo Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro em 2001, "Tudo Azul" contribuiu para que Marlene voltasse com força. Não foi a primeira vez em sua carreira. Após a grande fase do rádio, ela teve diversos revivals, participando de espetáculos que viraram discos celebrados pelos críticos, como "Botequim", em 1973, e "Te Pego pela Palavra", no ano seguinte. (Luiz Carlos Merten)

MORRE JIMMY SCOTT, O MENOR GIGANTE DO JAZZ

Parecia uma mulher cantando, com seu registro cristalino de contralto. Sua presença de palco, o estilo, o jeito de "diagramar" os versos da canção o tornaram um gigante entre os crooners, influência de Ray Charles e Marvin Gaye, e idolatrado por muitos ídolos pop, como Lou Reed, Madonna, David Bowie e Anthony Hegarty. Nascido James Victor Scott em Cleveland, Ohio, morreu durante o sono na quinta-feira, aos 88 anos o cantor lendário Jimmy Scott, um paradigma do cantor da noite. Criado em orfanatos após o atropelamento da mãe e a perda do pai, ele foi diagnosticado com uma doença rara na infância, a Síndrome de Kallmann, que o tornou miúdo, de desenvolvimento físico precário, o que lhe valeu o apelido de Little Jimmy. "Ele é o único cantor que me faz chorar", disse Madonna. "É como ver ao mesmo tempo Hamlet e Mcbeth interpretados numa mesma canção", disse Lou Reed. Como um Michael Jackson de boate, Jimmy teve um de seus raros hits nos anos 1950, "Everybody's Somebody's Fool". Fez uma aparição em "Twin Peaks", a série de David Lynch. Gravou nos anos 1940 com Lionel Hampton e depois com Charlie Parker, cantou no disco "Magic and Loss", de Lou Reed, e foi nomeado Mestre do Jazz pelo National Endownment of Arts em 2007. Sua trajetória é uma cruzada em prol do refinamento da arte do interprete.

GOVERNO DO PEREMPTÓRIO PETISTA "GRILO FALANTE" TARSO GENRO APARELHA O IPE COM 100 NOVOS CCs

A Famurs (Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul) abriu nesta sexta-feira estudo que recebeu do Tribunal de Contas do Estado, demonstrando a utilização do IPE (Instituto de Previdência do Estado) para aparelhamento pelo governo petista. Foram mais de 100 Cargos de Confiança (CC’s) criados pelo Instituto somente nos últimos três anos e meio, na gestão do peremptório petista "grilo falante" Tarso Genro. Não se tem notícia de qualquer iniciativa do Tribunal de Contas ou do Ministério Público para buscar a demissão desses petistas nomeados sem concurso.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ACIONA UNIÃO PELA FALTA DE REMÉDIOS EM HOSPITAL FEDERAL NO RIO DE JANEIRO

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro entrou nesta semana com ação civil pública, com pedido de liminar, contra a União, pela falta de medicamentos no Hospital Federal do Andaraí. A ação pede que a Justiça Federal determine que todos os itens em falta no almoxarifado e na farmácia do hospital sejam supridos no prazo de 30 dias, e que, em até dois meses, o espaço destinado ao armazenamento dos insumos seja readequado. No mesmo prazo deverá ser regularizado o fluxo de abastecimento entre os setores de armazenagem e as demais áreas. A ação é fruto de uma vistoria que o ministério fez no hospital no ano passado, em que constatou condições inadequadas de estoque dos insumos no almoxarifado. De acordo com o procurador Sergio Suiama, autor da ação, havia várias infiltrações e vazamento de água no local, fios elétricos e tubulações soltas, piso do chão sujo e deteriorado. O ministério fotografou cerca de dez caixas de sondas que foram descartada porque o local foi infestado por cupins. Segundo o Ministério Público, a falta de medicamentos indica que há problemas no fluxo entre os setores do estoque e do almoxarifado e as demais áreas técnicas, sobretudo, devido a itens fora do prazo de validade. No mês passado, a União foi condenada em outra ação relacionada ao Hospital Federal do Andaraí, proposta pelo Conselho Regional de Enfermagem e, posteriormente, aditada pelo Ministério Público Federal. Na sentença, foi estabelecido prazo de 180 dias para a União solucionar o problema de superlotação, concluindo as obras de expansão do setor de emergência e compra de mobiliário, para evitar o atendimento de pacientes em corredores e mesmo no chão. As obras de troca do telhado do prédio principal e a substituição das esquadrias das janelas do hospital, que estão vedadas por tapumes presos por arames, devem ser concluídas em até 30dias. Além disso, a União terá de contratar, de forma temporária, 122 profissionais de enfermagem a serem lotados no hospital, bem como autorizar a prorrogação dos contratos temporários dos enfermeiros que atuam no Hospital do Andaraí, tudo sob pena de aplicação de multa pessoal aos gestores.

ESPANHA APROVA DECRETO QUE PERMITE A JUAN CARLOS MANTER O TÍTULO DE REI

O Conselho de Ministros de Espanha aprovou nesta sexta-feira o decreto que modifica a legislação sobre títulos, tratamentos e honras da família real e dos regentes e determina que Juan Carlos e Sofia manterão os títulos de rei e rainha. O decreto, que modifica legislação em vigor desde 6 de novembro de 1987, foi aprovado dias antes de se formalizar, com a assinatura do próprio Juan Carlos, a abdicação do rei em favor de seu filho, que, na quinta-feira, será proclamado rei Felipe VI. Após a reunião semanal do Conselho de Ministros, a vice-presidenta do Governo, Soraya Saénz de Santamaría, explicou aos jornalistas que Juan Carlos e Sofia manterão os títulos de forma honorífica e vitalícia, recebendo o tratamento de majestade e as honras equivalente às dos príncipes de Astúrias. Juan Carlos, ao deixar a coroa, perderá a imunidade inerente ao cargo de chefe de Estado. Juan Carlos manterá a imunidade relativamente a questões ocorridas no seu mandato.

MINISTÉRIO PÚBLICO GAÚCHO TAMBÉM DENUNCIA IRMÃO DE EDELVÂNIA PELO ASSASSINATO DO MENINO BERNARDO BOLDRINI

O Ministério Público de Três Passos (RS) denunciou Evandro Wirganovicz por homicídio triplamente qualificado. Evandro foi o último suspeito de ter participado da morte do menino Bernardo Uglione Boldrini a ser preso. Ele é irmão de Edelvânia Wirganovicz, que confessou detalhes do homicídio e mostrou à polícia onde estava o corpo. O Ministério Público fez um aditamento à denúncia. Evandro é acusado de ter aberto a cova em que Bernardo Boldrini foi enterrado, em Frederico Westphalen. O Ministério Público também pediu que a prisão temporária de Evandro seja convertida em preventiva. Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, desapareceu no dia 4 de abril, uma sexta-feira, em Três Passos. De acordo com o pai, o médico cirurgião Leandro Boldrini, 38 anos, ele teria ido à tarde para a cidade de Frederico Westphalen com a madrasta, Graciele Ugulini, 36 anos, para comprar uma TV. De volta a Três Passos, o menino teria dito que passaria o final de semana na casa de um amigo. Como no domingo ele não retornou, o pai acionou a polícia. Boldrini chegou a contatar uma rádio local para anunciar o desaparecimento. Cartazes com fotos de Bernardo foram espalhados pela cidade, por Santa Maria e Passo Fundo. Na noite de segunda-feira, dia 14, o corpo do menino foi encontrado no interior de Frederico Westphalen dentro de um saco plástico e enterrado às margens do Rio Mico, na localidade de Linha São Francisco, interior do município.

SÓCIO DE FERNANDÃO ESCAPA DA MORTE PELA SEGUNDA VEZ EM UMA SEMANA

A aeronave que fez pouso forçado nesta sexta-feira, em Aruanã (GO), pertence à empresa Planalto, também proprietária do helicóptero que caiu no último sábado matando o ex-jogador Fernandão. O ídolo colorado era sócio da empresa, que tem sede em Goiânia e é especializada na fabricação de equipamentos para coleta e transporte de lixo. Sete pessoas ficaram feridas no acidente que ocorreu por volta das 8 horas. Entre elas, o empresário Alberto Nunes, diretor-presidente da Planalto e amigo de Fernandão, e piloto da aeronave, que teve uma fratura no fêmur. O grupo, segundo o comandante do Corpo de Bombeiros de Aruanã, tenente Paulo César Almeida Timóteo, chegava ao município para participar da missa de sétimo dia do ex-jogador e do caseiro Lindomar Mendes Vieira. Os integrantes do jato foram encaminhados ao Hospital Municipal de Aruanã e não correm risco de vida. Segundo os bombeiros, o jatinho avançou a pista e parou 300 metros depois, às margens da GO-530. Foi feito um trabalho de contenção com espuma para evitar uma explosão da aeronave.

GOVERNO DA PETISTA DILMA ROUSSEFF LANÇA FUNDO DE INFRAESTRUTURA DE R$ 300 MILHÕES PARA FINANCIAR PRIVATIZAÇÕES

A BB Investimentos e a Votorantim Asset, ambas do Banco do Brasil, iniciaram nesta sexta-feira as negociações no mercado secundário do primeiro fundo de investimentos exclusivo em debêntures — a principal aposta do governo federal para captar recursos para obras de infraestrutura no País. Com um patrimônio inicial de 300 milhões de reais, o Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), com prazo de dez anos, tem como alvo ativos das concessões federais de energia elétrica, rodovias e aeroportos. É um montante tímido, considerando-se os cerca de 1,5 trilhão de reais que serão necessários para financiar obras planejadas pelo governo para os próximos anos, reconheceu o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Paulo Caffarelli, no lançamento do fundo, na BM&FBovespa. "Mas a materialização desse primeiro fundo e o início de obras já concedidas permite começar uma nova história na infraestrutura brasileira", disse ele. Regulamentada pela Lei 12.431, em 2011, as debêntures de infraestrutura embutem incentivos tributários para investidores estrangeiros e pessoas físicas, que são isentos de Imposto de Renda nos ganhos de capital com esses papéis. Para atrair o mercado, Banco do Brasil e Votorantim compraram cotas subordinadas equivalentes a 5% do patrimônio do fundo, o que significa que receberão por último suas aplicações em caso de inadimplência na carteira. Segundo Reinaldo Lacerda, diretor da Votorantim Asset Management, o produto foi distribuído entre 2,7 mil investidores pessoas físicas qualificadas, ou seja, cada um com pelo menos 300 mil reais disponíveis para investir. As cotas seniores desses investidores apresentam rentabilidade equivalente à variação do IPCA acrescida de 5,5%. Apesar das vantagens tributárias, o produto chega ao mercado em um momento em que deve enfrentar maior concorrência dos títulos públicos, já que a sequência de altas da taxa básica nos últimos meses levou a Selic aos atuais 11% ao ano. O lançamento do fundo também ocorre um ano e meio após sua estruturação ter começado, devido a questões jurídicas que precisavam ser resolvidas. O FIDC contempla possibilidade de novas captações, que podem levar sua carteira a 1 bilhão de reais. Caffarelli disse também que há uma grande lição de casa a ser feita no setor de infraestrutura. "A lição de casa inclui juros, garantias e questões regulatórias", disse. Ele falou que, embora haja apoio do funding do governo, "vamos precisar de recursos privados, empresas de seguros". O secretário mencionou o início das obras das cinco estradas licitadas no ano passado e que outros FIDCs podem ser lançados a partir deste primeiro e desta iniciativa. "Estamos criando uma nova história de infraestrutura no país adequada às economias mundiais" , acrescentou Caffarelli. De acordo com o secretário, a partir da materialidade dos projetos de infraestrutura, a atratividade de investidores deve aumentar.

STF NEGA DESBLOQUEIO DE CONTAS DO PUBLICITÁRIO MENSALEIRO MARCOS VALÉRIO

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, rejeitou nesta sexta-feira o pedido de desbloqueio das contas bancárias de uma das empresas do publicitário mensaleiro Marcos Valério, a 2S Participações Ltda. Condenado no julgamento do Mensalão do PT a 37 anos e cinco meses de prisão, além do pagamento de multa de 4,4 milhões de reais, Marcos Valério alega não ter como pagar a dívida com as contas congeladas. Na decisão, o presidente do Supremo alegou que o bloqueio das contas é uma forma de garantir que a multa seja paga e de evitar qualquer tipo de benefício econômico em decorrência dos crimes praticados por Marcos Valério – corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. "As medidas assecuratórias propriamente ditas – sequestro e arresto – são tomadas, no curso do processo criminal, com a finalidade de garantir futura indenização à vítima, pagamento das despesas processuais ou penas pecuniárias e, ainda, para eliminar o proveito econômico obtido com a prática criminosa", argumentou Joaquim Barbosa. As contas de Marcos Valério estão retidas a pedido da Procuradoria-Geral da República e também já tiveram a liberação rejeitada pela Vara de Execuções Penais. Com a condenação criminal e a aplicação de pena de perda dos bens, Joaquim Barbosa considera que "a medida adequada para cumprimento integral do julgado é determinar a venda dos bens adquiridos após 2003, com a destinação dos valores aos cofres públicos federais". Na decisão, o ministro ressaltou ainda que determinou a alienação dos bens adquiridos depois de 2003. A defesa de Marcos Valério afirma que vai recorrer da decisão. “Dessa forma, o Supremo só vai atrasar o pagamento da dívida. Se as contas fossem liberadas, a multa teria sido paga no mesmo dia. Essa é uma solução simples, rápida e objetiva que interessa a própria União”, argumentou o advogado Marcelo Leonardo.

JUIZ SÉRGIO MORO LIBERA AS INVESTIGAÇÕES DA OPERAÇÃO LAVA-JATO PARA A CPI DA PETROBRAS; DEPUTADOS DEVEM PEDIR TAMBÉM AS INVESTIGAÇÕES DA OPERAÇÃO MONTE POLLINO

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, determinou nesta sexta-feira o compartilhamento das provas da investigação da Operação Lava Jato com a CPI da Petrobras. Os parlamentares terão acesso à investigação da Polícia Federal sobre possíveis desvios de recursos públicos na construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. O processo envolve o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef. Os detalhes sobre supostas contas bancárias secretas do ex-diretor em bancos da Suíça também chegarão aos senadores. Os deputados deveriam pedir também as investigações da Operação Monte Pollino, conexa com a Operação Lava Jato, na qual é investigado o tráfico de cocaína para a máfia italiana Ndrangheta, financiando com dinheiro desviado da Petrobras. De acordo com o juiz Sérgio Moro, a CPI poderá auxiliar na investigação. “Considerando que o compartilhamento irá instruir investigação criminal realizada pelo Congresso e de crimes apenados com reclusão (corrupção, peculato e lavagem, aparentemente) e que as provas colhidas neste feito e nos conexos podem servir eventualmente a outras investigações, não havendo ainda princípio da especialidade a impedir o compartilhamento das provas, é o caso de deferir o requerido”, decidiu Moro. De acordo com o Ministério Público Federal, os desvios na construção da refinaria pernambucana ocorreram por meio de contratos superfaturados, feitos com empresas que prestaram serviços à Petrobras entre 2009 e 2014. Conforme o Ministério Público Federal, a obra orçada em R$ 2,5 bilhões custou mais de R$ 20 bilhões. A investigação indica que os desvios tiveram a participação de Paulo Roberto Costa, então diretor de Abastecimento, e de Alberto Youssef, dono de empresas de fachada. Nos últimos dias, o Ministério Público da Suíça informou à Justiça Federal brasileira que foram descobertas naquele país contas bancárias no valor de US$ 29 milhões ligadas ao caso. Foram identificadas 12 contas em bancos suíços sob o controle de Paulo Roberto Costa, suas duas filhas, genros e de um funcionário do doleiro Alberto Youssef. Do total, US$ 23 milhões pertencem ao ex-diretor da Petrobras, segundo o levantamento suíço. Paulo Roberto Costa é suspeito de ligação com uma organização criminosa que lavava dinheiro em seis Estados e no Distrito Federal, desarticulada na Operação Lava Jato da Polícia Federal. Em um dos processos, Paulo Roberto Costa e Youssef estão envolvidos em desvio de dinheiro na construção da refinaria pernambucana. Na segunda ação penal, Paulo Roberto Costa é acusado de obstruir as investigações com a cumplicidade das duas filhas, Arianna e Shanni Costa, e os dois genros.

POLÍCIA FEDERAL ACHA DINHEIRO DESVIADO DA PETROBRAS EM CONTAS NA SUÍÇA

A Polícia Federal rastreou dinheiro desviado da Petrobras em contas do doleiro Alberto Youssef na Suíça. Há depósitos realizados por uma subcontratada das obras da Refinaria Abreu e Lima e de empreiteiras. Youssef foi preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, acusado de chefiar um esquema de lavagem de dinheiro que movimentou cerca de R$ 10 bilhões. No final de maio, a Justiça suíça bloqueou US$ 5 milhões de um “colaborador” do doleiro. O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, também foi alvo da ação suiça, teve US$ 23 milhões bloqueados em 12 contas e está sendo processado por lavagem de dinheiro. O Brasil vai solicitar formalmente às autoridades suíças o envio dos extratos das contas de Youssef e de Paulo Roberto Costa. A expectativa é que estes documentos revelem a origem e o destino dos depósitos em favor do doleiro e do ex-executivo. No esquema criminoso, Paulo Roberto Costa utilizava políticos e prestadores de serviços da Petrobras em um consórcio montado para fraudar contratos na estatal, ampliar sua fortuna e financiar políticos e partidos. Ele se aproveitava do cargo, que incluía entre as responsabilidades aprovar projetos técnicos para construção de refinarias e fiscalizar sua execução, para conduzir o esquema de desvio de recursos. Ele está preso no Paraná.

DIMA FAZ CHORORÔ ALTIVO SOBRE XINGAMENTOS DE QUE FOI ALVO NO ITAQUERÃO; ENTÃO VAMOS VER ONDE ESTÁ O AUTORITARISMO NESSA HISTÓRIA

A presidente Dilma Rousseff participou, nesta sexta-feira, da inauguração da primeira etapa do Expresso DF, obra construída com recursos federais. Referiu-se às vaias e aos xingamentos de que foi alvo na quinta-feira, no Itaquerão, no jogo inaugural da Copa do Mundo: “Não são xingamentos que vão me intimidar, atemorizar. Não me abaterei”. Só para lembrar: no roteiro traçado pré-junho do ano passado, a presidente faria um discurso abrindo a competição. Na imaginação petista, seria o momento da consagração. A Copa deveria ser uma espécie de resultado antecipado da eleição de outubro, com a oposição aniquilada. Bem, hoje, a presidente está sitiada em seu Palácio e só consegue falar a plateias rigidamente controladas, como a que a ouviu nesta sexta-feira. Vamos pôr os pingos nos is.

Ninguém está tentando intimidar a presidente da República. Isso é pura retórica oca. Por que alguém o faria? Se intimidação há, ela parte justamente do poder; se há um esforço de calar o outro, ele deriva do Palácio do Planalto. Dilma teve o topete de recorrer à Rede Nacional de Rádio e Televisão, dois dias antes do jogo de abertura da Copa, e não apenas para saudar a realização do evento no Brasil. Fosse só isso, vá lá… Ocupou, de modo autoritário e despropositado, um bem público para responder a críticos e adversários políticos — assim, mesmo, no plural —, que, no entanto, não gozam da mesma licença. Ora, encarasse, então, os microfones no estádio. Mas isso não teve coragem de fazer!
Nesta sexta-feira, a presidente, mais uma vez, voltou a fazer uma alusão ao período em que ficou presa, quando teria sido torturada: “O povo brasileiro não pensa assim e, sobretudo, o povo brasileiro não se sente da forma como esses xingamentos expressam. O povo brasileiro é civilizado e extremamente generoso e educado. Podem contar que isso não me enfraquece. Podem contar. (…) Não suportei apenas agressões verbais. Foram agressões físicas quase insuportáveis, e nada me tirou do meu rumo. Nada tirou de mim os compromissos que assumi ou os caminhos que tracei para mim”. É uma péssima e lastimável maneira de responder às vaias e aos xingamentos por várias razões, distintas e combinadas. Vamos a elas.
Em primeiríssimo lugar, se Dilma foi torturada, quem a torturou foram os marginais da ditadura. Aquele som que se ouviu no Itaquerão, ainda que desagradável — e, pessoalmente, não acho que xingamentos sejam uma boa maneira de expressar descontentamento —, vieram a público na vigência da democracia. Assim, cumpre que a agora presidente tenha compostura e não misture alhos com bugalhos. Considerar que a vaia pode ser uma etapa da tortura é evidência de confusão mental. De resto, a tortura não torna certo quem está errado nem errado quem está certo.
Em segundo lugar, não existe esse “o povo brasileiro”, como quer a presidente. Existem povos brasileiros. Dêem-me uma boa razão para tentar cassar o crachá de “povo” de quem protesta e xinga. Então seria “povo de verdade” apenas quem aplaude e cai de joelhos diante do poder? Ora, presidente…
Em terceiro lugar, a fala de Dilma sugere que a manifestação no Itaquerão decorreu de um espécie de conspiração, de combinação prévia… É mesmo? Quem teria tramado, então, aquele protesto que uniu milhares de pessoas? As oposições?
Em quarto lugar, ao afirmar que não se intimida, fica parecendo que a presidente enfrenta interesses poderosos, que estariam do outro lado, tentando constrangê-la a fazer o que não quer. Quais são? Reparem que, quando acuados, os governantes brasileiros sempre voltam ao fantasma brandido por Jânio Quadros: as tais forças ocultas… Não há nada de oculto na reação negativa ao governo Dilma. Há milhões de pessoas insatisfeitas com o desempenho do governo. É coisa corriqueira aqui e em qualquer país do mundo. Vaia-se na França, na Alemanha, nos Estados Unidos ou no Brasil. Nas ditaduras, aplaudir é obrigatório. Nas democracias, as pessoas podem escolher entre a vaia, o aplauso e a indiferença.
Dilma só é vítima da ruindade de seu governo. E olhem que os insatisfeitos do Itaquerão não deviam saber da missa nem a metade. É bem provável que muitos por lá ignorassem que a presidente baixou um decreto, o 8.243, que torna o petismo e suas franjas sócios eternos do poder, mesmo que percam as eleições. Os protestos poderiam ter sido bem mais veementes, não é mesmo? Por Reinaldo Azevedo

INFLAÇÃO OFICIAL NA VENEZUELA ULTRAPASSA 60%

A inflação na Venezuela em 12 meses atingiu 60,9% em maio passado, após chegar a  5,7% em abril por "eventos de conflito político", informou o Banco Central do país nesta quinta-feira. Na última medição, divulgada em abril, o índice estava em 59%. Segundo o jornal El Universal, a alta acumulada de 23% em 2014 corresponde ao maior avanço no mesmo período desde 1996. De acordo com a nota oficial do Banco Central da Venezuela, "perturbações de caráter extraordinário, alheias a fatores próprios da atividade produtiva, influíram desfavoravelmente nos resultados do INPC com o consequente efeito nos resultados da inflação". As principais altas foram registradas entre alimentos e bebidas não alcoólicas (6,4%), restaurantes e hotéis (6,9%), e transportes (10,1%). Imersa em um desequilíbrio financeiro em que as despesas excedem a renda das exportações de petróleo e a arrecadação de impostos, o governo solicitou ao Banco Central para imprimir mais dinheiro. O resultado óbvio de mais capital sem lastro em circulação no mercado é a inflação fora de controle. A oferta não pode acompanhar a demanda inflada pela injeção de bolívares. Além disso, há uma estagnação na produção de petróleo, principal produto de exportação do país, fazendo com que a Venezuela não consiga ampliar os lucros com a venda da commodity. Ao mesmo tempo, o preço dos bens importados aumenta rapidamente porque a demanda por dólares tornou-se insustentável, já que o governo controla o câmbio artificialmente desde 2003, e o livre acesso à compra e venda de divisas está proibido desde então. O Sistema Complementar de Administração de Divisas (Sicad), criado ano passado, realiza leilões semanais de 100 milhões de dólares a uma taxa de 11,30 bolívares. Apenas importadores, porém, podem participar destes leilões. Pessoas físicas e jurídicas precisam realizar seus pedidos por meio de mecanismos burocráticos e somente no fictício câmbio oficial, de 6,30 bolívares por dólar. Nas ruas, a moeda americana é vendida por um valor mais de dez vezes mais caro, chegando até 70 bolívares. O resultado dessa política cambial insana é uma escassez de dólares no mercado venezuelano, com as empresas não conseguindo importar e, com isso, ampliando a inflação e o desabastecimento de produtos. País com as maiores reservas petroleiras do planeta, a Venezuela atravessa uma severa crise econômica, com um déficit fiscal de entre 15% e 18% do PIB e escassez de produtos básicos, entre outros problemas.

STF MANDA UNIÃO LIBERAR R$ 1,5 BILHÃO EM EMPRÉSTIMOS AO PARANÁ

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, determinou que o governo federal destrave todos os financiamentos internacionais solicitados pelo governo do Paraná. Por meio de uma medida cautelar, Mello determinou que a União libere quatro empréstimos, que somam 1,5 bilhão de reais e estão em análise no Ministério da Fazenda, e estipulou multa diária de 500.000 reais pelo descumprimento da decisão. A medida também foi transmitida ao ministro da Fazenda, que fica sob responsabilidade cível e criminal pelo descumprimento da decisão judicial. As fortes chuvas que atingem o Paraná desde o final de semana já provocaram onze mortes, de acordo com informações divulgadas nesta sexta-feira pela Defesa Civil do Estado. Outras duas pessoas seguem desaparecidas. O número de afetados pelas enxurradas já chega a 579.524. Os municípios atingidos pelas chuvas somam 151 - 131 deles em situação de emergência. Pelo menos 32.571 pessoas ainda estão desalojadas e 4.448, desabrigadas. As mortes ocorreram em diferentes partes do Estado: Altamira do Paraná, Guaraniaçu, Guarapuava, Laranjeiras do Sul, Medianeira, Quedas do Iguaçu, Sulina e União da Vitória. A cidade de Cascavel lidera a lista dos municípios mais afetados, com um total de 150.050 pessoas atingidas. Já a capital Curitiba soma 16.804 moradores afetados e 3.509 moradias danificadas. Os prejuízos com as chuvas podem chegar a 1 bilhão de reais, segundo estimativa divulgada pela Defesa Civil do Estado. Até o momento foram estimadas perdas de aproximadamente 600 milhões de reais.

GURI BOBALHÃO BLACK BLOC É TIRADO DE MANIFESTAÇÃO A PESCOÇÃO PELO PRÓPRIO PAI

Em meio às cenas de depredação que rodaram o mundo na manhã de quinta-feira, quando black blocs desafiaram a Polícia Militar de São Paulo e chegaram a agredir motoristas na Radial Leste, via de acesso ao estádio Itaquerão, um diálogo chama a atenção: desesperado, o pai de um mascarado de 16 anos tenta tirá-lo da manifestação. E dá um puxão e orelhas no filho: “Você terá direitos quando trabalhar e ganhar seu dinheiro. Você é meu filho e não foi criado para isso”. Preocupado com o confronto entre mascarados e homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar, o pai tenta convencer o filho a deixar o local, mas o garoto contesta: “Eu quero meus direitos. Quero as coisas certas. Quero protestar. Deixa eu protestar”. Mas o pai não cede: “Não é você quem vai mudar o mundo, meu filho”. Ao que o black bloc adolescente retruca: “Quero escola, eu quero escola”. E o pai responde: “Você tem estudo, eu pago tua escola”.

A AGITADORA "SININHO" AGORA VAI SE INCOMODAR UM TANTO, ELA FOI INDICIADA POR "INCITAÇÃO À VIOLÊNCIA"; SE O BRASIL TIVESSE LEI ANTI-TERRORISMO, ELA SERIA INDICIADA POR TERRORISMO

Presença certa nos protestos de rua no Rio de Janeiro desde junho do ano passado, a agitadora e suposta estudante de cinema Elisa Quadros, conhecida como "Sininho", foi indicada por “incitação a atos de violência”, por sua atuação em manifestações. Se houvesse uma lei anti-terrorismo no Brasil, ela seria indiciada por terrorismo. O indiciamento foi confirmado pelo advogado Marino D´Icarahy, que representa "Sininho" e outros indiciados por suspeita de crime em protestos. A agitadora Elisa esteve na manhã desta sexta-feira na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), na Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio de Janeiro, mas recusou-se a prestar depoimento. O inquérito corre em segredo. "A defesa não teve acesso ao inquérito. Por isso, minha cliente não prestou depoimento.  Vou pedir vistas do processo e remarcar o depoimento para que ela possa desmentir tudo isso”, disse D’Icarahy. De acordo com o advogado, o inquérito está na 27ª Vara Criminal. Na última quarta-feira, a agitadora Elisa teve computador e arquivos digitais apreendidos pela Polícia Civil. No mesmo dia, ao todo 17 agitadores que participam de protestos foram alvos de mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça, para recolhimento de provas de crimes cometidos em manifestações. A agitadora Sininho, na ocasião, também foi levada para prestar depoimento na DRCI. Sininho não depôs e teve o interrogatório remarcado. No mesmo dia, ela tinha agendado depoimento em um processo contra dois policiais militares acusados de forjar a apreensão de um explosivo com um manifestante. Em outubro do ano passado, a agitadora Elisa – vista diversas vezes à frente de manifestações com participação de black blocs – foi presa com outras 84 pessoas nas escadarias da Câmara Municipal do Rio de Janeiro e chegou a ser levada para uma das casas de custódia de Bangu. Na época, ela afirmou não trabalhar. Em janeiro, ela voltou a ser detida, sob acusação de ter chamado de “macaco” um policial militar, durante uma discussão na Lapa. Ela foi autuada, na 5ª DP (Gomes Freire), por desacato. No mês seguinte, mais confusão. A agitadora esteve na 17ª DP (São Cristóvão) para prestar solidariedade a Fábio Raposo, preso acusado de deflagrar o rojão que matou o cinegrafista Santiago Andrade, da Band. Dias depois, ela foi convocada a prestar depoimento para esclarecer um telefonema no qual afirmava que o deputado Marcelo Freixo (PSOL) teria ligação com os acusados de matar o cinegrafista. Freixo negou ter ligação com os black blocs.

TSE MANTÉM NO CARGO O PREFEITO LUIZ SCHREINERT, DE SÃO JERÔNIMO

O Tribunal Superior Eleitoral confirmou, na noite de quarta-feira, os mandatos do prefeito de de São Jerônimo, Marcelo Luiz Schreinert (PP), e do vice-prefeito, Fabiano Rolim (PT). A decisão foi unânime. Eles tinham sido cassados pelo juiz eleitoral, em decisão confirmada depois pelo Tribunal Regional Eleitoral, mas conseguiram suspender a execução em liminar concedida pela ministra Luciana Lósio.

TRABALHADORES FECHAM POR UMA HORA A FÁBRICA DA GM DE GRAVATAÍ

Durante uma hora, trabalhadores fizeram um ato de protesto em frente ao portão de acesso à General Motors, em Gravataí. A concentração teve início às 5h30 desta sexta-feira, no horário da troca de turno. O temor dos trabalhadores é que inicie uma onda de demissões na montadora que está com a produção em baixa. O sinal de alerta acendeu essa semana. Além das férias coletivas, já anunciadas, de 30 dias para o terceiro turno a partir de segunda-feira, a empresa vai conceder férias de dez dias aos trabalhadores dos outros dois turnos de trabalho. O período sem trabalhar para os funcionários diurnos será de 7 a 16 de julho. O diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, Valcir Ascari, o "Quebra Molas", conta o que acontece: "A gente sabe que se as vendas não forem retomadas, quem vai pagar a conta é o trabalhador. Essa manifestação inicia esse processo. O sentimento do trabalhador é de insegurança. Em geral paramos por salário, mas hoje é diferente, porque todos querem é a garantia do seu emprego". A medida está afetando toda a unidade de Gravataí, totalizando 4,4 mil trabalhadores.

DILMA, SOBRE VAIAS E XINGAMENTOS: "NÃO VOU ME INTIMIDAR"

A presidente Dilma Rousseff falou nesta sexta-feira a respeito das vaias e xingamentos recebidos na tarde desta quinta em São Paulo, durante a abertura da Copa do Mundo no estádio Itaquerão. Em cerimônia em Brasília, a presidente afirmou que não se abate com a reprovação demonstrada pelos torcedores presentes à arena paulista. “Não são xingamentos que vão me intimidar, atemorizar. Não me abaterei”, disse a presidente.

Antes de comentar os xingamentos, Dilma aproveitou o discurso para atacar seus críticos – e, mais uma vez, ignorou as falhas na preparação do país para o Mundial. “Depois que superamos isso, enfrentamos os obstáculos, encaramos os problemas, demos a volta por cima. Não vou me deixar atemorizar por xingamentos que não podem sequer ser escutados pelas crianças e pelas famílias”, afirmou.
A presidente também afirmou que as ofensas proferidas pelos torcedores no Itaquerão não representam o que pensa a população do País. “O povo brasileiro não pensa assim e, sobretudo, o povo brasileiro não se sente da forma como esses xingamentos expressam. O povo brasileiro é civilizado e extremamente generoso e educado. Podem contar que isso não me enfraquece. Podem contar”, afirmou. Dilma ainda fez menção ao período militar, durante o qual foi presa e torturada: “Não suportei apenas agressões verbais. Foram agressões físicas quase insuportáveis, e nada me tirou do meu rumo. Nada tirou de mim os compromissos que assumi ou os caminhos que tracei para mim”, afirmou.
O discurso desta sexta-feira foi feito durante a cerimônia de inauguração da primeira etapa do Expresso DF, um novo sistema de transporte construído pelo governo do Distrito Federal com recursos do governo federal. O projeto tem um custo total de 761,4 milhões de reais. A platéia presente era controlada – e bastante amigável à presidente: apenas autoridades, funcionários da obra e militantes petistas tiveram acesso ao local. Justamente por isso, Dilma foi ovacionada ao subir para discursar. A presidente não discursou durante a abertura da Copa justamente para evitar vaias. Mas, mesmo sem usar a palavra, a presidente foi hostilizada antes, durante e depois do jogo em que o Brasil derrotou a Croácia por 3 a 1. 

JIHADISTAS SE APROXIMAM DE BAGDÁ E ESTADOS UNIDOS NÃO DESCARTAM ATAQUE AÉREO

Os jihadistas (terroristas islâmicos) estão a menos de 100 quilômetros de Bagdá, depois de terem tomado nesta semana o controle da segunda cidade mais importante do Iraque e de outras zonas no norte do país, informaram nesta quinta-feira várias fontes. Ante a impotência do Exército nacional, os Estados Unidos não descartam dar apoio através de ataques aéreos. Os rebeldes se apoderaram da cidade de Dhuluiya, 90 quilômetros ao norte de Bagdá, declarou um coronel da polícia e vários habitantes contactados por telefone. Um morador contou que homens armados percorriam as ruas e que não havia sinal das forças governamentais em sua região. Antes de chegar à cidade, os insurgentes tentaram tomar Samarra, mas as forças governamentais os impediram. Já o parlamento iraquiano, que deveria se reunir nesta quinta-feira a pedido do governo do xiita Nuri al-Maliki para examinar uma possível instauração de um estado de emergência, não pôde realizar sua sessão por falta de quórum. A sessão exige a presença de 165 deputados, mas apenas 128 estavam presentes. Desde terça-feira, os jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) se apoderaram no norte do país de Mossul, a segunda cidade do Iraque, de sua província, Nínive, e de setores em duas províncias próximas, Kirkuk e Salahedin, de maioria sunita. Na quarta-feira tomaram Tikrit, 160 quilômetros ao norte de Bagdá. Seu porta-voz, Abu Mohamed al-Adnani, os convocou a avançar em direção a Bagdá e criticou Maliki por sua incompetência, em uma gravação sonora divulgada na rede americana de vigilância de sites islamitas SITE. Maliki pediu na quarta-feira a todas as tribos que forneçam apoio militar ao Exército e à polícia e "formem unidades de voluntários para ajudá-los" em sua luta contra os jihadistas. Nesta quinta-feira, as forças curdas iraquianas tomaram o controle da cidade petrolífera de Kirkuk para protegê-la de um possível ataque dos jihadistas. É a primeira vez que as forças curdas controlam totalmente esta cidade multiétnica situada 240 quilômetros ao norte de Bagdá, onde uma polícia conjunta com membros árabes, curdos e turcomanos vela geralmente pela segurança. "Mobilizamos nossas forças ao redor da cidade de Kirkuk e agora controlamos toda a cidade", disse o coronel Fateh Rauf, combatente da primeira brigada dos peshmergas (forças de segurança curdas). Também garantiu que "não permitirão a entrada em Kirkuk de nenhum membro do EIIL". O governador da província de Kirkuk, Najmedin Omar Karim, disse que os "peshmergas haviam preenchido o vazio deixado pela retirada do Exército iraquiano de suas posições", nas fronteiras sul e oeste da cidade, e que está em "contato permanente com Bagdá". Pouco depois, o ministro encarregado dos peshmergas escapou de um atentado contra sua comitiva na província de Kirkuk. Jaafar Mustafá acabava de inspecionar as unidades curdas a sudoeste de Kirkuk quando uma explosão matou um membro dos peshmergas, informou o general Shirko Rauf. Os Estados Unidos prometeram na quarta-feira ajudar o Iraque, inclusive com força militar, diante de uma ofensiva de radicais islâmicos que pôs em xeque o Exército criado e equipado por Washington, dois anos e meio depois da saída das tropas americanas do país. O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, informou que "os Estados Unidos apoiarão os líderes iraquianos em todo o espectro político enquanto forjam a unidade nacional necessária para combater" o EIIL. "Com base no Acordo Estratégico, também seguiremos dando a assistência necessária ao governo do Iraque para fortalecer sua capacidade de deter, de maneira eficaz e duradoura, os esforços do EIIL para fazer estragos no Iraque e na região". A Rússia aproveitou para destacar que o avanço dos rebeldes islamitas no Iraque ameaça o país e ilustra o fracasso total da intervenção militar americana e britânica. "O que está acontecendo no Iraque ilustra o fracasso total da aventura que empreenderam principalmente os Estados Unidos e o Reino Unido, e na qual perderam o controle definitivamente", declarou o ministro das Relações Exteriores russo, Serguei Lavrov. "Há 11 anos, o presidente dos Estados Unidos anunciou a vitória da democracia no Iraque e, desde então, a situação se deteriorou de forma exponencial. Há tempos que advertimos que a aventura lançada pelos americanos e ingleses acabaria mal. Hoje os prognósticos se cumpriram", acrescentou. O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, exigiu nesta quinta-feira a libertação imediata dos cidadãos turcos feitos reféns pelos jihadistas no consulado da cidade iraquiana de Mossul, e condenou energicamente esta ação. "Condeno energicamente a tomada de reféns. Nós pedimos aos sequestradores que libertem os reféns imediatamente", declarou durante uma coletiva de imprensa em Madri, acrescentando que não vê um papel da Otan no Iraque. Na véspera, o ministro turco das Relações Exteriores, Davutoglu Amhet, ameaçou adotar medidas de "retaliação" caso algum dos cerca de 50 cidadãos turcos sequestrados por combatentes jihadistas no consulado da Turquia no Iraque sofra algum dano. "Todas as partes precisam saber que, se o menor dano for causado aos nossos cidadãos, haverá represálias", declarou Davutoglu ao vivo da sede da ONU em Nova York. Terroristas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) invadiram na quarta-feira o consulado turco na cidade iraquiana de Mossul (norte) e fizeram 49 reféns, incluindo o chefe da missão diplomática, segundo um funcionário do governo turco.